TREINAMENTOS TÉCNICOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TREINAMENTOS TÉCNICOS"

Transcrição

1 0000 TREINAMENTOS TÉCNICOS TEÓRICOS E PRÁTICOS CONHECIMENTO.TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PARA SUA EMPRESA

2 A Empresa Ao longo dos 19 anos de sua existência, a PRIMEIRA LINHA COMERCIAL DE ROLAMENTOS LTDA, tem direcionado seu crescimento e desenvolvimento para novas tecnologias e criação de produtos e serviços que agregam valor para seus clientes. Como Distribuidor Autorizado SKF, a PRIMEIRA LINHA detém longa experiência no ambiente industrial e educacional, como provedora de produtos, treinamentos e serviços de elevado grau tecnológico. Adicionalmente, procuramos contribuir para a operação e organização das empresas, na atualização das mais novas técnicas de montagem, desmontagem de rolamentos, lubrificação e monitoramento, focando sempre no aumento da performance de máquinas/equipamentos e capacitação de profissionais do setor. A SKF, que, em seus mais de 100 anos de história, se consolida como uma empresa de soluções de engenharia integrada em 5 plataformas: Vedações, Rolamentos e Acessórios, Sistemas de Lubrificação, Mecatrônica e Serviços. A Primeira Linha, no seu papel de Distribuidor Autorizado CMP certificado pela SKF e Especialista do Segmento Educacional, tem o compromisso de oferecer soluções viáveis para problemas reais em seus clientes, focando sempre no aumento do período entre falhas de rotativos (MTBF) e consequentemente no aumento da produtividade e confiabilidade de máquinas e equipamentos. 2

3 Conte com a Primeira Linha para o sucesso da sua Empresa e de seus Profissionais Conheça nossa gama de produtos e serviços em nosso site Atuando em diferentes áreas da manutenção, a Primeira Linha reúne o que tem de melhor no mercado para atendimento ao segmento industrial e educacional. Oferecemos não só produtos inovadores, serviços e treinamentos, e sim, vendemos soluções, que geram valor agregado aos nossos clientes. -- 3

4 Como Aumentar a Produtividade da Sua Planta Através da Gestão do Conhecimento? São 4 passos fundamentais para alcançar bons resultados na formação dos seus profissionais. Passo 1 Análise das Necessidades Identifique as maiores necessidades e oportunidades de melhoria para a qualificação dos seus colaboradores Passo 2 Customização Desenvolvimento de uma solução específica conforme a necessidade a necessidade Passo 3 Realização Aplicação das soluções desenvolvidas Passo 4 Medição e Monitoramento Avaliação e análise dos resultados a partir de indicadores Benefícios Adquiridos com o Programa de Treinamentos Equipe qualificada e habilitada para identificar possíveis anomalias nos rotativos Aumento do período médio entre falhas - MTBF Redução de quebras prematuras e paradas não planejadas Aumento da performance de máquinas e equipamentos Aumento da produtividade 4

5 Nosso Diferencial O Engenheiro que ministrará os treinamentos relacionados a Tecnologias de Rolamentos, Análise de Falhas em Rolamentos e Lubrificação Industrial, nos últimos 10 (dez) anos, trabalhou na SKF, o maior fabricante de rolamentos do mundo. O Analista de Vibrações e Técnico de Preditiva Sênior que ministrará os treinamentos sobre Alinhamento de Máquinas Rotativas, Balanceamento Dinâmico e Análise de Vibrações, analisa, monitora e emite diagnósticos de condições de equipamentos rotativos, para empresas de diversificados segmentos industriais, nos últimos 15 anos; Será fornecido o material didático impresso a todos os participantes, com o conteúdo completo dos temas abordados em cada treinamento. Catálogos serão disponibilizados nas áreas de abordagem. Os Certificados serão impressos e entregue a cada um dos participantes ao término do treinamento. A Pesquisa de Satisfação de Cliente e Indicadores de Qualidade do Treinamento realizado, será aplicada aos participantes. Os resultados destas avaliações serão compilados e encaminhados aos clientes para verificação do nível de satisfação do trabalho realizado. A conotação dada ao termo teórico em alguns treinamentos, tem o significado de realização de atividades práticas, experimentos e simulações, intercaladas com informações teóricas necessárias ao bom aprendizado. Isso é possível porque oferecemos uma multiplicidade de produtos - bancadas didáticas, ferramentas, equipamentos, rolamentos, lubrificadores automáticos, dentre outros, para utilização durante o treinamento. O resultado das atividades práticas, experimentos, simulações e modo de funcionamento permitem um maior aprendizado e consolida o conhecimento dos temas tratados. Apresentamos a seguir, os treinamentos ofertados aos clientes do segmento Industrial e Educacional. 5

6 1 Tecnologia de Rolamentos - Nível 1 DESCRIÇÃO O Treinamento de Tecnologia de Rolamentos - Nível 1, utiliza-se de uma combinação da capacitação teórica multimídia, com a apresentação de casos reais de sucesso, implementados em situações distintas. Todos os casos, evidenciam uma maior durabilidade dos rolamentos e consequentemente, o aumento da performance e produtividade das máquinas. São Apresentados fisicamente, rolamentos, pistas, elementos rolantes e gaiolas com diferentes aspectos de fadiga, para estudo e verificação da causa raiz da falha. OBJETIVO Transmitir os fundamentos básicos, designações, aplicações e lubrificação de rolamentos, focando no aumento da vida útil dos mesmos e consequentemente melhorando a performance, confiabilidade e produtividade dos equipamentos. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Designação de rolamentos; Tipos de rolamentos e folgas; Tolerâncias de eixos e caixas; Procedimentos de montagem; Lubrificação básica; Aplicação de rolamentos em motores elétricos; Novas tecnologias de rolamentos; Análises de falhas; Produtos e ferramentas de lubrificação e manutenção; Monitoramento de condições básicas (produtos e técnicas); Cases de sucesso no segmento industrial; Cálculo de retorno do investimento. PÚBLICO ALVO Profissionais da manutenção, de serviços, planejadores, engenheiros de confiabilidade, alunos de universidades e escolas técnicas, dentre outros. CARGA HORÁRIA 8 (oito) horas ministradas em 1 dia NÚMERO MÁXIMO DE PARTICIPANTES/TURMA 16 (dezesseis) participantes MATERIAL DE APOIO E CERTIFICADO Serão disponibilizados: apostilas com o conteúdo programático do treinamento, certificado de conclusão, além de material técnico para apoio, relacionados ao tema. 6

7 2 Tecnologia de Rolamentos - Nível 2 DESCRIÇÃO O Treinamento de Tecnologia de Rolamentos nível 2, é uma combinação dos temas abordados no Tecnologia de Rolamentos - nível 1, com o aprofundamento em outros assuntos relacionados a rolamentos, lubrificação e monitoramento de condições. É ideal para profissionais responsáveis pela performance e confiabilidade de equipamentos críticos que necessitam de conhecimento avançado sobre rotativos e suas especificidades em lubrificação e monitoramento. OBJETIVO Transmitir os fundamentos básicos e avançados sobre rolamentos, lubrificação e monitoramento de condições. Sua principal finalidade é a capacitação de profissionais que serão capazes de adotar os procedimentos adequados de montagem, lubrificação e monitoramento visando estender a vida útil dos rolamentos e elevar a confiabilidade e produtividade dos equipamentos do processo produtivo. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Designação de rolamentos; Folgas; Tipos de rolamentos; Rolamentos rígidos de esferas; Rolamentos autocompensadores de esferas; Rolamentos de uma carreira de esferas de contato angular; Rolamentos de rolos cilíndricos; Rolamentos de rolos cônicos; Rolamentos autocompensadores de rolos; Rolamentos axiais autocompensadores de rolos; Tolerâncias de eixos e caixas; Procedimentos de montagem e arranjo de rolamentos; Métodos de desmontagem de rolamentos; Lubrificação industrial; 7

8 Cálculo de viscosidade, intervalos de relubrificação e quantidade de lubrificantes; Aplicação de rolamentos em motores elétricos; Novas tecnologias de rolamentos; Análise de falhas; Produtos e ferramentas de lubrificação e manutenção; Monitoramento de condições básicas (curvas de tendência de falhas em rolamentos); Cases de sucesso de segmentos industriais diversos; Cálculo de retorno do investimento; Adulteração de rolamentos. PÚBLICO ALVO Profissionais da manutenção, serviços, planejadores, engenheiros de confiabilidade, alunos de universidades e escolas técnicas, dentre outros. CARGA HORÁRIA 16 (dezesseis) horas ministradas em 2 dias NÚMERO MÁXIMO DE PARTICIPANTES/TURMA 16 (dezesseis) participantes MATERIAL DIDÁTICO E CERTIFICADO Serão disponibilizados: apostilas com o conteúdo programático do curso, certificado de conclusão do treinamento, além de material técnico para apoio relacionados ao tema. 8

9 3 Tecnologia de Rolamentos - Prático DESCRIÇÃO O Treinamento de Tecnologia de Rolamentos - prático, aplica a teoria abordada em sala de aula em atividades práticas. O conjunto didático de demonstração, permite aos participantes executarem os procedimentos de montagem e desmontagem de rolamentos utilizando ferramentas, métodos e lubrificantes adequados. OBJETIVO Ensinar as melhores práticas de aplicação, manuseio, manutenção e métodos de montagem, desmontagem, lubrificação e relubrificação de rolamentos. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Montagem do rolamento 6208, usando TMFT 36; Desmontagem do rolamento 6208, usando TMMD 100 e TMIP 30-60; Montagem dos rolamentos 7308 BEP e 6308, com aquecedor indutivo TMBH 1; Desmontagem do rolamento 6208, com Extrator TMBS 50E; Montagem do rolamento E/C3, usando aquecedor indutivo TMBH 1 Scorpio; Desmontagem do rolamento 22212E/C3, com o Extrator TMMA 60 e ; Montagem do rolamento EK/C3, assento cônico com o método Drive-up Desmontagem do rolamento EK/C3, em eixo cônico usando o Drive-up ; Montagem do rolamento EK/C3, usando bucha fixação H 312; Desmontagem do rolamento 22212EK/C3, com bucha H312 usando o Drive-up ; Montagem do rolamento EK/C3, usando bucha de desmontagem AHX 312; Desmontagem do rolamento EK/C3, com bucha de desmontagem AHX 312; Montagem do rolamento 1209 EKTN9/C3, na SNL 509 e bucha de fixação H 209; Desmontagem do rolamento 1209 EKTN 9 /C3, com o TMHN 7; Montagem dos rolamentos 6212 e 6214, com o TMBH 1; Desmontagem do rolamento 6212 usando o Extrator TMMA 60 EasyPull; Montagem do anel RNU 2212 ECP usando o aquecedor indutivo. A Primeira Linha oferece também uma capacitação prática personalizada, focada nos equipamentos do solicitante, ou seja, o cliente define os rolamentos e as aplicações no qual deseja obter o treinamento. Neste caso salientamos que o preço do treinamento será avaliado caso a caso, tendo em vista que em algumas aplicações serão necessários investimentos na compra de ferramentas adequadas de acordo com o rolamento e equipamento. PÚBLICO ALVO Profissionais da manutenção, serviços, planejadores, engenheiros de confiabilidade, alunos de universidades e escolas técnicas, entre outros CARGA HORÁRIA: 8 (oito) horas ministradas em 1 dia NÚMERO MÁXIMO DE PARTICIPANTES/TURMA: 16 (dezesseis) participantes MATERIAL DIDÁTICO E CERTIFICADO: Serão disponibilizados: apostilas com o conteúdo programático do curso, certificado de conclusão do treinamento, além de material técnico para apoio, relacionados ao tema. 9

10 4 Lubrificação Industrial Nível Básico DESCRIÇÃO Transmitir conhecimento sobre lubrificação Industrial de forma dinâmica com aprendizagem teórica e prática. Os participantes terão conhecimento das habilidades necessárias para selecionar, aplicar e manusear lubrificantes e atender os procedimentos de lubrificação dos rolamentos em diversas aplicações industriais. OBJETIVO Os participantes serão preparados para avaliar e selecionar o lubrificante correto para uma ampla gama de rolamentos em diversas aplicações e conhecerão ainda as melhores práticas de lubrificação. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Introdução à lubrificação e tipos de lubrificação; Óleos base e Viscosidade; Aditivos; Graxas (espessantes, propriedades, consistência); Cálculo de Viscosidade (Fator Kappa); Especificação do lubrificante; Lubrificação à óleo (sintético, mineral, seleção; banho de óleo); Lubrificação à graxa (seleção, consistência, aditivos, preenchimento inicial); Cálculo de relubrificação para graxas (cálculo de vida da graxa, compatibilidade); Graxas SKF (especificações técnicas, características, temperatura de operação); Contaminação e filtragem; Influência da água; Dispositivos de lubrificação e lubrificação centralizada. Público Alvo Profissionais da manutenção, serviços, planejadores, lubrificadores, reparadores de máquinas e engenheiros de confiabilidade. CARGA HORÁRIA 8 (oito) horas ministradas em 1 dia NÚMERO MÁXIMO DE PARTICIPANTES POR TURMA 16 (dezesseis) participantes MATERIAL DE APOIO E CERTIFICADO Serão disponibilizados: apostilas com o conteúdo programático do curso, certificado de conclusão do treinamento, além de material técnico para apoio relacionados ao tema. A Primeira Linha também poderá desenvolver um treinamento de Lubrificação Industrial prático personalizado, ou seja, o cliente definirá a(s) área(s)/aplicações e pontos de lubrificação onde deseja aplicar o conhecimento. Após o treinamento, os profissionais qualificados estarão aptos a desenvolver de forma adequada o uso das técnicas, ferramentas e cálculos para a realização de uma lubrificação adequada. 10

11 5 Alinhamento Máquinas Rotativas DESCRIÇÃO O treinamento aborda os conceitos fundamentais e habilidades necessárias para executar alinhamentos de precisão, além de explorar os procedimentos e técnicas especificas de alinhamento a laser. OBJETIVO Transmitir o conhecimento aos participantes de como alinhar máquinas rotativas de dois eixos acoplados dentro das tolerâncias especificadas e metodologias adequadas a cada aplicação, incluindo o planejamento do serviço, procedimentos de pré-alinhamento e alinhamento de precisão a laser. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Centro de Rotação; Colinearidade; Desalinhamento; Medindo o Desalinhamento; Tipos de Desalinhamentos; Tolerâncias de Alinhamentos; Benefícios de Alinhamentos Métodos de Alinhamento; Alinhamento com relógios comparadores (convencional); Alinhamento a laser; Método face-face; Método reverso, Trem de Máquinas, Retilinidade; Planicidade; Alinhadores. PÚBLICO ALVO Profissionais da manutenção, serviços, suporte técnico e profissionais de gestão que envolvem alinhamento de máquinas rotativas. CARGA HORÁRIA 8 (oito) horas ministradas em 1 dia NÚMERO MÁXIMO DE PARTICIPANTES/TURMA 16 (dezesseis) participantes MATERIAL DE APOIO E CERTIFICADO Serão disponibilizadas apostilas com o conteúdo programático do curso, certificado de conclusão do treinamento, além de material técnico para apoio relacionados ao tema. 11

12 6 Balanceamento Dinâmico em Eixos Rígidos DESCRIÇÃO O treinamento aborda os tipos comuns de desbalanceamento de rotores e o impacto sobre a estrutura da máquina e seus componentes como rolamentos, eixos e vedações. Outro ponto é o uso da amplitude de vibração e fase para garantir que o problema é um desbalanceamento, bem como o conhecimento das tolerâncias e identificação do método correto para cada tipo de máquina, baseado na geometria do rotor, rotação, configuração dos mancais e rolamentos nos planos de correção. OBJETIVO Permitir ao participante efetuar balanceamento de campo em equipamentos comuns, incluindo diagnósticos de desbalanceamentos por inspeção de vibração e fase, noção dos métodos e normas, coleta de dados e procedimentos de balanceamento. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Introdução à Matemática Vetorial Básica Força Centrífuga Necessidade do Balanceamento; Origens do Desbalanceamento; Causas do Desbalanceamento; Efeitos da Ressonância, desalinhamento e desbalanceamento Efeitos e tipos de desbalanceamento; Rotores Rígidos; Balanceamento Dinâmico; Quantificação do Desbalanceamento; Avaliação do Desbalanceamento; Balanceamento de Campo; Método dos 3 pontos; Método Vetorial de um Plano; Balanceamento Vetorial de 2 Planos Softwares de balanceamento de campo Prática com o coletor Microlog CMXA 75 GX Prática com lâmpada estrobo e fotocélulas PÚBLICO ALVO Profissionais da manutenção, serviços, suporte técnico e especialistas em análises de vibração ou responsáveis pelo aumento de desempenho e de confiabilidade de equipamentos rotativos, que necessitam de habilidades práticas em balanceamentos. CARGA HORÁRIA 16 (dezesseis) horas ministradas em 2 dias NÚMERO MÁXIMO DE PARTICIPANTES/TURMA 16 (dezesseis) participantes MATERIAL DE APOIO E CERTIFICADO Serão disponibilizadas apostilas com o conteúdo programático do curso, certificado de conclusão do treinamento, além de material técnico para apoio relacionados ao tema. 12

13 Porque contar com os treinamentos da Primeira Linha? Nossos treinamentos seguem uma abordagem de ensino combinada, usando uma variedade de metodologias, como aprendizagem em sala de aula, atividades práticas e instrutores no local dispostos a passar todo o conhecimento para alcançar os objetivos de aprendizagem. Treinamentos práticos com uma gama de ferramentas apropriadas para cada aplicação. Máximo aproveitamento do seu investimento em conhecimentos Nossos treinamentos se concentram em aprimorar o seu conhecimento e eficiência dos equipamentos. 13

14 Nossos Clientes e Parceiros 14

15 15

16 PUB-2015 Informações Técnicas e Comerciais Primeira Linha Comercial de Rolamentos Ltda SIA Sul, quadra 04 C, Bloco D, Loja 84 - Brasília-DF Telefone (61) (61) Site 16

Treinamentos técnicos

Treinamentos técnicos Treinamentos técnicos CONHECIMENTO, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO A Empresa Ao longo dos 18 anos de sua existência, a PRIMEIRA LINHA COMERCIAL DE ROLAMENTOS LTDA, tem direcionado seu crescimento e desenvolvimento

Leia mais

BANCADA DIDÁTICA PARA TREINAMENTOS EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL

BANCADA DIDÁTICA PARA TREINAMENTOS EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL BANCADA DIDÁTICA PARA TREINAMENTOS EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL CONHECIMENTO, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PARA SUA EMPRESA A Empresa Ao longo dos 19 anos de sua existência, a PRIMEIRA LINHA COMERCIAL DE ROLAMENTOS

Leia mais

Rolamentos e Serviços para o Mercado de Açúcar e Etanol

Rolamentos e Serviços para o Mercado de Açúcar e Etanol Rolamentos e Serviços para o Mercado de Açúcar e Etanol Rolamentos para Todas as Necessidades da Sua Usina A Solução Perfeita para Qualquer Aplicação Com suas duas fortes marcas, INA e FAG, a qualidade

Leia mais

Aula 17 Projetos de Melhorias

Aula 17 Projetos de Melhorias Projetos de Melhorias de Equipamentos e Instalações: A competitividade crescente dos últimos anos do desenvolvimento industrial foi marcada pela grande evolução dos processos produtivos das indústrias.

Leia mais

CONJUNTO DIDÁTICO PARA TREINAMENTOS EM MONTAGEM E DESMONTAGEM DE ROLAMENTOS CONHECIMENTO.TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PARA SUA EMPRESA

CONJUNTO DIDÁTICO PARA TREINAMENTOS EM MONTAGEM E DESMONTAGEM DE ROLAMENTOS CONHECIMENTO.TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PARA SUA EMPRESA 0000 CONJUNTO DIDÁTICO PARA TREINAMENTOS EM MONTAGEM E DESMONTAGEM DE ROLAMENTOS CONHECIMENTO.TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PARA SUA EMPRESA A Empresa Ao longo dos 19 anos de sua existência, a PRIMEIRA LINHA COMERCIAL

Leia mais

Assuma o controle com as soluções SKF para o setor de siderurgia

Assuma o controle com as soluções SKF para o setor de siderurgia Assuma o controle com as soluções SKF para o setor de siderurgia O Poder do Conhecimento em Engenharia A única coisa mais intensa que o calor é a sua concorrência Poucos ambientes industriais têm condições

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CENTRO DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTANCIA PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP 2007 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Selecione o tipo de rolamento e configuração. Limitações dimensionais

Selecione o tipo de rolamento e configuração. Limitações dimensionais Seleção do 2. Seleção do Os s e de estão disponíveis numa variedade de tipos, formas e dimensões. Quando se faz a correta seleção do para a sua aplicação, é importante considerar diversos fatores, e analisar

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 10 - ELEMENTOS DE MÁQUINA

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 10 - ELEMENTOS DE MÁQUINA DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 10 - ELEMENTOS DE MÁQUINA (APOIO, ELÁSTICO E VEDAÇÃO) Notas de Aulas v.2015 ELEMENTOS DE APOIO BUCHAS Radial Axial Cônica ELEMENTOS DE APOIO BUCHAS ELEMENTOS DE

Leia mais

MANUTENÇÃO EM MANCAIS E ROLAMENTOS Atrito É o contato existente entre duas superfícies sólidas que executam movimentos relativos. O atrito provoca calor e desgaste entre as partes móveis. O atrito depende

Leia mais

Principais Responsabilidades:

Principais Responsabilidades: DESENHO DE CARGO E TAREFAS DO DESENVOLVEDOR WEB Conhecimento dos sistemas gerenciadores de banco (MySQL), modelagem de dados, inglês técnico. Conhecimento em plataformas e metodologias de desenvolvimento

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE ALINHAMENTO ENTRE EIXOS Manutenção Preditiva Alinhamentos. Introdução

A IMPORTÂNCIA DE ALINHAMENTO ENTRE EIXOS Manutenção Preditiva Alinhamentos. Introdução Introdução As perguntas mais freqüentes formuladas por gerentes, engenheiros, supervisores, contratantes, profissionais da área, referentes ao alinhamento (ou desalinhamento) de eixos e sua importância

Leia mais

Programa Vida Máxima. Soluções Integradas de serviços em rolamentos

Programa Vida Máxima. Soluções Integradas de serviços em rolamentos Programa Vida Máxima oluções Integradas de serviços em rolamentos Utilizando-se de tecnologias aprimoradas ao longo dos seus 87 anos de existência, a coloca à disposição de seus clientes corporativos o

Leia mais

MANCAIS DE ROLAMENTOS. 1. Introdução 2- Classificação. 3. Designação de rolamentos. 4. Defeitos comuns dos rolamentos. 5. Critérios de seleção.

MANCAIS DE ROLAMENTOS. 1. Introdução 2- Classificação. 3. Designação de rolamentos. 4. Defeitos comuns dos rolamentos. 5. Critérios de seleção. MANCAIS DE ROLAMENTOS. 1. Introdução 2- Classificação. 3. Designação de rolamentos. 4. Defeitos comuns dos rolamentos. 5. Critérios de seleção. Os mancais em geral têm como finalidade servir de apóio às

Leia mais

Produtos e Serviços para Manutenção de Rolamentos

Produtos e Serviços para Manutenção de Rolamentos Produtos e Serviços para Manutenção de Rolamentos Produtos e Serviços para Manutenção de Rolamentos Principais Causas de Paradas de Máquinas Outros 8% Especificação do Rolamento Incorreta Desbalanceamento

Leia mais

SKF é uma marca comercial registrada do Grupo SKF.

SKF é uma marca comercial registrada do Grupo SKF. SKF é uma marca comercial registrada do Grupo SKF. SKF 2011 Os direitos autorais desta publicação pertencem ao editor e seu conteúdo não pode ser reproduzido (mesmo em parte) sem uma permissão por escrito.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE BOTUCATU FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ENERGIA NA AGRICULTURA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE BOTUCATU FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ENERGIA NA AGRICULTURA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ENERGIA NA AGRICULTURA PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DISCIPLINA: MANUTENÇÃO E LUBRIFICAÇÃO DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS CÓDIGO: ÁREA: Domínio Específico (

Leia mais

Texto para discussão. Desenvolvimento profissional dos integrantes da carreira de EPPGG

Texto para discussão. Desenvolvimento profissional dos integrantes da carreira de EPPGG 1 Introdução Texto para discussão Desenvolvimento profissional dos integrantes da carreira de EPPGG Como resultado da coleta de subsídios para aperfeiçoamento da gestão da carreira de Especialista em Políticas

Leia mais

PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES

PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES O Programa de Certificação de Formadores busca capacitar profissionais da área da educação como formadores de professores e gestores educacionais. Com esta certificação, os formadores poderão ministrar

Leia mais

Gestão em Sistemas de Saúde

Gestão em Sistemas de Saúde INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão em Sistemas de Saúde Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Aprovado no dia XX/XX/2013 Pró diretoria de

Leia mais

Produtos SKF para Manutenção e Lubrificação

Produtos SKF para Manutenção e Lubrificação Produtos SKF para Manutenção e Lubrificação Desmontagem Aquisição do rolamento Monitoramento básico de condições Montagem Alinhamento Lubrificação Prolongando o ciclo da vida útil dos rolamentos Montagem

Leia mais

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba E Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase Diego Rafael Alba 1 Mancais De modo geral, os elementos de apoio consistem em acessórios para o bom funcionamento de máquinas. Desde quando o homem passou a

Leia mais

PLANO DE CURSO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

PLANO DE CURSO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PLANO DE CURSO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL 1 - NOME DO CURSO Lubrificador Industrial 2 - OBJETIVO Lubrificam máquinas e equipamentos, sinalizando pontos de lubrificação, interpretando desenhos de máquinas,

Leia mais

Detecção de falha em compressor de parafuso através da análise de vibrações 1 - INTRODUÇÃO

Detecção de falha em compressor de parafuso através da análise de vibrações 1 - INTRODUÇÃO Detecção de falha em compressor de parafuso através da análise de vibrações 1 - INTRODUÇÃO A globalização hoje se estende no mundo em todos os seus setores e mais do que nunca na indústria mundial, seja

Leia mais

Soluções de Retrofit Modernize, aumentando confiabilidade e eficiência do seu equipamento

Soluções de Retrofit Modernize, aumentando confiabilidade e eficiência do seu equipamento Soluções de Retrofit Modernize, aumentando confiabilidade e eficiência do seu equipamento É hora de renovar O mercado de retrofit tem crescido exponencialmente nos últimos anos. Novas regulamentações

Leia mais

Sobre o Instituto Desenvolve T.I

Sobre o Instituto Desenvolve T.I Sobre o Instituto Desenvolve T.I A empresa Desenvolve T.I foi fundada em 2008, em Maringá, inicialmente focando a sua atuação em prestação de serviços relacionados à Tecnologia da Informação e atendendo

Leia mais

IV SEMINÁRIO DE MANUTENÇÃO NO SETOR SUCROALCOOLEIRO. Vantagens do Uso do Alinhamento a Laser em Equipamentos de Usinas

IV SEMINÁRIO DE MANUTENÇÃO NO SETOR SUCROALCOOLEIRO. Vantagens do Uso do Alinhamento a Laser em Equipamentos de Usinas IV SEMINÁRIO DE MANUTENÇÃO NO SETOR SUCROALCOOLEIRO Vantagens do Uso do Alinhamento a Laser em Equipamentos de Usinas Por que o alinhamento é tão importante? Nos dias de hoje, todos nós estamos sob grande

Leia mais

Chaves e soquetes. Ajuste fixo: eixos cônicos. Chaves de gancho série HN da SKF. O raio exato da chave reduz o risco de danos à porca

Chaves e soquetes. Ajuste fixo: eixos cônicos. Chaves de gancho série HN da SKF. O raio exato da chave reduz o risco de danos à porca Chaves e soquetes Chaves e soquetes Ajuste fixo: eixos cônicos Os rolamentos montados em eixos cônicos obtêm o ajuste fixo quando atingem o local certo de fixação no eixo cônico. Deve-se tomar muito cuidado

Leia mais

Um especialista em manutenção preditiva

Um especialista em manutenção preditiva Análise de vibrações A UU L AL A Um especialista em manutenção preditiva foi chamado para monitorar uma máquina em uma empresa. Ele colocou sensores em pontos estratégicos da máquina e coletou, em um registrador,

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos

Curso de Engenharia de Produção. Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos Curso de Engenharia de Produção Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos Mancais: São elementos de máquinas que suportam eixo girante, deslizante ou oscilante. São classificados em mancais de: Deslizamento

Leia mais

Educação e Treinamento

Educação e Treinamento SERVIÇOS E SOLUÇÕES Educação e Treinamento Nas Instalações do Cliente Centro de Recursos de Treinamento Online Experience In Motion SERVIÇOS E SOLUÇÕES Para os Mercados Globais de Infraestrutura As Soluções

Leia mais

ASSOSSIAÇÃO EDUCACIONAL E TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA Ementa Tecnólogo em Manutenção Industrial Departamento de Ensino Superior. Carga horária: 40h

ASSOSSIAÇÃO EDUCACIONAL E TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA Ementa Tecnólogo em Manutenção Industrial Departamento de Ensino Superior. Carga horária: 40h ASSOSSIAÇÃO EDUCACIONAL E TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA Ementa Tecnólogo em Manutenção Industrial Departamento de Ensino Superior DISCIPLINA: Metodologia da Pesquisa Científica Técnicas para elaboração

Leia mais

Curso de Especialização em Docência para Educação Profissional. A EAD na Educação Profissional

Curso de Especialização em Docência para Educação Profissional. A EAD na Educação Profissional Curso de Especialização em Docência para Educação Profissional A EAD na Educação Profissional Globalização O Cenário Internacional Mudanças socioeconômicas: intensificação dos processos de integração e

Leia mais

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO Curso: Gestão da Tecnologia da Informação Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS ORGANOGRAMA FUNCIANOGRAMA DESENHO DE CARGO E TAREFAS DO DESENVOLVEDOR

Leia mais

Relatório de Boas Práticas

Relatório de Boas Práticas Relatório de Boas Práticas Nome da empresa: WEG EQUIPAMENTOS ELETRICOS S/A CNPJ: 07.175.725/0010-50 Responsável pela prática: Natalino Petry Cargo / Função: Chefe da seção QPOP E-Mail: natalinop@weg.net

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - PEC CATHO PORTAL CMC

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - PEC CATHO PORTAL CMC PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - PEC CATHO PORTAL CMC 1. CONTEXTO A Catho Educação Executiva é focada no desenvolvimento de talentos, na melhora do desempenho das organizações e na criação de processos

Leia mais

Plataforma. Portal Educacional

Plataforma. Portal Educacional Plataforma Portal Educacional O Grupo Actcon e a Rede Educar Brasil Especializado em soluções que incorporam Tecnologia da Informação à Educação e à Modernização da Administração Pública, o Grupo Actcon

Leia mais

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO Profa. Drª. Ana Maria Maranhão 1 Resumo: A tecnologia da Informação e de modo específico o computador, oferece as diferentes

Leia mais

O que é Integração das Técnicas de Monitoramento?

O que é Integração das Técnicas de Monitoramento? Análise de Vibração + Análise de Óleo O que é Integração das Técnicas de Monitoramento? Programas atuais de monitoramento da gestão das condições de ativos que desejam avançar rumo a uma verdadeira "Manutenção

Leia mais

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS PROJETO PEDAGÓGICO I OBJETIVOS

Leia mais

Sobre o Instituto Desenvolve T.I

Sobre o Instituto Desenvolve T.I Sobre o Instituto Desenvolve T.I A empresa Desenvolve T.I foi fundada em 2008, em Maringá, inicialmente focando a sua atuação em prestação de serviços relacionados à Tecnologia da Informação e atendendo

Leia mais

ANÁLISE DE VIBRAÇÃO NÍVEL I

ANÁLISE DE VIBRAÇÃO NÍVEL I ANÁLISE DE VIBRAÇÃO NÍVEL I *Eng. Remo Alberto Pierri Transmotor MBC *Eng. Maurício Coronado - GYR Com base na experiência acumulada por vários especialistas em medida e análise de vibrações, serão apresentados

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA

CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA O Curso Técnico de Nível Médio em Mecânica, Eixo Tecnológico Controle e Processos Industriais são organizados em 3 módulos de 400 horas. Ao final do curso, 400 horas de estágio

Leia mais

Visão geral do processamento de cimento. Produtos e soluções de transmissão de potência para o processamento de cimento

Visão geral do processamento de cimento. Produtos e soluções de transmissão de potência para o processamento de cimento Visão geral do processamento de cimento Produtos e soluções de transmissão de potência para o processamento de cimento Escolha a Rexnord para ajudá-lo a produzir hoje o cimento de amanhã. Da especificação

Leia mais

Programa de Parceria. Programa de Capacitação Orientada ao Mercado de Trabalho

Programa de Parceria. Programa de Capacitação Orientada ao Mercado de Trabalho Programa de Parceria Programa de Capacitação Orientada ao Mercado de Trabalho Agenda 1 Apresentação Toplearn 2 Parceria - Introdução 3 Parceria - Detalhes Agenda 1 2 Apresentação Toplearn Parceria - Introdução

Leia mais

PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013

PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013 PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013 INSTITUIÇÃO PROPONENTE: Ministério da Educação CNPJ: 00.394.445/0124-52 SETOR RESPONSÁVEL PELO PROJETO: Secretaria de Educação Básica(SEB) ENDEREÇO: Esplanada dos Ministérios,

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de TIC. Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de TIC. Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão de TIC Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Pró diretoria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação;

Leia mais

Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES

Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES Brasília 2012 Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES Brasília 2012 Edital SENai SESi de inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES 3 1)

Leia mais

SKF005_BP_customer.qxd 2005/02/07 14:42 Page 1 A Caixa Mágica

SKF005_BP_customer.qxd 2005/02/07 14:42 Page 1 A Caixa Mágica A Caixa Mágica 2 A sua chave para o sucesso Você pensa na SKF como o líder mundial em rolamentos? Então você está certo! Porque realmente somos os líderes de mercado. A alta qualidade dos nossos rolamentos

Leia mais

Válvulas de Controle-"Case"- Copesul. Nelzo Luiz Neto da Silva 1 Jader Weber Brum 2

Válvulas de Controle-Case- Copesul. Nelzo Luiz Neto da Silva 1 Jader Weber Brum 2 Válvulas de Controle-"Case"- Copesul Nelzo Luiz Neto da Silva 1 Jader Weber Brum 2 RESUMO Visando rever conceitos, procedimentos, estratégias e tecnologias voltadas para a manutenção de válvulas, partimos

Leia mais

Introdução Análise de Vibração

Introdução Análise de Vibração 1 Introdução Análise de Vibração 1-1 MANUTENÇÃO CORRETIVA ou REATIVA (Quebra Repara) È o tipo de Manutenção que ocorre após a quebra do equipamento. Atua somente após a ocorrência da Falha. PREVENTIVA

Leia mais

Cursos de Língua Inglesa T&HMS

Cursos de Língua Inglesa T&HMS Cursos de Língua Inglesa T&HMS Acreditamos que a educação é essencial para o desenvolvimento das nações. Trabalhamos em conjunto com os alunos para contribuir para o desenvolvimento de líderes empresariais

Leia mais

FAIN FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO

FAIN FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO VITÓRIA DA CONQUISTA 2007 COMPOSIÇÃO INSTITUCIONAL

Leia mais

MANUAL DE TREINAMENTO & DESENVOLVIMENTO

MANUAL DE TREINAMENTO & DESENVOLVIMENTO MANUAL DE TREINAMENTO & DESENVOLVIMENTO SUMÁRIO 1 Introdução... 03 2 Objetivos...03 3 Diretrizes...03 4 Processo...03 4.1 Atividade I...03 4.2 Atividade II...04 4.3 Atividade III...05 5 Responsabilidades...06

Leia mais

Regulamento de Atividades Complementares Sistemas de Informações Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Regulamento de Atividades Complementares Sistemas de Informações Análise e Desenvolvimento de Sistemas Regulamento de Atividades Complementares Sistemas de Informações Análise e Desenvolvimento de Sistemas Coordenador: Profª Ms: Magda Aparecida Silvério Miyashiro 2013 Conteúdo 1. Definição... 3 2. Características

Leia mais

AS CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO MOTOR INCLUEM...

AS CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO MOTOR INCLUEM... Motores H-Compact COMPACTO, REFRIGERAÇÃO EFICIENTE A importância crescente da economia de energia, dos requerimentos ambientais, da procura por dimensões menores e das imposições dos mercados nacionais

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE PESSOAS DA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIC

POLÍTICA DE GESTÃO DE PESSOAS DA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIC POLÍTICA DE GESTÃO DE PESSOAS DA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIC 1. CONCEITOS E DEFINIÇÕES 1.1 Políticas de Gestão de Pessoas são o conjunto de estratégias ou políticas específicas

Leia mais

Módulo 14 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas. 14.1. Treinamento é investimento

Módulo 14 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas. 14.1. Treinamento é investimento Módulo 14 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas 14.1. Treinamento é investimento O subsistema de desenvolver pessoas é uma das áreas estratégicas do Gerenciamento de Pessoas, entretanto em algumas organizações

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Controle e Processos Industriais Habilitação Profissional: Nível Médio

Leia mais

a Resolução CONSEPE/UFPB nº. 34/2004, que orienta a elaboração e reformulação dos Projetos Políticos Pedagógicos dos Cursos de Graduação da UFPB;

a Resolução CONSEPE/UFPB nº. 34/2004, que orienta a elaboração e reformulação dos Projetos Políticos Pedagógicos dos Cursos de Graduação da UFPB; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 22 / 2007 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em, na modalidade

Leia mais

Industry. SNR, a solução concreta para suas aplicações

Industry. SNR, a solução concreta para suas aplicações Industry SNR, a solução concreta para suas aplicações Suas exigências e nosso savoir-faire: uma mistura homogênea O cimento, na forma de concreto, está presente em todos os lugares. Todo nosso ambiente

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação MANUAL DO CANDIDATO Pós-graduação Prezado(a) Candidato(a), Agradecemos o interesse pelos nossos cursos. Este manual contém informações básicas pertinentes ao curso, tais como: objetivos do curso e das

Leia mais

Mineração de cobre Visão Geral. Produtos e soluções de transmissão de potência para minas de cobre

Mineração de cobre Visão Geral. Produtos e soluções de transmissão de potência para minas de cobre Mineração de cobre Visão Geral Produtos e soluções de transmissão de potência para minas de cobre Escolha a Rexnord para ajudá-lo a fornecer hoje o cobre de amanhã Da compra e instalação ao monitoramento

Leia mais

Manual de Instruções e Operação Moinhos USI-180

Manual de Instruções e Operação Moinhos USI-180 USIFER A Solução em Moagem Indústria Metalúrgica Ltda. Rua Vêneto, n 969 Bairro Nova Vicenza CEP 95180-000 Farroupilha RS Fones: (54) 3222 5194 Vendas (54) 3261 7356 Fábrica e-mail: usifermoinhos@usifermoinhos.com.br

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo PLANO DE CURSO. Área Profissional: Saúde

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo PLANO DE CURSO. Área Profissional: Saúde Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo PLANO DE CURSO Área Profissional: Saúde Qualificação: Operador de Ponte Rolante SÃO PAULO Março 2004 Plano de Curso de Qualificação

Leia mais

INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DA CORRENTE

INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DA CORRENTE UNP-130408 1 de 6 INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS A vida útil das correntes transportadoras e elevadoras está diretamente ligada aos cuidados com a instalação, lubrificação

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE POLOS DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. São Paulo SP Maio-2014

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE POLOS DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. São Paulo SP Maio-2014 SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE POLOS DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA São Paulo SP Maio-2014 Maria Cristina Mendonça Siqueira Universidade Cidade de S.Paulo Cruzeiro do Sul Educacional- cristina.mendonca@cruzeirodosul.edu.br

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte

Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FATEC SENAI BH A Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte, credenciada pelo MEC pela Portaria n 1788 de 27 de maio de 2005 e despacho SEMTEC nº 311/2005, apresenta

Leia mais

ANÁLISE TEÓRICO-EXPERIMENTAL DE BANCADA DIDÁTICA PARA BALANCEAMENTO ESTÁTICO E DINÂMICO DE ROTORES

ANÁLISE TEÓRICO-EXPERIMENTAL DE BANCADA DIDÁTICA PARA BALANCEAMENTO ESTÁTICO E DINÂMICO DE ROTORES ANÁLISE TEÓRICO-EXPERIMENTAL DE BANCADA DIDÁTICA PARA BALANCEAMENTO ESTÁTICO E DINÂMICO DE ROTORES Sandro E. L. da Silva sandroels@bol.com.br Antonio A. Silva almeida@dem.ufcg.edu.br Marco A. da S. Irmão

Leia mais

CA Mainframe Chorus for Storage Management Versão 2.0

CA Mainframe Chorus for Storage Management Versão 2.0 FOLHA DO PRODUTO CA Mainframe Chorus for Storage Management CA Mainframe Chorus for Storage Management Versão 2.0 Simplifique e otimize suas tarefas de gerenciamento de armazenamento, aumente a produtividade

Leia mais

ANEXO I. PROJETO DE -- Selecione --

ANEXO I. PROJETO DE -- Selecione -- MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE -- Selecione -- 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto: INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO ESPECIAL 1.2 Câmpus de Origem: Júlio

Leia mais

Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência

Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência Projeto de Gestão pela Qualidade Rumo à Excelência Introdução O panorama que se descortina para os próximos anos revela um quadro de grandes desafios para as empresas. Fatores como novas exigências dos

Leia mais

O Grupo Actcon e a Rede Educar Brasil

O Grupo Actcon e a Rede Educar Brasil O Grupo Actcon e a Rede Educar Brasil Especializado em soluções que incorporam Tecnologia da Informação à Educação e à Modernização da Administração Pública, o Grupo Actcon tem como sua principal integrante

Leia mais

MANUTENÇÃO PREDITIVA : CONFIABILIDADE E QUALIDADE.

MANUTENÇÃO PREDITIVA : CONFIABILIDADE E QUALIDADE. 1 MANUTENÇÃO PREDITIVA : CONFIABILIDADE E QUALIDADE. INTRODUÇÃO : Nos últimos anos, têm-se discutido amplamente a gerência de manutenção preditiva. Tem-se definido uma variedade de técnicas que variam

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 I. APROVAÇÃO Emitente: Função: Análise crítica e aprovação: Função: Liliane Alves Ribeiro da Silva Gerente Administrativa Roberto José da Silva Gerente Geral

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

Elementos de Máquinas

Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Leódido Sumário Buchas Guias Mancais de Deslizamento e Rolamento Buchas Redução de Atrito Anel metálico entre eixos e rodas Eixo desliza dentro da bucha, deve-se utilizar lubrificação.

Leia mais

Identificação de Partes

Identificação de Partes Intificação Partes Part List-349-I Motor Vertical Indução 1. Superior 2. Porca e Arruela do Eixo do Motor 3. Inferior 4. da Tampa Superior 5. Defletor Óleo 6. Tampa Superior 7. Rolamento Contato Angular

Leia mais

Gestão Estratégica de Negócios

Gestão Estratégica de Negócios INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão Estratégica de Negócios Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Santa Rita do Sapucaí MG Setembro de 2013

Leia mais

INSTRUÇÕES DE MONTAGEM TMDS 9/1

INSTRUÇÕES DE MONTAGEM TMDS 9/1 INSTRUÇÕES DE MONTAGEM TMDS 9/ MaPro Maintenance Products SKF Instruções de Montagem TMDS 9/_v /5 SKF TMDS 9 Estrela para demonstração de montagem e desmontagem. Instruções de operação Índice Recomendações

Leia mais

Ferramentas de manutenção

Ferramentas de manutenção Ferramentas de manutenção Menos atrito. Mais soluções. Com mais de 100 anos de experiência em tecnologia de rolamentos, a Timken compreende a importância dos procedimentos de manutenção adequados para

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: GARÇA Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional:

Leia mais

ANÁLISE DE FALHAS EM COMPRESSORES DE PARAFUSOS. Fabiano Ribeiro do Vale Almeida Universidade Federal de Itajubá

ANÁLISE DE FALHAS EM COMPRESSORES DE PARAFUSOS. Fabiano Ribeiro do Vale Almeida Universidade Federal de Itajubá ANÁLISE DE FALHAS EM COMPRESSORES DE PARAFUSOS Fabiano Ribeiro do Vale Almeida Universidade Federal de Itajubá Márcio Tadeu de Almeida Universidade Federal de Itajubá Trabalho apresentado na 6 a Conferência

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte

Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FATEC SENAI BH A Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte, credenciada pelo MEC pela Portaria n 1788 de 27 de maio de 2005 e despacho SEMTEC nº 311/2005, apresenta

Leia mais

Água e Águas Residuais SOLUÇÕES DE TRATAMENTO

Água e Águas Residuais SOLUÇÕES DE TRATAMENTO Água e Águas Residuais SOLUÇÕES DE TRATAMENTO 2 Água e Águas Residuais Soluções de Tratamento As duas melhores marcas As centrífugas da marca Hoffman & Lamson são reconhecidas em todo o mundo como as melhores

Leia mais

3. EIXOS DE DESENVOLVIMENTO (*):

3. EIXOS DE DESENVOLVIMENTO (*): PAC UFSCar 2016 1.INTRODUÇÃO A Política de Capacitação da UFSCar estabelece as diretrizes para capacitação de servidores com vistas ao desenvolvimento de um processo de educação continuada e permanente

Leia mais

Administração e Organização Industrial

Administração e Organização Industrial Administração e Organização Industrial Prof. Fabini Hoelz Bargas Alvarez Engenheiro Eletricista UCP Mestre em Finanças IBMEC/RJ fabini.alvarez@ucp.br Módulo I Conceitos Básicos 1. Organizações e Administração;

Leia mais

Cursos livres EAD GUIA BÁSICO PARA USO CORPORATIVO. www.webaula.com.br

Cursos livres EAD GUIA BÁSICO PARA USO CORPORATIVO. www.webaula.com.br Cursos livres EAD GUIA BÁSICO PARA USO CORPORATIVO www.webaula.com.br Índice 3 introdução 3 introdução 3 O que são cursos livres, afinal? 4 Características dos cursos livres 5 Vantagens dos cursos livres

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de Projetos

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de Projetos INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão de Projetos Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Aprovado no dia 15/05/2013 Pró diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

CURSISTAS A ESCOLA E A CIDADE: EDUCAÇÃO INTEGRAL

CURSISTAS A ESCOLA E A CIDADE: EDUCAÇÃO INTEGRAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS DEPARTAMENTO DE EMPREENDEDORISMO E GESTÃO EDITAL ESTABELECE NORMAS DO PROCESSO SELETIVO DE

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte

Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FATEC SENAI BH A Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte, credenciada pelo MEC pela Portaria n 1788 de 27 de maio de 2005 e despacho SEMTEC nº 311/2005, apresenta

Leia mais

Características Gerais

Características Gerais Características Gerais De todas as especialidades da Engenharia, pode-se dizer que a Engenharia Mecânica é das mais amplas e diversificadas. Ela se envolve com instalações industriais, máquinas e equipamentos

Leia mais

FABRICAÇÃO E REVENDA DE SISTEMAS DE LUBRIFICAÇÃO

FABRICAÇÃO E REVENDA DE SISTEMAS DE LUBRIFICAÇÃO FABRICAÇÃO E REVENDA DE SISTEMAS DE LUBRIFICAÇÃO P R O D U T O S S E R V I Ç O S S O LU Ç Õ E S Sistema Progressivo Aplicações: Máquinas em geral. Características: Alto grau de eficiência e segurança.

Leia mais

VIII SEMINÁRIO BRASILEIRO DE MANUTENÇÃO PREDITIVA E INSPEÇÃO DE EQUIPAMENTOS

VIII SEMINÁRIO BRASILEIRO DE MANUTENÇÃO PREDITIVA E INSPEÇÃO DE EQUIPAMENTOS VIII SEMINÁRIO BRASILEIRO DE MANUTENÇÃO PREDITIVA E INSPEÇÃO DE EQUIPAMENTOS MÁRCIO TADEU DE ALMEIDA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ FUNDAÇÃO DE PESQUISA E ASSESSORAMENTO À INDÚSTRIA MENU PRINCIPAL VIBRAÇÕES

Leia mais

11ª Mostra Nacional de Trabalhos de Qualidade do Judiciário Gestão de Pessoas

11ª Mostra Nacional de Trabalhos de Qualidade do Judiciário Gestão de Pessoas Apresentação 11ª Mostra Nacional de Trabalhos de Qualidade do Judiciário Gestão de Pessoas Identificação do órgão: Supremo Tribunal Federal Unidade: Secretaria de Recursos Humanos / Coordenadoria de Desenvolvimento

Leia mais

Impactos da Manutenção no Desempenho de uma Edificação

Impactos da Manutenção no Desempenho de uma Edificação João Alves Pacheco - Diretor de Engenharia As definições a seguir foram obtidos da NBR 5462:1994 Confiabilidade e mantenabilidade, com o objetivo de estabelecer uma base conceitual e terminológica comum

Leia mais

4. BANCO DE COMPETÊNCIAS PROPOSTA DE UMA FERRAMENTA DE APOIO À DECISÃO DE CAPACITAÇÃO DE RH

4. BANCO DE COMPETÊNCIAS PROPOSTA DE UMA FERRAMENTA DE APOIO À DECISÃO DE CAPACITAÇÃO DE RH 4. BANCO DE COMPETÊNCIAS PROPOSTA DE UMA FERRAMENTA DE APOIO À DECISÃO DE CAPACITAÇÃO DE RH 1. INTRODUÇÃO Gilson da Silva Cardoso Antonio Carlos Francisco Luciano Scandelari O mundo está experimentando

Leia mais

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Itajubá/MG Fevereiro de 2012 Plano Anual de 2 de 11 Revisão 01 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1 OBJETIVO GERAL... 4 2

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo tecnológico: Recursos Humanos Habilitação Profissional: Técnico em Recursos Humanos Componente

Leia mais