Curso Intermediário de Propriedade Intelectual:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso Intermediário de Propriedade Intelectual:"

Transcrição

1 Curso Intermediário de Propriedade Intelectual: Técnicas de prospecção de informação tecnológica em bases de patentes JULIANA ANDRADE MARIANA ANTENOR VICENTE OLSEN Bolsistas da REDENIT-CE (UECE/PROPLAN/NIT).

2 OBJETIVOS Estudar a estrutura do documento de patente; Apresentar a Classificação Internacional de Patentes e expor seu manuseio; Mostrar as principais bases de patentes gratuitas; Proporcionar a possibilidade de os participantes realizarem buscas em bancos de patentes gratuitas. Apresentar modelos de relatórios para subsídio aos pesquisadores e dos NITs.

3 PRÉ-REQUISITOS Conhecimentos básicos em Propriedade Intelectual; Conhecimento básico em língua inglesa.

4 INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA

5 INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA É todo tipo de conhecimento sobre tecnologias de fabricação, de projeto e de gestão que favoreça a melhoria contínua da qualidade e a inovação no setor produtivo. Fonte: Glossário Geral da Ciência da Informação. Brasília: CID/UNB, 2004.

6 Importância INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA Pesquisa e Desenvolvimento Avaliação do estado da técnica de uma tecnologia, evitando-se esforços e investimentos duplicados em P&D. Maturidade tecnológica Avaliação dos estágios de desenvolvimento da Tecnologia. Recurso estratégico para as empresas Necessidade de possuir e acessar informações estratégicas para obter vantagens competitivas e permanecer no mercado: Suporte para decisões legais (patenteabilidade, [in]validade, Liberdade de operação); Suporte para decisões de negócios (Produtos protegidos existentes, identificação de novos e futuros produtos, portfólio de comparação, avaliação da área); Bens Intangíveis não possuem existência física e são baseados no conhecimento.

7 INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA Onde Procurar? Revelada em feiras, eventos, congressos etc. e no próprio mercado; Mantidas em Sigilo; Revelada em artigos científicos e técnicos; Revelada no sistema de Propriedade Industrial (patentes, modelos de utilidade...); Referências Bibliográficas. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

8 A PATENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA POR QUE PATENTES? Suficiência descritiva: Art. 24 (Lei 9.279/96 LPI) - O relatório deverá descrever clara e suficientemente o objeto, de modo a possibilitar sua realização por técnico no assunto e indicar, quando for o caso, a melhor forma de execução. Descreve com clarividência: Reprodutibilidade. Abrangência em diversos campos do conhecimento: informações recente sobre o estado da técnica de diversas tecnologias.

9 Vantagens do Sistema de Patente Conforme a Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), mais de 70-80% da Informação Tecnológica no mundo somente pode ser encontrada em documentos de patente; Crescimento anual aproximado de documentos de patentes no mundo Possibilidade de identificar Tecnologias Alternativas. Identificação de tecnologias emergentes: futuras tendências e previsões de mercado. Fundamentação para investimentos: negociação de tecnologias e serviços. Análise de validade: disponibilidade e liberdade de operação nos diversos mercados (no Brasil, nos EUA, no Mundo). Fonte: Informação Tecnológica. Curso Básico de Capacitação em propriedade Intelectual para NITs. INPI, 2007.

10 Vantagens do Sistema de Patente Conteúdo: Suficiente para que um profissional da área técnica da invenção consiga realizála; Formato: Dados bibliográficos com campos específicos numerados de forma organizada e sistemática; Atualidade: Contém a informação mais recente em relação ao estado da técnica. Fonte: Informação Tecnológica. Curso Básico de Capacitação em propriedade Intelectual para NITs. INPI, 2007.

11 Fonte: curso P&G, Art and Scince of Patent Reserch. Landon IP, FORTEC, Fonte: Curso Fortec 2011, Landon IP Nível de Organização Nível de uniformidade no formato Nível de acessibilidade Nível de consolidação Literatura de Patentes Alto Alto Alto Alto literatura de grau acadêmico/ dissertações Médio Médio Médio Baixo Literatura Industrial Baixo Baixo Baixo Baixo Informações de mercado Informações financeiras Médio Médio Médio Médio Médio Médio Médio Médio Legislatura/leis Médio Médio Médio Médio Press Releases/notícias Médio / baixo Baixo Médio Baixo Literatura de produtos (?)/Manuais Baixo Muito Baixo Muito Baixo Muito Baixo

12 Estatísticas europeias Estudo feito na Alemanha concluiu que os custos de P&D poderiam ser reduzidos em 30%, caso a informação técnica disponível fosse utilizada. Segundo estimativa da Organização Britânica de Patentes, 20 bilhões de libras por ano são desperdiçadas na Comunidade Europeia devido a invenções duplicadas. Fonte: Organização de Patentes da Áustria apud Curso Básico de Capacitação em propriedade Intelectual para NITs. INPI, 2007.

13 Limitação da Busca A principal limitação da busca é a fase de sigilo dos documentos. Qualquer base de dados ou ferramenta de busca utilizada vai recuperar apenas documentos que já tenham sido publicados (18 meses após o pedido de depósito).

14 Tipos de Busca Patenteamento busca por assunto, em documentação nacional e internacional; Exploração busca territorial; por assunto ou família de patentes; Oposição/nulidade/validade por assunto, em documentação nacional e internacional; Prospecção Tecnológica mapeamento da evolução/maturidade de uma tecnologia, identificação de mercados, rastreamento de capacitação tecnológica, orientação para pesquisas busca por assunto, inventor, depositante etc.; territorial ou não, dependendo do objetivo. Fonte : LabLaser/IQ/UFBA & NIT/Coord. Inovação/UFBA

15 Diversos Tipos de Busca Prospecção Tecnológica Forecasting / Foresight (previsão e providência); Future Studies; Futuribles (qual o futuro possível daquela tecnologia?); Technology Watch (assistência tecnológica); Prospectiva; Technology Assessment (Avaliação de Tecnologia); Busca de Anterioridade Prognóstico Previsão Monitoramento tecnológico Vigilância Tecnológica Fonte : LabLaser/IQ/UFBA & NIT/Coord. Inovação/UFBA

16 DOCUMENTO DE PATENTE Status do Documento de Patente Pedido de patente publicado; Pedido de patente pendente; Patente já em vigor; Patente extinta.

17 O DOCUMENTO DE PATENTE Estratégias Básicas 1. Informações bibliográficas (folha de rosto); 2. Relatório descritivo; 3. Reivindicações; 4. Desenhos (se necessário); 5. Resumo.

18 Documentos de Publicação do Pedido de Patente

19 Documentos de Publicação de Pedido de Patente USPTO (EUA) WIPO (OMPI) EPO (UE)

20 Dados Bibliográficos Dados identificadores do documento que seguem padronização internacional. Estratégias de busca: 1.1 Códigos INID; 1.2 Classificação Internacional de Patentes (CIP).

21 1.1 Códigos INID (International Numbers for the Identification of Data). => Facilitam a identificação dos dados bibliográficos, mesmo em língua estrangeira não compreensível. => Estes códigos identificam todas as informações que constam da primeira página, ou folha de rosto, como: (11) Número do documento de patente; (12) A linguagem utilizada no documento; (19) Identificação do País; (21) Número de depósito; (30) Datas de prioridade.

22 1.1 Códigos INID(Cont.): Códigos INID de Indicação de datas: (22) Data de depósito da solicitação; (32) Data do depósito da primeira solicitação (prioridade); (41) a (44) Referem-se a documentos de patentes publicados (examinados ou não), mas que ainda não tem a decisão final (concessão ou não da patente); (43) Data da publicação; (45) Data da concessão da patente.

23 1.1 Códigos INID(Cont.): Códigos INID para Informações técnicas: (12) Tipo de solicitação de proteção (MU, PI...) (21) Código de classificação da patente; (51) Classificação Internacional de Patente (IPC); (52) Classificação Nacional de patente; (54) Título da Invenção; (55) Palavras-chaves utilizadas na pesquisa; (56) Lista de documentos anteriores citados pelo depositante (pode auxiliar no exame) ou encontrados pelo examinador de patentes durante a busca para exame; (57) Resumo do conteúdo do documento.

24 1.1 Códigos INID(Cont.): Códigos INID para Identificação das partes relacionadas: (71) Nome do depositante (quem recebeu a patente); (72) Nome do inventor, se conhecido; (73) Nome de quem detém os direitos sobre a patente; (74) Nome do procurador ou agente; (75)Nome do inventor, quando for também o depositante.

25 Inserir a folha de rosto com os códigos INID destacados

26 1.2 Classificação Internacional de Patentes CIP BUSCAS EM BASES DE PATENTES Histórico A Classificação Internacional de Patentes (CIP) teve suas primeiras discussões por volta de O Texto da primeira edição da CIP foi estabelecido de acordo com a Convenção Européia para a Classificação Internacional de Patentes, em A primeira edição é datada de Fonte: Curso Básico de PI.INPI, 2007.

27 1.2 Classificação Internacional de Patentes CIP BUSCAS EM BASES DE PATENTES Internacionalizado em 1971, no Acordo de Estrasburgo; Base de investigação do estado da técnica; => Ferramenta de busca e recuperação de documentos de patente; => Organização dos documentos de patente, facilitando o acesso às informações tecnológicas. Base para a elaboração de estatísticas sobre Propriedade Industrial, permitindo a avaliação do desenvolvimento tecnológico em diversas áreas, etc. => Revisões peritos da OMPI: Periodicidade: 3 meses (avançado), 3 anos (básico); => Incorporação de novas tecnologias; => Eliminação de erros.

28 As patentes estão indexadas BUSCAS EM pela BASES Classificação DE PATENTES Internacional de Patentes (CIP, em português e IPC, em inglês): Há um critério objetivo que possibilita o acesso às tecnologias Exemplo: O que procuro? 1) Desejo acessar todas as patentes que falam sobre pneus; 2) Existe uma classificação determinada para pneus; 3) Não sou obrigado a aprender como se escreve pneu em turco: Simplesmente utilizo a CIP como critério para obter estes documentos. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

29 Classificação Internacional BUSCAS de EM Patentes BASES DE (8ª PATENTES Edição) Estrutura hierárquica: Seções Subseções Classes Subclasses Grupos Subgrupos Fonte: Curso Básico de PI.INPI, 2007.

30 Classificação Internacional de Patentes (8ª Edição) BUSCAS EM BASES DE PATENTES Estrutura Atual: 8 Seções: grandes áreas técnicas 21 Subseções 120 Classes 628 Subclasses Grupos Fonte: Curso Básico de PI.INPI, 2007.

31 Classificação Internacional de Patentes (8ª Edição) BUSCAS EM BASES DE PATENTES 8 seções, divididas em: A. Necessidades humanas; B. Operações de processamento, Transporte; C. Química e metalurgia; D. Têxteis e papel; E. Construções fixas; F. Engenharia mecânica, iluminação, aquecimento, armas, explosão; G. Física; H. Eletricidade.

32 Campo de Busca da WIPO: seções.

33 Classificação Internacional de Patentes CIP SUBDIVISÕES 8 seções do conhecimento, que estão divididas em subseções, classes, subclasses, grupos e subgrupos, conforme mostra o exemplo a seguir: EXEMPLO 1: A 01 J 15/26 Manufatura de Manteiga; Instrumentos combinados para separar, desnatar e bater. SEÇÃO: A (Necessidades Humanas) SUBSEÇÃO: Agricultura CLASSE: A01 (Agricultura, Silvicultura, Pecuária, Caça,Pesca) SUB-CLASSE: A01J (Manufatura de produtos laticínios) GRUPO: A01J 15/00 (Manufatura de manteiga) SUB-GRUPO: A01J 15/26 (Instrumentos combinados para separar, desnatar e bater) EXEMPLO 2: C 02 F 9 / 00 H2 SEÇÃO: C (Química; Metalurgia) SUBSEÇÃO: Química CLASSE: C02 (Química/Metalurgia; Tratamento da água, águas residuais, esgoto ou lodo); SUB-CLASSE: C02F (Tratamento de água, de águas residuais, esgoto ou lodo; Tratamento de água, desperdício, esgoto ou lodo); GRUPO: C02F 9/(Tratamento em múltiplos estágios da água, águas residuais ou esgoto); SUB-GRUPO: C02F 9/00; Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patentes. InovaNIT/UNICAMP, 2010.

34 Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patentes. InovaNIT/UNICAMP, 2010.

35 Destaque para a seleção da lingua Portuguesa e Inglesa, disponibilizando ao buscador as duas linguas ao mesmo tempo. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

36 Hierarquização dos grupos de patente Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patentes. InovaNIT/UNICAMP, 2010.

37 Classificação Internacional de Patentes CIP Subgrupos Hierarquia => Os subgrupos são representados pelos caracteres numéricos diferentes do 00 colocados depois da /. => Os subgrupos apresentam níveis hierárquicos que possibilitam uma maior especificação da matéria dentro do grupo principal. => Os níveis são determinados por pontos (.) colocados após a classificação alfanumérica. => A classificação específica, no entanto, é definida pelo código alfanumérico. O número de pontos apenas indica o grau de especificação. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patentes. InovaNIT/UNICAMP, 2010.

38 Como é construída a CIP: de onde se retiram as informações? Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patentes. InovaNIT/UNICAMP, 2010.

39 A Classificação Internacional de Patentes CIP na Internet: Atual 8ª edição: Guia da Classificação Internacional. Auxílio por palavra chave na Classificação Internacional. Fonte: Curso básico de PI.INPI, 2007.

40 A Classificação Internacional de Patentes -CIP na Internet: Classificador online no site do INPI Classificador online no site da WIPO Fonte: Curso básico de PI.INPI,2007.

41 Classificador online do INPI

42 Acesse o menu Classificação internacional de Patentes no site do INPI:

43 Acessar a CIP no link disponibilizado no INPI Fonte: Curso básico de PI.INPI, ANO.

44 Sessões e CIP no site do INPI, note que ele linka direto para o site da WIPO: Fonte: Curso Básico de PI.INPI, 2007.

45 Classificação em Português/Inglês: Fonte: Curso Básico de PI.INPI, 2007.

46 Abas da CIP e das Palavras-chaves: Fonte: Curso Básico de PI.INPI, 2007.

47 Resultado das sessões, note que o resultado é dado em Português e em Inglês: Fonte: Curso Básico de PI.INPI, 2007.

48 Resultado por Palavras-Chaves Colocar a tela de classificador online do INPI Fonte: Curso de básico de PI. INPI, 2007.

49 Temos aqui o Link para as patentes caducas, ou seja, as que fazem aniversário: Colocar a tela de classificador online do INPI Fonte: Curso de básico de PI. INPI, 2007.

50 Campo de busca avançada das Patentes em aniversário : Fonte: Curso de básico de PI. INPI, 2007.

51 A Classificação Internacional de Patentes -CIP na Internet: Classificador online no site do INPI Classificador online no site da WIPO Fonte: Curso Básico de PI.INPI, 2007.

52 Site da WIPO: Fonte: Curso Básico de PI.INPI, 2007.

53 Destaque do Link da Classificação Internacional da WIPO:

54 Menu das Classificações da WIPO, destaque para o CIP (IPC):

55 Campo de busca da WIPO: Fonte: Curso Básico de PI.INPI, 2007.

56 Classificação Internacional de Patentes (Atual Edição 8ª) Para determinar uma classificação, dispomos de 3 ferramentas no site da WIPO, utilizando o IPC: Ø palavras-chave Ø tacsy Ø classificação automatizada (text categorization) Fonte: Curso Básico de PI.INPI, 2007.

57 Palavras-chave Fonte: Curso Básico de PI.INPI, 2007.

58 Ferramenta Tacsy - busca de acordo com a aplicação da tecnologia Fonte: Curso Básico de PI.INPI, 2007.

59 Resultado da consulta no Tacsy: note que temos o resultado de seções de acordo com a aplicação da tecnologia. Fonte: Curso Básico de PI.INPI, 2007.

60 BASES DE PATENTES Bases Gratuitas (Internet); Bases Comerciais Online; Bases Comerciais Offline (CD-ROM);

61 BASES GRATUITAS (Internet) INPI; Espacenet; USPTO; WIPO; CIPO;JPO;SUMOBRAIN; Freepatensonline; Google Patent Searh. ATENÇÃO: Tais bases de dados apresentam limitações, e é importante que, ao utilizálas tais limitações sejam consideradas e a coleta e o tratamento das informações sejam planejados de forma a evitar os problemas que as mesmas possam ocasionar.

62 BUSCAS EM BASES DE PATENTES Antes de iniciar as prospecções, aconselha-se aos buscadores: Realizar planejamento da pesquisa através de sistematização; Lembrar de estar próximo ao pesquisador e ao coordenador do NIT ou órgão competente; Adicionar aos favoritos do navegador os sites mais acessados (bases, tradutores, ampliadores de sinônimos, dicionários). Tentar responder às perguntas: O que é? Do que a tecnologia é composta? O que ela faz? Como ela faz? Qual problema e a solução proposta?

63 BUSCAS EM BASES DE PATENTES Antes de iniciar as prospecções, aconselha-se aos buscadores: Sugere-se a construção de planilhas, de acordo com o escopo da busca: ATENTE / TECNOLO GIA DATA DE PEDIDO DATA DE DEPOSITO PALAVRAS- CHAVE CLASSIFICA ÇÃO DEPOSITAN TE INVENTOR TITULO RESUMO SITUAÇÃO PI B??\??\????\??\?? ING e POR. Internacion al ou \e da região Fundação da Ordem dos Cavaleiros Jedi da Mestre Yoda Espada de luz a laser a partir de cristais Sabre cortante e perfurante realizado a partir da... Pedido de Depósito MU Patente Concedida

64 FLUXOGRAMA DE PROSPECÇÃO

65 Repetir para cada esquema de classificação Entidade/Cessionário

66 BUSCAS EM BASES DE PATENTES Escritório Brasileiro INPI: Autoridade Internacional de busca (ISA) e exame preliminar de Patentes (IPEA). A busca pode ser realizada por diversos campos bibliográficos e apresenta o relatório de andamento do processo, com os despachos já atualizados. Apresenta apenas patentes depositadas no Brasil. Fonte: com informações do Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

67 BASE BRASILEIRA INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual) => Restrita a documentos depositados no Brasil e com data de publicação a partir de 1992; => Fornece somente os dados bibliográficos dos pedidos da folha de rosto digitalizada para alguns pedidos em PDF; => Apresenta relatório de andamento dos processos, com os despachos já publicados; => Busca por diversos campos bibliográficos; => Busca por palavras-chaves em português; => Operador de trucagem de termos: *; => Operadores booleanos: AND, OR, AND NOT.

68 BASE BRASILEIRA INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial)

69 BASE BRASILEIRA INPI Adicionar slide: Busca em bases gratuitas. Atualizar: quisa=patentes

70 Busca em bases gratuitas: pesquisa avançada do INPI. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

71 Busca em bases gratuitas: INPI. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

72 Exercício relâmpago: Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

73 Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

74 Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

75 Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

76 Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

77 Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

78 Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

79 Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010. ATENÇÃO: O Site do INPI linka para o site do escritório europeu como mostra o destaque.

80 BASE EUROPEIA Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

81 Conteúdo das Bases do ESPACENET 3 Bases distintas: Base worldwide Dados Bibliográficos de Documentos do Escritório Europeu e de mais de 70 países diferentes; Base de Documentos EP Documentos mais recentes; Indexação mais rápida (no dia da publicação); Base de Documentos WIPO Documentos PCT (WO) mais recentes; indexação mais rápida (duas semanas após a publicação). Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

82 Escritório Europeu de Patentes ep.espacenet.com Acesso a dados bibliográficos de documentos do escritório europeu e de mais de 70 países; Alguns documentos completos, em formato pdf; 10 campos de busca específicos; palavras-chave em inglês; Trucagem e Operadores Booleanos; Até 4 termos de busca por campo; OBS.: A limitação de 04 termos de busca por campos, nos impele a pensar estrategicamente no momento da busca

83 Base Europeia de Busca ou

84 No destaque temos os últimos documentos inseridos na base. Sendo assim, o que há de mais novo em tecnologia a ser protegida por patentes. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

85 A EP e Wipo são atualizadas a cada 3 dias. No menu inferior direito, percebemos as dúvidas mais frequentes: Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

86 Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

87 Exercício surpresa : Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

88 Resultado: 279 Documentos Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

89 BUSCAS EM BASES DE PATENTES Base dos EUA (USPTO)

90 A USPTO disponibiliza duas bases As patentes concedidas (1976 Texto Completo e 1790 Digitalizados) e os Pedidos publicados (a partir de 15/03/2001); Bases contêm apenas documentos depositados ou publicados nos EUA; A busca pode ser feita no documento completo ou através de campos específicos (há mais campos possíveis que as demais bases gratuitas); Permite trucagem (S, *) Permite o uso de operadores booleanos: AND, OR, AND NOT; Documentos disponíveis no formato original;

91 Base gratuita do USPTO:

92

93 Campo de Busca de texto completo das Patentes Concedidas e Publicadas: Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

94 Campo de busca do texto completo: Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

95 Campo de busca: note que na consulta temos que colocar os códigos Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

96 Resultado da busca: Parser?Sect1=PTO2&Sect2=HITOFF&u=%2Fnetahtml%2FPTO%2Fsearchadv.htm&r=0&p=1&f=S&l=50&Query=abst%2F%28tennis%29&d=PTXT Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

97 Busca na base da OMPI (WIPO): Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

98 Busca na base da OMPI (WIPO): Navegação rápida na WIPO Gold

99 Busca na base da OMPI (WIPO): Caso não traduza automaticamente, o portal disponibiliza a lingua desejada -

100 Busca na base da OMPI (WIPO):

101 Campo de busca da WIPO - Patentscope Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

102 Resultados da busca: Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

103 BUSCAS EM BASES DE PATENTES Bases Gratuitas (Internet); Bases Comerciais Online; Bases Comerciais Offline (CD-ROM);

104 BASES COMERCIAIS ONLINE Bases para consulta de patentes de custo elevado. Mantêm convênio com o INPI. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

105 BASES COMERCIAIS ONLINE Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

106 Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010. BASES COMERCIAL ONLINE DERWENT (Acesso pelo Portal de Periódicos da CAPES/UECE - Derwent) earch&sid=1fbmmn5ppmelkhl7k9o&preferencessaved=

107 CUSTOS DAS BASES COMERCIAIS ONLINE Base WPI (World Patent Index): US$ 354,00/hora de conexão; Valor médio de busca US$ 100,00, podendo alcançar a US$ ,00. Base INPADOC (International Patent Documentation Center): Base especializada em famílias de patentes; US$ 15,000 por documento de patente pesquisado.

108 BUSCAS EM BASES DE PATENTES Bases Gratuitas (Internet); Bases Comerciais Online; Bases Comerciais Offline (CD-ROM);

109

110 Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

111 BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES GRATUITAS Algumas estratégias de busca e o passo a passo da prospecção em bases de patente online e gratuitas. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

112 BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES Estratégia de busca: passo a passo Características essenciais da invenção: Identificar as características técnicas da invenção, ou seja, entender o que é a invenção e anotar as palavras-chave envolvidas nesse contexto: O que é? O que ela faz? Como ela faz? Quais soluções ela se propõe a resolver? Passo a passo: 1. Identificar o contexto em que a tecnologia se insere (ex: biotecnologia,nanotecnologia etc)- ai ajudar numa possível busca por classificação Internacional IPC 2. Identificar as características essenciais da tecnologia, pensando sempre no diferencial que a mesma apresenta frente ao estado da técnica, nos requisitos que permitiram a mesma funcionar (ou ser produzida) e em sua aplicação. Ex: Supondo que um inventor tenha desenvolvido uma vacina a base de uma determinada substância para ser usada contra tuberculose. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

113 BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES Estratégia de busca: passo a passo 1º Passo: Elaborar nossa estratégia de busca como se estivéssemos procurando uma patente exatamente igual a tecnologia que estamos trabalhando e/ou analisando; 2º Passo: Para rastrearmos os documentos mais relevantes temos que pensar em diferentes palavras que contemplem, no mínimo, as 03 características essenciais: i) o fato de ser uma vacina; ii) o fato de usar uma substância x para a elaboração dessa vacina; iii) o fato dessa vacina ser utilizada para evitar a tuberculose e; iv) inserir palavras que evidenciem o diferencial da tecnologia em questão. Exemplo: envolve um novo processo para obtenção da vacina e o que caracteriza o dito processo como novo (novas etapas, nova configuração dos equipamentos, etc), a inserção de novos componentes na composição da vacina que permitiram um aumento significativo de sua eficiência, etc. 3º Passo: Listar todas as palavras-chave possíveis conforme as orientações descritas acima. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

114 BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES Estratégia de busca: passo a passo Expansão da Sinonímia: pesquisar todos os sinônimos possíveis para as palavras-chave identificadas e anotar. Alguns sites especializados: Busca os sinônimos de substancias químicas: Busca os sinônimos de termos técnicos: Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

115 BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES Estratégia de busca: passo a passo Passo a passo: 4º passo: Com a lista de palavras-chave em mãos, faça uma outra lista para cada característica essencial identificada considerando os possíveis sinônimos de cada uma (no caso do exemplo anterior, para as palavras vacina, substância x, tuberculose, etc.) 5º passo: Essa lista de sinônimos deve incluir os termos mais comuns, os termos técnicos e/ou termos padrões, abreviaturas,etc. Esse procedimento é importante porque permite resgatarmos documentos que foram redigidos de diferente formas, porém que envolvem um mesmo contexto tecnológico e/ou uma mesma tecnologia. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

116 Estratégia de busca Expansão da Sinonímia Lembre-se que os sinônimos são pensados para proteger a tecnologia. Por isso é preciso esforço do Buscador\Prospector para ampliar os termos e conceitos presentes na tecnologia. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

117 Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

118 BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES Estratégia de busca Idioma Predomina o inglês, americano ou britânico. Passo a passo: 6º passo: Considerando que um pedido de patente para ser concedido deva ser algo NOVO NO MUNDO INTEIRO, as buscas de anterioridade devem ser realizadas em BASES INTERNACIONAIS. Sugere-se que uma mesma busca seja realizada, no mínimo, em 03 diferentes bases. 7º passo: Nesse sentido, todas as CARACTERÍSTICAS ESSENCIAIS listadas e as demais palavras-chave resultantes da expansão da sinonímia devem ser traduzidas para o inglês, considerando o INGLÊS AMERICANO E O INGLÊS BRITÂNICO. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

119 BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES Estratégia de busca Passo a passo: 8º passo: Fazer uma busca de patentes não é como buscar artigos científicos. Enquanto os autores dos artigos desejam ser encontrados facilmente nos periódicos eletrônicos, muitos inventores (e/ou depositantes, especialmente empresas) não querem que suas patentes sejam encontradas facilmente. Nesse caso, além de fazermos nossa busca pensando nas possíveis palavras-chave empregadas na redação das patentes em questão, temos que nos preocupar na forma COMO A BUSCA SERÁ FEITA. Não podemos simplesmente jogar as palavras-chave nos campos de busca. Temos que pensar na forma como essas palavras serão inseridas. Nesse sentido, é muito importante fazer USO DOS WILDCARDS disponíveis em cada uma das bases. Alguns exemplos podem ser encontrados abaixo. Contudo, vale a pena consultar os helps das bases para saber a função de cada um, já que pode variar de uma base para outra. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

120 Estratégia de busca BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES Como utilizar os wildcards (símbolos)? - Asterisco (*): representa QUALQUER GRUPO ou NENHUM CARACTERE; - Ponto de interrogação (?): representa um ÚNICO CARACTERE; - Cifrão ($): representa ZERO CARACTER ou um ÚNICO CARACTERE; - Os wildcards podem ser usados nos termos da busca, no final mas nunca o início; - Recomenda-se que use no mínimo 03 caracteres (radical) antes do asterisco(*); - Dois wildcards podem ser usados dentro de um mesmo termo de busca; Exemplo: digite sm?thr* no campo inventor para encontrar patentes com R.Smith, R.D. Smyth, etc. Como inventor Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

121 Estratégia de busca BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES Passo a passo: 9º passo: Por exemplo, vamos supor que sua intenção seja buscar a palavra COR (traduzindo para o inglês temos COLOR inglês americano e COLOUR inglês britânico); 10º passo: Considerando que o conceito de COLOR pode ser representado de diferentes formas (COLORS,COLORIZED,COLORED,etc) podemos fazer uma só busca que contemple as diferentes formas de grafia, como por exemplo: COLOR*; uma vez que o asterisco engloba todas as apresentações possíveis do termo COLOR ; 11º passo: Considerando que o conceito de COLOUR também pode ser representado de diferentes formas (COLOUR,COLOURS,COLOURIZED,COLOURED,etc) podemos fazer uma outra busca que contemple essas diferentes formas de grafia, como por exemplo: COLOUR*; uma vez que o asterisco engloba todas as apresentações possíveis do termo COLOUR. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

122 BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES Estratégia de busca Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

123 BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES Estratégia de busca Operadores booleanos: - Muita atenção: AND (Interseção), OR (adição) e AND NOT (Exclusão); - Utilizar AND quando quiser se referir aos operador E, ele recupera artigos que possuem ambos os termos no mesmo parágrafo; - Utilize OR quando quiser se referir ao operador OU, ele recupera artigos que possuem tanto um como o outro termo; -Enquanto com o uso do AND diminui-se o campo de busca ; com o OR aumenta-se; - Utilize AND NOT quando quiser se referir ao operador E NÃO, ele recupera artigos que possuem o primeiro termo e não o segundo termo no mesmo parágrafo. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

124 BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES Estratégia de busca Passo a passo: 12º passo: Uma questão importante nas buscas a serem realizadas é a etapa de combinação ou cruzamento das palavras. Sugere-se: 12 a): Fazer uma busca inicial considerando a 1ª característica. Neste caso, a ideia é que um primeiro resultado seja gerado contemplado toda a expansão da sinonímia elaborada para essa característica. Neste caso, usa-se muito o booleano OR. 12 b): Repetir o mesmo procedimento descrito no item anterior para as demais características essenciais listadas. 12 c): Ao final, a idéia é CRUZAR todos os resultados parciais obtidos até então entre si. Neste caso, usa-se muito o booleano AND. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

125 BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES Estratégia de busca Restringindo a busca: - Data - País de publicação - IPC (International Patents Classification): Quando a busca de anterioridade envolve o uso da palavra-chave cellular, o resultado volverá tanto o setor de telecomunicações como a área biológica. Nestes casos, aconselha-se diminuir o campo de busca com o uso do IPC. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

126 BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES Estratégia de busca EXEMPLO DE CRUZANENTO DAS PALAVRAS-CHAVE ETAPA 1 Listar as características essenciais, em português e inglês. Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

127 BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES Estratégia de busca - Cruzamento de palavras-chave: Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

128 BUSCA DE ANTERIORIDADE EM BASES DE PATENTES Estratégia de busca Resultado Fonte: Curso de PI e Busca em Bases de Patente. INOVANIT/UNICAMP,2010.

129 ATENÇÃO Patente => chave <= Artigos?

130 ATENÇÃO Carta Patente Documento de Patente

131 ATENÇÃO Busca da Tecnologia Busca da Tecnologia (estado da técnica) através de Patentes Busca em Base de Patente WIPO/PATENTSCOPE Tecnologia: Extratos Vegetais aplicados a cosméticos Palavras-chave: plant,extracts,apllied, cosmetic* =>

132 ATENÇÃO Busca da Tecnologia (estado da técnica) => Patente Busca em Base de Patente WIPO/PATENTSCOPE Tecnologia: Extratos Vegetais aplicados a cosméticos Palavras-chave: plant,extracts,apllied, cosmetic* =>

133 ATENÇÃO Busca da Tecnologia (estado da técnica) => Patente Busca em Base de Patente WIPO/PATENTSCOPE

134 ATENÇÃO Busca da Tecnologia (estado da técnica) => Patente Documento de Patente (composição e métodos para tratamento de cabelos brancos): resultado da busca patente na área pesquisada.

135 =>

136 ATENÇÃO Terceiro Passo: Escolha de um INVENTOR => busca de artigos por Inventor Portal de Periódicos da CAPES (artigos relacionados a tecnologia) e =>

137 Entre no campo de BUSCA, mais especificamente METABUSCA:

138 Em METABUSCA, preencha os campos de acordo com a pesquisa desejada:

139 ATENÇÃO Terceiro Passo: Escolha de um INVENTOR => busca de artigos Portal de Periódicos da CAPES (artigos relacionados a tecnologia) 8&type=m&metalib=aHR0cDovL2J1c2NhZG9yLnBlcmlvZGljb3MuY2FwZXMuZ292LmJyL1Y/aW5zdGl 0dXRlPUNBUEVTJnBvcnRhbD1OT1ZPJm5ld19sbmc9UE9SJmZ1bmM9bWV0YS0xJnR5cGU9bSZJbml0 X3R5cGU9UXVpY2tTZXRzTGlzdCZzZXF1ZW5jZT0wMDAwMDAwMDAmbW9kZT1zaW1wbGUmbW 9kZTE9YWR2YW5jZWQ= =>

140 ATENÇÃO Terceiro Passo: Escolha de um INVENTOR => busca de artigos Portal de Periódicos da CAPES (artigos relacionados a tecnologia) =>

141 ATENÇÃO Terceiro Passo: Escolha de um INVENTOR => busca de artigos Portal de Periódicos da CAPES (artigos relacionados a tecnologia)

142 ATENÇÃO Terceiro Passo: Escolha de um INVENTOR => busca de artigos Portal de Periódicos da CAPES (artigos relacionados a tecnologia) =>

143 ATENÇÃO Quarto Passo: Artigo (s) Portal de Periódicos da CAPES artigo relacionado a tecnologia => =>

144 Inserir na guia favoritos os seguintes links: Sites úteis INPI - ESPACENET - USPTO - WIPO - Classificação Internacional de Patentes -CIP INPI - WIPO - Bases de Patentes INPI - ESPACENET - USPTO - WIPO - Tradutores Tradukka - Google tradutor -

145 BUSCAS EM BASES GRATUITAS (Internet) INPI; Espacenet; USPTO; WIPO; CIPO;JPO;SUMOBRAIN; Freepatensonline; Google Patent Searh.

146 EXERCÍCIO 01 BUSCAS EM BASES GRATUITAS (Internet) Utilizar a base do INPI para a realização do exercício em questão: -Faça um levantamento das palavras que você considera chave para tentar encontrar uma patente semelhante à tecnologia apresentada a seguir: - Para cada palavra-chave, indique possíveis sinônimos (nomes usuais, nomes comerciais, termos técnicos, etc.); - Pense como combinar as palavras-chave listadas por você de maneira a facilitar o levantamento das patentes existentes que tenham alguma relação com a tecnologia apresentada a seguir; -Conhecer a quantidade de patentes depositadas no Brasil;

147 Artigo de um estudo de prospecção tecnológica

148

149 EXERCÍCIO 02 BUSCAS EM BASES GRATUITAS (Internet) Todas as bases (INPI; Espacenet; USPTO; WIPO etc) podem ser utilizadas para a realização do exercício em questão: -Faça um levantamento das palavras que você considera chave para tentar encontrar uma patente semelhante à tecnologia apresentada a seguir. - Para cada palavra-chave, indique possíveis sinônimos (nomes usuais, nomes comerciais, termos técnicos, etc.) - Considerando que as buscas em bases de patentes exigem que sejam utilizadas palavras em inglês, traduza as palavras-chave listadas e seus respectivos sinônimos. - Pense numa maneira de combinar as palavras-chave listadas por você de maneira a facilitar o levantamento das patentes existentes que tenham alguma relação com a tecnologia apresentada a seguir: Fonte: Curso de PI e busca em Bases de Patentes.INOVANIT/UNICAMP,2010.

Curso de Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes

Curso de Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes Curso de Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes Eliandro dos Santos Costa Arquivista DRT/RS Nº. 1582 Bolsista DTI II CNPq UBEA/PUCRS/NIT-RS Mestrando em Engenharia da Produção SANTA MARIA,

Leia mais

Parte I Informação Tecnológica; Objetivos das Buscas; Exercícios Parte II Tipo de Bases de Patentes; Como Buscar nas Bases

Parte I Informação Tecnológica; Objetivos das Buscas; Exercícios Parte II Tipo de Bases de Patentes; Como Buscar nas Bases Teresina, 28 de novembro de 2011 Parte I Informação Tecnológica; Objetivos das Buscas; Exercícios Parte II Tipo de Bases de Patentes; Como Buscar nas Bases O que buscamos? Qual é a função da pesquisas?

Leia mais

Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes. Aspectos Gerais

Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes. Aspectos Gerais CURSO DE CAPACITAÇÃO EM PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes Aspectos Gerais Araraquara, agosto/2009 Importância da Informação Tecnológica

Leia mais

O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil

O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil Estrutura do INPI Propriedade Intelectual Sistema criado para garantir a propriedade ou exclusividade resultante da atividade intelectual nos campos industrial,

Leia mais

II Bases e Estratégias. Objetivos da busca Tipos de busca

II Bases e Estratégias. Objetivos da busca Tipos de busca II Bases e Estratégias Objetivos da busca Tipos de busca Passos da Busca 1- definir e delimitar o objeto de busca 2- escolher bases de dados 3- delimitar os campos de busca e definir os parâmetros da pesquisa:

Leia mais

Tutorial de busca em bases de patentes

Tutorial de busca em bases de patentes INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE PESQUISA E INOVAÇÃO CENTRO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Tutorial de busca em bases de patentes

Leia mais

A PROPRIEDADE INTELECTUAL COMO INSTRUMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL E TECNOLÓGICO

A PROPRIEDADE INTELECTUAL COMO INSTRUMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL E TECNOLÓGICO A PROPRIEDADE INTELECTUAL COMO INSTRUMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL E TECNOLÓGICO USO DA INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA CONTIDA NOS DOCUMENTOS DE PATENTES Florianópolis 12 de maio de 2009 Propriedade

Leia mais

A Patente como Fonte de Informação Tecnológica

A Patente como Fonte de Informação Tecnológica A Patente como Fonte de Informação Tecnológica Rafaela Di Sabato Guerrante Ciclo de Palestras ICTs e Inovação Tecnológica UECE/CEFET-CE/UFC Fortaleza CE Maio/2007 Globalização Era da Informação Relações

Leia mais

MESTRADO PROFISSIONAL EM DEFESA SANITÁRIA ANIMAL "BUSCA DE PATENTES COMO ESTRATÉGIA PARA A ATUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO"

MESTRADO PROFISSIONAL EM DEFESA SANITÁRIA ANIMAL BUSCA DE PATENTES COMO ESTRATÉGIA PARA A ATUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO MESTRADO PROFISSIONAL EM DEFESA SANITÁRIA ANIMAL "BUSCA DE PATENTES COMO ESTRATÉGIA PARA A ATUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO" ATUAÇÕES NIT-UEMA Divulgação Programadas e por Demanda O

Leia mais

TECHNOLOGICAL INFORMATION: IDENTIFYING TECHNOLOGIES, ADVANTAGES AND APPLICATIONS THROUGH THE NATIONAL AND INTERNATIONAL BANK OF PATENTS

TECHNOLOGICAL INFORMATION: IDENTIFYING TECHNOLOGIES, ADVANTAGES AND APPLICATIONS THROUGH THE NATIONAL AND INTERNATIONAL BANK OF PATENTS INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA: IDENTIFICANDO TECNOLOGIAS, VANTAGENS E APLICAÇÕES ATRAVÉS DO BANCO NACIONAL E INTERNACIONAL DE PATENTES L. C. S. Silva¹, J. L. Kovaleski², S. Gaia² e A. C. Francisco² ¹ Departamento

Leia mais

Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes

Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes Orientações BásicasB Gerência de Inovação Tecnológica Informação Tecnológica gica- O que é? Informação Tecnológica é todo tipo de conhecimento sobre

Leia mais

BUSCA DE ANTERIORIDADE

BUSCA DE ANTERIORIDADE CAPACITAÇÃO EM PROPRIEDADE INTELECTUAL INOVAÇÃO TECNOLÓGICA minicurso BUSCA DE ANTERIORIDADE Profa. Maria Rita/ABRIL/2014 MINICURSO DE PI PARTE II Patente de invenção (PI) Modelo de Utilidade (MU) PATENTES

Leia mais

Patentes e a CTIT. Rodrigo Dias de Lacerda Setor de Propriedade Intelectual. Abril de 2012

Patentes e a CTIT. Rodrigo Dias de Lacerda Setor de Propriedade Intelectual. Abril de 2012 Patentes e a CTIT Rodrigo Dias de Lacerda Setor de Propriedade Intelectual Abril de 2012 TÓPICOS A SEREM ABORDADOS Propriedade Intelectual Propriedade Industrial O que é Patente? O que é patenteável? Como

Leia mais

BASES DE PATENTES. Tutorial de Busca

BASES DE PATENTES. Tutorial de Busca BASES DE PATENTES Tutorial de Busca Última Atualização (versão 2.4) 25/02/2015 Por que pesquisar em bases de patentes? Para coletar material para o desenvolvimento de suas pesquisas. -Como a tecnologia

Leia mais

MANUAL DE PESQUISA DE PATENTES

MANUAL DE PESQUISA DE PATENTES MANUAL DE PESQUISA DE PATENTES Recife 2015 APRESENTAÇÃO Com a aprovação da PPI- Política de Propriedade Industrial do SENAI-PE torna-se necessário que os técnicos, professores e alunos que já buscam a

Leia mais

GUIA SIMPLIFICADO PARA BUSCAS EM BASES DE PATENTES GRATUITAS

GUIA SIMPLIFICADO PARA BUSCAS EM BASES DE PATENTES GRATUITAS GUIA SIMPLIFICADO PARA BUSCAS EM BASES DE PATENTES GRATUITAS (USUÁRIO EXTERNO) Diretoria de Cooperação para o Desenvolvimento de Articulação - DICOD Centro de Disseminação da Informação Tecnológica CEDIN

Leia mais

CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL. INPI/DART/CEDIN Serviços de Informação Tecnológica. UFAL Agosto / 2009

CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL. INPI/DART/CEDIN Serviços de Informação Tecnológica. UFAL Agosto / 2009 CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL INPI/DART/CEDIN Serviços de Informação Tecnológica UFAL Agosto / 2009 O Edifício A Noite no Rio de Janeiro Em 1930, o edifício é visto em fase de conclusão nessa

Leia mais

BASES DE PATENTES. Tutorial de Busca

BASES DE PATENTES. Tutorial de Busca BASES DE PATENTES Tutorial de Busca Última Atualização (versão 2.3) 19/02/2014 Por que pesquisar em bases de patentes? Para coletar material para o desenvolvimento de suas pesquisas. -Como a tecnologia

Leia mais

GUIA SIMPLIFICADO PARA BUSCAS EM BASES DE PATENTE GRATUITAS

GUIA SIMPLIFICADO PARA BUSCAS EM BASES DE PATENTE GRATUITAS GUIA SIMPLIFICADO PARA BUSCAS EM BASES DE PATENTE GRATUITAS Parte 1 Centro de Disseminação da Informação Tecnológica Cedin cedin@inpi.gov.br Julho/2015 Agora você mesmo poderá fazer buscas de patentes

Leia mais

Derwent Innovations Index

Derwent Innovations Index Derwent Innovations Index DERWENT INNOVATIONS INDEX Cartão de referência rápida ISI Web of Knowledge SM O Derwent Innovations Index é uma ferramenta poderosa de pesquisa de patentes, que combina Derwent

Leia mais

PATENTES E MODELOS DE UTILIDADE

PATENTES E MODELOS DE UTILIDADE PATENTES E MODELOS DE UTILIDADE Existem mentes privilegiadas, capazes de inventar produtos ou processos que em muito têm contribuído para o progresso da humanidade. Falamos, por exemplo de um medicamento,

Leia mais

Inserção Internacional dos NITs Brasileiros

Inserção Internacional dos NITs Brasileiros Inserção Internacional dos NITs Brasileiros Denise Gregory Diretora de Cooperação para o Desenvolvimento INPI Seminário ETT/PUC-RS: Um decênio da história na gestão de PI e Transferência de Tecnologia

Leia mais

Oficina de Busca de. Patentes

Oficina de Busca de. Patentes Núcleo de Tecnológica Oficina deinovação Busca de Patentes Mostra Científico-Cultural 2012 2ª Semana de Telecomunicações Oficina de Busca de Patentes Luiz Henrique Castelan Carlson, Dr. Eng. PATENTES (Propriedade

Leia mais

CARGA HORÁRIA: 40 horas QUADRO DE HORÁRIOS. Segunda 05/04. Terça 06/04. Quarta 07/04. Quinta 08/04. Sexta 09/04. Horário.

CARGA HORÁRIA: 40 horas QUADRO DE HORÁRIOS. Segunda 05/04. Terça 06/04. Quarta 07/04. Quinta 08/04. Sexta 09/04. Horário. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 05 a 09 de abril de 2010 Centro de Treinamento do INPI- Praça Mauá, 07/ 10 o andar, RJ Informações: cursos@inpi.gov.br

Leia mais

Inovação da Ideia ao Mercado

Inovação da Ideia ao Mercado Inovação da Ideia ao Mercado Como proteger minha Inovação 26.05.2015 AHK-SP Henrique Steuer I. de Mello henrique@dannemann.com.br dannemann.com.br 2013 2013 Dannemann Dannemann Siemsen. Siemsen. Todos

Leia mais

Tecnologias para doenças hipertensivas

Tecnologias para doenças hipertensivas Centro de Disseminação da Informação Tecnológica - Cedin Radar Tecnológico - Patentes Tecnologias para doenças hipertensivas Tecnologias para doenças hipertensivas Rio de Janeiro Agosto / 2014 Instituto

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 13 a 17 de abril de 2009 São João Del-Rei- MG

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 13 a 17 de abril de 2009 São João Del-Rei- MG CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 13 a 17 de abril de 2009 São João Del-Rei- MG OBJETIVO: Apresentar uma visão atualizada dos mecanismos de proteção

Leia mais

Base de Patentes: abrangente, valiosa e única

Base de Patentes: abrangente, valiosa e única Patentes... Define o contrato entre o governo e um inventor pelo qual o inventor recebe proteção legal para a sua invenção Requer descrição completa de todos os detalhes da invenção (descrição, desenhos,

Leia mais

A Contribuição da Informação Tecnológica de Patentes para a Plataforma itec

A Contribuição da Informação Tecnológica de Patentes para a Plataforma itec Atribuição-Sem Derivações-Sem Derivados CC BY-NC-ND A Contribuição da Informação Tecnológica de Patentes para a Plataforma itec Encontro de Negócios em Inovação e Tecnologia itec 2015 São Paulo, SP 28

Leia mais

GUIA SIMPLIFICADO PARA BUSCAS EM BASES DE PATENTE GRATUITAS

GUIA SIMPLIFICADO PARA BUSCAS EM BASES DE PATENTE GRATUITAS GUIA SIMPLIFICADO PARA BUSCAS EM BASES DE PATENTE GRATUITAS Parte 1 Centro de Disseminação da Informação Tecnológica Cedin cedin@inpi.gov.br Junho/2014 Agora você mesmo poderá fazer buscas de patentes

Leia mais

Ferramentas de Busca e Análise de Patentes Foco no Questel Orbit

Ferramentas de Busca e Análise de Patentes Foco no Questel Orbit Ferramentas de Busca e Análise de Patentes Foco no Questel Orbit Campinas, SP (UNICAMP) 21 de Março de 2014 Instituto de Química (IQ) 09 de Abril de 2014 Biblioteca Central da Unicamp (BC) 24 de Abril

Leia mais

O uso da informação tecnológica como ferramenta em estudos de infometria

O uso da informação tecnológica como ferramenta em estudos de infometria Encontro Brasileiro de Bibliometria e Cienciometria, Rio de Janeiro, 2008 O uso da informação tecnológica como ferramenta em estudos de infometria Rita Pinheiro-Machado Coordenadora da Academia de Propriedade

Leia mais

Derwent Innovations Index

Derwent Innovations Index Derwent Innovations Index ISI WEB OF KNOWLEDGE SM Quick Reference Card Derwent Innovations Index é uma poderosa ferramenta de pesquisa de patentes que combina Derwent World Patents Index, Patents Citation

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL DIRETORIA DE PATENTES

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL DIRETORIA DE PATENTES MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL DIRETORIA DE PATENTES Perguntas Frenquentes - PPH 1. O que é o PPH? O PPH é uma modalidade de exame prioritário.

Leia mais

Bases disponíveis. Tutoriais. Derwent INPI USPTO EPO NCIPI. tutorial sobre bases de patentes. Menu tutorial

Bases disponíveis. Tutoriais. Derwent INPI USPTO EPO NCIPI. tutorial sobre bases de patentes. Menu tutorial Bases disponíveis Tutoriais Derwent INPI USPTO EPO NCIPI Créditos Informações para novos usuários Fale conosco tutorial sobre bases de patentes O que é? Base de dados de patentes internacionais e um índice

Leia mais

Como pesquisar artigos em bases de dados? Profª Msc Mayara Ladeira E-mail: mayaralcoelho@hotmail.com

Como pesquisar artigos em bases de dados? Profª Msc Mayara Ladeira E-mail: mayaralcoelho@hotmail.com Como pesquisar artigos em bases de dados? Profª Msc Mayara Ladeira E-mail: mayaralcoelho@hotmail.com Portal Capes Para que pesquisar artigos científicos? Informação confiável! - Fundamentos relacionados

Leia mais

Gestão da Propriedade Industrial

Gestão da Propriedade Industrial Gestão da Propriedade Industrial ZEA DUQUE VIEIRA LUNA MAYERHOFF Rio de Janeiro Julho/2009 Sistema de Propriedade Intelectual Consiste em um conjunto de instrumentos importantes para o processo de Inovação:

Leia mais

Classificação, conteúdos e estrutura de documentos de patentes. Horácio Ramos Dezembro 2006

Classificação, conteúdos e estrutura de documentos de patentes. Horácio Ramos Dezembro 2006 Classificação, conteúdos e estrutura de documentos de patentes Horácio Ramos Dezembro 2006 Como é uma patente? Página de rosto memória descritiva reivindicações desenhos relatório de pesquisa Dados bibliográficos:

Leia mais

Propriedade Intelectual e Patentes

Propriedade Intelectual e Patentes Propriedade Intelectual e Patentes Ernani Souza Jr. Redator de Patentes NUPITEC - CDT/UnB Patentes http://www.forbes.com/sites/timworstall/2013/02/10/apples-winning-the-samsung-patent-battles-and-losing-the-war/

Leia mais

Bases Disponíveis Para Buscas Informatizadas

Bases Disponíveis Para Buscas Informatizadas Bases Disponíveis Para Buscas Informatizadas Principais Bases Internacionais de Patentes via Internet (Gratuitas) Organização Americana de Marcas e Patentes, USPTO: Permite a busca em todas as patentes

Leia mais

CEDIN - Centro de Documentação e Informação Tecnológica. Manual dos Serviços de Informação Tecnológica. Passo-a-passo para os clientes

CEDIN - Centro de Documentação e Informação Tecnológica. Manual dos Serviços de Informação Tecnológica. Passo-a-passo para os clientes CEDIN - Centro de Documentação e Informação Tecnológica Manual dos Serviços de Informação Tecnológica Passo-a-passo para os clientes CEDIN INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA ÍNDICE 1 - Apresentação 02 2 - Por quê

Leia mais

Dias da Propriedade Industrial

Dias da Propriedade Industrial Organização OTIC INPI 23. 24 setembro Dias da Propriedade Industrial Local Instituto para a Investigação Interdisciplinar Universidade de Lisboa D i a s d a P r o p r i e d a d e I n d u s t r i a l 2

Leia mais

VII REPICT ANPROTEC - II WORKSHOP DE PROPRIEDADE INTELECTUAL

VII REPICT ANPROTEC - II WORKSHOP DE PROPRIEDADE INTELECTUAL VII REPICT ANPROTEC - II WORKSHOP DE PROPRIEDADE INTELECTUAL A PATENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA PARA AS EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA - INOVAÇÃO 2004 - PARTE I e PARTE II Leila da Luz Lima Cabral

Leia mais

Códigos INID. Identificação da origem/propriedade

Códigos INID. Identificação da origem/propriedade Códigos INID Identificação da origem/propriedade (70) a (76) Identificação de partes relacionadas com o documento; (71) Nome do depositante (quem recebeu a patente); (72) Nome do inventor, se conhecido;

Leia mais

Instituto Nacional da Propriedade Industrial. A patente como fonte de Informação Tecnológica

Instituto Nacional da Propriedade Industrial. A patente como fonte de Informação Tecnológica A patente como fonte de Informação Tecnológica A patente como fonte de Informação Tecnológica Alex Todorov INPI INPI/2007 Os primórdios da informação tecnológica 776 ac até 393 ac: nutricionistas do desporto

Leia mais

O Sistema Internacional de Propriedade Intelectual: Dinâmica de Proteção e Comercialização

O Sistema Internacional de Propriedade Intelectual: Dinâmica de Proteção e Comercialização O Sistema Internacional de Propriedade Intelectual: Dinâmica de Proteção e Comercialização Beatriz Amorim-Borher Escritório da OMPI no Brasil 29 de outubro, 2013 Propriedade Intelectual - antecedentes

Leia mais

Ferramentas de Busca e Análise de Informações Contidas em Patentes Foco no Questel Orbit

Ferramentas de Busca e Análise de Informações Contidas em Patentes Foco no Questel Orbit Ferramentas de Busca e Análise de Informações Contidas em Patentes Foco no Questel Orbit Campinas & Limeira, SP (UNICAMP) 25, 26 ou 27 de Março de 2015 2015 www.axonal.com.br www.clevercaps.com.br Ministrante

Leia mais

INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA

INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE UM PEDIDO DE PATENTE O presente trabalho constitui-se numa síntese da Legislação em vigor, destinandose ao auxílio dos usuários no preparo de um pedido de patente.

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 31 de agosto a 04 de setembro de 2009 UNESP BAURU- SP

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 31 de agosto a 04 de setembro de 2009 UNESP BAURU- SP CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 31 de agosto a 04 de setembro de 2009 UNESP BAURU- SP OBJETIVO: Apresentar uma visão atualizada dos mecanismos

Leia mais

QUESTIONÁRIO PARA CONHECIMENTO DE INVENÇÃO

QUESTIONÁRIO PARA CONHECIMENTO DE INVENÇÃO QUESTIONÁRIO PARA CONHECIMENTO DE INVENÇÃO Dados referentes ao(s) inventor(es)/autor(es): Inventor responsável pelo preenchimento e envio* Nome: Unidade: E-mail: Data: Campos de preenchimento exclusivo

Leia mais

Inovação tecnológica e empreendedorismo:

Inovação tecnológica e empreendedorismo: Inovação tecnológica e empreendedorismo: Ciência, desenvolvimento tecnológico, proteção industrial e geração de novos negócios Prof. Dr. Cleber Gustavo Dias 22/09/2015 Programação da oficina 1. Relações

Leia mais

TECNOLOGIAS DE INFRAESTRUTURA E NORMALIZAÇÃO PROPRIEDADE INTELECTUAL E INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA

TECNOLOGIAS DE INFRAESTRUTURA E NORMALIZAÇÃO PROPRIEDADE INTELECTUAL E INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA TECNOLOGIAS DE INFRAESTRUTURA E NORMALIZAÇÃO PROPRIEDADE INTELECTUAL E INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA 1 1. PROPRIEDADE INDUSTRIAL - PROTEÇÃO Patentes Desenho Industrial Marcas CONTEÚDO 2. PROPRIEDADE INDUSTRIAL

Leia mais

CAPACITE: OS CAMINHOS PARA A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

CAPACITE: OS CAMINHOS PARA A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA CAPACITE: OS CAMINHOS PARA A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA GABRIEL FRANCISCO DA SILVA SUZANA LEITÃO RUSSO Organizadores CAPACITE: OS CAMINHOS PARA A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ADONIS REIS DE MEDEIROS FILHO ANA PAULA

Leia mais

MAPEAMENTO POR MEIO DE DOCUMENTOS PATENTÁRIOS DEPOSITADOS NO BRASIL DAS TECNOLOGIAS DO SETOR DE ADESIVOS

MAPEAMENTO POR MEIO DE DOCUMENTOS PATENTÁRIOS DEPOSITADOS NO BRASIL DAS TECNOLOGIAS DO SETOR DE ADESIVOS MAPEAMENTO POR MEIO DE DOCUMENTOS PATENTÁRIOS DEPOSITADOS NO BRASIL DAS TECNOLOGIAS DO SETOR DE ADESIVOS MARIA ELISA MARCIANO MARTINEZ Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Brasil E-mail

Leia mais

Bases disponíveis. Tutoriais. Derwent INPI USPTO EPO NCIPI. tutorial sobre bases de patentes. Menu tutorial

Bases disponíveis. Tutoriais. Derwent INPI USPTO EPO NCIPI. tutorial sobre bases de patentes. Menu tutorial Versão 2008 Bases disponíveis Tutoriais Derwent INPI USPTO EPO NCIPI Créditos Informações para novos usuários Fale conosco tutorial sobre bases de patentes O que é? Base de dados de patentes internacionais

Leia mais

Oficina 1A Faça uma busca preliminar e selecione publicações sobre Apontador Laser, com Controle de Tempo

Oficina 1A Faça uma busca preliminar e selecione publicações sobre Apontador Laser, com Controle de Tempo Oficina 1A Faça uma busca preliminar e selecione publicações sobre Apontador Laser, com Controle de Tempo 2011 www.axonal.com.br Neste exemplo, estamos fazendo uma busca baseada na expressão: LASER W

Leia mais

Tiago Leitão. Examinador de Patentes INPI 10.ABR. 2014 AGENDA

Tiago Leitão. Examinador de Patentes INPI 10.ABR. 2014 AGENDA Tiago Leitão PESQUISA E INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA Examinador de Patentes INPI 10.ABR. 2014 AGENDA 1. Importância da informação sobre patentes 2. Sistemas de classificação 3. Pesquisa ao estado da técnica

Leia mais

Busca Profissional de Patentes: Técnicas, Estratégias e Aplicações Práticas Foco no Questel Orbit

Busca Profissional de Patentes: Técnicas, Estratégias e Aplicações Práticas Foco no Questel Orbit Busca Profissional de Patentes: Técnicas, Estratégias e Aplicações Práticas Foco no Questel Orbit UNICAMP Universidade Estadual de Campinas Campinas 10 de Junho de 2014 www.clevercaps.com.br Ministrante

Leia mais

A Patente como Fonte de Informação Tecnológica. Dr. Alex Todorov CEDIN / DART / INPI

A Patente como Fonte de Informação Tecnológica. Dr. Alex Todorov CEDIN / DART / INPI A Patente como Fonte de Informação Tecnológica Dr. Alex Todorov CEDIN / DART / INPI A evolução da informação tecnológica Quantidade Qualidade Acessibilidade Modelo de inovação linear: Pesquisa básica Pesquisa

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O PROJETO PRIORIDADE BR (Versão 2016.01.25)

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O PROJETO PRIORIDADE BR (Versão 2016.01.25) MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL DIRETORIA DE PATENTES DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O PROJETO PRIORIDADE BR Este texto não substitui

Leia mais

Biotecnologia de brasileiros em saúde

Biotecnologia de brasileiros em saúde Centro de Disseminação da Informação Tecnológica - Cedin Radar Tecnológico - Patentes Biotecnologia de brasileiros em saúde Biotecnologia de brasileiros em saúde Rio de Janeiro Junho / 2015 Instituto Nacional

Leia mais

CURSO DE INTRODUÇÃO À PROPRIEDADE INTELECUAL REPITTec

CURSO DE INTRODUÇÃO À PROPRIEDADE INTELECUAL REPITTec CURSO DE INTRODUÇÃO À PROPRIEDADE INTELECUAL REPITTec Período: 09 a 13 de Julho de 2012 Local: UNEB: Universidade Estadual da Bahia Endereço: Rua Silveira Martins, 2555 Cabula. Salvador - BA I. OBJETIVO

Leia mais

FONTES DE INFORMAÇÃO PARA PESQUISA CIENTÍFICA

FONTES DE INFORMAÇÃO PARA PESQUISA CIENTÍFICA OFICINA FONTES DE INFORMAÇÃO PARA PESQUISA CIENTÍFICA Projeto de Extensão LALETEC Para refletir! Agenda ETAPAS DE UMA PESQUISA 1 O QUE PESQUISAR? assunto Objetivo: Delimitar o tema e listar as respectivas

Leia mais

COMO USAR DOCUMENTOS DE PATENTES COMO FONTE DE INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA

COMO USAR DOCUMENTOS DE PATENTES COMO FONTE DE INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA COMO USAR DOCUMENTOS DE PATENTES COMO FONTE DE INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA Cristina Gomes de Souza cgsouza@cefet-rj.br Ricardo Alexandre Amar de Aguiar raaguiar@cefet-rj.br Heitor Soares Mendes heitor-mendes@ig.com.br

Leia mais

1. Patente de Invenção (PI) Produtos ou processos que atendam aos requisitos de atividade inventiva, novidade e aplicação industrial.

1. Patente de Invenção (PI) Produtos ou processos que atendam aos requisitos de atividade inventiva, novidade e aplicação industrial. 1 O que é patente? Patente é um título de propriedade temporária sobre uma invenção ou modelo de utilidade, outorgado pelo Estado aos inventores ou autores ou outras pessoas físicas ou jurídicas detentoras

Leia mais

Coleta de informações: exemplos de disponibilidades na UFSCar

Coleta de informações: exemplos de disponibilidades na UFSCar Projeto em Engenharia de Materiais Coleta de informações: exemplos de disponibilidades na UFSCar Leandro I. L. Faria São Carlos, 1º semestre de 2009 Pesquisa bibliográfica Análise crítica, meticulosa e

Leia mais

GUIA AVANÇADO PARA BUSCAS ESPECÍFICAS

GUIA AVANÇADO PARA BUSCAS ESPECÍFICAS GUIA AVANÇADO PARA BUSCAS ESPECÍFICAS Tutorial Específico 1: Compostos Químicos Centro de Disseminação da Informação Tecnológica Cedin cedin@inpi.gov.br Abril/2015 ATENÇÃO: Por ser continuação do Guia

Leia mais

O uso da informação tecnológica contida nos documentos de patente O papel estratégico do INPI

O uso da informação tecnológica contida nos documentos de patente O papel estratégico do INPI O uso da informação tecnológica contida nos documentos de patente O papel estratégico do INPI Instituto Nacional da Propriedade Industrial - INPI Sérgio Barcelos Theotonio Rio de Janeiro, 18 de agosto

Leia mais

Núcleos de Inovação Tecnológica:

Núcleos de Inovação Tecnológica: Núcleos de Inovação Tecnológica: Promovendo a Gestão da Inovação nas Ins:tuições de Ciência e Tecnologia Prof. Rubén Dario Sinisterra e Prof. Oswaldo Massambani Presidente e Vice- Presidente do FORTEC

Leia mais

GUIA SIMPLIFICADO PARA BUSCAS EM BASES DE PATENTE GRATUITAS

GUIA SIMPLIFICADO PARA BUSCAS EM BASES DE PATENTE GRATUITAS GUIA SIMPLIFICADO PARA BUSCAS EM BASES DE PATENTE GRATUITAS Parte 3 Centro de Disseminação da Informação Tecnológica Cedin cedin@inpi.gov.br Junho/2014 3. ESPACENET - BUSCA INTERNACIONAL NO ESCRITÓRIO

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PATENTES: ETAPAS DO PROCESSAMENTO

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PATENTES: ETAPAS DO PROCESSAMENTO I N PI INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PATENTES: ETAPAS DO PROCESSAMENTO 111 Processamento Administrativo do Pedido de Patente Apresentação do Pedido Apresentação do Pedido Art. 19 Relatório

Leia mais

I SEMINÁRIO DE INOVAÇÃO E PESQUISA APLICADA DO IFMA. Codó -MA

I SEMINÁRIO DE INOVAÇÃO E PESQUISA APLICADA DO IFMA. Codó -MA I SEMINÁRIO DE INOVAÇÃO E PESQUISA APLICADA DO IFMA Codó -MA 02 Linha do Tempo Lei de Inovação Lei n 10.973/2004 Resolução Uema Nº 867/2008 CEPE/UEMA 2004 2005 2006 2007 2008 Linha do Tempo MISSÃO / NIT

Leia mais

ões Instituto Nacional da Propriedade Industrial Departamento de Patentes e Modelos de Utilidade

ões Instituto Nacional da Propriedade Industrial Departamento de Patentes e Modelos de Utilidade A A protecção das invenções ões Instituto Nacional da Propriedade Industrial Departamento de Patentes e Modelos de Utilidade 1 A protecção das invenções Sumário rio: 1. Modalidades de protecção 2. O que

Leia mais

Oficina 1A Faça uma busca preliminar e selecione publicações sobre Apontador Laser, com Controle de Tempo

Oficina 1A Faça uma busca preliminar e selecione publicações sobre Apontador Laser, com Controle de Tempo Oficina 1A Faça uma busca preliminar e selecione publicações sobre Apontador Laser, com Controle de Tempo 2011 www.axonal.com.br Neste exemplo, estamos fazendo uma busca baseada na expressão: LASER a um

Leia mais

Curso Geral Módulo EaD DL 101P BR

Curso Geral Módulo EaD DL 101P BR Curso Geral Módulo EaD DL 101P BR OBJETIVO: Apresentar uma visão atualizada dos mecanismos de proteção das criações intelectuais, enfocando o arcabouço legal brasileiro e as atribuições do INPI. CARGA

Leia mais

PATENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA: UTILIZAÇÂO DE DOCUMENTOS DE PATENTE EM DOMÍNIO PÚBLICO

PATENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA: UTILIZAÇÂO DE DOCUMENTOS DE PATENTE EM DOMÍNIO PÚBLICO PATENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA: UTILIZAÇÂO DE DOCUMENTOS DE PATENTE EM DOMÍNIO PÚBLICO WANISE BORGES GOUVEA BARROS Fundação Oswaldo Cruz wanisefar@gmail.com LUC QUONIAM UNINOVE Universidade

Leia mais

Inovação e Empreendedorismo A experiência da Inova Unicamp

Inovação e Empreendedorismo A experiência da Inova Unicamp Inovação e Empreendedorismo A experiência da Inova Unicamp Bastiaan Philip Reydon Inova Unicamp Seminário: Pesquisa e Inovação para melhores condições de trabalho e emprego 18 de Outubro de 2012, Brasilia

Leia mais

Busca Profissional de Patentes ferramentas técnicas e fontes. Henry Suzuki Axonal Consultoria Tecnológica

Busca Profissional de Patentes ferramentas técnicas e fontes. Henry Suzuki Axonal Consultoria Tecnológica Busca Profissional de Patentes ferramentas técnicas e fontes Henry Suzuki Axonal Consultoria Tecnológica www.clevercaps.com.br Ministrante Henry Suzuki Sócio Diretor da Axonal Consultoria Tecnológica Ltda.

Leia mais

ANÁLISE DOS RESULTADOS DE BUSCAS REALIZADAS EM BASES PÚBLICAS DE PATENTES: O CASO DA APLICAÇÃO DE LIPASES PARA RESOLUÇÃO DE RACÊMICOS

ANÁLISE DOS RESULTADOS DE BUSCAS REALIZADAS EM BASES PÚBLICAS DE PATENTES: O CASO DA APLICAÇÃO DE LIPASES PARA RESOLUÇÃO DE RACÊMICOS Cad. Prospec., Salvador, v. 8, n. 1, p. 114-121, jan./mar. 2015 D.O.I.: 10.9771/S.CPROSP.2015.008.013 ANÁLISE DOS RESULTADOS DE BUSCAS REALIZADAS EM BASES PÚBLICAS DE PATENTES: O CASO DA APLICAÇÃO DE LIPASES

Leia mais

FORMULÁRIO DE COMUNICAÇÃO DE INVENÇÃO DESCRIÇÃO DO INVENTO E AVALIAÇÃO DA ANTERIORIDADE

FORMULÁRIO DE COMUNICAÇÃO DE INVENÇÃO DESCRIÇÃO DO INVENTO E AVALIAÇÃO DA ANTERIORIDADE FORMULÁRIO DE COMUNICAÇÃO DE INVENÇÃO DESCRIÇÃO DO INVENTO E AVALIAÇÃO DA ANTERIORIDADE Nome: Unidade: Data: Código: Número do Processo: Inventor responsável pelo preenchimento e envio* Campos de preenchimento

Leia mais

Introdução aos conceitos de Propriedade Intelectual

Introdução aos conceitos de Propriedade Intelectual 8º REPICT Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia Introdução aos conceitos de Propriedade Intelectual Módulo 5 A PATENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA Sérgio Barcelos

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL

PROPRIEDADE INTELECTUAL PROPRIEDADE INTELECTUAL Importância e Modos de Proteção Vasco Dias, Consultor e Advogado Contexto Empreendedorismo de Base Tecnológica Análise e gestão do risco Actividades de Vigilância Tecnológica Business

Leia mais

INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE UM PEDIDO DE PATENTE

INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE UM PEDIDO DE PATENTE INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE UM PEDIDO DE PATENTE O presente trabalho constitui-se numa síntese da Legislação em vigor, destinando-se ao auxílio dos usuários no preparo de um pedido de patente.

Leia mais

Importância da Propriedade Intelectual nas atividades de pesquisa e inovação Agência de Inovação Inova Unicamp

Importância da Propriedade Intelectual nas atividades de pesquisa e inovação Agência de Inovação Inova Unicamp Importância da Propriedade Intelectual nas atividades de pesquisa e inovação Agência de Inovação Inova Unicamp 9 anos de parcerias em inovação Tópicos para Discussão Contexto relacionado a Inovação A Universidade

Leia mais

COMO ESCREVER UMA PATENTE

COMO ESCREVER UMA PATENTE Universidade Federal do Piauí Centro de Ciências da Saúde Laboratório de Pesquisa em Neuroquímica Experimental COMO ESCREVER UMA PATENTE Palestrante: Profª Maria Leonildes B. G. C. B. Marques Universidade

Leia mais

Treinamento do Sistema RH1000 = Banco de Talentos =

Treinamento do Sistema RH1000 = Banco de Talentos = Treinamento do Sistema RH1000 = Banco de Talentos = Ohl Braga Desenvolvimento Empresarial 1 Tópicos abordados Acesso ao sistema 4 Workflow do sistema 6 Qualificações 7 Áreas de Atuação 11 Cargos 13 Qualificações

Leia mais

EDITAL Nº 429 de 29/07/2015

EDITAL Nº 429 de 29/07/2015 EDITAL Nº 429 de 29/07/2015 O Reitor em exercício do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, torna público o processo de seleção de invenções

Leia mais

PCT TRATADO DE COOPERAÇÃO EM MATÉRIA DE PATENTES. Gisela Ap. S. Nogueira. Divisão Internacional do PCT - DIPCT CGPCT - DIRPA

PCT TRATADO DE COOPERAÇÃO EM MATÉRIA DE PATENTES. Gisela Ap. S. Nogueira. Divisão Internacional do PCT - DIPCT CGPCT - DIRPA PCT TRATADO DE COOPERAÇÃO EM MATÉRIA DE PATENTES Gisela Ap. S. Nogueira Divisão Internacional do PCT - DIPCT CGPCT - DIRPA Curso Intermediário de Patentes julho/2011 SETI/TEPCAR- PR 1 PCT Tratado de Cooperação

Leia mais

TUTORIAL DE BUSCA EM BANCOS DE PATENTES

TUTORIAL DE BUSCA EM BANCOS DE PATENTES TUTORIAL DE BUSCA EM BANCOS DE PATENTES Tutorial de Busca Bases disponíveis Tutoriais Derwent INPI USPTO EPO O que é? Base de dados de patentes internacionais e um índice de citações de patentes Onde?

Leia mais

A gestão da propriedade intelectual em um cenário de inovação aberta

A gestão da propriedade intelectual em um cenário de inovação aberta A gestão da propriedade intelectual em um cenário de inovação aberta Araken Alves de Lima Coordenador-Geral da Academia da Propriedade Intelectual, Inovação e Desenvolvimento (ACAD/INPI) Roteiro Apresentação

Leia mais

TUTORIAL - BIOLOGICAL ABSTRACT

TUTORIAL - BIOLOGICAL ABSTRACT TUTORIAL - BIOLOGICAL ABSTRACT Josefina A. S. Guedes Bibliotecária CRB 9-870 jguedes@ufpr.br SISTEMA DE BIBLIOTECAS SiBi/UFPR Biblioteca de Ciências Biológicas 2013 1 CONTEÚDO 2 APRESENTAÇÃO Este tutorial

Leia mais

VALORAÇÃO DE TECNOLOGIA

VALORAÇÃO DE TECNOLOGIA XII Encontro da Rede Mineira de Propriedade Intelectual VALORAÇÃO DE TECNOLOGIA Engª LOURENÇA F. DA SILVA Belo Horizonte - 05/11/2010 Lourença F. Silva - 05-11-2010 1 VALORAÇÃO DA TECNOLOGIA PARA VALORAR

Leia mais

Orientações para o Planejamento e Realização do Projeto Final

Orientações para o Planejamento e Realização do Projeto Final Orientações para o Planejamento e Realização do Projeto Final Simone Diniz Junqueira Barbosa Versão: 1.0.4 Orientações para o Planejamento e Realização do Projeto Final Sumário 1 Introdução... 3 2 Projeto

Leia mais

PATENTES E SUAS ETAPAS. Antes de efetuado um depósito, recomendamos exame E BUSCA preliminar, para verificar se o pedido está de acordo com as normas.

PATENTES E SUAS ETAPAS. Antes de efetuado um depósito, recomendamos exame E BUSCA preliminar, para verificar se o pedido está de acordo com as normas. PATENTES E SUAS ETAPAS Antes de efetuado um depósito, recomendamos exame E BUSCA preliminar, para verificar se o pedido está de acordo com as normas. A busca de anterioridade não é obrigatória, mas é altamente

Leia mais

COMO PROTEGER SUA INVENÇÃO NO BRASIL UTILIZANDO AS PATENTES

COMO PROTEGER SUA INVENÇÃO NO BRASIL UTILIZANDO AS PATENTES COMO PROTEGER SUA INVENÇÃO NO BRASIL UTILIZANDO AS PATENTES Dr Rockfeller Maciel Peçanha Conselheiro e Diretor do CREA-RJ Esta apresentação é de responsabilidade do autor não refletindo necessariamente

Leia mais

Palavras-chave: Resumo. Patente, domínio público, disponível, CD-Rom, internet, genérico, ferramentas, pequena e média empresa, PME, status

Palavras-chave: Resumo. Patente, domínio público, disponível, CD-Rom, internet, genérico, ferramentas, pequena e média empresa, PME, status Disponibilização de pedido de patente genérico Wanise B. G. BARROSO (*), Luc QUONIAM (**) wanise@inpi.gov.br / wanisebarroso@hotmail.com quoniam@univ -tln.fr / quoniam@cendotec.org.br (*) INPI, Instituto

Leia mais

PCT. Divisão Internacional do PCT DIPCT Seção de Recepção do PCT SRPCT Divisão Nacional do PCT DNPCT DIRPA. Curso Oficina do PCT

PCT. Divisão Internacional do PCT DIPCT Seção de Recepção do PCT SRPCT Divisão Nacional do PCT DNPCT DIRPA. Curso Oficina do PCT PCT TRATADO DE COOPERAÇÃO EM MATÉRIA DE PATENTES Coordenação Geral do PCT Divisão Internacional do PCT DIPCT Seção de Recepção do PCT SRPCT Divisão Nacional do PCT DNPCT DIRPA Curso Oficina do PCT Abril

Leia mais

Centro de Pesquisas René Rachou Fundação Oswaldo Cruz Oficina de Monitoramento Tecnológico

Centro de Pesquisas René Rachou Fundação Oswaldo Cruz Oficina de Monitoramento Tecnológico Centro de Pesquisas René Rachou Fundação Oswaldo Cruz Oficina de Monitoramento Tecnológico Belo Horizonte Fevereiro/2013 Monitoramento Tecnológico Apresentação de Conceitos Monitoramento Tecnológico Prospecção

Leia mais

Gestão para Resultados

Gestão para Resultados Gestão para Resultados A CONSTRUÇÃO E EXECUÇÃO DA AGENDA PRIORITÁRIA DO INPI EM 2014 PEDRO BURLANDY COORDENADOR-GERAL DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO 27 DE MARÇO DE 2015 FUNDAÇÃO ESCOLA DE GOVERNO ENA TÓPICOS

Leia mais