Há cabo-verdianos a participar na vida política portuguesa - Nuno Sarmento Morais, ex-ministro da Presidência de Portugal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Há cabo-verdianos a participar na vida política portuguesa - Nuno Sarmento Morais, ex-ministro da Presidência de Portugal"

Transcrição

1 Há cabo-verdianos a participar na vida política portuguesa - Nuno Sarmento Morais, ex-ministro da Presidência de Portugal À margem do Fórum promovido pela Associação Mais Portugal Cabo Verde, que o trouxe ao nosso país, conversamos com o ex-ministro sobre os problemas e desafios da comunidade cabo-verdiana em Portugal. Morais Sarmento traça-nos o longo processo de integração dos imigrantes caboverdianos desde os anos 60 até à definição, no início do século XXI, "da primeira política integrada e completa de relacionamento com a imigração iniciada pelo governo de Durão Barroso". Mas, como sublinha, há um caminho longo a percorrer e que deve ser feito a dois níveis: "o Fórum, realizado na Praia, é um deles", afirmou Expresso das ilhas - Participou na semana passada num fórum aqui na Praia sobre. Qual foi o teor da sua comunicação? Nuno Morais Sarmento (NMS) - No meu tema estava muito da história de Cabo Verde. Procurei, por um lado, identificar as diferentes fases nesta relação de Cabo Verde com Portugal, nomeadamente na primeira vaga da migração dos anos 60 do século passado e a segunda vaga da migração da década de 90. Tentei marcar essa diferença nas fases e respostas do lado português e das organizações em termos de integração da comunidade imigrante nessa primeira e segunda vagas e falei um pouco sobre o papel da comunidade cabo-verdiana como embaixadores de Cabo Verde fora do país e qual o papel que podem desempenhar nesse sentido. Com as novas vagas de migração brasileira e do Leste, perdeu a comunidade cabo-verdiana o espaço que ocupava? NMS - Penso que não. Houve uma primeira vaga de migração; os cabo-verdianos são talvez a primeira comunidade imigrante num país como Portugal que é um país de imigrantes. Quando acontece essa segunda vaga, que inclui os países do Leste, o Brasil e outros a comunidade cabo-verdiana tinha a vantagem de já ter uma ligação à sociedade portuguesa, que nenhuma das outras comunidades tinha. Quando acontece essa segunda vaga de migração a comunidade cabo-verdiana já fazia parte da sociedade portuguesa, caminho que as outras estão a fazer agora. Portanto, não acho que tenha perdido espaços, embora haja mais concorrência e mais pessoas a chegar a Portugal. Mas o lugar que a comunidade cabo-verdiana já ocupava e o processo de integração por que tinha passado, dão uma vantagem muito diferente aos cabo-verdianos em Portugal. O Brasil ocupou... NMS - Algum a talvez. Os brasileiros não têm estado muito nos mesmos sectores da actividade da comunidade cabo-verdiana.

2 Imigração brasileira roubou algum espaço à comunidade cabo-verdiana NMS - Eles têm, por feitio e maneira de ser, uma tendência natural para tudo o que significa o relacionamento público e portanto estão muito nas actividades comerciais, seja na restauração ou noutras afins. A comunidade cabo-verdiana sempre teve outros sectores (industriais e outros) onde esteve mais presente. Por conseguinte, algum espaço terá a comunidade brasileira roubado, mas não penso que seja significativa, até porque temos de vê-la de outra maneira. Isto também significa que temos o Brasil inteiro como uma porta aberta para a comunidade cabo-verdiana. O facto de Angola estar a tornar-se uma super-potência africana confere um tratamento diferenciado entre as duas comunidades? NMS - Angola é concerteza uma super-potência africana e é uma potência regional com uma zona de influência diplomática que chega aqui a Cabo Verde, chega a São Tomé e Príncipe, que são países com os quais Angola tem uma relação privilegiada. Mas a comunidade Angolana é muito pequena em Portugal. Não tem expressão e portanto não penso que tenha ocupado de alguma forma o mesmo espaço da comunidade cabo-verdiana. Aquilo que temos de diferente com Angola é o que está a acontecer: é a primeira vez que acontece na história que um antigo país colonizado está a tomar posições empresariais e financeiras importantes na antiga potência colonizadora. É o que tem acontecido, por parte de Angola, em Portugal. Mais do que um posicionamento de pessoas e angolanos, a representatividade de Angola é um posicionamento económico e empresarial. Eu diria que são duas realidades distintas, com Angola muito presente nas actividades económica, mais do que qualquer outro país africano de língua portuguesa, mas a comunidade humana é muito pequena. Nem penso que se possa falar de estatuto diferente, porque a comunidade não tem muita expressão. É claro que Portugal tem mais interesses económicos em Angola do que em Cabo Verde NMS - A lusofonia e o compromisso que Portugal tem nos países de língua portuguesa não é um compromisso que se possa medir em termos económicos. Se assim fosse nunca teríamos estado em Timor e não estaríamos ao lado de Timor a lutar e a tentar ajudá-lo na afirmação do seu direito à autodeterminação como sucede. Portanto, Timor é a demonstração de que o critério não pode ser meramente económico. É muito mais do que isso. É o critério de uma história feita em comum, de uma ligação que nós exemplificamos na língua, nos costumes, na história, nos hábitos e em todas as áreas da vida e que nos faz muito próximos. E por isso eu acho que mais que olhar à dimensão dos países, é preciso olhar ao conjunto do espaço lusófono como um todo, como uma plataforma onde esperamos podermos circular todos: pessoas e empresas falando e partilhando a mesma língua. Quanto mais países, mesmo que pequenos melhor, porque significa que temos mais alternativas, mais comunidades diferenciadas a participar deste conjunto. Brasil, Portugal e todos os países africanos de língua oficial portuguesa, para não referir Timor, dão um espaço de umas centenas de milhões de pessoas. Eu acho que temos que olhar para este espaço, como sendo uma espécie de pátria comum. Por isso, não é Angola que vale mais ou Cabo Verde que vale menos: é um espaço comum que nessa medida tem o mesmo valor em qualquer desses territórios. A atribuição do prémio Camões a um pequeno país como Cabo Verde confirma o que acaba de dizer. NMS - Sim, significa que a língua é de facto o grande elo de ligação entre nós e que a língua, nas suas várias expressões, na escrita, como na música ou na expressão teatral pode ser e deve ser um factor de afirmação deste espaço lusófono, dentro do espaço e no resto do mundo. Se nós repararmos, países grandes, como os Estados Unidos ou a França, ou a Inglaterra ou a Espanha, utilizam a música, o seu cinema e a sua literatura como armas diplomáticas na afirmação das suas culturas. Nós temos

3 que fazer isso também com a cultura dos países da lusofonia e desta forma, valorizando o que de mais significativo acontece em cada um destes espaços lusófonos. A escolha da Cidade Velha como uma das 7 maravilhas de origem portuguesa... NMS - Também, mas Cabo Verde tem um outro valor seu, que é muito importante na minha opinião, que é a forma como o povo de Cabo Verde soube fazer o processo de transição de território colonizado para país independente e depois disso para uma democracia estabilizada, que é um exemplo em África, de convivência democrática, com as deficiências e limitações que todos têm. Mas, esse valor é uma experiência que Cabo Verde tem que trazer, assim como os outros países têm que trazer a esta comunidade lusófona, aquilo que têm de mais-valia. E uma das mais valias de Cabo Verde é seguramente este espaço de paz e democracia que conseguiu construir. Uma das propostas de revisão constitucional, apresentadas ao parlamento cabo-verdiano, diz respeito à oficialização do crioulo. Esta oficialização poderá alterar as relações entre os dois países? NMS - Alterar as relações entre os dois países não, poderá ser um elemento de algum afastamento entre os povos, mas não entre os países. Talvez. Porque se falar em crioulo comigo vai ser difícil eu responder-lhe em português. Eu acho que devem e podem conviver as línguas faladas nos diferentes espaços, mas a manutenção do português como elo de ligação é um elemento muito importante. Se não trabalharmos todos nisso, por muito que os governos e os países firmem contratos, acordos ou comunidades, as pessoas não conseguem comunicar. E se as pessoas não conseguirem comunicar-se é muito difícil construir um espaço comum. Historicamente quais os partidos políticos portugueses que mais fizeram pela comunidade cabo-verdiana? NMS - Eu acho que quem mais fez pela comunidade cabo-verdiana durante muitas décadas, durante todo o período da primeira vaga se quisermos, não foram os partidos, porque não existiam; não o Estado porque não havia a consciência da necessidade de uma política de integração. Estávamos a aprender todos em conjunto, portanto não houve uma verdadeira política de acolhimento e de integração da primeira vaga de imigração que Portugal recebe, como não houve em França nem em Espanha e, hoje em dia, os países europeus pagam o preço disso por não terem aprendido a tempo, que era importante integrar esses comunidades e terem deixado que elas de alguma forma ficarem mais isoladas no tecido social. Portanto, durante todo esse tempo quem ajudou a comunidade cabo-verdiana foram os portugueses: foi a Igreja, foram as ONGs, foram as autarquias locais e foram as associações da sociedade civil que apoiaram muito a comunidade cabo-verdiana. Fizemos um processo em que todos participamos, mas é justo dizer, porque corresponde à verdade, que foi um período de grande afirmação e de grande melhoria na relação com a comunidade cabo-verdiana como com todas as comunidades imigrantes, o do governo de Durão Barroso. Penso que podemos dizer que pela primeira vez nesse governo, Portugal definiu uma política integrada e completa de relacionamento com a imigração. Uma política pública de imigração em Portugal, penso eu, só existe a partir desse governo. Tivemos a responsabilidade e eu tive essa tutela e foi um trabalho que gostei muito de realizar. Conseguimos o reagrupamento familiar, o acesso aos cuidados de saúde para os não legais, o acesso à educação respeitando as identidades culturais, etc. Penso que o maior avanço que se conseguiu foi nesse período, mas quero sublimar também que o trabalho que está a ser feito por este governo tem sido um trabalho de continuação e tão positivo como aquele que nós fizemos. Mau grado esses avanços, os cabo-verdianos continuam a viver em bairros degradados como Cova da Moura. O que falta fazer?

4 NMS - Nós temos bairros mais pobres em Portugal, como os temos na cidade da Praia. Foi muito importante o esforço que fizemos para que esses bairros não se transformassem em guetos de comunidades. Uma coisa, é ter um bairro de pessoas de menos possibilidades, sejam portugueses, cabo-verdianos ou ucranianos, outra coisa, é que seja um gueto, isolado de uma comunidade. Houve um trabalho que hoje em dia envolve mais de 30 mil jovens não portugueses. Foi um trabalho de procurar, precisamente nessas comunidades, trabalhar a integração das pessoas, mais do que a integração do espaço. Por isso, é que digo que a situação nesses bairros é hoje muito menos tensa e muito menos conflituante, mas é evidente que há ainda um trabalho a fazer. Já foram erradicados muitos bairros desses em Lisboa. Alguns deles ainda subsistem, e porventura irão subsistir sempre, enquanto houverem pessoas que vivem mal. O que não podemos aceitar é que não sejam algumas pessoas: ou só os portugueses, ou só os cabo-verdianos, porque nessa altura estaríamos a tratar de formar diferente algumas pessoas, e isto não é aceitável. Por isso, temos que acabar com esses bairros. É um trabalho para a vida, nunca acabarão. Ma o que temos que fazer, como já disse, é um trabalho de integração, que garanta que esses bairros não se transformem em guetos de isolamento de comunidades. A segunda geração de cabo-verdianos é a mais problemática. Em que reside este facto? NMS - A segunda geração de imigrantes, ou seja, os filhos daqueles que chegaram na década de 60, tiveram uma reacção, a mesma que aconteceu em Paris e que sentimos em Lisboa há uns meses. Não é a reacção daqueles que chegaram agora, é a reacção dos filhos que chegaram na década de 60. E por uma razão: eles reagem agora muitas vezes negativamente e uma comunidade que reagiu negativamente com eles: por ignorância, mas reagiu negativamente. É um pouco o refluxo do que agora acontece; por isso sublinhei a importância muito de se trabalhar agora com as camadas mais jovens das populações não nacionais e da comunidade cabo-verdiana. Porque o risco de tensão, de conflito social, de não integração está, se não soubermos, assumir a responsabilidade dos erros cometidos, dizer-lhes também que não é cometendo erros agora que se vai corrigir essa parte do passado. Houve candidatura de cabo-verdianos às eleições autárquicas que não passaram mesmo disso. O que faltou? NMS - Eu acho que há um caminho longo a percorrer. É preciso fazer um trabalho a dois níveis: por um lado através de iniciativas como esta que amanhã acontece (Fórum Mais Portugal -Cabo Verde, ver pág... ). É uma iniciativa da sociedade civil, é uma iniciativa de cabo-verdianos e de portugueses que se juntaram e que envolve socialistas, sociais-democratas, que envolve pessoas de diferentes orientações políticas em Portugal. É uma iniciativa que, por isso, procura privilegiar aquilo que nos une, mais do que aquilo que nos separa. Eu queria sublinhar a importância de iniciativas destas que dão muito trabalho, mas que significam muita vontade de algumas pessoas. Eu sublinhava aqui o trabalho que em Cabo Verde foi feito para esta iniciativa, pelo Dr. Carlos Veiga, que eu acho que continua a ser uma figura de referência no trabalho incansável de aproximação de comunidades e pelo Dr. Nuno Manalvo pelo lado português. Este é um nível a que temos que trabalhar. Um outro nível tem que ser os cabo-verdianos, eles próprios a trabalhar, que é este: através das autarquias, através das associações e das organizações locais começarem a participar e tomar posição na vida da comunidade. Quando diz que nas autarquias concorreram muitos cabo-verdianos e não deu grande resultado, não deu grandes resultados a nível dos presidentes. Mas há cabo-verdianos, envolvidos em muitas assembleias de freguesia, em várias assembleias municipais. Eu acho que é este o processo, é por aí que deve começar. Portanto, não acho que tenha sido um esforço em vão e é preciso que os cabo-verdianos continuem a assumir os seus direitos e a afirmar as suas posições nas comunidades, designadamente por essa via.

5 Como se sente em Cabo Verde, apesar da pandemia da dengue? NMS - Quanto à pandemia a gente tem lá outra. Por isso, é para a troca. Uma pandemia lá, outra cá, não tem problema. Sinto-me como das outras vezes que vim a Cabo Verde, como sinto quando chego a Moçambique, a São Tomé, a Angola que é uma sensação de estar em casa. É a tal sensação que a história, o tempo de convivência entre estes povos leva a que nos genes de cada um de nós esteja uma identificação natural. Eu acho que relacionamo-nos entre nós como não nos relacionamos com outros povos e outras comunidades, porque temos esta memória do encontro. Isso faz-nos sentir em casa , 11:53:36 AM, Expresso das Ilhas

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL Entrevista com Eng.º Victor Sá Carneiro N uma época de grandes transformações na economia dos países, em que a temática do Empreendedorismo assume uma grande relevância

Leia mais

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Conhece os teus Direitos A caminho da tua Casa de Acolhimento Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Dados Pessoais Nome: Apelido: Morada: Localidade: Código Postal - Telefone: Telemóvel: E

Leia mais

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1 Entrevista G1.1 Entrevistado: E1.1 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 51 anos Masculino Cabo-verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: Imigrações prévias : São Tomé (aos 11 anos) Língua materna:

Leia mais

SESSÃO DE ABERTURA DA XVII ASSEMBLEIA GERAL DO CONSELHO MUNDIAL DAS CASAS DOS AÇORES

SESSÃO DE ABERTURA DA XVII ASSEMBLEIA GERAL DO CONSELHO MUNDIAL DAS CASAS DOS AÇORES SESSÃO DE ABERTURA DA XVII ASSEMBLEIA GERAL DO CONSELHO MUNDIAL DAS CASAS DOS AÇORES Hilmar, Califórnia, 29 de Agosto de 2014 Intervenção do Presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro Começo

Leia mais

Ano Europeu para o Diálogo Intercultural

Ano Europeu para o Diálogo Intercultural Ano Europeu para o Diálogo Intercultural Na sexta-feira, dia 14 de Março do decorrente ano, eu e a minha turma 20 da Escola Secundária de Fafe, fomos assistir a uma conferência sobre o "O Ano Europeu para

Leia mais

ESCOLA NACIONAL DE BOMBEIROS (Centro de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências)

ESCOLA NACIONAL DE BOMBEIROS (Centro de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências) ESCOLA NACIONAL DE BOMBEIROS (Centro de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências) APOIO DO FUNDO SOCIAL EUROPEU: Através do Programa Operacional Educação (PRODEP III) Objectivos: Reduzir

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD Objectivos: ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA FICHA DE ACTIVIDADE N.º 4- " de A a Z " 1. Reconhecer conceitos que integram o indivíduo na sociedade. 2. Conhecer o exercício da cidadania. AUTARQUIAS:

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Copenhague-Dinamarca, 01 de outubro de 2009 Bem, primeiro dizer a vocês da alegria de poder estar

Leia mais

O IMPACTO DA DESCENTRALIZAÇÃO NO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO LOCAL A EXPERIÊNCIA DE CABO VERDE

O IMPACTO DA DESCENTRALIZAÇÃO NO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO LOCAL A EXPERIÊNCIA DE CABO VERDE O IMPACTO DA DESCENTRALIZAÇÃO NO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO LOCAL A EXPERIÊNCIA DE CABO VERDE 1. CARACTERIZAÇÃO DE CABO VERDE 1.1 Aspectos físicos f e demográficos Situado no Oceano Atlântico, a cerca

Leia mais

ENTREVISTA DO PROF. CLAUDIO CEZAR HENRIQUES

ENTREVISTA DO PROF. CLAUDIO CEZAR HENRIQUES 132 ENTREVISTA DO PROF. CLAUDIO CEZAR HENRIQUES September 21, 2010, by pontofinalmacau Claudio Cezar Henriques, filólogo e escritor brasileiro, esteve em Macau para uma palestra sobre a reforma ortográfica,

Leia mais

Quero, também, que os Estaleiros Navais de Viana do Castelo sejam capazes de colocar no exterior noutros mercados, projectos

Quero, também, que os Estaleiros Navais de Viana do Castelo sejam capazes de colocar no exterior noutros mercados, projectos DECLARAÇÕES AOS JORNALISTAS DO MINISTRO PAULO PORTAS, EM VIANA DO CASTELO, APÓS REUNIÕES DE TRABALHO COM O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E COM A COMISSÃO DE TRABALHADORES DOS ESTALEIROS NAVAIS DE VIANA DO

Leia mais

EUROPA. Uma Grande. Família

EUROPA. Uma Grande. Família EUROPA Uma Grande Família Europa - Uma grande família Porque viver na Europa é sinónimo de união, oportunidades, pertença e harmonia, esta publicação apresenta os cidadãos europeus como elementos de uma

Leia mais

TempoLivre. Deixem brincar as crianças. Entrevista com a pedagoga Maria José Araújo. www.inatel.pt. N.º 235 Março 2012 Mensal 2,00

TempoLivre. Deixem brincar as crianças. Entrevista com a pedagoga Maria José Araújo. www.inatel.pt. N.º 235 Março 2012 Mensal 2,00 N.º 235 Março 2012 Mensal 2,00 TempoLivre www.inatel.pt Entrevista com a pedagoga Maria José Araújo Deixem brincar as crianças Destacável Viagens Primavera Verão 2012 Entrevista Maria José Araújo Pedagoga

Leia mais

Mensagem de Prem Rawat

Mensagem de Prem Rawat Mensagem de Prem Rawat na Conferência de Paz Nórdica 2012 Conf. Nórdica, Página 1 Gostaria de falar-vos sobre paz. Eu sei que quase toda a gente tem a sua interpretação do que é a paz. Para mim, a paz

Leia mais

Um poderoso instrumento de mudança

Um poderoso instrumento de mudança Um poderoso instrumento de mudança José Tribolet Professor Catedrático de Sistemas de Informação do Instituto Superior Técnico Presidente do INESC, Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores Há

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 40 Discurso no encontro com representantes

Leia mais

Sinopse I. Idosos Institucionalizados

Sinopse I. Idosos Institucionalizados II 1 Indicadores Entrevistados Sinopse I. Idosos Institucionalizados Privação Até agora temos vivido, a partir de agora não sei Inclui médico, enfermeiro, e tudo o que for preciso de higiene somos nós

Leia mais

Learning by ear Aprender de Ouvido Globalização 10 Migração e problemas ligados à integração na Alemanha

Learning by ear Aprender de Ouvido Globalização 10 Migração e problemas ligados à integração na Alemanha Learning by ear Aprender de Ouvido Globalização 10 Migração e problemas ligados à integração na Alemanha Autora: Sandrine Blanchard Redacção: Yann Durand 3 vozes: - um locutor 1 Daniel Machava - uma locutora

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 100 Discurso na cerimónia do dia

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO ALOCUÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO, MINISTRO DA DEFESA E SEGURANÇA KAY RALA XANANA GUSMÃO POR OCASIÃO DA VISITA À ACADEMIA

Leia mais

05/12/2006. Discurso do Presidente da República

05/12/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, no encerramento da 20ª Reunião Ordinária do Pleno Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social Palácio do Planalto, 05 de dezembro de 2006 Eu acho que não cabe discurso aqui,

Leia mais

Protocolo da Entrevista a Maria

Protocolo da Entrevista a Maria Protocolo da Entrevista a Maria 1 O que lhe vou pedir é que me conte o que é que aconteceu de importante desde que acabou o curso até agora. Eu... ah!... em 94 fui fazer um estágio, que faz parte do segundo

Leia mais

Encontro a propósito do inquérito do Sínodo dos Bispos sobre a família

Encontro a propósito do inquérito do Sínodo dos Bispos sobre a família METANOIA em Lisboa Encontro a propósito do inquérito do Sínodo dos Bispos sobre a família Algumas notas a partir da reflexão havida no dia 13 de dezembro de 2013 na qual participaram 43 pessoas Contexto

Leia mais

INQ Já alguma vez se sentiu discriminado por ser filho de pais portugueses?

INQ Já alguma vez se sentiu discriminado por ser filho de pais portugueses? Transcrição da entrevista: Informante: nº15 Célula: 5 Data da gravação: Agosto de 2009 Geração: 2ª Idade: 35 Sexo: Masculino Tempo de gravação: 10.24 minutos INQ Já alguma vez se sentiu discriminado por

Leia mais

Participação Cívica e Política de Jovens Angolanos: um estudo exploratório

Participação Cívica e Política de Jovens Angolanos: um estudo exploratório Participação Cívica e Política de Jovens Angolanos: um estudo exploratório Norberto Ribeiro & Isabel Menezes Paper presented at VII National Symposium on Research in Psychology, 4th-8th February 2010,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 24 Discurso na solenidade de entrega

Leia mais

José Epifânio da Franca (entrevista)

José Epifânio da Franca (entrevista) (entrevista) Podemos alargar a questão até ao ensino secundário Eu diria: até à chegada à universidade. No fundo, em que os jovens já são maiores, têm 18 anos, estarão em condições de entrar de uma maneira,

Leia mais

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Sessão Pública: Coerência das Políticas: O Desafio do Desenvolvimento Auditório Novo da Assembleia da República 19 de Janeiro de 2011 Apresentação Pública do Exame

Leia mais

MINISTÉRIO DA HOTELARIA E TURISMO

MINISTÉRIO DA HOTELARIA E TURISMO República de Angola MINISTÉRIO DA HOTELARIA E TURISMO DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA, DR. PAULINO BAPTISTA, SECRETÁRIO DE ESTADO PARA A HOTELARIA DA REPÚBLICA DE ANGOLA, DURANTE A VIII REUNIÃO DE MINISTROS

Leia mais

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração da Escola Municipal Jornalista Jaime Câmara e alusiva à visita às unidades habitacionais do PAC - Pró-Moradia no Jardim do Cerrado e Jardim Mundo

Leia mais

Ana Maria Be encourt 1

Ana Maria Be encourt 1 ABERTURA Ana Maria Be encourt 1 Senhor Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Senhor Embaixador Presidente da Comissão Nacional da UNESCO, Senhora Secretária Regional da Educação

Leia mais

Anexo 2. . Falar educação Um programa do Instituto de Tecnologia Educativa Radio Televisão Portuguesa (1975) EDUCAÇÃO PELA ARTE

Anexo 2. . Falar educação Um programa do Instituto de Tecnologia Educativa Radio Televisão Portuguesa (1975) EDUCAÇÃO PELA ARTE Anexo 2 O documento que se apresenta em seguida é um dos que consideramos mais apelativos neste estudo visto ser possível ver Cecília Menano e João dos Santos e a cumplicidade que caracterizou a sua parceria

Leia mais

Bilinguismo, aprendizagem do Português L2 e sucesso educativo na Escola Portuguesa

Bilinguismo, aprendizagem do Português L2 e sucesso educativo na Escola Portuguesa Bilinguismo, aprendizagem do Português L2 e sucesso educativo na Escola Portuguesa Projecto-piloto em desenvolvimento no ILTEC (Instituto de Linguística Teórica e Computacional) com financiamento e apoio

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de lançamento do Programa Nacional de Saúde Bucal

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de lançamento do Programa Nacional de Saúde Bucal , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de lançamento do Programa Nacional de Saúde Bucal Sobral-CE, 17 de março de 2004 Meu caro governador do estado do Ceará, Lúcio Alcântara, Meu caro companheiro

Leia mais

Recenseamento Geral da População e Habitação 2014

Recenseamento Geral da População e Habitação 2014 Census 2014 Angola Informação Geral:- Recenseamento Geral da População e Habitação 2014 A República de Angola vai efectuar, de 16 a 31 de Maio de 2014, o Recenseamento Geral da População e Habitação, aquela

Leia mais

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Brasília-DF, 30 de outubro de 2006 Jornalista Ana Paula Padrão: Então vamos às perguntas, agora ao vivo, com

Leia mais

Obrigado, (Peru). (Espanha) com o relatório do grupo de trabalho, que analisa os métodos de trabalho.

Obrigado, (Peru). (Espanha) com o relatório do grupo de trabalho, que analisa os métodos de trabalho. LONDRES Atualizações do Grupo de Trabalho do GAC Domingo, 22 de junho de 2014 9:00 a 10:00 ICANN Londres, Inglaterra TRACY HACKSHAW: Bom dia para todos. Vamos ver a agenda. Bom dia a todos. Vamos passar

Leia mais

Kuala Lumpur, Malásia

Kuala Lumpur, Malásia ALOCUÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO MINISTRO DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE, KAY RALA XANANA GUSMÃO,, NO FÓRUM SOBRE OPORTUNIDADES DE COMÉRCIO E INVESTIMENTO EM TIMOR-LESTE Kuala Lumpur,

Leia mais

Entrevista A2. 2. Que idade tinhas quando começaste a pertencer a esta associação? R.: 13, 14 anos.

Entrevista A2. 2. Que idade tinhas quando começaste a pertencer a esta associação? R.: 13, 14 anos. Entrevista A2 1. Onde iniciaste o teu percurso na vida associativa? R.: Em Viana, convidaram-me para fazer parte do grupo de teatro, faltava uma pessoa para integrar o elenco. Mas em que associação? Na

Leia mais

P/1 Então por favor, começa com o seu nome completo, local e a data de nascimento.

P/1 Então por favor, começa com o seu nome completo, local e a data de nascimento. museudapessoa.net P/1 Então por favor, começa com o seu nome completo, local e a data de nascimento. R Meu nome é Kizzes Daiane de Jesus Santos, 21 de julho de 1988, eu nasci em Aracaju, no estado do Sergipe.

Leia mais

Estado de direito democrático...2. Tarefas fundamentais do Estado...2. Liberdade de associação...2. Direitos dos trabalhadores...3

Estado de direito democrático...2. Tarefas fundamentais do Estado...2. Liberdade de associação...2. Direitos dos trabalhadores...3 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA (Texto nos termos da última revisão constitucional (sexta revisão constitucional) operada pela Lei Constitucional n.º 1/2004, de 24 de Julho) Estado de direito democrático...2

Leia mais

R E L A T Ó R I O D E E N G E N H A R I A D E S O F T W A R E ( 2 0 0 5 / 2 0 0 6 )

R E L A T Ó R I O D E E N G E N H A R I A D E S O F T W A R E ( 2 0 0 5 / 2 0 0 6 ) R E L A T Ó R I O D E E N G E N H A R I A D E S O F T W A R E ( 2 0 0 5 / 2 0 0 6 ) Tendo iniciado no presente ano lectivo 2005/2006 o funcionamento da plataforma Moodle na Universidade Aberta, considerou-se

Leia mais

ASSEMBLEIA NACIONAL GABINETE DO PRESIDENTE

ASSEMBLEIA NACIONAL GABINETE DO PRESIDENTE ASSEMBLEIA NACIONAL GABINETE DO PRESIDENTE Discurso de S.E o Presidente da Assembleia Nacional na cerimónia de abertura da I Conferência Internacional Uma Criança, Um Cidadão. Senhora Ministra da Educação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO PESQUISA DO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO OBEDUC RANIÉRE ANDRÉ FERNANDES.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO PESQUISA DO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO OBEDUC RANIÉRE ANDRÉ FERNANDES. UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO PESQUISA DO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO OBEDUC RANIÉRE ANDRÉ FERNANDES. ANÁLISE DAS MEMÓRIAS DOS PROFESSORES DA ESCOLA MUNICIPAL DE TEMPO INTERGRAL JARDIM

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 70 Cerimónia de sanção do projeto

Leia mais

Transcrição de Entrevista n º 24

Transcrição de Entrevista n º 24 Transcrição de Entrevista n º 24 E Entrevistador E24 Entrevistado 24 Sexo Feminino Idade 47 anos Área de Formação Engenharia Sistemas Decisionais E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

JOSÉ SÓCRATES É UM HOMEM DE CIRCO

JOSÉ SÓCRATES É UM HOMEM DE CIRCO JOSÉ SÓCRATES É UM HOMEM DE CIRCO A economia vai derrotar a democracia de 1976. - José Sócrates, é um homem de circo, de espectáculo. Portugal está a ser gerido por medíocres, Guterres, Barroso, Santana

Leia mais

Categorias Subcategorias Unidades de registo. Situação. Sai da escola e ia para casa da minha mãe (F1) Experiência de assalto

Categorias Subcategorias Unidades de registo. Situação. Sai da escola e ia para casa da minha mãe (F1) Experiência de assalto Categorias Subcategorias Unidades de registo Experiência de assalto Situação Sai da escola e ia para casa da minha mãe (F1) Estava a ir para a escola (F2) Estava a sair da escola e quando cheguei à porta

Leia mais

Jairo Martins da Silva. FOTOs: divulgação

Jairo Martins da Silva. FOTOs: divulgação Jairo Martins da Silva FOTOs: divulgação E N T R E V I S T A Disseminando qualidade e cultura Superintendente-geral da Fundação Nacional da Qualidade, Jairo Martins da Silva fala sobre o desafio da qualidade

Leia mais

Programa de Estágios do Núcleo de Engenharia Biológica (PEN)

Programa de Estágios do Núcleo de Engenharia Biológica (PEN) Instituto Superior Técnico Programa de Estágios do Núcleo de Engenharia Biológica (PEN) Núcleo de Engenharia Biológica Em primeiro lugar, a direcção do NEB gostaria de deixar claro que a resposta de forma

Leia mais

Nos últimos tempos nesta questão enquanto uns progridem outros, com especial relevo para a ilha Graciosa, regridem.

Nos últimos tempos nesta questão enquanto uns progridem outros, com especial relevo para a ilha Graciosa, regridem. Intervenção do Senhor Deputado João Cunha na sessão plenária de 19 de Fevereiro de 2003 Senhor Presidente da Assembleia Senhoras e Senhores Deputados Senhora e Senhores Membros do Governo TRANSPORTES Os

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação Português Compreensão de texto 3 o ano Unidade 1 5 Unidade 1 Compreensã de texto Nome: Data: A carta é uma forma de comunicação escrita que pode ser endereçada a uma ou a várias

Leia mais

FOTO-AVENTURA. Nikon D600. 85mm. f/16. 10. ISO 100. 10 zoom - FOTOGRAFIA PRÁTICA

FOTO-AVENTURA. Nikon D600. 85mm. f/16. 10. ISO 100. 10 zoom - FOTOGRAFIA PRÁTICA FOTO-AVENTURA Nikon D600. 85mm. f/16. 10. ISO 100 10 zoom - FOTOGRAFIA PRÁTICA Nova Zelândia CADA QUILÓMETRO É UMA POTENCIAL FOTOGRAFIA IR AO OUTRO LADO DO MUNDO APENAS PARA FOTOGRAFAR NÃO É PARA QUALQUER

Leia mais

Midas. Toque de. [entrevista]

Midas. Toque de. [entrevista] [entrevista] Toque de Midas Tem 29 anos, nasceu no Porto e é apostador profissional. Pelo menos, para o Estado inglês onde está colectado, porque para as finanças nacionais não passa de um indivíduo com

Leia mais

Entrevista com GVA-Consultimo. Maria Inácia Reynolds Oliveira. Diretora Geral. Com quality media press para LA VANGUARDIA & Expresso

Entrevista com GVA-Consultimo. Maria Inácia Reynolds Oliveira. Diretora Geral. Com quality media press para LA VANGUARDIA & Expresso Entrevista com GVA-Consultimo Maria Inácia Reynolds Oliveira Diretora Geral Com quality media press para LA VANGUARDIA & Expresso O sector imobiliário em Portugal: análise evolução recente O sector Imobiliário

Leia mais

Recebo com emoção o título de doutor Honoris Causa da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira.

Recebo com emoção o título de doutor Honoris Causa da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira. Discurso do Ex-Presidente Lula Outorga do Título de Doutor Honoris Causa da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira 1 de Março de 2013 Recebo com emoção o título de doutor

Leia mais

A iniciação à fé cristã das crianças de hoje - da teologia à pedagogia

A iniciação à fé cristã das crianças de hoje - da teologia à pedagogia ONDE MORAS? Ilustração de Capa, Madalena Matoso, 2009 ONDE MORAS? UMA PROPOSTA Tópicos para a intervenção inicial Maria da Conceição Moita A iniciação à fé cristã das crianças de hoje - da teologia à pedagogia

Leia mais

III SEMANA DO MEIO AMBIENTE

III SEMANA DO MEIO AMBIENTE III SEMANA DO MEIO AMBIENTE Durante a Semana do Meio Ambiente de 2008, o CMJF procurou envolver todos os alunos na discussão e reflexão sobre questões relativas ao ambiente. Através dos coordenadores de

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 14 Discurso: em encontro com professores

Leia mais

Confederação Internacional do Crédio Agrícola (CICA) 39ª Assembleia Geral da CICA Lisboa, 9 e 10 de Outubro de 2009

Confederação Internacional do Crédio Agrícola (CICA) 39ª Assembleia Geral da CICA Lisboa, 9 e 10 de Outubro de 2009 Confederação Internacional do Crédio Agrícola (CICA) 39ª Assembleia Geral da CICA Lisboa, 9 e 10 de Outubro de 2009 Cooperação estratégica com os países africanos de expressão portuguesa Manuel Canaveira

Leia mais

o Sr. Gérson Camata - Permite-me V. Ex a um aparte? o Sr. Jutahy Magalhães - Ouço V. Ex a com prazer. (71 Senador JUTAHY MAGALHÃES

o Sr. Gérson Camata - Permite-me V. Ex a um aparte? o Sr. Jutahy Magalhães - Ouço V. Ex a com prazer. (71 Senador JUTAHY MAGALHÃES (71 Senador JUTAHY MAGALHÃES PSDB BA Eu gostaria de dizer - já é do conhecimento público - que o Deputado Jamil Haddad, Ministro da Saúde do atual Governe), colocou seu cargo à disposição do Presidente

Leia mais

CNIS / CES / EDUCAÇÃO DECLARAÇÃO DE PRINCÍPIOS A EDUCAÇÃO NO SECTOR SOLIDÁRIO DECLARAÇÃO DE PRINCÍPIOS

CNIS / CES / EDUCAÇÃO DECLARAÇÃO DE PRINCÍPIOS A EDUCAÇÃO NO SECTOR SOLIDÁRIO DECLARAÇÃO DE PRINCÍPIOS A EDUCAÇÃO NO SECTOR SOLIDÁRIO 1 1. FUNDAMENTOS DE UMA PROPOSTA O Sector Solidário, neste caso a Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS), assume que o sistema educativo 1 é um dos

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração do Centro de Especialidades Odontológicas de Campo Limpo

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração do Centro de Especialidades Odontológicas de Campo Limpo , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração do Centro de Especialidades Odontológicas de Campo Limpo São Paulo-SP, 20 de outubro de 2004 Meus queridos companheiros e minhas queridas companheiras

Leia mais

R U I P E D R O R E I S

R U I P E D R O R E I S Quem: Rui Pedro Reis Idade: 30 anos Pretexto: É coordenador da SIC Notícias e editor do programa Música do Mundo Outros trabalhos: Foi uma das figuras de uma rádio nacional Imagem: Fanático pelos media

Leia mais

Dados internacionais de catalogação Biblioteca Curt Nimuendajú

Dados internacionais de catalogação Biblioteca Curt Nimuendajú Catalogação: Cleide de Albuquerque Moreira Bibliotecária/CRB 1100 Revisão: Lucimar Luisa Ferreira / Marinez Santina Nazzari Revisão Final: Elias Januário Consultor: Luís Donisete Benzi Grupioni Projeto

Leia mais

CAPITULO 10. Relações económicas com o resto do mundo

CAPITULO 10. Relações económicas com o resto do mundo CAPITULO 10 Relações económicas com o resto do mundo A necessidade e a diversidade das relações com o resto do mundo O registo das alterações com o resto do mundo As politicas comerciais e a organização

Leia mais

10 segredos para falar inglês

10 segredos para falar inglês 10 segredos para falar inglês ÍNDICE PREFÁCIO 1. APENAS COMECE 2. ESQUEÇA O TEMPO 3. UM POUCO TODO DIA 4. NÃO PRECISA AMAR 5. NÃO EXISTE MÁGICA 6. TODO MUNDO COMEÇA DO ZERO 7. VIVA A LÍNGUA 8. NÃO TRADUZA

Leia mais

Software Livre em fase de maior maturidade no sector académico, empresarial e na Administração Pública

Software Livre em fase de maior maturidade no sector académico, empresarial e na Administração Pública Software Livre em fase de maior maturidade no sector académico, empresarial e na Administração Pública Lisboa, 21 de Setembro de 2007 A Software Livre Expectativas e realidades, organizada ontem pela APDSI

Leia mais

Discipulado Pastor Emanuel Adriano (Mano) DISCIPULADO

Discipulado Pastor Emanuel Adriano (Mano) DISCIPULADO Discipulado Pastor Emanuel Adriano (Mano) DISCIPULADO Em vários textos a Bíblia relata visões que Deus deu a seu povo. Essas visões tinham por objetivo trazer uma orientação ou direção, em outros momentos

Leia mais

Imigração & Emigração CP_4

Imigração & Emigração CP_4 Imigração e emigração são palavras que descrevem o fluxo de indivíduos num país. A imigração é o movimento de entrada de estrangeiros num país de forma temporária ou permanente e a emigração é a saída

Leia mais

Conferência e-educação

Conferência e-educação Conferência e-educação Ideias chave No processo de aproximação das TIC ao sistema educativo, o mais difícil não é equipar a escola com PCs, mas sim a intrusão das TIC na prática educativa As TIC têm um

Leia mais

Lógicas de Supervisão Pedagógica em Contexto de Avaliação de Desempenho Docente. ENTREVISTA - Professor Avaliado - E 5

Lógicas de Supervisão Pedagógica em Contexto de Avaliação de Desempenho Docente. ENTREVISTA - Professor Avaliado - E 5 Sexo Idade Grupo de Anos de Escola docência serviço Feminino 46 Filosofia 22 Distrito do Porto A professora, da disciplina de Filosofia, disponibilizou-se para conversar comigo sobre o processo de avaliação

Leia mais

Estágios de Cooperação Internacional BES/ AMI. 8ª Edição Ano 2013

Estágios de Cooperação Internacional BES/ AMI. 8ª Edição Ano 2013 Estágios de Cooperação Internacional BES/ AMI 8ª Edição Ano 2013 Março de 2013 Queres fazer parte desta Missão? Se queres chegar mais longe em experiência e vivência Pelo oitavo ano consecutivo o BES realiza

Leia mais

Direcção-Geral da Acção Social

Direcção-Geral da Acção Social Direcção-Geral da Acção Social Núcleo de Documentação Técnica e Divulgação Maria Joaquina Ruas Madeira A Dimensão Social da SIDA: A Família e a Comunidade (Comunicação apresentada nas 1as Jornadas Regionais

Leia mais

Modos de agir na interacção Conteúdos. Aprendizagem dos alunos

Modos de agir na interacção Conteúdos. Aprendizagem dos alunos Modos de agir na interacção Conteúdos Aprendizagem dos alunos Conteúdos a trabalhar 1. [Nas reuniões mensais] Aproveito para fazer uma análise dos conhecimentos que estamos a fazer, dos conteúdos que estão

Leia mais

Perdão. Fase 7 - Pintura

Perdão. Fase 7 - Pintura SERM7.QXD 3/15/2006 11:18 PM Page 1 Fase 7 - Pintura Sexta 19/05 Perdão Porque, se vocês perdoarem as pessoas que ofenderem vocês, o Pai de vocês, que está no Céu também perdoará vocês. Mas, se não perdoarem

Leia mais

URBAN II Em apoio do comércio e do turismo

URBAN II Em apoio do comércio e do turismo [Página 1 capa] Utilizar da melhor forma os fundos estruturais URBAN II Em apoio do comércio e do turismo O que é e sugestões para candidaturas a projectos bem sucedidas Com esta publicação, a DG Empresa

Leia mais

Avanços e retrocessos na área da saúde mental dos imigrantes em Portugal: a perspectiva do GIS

Avanços e retrocessos na área da saúde mental dos imigrantes em Portugal: a perspectiva do GIS Iolanda Évora Avanços e retrocessos na área da saúde mental dos imigrantes em Portugal: a perspectiva do GIS Apresentado no 9º Encontro de Saúde Mental de Cascais a 14 de Novembro de 2008 O CEsA não confirma

Leia mais

DIÁLOGOS A pluralidade e as singularidades em nossa transmissão

DIÁLOGOS A pluralidade e as singularidades em nossa transmissão DIÁLOGOS A pluralidade e as singularidades em nossa transmissão Diálogos da última edição deste Boletim trouxe os bastidores e um pouco da história dos nossos eventos. Desta feita, apontamos nossa mira

Leia mais

Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957.

Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957. Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957. FORMAÇÃO

Leia mais

Portugal - João Seixas: "As cidades são grandes espelhos de nós próprios"

Portugal - João Seixas: As cidades são grandes espelhos de nós próprios Portugal - João Seixas: "As cidades são grandes espelhos de nós próprios" Nas crônicas urbanas do investigador João Seixas, agora publicadas em livro, a cidade é o reflexo das realizações e aspirações

Leia mais

Guião de Entrevista. 1- Para ti, quais foram as coisas que Portugal descobriu na época dos Descobrimentos?

Guião de Entrevista. 1- Para ti, quais foram as coisas que Portugal descobriu na época dos Descobrimentos? Guião de Entrevista 1- Para ti, quais foram as coisas que Portugal descobriu na época dos Descobrimentos? 2- Consideras os Descobrimentos portugueses um assunto importante? Porquê? 3- Na tua opinião, por

Leia mais

Apresentação do GIS - Grupo Imigração e Saúde / Parte 2: a utilidade do GIS para os imigrantes

Apresentação do GIS - Grupo Imigração e Saúde / Parte 2: a utilidade do GIS para os imigrantes Iolanda Évora Apresentação do GIS - Grupo Imigração e Saúde / Parte 2: a utilidade do GIS para os imigrantes Apresentado no II Fórum Rede Portuguesa de Cidades Saudáveis Viana do Castelo25-26 de Outubro

Leia mais

OCS: Porto Canal Online

OCS: Porto Canal Online Porto Canal Online ID: 59503723 29-05-2015 Visitas diárias: 4779 Âmbito: Regional OCS: Porto Canal Online Universidade Lisboa defende que requisito do concurso para trabalhar na Assembleia da República

Leia mais

Tudo tem um tempo. Uma hora para nascer e uma hora para morrer.

Tudo tem um tempo. Uma hora para nascer e uma hora para morrer. CAPITULO 3 Ele não é o Homem que eu pensei que era. Ele é como é. Não se julga um Homem pela sua aparência.. Tudo tem um tempo. Uma hora para nascer e uma hora para morrer. Eu costumava saber como encontrar

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 4

Transcrição de Entrevista nº 4 Transcrição de Entrevista nº 4 E Entrevistador E4 Entrevistado 4 Sexo Masculino Idade 43 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica E - Acredita que a educação de uma criança é diferente perante o

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 320/XII/2.ª. Reorganização Administrativa do Território das Freguesias. Exposição de Motivos

PROJETO DE LEI N.º 320/XII/2.ª. Reorganização Administrativa do Território das Freguesias. Exposição de Motivos PROJETO DE LEI N.º 320/XII/2.ª Reorganização Administrativa do Território das Freguesias Exposição de Motivos A necessidade de reformar um mapa de freguesias que não conheceu alterações significativas

Leia mais

Discurso de S.EXA SENEC na reunião da Comissão para a Promoção da Qualidade de Vida e Intercâmbios Humanos e da Cultura

Discurso de S.EXA SENEC na reunião da Comissão para a Promoção da Qualidade de Vida e Intercâmbios Humanos e da Cultura Discurso de S.EXA SENEC na reunião da Comissão para a Promoção da Qualidade de Vida e Intercâmbios Humanos e da Cultura Assembleia Parlamentar Euromediterrânica Lisboa, Assembleia da República, 22Fevereiro2010

Leia mais

DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA, O PRIMEIRO MINISTRO

DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA, O PRIMEIRO MINISTRO DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA, O PRIMEIRO MINISTRO Senhora D. Maria José Ritta, Presidente da Comissão Nacional para o Ano Internacional dos Voluntários, Ms. Sharon Capeling, Senhoras e Senhores congressistas

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO APÊNDICES 182 APÊNDICE A UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - FACED PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO PPGE MESTRADO EM EDUCAÇÃO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO PESQUISA:

Leia mais

Revista OBSERVATORIUM (R.O): Conte-nos um pouco sobre sua formação acadêmica até sua chegada à Universidade Federal de Uberlândia.

Revista OBSERVATORIUM (R.O): Conte-nos um pouco sobre sua formação acadêmica até sua chegada à Universidade Federal de Uberlândia. Experiências de uma vida dedicada à Geografia e ao meio ambiente - Marlene Teresinha de Muno Colesanti Instituto de Geografia da Revista OBSERVATORIUM (R.O): Conte-nos um pouco sobre sua formação acadêmica

Leia mais

A formação profissional em Ciência da Informação em Portugal: desafios e perspectivas

A formação profissional em Ciência da Informação em Portugal: desafios e perspectivas A formação profissional em Ciência da Informação em Portugal: desafios e perspectivas Fernanda Ribeiro Doutora em Ciências Documentais pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Diretora da Faculdade

Leia mais

Prova Escrita de História A

Prova Escrita de História A EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de História A 12.º Ano de Escolaridade Prova 623/1.ª Fase 12 Páginas Entrelinha 1,5 Duração da Prova: 120 minutos.

Leia mais

22/05/2006. Discurso do Presidente da República

22/05/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de assinatura de protocolos de intenções no âmbito do Programa Saneamento para Todos Palácio do Planalto, 22 de maio de 2006 Primeiro, os números que estão no

Leia mais

Nem tudo o que parece, é! Estereótipos de género, os meios de comunicação social, as e os jovens

Nem tudo o que parece, é! Estereótipos de género, os meios de comunicação social, as e os jovens Nem tudo o que parece, é! Estereótipos de género, os meios de comunicação social, as e os jovens Senhora Presidente da CIG, Caras parceiras e parceiro de mesa, Caras senhoras e caros senhores, É com grande

Leia mais