Os dados são do Instituto Nacional de Estatística: 121

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Os dados são do Instituto Nacional de Estatística: 121"

Transcrição

1

2 Títulos das Partes Introdução Os dados são do Instituto Nacional de Estatística: portugueses escolheram o ano de 2012 para encontrarem um novo rumo. Empacotaram a vida numa mala e partiram com o sonho de descobrirem pelo mundo fora o que, em muitos casos, Portugal já não lhes oferecia: trabalho. Desde 2007, quando a crise económica começou a revelar contornos cada vez mais negros, com o aumento imparável dos níveis de desemprego, milhares de portugueses têm abandonado o país: licenciados, doutorados, com currículos mais ou menos preenchidos. Quem emigra já não são, maioritariamente, portugueses idênticos aos que Linda de Suza identificou na célebre música Um Português, cuja letra retrata a história dos milhares de emigrantes que deixaram o país e a família apenas com uma mala de cartão. E é preciso recuar até esses tempos, à década de 1970 antes do 25 de abril, e até mais para trás, para se encontrar números tão elevados de emigração que, mesmo assim, não batem esta nova vaga. Em 1966, por exemplo, saíram de Portugal pessoas, número que tinha sido até agora o mais elevado de sempre. Há mudanças? Sim. Há histórias 7

3 Títulos das Partes INTRODUÇÃO Os dados são do Instituto Nacional de Estatística: portugueses escolheram o ano de 2012 para encontrarem um novo rumo. Empacotaram a vida numa mala e partiram com o sonho de descobrirem pelo mundo fora o que, em muitos casos, Portugal já não lhes oferecia: trabalho. Desde 2007, quando a crise económica começou a revelar contornos cada vez mais negros, com o aumento imparável dos níveis de desemprego, milhares de portugueses têm abandonado o país: licenciados, doutorados, com currículos mais ou menos preenchidos. Quem emigra já não são, maioritariamente, portugueses idênticos aos que Linda de Suza identificou na célebre música Um Português, cuja letra retrata a história dos milhares de emigrantes que deixaram o país e a família apenas com uma mala de cartão. E é preciso recuar até esses tempos, à década de 1970 antes do 25 de abril, e até mais para trás, para se encontrar números tão elevados de emigração que, mesmo assim, não batem esta nova vaga. Em 1966, por exemplo, saíram de Portugal pessoas, número que tinha sido até agora o mais elevado de sempre. Há mudanças? Sim. Há histórias 7

4 Guia Prático do Emigrante de êxito tanto há 40 anos como agora? Claro. Há casos de famílias separadas? Também os há, tanto agora como antes da revolução. O que mudou foi o mundo: Portugal entrou na União Europeia, a globalização acelerou e proliferaram as empresas com filiais nos quatro cantos do planeta. No entanto, se para uns emigrar é apenas mudar de casa, para outros é um «bicho de sete cabeças». Perante essa hipótese, alguns colocam de imediato as questões mais recorrentes: «Como arranjo o visto?»; «Onde procuro casa?»; «Em que escola ponho os meus filhos?»; «Como sei que a oferta de trabalho que vi no jornal é verdadeira?»; «Tenho de tomar alguma vacina?»; «Que serviços de saúde posso esperar?»; «De que forma e como faço os descontos para a Segurança Social?»; «Que contactos úteis são obrigatórios na minha lista?» Estas e outras perguntas, devidamente enquadradas em cada um dos 21 territórios analisados, são respondidas neste livro com detalhe. A acompanhar este guia prático encontrará, também para cada possível destino, casos reais de emigrantes portugueses. São histórias de maior ou menor êxito, exemplos de quem está ansioso por voltar e de quem pretende ficar no seu novo país para sempre, vidas cheias de aventuras ou de rea lidades calmas e serenas. São uma forma de aproximar e de motivar a reflexão de quem quer arriscar e partir. Os 21 territórios apresentados neste livro não foram escolhidos aleatoriamente. Segundo dados do Observatório da Emigração e do gabinete do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, estes são os destinos para os quais tem havido um maior fluxo de emigração nacional e/ou onde há atualmente mais oportunidades profissionais. Não correspondem necessariamente aos países que têm mais portugueses embora em alguns casos o sejam. Por exemplo, há na Venezuela e na África do Sul uma enorme comunidade portuguesa, que é fruto da 8

5 Introdução emigração dos anos 1960 e não desta nova vaga, para a qual estas nações não são relevantes. 9

6 Títulos das Partes 1 Estatísticas gerais da emigração portuguesa Os 21 territórios que apresentamos neste livro são aqueles para os quais o fluxo de emigração de portugueses é maior hoje em dia. A maior comunidade portuguesa no estrangeiro encontra-se nos Estados Unidos da América, mas Reino Unido, Suíça, Alemanha e Espanha têm sido os destinos privilegiados dos emigrantes portugueses nos últimos dois anos. Território Portugueses emigrados entre 2011 e 2012 União Europeia Novos emigrantes portugueses em 2012 Alemanha Bélgica (inscrições consulares) Espanha França * Holanda Luxemburgo Reino Unido continua 11

7 Guia Prático do Emigrante continuação Território Portugueses emigrados entre 2011 e 2012 África Novos emigrantes portugueses em 2012 Angola * Cabo Verde Moçambique São Tomé e Príncipe 1500 * América Brasil Canadá Chile Estados Unidos da América Ásia China 831 * Macau Emirados Árabes Unidos Outros Austrália Suíça *Informação não disponível. Fonte: Ministério dos Negócios Estrangeiros, Direção-geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas, Observatório da Emigração e embaixadas e postos consulares de Portugal nos diversos países. 12

8 Contactos Úteis para Quem Pretende Emigrar 2 Contactos úteis para quem pretende emigrar 2.1. Legislação eur-lex.europa.eu/n-lex-s/index_en.htm Portal institucional europeu que agrega informação sobre a legislação de todos os países da União Europeia. e legislacao-internacional-nao-europeia No site do Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural poderá encontrar informações sobre a legislação europeia e não europeia, útil para todos os que pretendam procurar trabalho fora de Portugal Trabalho, formação e dicas práticas portal-gae.dgaccp.pt Site do Gabinete de Apoio ao Emigrante. Os objetivos do GAE são, entre outros, informar os portugueses dos seus direitos nos países de acolhimento e apoiá-los no regresso e na 13

9 Guia Prático do Emigrante reinserção em Portugal, contribuindo para a resolução dos problemas que se lhes apresentem e facilitando o seu contacto com outros serviços da administração pública portuguesa. Estes gabinetes estão tecnicamente habilitados para tratarem de assuntos respeitantes à segurança social, equivalência de estudos, investimentos, duplas tributações, pedidos de colocação no estrangeiro, informação jurídica geral e aconselhamento para quem pretenda emigrar. ec.europa.eu/eures/home.jsp?lang=en O Portal Europeu da Mobilidade Laboral é um site institucional da Comissão Europeia que aborda o trabalho nos países europeus, incluindo a elaboração de currículos dos candidatos interessados e informações úteis sobre como viver e trabalhar na Europa. europa.eu/youth/pt O Portal Europeu da Juventude apresenta informações práticas e oportunidades de formação, educação, voluntariado e trabalho para os jovens na Europa. europa.eu/youreurope/citizens/work/index_en.htm Página da Comissão Europeia com informações relevantes e úteis sobre legislação laboral, condições de trabalho, acesso às carreiras públicas e à reforma nos países europeus, bem como outros dados sobre a vida nos diferentes destinos. Site que reúne ofertas de trabalho para a Alemanha, divididas por áreas profissionais. Inclui também indicações sobre como encontrar casa e escola, como aceder a serviços de saúde, conselhos e dicas para os recém-chegados sobre a integração e a burocracia em Berlim, entre outras informações práticas e úteis. 14

10 Contactos Úteis para Quem Pretende Emigrar Site com propostas de trabalho no Luxemburgo, com respostas a dúvidas relacionadas com a vida no país. + Estas páginas foram criadas para todos os que estão à procura de uma oportunidade fora de Portugal. Têm como objetivo ajudar os desempregados a encontrarem um trabalho em qualquer parte do mundo, para que possam construir o seu projeto de vida. Publicam diariamente vários anúncios. O Manda-te! pretende ser uma plataforma para a valorização pessoal e profissional. Esta página presta informação sobre o trabalho no estrangeiro, através de pesquisas quanto às oportunidades mais vantajosas para os portugueses fora do nosso país. + À semelhança das anteriores, a missão destas páginas é facilitar o caminho a todas as pessoas que procuram trabalho no estrangeiro. + Estas páginas visam dar resposta a algumas das questões mais relevantes que precisa de esclarecer para começar uma nova vida fora de Portugal. Nestes sites publicam-se, por áreas profissionais, propostas disponíveis pelo mundo fora. Têm muitas dicas úteis, e atualizadas com frequência, para quem pensa partir para outro país. Quem já emigrou pode participar na elaboração das respostas e contribuir assim, com um exemplo concreto, para quem ainda está a tomar decisões. 15

11 Guia Prático do Emigrante Esta página apresenta anúncios de trabalho em todo o mundo. Site que explica como obter residência e um visto de trabalho em Cabo Verde. Página com perguntas, respostas e sugestões para quem vive ou pretende viver na Baviera Comunidades portuguesas no estrangeiro e grupos de apoio Segundo os fundadores deste grupo do Facebook, a página serve de ponte entre as necessidades das pessoas e as oportunidades que existem no estrangeiro. Após solicitar a entrada no grupo (cujo acesso é, por norma, aceite), cada candidato deve apresentar-se num post, indicando a formação académica e a experiência profissional, os países ou zonas onde gostaria de trabalhar, a área ou a profissão que procura e os idiomas que domina. Os administradores da página responder-lhe-ão no mesmo post com as propostas disponíveis no momento. A ideia deste grupo é reunir e partilhar experiências em muitas áreas profissionais. Aqui pode encontrar sugestões de trabalho, eventos relacionados, promover serviços ou divulgar informações de interesse comum. Não é uma agência de trabalho, mas quem criou a página quis fazê-lo para poder ajudar todos os compatriotas, dado o momento de crise que o país atravessa. 16

12 Contactos Úteis para Quem Pretende Emigrar O portal da Secretaria de Estado das Comunidades Por tuguesas apresenta informações úteis, práticas e importantes, para todos os que querem emigrar. Inclui contactos telefónicos e sites específicos para cada país e posto consular. Grupo para quem vive ou quer emigrar para a Austrália. A ideia consiste em partilhar experiências de como correu todo o processo de emigração, divulgar dados sobre o estilo e o custo de vida no país, o processo de arrendamento de habitação e ofertas de trabalho, entre outros. Grupo para portugueses à procura de emprego no Dubai e Médio Oriente. Os residentes nesta região podem divulgar aqui as ofertas de trabalho de que tenham conhecimento. Criada a pensar em quem pretende emigrar para Londres, esta página é gerida por pessoas que saíram de Portugal com destino à capital inglesa, pretendendo apoiar quem agora quiser dar esse passo. Este é um blogue feito para os que já vivem na Holanda, mas também para os que pensam emigrar para esse país. Inclui notícias, informações e um campo para colocar dúvidas. Site sobre a comunidade portuguesa na Bélgica. Neste site pode encontrar, entre outras coisas, informações sobre associações, clubes desportivos, estabelecimentos comerciais, restaurantes, cafés, etc. 17

13 Guia Prático do Emigrante 2.4. Cursos de línguas Página que dispõe de cursos em 38 idiomas, tanto gratuitos como pagos. O utilizador pode requerer a ajuda de especialistas para as dúvidas que precisar de esclarecer. Neste site encontra inúmeras técnicas de aprendizagem que o ajudam a melhorar a sua fluência, caso já tenha conhecimentos mínimos nalgum idioma. Tem uma base de 150 línguas, entre elas mandarim, japonês, inglês e alemão. Neste site pode aprender línguas, fazer exercícios interativos ou até esclarecer questões com outros alunos, sempre online. Ensina idiomas como árabe, inglês ou mandarim. Neste site encontra um curso de alemão, com exercícios escritos e falados, vídeos e fotografias, que vão ajudá-lo a uma melhor compreensão da língua alemã. 18

14 Europa dos Estados-membros 3 Europa dos Estados-membros 19

15 Europa dos Estados-membros 3.1. Guia prático para a União Europeia 3.2. Alemanha 3.3. Bélgica 3.4. Espanha 3.5. França 3.6. Holanda 3.7. Luxemburgo 3.8. Reino Unido Inglaterra Escócia 21

16 Guia Prático do Emigrante Tal como nos anos 1960, e embora Angola e Moçambique sejam países cada vez mais apetecíveis para os portugueses, hoje em dia um dos grandes fluxos da emigração é dirigido para dentro da Europa. Todos os cidadãos da União Europeia (UE) têm o direito de trabalhar e viver em qualquer dos estados-membros sem que a sua nacionalidade seja motivo de discriminação. A livre circulação de pessoas é uma das liberdades fundamentais garantidas pelo tratado da UE e pela legislação comunitária. Este capítulo responde a perguntas que têm respostas iguais para todos os países da UE abordados neste livro. Que documentos são necessários se quiser viajar e trabalhar na União Europeia? Se quiser viajar para e dentro da UE basta ser portador de um documento válido de identificação pessoal (cartão do cidadão, bilhete de identidade ou passaporte). Os menores, quando não são acompanhados por quem sobre eles exerça o poder paternal, carecem ainda de autorização para viajar sós ou acompanhados, conforme o caso. Como cidadão português não precisa de autorização de permanência nem de trabalho dentro da UE. Onde poderão os meus filhos estudar, se eu for trabalhar para um dos países da União Europeia? Enquanto cidadãos da UE, os seus filhos têm o direito de frequentar uma escola em qualquer país e nas mesmas condições proporcionadas aos cidadãos nacionais desse país. Têm o direito de ser inseridos numa turma de alunos da mesma idade e de nível equivalente ao que frequentavam no país de origem, independentemente dos seus conhecimentos linguísticos. Nos termos da legislação europeia, os filhos dos cidadãos da UE que, por motivos profissionais, se instalam noutro país da UE têm direito a aulas gratuitas para aprenderem a língua, de forma a facilitar a adaptação ao novo sistema de ensino. Tenha em conta Documentos ESCOLAS 22

17 Europa dos Estados-membros que o sistema de ensino no novo país de residência pode ser muito diferente daquele a que está habituado. Por isso, não existe um reconhecimento automático dos certificados de habilitações do ensino secundário em toda a UE. Em alguns países, antes de poder inscrever os seus filhos numa escola local, deverá solicitar à entidade nacional competente o reconhecimento dos respetivos certificados de habilitações. CARRO SAÚDE Existe algum seguro de saúde válido em toda a União Europeia? Antes de viajar para qualquer país da UE deverá subscrever o Cartão Europeu de Seguro de Doença. Este cartão assegura aos viajantes a prestação de tratamentos urgentes e atos médicos, em estabelecimentos da rede pública, imediatamente necessários em situação de doença súbita, acidente ou maternidade. Para mais informações sobre o Cartão Europeu de Seguro de Doença consulte o site informacoes+uteis/saude+em+viagem/cartaoeuropeudesegurodoenca.html. Posso levar o meu carro, se for viver para um país da União Europeia? Pode, mas regra geral é obrigado a matricular o seu carro no prazo de seis meses. Antes de partir, deve averiguar junto das entidades do país de acolhimento quando começa o período de seis meses: se a partir do momento em que deixa o seu país ou da data em que chega ao novo destino. Informe-se também sobre os documentos justificativos necessários. Alguns países membros requerem uma nova matrícula do automóvel no prazo de seis meses a partir da data em que começa a residir no país em questão. Antes de se mudar, averigue junto das entidades nacionais se são aplicáveis períodos mais curtos. Em alguns países pode beneficiar de uma isenção do imposto sobre a matrícula (se antes tiver 23

18 Guia Prático do Emigrante vivido noutro país da UE, na condição de respeitar as devidas condições e prazos). O meu diploma é válido em todos os países da União Europeia? Poderá ser necessário obter o reconhecimento oficial das suas qualificações e experiência profissional, caso a sua profissão esteja regulamentada no país em causa. As autoridades competentes dispõem do prazo de um mês para confirmarem a receção do pedido de reconhecimento das suas qualificações profissionais e solicitarem os documentos necessários para o efeito. A decisão final tem de ser tomada no prazo de quatro meses a contar da data em que receberem o seu pedido completo. Caso rejeitem o pedido, têm de fundamentar a sua decisão. As autoridades competentes podem solicitar cópias autenticadas e/ou traduções certificadas de determinados documentos essenciais para a análise do seu pedido, tais como certificados que atestem as suas habilitações. (As traduções certificadas têm de ser feitas por um tradutor ajuramentado ou autenticadas por um notário ou advogado.) Têm de aceitar traduções certificadas de outros países da UE e não podem solicitar traduções certificadas de diplomas de médicos, enfermeiros de cuidados gerais, parteiras, veterinários, cirurgiões dentistas, farmacêuticos ou arquitetos, tal como do bilhete de identidade ou passaporte, ou ainda de outros documentos não relacionados com as qualificações. HABILITAÇÕES 24

19 Europa dos Estados-membros 3.1. Guia PRÁTICO para a União Europeia 3.2. Alemanha 3.3. Bélgica 3.4. Espanha 3.5. França 3.6. Holanda 3.7. Luxemburgo 3.8. Reino Unido Inglaterra Escócia 25

20 Guia Prático do Emigrante Dados e informações essenciais Território km 2 População Emigração Língua oficial Capital Moeda Código da Internet Código internacional de telefone Fuso horário Clima Religiões Alimentação 81,8 milhões de habitantes (229 habitantes/ /km 2 ) É o terceiro país com mais imigrantes a nível mundial, e a nação da União Europeia que mais estrangeiros acolhe Alemão Berlim Euro.de hora no verão, + 2 horas no inverno Temperado Luteranismo e Catolicismo Essencialmente baseada em carne de porco, bovina e de aves. Têm mais de 1500 tipos de salsichas. A bebida alcoólica mais consumida no país é a cerveja Contactos úteis Polícia: 110 Bombeiros e emergência médica: 112 Embaixada de Portugal na Alemanha: portugal.de Embaixada da Alemanha em Portugal: Associações de portugueses: comunidadeportuguesa/lista-de-associacoes-e-de-movimentosassociativos.html 26

21 Europa dos Estados-membros Conselho das Comunidades Portuguesas na Alemanha: Instituto Nacional de Emprego: Bolsa de emprego (Jobbörse): jobboerse.arbeitsagentur.de Site institucional de apoio à procura de trabalho na Alemanha: www. make-it-in-germany.com/en Programa estatal de estágios remunerados para estrangeiros: www. thejobofmylife.de/en Legislação alemã: cgerli.org/index.php?id=33 Guia para a legislação alemã: Departamento federal de emigração: auswaertiges-amt.de/en/ Startseite_node.html Departamento federal para emigrantes e refugiados: EN/Startseite/startseite-node.html Guia prático Perguntas e respostas Documentos De que documentos necessito se quiser trabalhar na Alemanha? Deverá efetuar o registo da sua morada nos serviços competentes da área de residência, no período de uma semana a contar desde a sua chegada. No formulário deve indicar o nome e a morada do senhorio, ou da pessoa em casa de quem está alojado. Deverá requerer o cartão de registo da situação fiscal na repartição de finanças. Aquando do registo receberá um certificado que confirma o seu direito a viver no país de acolhimento, contendo também o seu nome, endereço e data de registo. O certificado de registo deve ser emitido imediatamente e o seu custo não deve exceder o preço do documento de identidade pago pelos nacionais. O certificado de registo deve ter uma validade 27

22 Guia Prático do Emigrante ilimitada (renovação não necessária), embora possa ser preciso comunicar às autoridades locais eventuais alterações do endereço. Caso não se registe não poderá ser expulso do país, mas terá de pagar uma multa. Para mais informações, consulte também o capítulo 3.1 (na página 22). É fácil encontrar casa na Alemanha? Onde posso procurar? Não é fácil encontrar uma casa na Alemanha, porque há muito mais procura do que oferta. Há dois sites www. immobilienscout.de e especializados em casas para arrendar, mas incluem duas dificuldades: são apresentados em alemão (sem tradução) e usam siglas impercetíveis para quem não domina a língua. Também pode recorrer aos anúncios nos jornais ou a uma agência imobiliária (à qual terá de pagar uma taxa). Eis algumas siglas alemãs relacionadas com habitação: Zi-Whg (zimmer/wohnung) Quarto/ ambiente; Möbl. (möbliert) Mobilado; Wfl. (wohnfläche) Área útil; BaWa (badewanne) Banheira; Bad mit Du. (bad mit dusche) Casa de banho com chuveiro; BLK (balkon) Varanda; NK (nebenkosten) Custos adicionais; KT (kaution) Caução; MM (monatsmiete) Aluguer mensal; Tfg-Stpl (tiefgaragenstellplatz) Garagem subterrânea; Wakü (waschküche) Lavandaria. Há ofertas de casas mobiladas e não mobiladas. E quando se fala em não mobiladas pode ser mesmo sem nada, até sem armários de cozinha. Os custos adicionais, como a água e o aquecimento, podem, ou não, integrar o valor do aluguer. Em média, é preciso pagar uma caução equivalente a três meses de arrendamento. Habitação 28

23 Europa dos Estados-membros Conta bancária Língua Do que preciso para abrir uma conta bancária? Os documentos necessários para abrir uma conta bancária na Alemanha diferem consoante as exigências de cada instituição bancária. Pode ser pedido aos indivíduos estrangeiros, ainda que cidadãos da União Europeia (UE), o bilhete de identidade, o cartão do cidadão ou o passaporte. Ainda não domino a língua. Onde e como posso aprendê-la? Em Portugal, o ensino do alemão é proporcionado tanto nos centros de formação ATEC, no Parque Industrial de Palmela (www.atec.pt), como também no quadro da formação profissional para a área da hotelaria (www.dual.pt), no Algarve. Em Lisboa, o Instituto Goethe (www.goethe. de/ins/pt/lis/ptindex.htm) também ministra cursos mais ou menos intensivos de alemão. Se já não tem tempo para fazer um curso em Portugal, na Alemanha tem a hipótese de fazer o Curso de Integração, do Departamento Federal de Emigrantes e Refugiados na Alemanha. Por norma, estas formações são mais completas e têm custos mais baixos do que os cursos de uma escola de línguas. Têm uma duração total de 660 horas, podendo ser feitos de forma intensiva ou em part-time. Além de ensinarem o alemão prático (para resolver problemas do dia a dia, como ir às compras, candidatar-se a um emprego, etc.), estes cursos de integração também incluem módulos opcionais sobre o sistema legal alemão e os direitos e deveres dos emigrantes. Estas formações podem ser acedidas de forma gratuita caso consiga provar que não tem possibilidade de pagar. O preço total é de aproximadamente 800, podendo ser pago em prestações, consoante as suas possibilidades económicas. Há vários cursos de integração por área. Consulte este site EN/WebGIS_Integrationskursort.html?nn= para descobrir qual a escola mais perto de sua casa. Para 29

24 Guia Prático do Emigrante preencher o formulário de candidatura ao curso, pode pedir ajuda diretamente na escola pretendida (que poderá disponibilizar-lhe o formulário). A escola envia-o depois, já preenchido, para o Departamento de Emigrantes e Refugiados. Para mais informações, consulte também o capítulo 2 (na página 18). Onde poderão os meus filhos estudar? Quanto a este assunto, as leis aplicáveis na Alemanha são as mesmas de todos os países na UE. Para mais informações, consulte também o capítulo 3.1 (na página 22). E se o meu filho nascer na Alemanha? A licença de maternidade pode durar até três anos e durante esse tempo a mulher recebe 80% do ordenado que tinha antes de nascer o bebé. Além deste valor, os pais ainda recebem um subsídio mensal por cada filho para garantir a sobrevivência da criança, com os seguintes valores: um filho corresponde a 77 ; dois, 220 ; três, 432 ; cada filho adicional representa um apoio de mais 200. Estes valores são pagos até as crianças completarem 18 anos. Existe também um subsídio de 1800, que o casal recebe nos primeiros 14 meses de vida do bebé. Que cuidados de saúde devo ter para emigrar para a Alemanha? Não se impõem quaisquer medidas de prevenção. A Alemanha dispõe de uma boa e extensa rede de estabelecimentos de saúde e hospitalares. Será prudente a subscrição de um seguro que cubra a assistência médica não contemplada pelo Cartão Europeu de Seguro de Doença e os eventuais custos de repatriamento sanitário. Encontra mais informações sobre o Cartão Europeu de Seguro de Saúde no capítulo 3.1 (na página 23). ESCOLAS MATERNIDADE SAÚDE 30

25 Europa dos Estados-membros FISCALIDADE SEGURANÇA SOCIAL HABILITAÇÕES CARRO Posso levar o meu carro? Sim, desde que o registe na Divisão de Registo de Veículos mais próxima e que tenha um seguro automóvel que seja válido na Alemanha. Quanto a este assunto, as leis aplicáveis na Alemanha são as mesmas que em todos os países da UE. Consulte o capítulo 3.1 (na página 23). O meu diploma é válido lá? Quanto a este assunto, as leis aplicáveis na Alemanha são as mesmas que em todos os países da UE. Para mais informações, consulte também o capítulo 3.1 (na página 24). Tenho de fazer descontos para a Segurança Social? Como trato disso? A Segurança Social alemã inclui o sistema nacional de saúde, cuidados de infância, segurança em caso de acidente, pensão e desemprego. A contribuição para o sistema de saúde é descontada do salário, numa percentagem de cerca de 7%. E os impostos? Se permanecer na Alemanha durante mais de seis meses por ano, pode passar a ser considerado residente fiscal desse país. Assim, poderá tributar a totalidade dos seus rendimentos na Alemanha (quer sejam provenientes ou não do seu trabalho), mesmo sendo auferidos em qualquer outra parte do mundo. As condições de vida são tidas em conta na altura de pagar impostos. Pessoas solteiras pagam mais impostos, mas se só auferirem até 8004 por ano estão isen tas deste pagamento, tal como os casais que ganharem menos de anualmente. Os casados com filhos têm mais regalias. Os impostos vão aumentando de acordo com o ordenado, ou seja: quem mais ganha, também paga mais. Para obter outras informações poderá consultar o site europa.eu/youreurope/citizens/work/abroad/taxes/germany/ employed_en.htm. 31

26 Guia Prático do Emigrante É fácil sair de Portugal sem trabalho e procurar estando já na Alemanha? O ideal é sair de Portugal já com um contrato de trabalho. Se não conseguir, não se esqueça de que tem de ter um bom pé-de-meia para conseguir suportar as despesas, principalmente de habitação, ou então conhecer algum amigo ou familiar que possa albergá-lo por uns tempos. Atualmente, as áreas nas quais existem mais vagas de emprego na Alemanha são enfermagem, obstetrícia, assistência a idosos, construção civil, metalurgia, publicidade e marketing, de acordo com os dados apresentados pela Comissão Europeia no site ec.europa.eu/eures. A Alemanha é um país seguro? Por norma, a Alemanha é um país seguro. Mesmo assim, nos grandes centros urbanos é importante manter as habituais precauções contra os furtos, principalmente nos transportes públicos, espaços comerciais e esplanadas. Como é o custo de vida na Alemanha? Depende de cidade para cidade. Munique, por exemplo, a nível de habitação, é das cidades mais caras do país. Um quarto de 20 metros quadrados nesta cidade pode chegar aos 450. Em Leipzig, outra cidade alemã, um quarto com o mesmo tamanho custa apenas 235. As casas ou quartos mais baratos estão fora de cidades como Munique e Berlim. Na alimentação há supermercados que vendem um litro de leite a 0,5 e um iogurte a 0,29, preços em conta e semelhantes aos portugueses. A rede de transportes é boa, mas pode chegar a custar 18,9 por semana. Os bilhetes diários custam entre 2 e 3, isto na cidade de Bremen. Os preços variam de cidade para cidade. SEGURANÇA TRABALHO CUSTO DE VIDA 32

27 Europa dos Estados-membros Testemunho Foi por amor que Susana, com 26 anos, emigrou. Em Portugal tinha trabalho, família e amigos. Mas não tinha o namorado. Não pôs na balança sentimentos, mas durante dois meses pensou no que seria melhor para si. E o melhor foi arrumar tudo numa mala e partir para Hamburgo, na Alemanha. Antes de deixar Portugal para trás, Susana sabia que o mais importante quando chegasse à sua nova vida era começar a aprender a língua. Contactou a escola que estava mais perto da sua futura área de residência e explicou a sua situação. «Perguntaram-me de que país vinha e disseram-me que ia começar um curso a 12 de agosto», conta. A professora do 1.º ciclo chegou à Alemanha a 1 de agosto de 2013 e pouco tempo depois dirigiu-se à escola com a qual já tinha estabelecido contacto. «Explicaram-me que o Estado alemão paga metade do meu curso de integração, pois existe um acordo com os países da UE.» Neste curso, Susana aprendeu não só a língua, como obteve também o conhecimento de questões culturais e políticas e da vida em sociedade. «Praticamente não precisei de tratar de nada. Forneci os meus dados e a fotocópia do passaporte, e o meu processo foi enviado ao governo alemão.» Se na sua antiga vida passava os dias a ensinar, agora passa-os a aprender. «Tenho quatro horas de alemão por dia, cinco dias por semana, e pago 1,2 por hora. Acaba por ser irrisório.» Aprender a língua é imprescindível para trabalhar na Alemanha. E, embora seja uma aluna aplicada, Susana sabe que o alemão não é uma língua fácil. «É o que está a custar-me mais na adaptação. É mesmo uma barreira. Terei de atingir o nível B1 para conseguir trabalho. No comércio e serviços há muitas pessoas que falam inglês, mas quando se trata de falar ao telefone ou de tratar de um assunto mais específico peço ao meu namorado, que fala alemão.» 33

ANEXOS. Decisão de Execução da Comissão

ANEXOS. Decisão de Execução da Comissão COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 4.9.2014 C(2014) 6141 final ANNEXES 1 to 4 ANEXOS da Decisão de Execução da Comissão que estabelece a lista de documentos comprovativos a apresentar pelos requerentes de visto

Leia mais

EURES: uma carreira na Europa

EURES: uma carreira na Europa EURES: uma carreira na Europa Delegação Regional do Algarve do IEFP - EURES Volta de Apoio ao Emprego III AGE - Albufeira,23-10-2014 EURES: encontrar um emprego na Europa Delegação Regional do Algarve

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado. Programa ERASMUS+ Acção-chave 1 Mobilidade para aprendizagem

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado. Programa ERASMUS+ Acção-chave 1 Mobilidade para aprendizagem ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado Programa ERASMUS+ Acção-chave 1 Mobilidade para aprendizagem GUIA DE CANDIDATURA PARA MOBILIDADE DE ESTUDANTES PARA ESTÁGIOS ERASMUS+ (SMP)

Leia mais

INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Mobilidade Internacional para Estudos REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade

Leia mais

solução BeM-vindo * (*) Oferta gratuita durante o 1º ano Toujours plus proche de ceux qui veulent aller plus loin.

solução BeM-vindo * (*) Oferta gratuita durante o 1º ano Toujours plus proche de ceux qui veulent aller plus loin. * solução BeM-vindo * (*) Oferta durante o 1º ano Toujours plus proche de ceux qui veulent aller plus loin. BCP Bem-vindo Descubra a nossa solução ** para recém-chegados ao Luxemburgo! Gestão conta corrente

Leia mais

Acesso à Educação para Filhos de Imigrantes Folheto Informativo

Acesso à Educação para Filhos de Imigrantes Folheto Informativo Acesso à Educação para Filhos de Imigrantes Folheto Informativo 1 INTRODUÇÃO O Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas em colaboração com o Secretariado Entreculturas elaborou esta brochura

Leia mais

Moving at labour market

Moving at labour market Moving at labour market Checklist Projecto financiado com o apoio da Comissão Europeia. A informação contida neste Website vincula exclusivamente o autor, não sendo a Comissão responsável pela utilização

Leia mais

E R A S M U S Guia do Estudante ERASMUS. Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Guia do Estudante

E R A S M U S Guia do Estudante ERASMUS. Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Guia do Estudante ERASMUS Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Guia do Estudante Normas Gerais A mobilidade de estudantes, uma das acções mais frequentes do Programa, inclui duas vertentes de actividade: realização

Leia mais

EURES: uma carreira na Europa

EURES: uma carreira na Europa EURES: uma carreira na Europa REDE EURES http://www.youtube.com/watch?v=-b-cf05oo7y&list=plw_7qqldjbjd-uce36bl25dpvwljlyxfq&index=93 Porquê ir para fora? MOTIVAÇÕES Perspetivas de emprego Enriquecimento

Leia mais

Erasmus Mundus Action 2. Fellow Mundus @ UAlg. Universidade do Algarve (UAlg) / Gabinete de Relações Internacionais (GRIM) / Erasmus Mundus, 2014/15

Erasmus Mundus Action 2. Fellow Mundus @ UAlg. Universidade do Algarve (UAlg) / Gabinete de Relações Internacionais (GRIM) / Erasmus Mundus, 2014/15 Erasmus Mundus Action 2 Fellow Mundus @ UAlg Universidade do Algarve (UAlg) / Gabinete de Relações Internacionais (GRIM) / Erasmus Mundus, 2014/15 Visto e Autorização de Residência Todos os bolseiros têm

Leia mais

Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa

Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa MOBILIDADE INTERNACIONAL PARA ESTUDOS REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional

Leia mais

PROGRAMA DE MOBILIDADE INTERNACIONAL COMO PARTICIPAR

PROGRAMA DE MOBILIDADE INTERNACIONAL COMO PARTICIPAR COMO PARTICIPAR Um dos aspectos mais importantes da mobilidade internacional é o conhecimento e convivência com outras culturas, sendo uma oportunidade única para sua qualificação através de experiências

Leia mais

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 Esclarecimentos de dúvidas/informações adicionais: Carolina Peralta/Isabel Silva Gabinete de Relações Internacionais - GRI Rua de Santa Marta, 47, 1º Piso sala 112-1169-023

Leia mais

Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13

Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13 Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Adoção (32 V4.07) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social,

Leia mais

GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pensão Social de Velhice (7009 v4.15) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR Centro

Leia mais

GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR CRIANÇAS E JOVENS

GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR CRIANÇAS E JOVENS Manual de GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR CRIANÇAS E JOVENS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/9 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Acolhimento Familiar Crianças

Leia mais

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estágio dos estudantes de Licenciatura

Leia mais

da Universidade Católica Portuguesa

da Universidade Católica Portuguesa Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa MOBILIDADE INTERNACIONAL PARA ESTUDOS REGULAMENTO Aprovado no Conselho Científico de 2 de julho de 2014 CAPÍTULO I Disposições

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO DO CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO DO CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO DO CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1 ÂMBITO 1. O presente Regulamento, submetido à aprovação da Fundação

Leia mais

Informações e instruções para os candidatos

Informações e instruções para os candidatos A preencher pelo candidato: Nome: Nº de inscrição: Documento de identificação: Nº: Local de realização da prova: A preencher pelo avaliador: Classificação final: Ass: Informações e instruções para os candidatos

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO E PSICOLOGIA

FACULDADE DE EDUCAÇÃO E PSICOLOGIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E PSICOLOGIA MOBILIDADE INTERNACIONAL PARA ESTUDOS REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estudos

Leia mais

FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio

FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio 1. Devo matricular-me na UAc mesmo indo para o estrangeiro? 2. Tenho de pagar propinas na UAc? 3. Tenho que pagar propinas na Universidade

Leia mais

Guia do Estudante Erasmus - Período de Estudos

Guia do Estudante Erasmus - Período de Estudos ESTE ANO VOU CONHECER NOVAS PESSOAS ESTE ANO VOU ALARGAR CONHECIMENTOS ESTE ANO VOU FALAR OUTRA LÍNGUA ESTE ANO VOU ADQUIRIR NOVAS COMPETÊNCIAS ESTE ANO VOU VIAJAR ESTE ANO VOU SER ERASMUS Guia do Estudante

Leia mais

GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pensão Social de Velhice (7009 v 09) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR Instituto

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015 ÍNDICE 1. Quem pode candidatar-se 3 2. Como candidatar-se 3 3. Opções de candidatura 5 4. Exames/Provas de ingresso 6 5. Pré-requisitos 7 6. Contingentes especiais 8 7. Preferências regionais 13 8. Preferências

Leia mais

wertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopas Guia Prático de Mobilidade dos dfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjkl

wertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopas Guia Prático de Mobilidade dos dfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjkl qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwert yuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopa sdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghj klçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxc vbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmq Gabinete de Relações Exteriores wertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwerty

Leia mais

Objectivos do Curso: Preparar os participantes para desenvolver novas valências pessoais no meio profissional;

Objectivos do Curso: Preparar os participantes para desenvolver novas valências pessoais no meio profissional; CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO/ESPECIALIZAÇÃO EMPREENDEDORISMO: NOVAS REALIDADES ANO LECTIVO: 2014/2015 Direcção do Curso: Doutora Ana Roque Objectivos do Curso: Preparar os participantes para desenvolver novas

Leia mais

EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL. Ano letivo de 2015/2016

EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL. Ano letivo de 2015/2016 EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL Ano letivo de 2015/2016 João Baptista da Costa Carvalho, Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), torna público a

Leia mais

AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO (ARI) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES 1. O que é o regime especial de Autorização de Residência para Atividade de Investimento (ARI)? O regime de ARI

Leia mais

Visto de Permanência Temporária

Visto de Permanência Temporária Visto de Permanência Temporária Documentos necessários: Requerimento fundamentado, dirigido à Missão Consular de Angola, a solicitar o Visto de Permanência Temporária, com assinatura reconhecida no Notário

Leia mais

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA Programa ERASMUS Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA 1. Quem se pode candidatar à mobilidade Erasmus para estudos?

Leia mais

Apoio Social à Maternidade e Paternidade

Apoio Social à Maternidade e Paternidade Apoio Social à Maternidade e Paternidade 2 Compete aos serviços de saúde proporcionar à mulher o conhecimento sobre as condições de apoio que o estado pode dar à prossecução da gravidez e à maternidade.

Leia mais

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA Programa ERASMUS Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA 1. Quem se pode candidatar à mobilidade Erasmus para estudos?

Leia mais

O que é o Voluntariado? O que é ser Voluntário? Quais são os meus direitos como voluntário? Quais são os meus deveres enquanto voluntário?

O que é o Voluntariado? O que é ser Voluntário? Quais são os meus direitos como voluntário? Quais são os meus deveres enquanto voluntário? Perguntas frequentes sobre o voluntariado e sobre todos os pontos importantes sobre o Festival, de forma a ficares esclarecido com todas as tuas dúvidas. O que é o Voluntariado? Voluntariado é um conjunto

Leia mais

INMOTION 2016 REGULAMENTO DO PROJETO

INMOTION 2016 REGULAMENTO DO PROJETO INMOTION 2016 REGULAMENTO DO PROJETO 2015 nemaac.net facebook.com/nem.academica geral@nemaac.net Regulamento Projeto de Voluntariado Internacional InMotion 1. Definições Gerais 1.1. Geral 1.1.1. O Departamento

Leia mais

DESPACHO SP/61/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA

DESPACHO SP/61/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA DESPACHO SP/61/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA Face à necessidade de ajustar o regime do Estudante Internacional do Instituto

Leia mais

Realizar exames supletivos com o apoio da representação diplomática brasileira

Realizar exames supletivos com o apoio da representação diplomática brasileira Propostas da Comunidade Brasileira na Bélgica para a II Conferência Brasileiros no mundo, Palácio do Itamaraty, Rio de Janeiro, dias 14, 15 e 16 de Outubro de 2009 Considerando os Documentos propositivos

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA CONSULADO GERAL DA REPÚBLICA DE ANGOLA PEDIDO DE VISTO TRABALHO PRIVILEGIADO PARA FIXAÇÃO DE RESIDÊNCIA

REPÚBLICA DE ANGOLA CONSULADO GERAL DA REPÚBLICA DE ANGOLA PEDIDO DE VISTO TRABALHO PRIVILEGIADO PARA FIXAÇÃO DE RESIDÊNCIA Vistos de Privilegiado Documentos necessários: Carta do interessado, dirigida à Missão Consular de Angola, a solicitar o visto, com assinatura reconhecida pelo Notário e visado por este Consulado; Formulário

Leia mais

VISTO DE PERMANÊNCIA TEMPORÁRIA

VISTO DE PERMANÊNCIA TEMPORÁRIA VISTO DE PERMANÊNCIA TEMPORÁRIA Documentos necessários: ESTRANG e O Ã E AÇ Requerimento fundamentado, dirigido à Missão Consular de Angola, a solicitar o Visto de Permanência Temporária, R G I com assinatura

Leia mais

A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA.

A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA. A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA. - RESULTADOS PRELIMINARES - Alina Esteves Ana Estevens Jornadas de Reflexão 29 de Maio A Realidade da Imigração em Odemira

Leia mais

Perguntas e respostas - FAQ sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados

Perguntas e respostas - FAQ sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados Perguntas e respostas - FAQ sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados 1. Pergunta: Quais são os dados que devem ser lidos antes de apresentar o pedido? Resposta: Devem ser lidos pormenorizadamente

Leia mais

Lista de verificação antes da partida. Apoio à Mobilidade Europeia para o Emprego

Lista de verificação antes da partida. Apoio à Mobilidade Europeia para o Emprego Apoio à Mobilidade Europeia para o Emprego Lista de verificação antes da partida This project has been funded with support from the European Commission. This document reflects the views only of the author,

Leia mais

Informações Gerais e orientações sobre ASSISTÊNCIA DE VIAGEM

Informações Gerais e orientações sobre ASSISTÊNCIA DE VIAGEM RECOMENDAÇÕES A BRASILEIROS QUE VIAJAM PARA O EXTERIOR Informações Gerais e orientações sobre ASSISTÊNCIA DE VIAGEM Faça uma viagem SEGURA Entenda o produto Assistência Viagem. Situações inesperadas podem

Leia mais

Ministério Federal do Trabalho e dos Assuntos Sociais

Ministério Federal do Trabalho e dos Assuntos Sociais Ministério Federal do Trabalho e dos Assuntos Sociais Directiva para o programa especial da Federação Alemã para o Fomento da mobilidade profissional de jovens interessados em formação e jovens profissionais

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL Parceria: ESTBarreiro/IPS - ISE/UAlg

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL Parceria: ESTBarreiro/IPS - ISE/UAlg REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL Parceria: ESTBarreiro/IPS - ISE/UAlg PREÂMBULO O Decreto Lei n.º 74/2006, de 24 de março, alterado pelos Decretos Lei n. os 107/2008, de 25 de Junho,

Leia mais

Parentalidade. Bom para os pais, melhor para os filhos. Licença parental até 6 meses (se partilhada entre pai e mãe).

Parentalidade. Bom para os pais, melhor para os filhos. Licença parental até 6 meses (se partilhada entre pai e mãe). Parentalidade Bom para os pais, melhor para os filhos. Licença parental até 6 meses (se partilhada entre pai e mãe). Adopção equiparada à licença parental. Trabalhadores independentes com direitos alargados.

Leia mais

Apoio Social à Maternidade e Paternidade

Apoio Social à Maternidade e Paternidade Apoio Social à Maternidade e Paternidade Compete aos serviços de saúde proporcionar à mulher o conhecimento sobre as condições de apoio que o estado pode dar à prossecução da gravidez e à maternidade.

Leia mais

SITUAÇÕES ESPECIAIS. Formação de Voluntários em Saúde. savlita 2015/16 DURAÇÃO DO CURSO OUTUBRO

SITUAÇÕES ESPECIAIS. Formação de Voluntários em Saúde. savlita 2015/16 DURAÇÃO DO CURSO OUTUBRO Universidade Católica Portuguesa - savlita SITUAÇÕES ESPECIAIS DURAÇÃO DO CURSO OUTUBRO 2015 a JUNHO 2016 ESTRUTURA DO CURSO Módulo 1 Voluntariado e Identidade Módulo 2 A saúde e a doença Módulo 3 Questões

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 14/2015 de 23 de Janeiro de 2015

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 14/2015 de 23 de Janeiro de 2015 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 14/2015 de 23 de Janeiro de 2015 Considerando os objetivos do Governo dos Açores em promover, na Região, um conhecimento especializado de temáticas

Leia mais

Regulamento Erasmus 2011/2012

Regulamento Erasmus 2011/2012 1. Preâmbulo O Programa Erasmus tem como objetivo geral apoiar a criação de um Espaço Europeu de Ensino Superior e reforçar o contributo do ensino superior para, entre outros, o processo de inovação a

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DIRECÇÃO NACIONAL DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA PRIVADA

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DIRECÇÃO NACIONAL DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA PRIVADA 300.35.01 Segurança Privada CIRCULAR N.º 7/SP/2014 07-04-2014 ASSUNTO: RECONHECIMENTO E EQUIVALÊNCIA DAS FORMAÇÕES OBTIDAS NO ESTRANGEIRO PARA AS CATEGORIAS PROFISSIONAIS DE VIGILANTE E DIRETOR DE SEGURANÇA

Leia mais

DIVISÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E COESÃO SOCIAL SETOR SERVIÇOS EDUCATIVOS

DIVISÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E COESÃO SOCIAL SETOR SERVIÇOS EDUCATIVOS DIVISÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E COESÃO SOCIAL SETOR SERVIÇOS EDUCATIVOS EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR ANO LETIVO 2015/2016 I APRESENTAÇÃO A educação pré-escolar contribui de forma significativa para o desenvolvimento

Leia mais

ESTAGIAR NA UNIÃO EUROPEIA OU NUMA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

ESTAGIAR NA UNIÃO EUROPEIA OU NUMA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL ESTAGIAR NA UNIÃO EUROPEIA OU NUMA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL PORQUÊ UM ESTÁGIO experiência única de trabalho em ambiente multicultural e multilingue conhecimento prático do funcionamento das instituições

Leia mais

UAL. Objectivos do Curso: proporcionar conhecimentos especializados nas mais diversas áreas do Direito do Desporto.

UAL. Objectivos do Curso: proporcionar conhecimentos especializados nas mais diversas áreas do Direito do Desporto. PÓS-GRADUAÇÃO/ESPECIALIZAÇÃO DIREITO E ORGANIZAÇÃO DO DESPORTO ANO LECTIVO: 2014/2015 Coordenação do Curso: Mestre Helena Tomaz Objectivos do Curso: proporcionar conhecimentos especializados nas mais diversas

Leia mais

UAL. Destinatários: Licenciados e não licenciados; profissionais com experiência como quadro médio/superior ou

UAL. Destinatários: Licenciados e não licenciados; profissionais com experiência como quadro médio/superior ou CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO/ESPECIALIZAÇÃO DIREITO DA EMPRESA E NEGÓCIOS INTERNACIONAIS ANO LECTIVO: 2014/2015 Coordenação Científica do Curso: Doutora Ana Roque, e CNPD Objectivos: Proporcionar formação especializada

Leia mais

Regulamento de Admissão às Licenciaturas da Faculdade de Economia e Gestão

Regulamento de Admissão às Licenciaturas da Faculdade de Economia e Gestão Regulamento de Admissão às Licenciaturas da Faculdade de Economia e Gestão Artigo 1º Âmbito e Disposições Gerais 1. O presente Regulamento é aplicável às candidaturas aos cursos de Licenciatura da Faculdade

Leia mais

Nacionalidade Portuguesa Folheto Informativo

Nacionalidade Portuguesa Folheto Informativo Nacionalidade Portuguesa Folheto Informativo Lei da Nacionalidade Portuguesa Lei nº 37/81, de 3 de Outubro, com as alterações introduzidas pela Lei nº 25/94, 19 de Agosto Regulamento da Nacionalidade Portuguesa

Leia mais

Regulamento. Foremor

Regulamento. Foremor Regulamento Foremor Preâmbulo O presente projeto decorre de uma candidatura realizada pela MARCA ADL ao programa ERASMUS+, no âmbito da KA1 Learning Mobility for Individuals e está integrada numa iniciativa

Leia mais

GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Cartão Europeu de Seguro de Doença (N 39 - v4.14) PROPRIEDADE Instituto da Segurança

Leia mais

MARIA JOSÉ BANHA DEZ/ 2014 TRABALHO REALIZADO POR: PAULO ELIAS

MARIA JOSÉ BANHA DEZ/ 2014 TRABALHO REALIZADO POR: PAULO ELIAS FORMADORA: MARIA JOSÉ BANHA DEZ/ 2014 TRABALHO REALIZADO POR: MARIA ANTÓNIA PAULO ELIAS SEGURANÇA SOCIAL A Segurança Social Portuguesa está sob a tutela do Ministério da Solidariedade e da Segurança Social

Leia mais

Regulamento de Bolsas do CCMar

Regulamento de Bolsas do CCMar Regulamento de Bolsas do CCMar CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aprovado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia ao abrigo do Decreto-Lei nº 123/99, de 20 de Abril,

Leia mais

GUIA PRÁTICO PEDIDO DE PENSÃO COM APLICAÇÃO DE INSTRUMENTOS INTERNACIONAIS INVALIDEZ, VELHICE E MORTE

GUIA PRÁTICO PEDIDO DE PENSÃO COM APLICAÇÃO DE INSTRUMENTOS INTERNACIONAIS INVALIDEZ, VELHICE E MORTE GUIA PRÁTICO PEDIDO DE PENSÃO COM APLICAÇÃO DE INSTRUMENTOS INTERNACIONAIS INVALIDEZ, VELHICE E MORTE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Pág. 1/17 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pedido de

Leia mais

3 - Seleccionar e responder a Anúncios de Emprego ou redigir uma Carta de Candidatura Espontânea.

3 - Seleccionar e responder a Anúncios de Emprego ou redigir uma Carta de Candidatura Espontânea. Mercado de Emprego Etapas a Percorrer 1 - Estabelecer o Perfil Profissional Fazer a avaliação de si mesmo: - Competências - Gostos - Interesses Elaboração de uma lista do tipo de empregos que correspondem

Leia mais

FORMULÁRIO VOLUNTÁRIOS

FORMULÁRIO VOLUNTÁRIOS A Fundação Realizar Um Desejo é uma fundação portuguesa integrada na rede da Make-A-Wish International que tem como principal objectivo o desenvolvimento de actividades no âmbito da solidariedade social.

Leia mais

VISTO DE FIXAÇÃO E RESIDÊNCIA. e Residência, com assinatura reconhecida no Notário e visado por este Consulado;

VISTO DE FIXAÇÃO E RESIDÊNCIA. e Residência, com assinatura reconhecida no Notário e visado por este Consulado; VISTO DE FIXAÇÃO E RESIDÊNCIA Documentos necessários: ESTRANG e O Ã E AÇ Carta do requerente, devidamente fundamentada, dirigida à Missão Consular de Angola, a solicitar o Visto de Fixação R G I IRO e

Leia mais

EMBAIXADA DE PORTUGAL PRAIA SECÇÃO CONSULAR VISTOS DE ESTUDO 2015/16. Informações Gerais:

EMBAIXADA DE PORTUGAL PRAIA SECÇÃO CONSULAR VISTOS DE ESTUDO 2015/16. Informações Gerais: S. R. EMBAIXADA DE PORTUGAL PRAIA SECÇÃO CONSULAR Fevereiro/2015 VISTOS DE ESTUDO 2015/16 Informações Gerais: Fases do processo 1. Envio de listas com indicação dos candidatos: Enviadas até 10 de Julho;

Leia mais

S. R. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR

S. R. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR Regulamento de Formação Avançada e Qualificação de Recursos Humanos da Direção-Geral do Ensino Superior (Aprovado por despacho, de 15 de junho de 2012, do Presidente do Conselho Diretivo da Fundação para

Leia mais

Anúncio de concurso. Serviços

Anúncio de concurso. Serviços 1/9 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:213932-2013:text:pt:html B-Bruxelas: Serviços de especialização de médico-assistente e de dentista-assistente junto dos

Leia mais

FAQ As perguntas mais freqüentes sobre o Incoming (Serviço voluntário na Alemanha)

FAQ As perguntas mais freqüentes sobre o Incoming (Serviço voluntário na Alemanha) 7139 Karlsruhe Tel.: +49 (0)721/ 35480-120, -128 FAQ As perguntas mais freqüentes sobre o Incoming (Serviço voluntário na Alemanha) Perguntas gerais Na verdade eu que eu quero é estudar na Alemanha. O

Leia mais

REGULAMENTO ACADÉMICO. VI. Mobilidade internacional REG-001/V00

REGULAMENTO ACADÉMICO. VI. Mobilidade internacional REG-001/V00 Mobilidade de Estudos 1. Objeto O presente Regulamento define as regras de Mobilidade de Estudantes ao abrigo dos Programas Garcilaso (Laureate International Universities) e de Aprendizagem ao Longo da

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL PLANO DE EMERGÊNCIA SOCIAL CAMINHA SOLIDÁRIA

REGULAMENTO MUNICIPAL PLANO DE EMERGÊNCIA SOCIAL CAMINHA SOLIDÁRIA REGULAMENTO MUNICIPAL PLANO DE EMERGÊNCIA SOCIAL CAMINHA SOLIDÁRIA APROVADO EM REUNIÃO DE CÂMARA DE 12 DE JUNHO DE 2013 ÍNDICE Preâmbulo Artigo 1.º - Âmbito Artigo 2.º - Objetivo Artigo 3.º - Condições

Leia mais

Programa Municipal de Intervenção Vocacional EU PERTENÇO AO MEU FUTURO 12º ANO

Programa Municipal de Intervenção Vocacional EU PERTENÇO AO MEU FUTURO 12º ANO Programa Municipal de Intervenção Vocacional EU PERTENÇO AO MEU FUTURO 12º ANO FAQ s - Lista de Questões Frequentes 1 - Já escolhi o curso superior que quero frequentar. Devo ainda assim inscrever-me no

Leia mais

Câmara Municipal de Cuba

Câmara Municipal de Cuba Câmara Municipal de Cuba Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo para Cursos do Ensino Superior CAPITULO 1 Artigo 1 Âmbito 1. O presente Regulamento tem como lei habilitante a Lei n 169/99,

Leia mais

EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CANADÁ

EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CANADÁ EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CANADÁ Se você tem pesquisado sobre imigração para o Canadá, certamente já leu ou ouviu em vários lugares que estudar no país é uma das melhores formas de aumentar as chances de sucesso

Leia mais

Protocolo Bilateral entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República de Angola sobre Facilitação de Vistos. Artigo 1.

Protocolo Bilateral entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República de Angola sobre Facilitação de Vistos. Artigo 1. Protocolo Bilateral entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República de Angola sobre Facilitação de Vistos Artigo 1.º (Objecto) O presente Protocolo tem por objecto a criação de um mecanismo

Leia mais

GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR PESSOAS IDOSAS E ADULTAS COM DEFICIÊNCIA

GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR PESSOAS IDOSAS E ADULTAS COM DEFICIÊNCIA Manual de GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR PESSOAS IDOSAS E ADULTAS COM DEFICIÊNCIA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/8 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Acolhimento

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO. Decreto n. o 4 /2004 de 7 de Maio REGULARIZAÇÃO DE ESTRANGEIROS EM TERRITÓRIO NACIONAL

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO. Decreto n. o 4 /2004 de 7 de Maio REGULARIZAÇÃO DE ESTRANGEIROS EM TERRITÓRIO NACIONAL REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO Decreto n. o 4 /2004 de 7 de Maio REGULARIZAÇÃO DE ESTRANGEIROS EM TERRITÓRIO NACIONAL A Lei de Imigração e Asilo N. 9/2003 de 15 de Outubro (LIA), veio definir

Leia mais

Luxemburgo-Luxemburgo: Serviços de tradução AMI14/AR-RU 2014/S 059-098331. Convite à manifestação de interesse

Luxemburgo-Luxemburgo: Serviços de tradução AMI14/AR-RU 2014/S 059-098331. Convite à manifestação de interesse 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:98331-2014:text:pt:html Luxemburgo-Luxemburgo: Serviços de tradução AMI14/AR-RU 2014/S 059-098331 Convite à manifestação

Leia mais

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário Universidade de Coimbra Grupo de Missão para o Espaço Europeu do Ensino Superior Glossário ACÇÃO CENTRALIZADA Procedimentos de candidatura em que a selecção e contratação são geridas pela Comissão. Regra

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA A Portaria n.º 401/2007, de 5 de abril, aprovou o Regulamento

Leia mais

REGULAMENTO. Estudante Internacional

REGULAMENTO. Estudante Internacional Estudante Internacional REGULAMENTO Elaboradopor: Aprovado por: Versão Gabinete de Apoio à Reitoria Reitor 1.1 Revisto e confirmadopor: de Aprovação Inicial Secretario Geral 11 de Agosto 2014 de aplicação

Leia mais

QUAL O NOSSO OBJECTIVO ESSENCIAL? O

QUAL O NOSSO OBJECTIVO ESSENCIAL? O QUEM SOMOS NÓS?! Somos Portugueses que, no passado, viveram no estrangeiro, como Emigrantes. Hoje, alguns de nós, ainda possuem familiares nessas condições... Ao longo dos anos sentimos grandes dificuldades,

Leia mais

Golden Residence Permit Program BES IMÓVEIS AREA GESTÃO IMOBILIÁRIA

Golden Residence Permit Program BES IMÓVEIS AREA GESTÃO IMOBILIÁRIA Golden Residence Permit Program BES IMÓVEIS AREA GESTÃO IMOBILIÁRIA Em que consiste, razões para a existência do programa e benefício principal Quem pode beneficiar do programa Como beneficiar do programa

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MORA REGULAMENTO PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MORA REGULAMENTO PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MORA REGULAMENTO PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO No âmbito da sua ação sócio-cultural e educacional, a Santa Casa da Misericórdia de Mora decidiu atribuir bolsas de estudo

Leia mais

C1 C2 C3 C4 C5 C6 a) 6 2 1 2 1. Licenciatura em Design a) 20 8 10 14 8

C1 C2 C3 C4 C5 C6 a) 6 2 1 2 1. Licenciatura em Design a) 20 8 10 14 8 EDITAL 1º Ciclo de Estudos - Ano Letivo 2015/2016 Concurso para os regimes de Reingresso, Mudança de Curso, Transferência, e Concursos Especiais de Ingresso (titulares de curso médio ou superior e maiores

Leia mais

REGULAMENTO DAS BOLSAS CENTRO CIENTÍFICO E CULTURAL DE MACAU. CAPITULO I Disposições Gerais. Artigo 1º Âmbito

REGULAMENTO DAS BOLSAS CENTRO CIENTÍFICO E CULTURAL DE MACAU. CAPITULO I Disposições Gerais. Artigo 1º Âmbito REGULAMENTO DAS BOLSAS CENTRO CIENTÍFICO E CULTURAL DE MACAU CAPITULO I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aprovado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia ao abrigo da Lei

Leia mais

HOPE PORTUGAL. Regulamento do Programa de Intercâmbio

HOPE PORTUGAL. Regulamento do Programa de Intercâmbio HOPE PORTUGAL Regulamento do Programa de Intercâmbio Disposições aplicáveis 1- Os procedimentos e normas que regem o programa acima referido e abaixo denominado Intercâmbio, constam do presente documento,

Leia mais

Dúvidas Frequentes sobre o programa Ciência Sem Fronteiras. Coordenação Institucional do programa Ciência sem Fronteiras na UFRJ

Dúvidas Frequentes sobre o programa Ciência Sem Fronteiras. Coordenação Institucional do programa Ciência sem Fronteiras na UFRJ Dúvidas Frequentes sobre o programa Ciência Sem Fronteiras Coordenação Institucional do programa Ciência sem Fronteiras na UFRJ Texto: Paulo Henrique Schau Guerra Colaboração: Erika Noel Ribas Dantas,

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE S. JOSÉ DE CLUNY REGULAMENTO DOS DIREITOS ESPECIAIS DOS ESTUDANTES. Capítulo I. Artigo 1º. Âmbito de aplicação

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE S. JOSÉ DE CLUNY REGULAMENTO DOS DIREITOS ESPECIAIS DOS ESTUDANTES. Capítulo I. Artigo 1º. Âmbito de aplicação ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE S. JOSÉ DE CLUNY REGULAMENTO DOS DIREITOS ESPECIAIS DOS ESTUDANTES O presente regulamento concentra e sistematiza os diversos direitos especiais dos estudantes, decorrentes

Leia mais

Questionário: Imagens do (Ensino) Português no Estrangeiro

Questionário: Imagens do (Ensino) Português no Estrangeiro Questionário: Imagens do (Ensino) Português no Estrangeiro Pretende se com este questionário conhecer a sua opinião sobre o (Ensino do) Português no Estrangeiro. Não existem respostas certas ou erradas.

Leia mais

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:215101-2013:text:pt:html

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:215101-2013:text:pt:html 1/8 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:215101-2013:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Apoio no âmbito do trabalho preparatório de medidas de conceção ecológica

Leia mais

0HUFDGR LQWHUQR D &RPLVVmR ODQoD VHUYLoRV JUDWXLWRV GH DFRQVHOKDPHQWR H UHVROXomR GH SUREOHPDVGHVWLQDGRVDRVFLGDGmRVHjVHPSUHVDV

0HUFDGR LQWHUQR D &RPLVVmR ODQoD VHUYLoRV JUDWXLWRV GH DFRQVHOKDPHQWR H UHVROXomR GH SUREOHPDVGHVWLQDGRVDRVFLGDGmRVHjVHPSUHVDV ,3 Bruxelas, 22 de Julho de 2002 0HUFDGR LQWHUQR D &RPLVVmR ODQoD VHUYLoRV JUDWXLWRV GH DFRQVHOKDPHQWR H UHVROXomR GH SUREOHPDVGHVWLQDGRVDRVFLGDGmRVHjVHPSUHVDV 'HIURQWDVH FRP SUREOHPDV SDUD ID]HU UHFRQKHFHU

Leia mais

ERASMUS+ (KA1) - AÇÃO-CHAVE 1

ERASMUS+ (KA1) - AÇÃO-CHAVE 1 ERASMUS+ (KA1) - AÇÃO-CHAVE 1 mobilidade para a aprendizagem - uma ponte para o futuro - 1. o que é o Erasmus+? ação-chave 1 mobilidade individual para fins de aprendizagem ação-chave 2 cooperação para

Leia mais

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade

Leia mais

Formulário de Candidatura ao Fundo Social de Emergência (FSE) do ano letivo /

Formulário de Candidatura ao Fundo Social de Emergência (FSE) do ano letivo / Campus de Gualtar 4710-057 Braga P I - identificação e residência Nome: Formulário de Candidatura ao Fundo Social de Emergência (FSE) do ano letivo / Nº de aluno: Data de nascimento / / Estado civil: Sexo:

Leia mais

PROGRAMA RESPONSABILIDADE SOCIAL EDUCAÇÃO. Regulamento do Programa de Bolsas de Educação. Introdução

PROGRAMA RESPONSABILIDADE SOCIAL EDUCAÇÃO. Regulamento do Programa de Bolsas de Educação. Introdução PROGRAMA RESPONSABILIDADE SOCIAL EDUCAÇÃO Regulamento do Programa de Bolsas de Educação Introdução Considerando a importância e oportunidade do Programa de Responsabilidade Social do Comité Olímpico de

Leia mais

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS Programa ERASMUS Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS FORMALIZAÇÃO DA CANDIDATURA 1. Quais são os prazos para formalizar a candidatura?

Leia mais

2.1. As inscrições deverão ser realizadas através do preenchimento do formulário de inscrição previsto no seguinte link:

2.1. As inscrições deverão ser realizadas através do preenchimento do formulário de inscrição previsto no seguinte link: A FACULDADE ESTÁCIO DA AMAZÔNIA ESTÁCIO ATUAL, campus Boa Vista divulga processo seletivo para formação de cadastro de reserva para o cargo de Professor para o(s) curso(s) de graduação e/ou graduação tecnológica.

Leia mais

VISTO DE TRATAMENTO MÉDICO

VISTO DE TRATAMENTO MÉDICO VISTO DE TRATAMENTO MÉDICO Documentos necessários: ESTRANG e O Ã E AÇ Carta do interessado, dirigida à Missão Consular de Angola, a solicitar o Visto de Tratamento Médico, com assinatura R G I reconhecida

Leia mais