Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Insper Instituto de Ensino e Pesquisa"

Transcrição

1 Insper Instituto de Ensino e Pesquisa Certificate In Business Administration CBA Felipe Augusto Mauricio Oliveira PROJETO DE MELHORIA DE RESULTADOS DO INDICADOR DE TEMPO MÉDIO DE OPERAÇÃO EM UMA EMPRESA DE CONTACT CENTER São Paulo 2014

2 2 Felipe Augusto Mauricio Oliveira PROJETO DE MELHORIA DE RESULTADOS DO INDICADOR DE TEMPO MÉDIO DE OPERAÇÃO EM UMA EMPRESA DE CONTACT CENTER TCC apresentado ao curso CBA, como requisito parcial para a obtenção do Grau de Especialista em Gestão de Negócios do Insper Instituto de Ensino e Pesquisa. Orientadora: Professora Dra. Ana Paula Miotto São Paulo 2014

3 3 Resumo MAURICIO OLIVEIRA, Felipe Augusto. Título do TCC: PROJETO DE MELHORIA DE RESULTADOS DO INDICADOR DE TEMPO MÉDIO DE OPERAÇÃO EM UMA EMPRESA DE CONTACT CENTER. São Paulo 27p. TCC Certificate in Business Administration. CBA Insper Instituto de Ensino e Pesquisa. Este trabalho tem como principal objetivo melhorar o indicador de tempo médio operacional (TMO) que é o tempo médio de cada ligação recebida por uma Empresa de Contact. Este indicador impacta diretamente na produtividade da empresa e quanto menor for mais rentável é a operação. Entendendo que uma empresa de Contact presta um serviço intensivo em mão de obra, as propostas de melhoria permeiam praticamente soluções voltadas para o treinamento e capacitação, apesar de também serem encontrados outros fatores que prejudicam o indicador proposto. Através de pesquisas com os operadores e supervisores desta empresa, utilizando metodologias de Focus Group e priorização, como Gráfico de Pareto e Espinha de Peixe, pôde-se determinar quais os motivos de contatos que são considerados ofensores deste indicador e assim traçar um plano de melhoria, que basicamente se apoiou em treinamentos para os operadores e supervisores. Através da estatística (distribuição normal) pudemos traçar uma meta do indicador, nos baseando na mediana excluindo-se os outliers, apresentando uma redução de 609 para 528,5 segundos, ou ainda 13,2%. Desta maneira adequando o indicador a um nível saudável segundo a diretoria da Empresa de Contact. Até o momento, como algumas ações já foram iniciadas, já conseguimos mensurar uma redução de 39 segundos (6,4%) chegando ao melhor resultado dos últimos sete meses (570 segundos). Palavras-chave: Call, Indicadores, Treinamentos, Plano de Melhoria e Tempo Médio de Chamadas.

4 4 Sumário 1. INTRODUÇÃO FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Definição de Contact Aspectos da mão de obra em empresas de Contact A importância dos treinamentos e capacitação contínua da mão de obra Diagnóstico das necessidades de treinamentos DESCRIÇÃO DO PROCESSO ATUAL História das Empresas A empresa de Contact A empresa Cliente Contexto do Processo Atual Motivação para a Melhoria Mapeamento do Processo (AS/IS) Análise do Desempenho Atual PROPOSIÇÃO DO NOVO PROCESSO Busca de Soluções Novos Processos Propostos CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES REFERÊNCIAS... 27

5 INTRODUÇÃO Este trabalho foi realizado para uma empresa de Contact, líder em seu segmento e inovadora nos modelos de atendimentos oferecidos para seus clientes, tendo operações tanto no Brasil como em outros países da América Latina e EUA. O modelo de cobrança/faturamento das operações de atendimento receptivo tem mudado nos últimos anos. A mudança se dá principalmente por conta da pressão por custos e melhoria da qualidade do atendimento, que passa inevitavelmente pelos seguintes pontos: Agilidade nas respostas Assertividade Empatia Profissionalismo Coerência Transparência Conveniência Cortesia Humanização Superar expectativas Solução Neste contexto, o principal cliente da empresa de Contact demandou mudanças no modelo de contrato, principalmente na forma de remuneração, pois a cobrança pelos serviços não será mais pelo tempo total das ligações e sim por quantidade de ligações atendidas. O que pressiona por uma operação com atendimentos mais ágeis e alto nível de serviço e resolução. Importante ressaltar que este Cliente opera com mais uma empresa de Contact concorrente e tem a liberdade de escolher quantas ligações serão oferecidas para cada prestadora de serviço,

6 6 De maneira geral o que se pretende é diminuir o tempo médio das ligações atendidas, mensurado pelo indicador TMO (tempo médio de operação), para assim aumentar a quantidade de ligações oferecidas pelo Cliente, alavancando o resultado da empresa de Contact, ou pelo menos, neste primeiro momento, não sofrer impactos negativos. Sendo assim, esse estudo tem o foco de melhorar a performance do TMO no curto prazo, ou seja, sem mudanças complexas de processos que envolvam decisões que tomam tempo. As melhorias a serem apresentadas, na maioria das vezes, são focadas no principal ativo de uma empresa prestadora de serviços, a mão de obra. Com a contínua capacitação da mão de obra em temas específicos, pretende-se não só melhorar a performance do indicador mas também valorizar o profissional. 3 Caso desenvolvido pelo aluno do programa Certificate in Business Administration sob orientação da Prof. Dra. Ana Paulo Miotto. Nenhuma parte deste caso pode ser reproduzida ou transmitida por qualquer meio eletrônico ou mecânico, inclusive fotocópia, gravação ou qualquer outro sistema de armazenamento, sem autorização por escrito do Insper Instituto de Ensino e Pesquisa. Aos infratores aplicam-se as sanções previstas nos artigos 102, 104, 106, 107 da lei 9610 de 19/02/1998. Nomes de empresas e pessoas, assim como dados utilizados, são fictícios

7 7 2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Neste capítulo trataremos de definir o que é uma empresa de Contact, seus principais serviços e porque a mão de obra bem capacitada tem um papel tão fundamental na sobrevivência e/ou melhoria de resultados em uma empresa que presta este tipo de serviço Definição de Contact Segundo Mancini (2006) este tipo de segmento surgiu quatro anos após a invenção do telefone, em 1880 já existem registros de utilização do telefone em forma empresarial. Um fabricante de doces nos Estados Unidos da América passou a ligar para pessoas oferecendo a venda de seus produtos. Após a segunda guerra mundial, em 1950, os números de telefones começaram a ser divulgados nas propagandas para que os consumidores pudessem entrar em contato e solicitar produtos ou serviços e ganhar brindes, assim se inicia os procedimentos de cadastro e mailing. A Ford foi a primeira a se arriscar em uma campanha utilizando o marketing por telefone. A empresa capacitou donas de casas que, de sua residência, realizaram cerca de vinte milhões de ligações para definir o mercado de compradores potencial. Em 1970 um estudo realizado nos Estados Unidos da América, comprovou que pelo menos 50% dos americanos já tinham sido acessados via contato telefônico para vendas ou pesquisa. Em 1980, surge oficialmente o termo telemarketing, que veio ao Brasil com a chegada das multinacionais. Em 2000 o segmento passou a empregar cerca de 300 mil pessoas responsáveis por mais que 120 mil pontos de atendimentos. Junto com a história o termo foi evoluindo conforme as tecnologias. Depois de telemarketing, o nome passou para Call, integrando a informática. A diferença está na visão do negócio, enquanto o telemarketing era um meio para se comunicar com os consumidores, o Call oferece benefícios adicionais, impulsiona vendas, garante boa imagem da empresa, antecipa necessidades e mantém a marca da empresa, produto ou serviço na mente do consumidor.

8 8 Recentemente o conceito mudou para Contact (termo utilizado neste trabalho), pois o mesmo centraliza independente do meio de comunicação, a gestão de todas as relações com a sociedade em que atua. Tendo sinergia entre marketing, produção, serviços, logística etc Aspectos da mão de obra em empresas de Contact O setor de Contact tem como principal participação no custo total da empresa os gastos com mão de obra. Gerenciar esses recursos faz parte do dia-adia dos líderes das empresas. Na visão de muitos, o trabalho como operador é de baixa remuneração com pouca perspectiva de crescimento. Gurstein (2002) atribuiu aos operadores de Contact ativo como o trabalho mais difícil por requerer a realização de ligações sempre existindo resistência por parte do cliente. Já no receptivo, caso do nosso estudo, o cliente é que entra em contato, tendo então maior interesse para lidar com o operador. Segundo Belt, Richardson e Webster (2002), as organizações enxergam os call centers como uma produção em massa, que podem ter atividades padronizadas possibilitando possíveis economias de escala, como se fosse uma indústria comum. Desta maneira, a pressão para aumentar a receita e a produtividade por operador cria um ambiente estressante. Sendo assim, os líderes têm como desafio enfrentar altas taxas de rotatividade e de absenteísmo dos funcionários. Outro ponto que demonstra a necessidade de uma boa área de recurso humanos nos Contact s é dado por Krol (2002). Ele entende que quando o contato é bem sucedido, os clientes atribuem o crédito ao operador que lidou com a situação e que quando algo de errado acontece, os clientes normalmente culpam a organização. Isso enfatiza a necessidade de se ter o número certo de pessoas, com as habilidades necessárias e na hora certa para atender as demandas dos clientes, evitando-se assim, impactos negativos na imagem da empresa. Fica bem claro que o treinamento e a capacitação contínua dos operadores de Contact s podem potencializar as receitas, através de contatos produtivos, com alto nível de resolução e garantindo a imagem da empresa com o público consumidor.

9 9 Apesar de requisitar poucas habilidades técnicas dos operadores, o normal no setor é oferecer treinamentos introdutórios relativamente longos. (Belt, Richardson e Webster 2002). Sendo assim, o comprometimento e a aderência com o treinamento pode ser visto como uma forma de reduzir a taxa de rotatividade e aumentar em muito a produtividade do indivíduo A importância dos treinamentos e capacitação contínua da mão de obra Segundo Tracy (1994) o treinamento talvez seja a mais negligenciada das funções administrativas e uma das mais importantes. Pois além de ter efeito prático para a empresa, se feito de maneira certa, aumenta a autoestima do empregado proporcionando um maior nível de comprometimento. Ainda para Tracy (1994): O treinamento é uma das melhores maneiras de se gerar autoestima. Sem autoestima não pode haver poder. A capacidade de uma pessoa alcançar o sucesso depende em grande parte do quanto ela acredita em si mesma. Quando uma pessoa acredita em si, tem a liberdade de explorar e desenvolver todo o seu potencial. Podemos começar a entender que é fundamental para o comprometimento do empregado uma boa estrutura de capacitação contínua e treinamentos. Para Tachizawa, Ferreira e Fortuna (2001), o desenvolvimento de pessoal tem o objetivo de explorar o potencial de aprendizagem e a capacidade produtiva do ser humano nas organizações. Ou ainda, procura definir métodos e procedimentos que possibilitem maximizar o desempenho profissional e elevar os níveis de motivação para o trabalho. Ainda para Tachizawa, Ferreira e Fortuna (2001), um plano de desenvolvimento de carreira em conjunto com treinamentos, motiva as pessoas dentro de uma organização. A visão entre custo ou investimento vem mudando nos últimos anos. Toda via, é preciso evitar uma visão distorcida, pois atualmente as organizações dão prioridade ao treinamento de executivos Diagnóstico das necessidades de treinamentos Segundo Tachizawa, Ferreira e Fortuna (2001) o primeiro passo para a implantação de treinamentos é o levantamento de necessidades. Um levantamento correto das

10 10 necessidades pode evitar treinamentos não efetivos e sem retorno. O diagnóstico de necessidade deve englobar três níveis de análise complementares. O primeiro é conhecido como análise organizacional que envolve o estudo da empresa como um todo seus objetivos, recursos, a distribuição desses recursos e o ambiente socioeconômico e tecnológico no qual a organização está inserida. O segundo nível é a análise das operações e tarefas que focaliza os requisitos para o bom desempenho de cada cargo, definindo habilidades, conhecimentos, atitudes e os comportamentos a serem desenvolvidos. No terceiro nível a análise é mais focada na equipe e no indivíduo, pois trata-se de verificar se as pessoas são adequadas às necessidades organizacionais. Normalmente este tipo de análise conta com intensa participação dos gerentes dos diversos órgãos da empresa, sendo necessário realizar entrevistas.

11 11 3. DESCRIÇÃO DO PROCESSO ATUAL 3.1. História das Empresas Por motivos de confidencialidade, a empresa de Contact será tratada como Empresa de Contact e a empresa que é a principal cliente desta Empresa de Contact será tratada como Empresa Cliente A empresa de Contact Criada em 2000, a Empresa de Contact é um grande player deste mercado atuando em diversos países, com sites no Brasil, Argentina, Colômbia e Peru. É considerada líder de mercado na América Latina e possui atividade comercial na Espanha e nos EUA, permitindo acesso a clientes globais para venda de serviços bilíngue. Os principais serviços são: Atendimento, Cobrança, Televendas, Retenção, Trade Marketing, Tecnologia, e Back-Office. É uma Cia de capital aberto e obteve registro na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e na SEC (Securities and Exchange Comission), respectivamente para negociar suas ações na BM&FBovespa e no mercado de balcão dos Estados Unidos. A seguir são apresentados os principais acontecimentos desde a sua criação até os dias de hoje: Start-up da Companhia, com a migração das operações de uma Estatal e conquista dos primeiros clientes externos Crescimento com ênfase em clientes de alto volume e alta complexidade Spin-off, abrindo caminho para o IPO "Liderança em Execução": foco na diferenciação dos serviços oferecidos e na excelência operacional. Listagem na Bovespa: primeira companhia de Contact na Bolsa de Valores A empresa se prepara para atuar em novas frentes de negócio, se tornando especializada em BPO, Business Process Outsourcing (Processos de Terceirização)

12 de CRM, Customer Relationship Managament (Gestão de Relacionamento com Clientes) Aquisição de uma das maiores companhias de trade marketing no Brasil Expansão Geográfica: Aquisição de uma das maiores empresas de Contact da América Latina Adesão ao segmento especial de listagem Nível 2 da BM&F Bovespa A empresa Cliente A Empresa Cliente é a maior empresa de multisserviços via cabo da América Latina e a que mais cresce no mercado brasileiro. Presente em mais de 100 cidades, entre elas São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Manaus, João Pessoa, Maceió, Vitória, Brasília e Goiânia. Oferece serviços de TV por assinatura, internet banda larga e telefonia fixa. Criada em 1991 a Empresa Cliente passou por diversas mudanças em sua estrutura acionária, dividida hoje em quatro grandes grupos, três brasileiros e um Mexicano Contexto do Processo Atual A empresa de Contact passa por um momento de mudanças no estilo de gestão, direcionada cada vez mais para resultados operacionais e financeiros, porém a sua estrutura de pessoas no nível gerencial não tem esta cultura bem formada. As decisões gerenciais são tomadas com base no feeling e não na utilização de dados em informação prática. No processo, a maioria dos atendimentos recebem tratativas com roteiros, dando a impressão de um atendimento robotizado, dificultando a resolução dos problemas dos clientes e alongando o tempo médio da chamada. Dados relevantes: A Empresa de Contact possui cerca de 1698 P.A s (Ponto de Atendimento) da conta da Empresa Cliente e aproximadamente operadores de telemarketing; Todas as P.A s estão localizadas no site de Porto Alegre; 12

13 13 Existe dificuldade para a contratação de profissionais de telemarketing para suportar o alto Turn Over mensal; O resultado financeiro atual da Operação não está entregando o orçamento previsto Motivação para a Melhoria A Empresa de Contact passa por uma mudança no modelo de contrato com a Empresa Cliente. No novo modelo de contrato a ser implantado é exigido que a área de Operações trabalhe com maior assertividade nas tratativas dos contatos com um desempenho melhor, diminuindo o indicador de TMO (Tempo Médio Operacional). TMO: É o tempo total (em segundos) dos contatos dividido pelo total de contatos atendidos ( ) O modelo de faturamento do contrato passará de Speaking Time Rate (Taxa de Tempo Falado) para o modelo Per Call (Por Ligação). Speaking Time Rate: Tempo total dos contatos atendidos x Preço Unitário Per Call: Quantidade de contatos atendidos x Preço unitário Desta maneira, é imprescindível ter o indicador de TMO controlado e com boa performance Mapeamento do Processo (AS/IS) Para entender os assuntos ofensores do indicador de TMO foram levantados junto à equipe responsável pela gestão da informação os dados para entendimento dos principais motivos de contatos, com o objetivo de obter um primeiro entendimento geral das chamadas, porém o sistema de classificação da chamada não foi alimentado de forma correta pelos operadores, conforme demonstrado na Figura 1.

14 14 Figura 1: Classificação dos contatos atendidos Abril 2012 Fonte: Relatório Motivos de Chamada Management Information System 91% das chamadas foram classificas como NÃO INFORMADO e para entender como se constituía o atendimento foi necessário mudar a abordagem de levantamento de dados, partindo para pesquisa de Focus Group com operadores e supervisores de atendimento. Em geral, no PDCA, mais especificamente no P, a estratificação dos problemas se dá através de um Gráfico de Pareto para assim direcionar esforços. Com a falta de informações, optou-se em obter os dados necessários para o detalhamento desejável in loco. Com objetivo de identificar os principais motivos de maior impacto no TMO, foram realizadas sessões de Focus Group com operadores e supervisores do 3º e 4º quartil, considerados ofensores deste indicador. Para quantificar e ter um material mais próximo da realidade utilizou-se uma matriz de Frequência e Impacto, sendo a frequência dada pela percepção individual dos pesquisados de poucas ou muitas ligações atendidas de determinado assunto, e Impacto, a percepção individual dos pesquisados de pouco ou muito tempo que tomava cada determinado assunto. Cada pesquisado dava uma nota (1, 3 ou 5) para a frequência e impacto.

15 15 Tabela 1: Exemplo da tabela utilizada nos Focus Group. Assunto Frequência Impacto TMO Dúvida / Contestação de Fatura Visita Técnica não Realizada Falta de Sinal Internet / Reset de senha Falta de sinal de TV Solicitação para restabelecimento de sinal (Fatura paga em atraso) Clientes de base antiga solicitando promoções para os novos clientes Não Recebimento da fatura Mudança de Pacote Venda indevida (pacote errado) Fonte: Documentos utilizados na pesquisa com os operadores e supervisores Após a pesquisa, conseguiu-se estratificar os principais assuntos que impactavam o TMO, conforme figura 2. 30% 25% 20% 15% 27% 10% 5% 17% 15% 12% 12% 9% 0% Problema técnico Internet Contestação da fatura Visita Técnica Mudança de não realizada Pacote Fatura paga atraso - Sem sinal 3% 3% 3% Clientes solicitando promoções Reclamação de vendas fora do padrão Não recebimento da fatura Outros Figura 2 - Pesquisa com operadores ofensores - Identificação de assuntos com maior impacto no TMO Fonte: Tabulação da pesquisa com operadores e supervisores

16 Análise do Desempenho Atual O projeto tem como objetivo adequar o indicador de TMO para que o novo modelo de contrato não cause impactos financeiros negativos à Empresa de Contact. No início deste trabalho o TMO geral dos atendimentos registrou um resultado de em 609. Ao analisar a situação atual, identificamos que podemos através de ações pautadas nas causas raízes das variáveis internas, melhorar o indicador de TMO, aumentando a produtividade atual. Para isso realizamos uma análise da distribuição normal do indicar de TMO durante o levantamento do processo atual, conforme figura 3 Summary for Histograma TMO Summary for Histograma TMO A nderson-darling Normality Test A -Squared 1,70 P-V alue < 0,005 Mean 553,09 StDev 172,00 V ariance 29583,03 Skew ness 0, Kurtosis 0, N Minimum 180,00 1st Q uartile 433,00 Median 540,00 3rd Q uartile 660,00 Maximum 1145,00 95% C onfidence Interval for Mean 526,81 579,37 95% C onfidence Interval for Median 506,37 560,63 95% Confidence Intervals 95% C onfidence Interval for StDev 155,32 192,72 Mean Median Figura 3 Summary for Histograma TMO Fonte: Relatório TMO por operador Management Information System Identificamos que existem resultados que prejudicam a análise, considerados outliers (comportamento atípico). Desta maneira, eliminamos os outiliers da análise, resultando em um histograma com um comportamento mais próximo de uma curva normal, conforme figura 4.

17 17 Summary for Histogram TMO sem outliers A nderson-darling Normality Test A -Squared 0,86 P-V alue 0,027 Mean 533,70 StDev 142,23 V ariance 20230,78 Skew ness 0, Kurtosis -0, N Minimum 232,00 1st Q uartile 432,00 Median 528,50 3rd Q uartile 622,25 Maximum 890,00 95% C onfidence Interval for Mean 511,35 556,05 95% C onfidence Interval for Median 501,21 550,79 95% Confidence Intervals 95% C onfidence Interval for StDev 128,09 159,92 Mean Median Figura 4 - Summary for Histograma TMO sem outliers Fonte: Relatório TMO por operador Management Information System Com base na distribuição normal do indicador de TMO podemos estabelecer uma meta de melhoria no desempenho atual. Recomendamos que a mesma seja próxima da mediana apresentada na análise, 528,5 segundos.

18 18 4. PROPOSIÇÃO DO NOVO PROCESSO 4.1. Busca de Soluções Do ponto de vista de atendimento do operador, cinco assuntos impactam em um tempo maior de atendimento. Desta maneira, ainda utilizando Focus Group, realizamos o exercício de identificação das causas raízes através do método da espinha de peixe com os mesmos operadores e supervisores participantes da pesquisa. Importante salientar que as causas que estão ligadas ao Método, Máquinas, Medição, Material e Ambiente para este projeto não terão tanto peso quanto as causas relacionadas à Mão de Obra. Esta decisão tem como base o esforço versus resultado no curto prazo, que no caso de uma Empresa de Contact, as ações voltadas para Mão de Obra (operadores de atendimento) têm um resultado que pode ser capturado mais rápido e demandam um menor esforço para efetivação, pois, na maioria das vezes, são variáveis internas que não demandam grandes alterações que necessite de negociação com a Empresa Cliente para implantação. Para as outras causas, recomenda-se que sejam avaliadas em um próximo momento objetivando a melhoria contínua no longo prazo.

19 19 Figura 5 Espinha de peixe para o assunto Problema Técnico Internet Fonte: Focus Group com operadores e supervisores O assunto Problema Técnico Internet é quando um cliente liga com qualquer problema devido ao funcionamento do serviço de internet disponibilizado pela Empresa Cliente, podendo ser desde lentidão até o não funcionamento completo. A maior causa identificada foi o não conhecimento do funcionamento do aparelho WI-FI pelos atendentes. A maioria dos atendentes não conhece o aparelho WI-FI que é disponibilizado pela Empresa Cliente aos seus clientes finais. A falta de contato com este equipamento gera demora na resolução do problema e/ou não resolução do mesmo. Foi identificado também que por conta da falta de treinamento, os atendentes solicitam pausas durante o atendimento para pesquisar uma resolução. Figura 6 Espinha de peixe para o assunto Contestação de Fatura Fonte: Focus Group com operadores e supervisores O assunto Contestação de Fatura é quando um cliente liga não entendendo uma cobrança na fatura ou mesmo contestando valores indevidos. Identificamos na análise que os atendentes não sabem fazer a leitura de forma correta da fatura. Sendo que o cálculo de Pro Rata dos valores devidos não são

20 20 explicados para os clientes de forma coerente e direta. O próprio cálculo não é entendido por grande parte dos atendentes. A principal causa mapeada foi a falta de um treinamento mais prático com situações reais do dia a dia, praticando mais as sondagens, perguntando mais ao cliente para saber exatamente de qual ponto da fatura ele está falando. Figura 7 Espinha de peixe para o assunto Visita Técnica não realizada Fonte: Focus Group com operadores e supervisores O assunto Visita técnica não realizada é quando a ligação é referente ao não comparecimento do técnico da empresa cliente de uma visita agendada. Do ponto de vista do atendente, não há muito que fazer, pois está é uma variável de controle da Empresa Cliente. Mas a falta de uma argumentação direta e coerente para a remarcação da visita gera insatisfação do cliente, aumentando o tempo da ligação indevidamente.

21 21 Figura 8 Espinha de peixe para o assunto Mudança de Pacote Fonte: Focus Group com operadores e supervisores Na mudança de pacote, mapeamos que a principal causa foi a baixa familiaridade dos atendentes com os pacotes a serem oferecidos. Quando um cliente liga solicitando up grade ou down grade (aumento de serviços ou diminuição de serviços) os atendentes não têm conhecimento e vivência com o produto do cliente, gerando demora no atendimento. A realidade do atendente não o permite falar na mesma linguagem do cliente quando se trata de multisserviços via cabo, como TV por assinatura e Internet banda larga. O atendente tem somente uma lista com uma descrição breve de cada produto, não permitindo passar as informações no nível esperado pelo cliente, o que gera cada vez mais perguntas alongando o tempo de atendimento.

22 22 Figura 9 Espinha de peixe para o assunto Fatura paga em Atraso Sem Sinal Fonte: Focus Group com operadores e supervisores Quando um cliente deixa de pagar a fatura, dependendo do histórico de pagamento, os serviços são cortados pela Empresa Cliente. Após o pagamento da fatura em atraso o cliente liga solicitando restabelecimento do sinal. Para este assunto, foi identificado que os atendentes, em sua maioria, prometem o retorno do sinal em até dois dias úteis (tempo para o sistema identificar o pagamento), porém o cliente exige o retorno do sinal imediatamente e a reclamação se estende, gerando um tempo de atendimento alto. A maior causa impactante é a falta de uma alçada maior para o atendente para liberar o sinal via requerimento, uma vez que o cliente pode mandar via o comprovante de pagamento. Para todos os assuntos, duas causas comuns foram identificadas, falta de argumentação e sondagem junto ao cliente. Os atendentes, segundo a análise, não sabem argumentar com o cliente perdendo o controle da ligação, A falta de sondagem faz com que o atendente entenda de forma errada o problema do cliente ou de forma muito superficial, o que o faz demorar a entender qual o próximo passa a ser dado na ligação e assim resolver o problema de fato no melhor tempo possível.

23 23 Outra causa identificada foi o tempo gasto na digitação para registro da ligação, tanto pela velocidade baixa de digitação como o registro excessivo de informações no sistema, pois os atendentes não sabem qual é o mínimo necessário a ser escrito para não serem advertidos pela equipe de monitoria Novos Processos Propostos Para atingir o objetivo, com base nas causar raízes apresentadas, propomos as seguintes ações, por ondem de assunto identificado na Figura 2 - Pesquisa com operadores ofensores - Identificação de assuntos com maior impacto no TMO. Problemas Técnicos de Internet: Capacitar os operadores de 3º e 4º quartil nas melhores práticas de atendimento ao suporte técnico da internet. Demonstrar através de ligações de operadores benchmarks como deve ser feito um atendimento rápido, eficaz e com Qualidade. Importante o treinamento ser realizado em laboratórios com simulação de situações reais vividas pelo o Cliente. Capacitar os operadores de 3º e 4º quartil em processos e configurações do atendimento sobre WI-Fi, o ideal é que este treinamento seja realizado em laboratório Técnico com os equipamentos comercializados atualmente. Contestação de Fatura: Capacitar a equipe de 3º e 4º quartil numa visão processual e cronológica da fatura, assim como todos os seus detalhamentos. Esse treinamento deve ser dado por um especialista. Num segundo momento deve-se demonstrar atendimentos realizados por operadores benchmarks para trabalhar a acuracidade da informação e comportamento seguro, para que o Cliente confie na informação gerada pelo operador. Visita técnica não realizada: Identificar os melhores operadores com as melhores argumentações sobre o tema visitas técnicas não realizadas. A ideia é realizar um treinamento comportamental, explicando os motivos pelos quais os clientes geram atritos e situações inteligentes que possibilitaram um melhor convívio entre o

24 24 operador e o Cliente. Ideal transferir este conhecimento para todos operadores. Criar, indicar e rastrear quais técnicos prestam serviços de baixa qualidade e encaminhar para a auditoria da empresa Cliente. Mudança de Pacote: Realizar treinamento de reciclagens sobre pacotes e mudanças de pacotes. Apresentar situações práticas e ágeis de como deve ser feito a alteração com correta utilização dos códigos de registros, como ler os valores a serem cobrados na pro-rata. Ideal aplicar prova no final do treinamento, pois, o operador precisa ter clareza sobre o que contempla cada pacote. Fatura paga em atraso Sem sinal: Rever processo para aumentar a autonomia da célula de atendimento. O Cliente é bastante insistente para que o retorno seja feito de imediato, após pagamento da fatura em atraso. Com base nas causas comuns identificadas em todos os assuntos atendidos identificamos também a digitação lenta e/ou excessiva no registro das ligações, desta maneira propomos avaliar a quantidade de operadores que não possuem datilografia. Caso viável, elaborar capacitação. Em média cada operador do quarto quartil e que não possui datilografia leva 1 minuto e 10 segundos para registrar uma única linha. Em média observamos 17 linhas por contato.

Expomoney São Paulo. Setembro de 2012

Expomoney São Paulo. Setembro de 2012 Expomoney São Paulo Setembro de 2012 Contax Visão Geral Contact Center Brasil Resultados Financeiros Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Principais serviços: Atendimento, Cobrança, Televendas, Retenção, Trade

Leia mais

Apresentação Corporativa. Bradesco BBI - Dezembro de 2011

Apresentação Corporativa. Bradesco BBI - Dezembro de 2011 Apresentação Corporativa Bradesco BBI - Dezembro de 2011 Contax Visão Geral Contax - Core Business Estratégia e Tendências de Mercado Resultados Financeiros Contax Visão Geral CONTAX OVERVIEW Companhia

Leia mais

Apresentação de Resultados 4T11. 1º de Março de 2012

Apresentação de Resultados 4T11. 1º de Março de 2012 Apresentação de Resultados 4T11 1º de Março de 2012 Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Operação em 4 países: Brasil, Colômbia, Argentina e Peru Líder na América Latina em serviços de relacionamento com consumidores

Leia mais

Como integrar R&S com treinamento em call center

Como integrar R&S com treinamento em call center 1 Como integrar R&S com treinamento em call center Já abordamos em outros artigos temas complexos em call center como a formação de cultura organizacional, o perfil do profissional de call center, sistemas

Leia mais

Senhores Acionistas, Os principais serviços da TNL Contax são:

Senhores Acionistas, Os principais serviços da TNL Contax são: Senhores Acionistas, A Administração da Contax Participações S.A. ( Contax Participações ) submete, em conjunto com as demonstrações financeiras e o parecer dos auditores independentes, o Relatório da

Leia mais

GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Professor Wagner Luiz Aula - Como obter sucesso em uma implementação de CRM e o Processo da Comunicação. Março de 2014 São Paulo -SP Call Center & CRM 2007 CRM: do

Leia mais

Empresa do Grupo como foco soluções completas em gestão de ambientes de TI, desenvolvimento de software e inteligência de CRM,

Empresa do Grupo como foco soluções completas em gestão de ambientes de TI, desenvolvimento de software e inteligência de CRM, A todo! Portfólio Clientes Empresa do Grupo, tendo como foco soluções completas em gestão de ambientes de TI, desenvolvimento de software e inteligência de CRM, Uma das 10 maiores empresas de TI do Brasil

Leia mais

SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO

SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO ESTRATÉGIAS DE REMUNERAÇÃO REMUNERAÇÃO ESTRATÉGICA É O USO INTELIGENTE DAS VÁRIAS FORMAS DE REMUNERAÇÃO, CUJO CONJUNTO ESTABELECE UM FORTE VÍNCULO COM A NOVA REALIDADE DAS ORGANIZAÇÕES

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Apresentação Corporativa. Março de 2012

Apresentação Corporativa. Março de 2012 Apresentação Corporativa Março de 2012 Contax Visão Geral Contax - Produtos e Serviços Contax - Core Business Resultados Financeiros Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Operação em 4 países: Brasil, Colômbia,

Leia mais

LB Marketing O verdadeiro foco no cliente PROPOSTA DE PROJETO DE AUDITORIA DE ATENDIMENTO AO CLIENTE NO PDV

LB Marketing O verdadeiro foco no cliente PROPOSTA DE PROJETO DE AUDITORIA DE ATENDIMENTO AO CLIENTE NO PDV LB Marketing O verdadeiro foco no cliente PROPOSTA DE PROJETO DE AUDITORIA DE ATENDIMENTO AO CLIENTE NO PDV Santa Maria-RS, Março de 2012 2 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. MÉTODO DE PESQUISA CLIENTE OCULTO...

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 3T12. Apresentação Corporativa. Outubro de 2012

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 3T12. Apresentação Corporativa. Outubro de 2012 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 3T12 Apresentação Corporativa Outubro de 2012 Contax Visão Geral Contax - Produtos e Serviços Contax - Core Business Resultados Financeiros Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Principais

Leia mais

Business & Executive Coaching - BEC

Business & Executive Coaching - BEC IAC International Association of Coaching Empresas são Resultados de Pessoas José Roberto Marques - JRM O Novo Cenário no Mundo dos Negócios O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo e as empresas

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

TREINAMENTO CONTACTCENTER

TREINAMENTO CONTACTCENTER TREINAMENTO CONTACTCENTER CENTER CONTACT Os Contact Centers atuais têm um grande impacto nas empresas em diversos aspectos referentes a lucro, custos, inteligência de mercado e fidelização do cliente. Para

Leia mais

Business & Executive Coaching - BEC

Business & Executive Coaching - BEC IAC International Association of Coaching Empresas são Resultados de Pessoas José Roberto Marques - JRM O Atual Cenário no Mundo dos Negócios O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo, nesse

Leia mais

PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA

PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA SUMÁRIO DE PROJETOS WORKFLOW... 03 ALINHAMENTO ESTRATÉGICO... 04 IDENTIDADE CORPORATIVA... 04 GESTÃO DE COMPETÊNCIAS... 05 TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO... 05 REMUNERAÇÃO...

Leia mais

GR SOLUÇÕES EMPRESARIAIS IMPULSIONANDO A COMPETITIVIDADE DE SUA EMPRESA

GR SOLUÇÕES EMPRESARIAIS IMPULSIONANDO A COMPETITIVIDADE DE SUA EMPRESA Quem Somos: A GR Soluções Empresarias é uma empresa provedora de soluções corporativas e serviços personalizados em Advocacia, Contabilidade e Tecnologia da Informação, orientada pelos interesses das empresas

Leia mais

Outsourcing em Telecom. BI Telecom. Gestão em Telecomunicações. Tarifação e Administração de Ligações. SGTC Corporativo. Auditoria em Telecom

Outsourcing em Telecom. BI Telecom. Gestão em Telecomunicações. Tarifação e Administração de Ligações. SGTC Corporativo. Auditoria em Telecom Sobre a TeleGestão A TeleGestão, especialista em gestão de telecomunicações, dedica-se há mais de 20 anos ao desafio de adequar recursos de telefonia ao perfil corporativo de diversos setores. As soluções

Leia mais

Terceirização de Serviços de TI

Terceirização de Serviços de TI Terceirização de Serviços de TI A visão do Cliente PACS Quality Informática Ltda. 1 Agenda Terceirização: Perspectivas históricas A Terceirização como ferramenta estratégica Terceirização: O caso específico

Leia mais

Por que utilizar o modelo ITIL

Por que utilizar o modelo ITIL Por que utilizar o modelo ITIL... O que não é definido não pode ser controlado... O que não é controlado não pode ser medido... O que não é medido não pode ser melhorado Empregado para definir, controlar,

Leia mais

Senhores Acionistas, Os principais serviços da TNL Contax são:

Senhores Acionistas, Os principais serviços da TNL Contax são: Senhores Acionistas, A Administração da Contax Participações S.A. ( Contax Participações ) submete, em conjunto com as demonstrações financeiras e o parecer dos auditores independentes, o Relatório da

Leia mais

Gestão orçamentária na Construção Civil

Gestão orçamentária na Construção Civil Um retrato dos desafios, práticas e resultados do planejamento orçamentário Maio, 2014 Agenda Metodologia e amostra Desafios e cultura da organização na gestão orçamentária Processos e riscos do planejamento

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 3 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte I) Flávio I. Callegari O perfil do profissional de negócios Planejamento

Leia mais

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros Quem somos Nossos Serviços Processo de Negociação Clientes e Parceiros O NOSSO NEGÓCIO É AJUDAR EMPRESAS A RESOLVEREM PROBLEMAS DE GESTÃO Consultoria empresarial a menor custo Aumento da qualidade e da

Leia mais

MBA em gestão de negócios

MBA em gestão de negócios MBA em gestão de negócios MBA EXECUTIVO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS O MBA Executivo em Gestão de Negócios do Grupo Ibmec foi desenvolvido para responder à demanda do mercado por profissionais cada vez mais qualificados

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO MBA GESTÃO DE VAREJO 1 - FORMAÇÃO DE PREÇO E ANÁLISE DE MARGEM NO VAREJO: Ementa: Conhecer o conceito de lucro na visão da precificação baseada no custo; demonstrar termos utilizados na formação de preço

Leia mais

Manual de orientação para o PROJETO INTEGRADOR DE PESQUISA - (PIP)

Manual de orientação para o PROJETO INTEGRADOR DE PESQUISA - (PIP) Manual de orientação para o PROJETO INTEGRADOR DE PESQUISA - (PIP) Manual de orientação para o PROJETO INTEGRADOR DE PESQUISA (PIP) Itu/SP 2013 SUMÁRIO 1) INTRODUÇÃO...04 A) Etapa 1: Proposta...05 B) Etapa

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

Soluções para CRM, Billing e OSS

Soluções para CRM, Billing e OSS Soluções para CRM, Billing e OSS O que é o Sigma Plenus O ambiente SIGMA PLENUS oferece ao mercado de serviços do segmento de Telecomunicações as soluções de software para OSS, Customer Care, Marketing

Leia mais

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br COBIT Governança de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Sobre mim Juvenal Santana Gerente de Projetos PMP; Cobit Certified; ITIL Certified; OOAD Certified; 9+ anos de experiência em TI; Especialista

Leia mais

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes Mais que implantação, o desafio é mudar a cultura da empresa para documentar todas as interações com o cliente e transformar essas informações em

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa 1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa A motivação, satisfação e insatisfação no trabalho têm sido alvo de estudos e pesquisas de teóricos das mais variadas correntes ao longo do século XX. Saber o que

Leia mais

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa Insper Instituto de Ensino e Pesquisa Certificate in Business Administration CBA Thiago Ganme Pedroso Abdalla ESTUDO DE CASO NEW CREDIT São Paulo 2014 Thiago Ganme Pedroso Abdalla NEW CREDIT ATIVAÇÃO DE

Leia mais

Permita-se ir além e descubra uma nova possibilidade, um conjunto de ideias e inovação, construído por você.

Permita-se ir além e descubra uma nova possibilidade, um conjunto de ideias e inovação, construído por você. Somos uma empresa inovadora, que através de uma metodologia vencedora proporciona a nossos clientes um ambiente favorável ao desenvolvimento de capacidades, para que seus profissionais alcancem o melhor

Leia mais

Sistema Gestão de Gente

Sistema Gestão de Gente Sistema Gestão de Gente Uma organização moderna requer ferramentas de gestão modernas, que incorpore as melhores práticas de mercado em gestão de recursos humanos, que seja fácil de usar e que permita

Leia mais

Manual do Call Center para seguradoras

Manual do Call Center para seguradoras Manual do Call Center para seguradoras Introdução guradoras, além da necessidade de manter um canal de contato com os segurados, a qualidade sa estarão lidando com pessoas muitas vezes psicologicamente

Leia mais

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Página 1 de 6 MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados: 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas

Leia mais

GLOSSÁRIO - OUTSOURCING

GLOSSÁRIO - OUTSOURCING CONCEITO GLOSSÁRIO - OUTSOURCING DESCRIÇÃO 1ª LINHA Operadores generalistas que fazem o primeiro contacto e a triagem de chamadas em operações de help-desk, para então passar as chamadas aos operadores

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

Sistemas de Informação: tipos e características

Sistemas de Informação: tipos e características Sistemas de Informação: tipos e características Tipos de sistemas de informação. Os quatro tipos principais de sistemas de informação. Sistemas do ponto de vista de pessoal Sistemas de processamento de

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

NET, Claro e Embratel se unem para transformar a oferta de telecomunicações e entretenimento no Brasil

NET, Claro e Embratel se unem para transformar a oferta de telecomunicações e entretenimento no Brasil NET, Claro e Embratel se unem para transformar a oferta de telecomunicações e entretenimento no Brasil Empresas investem na integração das suas redes e lançam a mais completa oferta convergente de serviços

Leia mais

Questões atualizadas no PMBoK 5ª edição versão 2015. Respostas comentadas com justificativa e seção do PMBoK correspondente.

Questões atualizadas no PMBoK 5ª edição versão 2015. Respostas comentadas com justificativa e seção do PMBoK correspondente. Copyright 2015 PMtotal.com.br - Todos os direitos reservados PMI, Guia PMBOK, PMP, CAPM são marcas registradas do Project Management Institute, Inc Simulado de 20 questões para as provas CAPM e PMP do

Leia mais

CLIENTE MAL ATENDIDO, DE QUEM É A CULPA?

CLIENTE MAL ATENDIDO, DE QUEM É A CULPA? CLIENTE MAL ATENDIDO, DE QUEM É A CULPA? Por: Roberto Pessoa Madruga Todos nós sabemos o quanto as empresas estão preocupadas em atender seus clientes de maneira mais profissional e prioritária. Na estrada

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO Plano de Ação Estratégico Estratégias empresariais Anexo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE Unidade de Capacitação Empresarial Estratégias

Leia mais

Controle e Venda com o PN Consig O MERCADO

Controle e Venda com o PN Consig O MERCADO O MERCADO Controle e Venda com o PN Consig Mais de 40 milhões de consumidores Deste mercado, estima-se que 58% já realizaram no mínimo uma operação de crédito com desconto consignado. COMO CONTROLAR E

Leia mais

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado)

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) Propõe que a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle com o auxílio do Tribunal de Contas da União e do Ministério Público

Leia mais

Especial ANATEL Como se adequar à nova legislação para empresas de telefonia

Especial ANATEL Como se adequar à nova legislação para empresas de telefonia Especial ANATEL Como se adequar à nova legislação para empresas de telefonia Introdução A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou em 20 de fevereiro de 2014 novas regras para provedores de

Leia mais

Conceitos Básicos e Implementação. Entrega de Serviços. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com)

Conceitos Básicos e Implementação. Entrega de Serviços. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com) Conceitos Básicos e Implementação Pref. Mun. Vitória 2007 Analista de Suporte 120 A ITIL (information technology infrastructure library) visa documentar as melhores práticas na gerência, no suporte e na

Leia mais

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve.

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve. Balanced Scorecard BSC 1 2 A metodologia (Mapas Estratégicos e Balanced Scorecard BSC) foi criada por professores de Harvard no início da década de 90, e é amplamente difundida e aplicada com sucesso em

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16. Instrução Normativa: 14.16/08-01. Revisão nº 0102. Data da Revisão: 22/10/2012. Resolução Sup.

INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16. Instrução Normativa: 14.16/08-01. Revisão nº 0102. Data da Revisão: 22/10/2012. Resolução Sup. INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16 Telemarketing Ativo Origem: Diretoria Superintendência Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de Mato Grosso Instrução Normativa: 14.16/08-01 Revisão nº 0102

Leia mais

Direcionando o Planejamento Estratégico com Modelo de Previsão Um artigo técnico da Oracle Junho de 2007

Direcionando o Planejamento Estratégico com Modelo de Previsão Um artigo técnico da Oracle Junho de 2007 Direcionando o Planejamento Estratégico com Modelo de Previsão Um artigo técnico da Oracle Junho de 2007 Direcionando o Planejamento Estratégico com Modelo de Previsão Com um processo funcional de planejamento

Leia mais

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Comunicação empresarial eficiente: Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Sumário 01 Introdução 02 02 03 A comunicação dentro das empresas nos dias de hoje Como garantir uma comunicação

Leia mais

CBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

CBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS CBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS CBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS O CBA em Gestão de Negócios é um curso que proporciona aos participantes sólidos fundamentos em gestão e liderança. O programa tem o objetivo de formar

Leia mais

MBA Gestão de Negócios e Pessoas

MBA Gestão de Negócios e Pessoas PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Nome do Curso MBA Gestão de Negócios e Pessoas Área de Conhecimento Ciências Sociais Aplicadas Nome do Coordenador do Curso e Breve Currículo: Prof.

Leia mais

Um conjunto de soluções para sua empresa se comunicar e vender mais! Guia de Produtos e Serviços. Abril de 2011

Um conjunto de soluções para sua empresa se comunicar e vender mais! Guia de Produtos e Serviços. Abril de 2011 Um conjunto de soluções para sua empresa se comunicar e vender mais! Guia de Produtos e Serviços Abril de 2011 1 2 Plural Consultoria 3 Plural Tecnologia Menu A plural se organizou em três divisões para

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

We make things move. Acesse: fastalways.com.br. We make things move Officid ullupta ctota poreper oremqui conse Minum Peris ius enitio voluptatur

We make things move. Acesse: fastalways.com.br. We make things move Officid ullupta ctota poreper oremqui conse Minum Peris ius enitio voluptatur We make things move We make things move Officid ullupta ctota poreper oremqui conse Minum Peris ius enitio voluptatur Acesse: fastalways.com.br www.yoursite.com 2 21. 2716.6601 www.fastalways.com.br Quem

Leia mais

Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios.

Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios. Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios. Autor: Douglas Marcos da Silva 7 Sumário Executivo Nas últimas décadas, a evolução tecnológica, a interdependência dos mercados e a intensificação

Leia mais

Capacitação em Call Center: uma análise sobre os processos de treinamento e de seus resultados

Capacitação em Call Center: uma análise sobre os processos de treinamento e de seus resultados IX WORKSHOP DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DO CENTRO PAULA SOUZA São Paulo, 15 e 16 de outubro de 2014 Estratégias Globais e Sistemas Produtivos Brasileiros ISSN: 2175-1897 Capacitação em Call Center: uma

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

perfil institucional CONTAX Perfil Institucional

perfil institucional CONTAX Perfil Institucional perfil institucional CONTAX Perfil Institucional 1 mensagem da Administração 3 4 6gente 7 nosso negócio a contax 13 14 tecnologia presença perfil institucional CONTAX Mensagem da Administração A história

Leia mais

CONTACT CENTER. Serviços Especializados e Profissionalização do Mercado no Brasil

CONTACT CENTER. Serviços Especializados e Profissionalização do Mercado no Brasil CONTACT CENTER Serviços Especializados e Profissionalização do Mercado no Brasil Cenário Nos últimos dez anos, o desenvolvimento das tecnologias de informação permitiu um forte crescimento do setor de

Leia mais

Brasil em Alto Contraste: Conhecer é preciso

Brasil em Alto Contraste: Conhecer é preciso Brasil em Alto Contraste: Conhecer é preciso Percepção da Pesquisa no Brasil Congresso Brasileiro de Pesquisa Mercado h Opinião h Mídia Nelsom Marangoni Ney Luiz Silva Mudanças, muitas mudanças... e mudanças

Leia mais

Visão estratégica para compras

Visão estratégica para compras Visão estratégica para compras FogStock?Thinkstock 40 KPMG Business Magazine Mudanças de cenário exigem reposicionamento do setor de suprimentos O perfil do departamento de suprimentos das empresas não

Leia mais

Seminários Públicos Hay Group 2010

Seminários Públicos Hay Group 2010 Seminários Públicos Hay Group 2010 São Paulo, outubro de 2009 É com grande satisfação que estamos lhe apresentando nosso portfólio de seminários abertos Hay Group 2010. Esclarecemos que todos os seminários

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Como um CSC pode alavancar Fusões e Aquisições

Como um CSC pode alavancar Fusões e Aquisições Como um CSC pode alavancar Fusões e Aquisições Supply Chain Finance 2011 3 Como um CSC pode alavancar Fusões e Aquisições Autores: Vanessa Saavedra/ Manuela Dantas/ Maurício Cavalieri/ Rafael Pinheiro

Leia mais

Liderança e Gestão de Pessoas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Liderança e Gestão de Pessoas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Aula 03 Gestão de Marketing

Aula 03 Gestão de Marketing Aula 03 Gestão de Marketing Análise SWOT, Segmentação de Mercado e Mix de Marketing Prof. Marcopolo Marinho Prof. Esp. Marcopolo Marinho Segmentação é a identificação sistemática de conjuntos e subconjuntos

Leia mais

FUTURAS LINHAS DE INVESTIGAÇÃO EM CALL CENTER

FUTURAS LINHAS DE INVESTIGAÇÃO EM CALL CENTER FUTURAS LINHAS DE INVESTIGAÇÃO EM CALL CENTER A partir de um novo modelo de Negócio A idéia de que a qualidade de serviço afeta a conduta de compra do cliente e, mais amplamente, seu valor na Organização

Leia mais

O que é Coaching? É um processo que visa aumentar o

O que é Coaching? É um processo que visa aumentar o O que é Coaching? É um processo que visa aumentar o desempenho de um indivíduo, grupo ou empresa, possibilitando o alcance de resultados planejados, através de metodologias, ferramentas e técnicas, conduzidas

Leia mais

Gestão por Processos como opção estratégica que alicerça o crescimento internacional

Gestão por Processos como opção estratégica que alicerça o crescimento internacional Gestão por como opção estratégica que alicerça o crescimento internacional Ester Umeki Gerente Sistemas de Gestão Internacional São Paulo, 1 de Fevereiro de 2012 ESSÊNCIA NATURA NATURA TODODIA AMÓ MAMÃE

Leia mais

COMO UM CSC PODE ALAVANCAR FUSÕES E AQUISIÇÕES. Vanessa Saavedra, Manuela Dantas, Maurício Cavalieri e Rafael Pinheiro

COMO UM CSC PODE ALAVANCAR FUSÕES E AQUISIÇÕES. Vanessa Saavedra, Manuela Dantas, Maurício Cavalieri e Rafael Pinheiro COMO UM CSC PODE ALAVANCAR FUSÕES E AQUISIÇÕES Vanessa Saavedra, Manuela Dantas, Maurício Cavalieri e Rafael Pinheiro Fusão e aquisição (F&A) são termos, por vezes, tratados como sinônimos. Entretanto,

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Marketing com Ênfase em Ambiente Digital.

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Marketing com Ênfase em Ambiente Digital. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Marketing com Ênfase em Ambiente Digital. Coordenação Acadêmica: Prof. Guilherme Eduardo Korndorfer Código no SIGA: TMBAMKT*11/10 1 OBJETIVO: Familiarizar

Leia mais

Alinhamento entre Estratégia e Processos

Alinhamento entre Estratégia e Processos Fabíola Azevedo Grijó Superintendente Estratégia e Governança São Paulo, 05/06/13 Alinhamento entre Estratégia e Processos Agenda Seguros Unimed Modelo de Gestão Integrada Kaplan & Norton Sistema de Gestão

Leia mais

Questionário de entrevista com o Franqueador

Questionário de entrevista com o Franqueador Questionário de entrevista com o Franqueador O objetivo deste questionário é ajudar o empreendedor a elucidar questões sobre o Franqueador, seus planos de crescimento e as diretrizes para uma parceria

Leia mais

Argumentos de Vendas. Versão 20150206.01. Nossa melhor ligação é com você

Argumentos de Vendas. Versão 20150206.01. Nossa melhor ligação é com você Argumentos de Vendas Versão 20150206.01 Nossa melhor ligação é com você Algumas perguntas que podem ser feitas Você está satisfeito com sua operadora atual? Você é bem atendido quando liga na central de

Leia mais

Introdução. Este roteiro tem a pretensão de servir como facilitador na construção de um plano de negócios compreensível e realista

Introdução. Este roteiro tem a pretensão de servir como facilitador na construção de um plano de negócios compreensível e realista 1 Introdução Empreender significa determinar um caminho para perseguir, ou qualquer caminho servirá. Uma vez no caminho, o sucesso dáse pela combinação entre visão, paixão e disciplina na execução. Já

Leia mais

Profa. Reane Franco Goulart

Profa. Reane Franco Goulart Sistemas CRM Profa. Reane Franco Goulart Tópicos Definição do CRM O CRM surgiu quando? Empresa sem foco no CRM e com foco no CRM ParaqueCRM é utilizado? CRM não é tecnologia, CRM é conceito! CRM - Customer

Leia mais

Go To Market Estratégias de Otimização de Resultados Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração

Go To Market Estratégias de Otimização de Resultados Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro 1 Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro Atuamos junto a estes três grupos de empresas, ajudando-os a atender da melhor maneira às necessidades do consumidor 2 Atendemos às necessidades

Leia mais

Consultoria Auditoria Gestão Suporte Redução de Custos www.alditel.com.br

Consultoria Auditoria Gestão Suporte Redução de Custos www.alditel.com.br Consultoria Auditoria Gestão Suporte Redução de Custos www.alditel.com.br Índice A Empresa...03 Serviços Prestados......04 1 Auditoria de faturas...04 2 Elaboração de relatórios gerenciais para gestão

Leia mais

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos Terceirização de Processos Empresariais da Capgemini Um componente da área de Serviços Públicos da Capgemini As concessionárias de serviços

Leia mais

Gestão de Clientes no Mercado de Consórcios

Gestão de Clientes no Mercado de Consórcios Relatório de pesquisa Gestão de Clientes no Mercado de Consórcios Via Consulting Maio de 2009 1 Caro leitor, Gostaria de convidá-lo a conhecer o resultado de uma pesquisa patrocinada pela Via Consulting

Leia mais

FERRAMENTAS E INDICADORES DE DESEMPENHO

FERRAMENTAS E INDICADORES DE DESEMPENHO FERRAMENTAS E INDICADORES DE DESEMPENHO Mito ou Verdade? Tudo que é importante tem que ser medido Tudo que é medido deve ser gerenciado Tudo que é gerenciado pode ser melhorado Formas de representação

Leia mais

CONQUISTAR E MANTER CLIENTES

CONQUISTAR E MANTER CLIENTES 1 CONQUISTAR E MANTER CLIENTES Historicamente, o marketing se concentrou na atração de novos clientes. O pessoal de vendas era mais recompensado por achar um novo cliente do que por prestar muita atenção

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA Habilidades Computacionais 32 h/a Oferece ao administrador uma visão sobre as potencialidades da tecnologia

Leia mais

Sistemas ERP - 01. Sistemas de Informações Gerenciais Rafael Diniz

Sistemas ERP - 01. Sistemas de Informações Gerenciais Rafael Diniz Sistemas ERP - 01 Sistemas de Informações Gerenciais Rafael Diniz Tipos de Sistemas de Informação Empresariais Sistemas que abrangem toda a empresa Aplicativos Integrados Sistemas que abrangem todas as

Leia mais

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br POR QUE ESCREVEMOS ESTE E-BOOK? Nosso objetivo com este e-book é mostrar como a Gestão de Processos

Leia mais

GESTÃO CORPORATIVA - DGE

GESTÃO CORPORATIVA - DGE GESTÃO CORPORATIVA Heleni de Mello Fonseca Diretoria de Gestão Empresarial - DGE Apresentador: Lauro Sérgio Vasconcelos David Belo Horizonte, 29 de maio de 2006 1 AGENDA Direcionamento Estratégico Iniciativas

Leia mais

O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia.

O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia. O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia. Rio Grande do Sul Brasil PESSOAS E EQUIPES Equipes que

Leia mais

Organização por Processos Por Vitor Hugo De Castro Cunha

Organização por Processos Por Vitor Hugo De Castro Cunha Organização por Processos Por Vitor Hugo De Castro Cunha Com a ploriferação das técnicas de administração, estratégia e normas de qualidade, freqüentemente nos perguntamos se nossa organização oferece

Leia mais

SIG Capítulo 2 - Parte 2

SIG Capítulo 2 - Parte 2 Estudo de Caso: Flextronics SIG Capítulo 2 - Parte 2 Produtora de componentes para PC s, celulares e outros equipamentos Clientes como a Cisco, Dell e a Ericsson Pratica margens baixíssimas de 3% a 5%

Leia mais

FACULDADES SPEI Curso de Administração MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DAS FACULDADES SPEI

FACULDADES SPEI Curso de Administração MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DAS FACULDADES SPEI FACULDADES SPEI Curso de Administração MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DAS FACULDADES SPEI CURITIBA 2009 Manual de Estágios Matriz Curricular 2009 2 1. APRESENTAÇÃO Este manual

Leia mais

3 Apresentação do caso

3 Apresentação do caso 3 Apresentação do caso Neste capítulo será contextualizado o mercado de telefonia móvel no Brasil, com a descrição dos principais concorrentes e a participação de mercado de cada um deles, a apresentação

Leia mais