MANUAL DE RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES"

Transcrição

1 MANUAL DE RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES

2 UMA INTRODUÇÃO. O Escritório tem investido muito na criação de parâmetros para a execução do trabalho jurídico consultivo e contencioso. O investimento redundou na criação de um manual de procedimentos, responsável por disciplinar toda a administração do Escritório, desde a secretaria, passando pela tesouraria, controladoria, até o trabalho jurídico atividade fim do VG&P. A ideia central é entregar um serviço de qualidade a todos os clientes. O manual, em constante aperfeiçoamento, é instrumento de garantia de qualidade. Há no manual do VG&P uma série de procedimentos que garantem essa execução de qualidade dos serviços prestados aos clientes. Além de apresentar uma disciplina interna para todos os profissionais do Escritório, o manual é, antes de tudo, um compromisso com os clientes. E esse manual de relacionamento com os clientes é a adesão expressa do Escritório com estes compromissos, apresentando aos clientes VG&P todos os seus direitos em relação à forma de prestação dos serviços contratados. 01. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO. 1.1 O Escritório funciona de segunda a sexta-feira, das oito e meia da manhã às sete horas da noite. 1.2 Para casos urgentes, os celulares dos advogados vinculados aos casos ficam à disposição do cliente. 02

3 02. GESTÃO DE DOCUMENTOS. 2.1 VG&P se responsabiliza pela guarda de todos os documentos entregues fisicamente no escritório. 2.2 VG&P mantém na Secretaria protocolo para registro de todos os documentos recebidos do cliente. O advogado ou colaborador assina o recebimento dos documentos enviados. 2.3 Todos os documentos enviados por meio eletrônico são automaticamente arquivados no sistema de back-up de s do VG&P. 03. O ACOMPANHAMENTO DOS PROCESSOS. ENVIO DE RELATÓRIOS. 3.1 O Cliente tem acesso ao acompanhamento de todos os seus processos pela página do Escritório VERNALHA GUIMARÃES & PEREIRA na Internet (www.vgpadvogados.com.br), com senha e login exclusivos. Estas informações são enviadas aos clientes no início do relacionamento. 3.2 VG&P garante a privacidade das informações, com um sistema seguro, com acesso restrito aos processos vinculados ao contrato de prestação de serviços. 3.3 Todos os processos são integralmente digitalizados e estão à disposição para consulta on line. VG&P só arquiva a versão física de documentos originais. 3.4 Os andamentos dos processos estão à disposição on line para o cliente. As informações são alimentadas pelo sistema de controle interno do VG&P e, quando possível, pelo sistema capture. 3.5 Independentemente do uso do capture, VG&P executa um programa de acompanhamento sistemático dos processos, evitando, na conveniência do cliente, longos períodos de ausência de movimentação. 3.6 Os clientes receberão ainda, por , relatórios bimestrais de todos os processos vinculados ao contrato. 3.7 Os clientes podem solicitar reuniões periódicas para apresentação de relatórios. 03

4 04. CUMPRIMENTO ANTECIPADO DOS PRAZOS. POSSIBILIDADE DE CONFERÊNCIA ANTECIPADA DO TRABALHO. 4.1 O controle de publicações passa por um sistema de dúplice e independente de conferência, reduzindo ao máximo a possibilidade de perda de prazos para ausência de agendamento. VG&P responde pelos eventuais prejuízos gerados ao cliente em caso de perdas de prazo, de acordo com a teoria da perda de uma chance. 4.2 Para dar segurança ao acompanhamento processual, os prazos legais são cumpridos prioritariamente com antecedência. À exceção de hipóteses excepcionais e devidamente justificadas, os prazos legais deverão ser antecipados, no mínimo, na seguinte proporção: prazo de 15 dias para 8 dias; 10 dias para 6 dias; 5 dias para 4 dias. 4.3 As petições podem ficar à disposição dos clientes antes do protocolo pelo prazo 24 horas, sempre que o cliente assim indicar. Esta possibilidade autoriza que o cliente possa sugerir alterações na petição, ressalvada a independência profissional (art. 31, 1º do Estatuto da OAB). 4.4 O Escritório terá o prazo máximo de quinze dias para propor as novas ações, contados da entrega do último documento necessário. Casos urgentes serão atendidos com a prioridade que a hipótese demandar. 4.5 A consultoria consultiva também seguirá a mesma lógica de agendamento e cumprimento dos prazos. Se outro prazo não for exigido, as respostas do consultivo serão apresentadas em até cinco dias. Pareceres mais elaborados serão entregues em até quinze dias. Os pareceres serão anexados na ficha do cliente e ficarão à disposição para posterior consulta pela página do VG&P na Internet. 4.6 As audiências e demais atos que demandem a participação de clientes ou testemunhas serão avisadas aos clientes com a antecedência mínima de dez dias. Para as audiências de instrução o cliente receberá, com a antecedência mínima de três dias, um dossiê simplificado, com as principais informações úteis à compreensão do processo da própria utilidade da audiência (local, horário, pontos controvertidos, testemunhas). 05. CONTROLE DE QUALIDADE. 5.1 Independentemente do advogado diretamente responsável, todo o trabalho do escritório, no âmbito consultivo e contencioso, é revisado pelos coordenadores de departamento e acompanhado pelos supervisores. 5.2 Todas as peças produzidas pelo escritório (consultivo e contencioso) são padronizadas, seguindo o manual de estilo e redação próprio do VG&P. 04

5 06. REUNIÕES. 6.1 Os clientes podem reivindicar a participação de advogados do VG&P em reuniões pertinentes à execução dos serviços contratados. 6.2 A definição do profissional VG&P levará em consideração a especialidade envolvida e, sempre que possível, a preferência manifestada pelos clientes. 6.3 O escritório compromete-se a envolver nas reuniões todos os departamentos especializados do escritório que tenham pertinência com o tema a ser tratado. 07. RETORNO DE TELEFONEMAS. 7.1 O Escritório mantém um rigoroso sistema de controle de retorno dos telefonemas pelos advogados contatados, exigindo que na hipótese de impossibilidade de pronto atendimento, o retorno seja realizado no mesmo dia, preferencialmente no mesmo período. Eventuais reclamações podem ser enviadas ao 08. TIME SHEET. CONTROLE DO TEMPO DEDICADO AOS SERVIÇOS EXECUTADOS 8.1 Mesmo em relação aos contratos que não têm cobrança vinculada às horas trabalhadas, VG&P mantém um time sheet, permitindo que os clientes acompanhem o tempo dedicado aos processos e trabalhos do contencioso e do consultivo. Os clientes podem exigir a apresentação destes relatórios. 8.2 Para os contratos com valores vinculados à hora trabalhada, a apresentação do time sheet é condição para o faturamento. O cliente tem o direito de analisar e sugerir eventuais glosas em relação às horas lançadas. 05

6 09. RECOLHIMENTO DE CUSTAS. 9.1 Para realização de despesas com valores superiores a um salário mínimo os clientes serão previamente consultados, ressalvadas as hipóteses de excepcional urgência, a critério do VG&P. Para despesas de valores inferiores a um salário mínimo, o escritório adiantará os valores e lançará na conta de custas do cliente. 9.2 O cliente autorizará previamente as viagens necessárias à execução do contrato de honorários, avaliando, com o advogado, a necessidade e a pertinência do deslocamento. 9.3 O cliente receberá mensalmente o relatório de custas judiciais e extrajudiciais, devidamente discriminado e acompanhado de todos os comprovantes. 10. CONFIDENCIALIDADE 10.1 Todos os profissionais integrantes do VG&P comprometemse, por escrito e de forma expressa, a guardar irrestrito sigilo em relação às informações vinculadas ao cumprimento do contrato com os clientes. 11. NEWSLETTER E ARGUMENTO 11.1 VG&P enviará mensalmente, por , uma newsletter com notícias jurídicas de interesse dos clientes, agenda acadêmica dos advogados e pequenos artigos jurídicos. Trimestralmente o escritório enviará o Informativo ARGUMENTO, com breves análises jurídicas também sobre temas de interesse dos clientes A newsletter e o ARGUMENTO ficam à disposição do cliente no site do VG&P. 06

7 12. OUVIDORIA 12.1 VG&P mantém um para o recebimento de sugestões e reclamações acerca de eventuais descumprimentos dos compromissos assumidos em contrato e em relação ao conteúdo deste Manual 12.2 Os sócios do escritório, pessoalmente, apresentarão resposta em relação às reclamações enviadas, procurando solucioná-las prontamente. 13. PESQUISA DE SATISFAÇÃO COM CLIENTES 13.1 Para aprimorar a qualidade da prestação dos serviços profissionais, pelo menos uma vez por ano os clientes mensalistas e habituais serão convidados a responder pesquisa de satisfação Os dados coletados serão analisados pelos Sócios do VG&P e resultarão em providências concretas para o atendimento das necessidades dos clientes, sempre com o objetivo de melhorar a prestação dos serviços profissionais. 07

8 Al. Dr. Carlos de Carvalho 417, 18º andar Curitiba - PR - Brasil Tel.: ( 55)

INSTRUÇÃO NORMATIVA-TCU Nº 68, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA-TCU Nº 68, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA-TCU Nº 68, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 Dispõe sobre o recebimento de documentos a serem protocolados junto ao Tribunal de Contas da União. O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

I - Proposto: pessoa que viaja e presta contas da viagem realizada;

I - Proposto: pessoa que viaja e presta contas da viagem realizada; 1 PORTARIA MEC 403/2009 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 403, DE 23 DE ABRIL DE 2009 Dispõe sobre a solicitação, autorização, concessão e prestação de contas de diárias, passagens

Leia mais

CARTA DE APRESENTAÇÃO

CARTA DE APRESENTAÇÃO CARTA DE APRESENTAÇÃO Prezados Senhores, Vimos, por meio desta, apresentar a proposta e áreas de atuação de nosso escritório de advocacia, devidamente registrado perante a Ordem dos Advogados do Brasil

Leia mais

GPEC FORMA Formação & Aperfeiçoamento www.gpecforma.com.br PRO JURÍDICO XE WEB SOFTWARE WEB PARA ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA

GPEC FORMA Formação & Aperfeiçoamento www.gpecforma.com.br PRO JURÍDICO XE WEB SOFTWARE WEB PARA ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA GPEC FORMA Formação & Aperfeiçoamento www.gpecforma.com.br PRO JURÍDICO XE WEB SOFTWARE WEB PARA ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA PRO JURÍDICO XE WEB Todo escritório de advocacia, de pequeno a grande porte necessita

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ INSTRUÇÃO NORMATIVA SGA Nº. 007/2011 DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS DE RECEBIMENTO, REGISTRO, TRAMITAÇÃO, CONTROLE E EXPEDIÇÃO DE DOCUMENTOS NA. Versão: 01 Aprovação: 13/06/2011 Ato de aprovação: 13/06/2011

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA Faculdade de Tecnologia de Americana Curso Superior de Tecnologia em Logística REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA Americana, SP 2015 SUMÁRIO 1 SOBRE O TRABALHO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO SETOR JURÍDICO DA ASSEMP

REGIMENTO INTERNO DO SETOR JURÍDICO DA ASSEMP REGIMENTO INTERNO DO DA ASSEMP O Setor Jurídico da ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DA PREFEITURA DE BELO HORIZONTE, doravante denominado Jurídico-ASSEMP, será regido de acordo com este regimento e

Leia mais

PORTARIA Nº 126, DE 12 DE MARÇO DE 2014.

PORTARIA Nº 126, DE 12 DE MARÇO DE 2014. PORTARIA Nº 126, DE 12 DE MARÇO DE 2014. Dispõe sobre a implantação e o funcionamento do processo eletrônico no âmbito do Ministério das Comunicações. O MINISTRO DE ESTADO DAS COMUNICAÇÕES, no uso das

Leia mais

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE VIAGENS

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE VIAGENS POLÍTICA INSTITUCIONAL DE VIAGENS 1 INTRODUÇÃO A ANEC Associação Nacional de Educação Católica do Brasil, através de sua estrutura organizacional e de seus colaboradores, tem avançado muito no cumprimento

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE FINANÇAS E ORÇAMENTO APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DO ESCRITÓRIO MODELO DE ADVOCACIA DA UNISUL (REMA/UNISUL)

REGULAMENTO DO ESCRITÓRIO MODELO DE ADVOCACIA DA UNISUL (REMA/UNISUL) UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA ESCRITÓRIO MODELO DE ADVOCACIA DO CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DO ESCRITÓRIO MODELO DE ADVOCACIA DA UNISUL (REMA/UNISUL) Tubarão, SC, fevereiro de 2004. 2 Regulamento

Leia mais

REGRAS MODELO DE PROCEDIMENTO PARA OS TRIBUNAIS ARBITRAIS AD HOC DO MERCOSUL

REGRAS MODELO DE PROCEDIMENTO PARA OS TRIBUNAIS ARBITRAIS AD HOC DO MERCOSUL MERCOSUL/CMC/DEC. Nº 30/04 REGRAS MODELO DE PROCEDIMENTO PARA OS TRIBUNAIS ARBITRAIS AD HOC DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Olivos para a Solução de Controvérsias no MERCOSUL

Leia mais

SISTEMA DE AUTO ATENDIMENTO TREND OPERADORA TERMO DE USO

SISTEMA DE AUTO ATENDIMENTO TREND OPERADORA TERMO DE USO SISTEMA DE AUTO ATENDIMENTO TREND OPERADORA TERMO DE USO DA EMPRESA A TREND FAIRS E CONGRESSES OPERADORA DE VIAGENS PROFISSIONAIS LTDA, empresa com sede na Cidade de São Paulo, SP, na Rua Sete de Abril,

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE CONSULTOR HND

POLÍTICA DE PRIVACIDADE CONSULTOR HND POLÍTICA DE PRIVACIDADE CONSULTOR HND 1. Princípios Gerais Esta Política de privacidade descreve como o CONSULTOR HND coleta e usa informações pessoais fornecidas no nosso site: www.consultorhnd.com.br.

Leia mais

RESOLUÇÃO CRM-PR N º 150/2007 (Publicado no Diário Oficial da União, Seção 1, de 24/04/2007 p. 86) (Revogada pela Resolução CRMPR 181/2011)

RESOLUÇÃO CRM-PR N º 150/2007 (Publicado no Diário Oficial da União, Seção 1, de 24/04/2007 p. 86) (Revogada pela Resolução CRMPR 181/2011) CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO PARANÁ RUA VICTÓRIO VIEZZER. 84 - CAIXA POSTAL 2.208 - CEP 80810-340 - CURITIBA - PR FONE: (41) 3240-4000 - FAX: (41) 3240-4001 - SITE: www.crmpr.org.br - E-MAIL: protocolo@crmpr.org.br

Leia mais

NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA.

NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA COORDENAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM

Leia mais

MANUAL DE SERVIÇOS 1. PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA FAMILIAR PAF

MANUAL DE SERVIÇOS 1. PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA FAMILIAR PAF MANUAL DE SERVIÇOS 1. PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA FAMILIAR PAF 1.1 SERVIÇOS PRESTADOS Souza & Evangelista Advocacia e Consultoria Jurídica propicia atividades jurídicas privativas de advogados nas vias

Leia mais

Condições Gerais para Prestação de Serviços Analíticos e de Amostragem

Condições Gerais para Prestação de Serviços Analíticos e de Amostragem Condições Gerais para Prestação de Serviços Analíticos e de Amostragem I. Apresentação A ACQUALAB Laboratório e Consultoria Ambiental S/S Ltda. atua, desde a sua constituição, nas diversas áreas da ciência

Leia mais

ROTINA DE COBRANÇA DE DÉBITOS DA AFRESP (Aprovada pela Portaria AFRESP nº 12/2013)

ROTINA DE COBRANÇA DE DÉBITOS DA AFRESP (Aprovada pela Portaria AFRESP nº 12/2013) ROTINA DE COBRANÇA DE DÉBITOS DA AFRESP (Aprovada pela Portaria AFRESP nº 12/2013) 1. O "Cadastro de Inadimplentes da AFRESP" (Cadin-AFRESP), criado pela Portaria AFRESP nº 12/2013, na Tesouraria da AFRESP,

Leia mais

Justiça Federal Subseção Judiciária de Santa Maria. http://www.jef-rs.gov.br

Justiça Federal Subseção Judiciária de Santa Maria. http://www.jef-rs.gov.br http://www.jef-rs.gov.br VANTAGENS DO SISTEMA ELETRÔNICO: DIRETAS INDIRETAS Diminuição de custos com papel, impressão, fotocópias; deslocamentos ao JEF; comodidade do acesso imediato aos autos no momento

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 006, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2010, DO REITOR DA UFTM.

RESOLUÇÃO N. 006, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2010, DO REITOR DA UFTM. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO UBERABA-MG RESOLUÇÃO N. 006, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2010, DO REITOR DA UFTM. Dispõe sobre a solicitação, autorização, concessão e prestação

Leia mais

Curso de Direito NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA Autorizado pela Port. nº 584 de 26 de junho de 2007 MEC

Curso de Direito NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA Autorizado pela Port. nº 584 de 26 de junho de 2007 MEC NORMAS COMPLEMENTARES DO NPJ FAR 2º SEMESTRE 2015 NORMAS COMPLEMENTARES PARA ESTAGIÁRIOS DO NPJ FAR 2º SEMESTRE 2015 1. OBJETIVOS: Estas Normas Complementares implantadas pelo Núcleo de prática Jurídica

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 139, DE 29 DE JUNHO DE 2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 139, DE 29 DE JUNHO DE 2012 Publicada no Boletim de Serviço, n. 7, p. 13-18 em 6/7/2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 139, DE 29 DE JUNHO DE 2012 Dispõe sobre o fornecimento e a autenticação de cópias e impressões e dá outras providências.

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 342/SEJUD.GP, DE 27 DE JULHO DE 2010

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 342/SEJUD.GP, DE 27 DE JULHO DE 2010 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 342/SEJUD.GP, DE 27 DE JULHO DE 2010 Regulamenta o processo judicial eletrônico no âmbito do Tribunal Superior do Trabalho. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL SUPERIOR

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS 1 Política de segurança da informação 1.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COGEM, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção de políticas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 001/2010

RESOLUÇÃO Nº 001/2010 RESOLUÇÃO Nº 001/2010 ALTERA O REGIMENTO INTERNO DA OUVIDORIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS. O COLÉGIO DE PROCURADORES DE JUSTIÇA, no uso das atribuições conferidas pelo artigo 18, inciso XVII,

Leia mais

FACULDADE PATOS DE MINAS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO INSTRUÇÕES PARA ORIENTADORES E ORIENTADOS

FACULDADE PATOS DE MINAS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO INSTRUÇÕES PARA ORIENTADORES E ORIENTADOS INSTRUÇÕES PARA ORIENTADORES E ORIENTADOS Seguem abaixo informações fundamentais que devem orientar a realização do TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) que será feito individualmente e em forma MONOGRAFIA

Leia mais

Regimento Interno do Comitê de Auditoria

Regimento Interno do Comitê de Auditoria 01. FINALIDADE Art. 1º O Comitê de Auditoria (Coaud) rege-se pela legislação aplicável, pelo Estatuto Social do Banco do Brasil, por seu Regimento Interno e por decisões do Conselho de Administração. Art.

Leia mais

MANUAL DE NORMAS. InterClubNet / Manual de Normas You Are Here:

MANUAL DE NORMAS. InterClubNet / Manual de Normas You Are Here: MANUAL DE NORMAS InterClubNet / Manual de Normas You Are Here: Manual de Normas InterClubNet 1.0 - Objetivo Este manual tem como objetivo estabelecer um conjunto de critérios para o bom funcionamento do

Leia mais

TÍTULO I DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E ADMINISTRATIVA DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

TÍTULO I DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E ADMINISTRATIVA DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA TÍTULO I DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E ADMINISTRATIVA DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA Art. 1º. O presente Regimento Interno disciplinará todo funcionamento

Leia mais

O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL, no uso das suas atribuições, e

O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL, no uso das suas atribuições, e SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 18/03/2013 RESOLUÇÃO Nº 25/2013 Assunto: Institui o Sistema

Leia mais

Desde 2004 atuamos neste ramo. Hoje, temos absoluta convicção de que ninguém faz tão rápido e com tanta eficiência este trabalho como nós.

Desde 2004 atuamos neste ramo. Hoje, temos absoluta convicção de que ninguém faz tão rápido e com tanta eficiência este trabalho como nós. SOMOS A CONTINUM. UMA EMPRESA DE GESTÃO E LOGÍSTICA DE ADVOGADOS CORRESPONDENTES, COM ATUAÇÃO EM TODO O TERRITÓRIO BRASILEIRO >> Através de uma proposta inovadora, desenvolvemos uma rede de advogados atuando

Leia mais

UNIGRAN Centro Universitário da Grande Dourados. MANUAL DO ALUNO da Pós-Graduação a Distância

UNIGRAN Centro Universitário da Grande Dourados. MANUAL DO ALUNO da Pós-Graduação a Distância UNIGRAN Centro Universitário da Grande Dourados MANUAL DO ALUNO da Pós-Graduação a Distância INTRODUÇÃO No curso de pós graduação em EAD da UNIGRAN o processo de aprendizagem é construído pelo próprio

Leia mais

REGULAMENTO DO CONTROLO DE QUALIDADE DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS. (Artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro)

REGULAMENTO DO CONTROLO DE QUALIDADE DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS. (Artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro) REGULAMENTO DO CONTROLO DE QUALIDADE DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS (Artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro) CAPÍTULO I Objectivos e caracterização do controlo de qualidade

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCILIAÇÃO

REGULAMENTO DE CONCILIAÇÃO REGULAMENTO DE CONCILIAÇÃO Regulamento de Conciliação da Câmara de Mediação e Arbitragem do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais CREA-MG. A Câmara de Mediação e Arbitragem do Conselho

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE ENFERMAGEM UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE ENFERMAGEM Uruguaiana, 19 de abril de 2011. REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE ENFERMAGEM DA

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE FORNECEDORES 007/2015 - ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE FORNECEDORES 007/2015 - ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE FORNECEDORES 007/2015 - ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. IDENTIFICAÇÃO Coordenação: Profª. Ingrid Eleonora Schreiber Jansch Pôrto Centro de Empreendimentos em Informática da

Leia mais

FACULDADES DA FUNDAÇÃO DE ENSINO DE MOCOCA - FaFEM

FACULDADES DA FUNDAÇÃO DE ENSINO DE MOCOCA - FaFEM Portaria n. 012/2010. Estabelece as Normas e Regulamento da Ouvidoria das FAFEM. A Diretora das Faculdades da Fundação de Ensino de Mococa, no uso de suas atribuições regimentais, RESOLVE: regulamentar

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INOVAÇÃO DE FIBRIA CELULOSE S.A. CAPÍTULO I DO COMITÊ DE INOVAÇÃO

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INOVAÇÃO DE FIBRIA CELULOSE S.A. CAPÍTULO I DO COMITÊ DE INOVAÇÃO REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INOVAÇÃO DE FIBRIA CELULOSE S.A. CAPÍTULO I DO COMITÊ DE INOVAÇÃO 1. O Comitê de Inovação (o "Comitê") é um órgão colegiado de assessoramento e instrução, instituído pelo

Leia mais

Manual do Debit Jurídico. Primeiros passos

Manual do Debit Jurídico. Primeiros passos Manual do Debit Jurídico Primeiros passos Índice Apresentação...2 Como acessar o produto...3 Tela Inicial...5 Como cadastrar o primeiro processo...5 Cliente...6 Advogado...6 Adverso...6 Dados do Processo...6

Leia mais

PROJETO DE FINAL DE CURSO (PFC)

PROJETO DE FINAL DE CURSO (PFC) PROJETO DE FINAL DE CURSO (PFC) Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Aula inaugural 15-03-12 Prof. Conrado Rodrigues (Coordenador da disciplina) e-mail: crodrigues@civil.cefetmg.br ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

FACULDADE DE DIREITO REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CAPÍTULO I DA FINALIDADE ART. 1º - O Núcleo de Prática Jurídica, subordinado à Faculdade de Direito

Leia mais

Universidade de Brasília Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação

Universidade de Brasília Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação EDITAL 06/2012 Universidade de Brasília APOIO À PESQUISA DE CAMPO DE PÓS-GRADUANDOS NO PAÍS 1. Finalidade Apoiar os discentes de pós-graduação bolsistas CAPES, CNPq ou REUNI, regularmente matriculados

Leia mais

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão 1 ARTIGO Artigo 1º - NATUREZA, OBJETO E APROVAÇÃO DO REGIMENTO INTERNO Artigo 2º - COMPOSIÇÂO, CARGOS E MANDATOS Artigo 3º - DA PRESIDÊNCIA E SECRETARIADO

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA. Março de 2015 4ª Edição

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA. Março de 2015 4ª Edição REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA Março de 2015 4ª Edição Índice 1 O DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO... 3 1.1. POLÍTICA E ESTRATÉGIA... 3 1.2. ESTRUTURA... 3 2 CONDIÇÕES DE FUNCIONAMENTO DA

Leia mais

Delegação do Brasil junto à Organização Mundial do Comércio e a outras Organizações Econômicas em Genebra EDITAL

Delegação do Brasil junto à Organização Mundial do Comércio e a outras Organizações Econômicas em Genebra EDITAL Delegação do Brasil junto à Organização Mundial do Comércio e a outras Organizações Econômicas em Genebra Avenue Louis-Casaï 71 Case Postale 120 1216 Cointrin Genebra - Suíça EDITAL Programa de Formação

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET Pelo presente Instrumento Particular o BANCO MÁXIMA S/A, com sede na cidade de Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, na Avenida Atlântica, 1130, 12º andar

Leia mais

CONTRATO DE ACESSO AO IEPREV ON LINE

CONTRATO DE ACESSO AO IEPREV ON LINE CONTRATO DE ACESSO AO IEPREV ON LINE Pelo presente instrumento particular entre as partes, de um lado o Instituto de Estudos Previdenciários IEPREV, com endereço na Rua Timbiras, 1940, salas 510, 511 e

Leia mais

DO PROJETO DE MONOGRAFIA. Art. 2º. A elaboração da monografia deverá ser precedida de elaboração e aprovação de projeto de monografia.

DO PROJETO DE MONOGRAFIA. Art. 2º. A elaboração da monografia deverá ser precedida de elaboração e aprovação de projeto de monografia. Art. 1º. Este regulamento é aplicável aos cursos que em seu projeto definiram a monografia como trabalho final, conforme previsto no Regimento Interno do Instituto Superior do Ministério Público ISMP.

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DE MATO GROSSO SENAI DR/MT REGULAMENTO DA OUVIDORIA SENAI - MT

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DE MATO GROSSO SENAI DR/MT REGULAMENTO DA OUVIDORIA SENAI - MT SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DE MATO GROSSO SENAI DR/MT REGULAMENTO DA OUVIDORIA SENAI - MT Art. 1º A Ouvidoria do SENAI MT é um elo de ligação entre a comunidade interna

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31389 de 31/03/2009

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31389 de 31/03/2009 DIÁRIO OFICIAL Nº. 31389 de 31/03/2009 GABINETE DA GOVERNADORA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº_03 /2009. O Defensor Público Geral do Estado do Pará, no uso de atribuições previstas

Leia mais

REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1. Das Disposições Preliminares Art. 1 o. Este Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades

Leia mais

Portfolio de Produtos

Portfolio de Produtos Introdução O Guia de Produtos e Serviços da Assessoria de Comunicação (ASCOM) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) foi elaborado com o objetivo de apresentar os produtos e serviços prestados

Leia mais

Plano Jurídico Diamond

Plano Jurídico Diamond Plano Jurídico Diamond CONTRATO DE ADESÃO DO PLANO JURÍDICO DIAMOND CLÁUSULA PRIMEIRA: Do Objeto. 1.1 - A Contratada, PLANO JURÍDICO DIAMOND, é uma operadora de serviços, com sede na Rua Teixeira Leal,

Leia mais

Soluções de vídeos na Internet www.k2tv.com.br POLÍTICAS DE USO

Soluções de vídeos na Internet www.k2tv.com.br POLÍTICAS DE USO POLÍTICAS DE USO 1. Como nosso cliente, você terá responsabilidades legais e éticas quanto ao uso dos serviços. A K2TV se reserva ao direito de suspender ou cancelar o acesso a conta de um cliente a qualquer

Leia mais

Regulamento do Programa de Mediação, Negociação e Arbitragem do Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Direito

Regulamento do Programa de Mediação, Negociação e Arbitragem do Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Direito Associação Catarinense de Ensino FACULDADE GUILHERME GUIMBALA - FGG Curso de Direito Autorização da Unificação de Mantidas - FGG: Portaria SESu Nº 56, de 18/01/2008 (DOU de 21/01/2008) Curso de Direito

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS 8 - Política de segurança da informação 8.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COOPERFEMSA, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção

Leia mais

CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PLATAFORMA DE E-COMMERCE CO-BRANDED

CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PLATAFORMA DE E-COMMERCE CO-BRANDED CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PLATAFORMA DE E-COMMERCE CO-BRANDED Pelo presente instrumento particular, entre as PARTES: De um lado, como LICENCIADO: LICENCIADO, conforme dados preenchidos pelo

Leia mais

Tribunal de Justiça do Estado de Goiás

Tribunal de Justiça do Estado de Goiás Dispõe sobre a implantação e estabelece normas para o funcionamento do processo eletrônico no Poder Judiciário do Estado de Goiás. O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS, por seu Órgão Especial, no exercício

Leia mais

JUR. 04 GESTÃO DO CONTENCIOSO FECOMERCIO

JUR. 04 GESTÃO DO CONTENCIOSO FECOMERCIO 1 de 15 GESTÃO DO CONTENCIOSO FECOMERCIO MACROPROCESSO ASSESSORIA TÉCNICA PROCESSO GESTÃO DO CONTENCIOSO FECOMERCIO 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS...

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN n 114, DE 26 DE OUTUBRO DE 2005.

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN n 114, DE 26 DE OUTUBRO DE 2005. RESOLUÇÃO NORMATIVA RN n 114, DE 26 DE OUTUBRO DE 2005. Estabelece padrão obrigatório para a troca de informações entre operadoras de plano privado de assistência à saúde e prestadores de serviços de saúde

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA ITAUCARD BUSINESS REWARDS

REGULAMENTO DO PROGRAMA ITAUCARD BUSINESS REWARDS REGULAMENTO DO PROGRAMA ITAUCARD BUSINESS REWARDS 1. DISPOSIÇÕES GERAIS a) Este Regulamento faz parte integrante do Contrato de Cartão de Crédito ( Contrato ) e regula as condições aplicáveis ao Programa

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE PRERROGATIVAS DA AMATRA XV

REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE PRERROGATIVAS DA AMATRA XV REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE PRERROGATIVAS DA AMATRA XV CAPÍTULO I DAS ATRIBUIÇÕES Art. 1º. Compete à Comissão de Prerrogativas a efetivação prática do disposto no inciso III do artigo 2º do Estatuto

Leia mais

TERMO DE ADESÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERMEDIAÇÃO

TERMO DE ADESÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERMEDIAÇÃO TERMO DE ADESÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERMEDIAÇÃO São partes deste Instrumento, VAIVOLTA.COM SERVIÇOS DE INTERNET SA, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 15.529.518/0001-94, com sede na Rua Frei Caneca,

Leia mais

AGENDAMENTO E REALIZAÇÃO DE EVENTOS (DA SMCC E DE TERCEIROS)

AGENDAMENTO E REALIZAÇÃO DE EVENTOS (DA SMCC E DE TERCEIROS) FINALIDADE: Esta norma por finalidade normatizar a realização de eventos, tanto da própria SMCC (Diretoria ou Departamentos e Comitês Científicos da SMCC) quanto eventos de terceiros, realizados nas dependências

Leia mais

EDITAL. Programa de Formação Complementar e Pesquisa em Comércio Internacional. 12 de maio a 1º de agosto de 2014 Genebra, Suíça

EDITAL. Programa de Formação Complementar e Pesquisa em Comércio Internacional. 12 de maio a 1º de agosto de 2014 Genebra, Suíça EDITAL Programa de Formação Complementar e Pesquisa em Comércio Internacional 1.Descrição 12 de maio a 1º de agosto de 2014 Genebra, Suíça O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil e a Delegação

Leia mais

Estabelecer critérios e procedimentos padronizados necessários para utilização do Help Desk da Coco do Vale.

Estabelecer critérios e procedimentos padronizados necessários para utilização do Help Desk da Coco do Vale. Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos padronizados necessários para utilização do Help Desk da Coco do Vale. Responsabilidades As informações neste tópico são as responsabilidades, descritas de

Leia mais

RESOLUCAO TJ/OE Nº 16, de 30/11/2009 (ESTADUAL) DJERJ, ADM 60 (8) - 01/12/2009

RESOLUCAO TJ/OE Nº 16, de 30/11/2009 (ESTADUAL) DJERJ, ADM 60 (8) - 01/12/2009 RESOLUCAO TJ/OE Nº 16, de 30/11/2009 (ESTADUAL) DJERJ, ADM 60 (8) - 01/12/2009 RESOLUÇÃO Nº. 16/2009 Autoriza a implantação do Processo Eletrônico no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

MANUAL FATURAMENTO SERVIÇOS MÉDICOS/CONTAS MÉDICAS

MANUAL FATURAMENTO SERVIÇOS MÉDICOS/CONTAS MÉDICAS MANUAL FATURAMENTO SERVIÇOS MÉDICOS/CONTAS MÉDICAS ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. INFORMAÇÕES REGULAMENTARES:...3 3. ACESSO AO SISTEMA...3 4. INCLUSÃO DE USUÁRIOS...4 5. FATURAMENTO ELETRÔNICO...5 6. GUIA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR PESSOA FÍSICA MODALIDADE PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR PESSOA FÍSICA MODALIDADE PRODUTO Número e Título do Projeto Função no Projeto: TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR PESSOA FÍSICA MODALIDADE PRODUTO BRAX66 - Fortalecimento da Secretaria Nacional de Justiça em cooperação jurídica

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015 POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015 1. ABERTURA O Diretor Geral do IFBA Campus Jacobina, no uso de suas atribuições, faz saber que,

Leia mais

NPJ - Núcleo de Prática Jurídica

NPJ - Núcleo de Prática Jurídica NPJ - Núcleo de Prática Jurídica O Núcleo de Prática Jurídica - NPJ da FSG constitui-se como o espaço que promove a articulação entre o ensino, a pesquisa e a extensão e é voltado para a formação prática

Leia mais

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Projeto Básico da Contratação de Serviços: Constitui objeto do presente Projeto Básico a contratação de empresa especializada em serviços de comunicação

Leia mais

Processo de Solicitação de Viagem GENS S.A. Manual do Colaborador

Processo de Solicitação de Viagem GENS S.A. Manual do Colaborador Processo de Solicitação de Viagem GENS S.A. Manual do Colaborador 1 Apresentação Apresentamos o Processo de Viagens GENS Manual do Colaborador. Este Manual é parte integrante do Processo de Viagens GENS.

Leia mais

CONTROLE DE COPIA: PO-AM-TI-025 TELEFONIA MÓVEL 10/07/2015

CONTROLE DE COPIA: PO-AM-TI-025 TELEFONIA MÓVEL 10/07/2015 1/6 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para concessão de linhas telefônicas móveis, aparelhos e modens, ao pessoal, Técnico, Administrativo e Operacional das empresas do Grupo Santa Helena. Este procedimento

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I. Da Finalidade

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I. Da Finalidade REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I Da Finalidade Art. 1ª Fica instituído o Regimento Interno da da Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF, em conformidade com o Decreto nº. 6.029 de 1º de fevereiro

Leia mais

ANEXO 1 CLÀUSULAS NEGOCIADAS

ANEXO 1 CLÀUSULAS NEGOCIADAS ANEXO 1 CLÀUSULAS NEGOCIADAS CLÁUSULA OITAVA - SIGILO E CONFIDENCIALIDADE 8.1 - Cada Partícipe se compromete em manter sigilo sobre as informações trocadas e geradas durante a execução das atividades do

Leia mais

ÍNDICE. Página 2 de 10

ÍNDICE. Página 2 de 10 Página 1 de 10 @ ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. INTRODUÇÃO AO SISTEMA CUSTOMER WEB... 3 3. ACESSO AO PORTAL CUSTOMER WEB... 3 3.1. Solicitação de Acesso ao Portal... 3 3.2. Níveis de Acesso do Cliente... 4

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 203. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. GESTÃO EAD Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

Anexo I (Art. 1º da Instrução Normativa STJ/GDG n. 8 de 4 de maio de 2015) ROTINAS E PROCEDIMENTOS DO PROGRAMA DE GESTÃO DOCUMENTAL

Anexo I (Art. 1º da Instrução Normativa STJ/GDG n. 8 de 4 de maio de 2015) ROTINAS E PROCEDIMENTOS DO PROGRAMA DE GESTÃO DOCUMENTAL Anexo I (Art. 1º da Instrução Normativa STJ/GDG n. 8 de 4 de maio de 2015) ROTINAS E PROCEDIMENTOS DO PROGRAMA DE GESTÃO DOCUMENTAL Seção I Da Criação, da Captura e da Digitalização de Documentos Art.

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA NORMAS DE USO I - DA NATUREZA (da finalidade) art 1 - O Laboratório caracteriza-se por sua natureza didático-pedagógica, servindo de complemento aos

Leia mais

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Usuário Anônimo

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Usuário Anônimo CeC Cadastro eletrônico de Contribuintes Usuário Anônimo Versão 1.3 11/02/2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Objetivos... 3 1. Solicitação de CeC... 4 1.1. Cadastro de Pessoas Físicas... 6 1.1.1 Cadastro de

Leia mais

Manual do Prestador SEPACO. Saúde. ANS - n 40.722-4

Manual do Prestador SEPACO. Saúde. ANS - n 40.722-4 Manual do Prestador Saúde o ANS - n 40.722-4 SEPACO Prezado prestador, Este manual tem como objetivo formalizar a implantação das rotinas administrativas do Sepaco Saúde, informando as características

Leia mais

Orientações Gerais de Acordo com o Regimento Escolar (parecer favorável do COMED 006/05)

Orientações Gerais de Acordo com o Regimento Escolar (parecer favorável do COMED 006/05) Orientações Gerais de Acordo com o Regimento Escolar (parecer favorável do COMED 006/05) Dos Discentes Todos os alunos matriculados na Unidade Escolar integram o corpo discente tendo o DIREITO de: Valer-se

Leia mais

ADVOGADOS DO BRASIL SEÇÃO MINAS GERAIS, contra o TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS em possível descumprimento de norma federal.

ADVOGADOS DO BRASIL SEÇÃO MINAS GERAIS, contra o TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS em possível descumprimento de norma federal. Autos: PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS 0001505 65.2014.2.00.0000 Requerente: ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SEÇÃO MINAS GERAIS e outros Requerido: CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS RELATÓRIO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 Artigo 1º. - A FUNDAÇÃO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM AGRONOMIA, MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA - FUNEP, além das disposições constantes de seu Estatuto

Leia mais

Comissão do Jovem Advogado

Comissão do Jovem Advogado REGULAMENTO DO PROGRAMA MEU PRIMEIRO ESTÁGIO Estabelece normas para acompanhamento das atividades do programa meu primeiro estágio, da Comissão da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Acre OAB/AC.

Leia mais

Faculdade do Noroeste de Minas FINOM Núcleo de Prática Jurídica PROJETO DA ESTRUTURA DE ESTÁGIO NO NPJ FINOM

Faculdade do Noroeste de Minas FINOM Núcleo de Prática Jurídica PROJETO DA ESTRUTURA DE ESTÁGIO NO NPJ FINOM Faculdade do Noroeste de Minas FINOM Núcleo de Prática Jurídica PROJETO DA ESTRUTURA DE ESTÁGIO NO NPJ FINOM Paracatu, Minas Gerais 2009 I - Objeto: Este projeto tem como objeto a definição da estrutura

Leia mais

FUNDAÇÃO ARMANDO ALVARES PENTEADO FACULDADE DE DIREITO

FUNDAÇÃO ARMANDO ALVARES PENTEADO FACULDADE DE DIREITO REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA DA FUNDAÇÃO ARMANDO ALVARES PENTEADO TÍTULO I DA FINALIDADE E DO OBJETO Art. 1º O Núcleo de Prática Jurídica da Faculdade de Direito da Fundação Armando Alvares

Leia mais

PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA IMPLEMENTAÇÃO DE PROJETO DE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATU SENSO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PARA COMPOR O PROGRAMA DE EFICIÊNCIA

Leia mais

15 22 29 12 19 26 19 26 02 09 16 30 07 14 21 28 04 11 18 06 13 20 27 03 10 17 24 01 29 05 19 26 03 10 17 M.Sc. X Rosemarie Costa M.Sc.

15 22 29 12 19 26 19 26 02 09 16 30 07 14 21 28 04 11 18 06 13 20 27 03 10 17 24 01 29 05 19 26 03 10 17 M.Sc. X Rosemarie Costa M.Sc. IESAM-PÓS-GRADUAÇÃO / CRONOGRAMA DE AULAS / Data de Atualização do Cronograma: V11.09.03.2013 Curso: Gestão, Consultoria e Auditoria Financeira Turma: 2011-A / Coordenador: Dr. Jorge Valdez-Pizarro 2012-A

Leia mais

CREDENCIAMENTO DO ADVOGADO AO PORTAL DO ADVOGADO - SERVIÇOS DO PROCESSO ELETRÔNICO

CREDENCIAMENTO DO ADVOGADO AO PORTAL DO ADVOGADO - SERVIÇOS DO PROCESSO ELETRÔNICO CREDENCIAMENTO DO ADVOGADO AO PORTAL DO ADVOGADO - SERVIÇOS DO PROCESSO ELETRÔNICO 1 1. Introdução O presente manual tem por objetivo orientar a todos os Técnicos Judiciários/Escrivães/Chefes de Secretaria,

Leia mais

Conhecimentos Gerais. Conhecimentos Específicos. Atividades Gerais. Cargo: Auxiliar Administrativo Área: Instituto de Educação e Ciências

Conhecimentos Gerais. Conhecimentos Específicos. Atividades Gerais. Cargo: Auxiliar Administrativo Área: Instituto de Educação e Ciências Cargo: Auiliar Administrativo Área: nstituto de Educação e Ciências Conhecimentos Gerais N B D N B D N B D Operação de equipamento de escritório Rotinas Administrativas Atendimento a Clientes Serviços

Leia mais

Tutorial Simplificado E-contábil Módulo Escritório: Após logon com dados do escritório é apresentada a seguinte tela, referindo-se às boas vindas:

Tutorial Simplificado E-contábil Módulo Escritório: Após logon com dados do escritório é apresentada a seguinte tela, referindo-se às boas vindas: Tutorial Simplificado E-contábil Módulo Escritório: Após logon com dados do escritório é apresentada a seguinte tela, referindo-se às boas vindas: Note nesta tela o menu acima, os itens de comunicação

Leia mais

NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA: o que é, como funciona.

NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA: o que é, como funciona. NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA: o que é, como funciona. A matéria de Prática Jurídica tornou-se obrigatória a partir da edição da Portaria nº 1886, de 30.12.1994, do Conselho Nacional de Educação (CNE), órgão

Leia mais

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Projeto Básico da Contratação de Serviços: Constitui objeto do presente Projeto Básico a contratação de empresa especializada em serviços de comunicação

Leia mais

METROPOLITAN LIFE SEGUROS E PREVIDÊNCIA PRIVADA S.A. CNPJ/MF nº 02.102.498/0001-29 NIRE 35.300.151.071 REGULAMENTO DA OUVIDORIA

METROPOLITAN LIFE SEGUROS E PREVIDÊNCIA PRIVADA S.A. CNPJ/MF nº 02.102.498/0001-29 NIRE 35.300.151.071 REGULAMENTO DA OUVIDORIA METROPOLITAN LIFE SEGUROS E PREVIDÊNCIA PRIVADA S.A. CNPJ/MF nº 02.102.498/0001-29 NIRE 35.300.151.071 REGULAMENTO DA OUVIDORIA CAPÍTULO I CONSTITUIÇÃO DA OUVIDORIA Por decisão da Diretoria da Metropolitan

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA Ref.: Consulta Pública nº 04/2014 DESPACHO nº 339/2014/PRES/CADE Submeto a Resolução anexa que institui o Sistema Eletrônico de Informações SEI como sistema oficial de gestão de documentos eletrônicos

Leia mais