FABRICAÇÃO DE IMPLANTES BUCOMAXILOFACIAIS EM TITÂNIO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FABRICAÇÃO DE IMPLANTES BUCOMAXILOFACIAIS EM TITÂNIO"

Transcrição

1 ARTIGO - MÁRCIO SCHMIDT FABRICAÇÃO DE IMPLANTES BUCOMAXILOFACIAIS EM TITÂNIO Márcio A Schmidt Henrique Kohmann Augusto Kunrath RESUMO Com a constante evolução da engenharia e das ciências da saúde, estas áreas passaram a atuar em conjunto na implantação de componentes para a correção de traumas ou imperfeições do corpo humano, de forma que o mesmo recupere suas funções originais. Devido ao relevante custo de implantes osseointegráveis, pela utilização de titânio, e à necessidade de sua importação, procura-se uma nacionalização desta tecnologia, de modo a torná-la mais acessível. O objetivo central deste trabalho é desenvolver o método de fabricação de implantes bucomaxilofaciais, a partir de chapas de titânio em uma fresadora CNC em cooperação com uma empresa do setor. Visa-se desenvolver o método de programação dos parâmetros geométricos e de usinagem dos implantes através da utilização de um sistema CAD/CAM, definir uma forma eficiente de fixação das chapas de Ti sobre a mesa da fresadora, e usinagem dos implantes. A produção de diversas séries de implantes teve seu processo de fabricação desenvolvido, os quais propiciaram o tratamento de vários pacientes. O próximo passo está sendo a implantação do processo de fabricação na indústria, tornando possível o atendimento a um maior número de pacientes. (PROMM, BIC/UFRGS). ABSTRACT The evolution of engineering and medical sciences have yielded great development on the implants technology allowing the correction of damages caused by trauma or congenital ill formation. Due to the high costs of the imported prosthesis, which are manufactured mainly in titanium, there is great interest in the development of nationalized manufacturing techniques. The main focus of this study was to produce implants for oral and maxillofacial surgery by machining from titanium plates using CNC milling. The work was done in partnership with a local company and most of the study was directed to developing machining parameters and set up and NC programs using CAD-CAM technology. Several "standard" and customized implants were designed, machined and actually implanted in patients. The next step is to transfer the technology to the industry, allowing for the production of larger batches which will lower the costs of the implants maintaining high quality. (PROMM, BIC/UFRGS). 1. INTRODUÇÃO Implantes bucomaxilofaciais são utilizados na correção de eventuais traumas ou imperfeições do corpo humano, de forma que o mesmo recupere suas funções originais. Dado o elevado custo de implantes osseointegráveis, em grande parte devido à necessidade de sua importação, procura-se uma nacionalização desta tecnologia, de modo a torná-la mais acessível. Este trabalho objetivou desenvolver e aperfeiçoar o processo de fabricação de implantes bucomaxilofaciais de titânio seriados, de uso geral, e de reconstrução do maxilar, específico para cada paciente, utilizando sistemas CAD (desenho assistido por computador)/cam (manufatura assistida por computador) file:///o /Homepage/livrosalao/artigo_marcio.htm (1 of 5) [ :19:10]

2 ARTIGO - MÁRCIO SCHMIDT integrados com uma fresadora CNC. Estas possuem uma grande capacidade de flexibilização da geometria a ser fabricada, por serem facilmente reprogramáveis. No país, principalmente no Rio Grande do Sul, na Faculdade de Odontologia da UFRGS, tem se desenvolvido um extenso programa de reabilitação de pacientes portadores de deformidades faciais decorrentes de traumatismos, malformações congênitas e de necessidade de cirurgias oncológicas. Com a utilização de implantes osseointegrados de titânio em deformidades faciais, passou a ser possível a construção de próteses mais delicadas, evitando-se o uso de outros elementos para sua fixação, e conseqüente recuperação mais rápida. São freqüentes os casos de fratura de mandíbula, ocupando o segundo lugar dentre as fraturas dos ossos da face, com incidência de 38%, ocasionados principalmente por acidentes automobilísticos. Nestes casos, para um tratamento correto há a necessidade de se realizar um implante que atenda as necessidades específicas do paciente, isto é, que seja fabricado sob medida. Como os implantes tinham que ser importados a altos custos, era praticamente impossível se tratar esses casos de uma maneira correta. Neste trabalho foram desenvolvidas várias etapas de usinagem visando produzir rapidamente implantes de reconstrução facial sob medida para cada paciente, como ilustra a figura TRABALHO DESENVOLVIDO Implantes cirúrgicos possuem grande parte de seus custos associada ao processo de fabricação por usinagem. Isto se deve à baixa usinabilidade do titânio e ao estreito controle dimensional e de acabamento das peças necessárias para o bom desempenho do implante. No desenvolvimento deste trabalho, os seguintes passos foram seguidos: - Foi feito um levantamento dos parâmetros de usinagem indicados para o titânio. - Os implantes foram modelados em software comercial de CAD paramétrico. Este procedimento, além de indispensável para o uso da tecnologia CAM, facilita a alteração de projeto para a adequação a cada paciente. o Os arquivos em CAD foram exportados para um software de CAM onde foi planejada toda a operação de usinagem. São determinados os parâmetros de usinagem, sistema de fixação, ferramentas de corte (fresas e brocas), tipo de máquina e caminho de ferramenta. o Usinagem das peças e acabamento dos implantes e posterior implantação nos pacientes. 2.1 Sistemas CAD Em um ambiente de CAD (computer aided design, ou projeto assistido por computador), a informação geométrica é representada analiticamente através de pontos, linhas, cones, planos, superfícies quadráticas, etc., e por funções booleanas. Essas representações são geradas interativamente quando o usuário modela a geometria da peça na interface do CAD. Para a fabricação de implantes, um software de CAD precisa ter ferramentas para a modelagem de geometrias complexas, que devem ser facilmente alteradas, se necessário, devem ser parametrizadas. No Laboratório de Usinagem utilizou-se o software SolidWorks, que produz arquivos com extensão PRT e SLDPRT. 2.2 Sistemas CAM A principal função de um software de CAM (computer aided manufacturing, ou manufatura auxiliada por computador) é gerar o programa que controla o deslocamento da ferramenta de corte, fresa ou broca, para a máquina-ferramenta CNC, a partir da geometria da peça gerada no CAD. Na figura 2 estão representadas as etapas utilizadas para a fabricação de componentes. Pode-se também destacar outras funções para os sistemas CAM: file:///o /Homepage/livrosalao/artigo_marcio.htm (2 of 5) [ :19:10]

3 ARTIGO - MÁRCIO SCHMIDT - estimativa de custos; - auxiliar o CAPP (fabricar uma peça de acordo com suas especificações); - biblioteca de parâmetros de corte; - usinagem de formas 3D; - informações de controle; - integridade superficial da peça; - detecção de erros e simulação de usinagem; - pós-processamento da informação de acordo com cada CNC. O programa de CAM importa os desenho do CAD, o qual é usado para gerar os caminhos de ferramenta. Os padrões de comunicação utilizados foram o IGES (initial graphics exchange specification, ou especificação inicial de troca de dados gráficos) e o DXF (drawing interchange file, ou arquivo de intercâmbio de desenho). O software de CAM utilizado foi o SURFCAM, capaz de converter arquivos do SolidWorks para.dsn, padrões do Surfcam. Na geometria importada são selecionados os contornos geométricos a serem usinados. Numa biblioteca de ferramentas, mantida pelo CAM, são selecionados a forma geométrica da ferramenta e a tolerância do conjunto peça-ferramenta. Os caminhos da ferramenta são gerados automaticamente nas superfícies selecionadas, seguindo as estratégias de usinagem utilizadas (figuras 3 e 4) e fixação das peças adotadas para cada caso. Esta geração é feita através de algoritmos matemáticos implementados no CAM. Os caminhos curvos figura 5 da ferramenta são interpolados linearmente através de pequenas retas, figura 6, gerando um arquivo de pontos chamado de CL-data, ou seja, dados de localização da ferramenta (CL significa cutter location). O CL-data é armazenado em formato binário, numa tentativa de reduzir o tamanho do arquivo e agilizar seu pós-processamento. O CL-data é escrito na sintaxe da linguagem de programação. Esta sintaxe é uma forma de alto nível que o controlador da máquina ferramenta é incapaz de ler e interpretar. Portanto, o CL-data precisa ser pós-processado por um pós-processador. Um pós-processador foi escrito para uma combinação específica de controlador e máquina utilizada no Laboratório de Usinagem. Ele converte os dados do CL-data em instruções e códigos G e M que o controlador pode aceitar, conhecidas como linguagem de baixo nível. 2.3 Simulação de usinagem Após a codificação do programa, foi utilizada simulação para verificar não só os erros de sintaxe, mas também alguma eventual movimentação perigosa, não percebida anteriormente, que possa ocasionar choques da ferramenta de corte com elementos de fixação, com partes da máquina ou com a própria peça. Sistemas de simulação de processos de usinagem podem ser utilizados para verificar programas CN bem como para otimizar a fase de usinagem da produção mecânica de um elemento. Estes sistemas contribuem no sentido de melhorar a confiança e a eficiência do processo de usinagem bem como a qualidade do produto final. 2.4 Transferência de programas para o CNC Os dados do CAM foram transferidos para a fresadora através de um sistema DNC (distributed numeric control, ou comando numérico direto), que basicamente é uma rede de chão-de-fábrica. Utilizou-se um PC, um cabo RS-232 e um software de comunicação. Esse sistema possibilitou ao operador da máquina transferir para o comando CNC programas armazenados no PC, e a utilização de alimentação contínua, (on-line) de file:///o /Homepage/livrosalao/artigo_marcio.htm (3 of 5) [ :19:10]

4 ARTIGO - MÁRCIO SCHMIDT programas quando os mesmos não cabem na memória do CNC. Executada e aprovada a simulação, foram realizados testes na máquina, fazendo-se inicialmente uma usinagem com uma peça de prova para, posteriormente, considerar o programa como pronto e aprovado. Na figura 7 está representado todas as etapas do processo de fabricação de implantes de titânio. 3. CONCLUSÃO Os diversos tipos de implantes desenvolvidos no laboratório de usinagem apresentaram dimensões e geometrias dentro das tolerâncias de projeto. A utilização da tecnologia CAD-CAM, além de acelerar a fabricação, torna o processo mais flexível, facilitando alterações de projeto para a adequação às necessidades de cada paciente. O próximo passo será a plena implantação do processo de fabricação na indústria, tornando possível o atendimento a um maior número de pacientes. 4. PERSPECTIVA DE CONTINUIDADE OU DESDOBRAMENTO DO TRABALHO O atual estado de desenvolvimento do projeto envolve a aplicação de todos os passos citados anteriormente em implantes de geometria e usinagem cada vez mais complexas. As placas parafusáveis, que já puderam ser fabricadas, foram plenamente aceitas pela empresa que forneceu os seus desenhos, o que valida todos os esforços no sentindo de prosseguir o trabalho. Ainda há muitos pontos onde o trabalho pode ser aprofundado, além da possibilidade de estudo de sua extensão para outros tipos de produtos, tais como moldes e matrizes, que envolvem necessidade de grande conhecimento tecnológico, e também dependem de perfeita harmonia em todo o sistema operacional de manufatura (CAM/CAM/NC). 5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ZEID, I. CAD/CAM theory and practice. New York: McGraw-Hill, p. TEICHOLZ, E. CAD/CAM handbook. New York: MacGraw-Hill, p. file:///o /Homepage/livrosalao/artigo_marcio.htm (4 of 5) [ :19:10]

5 ARTIGO - MÁRCIO SCHMIDT GROOVER, M. P.; ZIMMERS JR., E. W. CAD/CAM: Computer aided design and manufacturing. Englewood Cliffs (N.J.): Prentice-Hall, Simões, F. M. S.; Implementação de um sistema CAD/CAM para fresadoras CNC a partir de funções CAM integradas no CAD. Dissertação de Mestrado. Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia, MG, AUTORES Márcio A Schmidt Henrique Kohmann Augusto Kunrath 1 CURRÍCULO LATTES GRUPO DE PESQUISA 1 - Laboratório de Usinagem - Departamento de Engenharia Mecânica - Escola de Engenharia - UFRGS file:///o /Homepage/livrosalao/artigo_marcio.htm (5 of 5) [ :19:10]

6 FIGURA 1 - MÁRCIO SCHMIDT Figura 1 - Placas de reconstrução facial por usinagem file:///o /Homepage/livrosalao/marcio_figura11.htm [ :19:18]

7 FIGURA 2 - MÁRCIO SCHMIDT Figura 2 - Seqüência de operações no sistema CAM utilizada para fabricação de implantes de titânio file:///o /Homepage/livrosalao/marcio_figura1.htm [ :19:23]

8 FIGURA 3 - MÁRCIO SCHMIDT Figura 3 - Usinagem 2D Usinagem 2D: o material é eliminado por sucessivos contornos paralelos em função do perfil da peça, para cada altura. Os movimentos podem ser em offset, do exterior para o interior, do inferior para o exterior e automático (otimizado), ou simples rasgos, com a ferramenta seguindo um contorno recortando a peça. file:///o /Homepage/livrosalao/marcio_figura22.htm [ :19:46]

9 FIGURA 4 - MÁRCIO SCHMIDT Figura 4 - Usinagem 3D Usinagem 3D: esta estratégia é definida pelo utilizador, e mantém um passo constante relativamente à superfície a ser usinada, de forma que mesmo superfícies verticais sejam usinadas com um passo ótimo. file:///o /Homepage/livrosalao/marcio_figura23.htm [ :19:51]

10 FIGURA 5 - MÁRCIO SCHMIDT Figura 5 - Caminhos da ferramenta sobre uma superfície file:///o /Homepage/livrosalao/marcio_figura24.htm [ :19:55]

11 FIGURA 6 - MÁRCIO SCHMIDT Figura 6 - Interpolação linear do caminha da ferramenta. file:///o /Homepage/livrosalao/marcio_figura25.htm [ :19:58]

Computer Aided Manufacturing. Adaptado de: Donghoon Yang

Computer Aided Manufacturing. Adaptado de: Donghoon Yang Computer Aided Manufacturing Frederico Damasceno Bortoloti Adaptado de: Donghoon Yang CAD : Computer Aided Design A tecnologia que se preocupa com o uso de sistemas de computação para assistir a criação,

Leia mais

A sigla CAD pode representar duas definições principais, das quais muitas vezes são empregadas inadequadamente:

A sigla CAD pode representar duas definições principais, das quais muitas vezes são empregadas inadequadamente: A sigla CAD pode representar duas definições principais, das quais muitas vezes são empregadas inadequadamente: Computer Aided Drafting (CAD) a palavra drafting pode ser traduzida como desenho técnico,

Leia mais

Características da Usinagem CNC

Características da Usinagem CNC Características da Usinagem CNC CN: comando numérico É o código propriamente dito! CNC: comando numérico computadorizado É o sistema de interpretação e controle de equipamentos que se utilizam de CN para

Leia mais

XXV Encontro Nac. de Eng. de Produção Porto Alegre, RS, Brasil, 29 out a 01 de nov de 2005

XXV Encontro Nac. de Eng. de Produção Porto Alegre, RS, Brasil, 29 out a 01 de nov de 2005 Laboratório de tecnologia de manufatura - uma experiência aplicada ao ensino da engenharia de produção Wilson de Castro Hilsdorf (FEI) wicastro@fei.edu.br Alexandre Augusto Massote (FEI) massote@fei.edu.br

Leia mais

Estudo e Modelagem Computacional de um Robô Aplicado em Processos de Usinagem

Estudo e Modelagem Computacional de um Robô Aplicado em Processos de Usinagem Universidade Federal de São João Del-Rei MG 26 a 28 de maio de 2010 Associação Brasileira de Métodos Computacionais em Engenharia Estudo e Modelagem Computacional de um Robô Aplicado em Processos de Usinagem

Leia mais

MODELO PARAMETRIZADO APLICADO EM PROJETO DE MÁQUINAS

MODELO PARAMETRIZADO APLICADO EM PROJETO DE MÁQUINAS Faculdade de Tecnologia de Sorocaba DEPARTAMENTO DE PROJETOS MECÂNICOS MODELO PARAMETRIZADO APLICADO EM PROJETO DE MÁQUINAS RELATÓRIO FINAL DA INICIAÇÃO CIENTÍFICA Aluno: Ricardo Lorenzati Machado Orientador:

Leia mais

15 Computador, projeto e manufatura

15 Computador, projeto e manufatura A U A UL LA Computador, projeto e manufatura Um problema Depois de pronto o desenho de uma peça ou objeto, de que maneira ele é utilizado na fabricação? Parte da resposta está na Aula 2, que aborda as

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO DE PROCESSOS ASSISTIDO POR COMPUTADOR CAPP (COMPUTER AIDED PROCESS

Leia mais

PARÂMETROS TÉCNICOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS IMPRESSOS.

PARÂMETROS TÉCNICOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS IMPRESSOS. PARÂMETROS TÉCNICOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS IMPRESSOS. Código Documento: MA-1.2.00.03 Aprovado em: 18/03/2009 Revisão: 03 Página: 1/31 1 INTRODUÇÃO As informações contidas neste manual são

Leia mais

TESTES DE VIDA EM FRESAMENTO COM REDUÇÃO DO NÚMERO DE FERRAMENTAS

TESTES DE VIDA EM FRESAMENTO COM REDUÇÃO DO NÚMERO DE FERRAMENTAS TESTES DE VIDA EM FRESAMENTO COM REDUÇÃO DO NÚMERO DE FERRAMENTAS André Richetti Jovani Panato Márcio Bacci da Silva Álisson Rocha Machado Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Engenharia Mecânica,

Leia mais

Palavras-chave: Usinagem de superfícies complexas, Simulação Virtual, Fresamento 5 eixos.

Palavras-chave: Usinagem de superfícies complexas, Simulação Virtual, Fresamento 5 eixos. 5 V CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE FABRICAÇÃO 14 a 17 de abril de 2009 - Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil Simulação de máquinas-ferramentas virtuais e sua importância na usinagem de superfícies

Leia mais

ALTERNATIVAS DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS DE AUXÍLIO À PROGRAMAÇÃO CNC

ALTERNATIVAS DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS DE AUXÍLIO À PROGRAMAÇÃO CNC ALTERNATIVAS DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS DE AUXÍLIO À PROGRAMAÇÃO CNC Leandro Costa de Oliveira Depto. de Fabricação e Projeto de Máquinas - Núcleo de Automação e Processos de Fabricação Centro de Tecnologia

Leia mais

Rudloff: Tradição, Agilidade e Experiência

Rudloff: Tradição, Agilidade e Experiência Rudloff: Tradição, Agilidade e Experiência Imagem Aérea da Empresa Pátio Fabril Usinagem Horta Comunitária Pátio Fabril Engenharia Cursos In Company ministrados pelo SENAI A Rudloff foi fundada em 1960,

Leia mais

Uso de software CAD 3D no desenvolvimento de ferramenta de dobra

Uso de software CAD 3D no desenvolvimento de ferramenta de dobra 52 Corte & Conformação de Metais Março 2013 Uso de software CAD 3D no desenvolvimento de ferramenta de dobra Desenvolver ferramentas de dobra não é uma tarefa fácil, principalmente quando a peça final

Leia mais

Novas Tecnoogias em Sistemas Integrados de Manufatura

Novas Tecnoogias em Sistemas Integrados de Manufatura Novas Tecnoogias em Sistemas Integrados de Manufatura Eduardo Romeiro Filho Designer Industrial (ESDI/UERJ), DSc. Engenharia de Produção (COPPE/UFRJ) Professor Adjunto do Departamento de Engenharia de

Leia mais

GUINDASTE CONTROLADO POR PC ATRAVÉS DE INTERFACE SERIAL RS- 232

GUINDASTE CONTROLADO POR PC ATRAVÉS DE INTERFACE SERIAL RS- 232 GUINDASTE CONTROLADO POR PC ATRAVÉS DE INTERFACE SERIAL RS- 232 Carlos Renato Borges dos Santos Instituto Federal de Minas Gerais - IFMG Departamento de Engenharia Elétrica Campus Formiga MG carlos.renato@ifmg.edu.br

Leia mais

Tecnologias CAx na Manufatura. Valter Vander de Oliveira Disciplina: Sistemas Industriais

Tecnologias CAx na Manufatura. Valter Vander de Oliveira Disciplina: Sistemas Industriais Tecnologias CAx na Manufatura Valter Vander de Oliveira Disciplina: Sistemas Industriais Tecnologias CAx Conteúdo: Conceito de tecnologia CAx Evolução das tecnologias CAx Sistemas CAD/CAE/CAPP/CAM/CAI

Leia mais

16 Congresso de Iniciação Científica DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA PARA MONITORAMENTO DE DADOS EM HSM (HIGH SPEED MACHINING)

16 Congresso de Iniciação Científica DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA PARA MONITORAMENTO DE DADOS EM HSM (HIGH SPEED MACHINING) 16 Congresso de Iniciação Científica DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA PARA MONITORAMENTO DE DADOS EM HSM (HIGH SPEED MACHINING) Autor(es) OLIVEIRO LEUTWILER NETO Orientador(es) KLAUS SCHüTZER Apoio Financeiro

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nome:Daniel Oliveira de Lima Paper: Real-Time Shaded NC milling Display Tim Vam Hook - SIGGRAPH 86

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nome:Daniel Oliveira de Lima Paper: Real-Time Shaded NC milling Display Tim Vam Hook - SIGGRAPH 86 Universidade Federal do Rio de Janeiro Nome:Daniel Oliveira de Lima Paper: Real-Time Shaded NC milling Display Tim Vam Hook - SIGGRAPH 86 SIMULAÇÃO DE USINAGEM EM TEMPO REAL Motivação Problema Considerações

Leia mais

Medição tridimensional

Medição tridimensional A U A UL LA Medição tridimensional Um problema O controle de qualidade dimensional é tão antigo quanto a própria indústria, mas somente nas últimas décadas vem ocupando a importante posição que lhe cabe.

Leia mais

SOFTWARES. Rotina de Instruções. Dados

SOFTWARES. Rotina de Instruções. Dados SOFTWARES 1 CONCEITOS Podemos dizer que os softwares são a alma do computador, eles são responsáveis pelo seu funcionamento e aproveitamento. De uma forma geral os softwares se desenvolvem através de uma

Leia mais

AUTOMAÇÃO DO PROCESSO DE MEDIÇÃO DE JUNTAS DE CABEÇOTE

AUTOMAÇÃO DO PROCESSO DE MEDIÇÃO DE JUNTAS DE CABEÇOTE ILHA SOLTEIRA XII Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 22 a 26 de agosto de 2005 - Ilha Solteira - SP Paper CRE05-OA04 AUTOMAÇÃO DO PROCESSO DE MEDIÇÃO DE JUNTAS DE CABEÇOTE Granuzzio

Leia mais

3. Fase de Planejamento dos Ciclos de Construção do Software

3. Fase de Planejamento dos Ciclos de Construção do Software 3. Fase de Planejamento dos Ciclos de Construção do Software A tarefa de planejar os ciclos de construção do software pode partir de diretrizes básicas. Estas diretrizes visam orientar que os ciclos de

Leia mais

Manual de Operação Fresadora CNC

Manual de Operação Fresadora CNC Manual de Operação Fresadora CNC 1 Índice Introdução...3 Métodos de Utilização...3 Controle manual...4 Link Serial...5 Modo Automático com Cartão SD...6 2 Introdução A Fresadora CNC do Lab, é uma fresadora

Leia mais

Implementações 2009. Sistema: Interface Geral: Interface Display: Licenciamento:

Implementações 2009. Sistema: Interface Geral: Interface Display: Licenciamento: Implementações 2009 O GibbsCAM 2009 v9.3.21, versão esta que apresenta mais de 150 melhorias significativas em toda a linha do software GibbsCAM fornecendo assim um valor excepcional para os clientes em

Leia mais

CAD/CAM para corte e puncionamento

CAD/CAM para corte e puncionamento CAD/CAM para corte e puncionamento O software referência em aproveitamento e programação para corte 2D e puncionamento A gama de software para corte 2D e puncionamento Principais vantagens e benefícios

Leia mais

Ambiente Visual para o Desenvolvimento de Jogos Eletrônicos

Ambiente Visual para o Desenvolvimento de Jogos Eletrônicos Ambiente Visual para o Desenvolvimento de Jogos Eletrônicos Diego Cordeiro Barboza 1, Júlio César da Silva 2 1 UNIFESO, Centro de Ciências e Tecnologia, Curso de Ciência da Computação, diego.cbarboza@gmail.com

Leia mais

Integração CAD/CAM. Adaptado de: Sung Hoon Ahn

Integração CAD/CAM. Adaptado de: Sung Hoon Ahn Integração CAD/CAM Frederico Damasceno Bortoloti Adaptado de: Sung Hoon Ahn Do Projeto a Manufatura Agora nós estamos no domínio da Manufatura Domínio do projeto: Como criar a geometria Domínio da manufatura:

Leia mais

DA INTERPOLAÇÃO SPLINE COMO TRAJETÓRIA DA FERRAMENTA NA MANUFATURA SUPERFÍCIES COMPLEXAS ATRAVÉS DE FERRAMENTAS DOE (DESING OF EXPERIMENTS)

DA INTERPOLAÇÃO SPLINE COMO TRAJETÓRIA DA FERRAMENTA NA MANUFATURA SUPERFÍCIES COMPLEXAS ATRAVÉS DE FERRAMENTAS DOE (DESING OF EXPERIMENTS) 18º Congresso de Iniciação Científica AVALIAÇÃO DA INTERPOLAÇÃO SPLINE COMO TRAJETÓRIA DA FERRAMENTA NA MANUFATURA SUPERFÍCIES COMPLEXAS ATRAVÉS DE FERRAMENTAS DOE (DESING OF EXPERIMENTS) Autor(es) MARCO

Leia mais

Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger

Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger O controle da entrada e saída (E/S ou I/O, input/output) de dados dos dispositivos é uma das funções principais de um sistema operacional.

Leia mais

18º Congresso de Iniciação Científica INTEGRAÇÃO CAD COM MÁQUINA DE MEDIR POR COORDENADAS PARA TROCA DE INFORMAÇÕES DE GD&T ATRAVÉS DO MODELO 3D

18º Congresso de Iniciação Científica INTEGRAÇÃO CAD COM MÁQUINA DE MEDIR POR COORDENADAS PARA TROCA DE INFORMAÇÕES DE GD&T ATRAVÉS DO MODELO 3D 18º Congresso de Iniciação Científica INTEGRAÇÃO CAD COM MÁQUINA DE MEDIR POR COORDENADAS PARA TROCA DE INFORMAÇÕES DE GD&T ATRAVÉS DO MODELO 3D Autor(es) FELIPE ALVES DE OLIVEIRA PERRONI Orientador(es)

Leia mais

CURSO: Desenvolvimento Web e Comércio Eletrônico DISCIPLINA: Gestão da Qualidade Professor: Ricardo Henrique

CURSO: Desenvolvimento Web e Comércio Eletrônico DISCIPLINA: Gestão da Qualidade Professor: Ricardo Henrique CURSO: Desenvolvimento Web e Comércio Eletrônico DISCIPLINA: Gestão da Qualidade Professor: Ricardo Henrique UNIDADE 6 GERENCIAMENTO DA ROTINA 1 INTRODUÇÃO 3 O GERENCIAMENTO DA ROTINA 4 CAMPO DE APLICAÇÃO

Leia mais

TRABALHOS PRÁTICOS PROGRAMAÇÃO NC

TRABALHOS PRÁTICOS PROGRAMAÇÃO NC Universidade de Brasília Faculdade de Tecnologia Engenharia Mecatrônica Tecnologias de Comando Numérico Prof. Alberto J. Alvares TRABALHOS PRÁTICOS PROGRAMAÇÃO NC 1. Peça Exemplo: Elaborar um programa

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROCESSO ASSISTIDO POR COMPUTADOR - CAPP

PLANEJAMENTO DO PROCESSO ASSISTIDO POR COMPUTADOR - CAPP PLANEJAMENTO DO PROCESSO ASSISTIDO POR COMPUTADOR - CAPP Prof. João Carlos Espíndola Ferreira, Ph.D. www.grima.ufsc.br/jcarlos/ jcarlos@emc.ufsc.br Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de

Leia mais

DISCIPLINA: Gestão de Pessoas

DISCIPLINA: Gestão de Pessoas ASSOSSIAÇÃO EDUCACIONAL E TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA Ementa Tecnólogo em Fabricação Mecânica Departamento de Ensino Superior DISCIPLINA: Metodologia da Pesquisa Científica Técnicas para elaboração de

Leia mais

TROCA DE INFORMAÇÕES ENTRE SISTEMAS CAE/CAD/CAM

TROCA DE INFORMAÇÕES ENTRE SISTEMAS CAE/CAD/CAM TROCA DE INFORMAÇÕES ENTRE SISTEMAS CAE/CAD/CAM EMC 6633 by: José Ricardo de Menezes CAE/CAD/CAM Troca de Definição Informações Motivação A necessidade de troca de dados de modelagem é motivada diretamente

Leia mais

AULA 11 FORMAÇÃO, TIPOS E GEOMETRIAS DE CAVACO

AULA 11 FORMAÇÃO, TIPOS E GEOMETRIAS DE CAVACO AULA 11 FORMAÇÃO, TIPOS E GEOMETRIAS DE CAVACO 83 11. VARIÁVEIS DEPENDENTES DE SAÍDA: FORMAÇÃO, TIPOS E GEOMETRIAS DE CAVACO. 11.1. Generalidades Nas operações de usinagem que utilizam corte contínuo

Leia mais

Desenvolvimento de ferramenta computacional para o controle de equipamentos de acordo com a ISO/IEC 17025.

Desenvolvimento de ferramenta computacional para o controle de equipamentos de acordo com a ISO/IEC 17025. Desenvolvimento de ferramenta computacional para o controle de equipamentos de acordo com a ISO/IEC 17025. Computational development tool for equipament control according to ISO/IEC 17025. Heloisa de Campos

Leia mais

MODELAGEM BIOCAD DE PRÓTESE DENTÁRIA IMPLANTO-MUCO-SUPORTADA EM MANDÍBULA

MODELAGEM BIOCAD DE PRÓTESE DENTÁRIA IMPLANTO-MUCO-SUPORTADA EM MANDÍBULA MODELAGEM BIOCAD DE PRÓTESE DENTÁRIA IMPLANTO-MUCO-SUPORTADA EM MANDÍBULA Alexandre B. Travassos 1 ; Jorge V. L. da Silva 1 ; Mônica N. Pigozzo 2 1 - Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer -

Leia mais

BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EaD UAB/UFSCar Sistemas de Informação - prof. Dr. Hélio Crestana Guardia

BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EaD UAB/UFSCar Sistemas de Informação - prof. Dr. Hélio Crestana Guardia O Sistema Operacional que você usa é multitasking? Por multitasking, entende-se a capacidade do SO de ter mais de um processos em execução ao mesmo tempo. É claro que, num dado instante, o número de processos

Leia mais

Introdução às Máquinas CNC s. É proibido reproduzir total ou parcialmente esta publicação sem prévia autorização do

Introdução às Máquinas CNC s. É proibido reproduzir total ou parcialmente esta publicação sem prévia autorização do Grupo Caet - Divisão de Conteúdos Introdução às Máquinas CNC s. Por Delmonte Friedrich, Msc. Eng. Todos os direitos reservados. É proibido reproduzir total ou parcialmente esta publicação sem prévia autorização

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Slide 05 Modelos de Processos Maurício Archanjo Nunes Coelho mauricio.coelho@ifsudestemg.edu.br Instituto Federal Análise de Sistemas Por que surgiu a Engenharia de Software? Resposta

Leia mais

UNIVERSIDADE CEUMA CAMPUS RENASCENÇA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. Professor Leonardo Gonsioroski

UNIVERSIDADE CEUMA CAMPUS RENASCENÇA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. Professor Leonardo Gonsioroski UNIVERSIDADE CEUMA CAMPUS RENASCENÇA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Objetivos da Aula Discutir as vantagens da automação. Entender o que é o comando numérico computadorizado (CNC) Compreender a necessidade

Leia mais

Unidade II MODELAGEM DE PROCESSOS

Unidade II MODELAGEM DE PROCESSOS Unidade II 3 MODELAGEM DE SISTEMAS 1 20 A fase de desenvolvimento de um novo sistema de informação (Quadro 2) é um momento complexo que exige um significativo esforço no sentido de agregar recursos que

Leia mais

Simulador Virtual para Treinamento em Visão de Máquina com LabVIEW

Simulador Virtual para Treinamento em Visão de Máquina com LabVIEW Simulador Virtual para Treinamento em Visão de Máquina com LabVIEW "Esse ambiente pode ser usado para simular e explorar as possibilidades e alcances de uma solução empregando visão de máquina, testar

Leia mais

OANAFAS é um programa computacional

OANAFAS é um programa computacional ANAFAS Análise de Faltas Simultâneas OANAFAS é um programa computacional para cálculo de curtos-circuitos. Permite a execução automática de grande variedade de faltas e possui facilidades, como estudo

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE CONTROLE PARA ELETRÔNICA EMBARCADA EM EQUIPAMENTOS AGRÍCOLAS 1. Vítor Henrique Amarante Soares 2.

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE CONTROLE PARA ELETRÔNICA EMBARCADA EM EQUIPAMENTOS AGRÍCOLAS 1. Vítor Henrique Amarante Soares 2. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE CONTROLE PARA ELETRÔNICA EMBARCADA EM EQUIPAMENTOS AGRÍCOLAS 1 Vítor Henrique Amarante Soares 2. 1 Projeto de Pesquisa realizado no curso de Engenharia Elétrica da Unijuí

Leia mais

Parâmetros e métodos de usinagem e sua relação com os custos do processo e o acabamento final do produto

Parâmetros e métodos de usinagem e sua relação com os custos do processo e o acabamento final do produto Parâmetros e métodos de usinagem e sua relação com os custos do processo e o acabamento final do produto Osiel Wrublak (Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR) osielw@yahoo.com.br Luiz Alberto

Leia mais

7 Mudanças Realizadas

7 Mudanças Realizadas 7 Mudanças Realizadas Este capítulo tem o objetivo de detalhar as mudanças realizadas no ambiente de trabalho da equipe estudada. Ele cita as alterações no produto de software utilizado pela equipe, que

Leia mais

Ementas Disciplina: Ementa: Competência: Habilidade: Bases Tecnológicas: Carga Horária: Disciplina: Ementa: Competência: Habilidade:

Ementas Disciplina: Ementa: Competência: Habilidade: Bases Tecnológicas: Carga Horária: Disciplina: Ementa: Competência: Habilidade: Ementas Disciplina: Metodologia da Pesquisa Cientifica Ementa: Conhecimento, Ciência, Pesquisa e tipos de pesquisa, Métodos e técnicas para a elaboração e apresentação de trabalho científico. Competência:

Leia mais

TG-01-2012-EL. e-mail 1 : diego190103@gmail.com; e-mail 2 : ffpuccia@uol.com.br; e-mail 3 : peleggi@ig.com.br;

TG-01-2012-EL. e-mail 1 : diego190103@gmail.com; e-mail 2 : ffpuccia@uol.com.br; e-mail 3 : peleggi@ig.com.br; Controle de ângulos de azimute e de elevação num sistema Aeroestabilizador Diego Amorim 1 ; Filipe Puccia 2 & Regis Peleggi 3. Orientador: Alexandre Brincalepe Campo. TG-01-2012-EL 1, 2,3 Graduandos do

Leia mais

Prof. Vitório Bruno Mazzola INE/CTC/UFSC 1. INTRODUÇÃO

Prof. Vitório Bruno Mazzola INE/CTC/UFSC 1. INTRODUÇÃO Capítulo 6 ENGENHARIA DE SOFTWARE CONCEITOS BÁSICOS Prof. Vitório Bruno Mazzola INE/CTC/UFSC 1. INTRODUÇÃO Nos anos 40, quando se iniciou a evolução dos sistemas computadorizados, grande parte dos esforços,

Leia mais

SENAI - CE Centro de Educação e Tecnologia Alexandre Figueira Rodrigues - CET AFR

SENAI - CE Centro de Educação e Tecnologia Alexandre Figueira Rodrigues - CET AFR Unidade Escolar CNPJ Razão Social Nome de Fantasia Esfera Administrativa Endereço (Rua, No) Cidade/UF/CEP Telefone/Fax E-mail de Contato Site da Unidade Área do Plano 03.768.202/0007-61 SEI - Centro de

Leia mais

Palavras-Chave: PIBID, Formação Inicial de Professores, Ensino de Informática.

Palavras-Chave: PIBID, Formação Inicial de Professores, Ensino de Informática. DESAFIOS DO ENSINO DA INFORMÁTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES RESUMO Jéssyca Edly Messias Ribeiro (IFRN) jeh_edly@hotmail.com Jefferson Hernane da Silva

Leia mais

Soluções via.net para otimização de processos paramétricos com Autodesk Inventor.

Soluções via.net para otimização de processos paramétricos com Autodesk Inventor. Soluções via.net para otimização de processos paramétricos com Autodesk Inventor. Michel Brites dos Santos MAPData A parametrização quando possível já é uma forma de otimizar o processo de criação na engenharia.

Leia mais

Introdução ao Controlo Numérico Computorizado I Conceitos Gerais

Introdução ao Controlo Numérico Computorizado I Conceitos Gerais Introdução ao Controlo Numérico Computorizado I Conceitos Gerais João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca Bibliografia Controlo Numérico Computorizado, Conceitos Fundamentais Carlos Relvas Publindústria,

Leia mais

ITIL v3 - Operação de Serviço - Parte 1

ITIL v3 - Operação de Serviço - Parte 1 ITIL v3 - Operação de Serviço - Parte 1 É na Operação de Serviço que se coordena e realiza as atividades e processos necessários para fornecer e gerenciar serviços em níveis acordados com o usuário e clientes

Leia mais

4. Aplicações de Software

4. Aplicações de Software 1. Introdução 2. Sistemas de Fabrico 3. Actividades na Gestão do Processo Produtivo 4. Aplicações de Software 5. e-manufacturing 6. Conclusões Eduardo Tovar, Novembro 2002 20 Aplicações de Software (1)

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Engenharia Mecânica 9ª Série Fabricação Assistida por Computador A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de

Leia mais

DESENHO TÉCNICO AULA 01

DESENHO TÉCNICO AULA 01 DESENHO TÉCNICO AULA 01 INTRODUÇÃO Computação Gráfica A computação gráfica é a área da ciência da computação que estuda a transformação dos dados em imagem. Esta aplicação estende-se à recriação visual

Leia mais

CALDsoft7 - Software de planificação em caldeiraria

CALDsoft7 - Software de planificação em caldeiraria CALDsoft7 - Software de planificação em caldeiraria Calculando uma peça com o CALDsoft7 É muito simples calcular uma peça com o CALDsoft7, basta seguir os passos apresentados abaixo: - Escolher a peça

Leia mais

Cimatron Ferramentarias Usinagem

Cimatron Ferramentarias Usinagem Metalcam Há mais de 20 anos era fundada a empresa original do Grupo CMC de empresas de novas tecnologias. A vocação inovadora sempre esteve presente por meio de pesquisa e ambiente de desenvolvimento de

Leia mais

19 Congresso de Iniciação Científica CAPACITAÇÃO EM MODELAMENTO E MANUFATURA DE SÓLIDOS UTILIZANDO SISTEMA CAD/CAM

19 Congresso de Iniciação Científica CAPACITAÇÃO EM MODELAMENTO E MANUFATURA DE SÓLIDOS UTILIZANDO SISTEMA CAD/CAM 19 Congresso de Iniciação Científica CAPACITAÇÃO EM MODELAMENTO E MANUFATURA DE SÓLIDOS UTILIZANDO SISTEMA CAD/CAM Autor(es) FELIPE ALVES DE OLIVEIRA PERRONI Orientador(es) KLAUS SCHÜTZER Apoio Financeiro

Leia mais

Apostila da disciplina Introdução à Engenharia de Software Professor: Sandro Melo Faculdades São José Curso de Tecnologia de Sistemas de Informação

Apostila da disciplina Introdução à Engenharia de Software Professor: Sandro Melo Faculdades São José Curso de Tecnologia de Sistemas de Informação Capítulo 1: Software e Engenharia de Software O que é? E quem produz? Porque é importante? Quais são as fases? Qual o resultado? Como avaliar? Arcabouço: processo, conjunto de métodos e ferramentas. 1.1

Leia mais

1. Modelagem de Sistemas 1.1. Os Desenvolvedores de Sistemas podem Escolher entre Quatro Caminhos

1. Modelagem de Sistemas 1.1. Os Desenvolvedores de Sistemas podem Escolher entre Quatro Caminhos Sumário Modelagem de Processos Módulo 4 1. Modelagem de Sistemas 1.1. Os Desenvolvedores de Sistemas podem Escolher entre Quatro Caminhos M. Sc. Luiz Alberto lasf.bel@gmail.com Modelagem de Sistemas MP

Leia mais

Descrição do processo de priorização para tomada de tempos: Pesquisa ação em uma empresa job shop de usinados aeronáuticos.

Descrição do processo de priorização para tomada de tempos: Pesquisa ação em uma empresa job shop de usinados aeronáuticos. Descrição do processo de priorização para tomada de tempos: Pesquisa ação em uma empresa job shop de usinados aeronáuticos. Tatiana Sakuyama Jorge Muniz Faculdade de Engenharia de Guaratingüetá - Unesp

Leia mais

IMPACTOS DO USO X PERFIL DAS EMPRESAS E ANALISAR SEUS PROCESSOS DE GESTÃO DE PROJETOS

IMPACTOS DO USO X PERFIL DAS EMPRESAS E ANALISAR SEUS PROCESSOS DE GESTÃO DE PROJETOS IMPACTOS DO USO X PERFIL DAS EMPRESAS E ANALISAR SEUS PROCESSOS DE GESTÃO DE PROJETOS Vinicius Coutinho dos Santos BARBOSA (1); Michele Tereza Marques CARVALHO (2) (1) Campus Universitário Darcy Ribeiro

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA Sistema CAD/CAM para usinagem com recursos de robótica industrial por Alberto Fernández Alonso Monografia

Leia mais

Computer Aided Design (CAD)

Computer Aided Design (CAD) S07 Projeto auxiliado por computador Computer Aided Design (CAD) Desenho técnico Desenho auxiliado por computador Desenho artístico Tecnologias de manufatura Projeto Controle Manuseio Gerenciamento Projeto

Leia mais

Introdução à Engenharia

Introdução à Engenharia Introdução à Engenharia Modelagem e Simulação (Técnicas e Ferramentas Utilizadas) Edgar Brito Introdução Técnicas e ferramentas de modelagem e simulação, são utilizadas para facilitar e visualizar projetos

Leia mais

UNESP DESENHO TÉCNICO: Fundamentos Teóricos e Introdução ao CAD. Parte 3/5: Prof. Víctor O. Gamarra Rosado

UNESP DESENHO TÉCNICO: Fundamentos Teóricos e Introdução ao CAD. Parte 3/5: Prof. Víctor O. Gamarra Rosado UNESP UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE ENGENHARIA CAMPUS DE GUARATINGUETÁ DESENHO TÉCNICO: Fundamentos Teóricos e Introdução ao CAD Parte 3/5: 8. Projeções ortogonais 9. Terceira Vista 10. Tipos

Leia mais

A Importância do Desenho de Construção Mecânica e da Concepção e Fabrico Assistidos por Computador ao nível da Indústria Metalomecânica *

A Importância do Desenho de Construção Mecânica e da Concepção e Fabrico Assistidos por Computador ao nível da Indústria Metalomecânica * 1 A Importância do Desenho de Construção Mecânica e da Concepção e Fabrico Assistidos por Computador ao nível da Indústria Metalomecânica * José António Almacinha ** 1 Visão geral do problema Antigamente,

Leia mais

ORÇAMEMENTO RETIFICATIVO N.º1/2014

ORÇAMEMENTO RETIFICATIVO N.º1/2014 Conselho de Administração ORÇAMEMENTO RETIFICATIVO N.º1/ CT/CA-026/PT ÍNDICE I. INTRODUÇÃO A. Introdução geral B. Preços C. Receitas D. Despesas II. MAPA DE RECEITAS E DESPESAS RECAPITULATIVO III. MAPA

Leia mais

Aula 17 Projetos de Melhorias

Aula 17 Projetos de Melhorias Projetos de Melhorias de Equipamentos e Instalações: A competitividade crescente dos últimos anos do desenvolvimento industrial foi marcada pela grande evolução dos processos produtivos das indústrias.

Leia mais

FLUXO DE OTIMIZAÇÃO EM PROJETO DE INOVAÇÃO UTILIZANDO

FLUXO DE OTIMIZAÇÃO EM PROJETO DE INOVAÇÃO UTILIZANDO FLUXO DE OTIMIZAÇÃO EM PROJETO DE INOVAÇÃO UTILIZANDO FERRAMENTAS ESTATÍSTICAS EM CONJUNTO COM FORMULAÇÃO TEÓRICA Cristiano Marques de Oliveira 1 1 Delphi Automotive Systems E-mails: cristiano.m.oliveira@delphi.com

Leia mais

Estudo do Layout Ricardo A. Cassel Áreas de Decisão na Produção

Estudo do Layout Ricardo A. Cassel Áreas de Decisão na Produção Estudo do Layout Ricardo A. Cassel Áreas de Decisão na Produção Áreas de decisão Instalações Capacidade de Produção Tecnologia Integração Vertical Organização Recursos Humanos Qualidade Planejamento e

Leia mais

Instalações Máquinas Equipamentos Pessoal de produção

Instalações Máquinas Equipamentos Pessoal de produção Arranjo físico e fluxo Procedimentos de arranjo físico O arranjo físico (em inglês lay-out) de uma operação produtiva preocupa-se com o posicionamento dos recursos de transformação. Isto é, definir onde

Leia mais

Avaliação da Gestão da Infra-estrutura de Sistemas de Educação a Distância: a importância do ITIL

Avaliação da Gestão da Infra-estrutura de Sistemas de Educação a Distância: a importância do ITIL Avaliação da Gestão da Infra-estrutura de Sistemas de Educação a Distância: a importância do ITIL Paulo Cristiano de Oliveira 1, Maricel Karina López Torres 2, Carolina Schmitt Nunes 3, Marina Keiko Nakayama

Leia mais

Introdução à. Engenharia de Software. Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.

Introdução à. Engenharia de Software. Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu. "Antes de imprimir pense em sua responsabilidade e compromisso com o MEIO AMBIENTE." Engenharia de Software Introdução à Engenharia de Software Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Leia mais

O USO DE PROGRAMAS COMPUTACIONAIS COMO RECURSO AUXILIAR PARA O ENSINO DE GEOMETRIA ESPACIAL

O USO DE PROGRAMAS COMPUTACIONAIS COMO RECURSO AUXILIAR PARA O ENSINO DE GEOMETRIA ESPACIAL O USO DE PROGRAMAS COMPUTACIONAIS COMO RECURSO AUXILIAR PARA O ENSINO DE GEOMETRIA ESPACIAL Angélica Menegassi da Silveira UNIFRA Eleni Bisognin - UNIFRA Resumo: O presente artigo tem como objetivo apresentar

Leia mais

UM MODELO DE AVALIAÇÃO PARA DISCIPLINAS QUE ADOTAM TRABALHOS EM GRUPOS

UM MODELO DE AVALIAÇÃO PARA DISCIPLINAS QUE ADOTAM TRABALHOS EM GRUPOS UM MODELO DE AVALIAÇÃO PARA DISCIPLINAS QUE ADOTAM TRABALHOS EM GRUPOS Valério A. P. Salomon salomon@feg.unesp.br Universidade Estadual Paulista, Departamento de Produção Av. Ariberto Pereira da Cunha,

Leia mais

Utilização do NX CAD/CAM/CAE no projeto de componentes de cadeiras para escritório. Eng. Jeferson Antônio Gevinski Departamento de Engenharia

Utilização do NX CAD/CAM/CAE no projeto de componentes de cadeiras para escritório. Eng. Jeferson Antônio Gevinski Departamento de Engenharia Utilização do NX CAD/CAM/CAE no projeto de componentes de cadeiras para escritório Eng. Jeferson Antônio Gevinski Departamento de Engenharia 10 / 2013 Localização Centro de Distribuição São Paulo, SP Matriz

Leia mais

Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos

Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos Por Allan J. Albrecht Proc. Joint SHARE/GUIDE/IBM Application Development Symposium (October, 1979), 83-92 IBM Corporation, White Plains, New York

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CAD/CAM. Profº Emerson Oliveira Matéria: CAD/CAM emerson.oliveira@ifsc.edu.br Câmpus Joinville

INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CAD/CAM. Profº Emerson Oliveira Matéria: CAD/CAM emerson.oliveira@ifsc.edu.br Câmpus Joinville INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CAD/CAM Profº Emerson Oliveira Matéria: CAD/CAM emerson.oliveira@ifsc.edu.br Câmpus Joinville Etapas CAD/CAM Quando o sistema tem comunicação direta. CAD/CAM Quando

Leia mais

Diagrama lógico da rede da empresa Fácil Credito

Diagrama lógico da rede da empresa Fácil Credito Diagrama lógico da rede da empresa Fácil Credito Tabela de endereçamento da rede IP da rede: Mascara Broadcast 192.168.1.0 255.255.255.192 192.168.1.63 Distribuição de IP S na rede Hosts IP Configuração

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY MESTRADO EM ENGENHARIA MECÂNICA

SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY MESTRADO EM ENGENHARIA MECÂNICA i SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY MESTRADO EM ENGENHARIA MECÂNICA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS ESTRATÉGIAS DE FRESAMENTO 3 E 5 EIXOS PARA A FABRICAÇÃO DE MOLDES Adriano

Leia mais

Usinagem com Altíssima Velocidade de Corte

Usinagem com Altíssima Velocidade de Corte Capítulo 2 Revisão da Literatura Usinagem com Altíssima Velocidade de Corte 2.1. Aspecto Histórico A primeira sugestão de um trabalho com HSM foi feita por Salomon, em 1931, que propôs que existiria uma

Leia mais

Gerenciando o Ambiente Integrado CAD/CAM via W ou TC Anderson Gonçalves

Gerenciando o Ambiente Integrado CAD/CAM via W ou TC Anderson Gonçalves Gerenciando o Ambiente Integrado CAD/CAM via W ou TC Anderson Gonçalves Siemens Industry Software 2013. Todos os direitos reservados Decisões Mais Inteligentes, Melhores Produtos. Ambiente Integrado CAD/CAM

Leia mais

Engenharia de Software. Tema 1. Introdução à Engenharia de Software Profa. Susana M. Iglesias

Engenharia de Software. Tema 1. Introdução à Engenharia de Software Profa. Susana M. Iglesias Engenharia de Software Tema 1. Introdução à Engenharia de Software Profa. Susana M. Iglesias Sistemas Computacionais Automatiza ou apóia a realização de atividades humanas (processamento da informação)

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DOS PARÂMETROS DE UM MODELO DE BOMBA EM SISTEMAS DE BOMBEIO CENTRÍFUGO SUBMERSO

OTIMIZAÇÃO DOS PARÂMETROS DE UM MODELO DE BOMBA EM SISTEMAS DE BOMBEIO CENTRÍFUGO SUBMERSO OTIMIZAÇÃO DOS PARÂMETROS DE UM MODELO DE BOMBA EM SISTEMAS DE BOMBEIO CENTRÍFUGO SUBMERSO Ana Carla Costa Andrade 1, André Laurindo Maitelli 2, Carla Wilza Souza de Paula Maitelli 3 1 Universidade Federal

Leia mais

APLICATIVO CAD/CAM DEDICADO PARA UTILIZAÇÃO DE CICLOS DE USINAGEM DE TORNEAMENTO

APLICATIVO CAD/CAM DEDICADO PARA UTILIZAÇÃO DE CICLOS DE USINAGEM DE TORNEAMENTO 7º CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE FABRICAÇÃO 7 th BRAZILIAN CONGRESS ON MANUFACTURING ENGINEERING 20 a 24 de maio de 2013 Penedo, Itatiaia RJ - Brasil May 20 th to 24 th, 2013 Penedo, Itatiaia RJ

Leia mais

TÉCNICAS DE ESTIMATIVAS DE CUSTOS ANÁLISE POR PONTOS DE FUNÇÃO. Alessandro Kotlinsky Deise Cechelero Jean Carlos Selzer. Resumo

TÉCNICAS DE ESTIMATIVAS DE CUSTOS ANÁLISE POR PONTOS DE FUNÇÃO. Alessandro Kotlinsky Deise Cechelero Jean Carlos Selzer. Resumo TÉCNICAS DE ESTIMATIVAS DE CUSTOS ANÁLISE POR PONTOS DE FUNÇÃO Alessandro Kotlinsky Deise Cechelero Jean Carlos Selzer Resumo Este artigo descreve os conceitos gerais relacionados a técnica de Análise

Leia mais

A construção de um manual sobre a utilização dos modelos também poderá alavancar o uso das representações. Este conteria a explicação detalhada da

A construção de um manual sobre a utilização dos modelos também poderá alavancar o uso das representações. Este conteria a explicação detalhada da 6 Conclusões No âmbito do framework teórico da Engenharia Semiótica, este trabalho faz parte de um esforço conjunto para desenvolver ferramentas epistêmicas que apóiem a reflexão do designer durante o

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO

SISTEMA DE INFORMAÇÃO WESLLEYMOURA@GMAIL.COM SISTEMA DE INFORMAÇÃO ANÁLISE DE SISTEMAS O QUE É UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO? Sistema de Informação (SI) é uma sequência de instruções escritas para serem interpretadas por um computador

Leia mais

Por que você precisa da Orisol

Por que você precisa da Orisol Por que você precisa da Orisol Maquinário Orisol para fabricação de calçados: Globalização, conceito, tecnologia e benefícios. Fabricação e Globalização: A fabricação de calçados é uma tradição milenar

Leia mais

PROJETO ASSISTIDO POR COMPUTADOR DE UMA BANCADA DE TESTES DE ELEVADOR DE GRÃOS 1

PROJETO ASSISTIDO POR COMPUTADOR DE UMA BANCADA DE TESTES DE ELEVADOR DE GRÃOS 1 PROJETO ASSISTIDO POR COMPUTADOR DE UMA BANCADA DE TESTES DE ELEVADOR DE GRÃOS 1 Andrei Fiegenbaum 2, Ismael Barbieri Garlet 3, Angelo Fernando Fiori 4, Antonio Carlos Valdiero 5. 1 Projeto Institucional

Leia mais

Influência dos carregamentos dos estágios na forma do canal axial de um compressor axial de vários estágios

Influência dos carregamentos dos estágios na forma do canal axial de um compressor axial de vários estágios Anais do 12 O Encontro de Iniciação Científica e Pós-Graduação do ITA XII ENCITA / 2006 Instituto Tecnológico de Aeronáutica São José dos Campos SP Brasil Outubro 16 a 19 2006 Influência dos carregamentos

Leia mais

MANUFATURA ASSISTIDA POR COMPUTADOR

MANUFATURA ASSISTIDA POR COMPUTADOR MANUFATURA ASSISTIDA POR COMPUTADOR Prof. Isaac N. L. Silva Professor do Departamento de Engenharia Mecânica e Mecatrônica - PUCRS CNC O que são Tipos e Aplicações Fabricantes O que são Controle Numérico

Leia mais

MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Unidade III MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Sobre esta aula Ciclo de Vida de Sistemas Engenharia de Software Aplicações de Software Diagramação de Software Ciclo

Leia mais

Computer-Aided Drafting System

Computer-Aided Drafting System Introdução ao CAD Computer-Aided Drafting System Frederico Damasceno Bortoloti Adaptado de: Kai Tang 1 O que é um desenho técnico? Definição de desenho técnico (Encarta) Desenho preciso mostrando quantidades

Leia mais