REFORMULAÇÃO DO PLANO DE CONTAS DAS SOCIEDADES SEGURADORAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REFORMULAÇÃO DO PLANO DE CONTAS DAS SOCIEDADES SEGURADORAS"

Transcrição

1 REFORMULAÇÃO DO PLANO DE CONTAS DAS SOCIEDADES SEGURADORAS 1. OBJETIVO A presente reformulação do Plano Contábil das Sociedades Seguradoras tem por finalidade uniformizar os registros contábeis, racionalizar a utilização de contas, estabelecer regras, critérios e procedimentos necessários a obtenção e divulgação de dados, possibilitar o acompanhamento do Sistema Nacional de Seguros Privados, bem como a análise, a avaliação do desempenho e o controle, de modo que as demonstrações financeiras elaboradas, expressem, com fidedignidade e transparência, a situação econômico-financeiro das sociedades seguradoras. 2. CONCEITO GERAL Os registros dos atos e fatos administrativos devem obedecer plenamente os Princípios Contábeis Geralmente Aceitos. As receitas e despesas devem ser apropriadas e registradas contabilmente no período em que ocorrem e não somente na data do efetivo recebimento ou pagamento. Assim, as receitas de prêmios, pelo valor total, serão contabilizados quando da emissão da apólice ou fatura e reconhecidas mensalmente nas contas de resultados, pelo valor proporcional segundo o transcorrer da vigência do risco. As despesas de comercialização serão diferidos quando da emissão e também reconhecidos nas contas de resultados mensalmente, na mesma proporção do reconhecimento do prêmio ganho, ou seja, baseado no prazo de vigência do risco. Os sinistros devem ser registrados contabilmente quando avisados. Incluem-se nesses conceitos os prêmios, sinistros e despesas de comercialização relativos a cosseguros, resseguros e retrocessão. A Provisão de Prêmios não Ganhos, portanto, será calculada pelo método pro rata mensal. Uma apólice com vigência anual será dividida em 24 partes (quinzenas), assumindo-se também a premissa que as apólices sejam emitidas todo dia 15 de cada mês. No primeiro mês, 1/24 (um, vinte e quatro avos) dos prêmios terão sido ganhos, e a reserva de prêmios não ganhos será de 23/24 (vinte e três, vinte e quatro avos). Nos meses subseqüentes serão ganhos 2/24 (dois vinte e quatro avos) e a Reserva dos Prêmios não Ganhos estará decrescendo na mesma proporção. 3. SINTESE DAS PRINCIPAIS ALTERAÇÕES Com a introdução da sistemática de contabilização das apólices pelo regime de competência e não mais pelo critério de caixa, torna-se necessário o registro nos ativos e passivos das sociedades seguradoras dos valores a receber e a pagar referentes aos prêmios totais emitidos, de cosseguros aceitos, de cosseguros cedidos, de resseguro e os de retrocessão, bem como suas respectivas comissões ALTERAÇÕES NAS CONTAS DE ATIVO CONTAS A RECEBER São geradas quando da emissão da apólice, registradas em subcontas pra controle dos ramos e segregadas em subcontas para especificar os contratos com cláusula de indexação (pre e pos) e aqueles não indexados. Registro das comissões sobre cosseguro cedido, a partir da emissão da apólice. Subcontas para controle das comissões sobre apólices indexadas e não indexadas.

2 CRÉDITOS OPERACIONAIS Registro das comissões de Resseguro a partir da emissão da apólice. Subcontas para controle das comissões sobre apólices indexadas e não indexadas DESPESAS DE COMERCIALIZAÇÃO DIFERIDO Criação destas novas contas, em que as despesas de comercialização passam a ser reconhecidos em base pro-rata temporis correlatos ao reconhecimento da receita. Despesas de comercialização referem-se aqueles custos ocorridos na obtenção de um contrato de seguro, tais como comissões de corretagem, agenciamento, desconto no prêmio, e de inspeção de risco. a) Comissões de Corretagem diferimento na emissão da apólice e amortização pelo período de vigência. Nos casos de ramos mensais as comissões de corretagem e prolabore não são diferidas. b) Agenciamento diferimento no pagamento e amortização pelo período de vigência. c) Desconto no prêmio - diferimento na emissão da apólice e amortização pelo período de vigência. d) Outros Custos de Aquisição - diferimento no pagamento e amortização pelo período de vigência ALTERAÇÕES NAS CONTAS DE PASSIVO PROVISÕES DE PRÊMIOS NÃO GANHOS Constituição de uma provisão de prêmios não ganhos que representa a parcela do prêmio correspondente ao período do risco ainda não decorrido. Nos ramos com pagamento mensal, o prêmio e ganho no período de vigência do endosso/fatura PROVISÃO DE RISCOS DECORRIDOS A instituição da Provisão de Riscos Decorridos tem como principal objetivo registrar para os seguros com pagamento de prêmios mensal, uma reserva com a função exclusiva para cobertura de sinistros ocorridos e ainda não avisados SINISTROS A LIQUIDAR Os sinistros a liquidar compõem-se dos sinistros avisados e não liquidados DEBITOS OPERACIONAIS Contabilização do Prêmio de Resseguro a Pagar na emissão da apólice PROVISÃO DE COMISSÕES A PAGAR Contabilização das comissões a partir da emissão da apólice.

3 RESULTADOS DE EXERCÍCIOS FUTUROS As despesas de exercícios futuros são classificadas no passivo como contas redutoras das receitas de exercícios futuros PRINCIPAIS ALTERAÇÕES NA DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO RECEITA DE PRÊMIO PRÊMIO RETIDO Compoem-se de: (+) Prêmio Emitido (-) Prêmio Cancelado (-) Prêmio Restituído (-) Resseguro Cedido (-) Cosseguro Cedido PRÊMIO GANHO Compoem-se de: (+) Prêmio Retido (+,-) Variação de Reserva de Prêmio Não Ganho SINISTROS Compoem-se de: (-) Provisão de indenização de sinistro (+,-) Ajuste das Prov. de indenização (+) Recuperação de Sinistros (+) Salvados e Ressarcimento (-) Participação em Salvados e Ressarcimento (+,-) Variação da Provisão de Riscos Decorridos COMISSÕES Compoem-se de: (-) Comissões (-) Descontos (+) Recuperações de Comissões (+,-) Variação de Comissões Diferidas OUTRAS DESPESAS DE COMERCIALIZAÇÃO Compoem-se de: (-) Outras Despesas de Comercialização (+,-) Variação de Outras Desp. de Comerc. Diferidas VARIAÇÃO MONETÁRIA DAS CONTAS DE SEGUROS INDEXADOS. Será registrado nesta conta as contrapartidas da correção monetária provenientes da atualização das contas de ativo e passivo, sujeitas a cláusula de reajuste monetário, que tenham sido originadas da operação de seguros.

4 4- FÓRMULAS PARA CÁLCULO DAS PROVISÕES TÉCNICAS Utilizar os critérios e normas previstos na Resolução CNSP 14/88 de 20 de dezembro de COBERTURA DAS PROVISÕES DE PRÊMIOS NÃO GANHOS Serão observados os ativos e respectivos limites determinados nas Resoluções CMN 1363/87 e 1553/ PROCEDIMENTOS DE TRANSIÇÃO Para as apólices com data de emissão anterior a 1º de janeiro de 1989, cuja sistemática de constituição de reservas técnicas tenha sido efetuada pelos critérios previstos nas Resoluções CNSP 05/71 e 26/87, as sociedades seguradoras deverão controlar e constituir essas reservas e suas respectivas receitas e despesas pelas normas previstas naquelas Resoluções e baseadas no que dispõe o antigo plano de contas. Para que o controle dessas apólices não sofra solução de continuidade, foi criado novo grupo de contas de classe número 5 (cinco) que tem como objetivo diferenciar as contas de resultado no que se refere a nova sistemática de contabilização. Alternativamente as sociedades seguradoras poderão proceder imediatamente os registros decorrentes da mudança de critério contábil, procedendo todos os ajustes em Lucros ou Prejuízos Acumulados em balanço de abertura. A sociedade seguradora que utilizar-se da faculdade prevista na Circular 27/88, que altera o plano de contas, de adotar os procedimentos da nova sistemática contábil somente a partir de 01 de julho de 1989, deve em suas demonstrações financeiras de 31 de dezembro de 1989 refletir os efeitos decorrentes dos contratos de seguros emitidos a partir de 01 de janeiro de As demonstrações financeiras de 30 de junho e 31 de dezembro de 1989 estarão dispensadas da comparabilidade em relação ao período anterior. 7- ESCLARECIMENTOS ADICIONAIS Quaisquer dúvidas advindas dos conceitos introduzidos pela presente reformulação do plano de contas das sociedade seguradora deverão ser encaminhados diretamente ao Departamento de Controle Econômico da SUSEP.

5 ESQUEMA DE LANÇAMENTOS CONTÁBEIS EVENTO D/C COD. CONTAB. CONTA 1. Na emissão da apólice 1.1 Prêmio Emitido total D Prêmio Emitido a receber C Resultado: Prêmio Emitido Bruto 1.2 Resseguro cedido D Resseguros cedidos ao IRB C /4 IRB- Prêmios de resseguros cedidos 1.3 Cessão de prêmios a congeneres D Cosseguros cedidos C /2 Cosseguros cedidos 1.4 Comissões s/ Prêmio emitido D Comissões s/ Prêmio emitido C Comissões a pagar 1.5 Comissões s/ Resseguro D /4 IRB- Comissões de resseguro a recuperar C Com. de resseg. cedido ao IRB 1.6 Desconto no prêmio D Desconto nos prêmios C Prêmios emitidos a receber 1.7 Comissões s/ cosseguro cedido D /4 Comissões de cosseg. cedido C Comissões s/ cosseguros cedidos 1.8 Prêmio de cosseguro aceito D /2 Cosseguros aceitos a receber C Cosseguros aceitos 1.9 Comissões s/ cosseguros aceitos D Comissões s/ cosseguros aceitos C /4 Comissões de cosseguros aceitos 1.10 Agenciamento D Comissões de Agenciamento C Congeneres: Comissões a pagar

6 ESQUEMA DE LANÇAMENTOS CONTÁBEIS EVENTO D/C COD. CONTAB. CONTA 2. Movimentação de caixa 2.1 Na cobrança do prêmio D- 121 Disponível C Prêmio emitidos a receber 2.2 No pagamento de resseguro D /4 IRB- Prêmios de resseguros cedidos C- 121 Disponível 2.3 No recebto. de comissões de resseguro D- 121 Disponível C /4 IRB- Comissões de resseguro a recuperar 2.4 Pagamento de Cosseguro Cedido D /2 Cosseguros Cedidos C- 121 Disponível 2.5 Recup. De comissões de Cosseguro 2.6 Pagamento de comissões de corretagem 2.7 No recebto. De prêmios de cosseguro 2.8 No pagto de Comis. s/cosseg.aceito 2.9 No pagto de Comis. s/ de agenciamento D- 121 Disponível C /4 Comissões de cosseg. cedido D Comissões a pagar C- 121 Disponível D- 121 Disponível C /2 Cosseguros aceitos a receber D /4 Comissões de cosseguros aceitos C- 121 Disponivel D Comissões a pagar C- 121 Disponivel

7 ESQUEMA DE LANÇAMENTOS CONTÁBEIS EVENTO D/C COD. CONTAB. CONTA 3. No calculo da Prov. De Pren. não Ganhos 3.1 Variação positiva D- 512 Var. das Provisões de Prêmios não Ganhos C- 212 Provisões de Prêmios não Ganhos 3.2 Variação negativa D- 212 Provisões de Prêmios não Ganhos C- 512 Var. das Provisões de Prêmios não Ganhos 4. No calculo das Despesas de Comercialização Diferidas 4.1 Variação positiva D- 126 Despesas de Comercialização diferidas C- 532 Var. das Despesas de comerc. Diferidas 4.2 Variação negativa D- 532 Var. das Despesas de comerc. diferidas C- 126 Despesas de Comercialização diferidas

8 ESQUEMA DE LANÇAMENTOS CONTÁBEIS EVENTO D/C COD. CONTAB. CONTA 5. Contabilização de sinistros 5.1 Registro da indeniz. de sinistro avisado D Indenização de sinistro avisado C- 221 Provisão de Sinistros a Liquidar 5.2 Ajuste de provisão de indenização D Ajuste da indenização de sinistro C- 221 Provisão de Sinistros a Liquidar 5.3 Pagamento de indenização D- 221 Provisão e Sinistros a Liquidar C- 121 Disponivel 5.4 Despesas c/ regulação de sinistro 5.5 Pagamento de despesas c/ sinistros D- 522 Despesas c/ sinistros C Contas a pagar D Contas a pagar C- 121 Disponivel

9 ESQUEMA DE LANÇAMENTOS CONTÁBEIS EVENTO D/C COD. CONTAB. CONTA 6. Calculo da Correção monetária 6.1 Sobre contas a receber D Contas a Receber Seguros indexados C Variação monetária das ctas. a receber 6.2 Sobre resseguro a pagar D Variação monetária das ctas. a pagar C Prêmios de resseg. Cedidos índex. 6.3 Sobre cosseguros cedido D Variação monetária das ctas. a pagar C Cosseguros cedidos indexados 6.4 Sobre comissões de corretagem a pagar D Variação monetária das ctas. a pagar C Comissões a pagar seg. indexados 6.5 Sobre comissões de resseguros D Comissões de resseguro a recup. índex. C Variação monetária das ctas. a receber 6.6 Sobre comissões s/cosseguro cedido D Comissões de cosseg. Cedido indexado C Variação monetária das ctas. a receber 6.7 Sobre prêmio de cosseg. aceito D Cosseguros aceitos - indexados C Variação monetária das ctas. a receber 6.8 Sobre comissões de cosseg. aceito 6.9 Sobre a provisão de Prêmios não Ganhos 6.10 Sobre Despesas de Comerc. Diferidas D Variação monetária das ctas. a pagar C Comissões de cosseg. Aceitos índex. D Variação monetária das PPNG C /21 Provisão de prêmios não Ganhos D Desp. De Comerc. Diferidas - indexadas C Var. Monet. das despesas diferidas

10 : CLASSE : 1 : ATIVO : : GRUPO : 12 : ATIVO CIRCULANTE : : SUBGRUPO : 123 : CREDITOS OPERACIONAIS : : CONTA : 1231 : INSTITUTO DE RESSEGUROS DO BRASIL : : SUBCONTA : : RETROCESSAO INDEXADA : : SUBCONTA : : RETROCESSAO NÃO INDEXADA : : SUBCONTA : : COMIS. DE RESSEG. A REC-INDEXADOS : : SUBGRUPO : : COMIS. DE RESSEG. A REC-NÃO INDEX. : : SUBCONTA : : IRB REC. DE SINISTROS DE RESSEG. : : SUBCONTA : : IRB CTA. MOVIMENTO M. ESTRANG. : : SUBCONTA : : IRB OUTROS CREDITOS : Serão registradas nesta conta e subcontas o seguinte: Os valores referentes a prêmios relativos a retrocessão, emitidos pelo IRB indexados Os valores referentes a prêmios relativos a retrocessão, emitidos pelo IRB não indexados Os valores de comissões sobre prêmios de resseguros emitidos e cedidos ao IRB indexados Os valores de comissões sobre prêmios de resseguros emitidos e cedidos ao IRB não indexados As recuperações de indenizações devidas, em virtude de resseguro cedido ao IRB (debito), lançamento a ser efetuado na data do pagamento do sinistro em contrapartida com as contas especificas de resultado As operações entre a sociedade e o IRB, em moedas estrangeiras. O registro contábil será efetuado, conforme demonstrativo de contas correntes, fornecido mensalmente pelo IRB Os valores correspondentes a outros créditos a receber do IRB.

11 : CLASSE : 1 : ATIVO : : GRUPO : 12 : ATIVO CIRCULANTE : : SUBGRUPO : 124 : CONTAS A RECEBER : : CONTA : 1242 : PRÊMIOS EMITIDOS A RECEBER : : SUBCONTA : : SEGUROS INDEXADOS : : SUBCONTA : : SEGUROS NÃO INDEXADOS/PRE FIXADOS : : SUBCONTA : : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : SUBCONTA : : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Obs. A conta 1242 PRÊMIOS EMITIDOS A RECEBER SUBSTITUI A CONTA 1242 PRÊMIOS MENSAIS A RECEBER Serão registrados nesta conta o prêmio bruto emitido, considerando se como prêmio bruto o Prêmios total emitido ( líder + congêneres) Deverão ser mantidos os saldos por ramo/modalidade, incluindo os riscos decorridos e os riscos a decorrer. Deverão transitar nesta conta, para efeitos de controle, inclusive os prêmios recebidos a vista.

12 : CLASSE : 1 : ATIVO : : GRUPO : 12 : ATIVO CIRCULANTE : : SUBGRUPO : 124 : CONTAS A RECEBER : : CONTA : 1244 : CONTAS A RECEBER - CONGENERES : : SUBCONTA : : COSSEGUROS ACEITOS INDEXADOS : : SUBCONTA : : COSSEGUROS ACEITOS NÃO INDEXADOS : : SUBCONTA : : COMIS. DE COSSEG. CEDIDO INDEXADOS : : SUBGRUPO : : COMIS. DE COSSEG. CEDIDO NÃO INDEX : : SUBCONTA : : RECUPERAÇÃO DE SINISTROS : : SUBCONTA : : OUTROS CREDITOS - CONGENERES : Serão registradas nesta conta e subcontas o seguinte: Os valores referentes a prêmios relativos a cosseguros aceitos indexados Os valores referentes a prêmios relativos a cosseguros aceitos não indexados Os valores de comissões sobre prêmios de cosseguros cedidos a congêneres indexados Os valores de comissões sobre prêmios de cosseguros cedidos a congeneres não indexados As recuperações de indenizações devidas, em virtude de cosseguro cedido a congêneres, lançamento a ser efetuado na data do pagamento do sinistro em contrapartida com as contas especificadas de resultado Os valores correspondentes a outros créditos a receber de congêneres.

13 : CLASSE : 1 : ATIVO : : GRUPO : 12 : ATIVO CIRCULANTE : : SUBGRUPO : 126 : DESPESAS DE COMERCIAL.DIFERIDAS : : CONTA : 1261 : COMISSÕES SOBRE PRÊMIOS EMITIDOS : : SUBCONTA : : SEGUROS INDEXADOS : : SUBCONTA : : SEGUROS NÃO INDEXADOS : : SUBCONTA : : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : CONTA : 1262 : COMISSÕES SOBRE RETROCESSÃO : : SUBCONTA : : SEGUROS INDEXADOS : : SUBCONTA : : SEGUROS NÃO INDEXADOS : : CONTA : 1263 : COMISSÕES DE AGENCIAMENTO : : SUBCONTA : : SEGUROS INDEXADOS : : SUBCONTA : : SEGUROS NÃO INDEXADOS : : CONTA : 1264 : OUTRAS DESP. DE COMERC. DIFERIDAS : : SUBCONTA : : SEGUROS INDEXADOS : : SUBCONTA : : SEGUROS NÃO INDEXADOS : Obs. Serão registrados nestas contas os valores das despesas retidas de comercialização, por ramo, diferidas para amortização proporcional ao reconhecimento da receita de prêmio ganho, ou seja, em função do decorrer da vigência do risco, conforme normas de calculo vigente.

14 : CLASSE : 2 : PASSIVO : : GRUPO : 21 : PROVISÕES TECNICAS : : SUBGRUPO : 212 : PROVISÕES DE PRÊMIOS NÃO GANHOS : : CONTA : 2121 : PRÊMIOS EMITIDOS : : SUBCONTA : : SEGUROS INDEXADOS : : SUBCONTA : : SEGUROS NÃO INDEXADOS : : SUBCONTA : : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : CONTA : 2122 : PRÊMIOS DE RETROCESSÃO : : SUBCONTA : : SEGUROS INDEXADOS : : SUBCONTA : : SEGUROS NÃO INDEXADOS : Obs. Serão registrados nestas contas os valores de prêmios retidos a ganhar durante a vigência do risco, por ramo conforme norma de calculo vigente.

15 : CLASSE : 2 : PASSIVO : : GRUPO : 21 : PROVISÕES TECNICAS : : SUBGRUPO : 213 : PROVISÕES DE RISCOS DECORRIDOS : : CONTA : 2131 : SEGUROS : : CONTA : 2131 : RETROCESSÕES : Obs. Serão registrados nestas contas os valores das provisões de riscos decorridos, calculados de acordo com as normas de calculo vigentes.

16 : CLASSE : 2 : PASSIVO : : GRUPO : 22 : PASSIVO CIRCULANTE : : SUBGRUPO : 221 : SINISTRO A LIQUIDAR : : CONTA : 2211 : SEGUROS : : CONTA : 2213 : COSSEGUROS ACEITOS DE CONG. DO PAIS : : CONTA : 2216 : RETROCESSÕES DO IRB : : CONTA : 2217 : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : CONTA : 2218 : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Obs. Serão registrados nestas contas os valores correspondentes a Provisão de Sinistros a Liquidar, por ramo, constituída de conformidade com a legislação pertinente. Estas contas substituem as contas e subcontas 2113 PROVISÃO DE SINISTROS A LIQUIDAR do plano de contas antigo.

17 : CLASSE : 2 : PASSIVO : : GRUPO : 22 : PASSIVO CIRCULANTE : : SUBGRUPO : 223 : DEBITOS OPERACIONAIS : : CONTA : 2231 : INSTITUTO DE RESSEGURO DO BRASIL : : SUBCONTA : : RETROCESSÃO INDEXADA : : SUBCONTA : : RETROCESSÃO NÃO INDEXADA : : SUBCONTA : : PRÊMIOS DE RESSEG CED. INDEXADOS : : SUBGRUPO : : PRÊMIOS DE RESSEG CED. NÃO INDEX. : : SUBCONTA : : IRB ADIANT. DE SINISTROS DE RES. : : SUBCONTA : : IRB CTA. MOVIMENTO M. ESTRANG. : : SUBCONTA : : IRB OUTROS DEBITOS : Serão registrados, por ramo, nesta conta e subconta o seguinte: Os valores referentes a comissão relativos a retrocessão, emitidos pelo IRB indexados Os valores referentes a comissões relativos a retrocessão, emitidos pelo IRB não indexados Os valores de prêmios de resseguros emitidos e cedidos ao IRB indexados Os valores de prêmios de resseguros emitidos e cedidos ao IRB não indexados Os adiantamentos de sinistros de resseguros obtidos do IRB As operações entre a Sociedade e o IRB, em moedas estrangeiras. O registro contábil será efetuado, conforme demonstrativo de contas correntes, fornecido mensalmente pelo IRB Os valores correspondentes a outros débitos a pagar ao IRB.

18 : CLASSE : 2 : PASSIVO : : GRUPO : 22 : PASSIVO CIRCULANTE : : SUBGRUPO : 224 : CONTAS A PAGAR : : CONTA : 2241 : PROVISÃO DE COMISSÕES A PAGAR : : CONTA : : SEGUROS INDEXADOS : : CONTA : : SEGUROS NÃO INDEXADOS : CONTA : : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : CONTA : : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Obs. Serão registrados nestas contas os valores correspondentes a comissão de corretagem a pagar, por ramo provisionadas a partir da emissão da apólice. Estas contas substituem as contas e subcontas 2241 PROVISÃO DE COMISSÃO DE SEGURO do plano de contas antigo.

19 : CLASSE : 2 : PASSIVO : : GRUPO : 22 : PASSIVO CIRCULANTE : : SUBGRUPO : 224 : CONTAS A PAGAR : : CONTA : 2244 : CONTAS A PAGAR - CONGENERES : : SUBCONTA : : COSSEGUROS CEDIDOS INDEXADOS : : SUBCONTA : : COSSEGUROS CEDIDOS NÃO INDEXADOS : SUBCONTA : : COMIS. DE COSSEG ACEITO INDEXADOS : SUBGRUPO : : COMIS. DE COSSEG ACEITO NÃO INDEX. : : : : SUBCONTA : : OUTROS DEBITOS - CONGENERES : Serão registradas, por ramo, nesta conta e subcontas o seguinte: Os valores referentes a prêmios relativos a cosseguros cedidos indexados Os valores referentes a prêmios relativos a cosseguros cedidos não indexados Os valores de comissões sobre prêmios de cosseguros aceitos a congeneres indexados Os valores de comissões sobre prêmios de cosseguros aceitos a congêneres não indexados Os valores correspondentes a outros débitos a pagar a congêneres.

20 : GRUPO : 51 : PREMIO GANHO : : SUB GRUPO : 511 : PREMIO RETIDO : : CONTA : 5111 : PREMIOS EMITIDOS : : SUBCONTA : : PREMIOS EMITIDOS BRUTOS : : SUBCONTA : : COSSEGUROS ACEITOS : : SUBCONTA : : RETROCESSOES : : SUBCONTA : : OPERAÇÕES COM O EXTERIOR : : SUBCONTA : : SUCURSAIS NO EXTERIOR : São registradas nesta conta e subcontas o seguinte: Conta 5111: Prêmios emitidos brutos pela Sociedade Seguradora, incluindo as parcelas de prêmios de cosseguro cedido, cosseguros aceito e retrocessão. Subconta 51111: Prêmios emitidos brutos pela Sociedade Seguradora, incluindo as parcelas de prêmios de cosseguro cedido. Subconta 51112: Cosseguros aceitos pela Sociedade Seguradora, de congêneres sediadas no pais. Subconta : Prêmios emitidos correspondentes a Retrocessões. Subconta : Prêmios emitidos correspondentes a aceitações de Operações com o Exterior. Subconta : Prêmios emitidos por Sucursais no Exterior.

21 : GRUPO : 51 : PREMIO GANHO : : SUBGRUPO : 511 : PREMIO RETIDO : : CONTA : 5112 : PRÊMIOS CANCELADOS : : SUBCONTA : : PRÊMIOS CANCELADOS BRUTOS : : SUBCONTA : : COSSEGUROS ACEITOS : : SUBCONTA : : RETROCESSÕES : : SUBCONTA : : OPERAÇÕES COM O EXTERIOR : : SUBCONTA : : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Serão registrados nesta conta e subcontas o seguinte: Conta 5112: Prêmios cancelados brutos pela Sociedade Seguradora, incluindo as parcelas de prêmios de cosseguro cedido, cosseguro aceito e retrocessão. Subconta 51121: Prêmios cancelados brutos pela Sociedade Seguradora, incluído as parcelas de prêmios de cosseguros cedido. Subconta 51122: Cancelamento de Cosseguros aceitos pela Sociedade Seguradora, de congêneres sediadas no país. Subconta 51126: Cancelamento de Prêmios correspondentes a Retrocessões. Subconta 51127: Cancelamento de Prêmios correspondente a aceitações de Operações com o Exterior. Subconta 51128: Cancelamento de prêmios correspondente a Sucursais no Exterior.

22 : CLASSE : 5 : CONTAS DE RESULTADOS : : GRUPO : 51 : PRÊMIO GANHO : : SUBGRUPO : 511 : PRÊMIO RETIDO : : CONTA : 5113 : PRÊMIOS RESTITUIDOS : : SUBCONTA : : PRÊMIOS RESTITUIDOS BRUTOS : : SUBCONTA : : COSSEGUROS ACEITOS : : SUBCONTA : : RETROCESSOES : : SUBCONTA : : OPERAÇÕES COM O EXTERIOR : : SUBCONTA : : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Serão registrados nesta conta e subcontas o seguinte: Conta 5113: Prêmios restituídos brutos pela Sociedade Seguradora, incluindo as parcelas de prêmios de cosseguro cedido, cosseguro aceito e retrocessão. Subconta 51131: Prêmios restituídos brutos pela Sociedade Seguradora, incluindo as parcelas de prêmios de cosseguro cedido. Subconta 51132: Restituição de prêmios de Cosseguros aceitos pela Sociedade Seguradora, de congêneres sediadas no país. Subconta 51136: Restituição de prêmios correspondentes a Retrocessoes. Subconta 51137: Restituição de prêmios correspondente a aceitações de Operações com o Exterior. Subconta 51138: Restituição de prêmios correspondentes a Sucursais no Exterior.

23 : GRUPO : 51 : PRÊMIO GANHO : : SUBGRUPO : 511 : PRÊMIO RETIDO : : CONTA : 5114 : PRÊMIOS CEDIDOS : : SUBCONTA : : RESSEGUROS CEDIDOS AO IRB : : SUBCONTA : : COSSEGUROS CEDIDOS : : SUBCONTA : : OPERAÇÕES COM O EXTERIOR : Serão registrados nesta conta e subconta o seguinte: Conta 5114: Prêmios cedidos pela Sociedade Seguradora, incluindo resseguro cedidos ao IRB, cosseguros cedidos a congêneres do país e ao exterior, correspondentes a parte que a elas couberem sobre os prêmios emitidos, cancelados e restituídos. Subconta 51141: Resseguros cedidos ao IRB. Subconta 51142: Prêmios cedidos a congêneres sediadas no país. Subconta 51147: Cessão de prêmios correspondente Operações no Exterior.

24 : GRUPO : 51 : PRÊMIO GANHO : : SUBGRUPO : 512 : VAR. DAS RESERVAS DE PREM. N. GANHOS : : CONTA : 5121 : SEGUROS E COSSEGUROS : : SUBCONTA : : SEGUROS INDEXADOS : : SUBCONTA : : SEGUROS NÃO INDEXADOS : : CONTA : 5126 : RETROCESSÕES : : SUBCONTA : : SEGUROS INDEXADOS : : SUBCONTA : : SEGUROS NÃO INDEXADOS : : CONTA : 5127 : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : CONTA : 5128 : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Serão registradas nestas contas e subcontas, por ramo, a variação das RRNG, calculadas pela diferença obtida entre o saldo final e o saldo inicial (já corrigido anteriormente). Subgrupo 512: Variação das Reservas de Prêmios não Ganhos no Período. Conta 5121: Variação das Reservas de Prêmios não ganhos correspondentes a Seguros e Cosseguros aceitos. Subconta 51211: Seguros e cosseguros indexados. Subconta 51212: Seguros e cosseguros não indexados. Conta 5126 : Retrocessões do IRB. Conta 5127: Operações no exterior. Conta 5128: Sucursais no Exterior.

25 : GRUPO : 52 : SINISTRO RETIDOS : : SUBGRUPO : 521 : INDENIZAÇÕES : : CONTA : 5211 : SEGUROS DIRETOS : : SUBCONTA : : INDENIZAÇÕES AVISADAS : : SUBCONTA : : AJUSTES DAS INDENIZAÇÕES AVISADAS : : SUBCONTA : : RECUP. INDENIZAÇÕES IRB : : SUBCONTA : : RECUP. INDENIZAÇÕES CONGENERES : : SUBCONTA : : RECUP. INDENIZAÇÕES OP. EXTERIOR : : SUBCONTA : : RECUP. DE CONSORCIOS RESSEG. IRB : : SUBCONTA : : RECUP. DE FUNDOS ESPECIAIS IRB : : CONTA : 5212 : COSSEGUROS ACEITOS : : CONTA : 5216 : RETROCESSOES DO IRB : : CONTA : 5217 : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : CONTA : 5218 : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Serão registrados nestas contas e subcontas, os valores correspondente as provisões das indenizações por sinistros ocorridos e as recuperações aos consórcios especiais de indenizações. Subgrupo 521 : Indenizações. Conta 5211 : Indenizações de sinistros ocorridos, sobre prêmios diretos. Subconta 52111: Valor correspondente a indenizações provisionadas de sinistros ocorridos, por ocasião do aviso. Subconta 52112: Valor correspondente ao ajuste de provisões para pagamento de indenizações, feitas a maior ou a menor por ocasião do aviso do sinistro. Subconta 52113: Valor das recuperações de indenizações junto ao IRB, provisionadas por ocasião da provisão da indenização. Subconta 52114: Valor das recuperações de indenizações junto a congêneres do país, provisionadas por ocasião da provisão da indenização.

26 Subconta 52115: Valor das recuperações de indenizações nos casos de cessões ao exterior, provisionadas por ocasião da provisão da indenização. Subconta 52115: Valor das recuperações de consórcios, assim como as recuperações de sinistros, processadas pela sociedade, em virtude de resseguro cedido ao IRB. Subconta 52116: Valor das recuperações de fundos, assim como as recuperações de sinistros, processadas pela sociedade, em virtude de resseguro cedido ao IRB. Conta 5212 : Indenização pagas de sinistros ocorridos, sobre prêmios diretos. Conta 5216: Retrocessões do IRB. Conta 5217: Operações no Exterior. Conta 5218: Sucursais no Exterior.

27 : GRUPO : 52 : SINISTROS RETIDOS : : SUBGRUPO : 522 : DESPESAS COM SINISTRO : : CONTA : 5221 : SEGUROS DIRETOS : : SUBCONTA : : PROVISÃO DE DESPESAS DE SINISTROS : : SUBCONTA : : RECUP. DE DESPESAS IRB : : SUBCONTA : : RECUP. DE DESPESAS CONGENERES : : SUBCONTA : : RECUP. DE DESPESAS OP. EXTERIOR : : CONTA : 5222 : COSSEGUROS ACEITOS : : CONTA : 5226 : RETROCESSOES DO IRB : : CONTA : 5227 : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : CONTA : 5228 : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Serão registrados nestas contas e subcontas os valores correspondentes as provisões de despesas com regulação de sinistro. Subgrupo 522: Despesas com sinistros. Conta 5221: Despesas com sinistros de seguros diretos. Subconta 52211: Valor correspondente as provisões de despesas para regulação de sinistros. Subconta 52212: Valor das recuperações de despesas junto ao IRB. Subconta 52213: Valor das recuperações de despesas junto a congêneres do país. Subconta 52214: Valor das recuperações de despesas nos casos de cessões ao exterior. Conta 5222: Despesas com sinistros de cosseguros aceitos. Conta 5226: Retrocessões do IRB. Conta 5226: Operações no Exterior. Conta 5226: Sucursais no Exterior.

28 : GRUPO : 52 : SINISTROS RETIDOS : : SUBGRUPO : 523 : SALVADOS : : CONTA : 5231 : SEGUROS DIRETOS : : SUBCONTA : : RECUPERAÇÕES EM SALVADOS : : SUBCONTA : : RESSEGUROS CEDIDOS AO IRB : : SUBCONTA : : COSSEGUROS CEDIDOS A CONGENERES : : SUBCONTA : : CESSÕES DE SEGUROS OP. EXTERIOR : : CONTA : 5232 : COSSEGUROS ACEITOS : : CONTA : 5236 : RETROCESSÕES DO IRB : : CONTA : 5237 : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : CONTA : 5238 : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Serão registrados por ramos, nestas contas e subcontas o seguinte: Subgrupo 523: Resultado com salvados. Conta 5231: Seguros diretos. Subconta 52311: Valor correspondente as recuperações de quantias indenizadas pela apropriação de salvados. Subconta 52312: Valor correspondente as provisões de repasse ao IRB, correspondentes as participações destas nas recuperações de indenização através dos salvados. Subconta 52313: Valor correspondente as provisões de repasse a congêneres do país, correspondentes as participações destas nas recuperações de indenização através dos salvados. Subconta 52314: Valor correspondente as provisões de repasse ao exterior, correspondentes as participações delas nas recuperações de indenização através dos salvados. Conta 5232: Cosseguros aceitos. Conta 5236: Retrocessões do IRB. Conta 5237: Operações no Exterior. Conta 5238: Sucursais no Exterior.

29 : GRUPO : 52 : SINISTROS RETIDOS : : SUBGRUPO : 524 : RESSARCIMENTO : : CONTA : 5241 : SEGUROS DIRETOS : : SUBCONTA : : RECUPERAÇÕES EM RESSARCIMENTOS : : SUBCONTA : : RESSEGUROS CEDIDOS AO IRB : : SUBCONTA : : COSSEGUROS CEDIDOS A CONGENERES : : SUBCONTA : : CESSÕES DE SEGUROS OP. EXTERIOR : : CONTA : 5242 : COSSEGUROS ACEITOS : : CONTA : 5246 : RETROCESSÕES DO IRB : : CONTA : 5247 : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : CONTA : 5248 : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Grupo 52 : Sinistros líquidos da Sociedade Seguradora. Subgrupo 524: Resultado com ressarcimentos. Conta 5241: Seguros diretos. Subconta 52411: Valor correspondente as recuperações de quantias indenizadas, conseqüente de ressarcimentos obtidos por ações judiciais ou decisões extrajudiciais. Subconta 52412: Valor correspondente as provisões de repasse ao IRB, correspondentes as participações destas nas recuperações de indenização através de ressarcimentos. Subconta 52413: Valor correspondente as provisões de repasse a congêneres do país, correspondente as participações destas nas recuperações de indenização através de ressarcimentos. Subconta 52414: Valor correspondente as provisões de repasse ao exterior, correspondentes as participações delas nas recuperações de indenização através de ressarcimentos. Conta 5242 : Cosseguros aceitos. Conta 5246: Retrocessões do IRB. Conta 5247 : Operações no Exterior. Conta 5248 : Sucursais no Exterior.

30 : GRUPO : 52 : SINISTROS RETIDOS : : SUBGRUPO : 525 : SEGUROS VENCIDOS : : CONTA : 5251 : SEGUROS DIRETOS : : SUBCONTA : : PAGAMENTO DE SEGUROS VENCIDOS : : SUBCONTA : : RESSEGUROS CEDIDOS AO IRB : : SUBCONTA : : COSSEGUROS CEDIDOS A CONGENERES : : SUBCONTA : : CESSÕES DE SEGUROS OP. EXTERIOR : : CONTA : 5252 : COSSEGUROS ACEITOS : : CONTA : 5256 : RETROCESSÕES DO IRB : : CONTA : 5257 : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : CONTA : 5258 : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Grupo 52 : Sinistros líquidos da Sociedade Seguradora. Subgrupo 525: Seguros vencidos. Conta 5251: Seguros diretos. Subconta 52511: Valor correspondente aos pagamentos de seguros vencidos, do ramo Vida Individual. Subconta 52512: Valor correspondente as provisões de repasse ao IRB e congêneres do país, correspondente as participações destas nos pagamentos de seguros vencidos. Subconta 52512: Valor correspondente as provisões de repasse ao IRB, correspondentes as participações destas nos pagamentos de seguros vencidos. Subconta 52513: Valor correspondente as provisões de repasse a congêneres do país, correspondentes as participações destas nos pagamentos de seguros vencidos. Subconta 52514: Valor correspondente as provisões de repasse ao exterior, correspondentes as participações delas nos pagamentos de seguros vencidos. Conta 5252: Cosseguros aceitos. Conta 5256: Retrocessões do IRB. Conta 5257: Operações no Exterior. Conta 5258: Sucursais no Exterior.

31 : GRUPO : 52 : SINISTROS RETIDOS : : SUBGRUPO : 526 : RENDAS VENCIDAS : : CONTA : 5261 : SEGURO DIRETOS : : SUBCONTA : : PAGANENTO DE RENDAS VENCIDAS : : SUBCONTA : : RESSEGUROS CEDIDOS AO IRB : : SUBCONTA : : COSSEGUROS CEDIDOS A CONGENERES : : SUBCONTA : : CESSOES DE SEGUROS OP. EXTERIOR : : CONTA : 5262 : COSSEGUROS ACEITOS : : CONTA : 5266 : RETROCESSOES DO IRB : : CONTA : 5267 : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : CONTA : 5268 : SUCURSAIS NO EXTERIOR : : CONTA : 5261 : SEGUROS E COSSEGUROS ACEITOS : Grupo 52: Sinistros liquidos da Sociedade Seguradora. Subgrupo 526: Rendas vencidas. Conta 5261: Seguros diretos. Subconta 52611: Valor correspondente aos pagamentos de rendas vencidas. Subconta 52612: Valor correspondente as provisões de repasse ao IRB, correspondentes as participações destas nos pagamentos de rendas vencidas. Subconta 52613: Valor correspondente as provisões de repasse a congêneres do país, correspondentes as participações destas nos pagamentos de rendas vencidas. Subconta 52614: Valor correspondente as provisões de repasse ao exterior, correspondentes as participações delas nos pagamentos de rendas vencidas. Conta 5262: Cosseguros aceitos. Conta 5266: Retrocessões do IRB. Conta 5267: Operações no Exterior. Conta 5268: Sucursais no Exterior.

32 : GRUPO : 52 : SINISTROS RETIDOS : : SUBGRUPO : 529 : VARIAÇÃO DE PROVISOES DE SINISTRO : : CONTA : 5291 : VARI. DA PROV. DE RISCOS DECORRID. : : SUBCONTA : : SEGUROS DIRETOS : : SUBCONTA : : COSSEGUROS ACEITOS : : SUBCONTA : : RETROCESSÕES DO IRB : : SUBCONTA : : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : SUBCONTA : : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Grupo 52 : Sinistro liquidos da sociedade Seguradora. Subgrupo 529 : Variação das provisões técnicas de sinistros. Conta 5291: Variação das provisões de riscos decorridos. Subconta 52911: Valor correspondente a variação das provisões de riscos decorridos, efetuada de acordo com a legislação pertinente, para seguros diretos. Independentemente da variação seja positiva ou negativa, o valor deve ser lançado nesta conta. Subconta 52912: Cosseguros aceitos. Subconta 52916: Retrocessões do IRB. Subconta 52917: Operações no Exterior. Subconta 52918: Sucursais no Exterior.

33 : GRUPO : 53 : COMISSÕES LIQUIDAS : : SUBGRUPO : 531 : COMISSÕES RETIDAS : : CONTA : 5311 : SOBRE PRÊMIOS EMITIDOS : : SUBCONTA : : SOBRE PRÊMIOS EMITIDO BRUTO : : SUBCONTA : : COSSEGUROS ACEITOS : : SUBCONTA : : RETROCESSOES : : SUBCONTA : : OPERAÇÕES COM O EXTERIOR : : SUBCONTA : : SUCURSAIS NO EXTERIOR : : SUBCONTA : : COMISSÕES DE AGENCIAMENTO : Registro das despesas de comissões, por ramo, por ocasião da emissão da apólice: Grupo 53: Comissões líquidas do período. Subgrupo 531: Comissões retidas pela Sociedade Seguradora no período. Conta 5311: Sobre prêmios emitidos brutos pela Sociedade Seguradora, incluindo as parcelas do prêmios de cosseguro cedido, cosseguro aceito e retrocessão. Subconta 53111: Sobre prêmios emitidos brutos pela Sociedade Seguradora, incluindo as parcelas de prêmios de cosseguros cedido. Subconta 53112: Sobre cosseguros aceitos pela Sociedade Seguradora, de congêneres sediadas no país. Subconta 53116: Sobre prêmios emitidos correspondentes a Retrocessões. Subconta 53117: Sobre prêmios emitidos correspondentes a aceitações de Operações com o Exterior. Subconta 53118: Sobre prêmios emitidos por Sucursais no Exterior. Subconta 53119: Comissões de agenciamento incidente sobre os ramos Vida e acidentes pessoais.

34 : GRUPO : 53 : COMISSÕES LIQUÍDAS : : SUBGRUPO : 531 : COMISSÕES RETIDAS : : CONTA : 5312 : SOBRE PRÊMIOS CANCELADOS : : SUBCONTA : : SOBRE PRÊMIO CANCELADO BRUTO : : SUBCONTA : : COSSEGUROS ACEITOS : : SUBCONTA : : RETROCESSÕES : : SUBCONTA : : OPERAÇÕES COM O EXTERIOR : : SUBCONTA : : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Serão registradas nesta conta e subcontas, por ramos, as comissões incidentes sobre os cancelamentos de prêmios: Grupo 53: Comissões liquidas do período. Subgrupo 531: Comissões retidas pela Sociedade Seguradora no período. Conta 5312: Sobre prêmios cancelados brutos pela Sociedade Seguradora, incluindo as parcelas de prêmios de cosseguro cedido, cosseguro aceito e retrocessão. Subconta 53121: Sobre prêmios cancelados brutos pela sociedade Seguradora, incluindo as parcelas de prêmios de cosseguro cedido. Subconta 53122: Sobre cancelamento de Cosseguro aceitos pela Sociedade Seguradora, de congêneres sediadas no país. Subconta 53126: Sobre cancelamento de prêmios correspondentes a Retrocessões. Subconta 53127: Sobre cancelamento de prêmios correspondente a aceitações de Operações com o Exterior. Subconta 53128: Sobre cancelamento de prêmios correspondente a sucursais no Exterior.

35 : GRUPO : 53 : COMISSÕES LIQUÍDAS : : SUBGRUPO : 531 : COMISSÕES RETIDAS : : CONTA : 5313 : SOBRE PRÊMIOS RESTITUIDOS : : SUBCONTA : : SOBRE PRÊMIOS RESTITUIDOS BRUTO : : SUBCONTA : : COSSEGUROS ACEITOS : : SUBCONTA : : RETROCESSÕES : : SUBCONTA : : OPERAÇÕES COM O EXTERIOR : : SUBCONTA : : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Serão registradas nesta conta e subcontas, por ramos, os valores correspondentes as comissões sobre os prêmios restituídos. Grupo 53: Comissões liquidas do período. Subgrupo 531: Comissões retidas pela Sociedade Seguradora no período. Conta 5313: Sobre prêmios restituídos brutos pela Sociedade Seguradora, incluindo as parcelas de prêmios de cosseguro cedido, cosseguro aceito e retrocessão. Subconta 53131: Sobre prêmios restituídos brutos pela Sociedade Seguradora, incluindo as parcelas de prêmios de cosseguro cedido. Subconta 53132: Sobre restituições de Cosseguros aceitos pela Sociedade Seguradora, de congêneres sediadas no país. Subconta 53136: Sobre restituições de prêmios correspondentes a Retrocessões. Subconta 53137: Sobre restituições de prêmios correspondente a aceitações de Operações com o Exterior. Subconta 53138: Sobre restituições de prêmios correspondente a sucursais no Exterior.

36 : GRUPO : 53 : COMISSÕES LIQUIDAS : : SUBGRUPO : 531 : COMISSÕES RETIDAS : : CONTA : 5314 : SOBRE PRÊMIOS CEDIDOS : : SUBCONTA : : RESSEGUROS CEDIDOS AO IRB : : SUBCONTA : : COSSEGUROS CEDIDOS : : SUBCONTA : : OPERAÇÕES COM O EXTERIOR : Serão registradas nesta conta e subcontas, por ramos, os valores correspondentes as comissões sobre prêmios cedidos a congêneres e ao IRB, calculadas sobre os prêmios emitidos, cancelados e restituídos. Grupo 53: Comissões líquida do período. Subgrupo 531: Comissões retidas pela Sociedade Seguradora no período. Conta 5314: Sobre prêmios cedidos pela Soc. Seguradora, incluindo resseguros cedidos ao IRB, cosseguros cedidos a congêneres do país e ao exterior. Subconta 53141: Resseguros cedidos ao IRB Subconta 53142: Prêmios cedidos a congêneres sediadas no país. Subconta 53147: Cessão de prêmios correspondente Operações no Exterior.

37 : GRUPO : 53 : COMISSÕES LIQUIDAS : : SUBGRUPO : 531 : COMISSÕES RETIDAS : : CONTA : 5315 : DESCONTOS NOS PRÊMIOS : : SUBCONTA : : SOBRE PRÊMIOS EMITIDOS : : SUBCONTA : : RESSEGUROS CEDIDOS AO IRB : : SUBCONTA : : COSSEGUROS CEDIDOS : : SUBCONTA : : OPERAÇÕES COM O EXTERIOR : Serão registradas nesta conta e subcontas, por ramos, os valores correspondentes aos descontos concedidos. Grupo 53: Comissões liquidas do período. Subgrupo 531: Comissões retidas pela Sociedade Seguradora no período. Conta 5315: Valor liquido do desconto concedido. Subconta 53151: Sobre prêmios emitidos. Subconta 53152: Resseguros cedidos ao IRB. Subconta 53153: Prêmios cedidos a congêneres sediadas no país. Subconta 53157: Cessão de prêmios correspondente Operações no Exterior.

38 : GRUPO : 53 : COMISSÕES LIQUIDAS : : SUBGRUPO : 532 : VAR. DAS DESPESA DE COMERCIAL. DIF. : : CONTA : 5321 : VAR. DAS COMISSÕES DIFERIDAS : : SUBCONTA : : SEGURO INDEXADOS : : SUBCONTA : : SEGUROS NÃO INDEXADOS : : SUBCONTA : : RETROCESSÕES : : SUBCONTA : : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : SUBCONTA : : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Serão registradas nestas contas e subcontas, por ramos, os valores correspondentes as variações das despesas de comercialização. Calculadas pela diferença entre o saldo final e o saldo inicial (já corrigido ) Valor calculado da mesma forma que as RPNG. Grupo 53: Comissões liquidas do período. Subgrupo 532: Variação das Despesas de Comercialização Diferidas no período. Conta 5321: Variação das Despesas de Comercialização Diferidas referente a comissões de corretagem. Subconta 53211: Seguros e cosseguros indexados. Subconta 53212: Seguros e cosseguros não indexados. Conta 53216: Retrocessões do IRB. Conta 53217: Operações no Exterior. Conta 53218: Sucursais no Exterior.

39 : GRUPO : 53 : COMISSÕES LIQUIDAS : : SUBGRUPO : 532 : VAR. DAS DESPESA DE COMERCIAL. DIF. : : CONTA : 5322 : COMISSÕES DE AGENCIAMENTO : : SUBCONTA : : SEGUROS INDEXADOS : : SUBCONTA : : SEGUROS NÃO INDEXADOS : : SUBCONTA : : RETROCESSÕES : : SUBCONTA : : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : SUBCONTA : : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Serão registradas nestas contas e subcontas, por ramos, os valores correspondentes as variações das despesas de comissões de agenciamento diferidas, calculadas pela diferença entre o saldo final e o saldo inicial ( já corrigido). Grupo 53: Comissões liquidas do período. Subgrupo 532: Variação das Despesas de Comercialização Diferidas no período. Conta 5322: Variação das Despesas de Comercialização Diferidas referente a comissões de agenciamento. Subconta 53221: Seguros e cosseguros indexados. Subconta 53222: Seguros e cosseguros não indexados. Conta 53226: Retrocessões do IRB. Conta 53227: Operações no Exterior. Conta 53228: Sucursais no Exterior.

40 : GRUPO : 53 : COMISSOES LIQUIDAS : : SUBGRUPO : 532 : VAR. DAS DESPESA DE COMERCIAL. DIF. : : CONTA : 5323 : OUTRAS DESPESAS DE COMERCIALIZAC. : : SUBCONTA : : SEGUROS INDEXADOS : : SUBCONTA : : SEGUROS NÃO INDEXADOS : : SUBCONTA : : RETROCESSOES : : SUBCONTA : : OPERACOES NO EXTERIOR : : SUBCONTA : : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Serão registradas nestas contas a subcontas, por ramos, os valores correspondentes as variações de outras despesas de comercialização diferidas, calculadas pela diferença entre o saldo final e o saldo inicial (já corrigido). Grupo Subgrupo 53: Comissões liquidas do período. 532: Variação das despesas de Comercialização Diferidas no período. Conta 5323: Variação das Despesas de Comercialização Diferidas referente a outras despesas de comercialização. Subconta 53231: Seguros e cosseguros indexados. Subconta 53232: Seguros e cosseguros não indexados. Conta Conta Conta 53236: Retrocessões do IRB : Operações no exterior : Sucursais no exterior.

41 : GRUPO : 54 : OUTRAS RECEITAS E DESP. OPERAC. : : SUBGRUPO : 541 : VARIACAO MONET. DAS OP. C/SEGUROS : : CONTA : 5411 : VARIACAO MONET. DAS CTAS A RECEBER : : CONTA : 5412 : VARIACAO MONET. DAS CTAS A PAGAR : : CONTA : 5413 : VARIACAO MONET. DAS P.P.N.G. : : CONTA : 5414 : VARIACAO MONET. OUTRAS PROV. TECN. : : CONTA : 5415 : VARIACAO MONET. DE SINISTROS A LIQ. : : CONTA : 5416 : VARIACAO MONET. DAS DESP. DIFERIDAS : Serão registradas nesta conta, por ramo, os valores correspondentes a variação monetária das contas a receber, a pagar, reservas de prêmios não ganhos, despesas diferidas e outras provisões técnicas, relativa a operações com seguros. Grupo Subgrupo Conta Conta Conta Conta Conta Conta 54: Outras receitas e despesas operacionais. 541: Variação monetária das contas de seguros indexadas. 5411: Variação monetária das contas a receber. 5412: Variação monetária das contas a pagar. 5413: Variação monetária das Reservas de Prêmios Não Ganhos. 5414: Variação monetária de outras contas de Provisões Técnicas. 5415: Variação monetária de incidente sobre as Provisões de Sinistros a Liquidar. 5416: Variação monetária das contas de Despesas de Comercialização Diferidas.

42 : GRUPO : 54 : OUTRAS RECEITAS E DESP. OPERAC. : : SUBGRUPO : 545 : RESGATES : : CONTA : 5451 : SEGUROS E COSSEGUROS : : CONTA : 5356 : RETROCESSOES : : CONTA : 5357 : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : CONTA : 5358 : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Serão registradas nestas contas os resgates de apólices, solicitados pelos segurados, bem como as parcelas correspondentes a participação da sociedade, em virtude de resseguros aceitos de congêneres do País, e de retrocessão do IRB, em resgates de apólices. Conta Conta Conta Conta 5451: Seguros e Cosseguros. 5456: Retrocessão do IRB. 5457: Operações com o Exterior. 5458: Sucursais no Exterior. OBS.: Estas contas substituem as contas 345 RESGATES do plano de conta atual.

43 : GRUPO : 54 : OUTRAS RECEITAS E DESP. OPERAC. : : SUBGRUPO : 546 : LUCROS ATRIBUIDOS : : CONTA : 5461 : SEGUROS E COSSEGUROS : : CONTA : 5366 : RETROCESSÕES : : CONTA : 5367 : OPERAÇÕES NO EXTERIOR : : CONTA : 5368 : SUCURSAIS NO EXTERIOR : Serão registrados nestas contas valores correspondentes aos lucros atribuídos a segurados e/ou estipulantes do seguro em apólices de seguro de Vida Individual e ou Vida em Grupo, bem como as parcelas correspondentes a participação da sociedade, em virtude de resseguros ou cosseguro aceitos de congêneres ou de retrocessões do IRB. Conta Conta Conta Conta 5461: Seguros e Cosseguros. 5466: Retrocessão do IRB. 5467: Operações com o Exterior. 5458: Sucursais no Exterior. OBS.: Estas contas substituem as contas 346 LUCROS ATRIBUÍDOS do Plano de Contas atual.

44 : GRUPO : 54 : OUTRAS RECEITAS E DESP. OPERAC. : : SUBGRUPO : 547 : PARTICIPACOES EM LUCROS : : SUBGRUPO : 548 : DESPESAS OPERACIONAIS : Grupo 54: Outras receitas e despesas operacionais. OBS.: As contas e subcontas destes subgrupos, substituem as contas e subcontas 347 e 447 PARTICIPAÇÕES EM LUCROS E 348 e 448 OUTRAS RECEITAS E DESP. OPERACIONAIS do Plano de contas atual.

45 : GRUPO : 54 : OUTRAS RECEITAS E DESP. OPERAC. : : SUBGRUPO : 549 : OUTRAS RECEITAS E DESP. OPERAC. : : CONTA : 5491 : DESPESAS COM IMÓVEIS : : CONTA : 5492 : RECEITAS COM IMÓVEIS : : CONTA : 5493 : RECUPERAÇÃO COM PESSOAL PRÓPRIO : : CONTA : 5494 : RECEITAS ADMINIST. DIVERSAS : : CONTA : 5495 : RECEITAS ADMINIST. EXERC. ANTER. : : CONTA : 5496 : PROVISÃO P/ DEVEDORES DUVIDOSOS : : CONTA : 5498 : OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS : : CONTA : 5499 : OUTRAS DESPESAS OPERACIONAIS : Grupo 54: Outras receitas e despesas operacionais. OBS.: As contas e subcontas destes subgrupos, substituem respectivamente as seguintes contas e subcontas do Plano de contas atual: Conta DESPESAS COM IMÓVEIS Conta RECEITA COM IMÓVEIS Conta RECUPERAÇÃO COM PESSOAL PRÓPRIO Conta RECEITAS ADMINISTRATIVAS DIVERSAS Conta REC. ADMINISTR. DE EXERC. ANTERIORES Conta PROVISÃO P/ DEVEDORES DUVIDOSOS Devem ser incluídas nas contas 5498/9, apenas as receitas e despesas operacionais não contempladas por contas específicas a elas destinadas.

46 : GRUPO : 55 : RECEITAS FINANCEIRAS : : SUBGRUPO : 552 : RECEITAS COM TIT. DA DIVIDA PUBLICA : : CONTA : 5521 : TITULOS DA DIV. PUBLICA EXT. FEDER. : : SUBCONTA : : JUROS : : SUBCONTA : : CORREÇÃO MONETÁRIA : : CONTA : 5522 : OBRIGAÇÕES DO TESOURO NACIONAL : : SUBCONTA : : JUROS : : SUBCONTA : : CORREÇÃO MONETARIA : : CONTA : 5523 : LETRAS FINANCEIRAS DO TESOURO : : SUBCONTA : : JUROS : : SUBCONTA : : CORREÇÃO MONETÁRIA : : CONTA : 5524 : LETRAS DO BANCO CENTRAL : : SUBCONTA : : JUROS : : SUBCONTA : : CORREÇÃO MONETÁRIA : : CONTA : 5525 : TITULOS DA DIV. PUBLICA ESTADUAL : : SUBCONTA : : JUROS : : SUBCONTA : : CORREÇÃO MONETÁRIA : : CONTA : 5526 : TITULOS DA DIV PUBLICA MUNICIPAL : : SUBCONTA : : JUROS : : SUBCONTA : : CORREÇÃO MONETARIA : : CONTA : 5527 : TITULOS DA DIV. PUBLICA ESTRANG : : SUBCONTA : : JUROS : : SUBCONTA : : VARIAÇÃO CAMBIAL : : CONTA : 5528 : OUTROS TITULOS PUBLICOS : : SUBCONTA : : JUROS : : SUBCONTA : : CORREÇÃO MONETARIA : Serão registrados nestas contas e respectivas subcontas as receitas de juros, correção monetária, variação cambial e outras receitas de aplicações em títulos da divida publica.

47 : GRUPO : 55 : RECEITAS FINANCEIRAS : : SUBGRUPO : 553 : RECEITAS COM TITULOS MOBILIARIOS : : CONTA : 5531 : AÇÕES : : SUBCONTA : : DIVIDENDOS : : SUBCONTA : : LUCRO NA VENDA DE AÇÕES : : CONTA : 5532 : DEBENTURES : : SUBCONTA : : JUROS : : SUBCONTA : : CORREÇÃO MONETÁRIA : : SUBCONTA : : PREMIOS : : CONTA : 5533 : FUNDOS DE AÇÕES : : SUBCONTA : : LUCRO NO RESGATE : Serão registrados nestas contas e respectivas subcontas as receitas de juros, correção monetária, prêmios, lucros na venda de ações e resgate nas quotas de fundos mútuos de ações, dividendos e outras receitas de aplicações em títulos mobiliários. Os lucros ou dividendos distribuídos pela sociedade avaliadas pelo método de equivalência patrimonial devem ser registrados como diminuição de seus investimentos.

PLANO DE CONTAS PADRÃO ANS

PLANO DE CONTAS PADRÃO ANS MICROFLEX Informática Folha 1 1 ATIVO 1.2 ATIVO CIRCULANTE 1.2.1 DISPONÍVEL 1.2.1.1 CAIXA 1.2.1.1.1 Caixa 1.2.1.1.1.9.1.0.0 Caixa 1.2.1.2 VALORES EM TRÂNSITO 1.2.1.2.1 Valores em Trânsito 1.2.1.2.1.9.1.0.0

Leia mais

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1 ATIVO 1 11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1113 BANCOS CONTA DEPÓSITOS 11131 BANCOS CONTA DEPÓSITOS - MOVIMENTO

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N o 462, DE 31 DE JANEIRO DE 2013. Dispõe sobre a forma de cálculo e os procedimentos para a constituição das provisões técnicas das sociedades seguradoras,

Leia mais

SIMULA Re APLICAÇÃO DE SIMULADOR PARA AVALIAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE UMA RESSEGURADORA LOCAL

SIMULA Re APLICAÇÃO DE SIMULADOR PARA AVALIAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE UMA RESSEGURADORA LOCAL SIMULA Re APLICAÇÃO DE SIMULADOR PARA AVALIAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE UMA RESSEGURADORA LOCAL Simulação para avaliação da viabilidade econômica e retorno do capital investido para a implantação de Resseguradora

Leia mais

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras 1 ATIVO 1.01 CIRCULANTE 1.01.01 DISPONÍVEL 1.01.01.01 Caixa 1.01.01.02 Valores em Trânsito 1.01.01.03 Bancos Conta Depósitos 1.01.01.04 Aplicações no Mercado Aberto 1.01.02 APLICAÇÕES 1.01.02.01 Títulos

Leia mais

FUNDAÇÃO CELESC DE SEGURIDADE SOCIAL CELOS. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em R$ MIL)

FUNDAÇÃO CELESC DE SEGURIDADE SOCIAL CELOS. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em R$ MIL) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Fundação Celesc de Seguridade Social CELOS, instituída pela Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. Celesc, nas Assembléias Gerais Extraordinárias AGE de acionistas realizadas

Leia mais

Valores Redutores da Necessidade de Cobertura das Provisões Técnicas por Ativos Garantidores Orientações da Susep ao Mercado

Valores Redutores da Necessidade de Cobertura das Provisões Técnicas por Ativos Garantidores Orientações da Susep ao Mercado Valores Redutores da Necessidade de Cobertura das Provisões Técnicas por Ativos Garantidores Orientações da Susep Julho/2015 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1. Área Responsável... 3 1.2. Base Legal... 3 1.3.

Leia mais

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO CONTABILIDADE ATUARIAL - SEGUROS 2º Bimestre - 6º período Curso de Ciências Contábeis

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO CONTABILIDADE ATUARIAL - SEGUROS 2º Bimestre - 6º período Curso de Ciências Contábeis 1. Autarquia, com personalidade jurídica de direito público, que dispõe de autonomia administrativa e financeira, que tem como atribuição fundamental fiscalizar o fiel cumprimento da legislação de seguros:

Leia mais

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras consolidadas 7. Demonstrações de resultado abrangente 11

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras consolidadas 7. Demonstrações de resultado abrangente 11 Demonstrações Financeiras Consolidadas em 31 de Dezembro de 2011 e 2010 Demonstrações financeiras consolidadas Conteúdo Relatório da diretoria 3 Parecer avaliação atuarial 5 Relatório dos auditores independentes

Leia mais

ANEXO I PROCEDIMENTOS PREVIAMENTE ACORDADOS PPA SOBRE A PROVISÃO DE EVENTOS/SINISTROS A LIQUIDAR - DIOPS/ANS

ANEXO I PROCEDIMENTOS PREVIAMENTE ACORDADOS PPA SOBRE A PROVISÃO DE EVENTOS/SINISTROS A LIQUIDAR - DIOPS/ANS ANEXO I SOBRE A PROVISÃO DE EVENTOS/SINISTROS A LIQUIDAR - DIOPS/ANS Data-base do DIOPS: trimestre de. 1 DIOPS Financeiro e Balancete 1.1 - Com base no balancete de verificação devidamente assinado pelo

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO FIP REFERENTES AO CAPITAL ADICIONAL PARA COBERTURA DO RISCO DE CRÉDITO meses de referência: jan a maio/11

MANUAL DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO FIP REFERENTES AO CAPITAL ADICIONAL PARA COBERTURA DO RISCO DE CRÉDITO meses de referência: jan a maio/11 MANUAL DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO FIP REFERENTES AO CAPITAL ADICIONAL PARA COBERTURA DO RISCO DE CRÉDITO meses de referência: jan a maio/11 Com o objetivo de aperfeiçoar as informações recebidas pela

Leia mais

ITAÚ SEGUROS S.A. NOTAS EXPLICATIVAS AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RELATIVAS AOS EXERCÍCIOS DE 01/01 A 31/12 DE 2006 E 2005 (Em Milhares de Reais)

ITAÚ SEGUROS S.A. NOTAS EXPLICATIVAS AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RELATIVAS AOS EXERCÍCIOS DE 01/01 A 31/12 DE 2006 E 2005 (Em Milhares de Reais) 4.1 ITAÚ SEGUROS S.A. NOTAS EXPLICATIVAS AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RELATIVAS AOS EXERCÍCIOS DE 01/01 A 31/12 DE 2006 E 2005 (Em Milhares de Reais) NOTA 1 CONTEXTO OPERACIONAL A Itaú Seguros S.A. (ITAÚ

Leia mais

ANEXO Capítulo II - Elenco Sintético das Contas 2013 ATIVO

ANEXO Capítulo II - Elenco Sintético das Contas 2013 ATIVO SUB 1 1 2 CIRCULANTE 1 2 1 DISPONÍVEL 1 2 1 1 CAIXA 1 2 1 1 1 CAIXA 1 2 1 1 1 9 CAIXA 1 2 1 1 1 9 0 1 CAIXA 1 2 1 1 1 9 0 1 1 Caixa 1 2 1 2 NUMERÁRIO EM TRANSITO 1 2 1 2 1 NUMERÁRIO EM TRANSITO 1 2 1 2

Leia mais

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras EletrosSaúde Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras Em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 Em milhares de reais 1 Contexto Operacional A Fundação Eletrobrás de Seguridade Social ELETROS é uma entidade

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade

Leia mais

Contabilidade Decifrada. Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo

Contabilidade Decifrada. Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo Contabilidade Decifrada Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo Demonstrações Contábeis - balanço patrimonial; - demonstração do resultado do exercício; e, - demonstração de lucros ou prejuízos acumulados.

Leia mais

ANEXO I MODELO DE PROJEÇÕES FINANCEIRAS BALANÇO PATRIMONIAL

ANEXO I MODELO DE PROJEÇÕES FINANCEIRAS BALANÇO PATRIMONIAL ANEXO I MODELO DE PROJEÇÕES FINANCEIRAS BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) MÊS 1 MÊS 2 MÊS 3 MÊS N ATIVO ATIVO CIRCULANTE Disponível Aplicações Aplicações Vinculadas a Provisões Técnicas Aplicações

Leia mais

Normas Contábeis Orientações da SUSEP ao Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Resseguro

Normas Contábeis Orientações da SUSEP ao Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Resseguro Normas Contábeis Orientações da SUSEP ao Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Resseguro julho/2013 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 1.1. Área Responsável... 2 1.2. Base Legal... 2 1.3. Abrangência...

Leia mais

NÚMEROS DO MERCADO DE SEGUROS ALTERAÇÕES DE CONCEITOS NÚMEROS SUSEP SES

NÚMEROS DO MERCADO DE SEGUROS ALTERAÇÕES DE CONCEITOS NÚMEROS SUSEP SES NÚMEROS DO MERCADO DE SEGUROS ALTERAÇÕES DE CONCEITOS NÚMEROS SUSEP SES lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 Curitiba, 2 de julho de 2014. Ilmos. Senhores, Presidentes de Seguradoras, Previdência

Leia mais

Outros créditos (Nota 8.4) 368 420 Provisões técnicas - seguros (Nota 18) 728.719 671.251

Outros créditos (Nota 8.4) 368 420 Provisões técnicas - seguros (Nota 18) 728.719 671.251 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração e as demonstrações financeiras relativas aos exercícios findos em 31 de dezembro e, acompanhadas do relatório dos auditores

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO. BALANÇOS PATRIMONIAIS Levantados em 30 de Junho de 2014 e de Dezembro de 2013 (Em Milhares de Reais - R$)

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO. BALANÇOS PATRIMONIAIS Levantados em 30 de Junho de 2014 e de Dezembro de 2013 (Em Milhares de Reais - R$) SENHORES ACIONISTAS De acordo com as disposições legais e estatutárias, apresentamos as Demonstrações Financeiras relativas ao semestre encerrado em 30 de junho de 2014 da Mitsui Sumitomo Seguros S.A.,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 193, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2008 Altera os arts. 1º e 11 e o inciso I do art. 2º da Resolução CNSP No 118, de 22 de dezembro de 2004.

RESOLUÇÃO Nº 193, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2008 Altera os arts. 1º e 11 e o inciso I do art. 2º da Resolução CNSP No 118, de 22 de dezembro de 2004. RESOLUÇÃO Nº 193, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2008 Altera os arts. 1º e 11 e o inciso I do art. 2º da Resolução CNSP No 118, de 22 de dezembro de 2004. A SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP, no uso da

Leia mais

ANÁLISE DE BALANÇO DAS SEGURADORAS. Contabilidade Atuarial 6º Período Curso de Ciências Contábeis

ANÁLISE DE BALANÇO DAS SEGURADORAS. Contabilidade Atuarial 6º Período Curso de Ciências Contábeis ANÁLISE DE BALANÇO DAS SEGURADORAS Contabilidade Atuarial 6º Período Curso de Ciências Contábeis Introdução As empresas de seguros são estruturas que apresentam características próprias. Podem se revestir

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

OPERAÇÕES BANCÁRIAS & CONTABILIDADE DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS INFORMAÇÕES GERAIS ANALISTA - BANCO CENTRAL. Revisão de Contabilidade

OPERAÇÕES BANCÁRIAS & CONTABILIDADE DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS INFORMAÇÕES GERAIS ANALISTA - BANCO CENTRAL. Revisão de Contabilidade OPERAÇÕES BANCÁRIAS & CONTABILIDADE DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS INFORMAÇÕES GERAIS ANALISTA - BANCO CENTRAL ENFOQUE DO CURSO: - Áreas 2 e 3, no que são comuns - Abordagem conceitual, normativa e prática

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 162, DE 2006.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 162, DE 2006. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 162, DE 2006. Institui regras e procedimentos para a constituição das provisões técnicas das sociedades seguradoras, entidades

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02112-1 SUL AMERICA S.A. 29.978.814/0001-87. Rua Beatriz Larragoiti Lucas,121 - parte

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02112-1 SUL AMERICA S.A. 29.978.814/0001-87. Rua Beatriz Larragoiti Lucas,121 - parte ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/29 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

CADERNO DE QUESTÕES PROCESSO SELETIVO TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA (TRV) 2ª ETAPA EDITAL 02/2015-COPESE DATA: 08/02/2015. HORÁRIO: das 09 às 12 horas

CADERNO DE QUESTÕES PROCESSO SELETIVO TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA (TRV) 2ª ETAPA EDITAL 02/2015-COPESE DATA: 08/02/2015. HORÁRIO: das 09 às 12 horas Realização: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CADERNO DE QUESTÕES PROCESSO SELETIVO TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA (TRV) 2ª ETAPA EDITAL 02/2015-COPESE CURSO: BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

TEXTO INTEGRAL DA INSTRUÇÃO CVM Nº 247, DE 27 DE MARÇO DE 1996, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM Nº 269/97, 285/98, 464/08 E

TEXTO INTEGRAL DA INSTRUÇÃO CVM Nº 247, DE 27 DE MARÇO DE 1996, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM Nº 269/97, 285/98, 464/08 E TEXTO INTEGRAL DA, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM Nº 269/97, 285/98, 464/08 E 469/08. Dispõe sobre a avaliação de investimentos em sociedades coligadas e controladas e sobre os procedimentos

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO ABS

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO ABS RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO ABS Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras da Aliança do Brasil Seguros S.A., anteriormente denominada Santa Catarina Vida e Previdência

Leia mais

Centauro Vida e Previdência

Centauro Vida e Previdência Centauro Vida e Previdência DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 1º SEMESTRE 2011 SUMÁRIO 1. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO... 3 2. BALANÇO PATRIMONIAL... 4 3. DRE... 6 4. DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO...

Leia mais

Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Junho de 2015. Estatísticas do Mercado Segurador

Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Junho de 2015. Estatísticas do Mercado Segurador Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Junho de 215 Estatísticas do Mercado Segurador Mercado Segurador - Visão Geral Arrecadação por segmento - histórico anual 3 Arrecadação por segmento do ano atual

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01665-9 PORTO SEGURO S.A. 02.149.205/0001-69 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01665-9 PORTO SEGURO S.A. 02.149.205/0001-69 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/12/26 Divulgação Externa Legislação Societária O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER

Leia mais

UPOFA UNIÃO PREVIDENCIAL CNPJ. Nº 76.678.101/0001-88 Sede: Rua Emiliano Perneta, 10 9º andar Curitiba/PR Fone (41) 3224-6734 Fax (41) 3223-4223

UPOFA UNIÃO PREVIDENCIAL CNPJ. Nº 76.678.101/0001-88 Sede: Rua Emiliano Perneta, 10 9º andar Curitiba/PR Fone (41) 3224-6734 Fax (41) 3223-4223 UPOFA UNIÃO PREVIDENCIAL CNPJ. Nº 76.678.101/0001-88 Sede: Rua Emiliano Perneta, 10 9º andar Curitiba/PR Fone (41) 3224-6734 Fax (41) 3223-4223 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Cumprindo determinações legais

Leia mais

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 POR AÇÃO ATÉ MAIO DE 2008. São Paulo, 02 de julho de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados dos 5M08. As informações

Leia mais

FAMILIA BANDEIRANTE PREVIDÊNCIA PRIVADA CNPJ No. 62.874.219/0001-77 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 30 DE JUNHO DE 2011.

FAMILIA BANDEIRANTE PREVIDÊNCIA PRIVADA CNPJ No. 62.874.219/0001-77 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 30 DE JUNHO DE 2011. FAMILIA BANDEIRANTE PREVIDÊNCIA PRIVADA CNPJ No. 62.874.219/0001-77 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 30 DE JUNHO DE 2011. 1 - APRESENTAÇÃO E COMPOSIÇÃO SOCIAL: A Família Bandeirante Previdência

Leia mais

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007 80 Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007 Parecer dos Auditores Independentes 81 Aos Acionistas da Inepar Telecomunicações S.A Curitiba - PR 1. Examinamos

Leia mais

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A.

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro (Em Reais) (reclassificado) (reclassificado) Ativo Nota 2012 2011 Passivo Nota 2012 2011 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 61.664 207.743 Fornecedores

Leia mais

6 Item revogado com a edição da Circular nº 3.717, de 11 de setembro de 2014.

6 Item revogado com a edição da Circular nº 3.717, de 11 de setembro de 2014. TÍTULO : PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - COSIF 1 29. Empresas em Liquidação Extrajudicial 1. Princípios Gerais 1 - Os títulos a serem utilizados pelas empresas em liquidação

Leia mais

Circular Susep nº 483/14 Principais mudanças na norma contábil. 1º de abril de 2014 SUSEP/DITEC/CGSOA/COASO

Circular Susep nº 483/14 Principais mudanças na norma contábil. 1º de abril de 2014 SUSEP/DITEC/CGSOA/COASO 1 Circular Susep nº 483/14 Principais mudanças na norma contábil 1º de abril de 2014 Roteiro 2 Alterações na Norma Contábil Principais justificativas para as alterações na norma contábil Alterações promovidas

Leia mais

ANEXO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2)

ANEXO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Deliberação CVM nº 640, de 7 de outubro de 2010 (Pág. 57) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 02(R2) do Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC sobre efeitos das mudanças

Leia mais

INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO DE LONDRINA CASA DO EMPREENDEDOR NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2.011.

INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO DE LONDRINA CASA DO EMPREENDEDOR NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2.011. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2.011. 1 CONTEXTO OPERACIONAL A Instituição Comunitária de Crédito de Londrina Casa do Empreendedor, em operação desde 18/11/1997, é uma

Leia mais

Jonilson Lima da Silva Diretor Administrativo CRC/DF 13305/00

Jonilson Lima da Silva Diretor Administrativo CRC/DF 13305/00 BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO ATIVO CIRCULANTE 38.455.315,35 29.551.124,31 Disponível 87.037,02 29.289,05 Realizável 38.037.154,40 29.516.935,26 Aplicações 23.329.701,27 15.413.999,65 Créditos de Operações

Leia mais

Santander Seguros S.A.

Santander Seguros S.A. Senhores Acionistas: Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração, as demonstrações financeiras e o relatório dos auditores independentes,

Leia mais

Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Agosto de 2015. Estatísticas do Mercado Segurador

Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Agosto de 2015. Estatísticas do Mercado Segurador Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Agosto de 215 Estatísticas do Mercado Segurador Mercado Segurador - Visão Geral Arrecadação por segmento - histórico anual 3 Arrecadação por segmento do ano atual

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 534, DE 29 DE JANEIRO DE 2008

DELIBERAÇÃO CVM Nº 534, DE 29 DE JANEIRO DE 2008 TEXTO INTEGRAL DA, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA DELIBERAÇÃO CVM Nº 624, DE 28 DE JANEIRO DE 2010 (DOCUMENTO DE REVISÃO CPC Nº 01) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 02 do Comitê de Pronunciamentos

Leia mais

2012 (reapresentado) Passivo Nota 2013

2012 (reapresentado) Passivo Nota 2013 Seguros Gerais S.A. CNPJ 61.074.175/0001-38 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras da Seguros Gerais S.A., relativas ao exercício

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação a conceitos, objetivos e finalidades da contabilidade, julgue os itens que se seguem. 51 Auxiliar um governo no processo de fiscalização tributária é uma das finalidades

Leia mais

CA 02-303/2010 São Paulo - SP, 19 de março de 2010.

CA 02-303/2010 São Paulo - SP, 19 de março de 2010. CA 02-303/2010 São Paulo - SP, 19 de março de 2010. À Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Membros do Ministério Público de São Paulo PROMOCRED. Diretoria-Executiva São Paulo SP Assunto: Auditoria

Leia mais

COMO CONVERTER DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS BRASILEIRAS PARA A MOEDA AMERICANA (FAS 52)

COMO CONVERTER DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS BRASILEIRAS PARA A MOEDA AMERICANA (FAS 52) COMO CONVERTER DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS BRASILEIRAS PARA A MOEDA AMERICANA (FAS 52)! As principais diferenças entre as normas contábeis brasileiras e americanas (US GAAP)! As taxas de conversão a serem

Leia mais

VPREG01VGINDRV45010809

VPREG01VGINDRV45010809 ÍNDICE VIDA GERADOR DE BENEFÍCIO LIVRE VGBL MODALIDADE DE CONTRIBUIÇÃO VARIÁVEL REGULAMENTO DE PLANO INDIVIDUAL TÍTULO I - DAS CARACTERÍSTICAS...3 TÍTULO II - DAS DEFINIÇÕES...4 TÍTULO III - DA CONTRATAÇÃO

Leia mais

SANTANDER SEGUROS S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

SANTANDER SEGUROS S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS ÍNDICE Pág. Relatório dos Auditores Independentes 1 Relatório da Administração 3 Balanços Patrimoniais para os períodos findos em e 5 Demonstrações do Resultado para os períodos

Leia mais

http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_...

http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_... http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_... Página 1 de 14 CONTABILIDADE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Considerações ROTEIRO 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO

Leia mais

TÍTULO : PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - COSIF 1 CAPÍTULO : Normas Básicas -1 SEÇÃO : Outras Obrigações - 14

TÍTULO : PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - COSIF 1 CAPÍTULO : Normas Básicas -1 SEÇÃO : Outras Obrigações - 14 TÍTULO : PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - COSIF 1 14. Outras Obrigações 1. Imposto de Renda e Contribuição Social 1 - Registra-se, mensalmente, o valor da provisão para

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS ORIENTAÇÃO OCPC 01 (R1) Entidades de Incorporação Imobiliária

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS ORIENTAÇÃO OCPC 01 (R1) Entidades de Incorporação Imobiliária COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS ORIENTAÇÃO OCPC 01 (R1) Entidades de Incorporação Imobiliária Índice Objetivo e alcance 1 Formação do custo do imóvel, objeto da incorporação imobiliária 2-9 Despesa

Leia mais

Demonstrações Financeiras Intermediárias Austral Seguradora S.A.

Demonstrações Financeiras Intermediárias Austral Seguradora S.A. Demonstrações Financeiras Intermediárias Austral Seguradora S.A. Em com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Intermediárias Demonstrações financeiras intermediárias

Leia mais

A demonstração dos fluxos de caixa evidencia a variação ocorridas no saldo das disponibilidades da companhia, em um determinado exercício ou período,

A demonstração dos fluxos de caixa evidencia a variação ocorridas no saldo das disponibilidades da companhia, em um determinado exercício ou período, A demonstração dos fluxos de caixa evidencia a variação ocorridas no saldo das disponibilidades da companhia, em um determinado exercício ou período, por meio eo da exposição posção dos fluxos de recebimentos

Leia mais

A T I V O P A S S I V O CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 1.718.300 CIRCULANTE E EXIGÍVEL A LONGO PRAZO 24.397

A T I V O P A S S I V O CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 1.718.300 CIRCULANTE E EXIGÍVEL A LONGO PRAZO 24.397 BANCO CENTRAL DO BRASIL FUNDO DE GARANTIA DOS DEPÓSITOS E LETRAS IMOBILIÁRIAS - FGDLI BALANÇO PATRIMONIAL DE ENCERRAMENTO - EM 29 DE ABRIL DE 2005 A T I V O P A S S I V O CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO

Leia mais

ANEXO - CAPÍTULO III - Modelo de Publicação BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO

ANEXO - CAPÍTULO III - Modelo de Publicação BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO 200Y 200X ATIVO Contas ATIVO CIRCULANTE 12 Disponível 121 Realizável 122+123+124+125+126+127+128+129 Aplicações Financeiras 122 Aplicações Vinculadas a Provisões Técnicas 1221

Leia mais

ICATU SEGUROS S.A. CNPJ: 42.283.770/0001-39

ICATU SEGUROS S.A. CNPJ: 42.283.770/0001-39 A Icatu Seguros apresentou o lucro líquido de R$ 79 milhões no exercício e o faturamento* nas linhas de negócios de Vida e Previdência alcançou R$ 907 milhões em 2010, 8% acima do ano anterior. Após a

Leia mais

Deliberação CVM nº 561 (DOU de 22/12/08)

Deliberação CVM nº 561 (DOU de 22/12/08) Deliberação CVM nº 561 (DOU de 22/12/08) Aprova a Orientação OCPC - 01 do Comitê de Pronunciamentos Contábeis, que trata de Entidades de Incorporação Imobiliária. A PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS

Leia mais

Sistema Integrado de Orçamento. Para EFPC SIOEFPC. (Entidades Fechadas de Previdência Complementar) edson@fgv.br

Sistema Integrado de Orçamento. Para EFPC SIOEFPC. (Entidades Fechadas de Previdência Complementar) edson@fgv.br Sistema Integrado de Orçamento Para EFPC (Entidades Fechadas de Previdência Complementar) SIOEFPC edson@fgv.br Índice Página 1 - Exemplo Numérico... 2 2 - Relatório do 1º Plano... 3 3 - Programa Previdencial...

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES. Demonstrações financeiras Individuais e Consolidadas 30 de junho de 2013 e 2012

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES. Demonstrações financeiras Individuais e Consolidadas 30 de junho de 2013 e 2012 Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES Demonstrações financeiras Individuais e Consolidadas 30 de junho de 2013 e 2012 KPMG Auditores Independentes Agosto de 2013 Relatório dos auditores

Leia mais

.MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR

.MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR .MINISTÉRIO DA SAÚDE 1 AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR RESOLUÇÃO - RDC Nº 65, DE 16 DE ABRIL DE 2001 (*) Dispõe sobre as sociedades seguradoras especializadas em saúde. A Diretoria Colegiada da Agência

Leia mais

Centauro Vida e Previdência S/A Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2013

Centauro Vida e Previdência S/A Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2013 Centauro Vida e Previdência S/A Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2013 Direitos Autorais Centauro Vida e Previdência S.A.. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste documento pode ser reproduzida,

Leia mais

Unidade II ESTRUTURA DAS. Prof. Me. Alexandre Saramelli

Unidade II ESTRUTURA DAS. Prof. Me. Alexandre Saramelli Unidade II ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Me. Alexandre Saramelli Estrutura das demonstrações contábeis Relatório Anual Porto Seguro Introdução Processo de Convergência Contábil Internacional

Leia mais

Sistema de contas. Capítulo 2 Sistema de contas

Sistema de contas. Capítulo 2 Sistema de contas Sistema de contas Capítulo 2 Sistema de contas SUMÁRIO: 1. Conceito 2. Teoria das contas 2.1. Teoria personalística (ou personalista) 2.2. Teoria materialística (ou materialista) 2.3. Teoria patrimonialista

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008 TEXTO INTEGRAL DA, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA DELIBERAÇÃO CVM Nº 624, DE 28 DE JANEIRO DE 2010 (DOCUMENTO DE REVISÃO CPC Nº 01) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 03 do Comitê de Pronunciamentos

Leia mais

Demonstrações Financeiras. Nobre Seguradora do Brasil S.A

Demonstrações Financeiras. Nobre Seguradora do Brasil S.A Demonstrações Financeiras Nobre Seguradora do Brasil S.A 30 DE JUNHO DE 2012 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 30 de Junho de 2012 e 31 de Dezembro de 2011 ÍNDICES Relatório da Administração...... 01 Balanço Patrimonial...

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras MAPFRE Vera Cruz Seguradora S.A. e relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Senhores Acionistas, MAPFRE VERA CRUZ SEGURADORA S.A. RELATÓRIO DA

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos

Leia mais

PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES

PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES Introdução Em abril de 2009, a Fitch Ratings modificou a estrutura dos demonstrativos sintéticos que acompanham os relatórios dos bancos analisados, adotando um novo

Leia mais

1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa

1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa 1 Exercícios de Fixação (Questões de concurso) 1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa 1.1.1 Concurso para AFRF 2000 prova de contabilidade avançada - Questão 15 ENUNCIADO 15- Aplicações em Investimentos

Leia mais

MONGERAL AEGON SEGUROS E PREVIDÊNCIA S.A.

MONGERAL AEGON SEGUROS E PREVIDÊNCIA S.A. A Administração da MONGERAL AEGON Seguros e Previdência S/A tem a satisfação de apresentar aos seus clientes, parceiros comerciais e acionistas as Demonstrações Financeiras referentes ao exercício findo

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração e as demonstrações financeiras relativas aos semestres findos em 30 de junho de 2015 e de

Leia mais

Contabilidade Geral - Teoria e Exercícios Curso Regular Prof. Moraes Junior Aula 10 Demonstração do Fluxo de Caixa. Conteúdo

Contabilidade Geral - Teoria e Exercícios Curso Regular Prof. Moraes Junior Aula 10 Demonstração do Fluxo de Caixa. Conteúdo Aula 10 Demonstração do Fluxo de Caixa. Conteúdo 12. Demonstração do Fluxo de Caixa 2 12.1. Introdução 2 12.2. Conceitos Importantes 2 12.3. Atividades Operacionais 5 12.4. Atividades de Investimento 7

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

CENTAURO VIDA E PREVIDÊNCIA S/A Nilo Cairo, 171 - Curitiba - PR - CNPJ 42.516.278/0001-66

CENTAURO VIDA E PREVIDÊNCIA S/A Nilo Cairo, 171 - Curitiba - PR - CNPJ 42.516.278/0001-66 6ª feira 28/Fev/2014 - Edição nº 9157 61 CENTAURO VIDA E PREVIDÊNCIA S/A Nilo Cairo, 171 - Curitiba - PR - CNPJ 42.516.278/0001-66 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação

Leia mais

Aliança do Brasil Seguros S.A. CNPJ 01.378.407/0001-10

Aliança do Brasil Seguros S.A. CNPJ 01.378.407/0001-10 sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015 Diário Oficial Empresarial São Paulo, 125 (38) 373 Aliança do Brasil Seguros S.A. CNPJ 01.378.407/0001-10 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as

Leia mais

ÁREA DE CONHECIMENTOS CONTÁBEIS

ÁREA DE CONHECIMENTOS CONTÁBEIS ÁREA DE CONHECIMENTOS CONTÁBEIS 1. O Patrimônio Líquido divide-se em: a) Investimentos, Reservas de Capital, Reservas de Lucros e Lucros ou Prejuízos Acumulados. b) Capital Social, Reservas de Capital,

Leia mais

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal após a Lei 11638/07 Quando informado o registro: as instituições sujeitas

Leia mais

Boletim. Contabilidade Geral. Manual de Procedimentos. 13 o salário - Provisão e pagamento. Temática Contábil e Balanços 2. CLASSIFICAÇÃO CONTÁBIL

Boletim. Contabilidade Geral. Manual de Procedimentos. 13 o salário - Provisão e pagamento. Temática Contábil e Balanços 2. CLASSIFICAÇÃO CONTÁBIL Boletim Manual de Procedimentos Contabilidade Geral 13 o salário - Provisão e pagamento SUMÁRIO 1. Provisão mensal 2. Classifi cação contábil 3. Ajustes da provisão 4. Baixa da provisão por ocasião da

Leia mais

Princípios Fundamentais Contabilidade

Princípios Fundamentais Contabilidade Princípios Fundamentais Contabilidade 1 Princípios Contábeis. Resolução CFC 750 de 29 de dezembro de 1993. Art. 3 São Princípios de Contabilidade:(2) I o da ENTIDADE; II o da CONTINUIDADE; III o da OPORTUNIDADE;

Leia mais

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014 Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas Demonstrações financeiras em IFRS e baseadas nos Pronunciamentos Técnicos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC em

Leia mais

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de março de 2004 e de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 31 de dezembro de

Leia mais

Contabilidade Atuarial. Contextualização. Aula 5. Contabilidade Trabalhista. Escrituração. Instrumentalização. Profa. Me. Marinei A.

Contabilidade Atuarial. Contextualização. Aula 5. Contabilidade Trabalhista. Escrituração. Instrumentalização. Profa. Me. Marinei A. Contabilidade Atuarial Aula 5 Contextualização Profa. Me. Marinei A. Mattos Contabilidade Trabalhista A contabilidade das empresas inseridas no segmento de seguros segue o plano de contas das Sociedades

Leia mais

ACE Seguradora S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2011 e relatório dos auditores independentes

ACE Seguradora S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2011 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2011 e relatório dos auditores independentes Relatório da Administração Aos Acionistas, Clientes e Parceiros de Negócios Apresentamos à apreciação de V.Sas.

Leia mais

Companhia de Seguros Aliança do Brasil RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO JUNHO DE 2013

Companhia de Seguros Aliança do Brasil RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO JUNHO DE 2013 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO JUNHO DE 2013 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras da Companhia de Seguros Aliança do Brasil, relativas ao semestre findo em 30

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) ATIVO Nota Explicativa CIRCULANTE 39.755 68.651 Disponibilidades 522 542 Relações Interf./Aplicações R.F. 5 13.018 27.570 Relações Interdependências 6-1.733 Operações

Leia mais

PLANO DE CONTAS - GÁS NATURAL

PLANO DE CONTAS - GÁS NATURAL 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponibilidades 1.1.1.1 Caixa e Equivalentes de Caixa 1.1.1.1.01 Caixa 1.1.1.1.02 Depósitos Bancários em Moeda Nacional 1.1.1.1.03 Contas de Poupança 1.1.1.1.04 Numerários

Leia mais

IBRACON NPC nº 14 - RECEITAS E DESPESAS - RESULTADOS

IBRACON NPC nº 14 - RECEITAS E DESPESAS - RESULTADOS IBRACON NPC nº 14 - RECEITAS E DESPESAS - RESULTADOS Objetivo 1. As transações e eventos decorrentes das atividades normais de uma empresa são, de acordo com determinados parâmetros e circunstâncias, classificados

Leia mais

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2012.

Leia mais

CARTA-CIRCULAR N 2999. 1.4.3.00.00-2 Repasses Interfinanceiros; 3.0.1.30.00-5 BENEFICIÁRIOS DE GARANTIAS PRESTADAS;

CARTA-CIRCULAR N 2999. 1.4.3.00.00-2 Repasses Interfinanceiros; 3.0.1.30.00-5 BENEFICIÁRIOS DE GARANTIAS PRESTADAS; CARTA-CIRCULAR N 2999 Dispõe sobre os procedimentos a serem observados na remessa de informações no âmbito da Central de Risco de Credito. Para fins da prestação das informações de que trata a Circular

Leia mais

Vida Seguradora S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - JUNHO DE 2014

Vida Seguradora S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - JUNHO DE 2014 Senhores Acionistas, Vida Seguradora S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - JUNHO DE 2014 Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras Intermediárias da Vida Seguradora S.A., relativas ao

Leia mais

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil)

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 1.829 Fornecedores 58.422 Contas a Receber 238.880

Leia mais