GUIA PRÁTICO WEB RÁDIO FACOPP (WRF)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GUIA PRÁTICO WEB RÁDIO FACOPP (WRF)"

Transcrição

1 GUIA PRÁTICO WEB RÁDIO FACOPP (WRF)

2 ÍNDICE Abertura Produtos radiojornalísticos exemplo de flash edição extraordinária boletim radiojornal informativo especial entrevista documentário jornalístico debate Funções no Radiojornalismo mais detalhes sobre o trabalho do pauteiro saiba mais sobre a função do repórter correspondentes Fontes relação de fontes Pauta exemplo de pauta Preparar-se para a reportagem modelo de reportagem Reportagens Entrevista para o Rádio microfone ou gravador Escrever e falar na internet O texto para a webradio aqui uma lauda Edição relógio O script do Radiojornal espelho Apresentação de programas O locutor texto separado com barras Postura do locutor sente-se de maneira confortável postura exercícios O que e como falar Preparo pessoal Prática de locução pronunciar corretamente banco de pronúncias Na hora de falar Na hora de ler Organização de arquivo Postagem na Web Rádio Facopp (WRF) Termos usados em Radiojornalismo Referências bibliográficas e leitura recomendada32 Informações técnicas... 33

3 É mais fácil fazer notícias do que explicar como se faz (Nilson Lage) Olá, seja bem-vindo. Este é um guia para ser utilizado na produção de radiojornalismo na web. O rádio é a transmissão sonora no tempo real da vida do ouvinte. (Meditsch) É transmissão sonora, mas pode vir acompanhada de textos e imagens na web. Porém, esses dois últimos elementos não são necessariamente obrigatórios para a compreensão, porque rádio é, antes de tudo, som. (Prata) O rádio com existência apenas na internet e que pode ser acessado através de uma URL (endereço na internet) é webradio. (Prata) Radiojornalismo é a transmissão instantânea e resumida das notícias com as características do rádio, como instantaneidade, universalidade, atualidade e apelo direto. (Bahia) Notícia é o relato de uma série de fatos a partir do mais importante e, deste, do aspecto mais interessante. (Lage) A finalidade do radiojornalismo é atualizar seu público por meio da divulgação, do acompanhamento e da análise dos fatos. (Barbosa Filho) Na web, o rádio agrega novos recursos à mensagem radiofônica. Agora, não há mais ouvintes apenas. Há usuários interativos. (Prata) Há outras definições também para o usuário que acessa a webradio: ouvinte-internauta, internauta-ouvinte, ciberouvinte, webradionauta. Webradiojornalismo significa associar a prática do radiojornalismo às características da web, considerando sua multimidialidade. Mas, na essência, o jornalismo é sempre jornalismo. Possui dimensões éticas e técnicas que permanecem, não importa o meio em que seja praticado. (Barbeiro e Lima) Ser uma ferramenta, um facilitador para o exercício do radiojornalismo no ambiente online é o propósito deste material.

4 PRODUTOS RADIOJORNALÍSTICOS Flash: é a divulgação de um acontecimento importante, imediatamente. Não faz parte de nenhum programa específico, pode participar em qualquer deles, interrompe a qualquer momento. O tempo é curto, apenas informa que o fato está ocorrendo, sem pormenores. Não precisa nem do lead. Ouça um exemplo de flash. Edição Extraordinária: normalmente é mais longa que o flash. A notícia é apresentada com mais pormenores. Também se refere a acontecimentos importantes cuja divulgação é oportuna e, como o flash, interrompe qualquer programa. Permanece no ar enquanto houver novidade. Acompanhe uma edição extraordinária. Boletim: é o noticiário apresentado com horário e duração pré-determinados, geralmente de dois até cinco minutos. Possui característica musical de abertura e de encerramento, tem script e as notícias podem ser locais, nacionais ou internacionais. Sua finalidade é manter o ouvinte informado sobre os acontecimentos mais recentes. Ouça um boletim. Radiojornal: é um noticiário mais amplo, com informações mais detalhadas dos fatos, reunindo reportagens, entrevistas e comentários. Normalmente é estruturado em editorias, tem periodicidade e sua função é atualizar o último período informativo, entre uma emissão e outra. Exemplo de radiojornal.

5 PRODUTOS RADIOJORNALÍSTICOS Informativo especial: é um noticiário voltado a apenas um campo de atividade, com informações que interessam àquele setor especificamente. Os noticiários esportivos são um exemplo. Pode ser diário ou não e tem horário pré-determinado. Quanto à duração, assemelha-se ao radiojornal. Ouça um informativo especial. Entrevistas: uma das principais fontes para fornecer informações, revelam novos conhecimentos, esclarecem fatos e marcam opiniões. Transmitem emoção, tanto por parte do entrevistado que naturalmente deve ser alguém que tem algo importante a dizer como do entrevistador. Podem ser gravadas ou ao vivo. Exemplo de entrevista. Documentário jornalístico: analisa um tema específico. É produzido de forma mais elaborada, com pesquisa, roteirização, textos e sons. Ouve quem tem algo a dizer e sua função é aprofundar determinado assunto que seja de importância e atualidade ou que possua interesse histórico. Acompanhe um documentário jornalístico. Mesas-redondas ou debates: programas em que os participantes apresentam e discutem ideias. São frequentes na área esportiva ou política. Podem ter um ou mais apresentadores e convidados que são conhecedores do assunto tratado. Ouça trecho de um debate.

6 FUNÇÕES NO RADIOJORNALISMO As redações encolheram, mas não foi apenas no rádio. As funções se multiplicaram e os profissionais se tornaram polivalentes. Ninguém é mais redator, apenas. Ou editor. Ou produtor. Ou repórter. Ou âncora. Todos fazem de tudo. E farão muito mais daqui para a frente. (Jung) Pauteiro: é o jornalista que seleciona assuntos que poderão gerar reportagens. Recebe o material de divulgação de acontecimentos (releases, por exemplo) e sugere reportagens ou entrevistas. Mais detalhes sobre o trabalho do pauteiro. Chefe de Reportagem: é quem determina quais assuntos serão cobertos pela equipe de reportagem. Dá suporte aos repórteres e faz uma ponte entre estes e o editor. De preferência, é o primeiro que chega e o último que sai no trabalho de realizar o produto radiojornalístico. Repórter: é quem se desloca até o local do acontecimento ou apura as informações através das fontes. Grava entrevistas, anota dados e depoimentos e elabora a notícia. Falar bem, com clareza, ser criativo e ter boa capacidade de improviso são requisitos necessários para exercer a tarefa. Saiba mais sobre a função do repórter. Redator: escreve os textos que serão divulgados. Podem ser especializados em áreas distintas como política, economia, esportes, saúde, educação, policial, etc.

7 FUNÇÕES NO RADIOJORNALISMO Locutor Noticiarista: Limita-se à leitura do noticiário. Veja mais sobre o locutor. Locutor Apresentador: Não segue obrigatoriamente o script. Tem a liberdade de fazer improvisos. Dicas sobre postura do locutor e prática de locução. Âncora: Além de apresentar, comenta a notícia. Segundo Jung, o público fiel enxerga no âncora ou comunicador o companheiro, o amigo, o conselheiro que diariamente conversa com ele ao pé do ouvido. Isso devido à característica de proximidade do rádio. Jung também diz que o âncora é um repórter privilegiado, porque tem a chance de dar personalidade ao programa, a partir da discussão da pauta e da decisão sobre a maneira de abordar os temas. Setorista: É o jornalista que trabalha num local fixo. Exemplos: clubes esportivos, polícia, hospitais, órgãos políticos. Enviado especial: Designado para determinada cobertura fora de sua área de atuação habitual. Comentarista: É um especialista que comenta sobre os fatos, normalmente numa área específica: política, economia.

8 FUNÇÕES NO RADIOJORNALISMO Produtor: Elabora a programação da emissora, cuida de preparar e acompanhar a execução dos produtos que serão realizados. Pode também fazer a ronda. Editor: Seleciona, revisa e monta as matérias de sua editoria. Estabelece o tempo que caberá a cada matéria. Editor-chefe: coordena os demais editores e se responsabiliza pela linha editorial adotada pelo produto jornalístico. Saiba mais sobre o trabalho de edição. Rádio-escuta: Sua função é ouvir outras emissoras para saber o que elas estão noticiando. Correspondente: É o jornalista que se estabelece numa determinada região geográfica e cobre os mais diferentes acontecimentos. Mais sobre o trabalho dos correspondentes.

9 FONTES Jornalista é aquele que não sabe nada, mas conhece quem sabe (Zuenir Ventura) Sou do tempo em que jornalista procurava a fonte, hoje a fonte vai atrás do jornalista (Jung) As pessoas e instituições que oferecem histórias, informações, opiniões e explicações que podem se transformar em notícia formam a rede de fontes. O jornalista deve diversificar suas fontes, permitindo a pluralidade de ideias. E também para abastecer toda informação que obtiver com variedade de pontos de vista. O jornalista não deve ter intimidade demais com a fonte. Isso pode prejudicar a isenção. A agenda de fontes deve ser selecionada e criteriosa. A fonte deve ser altamente confiável. Questionar sempre o interesse que a fonte possa ter na divulgação de determinado fato. O acesso à fonte deve ser imediato. Por isso é preciso ter a agenda atualizada e com várias possibilidades de contato (endereços, telefones fixo, celular, de familiares, vizinhos, do serviço, de quem possa indicar, etc) Retorne à fonte quantas vezes for preciso. Não tenha vergonha. Reconfirme a informação sempre que tiver dúvida. Veja aqui uma relação de fontes.

10 PAUTA Não esquecer que o ouvinte é um parceiro na construção da notícia. (Jung) A pauta é uma orientação para que o repórter possa executar sua matéria. Deve conter informações que o auxiliem na realização do trabalho. Através da pauta os editores uniformizam o material das diferentes áreas de acordo com a linha editorial do produto jornalístico. O repórter, por sua vez, se empenhará para cumprir o que foi determinado, enriquecer as informações, complementar aspectos importantes ou suprir os que foram esquecidos. A pauta tanto pode enfocar o factual como os assuntos de permanente interesse. Os editores devem ter material de reserva para abastecer os produtos radiojornalísticos em caso de necessidade. A reunião de pauta é oportunidade de sugerir assuntos e discutir sua importância. Oferecer ideias para a pauta não é só atribuição do pauteiro. A pauta, porém, não deve impedir o repórter de usar as boas iniciativas, o faro jornalístico, a investigação e o tato para descobrir o furo. O que deve pautar o jornalista, sempre, é o interesse público. Consulte aqui um exemplo de pauta.

11 PREPARAR-SE PARA A REPORTAGEM Seja o primeiro, mas primeiro esteja correto (H. Eugene Goodwin) O profissional que faz reportagem tem que se preparar para oferecer um produto de boa qualidade, que seja completo e equilibrado. (Barbeiro e Lima) Lembrar-se de que ninguém domina todos os assuntos com profundidade. Por isso, precisa pesquisar antes o assunto que vai cobrir. Não tenha vergonha de contatar um especialista e se informar sobre o tema. Verifique se o seu material de trabalho está em ordem. Gravador, notebook ou netbook, pilhas ou baterias carregadas, material para anotação, caneta que escreve (sempre ter mais de uma), endereços e telefones do local da reportagem, etc. Leia e entenda a pauta com antecedência. Procurar chegar bem antes no local da reportagem, quando for possível. Serve para que o repórter se ambiente. Obtenha o máximo de informações sobre o assunto que cobre. Você deve ter em mente que sua missão é obter respostas para as perguntas comuns que o ouvinte faria. Fazer perguntas claras, diretas e curtas. Não é preciso enfrentar o entrevistado. Ouça o que ele tem a dizer. Respeite as opiniões diferentes ou divergentes. Não tire conclusões apressadas. O repórter não deve fazer julgamentos. Ele apenas conta o que viu e o que apurou ao ouvinte. (Barbeiro e Lima) Desconfie sempre do que ouve e vê. Confirme as versões. Só divulgue aquilo que tiver certeza. Sempre mantenha o chefe de reportagem informado sobre o andamento do seu trabalho.

12 REPORTAGENS A reportagem consegue ampliar o caráter minimalista do jornalismo e oportunizar aos ouvintes, leitores, telespectadores ou internautas uma noção mais aprofundada a respeito do fato narrado. (Barbosa Filho) É preciso ficar claro que todo jornalista faz reportagem. Na produção, ao levantar dados para uma entrevista. Na pauta, ao buscar informações para montar um roteiro. Na escuta, ao fazer o rastreamento do que acontece no dia. A qualquer momento, em edição extraordinária. Esteja em serviço ou não, o jornalista tem de estar atento para os fatos que, potencialmente, são notícia e podem interessar ao público. (Jung) A reportagem é a essência do jornalismo. O jornalista pode ocupar funções específicas, mas ser repórter é a base da atividade. Por isso, é importante ter uma boa equipe, composta por repórteres de ambos os sexos, com conhecimento abrangente das áreas que cobrem e possuidores de boa cultura geral. O chefe de reportagem precisa ter visão de conjunto para distribuir as equipes de forma produtiva, otimizando a cobertura. O jornalista deve buscar formação contínua e permanente atualização. O repórter precisa se equipar para fazer seu trabalho. Mas, se estiver diante da notícia, deve utilizar os recursos que dispuser para informar o usuário/ouvinte. O improviso, a criatividade e a superação são características do rádio que permanecem ao longo do tempo. Sempre testar os equipamentos, verificá-los com antecedência. Pense como um aviador que, antes de voar, ocupa mais tempo checando o avião do que durante o voo. Porque o avião não pode cair. A reportagem deve sempre iniciar com um fato novo, mesmo que o assunto seja amplamente conhecido. Modelo de Reportagem.

13 ENTREVISTA PARA O RÁDIO Não se deve abrir mão de apurar os fatos no local dos acontecimentos e nem do contato com o público (Jung) Prefira sempre ouvir o entrevistado pessoalmente. O telefone ou outros meios só devem ser usados se não for possível o contato presencial. Tenha em mãos informações sobre o entrevistado. Paulo Autran, no fim de sua vida, dizia que se irritava muito quando jovens repórteres faziam perguntas de conhecimento notório sobre sua carreira. Mas, o repórter não deve ter receio de perguntar, sempre respeitando o entrevistado, é claro. O repórter está ali como representante do ouvinte e deve perguntar o que o ouvinte perguntaria. Cada caso deve ser analisado em particular, mas perguntas mais delicadas devem ser feitas do meio para o final da entrevista. Evitar perguntas longas. Devem ser objetivas e de preferência abertas, para evitar respostas monossilábicas como sim, não, talvez, depende. Mas não precisam ter tom provocativo. Um silêncio da pessoa entrevistada ou atitudes bruscas, como fugir por exemplo, também podem ser consideradas respostas. Se a pessoa entrevistada fornecer uma informação reveladora, bombástica, mantenha o sangue frio, obtenha mais dados a respeito, faça a tradicional cara de paisagem. Se você der sinais de que está deslumbrado com a resposta, ela perceberá que deu uma bola fora e poderá se retrair. Nas sonoras externas, não esquecer de identificar a pessoa. Se a entrevista for longa, repetir a identificação para que ou ouvinte saiba quem está sendo entrevistado. O microfone ou gravador devem ser postos próximos à boca da pessoa entrevistada, evidentemente tomando-se cuidado para não atingi-la.

14 ESCREVER E FALAR NA INTERNET A internet abre possibilidades que o rádio propagado por ondas eletromagnéticas jamais nos ofereceu (Jung) Apesar do texto ou fala ser para a internet, teoricamente um ambiente mais livre, sempre cuidar da correção. As palavras devem ser escritas e pronunciadas corretamente. O usuário ou ouvinte tem que compreender a mensagem. O redator de rádio deve sempre se lembrar que escreve um texto que será falado. Então, antes de passar para o locutor, deve lê-lo em voz alta para descobrir se precisa ser corrigido ou melhorado. Vale o de sempre: texto curto, ordem direta, palavras simples. Evitar palavras complicadas ou termos técnicos, exceção quando a mensagem se destinar a um público especializado. Para o público médio, explicar os termos técnicos. Usar as características e recursos do ambiente online: na tela do monitor, a velocidade de leitura é menor, não precisa ser linear e há o recurso do hiperlink. Não usar mais palavras do que o necessário para dizer algo e seja específico quando explicar algo. Sempre que for introduzir um assunto, no caso do texto falado ao vivo, convém fazer uma breve suíte para situar o ouvinte. Lembre-se que naquele momento não dá para ele voltar e saber do que se trata, a não ser que interrompa o áudio. Mesmo na internet, deve haver especial preocupação em manter o usuário interessado. Por isso, um texto deve ser atrativo, claro e inteligente. Não diga coisas óbvias.

15 O TEXTO PARA A WEBRADIO Ao escrever para quem ouve, deve-se escrever como quem fala (Iván Tubau) Não se deve esquecer que os textos informativos sempre devem ser claros, concisos, diretos, precisos, simples e objetivos. Basicamente, seja em que ambiente for, o jornalista deve saber que está contando algo para alguém e tem que se esforçar para ser compreendido. Mas, nem por isso, pode ser vulgar ou desrespeitar a gramática. Então, o redator de textos deve ler bastante, navegar muito, enriquecer seu vocabulário é o que se diz, ter repertório e consultar a gramática sempre que tiver dúvida. Ao redator cabe encontrar a palavra certa, aquela que vai seduzir o público e se fará entender logo que pronunciada. Nunca use duas palavras quando puder ter apenas uma. (Jung) O texto, no rádio, pode ser corrido, quando lido por um único locutor ou manchetado, quando lido por mais de um. Recomenda-se no máximo cem toques por frase de texto, obedecendo a clareza da informação e as devidas pausas para respirar. Cada 72 toques significam, em média, cinco segundos de leitura. Então, trinta segundos representam 432 toques. Aqui, mais uma vez, o menos é mais. Aqui uma lauda. (Exercite, escreva sua matéria, mas só imprima se for absolutamente necessário. Lembre-se sempre da responsabilidade ambiental)

16 EDIÇÃO Cada programa deve ter um formato. Um exemplo para formatá-lo é o do relógio, que estabelece faixas para cada assunto ou área de informação. Veja o relógio.(exemplo da Band News FM, in Prado) A programação deve levar em consideração o público que ouve o produto radiojornalístico. É preciso dar atenção aos ganchos. Eles podem introduzir a matéria seguinte. Manter a curiosidade do público é uma estratégia. Sempre deve haver uma atração a ser aguardada. É o editor quem avalia a ordem de apresentação das matérias. (Mcleish) Editar uma reportagem leva o jornalista a decidir o que será publicado e o que vai para o lixo. Por isso, devese ter o máximo de cuidado ao fazê-lo, para que o trecho escolhido esteja de acordo com o pensamento do entrevistado, sob o risco de se cometer falha grave. (Jung) As matérias não devem ser consideradas isoladamente. Uma matéria muito comovente é seguida de algo que inspire beleza e encanto; um quadro tremendamente engraçado é complementado por uma situação séria ou triste [...] É o contraste que estabelece entre si e a habilidade do apresentador que fazem com que uma realce a outra, para que o efeito global seja melhor do que a soma das partes. (Mcleish) Um detalhe importante na montagem de um noticiário é a necessidade de estar atento à associação involuntária e possivelmente infeliz entre as matérias. Poderia parecer por demais insensível mostrar logo após uma matéria sobre assassinato uma reportagem sobre um novo negócio para os açougueiros. (Mcleish) Durante o programa, tanto quanto possível, anunciam-se frases como mais notícias sobre esse assunto no final do programa. (Mcleish) Os sons incluídos no programa não devem afetar a credibilidade da notícia.

17 O SCRIPT DO RADIOJORNAL Script: Texto completo ou inserção de um programa a partir do qual é feita a transmissão (Mcleish) É o texto elaborado (Ortriwano) O texto escrito que será lido tem uma sequência. O tempo disponível do radiojornal (que pode variar entre meia hora e duas horas e meia) será dividido em blocos. Pode ter um apresentador ou mais ou, ainda, um âncora. Geralmente também possui comentaristas especializados em cada editoria. A função do radiojornal é cobrir o último período informativo, ou seja, o espaço de tempo entre uma emissão e outra. Tem abertura e encerramento e utiliza todos os recursos de sonoplastia. Cabe ao editor fazer o balanceamento da distribuição dos assuntos durante o radiojornal. Os scripts estão cada vez mais simples. A fonte deve ser limpa e de tamanho razoável para que o locutorleitor possa vê-la com clareza (usar corpo da fonte de tamanho 12 para cima) e destacar as sonoras ou backgrounds. O texto da cabeça das matérias deve introduzir o assunto e não repetir o que o repórter falará. Se houver nota-pé ela deve esclarecer ou adicionar informações. Cada radiojornal tem o seu perfil e deve manter o padrão. Geralmente se inicia com a escalada, ou seja, a leitura das manchetes, e tem chamadas interblocos. No final, há possibilidade de se mencionar as notícias que foram destaque naquela edição. No script, o tempo de cada matéria deve ser meticulosamente calculado, para caber no espaço disponível para a edição do radiojornal. Esse papel é do editor. Só se deve repetir frases de outras pessoas no texto falado se isso for absolutamente indispensável e esclarecendo devidamente a circunstância. O ouvinte pode não identificar de quem é aquela opinião (Seria do locutor?)

18 O SCRIPT DO RADIOJORNAL O programa de rádio tem de ter agilidade para mudar de assunto sempre que os acontecimentos assim o exigirem. Não se pode deixar para depois a notícia que se tem agora. (Jung) O radiojornal não se esgota com seu início. O rádio é ágil e na internet isso não é diferente. Durante a apresentação podem ser incluídas informações atuais. Isso significa que algo saírá do roteiro inicialmente previsto. Caberá ao editor fazer essa escolha. O script e a gravação do radiojornal deverão ser mantidos em arquivo pelo tempo que a lei exige. Atualmente (2010), se a rádio tiver a potência de até 1000 watts esse prazo é de 20 dias e, se de capacidade superior, 30 dias. Mas, na webradio, normalmente esse arquivo poderá ser recuperado após longo período, dada a capacidade de armazenamento dos equipamentos atuais. Importante destacar a ficha técnica do radiojornal, tanto no momento da transmissão quanto no site da webradio. Veja aqui um espelho.

19 APRESENTAÇÃO DE PROGRAMAS O radialista deve pensar como ele realmente daria a notícia a alguém que ele encontrasse no supermercado local, com outras pessoas a sua volta (Mcleish) A apresentação é a embalagem do produto de rádio. Se for malfeita, o programa será um fracasso, mesmo que tenha boa redação ou boas entrevistas. O apresentador não deve gritar. Não é uma questão de volume, mas sim de clareza. O locutor deve aumentar as pausas entre as sentenças para facilitar o entendimento de quem ouve. Podem ser intercalados efeitos sonoros para separar uma notícia de outra. Reserve um tempo para ler antecipadamente o script e em voz alta, para não cair em armadilhas. Uma dica, nesse momento da leitura prévia, é também a de visualizar o ouvinte, como se ele estivesse sentado, no estúdio, ouvindo o locutor. Se ocorrer algum imprevisto durante a transmissão, lembre-se que eles podem acontecer mesmo. Reaja com bom humor e siga em frente. Peça desculpas se for o caso, mas não deixe a peteca cair. Podem acontecer mudanças de última hora no script. Nesse caso, devem ficar bem sinalizadas para que o locutor/apresentador identifique imediatamente o que ocorre. A leitura de lista de dados deve ser feita de forma clara e compreensível para não confundir quem ouve. Outra dica, também, é o locutor ouvir sempre a gravação do que fala, para corrigir cacoetes, clichês ou melhorar suas expressões.

20 O LOCUTOR Antes de se tornar um bom locutor, precisa ser um bom ouvinte de rádio (Cyro César) O locutor é quem lê os textos preparados pela redação e/ou apresenta os comentários do programa. Deve possuir uma boa voz, audível, clara e compreensível. Mas também deve ter originalidade, poder de síntese, criatividade e carisma. Deve saber controlar situações. O programa tem um tempo de duração que deve ser respeitado. O locutor deve adquirir o hábito de sempre falar no tom correto. O som da voz deve fluir de maneira solta e clara. Treinar a articulação da voz e controlar a respiração de forma regular. Quando se fala, a finalidade é que o ouvinte entenda perfeitamente o que se está dizendo. Para isso, a primeira coisa que se deve ter em mente é que o locutor deve entender o que ele está falando. O(s) locutor(es) devem sempre conferir antes se o script está completo. Por isso, é recomendável que as folhas sejam numeradas em sequência. Ter sempre uma caneta ou um lápis à mão para fazer correções e lembretes. Observar sempre a pontuação nas frases que diz. Se possível, divida o texto com pequenas barras nos locais em que você deverá respirar. Coloque uma barra para respiração leve e duas barras para respiração mais acentuada (nos pontos finais ou dois pontos, por exemplo). Veja aqui um exemplo do texto separado com barras.

21 POSTURA DO LOCUTOR Comunicação não significa o que é dito, mas o que o outro entende (Jung) Sente-se de maneira confortável. Se você estiver incomodado, isso interferirá na qualidade da locução. A postura melhora a projeção da voz. Sentado corretamente, o locutor se sente mais seguro para falar e transmitir informações. Cuide da sua voz. Evite bebidas geladas, não fume, faça gargarejos. Não se intimide em procurar os serviços de um profissional de fonoaudiologia, se precisar. A impostação da voz pode fazer com que uma mesma frase assuma sentidos diferentes. Faça exercícios para relaxar e preparar sua voz: com o rosto, com o diafragma, com as cordas vocais. Antes de falar, posicionar o microfone a uma distância correta para você e para o entrevistado, se for o caso. Tire pulseiras ou qualquer adereço que possa fazer ruído. Sons que não estejam relacionados à informação devem ser evitados. Cuidado com o que fala perto de um microfone, ele pode estar aberto. Não tussa ou espirre junto ao microfone. Não abandonar o posto de locutor. Só deixe sua posição somente quando o espaço estiver preenchido. O ouvinte não deve sofrer com longos espaços de silêncio. Só quando for proposital. Cuide sempre do equipamento. Geralmente, trata-se de uso coletivo. Ao final da locução, deixe o equipamento organizado da forma que você gostaria de recebê-lo.

22 O QUE E COMO FALAR O que mais prende a atenção do público não é o que se diz, mas como se diz (Jung) Não basta uma boa voz. É preciso ser ágil, original, criativo, carismático, ter capacidade de improvisar e sintetizar, e, além disso, possuir uma boa colocação de voz. Adquira o hábito de sempre falar no tom correto, mesmo nas conversas informais. Lembre-se que a comunicação pelo rádio deve ser rápida e objetiva, por isso treine sua agilidade. Há fatores que favorecem a comunicação no rádio, por exemplo, conjugar voz, músicas e efeitos sonoros. Isso promove um balanceamento na transmissão da mensagem, que deve agradar e prender a atenção do ouvinte. Treine sempre para falar em público. Domine o assunto sobre o qual falará. Sempre ilustre com algum exemplo. Isso mantém o público interessado e torna mais fácil a compreensão e aplicabilidade do que você está falando. Decore as partes mais importantes de sua fala, para que não seja necessário recorrer continuamente ao papel. Mesmo assim, use um roteiro. Policie-se para não usar excessivamente expressões como né?, hãham, sei, assim, então, daí, etc. Você deve saber praticamente decor o início e o final de sua fala, mas não precisa decorar tudo o que for falar. Pense que, na medida em que você for desenvolvendo seu raciocínio, a palestra deve rumar para seu término. Então, não perca a ideia da totalidade do assunto e encaminhe-se para as conclusões. (César) Pesquisas indicam que as pessoas retêm apenas parte da mensagem que é transmitida verbalmente. Saiba, portanto que uma explanação longa demais é cansativa e improdutiva.

23 PREPARO PESSOAL Evite erros de linguagem. Use corretamente as regras gramaticais. Preste atenção na concordância e na pontuação. Cuidado com os cacófatos. Tenha repertório. Aprenda todo dia e saiba o que significam novas palavras e sinônimos das que já conhece. O locutor deve ter um vocabulário adequado. Goste de ler e leia sobre tudo. Amplie sua cultura geral. Transmita alegria e credibilidade nos momentos certos. Provoque a imaginação de quem ouve. Seja amável sempre. Não tenha preconceito, Tempere bom senso e equilíbrio. Mesmo diante de opiniões com as quais pessoalmente não concorde, ouça e reflita sobre os argumentos apresentados por quem as possui. Sempre dialogue. O jornalista de rádio deve acompanhar os acontecimentos do dia a dia para estar bem informado e conhecer sobre o assunto que tiver de divulgar. Procure sempre identificar a mensagem principal de um assunto. Se for improvisar, você só deve falar se possuir bom conhecimento do assunto. Veja o que os profissionais mais experientes têm de bom. Isso não significa imitá-los. Você deve ter estilo próprio. Descubra o seu.

24 PRÁTICA DE LOCUÇÃO Um bom locutor deve ser também um bom escritor (Iván Tubau) Nunca somos naturais diante do microfone (Jung) Antes de tudo, testar o microfone. O locutor deve ter uma boa dicção e pronunciar corretamente as palavras. Conheça antes o texto que será lido, sublinhe as palavras mais difíceis. Se tiver dúvida sobre a pronúncia de uma palavra ou de um nome estrangeiro, pesquise antes, informe-se sobre como falar corretamente. Mantenha um banco de pronúncias em seu computador para sanar dúvidas. Balancear corretamente a fala. Não fale nem muito rápido e nem muito devagar. Respire com tranquilidade. Mantenha o ritmo. Lembrese: o ouvinte deve entender o que você está falando. Preste atenção no que está lendo. Se for uma nota triste, não deve pronunciá-la transmitindo alegria. Da mesma forma, se for alegre, não anuncie com tristeza. Depois de ler a página do script, se em papel, faça uma marca para identificar que já foi lido. Se na tela do computador, sinalize de alguma forma, por exemplo, mudando a cor das letras ou inserindo um OK no final do texto já lido. Ênfase deve ser dada nas palavras-chave, importantes para o esclarecimento da notícia. A síntese de rádio exige narrativa mais veloz. Saiba como usar o silêncio, que pode revelar insatisfação, ironia, indignação ou consternação.

Elaboração de pauta para telejornal

Elaboração de pauta para telejornal Elaboração de pauta para telejornal Pauta é a orientação transmitida aos repórteres pelo pauteiro, profissional responsável por pensar de que forma a matéria será abordada no telejornal. No telejornalismo,

Leia mais

10 passos para ganhar a mídia. Estudantes Pela Liberdade

10 passos para ganhar a mídia. Estudantes Pela Liberdade 10 passos para ganhar a mídia Estudantes Pela Liberdade 2013 10 passos para ganhar a mídia Aqui estão 10 passos para atrair a atenção da mídia para o seu grupo. Siga todos esses passos efetivamente, e

Leia mais

2. CAIXA DE FERRAMENTAS - CHEGANDO A REDAÇÃO

2. CAIXA DE FERRAMENTAS - CHEGANDO A REDAÇÃO SUMÁRIO INTRODUÇÃO 15 Para que serve este Livro 17 Como usar este livro 1. PARA ENTENDER A PROFISSÃO 23 O que é preciso para ter sucesso na profissão 23 TALENTO - Como saber se você tem 24 CONHECIMENTO-Como

Leia mais

Guia Prático. Sistema EAD PRO-CREA

Guia Prático. Sistema EAD PRO-CREA Guia Prático Sistema EAD PRO-CREA Educação a Distância (EAD) Conheça a seguir algumas dicas de Netiqueta para uma convivência sociável e boas maneiras na web. Sugerimos fazer um teste para saber como você

Leia mais

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula :

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula : Como Criar uma Aula? Para criar uma sugestão de aula é necessário que você já tenha se cadastrado no Portal do Professor. Para se cadastrar clique em Inscreva-se, localizado na primeira página do Portal.

Leia mais

MEDIA TRANNING. Giovana Cunha. Coordenadora de Rádio e TV - TST giovana.cunha@tst.jus.br

MEDIA TRANNING. Giovana Cunha. Coordenadora de Rádio e TV - TST giovana.cunha@tst.jus.br MEDIA TRANNING Giovana Cunha COMO AGIR DIANTE DA IMPRENSA É muito comum o entrevistado se queixar que o jornalista não reproduziu corretamente as informações fornecidas na entrevista. O jornalista normalmente

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

Como funciona o site treinamento técnico ON-LINE?

Como funciona o site treinamento técnico ON-LINE? Manual do Usuário INSTRUÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO TREINAMENTO ON LINE A ATIC Tecnologia do Brasil Ltda. com o objetivo de atender aos seus diversos clientes, oferece treinamentos EAD - Educação a Distância

Leia mais

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Adriano Lima Belo Horizonte 2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA ESP-MG... 3 Programação do curso no AVA-ESPMG

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Como usar seu website para captar recursos

Como usar seu website para captar recursos Como usar seu website para captar recursos Objetivo: Hoje em dia, com mais de 1.5 bilhão de pessoas acessando a Internet regularmente em todo o mundo, nunca foi tão importante tirar o máximo de proveito

Leia mais

Tutorial de animação quadro a quadro

Tutorial de animação quadro a quadro Tutorial de animação quadro a quadro quadro a quadro é uma técnica que consiste em utilizar imagens ou fotografias diferentes de um mesmo objeto para simular o seu movimento. Nesse caso, trata-se de relatar

Leia mais

Orientações de Como Estudar Segmento II

Orientações de Como Estudar Segmento II Orientações de Como Estudar Segmento II Aprender é uma tarefa árdua que exige esforço e método e por isso organizamos algumas dicas para ajudá-lo(la) a aprender Como Estudar! Você verá que as orientações

Leia mais

Manual do Usuário do ClaireExpress

Manual do Usuário do ClaireExpress Manual do Usuário do ClaireExpress Tudo o que você precisa saber para realizar uma teleconferência utilizando o ClaireExpress pode ser encontrado neste manual. Caso necessite de assistência adicional de

Leia mais

Tutorial USERADM. Inserindo conteúdos no site

Tutorial USERADM. Inserindo conteúdos no site Tutorial USERADM Inserindo conteúdos no site Como acessar o Administrador de Conteúdos do site? 1. Primeiramente acesse o site de sua instituição, como exemplo vamos utilizar o site da Prefeitura de Aliança-TO,

Leia mais

10 DICAS PARA USAR AS REDES SOCIAIS SEM PREJUDICAR O SEU NEGÓCIO

10 DICAS PARA USAR AS REDES SOCIAIS SEM PREJUDICAR O SEU NEGÓCIO 10 DICAS PARA USAR AS REDES SOCIAIS SEM PREJUDICAR O SEU NEGÓCIO 10 DICAS PARA USAR AS REDES SOCIAIS SEM PREJUDICAR O SEU NEGÓCIO Todo cuidado é pouco quando se esta nas redes sociais. A sensação que a

Leia mais

NAVEGANDO NAS ONDAS DO RÁDIO

NAVEGANDO NAS ONDAS DO RÁDIO OFICINA Nº: 01 ANEXO 1A NAVEGANDO NAS ONDAS DO RÁDIO ÁREA: Educomunicação FAIXA ETÁRIA: 13 a 16 anos. ROTEIRO DE PAUTA A pauta de rádio tem por objetivo oferecer o maior número de informações para o repórter

Leia mais

Manual de Publicaça o no Blog da Aça o TRIBOS nas Trilhas da Cidadania

Manual de Publicaça o no Blog da Aça o TRIBOS nas Trilhas da Cidadania Manual de Publicaça o no Blog da Aça o TRIBOS nas Trilhas da Cidadania Sumário Objetivos do Blog... 2 Log-in... 3 Esqueci minha senha... 4 Utilizando o Blog... 5 Encontrando seu Blog... 5 Conhecendo o

Leia mais

AGÊNCIA DE NOTÍCIAS IMPRENSA JOVEM Encontro III. Programa Nas Ondas do Rádio Secretaria Municipal de Educação SP 2014

AGÊNCIA DE NOTÍCIAS IMPRENSA JOVEM Encontro III. Programa Nas Ondas do Rádio Secretaria Municipal de Educação SP 2014 AGÊNCIA DE NOTÍCIAS IMPRENSA JOVEM Encontro III Programa Nas Ondas do Rádio Secretaria Municipal de Educação SP 2014 Cronograma Cobertura jornalística e Webwriting Fotojornalismo Radiojornalismo Telejornalismo

Leia mais

A sala virtual de aprendizagem

A sala virtual de aprendizagem A sala virtual de aprendizagem Os módulos dos cursos a distância da Faculdade Integrada da Grande Fortaleza decorrem em sala virtual de aprendizagem que utiliza o ambiente de suporte para ensino-aprendizagem

Leia mais

Oficina de Radialismo

Oficina de Radialismo Oficina de Radialismo Projeto de Rádio Escolar Rádio Escolar: Exercícios práticos Vinhetas de Rádio Exemplos: O que são vinhetas? São pequenas gravações que usamos, geralmente, para reforçar uma informação.

Leia mais

NO ABRIR DA MINHA BOCA (EFÉSIOS 6:19) USO DO POWERPOINT

NO ABRIR DA MINHA BOCA (EFÉSIOS 6:19) USO DO POWERPOINT NO ABRIR DA MINHA BOCA (EFÉSIOS 6:19) USO DO POWERPOINT ACRESCENTANDO IMAGENS A APRESENTAÇÃO Algumas igrejas preferem o uso do multimídia para suas apresentações. Oferecendo a esses pastores uma apresentação

Leia mais

4 Metodologia. 4.1. Primeira parte

4 Metodologia. 4.1. Primeira parte 4 Metodologia [...] a metodologia inclui as concepções teóricas de abordagem, o conjunto de técnicas que possibilitam a apreensão da realidade e também o potencial criativo do pesquisador. (Minayo, 1993,

Leia mais

Caros amigos e alunos, este espaço destaquei para que vocês possam perceber alguns testes em relação ao autoconhecimento, inteligência, autoestima,

Caros amigos e alunos, este espaço destaquei para que vocês possam perceber alguns testes em relação ao autoconhecimento, inteligência, autoestima, Testes em Geral Caros amigos e alunos, este espaço destaquei para que vocês possam perceber alguns testes em relação ao autoconhecimento, inteligência, autoestima, raciocínio lógico, empatia entre outros.

Leia mais

FAQ REGISTRO DE INTERAÇÕES

FAQ REGISTRO DE INTERAÇÕES Sumário 1. O que são interações?... 3 2. Posso registrar uma interação com um parceiro?... 3 3. Posso registrar interações para empresas?... 3 4. Quando converso informalmente com um cliente, parceiro

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

BULLYING Documentário para rádio 1

BULLYING Documentário para rádio 1 BULLYING Documentário para rádio 1 Tommy Elton MAQUINÉ 2 Thalles ATAIDE 3 José CARDOSO 4 Maria Conceição RETROZ 5 Neliã ALFAIA 6 Edineide Ferreira Batista 7 Jonária França 8 Faculdade Boas Novas, Manaus,

Leia mais

5- Cite, em ordem de preferência, três profissões que você mais gostaria de exercer: 1º 2º 3º

5- Cite, em ordem de preferência, três profissões que você mais gostaria de exercer: 1º 2º 3º 18. DICAS PARA A PRÁTICA Orientação para o trabalho A- Conhecimento de si mesmo Sugestão: Informativo de Orientação Vocacional Aluno Prezado Aluno O objetivo deste questionário é levantar informações para

Leia mais

15. OLHA QUEM ESTÁ NA WEB!

15. OLHA QUEM ESTÁ NA WEB! 7 a e 8 a SÉRIES / ENSINO MÉDIO 15. OLHA QUEM ESTÁ NA WEB! Sua home page para publicar na Internet SOFTWARES NECESSÁRIOS: MICROSOFT WORD 2000 MICROSOFT PUBLISHER 2000 SOFTWARE OPCIONAL: INTERNET EXPLORER

Leia mais

COMO TORNAR O ESTUDO E A APRENDIZAGEM MAIS EFICAZES

COMO TORNAR O ESTUDO E A APRENDIZAGEM MAIS EFICAZES COMO TORNAR O ESTUDO E A APRENDIZAGEM MAIS EFICAZES 1 Eficácia nos estudos 2 Anotação 2.1 Anotações corridas 2.2 Anotações esquemáticas 2.3 Anotações resumidas 3 Sublinha 4 Vocabulário 5 Seminário 1 EFICÁCIA

Leia mais

Humsol e a luta contra o câncer de mama 1. Vinicius Arthur SANTOS 2 Luiz WITIUK 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR

Humsol e a luta contra o câncer de mama 1. Vinicius Arthur SANTOS 2 Luiz WITIUK 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR Humsol e a luta contra o câncer de mama 1 Vinicius Arthur SANTOS 2 Luiz WITIUK 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR RESUMO A reportagem foi realizada para a disciplina de Rádiojornalismo ainda no quarto

Leia mais

Como Montar um Plano de Estudos Eficiente Para Concurso Público E-book gratuito do site www.concursosemsegredos.com

Como Montar um Plano de Estudos Eficiente Para Concurso Público E-book gratuito do site www.concursosemsegredos.com 1 Distribuição Gratuita. Este e-book em hipótese alguma deve ser comercializado ou ter seu conteúdo modificado. Nenhuma parte deste e-book pode ser reproduzida ou transmitida sem o consentimento prévio

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

Seminário Sobre Reunir Registros

Seminário Sobre Reunir Registros Seminário Sobre Reunir Registros Esta lição e seus recursos de aprendizado podem ser usados para preparar um seminário de três a quatro horas sobre preparar, reunir, processar e entregar os registros a

Leia mais

PROGRAMA FALANDO EM POLÍTICA 1

PROGRAMA FALANDO EM POLÍTICA 1 PROGRAMA FALANDO EM POLÍTICA 1 Juliane Cintra de Oliveira 2 Antônio Francisco Magnoni 2 RESUMO Criado em 2007, o Programa Falando de Política é um projeto de experimentação e extensão cultural em radiojornalismo,

Leia mais

A Maior Triagem Odontológica do Mundo. Tá, entendi. Agora, como eu vou fazer isso?

A Maior Triagem Odontológica do Mundo. Tá, entendi. Agora, como eu vou fazer isso? A Maior Triagem Odontológica do Mundo. Em 18 de Março de 2013, o mundo inteiro vai sorrir mais bonito. Neste dia, realizaremos juntos em todo o Brasil, 10 países da América Latina e Portugal a MAIOR TRIAGEM

Leia mais

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicas-para-jovens Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos As dinâmicas de grupo já fazem parte do cotidiano empresarial,

Leia mais

Leitura dinâmica no SilentIdea 4.0 Apresentação

Leitura dinâmica no SilentIdea 4.0 Apresentação Leitura dinâmica no SilentIdea 4.0 Apresentação Leitura dinâmica Como ler mais rapidamente Usando o leitor do SilentIdea 4.0 Apresentação Leitura dinâmica Enquanto lê, você muitas vezes: "Ouve" cada palavra

Leia mais

Relatório de Viagem. Consórcio Comunidades e Florestas / Componente 3: Mercados

Relatório de Viagem. Consórcio Comunidades e Florestas / Componente 3: Mercados Relatório de Viagem Consórcio Comunidades e Florestas / Componente 3: Mercados Período: 1 a 8 de agosto de 2007 Locais visitados: Gurupá e Porto de Moz, Pará Equipe: Simone Bauch (pesquisadora do Imazon)

Leia mais

CONCURSO DE WEBSITES DE RAMOS ESTUDIANTIS DO IEEE. Traduzido por: Adjamilton Junior Equipe de Tradução Região 9

CONCURSO DE WEBSITES DE RAMOS ESTUDIANTIS DO IEEE. Traduzido por: Adjamilton Junior Equipe de Tradução Região 9 CONCURSO DE WEBSITES DE RAMOS ESTUDIANTIS DO IEEE Traduzido por: Adjamilton Junior Equipe de Tradução Região 9 Regras e instruções O objetivo de uma página web é transmitir informação de uma maneira útil

Leia mais

Jovens do mundo todo Conheça outras culturas

Jovens do mundo todo Conheça outras culturas 5 a a 8 a séries Ensino Fundamental Jovens do mundo todo Conheça outras culturas Softwares Necessários: Microsoft Encarta 2000 Internet Explorer 5,0 Microsoft Publisher 2000 Microsoft Word 2000 Áreas:

Leia mais

Novell Vibe 4.0. Março de 2015. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos

Novell Vibe 4.0. Março de 2015. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos Novell Vibe 4.0 Março de 2015 Inicialização Rápida Quando você começa a usar o Novell Vibe, a primeira coisa a se fazer é configurar sua área de trabalho pessoal e criar uma área de trabalho de equipe.

Leia mais

3 Truques Para Obter Fluência no Inglês

3 Truques Para Obter Fluência no Inglês 3 Truques Para Obter Fluência no Inglês by: Fabiana Lara Atenção! O ministério da saúde adverte: Os hábitos aqui expostos correm o sério risco de te colocar a frente de todos seus colegas, atingindo a

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática 1 Sumário Introdução...04 O segredo Revelado...04 Outra maneira de estudar Inglês...05 Parte 1...06 Parte 2...07 Parte 3...08 Por que NÃO estudar Gramática...09 Aprender Gramática Aprender Inglês...09

Leia mais

Linguagem Radiofônica Aula 1

Linguagem Radiofônica Aula 1 Linguagem Radiofônica Aula 1 Características do rádio: o veículo companheiro Você escuta rádio? Quais emissoras você ouve? Você presta atenção às peças comerciais? Que tarefas você faz enquanto escuta

Leia mais

ANATOMIA DE UMA APRESENTAÇÃO

ANATOMIA DE UMA APRESENTAÇÃO ANATOMIA DE UMA APRESENTAÇÃO Susan Stavros Castelhano Uma apresentação pode ser dividida em várias partes, ou pode seguir a regra geral de uma estrutura de três partes. No começo, introduz-se o tema que

Leia mais

Navegando no produto e utilizando esse material de apoio, você descobrirá os benefícios do IOB Online Regulatório, pois só ele é:

Navegando no produto e utilizando esse material de apoio, você descobrirá os benefícios do IOB Online Regulatório, pois só ele é: 1. CONCEITO Completo, prático e rápido. Diante do aumento da complexidade da tributação e do risco fiscal, pelos desafios de conhecimento e capacitação e pela velocidade para acompanhar mudanças na legislação,

Leia mais

Dominando os Meios de Comunicação

Dominando os Meios de Comunicação Dominando os Meios de Comunicação CORTESIA DE Save the Children Young People s Press Prep. para os Meios de Comunicação Conhecendo os Meios de Comunicação Você deve saber que tipo de entrevista vai dar:

Leia mais

NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL

NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL RESUMO Caroline Ferreira 1 O objetivo deste artigo é falar sobre Noticia institucional e o interesse cada vez maior das empresas em cuidar da sua imagem institucional.

Leia mais

08/11/2012. Palestrante: Jéssica Pereira Costa Mais frequente na população universitária

08/11/2012. Palestrante: Jéssica Pereira Costa Mais frequente na população universitária A arte da apresentação oral de trabalhos científicos Como se comportar durante a apresentação de um pôster em um evento científico? Fobia Social ou Timidez??? (Medo excessivo contato ou exposição social)

Leia mais

Mídia Brasil Online Manual do Usuário

Mídia Brasil Online Manual do Usuário 1) Menu Principal O Menu Principal se estende no topo da tela do MBO, apresentando as seguintes opções: Clicar sobre cada uma dessas opções permite o acesso às diferentes seções do site. 2) Funções do

Leia mais

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG 1 ÍNDICE 03 APRESENTAÇÃO. Dicas para estudar a distância. Funções do professor e do tutor 04 CADASTRO NO CURSO 05 ACESSO AO CURSO 07 FERRAMENTAS DE ESTUDO. Conteúdo: aulas virtuais.

Leia mais

Sistema de Gestão de Recursos de Aprendizagem

Sistema de Gestão de Recursos de Aprendizagem Sistema de Gestão de Recursos de Aprendizagem Ambiente Virtual de Aprendizagem (Moodle) - - Atualizado em 29/07/20 ÍNDICE DE FIGURAS Figura Página de acesso ao SIGRA... 7 Figura 2 Portal de Cursos... 8

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Sumário Pré-requisitos para o Moodle... Entrar no Ambiente... Usuário ou senha esquecidos?... Meus cursos... Calendário... Atividades recentes...

Leia mais

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo saber como é desenvolvido o trabalho de Assessoria de Imprensa, sendo um meio dentro da comunicação que através

Leia mais

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno Guia Rápido de Utilização Ambiente Virtual de Aprendizagem Perfil Aluno 2015 APRESENTAÇÃO O Moodle é um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) open source¹. Esta Plataforma tornouse popular e hoje é utilizada

Leia mais

TÉCNICAS DE ENTREVISTA

TÉCNICAS DE ENTREVISTA TÉCNICAS DE ENTREVISTA Preparação para a entrevista Antes de sair para campo, prepare-se: 1) Conheça seu gravador. Verifique se há trava para iniciar a gravação. Em caso negativo, leve as pilhas separadamente

Leia mais

GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA

GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA Você deve ter em mente que este tutorial não vai te gerar dinheiro apenas por você estar lendo, o que você deve fazer e seguir todos os passos

Leia mais

CAPÍTULO 4. AG8 Informática

CAPÍTULO 4. AG8 Informática 2ª PARTE CAPÍTULO 4 Este capítulo têm como objetivo: 1. Tratar das etapas do projeto de um Website 2. Quais os profissionais envolvidos 3. Administração do site 4. Dicas para não cometer erros graves na

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade Organizando Voluntariado na Escola Aula 2 Liderança e Comunidade Objetivos 1 Entender o que é liderança. 2 Conhecer quais as características de um líder. 3 Compreender os conceitos de comunidade. 4 Aprender

Leia mais

ATENDIMENTO EXTRAORDINÁRIO

ATENDIMENTO EXTRAORDINÁRIO ATENDIMENTO EXTRAORDINÁRIO Fernando Ribeiro Dos Santos, M.Sc. Material Exclusivo professorfernandosantos@gmail.com O Palestrante Quem sou? Material Exclusivo professorfernandosantos@gmail.com FERNANDO

Leia mais

Professora: Yandra Mello

Professora: Yandra Mello Professora: Yandra Mello Se você precisa realizar um trabalho, de qual matéria for, lembre-se que você não deve realizá-lo de qualquer maneira, entrar em qualquer site, colocar o texto no Word, e sem ler

Leia mais

Pesquisas e seminários Como fazer?

Pesquisas e seminários Como fazer? +++ + COLÉGIO DOS SANTOS ANJOS Avenida Iraí, 1330 - Planalto Paulista - Telefax: 5055.0744 04082-003 - São Paulo - e-mail: colsantosanjos@colegiosantosanjos.g12.br Site: www.colegiosantosanjos.g12.br Q

Leia mais

Capítulo 9 Emprego. 9.1 Introdução

Capítulo 9 Emprego. 9.1 Introdução Capítulo 9 Emprego 9.1 Introdução Hoje em dia, as redes sociais são as grandes responsáveis pelas contratações de emprego. Muitos dos responsáveis por recrutamento e recursos humanos das empresas avaliam

Leia mais

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Escritório de Gestão de Projetos em EAD Unisinos http://www.unisinos.br/ead 2 A partir de agora,

Leia mais

W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R

W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R 8 DICAS ESSENCIAIS PARA ESCOLHER SUA CORRETORA W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R Aviso Importante O autor não tem nenhum vínculo com as pessoas, instituições financeiras e produtos, citados, utilizando-os

Leia mais

Novell Vibe 3.4. Novell. 1º de julho de 2013. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos

Novell Vibe 3.4. Novell. 1º de julho de 2013. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos Novell Vibe 3.4 1º de julho de 2013 Novell Inicialização Rápida Quando você começa a usar o Novell Vibe, a primeira coisa a se fazer é configurar sua área de trabalho pessoal e criar uma área de trabalho

Leia mais

Passo 3 Como se cadastrar no Elancers. Dicas valiosas para preencher um currículo via site

Passo 3 Como se cadastrar no Elancers. Dicas valiosas para preencher um currículo via site Passo 3 Como se cadastrar no Elancers Este Passo é fundamental para que você seja encontrado dentre tantos outros curriculuns, e existem detalhes simples que podem fazer a diferença. Espero poder contribuir

Leia mais

Caros amigos operadores da Imprensa Oficial,

Caros amigos operadores da Imprensa Oficial, Caros amigos operadores da Imprensa Oficial, O IMAP mais uma vez inovou quando lançou o Sistema de Envio de Publicações: o SIOFNET. Um sistema onde a prefeitura / câmara envia os documentos para que o

Leia mais

Introdução à Netiqueta. Como escrever na Internet

Introdução à Netiqueta. Como escrever na Internet Texto retirado do endereço: http://www.icmc.usp.br/manuals/bigdummy/netiqueta.html Introdução à Netiqueta Ao conjunto de regras de etiqueta (comportamento) na Internet, chamamos Netiqueta. Essas regras

Leia mais

e- SIC Manual do Cidadão

e- SIC Manual do Cidadão e- SIC Manual do Cidadão Sumário Introdução 3 O e-sic 4 Primeiro acesso 5 Cadastrando-se no e-sic 6 Acessando o e-sic 7 Funções do e-sic 8 Envio de avisos por e-mail pelo e-sic 9 Como fazer um pedido de

Leia mais

SESSÃO 7: Transformando os sonhos em ação

SESSÃO 7: Transformando os sonhos em ação CURRÍCULO DO PROGRAMA SESSÃO 7: Transformando os sonhos em ação Para muita gente, os sonhos são apenas sonhos. Não levam necessariamente a ações diretas para transformar tais sonhos em realidade. Esta

Leia mais

SENTIR 3. TEMPO 15-20 minutos TIPO DE TEMPO contínuo

SENTIR 3. TEMPO 15-20 minutos TIPO DE TEMPO contínuo COMO USAR O MATERIAL NAS PÁGINAS A SEGUIR, VOCÊ ENCONTRA UM PASSO A PASSO DE CADA ETAPA DO DESIGN FOR CHANGE, PARA FACILITAR SEU TRABALHO COM AS CRIANÇAS. VOCÊ VERÁ QUE OS 4 VERBOS (SENTIR, IMAGINAR, FAZER

Leia mais

Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso

Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso Sumário introdução 03 Capítulo 5 16 Capítulo 1 Pense no futuro! 04 Aproveite os fins de semana Capítulo 6 18 Capítulo 2 07 É preciso

Leia mais

40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional

40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional 40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional Essas 40 dicas são ótimas e assino embaixo. Foram passadas para mim pelo amigo Luiz Rodrigues, aluno também do Curso Online de Design Web. A fonte

Leia mais

Objetivo desta Aula. Um tópico a cada vez. Roteiro apresentar tópicos gerais

Objetivo desta Aula. Um tópico a cada vez. Roteiro apresentar tópicos gerais Objetivo desta Aula Apresentar dicas de como preparar apresentações Ronaldo Lopes Oliveira Especialização em Produção de Bovinos DPA/MEV/UFBA 2007 Apresentar dicas de como fazer a apresentação Apresentar

Leia mais

Social Media em 5 etapas

Social Media em 5 etapas Como estruturar seu sistema de Social Media em 5 etapas O que é este guia? O Guia de inicialização em social media foi criado pela G&P como uma forma de ajudar e incentivar as mais diversas empresas do

Leia mais

Manual do Google agenda. criação e compartilhamento de agendas

Manual do Google agenda. criação e compartilhamento de agendas Manual do Google agenda criação e compartilhamento de agendas 1 O que é o Google Agenda? Google Agenda é um serviço de agenda on line gratuito do Google, onde você pode anotar compromissos e tarefas, organizando

Leia mais

Portal da Prefeitura de São Paulo SECOM. MANUAL DO WARAM v. 1.5 Secretarias

Portal da Prefeitura de São Paulo SECOM. MANUAL DO WARAM v. 1.5 Secretarias SECOM MANUAL DO WARAM v. 1.5 Secretarias WARAM 1.5 Ferramenta de atualização do Portal da Prefeitura de São Paulo. Use preferencialmente o navegador Internet Explorer superior ou igual a 7.0. No campo

Leia mais

dicas para usar o celular nas aulas

dicas para usar o celular nas aulas E-book 11 dicas para usar o celular nas aulas Sugestões de atividades com os aplicativos mais básicos e simples de um aparelho Por Talita Moretto É permitido compartilhar e adaptar este material, desde

Leia mais

Apresentação. Estamos à disposição para quaisquer dúvidas e sugestões! Atenciosamente, Equipe do Portal UNESC

Apresentação. Estamos à disposição para quaisquer dúvidas e sugestões! Atenciosamente, Equipe do Portal UNESC Sumário Apresentação... 1 1. Orientações Iniciais... 2 2. Materiais de Apoio... 4 3. Fóruns... 7 4. Entregas de Trabalho... 13 5. Escolhas... 16 6. Salas de Bate-papo... 18 7. Como criar/alterar a senha

Leia mais

COMO FORMATAR MONOGRAFIA E TCC

COMO FORMATAR MONOGRAFIA E TCC TEXTO COMPLEMENTAR AULA 2 (15/08/2011) CURSO: Serviço Social DISCIPLINA: ORIENTAÇÕES DE TCC II - 8º Período - Turma 2008 PROFESSORA: Eva Ferreira de Carvalho Caro acadêmico, na Aula 2, você estudará Áreas

Leia mais

Mas, como utilizar essa ferramenta tão útil e que está à sua disposição?

Mas, como utilizar essa ferramenta tão útil e que está à sua disposição? Caríssimo aluno da Rede CEJA, Seja muito bem vindo à sua escola! Estamos muito felizes que você tenha optado por dar continuidade aos seus estudos conosco, confiando e acreditando em tudo o que poderemos

Leia mais

Manual para uso do HELPDESK

Manual para uso do HELPDESK EXACTUS Suporte e Atendimento - versão 1.0 Página 1 de 14 Manual para uso do HELPDESK Visão Cliente EXACTUS Suporte e Atendimento - versão 1.0 Página 2 de 14 Introdução O serviço possui um pacote com todas

Leia mais

Downloads no EU VOU PASSAR 2.0

Downloads no EU VOU PASSAR 2.0 Downloads no EU VOU PASSAR 2.0 Conteúdo Instalando o Orbit Downloader... 1 Configurando o Orbit Downloader para o EU VOU PASAR 2.0... 8 Realizando os Downloads no Eu Vou Passar 2.0... 12 Fazendo o Download

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL A Agência de Certificação Ocupacional (ACERT) é parte integrante da Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM) Centro de Modernização e Desenvolvimento da Administração

Leia mais

Educação a Distância: a oportunidade vai ao seu encontro

Educação a Distância: a oportunidade vai ao seu encontro DICAS PARA ESTUDAR A DISTÂNCIA Educação a Distância: a oportunidade vai ao seu encontro Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção.

Leia mais

[MANUAL DE INTEGRAÇÃO PARA SITES DE MEMBROS]

[MANUAL DE INTEGRAÇÃO PARA SITES DE MEMBROS] 2011 [MANUAL DE INTEGRAÇÃO PARA SITES DE MEMBROS] Destinado a usuários que desejam vender conteúdo premium, disponível em sites de membros, através da plataforma Hotmart. Versão do documento: 1.0, 11/04/2011.

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (Publicidade e Propaganda)

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (Publicidade e Propaganda) CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (Publicidade e Propaganda) NÚCLEO DE TECNOLOGIA E COMUNICAÇÃO FACULDADE DA CIDADE DE MACEIÓ Regulamento de Funcionamento do Laboratório de Comunicação I INTRODUÇÃO: O Núcleo

Leia mais

GUIA BÁSICO DE COMUNICAÇÃO

GUIA BÁSICO DE COMUNICAÇÃO GUIA BÁSICO DE COMUNICAÇÃO CONVERSA DE ELEVADOR Sendo um empreendedor social, você sabe como é importante ser capaz de descrever sua organização, definindo o que diferencia seu trabalho e detalhando o

Leia mais

PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA. Ensino Fundamental (séries finais)

PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA. Ensino Fundamental (séries finais) PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA Ensino Fundamental (séries finais) O Clickideia é um portal educacional (www.clickideia.com.br), desenvolvido com o apoio do CNPq e da UNICAMP, que apresenta conteúdos didáticos

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA ORIENTAÇÕES PARA OS ESTUDOS EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Caro (a) Acadêmico (a), Seja bem-vindo (a) às disciplinas ofertadas na modalidade a distância.

Leia mais

Como escrever para o seu. Site. e usar seu conhecimento como forma de conquistar e reter clientes. Blog do Advogado Moderno - PROMAD

Como escrever para o seu. Site. e usar seu conhecimento como forma de conquistar e reter clientes. Blog do Advogado Moderno - PROMAD o seu Site e usar seu conhecimento como forma de conquistar e reter clientes. Conteúdo Introdução Escrever bem é um misto entre arte e ciência Seus conhecimentos geram mais clientes Dicas práticas Faça

Leia mais

Web & Marketing Digital

Web & Marketing Digital Web & Marketing Digital MANUAL DE UTILIZAÇÃO EMAIL MARKETING 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 1.1. ESTRUTURA DO SISTEMA...PG 03 2. CONTATOS...PG 04 2.1. CRIANDO LISTA DE CONTATOS...PG 04 2.2. IMPORTANDO LISTA DE

Leia mais

ebook Aprenda como aumentar o poder de captação do seu site. por Rodrigo Pereira Publicitário e CEO da Agência Retina Comunicação

ebook Aprenda como aumentar o poder de captação do seu site. por Rodrigo Pereira Publicitário e CEO da Agência Retina Comunicação por Rodrigo Pereira Publicitário e CEO da Agência Retina Comunicação Sobre o Autor: Sempre fui comprometido com um objetivo de vida: TER MINHA PRÓPRIA EMPRESA. Mas assim como você, eu também ralei bastante

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro Precisamos reinventar a forma de ensinar e aprender, presencial e virtualmente, diante de tantas mudanças na sociedade e no mundo do trabalho. Os modelos tradicionais

Leia mais

Comunicação Integrada em Vendas

Comunicação Integrada em Vendas Comunicação Integrada em Vendas Hélio Azevedo helio.azevedo@salestalent.com.br Agenda Percepção Objetivos de uma apresentação O orador Os tipos de público Os tipos de discurso O medo de falar Preparando

Leia mais

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação.

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Introdução Criar um filho é uma tarefa extremamente complexa. Além de amor,

Leia mais