UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA - UnB FACULDADE DE TECNOLOGIA - FT DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÊTRICA - ENE. 6ElQ~ ENE-UnB PLANEJAMENTO CURRICULAR.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA - UnB FACULDADE DE TECNOLOGIA - FT DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÊTRICA - ENE. 6ElQ~ ENE-UnB PLANEJAMENTO CURRICULAR."

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA - UnB FACULDADE DE TECNOLOGIA - FT DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÊTRICA - ENE 6ElQ~ ENE-UnB PLANEJAMENTO CURRICULAR para0 MESTRADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA - ÁREA DE TELECOMUNICAÇÕES ênfase em REDES DE COMUNICAÇÃO Dezembroj1996

2 ". ~ X~ )~'" ~"C~' EME-Unl N~,,_f_r '_t_ SUMÁRIO 1. INTRO D u çã O GRADE DE DISCIPLINAS DA ÊNFASE EM REDES DE COMUNICAÇÃO OUTRAS DISCIPLINAS DE INTERESSE DA ÊNFASE EM REDES DE COMUNICAÇÃO EXEMPLOS DE PROJETOS DE PESQUISA NA ÊNFASE REDES E DE PESQUISAS INTERDiSCIPLINARES Introdução A título de posicionar o desenvolvimento das redes de comunicação dentro da área de atuação do engenheiro eletricista, vale lembrar os seguintes aspectos: toda a área de redes de comunicação é alavanca da em processos e tecnologias de engenharia elétrica, especificamente de eletrônica, incluindo processamento de sinais, e de telecomunicações, de um modo genérico; a maioria dos foruns nacionais e internacionais ligados a redes de comunicação faz parte da estrutura de organismos tradicionalmente ligados à engenharia elétrica. Por exemplo, a padronização referente a redes locais foi e continua sendo promovida pelo IEEE - Institute of Electrical and Electronics Engineers. As técnicas, a arquitetura global, o modo de funcionamento, os mecanismos de gerência e segurança das grandes operadoras de redes mundiais de telecomunicações são objeto de padronização da [TU - International Telecommunications Union (reunião dos antigos ccrrr e CeIR), ISO - International Standards Organization, e organismos nacionais como a ANSI e a ABNT. Além disso, foruns privados, como ElA - Electronics Industries Association, TIA - Telecommunications Industries Association, ECMA, ETSI, determinam elementos básicos da estrutura de redes de comunicação, tais como o cabeamento, os conectores, a potência do sinal, a codificação, etc. todos os organismos citados (nacionais, internacionais, privados) são compostos primordialmente, como não poderia deixar de ser, por engenheiros eletricistas. Por tais razões, o Mestrado em Engenharia Elétrica, na área de telecomunicações, com ênfase em redes de comunicação, caracteriza-se por estar plenamente inserido dentro da engenharia elétrica, fato este que se reflete na grade de disciplinas proposta a seguir. UnB.FT.ENE.PLPOSG 12/12/96 PáS!. 2/5

3 o EME-una 2. Grade de Disciplinas da Ênfase em Redes de Comunicação o conjunto de disciplinas apresentado a seguir constitui uma proposta preliminár básica, ainda merecedora de discussão mais profunda. Algumas disciplinas vêm sendo criadas e outras vêm sendo propostas com o objetivo de formação de um núcleo representativo da ênfase em redes de comunicação. Nominalmente, a lista de disciplinas inclui: (proposta) (proposta) (já criada) Gerência de Redes (já criada) Segurança em Redes de Comunicação (proposta) Tópicos em Redes de Comunicação (proposta) Os sistemas de comunicação estão presentes em praticamente todos os equipamentos e sistemas resultantes da aplicação das técnicas de todas as ênfases de engenharia elétrica, a exemplo de automação bancária, comercial e industrial, controle e operação de sistemas de geração e distribuição de energia, etc. Por essa razão, do grupo de disciplinas acima, as 2 primeiras (Técnicas Avançadas de Redes e Arquitetura de Redes de Comunicação) são suficientemente genéricas de modo a possibilitar que mestrandos com outras ênfases (potência, controle, bem como outras ênfases em telecomunicações) possam cursá-las como parte de sua formação básica. 3. Outras Disciplinas de Interesse da Ênfase em Redes de Comunicação Do mesmo modo que os mestrandos de outras ênfases têm interesses em disciplinas de redes, mestrandos desta ênfase podem tirar proveito de disciplinas de outras ênfases, em especial as seguintes: Tópicos em Telecomunicações e Tópicos em Teleinformática, nos casos em que tais disciplinas apresentam assuntos mais próximos da ênfase em redes, a exemplo de probabilidade e teoria de filas Arquitetura de Computadores Digitais Processamento de Sinais Tópicos em Comunicações Óticas Informação e Codificação Criptografia e Segurança de Dados Transmissão Digital UnB.FT.ENE.PLPOSG 12/12/96 Páe.3/5

4 ., ~. ffm--~~.,, ~~.. rt~.. cn* ME-UnS Codificação Digital de Sinais Inteligência Artificial Fundamentos de Robótica 4. Exemplos de Projetos de Pesquisa na Ênfase Redes e de Pesquisas Interdisciplinares Os exemplos abaixo procuram apresentar possibilidádes de agrupamento das disciplinas citadas anteriormente, de modo a constituir a formação básica para diversos tipos de pesquisa no Mestrado de Engenharia Elétrica, com ênfase em redes: Pesquisa em Redes de Alta Velocidade Mais 3 disciplinas escolhidas entre: Gerência de Redes, Segurança em Redes de Comunicação, Tópicos em Telecomunicações, Tópicos em Teleinformática, Processamento de Sinais, Tópicos em Comunicações Óticas, Transmissão Digital, Tópicos em Redes de Comunicação. Pesquisa em Redes Óticas Mais 3 disciplinas escolhidas entre: Gerência de Redes, Segurança em Redes de Comunicação, Tópicos em Telecomunicações, Processamento de Sinais, Tópicos em Comunicações Óticas, Transmissão Digital, Tópicos em Redes de Comunicação. Pesquisa em Gerência de Redes Gerência de Redes Mais 3 disciplinas escolhidas entre: Interconexão de Redes, Segurança em Redes de Comunicação, Tópicos em Telecomunicações, Criptografia. e Segurança de Dados, Inteligência Artificial, Tópicos em Redes de Comunicação Pesquisa em Segurança de Redes Segurança em Redes de Comunicação UnB.FT.ENE.PLPOSG 12/12/96 Páí!.4/5

5 111, " rnrn 1!NE.Un8 tt Mais 3 disciplinas escolhidas entre: Interconexão de Redes, Gerência de Redes, Tópicos em Telecomunicações, Criptografia e Segurança de Dados, Inteligência Artificial, Tópicos em Redes de Comunicação Pesquisa em Modems de Alta Velocidade Mais 3 disciplinas escolhidas entre: Gerência de 'Redes, Segurança em Redes de Comunicação, Tópicos em Telecomunicações, Tópicos em Teleinformática, Processamento de Sinais, Tópicos em Comunicações Óticas, Tópicos em Redes de Comunicação,Transmissão Digital, Codificação Digital de Sinais Pesquisa em Redes de Aplicação Industrial Mais 3 disciplinas escolhidas entre: Processamento de Sinais, Segurança em Redes de Comunicação, Tópicos em Redes de Comunicação, Inteligência Artificial, Fundamentos de Robótica, Sistemas de Controle Discretos Pesquisa em Sistemas de Proteção Distribuídos Arquitetura de Computadores Mais 3 disciplinas escolhidas entre: Processamento de Sinais, Segurança em Redes de Comunicação, Tópicos em Sistemas de Potência, Inteligência Artificial, Teoria de Sistemas Lineares UnB.FT.ENE.PLPOSG 12/12/96 Pruz.5/5

6 rrm---- ~b. ENI!-UnB Disciplina: Tópicos em Redes de Comunicação - Tema: Segurança de Redes Justificativa: Constata-se na prática o aumento da utilização de redes de comunicação para transporte e tratamento de uma quantidade crescente de informações. Uma parte substancial dessas informações é cada vez mais crítica para as empresas, a sociedade e as pessoas. A perda, a destruição, a alteração e a falsificação de tais informações coloca em risco todas as aplicações e todos os usuários de redes. Isso leva à necessidade de integrar às redes de comunicação proteções específicas que respondem aos problemas relativos a falhas, acidentes, invasões, etc: que ameaçam as informações transportadas e tratadas. Tais proteções, em conjunto com métodos de planejamento, implantação, operação e avaliação de mecanismos e processos da segurança, constituem a domínio da segurança de redes, matéria abordada neste curso. O curso será ofertado pela primeira vez no Mestrado de Engenharia Elétrica e, por tal motivo, parece adequado tratá-lo no contexto de uma nova disciplina de Tópicos em Redes de Comunicação, de modo a permitir uma avaliação do interesse do mesmo para o citado Mestrado, levando a uma tomada de decisão sobre o interesse de criar uma disciplina permanente sobre a matéria abordada. Tópicos: Fundamentos de segurança em redes de comunicação: requisitos, componentes vulneráveis, ameaças, vulnerabilidades, propriedades da segurança; Técnicas de controle e proteção em redes de comunicação: criptografia, controle de acesso, técnicas de protocolos de rede, técnicas de aplicações de redes Gerência da segurança em redes de comunicação: detecção, análise e reação a eventos relativos à segurança Ementa: Fundamentos de segurança em redes de comunicação Requisitos de segurança em redes de comunicação Informações, operações e componentes dos sistemas em redes Propriedades da segurança: confidencial idade, integridade, disponibilidade Ameaças, vulnerabilidades e medidas de proteção Técnicas de controle e proteção em redes de comunicação Serviços de segurança autenticação de entidades e origem dos dados controle de acesso aos recursos da rede confidencialidade dos dados integridade dos dados não rejeição ou não repudiação Mecanismos de segurança criptografia assinatura numérica mecanismo de controle de acesso mecanismo de integridade dos dados troca de autenticação tráfego de desnorteamento controle de roteamento e barreiras (firewalls) UnB.FT.ENE.TOPRESEC 09/03/97 Tónicos em Redes/Sesruranca - Pál!. 1/2

7 . '. - ' ffirn-. ENe~ UnB " "7 notarização mecanismos genéricos: rótulos, segurança multinível, etc. Gerência da segurança em redes de comunicação Detecção e registro de eventos Análise e diagnóstico Reação a eventos e limitação de danos Reparação de problemas e reorganização das proteções Bibliografia.-... Pfleeger. Security in Computing. Prentice-Hall, 1989.' Davies & Price. Security for Computer Networks. Wiley, Garfinkel & Spafford. Practical Unix Security. O' Reilly, Ford. Computer Communications Security. Prentice-Hall, 'I ",..I-e,V-J- ~ ( e. v.j" \\ 5 o. '" J. 'N ~ "'"' k.. s S e O> r l~ :2":2 ecl. ~. N.,Ule;"uI'"S k.'s.5, r ","" ; c h (~S H ~ \ '-\: '. o o _ \ q ',o " -.4,col~ ~ L~<> """,,',, ) ( lo o.. I ~ "tuw.,t~~ ) T. "-s", \ \",,, ~""'"~.h "ta UnB. FT ENE. TOPRESEC 09/03/97 Tóoicos em Redes/Serruranca - Pá!!. 2/2

Meios Físicos de Comunicação

Meios Físicos de Comunicação Meios Físicos de Comunicação Aula 4 Cabeamento Estruturado Meios Físicos de Comunicação - Cabeamento Estruturado 1 Conteúdo Cabeamento Não Estruturado Normas Meios Físicos de Comunicação - Cabeamento Estruturado

Leia mais

Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Informação Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008

Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Informação Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008 REVISTA TELECOMUNICAÇÕES, VOL. 15, Nº01, JUNHO DE 2013 1 Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008 Valdeci Otacilio dos Santos

Leia mais

Desempenho. Processos. Processos. Gerente Apuração de dados. Avaliação. Avaliação. Avaliação. Planejamento. Implantação. Diagnóstico.

Desempenho. Processos. Processos. Gerente Apuração de dados. Avaliação. Avaliação. Avaliação. Planejamento. Implantação. Diagnóstico. NÍVEL DE ENSINO: Graduação CARGA HORÁRIA: 80h PROFESSOR-AUTOR: Rodrigo Gomes Lobo de Faria SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO FUNDAMENTOS DE APRESENTAÇÃO Desempenho O termo Segurança da Informação indica, em todos

Leia mais

Cabeamento Estruturado (CBE)

Cabeamento Estruturado (CBE) Cabeamento Estruturado (CBE) Prof. Tiago Semprebom Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina - Campus São José tisemp@sj.ifsc.edu.br 09 de Março de 2010 Prof. Tiago (IFSC) Cabeamento

Leia mais

Ementas Disciplinas Eletivas

Ementas Disciplinas Eletivas Ementas Disciplinas Eletivas INFORMÁTICA Administração de Redes CH: 60 h Créditos: 2.1.0 Pré-requisito(s): Redes de Computadores II Conceitos e políticas de administração de redes. Gerência de redes e

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA COMPUTAÇÃO 1 UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA COMPUTAÇÃO ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS (Orientações para a realização das APS dos Cursos de Engenharia

Leia mais

Arquiteturas de Redes Prof. Ricardo J. Pinheiro

Arquiteturas de Redes Prof. Ricardo J. Pinheiro Fundamentos de Redes de Computadores Arquiteturas de Redes Prof. Ricardo J. Pinheiro Resumo Arquiteturas de Redes Organizações de padronização Modelos de referência Modelo OSI Arquitetura IEEE 802 Arquitetura

Leia mais

DSCE FEEC - UNICAMP 1. 8. Normatização da Qualidade da Energia Elétrica

DSCE FEEC - UNICAMP 1. 8. Normatização da Qualidade da Energia Elétrica 8. Normatização da Qualidade da Energia Elétrica Introdução Existe uma tendência mundial em rediscutir as normas de âmbito nacional para se chegar a um consenso internacional. As iniciativas nesse sentido

Leia mais

1 Introdução O avanço da tecnologia viabilizou a implementação de comunicação em faixa larga ( broadband ) que possibilita o tráfego de grandes volumes de informação em altas taxas. Novas tecnologias vêm

Leia mais

Segurança na Internet

Segurança na Internet Março de 1998 Ari Frazão Jr. PAL0088 Índice: Parte A: Introdução Parte B: Situação Atual Parte C: Política de Segurança Parte D: Classificação dos Ataques Parte E: Ataques Mais Freqüentes Parte F: Vulnerabilidades

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro APT 30 APT30 Empresa FireEye divulgou no último domingo (12/04/2015) um relatório que detalha as operações de um grupo de ciberespionagem

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES MEMÓRIAS DE AULA AULA 1 APRESENTAÇÃO DO CURSO, HISTÓRIA, EQUIPAMENTOS E TIPOS DE REDES Prof. José Wagner Bungart CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Definição de Redes de Computadores e Conceitos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática Qualificação:

Leia mais

Modelo de Referência OSI. Modelo de Referência OSI. Modelo de Referência OSI. Nível Físico (1)

Modelo de Referência OSI. Modelo de Referência OSI. Modelo de Referência OSI. Nível Físico (1) Modelo de Referência OSI OSI (Open Systems Interconnection) Criado pela ISO (International Standards Organization) É um modelo abstrato que relaciona funções e serviços de comunicações em sete camadas.

Leia mais

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO 15.1.28. Sistemas Mecânica Escadas Rolantes

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO 15.1.28. Sistemas Mecânica Escadas Rolantes http://www.bancodobrasil.com.br 1 DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO 15.1.28 Sistemas Mecânica Escadas Rolantes Sumário 1. OBJETIVO... 2 2. CONDIÇÕES GERAIS... 2 3. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS... 4 4.

Leia mais

Fundamentos de Rede. Aula 01 - Introdução e Redes

Fundamentos de Rede. Aula 01 - Introdução e Redes Fundamentos de Rede Aula 01 - Introdução e Redes Contextualização Séculos XVIII e XIX - Revolução Industrial máquinas mecânicas, taylorismo, fábricas hierarquia, centralização da decisão, mainframes Séculos

Leia mais

Prof. Wilton O. Ferreira Universidade Federal Rural de Pernambuco UFRPE 1º Semestre / 2012

Prof. Wilton O. Ferreira Universidade Federal Rural de Pernambuco UFRPE 1º Semestre / 2012 Prof. Wilton O. Ferreira Universidade Federal Rural de Pernambuco UFRPE 1º Semestre / 2012 Da experiência obtida no projeto de redes, vários princípios, surgiram, possibilitando que novos projetos fossem

Leia mais

Plano Temático. 1. Introdução

Plano Temático. 1. Introdução Curso: Licenciatura en Informática Disciplina: Comunicação de Dados Código: Tipo: Nuclear Créditos: 6 = 130 horas (64 de contacto + 66 de estudo) Ano/ Semestre: 2º Ano / 3º Semestre Plano Temático 1. Introdução

Leia mais

Segurança total contra roubo de informações (Engenharia Social)

Segurança total contra roubo de informações (Engenharia Social) Segurança total contra roubo de informações (Engenharia Social) Meu nome é Cornélio Camargo Filho Atuo na área de Tecnologia da FMB. A Flash Memory Brasil (FMB) é especializada em soluções tecnológicas

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO CURRÍCULO PLENO BACHARELADO 1 CICLO/MÓDULO A Ciências Exatas I Cálculo Diferencial 06 0 06 120 Desenho Técnico 0 02 02 40 Física I Mecânica da Partícula 04 02

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular REDES DE COMPUTADORES Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular REDES DE COMPUTADORES Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular REDES DE COMPUTADORES Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Engenharia Informática 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2014. Qualificação: Técnico em informática

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2014. Qualificação: Técnico em informática Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC RODRIGUES DE ABREU Código: 135 Município: Bauru Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática Qualificação:

Leia mais

Departamento de Informática..:Engenharia Informática:. revisão para adequação ao processo de Bolonha

Departamento de Informática..:Engenharia Informática:. revisão para adequação ao processo de Bolonha Departamento de Informática.:Engenharia Informática:. revisão para adequação ao processo de Bolonha 1 Cursos 1 ciclo em Engenharia Informática 2 perfis 2 ciclo em Engenharia Informática 1 perfil 1 ciclo

Leia mais

EnsinoTécnicoIntegrado ao Médio.

EnsinoTécnicoIntegrado ao Médio. PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 EnsinoTécnicoIntegrado ao Médio. Código: 262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: FUND. DE REDES LOCAIS E REMOTAS Série: 2º Eixo

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO (PROENG) ASSESSORIA DE DESENVOLVIMENTO ASSESSORIA JURÍDICA

PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO (PROENG) ASSESSORIA DE DESENVOLVIMENTO ASSESSORIA JURÍDICA FORMULÁRIO DE ALTERAÇÃO DE EMENTAS CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MATRIZ(ES) CURRICULAR(ES): 2011 ALTERAÇÕES PASSAM A VIGORAR A PARTIR DO SEMESTRE: 2015.1 Banco de Dados I Estudo dos aspectos de modelagem

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2009.1A Atualizado em 10 de junho BRUSQUE de 2013 pela Assessoria (SC) de Desenvolvimento 2013 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ADMINISTRAÇÃO GERAL...

Leia mais

Sistemas de Informação. Profª Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Instrutora Cisco Networking Academy - UNISUL 2013

Sistemas de Informação. Profª Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Instrutora Cisco Networking Academy - UNISUL 2013 Sistemas de Informação Profª Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Instrutora Cisco Networking Academy - UNISUL 2013 Conjunto de Módulos Processadores (MP) capazes de trocar informações e compartilhar recursos,

Leia mais

Introdução à Criptografia

Introdução à Criptografia PLANO DAS DISCIPLINAS PROPOSTAS PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CRIPTOGRAFIA 2010 Introdução à Criptografia Ementa: Conceitos Básicos de Criptografia e segurança em rede: criptografia e segurança em

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO ALEXANDRE PINTO DE LARA CARLA EDUARDA ORLANDO DE MORAES DESENVOLVIMENTO DE EQUIPAMENTO DE CAPTURA

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO A disciplina aborda o estudo da área de Informática como um todo, e dos conceitos fundamentais,

Leia mais

Ementas Disciplinas Obrigatórias

Ementas Disciplinas Obrigatórias Ementas Disciplinas Obrigatórias INFORMÁTICA Algoritmos I Resolução de problemas e desenvolvimento de algoritmos: análise do problema, estratégias de solução e representação. Estruturação e modularização.

Leia mais

Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado

Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Histórico No início da década de 80 os sistemas Mainframe dominavam o mercado. Surgem os conceitos de "Networking"

Leia mais

ETE Barueri. Avaliação das Distorções Harmônicas e Fator de Potência

ETE Barueri. Avaliação das Distorções Harmônicas e Fator de Potência Soluções em Serviços Assistência Técnica Autorizada; Manutenção preventiva e corretiva de Fontes e UPS s; Start Up,Testes, Laudos e Treinamentos; Logística de movimentação de equipamentos; Avaliação das

Leia mais

Requisitos para Gestão de Requisitos no Desenvolvimento de Software que Utilizam Prática Ágeis

Requisitos para Gestão de Requisitos no Desenvolvimento de Software que Utilizam Prática Ágeis Requisitos para Gestão de Requisitos no Desenvolvimento de Software que Utilizam Prática Ágeis Abstract. Resumo. 1. Introdução Vinicius A. C. de Abreu 1 Departamento de Ciência da Computação - DCC Universidade

Leia mais

Rede Local - Administração Acesso Remoto

Rede Local - Administração Acesso Remoto Rede Local - Administração Acesso Remoto Formador: Miguel Neto (migasn@gmailcom) Covilhã - Novembro 16, 2015 Introdução Alguns dos serviços e dados das empresas devem estar apenas disponíveis dentro da

Leia mais

A segurança de informação é um tema cada vez mais atual nas organizações.

A segurança de informação é um tema cada vez mais atual nas organizações. Pós Graduação em Information Security Gestão - Pós-Graduações Com certificação Nível: Duração: 180h Sobre o curso A segurança de informação é um tema cada vez mais atual nas organizações. A competitividade

Leia mais

Classificação. Pela abrangência classificam-se as redes em três tipos: LAN s MAN s WAN s

Classificação. Pela abrangência classificam-se as redes em três tipos: LAN s MAN s WAN s Classificação Pela abrangência classificam-se as redes em três tipos: LAN s MAN s WAN s LAN s (Local Area Network) Ambiente de trabalho confinado; Meio de transmissão privativo; Alta velocidade (10,100,1000

Leia mais

Infra-Estrutura de Redes

Infra-Estrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Infra-Estrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Ementa 1 Apresentação

Leia mais

Carga Horária Total: 80 horas

Carga Horária Total: 80 horas COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E PRODUÇÃO DE TEXTOS Norma linguística padrão: padrões de comunicação e níveis de linguagem. Comunicação organizacional como estratégica essencial no âmbito empresarial. Instrumentos

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução Engenharia Engenhar Sistema Software Alguns Conceitos 1 Definição É a aplicação sistemática, disciplinada e com abordagem quantitativa para o desenvolvimento, operação

Leia mais

PROVA DISCURSIVA (P )

PROVA DISCURSIVA (P ) PROVA DISCURSIVA (P ) 2 Nesta prova que vale dez pontos, faça o que se pede, usando os espaços indicados no presente caderno para rascunho. Em seguida, transcreva os textos para as folhas de TEXTOS DEFINITIVOS

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES Eriko Carlo Maia Porto UNESA Universidade Estácio de Sá eriko_porto@uol.com.br Última revisão Julho/2003 REDES DE COMPUTADORES TOPOLOGIAS TOPOLOGIA Estrutura geral da rede: Conjunto de módulos processadores;

Leia mais

NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE ENSINANDO A PREVENIR, SALVAR E COMBATER INTRODUÇÃO Os trabalhos em eletricidade são potencialmente perigosos e anualmente são responsáveis por inúmeros acidentes fatais. Muitos destes acidentes poderiam

Leia mais

4084, 29/05/2013, 30/05/2013 PARECER CEE/PE Nº 54/2013-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM

4084, 29/05/2013, 30/05/2013 PARECER CEE/PE Nº 54/2013-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM INTERESSADA: ESCOLA POLITÉCNICA DE PERNAMBUCO POLI/UPE ASSUNTO: RENOVAÇÃO DE RECONHECIMENTO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA ELETROTÉCNICA RELATORA: CONSELHEIRA NELLY MEDEIROS DE CARVALHO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: DR. JÚLIO CARDOSO Código: 78 Município: Franca - SP Eixo Tecnológico: Controle e Processos Industriais Habilitação Profissional: Técnico em Eletrônica

Leia mais

Mecatrônica - o novo caminho da tecnologia 1

Mecatrônica - o novo caminho da tecnologia 1 Mecatrônica - o novo caminho da tecnologia 1 Para avaliar o significado da Mecatrônica, deve-se retroceder aos anos 70 no Japão, quando os japoneses, que até então consideravam diversas atividades independentes

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSUN nº 023/2013

RESOLUÇÃO CONSUN nº 023/2013 RESOLUÇÃO CONSUN nº 023/2013 Aprova a reestruturação curricular do Curso de Engenharia de Sistemas Digitais, incluindo a alteração da sua nomenclatura para Engenharia de Computação. O CONSELHO SUPERIOR

Leia mais

Tecnologia de Comando Numérico 164399

Tecnologia de Comando Numérico 164399 164399 Aula 2 Introdução à Automação da Manufatura Mecatrônica; Automação; Níveis de Automação; Tipos de Automação; Justificativas para automatizar; Justificativas para não automatizar; Prof. Edson Paulo

Leia mais

Normalização Conceitos & Atualização

Normalização Conceitos & Atualização Normalização Conceitos & Atualização Prof. Dr. Paulo Sérgio Marin, Engº. Engenheiro Eletricista marin@paulomarin.com São Paulo 17/10/2013 Minhas Credenciais Prof. Dr. Paulo Marin, Engº. Estudos de pós-doutorado

Leia mais

DISCIPLINA CRED CH PRÉ-REQUISITO 1ª FASE Algoritmos

DISCIPLINA CRED CH PRÉ-REQUISITO 1ª FASE Algoritmos CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO AUTORIZAÇÃO: Resolução nº 89/2007 CONSUNI RECONHECIMENTO: Decreto Estadual nº 858/2012 renovado pela Resolução CEE nº 3/2015 PERÍODO DE CONCLUSÃO: Mínimo:

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC : Formação Básica em Desenho Técnico Auxiliado por Computador

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC : Formação Básica em Desenho Técnico Auxiliado por Computador MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO. NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade. 1. Introdução. 2. Porque da importância da NR-10

BOLETIM TÉCNICO. NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade. 1. Introdução. 2. Porque da importância da NR-10 NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade 1. Introdução A Norma Regulamentadora n 10 é um documento que descreve um conjunto de procedimentos e requisitos para as atividades que envolvem

Leia mais

A Reestruturação da Licenciatura em Engenharia Informática de 2013. Junho de 2013

A Reestruturação da Licenciatura em Engenharia Informática de 2013. Junho de 2013 A Reestruturação da Licenciatura em Engenharia Informática de 2013 Junho de 2013 1. Introdução Como todas as grandes licenciaturas do IST, a Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores (LEIC)

Leia mais

OBJETIVO DO COMPONENTE CURRICULAR: Dar ao aluno uma visão sobre segurança e auditoria de sistemas, includindo estudo

OBJETIVO DO COMPONENTE CURRICULAR: Dar ao aluno uma visão sobre segurança e auditoria de sistemas, includindo estudo Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Tecnologia em Sistemas para Internet FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com RESUMO 1 COMUTAÇÃO DE CIRCUITOS Reservados fim-a-fim; Recursos são dedicados; Estabelecimento

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI de Desenvolvimento Gerencial - FATESG Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores

Faculdade de Tecnologia SENAI de Desenvolvimento Gerencial - FATESG Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Faculdade de Tecnologia SENAI de Desenvolvimento Gerencial - FATESG Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores PLANO DE ENSINO UNIDADE CURRICULAR Redes de Alta Velocidade ANO LETIVO ETAPA CARGA

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos Processo Planejamento, Ampliação e Melhoria da Rede Elétrica Atividade Planeja o Desenvolvimento da Rede Código Edição Data VR.-00.199 Folha 2ª 1 DE 6 08/07/09 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações

Leia mais

ROTEIRO DE AVALIAÇÃO PARA AUTORIZAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM PORT. MEC Nº 641/97

ROTEIRO DE AVALIAÇÃO PARA AUTORIZAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM PORT. MEC Nº 641/97 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICA DE ENSINO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE

Leia mais

PARECER CEE/PE Nº 39/2013-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM 22/04/2013 I - RELATÓRIO:

PARECER CEE/PE Nº 39/2013-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM 22/04/2013 I - RELATÓRIO: INTERESSADA: ESCOLA POLITÉCNICA DE PERNAMBUCO - POLI / UPE ASSUNTO: RENOVAÇÃO DE RECONHECIMENTO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO RELATORA: CONSELHEIRA NELLY MEDEIROS DE CARVALHO

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ANÁLISE, PROJETO E GERÊNCIA DE SISTEMAS

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ANÁLISE, PROJETO E GERÊNCIA DE SISTEMAS PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ANÁLISE, PROJETO E GERÊNCIA DE SISTEMAS Ementário 1 - Relações Interpessoais e Ética Profissional Carga Horária: 20h.a. Concepções sobre o Processo Inter-relacional no Trabalho;

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Gestão de SI- seção 4.4 Gestão da segurança da informação 1 Segurança Dados e informações devem estar bem guardadas e cuidadas Vulnerabilidades (externa e interna) Acesso sem autorização

Leia mais

PLANO DE ENSINO EMENTA

PLANO DE ENSINO EMENTA PLANO DE ENSINO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO LOCAL: Concórdia DISCIPLINA: Redes de Computadores CARGA HORÁRIA: 72hrs FASE: 4ª SEMESTRE: 2 ANO: 2015 PROFESSOR: Jackson Laskoski EMENTA Evolução das redes

Leia mais

CABEAMENTO ESTRUTURADO INTRODUÇÃO E HISTÓRICO. Professor Carlos Muniz

CABEAMENTO ESTRUTURADO INTRODUÇÃO E HISTÓRICO. Professor Carlos Muniz CABEAMENTO ESTRUTURADO INTRODUÇÃO O principal objetivo de um ambiente de rede é o compartilhamento de informações e recursos por várias máquinas com qualidade, eficiência, velocidade e segurança. Para

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Universidade Federal do Rio de Janeiro Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas Faculdade de Administração e Ciências Contábeis Biblioteconomia e Gestão de Unidades de Informação Fabrícia Sobral fabricia.protic@gmail.com

Leia mais

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. CRÉDITOS Obrigatórios: 172 Optativos: 8.

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. CRÉDITOS Obrigatórios: 172 Optativos: 8. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Pró-reitoria de Graduação - DAARG DRA - Divisão de Registros Acadêmicos Sistema de Controle Acadêmico Grade Curricular 30/01/2014-13:38:00 Curso : CIÊNCIA DA

Leia mais

ARTIGO TÉCNICO HZTEC 002-2011 NOVEMBRO DE 2011

ARTIGO TÉCNICO HZTEC 002-2011 NOVEMBRO DE 2011 ARTIGO TÉCNICO HZTEC 002-2011 NOVEMBRO DE 2011 TÍTULO: A ANÁLISE DE RISCOS DE PROCESSOS E INSTALAÇÕES COMO ELEMENTO BÁSICO DO GERENCIAMENTO DE RISCOS INDUSTRIAIS Por Eng.º Eduardo de Mello Schmitt * 1

Leia mais

Produtos do Inmetro - Metodologia dos Eixos Estruturantes do Grupo de Trabalho Permanente do Mdic (GTP APL)

Produtos do Inmetro - Metodologia dos Eixos Estruturantes do Grupo de Trabalho Permanente do Mdic (GTP APL) Produtos do - Metodologia dos Eixos Estruturantes do Grupo de Trabalho Permanente do Mdic (GTP APL) EIXO FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO Categoria Instituições Instrumento Descrição Como Acessar Formação (1) Formação

Leia mais

COERÊNCIA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO EM FACE DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS

COERÊNCIA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO EM FACE DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS COERÊNCIA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO EM FACE DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS O documento que serviu de base para a análise a seguir é o denominado "Diretrizes Curriculares

Leia mais

5 DISTRIBUIÇÃO DA TENSÃO DE CONTROLE/

5 DISTRIBUIÇÃO DA TENSÃO DE CONTROLE/ 1 OBJETIVO 2 NORMAS ADOTADAS 3 UNIDADES DE MEDIDA ADOTADAS 4 INSTRUMENTAÇÃO 5 DISTRIBUIÇÃO DA TENSÃO DE CONTROLE/ 6 INSTALAÇÃO DE INSTRUMENTOS 7 IDENTIFICAÇÃO E SIMBOLOGIA 1 OBJETIVO Este documento tem

Leia mais

BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL EaD UAB/UFSCar Expressão Gráfica para Engenharia NORMAS TÉCNICAS

BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL EaD UAB/UFSCar Expressão Gráfica para Engenharia NORMAS TÉCNICAS BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL EaD UAB/UFSCar NORMAS TÉCNICAS APOSTILA DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL DA UFSCar volume 3 Profª Sheyla Mara Baptista Serra Agosto de 2008 3 NORMAS TÉCNICAS Conhecer

Leia mais

FORMULÁRIO PARA CRIAÇÃO DE DISCIPLINA

FORMULÁRIO PARA CRIAÇÃO DE DISCIPLINA Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação Coordenadoria de Projetos e Acompanhamento Curricular Divisão de Pesquisa e Desenvolvimento Curricular FORMULÁRIO PARA CRIAÇÃO DE DISCIPLINA 1. Unidade

Leia mais

I SEMANA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA I JORNADA CIENTÍFICA E VI FIPA DO CEFET BAMBUÍ REGULAMENTO PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS

I SEMANA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA I JORNADA CIENTÍFICA E VI FIPA DO CEFET BAMBUÍ REGULAMENTO PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS I SEMANA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA I JORNADA CIENTÍFICA E VI FIPA DO CEFET BAMBUÍ REGULAMENTO PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS 1. DOS OBJETIVOS, CONCEITO E ORGANIZAÇÃO DO EVENTO 1.1 Este regulamento geral tem

Leia mais

Ementa: As Organizações; As pessoas; As pessoas e as organizações; Sistema de Administração de Recursos Humanos.

Ementa: As Organizações; As pessoas; As pessoas e as organizações; Sistema de Administração de Recursos Humanos. ASSOSSIAÇÃO EDUCACIONAL E TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA Ementa Tecnólogo em Gestão da Qualidade Departamento de Ensino Superior DISCIPLINA: Administração da Produção I Introdução e conceitos; Métodos de

Leia mais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Matemática Aplicada e Computação Científica ICMC-USP (São Carlos)

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Matemática Aplicada e Computação Científica ICMC-USP (São Carlos) 1) Histórico e Proposta do Curso Projeto Pedagógico do Bacharelado em Matemática Aplicada e Computação Científica ICMC-USP (São Carlos) O Bacharelado em Matemática Aplicada e Computação Científica (BMACC)

Leia mais

Rafael Galupo e Souza

Rafael Galupo e Souza Eng. Rafael Galupo Rafael Galupo e Souza Engenharia de produção mecânico Especialização em Eng. de Segurança do Trabalho MBA em Gestão Empresarial Perícia Trabalhista e Insalubridade Auditor e consultor

Leia mais

HORÁRIO DE PROVAS 1º semestre 2012

HORÁRIO DE PROVAS 1º semestre 2012 1º PERÍODO 1ª Bimestrais 26/03 Cálculo Diferencial e Integral I 28/03 Comunicação e Expressão 29/03 Lógica para Computação 30/03 Introdução à Computação 02/04 Geometria Analítica e Vetores 03/04 Física

Leia mais

Segurança de Redes. FUMEC Upgrade Ciência da Computação Márcio H. C. d Ávila 2001 / 1º Semestre. Sumário

Segurança de Redes. FUMEC Upgrade Ciência da Computação Márcio H. C. d Ávila 2001 / 1º Semestre. Sumário Segurança de Redes FUMEC Upgrade Ciência da Computação Márcio H. C. d Ávila 2001 / 1º Semestre Sumário Introdução a Segurança Vulnerabilidades, Ameaças e Ataques Criptografia Autenticação Segurança de

Leia mais

RESOLUÇÃO CA Nº 007/2006

RESOLUÇÃO CA Nº 007/2006 RESOLUÇÃO CA Nº 007/2006 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado em Engenharia da Computação, da Faculdade Independente do Nordeste, com alteração curricular adequada às Diretrizes Curriculares

Leia mais

INSTALAÇÕES DE AR CONDICIONADO

INSTALAÇÕES DE AR CONDICIONADO FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE AR CONDICIONADO PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL TÉCNICO 13 de março de 2008 FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE AR CONDICIONADO MEMORIAL TÉCNICO Memória Descritiva e Justificativa

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR DOS CURSOS DA FACULDADE DE TECNOLOGIA LOURENÇO FILHO (PIM I PIM II)

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR DOS CURSOS DA FACULDADE DE TECNOLOGIA LOURENÇO FILHO (PIM I PIM II) GUIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR DOS CURSOS DA FACULDADE DE TECNOLOGIA LOURENÇO FILHO (PIM I PIM II) FORTALEZA 2015 DA CONCEPÇÃO Os cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA. Plano de Ensino

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA. Plano de Ensino DISCIPLINA: Sinais e Sistemas CÓDIGO: MEE003 Validade: A partir do 1º semestre de 2009. Carga Horária: 5 horas-aula Créditos: 03 Área de Concentração / Módulo: Modelagem e Controle de Sistemas / Disciplinas

Leia mais

Curso Técnico em Redes de Computadores NORMAS PADRÕES E PROTOCOLOS

Curso Técnico em Redes de Computadores NORMAS PADRÕES E PROTOCOLOS Curso Técnico em Redes de Computadores NORMAS PADRÕES E PROTOCOLOS CONCEITUAÇÃO Norma Prática tornada obrigatória por entidades técnicas e/ou regulamentadoras. Padrão Prática recomendada e de ampla aceitação

Leia mais

Apresentação da Disciplina

Apresentação da Disciplina Apresentação da Disciplina Edmar José do Nascimento (Análise de Sinais e Sistemas - Semestre 2012.1) http://www.univasf.edu.br/ edmar.nascimento Universidade Federal do Vale do São Francisco Colegiado

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. Relação de Títulos Informação e Comunicação. Aprendizagem

EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. Relação de Títulos Informação e Comunicação. Aprendizagem EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Relação de s Informação e Comunicação Aprendizagem Código Capacitação 252 Administrador de Banco de Dados 253 Administrador de Redes 1195 Cadista 1291 Desenhista

Leia mais

02 REVISÃO 26.06.2013 Eng. Bruno Moreno Campos

02 REVISÃO 26.06.2013 Eng. Bruno Moreno Campos 02 REVISÃO 26.06.2013 Eng. Bruno Moreno Campos 01 REVISÃO 10.06.2009 Eng. Rommel / 26600/D-MG 00 EMISSÃO INICIAL, ATUALIZAÇÕES E SUBST.: GE.01/435.75/00894/02 21.08.2008 Eng. Rommel / 26600/D-MG Rev. Modificação

Leia mais

Capacitação de Recursos Humanos em Pesquisa e Desenvolvimento para o Setor de Tecnologia da Informação (CT-Info)

Capacitação de Recursos Humanos em Pesquisa e Desenvolvimento para o Setor de Tecnologia da Informação (CT-Info) Programa 0465 Sociedade da Informação Objetivo Universalizar o acesso e a inclusão de todos os brasileiros na sociedade da informação Justificativa Público Alvo Produtores e usuários do conhecimento, empresas

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO PROGRAMA DA DISCIPLINA INTRODUÇÃO À GASTRONOMIA DO CURSO DE NUTRIÇÃO DA UFRN

ORGANIZAÇÃO DO PROGRAMA DA DISCIPLINA INTRODUÇÃO À GASTRONOMIA DO CURSO DE NUTRIÇÃO DA UFRN ORGANIZAÇÃO DO PROGRAMA DA DISCIPLINA INTRODUÇÃO À GASTRONOMIA DO CURSO DE NUTRIÇÃO DA UFRN Annamaria Barbosa do Nascimento Nóbrega * A proposta inicial do trabalho foi a organização do Programa da Disciplina

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Belo Horizonte 01/2013 Página 1 de 13 PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA ESTÁGIO SUPERVISIONADO Ementa Atividades supervisionadas na área de atuação

Leia mais

PLANO DE CURSO MESTRADO PROFISSIONAL EM PODER LEGISLATIVO

PLANO DE CURSO MESTRADO PROFISSIONAL EM PODER LEGISLATIVO CÂMARA DOS DEPUTADOS Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento Programa de Pós-Graduação PLANO DE CURSO MESTRADO PROFISSIONAL EM PODER LEGISLATIVO DISCIPLINA MÉTODOS INFERENCIAIS Código: Carga

Leia mais

Experimente os números binários!

Experimente os números binários! Experimente os números binários! Fornecido pelo TryEngineering - Foco da lição A lição enfoca como funciona o código binário e aplicações do binário para engenheiros de computação. A lição oferece ao estudante

Leia mais

REGULAMENTO PROJETOS INTERDISCIPLINARES

REGULAMENTO PROJETOS INTERDISCIPLINARES REGULAMENTO PROJETOS INTERDISCIPLINARES 1 1. DAS CARACTERÍSTICAS DO PROJETO INTERDISCIPLINAR Trata-se de unidade curricular que compõe o processo curricular dos Cursos de Graduação que possuem tal componente

Leia mais

REGIMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO

REGIMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO Res. CONSUN nº 49/03, 10/12/03 Art. 1 o O presente documento objetiva fornecer as orientações

Leia mais

Rede PLC Power Line Conection

Rede PLC Power Line Conection Rede PLC Power Line Conection Por: Luiz Fernando Laguardia Campos Semana do Técnico Colégio PioXII Outubro 2008 Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina Rede PLC - Tópicos

Leia mais

Relatório técnico RT/PEICE-07/2009 Versão 01 de 11 ago 2009

Relatório técnico RT/PEICE-07/2009 Versão 01 de 11 ago 2009 1 AVALIAÇÃO DO CURSO INTENSIVO EERCI - ESTUDO DOS EFEITOS DA RADIAÇÃO EM CIRCUITOS INTEGRADOS E DESENVOLVIMENTO DE TÉCNICAS DE TOLERÂNCIA A FALHAS DE EFEITO TRANSIENTE 1. INTRODUÇÃO Odair Lelis Gonçalez

Leia mais

RELATÓRIO 3 CONJUNTO DE METADADOS DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA ENAP

RELATÓRIO 3 CONJUNTO DE METADADOS DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA ENAP RELATÓRIO 3 CONJUNTO DE METADADOS DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA ENAP Projeto básico sobre Repositório Digital: Definição da Arquitetura Informacional / Definição do Conjunto de Metadados / Definição

Leia mais

Apresentação do Programa da Disciplina. Discutir sobre a relevância das redes de computadores para a engenharia.

Apresentação do Programa da Disciplina. Discutir sobre a relevância das redes de computadores para a engenharia. FUNDAÇÃO UNVERSDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCSCO PLANO DE UNDADE DDÁTCA- PUD Professor: Edmar José do Nascimento Disciplina: REDE DE COMPUTADORES Carga Horária: 60 hs Semestre: 2012.1 Pág. 1 de 5 EMENTA:

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 Sociedade & Natureza Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 Introdução EVOLUÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL Passou por três grandes etapas: 1ª. Os problemas ambientais são localizados e atribuídos

Leia mais

SELEÇÃO DE TUTORES A DISTÂNCIA 2016.2 ANEXO I DISCIPLINA/PERFIL DO CANDIDATO/NÚMERO DE VAGAS/ CR VAGA= Vaga imediata CR = Cadastro de Reserva

SELEÇÃO DE TUTORES A DISTÂNCIA 2016.2 ANEXO I DISCIPLINA/PERFIL DO CANDIDATO/NÚMERO DE VAGAS/ CR VAGA= Vaga imediata CR = Cadastro de Reserva SELEÇÃO DE TUTORES A DISTÂNCIA 26.2 ANEXO I Grupo : Geometria e Números Complexos Construções Geométricas Geometria Plana Geometria Espacial Números Complexos Grupo 2: Matemática Financeira Matemática

Leia mais