Telencéfalo e Núcleos da Base Funções corticais superiores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Telencéfalo e Núcleos da Base Funções corticais superiores"

Transcrição

1 Telencéfalo e Núcleos da Base Funções corticais superiores Funções básicas que sustentam a vida são mediadas pela medula, tronco encefálico e diencéfalo No TELENCÉFALO ocorrem os processos psicológicos superiores: percepção, representação, raciocínio abstrato, a linguagem, a tomada de decisões, o planejamento e a execução de ações

2 TIPOS DE CÓRTEX Neocórtex: córtex propriamente dito mais complexo e presente apenas em mamíferos com muitas camadas celulares Córtex cerebral: sede dos fenômenos psíquicos Recebe todos os sinais sensoriais tornam-se conscientes Planejamento motor: impulsos que comandam os movimentos voluntários

3 GIROS, SULCOS E FISSURAS Destaca-se pela sua superfície enrugada: saliências são chamadas giros; reentrâncias são chamadas sulcos Sulcos muito profundos são denominados fissuras Neurônios do giro pré-central: movimentos voluntários Neurônios do giro pós-central: sensação somática (tato) Neurônios do giro temporal superior: audição

4

5

6 Dois hemisférios cerebrais conectados pelo corpo caloso (substância branca) Hemisférios corticais

7 Especificidades dos hemisférios Linguagem - Hemisfério esquerdo: dominante em (~) 98% dos destros e 70% dos canhotos e ambidestros: pensamento lógico, linguagem verbal e discurso. Área de Broca (expressão oral, motricidade da fala); e a Área de Wernick (compreensão verbal capacidade de nomear)

8 Especificidades dos hemisférios Linguagem - Hemisfério esquerdo: dominante em (~) 98% dos destros e 70% dos canhotos e ambidestros: pensamento lógico, linguagem verbal e discurso. Área de Broca (expressão oral, motricidade da fala); e a Área de Wernick (compreensão verbal capacidade de nomear) Habilidades não verbais - Hemisfério direito: habilidades artísticas, pensamento simbólico, criatividade, orientação espacial e raciocínio concreto, reconhecimento de fisionomias

9

10

11 LOBOS CEREBRAIS E ÍNSULA O cérebro é subdividido em lobos, nomeados em relação aos ossos do crânio que estão logo acima deles O sulco central separa o lobo frontal do lobo parietal O lobo temporal localiza-se ventralmente à fissura lateral. O lobo occipital, localizado na região caudal do cérebro, é circundado pelos lobos parietal e temporal. A ínsula (do latim: ilha) porção oculta do córtex cerebral, que pode ser visualizada se as margens da fissura lateral forem afastadas separa os lobos temporal e frontal.

12 LOBOS CEREBRAIS

13 LOBOS CEREBRAIS E ÍNSULA

14 Lobos Lobo frontal: Pense, planeje seus movimentos com emoção! Planejamento de ações e movimento voluntário, assim como no pensamento abstrato, julgamento moral, guarda memória emotiva de longo prazo. Lesões: psicopatias: a pessoa fica obstinadamente presa a estratégias que não funcionam ou que não consigam desenvolver uma sequência de ações correta Lobo parietal: Sinta o ambiente! Localiza o corpo no espaço. Processa o toque, a dor e a temperatura. Lesões: prejudicam o raciocínio matemático e orientação espacial

15 Lobos Lobo occipital: córtex visual, processam os dados visuais recebidos do exterior depois de terem passado pelo tálamo: cor, do movimento, da profundidade, da distância etc. Lesões causam alucinações e distorção da percepção visual e até cegueira

16 Lobos Lobos temporais: Ouça com atenção sua professora! Na região das orelhas: processar os estímulos auditivos, reconhece rosto, interpreta imagens e sons, memoriza eventos passados (emoção) Lesão/tumor: amnésia (reconhecer rostos e objetos), deficiência de audição ou surdez Som: estimula a área auditiva primária

17 Lobos Ínsula: sintonize corpo e mente! Perceba o que seu corpo diz Processa a memória e faz integração de informações sensitivas (principalmente dor) Coordenação de respostas cardiovasculares ao estresse

18 Classificação funcional do córtex

19 Classificação funcional do córtex Áreas de projeção (áreas primárias): recebem ou originam fibras de sensibilidade ou motricidade Áreas de associação: não se relacionam diretamente com motricidade ou sensibilidade. Podem ser: Áreas secundárias (unimodais): indiretamente relacionada com uma modalidade (sensorial ou motora). Conectam-se com áreas primárias de mesma função Áreas terciárias (supramodais): não fazem processamento sensorial ou motor. Atividades psíquicas superiores (memória, processos simbólicos, pensamento abstrato etc. Conexão com áreas unimodais

20 ÁREA SOMESTÉSICA PRIMÁRIA

21 ÁREA SOMESTÉSICA PRIMÁRIA Córtex visual (lobo occipital), córtex auditivo (lobo parietal): detecta a intensidade do som, córtex gustativo: oculto na ínsula

22 ÁREA SOMESTÉSICA PRIMÁRIA Sensoriais: consciência das características sensoriais do objeto Córtex somatossensorial: pressão, propriocepção, dor, temperatura Lesão: incapacidade de discriminar 2 pontos, perceber movimentos de partes do corpo, perda da estereognosia

23 ÁREA MOTORA PRIMÁRIA Giro pré-central Motoras: motricidade voluntária. Lesão = fraqueza ou paralisia Aprendizagem motora e os movimentos de precisão. Imagina um movimento sem executá-lo: alta atividade Lesão: velocidade/suavidade do movimento

24

25 Áreas primárias (sensorial e motora) a representação cortical de uma parte do corpo não é proporcional ao seu tamanho, mas sim à delicadeza dos movimentos musculares realizados pela parte representada ou à importância funcional desta parte do corpo para a espécie Homúnculos

26 Psicologia: homúnculo é a representação do corpo animal no córtex somestésico e motor A face tem uma maior quantidade de nervos e, consequentemente, de corpos de neurônios, então a representação da face será imensa O tronco será pequeno, braços grandes com mãos enormes, pernas pequenas com pés médios Homúnculo sensitivo: área somestésica, localizada no giro pós-central Homúnculo motor: área motora, localizada no giro pré-central

27 A B

28 ÁREAS SECUNDÁRIAS Associativas: Interpretação gnosia, as características sensoriais são comparadas com o conceito do objeto existente na memória do indivíduo, o que permite sua identificação Córtex pré-frontal: planejamento, emoção e julgamento Córtex parietal posterior: área de associação visual Córtex temporal inferior: processamento complexo da informação auditiva e memória

29 ÁREAS TERCIÁRIAS Áreas de associação terciárias (supramodais): atividade psíquica superior: memória, pensamento abstrato - estratégia comportamental. Recebem e integram as informações sensoriais já elaboradas pelas áreas secundárias Elaboram estratégias comportamentais

30 ÁREAS TERCIÁRIAS Áreas pré-frontal Parte anterior do lobo frontal (não-motora) Escolha de estratégias comportamentais mais adequadas à cada situação física e social Manutenção da atenção (capacidade de seguir uma sequência ordenada de pensamento) Controle do comportamento emocional (sistema límbico) Lobotomias pré-frontais Área lesada no caso Phineas Gage

31 Phineas Gage 1948 EUA Barra de ferro: bochecha esquerda, olho e parte frontal do cérebro Mudanças na personalidade e no humor: extravagante e anti-social, mentiroso, com péssimas maneiras. Morreu 13 anos após o acidente Lobo frontal - associação ao comportamento da lesão "Gage foi o início histórico dos estudos das bases biológicas do comportamento", disse Antônio Damasio

32 ÁREAS TERCIÁRIAS Áreas Parietal-temporal-occipital: Integram informações das áreas secundárias auditiva, visual e somestésica = percepção espacial, esquema corporal (imagem das partes do próprio corpo) Lesão: quadro de "síndrome de negligência" relacionados à processos visuais-espaciais Oliver Sacks 30 agosto 2015

33 Telencéfalo basal Três grupamentos neuronais importantes do telencéfalo basal: áreas de substância cinzenta núcleos da base: Núcleo caudato (caudado), Putâmen, Globo pálido, Controlam o movimento voluntário.

34 NÚCLEOS BASAIS E MOVIMENTO 1. núcleo caudato: controla movimentos intencionais grosseiros do corpo (nível sub-consciente e consciente) e auxilia no controle global dos movimentos corporais. 2. putâmen: funciona em conjunto com o núcleo caudato no controle de movimentos intencionais grosseiros. Ambos os núcleos funcionam em associação com o córtex motor, para controlar diversos padrões de movimento. 3. globo pálido: provavelmente controla a posição das principais partes do corpo, quando uma pessoa inicia um movimento complexo, isto é, se uma pessoa deseja executar uma função precisa com uma de suas mãos, deve primeiro colocar seu corpo numa posição apropriada e, então, contrair a musculatura do braço.

35

36

37 Afasia Dificuldade na linguagem falada e escrita (nomear pessoas e objetos) sem déficit intelectual Causa: acidente vascular cerebral (AVC), traumatismo, tumor ou infecção Tipos: Afasia de Wernicke: caracteriza-se pela fala fluente, sem sentido para o ouvinte. A pessoa acredite estar falando correto e mantendo a entonação adequada. Normalmente, o paciente apresenta dificuldade de compreensão e de expressão, mas consegue articular as palavras e irrita-se quando não é compreendido. É comum também esses pacientes articularem palavras que existam, mas que juntas não representam nenhum significado lógico.

38 Afasia Afasia de Broca: neste caso o paciente preserva a compreensão, mas têm dificuldade para falar, porque lhe faltam as palavras. Algumas escolhem jargões, uma palavra ou um nome qualquer para situações distintas e acreditam estar comunicando o que querem dizer. Comprometimento da escrita. Afasia de condução: incapacidade de repetir palavras fluentemente Afasia global: é quando ocorre a perda total da capacidade de fala, compreensão, leitura e escrita. Tratamento multidisciplinar: médico, fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional e psicologia. Exercícios que estimulem a linguagem oral e escrita - plasticidade

39 Agnosia Perda da habilidade de compreender o significado ou reconhecer objetos, pessoas, sons e formas (sensorial primária) Ex: visão normal e não reconhece objetos cotidianos, pessoas familiares ou mesmo sua própria imagem no espelho Não é uma alteração exclusiva das sensações nem exclusiva da capacidade central de perceber objetos externos, mas uma alteração intermediária entre as sensações e a percepção Agnosia visual: incapaz de reconhecer objetos com a visão lesão no occipital (Pessoas que recuperam a visão costumam passar por um período de agnosia visual) Agnosia tátil: incapaz de reconhecer objetos com o toque Agnosia auditiva: incapaz de reconhecer sons e ruídos

40 Agnosia Agnosia aperceptiva: incapaz de lembrar informações sobre os objetos Agnosia associativa: incapaz de nomear e utilizar objetos Prosopagnosia: incapaz de reconhecer rostos Causas: Acidente vascular cerebral; demência ou outras perturbações neurológicas (Alzheimer); traumatismo craniano; transtorno no desenvolvimento psicológico; infecção cerebral ou; fatores genéticos. Tratamento multidisciplinar: médico, fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional e psicologia. Exercícios de reabilitação que estimulem a plasticidade

41 Apraxia Perda da capacidade de realizar atos motores previamente aprendidos. Disfunções nos hemisférios principalmente no lobo parietal. Tipos: Movimento do membro: dificuldade em realizar movimentos finos e precisos Ideomotora: dificuldade para realizar gestos Dissociação verbal-motora: hesita em fazer o movimento como se não tivesse entendido o comando Dissociação visuomotora: falha no desempenho visual, mas desempenha bem comando verbal e tátil Dissociação tátil: desempenho prejudicado para estímulo tátil Ideacional: incapacidade de concluir atos ou um plano ideacional, erros grosseiros (demência) Conceitual: dificuldade de incapacidade de nomear, apontar, descrever uma ferramenta Bucofacial: incapacidade de realizar movimentos faciais: apagar uma vela, mandar um beijo

42

43

44

45

46

47 Giros, sulcos e fissuras: sulco central, giro précentral, giro pós-central, giro temporal superior, giro cingulado, sulco lateral de Sylvios, fissura longitudinal, giro temporal Lobos cerebrais: frontal, temporal, parietal, occipital e ínsula Corpos mamilares

Estrutura Funcional do Sistema Nervoso. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

Estrutura Funcional do Sistema Nervoso. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Estrutura Funcional do Sistema Nervoso Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Estágios inicias da formação do SN O sistema nervoso humano começa a ser formado logo após a fecundação. À medida que se desenvolve

Leia mais

FUNÇÕES ATRIBUÍDAS AOS LOBOS FRONTAIS. Profª. Jerusa Salles

FUNÇÕES ATRIBUÍDAS AOS LOBOS FRONTAIS. Profª. Jerusa Salles FUNÇÕES ATRIBUÍDAS AOS LOBOS FRONTAIS Profª. Jerusa Salles Lobos frontais: correlações anátomo-funcionais Três regiões: córtex motor primário (circunvolução frontal ascendente): motricidade voluntária.

Leia mais

VIAS EFERENTES (DESCENDENTES)

VIAS EFERENTES (DESCENDENTES) VIAS EFERENTES (DESCENDENTES) Colocam em comunicação os centros supra-segmentares com os órgãos efetuadores: 1- Vias eferentes viscerais (vida vegetativa) : Alvos = vísceras e vasos > função dos órgãos

Leia mais

DISFUNÇÕES DA LINGUAGEM: UM ENCONTRO ENTRE A LINGÜÍSTICA E A NEUROCIÊNCIA

DISFUNÇÕES DA LINGUAGEM: UM ENCONTRO ENTRE A LINGÜÍSTICA E A NEUROCIÊNCIA DISFUNÇÕES DA LINGUAGEM: UM ENCONTRO ENTRE A LINGÜÍSTICA E A NEUROCIÊNCIA Antonio José dos Santos Junior 1 Resumo: O presente artigo discute a interação entre a Lingüística e a Neurociência no que se refere

Leia mais

NeuroBiologia da Cognição Como o sistema nervoso decodifica os sinais do ambiente?

NeuroBiologia da Cognição Como o sistema nervoso decodifica os sinais do ambiente? NeuroBiologia da Cognição Como o sistema nervoso decodifica os sinais do ambiente? Profa Silvia Mitiko Nishida As empresas objetivam vender produtos e tentam convencer os consumidores por meio da P R O

Leia mais

NEUROFISIOLOGIA DA LINGUAGEM: Como o Cérebro Funciona na. Comunicação

NEUROFISIOLOGIA DA LINGUAGEM: Como o Cérebro Funciona na. Comunicação NEUROFISIOLOGIA DA LINGUAGEM: Como o Cérebro Funciona na Comunicação Alexandra Maria Góes Negrão 1 Patrícia Naomi Miyagawa 2 Valquíria Franco da Silva 3 RESUMO: O ato de se comunicar é considerado tão

Leia mais

Sobre a concepção das afasias

Sobre a concepção das afasias Sobre a concepção das afasias Um estudo crítico sigmund freud Dedicado ao sr. Josef Breuer, com admiração e amizade I. Se eu, sem dispor de novas observações próprias, tento tratar de um tema no qual as

Leia mais

SISTEMA NERVOSO INTEGRADOR

SISTEMA NERVOSO INTEGRADOR SISTEMA NERVOSO INTEGRADOR O sistema integrador é o responsável pelo que é feito entre a sensação e a ação: percepção, aprendizagem, memória e planejamento. O pensador de Rodin SISTEMA NERVOSO INTEGRADOR

Leia mais

20/08/2010 REABILITAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA NA PESSOA COM TRANSTORNO DE APRENDIZAGEM

20/08/2010 REABILITAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA NA PESSOA COM TRANSTORNO DE APRENDIZAGEM I Seminário de Reabilitação Cognitiva nos Transtornos de REABILITAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA NA PESSOA COM TRANSTORNO DE APRENDIZAGEM Marina Nery 1 Conceito Transtorno de Transtorno de Dificuldade de Inteligência

Leia mais

Afasia Uma visão Fonoaudiológica. Waleska Soares Depto de Fonoaudiologia Hospital São João de Deus

Afasia Uma visão Fonoaudiológica. Waleska Soares Depto de Fonoaudiologia Hospital São João de Deus Afasia Uma visão Fonoaudiológica Waleska Soares Depto de Fonoaudiologia Hospital São João de Deus A história do alfaiate Ana Lucia Tubero Ele chega sozinho de pijamas e chinelos, apoiado em uma bengala.

Leia mais

A CANÇÃO COMO RECURSO TERAPÊUTICO NA REABILITAÇÃO DA AFASIA *

A CANÇÃO COMO RECURSO TERAPÊUTICO NA REABILITAÇÃO DA AFASIA * A CANÇÃO COMO RECURSO TERAPÊUTICO NA REABILITAÇÃO DA AFASIA * Rosana Saldanha Silva Especialista em Musicoterapia e Fonoaudiologia Musicoterapeuta e Fonoaudióloga rosasal@terra.com.br Resumo: Este estudo

Leia mais

Atividade Motora Adaptada

Atividade Motora Adaptada Distúrbio de aprendizagem (DA) Atividade Motora Adaptada DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM Discrepância entre o potencial e o aproveitamento escolar, que não se deve a retardo mental, distúrbio emocional nem

Leia mais

Esclerose Lateral Amiotrófica ELA

Esclerose Lateral Amiotrófica ELA Esclerose Lateral Amiotrófica ELA É uma doença implacável, degenerativa e fatal que afeta ambos os neurônios motores superior e inferior; Etiologia desconhecida; Incidência de 1 a 2 : 100.000 pessoas;

Leia mais

CONTROLE DA MOTRICIDADE SOMÁTICA

CONTROLE DA MOTRICIDADE SOMÁTICA CONTROLE DA MOTRICIDADE SOMÁTICA Medula, Tronco Encefálico & Córtex Motor Cerebelo e Núcleos da Base Profa Silvia Mitiko Nishida Depto de Fisiologia Padrões Básicos de Movimentos do Corpo Movimento de

Leia mais

Memória. Dra. Marcia Y. Kimura Oka Médica Geriatra Especialista em Geriatria pela SBGG

Memória. Dra. Marcia Y. Kimura Oka Médica Geriatra Especialista em Geriatria pela SBGG Memória Dra. Marcia Y. Kimura Oka Médica Geriatra Especialista em Geriatria pela SBGG Alterações Cerebrais com o Envelhecimento Redução do volume (atrofia) Redução da Interconectividade cerebral Acúmulo

Leia mais

Dislexia: Como Suspeitar e Identificar Precocemente o Transtorno na Escola

Dislexia: Como Suspeitar e Identificar Precocemente o Transtorno na Escola Dislexia: Como Suspeitar e Identificar Precocemente o Transtorno na Escola Autor: Telma Pantano Data: 30/12/2009 Releitura realizada por Lana Bianchi e Vera Lucia Mietto. A identificação precoce de um

Leia mais

O que é afasia? Brasilian

O que é afasia? Brasilian O que é afasia? Brasilian Provavelmente você se deparou com afasia pela primeira vez há pouco tempo. No início afasia causa muitas dúvidas, como: o que é afasia, como esta ocorre, e quais problemas adicionais

Leia mais

AULACRÂNIO-ACUPUNTURA CHINESA

AULACRÂNIO-ACUPUNTURA CHINESA AULACRÂNIO-ACUPUNTURA CHINESA NEUROANATOMIA CRÂNIO-ACUPUNTURA É UM MICROSSISTEMA DA ACUPUNTURA QUE TRATA DISTÚRBIOS NEUROLÓGICOS E/OU DISTÚRBIOS ASSOCIADOS À ELES, ATRAVÉS DO ESTÍMULO DE DETERMINADAS ZONAS

Leia mais

Envelhecimento Cerebral e Demências

Envelhecimento Cerebral e Demências Envelhecimento Cerebral e Demências Thiago Monaco thiagomonaco@ yahoo.com Envelhecimento Cerebral e Demências Envelhecimento Cerebral D. Comuns D. Menos Comuns D. potencialmente tratáveis Envelhecimento

Leia mais

Sistema Límbico. Norma M. S. Franco

Sistema Límbico. Norma M. S. Franco Sistema Límbico Norma M. S. Franco Sistema Límbico O sistema é de extrema importância pois controla comportamentos ligados a nossa sobrevivência. O sistema límbico é a unidade responsável pelas emoções.

Leia mais

CEREBELO PROFª. RESPONSÁVEL: NORMA M. S. FRANCO ORGANIZADOR: ANDRÉ R MENDONÇA

CEREBELO PROFª. RESPONSÁVEL: NORMA M. S. FRANCO ORGANIZADOR: ANDRÉ R MENDONÇA CEREBELO PROFª. RESPONSÁVEL: NORMA M. S. FRANCO ORGANIZADOR: ANDRÉ R MENDONÇA FUNÇÃO DO CEREBELO. É a parte do encéfalo responsável pelo controle dos movimentos voluntários, aprendizagem motora, controle

Leia mais

DEMÊNCIAS. MEMÓRIA ORGANICA Memória Hábito, comum a todos os seres vivos.

DEMÊNCIAS. MEMÓRIA ORGANICA Memória Hábito, comum a todos os seres vivos. DEMÊNCIAS I) DEFINIÇÃO Demência pode ser considerada como um prejuízo global da inteligência, memória e personalidade, adquirido na vida adulta. O nível de consciência é claro. É vista mais freqüentemente

Leia mais

Sistema Límbico. Prof. Gerardo Cristino. Aula disponível em: www.gerardocristino.com.br

Sistema Límbico. Prof. Gerardo Cristino. Aula disponível em: www.gerardocristino.com.br FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL Sistema Límbico Prof. Gerardo Cristino Aula disponível em: www.gerardocristino.com.br Sistema Nervoso Central Áreas da emoção

Leia mais

AVALIAÇÃO. Introdução à Neuropsicologia. Introdução à Neuropsicologia LINGUAGEM: AVALIAÇÃO 25/3/2015 AULA 2

AVALIAÇÃO. Introdução à Neuropsicologia. Introdução à Neuropsicologia LINGUAGEM: AVALIAÇÃO 25/3/2015 AULA 2 AULA 2 LINGUAGEM: AVALIAÇÃO Professor Ms. Gleidis Roberta Guerra - Fonoaudióloga, Pedagoga e Psicopedagoga - Especialista em Distúrbios do Desenvolvimento - Mestre em Distúrbios da Comunicação Humana pela

Leia mais

Sistema Nervoso Central (SNC)

Sistema Nervoso Central (SNC) Sistema Nervoso Central Sistema Nervoso Periférico Sistema Endócrino O Sistema Nervoso é composto por: Sistema Nervoso Central (SNC) CENTROS NERVOSOS Sistema Nervoso Periférico (SNP) Nervos cranianos Constituição

Leia mais

Noções básicas do Exame Neurológico

Noções básicas do Exame Neurológico Noções básicas do Exame Neurológico Prof Alexandre Alessi Semiologia Médica II - 2012 Componentes 1- Estado Mental 2- Pares Cranianos 3- Exame Motor 4- Exame Sensorial 5- Reflexos 6- Coordenação e Exame

Leia mais

TRANSTORNOS DA FALA E DA LINGUAGEM

TRANSTORNOS DA FALA E DA LINGUAGEM TRANSTORNOS DA FALA E DA LINGUAGEM FONAÇÃO VOCALIZAÇÃO FALA ARTICULAÇÃO LINGUAGEM GRAMÁTICA PRODUÇÃO DE SONS VOCAIS SEM FORMAÇÃO DE PALAVRAS SOM PRODUZIDO PELA VIBRAÇÃO DAS CORDAS VOCAIS,MODIFICADO PELA

Leia mais

Ambulatório de Neurologia Comportamental ANCP. Afasias. Emmanuelle Silva Tavares Sobreira - PSICÓLOGA Marina Ceres Silva Pena - PSICÓLOGA

Ambulatório de Neurologia Comportamental ANCP. Afasias. Emmanuelle Silva Tavares Sobreira - PSICÓLOGA Marina Ceres Silva Pena - PSICÓLOGA Ambulatório de Neurologia Comportamental ANCP Afasias Emmanuelle Silva Tavares Sobreira - PSICÓLOGA Marina Ceres Silva Pena - PSICÓLOGA Julho/2007 UM POUCO DE HISTÓRIA No séc. XIX, Gall e Spurzheim - funções

Leia mais

Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM

Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM Sistema Nervoso Central (Cerebelo e Núcleos da Base) Prof. Wagner de Fátima Pereira Departamento de Ciências Básicas Faculdade de Ciências

Leia mais

O CÓRTEX MOTOR CÓRTEX MOTOR PRIMÁRIO

O CÓRTEX MOTOR CÓRTEX MOTOR PRIMÁRIO O CÓRTEX MOTOR - Movimentos VOLUNTÁRIOS executados pela ativação cortical de padrões de função armazenados em áreas medulares e encefálicas inferiores na MEDULA ESPINHAL, TRONCO CEREBRAL, GÂNGLIOS DA BASE

Leia mais

Sistema neuro-hormonal

Sistema neuro-hormonal Unidade 4 Sistema neuro-hormonal O que é o sistema neuro-hormonal? + Sistema nervoso Sistema hormonal O que é o sistema neuro-hormonal? Qualquer alteração no exterior ou no interior do corpo! corresponde

Leia mais

Alexia: Perda da capacidade de leitura de letras manuscritas ou impressas.

Alexia: Perda da capacidade de leitura de letras manuscritas ou impressas. Afasia: Perda da capacidade de usar ou compreender a linguagem oral. Afasia é a perda da linguagem decorrente de lesão cerebral que, na maior parte das vezes, ocorre do lado esquerdo do cérebro. Agnosia:

Leia mais

DISLEXIA: QUE BICHO É ESSE?

DISLEXIA: QUE BICHO É ESSE? DISLEXIA: QUE BICHO É ESSE? Lívia Ferreira da Silveira 1 Tatiana Azevedo de Souza da Cunha Lima 2 Resumo: O presente trabalho apresenta algumas reflexões acerca da historicidade e do conceito de dislexia

Leia mais

*NE* Escala de AVC do National Institute of Health (NIHSS) Preencher quando não houver etiqueta. Data Data Data. Hora Hora Hora

*NE* Escala de AVC do National Institute of Health (NIHSS) Preencher quando não houver etiqueta. Data Data Data. Hora Hora Hora Preencher quando não houver etiqueta Paciente: Escala de AVC do National Institute of Health (NIHSS) Passagem: Prontuário: Leito: Orientação Definição Escala Data Data Data Hora Hora Hora 1a. Nível de

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ANATOMIA HUMANA Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto Tecido Nervoso Compreende basicamente dois tipos celulares Neurônios unidade estrutural e funcional

Leia mais

PERCEBEMOS O MUNDO PARA AGIR SOBRE ELE

PERCEBEMOS O MUNDO PARA AGIR SOBRE ELE Universidade Federal do Espírito Santo Departamento de Ciências Fisiológicas FISIOLOGIA PSICOLOGIA NEROFISIOLOGIA Introdução ao sistema sensorial Receptores sensoriais Prof. Leonardo dos Santos PERCEBEMOS

Leia mais

Como sentimos o mundo?

Como sentimos o mundo? Profa Silvia Mitiko Nishida Depto de Fisiologia Como sentimos o mundo? Introdução à Fisiologia Sensorial Qual mundo é o verdadeiro? - Cada um percebe uma obra musical de maneira diferente - Diferenças

Leia mais

Sistema Nervoso Professor: Fernando Stuchi

Sistema Nervoso Professor: Fernando Stuchi Fisiologia Animal Sistema Nervoso Sistema Nervoso Exclusivo dos animais, vale-se de mensagens elétricas que caminham pelos nervos mais rapidamente que os hormônios pelo sangue. Mantido vivo pela eletricidade,

Leia mais

SÍNDROME DE ASPERGER

SÍNDROME DE ASPERGER Philipe Machado Diniz de Souza Lima CRM 52.84340-7 Psiquiatra Clínico Psiquiatra da Infância e Adolescência Atuação: CAPSI Maurício de Sousa Matriciador em Saúde Mental AP3.3 SÍNDROME DE ASPERGER Síndrome

Leia mais

Linguagem. Norma Moreira Salgado Franco

Linguagem. Norma Moreira Salgado Franco Linguagem Norma Moreira Salgado Franco Áreas Corticais da Linguagem 1º - Giro frontal inferior (porção opercular - área 44) e parte das porções triangular, orbitária e opercular. 2º - Córtex do lobo parietal

Leia mais

O Córtex Cerebral. Anatomia fisiológica do córtex. Áreas de associação corticais. Geanne Matos de Andrade Depto de Fisiologia e Farmacologia

O Córtex Cerebral. Anatomia fisiológica do córtex. Áreas de associação corticais. Geanne Matos de Andrade Depto de Fisiologia e Farmacologia Anatomia fisiológica do córtex O Córtex Cerebral Geanne Matos de Andrade Depto de Fisiologia e Farmacologia Áreas de associação corticais Figura 19.1. Os neurolingüistas empregam técnicas modernas de imagem

Leia mais

O Hipotálamo, os Centros de Controle dos Estados Motivados e Emoções

O Hipotálamo, os Centros de Controle dos Estados Motivados e Emoções Curso de Pós-graduaP graduação - IPUB Neurociências Aplicadas Ciclo Básico B Núcleo Comum Disciplina de Neuroanatomia Prof: Alfred Sholl O Hipotálamo, os Centros de Controle dos Estados Motivados e Emoções

Leia mais

O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO -AEE E O ALUNO COM SURDOCEGUEIRA E OU COM

O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO -AEE E O ALUNO COM SURDOCEGUEIRA E OU COM O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO -AEE E O ALUNO COM SURDOCEGUEIRA E OU COM DEFICIÊNCIA MÚLTPLA A pessoa com Surdocegueira O conceito de surdocegueira Surdocegueira é uma condição que apresenta outras

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL. AVC Isquêmico. Acd. Gabrielle Holanda. w w w. s c n s. c o m.

FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL. AVC Isquêmico. Acd. Gabrielle Holanda. w w w. s c n s. c o m. FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL AVC Isquêmico Acd. Gabrielle Holanda w w w. s c n s. c o m. b r Relato do Caso Paciente, 54 anos, sexo masculino, obeso,

Leia mais

Deficiência Visual Cortical

Deficiência Visual Cortical Deficiência Visual Cortical A deficiência Visual Cortical se refere a uma condição do Cérebro e não uma condição do olho e é o resultado das lesões no Cérebro e no Sistema Visual no que se refere ao processo

Leia mais

O processo de aquisição da linguagem escrita: estudos de A. R. Lúria e L. S. Vygotsky

O processo de aquisição da linguagem escrita: estudos de A. R. Lúria e L. S. Vygotsky O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM ESCRITA: ESTUDOS DE A. R. LÚRIA E L. S. VYGOTSKY Ana Carolina Rosendo Gonzalez C. Baptista Edileusa Lopes de L. Alves Kátia Garcia Vanessa Leite * INTRODUÇÃO O presente

Leia mais

Sinais e sintomas de AVC

Sinais e sintomas de AVC Sinais e sintomas de AVC Vânia Almeida Unidade de Neurologia do HVFX Dia Nacional do AVC 31-03-2015 Sumário Diagnóstico de AVC Avaliar o doente com a Escala NIHSS Localizar o AVC Diagnóstico de AVC Instalação

Leia mais

Introdução à Neuropsicologia

Introdução à Neuropsicologia MÓDULO III Elaboração da anamnese: atendimento ao paciente cirúrgico. Apresentação de caso clínico Professora: Beatriz Baldivia Mini-currículo do professor -Psicóloga pela UNESP-Bauru (2005) - Mestre em

Leia mais

Psicologia UFES - 2013. Universidade Federal do Espírito Santo. Departamento de Ciências Fisiológicas. Fisiologia. Papel do hipotálamo e amígdala

Psicologia UFES - 2013. Universidade Federal do Espírito Santo. Departamento de Ciências Fisiológicas. Fisiologia. Papel do hipotálamo e amígdala Universidade Federal do Espírito Santo Departamento de Ciências Fisiológicas Fisiologia Papel do hipotálamo e amígdala nos comportamentos motivados Prof. Dr. Leonardo dos Santos O sistema nervoso O sistema

Leia mais

AVC: Acidente Vascular Cerebral AVE: Acidente Vascular Encefálico

AVC: Acidente Vascular Cerebral AVE: Acidente Vascular Encefálico AVC: Acidente Vascular Cerebral AVE: Acidente Vascular Encefálico DEFINIÇÃO Comprometimento súbito da função cerebral causada por alterações histopatológicas em um ou mais vasos sanguíneos. É o rápido

Leia mais

Concurso de Provas e Títulos para Concessão do Título de Especialista em Psicologia e seu Respectivo Registro

Concurso de Provas e Títulos para Concessão do Título de Especialista em Psicologia e seu Respectivo Registro CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA Concurso de Provas e Títulos para Concessão do Título de Especialista em Psicologia e seu Respectivo Registro 4. Psicomotricidade Conhecimentos Específicos INSTRUÇÕES Você

Leia mais

1. CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA

1. CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA GRUPO 5.2 MÓDULO 6 Índice 1. Crianças com Deficiência Auditiva...3 1.1. Os Ouvidos... 3 1.2. Mecanismo da Audição... 3 2. Saúde Auditiva...4 3. Definição de Deficiência Auditiva...5 3.1. Classificação...

Leia mais

Psicomotricidade na Educação Infantil. e suas contribuições no desenvolvimento e no. processo da aprendizagem.

Psicomotricidade na Educação Infantil. e suas contribuições no desenvolvimento e no. processo da aprendizagem. A importância da Psicomotricidade na Educação Infantil e suas contribuições no desenvolvimento e no processo da aprendizagem. O que é psicomotricidade? É a relação entre os aspectos motores, intelectuais

Leia mais

LIBRAS E A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM PARA SURDOS

LIBRAS E A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM PARA SURDOS LIBRAS E A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM PARA SURDOS Sonia Maria Dechandt Brochado (orientadora- UENP) Mariana Matheus Pereira da Silva (G- UENP/ campus Jac.) Introdução A língua é o instrumento fundamental para

Leia mais

Sistema nervoso Sistema Nervoso Central (SNC) Sistema Nervoso Periférico

Sistema nervoso Sistema Nervoso Central (SNC) Sistema Nervoso Periférico SISTEMA NERVOSO Sistema nervoso Funções: Coordena o funcionamento dos outros sistemas. Controla os movimentos (voluntários e involuntários). É responsável pela recepção de estímulos externos e pela resposta

Leia mais

SISTEMA NERVOSO 2014

SISTEMA NERVOSO 2014 SISTEMA NERVOSO 2014 SISTEMA NERVOSO OBJETIVOS Conhecer a organização do Sistema Nervoso. Descrever a constituição do Tecido Nervoso. Denominar as partes do Sistema Nervoso Central (SNC) e do Sistema Nervoso

Leia mais

Conhecendo o Aluno com Deficiência Múltipla

Conhecendo o Aluno com Deficiência Múltipla I - [FICHA DE AVALIAÇÃO SOBRE O ALUNO COM DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA] Usar letra de forma É importante considerarmos que o aluno com deficiência múltipla da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro possui

Leia mais

Introdução da Comunicação Alternativa em adulto com Deficiência Múltipla: estudo de caso

Introdução da Comunicação Alternativa em adulto com Deficiência Múltipla: estudo de caso Introdução da Comunicação Alternativa em adulto com Deficiência Múltipla: estudo de caso Olívia Silva e Silva Fonoaudióloga Dayanne Rezende Heitor de Queiroz Terapeuta Ocupacional Resumo O presente artigo

Leia mais

AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA

AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA EM AVC Maria Gabriela Ramos Ferreira CRP12/01510 Especialista em Neuropsicologia Mestre em Saúde e Meio Ambiente Universidade da Região de Joinville UNIVILLE Definição de AVC

Leia mais

AFASIA NO PÓS-AVC. Terapeutas da Fala Carolina Oliveira Joana Farinha Joana Perdigão Sónia Matos

AFASIA NO PÓS-AVC. Terapeutas da Fala Carolina Oliveira Joana Farinha Joana Perdigão Sónia Matos AFASIA NO PÓS-AVC Terapeutas da Fala Carolina Oliveira Joana Farinha Joana Perdigão Sónia Matos Incidência A afasia atinge cerca de 1/3 da população com AVC (Darrigrand et al., 2011; Kelly, Brady & Enderby,

Leia mais

Processamento Auditivo (Central)

Processamento Auditivo (Central) Processamento Auditivo (Central) O QUE É PROCESSAMENTO AUDITIVO (CENTRAL)? É o conjunto de processos e mecanismos que ocorrem dentro do sistema auditivo em resposta a um estímulo acústico e que são responsáveis

Leia mais

Curso de Especialização em PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL

Curso de Especialização em PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL Curso de Especialização em PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL ÁREA DO CONHECIMENTO: Educação. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Psicopedagogia Clínica e Institucional.

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR E A INTERVENÇÃO DA PSICOMOTRICIDADE NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR E A INTERVENÇÃO DA PSICOMOTRICIDADE NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR E A INTERVENÇÃO DA PSICOMOTRICIDADE NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM CAROLINE SILVA DE OLIVEIRA Discente do Curso de Licenciatura Plena do Curso de Educação Física das Faculdades Integradas

Leia mais

O CÉREBRO DA CRIANÇA

O CÉREBRO DA CRIANÇA O CÉREBRO DA CRIANÇA Documentário da série A vida secreta do cérebro SINOPSE Uma professora de psicologia discute e apresenta uma proposta de atividade sobre o documentário Com a sílaba do som o cérebro

Leia mais

SISTEMA VESTIBULAR E MANUTENÇÃO DO EQUILÍBRIO

SISTEMA VESTIBULAR E MANUTENÇÃO DO EQUILÍBRIO SISTEMA VESTIBULAR E MANUTENÇÃO DO EQUILÍBRIO Prof. Hélder Mauad APARELHO VESTIBULAR Órgão sensorial que detecta as sensações de equilíbrio. Constituído por labirinto ósseo e por dentro dele há o labirinto

Leia mais

Psicologia UFES - 2014. Universidade Federal do Espírito Santo. Departamento de Ciências Fisiológicas. Psicofisiologia.

Psicologia UFES - 2014. Universidade Federal do Espírito Santo. Departamento de Ciências Fisiológicas. Psicofisiologia. Universidade Federal do Espírito Santo Departamento de Ciências Fisiológicas Psicofisiologia Sistema Límbico Experiência e Expressão emocional Prof. Dr. Leonardo dos Santos O sistema nervoso e a homeostasia

Leia mais

Sumário. Introdução... 7

Sumário. Introdução... 7 3 Sumário Introdução... 7 1. Somos especialistas em linguagem corporal... 9 Como os homens se comunicam, 10Comunicação linguística, 10Comunicação não linguística, 10O ato de comunicação, 11Importante:

Leia mais

Comorbidades que podem estar associadas a Dislexia (TDA/TDAH)

Comorbidades que podem estar associadas a Dislexia (TDA/TDAH) Comorbidades que podem estar associadas a Dislexia (TDA/TDAH) Por Ana Luiza Borba Psicóloga e Especialista em Psicopedagogia O aluno com distúrbio de aprendizagem (DA), possui, no plano educacional, um

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA NEUROPSICOLOGIA PARA A PSICOLOGIA CLÍNICA E EDUCAÇÃO

CONTRIBUIÇÕES DA NEUROPSICOLOGIA PARA A PSICOLOGIA CLÍNICA E EDUCAÇÃO CONTRIBUIÇÕES DA NEUROPSICOLOGIA PARA A PSICOLOGIA CLÍNICA E EDUCAÇÃO [Psicologia Escolar e Educacional. vol. 1, n. 2/3, p. 67-70, 1997] LUCIA HELENA TIOSSO MORETTI & JOÃO BATISTA MARTINS Universidade

Leia mais

Questão 1: SignWriting é:

Questão 1: SignWriting é: Questão 1: SignWriting é: a) um método criado na Comunicação Total para o ensino de surdos. b) um sistema de escrita visual direta de sinais. c) um conjunto de sinais dados para gestos icônicos. d) nome

Leia mais

CLASSES DE MOVIMENTOS

CLASSES DE MOVIMENTOS CLASSES DE MOVIMENTOS ATOS REFLEXOS - considerados involuntários, simples (poucos músculos), estereotipados, em geral ocorrem automaticamente em resposta a um estímulo sensorial. Ex. resposta ao toque

Leia mais

Raciocínio Lógico e o Cérebro Humano. Vídeo: Córtex cerebral e memória (5 min).

Raciocínio Lógico e o Cérebro Humano. Vídeo: Córtex cerebral e memória (5 min). Raciocínio Lógico e o Cérebro Humano Vídeo: Córtex cerebral e memória (5 min). 1 Raciocínio Lógico e Cérebro: o Lobo Frontal O lobo frontal está envolvido no raciocínio lógico, pois é responsável pelo

Leia mais

Objetivos. Introdução. Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz. Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros

Objetivos. Introdução. Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz. Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros Objetivos Apresentar a discussão atual sobre a primeira língua dos surdos: a língua de sinais;

Leia mais

O SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL PARA ATLETAS PORTADORES DE PARALISIA CEREBRAL

O SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL PARA ATLETAS PORTADORES DE PARALISIA CEREBRAL O SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL PARA ATLETAS PORTADORES DE PARALISIA CEREBRAL Prof. MsC Cláudio Diehl Nogueira Professor Assistente do Curso de Educação Física da UCB Classificador Funcional Sênior

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 24/01/2013 15:10. Centro de Ciências da Educação

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 24/01/2013 15:10. Centro de Ciências da Educação /1/13 15:1 Centro de Ciências da Educação Curso: 166 Educação Especial (Noturno) Currículo: 11/ 1 EDU.175.-1 Educação Inclusiva Educação Inclusiva: contextualização histórica, fundamentos e concepções.

Leia mais

Construindo atividades com o software Kompozer

Construindo atividades com o software Kompozer Construindo atividades com o software Kompozer 1. Contextualização 1.1. Caracterização do O.A. Área de conhecimento: Ciências biológicas Disciplina ou curso: Fisiologia Ementa em que o O.A. se encaixa:

Leia mais

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16 DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA A tensão do dia a dia é a causa mais freqüente das dores de cabeça mas, elas poderem aparecer por diversas causas e não escolhem idade e sexo. Fique sabendo, lendo este artigo,

Leia mais

Fisioterapia no Acidente Vascular Encefálico (AVE)

Fisioterapia no Acidente Vascular Encefálico (AVE) Universidade Católica de Pernambuco Centro de Ciências Biológicas e Saúde Curso de Fisioterapia Disciplina de Fisioterapia Aplicada à Neurologia Fisioterapia no Acidente Vascular Encefálico (AVE) Prof

Leia mais

Capacitação docente para atendimento educacional especial:

Capacitação docente para atendimento educacional especial: Capacitação docente para atendimento educacional especial: Dislexia e TDAH Profa. Dra. Ednéia Hayashi Departamento de Psicologia Geral e Análise do Comportamento Membro do NAC 2012 e 2014 *material elaborado

Leia mais

HANSENÍASE Diagnósticos e prescrições de enfermagem

HANSENÍASE Diagnósticos e prescrições de enfermagem HANSENÍASE Diagnósticos e prescrições de enfermagem HANSENÍASE Causada pela Mycobacterium leprae, ou bacilo de Hansen, que é um parasita intracelular obrigatório, com afinidade por células cutâneas e por

Leia mais

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO - Abordagem multiprofissional e interdisciplinar - assistência prestada por

Leia mais

Transtornos de Aprendizagem

Transtornos de Aprendizagem CRDA-CENTRO DE REFERÊNCIA EM DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM Transtornos de Aprendizagem Transtornos da Aprendizagem - Avaliação Dra. Maria Fernanda C. R. de Campos Neurologia Infantil Papel da equipe multidisciplinar:

Leia mais

Propiciar a socialização da criança através da participação numa comunidade mais ampla, onde descubra e domine regras próprias do convívio social.

Propiciar a socialização da criança através da participação numa comunidade mais ampla, onde descubra e domine regras próprias do convívio social. EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS Conhecimento do Mundo Formação Pessoal e Social Movimento Linguagem Oral e Escrita Identidade e Autonomia Música Natureza e Sociedade Artes Visuais Matemática OBJETIVOS

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS Conhecimento do Mundo Formação Pessoal e Social Movimento Linguagem Oral e Escrita Identidade e Autonomia Música Natureza e Sociedade Artes Visuais Matemática OBJETIVOS

Leia mais

DEMÊNCIAS. Programa do Idoso Unidade Saúde Escola UFSCar

DEMÊNCIAS. Programa do Idoso Unidade Saúde Escola UFSCar DEMÊNCIAS Programa do Idoso Unidade Saúde Escola UFSCar Conceitos básicos Inteligência Cognição Memória Transtornos cognitivos Quadro confusional agudo Demência Inteligência Totalidade das funções cognitivas

Leia mais

CRDA - Centro de Referência em Distúrbios de Aprendizagem Módulo: Distúrbios de Aprendizagem Tema: Dislexia

CRDA - Centro de Referência em Distúrbios de Aprendizagem Módulo: Distúrbios de Aprendizagem Tema: Dislexia CRDA - Centro de Referência em Distúrbios de Aprendizagem Módulo: Distúrbios de Aprendizagem Tema: Dislexia WORLD SOCIETY OF NEUROLOGY Professor Jobair Ubiratan Distúrbio caracterizado por dificuldade

Leia mais

Conteúdo: Partes do corpo humano. Atividade física eleva a qualidade de vida. Cuidando das articulações. FORTALECENDO SABERES

Conteúdo: Partes do corpo humano. Atividade física eleva a qualidade de vida. Cuidando das articulações. FORTALECENDO SABERES 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I Conteúdo: Partes do corpo humano. Atividade física eleva a qualidade de vida. Cuidando das articulações. 3 CONTEÚDO

Leia mais

Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE. Maio de 2010

Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE. Maio de 2010 Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE Maio de 2010 O mundo das pessoas sem rosto (Thomas Grüter) http://universoautista.com.br/materia/semrosto_01.jpg Prosopagnosia Conforme Grüter (2007, p.68),

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA 1 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA Abordagem Neurocientífica das áreas comprometidas do cérebro no espectro do autismo. Por: Cristhiany de Jesus Santos Orientador

Leia mais

DESENVOLVENDO A ESTRUTURAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL ATRAVÉS DOS PRÍNCÍPIOS DO FUTSAL

DESENVOLVENDO A ESTRUTURAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL ATRAVÉS DOS PRÍNCÍPIOS DO FUTSAL DESENVOLVENDO A ESTRUTURAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL ATRAVÉS DOS PRÍNCÍPIOS DO FUTSAL Valéria Queiroz David 1 Simone Moreira 2 Maurício Augusto Pereira 3 Elix Victor Palomari Silva 4 Leonardo Celestino da Silva

Leia mais

Clínica Neurofuncional

Clínica Neurofuncional II Curso de Verão Clínica Neurofuncional Dr. Clynton Correa e Dra. Paula Chaves da Silva Laboratório de Neurobiologia Comparativa e do Desenvolvimento p.chaves@bf.ufrj.br DOENÇA DE PARKINSON II Curso de

Leia mais

Como se comunicar bem. Prof. Alexandre Lozi

Como se comunicar bem. Prof. Alexandre Lozi Prof. Alexandre Lozi Comentário das apresentações Avaliação da postura: Falhas: Mãos enroladas Mãos soltas Andado desordenado Pêndulo Balanço do pé Apoio no quadro Apoio na perna Permanecer sentado Mãos

Leia mais

Exame Neurológico dos Nervos Cranianos Prof.ª Viviane Marques

Exame Neurológico dos Nervos Cranianos Prof.ª Viviane Marques Exame Neurológico dos Nervos Cranianos Prof.ª Viviane Marques Fonoaudióloga, Neurofisiologista e Mestre em Fonoaudiologia Chefe da Empresa FONOVIM Fonoaudiologia Neurológica Ltda Coordenadora da Pós-graduação

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS SENSAÇÕES DO CORPO NA FLEXIBILIDADE DA POSTURA E NO CONTATO COM O AMBIENTE

A PERCEPÇÃO DAS SENSAÇÕES DO CORPO NA FLEXIBILIDADE DA POSTURA E NO CONTATO COM O AMBIENTE 1 A PERCEPÇÃO DAS SENSAÇÕES DO CORPO NA FLEXIBILIDADE DA POSTURA E NO CONTATO COM O AMBIENTE RESUMO Luciana Gandolfo O objetivo da prática da eutonia é orientar a pessoa a focalizar a atenção em um segmento

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 42. No 3º mês de vida, a criança mantém a cabeça contra a gravidade na postura prono por várias razões, EXCETO:

PROVA ESPECÍFICA Cargo 42. No 3º mês de vida, a criança mantém a cabeça contra a gravidade na postura prono por várias razões, EXCETO: 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 42 QUESTÃO 26 No 3º mês de vida, a criança mantém a cabeça contra a gravidade na postura prono por várias razões, EXCETO: a) Alteração do posicionamento dos membros superiores.

Leia mais

TEA Módulo 4 Aula 4. Epilepsia e TDC

TEA Módulo 4 Aula 4. Epilepsia e TDC TEA Módulo 4 Aula 4 Epilepsia e TDC Epilepsias no TEA A epilepsia é uma das comorbidades que ocorre com maior frequência nos casos de TEA (35% dos pacientes) e a sua presença ainda é muito frequente no

Leia mais

Nervos Cranianos. M.Sc. Profª Viviane Marques

Nervos Cranianos. M.Sc. Profª Viviane Marques Nervos Cranianos M.Sc. Profª Viviane Marques Coordenadora da Pós-graduação em Fonoaudiologia Hospitalar UVA Docente do mestrado de HIV/AIDS e Hepatites Virais UNIRIO Tutora da Residência Multiprofissional

Leia mais

Paralisia Facial M.Sc. Prof.ª Viviane Marques

Paralisia Facial M.Sc. Prof.ª Viviane Marques Paralisia Facial M.Sc. Prof.ª Viviane Marques Fonoaudióloga, Neurofisiologista e Mestre em Fonoaudiologia Coordenadora da Pós-graduação em Fonoaudiologia Hospitalar Chefe da Equipe de Fonoaudiologia do

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Universidade da Madeira. Unidade Curricular de Neuroanatomia

Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Universidade da Madeira. Unidade Curricular de Neuroanatomia Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Universidade da Madeira Curso de Medicina Unidade Curricular de Neuroanatomia APONTAMENTOS (Baseados noutros apontamentos, Snell e Rouvier) Cristian Rodrigues

Leia mais