JOGOS MATEMÁTICOS: UM DESAFIO À PRÁXIS PEDAGÓGICA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JOGOS MATEMÁTICOS: UM DESAFIO À PRÁXIS PEDAGÓGICA"

Transcrição

1 Universidade Federal de Pernambuco Centro de Educação PROJETO REDE ANAIS DO SEMINÁRIO JOGOS COM SUCATA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA JOGOS MATEMÁTICOS: UM DESAFIO À PRÁXIS PEDAGÓGICA LEOPOLDINA MARIA ARAUJO DE MIRANDA ESCOLA MUNICIPAL INÊS SOARES DE LIMA RECIFE Resumo A experiência com jogos matemáticos tem sido construída com momentos de encontros marcados por reflexões sobre o nosso fazer pedagógico na escola, em nossas salas de aulas e sobre as teorias que embasaram e embasam as nossas vivências cotidianas na escola. Percebemos, também, durante esse ano de formação, que há uma necessidade de rever nossos laços construídos com a matemática e que ficaram marcados em nossa história pessoal, estudantil e que se espelham na profissional. A oportunidade de repensar, refazer e reaproveitar materiais ao se elaborar um jogo e utilizá-lo como atividades de matemática nos fez rever déficits que temos com alguns conteúdos matemáticos e com as estratégias didáticas desenvolvidas em sala. Portanto, o projeto é encantador porque propicia as vivências lúdicas ao jogar, e com isso momentos agradáveis do brincar aprendendo, foi um dos motivos e estímulos para que a formação de professores se desse também sob a ótica do prazer, do desafio, do se oportunizar crescer à luz da teoria e da prática. Palavras-chave: jogos matemáticos, desafio, práxis e ludicidade. 1.INTRODUÇÃO (JOGOS MATEMÁTICOS: UM NOVO OLHAR) Vivenciar o Projeto Rede _ Jogos na Educação Matemática como formadora tem sido de grande reflexão sobre práticas pedagógicas. Sou Leopoldina Miranda, professora e atuando como coordenadora pedagógica na Escola

2 Municipal Inês Soares de Lima, Recife. Trabalho como formadora da turma D1 constituída por 21 professoras das turmas do 3º ano do I CICLO e as turmas do 1º e 2º ano do II CICLO do Ensino Fundamental. A formação acontece mensalmente, com encontros presenciais e a distância, perfazendo um total de 90 horas. Sou uma apaixonada por jogos didáticos! Como psicopedagoga, tenho os jogos como fio condutor do meu trabalho, eles são motivadores e propulsores do meu lado pesquisador, no qual o objeto de estudo são as dificuldades de aprendizagem. Percebo que na escola, muitas crianças apresentam dificuldades no raciocínio lógico e como consequência um mau desempenho e o insucesso na matemática. Lembro-me que esta percepção foi reforçada com as falas das professoras, no momento inicial do curso. A partir delas começaram a se delinear, também, as dificuldades que algumas professoras têm em relação a sua convivência com a matemática, seja por comportamentos de antipatia com o seu professor no processo de escolarização, seja pela falta de compreensão de determinados conteúdos matemáticos ou pela forma metodológica ineficiente, sem despertar interesses ou estabelecer relações significativas à vida. Possibilitar as crianças a pensarem sobre o uso de materiais reaproveitáveis também foi muito rico, porque elas tiveram que pegar e sentir os materiais, além de fazer escolhas, construir o jogo, refletir sobre formas, tamanhos, medidas, dentre outros conteúdos matemáticos. Uma oportunidade ímpar de ampliar a consciência crítica sobre as questões ambientais de destaque atual em nossa sociedade e a importância dos erres (R): Reutilizar, Reaproveitar, Reciclar para a manutenção de nossas vidas. Por todas estas razões, senti-me desafiada a cada encontro poder gerar reflexões com os meus pares educativos, as cursistas, sobre o que é jogo, o que significa jogar e como se relacionar com a matemática amistosamente. A proposta é que juntas pudéssemos, desvelar e aprofundar os conhecimentos matemáticos e suas finalidades didáticas, para que as crianças ao serem apresentadas aos jogos criassem uma relação prazerosa ao manipularem e brincarem com eles. Outro aspecto é que pudessem, também, pensar sobre suas ações, atitudes, emoções e novas construções no ato de jogar e na elaboração do jogo. Afinal, matemática é vida, vida é riqueza, riqueza ao 2

3 descobrir que brincando também se aprende e que o jogar amplia as nossas aprendizagens, a nossa forma de ver a matemática com outro olhar, o olhar de que é possível aprender. 2. RESSIGNIFICANDO A PRÁXIS PEDAGÓGICA COM OS JOGOS No início da formação cada professora foi historiando sobre sua prática com jogos matemáticos, algumas não trabalhavam com jogos (esquecimento, não gostam de jogos, não sabem como trabalhá-los), outras com o intuito de explorar só os conteúdos, algumas objetivando a brincadeira e finalmente aquelas com os propósitos didáticos e lúdicos. Sabemos que nos últimos anos a escola recebeu uma variedade de jogos didáticos, recursos para contribuir na compreensão dos conteúdos matemáticos, no entanto sabe-se que a maioria desses jogos ou estão empoeirados dentro de armários ou são utilizados sem finalidades didáticas, somente como passatempo ao ser explorado pelos alunos. Antes, as reclamações eram por não haver jogos e hoje, por não saber usá-los. Então, por que jogos? 2.1. JOGOS: GRANDES POSSIBILIDADES Vamos jogar? Uma pergunta que geralmente obtém como resposta: Vamos!!! Muitas vezes nem precisa saber qual será o jogo a se jogar. Tudo isso acredito que pelo fascínio do desafio, do movimento, da interação, da ludicidade, do brincar antes de qualquer coisa. Utilizar os jogos no espaço educacional é potencializar o ensino e a aprendizagem nas diversas áreas do conhecimento. Considerar o jogo como uma das estratégias em sala de aula é fundamental, pois ele possibilita nas crianças o desenvolvimento afetivo, social, cognitivo, motor e moral, o que hoje, principalmente é muito valioso, porque vivemos numa época de poucos valores e princípios em nossa sociedade. São tantos os tipos de jogos e dentre eles, Macedo (1994) defende em especial os jogos de regras, porque criam um contexto de observação e diálogo sobre as etapas do pensar e da construção do conhecimento de acordo com os limites da criança. O jogo de regras possibilita desencadear os mecanismos da equilibração cognitiva, logo constitui um poderoso meio para favorecer o desenvolvimento e a aprendizagem de crianças, visto que a aprendizagem, segundo Piaget, está subordinada às leis do desenvolvimento 3

4 (SISTO, 1998, p.141). O que significa que o jogador precisa ter a compreensão das regras, para que jogando ele se organize, planeje, faça as inferências, antecipe, volte o seu pensamento e reveja as estratégias, enfim opere de acordo com o seu desenvolvimento cognitivo. O jogo deve ser para dois ou mais jogadores, sendo, portanto, uma atividade que os alunos realizem juntos; também deverá ter um objetivo a ser alcançado pelos participantes, ou seja, ao final haverá um vencedor e, por último, deverá permitir que os alunos assumam papéis interdependentes, opostos e cooperativos... (SMOLE, 2007, p.13). Com essas contribuições podemos refletir que sem deixar de lado o papel relevante da ação educativa, que vai se construindo com os erros e acertos em cada estratégia desenvolvida pelos jogadores, há também, o lado lúdico. Vislumbrar os movimentos, o prazer de estar com os seus pares em momentos de desafios, perceber as ações de cada um e a necessidade de cooperarem um com os outros no respeito às regras sem perder o interesse no jogo e com isso ir se estimulando e compreendendo o próprio processo de sua aprendizagem. Outro nível relevante é o interpessoal que se estabelece com um grau de interdependência e complementaridade. Ou seja, é necessário quando duas ou mais pessoas jogam e iniciam as trocas de pontos de vista, se colocam no lugar do outro e pensam como o oponente ou com uma nova perspectiva e começam a coordenar suas ideias, seus pensamentos, suas atitudes e procedimentos em cada jogada. Pode-se dizer que esse pensar lógico só acontece a partir dessa interação social, desse movimento de socialização e compartilhamento das ideias. Ao longo da formação percebemos o quanto foi rico para todas nós professoras, refletirmos sobre as estratégias utilizadas em sala, durante as aulas de matemática. Segundo Smole (2007), quando bem planejado e organizado o trabalho com matemática em sala de aula ele auxilia no desenvolvimento de habilidades diversas. Uma das professoras, a partir da sua prática exitosa com jogos, pode instigar, através dos seus relatos a cada encontro, o fazer das outras professoras, o querer vivenciar com seus alunos os jogos. Expuseram também as dificuldades ou entraves para a não aplicabilidade do jogo, como: achei o nível do jogo alto para a turma, mas acabei subestimando a capacidade das crianças,... estou cheia de projetos 4

5 pontuais e por este motivo não tive a oportunidade de aplicá-lo, as professoras são de acumulação e não estão participando da formação, o que dificulta a aplicabilidade,...fiz a oficina da confecção dos jogos com as crianças e não tive tempo para jogar, eu detesto jogos,...não sei utilizar os jogos que tem na escola entre tantas outras falas. Pensando, nos tantos jogos da escola, podemos fazer a seguinte reflexão: em um país como o nosso, com tal dimensão populacional e geográfica, onde riquezas são diversificadas e mesmo assim a pobreza está tão presente, nos perguntamos por que não reutilizar, reciclar, reaproveitar a variedade de materiais que fazem parte do nosso dia a dia? E por isso mais uma das riquezas deste curso foi a de confeccionarmos os jogos com materiais reaproveitáveis, mostrando aos nossos alunos e educadores que é possível termos uma variedade de possibilidades utilizando estratégias significativas nos momentos de reflexão, tanto ao jogar, como na construção do jogo. Para iniciar a confecção dos jogos com materiais reaproveitáveis, reutilizáveis ou de baixo custo, foi muito interessante. Lembro-me da expressão de felicidade no rosto de duas crianças quando fui desenvolver o trabalho na escola em que atuo. Ao explicar sobre o projeto, e que todos nós teríamos inclusive a oportunidade de construir com a nossa família, com os amigos, usálos e ensinar a outras pessoas como se joga, quais as regras, o objetivo do jogo, foi uma alegria só! Explorar os jogos como um recurso a mais nas estratégias de sala de aula, é fazer com que: [...] a introdução de jogos nas aulas de Matemática é a possibilidade de diminuir bloqueios apresentados por muitos de nossos alunos que temem a Matemática e sentem-se incapacitados para aprendê-la. Dentro da situação de jogo, onde é impossível uma atitude passiva e a motivação é grande, notamos que, ao mesmo tempo em que estes alunos falam Matemática, apresentam também um melhor desempenho e atitudes mais positivas frente a seus processos de aprendizagem. (BORIN J. in Starepravo p.11) 5

6 Um aspecto interessante foi em relação aos estudos dos conteúdos e das finalidades educacionais. Durante a exploração dos jogos fomos compreendendo como, ainda, precisamos pensar e estudar mais matemática. Muitos medos que temos em relação à matemática, o não gostar de matemática, se dá pela forma como nos relacionamos durante anos com ela. Quantos de nós só estudamos ou gravamos as fórmulas para passar de ano, sem conseguirmos atribuir significado e sentido aos conteúdos trabalhados? E o pior é que permanecemos com essa postura ainda hoje, reforçando ideias que não mais fundamentam o ensino da matemática. Numa sociedade em constante e acelerada transformação, com recursos alternativos, tecnologias avançadas e que nos respaldam em tantos fazeres, com tantos conhecimentos que acabam nos proporcionando vivenciar formas diferenciadas de viver e conviver com a matemática de uma maneira menos rudimentar e com certeza mais prazerosa, podemos então indagar: qual é a intenção que temos ao ensinar matemática aos nossos alunos? Fazemos com que eles pensem, elaborem situações que os desafiem a compreender um conteúdo e se apropriarem desse conhecimento? 3 CONCLUSÃO Ao participar do Projeto Rede Jogos na Educação Matemática, pude compreender melhor o meu interesse em aprofundar e desmistificar alguns tabus construídos ao longo dos anos na relação com a matemática. Com essa nova compreensão vejo a possibilidade de mergulhar mais ainda nas minhas pesquisas com jogos e nas maneiras que os educandos acabam se confrontando com a matemática nas salas de aulas, ampliando pode-se dizer, as dificuldades e a aversão à matemática. A postura dos professores precisam ser revistas, refletidas com seus pares educacionais, para que possam superar uma imagem mitificada que foi construída ao longo dos anos. Além de que precisamos discutir mais sobre os conteúdos que estão sendo trabalhados em sala. De que forma eles chegam aos alunos? Será que oportunizam o desenvolvimento deles? Será que abrem espaço para que esses alunos possam se envolver com a matemática e consequentemente, se desenvolverem como pessoas? Uma vez ouvi de Luíz 6

7 Schettini Filho, psicólogo, que não há aprendizagem, desenvolvimento sem envolvimento e acredito profundamente nessa relação. Ter a oportunidade de conviver com os professores do NEMAT foi muito importante, o curso de formação de professores com os jogos matemáticos me oportunizou rever minha postura de uma forma geral com o meu grupo de professoras (da escola), através do grupo de professoras (cursistas). Como coordenadora pedagógica, percebo que posso contribuir de forma mais objetiva com a minha equipe de professoras e com os alunos da escola. Afinal, quando o Grupo de formadores do projeto Rede, Sub Projeto: Jogos na Educação Matemática (2011) faz o convite de nos aventurarmos, através dessa formação, na qual novas possibilidades se descortinam, quando enfrentamos coletivamente os desafios que cada jogo nos propõe e o grande desafio de compartilhar com nossos alunos a riqueza e a beleza da Matemática redescoberta brincando e jogando... significa que melhorar e ampliar as oportunidades, de repensarmos juntas os nossos saberes e dissabores do fazer matemático é o grande desafio, a partir dessa formação oportunizada pela Secretaria de Educação do Recife, através do NEMAT/UFPE. REFERÊNCIAS BORIN J. Jogos e resolução de problemas: uma estratégia para as aulas de matemática. São Paulo: IME-USP, GRUPO DE FORMADORES DO PROJETO REDE. SUB PROJETO: JOGOS NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA. Jogos didáticos para o ensino da matemática elementar. NEMAT. UFPE. Recife, 2011.(mimeografado) MACEDO, L. de. Ensaios construtivistas. São Paulo. Casa do Psicólogo, SISTO, F. F. et al. Atuação Psicopedagógica e Aprendizagem Escolar. In Uma proposta psicopedagógica com jogos de regras, organizada por Rosely Palermo Brenelli. 2ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, SMOLE, K. S. et al. Cadernos do Mathema, jogos de matemática de 1º a 5º ano. Porto Alegre, Artmed, STAREPRAVO, A. R. Jogando com a matemática: números e operações. Curitiba, AymarÁ,

A MATEMÁTICA ATRÁVES DE JOGOS E BRINCADEIRAS: UMA PROPOSTA PARA ALUNOS DE 5º SÉRIES

A MATEMÁTICA ATRÁVES DE JOGOS E BRINCADEIRAS: UMA PROPOSTA PARA ALUNOS DE 5º SÉRIES A MATEMÁTICA ATRÁVES DE JOGOS E BRINCADEIRAS: UMA PROPOSTA PARA ALUNOS DE 5º SÉRIES Haiane Regina de Paula, PIC(UNESPAR/FECILCAM)) Valdir Alves (OR), FECILCAM RESUMO:A pesquisa A Matemática Através de

Leia mais

OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS

OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS Mais informações: Site PIBID: http://www.pibid.ufrn.br/ Site LEM/UFRN: http://www.ccet.ufrn.br/matematica/lemufrn/index.html E-mail do LEM/UFRN: lem2009ufrn@yahoo.com.br

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL

AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL Sheila Valéria Pereira da Silva (UFPB Campus-IV) sheilavaleria88@yahoo.com.br

Leia mais

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Resumo A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Ana Regina Donato de Moraes 1 Lourdes Keila Casado Pulucena 2 Lucieni Vaz dos Santos 3 Aprender brincando não é apenas um passatempo, quando se trata de ensinar.

Leia mais

DIA DA MATEMÁTICA O IMPACTO DO JOGO EM SALA DE AULA

DIA DA MATEMÁTICA O IMPACTO DO JOGO EM SALA DE AULA ISSN 2316-7785 DIA DA MATEMÁTICA O IMPACTO DO JOGO EM SALA DE AULA Juliana Diniz Lima ju.diniz.991@hotmail.com Olino Roger Kuffner orogerkd@hotmail.com Fernanda Souza nanda1988_sf@hotmail.com Vanessa Nolibos

Leia mais

O ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DE JOGOS EM SALA DE AULA E DE UM OLHAR SENSÍVEL DO PROFESSOR

O ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DE JOGOS EM SALA DE AULA E DE UM OLHAR SENSÍVEL DO PROFESSOR O ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DE JOGOS EM SALA DE AULA E DE UM OLHAR SENSÍVEL DO PROFESSOR Erika Aparecida Domiciano Moser 1 RESUMO A alegria não chega apenas no encontro

Leia mais

O uso de jogos no ensino da Matemática

O uso de jogos no ensino da Matemática 607 O uso de jogos no ensino da Matemática Cyntia Luane Silva Godoy 1 Marlene Menegazzi 2 RESUMO Neste trabalho irei abordar a importância do uso de jogos no ensino da Matemática como um recurso didático

Leia mais

O JOGO NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA DE FORMAÇÃO DOCENTE EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO PIBID RESUMO

O JOGO NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA DE FORMAÇÃO DOCENTE EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO PIBID RESUMO O JOGO NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA DE FORMAÇÃO DOCENTE EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO PIBID Heloisa Braga dos Santos Christian Vieira de Souza RESUMO Este artigo foi elaborado com o objetivo de relatar a

Leia mais

NOVA BRASILÂNDIA D` OESTE

NOVA BRASILÂNDIA D` OESTE Projeto NOVA BRASILÂNDIA D` OESTE 2012 ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ALEXANDRE DE GUSMÃO AUTORA: PROFESSORA AMANDA OLIVEIRA DE SOUZA ARAÚJO DISCIPLINA DE MATEMÁTICA PÚBLICO ALVO: TURMAS DO 5º ANO

Leia mais

TRANSFORMANDO O JOGO DA VELHA EM UMA EXPERIÊNCIA PRAZEROSA 1 Sabrine Costa Oliveira 2

TRANSFORMANDO O JOGO DA VELHA EM UMA EXPERIÊNCIA PRAZEROSA 1 Sabrine Costa Oliveira 2 TRANSFORMANDO O JOGO DA VELHA EM UMA EXPERIÊNCIA PRAZEROSA 1 Sabrine Costa Oliveira 2 IFES danielly.fraga@live.com Danielly Fraga Santana 3 IFES binecosta@gmail.com Dilza Côco 4 IFES/UFES dilzacoco@gmail.com

Leia mais

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA Denise Ritter Instituto Federal Farroupilha Campus Júlio de Castilhos deniseritter10@gmail.com Renata da Silva Dessbesel Instituto

Leia mais

ENSINAR MATEMÁTICA UTILIZANDO MATERIAIS LÚDICOS. É POSSÍVEL?

ENSINAR MATEMÁTICA UTILIZANDO MATERIAIS LÚDICOS. É POSSÍVEL? 1 de 7 ENSINAR MATEMÁTICA UTILIZANDO MATERIAIS LÚDICOS. É POSSÍVEL? Jéssica Alves de Oliveira Maria José dos Santos Chagas Tatiane de Fátima Silva Seixas RESUMO: De uma maneira geral, existe, por parte

Leia mais

QUANTO É? PALAVRAS-CHAVE: Aulas investigativas, lúdico, aprendizagem. INTRODUÇÃO

QUANTO É? PALAVRAS-CHAVE: Aulas investigativas, lúdico, aprendizagem. INTRODUÇÃO QUANTO É? Danielle Ferreira do Prado - GEEM-UESB RESUMO Este trabalho trata sobre um trabalho que recebeu o nome de Quanto é? que foi desenvolvido depois de vários questionamentos a cerca de como criar

Leia mais

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS Educação Matemática na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (EMEIAIEF) GT 09 RESUMO

Leia mais

II MOSTRA CULTURAL E CIENTÍFICA LÉO KOHLER 50 ANOS CONSTRUINDO HISTÓRIA

II MOSTRA CULTURAL E CIENTÍFICA LÉO KOHLER 50 ANOS CONSTRUINDO HISTÓRIA ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR LÉO LOHLER ENSINO FUNDAMENTAL II MOSTRA CULTURAL E CIENTÍFICA LÉO KOHLER 50 ANOS CONSTRUINDO HISTÓRIA PROJETO: JOGOS - A MANEIRA DIVERTIDA DE FICAR INTELIGENTE PROFESSORA ORIENTADORA:

Leia mais

MATEMÁTICA NO CIRCO: REFLEXÕES SOBRE A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. SILVA, Lilianne Oliveira da 1 ; CEDRO, Wellington Lima 2

MATEMÁTICA NO CIRCO: REFLEXÕES SOBRE A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. SILVA, Lilianne Oliveira da 1 ; CEDRO, Wellington Lima 2 MATEMÁTICA NO CIRCO: REFLEXÕES SOBRE A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA SILVA, Lilianne Oliveira da 1 ; CEDRO, Wellington Lima 2 Palavras-chave: atividades de ensino; ensino de matemática; atividades

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO JOGO NA APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA

A INFLUÊNCIA DO JOGO NA APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA A INFLUÊNCIA DO JOGO NA APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA Maria de Lourdes Meinerz da Silva Escola Municipal de Ensino Fundamental Nossa Senhora de Fátima- Santa Rosa RS jaimar_sr@yahoo.com.br Daiani Finatto

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

TÍTULO: JOGOS DE MATEMÁTICA: EXPERIÊNCIAS NO PROJETO PIBID CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: MATEMÁTICA

TÍTULO: JOGOS DE MATEMÁTICA: EXPERIÊNCIAS NO PROJETO PIBID CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: MATEMÁTICA Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: JOGOS DE MATEMÁTICA: EXPERIÊNCIAS NO PROJETO PIBID CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ASSISTENTE SOCIAL NOS PROJETOS SOCIAIS E NA EDUCAÇÃO - UMA BREVE ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA DO PROJETO DEGRAUS CRIANÇA

A IMPORTÂNCIA DO ASSISTENTE SOCIAL NOS PROJETOS SOCIAIS E NA EDUCAÇÃO - UMA BREVE ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA DO PROJETO DEGRAUS CRIANÇA A IMPORTÂNCIA DO ASSISTENTE SOCIAL NOS PROJETOS SOCIAIS E NA EDUCAÇÃO - UMA BREVE ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA DO PROJETO DEGRAUS CRIANÇA Tamara Nomura NOZAWA 1 Telma Lúcia Aglio GARCIA 2 Edmárcia Fidelis ROCHA

Leia mais

A LUDICIDADE COMO EIXO DE FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A LUDICIDADE COMO EIXO DE FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A LUDICIDADE COMO EIXO DE FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo LIMA, Márcia Regina Canhoto de - FCT/UNESP marcialima@fct.unesp.br LIMA, José Milton de - FCT/UNESP miltonlima@fct.unesp.br ORLANDI, Leonardo

Leia mais

UMA PROPOSTA DE ENSINO DA PROBABILIDADE A PARTIR DO MÉTODO DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS E DA LUDICIDADE EM SALA DE AULA

UMA PROPOSTA DE ENSINO DA PROBABILIDADE A PARTIR DO MÉTODO DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS E DA LUDICIDADE EM SALA DE AULA UMA PROPOSTA DE ENSINO DA PROBABILIDADE A PARTIR DO MÉTODO DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS E DA LUDICIDADE EM SALA DE AULA RESUMO José Jorge de Sousa; Francisco Aureliano Vidal Instituto Federal de Educação,

Leia mais

TEIA TEIA DO DO SABER SABER

TEIA TEIA DO DO SABER SABER TEIA TEIA DO DO SABER SABER 2005 Fundação de Apoio às Ciências: Humanas, Exatas e Naturais GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO - REGIÃO DE RIBEIRÃO PRETO

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA:

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA AVANÇANDO

Leia mais

ÁGORA, Porto Alegre, Ano 4, Dez.2013. ISSN 2175-37 EDUCAR-SE PARA O TRÂNSITO: UMA QUESTÃO DE RESPEITO À VIDA

ÁGORA, Porto Alegre, Ano 4, Dez.2013. ISSN 2175-37 EDUCAR-SE PARA O TRÂNSITO: UMA QUESTÃO DE RESPEITO À VIDA ÁGORA, Porto Alegre, Ano 4, Dez.2013. ISSN 2175-37 EDUCAR-SE PARA O TRÂNSITO: UMA QUESTÃO DE RESPEITO À VIDA Luciane de Oliveira Machado 1 INTRODUÇÃO Este artigo apresenta o projeto de educação para o

Leia mais

BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NOS ANOS INICIAIS: UMA PERSPECTIVA INTERGERACIONAL

BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NOS ANOS INICIAIS: UMA PERSPECTIVA INTERGERACIONAL BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NOS ANOS INICIAIS: UMA PERSPECTIVA INTERGERACIONAL RESUMO Luana da Mata (UEPB) 1 Patrícia Cristina de Aragão Araújo (UEPB) 2 Este artigo tem como objetivo refletir como as brincadeiras

Leia mais

JOGOS MATEMÁTICOS: EXPERIÊNCIAS COMPARTILHADAS

JOGOS MATEMÁTICOS: EXPERIÊNCIAS COMPARTILHADAS JOGOS MATEMÁTICOS: EXPERIÊNCIAS COMPARTILHADAS Denise da Costa Gomes denisedacosta11@hotmail.com Dalila Regina da Silva Queiroz dalilazorieuq@hotmail.com Alzenira Oliveira de Carvalho oliveiraalzenira@hotmail.com

Leia mais

O AMBIENTE MOTIVADOR E A UTILIZAÇÃO DE JOGOS COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA

O AMBIENTE MOTIVADOR E A UTILIZAÇÃO DE JOGOS COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA O AMBIENTE MOTIVADOR E A UTILIZAÇÃO DE JOGOS COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA Poliana Helena Batista Thomaz PUC-Campinas Maria Auxiliadora Bueno Andrade Megid PUC-Campinas Na pesquisa

Leia mais

MOTRICIDADE DIALÓGICA: COMPARTILHANDO A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

MOTRICIDADE DIALÓGICA: COMPARTILHANDO A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR 1 MOTRICIDADE DIALÓGICA: COMPARTILHANDO A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR Clayton da Silva Carmo Luiz Gonçalves Junior (O) Mestrado Práticas Sociais e Processos Educativos Resumo

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES 1

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES 1 FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES 1 A LDB, no Titulo VI, trata dos Profissionais da Educação, considerando sob essa categoria não só os professores, que são responsáveis pela gestão da sala de aula, mas

Leia mais

SEM AULAS? E AGORA?... JOGOS MATEMÁTICOS COMO ESTRATÉGIA DE VALORIZAÇÃO DO AMBIENTE ESCOLAR

SEM AULAS? E AGORA?... JOGOS MATEMÁTICOS COMO ESTRATÉGIA DE VALORIZAÇÃO DO AMBIENTE ESCOLAR SEM AULAS? E AGORA?... JOGOS MATEMÁTICOS COMO ESTRATÉGIA DE VALORIZAÇÃO DO AMBIENTE ESCOLAR Eliane Santana de Souza 1 - UEFS annystar_@hotmail.com Nadson de Jesus Lima 2 -UEFS nado_19jl@hotmail.com Orientadora:

Leia mais

O LÚDICO NA APRENDIZAGEM

O LÚDICO NA APRENDIZAGEM O LÚDICO NA APRENDIZAGEM RESUMO Aline Hahn Affeldt Prof. Janaina de Souza Aragão Centro Universitário Leonardo da Vinci-UNIASSELVI Pedagogia (PED 7051) Metodologia e Conteúdos Básicos de Comunicação e

Leia mais

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE Martyhellen Maria Monteiro da Silva - Acadêmica do 8º período do Curso de Pedagogia-UVA, Bolsista do PIBID/UVA-Pedagogia

Leia mais

A LUDICIDADE E A PARTICIPAÇÃO SOCIAL DO IDOSO

A LUDICIDADE E A PARTICIPAÇÃO SOCIAL DO IDOSO A LUDICIDADE E A PARTICIPAÇÃO SOCIAL DO IDOSO Ana Paula Sabchuk Fernandes UEPG ana-sabchuk@hotmail.com Rita de Cássia Oliveira soliveira13@uol.com.br Cintia Aparecida Canani cicacanani@yahoo.com.br Eixo

Leia mais

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO MEDIADOR DE NOVOS CONHECIMENTOS 1

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO MEDIADOR DE NOVOS CONHECIMENTOS 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PROGRAMA NACIONAL ESCOLA DE GESTORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO MEDIADOR DE NOVOS CONHECIMENTOS

Leia mais

O espetáculo do consumo: a relação entre crianças e mídia na educação infantil.

O espetáculo do consumo: a relação entre crianças e mídia na educação infantil. O espetáculo do consumo: a relação entre crianças e mídia na educação infantil. Universidade Federal de Santa Catarina julianacmuller@hotmail.com Ficamos sabendo pelo narrador que as novas aventuras fizeram

Leia mais

ENTREVISTA Alfabetização na inclusão

ENTREVISTA Alfabetização na inclusão ENTREVISTA Alfabetização na inclusão Entrevistadora:Amarílis Hernandes Santos Formação: Aluna da graduação de Pedagogia USP Formada em Ciências Biológicas Mackenzie Contato: amarilishernandes@yahoo.com.br

Leia mais

EDUCAÇÃO ALGÉBRICA, DIÁLOGOS E APRENDIZAGEM: UM RELATO DO TRABALHO COM UMA PROPOSTA DIDÁTICA 1

EDUCAÇÃO ALGÉBRICA, DIÁLOGOS E APRENDIZAGEM: UM RELATO DO TRABALHO COM UMA PROPOSTA DIDÁTICA 1 EDUCAÇÃO ALGÉBRICA, DIÁLOGOS E APRENDIZAGEM: UM RELATO DO TRABALHO COM UMA PROPOSTA DIDÁTICA 1 Claudemir Monteiro Lima Secretária de Educação do Estado de São Paulo claudemirmonteiro@terra.com.br João

Leia mais

Creche Municipal Pequeno Príncipe

Creche Municipal Pequeno Príncipe DESCRIPCIÓN DE LA INSTITUCIÓN UBICACIÓN GEOGRÁFICA Região: Centro Oeste Município: Porto dos Gaúchos MT Título da experiência: Construindo sua identidade no universo da brincadeira Autoras: Claudiane Eidt

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 PIBID EM AÇÃO: MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM ATRAVÉS DE JOGOS MATEMÁTICOS Crhistiane da Fonseca Souza Universidade Federal de Goiás/Campus de Catalão crhisfsouza@gmail.com Simara Maria Tavares Nunes Universidade

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA: MUDANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA NA VIVÊNCIA DE UM PROGRAMA.

FORMAÇÃO CONTINUADA: MUDANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA NA VIVÊNCIA DE UM PROGRAMA. FORMAÇÃO CONTINUADA: MUDANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA NA VIVÊNCIA DE UM PROGRAMA. Rosângela de Fátima Cavalcante França* Universidade Federal de Mato Grosso do Sul RESUMO Este texto apresenta de forma resumida

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS II SIMPÓSIO DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS 13 e 14 de junho de 2013 O PROJETO DE EXTENSÃO MATEMÁTICA LEGAL

Leia mais

Avaliação-Pibid-Metas

Avaliação-Pibid-Metas Bolsista ID: Claines kremer Avaliação-Pibid-Metas A Inserção Este ano o reingresso na escola foi diferente, pois já estávamos inseridas na mesma há praticamente um ano. Fomos bem recepcionadas por toda

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Abril2014

Atividades Pedagógicas. Abril2014 Atividades Pedagógicas Abril2014 III A JOGOS DIVERTIDOS Fizemos dois campeonatos com a Turma da Fazenda, o primeiro com o seguinte trajeto: as crianças precisavam pegar água em um ponto e levar até o outro,

Leia mais

DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA 27 a 30 de Agosto de 2014. DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo: MACHADO, Diana dos Santos 1 Ifes - Campus Cachoeiro de Itapemirim

Leia mais

Jogos digitais e a mediação na perspectiva da psicologia históricocultural

Jogos digitais e a mediação na perspectiva da psicologia históricocultural Jogos digitais e a mediação na perspectiva da psicologia históricocultural Prof. Me. Wagner Antonio Junior Secretaria Municipal da Educação de Bauru e-mail: wag.antonio@gmail.com Comunicação Oral Pesquisa

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina

Universidade Estadual de Londrina Universidade Estadual de Londrina Josiane de Freitas Santos Relatório de Estágio em Educação Infantil Londrina 2010 1 Josiane de Freitas Santos Relatório de Estágio em Educação Infantil Relatório final

Leia mais

LUDICIDADE NA SALA DE AULA UNIDADE 4 ANO 1. Abril de 2013

LUDICIDADE NA SALA DE AULA UNIDADE 4 ANO 1. Abril de 2013 LUDICIDADE NA SALA DE AULA UNIDADE 4 ANO 1 Abril de 2013 Iniciando a conversa Nesta unidade refletiremos sobre a ludicidade na sala de aula, a partir do tema brincadeiras na alfabetização. Nesta unidade

Leia mais

O LÚDICO: SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL

O LÚDICO: SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL O LÚDICO: SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL GT 01 Educação Matemática no Ensino Fundamental : Anos iniciais e anos finais Maria Christina Schettert Moraes UNICRUZ

Leia mais

RELATÓRIO Formação Complementar 2º semestre/2015

RELATÓRIO Formação Complementar 2º semestre/2015 RELATÓRIO Formação Complementar 2º semestre/2015 Recreação1º ao 5º ano Professoras: Izabela Moreira Alves, Jéssica Caputti e Soraya Rombach Coordenação: Ludmila Santos Formação Complementar A Formação

Leia mais

EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE

EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE Stella Maris Pissaia 1 Giseli Dionize Bobato 2 RESUMO: Neste resumo apresentamos uma descrição compreensiva das experiências vivenciadas a partir do contato teórico durante

Leia mais

Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil.

Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil. 6. Humanização, diálogo e amorosidade. Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil. Santos, Marisa Alff dos 1 Resumo O presente trabalho tem como objetivo refletir sobre as práticas docentes

Leia mais

POSSIBILIDADE DE ACESSO A EDUCAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DO PROGRAMA MULHERES MIL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

POSSIBILIDADE DE ACESSO A EDUCAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DO PROGRAMA MULHERES MIL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA POSSIBILIDADE DE ACESSO A EDUCAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DO PROGRAMA MULHERES MIL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Albertina Marília Alves Guedes¹ Elisa Angélica Alves Guedes² Maria Nizete de Menezes Gomes

Leia mais

O USO DE JOGOS DE CARTAS COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA

O USO DE JOGOS DE CARTAS COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA 1 O USO DE JOGOS DE CARTAS COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA Ana Paula Vinoski Rengel, Instituto Federal do Rio Grande do Sul-Campus Bento Gonçalves, ana.rengel@bento.ifrs.edu.br Mara Salete

Leia mais

O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS

O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS Daiana Rodrigues dos Santos Prado¹; Francine de Paulo Martins² Estudante do Curso de Pedagogia; e-mail:

Leia mais

PIBID: PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCENCIA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

PIBID: PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCENCIA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA PIBID: PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCENCIA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Ester Gonçalves Prata¹ UNIR-Campus Vilhena ester-vha@hotmail.com Elezilda Pereira Rodrigues² UNIR-Campus Vilhena zildarodriguesvha@hotmail.com

Leia mais

A CRIANÇA DE SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL

A CRIANÇA DE SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL A CRIANÇA DE SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL Por que a criança de seis anos no ensino fundamental? Porque, pelo que entendi, em minha vida inteirinha, para umas coisas serei grande, para outras, pequenininha.

Leia mais

PROFESSOR FORMADOR, MESTRE MODELO? ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de PUC-SP PASSOS, Laurizete Ferragut UNESP GT-20: Psicologia da Educação

PROFESSOR FORMADOR, MESTRE MODELO? ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de PUC-SP PASSOS, Laurizete Ferragut UNESP GT-20: Psicologia da Educação PROFESSOR FORMADOR, MESTRE MODELO? ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de PUC-SP PASSOS, Laurizete Ferragut UNESP GT-20: Psicologia da Educação Considerando a importância de estudos que abordem dimensões

Leia mais

O PROCESSO AVALIATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PROCESSO AVALIATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL O PROCESSO AVALIATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Thayssa Stefane Macedo Nascimento Graduanda do curso de Pedagogia da UFPI RESUMO O presente trabalho discute acerca da avaliação na educação infantil tendo como

Leia mais

CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Bruna Mendes Muniz 1 Gislaine Aparecida Puton Zortêa 2 Jéssica Taís de Oliveira Silva

Leia mais

JOGOS PARA O ENSINO MÉDIO1

JOGOS PARA O ENSINO MÉDIO1 JOGOS PARA O ENSINO MÉDIO1 Marli Teresinha Quartieri Márcia Rehfeldt Ieda Maria Giongo Algumas reflexões iniciais O jogo tem sido tema de estudos e investigações de pesquisadores, educadores e psicólogos,

Leia mais

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR Título do artigo: O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR Área: Gestão Coordenador Pedagógico Selecionadora: Maria Paula Zurawski 16ª Edição do Prêmio Victor Civita Educador

Leia mais

ANÁLISE DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS NATURAIS ATRAVÉS DE EXPERIÊNCIAS NO PIBID/UFPA

ANÁLISE DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS NATURAIS ATRAVÉS DE EXPERIÊNCIAS NO PIBID/UFPA ANÁLISE DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS NATURAIS ATRAVÉS DE EXPERIÊNCIAS NO PIBID/UFPA Lilliane Miranda Freitas (Faculdade de Biologia/Universidade Federal do Pará) Resumo: Este trabalho tem como

Leia mais

AULA CRIATIVA DE ORTOGRAFIA

AULA CRIATIVA DE ORTOGRAFIA AULA CRIATIVA DE ORTOGRAFIA Apenas uma experiência que pode ser recriada para outros conteúdos Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br Terminada a audição, eu escrevi na lousa o título da música, o nome

Leia mais

CONTANDO HISTÓRIAS COM FANTOCHES NA EDUCAÇÃO INFANTIL: RELATANDO A EXPERIÊNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE PEDAGOGIA/UFRN

CONTANDO HISTÓRIAS COM FANTOCHES NA EDUCAÇÃO INFANTIL: RELATANDO A EXPERIÊNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE PEDAGOGIA/UFRN CONTANDO HISTÓRIAS COM FANTOCHES NA EDUCAÇÃO INFANTIL: RELATANDO A EXPERIÊNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE PEDAGOGIA/UFRN Autoras: Claydianne dos Santos Freitas - Estudante do Curso de Pedagogia

Leia mais

A VIVÊNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

A VIVÊNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO A VIVÊNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Autor (1) Sergio Morais Cavalcante Filho Universidade Estadual da Paraíba (UEPB CCEA Patos) email: sergio.smcf@gmail.com RESUMO O presente artigo expõe uma experiência

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM

AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM Kelly Cristina Sabadin kellysabadin@hotmail.com RESUMO A avaliação da aprendizagem escolar se faz presente em todas as instituições de ensino. É o tema mais

Leia mais

ANALISANDO O USO DE JOGOS COMO AUXÍLIO NAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA

ANALISANDO O USO DE JOGOS COMO AUXÍLIO NAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA ANALISANDO O USO DE JOGOS COMO AUXÍLIO NAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA Amanda dos Santos Souza (Licencianda em Matemática/UFPB - amanda.souza13@hotmail.com) Carla Manuelle Silva de Almeida

Leia mais

A utilização de jogos no processo de ensino aprendizagem de matemática no Ensino Fundamental

A utilização de jogos no processo de ensino aprendizagem de matemática no Ensino Fundamental A utilização de jogos no processo de ensino aprendizagem de matemática no Ensino Fundamental Adaiane Cristina Calegari Unisalesiano adaiane_calegari@yahoo.com.br Ana Luiza Viscovicce Unisalesiano analuiza_viscovicce@yahoo.com.br

Leia mais

A EDUCAÇAO INFANTIL DA MATEMÁTICA COM A LUDICIDADE EM SALA DE AULA

A EDUCAÇAO INFANTIL DA MATEMÁTICA COM A LUDICIDADE EM SALA DE AULA A EDUCAÇAO INFANTIL DA MATEMÁTICA COM A LUDICIDADE EM SALA DE AULA RODRIGUES, Patrícia Gomes Universidade Estadual de Goiás, campus Iporá patykauan_5@hotmail.com MARQUES, Daniela Cristina de Sousa Universidade

Leia mais

MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO: TRABALHANDO E DISCUTINDO OS JOGOS BOOLE.

MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO: TRABALHANDO E DISCUTINDO OS JOGOS BOOLE. MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO: TRABALHANDO E DISCUTINDO OS JOGOS BOOLE. Marivete Girelli Universidade Estadual do Oeste do Paraná UNIOESTE Campus de Foz do Iguaçu mariveteg@hotmail.com Renata Camacho

Leia mais

11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na segunda coluna:

11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na segunda coluna: TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS 4 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 25 11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na

Leia mais

O JOGO DE XADREZ COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA APRENDIZAGEM ESCOLAR DE ALUNOS DO 6º ANO

O JOGO DE XADREZ COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA APRENDIZAGEM ESCOLAR DE ALUNOS DO 6º ANO O JOGO DE XADREZ COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA APRENDIZAGEM ESCOLAR DE ALUNOS DO 6º ANO PLAY CHESS AS EDUCATIONAL RESOURCE FOR SCHOOL LEARNING OF 6 YEAR STUDENTS Letícia Alessandra Cavalcante-Graduanda

Leia mais

MONITORIA: EXPERIENCIA DA PESQUISA EM SALA DE AULA NO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA. Resumo

MONITORIA: EXPERIENCIA DA PESQUISA EM SALA DE AULA NO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA. Resumo 1 MONITORIA: EXPERIENCIA DA PESQUISA EM SALA DE AULA NO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Resumo Patricia Santos de Barros/UFRJ A nossa vivência pedagógica situa-se no âmbito do curso de Licenciatura

Leia mais

SOFTWARE EDUCACIONAL: RECURSO PEDAGÓGICO PARA MELHORAR A APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA

SOFTWARE EDUCACIONAL: RECURSO PEDAGÓGICO PARA MELHORAR A APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA SOFTWARE EDUCACIONAL: RECURSO PEDAGÓGICO PARA Resumo MELHORAR A APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA Clara Celina Ferreira Dias Universidade Federal de Santa Maria UFSM claracelinafd@professor.rs.gov.br

Leia mais

DEPOIMENTOS EGRESSOS PEDAGOGIA - URI

DEPOIMENTOS EGRESSOS PEDAGOGIA - URI DEPOIMENTOS EGRESSOS PEDAGOGIA - URI INÊS REGINA CHINI MENEGUZZI Ano de formação 2011 O amor pela educação veio de berço. A pedagogia é um brilho indispensável na educação, é encantamento, é magia. É um

Leia mais

As contribuições do PRORROGAÇÃO na formação continuada dos professores da Rede Municipal de Educação de Goiânia.

As contribuições do PRORROGAÇÃO na formação continuada dos professores da Rede Municipal de Educação de Goiânia. As contribuições do PRORROGAÇÃO na formação continuada dos professores da Rede Municipal de Educação de Goiânia. FURBINO, Ana Paula Amaral 1 ; ARRUDA, Gyzely Santana de 2 ; AIRES, Vinicius 3 ; COSTA, Jonatas

Leia mais

RELATÓRIO FINAL ALFABETIZAÇÃO 2010

RELATÓRIO FINAL ALFABETIZAÇÃO 2010 RELATÓRIO FINAL ALFABETIZAÇÃO 2010 Débora Rana Introdução Participar da seleção do Prêmio Victor Civita, pela segunda vez, é uma experiência bastante interessante, pois permite estabelecer relações entre

Leia mais

SUPERVISOR DARLAN B. OLIVEIRA

SUPERVISOR DARLAN B. OLIVEIRA SUPERVISOR DARLAN B. OLIVEIRA RELATO DOS ENCONTROS - SUBPROJETO FISICA INSITUTO ESTADUAL DE EDUCAÇAO DINARTE RIBEIRO Este relato de experiência tem como objetivo apresentar as ações vivenciadas no Subprojeto

Leia mais

HISTÓRIA ORAL NO ENSINO FUNDAMENTAL: O REGIME MILITAR NO EX- TERRITÓRIO DE RORAIMA

HISTÓRIA ORAL NO ENSINO FUNDAMENTAL: O REGIME MILITAR NO EX- TERRITÓRIO DE RORAIMA HISTÓRIA ORAL NO ENSINO FUNDAMENTAL: O REGIME MILITAR NO EX- TERRITÓRIO DE RORAIMA LYSNE NÔZENIR DE LIMA LIRA, 1 HSTÉFFANY PEREIRA MUNIZ 2 1. Introdução Este trabalho foi criado a partir da experiência

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS ALUNOS SOBRE SUA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

PERCEPÇÃO DOS ALUNOS SOBRE SUA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 PERCEPÇÃO DOS ALUNOS SOBRE SUA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Brasília - DF- Fevereiro 2013 Priscila Alessandra da Silva Universidade Federal de Brasília priscilaalesilva@gmail.com Fernanda Carla Universidade

Leia mais

ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA

ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA GT 01 - Educação Matemática no Ensino Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais Maria Gorete Nascimento Brum - UNIFRA- mgnb@ibest.com.br

Leia mais

Copos e trava-línguas: materiais sonoros para a composição na aula de música

Copos e trava-línguas: materiais sonoros para a composição na aula de música Copos e trava-línguas: materiais sonoros para a composição na aula de música Andréia Veber Rede Pública Estadual de Ensino de Santa Catarina andreiaveber@uol.com.br Viviane Beineke Universidade do Estado

Leia mais

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031 COORDENADOR PEDAGÓGICO E SUA IMPORTÂNCIA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Polyana Marques Lima Rodrigues 1 poly90lima@hotmail.com Willams dos Santos Rodrigues Lima 2 willams.rodrigues@hotmail.com RESUMO

Leia mais

DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA À INCLUSÃO SOCIAL: EXPERIÊNCIAS PEDAGÓGICAS EM UMA ESCOLA SITUADA NO MUNÍCIPIO DE SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA - RJ

DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA À INCLUSÃO SOCIAL: EXPERIÊNCIAS PEDAGÓGICAS EM UMA ESCOLA SITUADA NO MUNÍCIPIO DE SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA - RJ DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA À INCLUSÃO SOCIAL: EXPERIÊNCIAS PEDAGÓGICAS EM UMA ESCOLA SITUADA NO MUNÍCIPIO DE SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA - RJ Amabile Aparecida Xavier Rodrigues; Arildo dos Santos Amaral; Thacio

Leia mais

UMA EXPERIÊNCIA DO PIBID NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE ARACAJU/SERGIPE COM A UTILIZAÇÃO DE JOGOS MATEMÁTICOS

UMA EXPERIÊNCIA DO PIBID NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE ARACAJU/SERGIPE COM A UTILIZAÇÃO DE JOGOS MATEMÁTICOS UMA EXPERIÊNCIA DO PIBID NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE ARACAJU/SERGIPE COM A UTILIZAÇÃO DE JOGOS MATEMÁTICOS Resumo Tâmara Azevedo Nascimento tamara_an212@hotmail.com Darlysson Wesley da Silva darlyssonwesley@hotmail.com

Leia mais

O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DOS JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO FUNDAMENTAL

O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DOS JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO FUNDAMENTAL Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 975 O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DOS JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO FUNDAMENTAL Drielly Adrean Batista

Leia mais

JOGOS MATEMÁTICOS PARA O ENSINO MÉDIO

JOGOS MATEMÁTICOS PARA O ENSINO MÉDIO JOGOS MATEMÁTICOS PARA O ENSINO MÉDIO Marli Teresinha Quartieri Centro Universitário UNIVATES Lajeado/RS quartierimg@uol.com.br Márcia Jussara Hepp Rehfeldt Centro Universitário UNIVATES Lajeado/RS mrehfeld@univates.br

Leia mais

A RELAÇÃO DO CUIDAR-EDUCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Ariana Passamani Telles 1 Franciele Clair Moreira Leal 2 Zelma Santos Borges 3.

A RELAÇÃO DO CUIDAR-EDUCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Ariana Passamani Telles 1 Franciele Clair Moreira Leal 2 Zelma Santos Borges 3. Resumo A RELAÇÃO DO CUIDAR-EDUCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Ariana Passamani Telles 1 Franciele Clair Moreira Leal 2 Zelma Santos Borges 3 O trabalho apresentado é um relato de experiência que foi desenvolvida

Leia mais

OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS

OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS APRENDER BRINCANDO INVESTIDAS DA PRÁTICA EDUCACIONAL EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES JUNTO AO PROGRAMA INTEGRAÇÃO AABB COMUNIDADE, UMA EXPERIÊNCIA COM CRIANÇAS E JOVENS DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DA CIDADE DE

Leia mais

A INTEGRAÇÃO DAS PRÁTICAS DO YOGA À EDUCAÇÃO

A INTEGRAÇÃO DAS PRÁTICAS DO YOGA À EDUCAÇÃO A INTEGRAÇÃO DAS PRÁTICAS DO YOGA À EDUCAÇÃO Estamos vivendo um momento em nosso planeta em que profissionais de diversas áreas como medicina, tecnologia, administração, enfim todos aqueles que estão preocupados

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: ANÁLISE DO PLANO DE AULA

O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: ANÁLISE DO PLANO DE AULA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: ANÁLISE DO PLANO DE AULA Adriana Rosicléia Ferreira CASTRO Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte/ UERN - CAMEAM Pós-graduanda em Psicopedagogia

Leia mais

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS CRIZÓSTOMO, Cilene Delgado MILANEZ, Maria Rosa de Morais SOUSA, Rejane Lúcia Rodrigues Veloso ALBUQUERQUE, Judith

Leia mais

Profª. Maria Ivone Grilo Martinimariaivone@superig.com.br

Profª. Maria Ivone Grilo Martinimariaivone@superig.com.br Educação Inclusiva Direito à Diversidade O Ensino comum na perspectiva inclusiva: currículo, ensino, aprendizage m, conheciment o Educação Inclusiva Direito à Diversidade Profª. Maria Ivone Grilo Martinimariaivone@superig.com.br

Leia mais

Planejando uma atividade com hipertexto ou Internet

Planejando uma atividade com hipertexto ou Internet 1 Planejando uma atividade com hipertexto ou Internet Luana Possebon, Simone Schneider Klein, Tatiani F. Richter Tema: A importância do xadrez Público alvo: Ensino Fundamental Anos Finais Objetivos: Utilizar

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

O USO DE PROJETOS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS

O USO DE PROJETOS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS O USO DE PROJETOS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS Andreza Olivieri Lopes Carmignolli1 UNESP Eva Poliana Carlindo2 UNESP Grupo de Trabalho Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora: não

Leia mais

A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E AS DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE FORTALEZA

A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E AS DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE FORTALEZA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E AS DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE FORTALEZA Gabriela de Aguiar Carvalho, UFC Orientadora: Maria José Costa dos Santos, UFC INTRODUÇÃO

Leia mais

PROJETO MEDIAR Matemática, uma Experiência Divertida com ARte

PROJETO MEDIAR Matemática, uma Experiência Divertida com ARte PROJETO MEDIAR Matemática, uma Experiência Divertida com ARte Silvana Iunes Centro Universitário de Brasília silvanaiunes@gmail.com Resumo: de jogos matemáticos elaborados por alunas da disciplina de Fundamentos

Leia mais

O uso do jogo como recurso didático para o ensino da matemática

O uso do jogo como recurso didático para o ensino da matemática Ilvanete dos Santos de Souza Universidade do Estado da Bahia-UNEB /Campus IX Brasil ilvanetess@hotmail.com Simone dos Santos Barros Universidade do Estado da Bahia-UNEB /Campus IX Brasil simone.cefet@yahoo.com.br

Leia mais