Planta Genérica de Valores PGV. Novembro / 2009

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Planta Genérica de Valores PGV. Novembro / 2009"

Transcrição

1 Planta Genérica de Valores PGV Novembro / 2009

2 Base de Cálculo do IPTU IPTU - Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana. Base de Cálculo: valor venal do imóvel. Etimologicamente: venal = de venda de mercado

3 VALOR VENAL CONCEITO Valor Venal é aquele que o bem normalmente encontra para sua livre alienação e aquisição, em dinheiro e à vista. É a quantia mais provável pela qual se negociaria com conhecimento, prudência e sem compulsão um determinado bem, dentro das condições de mercado vigentes.

4 VALOR VENAL PREÇO O valor de mercado ou valor venal será sempre aquele valor que o bem obterá nas condições usuais de sua livre negociação, em dinheiro e à vista. Preço é a quantia em dinheiro que se paga por um bem. O preço não necessariamente coincide com o valor de mercado, visto que a alienação onerosa depende de condições pessoais do alienante e do adquirente e de circunstâncias momentâneas, que podem alterar o preço sem forçosamente modificar o valor do bem negociado.

5 Planta Genérica de Valores - PGV Metodologia legal para apuração genérica em massa dos valores venais dos imóveis no Município, que inclui: Listagem com os valores de metro quadrado de terreno por face de quadra Tabela dos valores de metro quadrado de construção por tipo-padrão (residências horizontais, apartamentos, lojas etc) Regras de apuração, com base nos dados cadastrais de cada imóvel

6 Valor Venal do Imóvel Base de Cálculo do IPTU VVI = VVT + VVC VVT = AT x VM²T x Fatores de Correção VVC = AC x VM²C x OBSOLESCÊNCIA Dados Cadastrais: AT e AC Fatores Definidos em Lei: Fatores de correção e Obsolescência Valores Unitários Definidos em Lei: VM²T e VM²C (PGV)

7 Valor m² de Construção Valor de Mercado (área útil área comum) Condomínios Verticais (Residenciais ou Comerciais) VVT x Fração Ideal Quanto mais unidades no condomínio, fica mais diluído o Valor do Terreno Participação do VM²T de aproximadamente 28% no valor total do IPTU VVC PGV utiliza Área Total

8 Valor m² de Construção Valor de Mercado (área útil área comum) Mercado Imobiliário utiliza Área Útil Mercado Imobiliário considera o valor do terreno embutido no valor da área útil Exemplo de mercado (retirado de jornal Estado de São Paulo): Vila Romana: R$ m² Pompéia: R$ m² Perdizes: R$ m² Pinheiros: R$ m²

9 IMPORTÂNCIA DA PGV Fotografia do mercado imobiliário; Possibilita promover a justiça tributária; Propicia a distribuição dos valores venais, conforme a capacidade contributiva dos munícipes; Referência para o próprio mercado.

10 MOTIVO DA NOVA PGV Corrigir distorções do valor venal dos imóveis, face a dinâmica e heterogeneidade do mercado imobiliário; A última revisão da PGV em São Paulo foi em 2001.

11 Tipos e Padrões de Construção Valores de Metro Quadrado de Construção

12 Isenções Imóveis construídos (exceto vagas de garagem) Até R$ ,04 Até R$ ,00 Imóveis residenciais de padrão baixo a médio Até R$ ,11 Até R$ ,00

13 Descontos para Imóveis Residenciais de Padrão Baixo a Médio De R$ ,12 a R$ ,22 De R$ ,01 a R$ ,00 Desconto de R$ ,04 Desconto de R$ ,00

14 Número de Contribuintes Isentos Isentos em 2009 Isentos em 2010 Variação ,4% Alíquotas Base Residencial Não residencial 1,0% 1,5%

15 Descontos e Acréscimos no Imposto Faixas de Valor Venal Residencial 2009 Desconto/Acréscimo até R$ ,91-0,2% acima de R$ ,91 até R$ ,84 0,0% acima de R$ ,84 até R$ ,68 +0,2% acima de R$ ,68 até R$ ,36 +0,4% acima de R$ ,36 +0,6% Faixas de Valor Venal Residencial 2010 Desconto/Acréscimo até R$ ,00-0,2% acima de R$ ,00 até R$ ,00 0,0% acima de R$ ,00 até R$ ,00 +0,2% acima de R$ ,00 até R$ ,00 +0,4% acima de R$ ,00 +0,6%

16 Descontos e Acréscimos no Imposto Não Residencial 2009 Faixas de Valor Venal Desconto/Acréscimo até R$ ,30-0,3% acima de R$ ,30 até R$ ,60-0,1% acima de R$ ,60 até R$ ,21 +0,1% acima de R$ ,21 +0,3% Não Residencial 2010 Faixas de Valor Venal Desconto/Acréscimo até R$ ,00-0,3% acima de R$ ,00 até R$ ,00-0,1% acima de R$ ,00 até R$ ,00 +0,1% acima de R$ ,00 +0,3%

17 Limite para o aumento do IPTU Residencial Não Residencial 40% 60% Objetivo: evitar oneração excessiva do contribuinte, tendo em vista o longo período entre esta e a última PGV (oito anos).

18 PGV 2010 ALTERAÇÕES DO IMPOSTO PREDIAL TOTAL DE IMÓVEIS PAGANTES NÃO PAGANTES SEM DESCONTO COM DESCONTO MANTIDOS GANHARAM ISENÇÃO JÁ NÃO TINHAM PERDERAM DESCONTO JÁ TINHAM GANHARAM DESCONTO TOTAL DE IMÓVEIS COM BENEFÍCIOS (51%)

19 PGV 2010 Percentuais de Não Pagantes (Predial) RESUMO Quantidade total de imóveis Quantidade total de não pagantes PR PJ LA BT FO CV PI SE VM ST IP JT MG MO PE AF VP EM MP IQ SM G IT CT ,9% CL SA JA Setores com maiores percentuais de não pagantes ,5% ,3% ,3% ,6% ,7% ,7% ,4% ,3% MB PA CS AD Não Pagantes por Setor 70,00% a 99,91% 56,00% a 70,00% 36,00% a 56,00% 20,00% a 36,00% 0 a 20,00% ,3% ,9% ,1%

20 Variações do Imposto Predial

21 Variações do IPTU Exemplos Setor Logradouro IPTU 2009 IPTU 2010 Variação 043 R. Dr. Gentil de Moura R$ 2.022,37 R$ 2.801,52 38,52% 025 Largo da Concórdia R$ ,00 R$ ,00 58,6% 025 R. Barão de Ladário R$ 224,40 R$ 507,70 126,2% 025 R. Sílvio Penteado R$ 1.248,00 R$ 1.257,00 0,7%

22 Exemplo Codlog Logradouro Vm2T_09 Vm2T_10 Setor Quadra R DOS GUSMOES 964, R DOS GUSMOES 964, R DOS GUSMOES 964, Setor Quadra Lote AT AC IPTU 09 IPTU 10 Var , ,64 13% , ,43 12% , ,16 18%

23 FIM

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Outubro 2013 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Setembro 2015 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Outubro 2015

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Outubro 2015 Estoque de Outorga Onerosa Residencial Outubro 2015 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na cidade

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Dezembro 2014

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Dezembro 2014 Estoque de Outorga Onerosa Residencial Dezembro 2014 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na cidade

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Março 2014

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Março 2014 Estoque de Outorga Onerosa Residencial Março 2014 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na cidade

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Julho 2014

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Julho 2014 Estoque de Outorga Onerosa Residencial Julho 2014 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na cidade

Leia mais

Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul

Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul LEI Nº 4.833 DE 10 DE DEZEMBRO DE 2009 DISPÕE SOBRE O IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO E SOBRE A TAXA DE COLETA, REMOÇÃO E DESTINAÇÃO DO LIXO PARA O EXERCÍCIO DE 2010, CONCEDE ISENÇÕES E DÁ OUTRAS

Leia mais

INFORMATIVO VALOR VENAL

INFORMATIVO VALOR VENAL INFORMATIVO VALOR VENAL IPTU 2012 ESCLARECIMENTOS SOBRE A NECESSIDADE DE ABERTURA OU NÃO DO PROCESSO DE IMPUGNAÇÃO DE VALOR VENAL SR. CONTRIBUINTE ANTES DE ABRIR PROCESSO, LEIA OS ESCLARECIMENTOS ABAIXO:

Leia mais

SEMINÁRIO: DISTRITALIZAÇÃO DE SÃO PAULO OS 21 ANOS DA DIVISÃO TERRITORIAL DA CIDADE. Câmara Municipal de São Paulo

SEMINÁRIO: DISTRITALIZAÇÃO DE SÃO PAULO OS 21 ANOS DA DIVISÃO TERRITORIAL DA CIDADE. Câmara Municipal de São Paulo SEMINÁRIO: DISTRITALIZAÇÃO DE SÃO PAULO OS 21 ANOS DA DIVISÃO TERRITORIAL DA CIDADE Câmara Municipal de São Paulo Cenário Histórico da Distritalização da cidade 1989 a 2012 Profa. Dra. Aldaiza Sposati

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 006/2010

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 006/2010 PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 006/2010 INSTITUI A PLANTA GENÉRICA DE VALORES DO MUNICÍPIO DEFINE CRITÉRIOS PARA LANÇAMENTO DO IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito

Leia mais

ANEXO - I. REF.: Processo nº 2013-0.128.991-0 Licitação na modalidade PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/SMSP/COGEL/2013.

ANEXO - I. REF.: Processo nº 2013-0.128.991-0 Licitação na modalidade PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/SMSP/COGEL/2013. ANEXO - I TERMO DE REFERÊNCIA REF.: Processo nº 2013-0.128.991-0 Licitação na modalidade PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/SMSP/COGEL/2013. Objeto: Celebração de ATA de Registro de Preço para fornecimento de Concreto

Leia mais

IPTU 2013 Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana

IPTU 2013 Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana IPTU 2013 Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana PERGUNTAS E RESPOSTAS 1 - Qual é a base de cálculo do IPTU? A base de cálculo do IPTU é o valor venal do imóvel. 2 - O que é valor venal?

Leia mais

2- Qual é o fato gerador? O fato gerador do IPTU é a propriedade predial e territorial, assim como o seu domínio útil e a posse.

2- Qual é o fato gerador? O fato gerador do IPTU é a propriedade predial e territorial, assim como o seu domínio útil e a posse. 1- O que é? O IPTU é um tributo que incide sobre a propriedade imobiliária, incluindo todos os tipos de imóveis residências, prédios comerciais e industriais, terrenos e chácaras de recreio. 2- Qual é

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2015

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2015 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2015 No mês de novembro, os valores médios observados caíram 0,1%, em relação ao mês anterior. No acumulado de 12 meses,

Leia mais

Cota única e 1ª parcela 11-05-2015. 2ª parcela 10-06-2015. 3ª parcela 10-07-2015. 4ª parcela 10-08-2015. 5ª parcela 10-09-2015. 6ª parcela 13-10-2015

Cota única e 1ª parcela 11-05-2015. 2ª parcela 10-06-2015. 3ª parcela 10-07-2015. 4ª parcela 10-08-2015. 5ª parcela 10-09-2015. 6ª parcela 13-10-2015 INFORMAÇÕES REFERENTE AO LANÇAMENTO DO IPTU 2015. O lançamento e forma de pagamento do IPTU do ano de 2015, foi regulamentado pelo Decreto nº 5.714/2015 Para fins de lançamento do Imposto Predial e Territorial

Leia mais

Art. 2º - A planta de que trata o artigo anterior não sofrerá nenhuma correção até o inicio de sua vigência em 1º de janeiro de 2012.

Art. 2º - A planta de que trata o artigo anterior não sofrerá nenhuma correção até o inicio de sua vigência em 1º de janeiro de 2012. LEI Nº 599/11, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2011. DISPÕE SOBRE A PLANTA DE VALORES DE TERRENO E TABELA DE PREÇOS DE CONSTRUÇÃO PARA COBRANÇA DO IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO NO EXERCICIO DE 2012 E DÁ OUTRA

Leia mais

LEI MUNICIPAL N.º 2.316/2014

LEI MUNICIPAL N.º 2.316/2014 LEI MUNICIPAL N.º 2.316/2014 SÚMULA: Aprova a Planta Genérica de Valores, para efeito de lançamento de IP- TU - Imposto Predial e Territorial Urbano, Taxas e Alvarás, e dá outras providências. A CÂMARA

Leia mais

Gestão social da valorização fundiária urbana

Gestão social da valorização fundiária urbana Gestão social da valorização fundiária urbana Audiência Pública PL n 5.015/2013 Ministério das Cidades Brasília, 20 de novembro de 2013 O que é a gestão social da valorização fundiária urbana? Ações e

Leia mais

CAMARA MUNICIPAL DE. Recebi em Q*>/\) \ C KJeidèS. Mayer Diritora de Planado e Apolo as Sessões

CAMARA MUNICIPAL DE. Recebi em Q*>/\) \ C KJeidèS. Mayer Diritora de Planado e Apolo as Sessões CAMARA MUNICIPAL DE Recebi em Q*>/\) \ C KJeidèS. Mayer Diritora de Planado e Apolo as Sessões ANTEPROJETO DE LEI N \23 \ J~ >J /2014 A^i ESTABELECE VALORES VENAIS DOS IMÓVEIS URBANOS QUE SERVIRÃO DE BASE

Leia mais

AÇÕES DE MELHORIA NA COBRANÇA DO IPTU E DO ITBI

AÇÕES DE MELHORIA NA COBRANÇA DO IPTU E DO ITBI AÇÕES DE MELHORIA NA COBRANÇA DO IPTU E DO ITBI SEGUNDO SEMINÁRIO DE GESTÃO E ARRECADAÇÃO MUNICIPAL AMM - 2014 PROFESSOR FRANCISCO RAMOS MANGIERI PALESTRANTE DA EMPRESA TRIBUTO MUNICIPAL WWW.TRIBUTOMUNICIPAL.COM.BR

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 12.882

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 12.882 Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 12.882 Regulamenta as normas relativas ao Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis ITBI, instituído pela Lei 3.571, de 24 de janeiro de 1989. O Prefeito Municipal de

Leia mais

FORMULAS PARA CÁLCULO DO VALOR VENAL DO IMÓVEL

FORMULAS PARA CÁLCULO DO VALOR VENAL DO IMÓVEL TABELA I CÁLCULO DO IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO - IPTU (FÓRMULA) FORMULAS PARA CÁLCULO DO VALOR VENAL DO IMÓVEL IT DESCRIÇÃO E M 01 Fórmula para cálculo do valor venal do imóvel VVI = VVT + VVE,

Leia mais

ANEXO I Especificações Técnicas

ANEXO I Especificações Técnicas ANEXO I Especificações Técnicas Edital de Pregão Eletrônico nº 05/SMSP/COGEL/2016 Processo nº 1. OBJETO 1.1 Registro de preços para fornecimento de cimento Portland a Prefeitura do Município de São Paulo;

Leia mais

Ênio Eurípedes da Cunha Prefeito Municipal

Ênio Eurípedes da Cunha Prefeito Municipal LEI Nº 527, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2009. Aprova a planta de valores de terreno e tabela de preços de construção para cobrança do imposto predial e territorial urbano no exercício de 2010, e dá outras providências.

Leia mais

Manual de Avaliação de Imóveis

Manual de Avaliação de Imóveis Versão 1.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor (es) 29/07/1989 1.0 Documento inicial João da Silva Assessoria de Tecnologia da Informação, 2008 Página 2 de 31 Assessoria de Tecnologia da Informação,

Leia mais

Revisão da Legislação das Áreas Industriais na AP-3 e AP-5

Revisão da Legislação das Áreas Industriais na AP-3 e AP-5 Avenida Brasil HISTÓRICO A partir de 1935 foram definidas zonas de ocupação mais específicas dentre as quais a Zona Industrial. A primeira zona industrial efetivamente delimitada foi a de São Cristóvão.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VESPASIANO LEI Nº 2.334/2009

PREFEITURA MUNICIPAL DE VESPASIANO LEI Nº 2.334/2009 LEI Nº 2.334/2009 APROVA TABELA DE VALORES PARA BASE DE CÁLCULO DO IPTU E TAXAS PARA O EXERCÍCIO DE 2010 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Povo do Município de Vespasiano, através de seus representantes na Câmara

Leia mais

IPTU: RECLAMAÇÃO E REVISÃO DO LANÇAMENTO

IPTU: RECLAMAÇÃO E REVISÃO DO LANÇAMENTO IPTU: RECLAMAÇÃO E REVISÃO DO LANÇAMENTO Elaborado em 02.2008. José Hable Auditor tributário da Secretaria de Fazenda do Distrito Federal, graduado em Agronomia pela UFPR, Administração de Empresas pela

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Município de Venâncio Aires LEI COMPLEMENTAR Nº 061, DE 18 DE SETEMBRO DE 2013 Estabelece as Plantas de Valores Genéricos do Perímetro Urbano do Município, para fins de apuração do Valor Venal de Imóveis; e altera dispositivos da

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES CONSÓRCIO DE IMÓVEIS GAZIN

DÚVIDAS FREQUENTES CONSÓRCIO DE IMÓVEIS GAZIN DÚVIDAS CONSÓRCIO DE IMÓVEIS 1. Posso adquirir mais de uma carta de crédito no consorcio de Imóveis? Sim, o consórcio lhe dá a possibilidade de adquirir mais de uma carta de crédito, mediante análise prévia,

Leia mais

Av. do CPA TABELA DO 1º AO 18º ANDAR -12 SALAS POR ANDAR FUNDO

Av. do CPA TABELA DO 1º AO 18º ANDAR -12 SALAS POR ANDAR FUNDO VALORES DA SALAS DE FRENTE FINAIS - 07-08 09-10 FINAL 07 (FRENTE) COM 60,826 M² 1º ao 4º 57.000,00 3.800,00 11.400,00 212.700,00 452.100,00 5º ao 8º 57.920,00 3.860,00 11.580,00 216.440,00 459.640,00 9º

Leia mais

Icaraí - Torre E Apartamentos Cobertura. Dolomitas - Torre D Apartamentos Cobertura

Icaraí - Torre E Apartamentos Cobertura. Dolomitas - Torre D Apartamentos Cobertura LEGENDA VENDIDOS EM 2015. VENDIDO LIVRE ESTOQUE DISTRATOS CARTA DE CRÉDITO Travertino - Torre A Travertino - Torre B 247,22 3 Dorms 1201 Carrara F Carrara G 220,48 438,73 4 Dorms 4 Dorms Duplex 1201 1201

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO GRAVIMÉTRICA E FÍSICO QUÍMICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

CARACTERIZAÇÃO GRAVIMÉTRICA E FÍSICO QUÍMICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO CARACTERIZAÇÃO GRAVIMÉTRICA E FÍSICO QUÍMICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO 1 ÍNDICE I. INTRODUÇÃO GERAL...5 1 APRESENTAÇÃO...6 2 INTRODUÇÃO GERAL DO RELATÓRIO...9 II. ESTUDO

Leia mais

PROGRAMA IDENTIDADE VERDE: CADASTRAMENTO E DIAGNÓSTICO DA ARBORIZAÇÃO URBANA

PROGRAMA IDENTIDADE VERDE: CADASTRAMENTO E DIAGNÓSTICO DA ARBORIZAÇÃO URBANA PROGRAMA IDENTIDADE VERDE: CADASTRAMENTO E DIAGNÓSTICO DA ARBORIZAÇÃO URBANA Eng. Agr. Rafael Golin Galvão SP-LA Unidade de Áreas Verdes PROGRAMA IDENTIDADE VERDE Inicio Polígono Piloto de Perdizes Subprefeitura

Leia mais

O que é o FGTS? Quem tem direito ao FGTS? Qual o valor do depósito?

O que é o FGTS? Quem tem direito ao FGTS? Qual o valor do depósito? O que é o FGTS? O FGTS - Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - é um fundo composto por depósitos bancários em dinheiro, compulsório, vinculado, realizado pelo empregador em favor do trabalhador, visando

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIANA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Gabinete do Prefeito

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIANA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 275/2014 Fixa os preços públicos dos serviços praticados pelas Secretarias Municipais para serviços públicos não-compulsórios, não submetidos à disciplina jurídica dos tributos, cuja natureza

Leia mais

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: CONSTRUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: CONSTRUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: CONSTRUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO Novembro de 2009 APRESENTAÇÃO DA PESQUISA Esta pesquisa é realizada pela Fundação IPEAD/UFMG com o apoio da Prefeitura Municipal

Leia mais

DECRETO Nº 34522 DE 3 DE OUTUBRO DE 2011.

DECRETO Nº 34522 DE 3 DE OUTUBRO DE 2011. DECRETO Nº 34522 DE 3 DE OUTUBRO DE 2011. Aprova as diretrizes para a demolição de edificações e relocação de moradores em assentamentos populares O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas

Leia mais

SPU 25/2/2003 ON-GEADE-004 ASSUNTO: AVALIAÇÃO TÉCNICA DE BENS IMÓVEIS DA UNIÃO OU DE SEU INTERESSE FUNDAMENTAÇÃO LEGAL:

SPU 25/2/2003 ON-GEADE-004 ASSUNTO: AVALIAÇÃO TÉCNICA DE BENS IMÓVEIS DA UNIÃO OU DE SEU INTERESSE FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: 25/2/2003 ON-GEADE-004 ASSUNTO: AVALIAÇÃO TÉCNICA DE BENS IMÓVEIS DA UNIÃO OU DE SEU INTERESSE MP FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: ART. 67 DO DECRETO LEI Nº 9.760, DE 5 DE SETEMBRO DE 1946 SPU SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO DE 2013

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO DE 2013 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO DE 2013 As pessoas que procuraram moradias para alugar em agosto de 2013 encontraram locações com valores mais altos em relação

Leia mais

São Paulo (SP) - MP dá prazo até sexta para empresas definirem se vendem Parque Augusta

São Paulo (SP) - MP dá prazo até sexta para empresas definirem se vendem Parque Augusta São Paulo (SP) - MP dá prazo até sexta para empresas definirem se vendem Parque Augusta Caso não haja negociação, promotor pode entrar com ação civil pública. Construtoras pretendem começar a erguer prédios

Leia mais

Revendo Procedimentos. Melanie Aparecida Luiz Vieira Gerente da Unidade de Arrecadação e Cobrança E-mail: melanie@joinville.sc.gov.

Revendo Procedimentos. Melanie Aparecida Luiz Vieira Gerente da Unidade de Arrecadação e Cobrança E-mail: melanie@joinville.sc.gov. Revendo Procedimentos e Evitando Sonegação Melanie Aparecida Luiz Vieira Gerente da Unidade de Arrecadação e Cobrança E-mail: melanie@joinville.sc.gov.br Fone: (47) 3431-3148 3148 / 3431-31553155 Agradecimentos

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO VERDE

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO VERDE PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº. 06, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2014. INSTITUI A PLANTA GENÉRICA DE VALORES PARA CÁLCULO DO IPTU E ITBI E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. FÁBIO SCHROETER, Prefeito Municipal de Campo Verde,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 7, de 7 de dezembro de 1973 1. Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI COMPLEMENTAR Nº 7, de 7 de dezembro de 1973 1. Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI COMPLEMENTAR Nº 7, de 7 de dezembro de 1973 1 O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Institui e disciplina os tributos de competência do Município. Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono

Leia mais

Lei nº 4.476/97 (com as alterações das Leis 4.557/97, 4.801/98, 5.464/02, 5.822/02, 6.528/05, 6.686/06, 6.688/06, 6.778/06, 6.926/07 e 6.

Lei nº 4.476/97 (com as alterações das Leis 4.557/97, 4.801/98, 5.464/02, 5.822/02, 6.528/05, 6.686/06, 6.688/06, 6.778/06, 6.926/07 e 6. Lei nº 4.476/97 (com as alterações das Leis 4.557/97, 4.801/98, 5.464/02, 5.822/02, 6.528/05, 6.686/06, 6.688/06, 6.778/06, 6.926/07 e 6.942/07) Dispõe sobre o Imposto Sobre a Propriedade Predial e Territorial

Leia mais

IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL

IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL Brasília, Novembro/ 2013 Unidade de Políticas Públicas NOTA TÉCNICA IMPACTOS DAS DISTORÇOES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL Este estudo

Leia mais

Serviços disponíveis no site como utilizá-los e principais aplicações

Serviços disponíveis no site como utilizá-los e principais aplicações Serviços disponíveis no site como utilizá-los e principais aplicações Urbanismo - Consulta de Referência Cadastral Digita-se o endereço ou quadra e lote do imóvel. O sistema então fornece o RC (inscrição)

Leia mais

CARTA DE GESTÃO Opportunity Fundo de Investimento Imobiliário

CARTA DE GESTÃO Opportunity Fundo de Investimento Imobiliário Prezado(a) investidor(a), É com satisfação que apresentamos o relatório do administrador do referente ao período de Janeiro e Junho de 2013. 1. Constituição, Objetivos e Início das Operações O foi constituído

Leia mais

ITBI no STJ e no STF

ITBI no STJ e no STF e no STF Alberto Macedo Auditor-Fiscal Tributário Municipal Presidente da 3ª Câmara do Conselho Municipal de Tributos de São Paulo Coordenador Científico do III EJUMT Bacharel, Mestre e Doutorando em Direito

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2015 5,3 3,8 3,5

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2015 5,3 3,8 3,5 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2015 No primeiro mês de 2015, os aluguéis registraram alta de 0,4%, comparado com o mês anterior. Considerando o comportamento

Leia mais

LEI Nº 9.074, DE 18 DE JANEIRO DE 2005. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 9.074, DE 18 DE JANEIRO DE 2005. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 9.074, DE 18 DE JANEIRO DE 2005 Dispõe sobre a regularização de parcelamentos do solo e de edificações no Município de Belo Horizonte e dá outras providências. O Povo do Município de Belo Horizonte,

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Agenda Dinâmica do Setor Imobiliário Estrutura Societária Modelo de Negócio Diferenciado Diversificação Geográfica e de Mercado Histórico de Resultado Operacional Futuros Projetos

Leia mais

PALESTRA - GERENCIANDO O IPTU NAS GRANDES CIDADES: A EXPERIÊNCIA DA CIDADE DE SÃO PAULO

PALESTRA - GERENCIANDO O IPTU NAS GRANDES CIDADES: A EXPERIÊNCIA DA CIDADE DE SÃO PAULO POTENCIAL DO IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE IMOBILIÁRIA PARA MOBILIZAÇÃO DA RECEITA MUNICIPAL SESSÃO 2 ESTRUTURAÇÃO DE SISTEMAS PROGRESSIVOS DE TRIBUTAÇÃO IMOBILIÁRIA PALESTRA - GERENCIANDO O IPTU NAS GRANDES

Leia mais

Construção e Comercialização

Construção e Comercialização 1 Construção e Comercialização Esta pesquisa fornece informações sobre o mercado de imóveis novos - construídos para vender. São apurados, mensalmente, os preços de oferta para venda à vista, a quantidade

Leia mais

Código Tributário do Município de Resende RJ

Código Tributário do Município de Resende RJ Código Tributário do RJ LEI COMPLEMENTAR Nº 00, DE 23 DE DEZEMBRO 203. CONSOLIDADO ATÉ 6/2/205 Com as alterações previstas nas Leis Complementares nº 002, de 20/05/204, nº 003, de 7/2/204, Lei Complementar

Leia mais

DECRETO Nº 51.627, DE 13 DE JULHO DE 2010

DECRETO Nº 51.627, DE 13 DE JULHO DE 2010 DECRETO Nº 51.627, DE 13 DE JULHO DE 2010 Aprova o Regulamento do Imposto sobre Transmissão Inter Vivos, a qualquer título, por ato oneroso, de bens imóveis, por natureza ou acessão física, e de direitos

Leia mais

PARA FINS TRIBUTÁRIOS

PARA FINS TRIBUTÁRIOS AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS PARA FINS TRIBUTÁRIOS RIOS SEMINÁRIO INTERNACIONAL O PAPEL DOS TRIBUTOS IMOBILIÁRIOS PARA O FORTALECIMENTO DOS MUNICÍPIOS Fortaleza/CE - Março/2006 Eng. Civil Carlos Etor Averbeck

Leia mais

EDITAL DE LEILÃO E INTIMAÇÃO LEILÃO DE IMÓVEIS - BANCO SANTANDER. 1º LEILÃO: 19/02/2016 - às 14:00hs.

EDITAL DE LEILÃO E INTIMAÇÃO LEILÃO DE IMÓVEIS - BANCO SANTANDER. 1º LEILÃO: 19/02/2016 - às 14:00hs. EDITAL DE LEILÃO E INTIMAÇÃO LEILÃO DE IMÓVEIS - BANCO SANTANDER 1º LEILÃO: 19/02/2016 - às 14:00hs. LOCAL: ON LINE. GIANCARLO PETERLONGO L. MENEGOTTO, Leiloeiro Oficial, devidamente autorizado pelo(a)

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 636, DE 13 DE JANEIRO DE 2010.

LEI COMPLEMENTAR Nº 636, DE 13 DE JANEIRO DE 2010. DIÁRIO OFICIAL DE PORTO ALEGRE Edição 3683 Quinta-feira, 14 de Janeiro de 2010 LEI COMPLEMENTAR Nº 636, DE 13 DE JANEIRO DE 2010. Institui o Programa Minha Casa, Minha Vida Porto Alegre altera o parágrafo

Leia mais

Macrolocalização... Principais Vias de Acesso... Microlocalização... Mapeamento do Entorno... O Terreno

Macrolocalização... Principais Vias de Acesso... Microlocalização... Mapeamento do Entorno... O Terreno Índice Macrolocalização... Principais Vias de Acesso... Microlocalização... Mapeamento do Entorno... O Terreno O Projeto Ficha Técnica... 8 Planialtimétrico... 9 IPTU e Certidão de Valor Venal... 10 Fotos...

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 02, DE 29 DE SETEMBRO DE 2015. ANEXO II Tabelas de Valores Referenciais

LEI COMPLEMENTAR Nº 02, DE 29 DE SETEMBRO DE 2015. ANEXO II Tabelas de Valores Referenciais LEI COMPLEMENTAR Nº 02, DE 29 DE SETEMBRO DE 2015. ANEXO II Tabelas de Valores Referenciais TABELA I Valores unitários do metro quadrado, dos fatores de valorização e desvalorização e das características

Leia mais

Plano Diretor Estratégico de São Paulo e Reflexos nos Negócios Imobiliários. Rodrigo Bicalho

Plano Diretor Estratégico de São Paulo e Reflexos nos Negócios Imobiliários. Rodrigo Bicalho Plano Diretor Estratégico de São Paulo e Reflexos nos Negócios Imobiliários Rodrigo Bicalho Objetivos do Plano Aproximar local de residência e trabalho Concentrar o adensamento nos eixos de transporte

Leia mais

DECRETO Nº 56.089, DE 30 DE ABRIL DE 2015

DECRETO Nº 56.089, DE 30 DE ABRIL DE 2015 Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo DECRETO Nº 56.089, DE 30 DE ABRIL DE 2015 Regulamenta dispositivos da Lei nº 16.050, de 31 de julho de 2014,

Leia mais

Prefeitura Municipal de Lagoa Santa

Prefeitura Municipal de Lagoa Santa CEP 33400-000 - ESTADO DE MINAS GERAIS LEI Nº 3.318, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 Dispõe sobre a implantação do Programa "Minha Casa, Minha Vida" - para famílias com renda entre 3 (três)e 6 (seis) salários

Leia mais

MEMORIAL DE INCORPORAÇÃO

MEMORIAL DE INCORPORAÇÃO MEMORIAL DE INCORPORAÇÃO EDIFÍCIO F17 RUA FIDALGA Nº 787 I - Localização do Terreno Rua Fidalga, onde existiam os prédios n s 775, 779, 783, 787 e 793, demolidos conforme Alvarás de Execuções de Demolições

Leia mais

Informação para quem vai comprar, construir ou reformar.

Informação para quem vai comprar, construir ou reformar. Informação para quem vai comprar, construir ou reformar. Última Alteração - Dez/2007 Guia SUA CASA Orientação para quem vai comprar ou construir casas, terrenos e apartamentos. Importante: Este guia oferece

Leia mais

residencial SANGIOVESE no Pantanal administração: Empreendimento à Preço de Custo Grupo Fechado (SPE)

residencial SANGIOVESE no Pantanal administração: Empreendimento à Preço de Custo Grupo Fechado (SPE) residencial SANGIOVESE no Pantanal administração: Empreendimento à Preço de Custo Grupo Fechado (SPE) Administração A NOVA atua em todas as etapas da cadeia de valor do empreendimento: captação do terreno,

Leia mais

AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS PELO MÉTODO EVOLUTIVO PARA EFEITO DE CÁLCULO DO IPTU, ESTUDO DE CASO DOS BAIRROS COMERCIÁRIO, MICHEL E SÃO LUIZ, CRICIÚMA-SC.

AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS PELO MÉTODO EVOLUTIVO PARA EFEITO DE CÁLCULO DO IPTU, ESTUDO DE CASO DOS BAIRROS COMERCIÁRIO, MICHEL E SÃO LUIZ, CRICIÚMA-SC. AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS PELO MÉTODO EVOLUTIVO PARA EFEITO DE CÁLCULO DO IPTU, ESTUDO DE CASO DOS BAIRROS COMERCIÁRIO, MICHEL E SÃO LUIZ, CRICIÚMA-SC. RESUMO Renier Tairon Perucchi (1), Evelise Chemale Zancan

Leia mais

Versão Comercial Agosto de 2010. Publicado em Outubro de 2010

Versão Comercial Agosto de 2010. Publicado em Outubro de 2010 Versão Comercial Agosto de 2010 Publicado em Outubro de 2010 Comercialização No mês de agosto foram analisados 12.951 imóveis destinados à comercialização. A participação de imóveis residenciais foi de

Leia mais

Vulnerabilidade em área de Risco: O que fazer? - CBCS 08/03/2010. CBCS - Vulnerabilidade em área de risco: O que fazer?

Vulnerabilidade em área de Risco: O que fazer? - CBCS 08/03/2010. CBCS - Vulnerabilidade em área de risco: O que fazer? CBCS - Vulnerabilidade em área de risco: O que fazer? PREFEITO GILBERTO KASSAB SECRETARIA DAS SUBPREFEITURAS 11.500 funcionários zelando pela cidade 31 subprefeituras ATUAÇÃO: Uso e ocupação do solo Obras

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA 2ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE CORNÉLIO PROCÓPIO-PR

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA 2ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE CORNÉLIO PROCÓPIO-PR EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA 2ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE CORNÉLIO PROCÓPIO-PR Autos nº. 0002843-32.2013.8.16.0075 CLAUDIO TROMBINI BERNARDO, brasileiro, casado, portador da cédula de identidade

Leia mais

O IPTU e a Planta Genérica de Valores

O IPTU e a Planta Genérica de Valores O IPTU e a Planta Genérica de Valores Em meados do século XIX, nos Estados Unidos, já era do conhecimento dos proprietários de terrenos a desvalorização do seu valor unitário na medida em que aumentava

Leia mais

saber popular e saber técnico o processo participativo democrático na construção de planos diretores

saber popular e saber técnico o processo participativo democrático na construção de planos diretores saber popular e saber técnico o processo participativo democrático na construção de planos diretores Paula Freire Santoro Profa. Dra. FAUUSP- Depto. Projeto Curitiba, 24 de setembro de 2014 Sumário 1 Exigências

Leia mais

CORINTHIANS 25% 32,88% SÃO PAULO 21% 22,00% PALMEIRAS 18% 14,63% SANTOS 5% 5,88% FLAMENGO 4% 2,25% NENHUM 24% 19,75%

CORINTHIANS 25% 32,88% SÃO PAULO 21% 22,00% PALMEIRAS 18% 14,63% SANTOS 5% 5,88% FLAMENGO 4% 2,25% NENHUM 24% 19,75% VILA LEOPOLDINA 1 CORINTHIANS 25% 32,88% SÃO PAULO 21% 22,00% PALMEIRAS 18% 14,63% SANTOS 5% 5,88% FLAMENGO 4% 2,25% NENHUM 24% 19,75% Fonte: DNA Paulistano Datafolha 2009. 2 Características Fonte: GeoSecovi

Leia mais

PERMUTA DE IMÓVEIS CONCEITO

PERMUTA DE IMÓVEIS CONCEITO PERMUTA DE IMÓVEIS CONCEITO Considera-se permuta toda e qualquer operação que tenha por objeto a troca de uma ou mais unidades imobiliárias, prontas ou a construir, por outra ou outras unidades imobiliárias,

Leia mais

MUNICÍPIO DE JUAZEIRO ESTADO DA BAHIA LEI COMPLEMENTAR Nº 003/2009

MUNICÍPIO DE JUAZEIRO ESTADO DA BAHIA LEI COMPLEMENTAR Nº 003/2009 Página 1 de 191 LEI COMPLEMENTAR Nº 003/2009 Institui o Código Tributário do Município de Juazeiro- BA e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE JUAZEIRO, Estado da Bahia, faço saber que a Câmara

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO Prefeitura Municipal de Mesquita GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO Prefeitura Municipal de Mesquita GABINETE DO PREFEITO CÓDIGO TRIBUTÁRIO LEI COMPLEMENTAR Nº 003 DE 29 DE DEZEMBRO DE 2003. Dispõe sobre o Código Tributário e de Rendas do Município de Mesquita, definindo sua Política Tributária e de Rendas, e dá outras providências.

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2015

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2015 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2015 Os aluguéis das casas e apartamentos no mês de maio permaneceram estáveis em relação aos valores de abril. Em relação

Leia mais

Análise das Tarifas e Progressividade da conta de água em 13 Estados brasileiros

Análise das Tarifas e Progressividade da conta de água em 13 Estados brasileiros Análise das Tarifas e Progressividade da conta de água em 13 Estados brasileiros Análise das Tarifas de Água OBJETIVO: O objetivo desse trabalho é comparar e analisar as tarifas de água cobradas em diversos

Leia mais

Art. CLT/2011 Art. Nova Lei Nova Lei 8º (tabela) 3º / º (tabela) 4º / º ao 8º / III-g e 20-I

Art. CLT/2011 Art. Nova Lei Nova Lei 8º (tabela) 3º / º (tabela) 4º / º ao 8º / III-g e 20-I Art. CLT/2011 Art. Nova Lei Nova Lei 8º (tabela) 3º 15.889/2013 10º (tabela) 4º 15.889/2013 17 6º ao 8º 15.889/2013 19-III-g e 20-I 15 15.889/2013 24 e 41 14 15.889/2013 30 (tabela) 5º 15.889/2013 60 11

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 13.305, DE 02 DE DEZEMBRO DE 2009. (publicada no DOE nº 232, de 03 de dezembro de 2009) Autoriza o Poder Executivo

Leia mais

IEC0001 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL

IEC0001 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL IEC0001 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA URBANA Profª Drª. Andreza Kalbusch Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil A área Engenharia Urbana dentro do curso de

Leia mais

REGULARIZAÇÃO E HABITE-SE DE OBRA UNIFAMILIAR

REGULARIZAÇÃO E HABITE-SE DE OBRA UNIFAMILIAR REGULARIZAÇÃO E HABITE-SE DE OBRA UNIFAMILIAR 3. CND - Certidão Negativa de Débitos ou Guia de quitação atual do IPTU ou Documento que comprove a isenção deste. 4. Contrato de Locação se o imóvel for alugado.

Leia mais

Í N D I C E S I S T E M Á T I C O CÓDIGO TRIBUTÁRIO E DE RENDAS DO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS - CTRMA

Í N D I C E S I S T E M Á T I C O CÓDIGO TRIBUTÁRIO E DE RENDAS DO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS - CTRMA 1 Í N D I C E S I S T E M Á T I C O CÓDIGO TRIBUTÁRIO E DE RENDAS DO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS - CTRMA DISPOSIÇÕES PRELIMINARES...13 LIVRO PRIMEIRO... 13 SISTEMA TRIBUTÁRIO E DE RENDA MUNICIPAL... 13 TÍTULO

Leia mais

16º CENSO DO MERCADO IMOBILIÁRIO DE PORTO ALEGRE IMÓVEIS NOVOS

16º CENSO DO MERCADO IMOBILIÁRIO DE PORTO ALEGRE IMÓVEIS NOVOS 16º CENSO DO MERCADO IMOBILIÁRIO DE PORTO ALEGRE IMÓVEIS NOVOS 1 INTRODUÇÃO EDIÇÃO 2013 A Comissão da Indústria Imobiliária (CII/SINDUSCON-RS) vem desenvolvendo desde 1998, através do Departamento de Economia

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRO MERCADO IMOBILIÁRIO

ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRO MERCADO IMOBILIÁRIO ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRO MERCADO IMOBILIÁRIO O estudo de viabilidade econômica para o setor de empreendimento imobiliário representa uma consultoria completa. Com ele será possível obter

Leia mais

CENTRO DE ATUALIZAÇÃO EM DIREITO - CAD UNIVERSIDADE GAMA FILHO

CENTRO DE ATUALIZAÇÃO EM DIREITO - CAD UNIVERSIDADE GAMA FILHO CENTRO DE ATUALIZAÇÃO EM DIREITO - CAD UNIVERSIDADE GAMA FILHO AVALIAÇÃO COLETIVA DE IMÓVEIS DA PREFEITURA DE BELO HORIZONTE: ANÁLISE E PERSPECTIVAS Ervio de Almeida Belo Horizonte 2009 2 CENTRO DE ATUALIZAÇÃO

Leia mais

Entorno do CEU Jambeiro SP / Guaianases

Entorno do CEU Jambeiro SP / Guaianases Entorno do CEU Jambeiro SP / Guaianases Av. Cupecê SP / Cidade Adhemar Av. Sapopemba SP / São Mateus Av. Sapopemba SP / São Mateus EMEI CLYCIE MENDES CARNEIRO SP-BT EMEI ALUISIO DE ALMEIDA SP-BT EMEI MARIA

Leia mais

SUBSTITUTIVO Nº 02 AO PROJETO DE LEI Nº

SUBSTITUTIVO Nº 02 AO PROJETO DE LEI Nº PUBLICADO DOC 30/11/2013, pág. 346 SUBSTITUTIVO Nº 02 AO PROJETO DE LEI Nº 711/2013 Atualiza os valores unitários de metro quadrado de construção e de terreno previstos na Lei nº 10.235, de 16 de dezembro

Leia mais

QUESTIONÁRIO DO ESTUDANTE

QUESTIONÁRIO DO ESTUDANTE Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Avaliação da Educação Superior Coordenação Geral do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO VIVO FIXO ILIMITADO EMPRESAS 2014

REGULAMENTO PROMOÇÃO VIVO FIXO ILIMITADO EMPRESAS 2014 REGULAMENTO PROMOÇÃO VIVO FIXO ILIMITADO EMPRESAS 2014 Válido para os Estados de RS, ES,MG, GO, PR, SC, BA, PE, CE, RN, PI, AP, MA, PA, DF, GO, MS, RR e AM, AC, MT, RJ, RO e TO Antes de participar da Promoção,

Leia mais

Figura 1 Foto Copan. Fonte: http://vadevintage.files.wordpress.com

Figura 1 Foto Copan. Fonte: http://vadevintage.files.wordpress.com EDIFÍCIO COPAN Figura 1 Foto Copan. Fonte: http://vadevintage.files.wordpress.com O Copan foi projetado no início da década de 1950 na cidade de São Paulo, tendo como autor o arquiteto Oscar Niemeyer.

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA. Prof. Local. Flavio Nicastro. flavio.nicastro@attatecnologia.com.br. 13-11-2013 aula 4

GESTÃO FINANCEIRA. Prof. Local. Flavio Nicastro. flavio.nicastro@attatecnologia.com.br. 13-11-2013 aula 4 GESTÃO FINANCEIRA Prof. Local Flavio Nicastro flavio.nicastro@attatecnologia.com.br 13-11-2013 aula 4 Avaliação de Ativos e Valor Presente. Dinâmica 1 Exercícios de Valor Presente e Valor Futuro 1) Joaquim

Leia mais

IPTU E ITBI CONSEQUÊNCIA NORMATIVA CRITÉRIO QUANTITATIVO: ASPECTOS POLÊMICOS RELEVANTES. Cintia Estefania Fernandes

IPTU E ITBI CONSEQUÊNCIA NORMATIVA CRITÉRIO QUANTITATIVO: ASPECTOS POLÊMICOS RELEVANTES. Cintia Estefania Fernandes IPTU E ITBI CONSEQUÊNCIA NORMATIVA CRITÉRIO QUANTITATIVO: ASPECTOS POLÊMICOS RELEVANTES Cintia Estefania Fernandes IPTU E ITBI CONSEQUÊNCIA NORMATIVA CRITÉRIO QUANTITATIVO BASE DE CÁLCULO IPTU E ITBI BASE

Leia mais

LAUDO DE AVALIAÇÃO N.º / 2014

LAUDO DE AVALIAÇÃO N.º / 2014 LAUDO DE AVALIAÇÃO N.º / 2014 Em atendimento à solicitação da...delegou-se ao engenheiro..., CREA- MG:.../D a incumbência de proceder a avaliação dos imóveis localizados na Rua Frei Orlando nº 360 e nº

Leia mais

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE COMUNICAÇÕES E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA MARINHA BOLETIM DE ORDENS E NOTÍCIAS Nº 121 DE 17 DE FEVEREIRO DE 2016

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE COMUNICAÇÕES E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA MARINHA BOLETIM DE ORDENS E NOTÍCIAS Nº 121 DE 17 DE FEVEREIRO DE 2016 MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE COMUNICAÇÕES E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA MARINHA BOLETIM DE ORDENS E NOTÍCIAS Nº 121 DE 17 DE FEVEREIRO DE 2016 BONO ESPECIAL GERAL CAIXA DE CONSTRUÇÕES DE CASAS PARA O

Leia mais

Estudo de Caso sobre o IPTU no Município de Porto Alegre: Equidade Avaliatória e Justiça Fiscal

Estudo de Caso sobre o IPTU no Município de Porto Alegre: Equidade Avaliatória e Justiça Fiscal Estudo de Caso sobre o IPTU no Município de Porto Alegre: Equidade Avaliatória e Justiça Fiscal Qual a justiça administrativa e de tributação existente nos Valores Venais Estimados, aplicados para fins

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA SECRETARIA DE PLANEJAMENTO -SEPLAN DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA EMISSÕES DE:

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA SECRETARIA DE PLANEJAMENTO -SEPLAN DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA EMISSÕES DE: DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA EMISSÕES DE: 1. ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO / AMPLIAÇÃO /REFORMA / REGULARIZAÇÃO de Deve ter os dados do proprietário, dimensões do lote e ser registrada em cartório. Será aceito dimensões

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ - SP DECRETO Nº 24.162, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ - SP DECRETO Nº 24.162, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012 DECRETO Nº 24.162, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012 MIGUEL HADDAD, Prefeito do Município de Jundiaí, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais e, em especial, ao que consta do art. 10 da Lei Municipal

Leia mais