Fatores de risco de adoecer dos trabalhadores de call center e as intervençoes de enfermagem 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fatores de risco de adoecer dos trabalhadores de call center e as intervençoes de enfermagem 1"

Transcrição

1 Fatores de risco de adoecer dos trabalhadores de call center e as intervençoes de enfermagem 1 1 Risk factors for sick workers call center and interventions of nursing 1 Los factores de riesgo para los trabajadores enfermos call center y las intervenciones de enfermería 1 Silva Hingrad Garcia 1, Rodrigues Laís Furtado Dias 2, Brasileiro Marislei Espíndula 3. Fatores de risco de adoecer dos trabalhadores de call center e as intervenções de enfermagem. Revista Eletrônica de Enfermagem do Centro de Estudos de Enfermagem e Nutrição [serial on-line] Available from: <http://www.ceen.com.br/revistaeletronica>. Resumo Objetivo: identificar os fatores de risco de adoecer dos trabalhadores de call center e as intervençoes de enfermagem. Materiais e Método: estudo do tipo exploratório, bibligráfico com análise integrativa, qualitativa da literatura disponível em bibliotecas convencionais e virtuais. Resultados: Identificou-se que a idade e o sexo são importantes fatores de risco para adoecimento, pois o maior público de trabalhadores na área de call center são jovens do sexo feminino e a principal causa de adoecimento analisada nos artigos estudados apontam como agente causador a pressão para o cumprimento de metas, a intensidade e duraçao de exigencias das ligações, bem como a irritabilidade com a operadora e o emocional do atentende que por sua vez funciona quase sempre como uma amálgama, misturando de forma negativa no que se refere a saúde emocional. Conclusão: Avaliando o contexo da realidade observada na vivência ativa do trabalhador call center, podemos concluir que a implementação de importantes intervenções de enfermagem podem contribuir com a saúde deste trabalhador influenciando de maneira positiva em seu bem estar biopsicofisiologico contribuindo também com a sua produção e assim resultando na melhoria da produtividade da empresa. Descritores: Enfermagem, Operador de telemarketing, Saúde do trabalhador, Teleoperadores, call center 1 Artigo apresentado ao Curso de Pós Graduação em Enfermagem do Trabalho, 15ª turma do Centro de Estudos de Enfermagem e Nutrição da Pontifícia Universidade Católica de Goiás. 1 Artigo apresentado ao Curso de Pós Graduação em Enfermagem do Trabalho, 15ª turma do Centro de Estudos de Enfermagem e Nutrição da Pontifícia Universidade Católica de Goiás. 1 Artigo apresentado ao Curso de Pós Graduação em Enfermagem do Trabalho, 15ª turma do Centro de Estudos de Enfermagem e Nutrição da Pontifícia Universidade Católica de Goiás. 4 Doutora FM/UFG, Enfermeira, Mestre em Enfermagem, Doutora PUC-Go, docente do CEEN,

2 2 Abstract Objective: To identify risk factors for sick workers call center and nursing interventions. Materials and Methods: an exploratory study, bibligráfico with integrative analysis, qualitative literature available in conventional and virtual libraries. Results: It was found that age and gender are important risk factors for illness, because most public workers in the call center are young females and the leading cause of illness in the analyzed articles studied point pressure as a causative agent for the achievement of goals, the intensity and duration of demands of connections as well as irritability with the operator and emotional atentende which in turn almost always works as an amalgam mixing negatively regarding emotional health. Conclusion: Evaluating the surrounding context of the reality observed in living active worker call center, we can conclude that the implementation of important nursing interventions can contribute to the health of the worker influencing in a positive way in their welfare biopsicofisiologico also contributing to its production and thus resulting in improved productivity. Keywords: Nursing, Telemarketing, Health worker, telemarketers, call center Resumen Objetivo: Identificar los factores de riesgo para los trabajadores enfermos Call Center y de enfermería intervenciones. Materiales y métodos: un estudio exploratorio, bibligráfico con análisis integrador, la literatura cualitativa disponible en las bibliotecas convencionales y virtuales. Resultados: Se encontró que la edad y el género son factores de riesgo importantes para la enfermedad, ya que los trabajadores más comunes en el centro de llamadas son las mujeres jóvenes y la principal causa de enfermedad en los artículos analizados estudiados presión del punto como agente causal de el logro de los objetivos, la intensidad y la duración de las demandas de las conexiones, así como irritabilidad con el operador y atentende emocional que a su vez casi siempre funciona como una amalgama mezclando negativamente sobre la salud emocional. Conclusión: La evaluación del contexto que rodea a la realidad observada en la sala de centro de llamadas activa de los trabajadores, podemos concluir que la aplicación de las intervenciones de enfermería importantes puede contribuir a la salud del trabajador que influyen de manera positiva en su biopsicofisiologico bienestar que contribuye a su producción y por lo tanto lo que resulta en una mayor productividad. Palabras clave: Enfermería, Telemarketing, trabajador de la salud, agentes de telemercadeo, call center

3 3 1 Introdução O interesse de fazer um estudo sobre os fatores de risco de adoecer dos trabalhadores de call center se deu ao vivenciar essa realidade. Observamos o quanto é estressante essa rotina, devido à necessidade de cumprir um maior numero de metas em um menor tempo e com o máximo de qualidade. E, na maioria das vezes, com clientes estressados, nervosos e falando palavras chulas. Tais situações repercutiam negativamente em nós, resultando em sobrecarga emocional, cognitiva e física, ou seja, em adoecimento precoce. O termo call center, do inglês, central de atendimento ou centro de chamadas (telefônicas), de acordo com o Anexo II da NR-17 1 call center são ambientes de trabalho onde a principal atividade é conduzida via telefone simultaneamente com terminais de computadores. Define ainda como trabalho de teleatendimento/ telemarketing a comunicação entre o atendente e o cliente a distancia, através de atendimento por voz ou por mensagens eletrônicas, juntamente com a utilização simultânea de equipamentos de audição/escuta e fala telefônica e sistemas informatizados ou manuais de processamento de dados. As principais funções do setor de call center ou contact center são a de operador, auditor, monitor, supervisor, coordenador de atendimento, gerente operacional, gerente de cobrança, gerente comercial e gerente de tecnologia. As empresas do setor, segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Telemarketing - Sintratel, têm vagas abertas todas às semanas devido à alta rotatividade, que gira em torno de 7% ao mês. Apesar dos dados brasileiros se mostrarem controversos e escassos, considera-se este setor o maior empregador na área de serviços 2. No ano de 2006 existiam cerca de 675 mil operadores de telemarketing no país. Dados do Sintelmark - Sindicato Paulista das Empresas de Telemarketing, Marketing Direto e Conexos indicam que atualmente o setor emprega 1,4 milhão de funcionários no Brasil ou seja, um crescimento de mais de 200%. Cerca de 550 mil operadores atuam em empresas terceirizadas, enquanto 850 mil trabalham em setores de call center próprios das empresas 3. Como em qualquer organização, o atendimento a clientes em call centers é feito por pessoas e para pessoas, com toda a sua complexidade associada e envolvendo capacidades, emoções, problemas e necessidades 4. A atividade do operador de call center requer um minucioso controle do tempo falado, gravação e monitoração das ligações, e acompanhamento de um script previamente produzido e memorizado, o que resulta no surgimento de fatores relacionados ao conflito e a falta de autonomia 5. As sujeições à pressão no interior das empresas de teleatendimento são frequentes e ocorrem tanto no plano individual quanto no coletivo. A pressão para o cumprimento das metas e a atuação direta da supervisão configuram a gradual insuportabilidade das condições

4 de trabalho para muitos operadores 6. E não só a quantidade, mas a intensidade e a duração de exigências das ligações tendem a influenciar as posturas emocionais do atendente. 4 Estudos mostram a existência de elevada sobrecarga emocional e física no trabalho dos operadores de telemarketing, além de uma tendência à subestimação dos fatores de risco presentes nestes ambientes 7. Diante deste quadro, diversas entidades sindicais e associações de trabalhadores procuraram o Ministério do Trabalho e Emprego no decorrer dos últimos anos buscando apoio e ações de fiscalização para atender às queixas relativas aos sofrimentos dos trabalhadores - condições de trabalho inaceitáveis, salários baixos e discriminações diversas 8. O estilo de vida impostos por esse tipo de trabalho contribui para o estilo que os operadores levam suas vidas; a doença resulta não só do esforço físico, mas também pelo esforço mental. Os principais motivos de desligamentos dos trabalhadores às empresas de call center devem-se à saturação da atividade, adoecimento e escolha por um curso de formação. Evidenciou-se que números de ligações monitoradas e de forma rápida dificultam o trabalho e contribuem para agravar o sistema neuropsíquico. Dessa forma aumenta os níveis de estresse e consequentemente influencia no consumo alimentar e no estado nutricional dos indivíduos. O estilo de vida sedentária, juntamente com o estilo de alimentação inadequada dos trabalhadores, contribui para aumentar o índice de obesidade e consequentemente o aparecimento de doenças cardiovasculares e outras doenças crônicas como diabetes mellitus, distúrbios no sono, doenças gastrointestinais e doenças crônicas degenerativas não transmissíveis 9. Neste cenário, destaca-se a atuação do profissional Enfermeiro atuando junto à equipe de saúde ocupacional de modo a promover a saúde, na prevenção de doenças e acidentes decorrentes de atividades laborais, manutenção da saúde e bem estar físico e mental, recuperação de lesões e doenças ocupacionais, no ensino da saúde e gestão de casos de segurança. Diante do exposto acima, e considerando-se a existência de agravos orgânicos, psíquicos e emocionais nos operadores de telemarketing, surge a questão central: quais os fatores de risco de adoecer e as principais patologias presentes nos trabalhadores de call center? Quais as intervenções do enfermeiro do trabalho nesse processo? Assim, esse trabalho justifica-se em decorrência da presença constante de queixas e sintomas de estresse e o alto absenteísmo nestes ambientes laborais, evidenciado desgastes resultantes das regulações cognitivas, altas exigências afetivas e psíquicas Tal situação configura-se como um problema de saúde pública e que representa um grande impacto no mundo atual. Justifica-se ainda pelo aumento do número de trabalhadores de call center nos últimos anos e sua repercussão econômica para o país.

5 5 Se o trabalho torna-se fonte de adoecimento físico ou psiquico há que se verificarem as causas desse rompimento e resgatar a saude da relação trabalho-trabalhador ou encontrar mecanismos suficientemente habeis para que se possa conviver com as rupturas. A preservação da saúde dos trabalhadores, portanto, é um direito fundamental e de natureza intrisecamente coletiva 5. 2 Objetivos Analisar o perfil dos operadores de telemarketing no Brasil, segundo revisão da literatura brasileira, identificando os fatores de risco de adoecer, as principais patologias, bem como as intervençoes de enfermagem para a prevenção e promoção da saúde destes trabalhadores. 3 Materiais e Métodos Trata-se de um estudo do tipo bibliográfico, exploratório e descritivo. Por meio da análise da literatura publicada é possível traçar um quadro teórico e fazer uma estruturação conceitual que dará sustentação ao desenvolvimento da pesquisa. A revisão de literatura resulta do processo de levantamento e análise do que já foi publicado sobre o tema e o problema de pesquisa escolhidos. Permite um mapeamento de quem já escreveu e o que já foi escrito sobre o tema e/ou problema da pesquisa 10. A revisão de literatura/pesquisa bibliográfica contribui para obter informações sobre a situação atual do tema ou problema pesquisado; conhecer publicações existentes sobre o tema e os aspectos que já foram abordados e verificar as opiniões similares e diferentes a respeito da temática ou de aspectos relacionados à mesma ou ao problema de pesquisa 10. Os dados foram coletados de fevereiro a abril de 2013, sendo o período de leitura e agrupamento de maio a julho de Foram utilizados como objeto de estudo artigos científicos de base de dados virtual SCIELO e LILACS, com os seguintes descritores: Enfermagem, Operador de telemarketing, Saúde do trabalhador. A busca foi realizada em textos em português e inglês e foram selecionadas 10 referências para os resultados, subdivididos em 6 artigos científicos, 3 dissertações de mestrado e 1 trabalho de conclusão de curso. Realizada a leitura exploratória e seleção do material, principiou a leitura analítica, por meio da leitura das obras selecionadas, que possibilitou a organização das idéias por ordem de importância e a sintetização destas que visou a fixação das idéias essenciais para a solução do problema da pesquisa.

6 6 Após a leitura analítica, iniciou-se a leitura interpretativa que tratou do comentário feito pela ligação dos dados obtidos nas fontes ao problema da pesquisa e conhecimentos prévios. Na leitura interpretativa houve uma busca mais ampla de resultados, pois ajustaram o problema da pesquisa a possíveis soluções. Feita a leitura interpretativa se iniciou a tomada de apontamentos que se referiram a anotações que consideravam o problema da pesquisa, ressalvando as ideias principais e dados mais importantes. Os artigos da revisão são do ano de 2004 a Não se encontrou material publicado em 2012 ou 2013, em língua portuguesa. Como critério de exclusão: artigos que fogem ao tema e aqueles com data de publicação anterior ao ano de 2003 e ainda aqueles com publicações referentes à realidade estrangeira. A seguir, os dados apresentados foram submetidos à análise de conteúdo, por meio de categorias. Posteriormente, os resultados foram discutidos com o suporte de outros estudos provenientes de revistas científicas e livros, para a construção do relatório final e publicação do trabalho no formato Vancouver. 4 Resultados e Discussão Após a leitura exploratória dos textos selecionados, foi possível identificar a visão de diversos autores sobre o perfil dos trabalhadores de call center e os fatores de risco de adoecer destes profissionais. E a partir destas informações, propor medidas para a atuação da enfermagem na prevenção dos agravos. adoecimento Perfil dos trabalhadores de Call Center e os fatores de risco que levam ao Dos dez textos analisados, oito trazem informações sobre o perfil sóciodemográfico dos trabalhadores de call center, conforme é possível verificar nas falas dos autores abaixo: Um estudo realizado em Santa Catarina no ano de 2009 para caracterização do estresse organizacional em call center identificou que 90% dos participantes eram do sexo feminino com média de idade de 26 anos. (...) 58% dos participantes eram solteiros e 69% dos mesmos possuem nível superior completo ou em curso 11. Em acordo com essa ideia, pesquisa realizada em São Paulo no ano de 2009 mostra que... 86,6% eram do sexo feminino. A maioria das mulheres estava na faixa etária até 29 anos. Em termos de escolaridade, a maioria das mulheres declarou escolaridade em nível médio e a maioria dos homens em nível superior. 12 A pesquisa realizada em São Paulo no ano 2006 diz que... Os dados sóciodemográficos mostraram a presença de trabalhadores jovens, sendo que entre os

7 operadores, 100% tinham entre 18 e 23 anos. Em relação ao gênero, ocorreu o predomínio de mulheres O estudo realizado no ano de 2004 em São Paulo Trata-se de uma população de mulheres trabalhadoras jovens, com idade variando de 20 a 30 anos, havendo predomínio de solteiras, com escolaridade distribuída entre o Ensino Médio e curso superior incompleto. 14 O SINTEL de Minas Gerais no ano de 2006 realizou um estudo sobre as percepções das condições de trabalho e saúde no setor de teleatendimento em que (...) população predominantemente jovem, 70,7% (...) até 26 anos de idade. São também em sua maioria mulheres (2/3 da população). A maioria, 63%, tem o ensino médio completo. 15 O novo perfil sócio-ocupacional que se desenha para esse segmento do mercado de trabalho está relacionado com as transformações no trabalho e no emprego, em que há a necessidade de um grau elevado de escolarização, como o ensino médio e o uso de tecnologias de informação e comunicação 16. Identificou-se um perfil similar, sendo a população composta principalmente por mulheres, jovens, solteiras, com ensino médio completo e cursando o ensino superior. Não houve maior correlação do perfil sóciodemográfico da população estudada com o predomínio de fatores de riscos para o desenvolvimento de doenças ocupacionais exceto para a variável sexo. Isso porque para muitos jovens, a profissão de operador de telemarketing caracteriza-se com um trabalho transitório apenas para auxiliar no custeio dos estudos, e sem maiores oportunidades de crescimento. O estudo sobre a caracterização do estresse organizacional em call center, realizado em Santa Catarina no ano de 2009 Percebe-se uma grande rotatividade no setor visto que 90% dos participantes trabalham na organização há no máximo 5 anos. 11 De acordo com o Instituto Nacional de Câncer INCA, o termo risco é usado para definir a chance de uma pessoa sadia, exposta a fatores ambientais ou hereditários, adquirir uma doença 17. Os estudos analisados apontam a presença de inúmeros fatores de risco no ambiente de call center, relacionados à estrutura física, organizacional e da própria relação teleatendente teleusuário. Dos dez artigos estudados, três apontam a prevalência de estresse nos teleoperadores. Considerando que o mesmo pode ser classificado como nível baixo, médio e alto, observou-se a prevalência do nível médio de estresse nas populações estudadas.

8 8 Caracterização do estresse organizacional em call center foi um estudo feito em Canta Catarina no ano de 2009 observou-se...os fatores intrínsecos ao trabalho, o barulho, a jornada de trabalho insuficiente e inadequada e a remuneração recebida pela atividade desempenhada são possíveis agentes estressores encontrados no ambiente de trabalho. De todos os participantes identificados com níveis elevados de estresse, a totalidade foi composta por mulheres 11. Verificou-se a prevalência de sintomas osteomusculares relacionados ao trabalho, com prevalência no pescoço/ombro, mãos/punhos, sendo os principais fatores de risco para os sintomas osteomusculares: uso do computador, fatores psicossociais, altura da mesa, maior quantidade de atendimentos diários, pausas menores e temperaturas erradas nas estações de trabalho 13. A prevalência dos sintomas foi maior para as mulheres podendo este fato estar relacionado à idade mais jovem dos operadores, seu menor tempo na função e também ao maior controle sobre o processo de trabalho. Identificou-se também fatores que trazem repercussões negativas para a saúde como ritmos acelerados e repetitivos, insuficiências de pausas, difícil relação com a supervisão, falta de reconhecimento e autonomia e cobranças excessivas por produtividades 18. Há relatos de mal estar entre os teleatendentes devido às exigências (cognitivas e afetivas) em lidar com teleusuarios 19. Nesse contexto, o papel do enfermeiro do trabalho é prevenir qualquer doença/acidente, observando o perfil dos funcionários, a realidade vivida pelo trabalhador, o ambiente laboral e a postura destes profissionais. Como o enfermeiro é o profissional da saúde que se encontra mais próximo ao cliente, através da visão holística, torna-se mais fácil, identificar os fatores de risco, e implementar as principais intervenções de enfermagem, preservando a integridade física, emocional e psíquica do trabalhador. Por outro lado, observa-se que, por ser o primeiro emprego, transitório, de alta rotatividade, meio período e sem exigências de experiência profissional, possibilita conciliar o trabalho com o curso superior para essas jovens mulheres, dados mostram que este setor é o maior empregador na área de serviços e sua rotatividade gira em torno de 7% ao mês. 2, 11, 12, 13, 14, 15. Em 2010 o IBGE identificou que O nível da ocupação das pessoas de 25 anos ou mais de idade cresceu com o nível de instrução, dentre estes destacaram-se o gênero feminino com pelo menos curso superior completo, sento 78,2%, mais que o dobro do das mulheres sem instrução ou com o fundamental incompleto (36,9%). center 4.2- A atuação dos profissionais de saúde na promoção da saúde dos atendentes de call

9 9 Foram estudados dez artigos, sendo que quatro referem-se sobre as intervenções necessárias para a promoção da saúde física e psíquica do trabalhador de call center. Dentre as intervenções encontradas não se encontram intervenções de enfermagem. Considerando a presença de fatores de risco nos operadores de telemarketing e nos ambientes de call center, que veem resultado no surgimento de doenças ocupacionais tanto físicas quanto psicológicas, faz-se necessário intervenção profissional para auxiliar na prevenção e promoção da saúde destes atendentes. Dentre os artigos analisados, sugerem-se algumas atividades para enfrentar ou administrar as situações estressantes no ambiente de trabalho. As atividades recreativas, apoio social e familiar e atividades religiosas foram as estratégias mais utilizadas para controlar e enfrentar situações de tensão no trabalho. Ainda, sugerem-se (...) medidas que facilitem o aprimoramento das relações interpessoais, visto que os participantes preferem buscar o apoio familiar do que conversar com colegas de trabalho para a resolução de problemas 11. Na pesquisa realizada em Santa Catarina no ano de 2009 sugere a adoção de uma gestão mais flexível para reduzir a ocorrência da atividade impedida e minimizar o custo humano aos operadores. Ao organizar o trabalho, é imprescindível o investimento da empresa nos trabalhadores 18. A prática de arteterapia influencia positivamente na qualidade de vida do trabalho através do desenvolvimento de estratégias de enfrentamento do estresse e relacionamento com a equipe; previne também a ausência e o afastamento por doenças originadas no trabalho, beneficiando os clientes que procuram os serviços de teleatendimento 20. Estudo realizado em Goiânia no ano de 2005 sinaliza a necessidade do investimento no coletivo de trabalho, oferta de suporte organizacional e políticas de gestão de pessoas 19. Dos estudos analisados, nenhum tem como foco a atuação da enfermagem para a redução e/ou controle dos fatores de risco. No entanto, é notória a importância da participação do Enfermeiro especialista em Segurança do Trabalho. Esse profissional tem competências que lhe permitem realizar atividades de promoção da saúde, prevenção de acidentes e doenças relacionadas com o trabalho, bem como preparar os trabalhadores para situações de emergência. Por meio de suas ações educativas, contribui com as relações de trabalho... Considerado a nossa vivencia enquanto operadoras de telemarketing e a partir da leitura crítica dos artigos sugerimos algumas intervenções de enfermagem que vimos

10 10 necessárias. Ginastica laborais diárias e obrigatórias, avaliação postural e palestras explicando a altura correta da cadeira, mesa, monitor, para uma postura adequada; palestras explicando o porque de alternar o fone de ouvido; palestras falando sobre o sedentarismo e o tipo de alimentação; Enfim, promover campanhas que estimulem esta classe trabalhista a perceber o bem estar neste âmbito. Estas atividades revestem-se de grande importância uma vez que diminuem o absentismo por doença, aumenta a auto estima do funcionário, melhorando e aumentando a produtividade. 5 Considerações finais O objetivo deste estudo partiu de uma experiência prévia no campo de trabalho de call center em duas operadores de telefonia de Goiânia, onde observamos que grande parte dos tele atendentes queixavam do estresse ocasionado pelo ritmo de trabalho que envolvia cobranças diárias por metas em curto tempo, atendimento de qualidade, e irritabilidade por parte da clientela, o que inevitavelmente transferia o descontentamento com a operadora para o atendente causando a sobrecarga e levando ao desgaste emocional, cognitivo e físico. A partir desta vivência, fomos instigadas a analisar o perfil dos operadores de telemarketing no Brasil, segundo da literatura brasileira, identificando os fatores de risco de adoecer, as principais patologias, bem como as intervenções de enfermagem para a prevenção e promoção da saúde destes trabalhadores. De todos os artigos estudados as informações sobre o perfil dos trabalhadores são similares, composta por sua maioria jovens, solteiros, mulheres com ensino médio completo e cursando o nível superior. Em relação ao perfil sociodemográfico da população estudada somente há relação com os fatores de risco de adoecer com a variável sexo. As principais patologias encontradas foram o estresse e sintomas osteomusculares. Não foram encontrados intervenções de enfermagem; mas encontrou-se algumas intervenções como atividades recreativas, apoio social, atividades religiosas, gestão mais flexíveis e prática de arteterapia. Como não foram encontradas intervenções de enfermagem, sugerimos algumas implementações. Após a análise dos estudos foi possível concluir que existe uma necessidade na questão de trazer a tona a sensibilização da importância da implementação das intervenções de enfermagem anteriormente sugeridas neste artigo a fim de intervir no processo saúde-doença

11 11 ocupacional, proporcionando melhores condições de trabalho e também maior rentabilidade aos gestores destas empresas de telemarketing, uma vez que um trabalhador satisfeito tem maior produtividade por conseguinte resultando maior lucratividade. 6 Referências 1. Manuais de Legislação Atlas. Segurança e Medicina do Trabalho. 70 Edição 2012; São (SP) 2. Sindicato dos Trabalhadores de Telemarketing [homepage da internet]. Um RX do setor de Telemarketing [acesso em 07 jan 2013]. Disponível em: 3. Sindicato Paulista das Empresas de Telemarketing, Marketing Direto e Conexos [homepage da internet]. Telemarketing emprega 1,4 milhão no país [acesso em 07 jan 2013]. Disponível em:http://www.sintelmark.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=823:telem arketing-emprega-14-milhao-no-pais-indicaempregoscom&catid=130:clipping- 2013&Itemid=40 4. Araújo MAV, Primo MAM, Araújo FJC. Estrutura de trabalho em call centers: uma reflexão sobre riscos e oportunidades. In: XII SIMPEP, 2005 Nov 07 a 09; Bauru, Brasil. São Paulo (SP). 5. Rêgo SCS. Sofrimento em Burnout nos operadores de contact center de uma empresa em Salvador [dissertação]. Salvador (BA): Universidade Federal da Bahia, Núcleo de Pós Graduação em Administração; Venco S. Centrais de atendimento: a fábrica do século XIX nos serviços do século XXI. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional. 2006; 31 (114): Assunção AA, Marinho-Silva A, Vilela LVO, Guthier MH. Abordar o trabalho para compreender e transformar as condições de adoecimento na categoria dos teleatendentes no Brasil. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional. 2006; 31 (114): Peres CC, Marinho-Silva A, Fernandes EC, Rocha LE. Uma construção social: o anexo da norma brasileira de ergonomia para o trabalho dos operadores de telemarketing. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional. 2006; ): Cristofoletti MF. Avaliação do estado nutricional de operadores de telemarketing submetidos a três turnos fixos de trabalho [dissertação]. São Paulo (SP):Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública; Silva EL, Menezes EM. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. Rev. atual. Florianópolis: Laboratório de Ensino a Distância da UFSC 2001, 121p. 11. Mattos J. Caracterização do estresse organizacional em call center: nível, fontes estressoras e estratégias de controle. Florianopólis (SC): Universidade Federal de Santa Catarina; 2009.

12 Takahashi LT. Avaliação da Vulnerabilidade ao estresse no trabalho de operadores de Telemarketing por meio da Event [dissertação]. Itatiba (SP): Universidade de São Francisco; Rocha LE, Glina DMR, Marinho MF, Nakasato D. Fatores de risco para sintomas osteomusculares entre operadores de uma central de atendimento telefônico de um banco localizado em São Paulo. Boletim de Saude. 2006; Vol Ferreira MC. Interação teleatendente-teleusuario e custos humanos do trabalho em central de teleatendimento. Revista Brasileira de Saude Ocupacional. São Paulo; Sindicado dos Trabalhadores de Telecomunicações do Estado de Minas Gerais SINTEL. Minas Gerais Mocelin DG, Silva LFSC. O Telemareting e o perfil sócio ocupacional dos empregados em Call Center. Salvador Bahia Instituto Nacional do Câncer INCA [online]. Prevenção e Fatores de risco [acesso em 06 ago 2013]. Disponível em: 18. Cordeiro BK. O trabalho em call center: a saúde do trabalhador e sua relação com a atividade [dissertação]. Niterói (RJ). Universidade Federal Fluminense; Viveira AP. Prazer, sofrimento e saúde no trabalho de teleatendimento [dissertação]. Brasília (DF): Universidade de Brasília; Rego RM. Expressão artística em teleatendimento: Perpesctivas para a melhoria de qualidade de vida no trabalho. PSICOLOGIA CIÊNCIA E PROFISSÃO; 2008, 28 (1),

Dr. Ailton Luis da Silva. www.healthwork.com.br ailton@healthwork.com.br Tel: (11) 5083-5300

Dr. Ailton Luis da Silva. www.healthwork.com.br ailton@healthwork.com.br Tel: (11) 5083-5300 ACOMPANHAMENTO E MONITORAMENTO DO TRABALHADOR EM TELEATENDIMENTO (CALL CENTERS) Dr. Ailton Luis da Silva www.healthwork.com.br ailton@healthwork.com.br Tel: (11) 5083-5300 O segmento transformou-se no

Leia mais

Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres

Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres 2 Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres Ana Paula Bueno de Moraes Oliveira Graduada em Serviço Social Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC Campinas Especialista

Leia mais

TRABALHO EM TELEATENDIMENTO

TRABALHO EM TELEATENDIMENTO Associação Paulista de Medicina Associação Paulista de Medicina do Trabalho Reunião Técnica TRABALHO EM TELEATENDIMENTO João Silvestre Jr joaossj@gmail.com twitter.com/joaosilvestrejr São Paulo, maio de

Leia mais

A importância da Ergonomia Voltada aos servidores Públicos

A importância da Ergonomia Voltada aos servidores Públicos A importância da Ergonomia Voltada aos servidores Públicos Fisioterapeuta: Adriana Lopes de Oliveira CREFITO 3281-LTT-F GO Ergonomia ERGONOMIA - palavra de origem grega, onde: ERGO = trabalho e NOMOS

Leia mais

Evanir Soares da Fonseca

Evanir Soares da Fonseca CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde AÇÕES DE COMBATE AO ESTRESSE: PROMOÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DOS TRABALHADORES DA SAÚDE DE PARACATU - MG Evanir Soares

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO DE GINÁSTICA LABORAL PARA MELHORAR QUALIDADE DE VIDA DOS FUNCIONÁRIOS DA ULBRA/GUAÍBA

PROJETO DE EXTENSÃO DE GINÁSTICA LABORAL PARA MELHORAR QUALIDADE DE VIDA DOS FUNCIONÁRIOS DA ULBRA/GUAÍBA PROJETO DE EXTENSÃO DE GINÁSTICA LABORAL PARA MELHORAR QUALIDADE DE VIDA DOS FUNCIONÁRIOS DA ULBRA/GUAÍBA RESUMO *Luciano Leal Loureiro ** Jésica Finguer O presente texto busca explicar o que é o projeto

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao.

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao. Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XIX Gestão da Prevenção um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a expressa

Leia mais

TÍTULO: SÍNDROME DE BURNOUT VOLTADO À PROFISSIONAIS DO SETOR DE NEONATOLOGIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

TÍTULO: SÍNDROME DE BURNOUT VOLTADO À PROFISSIONAIS DO SETOR DE NEONATOLOGIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: SÍNDROME DE BURNOUT VOLTADO À PROFISSIONAIS DO SETOR DE NEONATOLOGIA CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

SÍNDROME DE BURNOUT: ATIVIDADES PREVENTIVAS COM PROFISSIONAIS DA SAÚDE DA FAMÍLIA

SÍNDROME DE BURNOUT: ATIVIDADES PREVENTIVAS COM PROFISSIONAIS DA SAÚDE DA FAMÍLIA SÍNDROME DE BURNOUT: ATIVIDADES PREVENTIVAS COM PROFISSIONAIS DA SAÚDE DA FAMÍLIA ARAÚJO, Andréia 1 ; RODRIGUES, Hingridy Aparecida 2 ; FERRARI, Rogério 3 ; MAGALHÃES, Josiane 4 ; FRANÇA, Flávia Maria

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO UTILIZANDO A GINÁSTICA LABORAL

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO UTILIZANDO A GINÁSTICA LABORAL QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO UTILIZANDO A GINÁSTICA LABORAL Alessandra Prado de Souza, Ana Eliza Gonçalves Santos, Jaciara Nazareth Campos Palma, Karine Aparecida Silvério, Leonardo Ferreira, Matheus

Leia mais

Qualidade de vida no Trabalho

Qualidade de vida no Trabalho Qualidade de Vida no Trabalho Introdução É quase consenso que as empresas estejam cada vez mais apostando em modelos de gestão voltados para as pessoas, tentando tornar-se as empresas mais humanizadas,

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

6$Ó'(2&83$&,21$/ 4XHUHOHYkQFLD"

6$Ó'(2&83$&,21$/ 4XHUHOHYkQFLD 6$Ó'(2&83$&,21$/ 4XHUHOHYkQFLD" 5LFDUGR3DLV Kofi Annan, Secretário Geral O.N.U.: " Saúde e Segurança dos trabalhadores é parte integrante da segurança humana. Como agência líder das Nações Unidas pela

Leia mais

1 em cada 4 pessoas são afetadas por um problema de saúde mental a cada ano. Vamos falar sobre isso?

1 em cada 4 pessoas são afetadas por um problema de saúde mental a cada ano. Vamos falar sobre isso? 1 em cada 4 pessoas são afetadas por um problema de saúde mental a cada ano Vamos falar sobre isso? Algumas estatísticas sobre Saúde Mental Transtornos mentais são frequentes e afetam mais de 25% das pessoas

Leia mais

ESTRESSE OCUPACIONAL SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

ESTRESSE OCUPACIONAL SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO ESTRESSE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Página 1 de 9 1. OBJETIVO... 3 2. ESCOPO... 3 3. DEFINIÇÕES... 4 4. ESTRESSE OCUPACIONAL: CARACTERIZAÇÃO... 4 4.1. Conceitos fundamentais... 4 4.2. Conseqüências

Leia mais

Palavras Chave: Fisioterapia preventiva do trabalho; LER/DORT; acidente de trabalho, turnover.

Palavras Chave: Fisioterapia preventiva do trabalho; LER/DORT; acidente de trabalho, turnover. A eficácia da fisioterapia preventiva do trabalho na redução do número de colaboradores em acompanhamento no ambulatório de fisioterapia de uma indústria de fios têxteis Rodrigo Mendes Wiczick (UTFPR)rodrigo_2006@pg.cefetpr.br

Leia mais

Adaptação do trabalho às pessoas.

Adaptação do trabalho às pessoas. NR- 17 Estabelece parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho

Leia mais

Programa de Ginástica Laboral

Programa de Ginástica Laboral Programa de Ginástica Laboral 1. IDENTIFICAÇÃO Nome: Programa de Ginástica Laboral (PGL) Promoção e Organização: Centro de Educação Física, Esportes e Recreação Coordenadoria do Campus de Ribeirão Preto.

Leia mais

Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública

Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública Capítulo 3 Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública Maria Inês Monteiro Mestre em Educação UNICAMP; Doutora em Enfermagem USP Professora Associada Depto. de Enfermagem

Leia mais

14 de novembro. Em 2012, o tema proposto é "Diabetes: Proteja Nosso Futuro" Ações do Ministério da Saúde

14 de novembro. Em 2012, o tema proposto é Diabetes: Proteja Nosso Futuro Ações do Ministério da Saúde 14 de novembro Em 2012, o tema proposto é "Diabetes: Proteja Nosso Futuro" Ações do Ministério da Saúde Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no

Leia mais

Implantação do Programa de vigilância à saúde dos trabalhadores do HGRS.

Implantação do Programa de vigilância à saúde dos trabalhadores do HGRS. Curso de Atualização Semipresencial Gestão das Condições De Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde 1. TÍTULO Implantação do Programa de vigilância à saúde dos trabalhadores do HGRS. Daniele da Silva

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL...

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL... Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. Baseado na NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Portaria N 1.748 de 30 de Agosto de 2011. HOSPITAL... Validade

Leia mais

Mapeamento do Perfil Saúde em Instituição Pública - Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente

Mapeamento do Perfil Saúde em Instituição Pública - Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente 16 Mapeamento do Perfil Saúde em Instituição Pública - Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente Leidiane Silva Oliveira Chagas Gestora de Recursos Humanos - Anhanguera Educacional

Leia mais

O PROCESSO GERENCIAR DA ENFERMAGEM NO CENTRO CIRÚRGICO EM UM HOSPITAL REGIONAL NO MUNÍCIPIO DE PAU DOS FERROS, RN, BRASIL.

O PROCESSO GERENCIAR DA ENFERMAGEM NO CENTRO CIRÚRGICO EM UM HOSPITAL REGIONAL NO MUNÍCIPIO DE PAU DOS FERROS, RN, BRASIL. ÁREA TEMÁTICA: Enfermagem O PROCESSO GERENCIAR DA ENFERMAGEM NO CENTRO CIRÚRGICO EM UM HOSPITAL REGIONAL NO MUNÍCIPIO DE PAU DOS FERROS, RN, BRASIL. CARVALHO, Sancherleny Bezerra de. Acadêmica do 6º período

Leia mais

TÍTULO AUTORES: INSTITUIÇÃO ÁREA TEMÁTICA:

TÍTULO AUTORES: INSTITUIÇÃO ÁREA TEMÁTICA: TÍTULO: PROJETO CONVERSANDO SOBRE SAÚDE COM A MULHER DA COMUNIDADE DE IBIRAQUERA AUTORES: Profa. Grácia Maria Salles Maciel Koerich - graciakoerich@uol.com.br; Ac. Patrícia Maria Marcon - patricimm@bol.com.br;

Leia mais

PAF Programa de Acompanhamento Funcional

PAF Programa de Acompanhamento Funcional PAF Programa de Acompanhamento Funcional MINISTÉRIO PÚBLICO MILITAR Márcio de Moura Pereira Motivação do Projeto SITUAÇÃO PROBLEMA Necessidade de atender a demandas já existentes de servidores e membros

Leia mais

PLANEJAMENTO E AVALIAÇAO DE SAÚDE PARA IDOSOS: O AVANÇO DAS POLITICAS PÚBLICAS

PLANEJAMENTO E AVALIAÇAO DE SAÚDE PARA IDOSOS: O AVANÇO DAS POLITICAS PÚBLICAS PLANEJAMENTO E AVALIAÇAO DE SAÚDE PARA IDOSOS: O AVANÇO DAS POLITICAS PÚBLICAS Renata Lívia Silva F. M. de Medeiros (UFPB) Zirleide Carlos Felix (UFPB) Mariana de Medeiros Nóbrega (UFPB) E-mail: renaliviamoreira@hotmail.com

Leia mais

Oficina 3. 29 de Novembro de 2008

Oficina 3. 29 de Novembro de 2008 Palestrante: Seminário Nacional de Saúde Mental e Trabalho São Paulo, 28 e 29 de novembro de 2008 Oficina 3 SAÚDE MENTAL E TRABALHADORES DE BANCOS E TELEATENDIMENTO Débora Raab Glina 29 de Novembro de

Leia mais

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR DENOMINAÇÃO DO CARGO: ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Desenvolver e implantar sistemas informatizados, dimensionando requisitos e funcionalidades do

Leia mais

AS VARIAÇÕES DE EXERCÍCIOS FÍSICOS APLICADOS NAS SESSÕES DE GINÁSTICA LABORAL

AS VARIAÇÕES DE EXERCÍCIOS FÍSICOS APLICADOS NAS SESSÕES DE GINÁSTICA LABORAL AS VARIAÇÕES DE EXERCÍCIOS FÍSICOS APLICADOS NAS SESSÕES DE GINÁSTICA LABORAL Junior, A. C. de J. Sebastião, J. S. Pimentel, E. S. Moreira, R. S. T.. RESUMO A área da ginástica laboral vem crescendo bastante

Leia mais

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Seção: Entrevista Pág.: www.catho.com.br SABIN: A MELHOR EMPRESA DO BRASIL PARA MULHERES Viviane Macedo Uma empresa feita sob medida para mulheres. Assim

Leia mais

AÇÕES EDUCATIVAS COM UNIVERSITÁRIOS SOBRE FATORES DE RISCO PARA SÍNDROME METABÓLICA

AÇÕES EDUCATIVAS COM UNIVERSITÁRIOS SOBRE FATORES DE RISCO PARA SÍNDROME METABÓLICA AÇÕES EDUCATIVAS COM UNIVERSITÁRIOS SOBRE FATORES DE RISCO PARA SÍNDROME METABÓLICA Reângela Cíntia Rodrigues de Oliveira Lima UFPI/cynthiast_89@hotmail.com Gislany da Rocha Brito - UFPI/gislanyrochasj@hotmail.com

Leia mais

OTRABALHO NOTURNO E A SAÚDE DO TRABALHADOR: ESTUDO EXPLORATÓRIO EM TAUBATÉ E SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

OTRABALHO NOTURNO E A SAÚDE DO TRABALHADOR: ESTUDO EXPLORATÓRIO EM TAUBATÉ E SÃO JOSÉ DOS CAMPOS OTRABALHO NOTURNO E A SAÚDE DO TRABALHADOR: ESTUDO EXPLORATÓRIO EM TAUBATÉ E SÃO JOSÉ DOS CAMPOS Tatiane Paula de Oliveira 1, Adriana Leonidas de Oliveira (orientadora) 2 1 Universidade de Taubaté/ Departamento

Leia mais

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior 5.1 Nome da iniciativa ou Projeto Academia Popular da Pessoa idosa 5.2 Caracterização da Situação Anterior O envelhecimento é uma realidade da maioria das sociedades. No Brasil, estima-se que exista, atualmente,

Leia mais

A SAÚDE DO TRABALHADOR NA ENFERMAGEM: UM RESGATE LITERÁRIO. Palavra-chave: acidente de trabalho, enfermagem, saúde ocupacional.

A SAÚDE DO TRABALHADOR NA ENFERMAGEM: UM RESGATE LITERÁRIO. Palavra-chave: acidente de trabalho, enfermagem, saúde ocupacional. A SAÚDE DO TRABALHADOR NA ENFERMAGEM: UM RESGATE LITERÁRIO 1 Elizandra Fernandes 2 Jocemara de Souza Fermino 3 Maria Zilar Scarmagnani Palavra-chave: acidente de trabalho, enfermagem, saúde ocupacional.

Leia mais

Pesquisa. Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e. A mulher no setor privado de ensino em Caxias do Sul.

Pesquisa. Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e. A mulher no setor privado de ensino em Caxias do Sul. Pesquisa A mulher no setor privado de ensino em Caxias do Sul. Introdução Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e políticas capazes de ampliar a inserção da mulher no mercado de trabalho.

Leia mais

TÍTULO: PERCEPÇÃO DE MÃES EM RELAÇÃO À INCLUSÃO ESCOLAR DE SEUS FILHOS DIAGNOSTICADOS COM AUTISMO EM ESCOLA REGULAR

TÍTULO: PERCEPÇÃO DE MÃES EM RELAÇÃO À INCLUSÃO ESCOLAR DE SEUS FILHOS DIAGNOSTICADOS COM AUTISMO EM ESCOLA REGULAR TÍTULO: PERCEPÇÃO DE MÃES EM RELAÇÃO À INCLUSÃO ESCOLAR DE SEUS FILHOS DIAGNOSTICADOS COM AUTISMO EM ESCOLA REGULAR CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO:

Leia mais

PPRDOC PROGRAMA DE PREVENÇÃO E REABILITAÇÃO DE DOENÇAS OCUPACIONAIS E CRÔNICAS

PPRDOC PROGRAMA DE PREVENÇÃO E REABILITAÇÃO DE DOENÇAS OCUPACIONAIS E CRÔNICAS PPRDOC PROGRAMA DE E DE DOENÇAS OCUPACIONAIS E CRÔNICAS APRESENTAÇÃO Prezados, A MCA Saúde e Bem-Estar é uma empresa especializada em planejar, implantar, aperfeiçoar e coordenar programas, projetos e

Leia mais

POSTURA CORPORAL/DOENÇAS OCUPACIONAIS: UM OLHAR DA ENFERMAGEM SOBRE AS DOENÇAS OSTEOARTICULARES

POSTURA CORPORAL/DOENÇAS OCUPACIONAIS: UM OLHAR DA ENFERMAGEM SOBRE AS DOENÇAS OSTEOARTICULARES Revista Eletrônica Novo Enfoque, ano 2013, v. 17, n. 17, p. 54 60 POSTURA CORPORAL/DOENÇAS OCUPACIONAIS: UM OLHAR DA ENFERMAGEM SOBRE AS DOENÇAS OSTEOARTICULARES BARBOSA, Bruno Ferreira do Serrado 1 SILVA,

Leia mais

ATIVIDADE EDUCATIVA NA SALA DE ESPERA: UNINDO CONHECIMENTOS PARA PROMOVER A AMAMENTAÇÃO

ATIVIDADE EDUCATIVA NA SALA DE ESPERA: UNINDO CONHECIMENTOS PARA PROMOVER A AMAMENTAÇÃO ATIVIDADE EDUCATIVA NA SALA DE ESPERA: UNINDO CONHECIMENTOS PARA PROMOVER A AMAMENTAÇÃO SANTOS, Norrama Araújo I ; SANTOS, Simone Silva dos II ; BARCELOS, Ivanildes Solange da Costa III ; SOUZA, Marise

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Ações para enfrentamento da AIDS nos jovens e adolescentes.

Mostra de Projetos 2011. Ações para enfrentamento da AIDS nos jovens e adolescentes. Mostra de Projetos 2011 Ações para enfrentamento da AIDS nos jovens e adolescentes. Mostra Local de: Paranavaí Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa:

Leia mais

LER/DORT. Dr. Rodrigo Rodarte

LER/DORT. Dr. Rodrigo Rodarte LER/DORT Dr. Rodrigo Rodarte Há dois lados em todas as questões (Pitágoras, 410 445 a.c.) Definição: As L.E.R. são Lesões por Esforços Repetitivos (definição mais antiga) A D.O.R.T. (conhecidas como doenças

Leia mais

O engenheiro na equipa de saúde ocupacional: a visão da medicina do trabalho

O engenheiro na equipa de saúde ocupacional: a visão da medicina do trabalho O engenheiro na equipa de saúde ocupacional: a visão da medicina do trabalho Carlos Silva Santos Programa Nacional de Saúde Ocupacional DSAO/DGS 2014 Segurança, Higiene e Saúde do trabalho Organização

Leia mais

SÍNDROME DE BURNOUT, A SÍNDROME DA ESTAFA PROFISSIONAL: UMA REVISÃO DA LITERATURA.

SÍNDROME DE BURNOUT, A SÍNDROME DA ESTAFA PROFISSIONAL: UMA REVISÃO DA LITERATURA. SÍNDROME DE BURNOUT, A SÍNDROME DA ESTAFA PROFISSIONAL: UMA REVISÃO DA LITERATURA. Vanessa Parizotto Ramos¹; Dayanne Cristina Ribeiro¹; Tamires Aparecida Camarini¹; Carina Bortolato Garcia². Resumo: A

Leia mais

CONCEPÇÕES DE IDOSOS ACERCA DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PARA UM ENVELHECER SAUDÁVEL

CONCEPÇÕES DE IDOSOS ACERCA DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PARA UM ENVELHECER SAUDÁVEL CONCEPÇÕES DE IDOSOS ACERCA DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PARA UM ENVELHECER SAUDÁVEL Ocilma Barros de Quental. Faculdade de Medicina do ABC(ocilmaquental2011@hotmail.com) Sheylla Nadjane Batista Lacerda.

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DE AGENTES DE SAÚDE APÓS TREINAMENTO EM EDIBS EM RIBEIRÃO PRETO

ACOMPANHAMENTO DE AGENTES DE SAÚDE APÓS TREINAMENTO EM EDIBS EM RIBEIRÃO PRETO PAI-PAD PAD Programa de Ações Integradas para Prevenção e Atenção ao Uso de Álcool e Drogas na Comunidade Núcleo de Pesquisa em Psiquiatria Clínica e Psicopatologia ACOMPANHAMENTO DE AGENTES DE SAÚDE APÓS

Leia mais

A GINÁSTICA LABORAL COMO FERRAMENTA PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA NO SETOR DE COZINHA EM RESTAURANTES

A GINÁSTICA LABORAL COMO FERRAMENTA PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA NO SETOR DE COZINHA EM RESTAURANTES A GINÁSTICA LABORAL COMO FERRAMENTA PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA NO SETOR DE COZINHA EM RESTAURANTES Alexandre Crespo Coelho da Silva Pinto Fisioterapeuta Mestrando em Engenharia de Produção UFSC

Leia mais

O ACONSELHAMENTO NO HIV EM UMA COMUNIDADE COMO MEDIDA PREVENTIVA

O ACONSELHAMENTO NO HIV EM UMA COMUNIDADE COMO MEDIDA PREVENTIVA O ACONSELHAMENTO NO HIV EM UMA COMUNIDADE COMO MEDIDA PREVENTIVA Zardo L*¹ Silva CL*² Zarpellon LD*³ Cabral LPA* 4 Resumo O Vírus da Imunodeficiência humana (HIV) é um retrovírus que ataca o sistema imunológico.através

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

A Segurança consiste na responsabilidade de saber e agir da maneira correta.

A Segurança consiste na responsabilidade de saber e agir da maneira correta. Segurança do Trabalho É o conjunto de medidas que versam sobre condições específicas de instalações do estabelecimento e de suas máquinas visando à garantia do trabalhador contra riscos ambientais e de

Leia mais

1. Documento: 20026-2015-3

1. Documento: 20026-2015-3 1. Documento: 20026-2015-3 1.1. Dados do Protocolo Número: 20026/2015 Situação: Ativo Tipo Documento: Comunicação Interna - CI Assunto: Planejamento estratégico - Metas Unidade Protocoladora: SES - Secretaria

Leia mais

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico Sâmia Simurro Novembro/2011 FATOS SOBRE O STRESS Inevitável Nível positivo?

Leia mais

Orientadora, Docente do Curso de Nutrição do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS.

Orientadora, Docente do Curso de Nutrição do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS. ATUAÇÃO INTERDISCIPLINAR PARA PACIENTES COM DIABETES NA ATENÇÃO BASICA UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 1 BOEIRA, Giana 2 ; CADÓ, Thaís 3 ; FRIGO, Letícia 4 ; MANFIO, Francieli 5 ; MATTOS, Karen 6 ; PIAIA, Eveline

Leia mais

RODA DE CONVERSA SOBRE PROFISSÕES

RODA DE CONVERSA SOBRE PROFISSÕES RODA DE CONVERSA SOBRE PROFISSÕES Kátia Hatsue Endo Unesp hatsueendo@yahoo.com.br Daniela Bittencourt Blum - UNIP danibittenc@bol.com.br Catarina Maria de Souza Thimóteo CEETEPS - catarinamst@netonne.com.br

Leia mais

CARACTERÍSTICAS SOCIODEMOGRÁFICAS DE IDOSAS. UM OLHAR PARA VIÇOSA, MINAS GERAIS, BRASIL

CARACTERÍSTICAS SOCIODEMOGRÁFICAS DE IDOSAS. UM OLHAR PARA VIÇOSA, MINAS GERAIS, BRASIL CARACTERÍSTICAS SOCIODEMOGRÁFICAS DE IDOSAS. UM OLHAR PARA VIÇOSA, MINAS GERAIS, BRASIL Nubia C. Freitas - UFV nubia.freitas@ufv.br Estela S. Fonseca UFV estela.fonseca@ufv.br Alessandra V. Almeida UFV

Leia mais

Avaliações Pós Periódicos Ferramenta utilizada como melhoria da saúde dos empregados da Coelba

Avaliações Pós Periódicos Ferramenta utilizada como melhoria da saúde dos empregados da Coelba Avaliações Pós Periódicos Ferramenta utilizada como melhoria da saúde dos empregados da Coelba Autores Litza Márcia da Cunha Porto Sandra Magelli Moreira Silva Coelba- Companhia de Eletricidade do Estado

Leia mais

Seminário Anual de Saúde 2010: Cultura de Saúde e Dividendos para o Negócio Uma Visão Estratégica. Setembro/2010

Seminário Anual de Saúde 2010: Cultura de Saúde e Dividendos para o Negócio Uma Visão Estratégica. Setembro/2010 Seminário Anual de Saúde 2010: Cultura de Saúde e Dividendos para o Negócio Uma Visão Estratégica Setembro/2010 Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein Instituição de Saúde composta

Leia mais

CASE HSBC Aplicação do Método OCRA na Promoção da Saúde em Call Center

CASE HSBC Aplicação do Método OCRA na Promoção da Saúde em Call Center CASE HSBC Aplicação do Método OCRA na Promoção da Saúde em Call Center Objetivos Promoção da Qualidade de Vida no Trabalho; Estimular melhoria no Clima Organizacional; Prevenção do adoecimento; Redução

Leia mais

Uso de Equipamentos de Informática e Telecomunicações

Uso de Equipamentos de Informática e Telecomunicações O SETOR SERVIÇOS DO ESTADO DO ACRE Estrutura Características Setoriais e Regionais A Paer pesquisou as unidades locais, com mais de 20 pessoas ocupadas, do setor serviços do, constatando a presença de

Leia mais

O IMPACTO DAS MUDANÇAS NO MUNDO DO TRABALHO E OS TRABALHADORES DE ENFERMAGEM

O IMPACTO DAS MUDANÇAS NO MUNDO DO TRABALHO E OS TRABALHADORES DE ENFERMAGEM O IMPACTO DAS MUDANÇAS NO MUNDO DO TRABALHO E OS TRABALHADORES DE ENFERMAGEM Salete Beatriz Scheid 1 Neide Tiemi Murofuse 2 INTRODUÇÃO: Vivemos atualmente numa sociedade marcada pelas intensas e rápidas

Leia mais

Dalva Lúcia Limeira Barreto da Silveira

Dalva Lúcia Limeira Barreto da Silveira CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde ASSISTÊNCIA AO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM NOS ASPECTOS PSICOSSOCIAS LABORAIS, NATAL/RN Dalva Lúcia Limeira Barreto

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIDADE DE VIDA DO TRABALHADOR

PROGRAMA DE QUALIDADE DE VIDA DO TRABALHADOR PROGRAMA DE QUALIDADE DE VIDA DO TRABALHADOR Prof. Dr. Jones Alberto de Almeida Divisão de saúde ocupacional Barcas SA/ CCR ponte A necessidade de prover soluções para demandas de desenvolvimento, treinamento

Leia mais

A relação trabalho, fábricas, máquinas, homens e(m) movimento há alguns

A relação trabalho, fábricas, máquinas, homens e(m) movimento há alguns TÍTULO:PROMOVENDO E RECUPERANDO A SAÚDE DO TRABALHADOR NA EMPRESA: GINÁSTICA LABORAL E CORREÇÃO FUNCIONAL NA ELECTROLUX DO BRASIL. AUTORES: DUARTE, A. C. G. O.; OLIVEIRA, S. B.; ARRUDA, E. A. B.; VENÂNCIO,

Leia mais

Relatório produzido em conjunto por três agências das Nações Unidas

Relatório produzido em conjunto por três agências das Nações Unidas Relatório produzido em conjunto por três agências das Nações Unidas Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) Organização Internacional

Leia mais

As Mulheres e o Trabalho de Cuidar SÃO PAULO,07 DE NOVEMBRO DE 2014.

As Mulheres e o Trabalho de Cuidar SÃO PAULO,07 DE NOVEMBRO DE 2014. As Mulheres e o Trabalho de Cuidar MYRIAN MATSUO II Seminário de Sociologia da FUNDACENTRO: Condições de Trabalho das Mulheres no Brasil SÃO PAULO,07 DE NOVEMBRO DE 2014. Doutora em Sociologia pelo Departamento

Leia mais

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE X ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE INTRODUÇÃO

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE X ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE INTRODUÇÃO LÍVIA CRISTINA FRIAS DA SILVA SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE X ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE Ms. Maria de Fátima Lires Paiva Orientadora São Luís 2004 INTRODUÇÃO Sistema Único de Saúde - Universalidade

Leia mais

A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE AUXÍLIO NO CONTROLE DO MEIO AMBIENTE

A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE AUXÍLIO NO CONTROLE DO MEIO AMBIENTE 546 A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE AUXÍLIO NO CONTROLE DO MEIO AMBIENTE Irene Caires da Silva 1, Ana Carlina Toni Pereira 2, Carlile Serafim Pestana 2, Fernando Henrique Grigoletto dos Santos 2, Henrique

Leia mais

Gestão de Pessoas. - Saúde do Servidor -

Gestão de Pessoas. - Saúde do Servidor - Gestão de Pessoas - Saúde do Servidor - Promoção de Saúde e Bem-Estar Desenvolve programas destinados à prevenção de doenças, à promoção de saúde e de qualidade de vida. Realiza campanhas, palestras e

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

O CUIDAR HUMANIZADO AO IDOSO: REVISÃO SISTEMÁTICA

O CUIDAR HUMANIZADO AO IDOSO: REVISÃO SISTEMÁTICA O CUIDAR HUMANIZADO AO IDOSO: REVISÃO SISTEMÁTICA Jéssyka Cibelly Minervina da Costa Silva (NEPB/UFPB) jessykacibelly@gmail.com Kalina Coeli Costa de Oliveira Dias (NEPB/UFPB) kalinacoeli@gmail.com Ana

Leia mais

GESTÃO DE SST DESAFIOS E POSSÍVEIS SOLUÇÕES

GESTÃO DE SST DESAFIOS E POSSÍVEIS SOLUÇÕES GESTÃO DE SST DESAFIOS E POSSÍVEIS SOLUÇÕES Nov.2014 Negócio CONTRIBUIR PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE Educação Qualidade de Vida Declaração Estratégica Missão Promover a qualidade de vida do trabalhador

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MAIA, Lívia Cândida 1 ; RODRIGUES, Adonay; BARBOSA, Beatriz Ribeiro Kherlakian; RESENDE, Vitor Nascimento; PORTO, Adriel Cruvinel, SANTOS, Kaio Guilherme

Leia mais

Índice: Introdução 3. Princípios Orientadores 3. Definição do projecto 4. Considerações Finais 8. Actividades a desenvolver 9.

Índice: Introdução 3. Princípios Orientadores 3. Definição do projecto 4. Considerações Finais 8. Actividades a desenvolver 9. Índice: Introdução 3 Princípios Orientadores 3 Definição do projecto 4 Objectivos a alcançar 5 Implementação do projecto 5 Recursos necessários 6 Avaliação do projecto 7 Divulgação Final do Projecto 7

Leia mais

P Ú B L I C O I N T E R N O

P Ú B L I C O I N T E R N O Apresentação O Banrisul valoriza seus colaboradores por entender que estes são a essência do negócio. A promoção da qualidade de vida e da segurança dos funcionários é uma prática constante que comprova

Leia mais

METALÚRGICA LTDA PROGRAMA DE ERGONOMIA RECIFE (PE) JULHO / 2010

METALÚRGICA LTDA PROGRAMA DE ERGONOMIA RECIFE (PE) JULHO / 2010 METALÚRGICA LTDA PROGRAMA DE ERGONOMIA RECIFE (PE) JULHO / 2010 PROERGO julho/2010 Pág. 1/7. I N D I C E 1. - APRESENTAÇÃO 2. - OBJETIVO 3. - INTRODUÇÃO 4. - EMPRESA BENEFICIADA 5. - CAMPO DE APLICAÇÃO

Leia mais

Projeto de Qualidade de Vida para Motoristas de Ônibus Urbano

Projeto de Qualidade de Vida para Motoristas de Ônibus Urbano 17 Projeto de Qualidade de Vida para Motoristas de Ônibus Urbano Lilian de Fatima Zanoni Terapeuta Ocupacional pela Universidade de Sorocaba Especialista em Gestão de Qualidade de Vida na Empresa pela

Leia mais

METODOLOGIA RESULTADOS E DISCUSSÃO

METODOLOGIA RESULTADOS E DISCUSSÃO ATENDIMENTO DE ENFERMAGEM A SAÚDE DO HOMEM NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA Ingrid Mikaela Moreira de Oliveira Enfermeira Mestranda em Bioprospecção Molecular da Universidade Regional do Cariri-URCA ingrid_lattes@hotmail.com

Leia mais

P Ú B L I C O I N T E R N O

P Ú B L I C O I N T E R N O Apresentação O Banrisul valoriza seus colaboradores por entender que estes são a essência do negócio. A promoção da qualidade de vida e da segurança dos funcionários é uma prática constante que comprova

Leia mais

A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM NO PROCESSO ASSISTENCIAL À FAMÍLIA DE RECÉM-NASCIDO DE RISCO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA.

A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM NO PROCESSO ASSISTENCIAL À FAMÍLIA DE RECÉM-NASCIDO DE RISCO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA. A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM NO PROCESSO ASSISTENCIAL À FAMÍLIA DE RECÉM-NASCIDO DE RISCO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA. Diniz, Alice Teixeira 1 ; Medeiros, Rita de Cássia Noronha 1 ; Rolim, Karla Maria Carneiro

Leia mais

MATERNIDADE NA ADOLESCÊNCIA

MATERNIDADE NA ADOLESCÊNCIA MATERNIDADE NA ADOLESCÊNCIA Autor: Marusa Fernandes da Silva marusafs@gmail.com Orientadora: Profª. Ms. Mônica Mª N. da Trindade Siqueira Universidade de Taubaté monica.mnts@uol.com.br Comunicação oral:

Leia mais

1 Faculdade Santa Maria. 2 Faculdade São Francisco

1 Faculdade Santa Maria. 2 Faculdade São Francisco IMPORTÂNCIA DO USO DE EPI S EM EMPRESAS INCINERADORAS DE LIXO HOSPITALAR: VISÃO DO TRABALHADOR Suênia Kátia Gonçalves 1 Lidiane Leite Nobre 1 Maria Aparecida de Freitas 1 Ana Cláudia Cavalcante Silva 1

Leia mais

(II Conferência Nacional de Segurança Alimentar Nutricional, 2004)

(II Conferência Nacional de Segurança Alimentar Nutricional, 2004) 1 Segurança Alimentar e Nutricional Segurança alimentar é a realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a

Leia mais

PRODUÇÃO CIENTIFICA SOBRE A SAÚDE DO TRABALHADOR: UMA PESQUISA BIBLIOGRÁFICA

PRODUÇÃO CIENTIFICA SOBRE A SAÚDE DO TRABALHADOR: UMA PESQUISA BIBLIOGRÁFICA PRODUÇÃO CIENTIFICA SOBRE A SAÚDE DO TRABALHADOR: UMA PESQUISA BIBLIOGRÁFICA Neide Tiemi Murofuse 1 Rejane Rodrigues da Silva 2 INTRODUÇÃO: A área da Saúde do Trabalhador surge no contexto do Movimento

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

Ilca Maria Moya de Oliveira

Ilca Maria Moya de Oliveira Plano de Desenvolvimento Relação Ergonomia e Moda e Educação Corporativa Ilca Maria Moya de Oliveira Segundo Dutra (2004), a preparação para o futuro exige investimentos simultâneos: um na modernização

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos:

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos: 1 INTRODUÇÃO Sobre o Sou da Paz: O Sou da Paz é uma organização que há mais de 10 anos trabalha para a prevenção da violência e promoção da cultura de paz no Brasil, atuando nas seguintes áreas complementares:

Leia mais

Universidade Federal Fluminense Pós Graduação Enfermagem do Trabalho. Enfermagem em Saúde do Trabalhador

Universidade Federal Fluminense Pós Graduação Enfermagem do Trabalho. Enfermagem em Saúde do Trabalhador Universidade Federal Fluminense Pós Graduação Enfermagem do Trabalho Enfermagem em Saúde do Trabalhador DADOS. Mais de 6.000 pessoas morrem por dia no mundo: acidentes e doenças ligadas à atividades laborais;.

Leia mais

ASPECTOS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS NA EDUCAÇÃO CONTINUADA

ASPECTOS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS NA EDUCAÇÃO CONTINUADA ASPECTOS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS NA EDUCAÇÃO CONTINUADA Área Temática: Educação Responsável pelo trabalho: Tatiana Comiotto Menestrina Instituição: UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA (UDESC) Departamento:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O estágio

Leia mais

Jardim Helena São Miguel Paulista PROJETO DE REGÊNCIA EM TURMAS DO ENSINO MÉDIO RECUPERAÇÃO PARALELA.

Jardim Helena São Miguel Paulista PROJETO DE REGÊNCIA EM TURMAS DO ENSINO MÉDIO RECUPERAÇÃO PARALELA. De acordo com às determinações constantes do Plano de Estágio Supervisionado, submeto à apreciação de V.Sª o plano de aula que foram desenvolvidas no Estágio de Licenciatura em Matemática no período de

Leia mais

Desigualdades em saúde - Mortalidade infantil. Palavras-chave: mortalidade infantil; qualidade de vida; desigualdade.

Desigualdades em saúde - Mortalidade infantil. Palavras-chave: mortalidade infantil; qualidade de vida; desigualdade. Desigualdades em saúde - Mortalidade infantil Ruth Rangel * Fernanda Azevedo * Palavras-chave: mortalidade infantil; qualidade de vida; desigualdade. Resumo A redução das desigualdades sociais tem sido

Leia mais

GRADUAÇÃO E TRABALHO EM ENFERMAGEM RELACIONADOS AO SOFRIMENTO PSÍQUICO: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

GRADUAÇÃO E TRABALHO EM ENFERMAGEM RELACIONADOS AO SOFRIMENTO PSÍQUICO: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA GRADUAÇÃO E TRABALHO EM ENFERMAGEM RELACIONADOS AO SOFRIMENTO PSÍQUICO: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Luana Aparecida Alves da Silva 1 Ana Carolina Rossin¹ Thaís Dresch Eberhardt 2 Leonardo Dresch Eberhardt 3

Leia mais

TÍTULO: SOFRIMENTO PSÍQUICO EM FAMÍLIAS DE DEPENDENTES ALCOÓLICOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM

TÍTULO: SOFRIMENTO PSÍQUICO EM FAMÍLIAS DE DEPENDENTES ALCOÓLICOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM TÍTULO: SOFRIMENTO PSÍQUICO EM FAMÍLIAS DE DEPENDENTES ALCOÓLICOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO MÓDULO AUTOR(ES): ANDRESSA

Leia mais

Pacto Europeu. para a Saúde. Conferência de alto nível da ue. Bruxelas, 12-13 de junho de 2008

Pacto Europeu. para a Saúde. Conferência de alto nível da ue. Bruxelas, 12-13 de junho de 2008 Pacto Europeu para a Saúde Mental e o Bem-Estar Conferência de alto nível da ue JUNTOS PELA SAÚDE MENTAL E PELO BEM-ESTAR Bruxelas, 12-13 de junho de 2008 Slovensko predsedstvo EU 2008 Slovenian Presidency

Leia mais

Faculdade Escola Paulista de Direito

Faculdade Escola Paulista de Direito REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO São Paulo 2014 ESCOLA PAULISTA DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades

Leia mais

A Prevenção de Doenças Ocupacionais na Gestão de Qualidade Empresarial

A Prevenção de Doenças Ocupacionais na Gestão de Qualidade Empresarial A Prevenção de Doenças Ocupacionais na Gestão de Qualidade Empresarial 2 Alessandra Maróstica de Freitas A Prevenção de Doenças Ocupacionais na Gestão de Qualidade Empresarial ALESSANDRA MARÓSTICA DE FREITAS

Leia mais

INICIANDO UM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE SEGURANÇA COMPORTAMENTAL: AVALIANDO A CULTURA E O CLIMA DE SEGURANÇA

INICIANDO UM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE SEGURANÇA COMPORTAMENTAL: AVALIANDO A CULTURA E O CLIMA DE SEGURANÇA INICIANDO UM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE SEGURANÇA COMPORTAMENTAL: AVALIANDO A CULTURA E O CLIMA DE SEGURANÇA 2013 Luciano Nadolny Licenciatura em Psicologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Leia mais

Saúde Escolar. Secretaria Regional da Educação e Formação

Saúde Escolar. Secretaria Regional da Educação e Formação Saúde Escolar Secretaria Regional da Educação e Formação «Um programa de saúde escolar efectivo é o investimento de custo-benefício mais eficaz que um País pode fazer para melhorar, simultaneamente, a

Leia mais

PROJETO DE LEI N o, DE 2007

PROJETO DE LEI N o, DE 2007 PROJETO DE LEI N o, DE 2007 (Dos Srs. JORGE BITTAR e LUIZ SÉRGIO) Altera a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT-, aprovada pelo Decreto-lei n.º 5452, de 1º de maio de 1945, para dispor sobre as condições

Leia mais