Patentes e spin-off como indicadores de desempenho tecnológico de Ribeirão Preto

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Patentes e spin-off como indicadores de desempenho tecnológico de Ribeirão Preto"

Transcrição

1 Ribeirão Preto Janeiro / 2011 Patentes e spin-off como indicadores de desempenho tecnológico de Ribeirão Preto Apoio:

2 Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia Diretor-Presidente: Prof. Dr. Jorge Henrique Caldeira de Oliveira FEA-RP/USP Núcleo de Pesquisas em Inovação, Gestão Tecnológica e Competitividade Coordenação: Prof. Dra. Geciane Silveira Porto FEA-RP/USP

3 Patentes e spin-off como indicadores de desempenho tecnológico de Ribeirão Preto PESQUISADORES Geciane Silveira Porto Professora Associada ao Departamento de Administração - FEA-RP/USP Orlando Nastri Neto Graduando em Administração de Empresas - FEA-RP/USP Alexandre Dias Mestrando em Administração de Organizações - FEA-RP/USP

4 Objetivo Geral de Pesquisa Levantar dados de patentes e spin-off geradas em Ribeirão Preto, de modo a calcular quatro índices como forma de medir o desempenho inovativo em termos de conversão de ciência básica em inovação, criação de empresas de base tecnológica, recolhimento de impostos e criação de postos de trabalho.

5 Contexto : Conceitos Iniciais SPIN-OFF Empresa desenvolvida para explorar comercialmente a propriedade intelectual gerada a partir de um trabalho de pesquisa em uma instituição acadêmica. SUPERA Incubadora de empresas de base tecnológica que abriga empreendimentos nascentes, geralmente oriundos de pesquisa científica, oferecendo serviços que favorecem o desenvolvimento empresarial.

6 Contexto : Conceitos Iniciais PIPE FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas, apóia a execução de pesquisa científica e/ou tecnológica em empresas no estado de São Paulo. PRIME FIPASE Programa de apoio financeiro para novas empresas que tenham a inovação como diferencial competitivo, com foco em promover segurança de remuneração para o empreendedor e atacar as altas carências gerenciais. PATENTE Concessão pública, conferida via análise de órgão governamental, como o INPI, que garante ao seu titular a exclusividade ao explorar comercialmente a sua respectiva criação.

7 Fontes de Dados O número de spin-off criadas foi levantado com base nas informações de fontes abaixo: Agência USP de Inovação; Projetos submetidos à Supera e Programa PRIME (FIPASE) ; PIPE (FAPESP). As publicações nacionais e internacionais foram extraídas com base nos currículos dos pesquisadores disponíveis na Plataforma Lattes; As informações de patentes foram extraídas do banco de dados do INPI e em consulta na Agência USP de Inovação. NOTAS 1) FIPASE = Fundação Pólo Avançado de Saúde de Ribeirão Preto; 2) FAPESP = Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo; 3) INPI =Instituto Nacional de Propriedade Industrial.

8 Índice 01 Conversão de Ciência Básica em Inovação Tecnológica OBJETIVO Medir a taxa de conversão de ciência básica em inovação tecnológica, via proporção entre as patentes geradas e as publicações realizadas pelos pesquisadores no campus da USP de Ribeirão Preto. FÓRMULA Pat / Pub, onde: Pat = nº de patentes geradas pelos pesquisadores Pub = nº de publicações realizadas pelos pesquisadores NOTA 1) A série história analisada a seguir é de 2004 a 2008, em virtude do tempo de sigilo da patente depositada no INPI ser de 18 meses.

9 Produção Científica Detalhada Publicações USP campus de Ribeirão Preto x Publicações inventores de patentes depositadas ( )

10 Produção Científica Total Publicação Total USP campus de Ribeirão Preto x Publicação Total Inventores de Patentes Depositadas ( ) Participação da produção científica dos inventores de patentes depositadas no total da USP RP: 6,86% NOTA 1) Publicação Total USP RP:segundo Base de Dados Bibliográficos da USP

11 Patente Depositada x Publicação Total dos Inventores Detalhamento do índice por ano e unidade da USP RP Patente depositada/ Publicação Patente depositada/ Publicação índice total por unidade USP Inventores FCFRP FFCLRP FMRP índice total por unidade USP FFCLRP FMRP FORP Inventores ÍNDICE TOTAL USP RP Patentes depositadas / Publicações ÍNDICE TOTAL USP RP Patentes depositadas / Publicações

12 Patente Depositada x Publicação Total dos Inventores Detalhamento do índice por ano e unidade da USP RP Patente depositada/ Publicação 2006 Patente 2007 depositada/ Publicação índice total por unidade USP Inventores unidade FCFRP FFCLRP FMRP USP FCFRP FFCLRP ÍNDICE TOTAL USP RP Patentes depositadas / Publicações índice total por Inventores FMRP ÍNDICE TOTAL USP RP Patentes depositadas / Publicações FORP

13 Patente Depositada x Publicação Total dos Inventores Detalhamento do índice por ano e unidade da USP RP Patente depositada/ Publicação 2008 índice total por unidade USP FCFRP FFCLRP FMRP ÍNDICE TOTAL USP RP Patentes depositadas / Publicações Inventores

14 Patente Depositada x Publicação Total dos Inventores Detalhamento do índice por unidade da USP RP ( ) Patente depositada/ Publicação FMRP Patente depositada/ Publicação FFCLRP Inventores Inventores Patente depositada/ Publicação FORP Patente depositada/ Publicação FCFRP Inventores Inventores

15 Patente Depositada x Publicação Total dos Inventores Patente depositada/ Publicação Total campus USP RP ( ) Desvio Padrão 0.38 Média 0.34 Mediana 0.2 ÍNDICE TOTAL USP RP Patentes depositadas / Publicações Inventores

16 Assuntos das Patentes Principais assuntos das patentes depositadas ( ) 2004 Antividade analgésica e anti-inflamatória Atividade anti-bacterial Atividade tripanocida Ressonância magnética Fitoqúimica 2005 Citotoxidade Atividade tripanocida Comportamento bioquímico Caracterização físico-química Imunoterapia 2006 Atividade anti-microbacterial Patogênese Nano-estruturados orgânicos Atividade anti-inflamatória Imunização 2007 Atividade mitocondrial Estudo fotofísico e fotobiológico Processo fotodinâmico Estudo In vitro e in vivo Citotoxidade 2008 Análise biomecânica Atividade tripanocida Propriedades fotofísicas Estudo in vitro Estudo histomorfométrico NOTA 1) Segundo incidência de patentes depositadas no banco de dados do INPI.

17 Assuntos das Publicações Principais assuntos das publicações dos inventores de patentes depositadas ( ) 2004 Fluído magnético/ressonância magnética Biocompatibilidade Extratos vegetais/farmacologia Agentes tripanocidas Ácido aminolevulínico 2005 Antígenos de vírus Imunologia celular Histoplasmose Material de gravação interoclusal Fungos/Enzimologia 2006 Imunologia/Farmacologia Inflamação Extratos vegetais Leishmania Inibidores enzimáticos 2007 Extratos vegetais/farmacologia Tuberculose/Imunologia Inflamação Óxido nítrico Amálgama Dentário 2008 Nanotecnologia Vacinação Agentes Fotossensibilzantes Doença de Chagas/Parasitologia Interleucina NOTA 1) Segundo incidência de palavras-chave nas publicações nacionais e internacionais dos inventores de patentes depositadas.

18 Origem de Patentes Origem de patentes depositadas por unidade da USP - campus de Ribeirão Preto ( ) NOTA 1) Segundo Agência USP de Inovação.

19 Participantes em Patentes Pesquisadores da USP - campus de Ribeirão Preto - participantes em patentes depositadas ( ) NOTA 1) Segundo Agência USP de Inovação.

20 Índice 02 Criação de Spin-Off OBJETIVO Este indicador tem como objetivo monitorar o número de empresas spin-off criadas em Ribeirão Preto de 2005 a FÓRMULAS Sp/Ano Sp/Total de empresas criadas Onde: Sp= número de empresas spin-off criadas

21 Criação de Spin - Off Empresas Spin-Off criadas em Ribeirão Preto por ano e fonte Série Histórica ( ) Empresas Spin - Off Criadas NOTA 1)As empresas contempladas em mais de uma categoria das fontes de dados levantadas (Supera, PIPE e PRIME) foram contadas uma única vez, de acordo com a data mais antiga de vinculação.

22 Empresas Tradicionais X Spin-Off Evolução da criação de Empresas Tradicionais e Spin-Off por ano em Ribeirão Preto ( ) 1112 NOTAS 1) Empresas criadas em Ribeirão Preto segundo Relação Anual de Informações Sociais (RAIS); 2) RAIS 2010 ainda não disponível consolidada.

23 Evolução Percentual Spin Off Empresas spin off X Empresas tradicionais em Ribeirão Preto ( ) Total empresas spin - off criadas / Total empresas tradicionais criadas NOTA 1) ) RAIS 2010 ainda não consolidada.

24 Setores de Atividade Setores de atividade das empresas Spin-Off de acordo com o CNAE 2.0 ( )

25 Quantidade de sócios Formação dos Sócios Formação dos sócios das empresas Spin-Off ( ) Formação

26 Spin-Off e Patentes Depositadas Análise do total de empresas Spin-Off, titularidade e cotitularidade de patentes depositadas ( ) Em 16,6% das empresas há titularidade exclusiva da patente depositada Em 22,2% das empresas há cotitularidade de patente depositada com a USP

27 Colaboração de Pesquisadores Colaboração de pesquisadores da USP campus de Ribeirão Preto - com empresas Spin-Off ( ) Em 77,7% das empresas há colaboração de pesquisadores da USP

28 Origem Spin-Off Origem total e detalhada de empresas Spin-Off criadas ( ) Supera PIPE PRIME NOTAS 1) Origem USP : sócio da SPIN-OFF teve passagem em algum curso de pós-graduação stricto sensu na USP e, a partir de pesquisas acadêmicas, desenvolveu suporte para criação de sua empresa; 2) Outras Origens : Fred Hutchinson Cancer Research Center, UNICAMP e Innolution.

29 Publicações, Patentes e Spin-Off Comparação total de publicações, patentes depositadas e spin-off criadas a partir da USP RP ( ) 2% 24%

PARQUE TECNOLÓGICO DE RIBEIRÃO PRETO

PARQUE TECNOLÓGICO DE RIBEIRÃO PRETO PARQUE TECNOLÓGICO DE RIBEIRÃO PRETO SUMÁRIO EXECUTIVO O Parque Tecnológico de Ribeirão Preto é um empreendimento imobiliário e tecnológico com características especificamente projetadas, incluindo serviços

Leia mais

U S P I n o v a ç ã o

U S P I n o v a ç ã o O contexto Nacional e Estadual em prol da Inovação Autonomia Universitária 3º. 4º. 5º. 24º. 25º. 7º. 8º. 9º. 10º. 23º. 21º. 22º. 1º. 2º. 11º. 12º. 13º. 14º. 15º. 16º. 17º. 18º. 19º. 20º. A USP nesse contexto

Leia mais

Lei de Inovação, Universidades e Núcleos de Inovação

Lei de Inovação, Universidades e Núcleos de Inovação Lei de Inovação, Universidades e Núcleos de Inovação Prof. Oswaldo Massambani Diretor A Política de Desenvolvimento Produtivo Autonomia Universitária 24º. 25º. 3º. 4º. 5º. 7º. 8º. 9º. 10º. 23º. 1º. 2º.

Leia mais

Inovação, ação inovadora e financiamento à inovação. IEL/ES junho de 2009 INOVA FINDES

Inovação, ação inovadora e financiamento à inovação. IEL/ES junho de 2009 INOVA FINDES Inovação, ação inovadora e financiamento à inovação IEL/ES junho de 2009 INOVA FINDES Inovação introdução de novidade ou aperfeiçoamento no ambiente produtivo ou social que resulte em novos produtos, processos

Leia mais

A Tríplice Hélice Universidade, Empresa e Governo em ação.

A Tríplice Hélice Universidade, Empresa e Governo em ação. A Tríplice Hélice Universidade, Empresa e Governo em ação. Fernando Kreutz, M.D./Ph.D. Diretor-Presidente FK-Biotecnologia S.A. Professor Faculdade de Farmácia da PUCRS Pesquisador CNPq Conselheiro Anprotec

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação EDITAL OPPG 08/2014 PEC-UTF EDITAL DO OCESSO SELETIVO PARA CANDIDATOS ESTRANGEIROS NOS OGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UTF DEMANDA DE BOLSAS DE AGÊNCIAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS DE FOMENTO A Pró-Reitoria

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias Agência de Inovação

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias Agência de Inovação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias Agência de Inovação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias

Leia mais

NUCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA - UESC

NUCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA - UESC Boletim 13 Editais / FAPESB Visite nosso blog: / Edital 029/2010 Popularização da Ciência Educação Científica - financiamento de projetos institucionais de educação científica que propiciem a difusão e

Leia mais

Incubadoras e o Empreendedorismo Tecnológico

Incubadoras e o Empreendedorismo Tecnológico IV SemiPI: Seminário de Propriedade Intelectual e Empreendedorismo Tecnológico - UFPI Incubadoras e o Empreendedorismo Tecnológico Gláucio Bezerra Brandão et alii UFRN Setembro de 2012 Prólogo 1 O Brasil

Leia mais

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia A Coppe Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia nasceu disposta a ser um sopro de renovação na

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - PROPESP POLÍTICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - PROPESP POLÍTICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - PROPESP POLÍTICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU A Pesquisa e a Pós-Graduação Stricto Sensu são atividades coordenadas por uma mesma

Leia mais

Profa. Dra. Cristina Castro Lucas de Souza Depieri

Profa. Dra. Cristina Castro Lucas de Souza Depieri Inovação e Tecnológia na Gestão Pública Profa. Dra. Cristina Castro Lucas de Souza Depieri Doutorado em Administração (UnB) Mestrado em Contabilidade e Controladoria (UFMG) Graduação em Ciências Contábeis

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DIVISÃO DE PESQUISA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DIVISÃO DE PESQUISA ANEXO 1 Tabela de pontuação do Curriculum lattes (considerando avaliação de Periódicos CAPES/QUALIS - Atual Avaliação de Títulos e Produção Científica do Orientador Baseada no Currículo Lattes ( formato

Leia mais

Perfil da Produção Científica Brasileira. Marco Antonio Zago Pro-Reitor de Pesquisa USP

Perfil da Produção Científica Brasileira. Marco Antonio Zago Pro-Reitor de Pesquisa USP Perfil da Produção Científica Brasileira Marco Antonio Zago Pro-Reitor de Pesquisa USP FAPESP Junho 2011 Tendência Geral Crescimento Heterogêneo Valor Relativo (1996 = 1) Universidade de São Paulo 4 Crescimento

Leia mais

Universidade CEUMA REITORIA Gerência de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão

Universidade CEUMA REITORIA Gerência de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão EDITAL DE APOIO A PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS ACADÊMICOS, CIENTÍFICOS E TECNOLÓGICOS, ESTÁGIOS DE CURTA DURAÇÃO E CURSOS DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EDITAL No. 010/GPG/2015 A Universidade CEUMA, por meio

Leia mais

Patentes de Invenção

Patentes de Invenção Patentes de Invenção Oportunidade para Pequenas Empresas de Alta Tecnologia e Alta Taxa de Crescimento Roberto A Lotufo Agência de Inovação da Unicamp La II Conferência de Incubadoras Latinoamericanas

Leia mais

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 06/2010

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 06/2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS Campus Universitário Viçosa, MG 36570-000 Telefone: (31) 3899-2127 - Fax: (31) 3899-1229 - E-mail: soc@ufv.br RESOLUÇÃO

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM METEOROLOGIA APLICADA 2015-2

EDITAL DE SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM METEOROLOGIA APLICADA 2015-2 EDITAL DE SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM METEOROLOGIA APLICADA 2015-2 1. Estão abertas as inscrições para o Programa de Pós-Graduação em Meteorologia Aplicada da UFV, no período de 1.º de

Leia mais

Agência USP de Inovação A visão da Universidade sobre a importância da parceria com o setor empresarial

Agência USP de Inovação A visão da Universidade sobre a importância da parceria com o setor empresarial Agência USP de Inovação A visão da Universidade sobre a importância da parceria com o setor empresarial Prof. Dr. Vanderlei Salvador Bagnato Coordenador Missão Promover a utilização do conhecimento científico,

Leia mais

Ciências da Vida x MPE:

Ciências da Vida x MPE: Ciências da Vida x MPE: Oportunidades e desafios Fernando Kreutz, M.D./Ph.D. Diretor-Presidente FK-Biotec Professor Faculdade de Farmácia da PUCRS Pesquisador CNPq DT IB Conselheiro Anprotec Empreendedor

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR EDITAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR EDITAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR CAMPUS I - CIDADE UNIVERSITÁRIA CEP: 58051-900 - JOÃO PESSOA - PB TELEFONE: (83) 3216-7407

Leia mais

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com. ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.br CPC Conceito Preliminar de Curso 1 - Nota dos Concluintes no ENADE

Leia mais

Visão Geral da Lei de Inovação: Avanços e Desafios após 10 anos.

Visão Geral da Lei de Inovação: Avanços e Desafios após 10 anos. Visão Geral da Lei de Inovação: Avanços e Desafios após 10 anos. 12.08.2015 Henrique Frizzo 2015 Trench, Rossi e Watanabe Advogados 1 Conceitos Gerais da Lei de Inovação Conceitos Gerais da Lei de Inovação

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DAS EMPRESAS INCUBADAS período

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DAS EMPRESAS INCUBADAS período ANEXO IV (apenas para os aprovados e após a entrada na incubação) QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DAS EMPRESAS INCUBADAS período *Obrigatório Parte superior do formulário Responsável pelas Informações: * Informações

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DAS EMPRESAS INCUBADAS PERÍODO

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DAS EMPRESAS INCUBADAS PERÍODO ANEXO IV QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DAS EMPRESAS INCUBADAS PERÍODO *Obrigatório Parte superior do formulário Responsável pelas Informações: * Informações Básicas A empresa Nome/ Razão Social da Empresa:

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO Edital nº 07/2014 Programa institucional de auxílio financeiro ao pesquisador para tradução

Leia mais

Núcleo de Inovação Tecnológica

Núcleo de Inovação Tecnológica UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Fepagro em Foco Estruturação de NITs Porto Alegre, 07 de novembro de 2012 Núcleo de Inovação Tecnológica É o orgão integrante da estrutura da ICT com a finalidade

Leia mais

Propriedade intelectual Câmpus Pato Branco NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DIRETORIA DE RELAÇÕES EMPRESARIAIS E COMUNITÁRIAS

Propriedade intelectual Câmpus Pato Branco NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DIRETORIA DE RELAÇÕES EMPRESARIAIS E COMUNITÁRIAS Propriedade intelectual Câmpus Pato Branco NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA O que é a propriedade intelectual? A convenção da Organização Mundial da Propriedade Intelectual define como propriedade intelectual:

Leia mais

PORTARIA Nº 185, DE 12 DE JULHO DE 2012

PORTARIA Nº 185, DE 12 DE JULHO DE 2012 PORTARIA Nº 185, DE 12 DE JULHO DE 2012 Torna públicas as teses e diretrizes para a elaboração de uma Política Nacional de Empreendedorismo e Negócios PNEN, e dá outras providências. O MINISTRO DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

Ecossistemas Regionais de Empreendedorismo de Alto Impacto Milton Mori Diretor Executivo da Inova milton.mori@inova.unicamp.br

Ecossistemas Regionais de Empreendedorismo de Alto Impacto Milton Mori Diretor Executivo da Inova milton.mori@inova.unicamp.br Ecossistemas Regionais de Empreendedorismo de Alto Impacto Milton Mori Diretor Executivo da Inova milton.mori@inova.unicamp.br Patrícia Leal Gestic Diretora de Propriedade Intelectual da Inova patricia.leal@inova.unicamp.br

Leia mais

Prêmio Inovação UP 2012 Manual de Preenchimento do Formulário

Prêmio Inovação UP 2012 Manual de Preenchimento do Formulário ORIENTAÇÕES GERAIS Considerando que projeto deverá ser executado de agosto de 2012 a janeiro de 2013, avaliar a viabilidade de execução e finalização no prazo. Para preencher o formulário, observar as

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DA USP À SAÚDE PÚBLICA DE RIBEIRÃO PRETO

CONTRIBUIÇÃO DA USP À SAÚDE PÚBLICA DE RIBEIRÃO PRETO CONTRIBUIÇÃO DA USP À SAÚDE PÚBLICA DE RIBEIRÃO PRETO Benedito Carlos Maciel Diretor Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo Missão FMRP USP Oferecer educação superior de excelência,

Leia mais

ASPECTOS METODOLÓGICOS DA PESQUISA GEM SÃO PAULO MARÇO 2008

ASPECTOS METODOLÓGICOS DA PESQUISA GEM SÃO PAULO MARÇO 2008 ASPECTOS METODOLÓGICOS DA PESQUISA GEM V EGEPE SÃO PAULO MARÇO 2008 Missão Contribuir para o desenvolvimento sustentável do País através da melhoria constante da produtividade, da qualidade e da inovação

Leia mais

Pesquisa. 40 INCA Relatório Anual 2005 Pesquisa

Pesquisa. 40 INCA Relatório Anual 2005 Pesquisa Pesquisa A pesquisa no INCA compreende atividades de produção do conhecimento científico, melhoria dos procedimentos diagnósticos e terapêuticos do câncer e formação de recursos humanos em pesquisa oncológica.

Leia mais

COMPREENDENDO MELHOR O APOIO DA FAPEMIG À PROTEÇÃO INTELECTUAL DE INVENTORES INDEPENDENTES

COMPREENDENDO MELHOR O APOIO DA FAPEMIG À PROTEÇÃO INTELECTUAL DE INVENTORES INDEPENDENTES COMPREENDENDO MELHOR O APOIO DA FAPEMIG À PROTEÇÃO INTELECTUAL DE INVENTORES INDEPENDENTES 1- A FAPEMIG apoia, tecnicamente e financeiramente, os inventores independentes na proteção e manutenção de invenções,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO COORDENAÇÃO DE POS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA TECNOLOGICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO COORDENAÇÃO DE POS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA TECNOLOGICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO COORDENAÇÃO DE POS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA TECNOLOGICA EDITAL 01/2015 PROCESSO DE SELEÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM QUÍMICA

Leia mais

Plano de Ação e Programa de Formação de Recursos Humanos para PD&I

Plano de Ação e Programa de Formação de Recursos Humanos para PD&I Plano de Ação e Programa de Formação de Recursos Humanos para PD&I 1. Plano de Ação A seguir apresenta-se uma estrutura geral de Plano de Ação a ser adotado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA EDITAL 04/2009 IDÉIA FLUXO CONTÍNUO INCUBADORA MULTI-SETORIAL DE BASE TECNOLÓGICA E INOVAÇÃO Novembro de 2009. PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS

Leia mais

PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NO CAMPUS ARARANGUÁ DO IF-SC EDITAL INTERNO- N0 XX/2010

PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NO CAMPUS ARARANGUÁ DO IF-SC EDITAL INTERNO- N0 XX/2010 PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NO DO IF-SC EDITAL INTERNO- N0 XX/2010 CHAMADA DE PROJETOS DE PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA EXECUÇÃO: 19 DE ABRIL DE 2010 A 10 DE MAIO DE 2010

Leia mais

WANDERSON ROMÃO. Identificação

WANDERSON ROMÃO. Identificação WANDERSON ROMÃO Graduado em Química Bacharel e Licenciatura pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Mestre em Química pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Sua dissertação de mestrado

Leia mais

ESTRATÉGIAS DO MCTI PARA INCENTIVAR A INOVAÇÃO EM TI: Startups e Centros de P&D

ESTRATÉGIAS DO MCTI PARA INCENTIVAR A INOVAÇÃO EM TI: Startups e Centros de P&D ESTRATÉGIAS DO MCTI PARA INCENTIVAR A INOVAÇÃO EM TI: Startups e Centros de P&D 1. DESAFIOS de formular uma política pública 2. Programa Start-Up Brasil 3. Ação de Atração de Centros Globais de P&D JOSE

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO - PPG-EE - 002/2015 PROGRAMA DE ENGENHARIA ELÉTRICA MESTRADO, DOUTORADO E DOUTORADO DIRETO

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO - PPG-EE - 002/2015 PROGRAMA DE ENGENHARIA ELÉTRICA MESTRADO, DOUTORADO E DOUTORADO DIRETO EESC-USP EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO - PPG-EE - 002/2015 PROGRAMA DE ENGENHARIA ELÉTRICA MESTRADO, DOUTORADO E DOUTORADO DIRETO A Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

ANEXO II. FORMULÁRIO PARA AVALIAÇÃO DE PROJETO 2ª Chamada PIBITI/CNPq PIBInova/PDI/UFF 2013 2014

ANEXO II. FORMULÁRIO PARA AVALIAÇÃO DE PROJETO 2ª Chamada PIBITI/CNPq PIBInova/PDI/UFF 2013 2014 ANEXO II FORMULÁRIO PARA AVALIAÇÃO DE PROJETO 2ª Chamada PIBITI/CNPq PIBInova/PDI/UFF 2013 2014 Avaliador: Identificação do projeto (Título) - link do Projeto Projeto Total Máximo: 50 pontos Atende ao

Leia mais

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Centro de Documentação e Informação da FAPESP São Paulo 2015 Sumário Introdução... 2 Objetivos...

Leia mais

Programa de Incubação de Empresas de Inovação Tecnológica/UNIFRA. Prof.º Lissandro Dorneles Dalla Nora Coordenador Incubadora UNIFRA

Programa de Incubação de Empresas de Inovação Tecnológica/UNIFRA. Prof.º Lissandro Dorneles Dalla Nora Coordenador Incubadora UNIFRA Programa de Incubação de Empresas de Inovação Tecnológica/UNIFRA Prof.º Lissandro Dorneles Dalla Nora Coordenador Incubadora UNIFRA Roteiro Incubadora Histórico / UNIFRA Programa de Incubação UNIFRA Organograma

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2004 Ano Base 2001_2002_2003 SOCIOLOGIA CAPES Período de Avaliação: 2001-2002-2003 Área de Avaliação: SOCIOLOGIA

Leia mais

Lei Complementar LEI COMPLEMENTAR Nº 1049, DE 19 DE JUNHO DE 2008

Lei Complementar LEI COMPLEMENTAR Nº 1049, DE 19 DE JUNHO DE 2008 DOE 20/06/2008, Seção I, Pág. 1/3 Lei Complementar LEI COMPLEMENTAR Nº 1049, DE 19 DE JUNHO DE 2008 Dispõe sobre medidas de incentivo à inovação tecnológica, à pesquisa científica e tecnológica, ao desenvolvimento

Leia mais

4,5,6,7 8,9,10 11,12,13 14,15 16 17,18. Índice. Introdução 3

4,5,6,7 8,9,10 11,12,13 14,15 16 17,18. Índice. Introdução 3 RELATÓRIO ANUAL Índice Introdução 3 Total de Empresas Unidades de Négócios Empresas Instaladas em Inscrição de Empresas no Processo de Seleção Planos de negócios aprovados Recursos Financeiros para Custeio

Leia mais

Programa FAPESP. Pesquisa Inovativa EM. Pequenas Empresas

Programa FAPESP. Pesquisa Inovativa EM. Pequenas Empresas Programa FAPESP Pesquisa Inovativa EM Pequenas Empresas Foto CAPA: LÉO ramos Objetivos Criado em 1997, o Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) apoia a execução de pesquisa científica

Leia mais

III Simpósio sobre Gestão Empresarial e Sustentabilidade (SimpGES) Produtos eco-inovadores: produção e consumo"

III Simpósio sobre Gestão Empresarial e Sustentabilidade (SimpGES) Produtos eco-inovadores: produção e consumo 24 e 25 de outubro de 2013 Campo Grande-MS Universidade Federal do Mato Grosso do Sul RESUMO EXPANDIDO PARCERIAS INTERORGANIZACIONAIS: ESFORÇO INOVADOR NO SETOR DE AÇÚCAR E ÁLCOOL JEFFERSON SILVA DE PÁDUA

Leia mais

Sistema de Indicadores Online de Ciência, Tecnologia e Inovação

Sistema de Indicadores Online de Ciência, Tecnologia e Inovação Sistema de Indicadores Online de Ciência, Tecnologia e Inovação Equipe Técnica: Profa. Dra. Andrea Waichman Prof. Dr. David Fernandes Prof. Dr. Horácio Fernandes Profa. Dra. Tayana Conte Anna Beatriz Marques

Leia mais

II 4BIOTEC 4 dias pela biotecnologia

II 4BIOTEC 4 dias pela biotecnologia II 4BIOTEC 4 dias pela biotecnologia 01 a 04 de Agosto Auditório Bento Prado Júnior Universidade Federal de São 03/08/2010 02/08/2010 Horário Atividade 08:30 12:00 Entrega do Material 14:00 15:30 Conferência

Leia mais

Edital PIICT / CNPq / Fucapi 2015-2016

Edital PIICT / CNPq / Fucapi 2015-2016 Fundação Centro de Análise Pesquisa e Inovação Tecnológica FUCAPI Faculdade Fucapi Instituto de Ensino Superior Fucapi Coordenação de Pesquisa CPESQ Programa Institucional de Iniciação Científica e Tecnológica

Leia mais

EDITAL Nº 15/2013 PRPGPE. Franciscano

EDITAL Nº 15/2013 PRPGPE. Franciscano EDITAL Nº 15/2013 PRPGPE Programa de Incubação de Empresas de Inovação Tecnológica/Centro Universitário Franciscano A Pró-Reitora de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão (PRPGPE) do Centro Universitário

Leia mais

Clipping IFRJ Setembro de 2012

Clipping IFRJ Setembro de 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Instituto Federal Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Assessoria de Comunicação Clipping IFRJ Setembro de 2012 11/09

Leia mais

CARTILHA DE INOVAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA E PROPRIEDADE INTELECTUAL. Portaria nº 040/2014 - Fundação Ezequiel Dias

CARTILHA DE INOVAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA E PROPRIEDADE INTELECTUAL. Portaria nº 040/2014 - Fundação Ezequiel Dias CARTILHA DE INOVAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA E PROPRIEDADE INTELECTUAL Portaria nº 040/2014 - Fundação Ezequiel Dias Governador do Estado de Minas Gerais Alberto Pinto Coelho Júnior Secretário de Estado

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO À PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU 2014/2015

PROGRAMA DE APOIO À PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU 2014/2015 PROGRAMA DE APOIO À PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Finalidade 2014/2015 Este documento estabelece o portfólio de fomento, disponibilizado pela UPE e julgados pela Câmara de Pó-Graduação, em adição aos existentes

Leia mais

Inovação. no Estado de São Paulo. Políticas Públicas para a promoção da Ciência, Tecnologia e

Inovação. no Estado de São Paulo. Políticas Públicas para a promoção da Ciência, Tecnologia e Políticas Públicas para a promoção da Ciência, Tecnologia e no Estado de São Paulo Inovação Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia Subsecretaria de Ciência e Tecnologia Vantagens

Leia mais

QUESTIONÁRIO PARA CONHECIMENTO DE INVENÇÃO

QUESTIONÁRIO PARA CONHECIMENTO DE INVENÇÃO QUESTIONÁRIO PARA CONHECIMENTO DE INVENÇÃO Dados referentes ao(s) inventor(es)/autor(es): Inventor responsável pelo preenchimento e envio* Nome: Unidade: E-mail: Data: Campos de preenchimento exclusivo

Leia mais

EDITAL Nº29-22/03/2013 DEDC SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS E PROJETOS PARA INSTALAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DO CEFET-MG NASCENTE EM LEOPOLDINA.

EDITAL Nº29-22/03/2013 DEDC SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS E PROJETOS PARA INSTALAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DO CEFET-MG NASCENTE EM LEOPOLDINA. EDITAL Nº29-22/03/2013 DEDC SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS E PROJETOS PARA INSTALAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DO CEFET-MG NASCENTE EM LEOPOLDINA. O DIRETOR-GERAL DO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

Leia mais

EDITAL 040/2015 Mestrado Acadêmico em Computação Aplicada

EDITAL 040/2015 Mestrado Acadêmico em Computação Aplicada EDITAL 040/2015 Mestrado Acadêmico em Computação Aplicada O Vice-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura da Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Prof. Dr. Valdir Cechinel Filho, no uso

Leia mais

a) Formulário de inscrição preenchido;

a) Formulário de inscrição preenchido; EEDI ITTALL Nºº 002200//22001111 -- PPEEQ ABERTURA DE INSCRIÇÃO PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENGENHARIA QUÍMICA - NÍVEL MESTRADO PARA O ANO LETIVO DE 2012.

Leia mais

EDUCAÇÃO SUPERIOR, INOVAÇÃO E PARQUES TECNOLÓGICOS

EDUCAÇÃO SUPERIOR, INOVAÇÃO E PARQUES TECNOLÓGICOS EDUCAÇÃO SUPERIOR, INOVAÇÃO E PARQUES TECNOLÓGICOS Jorge Luis Nicolas Audy * A Universidade vem sendo desafiada pela Sociedade em termos de uma maior aproximação e alinhamento com as demandas geradas pelo

Leia mais

Fundação Carmelitana Mário Palmério FACIHUS Faculdade de Ciências Humanas e Sociais

Fundação Carmelitana Mário Palmério FACIHUS Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Edital do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica PIBIC/FAPEMIG/FUCAMP 2015/2016 Edital Nº 01/2015 - Convocação de Projetos de Pesquisa para Bolsas de Iniciação Científica O Núcleo de

Leia mais

EDITAL DE LEVANTAMENTO DE DEMANDA PARA CURSOS DE MESTRADO E DOUTORADO EM TECNOLOGIA NUCLEAR IPEN/IFRO EDITAL Nº 6/IFRO/2015

EDITAL DE LEVANTAMENTO DE DEMANDA PARA CURSOS DE MESTRADO E DOUTORADO EM TECNOLOGIA NUCLEAR IPEN/IFRO EDITAL Nº 6/IFRO/2015 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, INOVAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU TECNOLOGIA NUCLEAR EDITAL

Leia mais

COMUNICADO n o 001/2012 ÁREA DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012

COMUNICADO n o 001/2012 ÁREA DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 COMUNICADO n o 001/2012 ÁREA DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO

Leia mais

Resolução nº 02-07 CONSUNI

Resolução nº 02-07 CONSUNI Resolução nº 02-07 CONSUNI O Conselho Universitário da Universidade de Caxias do Sul UCS, no uso das suas atribuições estatutárias e regimentais, e considerando a Portaria n. º 170, de 15 de maio de 1998,

Leia mais

MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DIREÇÃO-GERAL - CAMPUS JOÃO PESSOA EDITAL N 09/2015

MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DIREÇÃO-GERAL - CAMPUS JOÃO PESSOA EDITAL N 09/2015 MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DIREÇÃO-GERAL - CAMPUS JOÃO PESSOA EDITAL N 09/2015 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DO IFPB CAMPUS JOÃO PESSOA EDITAL

Leia mais

Autor: Marcelo Leandro de Borba 1 Co-Autores: Luiz Melo Romão 2, Vanessa de Oliveira Collere 3, Sandra Aparecida Furlan 4, Claiton Emílio do Amaral 5

Autor: Marcelo Leandro de Borba 1 Co-Autores: Luiz Melo Romão 2, Vanessa de Oliveira Collere 3, Sandra Aparecida Furlan 4, Claiton Emílio do Amaral 5 O Ecossistema de Empreendedorismo Inovador no Norte Catarinense a parceria operacional/científica do Parque de Inovação Tecnológica de Joinville e Região e Perini Business Park Autor: Marcelo Leandro de

Leia mais

Universidade CEUMA REITORIA Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão

Universidade CEUMA REITORIA Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão EDITAL DE APOIO A PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS ACADÊMICOS, CIENTÍFICOS E TECNOLÓGICOS, CURSOS DE EXTENSÃO E DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EDITAL Nº 12/PROP/2014 A Universidade CEUMA, por meio da (PROP), torna

Leia mais

LIDERANÇA PARA ADVOGADOS 1º SEMESTRE DE 2014. Programa de Pós-Graduação Lato Sensu da DIREITO GV (GVlaw)

LIDERANÇA PARA ADVOGADOS 1º SEMESTRE DE 2014. Programa de Pós-Graduação Lato Sensu da DIREITO GV (GVlaw) LIDERANÇA PARA ADVOGADOS 1º SEMESTRE DE 2014 Programa de Pós-Graduação Lato Sensu da DIREITO GV (GVlaw) FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a suas atividades em 1944 com

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012. Dispõe sobre concessão de incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no âmbito do Estado do Rio Grande do Norte.

Leia mais

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Empresas Participantes do CRI Multinacionais Instituições

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EDITAL 024/2015 PRPGP/UFSM Programa PROIC-HUSM Programa de Bolsas de Iniciação Científica ou Auxílio

Leia mais

Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação

Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação Encontro Internacional de Arquivos Universidade de Évora 3-4 de Outubro

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ESTEVÃO FREIRE estevao@eq.ufrj.br DEPARTAMENTO DE PROCESSOS ORGÂNICOS ESCOLA DE QUÍMICA - UFRJ Tópicos: Ciência, tecnologia e inovação; Transferência de tecnologia; Sistemas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO: MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO EM SAÚDE

Leia mais

FONTES DE FOMENTO -FINANCIAMENTO PARA EMPRESAS NASCENTES

FONTES DE FOMENTO -FINANCIAMENTO PARA EMPRESAS NASCENTES UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DE RIBEIRÃO PRETO FONTES DE FOMENTO -FINANCIAMENTO PARA EMPRESAS NASCENTES PROFª DRª GECIANE PORTO geciane@usp.br FONTES DE

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 019/2012-PROPPG, de 11 de setembro de 2012

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 019/2012-PROPPG, de 11 de setembro de 2012 PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PROPRIEDADE INTELECTUAL E INOVAÇÃO IFPR/UTFPR/INPI EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 019/2012-PROPPG, de 11 de setembro de 2012 A, por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Leia mais

Laboratório da Nokia: a Finlândia é um exemplo de articulação entre universidade e empresa

Laboratório da Nokia: a Finlândia é um exemplo de articulação entre universidade e empresa Política de C & T Competitividade Lições dos inovadores Estudo mapeia estratégias de sete países que produzem pesquisa de classe mundial e faz recomendações para o Brasil Fabrício Marques Edição Impressa

Leia mais

Política de C & T > Indicadores O retorno do investimento Avaliação revela alto grau de eficiência em quatro programas da FAPESP Fabrício Marques

Política de C & T > Indicadores O retorno do investimento Avaliação revela alto grau de eficiência em quatro programas da FAPESP Fabrício Marques Pesquisa FAPESP - Maio 2008 - Edição 147 Política de C & T > Indicadores O retorno do investimento Avaliação revela alto grau de eficiência em quatro programas da FAPESP Fabrício Marques Quatro grandes

Leia mais

A FORMAÇÃO PROFISSIONAL E O MBA REAL ESTATE DO NRE-POLI Profa. Dra. Eliane Monetti

A FORMAÇÃO PROFISSIONAL E O MBA REAL ESTATE DO NRE-POLI Profa. Dra. Eliane Monetti 1 A FORMAÇÃO PROFISSIONAL E O MBA REAL ESTATE DO NRE-POLI Profa. Dra. Eliane Monetti O tema do real estate no Brasil ainda não é alvo de uma formação específica em nível de graduação, sendo contemplado,

Leia mais

EDITAIS AGOSTO 2015 QUEM PODE PROPOR

EDITAIS AGOSTO 2015 QUEM PODE PROPOR DATA LIMITE DE ENVIO OBJETO EDITAL 016/2015 Concurso Ideias Inovadoras 2015 QUEM PODE PROPOR ÓRGÃO FINANCIADOR LINK DO EDITAL 20/8/2015 A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia FAPESB, no âmbito

Leia mais

Formação do Engenheiro de Produção: Competências Acadêmicas e Profissionais

Formação do Engenheiro de Produção: Competências Acadêmicas e Profissionais Formação do Engenheiro de Produção: Competências Acadêmicas e Profissionais Propriedade Intelectual e seu impacto nos programas de pós-graduação XVI ENCEP Encontro Nacional de Coordenadores de Cursos de

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA INCUBAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA NO PORTO DIGITAL (CP 01/2012)

CHAMADA PÚBLICA PARA INCUBAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA NO PORTO DIGITAL (CP 01/2012) CHAMADA PÚBLICA PARA INCUBAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA NO PORTO DIGITAL (CP 01/2012) 1. APRESENTAÇÃO O Núcleo de Gestão do Porto Digital (NGPD), com o apoio da Secretaria de Ciência, Tecnologia

Leia mais

PROGRAMA FACENS SEM FRONTEIRAS - FsF MOBILIDADE ACADÊMICA Edital Lleida 002 Maio de 2015

PROGRAMA FACENS SEM FRONTEIRAS - FsF MOBILIDADE ACADÊMICA Edital Lleida 002 Maio de 2015 PROGRAMA FACENS SEM FRONTEIRAS - FsF MOBILIDADE ACADÊMICA Edital Lleida 002 Maio de 2015 1 DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 O Programa FACENS sem Fronteiras objetiva propiciar a complementação da formação dos nossos

Leia mais

Patentes absurdas. Escada "spider" para a banheira. (Doughney Edward Thomas Patrick 1994 Nº Patente GB 2272154)

Patentes absurdas. Escada spider para a banheira. (Doughney Edward Thomas Patrick 1994 Nº Patente GB 2272154) Patentes absurdas Escada "spider" para a banheira. (Doughney Edward Thomas Patrick 1994 Nº Patente GB 2272154) Leia mais em: As patentes mais absurdas da história http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=21894

Leia mais

PIPE FAPESP: Pesquisa para Inovação em São Paulo

PIPE FAPESP: Pesquisa para Inovação em São Paulo PIPE FAPESP: Pesquisa para Inovação em São Paulo Carlos Henrique de Brito Cruz Diretor Científico FAPESP 08/10/15 pesq-para-inovacao-sp-020150818.pptx; C.H. Brito Cruz e Fapesp 1 Pesquisa Inovativa na

Leia mais

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA PESQUISA E DESENVOLVIMENTO ICA 80-10 PROPRIEDADE INTELECTUAL E INOVAÇÃO 2013 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

PROPOSTA PARA CONTINUIDADE DO APOIO AOS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Coordenador: Guilherme Ary Plonski

PROPOSTA PARA CONTINUIDADE DO APOIO AOS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Coordenador: Guilherme Ary Plonski PROPOSTA PARA CONTINUIDADE DO APOIO AOS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Coordenador: Guilherme Ary Plonski Setembro 2014 1 1. APRESENTAÇÃO A presente proposta de trabalho visa à continuidade do apoio para

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE M I N UT A EDITAL FOPIN 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE M I N UT A EDITAL FOPIN 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE M I N UT A INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PROPPI N o 06 de 09 de Julho de 2015 EDITAL FOPIN 2015 PROGRAMA DE FOMENTO À PESQUISA DAS

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO. Modalidade Associada

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO. Modalidade Associada Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO Modalidade Associada Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS RAIAR

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ENSINO E ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ENSINO E ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ENSINO E ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS CHAMADA PÚBLICA PROEN BOLSAS SANDUÍCHE NA GRADUAÇÃO Nº 01/2011

Leia mais

Formação de Recursos humanos em Propriedade Intelectual e Inovação a experiência do INPI

Formação de Recursos humanos em Propriedade Intelectual e Inovação a experiência do INPI Formação de Recursos humanos em Propriedade Intelectual e Inovação a experiência do INPI Araken Alves de Lima Coordenador-Geral da Academia da Propriedade Intelectual, Inovação e Desenvolvimento Instituto

Leia mais

O entendimento e os benefícios de aplicação da Lei Federal de Inovação Tecnol. Florianópolis

O entendimento e os benefícios de aplicação da Lei Federal de Inovação Tecnol. Florianópolis O entendimento e os benefícios de aplicação da Lei Federal de Inovação Tecnol ológica Florianópolis polis,, 02 de abril de 2008. 1 CRONOLOGIA OS TRABALHOS: 1. Indicativos do quadro brasileiro de inovação;

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas Área de concentração Biologia Celular e Molecular. Edital de seleção - 2013

Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas Área de concentração Biologia Celular e Molecular. Edital de seleção - 2013 Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas Área de concentração Biologia Celular e Molecular Edital de seleção - 2013 Mestrado Doutorado (primeira etapa para não egressos do programa) A Professora

Leia mais

EDITAL Nº 135 /2010 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010 SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS PARA INSTALAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DO CEFET- MG NASCENTE ARAXÁ

EDITAL Nº 135 /2010 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010 SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS PARA INSTALAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DO CEFET- MG NASCENTE ARAXÁ EDITAL Nº 135 /2010 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010 SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS PARA INSTALAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DO CEFET- MG NASCENTE ARAXÁ O DIRETOR-GERAL DO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

Leia mais

INOVAÇÃO, INVESTIGAÇÃO & DESENVOLVIMENTO E RELAÇÕES UNIVERSIDADE-EMPRESA.

INOVAÇÃO, INVESTIGAÇÃO & DESENVOLVIMENTO E RELAÇÕES UNIVERSIDADE-EMPRESA. Conferência 6 de Outubro, FC Gulbenkian Lisboa INOVAÇÃO, INVESTIGAÇÃO & DESENVOLVIMENTO E RELAÇÕES UNIVERSIDADE-EMPRESA. MANUEL CALDEIRA CABRAL UNIVERSIDADE DO MINHO MANUEL CALDEIRA CABRAL DIAGNÓSTICO(S)

Leia mais

PROGRAMAS DE APOIO À PESQUISA

PROGRAMAS DE APOIO À PESQUISA PROGRAMAS DE APOIO À PESQUISA I APRESENTAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA DE PESQUISA DA FAI Além das instalações mínimas necessárias (salas de aulas e laboratórios específicos), a FAI tem, atualmente, um Núcleo

Leia mais