SELO ACADÊMICO. Falsificação, uma realidade. Autenticação, uma necessidade!

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SELO ACADÊMICO. Falsificação, uma realidade. Autenticação, uma necessidade!"

Transcrição

1 SELO ACADÊMICO Falsificação, uma realidade. Autenticação, uma necessidade! Atualmente, para se conseguir uma vaga de trabalho - quer seja em função pública ou empresa privada - o mercado de trabalho exige a comprovação de conclusão de curso em nível superior. Poucos são os empregos que não exigem tal formação! Acreditamos que essa disputa por melhores e poucas oportunidades de emprego esteja sendo a causa do crescente número de fraudes em documentos emitidos pelas Instituições de Ensino, em especial em diplomas e certificados. Utilizando-se de ferramentas de alta tecnologia - com o objetivo de gerar segurança às Instituições de Ensino de modo geral (Ensino Regular; Técnico-Profissionalizantes; Graduação em Nível Superior; Pós- Graduação; Especialização; entre outras) - a SUPRECARD desenvolveu um SELO DE SEGURANÇA, denominado SELO ACADÊMICO (Patente Requerida), com uma série de elementos de proteção. O SELO ACADÊMICO e seu SOFTWARE DE GERENCIAMENTO, possibilitam o efetivo controle e a autenticação de qualquer documento (certidões, diplomas, certificados, histórico escolar, entre outros), vinculando o aluno e a Instituição de Ensino ao documento por ela emitido, bem como disponibilizando VIA INTERNET uma área para consulta detalhada sobre esses documentos.

2 SOLUÇÕES DE SEGURANÇA A E IDENTIFICAÇÃO Histórico SUPRECARD A SUPRECARD está há mais de 14 anos no mercado de identificação pessoal, brindes corporativos e produtos personalizados. Aliando tradição, competência, tecnologia e inovação, apresenta soluções inteligentes e proporciona a todos os seus clientes conforto, economia e segurança. Nossa meta principal é encontrar soluções práticas e eficientes, que facilitem o dia-a-dia e superem todas as expectativas de nossos clientes, desenvolvendo e oferecendo novos produtos. A SUPRECARD utiliza sempre os melhores materiais na confecção de seus produtos e nosso Bureau oferece várias soluções, utilizando as mais avançadas tecnologias de segurança.

3 SOLUÇÕES EM SOFTWARES DE SEGURANÇA Histórico DEALS SOLUTIONS A Deals Solutions, há mais de 15 anos mercado, é pioneira no desenvolvimento de softwares e soluções em tecnologia para o gerenciamento operacional de atividades, automatizando e atuando nos mais diversos segmentos. Objetivando solucionar com eficiência os problemas operacionais cotidianos dos seus clientes, desenvolveu softwares que hoje são a base operacional de alguns deles. Motivada pela inovação e utilizando-se dos mais avançados produtos da área de segurança e dos mais modernos recursos de informática, aliou-se à SUPRECARD para criar um Sistema que une tecnologia de última geração e conhecimentos profundos na Autenticação, Emissão e Gestão de Documentos.

4 SELO ACADÊMICO Autenticando Documentos APRESENTAÇÃO - Selo Tendo em vista o alto índice de falsificações em documentos acadêmicos, o que evidencia a audácia de indivíduos que comercializam diplomas fabricados clandestinamente e a irresponsabilidade daqueles que deles fazem uso, dizendo-se habilitados aos exercícios das funções - que sequer sabem os princípios básicos - e, em profundo respeito a todos os docentes e discentes que compõem o corpo acadêmico das Instituições de Ensino de nosso país, criamos um produto inovador, denominado SELO ACADÊMICO (patente requerida). O objetivo deste produto é garantir às Instituições de Ensino maior segurança e rigoroso controle na emissão de seus documentos.

5 SELO ACADÊMICO Autenticando Documentos CARACTERÍSTICAS Selo O SELO ACADÊMICO é composto por tarja holográfica, campos destinados à identificação (órgão emissor e dados do aluno); faca de segurança; número de lote; linhas aleatórias; vinheta e cores laranja, sépia, marrom e UV, que impossibilitam a reprodução através de xerocópias ou copiadoras afins. PATENTE REQUERIDA Ressalta-se que o objetivo desta patente é resguardar a PROTEÇÃO a que se destina o Selo, ou seja, impedir que ele seja fabricado indiscriminadamente por pessoas não autorizadas, desabilitadas e/ou mal intencionadas, o que tornaria este advento ineficaz. O reconhecimento dos documentos através da utilização do SELO ACADÊMICO, garantirá aos órgãos emitentes tranqüilidade e comprovação, capacitando-os a denunciarem irregularidades e a reconhecerem efetivamente seus portadores.

6 SELO ACADÊMICO Autenticando Documentos CARACTERÍSTICAS DETALHADAS - Selo Todo este aparato de segurança busca satisfazer as necessidades dos órgãos emissores no quesito PROTEÇÃO DE DOCUMENTOS e impedir a reprodução de documentos através de meios gráficos e/ ou reprográficos (fotocópias, scanners e copiadoras ), bem como qualquer outro meio clandestino de falsificações. Veja porque o SELO ACADÊMICO oferece segurança: HOLOGRAFIA : Imagem gerada a laser que apresenta um efeito bi ou tridimensional e de movimento, conforme o ângulo de observação e da incidência da luz. Esse tipo de imagem não permite reprodução por meios gráficos ou reprográficos. É uma película plástica metalizada, contendo imagens holográficas em dimensões 2D/3D padrão, em que dois ou mais planos bidimensionais são sobrepostos, criando o efeito de tridimensionalidade (paralaxe). O Holograma incorpora elementos específicos para dificultar falsificações, como dispositivos de difração óptica variável e são aplicados através do processo de hotstamping, aplicação que ocasiona a fundição da película com a superfície em que foi aplicada, dificultando sua remoção sem destrui-la. VINHETA: Faixa decorativa com linhas e imagens personalizadas, que dificultam sua reprodução por meios gráficos e por escaneamento, complementando os demais itens de segurança. FACA DE SEGURANÇA: Aparato que utiliza cortes pequenos e cruzados, dispostos no interior do selo. Observação: O selo se rasgará se alguém tentar removê-lo do documento, evidenciando, dessa maneira, a tentativa da violação.

7 SELO ACADÊMICO Autenticando Documentos CARACTERÍSTICAS DETALHADAS - Selo IMPRESSÃO DE FUNDO COM TINTA INVISÍVEL UV : Tinta de segurança com propriedades especiais para uso em impressos e documentos de segurança, cuja visualização somente é possível à luz ultravioleta. NUMERAÇÃO COM DÍGITO VERIFICADOR: Numeração seqüencial de seis dígitos, acrescido de um dígito verificador randômico, que pode ou não ser associado a um código de barras, contribuindo para se rastrear o processo e auxiliar na autenticidade do selo. GUILHOCHE: Ornamento geométrico composto de linhas cruzadas ou entrelaçadas simetricamente sob fundo reticulado para dificultar sua reprodução. MICRO-LETRAS NEGATIVAS OU POSITIVAS COM FALHA TÉCNICA: Micro-letras são caracteres gráficos em corpo diminuto, na faixa dos décimos de milímetros, cuja visualização não é possível sem o auxilio de aparelhos ópticos de aumento. Normalmente, têm a aparência de linhas, quando vistas a olho nu. A Falha Técnica corresponde a um erro proposital em texto, letras ou desenhos aplicados no documento, com o objetivo de facilitar sua identificação por número restrito de pessoas. Pode ser Negativa (caracteres vazados) ou Positiva (caracteres preenchidos). Em resumo, podemos observar que o SELO ACADÊMICO possui: Identificação imediata da originalidade e autenticidade; Sistema de Lacre; Garantia na idoneidade das informações prestadas pelo órgão emissor; Rastreamento; Campos destinados à identificação do órgão emissor, do aluno e do curso.

8 SELO ACADÊMICO Validando Documentos APRESENTAÇÃO Software Para ratificar a integridade e validade dos documentos autenticados, desenvolvemos o SOFTWARE SELO ACADÊMICO que completa a eficiência do produto. O Software possibilita a qualquer interessado consultar o documento, via internet, através do Site/Home Page da Instituição de Ensino que o emitiu. Com o SOFTWARE SELO ACADÊMICO é praticamente impossível um documento ser considerado válido caso a Instituição que o emitiu não compactue com essa informação. Desenvolvido em ambiente 100% WEB, combina recursos tecnológicos de última geração, garantindo a segurança das informações por ele armazenadas. A acessibilidade é garantida de forma muito simples e segura, pois - através de qualquer dispositivo que se conecte à Internet - é possível consultar a validade de qualquer documento emitido por uma Instituição de Ensino.

9 SELO ACADÊMICO Validando Documentos CARACTERÍSTICAS Software O SOFTWARE SELO ACADÊMICO opera em ambiente 100%WEB, conferindo a ele características de segurança e acessibilidade muito superiores, quando comparado a qualquer outro aplicativo de controle, desenvolvido em linguagens de programação tradicionais com armazenamento local. Veja abaixo algumas das características que o tornam uma ferramenta indispensável no controle e autenticação dos documentos emitidos pela Instituição de Ensino: ARMAZENAMENTO DE DADOS REMOTO: O Banco de Dados não é instalado fisicamente em nenhum computador dentro da Instituição de Ensino, impedindo assim o acesso às informações por funcionários ou mesmo alunos não autorizados, pois o armazenamento é feito em um Data Center Profissional, que conta com todos os recursos de segurança disponíveis atualmente no mercado em tempo integral (vinte e quatro horas por dia, durante os sete dias da semana). DISPONIBILIDADE DE INFORMAÇÕES GARANTIDA (24h/dia - 99,9%): O armazenamento, baseado em servidores Web de última geração, disponibiliza os dados e operações com os mais completos recursos humanos e materiais, oferecendo um ambiente redundante, impedindo assim a indisponibilidade do serviço em decorrência de falhas de hardware e/ou software. O sistema oferece, também, alimentação de energia contínua; backup automático de dados; mão-de-obra especializada para administração e manutenção dos recursos físicos e lógicos da operação.

10 SELO ACADÊMICO Validando Documentos CARACTERÍSTICAS DETALHADAS Software DISTRIBUIÇÃO DE SELOS CONTROLADA : Os selos são distribuídos em lotes controlados, impossibilitando seu extravio e utilização indevida por terceiros. Uma vez que um lote de selos é vinculado à Instituição de Ensino, somente ela poderá validálos e utilizá-los para registrar seus documentos. CONTROLE TOTAL NA EMISSÃO DE DOCUMENTOS: Um SELO ACADÊMICO só poderá ser emitido através de seu Software de Gerenciamento (SOFTWARE SELO ACADÊMICO). Assim, todas as informações referentes ao documento emitido pela Instituição de Ensino ficarão armazenadas em seu sistema de arquivo, possibilitando o controle da operação realizada, através da consulta e impressão de relatório, no qual estarão disponíveis os seguintes itens: 1- Tipo do documento emitido (dia, hora e local de emissão); 2- Valor cobrado; 3- Dados do aluno (nome, registro acadêmico e curso); 4- Funcionário responsável pela emissão do documento; 5- Validação do selo e sua numeração.

11 SELO ACADÊMICO Validando Documentos CARACTERÍSTICAS DETALHADAS Software AMPLA SEGURANÇA CONTRA FRAUDES E FACILITADORES: O nível de segurança alcançado através desta inovação, torna o SELO ACADÊMICO um item de segurança indispensável, pois cada Selo Acadêmico emitido é vinculado a uma chave de validação (Validation key) alfanumérica não seqüencial, que se torna visível (via código de barras) somente na hora da impressão do selo. Caso o código de barras não seja lido/impresso no momento da validação do selo, este será cancelado (observação: Um Selo Acadêmico cancelado não poderá ser reaproveitado!). Outro fator importante, é que um novo selo não poderá ser impresso, caso o selo de numeração anterior não tenha sido validado ou cancelado, impedindo o desvio de selos ou sua inutilização sem o efetivo controle. Toda operação realizada será registrada automaticamente pelo Sistema. TECNOLOGIAS DE ÚLTIMA GERAÇÃO, MURALHAS CONTRA A FALSIFICAÇÃO: Os falsificadores enfrentarão sérios problemas para tentar falsificar qualquer documento protegido pelo SELO ACADÊMICO/SOFTWARE SELO ACADÊMICO, pois eles terão que : 1º Falsificar os recursos gráficos e tecnológicos empregados no Selo Acadêmico (vide slides anteriores); 2º Invadir um sistema WEB totalmente seguro (que utiliza os mesmos recursos dos principais sites de bancos brasileiros); 3º Descobrir um selo que ainda não foi utilizado e sua chave de validação (uma vez que os lotes são distribuídos aleatoriamente entre as Instituições de Ensino) e, ainda, terão que alterar os dados cadastrais do documento e disponibilizá-los para consulta; 4º Contar com a possibilidade de que essa tentativa não seja descoberta pelos analistas responsáveis pelo Software.

12 SELO ACADÊMICO Validando Documentos CARACTERÍSTICAS OPERACIONAIS 4- Diferenciação no Mercado Aluno e Instituição de Ensino com mais credibilidade no mercado de trabalho. 1- Emissão de Documentos: Atestados, Certificados, Diplomas, entre outros documentos. 2- Selo Acadêmico Autentica o Documento, vinculando ALUNO + INST.ENSINO + DOCUMENTO Clique para Ampliar 3- Selo Acadêmico Validação do Documento Registra no Software e disponibiliza as informações para consultas via Internet (site da Instituição) 6- SITE DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO Disponibiliza consultas para confirmar a validade de qualquer documento emitido, de forma extremamente simples e segura, a qualquer interessado 5- FIM DAS FALSIFICAÇÕES Acesso fácil para confirmar a autenticidade da capacitação do profissional, através do site da Instituição de Ensino 7- DATA CENTER (Dados Seguros) Todas as informações ficam em um moderno e seguro ambiente de armazenamento de dados

13

Impressão Fundida no Adesivo

Impressão Fundida no Adesivo Selo Verificação Inicial Impressão Fundida no Adesivo Filme transparente em polímero sintético frontal de alta resistência. Impressão offset dos fundos de segurança e aplicação de holografia fundida no

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 147/2013/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 147/2013/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 147/2013/TCE-RO Dispõe sobre a Carteira de Identidade Funcional dos Conselheiros, Conselheiros-Substitutos, Procuradores do Ministério Público de Contas e servidores do Tribunal de Contas

Leia mais

Certificado Digital Modelo NF-e. Manual do Usuário

Certificado Digital Modelo NF-e. Manual do Usuário Certificado Digital Modelo NF-e Manual do Usuário Parabéns! Você acaba de adquirir o seu Certificado Digital Serasa Experian. Este manual é composto por informações importantes para que você possa usar

Leia mais

PORTFÓLIO www.imatec.com.br

PORTFÓLIO www.imatec.com.br História A IMATEC foi estabelecida em 1993 com o objetivo de atuar nos segmentos de microfilmagem, digitalização e guarda de documentos e informações, hoje conta com 300 colaboradores, têm em seu quadro,

Leia mais

Módulo NF-e. Manual de Utilização

Módulo NF-e. Manual de Utilização Módulo NF-e Manual de Utilização 1 Conteúdo Passo-a-passo para emissão de NF-e... 3 1. Obtendo seu Certificado Digital... 3 2. Registrando-se na Secretaria da Fazenda para Homologação (testes)... 4 3.

Leia mais

e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica

e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica Página1 e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. Safeweb e-nota G... 03 2. O que é XML... 04 3. Acesso e-nota G... 05

Leia mais

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação.

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação. 1. Com relação a segurança da informação, assinale a opção correta. a) O princípio da privacidade diz respeito à garantia de que um agente não consiga negar falsamente um ato ou documento de sua autoria.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015 DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO 1 / 5 ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS 1. CARGOS DE NÍVEL MÉDIO Cargo 01 Técnico em Administração Realizar atividades que envolvam a aplicação das

Leia mais

Jan.2012. Características Gerais do Sistema:

Jan.2012. Características Gerais do Sistema: Jan.2012 Características Gerais do Sistema: O Software Global Cartórios traz um conceito novo em uma plataforma inovadora que reúne todas as especialidades em um único sistema. O Global Cartórios é um

Leia mais

PORTARIA Nº 236, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA Nº 236, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA Nº 236, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta o credenciamento de empresas de tecnologia para geração de códigos de segurança cifrados (CSC) inseridos em códigos bidimensionais de resposta rápida

Leia mais

https://www.marchandonline.com.br

https://www.marchandonline.com.br Este material foi desenvolvido pela Marchand Ingressos de Segurança e Controle de Acessos, com o intuito de mostrar aos usuários de produtos de segurança o quanto é importante a escolha certa dos seus

Leia mais

ANEXO III ESPECIFICAÇÃO REQUERIDA DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA.

ANEXO III ESPECIFICAÇÃO REQUERIDA DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA. EDITAL CONCORRÊNCIA 01/2015 ANEXO III ESPECIFICAÇÃO REQUERIDA DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA. Este Anexo apresenta as especificações requeridas para o Sistema de Bilhetagem Eletrônica SBE a ser implantado

Leia mais

Roteiro para identificação de etiquetas falsificadas do Microsoft Windows XP Professional OEM

Roteiro para identificação de etiquetas falsificadas do Microsoft Windows XP Professional OEM Roteiro para identificação de etiquetas falsificadas do Microsoft Windows XP Professional OEM Roteiro para identificação de etiquetas falsificadas do Microsoft Windows XP Professional OEM Introdução O

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA

NOTA FISCAL ELETRÔNICA NOTA FISCAL ELETRÔNICA 1. Comprei mercadoria com NF-e denegada. Qual o procedimento para regularizar essa situação? Resposta: Preliminarmente, temos que esclarecer o que é uma NF-e Denegada:, A Denegação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 001/2014

RESOLUÇÃO Nº 001/2014 RESOLUÇÃO Nº 001/2014 Adota e regulamenta a utilização pelos Registradores de Registro Civil do Estado de Alagoas do Papel de Segurança para Certidões de Nascimento, Casamento e Óbito e dá outras providências.

Leia mais

PORTARIA Nº 7876. O PREFEITO DE JUIZ DE FORA, no uso das atribuições que lhe confere a Legislação vigente,

PORTARIA Nº 7876. O PREFEITO DE JUIZ DE FORA, no uso das atribuições que lhe confere a Legislação vigente, PORTARIA Nº 7876 Dispõe sobre a Norma PSI/N.0001 - Utilização da Estação de Trabalho, nos termos dos arts. 20 e 24, da Resolução nº 041/2010-SPDE. O PREFEITO DE JUIZ DE FORA, no uso das atribuições que

Leia mais

Tutorial de Notas Fiscais Eletrônicas

Tutorial de Notas Fiscais Eletrônicas Tutorial de Notas Fiscais Eletrônicas Geração e transmissão de NF-e Após preencher os dados da nota fiscal, se não houver alguma informação faltando, o sistema sugere a geração do arquivo texto necessário

Leia mais

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet.

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. Prezado Cliente, A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. No Padrão 9 você encontrará novas funcionalidades, além de alterações

Leia mais

Visão Empresa de Contabilidade. Versão 8.1A-13

Visão Empresa de Contabilidade. Versão 8.1A-13 Visão Empresa de Contabilidade Versão 8.1A-13 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse

Leia mais

MÓDULO 11 ELEMENTOS QUE FAZEM PARTE DO PROJETO DO SISTEMA

MÓDULO 11 ELEMENTOS QUE FAZEM PARTE DO PROJETO DO SISTEMA MÓDULO 11 ELEMENTOS QUE FAZEM PARTE DO PROJETO DO SISTEMA Através dos elementos que fazem parte do projeto do sistema é que podemos determinar quais as partes do sistema que serão atribuídas às quais tipos

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação 29 de janeiro 2014 Define, em nível estratégico, diretivas do Programa de Gestão de Segurança da Informação. ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 PÚBLICO ALVO... 3 3 RESPONSABILIDADES

Leia mais

POLÍTICA DE CERTIFICADO DA SERASA AUTORIDADE CERTIFICADORA GLOBAL PARA CERTIFICADOS DE SERVIDOR

POLÍTICA DE CERTIFICADO DA SERASA AUTORIDADE CERTIFICADORA GLOBAL PARA CERTIFICADOS DE SERVIDOR POLÍTICA DE CERTIFICADO DA SERASA AUTORIDADE CERTIFICADORA GLOBAL PARA CERTIFICADOS DE SERVIDOR (PC SERASA AC GLOBAL) Autor: Serasa S.A. Edição: 20/01/2009 Versão: 1.3 1 INTRODUÇÃO 1.1 Visão Geral Esta

Leia mais

Março/2005 Prof. João Bosco M. Sobral

Março/2005 Prof. João Bosco M. Sobral Plano de Ensino Introdução à Segurança da Informação Princípios de Criptografia Segurança de Redes Segurança de Sistemas Símbolos: S 1, S 2,..., S n Um símbolo é um sinal (algo que tem um caráter indicador)

Leia mais

e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica

e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica Página1 e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. Safeweb e-nota G... 03 2. O que é NF-e?... 04 3. O que é CT-e?... 05

Leia mais

Certificado Digital e-cpf

Certificado Digital e-cpf Certificado Digital e-cpf Parabéns! Ao ter em mãos esse manual, significa que você adquiriu um certificado digital AC Link. Manual do Usuário 1 Índice Apresentação... 03 O que é um Certificado Digital?...

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade PGE: Plastic Gestor Empresarial Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Recife, janeiro de 2013 Sumário 1. Motivação... 1 2. Introdução: O Problema Indentificado... 2

Leia mais

e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica

e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica Página1 e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é Nota Fiscal de Serviço eletrônica

Leia mais

Certificado Digital Modelo e-cnpj. Manual do Usuário

Certificado Digital Modelo e-cnpj. Manual do Usuário Certificado Digital Modelo e-cnpj Manual do Usuário Parabéns! Você acaba de adquirir o seu Certificado Digital Serasa Experian. Este manual é composto por informações importantes para que você possa usar

Leia mais

Serviços de Certificação Pública para Indivíduos GUIA DO USUÁRIO

Serviços de Certificação Pública para Indivíduos GUIA DO USUÁRIO Serviços de Certificação Pública para Indivíduos GUIA DO USUÁRIO Associação das Províncias pela JPKI (JPKI: Infraestrutura de Chaves Públicas Japonesa) (Revisado em outubro de 2008) Sobre a Associação

Leia mais

GUIA DE TRANQÜILIDADE

GUIA DE TRANQÜILIDADE GUIA DE TRANQÜILIDADE NA INTERNET versão reduzida Você pode navegar com segurança pela Internet. Basta tomar alguns cuidados. Aqui você vai encontrar um resumo com dicas práticas sobre como acessar a Internet

Leia mais

Projeto Nota Fiscal Eletrônica

Projeto Nota Fiscal Eletrônica Projeto Nota Fiscal Eletrônica Aplicação Cliente Consumo Indevido do Ambiente de Autorização Versão 1.01 Fevereiro 2011 Consumo_Indevido_Aplicacao_Cliente_v1.01.doc 1 Controle de Versões Versão Data 0.00

Leia mais

Sphinx Scanner Informações gerais V 5.1.0.8

Sphinx Scanner Informações gerais V 5.1.0.8 Sphinx Scanner Informações gerais V 5.1.0.8 Pré-requisitos: Possuir modalidade scanner no software Sphinx A SPHINX Brasil propõe uma solução de leitura automática de questionários por scanner. O Sphinx

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA Anexo II.6 Especificações do Sistema de Bilhetagem Eletrônica PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA ÍNDICE 1 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 2 CONCEPÇÃO DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA... 2 2.1 Processos

Leia mais

Os Valores numéricos apresentados são apenas fictícios, não podendo ser utilizados como referência.

Os Valores numéricos apresentados são apenas fictícios, não podendo ser utilizados como referência. EDITAL nº 006/2012 - A-5 - ANEEL EMPREENDEDOR E PROPONENTE VENDEDOR Os Valores numéricos apresentados são apenas fictícios, não podendo ser utilizados como referência. CCEE Sistema de Leilões de Energia

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO SEGURA GUIA DE SOLUÇÕES. Melhor desempenho em cada cartão impresso

IDENTIFICAÇÃO SEGURA GUIA DE SOLUÇÕES. Melhor desempenho em cada cartão impresso IDENTIFICAÇÃO SEGURA GUIA DE SOLUÇÕES Melhor desempenho em cada cartão impresso A importância da Identidade Segura Hoje em dia, a sociedade compartilha informações a velocidades incríveis. Um mundo tão

Leia mais

Asser Rio Claro. Descubra como funciona um antivírus. Como o antivírus protege o seu computador. A importância de um antivírus atualizado

Asser Rio Claro. Descubra como funciona um antivírus. Como o antivírus protege o seu computador. A importância de um antivírus atualizado Administração Informática Asser Rio Claro Descubra como funciona um antivírus Responsável por garantir a segurança do seu computador, o antivírus é um programa de proteção que bloqueia a entrada de invasores

Leia mais

Certificado Digital A1

Certificado Digital A1 Abril/ Certificado Digital A1 Geração Página 1 de 32 Abril/ Pré requisitos para a geração Dispositivos de Certificação Digital Para que o processo de instalação tenha sucesso, é necessário obedecer aos

Leia mais

Manual do usuário Certificado Digital e-cpf. Parabéns! Ao ter em mãos este manual, significa que você adquiriu um Certificado Digital DOCCLOUD

Manual do usuário Certificado Digital e-cpf. Parabéns! Ao ter em mãos este manual, significa que você adquiriu um Certificado Digital DOCCLOUD Manual do usuário Certificado Digital e-cpf Parabéns! Ao ter em mãos este manual, significa que você adquiriu um Certificado Digital DOCCLOUD Índice Apresentação 03 O que é um Certificado Digital? 04 Instalando

Leia mais

Gestão eletrônica do cadastro de corretora de valores

Gestão eletrônica do cadastro de corretora de valores Gestão eletrônica do cadastro de corretora de valores 1. INTRODUÇÃO As corretoras de valores devem armazenar todos os documentos cadastrais de seus clientes para ter acesso a esse material quando necessário.

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 512, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2014.

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 512, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2014. MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 512, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2014. Altera os modelos e especificações do Certificado de Registro de Veículo CRV e do Certificado de Registro

Leia mais

O Certificado Digital é um documento eletrônico que permite a identificação segura do autor de uma transação feita na Internet.

O Certificado Digital é um documento eletrônico que permite a identificação segura do autor de uma transação feita na Internet. Prezado(a) cliente, Você acaba de adquirir um Certificado Digital ICP BRASIL. O Certificado Digital é um documento eletrônico que permite a identificação segura do autor de uma transação feita na Internet.

Leia mais

Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise

Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise Índice Introdução 2 Interface administrativa 2 Status 2 Minha conta 3 Opções 3 Equipes de suporte 4 Jumpoint 5 Jump Clients 6 Bomgar Button 6 Mensagens

Leia mais

Gerenciamento de Impressões

Gerenciamento de Impressões Gerenciamento de Impressões Junte se ao prático! Gerenciamento de Impressão É a terceirização de todo o processo de impressão dentro da empresa, ou seja do ambiente de produção de documentos: impressoras,

Leia mais

Certificado Digital e-cpf

Certificado Digital e-cpf Página1 Certificado Digital e-cpf Manual do Usuário Página2 Índice Apresentação... 03 O que é um Certificado Digital?... 03 Instalando o Certificado... 04 Conteúdo do Certificado... 07 Utilização, guarda

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE, no uso das atribuições que lhe confere o art. 78, inciso IV da Constituição Estadual, e

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE, no uso das atribuições que lhe confere o art. 78, inciso IV da Constituição Estadual, e DECRETO Nº 5.257, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2013. Publicado no DOE nº 10.993, de 22-02-2013. Institui a Nota Fiscal Eletrônica para Consumidor Final - NFC-e e o Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica

Leia mais

Certificado Digital Modelo e-cpf. Manual do Usuário

Certificado Digital Modelo e-cpf. Manual do Usuário Certificado Digital Modelo e-cpf Manual do Usuário Parabéns! Você acaba de adquirir o seu Certificado Digital Serasa Experian. Este manual é composto por informações importantes para que você possa usar

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Aula 4 Introdução aos Sistemas Biométricos 1. Identificação, Autenticação e Controle

Leia mais

e-nota NFC-e PR Nota Fiscal de Consumidor eletrônica Versão Gratuita - Paraná

e-nota NFC-e PR Nota Fiscal de Consumidor eletrônica Versão Gratuita - Paraná e-nota NFC-e PR Nota Fiscal de Consumidor eletrônica Versão Gratuita - Paraná Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página1 Índice 1. O que é NFC-e?... 03 2. Safeweb enota NFC-e PR...

Leia mais

NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DA REDE SETUR

NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DA REDE SETUR NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DA REDE SETUR GETAD/TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1-OBJETIVO Esta norma estabelece os critérios e procedimentos relacionados à utilização da REDE SETUR por todos os servidores, estagiários

Leia mais

NFS-e. Nota Legal Porto Alegre

NFS-e. Nota Legal Porto Alegre NFS-e Nota Legal Porto Alegre APRESENTAÇÃO DA NFS-e A Nota Fiscal de Serviços Eletrônica é um documento digital, gerado e armazenado eletronicamente pela prefeitura e que substitui as tradicionais notas

Leia mais

CONTROLE E RASTREABILIDADE DE SELOS DISTRIBUÍDOS E UTILIZADOS EM MEDIDORES Tema 1.2: Perdas Não Técnicas

CONTROLE E RASTREABILIDADE DE SELOS DISTRIBUÍDOS E UTILIZADOS EM MEDIDORES Tema 1.2: Perdas Não Técnicas COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL COMITÊ NACIONAL BRASILEIRO V CIERTEC - SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE GESTÃO DE PERDAS, EFICIENTIZAÇÃO ENERGÉTICA E PROTEÇÃO DA RECEITA NO SETOR ELÉTRICO Área

Leia mais

b) Estabilizador de tensão, fonte no-break, Sistema Operacional, memória principal e memória

b) Estabilizador de tensão, fonte no-break, Sistema Operacional, memória principal e memória CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISUTEC DISCIPLINA: INTRODUÇÃO A COMPUTAÇÃO PROF.: RAFAEL PINHEIRO DE SOUSA ALUNO: Exercício 1. Assinale a opção que não corresponde a uma atividade realizada em uma Unidade

Leia mais

Pág. 5 - GERAÇÃO DE GUIAS PARA RECOLHIMENTO DO ISS

Pág. 5 - GERAÇÃO DE GUIAS PARA RECOLHIMENTO DO ISS Manual prático Pág. 2 - EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA Pág. 5 - GERAÇÃO DE GUIAS PARA RECOLHIMENTO DO ISS Pág. 8 - ATRIBUIR UM CONTADOR A UMA EMPRESA Pág. 9 - VERIFICAR REGISTRO DE RPS Pág. 11 - TRANSMISSÃO

Leia mais

Política de Segurança da. Autoridade Certificadora VALID SPB (PS AC VALID SPB)

Política de Segurança da. Autoridade Certificadora VALID SPB (PS AC VALID SPB) Política de Segurança da Autoridade Certificadora VALID SPB (PS AC VALID SPB) Versão 1.0 24 de agosto de 2012 Política de Segurança da AC VALID SPB V 1.0 1/30 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...5 2. OBJETIVOS...5

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DIGITAL. Certificado Digital Assinatura Digital

CERTIFICAÇÃO DIGITAL. Certificado Digital Assinatura Digital CERTIFICAÇÃO DIGITAL Certificado Digital Assinatura Digital CERTIFICADO e ASSINATURA DIGITAL CERTIFICADO Éo documento eletrônico de identidade emitido por Autoridade Certificadora credenciada pela AC Raiz

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

Introdução. Benefícios para todos

Introdução. Benefícios para todos Introdução Esta cartilha tem a finalidade de guiar as empresas na implantação da Nota Fiscal Eletrônica e demonstrar as facilidades e vantagens do sistema para o contribuinte e para a sociedade A Nota

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO Nº XX.XXX INSTRUÇÃO Nº XXXXXX - CLASSE XX- BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL.

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO Nº XX.XXX INSTRUÇÃO Nº XXXXXX - CLASSE XX- BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO Nº XX.XXX INSTRUÇÃO Nº XXXXXX - CLASSE XX- BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Arnaldo Versiani Dispõe sobre os modelos de lacres para as urnas, etiquetas

Leia mais

Rastreabilidade e Autenticidade de Medicamentos

Rastreabilidade e Autenticidade de Medicamentos AUDIÊNCIA PÚBLICA CCT - SENADO FEDERAL Assunto: Instruir o PLS 521/2007 Sen. Valdir Raupp Rastreabilidade e Autenticidade de Medicamentos Consulta Pública nº 08, de 04/03/2008 DOU de 05/03/08 Histórico

Leia mais

Segurança na Rede Local Redes de Computadores

Segurança na Rede Local Redes de Computadores Ciência da Computação Segurança na Rede Local Redes de Computadores Disciplina de Desenvolvimento de Sotware para Web Professor: Danilo Vido Leonardo Siqueira 20130474 São Paulo 2011 Sumário 1.Introdução...3

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Informática e Telecomunicações

Universidade. Estácio de Sá. Informática e Telecomunicações Universidade Estácio de Sá Informática e Telecomunicações A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades

Leia mais

Serasa Experian Orientações SIOPS 04/02/2013 SERASA EXPERIAN

Serasa Experian Orientações SIOPS 04/02/2013 SERASA EXPERIAN SERASA EXPERIAN Orientações para Emissão de Certificado Digital tipo A3, Pessoa Física, com Financiamento pelo Ministério da Saúde para Operadores da Funcionalidade Restrita do Sistema de Informações sobre

Leia mais

Política de Atendimento Técnico, Suporte e Assistência aos softwares SiplanControl-M

Política de Atendimento Técnico, Suporte e Assistência aos softwares SiplanControl-M Política de Atendimento Técnico, Suporte e Assistência aos softwares SiplanControl-M 1. Introdução a política 2. Quem está elegível para solicitar suporte? 3. Horário de atendimento 4. Que tempo de resposta

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.381

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.381 Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.381 Institui Regime Especial para dispensa da guarda e arquivo das Notas Fiscais de Serviços, condicionada à guarda e ao arquivo, pelo período decadencial, dos respectivos

Leia mais

Capítulo II. Da Adesão. Capítulo III

Capítulo II. Da Adesão. Capítulo III Decreto do Estado do Amazonas nº 33.405 de 16.04.2013 DOE-AM: 16.04.2013 Disciplina a emissão da Nota Fiscal Eletrônica a Consumidor Final, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO AMAZONAS,

Leia mais

POLÍTICAS DE USO DA REDE SEM FIO

POLÍTICAS DE USO DA REDE SEM FIO POLÍTICAS DE USO DA REDE SEM FIO Departamento de Tecnologia da Informação Públicado em julho de 2014 Cachoeiro de Itapemirim ES Definição Uma rede sem fio (Wireless) significa que é possível uma transmissão

Leia mais

QUEM SOMOS? www.imagelh.com.br Rua José Bonifácio, 466 Vila Planalto. Campo Grande/MS CEP 79009-010 Fone/Fax: (67)3324-6500

QUEM SOMOS? www.imagelh.com.br Rua José Bonifácio, 466 Vila Planalto. Campo Grande/MS CEP 79009-010 Fone/Fax: (67)3324-6500 QUEM SOMOS? "A Image LH é uma empresa prestadora de serviços com mais de quinze anos no mercado atendendo instituições financeiras, com sede em Campo Grande MS e filial em Porto Alegre RS. Atua no ramo

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 469, 18 DE AGOSTO DE 2015

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 469, 18 DE AGOSTO DE 2015 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 469, 18 DE AGOSTO DE 2015 Altera dispositivos da Resolução Normativa CFA nº 450, de 15 de agosto de 2014, que estabelece os modelos da Carteira de Identidade Profissional do

Leia mais

Aplicação Cliente. Consumo Indevido do Ambiente de Autorização

Aplicação Cliente. Consumo Indevido do Ambiente de Autorização Projeto Conhecimento de Transporte Eletrônico Nota Técnica 2012/006 Aplicação Cliente Consumo Indevido do Ambiente de Autorização Setembro 2012 Pág. 1 / 9 Prazos de entrada em vigência das orientações

Leia mais

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE Um estudo sobre os aspectos de desenvolvimento e distribuição do SIE Fernando Pires Barbosa¹, Equipe Técnica do SIE¹ ¹Centro de Processamento de Dados, Universidade Federal de Santa Maria fernando.barbosa@cpd.ufsm.br

Leia mais

Editoria e Diagramação Núcleo de Imagem Ascom TJPE. Ilustração Gerência de Atendimento Técnico

Editoria e Diagramação Núcleo de Imagem Ascom TJPE. Ilustração Gerência de Atendimento Técnico Conceitos de Segurança da Informação, Certificação Digital e suas Aplicações no TJPE 3ª Edição - Maio/2013 Elaboração Núcleo de Segurança da Informação SETIC Editoria e Diagramação Núcleo de Imagem Ascom

Leia mais

Medware Clínicas Sistema de Gerenciamento de Clínicas e Consultórios

Medware Clínicas Sistema de Gerenciamento de Clínicas e Consultórios Medware Clínicas Sistema de Gerenciamento de Clínicas e Consultórios A Empresa MEDWARE Sistemas Médicos Ltda A Medware Sistemas Médicos é uma empresa de desenvolvimento de sistemas voltada para a criação

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDUARDO ROCHA BRUNO CATTANY FERNANDO BAPTISTA

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDUARDO ROCHA BRUNO CATTANY FERNANDO BAPTISTA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDUARDO ROCHA BRUNO CATTANY FERNANDO BAPTISTA Descrição da(s) atividade(s): Indicar qual software integrado de gestão e/ou ferramenta

Leia mais

Política de Segurança da Autoridade Certificadora Imprensa Oficial SP

Política de Segurança da Autoridade Certificadora Imprensa Oficial SP Política de Segurança da Autoridade Certificadora Imprensa Oficial SP PS da AC Imprensa Oficial SP Versão 1.1-12 de Setembro de 2005 PS da AC Imprensa Oficial SP v1.1 ÍNDICE 1.INTRODUÇÃO... 4 2.OBJETIVOS...

Leia mais

TABELA RESUMO DE INFRAÇÕES E PENALIDADES (LEI SC 10297/1996)

TABELA RESUMO DE INFRAÇÕES E PENALIDADES (LEI SC 10297/1996) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 A B C D ICMS SANTA CATARINA TABELA RESUMO DE INFRAÇÕES E PENALIDADES (LEI SC 10297/1996) INFRAÇÃO PENALIDADE % Base Deixar de recolher, total ou parcialmente,

Leia mais

ADI 4543 contra o Art. 5º da Lei 12.034/09. O que é a Lei e o que é a ADIN. para explanar:

ADI 4543 contra o Art. 5º da Lei 12.034/09. O que é a Lei e o que é a ADIN. para explanar: O que é a Lei e o que é a ADIN Apresentação criada por membros do Fórum do Voto Eletrônico http://groups.google.com/group/votoeletronico para explanar: (1) O que propõe o Art. 5º da Lei 12.034/09 (2) O

Leia mais

Gerenciamento Eletrônico de Documentos AMBIENTE GED. Preparação de documentos

Gerenciamento Eletrônico de Documentos AMBIENTE GED. Preparação de documentos Gerenciamento Eletrônico de Documentos AMBIENTE GED Preparação de documentos 1 Preparação de Documentos Quais documentos digitalizar? Eliminação: remoção e destruição de duplicatas, materiais sem importância

Leia mais

Portal do Servidor Publico. Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL

Portal do Servidor Publico. Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL Portal do Servidor Publico Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL 1 Indice Apresentação do Portal... 03 Acesso ao Portal do Servidor Publico... 04 Solicitar Senha... 04 Disponibilidade do Portal... 06

Leia mais

25/01/2015 PROF. FABIANO TAGUCHI. http://fabianotaguchi.wordpress.com CRIPTOGRAFIA E SEGURANÇA DE DADOS AULA 12 ICP-BRASIL

25/01/2015 PROF. FABIANO TAGUCHI. http://fabianotaguchi.wordpress.com CRIPTOGRAFIA E SEGURANÇA DE DADOS AULA 12 ICP-BRASIL 25/01/2015 PROF. FABIANO TAGUCHI http://fabianotaguchi.wordpress.com CRIPTOGRAFIA E SEGURANÇA DE DADOS AULA 12 ICP-BRASIL 1 CONFIAR EM CERTIFICADOS DIGITAIS? ITI O Instituto Nacional de Tecnologia da Informação

Leia mais

ORIGEM Departamento de Segurança da Informação e Comunicações

ORIGEM Departamento de Segurança da Informação e Comunicações 07/IN01/DSIC/GSIPR 01 15/JUL/14 1/9 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações DIRETRIZES PARA IMPLEMENTAÇÃO DE CONTROLES DE ACESSO

Leia mais

Infraestrutura de Chaves Públicas Japonesa) é uma entidade. que, em cooperação mútua com as Províncias, oferecedoras

Infraestrutura de Chaves Públicas Japonesa) é uma entidade. que, em cooperação mútua com as Províncias, oferecedoras Serviços de Certificação Pública para Indivíduos GUIA DO USUÁRIO Associação das Províncias pela JPKI (JPKI: Infraestrutura de Chaves Públicas Japonesa) Sobre a Associação das Províncias pela JPKI (JPKI:

Leia mais

Ano 2013, Número 248 Brasília, segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Ano 2013, Número 248 Brasília, segunda-feira, 30 de dezembro de 2013 Página 10 Parágrafo único. Encerrados os trabalhos das Juntas Eleitorais, será feita cópia de segurança de todos os dados dos sistemas eleitorais, em ambiente autenticado pelo Subsistema de Instalação

Leia mais

Nota Técnica 2012/003. Divulga Orientações para Utilização da SVC

Nota Técnica 2012/003. Divulga Orientações para Utilização da SVC Projeto Conhecimento de Transporte Eletrônico Nota Técnica 2012/003 Divulga Orientações para Utilização da SVC Maio 2012 Pág. 1 / 12 1. Resumo Esta Nota Técnica divulga e esclarece os procedimentos operacionais

Leia mais

: Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e

: Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e Produto : RM NUCLEUS - 11.52.61 Processo Subprocesso : Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e : Integração com o TSS / TopConnect / CT-e Data

Leia mais

Keesing ID AuthentiScan PORTABLE

Keesing ID AuthentiScan PORTABLE Keesing ID AuthentiScan PORTABLE A solução automatizada para autenticação de documentos de identificação AuthentiScan Automated authentication of ID documents Ideal para o controlo das fronteiras, imigração,

Leia mais

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda.

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. +55 41 3661-0100 Rua Rio Piquiri, 400 - Jardim Weissópolis - Pinhais/PR - Brasil CEP: 83322-010 CNPJ: 01.245.055/0001-24 Inscrição Estadual: 90.111.008-53

Leia mais

CERTIFICADO DIGITAL ARMAZENADO NO COMPUTADOR (A1) Manual do Usuário

CERTIFICADO DIGITAL ARMAZENADO NO COMPUTADOR (A1) Manual do Usuário Certificação Digital CERTIFICADO DIGITAL ARMAZENADO NO COMPUTADOR (A1) Manual do Usuário Guia CD-17 Público Índice 1. Pré-requisitos para a geração do certificado digital A1... 3 2. Glossário... 4 3. Configurando

Leia mais

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4. Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5 Por: Fabio Pozzebon Soares Página 1 de 11 Sistema ProJuris é um conjunto de componentes 100% Web, nativamente integrados, e que possuem interface com vários idiomas,

Leia mais

Questionamentos sobre o Trauma Zero (Repostas por Walter Ribeiro de Oliveira Jr. e José Henrique Alves Marçal Setor de Informática)

Questionamentos sobre o Trauma Zero (Repostas por Walter Ribeiro de Oliveira Jr. e José Henrique Alves Marçal Setor de Informática) Questionamentos sobre o Trauma Zero (Repostas por Walter Ribeiro de Oliveira Jr. e José Henrique Alves Marçal Setor de Informática) Sobre a licitação: 1 Houve, efetivamente, a licitação? Sim. O número

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 - AIDF 4 CAPÍTULO 2 - LOGIN 8 CAPÍTULO 3 SOLICITAÇÃO DA AIDF 9 CAPÍTULO 4 - ACOMPANHAMENTO 16. O Que é AIDF?... 4. O Sistema...

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 - AIDF 4 CAPÍTULO 2 - LOGIN 8 CAPÍTULO 3 SOLICITAÇÃO DA AIDF 9 CAPÍTULO 4 - ACOMPANHAMENTO 16. O Que é AIDF?... 4. O Sistema... 1 SUMÁRIO CAPÍTULO 1 - AIDF 4 O Que é AIDF?... 4 O Sistema... 4 Acesso ao Sistema... 5 Suporte Técnico... 5 Configurações Necessárias... 5 Bloqueador de Pop-ups... 5 Bloqueio de Scripts... 6 CAPÍTULO 2

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-e NOTA CARIOCA. Acesso ao Sistema - Pessoa Física

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-e NOTA CARIOCA. Acesso ao Sistema - Pessoa Física ELETRÔNICA - NFS-e NOTA CARIOCA Acesso ao Sistema - Pessoa Física Página 2 de 36 Índice ÍNDICE... 2 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS... 4 1.1. DEFINIÇÃO... 4 2. REGRAS PARA CADASTRAMENTO... 5 3. SENHA WEB... 6

Leia mais

PORTARIA TC Nº 382, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014. CAPÍTULO I

PORTARIA TC Nº 382, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014. CAPÍTULO I PORTARIA TC Nº 382, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014. Disciplina a utilização dos certificados digitais no âmbito interno, pelos funcionários do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco TCE-PE e demais usuários

Leia mais

Solução Planner para Nota Fiscal Eletrônica (P/NF-e 3.7)

Solução Planner para Nota Fiscal Eletrônica (P/NF-e 3.7) Solução Planner para Nota Fiscal Eletrônica (P/NF-e 3.7) Introdução Desde abril de 2008 a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) se tornou obrigatória para diversos setores da economia nacional. A cada 6 meses,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ REITORIA DE PLANEJAMENTO DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO COORDENAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ REITORIA DE PLANEJAMENTO DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO COORDENAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 Perfis Envolvidos SIGAA GRADUAÇÃO Manual do Administrador Perfil Administrador DAE Administrador de Graduação: Administrador de Graduação (Servidor responsável pelo gerenciamento administrativo, cadastro

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CARTOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO. Seção I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CARTOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO. Seção I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CAMPUS IV: LITORAL NORTE RIO TINTO CENTRO DE CIÊNCIAS APLICADAS E EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CARTOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO

Leia mais

Symantec Discovery. Controle seu software e hardware e monitore a conformidade com as licenças em toda a infra-estrutura de TI de várias plataformas

Symantec Discovery. Controle seu software e hardware e monitore a conformidade com as licenças em toda a infra-estrutura de TI de várias plataformas Symantec Discovery Controle seu software e hardware e monitore a conformidade com as licenças em toda a infra-estrutura de TI de várias plataformas VISÃO GERAL O Symantec Discovery ajuda a garantir a resiliência

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DE ALAGOAS. NFC-e Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica. Perguntas e Respostas

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DE ALAGOAS. NFC-e Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica. Perguntas e Respostas GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DE ALAGOAS NFC-e Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica Perguntas e Respostas I) INFORMAÇÕES INICIAIS 1. O que é a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica

Leia mais

Manual SIGEP lojamestre.com.br

Manual SIGEP lojamestre.com.br manualcielo 2015 Manual SIGEP lojamestre.com.br Studio VR Ltda. 20/10/2015 1 1 2 Sumário Apresentação... 3 Pré-Requisitos... 3 Homologando o SIGEP Web... 4 Configurando o SIGEP na administração da loja

Leia mais