DECRETO Nº 2.557, DE 10 DE MARÇO DE 2008.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DECRETO Nº 2.557, DE 10 DE MARÇO DE 2008."

Transcrição

1 DECRETO Nº 2.557, DE 10 DE MARÇO DE Altera a redação do Decreto nº 2.378, de 16 de agosto de 2006, que regulamenta a Lei Complementar nº 112, de 25 de julho de 2006, e dispõe sobre a Autorização e Veiculação de Publicidade em Santa Fé do Sul e dá outras providências. Itamar Borges, Prefeito da Estância Turística de Santa Fé do Sul, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, DECRETA: Art. 1º - Os artigos 6º, 8º, 10, 11, 12, 13, 18 e 35, do Decreto nº 2.378, de 16 de agosto de 2006, passam a vigorar com a seguinte redação: Art. 6 o - Considera-se engenho publicitário o mobiliário urbano destinado à veiculação de anúncio, em logradouro público ou área privada que se exponha ao público, como painéis, placas ou letreiros, faixas, outdoor, prismas verticais, totens ou banners, relógios digitais, balões infláveis, murais e outros de natureza similar, luminosos ou não, bem como os veículos e auto-falantes a serviço de propaganda por meios sonoros. 1º. Para efeitos de autorização, o engenho publicitário, poderá ser simples ou complexo, conforme o porte, impacto na ambiência urbana, dimensões e requisitos necessários à instalação. 2º. Para efeito deste Decreto considera-se: I. Painéis: são engenhos publicitários constituídos por chapas pintadas nos mais diversos materiais, tais como: madeira, folhas de flandres ou acrílico, cuja instalação podem ser realizadas em diferentes locais como paredes de edifícios. Podem ser: a) eletrônicos: quando suas telas se parecem com as de cinema ou de televisores, mas se diferenciam delas por terem tecnologia própria. Esses painéis têm iluminação suficiente para serem vistos a qualquer hora do dia ou noite; b) luminosos ou Back light: caixas de acrílico nos mais diversos tamanhos com letreiros pintados. São feitos com iluminação interna, geralmente com lâmpadas de néon; c) decorativos: são aqueles, afixados na edificação, realizados em pvc, madeira, acrílico, vidro ou material similar, que tenha a função exclusiva de definição do estilo e embelezamento do estabelecimento, sem a veiculação de anúncio de propaganda, inclusive imagens. d) informativos: são aqueles, afixados na edificação, realizados em pvc, madeira, acrílico, vidro ou material similar, que tenha a função de informar o nome do estabelecimento, a marca, o logotipo, slogan ou patrocínios, bem como a atividade principal através de inscrições ou frases e imagens ilustrativas diversas, com finalidade de divulgação, visualização e promoção da atividade exercida.

2 II. Placas ou letreiros: são engenhos publicitários luminosos ou não, de pequeno e médio porte, assim concedidos seguindo as dimensões estabelecidas nos incisos I ao III do artigo 12, destinado a anúncios de indicação, conforme inciso II do art. 10, colocados no próprio local onde a atividade é exercida, desde que contenham apenas o nome do estabelecimento, a marca ou logotipo, slogan e atividade principal; III. Faixas: são engenhos publicitários confeccionados em plástico, vinil ou em tecido, para ser afixadas em interiores ou ao ar livre. IV. Outdoors: são engenhos publicitários em forma de painéis de madeira ou folhas de flandres galvanizadas, com moldura, onde são coladas em seqüência folhas préimpressas. São instalados sobre estruturas ou molduras metálicas, de madeira, pvc, ou outro material apropriado, em geral destinados à promoção de eventos, produtos, campanhas, estabelecimentos e serviços; V. Prismas verticais, tótens ou banners: engenhos de porte variável, com ou sem movimento, luminosos ou não, revestidos por placas ou faixas, instalados isoladamente sobre o solo ou sobre marquises, devidamente apoiados na fachada da edificação, destinados à publicidade de estabelecimento ou promoção; VI. Relógios digitais e indicadores de temperatura: em geral mecânicos ou eletrônicos, de porte médio, que reservem espaço para veiculação de anúncio publicitário; VII. Balões: engenhos infláveis de médio ou grande porte, fixados por cabos, bem como outras estruturas apropriadas, sendo utilizados em caráter temporário, para indicação de eventos e promoções. Art. 8 o. A empresa publicitária ou o interessado, deverá requerer a autorização para instalação de engenho publicitário, seja simples ou complexo, apresentando os seguintes documentos e informações devidamente aprovados pela Secretaria de Obras e Serviços Públicos: a)... b)... c)... d)... e)... f)... g)... Parágrafo único... a) laudo com apresentação de A.R.T. do responsável técnico legalmente habilitado, que garantam a segurança para a comunidade, o trânsito público, o patrimônio natural ou construído, além das atividades da vizinhança; b)... c)...

3 Art I.... II.... III. informativo: quando conjugarem as funções de propaganda e indicação em um mesmo engenho. 1 o. Os anúncios que façam referência a marcas de produtos ou patrocinadores, bem como, que se utilizam de recursos de imagens ou fotos, mesmo quando se destinarem à identificação de estabelecimento, serão considerados como propaganda e tratados como tal para efeitos de autorização e tributação. 2 o. Os anúncios serão feitos através de inscrições sucintas, em letras visíveis, logomarcas, logotipos, grafismos, desenhos, imagens e fotografias, impresso em lonas, tecido, vinil, papel, plástico ou material similar, fixados, impressos ou aplicados sobre chapas, lona, madeira, papel, matéria sintético ou similares. 3 o. Os anúncios de indicação realizados através de engenhos publicitários do tipo simples poderão estar sobreposto a painéis com função meramente decorativa, especificado no artigo 6º, inciso I, alínea c. a). Os Painéis Decorativos, de que trata o artigo 6º, inciso I, alínea c, em razão de sua estrutura, poderão contemplar a totalidade da fachada e ultrapassar até 20% (vinte por cento) da altura da mesma. Art I..... II... III... IV... 1º.... 2º.... 3º. É proibida a instalação dos engenhos publicitários simples, do tipo placas, letreiros, adesivos, pinturas e quadros nos muros dos imóveis situados na zona urbana do município para anúncio de publicidade e propaganda eleitoral. 4º. Revogado. 5º. Constitui ressalva às disposições contidas no 3º deste artigo, a instalação de engenhos publicitários simples que encontram-se instalados, pintados ou adesivados nos muros dos bairros e dos distritos industriais I, II e III da cidade, até a publicação do presente Decreto.

4 Art I. alinhados ao plano da fachada, marquise ou sobrepostos a painéis decorativos, não podendo ultrapassar 1,50m (um metro e meio) de altura, tampouco obstruir os vãos destinados à iluminação e ventilação dos compartimentos superiores ou a área destinada à exposição de outros anúncios, podendo se estender, em comprimento, ao limite de 80% (oitenta por cento) da área da largura da fachada do estabelecimento, preservado no mínimo 10% de cada lateral; II... III... 1º... a). Os anúncios de identificação de estabelecimentos que façam referência a marcas de produtos ou patrocinadores, poderão ser no máximo o número de 08 (oito) anúncios de propaganda por estabelecimento comercial, estando obrigatoriamente dentro dos limites estabelecidos no artigo 12, inciso I, deste Decreto. 2º... 3º... Art I..... II... III... 1º. Os prismas verticais, torres, banners ou totens que, no plano horizontal, avançar o passeio público deverá obedecer um vão livre de no mínimo 3,0m (três metros) a partir do piso do passeio. 2º.... Art. 18. As instalações de Engenhos Publicitários Complexos ficam condicionadas aos seguintes critérios: 1º. Fica vedada a instalação de murais, painéis, letreiros, totens, balões infláveis e outdoors em logradouros públicos e particulares, ressalvadas as ocasiões em que houver evento promovido ou autorizado pela administração pública. 2º. A instalação de murais, painéis e outdoors em terrenos particulares e a instalação de Painéis Decorativos ou Informativos, nos estabelecimentos comerciais, deverão obedecer às seguintes exigências: I. Cada painel terá, no máximo 4,00m (quatro metros) de altura por 12,00m (doze metros) de largura, ressalvado aqueles destinados a função meramente decorativa a que se refere à alínea c, inciso I, 2º do art. 6.º deste Decreto;

5 II. Será admitido grupo de no máximo 02 (dois) painéis ou outdoors consecutivos nos terrenos particulares, preservada a distância mínima de um raio de 200m (duzentos metros) entre grupos; III. Cada mural, painel ou outdoor deverá reservar, em lugar visível e em material não perecível, tarja de identificação com, no mínimo, 0,10m (dez metros) de altura por 0,50m (cinqüenta centímetros) de largura, contendo o nome, telefone e matrícula cadastral da empresa exploradora e número do alvará de autorização do engenho publicitário. IV. Não será permitido a instalação de murais, painéis ou outdoors em terrenos particulares, num raio de 200m (duzentos metros) de distância dos monumentos, rotatórias, parques, praças, rodovias, hospitais, escolas e demais prédios utilizados para prestação de serviços públicos. V. A permissão de murais, painéis e outdoors em terrenos particulares está restrita às avenidas, vias de acesso aos bairros e vias de grande fluxo, assim determinadas pelo Departamento de Trânsito; VI. Constitui ressalva às disposições contidas nos incisos II, IV e V deste parágrafo, os murais, painéis e outdoors, que encontram-se já instalados em terrenos particulares até a publicação do presente Decreto, enquanto perdurar a respectiva autorização para sua instalação, desde que não causem poluição visual, nem prejudiquem ou interfiram nos aspectos paisagísticos, urbanísticos e turísticos da cidade. VII. Os painéis fixados na fachada do imóvel onde funciona o estabelecimento, quando possuir inscrições ou frases, logotipo, marcas, slogan, cujo conjunto deve estar restrito à área de 1,50m (um metro e meio) de altura e 80% (oitenta por cento) de largura da fachada do estabelecimento, preservado no mínimo 10% em cada lateral. a) para efeito deste Decreto, entende-se como inscrições ou frases, o espaço reservado à identificação do estabelecimento, logradouro e inscrições afins; b) para efeito deste Decreto, entende-se como conjunto, todas as inscrições contidas no painel. VIII. Os painéis informativos, fixados ao plano da fachada, não podem ultrapassar 1,50m (um metro e meio) de altura, tampouco obstruir os vãos destinados à iluminação e ventilação dos compartimentos superiores ou a área destinada à exposição de outros anúncios, podendo se estender, em comprimento, ao limite de 80% (oitenta por cento) da área da largura da fachada do estabelecimento, preservado no mínimo 10% em cada lateral. a) as inscrições ou frases, logotipo, marcas, slogan, etc, contidos no painel informativo, cujo conjunto de escritas, devem estar restrito à área de 1,20m (um metro e vinte centímetros) de altura e 80 % (oitenta por cento) de largura do painel. IX. Os painéis de que trata o artigo 6ª, inciso I, deste Decreto, poderão avançar até 80 cm (oitenta centímetro) de projeção, devendo sua instalação estar a pelo menos 2,50m (dois metros e meio) de altura do piso do passeio público.

6 3º. A Prefeitura Municipal poderá definir cores padronizadas para as molduras de painéis outdoors conforme a firma exploradora cadastrada, de modo a facilitar a fiscalização e identificação da mesma. 4º. O outdoor deverá se fixar em estrutura própria, apoiada na edificação ou isolada, não podendo a aresta superior do conjunto ultrapassar 10,00m (dez metros) de altura, tomando por referência o nível do meio-fio fronteiriço ao imóvel. 5º. A autorização para instalação de painéis, outdoors e murais terá validade de 01 (um) ano, podendo ser renovada anualmente, caso a empresa exploradora ou responsável não cometa infração a esta lei no período anterior. 6º. Painéis iluminados ou front light deverão ter os dispositivos de iluminação afixados na própria estrutura do engenho, não podendo estes projetarem se horizontalmente em relação ao plano de fachada ou do engenho por mais de 1,80m (um metro e oitenta centímetros), nem avançar mais que 2/3 (dois terços) do passeio público, quando for o caso 7º. É proibida a instalação dos engenhos publicitários complexos nos muros das edificações nas avenidas, nos bairros e nos distritos industriais I, II, e III da cidade. a) constitui ressalva às disposições contidas no 6º deste artigo, a instalação de engenhos publicitários complexos que encontram-se instalados, pintados ou adesivados nos muros dos bairros e dos distritos industriais I, II e III da cidade, até a publicação do presente Decreto. 8º. A prefeitura efetuará a remoção dos engenhos publicitários de que trata o parágrafo anterior, caso não seja realizada pelo proprietário, após notificação, no prazo de 5 (cinco) dias cobrando do mesmo as custas decorrentes do serviço e multas devidas. 9 o. A marquise poderá avançar até 2/3 (dois terços) da largura do passeio, sendo que a publicidade não poderá ultrapassar este limite, ou seja, deverá ficar no limite da marquise. Art.35 Os estabelecimentos que sofrerem quaisquer tipo de reforma em sua estrutura física interna ou externa, deverão adequar-se às normas estabelecidas neste Decreto. Art. 2º - Passam a integrar o Decreto nº 2.378/2006, os artigos 36, 37, 38 e 39, com a seguinte redação: Art Os proprietários de imóveis comerciais deverão fazer a manutenção visual, estética, hidráulica e elétrica de seus respectivos engenhos publicitários, indicativos e informativos, de modo que preservem a estrutura do mesmo, mantendo em bom estado de beleza e segurança, a placa, o letreiro e a fachada. Art A não observância deste Decreto na instalação dos Engenhos Publicitários Simples ou Complexos nas atividades comerciais, implicará em multa para o proprietário comercial, e ainda, caberá multa para a empresa que realizou a confecção e instalação do engenho em questão.

7 Art A instalação do Engenho Publicitário Simples ou Complexo sem a devida observância deste Decreto, implicará em multa e retirada do Engenho Publicitário, nos termos do Artigo 32, deste dispositivo legal. Art Este Regulamento entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Parágrafo único. Nas omissões será admitida a interpretação análoga das normas contidas neste Regulamento. Prefeitura da Estância Turística de Santa Fé do Sul, 10 de Março de Itamar Borges Prefeito Registrado em livro próprio e publicado por afixação no local de costume, na mesma data. Paulo Rogério Gonçalves da Silva Secretário de Administração

Viver em uma cidade que respeita o espaço urbano, o patrimônio histórico e a integridade da arquitetura das edificações é um direito de todos.

Viver em uma cidade que respeita o espaço urbano, o patrimônio histórico e a integridade da arquitetura das edificações é um direito de todos. Viver em uma cidade que respeita o espaço urbano, o patrimônio histórico e a integridade da arquitetura das edificações é um direito de todos. A Lei Descobrindo Rio Claro surgiu para melhor organizar os

Leia mais

Art. 1º - Nenhuma exibição de publicidade poderá ser feita sem autorização do órgão competente.

Art. 1º - Nenhuma exibição de publicidade poderá ser feita sem autorização do órgão competente. LEI Nº 1921, de 5 de novembro de 1992. DISPÕE SOBRE A VEICULAÇÃO DE PROPAGANDA EM TABULETAS, PAINÉIS E LETREIROS NOS LOGRADOUROS PÚBLICOS, E EM LOCAL EXPOSTO AO PÚBLICO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Presidente

Leia mais

CIDADE LIMPA LEI Nº 6468/09

CIDADE LIMPA LEI Nº 6468/09 CIDADE LIMPA LEI Nº 6468/09 Índice Apresentação...03 O que é um anúncio?...04 É proibido colocar anúncio que prejudique:...04 Locais onde é proibido colocar anúncios:...05 Prazos...05 Anúncio indicativo

Leia mais

LEI Nº 10.966, DE 26 DE JULHO DE 2010.

LEI Nº 10.966, DE 26 DE JULHO DE 2010. LEI Nº 10.966, DE 26 DE JULHO DE 2010. SÚMULA: Dispõe sobre a ordenação dos anúncios que compõem a paisagem urbana do Município de Londrina PROJETO CIDADE LIMPA e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

Capítulo 4 - EXECUÇÃO E SEGURANÇA DAS OBRAS

Capítulo 4 - EXECUÇÃO E SEGURANÇA DAS OBRAS Capítulo 4 - EXECUÇÃO E SEGURANÇA DAS OBRAS 4.1 Disposições gerais Art. 61 - A execução de obras, incluindo os serviços preparatórios e complementares, suas instalações e equipamentos, embora que temporários,

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA FIXAÇÃO DE ENGENHOS PUBLICITÁRIOS AO LONGO DAS RODOVIAS SOB A RESPONSABILIDADE DO DEINFRA

INSTRUÇÕES PARA FIXAÇÃO DE ENGENHOS PUBLICITÁRIOS AO LONGO DAS RODOVIAS SOB A RESPONSABILIDADE DO DEINFRA INSTRUÇÕES PARA FIXAÇÃO DE ENGENHOS PUBLICITÁRIOS AO LONGO DAS RODOVIAS SOB A RESPONSABILIDADE DO DEINFRA Estas instruções regulamentam e estabelecem condições para a fixação de engenhos publicitários

Leia mais

CENTRO: Belo de se ver. Plano de Despoluição Visual ( Lei 8.779/14)

CENTRO: Belo de se ver. Plano de Despoluição Visual ( Lei 8.779/14) CENTRO: Belo de se ver Plano de Despoluição Visual ( Lei 8.779/14) Centro de Vitória: belo de se ver A Prefeitura de Vitória implementa o Plano de Despoluição Visual (Lei 8.779/14) para ordenar e padronizar

Leia mais

Lei complementar Nº122, de 14 de Março de 2005 Autoria vereadores Jair Gomes de Toledo e Marilda Prado Yamamoto

Lei complementar Nº122, de 14 de Março de 2005 Autoria vereadores Jair Gomes de Toledo e Marilda Prado Yamamoto Lei complementar Nº122, de 14 de Março de 2005 Autoria vereadores Jair Gomes de Toledo e Marilda Prado Yamamoto Dispõe sobre a regulamentação de posicionamento de caçambas usadas na remoção de entulhos,

Leia mais

LEI Nº. 1.940,DE 21 DE JUNHO DE 2011.

LEI Nº. 1.940,DE 21 DE JUNHO DE 2011. LEI Nº. 1.940,DE 21 DE JUNHO DE 2011. Disciplina o uso de caçambas estacionárias containers de entulhos nas vias públicas do Município de Porto Velho e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.281

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.281 Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.281 Estabelece normas e procedimentos para recuperação, manutenção e valorização de edifícios, obras e monumentos tombados, sujeitos ao tombamento vizinho ou identificados

Leia mais

DECRETO Nº 47.950, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2006

DECRETO Nº 47.950, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2006 DECRETO Nº 47.950, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2006 Regulamenta a Lei nº 14.223, de 26 de setembro de 2006, que dispõe sobre a ordenação dos elementos que compõem a paisagem urbana do Município de São Paulo. GILBERTO

Leia mais

Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994

Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994 Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994 Estabelece normas para facilitar o acesso dos portadores de deficiência física aos edifícios de uso público, de acordo com o estabelecido no art. 227 da Constituição

Leia mais

DISCIPLINA OS MEIOS DE PUBLICIDADE NAS VIAS E LOGRADOUROS PÚBLICOS, SOB A FORMA DE "OUTDOOR", E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISCIPLINA OS MEIOS DE PUBLICIDADE NAS VIAS E LOGRADOUROS PÚBLICOS, SOB A FORMA DE OUTDOOR, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. DECRETO N. 12.149 DE 26 DE MARÇO DE 1993 DISCIPLINA OS MEIOS DE PUBLICIDADE NAS VIAS E LOGRADOUROS PÚBLICOS, SOB A FORMA DE "OUTDOOR", E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A PREFEITA DE SÃO LUÍS, no uso de suas atribuições

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA DECRETO Nº 1401

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA DECRETO Nº 1401 DECRETO Nº 1401 Dispõe sobre o uso temporário do recuo frontal obrigatório no Município de Curitiba. O PREFEITO MUNICIPAL DE CURITIBA, CAPITAL DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições legais que lhe

Leia mais

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. tela ou lona

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. tela ou lona CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. tela ou lona 02 Critérios específicos 03 Condições Gerais 05 Zonas de Proteção Específica 1 Ser utilizada para divulgação de atividades ou eventos de interesse

Leia mais

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. letreiros / anúncios luminosos ou não e anúncios eletrónicos

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. letreiros / anúncios luminosos ou não e anúncios eletrónicos CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. letreiros / anúncios luminosos ou não e anúncios eletrónicos 02 Critérios específicos 03 Condições Gerais 05 Zonas de Proteção Específica 1 Adequar-se à forma

Leia mais

Parágrafo 1º - Os anúncios, de que trata esta Resolução, deverão atender, preliminar e subsidiariamente, aos requisitos da Lei nº 13.525/2003.

Parágrafo 1º - Os anúncios, de que trata esta Resolução, deverão atender, preliminar e subsidiariamente, aos requisitos da Lei nº 13.525/2003. RESOLUÇÃO 12.04 CONPRESP.SMC O Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo - CONPRESP, no uso de suas atribuições legais e nos termos da Lei nº

Leia mais

Lei Complementar Nº 636 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2012

Lei Complementar Nº 636 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2012 Lei Complementar Nº 636 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2012 " Dispõe sobre a ordenação dos elementos que compõem a paisagem urbana da Estância Balneária de Praia Grande e dá outras providências " O Prefeito da Estância

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 019, DE 09 DE AGOSTO DE 2006. ESTABELECE NORMAS SOBRE EDIFICAÇÕES NO CONDOMÍNIO BOSQUES DE ATLÂNTIDA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

LEI COMPLEMENTAR Nº 019, DE 09 DE AGOSTO DE 2006. ESTABELECE NORMAS SOBRE EDIFICAÇÕES NO CONDOMÍNIO BOSQUES DE ATLÂNTIDA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. ESTABELECE NORMAS SOBRE EDIFICAÇÕES NO CONDOMÍNIO BOSQUES DE ATLÂNTIDA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. CELSO BASSANI BARBOSA, Prefeito Municipal de Xangri-Lá, FAÇO SABER que a Câmara Municipal de Vereadores

Leia mais

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. letras soltas e símbolos

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. letras soltas e símbolos CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. letras soltas e símbolos 02 Critérios específicos 03 Condições Gerais 05 Zonas de Proteção Específica 1 Adequar-se à forma e à escala, de modo a respeitar a integridade

Leia mais

Art. 2º A instalação dos equipamentos mencionados no artigo 1º não será permitida nos seguintes locais:

Art. 2º A instalação dos equipamentos mencionados no artigo 1º não será permitida nos seguintes locais: Resolução nº 001, de 25 de outubro de 2005 Estabelece normas para a instalação e operação de Estações de Rádio-Base ERB, microcélulas de telefonia celular, de rádio-difusão, de TV e equipamentos afins,

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SUPERINTENDÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA MANUAL DE USO DA MARCA DA SUDAM EM PROJETOS

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SUPERINTENDÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA MANUAL DE USO DA MARCA DA SUDAM EM PROJETOS MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SUPERINTENDÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA MANUAL DE USO DA MARCA DA SUDAM EM PROJETOS ASCOM 2015 APRESENTAÇÃO Este Manual estabelece as normas, especificações e

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1.º Esta lei complementar estabelece as exigências quanto a:

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1.º Esta lei complementar estabelece as exigências quanto a: Atualizada até LC 610/2007. LEI COMPLEMENTAR N.º 528 DE 18 DE ABRIL DE 2005 ESTABELECE A OBRIGATORIEDADE DE VAGAS PARA ESTACIONAMENTO PARA EDIFICAÇÕES EM GERAL E A ADOÇÃO DE MEDIDAS MITIGADORAS ÀS ATIVIDADES

Leia mais

DOS CRITÉRIOS PARA COLOCAÇÃO DE LETREIROS

DOS CRITÉRIOS PARA COLOCAÇÃO DE LETREIROS Ministério da Cultura IPHAN INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL Escritório Técnico II - São João del Rei Rua Hermíllo Alves n.º 52 Centro São João del-rei Minas Gerais CEP 36.307-328

Leia mais

DISCIPLINA O CORTE DE ÁRVORES NO MUNICÍPIO DE CRICIÚMA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS

DISCIPLINA O CORTE DE ÁRVORES NO MUNICÍPIO DE CRICIÚMA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS LEI Nº 5849, de 4 de julho de 2011. DISCIPLINA O CORTE DE ÁRVORES NO MUNICÍPIO DE CRICIÚMA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O PREFEITO MUNICIPAL DE CRICIÚMA, Faço saber a todos os habitantes deste Município,

Leia mais

DECRETO Nº 18.313 DE 10 DE JUNHO DE 2013.

DECRETO Nº 18.313 DE 10 DE JUNHO DE 2013. DECRETO Nº 18.313 DE 10 DE JUNHO DE 2013. Regulamenta a Lei nº 10.260, de 28 de setembro de 2007 que rege o estacionamento temporári o de veículos, mediante pagamento, em vias e logradouros públicos de

Leia mais

LEI Nº 10.365 - de 22 DE SETEMBRO DE 1987

LEI Nº 10.365 - de 22 DE SETEMBRO DE 1987 LEI Nº 10.365 - de 22 DE SETEMBRO DE 1987 Disciplina o corte e a poda de vegetação de porte arbóreo existente no Município de São Paulo, e dá outras providências. Jânio da Silva Quadros, Prefeito do Município

Leia mais

DECRETO Nº 50.077, DE 6 DE OUTUBRO DE 2008 Regulamenta o artigo 50 da Lei nº 14.223, de 26 de setembro de 2006, o qual dispõe sobre a celebração de

DECRETO Nº 50.077, DE 6 DE OUTUBRO DE 2008 Regulamenta o artigo 50 da Lei nº 14.223, de 26 de setembro de 2006, o qual dispõe sobre a celebração de DECRETO Nº 50.077, DE 6 DE OUTUBRO DE 2008 Regulamenta o artigo 50 da Lei nº 14.223, de 26 de setembro de 2006, o qual dispõe sobre a celebração de termos de cooperação com a iniciativa privada, visando

Leia mais

DECRETO Nº 8.300, DE 21 DE JUNHO DE 2011.

DECRETO Nº 8.300, DE 21 DE JUNHO DE 2011. DECRETO Nº 8.300, DE 21 DE JUNHO DE 2011. Estabelece o Regulamento para a cobrança da Taxa de Licença para Exploração de Atividades em Logradouros Públicos TLP, dos Meios de Publicidade, prevista na Lei

Leia mais

TERMO DE HOMOLOGAÇÃO. Item 0001

TERMO DE HOMOLOGAÇÃO. Item 0001 TERMO DE HOMOLOGAÇÃO Às 16:40 horas do dia 11 de outubro de 2012, após analisados todos os atos processuais do Pregão Pregão Eletrônico SRP 251/2012, referente ao processo 2012029949, o Sr(a). Samuel Braga

Leia mais

SEDEMA DIVISÃO DE CONTROLE E FISCALIZAÇÃO

SEDEMA DIVISÃO DE CONTROLE E FISCALIZAÇÃO SEDEMA DIVISÃO DE CONTROLE E FISCALIZAÇÃO Lei nº 6468/09 Disciplina a veiculação de anúncios no Município de Piracicaba Decreto nº 13.512/10 Licenciamento de anúncios Decreto nº 13.513/10 Engenhos Publicitários

Leia mais

SPU 25/2/2003 ON-GEADE-004 ASSUNTO: AVALIAÇÃO TÉCNICA DE BENS IMÓVEIS DA UNIÃO OU DE SEU INTERESSE FUNDAMENTAÇÃO LEGAL:

SPU 25/2/2003 ON-GEADE-004 ASSUNTO: AVALIAÇÃO TÉCNICA DE BENS IMÓVEIS DA UNIÃO OU DE SEU INTERESSE FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: 25/2/2003 ON-GEADE-004 ASSUNTO: AVALIAÇÃO TÉCNICA DE BENS IMÓVEIS DA UNIÃO OU DE SEU INTERESSE MP FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: ART. 67 DO DECRETO LEI Nº 9.760, DE 5 DE SETEMBRO DE 1946 SPU SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2

Leia mais

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO mobiliário urbano. mobiliário de esplanadas

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO mobiliário urbano. mobiliário de esplanadas CRITÉRIOS DE ISENÇÃO mobiliário urbano. mobiliário de esplanadas 02 Critérios específicos 04 Condições Gerais 06 Zonas de Proteção Específica 1 Todo o mobiliário de apoio a esplanadas, nomeadamente, estrados,

Leia mais

Disciplina o corte e a poda de vegetação de porte arbóreo existente no município de São Paulo.

Disciplina o corte e a poda de vegetação de porte arbóreo existente no município de São Paulo. LEI Nº 10.365, DE 22 DE SETEMBRO DE 1987. Disciplina o corte e a poda de vegetação de porte arbóreo existente no município de São Paulo. JÂNIO DA SILVA QUADROS, Prefeito do Município de São Paulo, usando

Leia mais

LEI Nº 3.743, de 30 de novembro de 2012

LEI Nº 3.743, de 30 de novembro de 2012 LEI Nº 3.743, de 30 de novembro de 2012 EMENTA: Institui o Sistema de Estacionamento Rotativo Pago nas vias e logradouros públicos ora denominados ZONA AZUL no âmbito deste Município da Vitória de Santo

Leia mais

DECRETO Nº 12.009, DE 30 DE MARÇO DE 2005

DECRETO Nº 12.009, DE 30 DE MARÇO DE 2005 DECRETO Nº 12.009, DE 30 DE MARÇO DE 2005 Regulamenta a Lei 9.048 de 14 de janeiro de 2005, que "Autoriza a outorga de concessão ou permissão de serviço crematório nos casos que menciona e dá outras providências".

Leia mais

LEI Nº 3.182, DE 27 DE JULHO DE 2012.

LEI Nº 3.182, DE 27 DE JULHO DE 2012. LEI Nº 3.182, DE 27 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE O USO DAS CALÇADAS, GARANTINDO SUA DESTINAÇÃO PRIORITÁRIA PARA A CIRCULAÇÃO DE PESSOAS E A CONVIVÊNCIA SOCIAL, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO DE

Leia mais

LOTEAMENTO VILLAGGIO DI FIRENZE Av. Dr. Armando Sales de Oliveira Nº 400 Franca - SP

LOTEAMENTO VILLAGGIO DI FIRENZE Av. Dr. Armando Sales de Oliveira Nº 400 Franca - SP LOTEAMENTO VILLAGGIO DI FIRENZE Av. Dr. Armando Sales de Oliveira Nº 400 Franca - SP CARTILHA DE CONSTRUÇÃO Seguem especificações para as construções nos lotes do Loteamento Villaggio Di Firenze: A) Conforme

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 755, DE 28 DE JANEIRO DE 2008. (Autoria do Projeto: Poder Executivo)

LEI COMPLEMENTAR Nº 755, DE 28 DE JANEIRO DE 2008. (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Publicado no DODF Nº 20, terça-feira, 29 de janeiro de 2008, pág. 2 a 4. LEI COMPLEMENTAR Nº 755, DE 28 DE JANEIRO DE 2008. (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Define critérios para ocupação de área

Leia mais

REGULAMENTO A ADMINISTRAÇÃO DO CEMITÉRIO JARDIM DAS ACÁCIAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO A ADMINISTRAÇÃO DO CEMITÉRIO JARDIM DAS ACÁCIAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO A ADMINISTRAÇÃO DO CEMITÉRIO JARDIM DAS ACÁCIAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. O presente ato disciplina o funcionamento do Cemitério Jardim das Acácias, bem como estabelece normas para os seus

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ - SP DECRETO Nº 24.162, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ - SP DECRETO Nº 24.162, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012 DECRETO Nº 24.162, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012 MIGUEL HADDAD, Prefeito do Município de Jundiaí, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais e, em especial, ao que consta do art. 10 da Lei Municipal

Leia mais

A Câmara Municipal de São José dos Pinhais, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

A Câmara Municipal de São José dos Pinhais, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.714, DE 25 DE ABRIL DE 2011 Institui o Sistema de Estacionamento Rotativo pago, nas vias e logradouros públicos denominado Zona Azul São José dos Pinhais. A Câmara Municipal de São José dos Pinhais,

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICIPIO DE ARACAJU

O PREFEITO DO MUNICIPIO DE ARACAJU DISPÓE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA ARBORIZAÇÃO NO MUNICÍPIO DE ARACAJU E DÁ PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO DO MUNICIPIO DE ARACAJU seguinte Lei: Faço saber que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono a Art.

Leia mais

Lei 12.730 - Cidade Limpa - Ribeirão Preto/SP

Lei 12.730 - Cidade Limpa - Ribeirão Preto/SP Lei 12.730 - Cidade Limpa - Ribeirão Preto/SP Data de elaboração: 11/01/2012 Data de publicação: 12/01/2012 Processo: 02.11.060070.0 Assunto: Cidade Limpa Tipo de ato: Lei Ordinária Autor(es): Executivo

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.270

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.270 DECRETO Nº 13.270 Regulamenta o parcelamento e pagamento de créditos do município de Vitória e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Vitória, Capital do, no uso de suas atribuições legais, e

Leia mais

DECRETO Nº 11.112/14, DE 29 DE ABRIL DE 2014.

DECRETO Nº 11.112/14, DE 29 DE ABRIL DE 2014. DECRETO Nº 11.112/14, DE 29 DE ABRIL DE 2014. Regulamenta a Lei Municipal nº 3.071/14, que Institui o Programa Videira Cultural, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE VIDEIRA, no uso de suas

Leia mais

a) a locução Lei de Incentivo ao Esporte Prefeitura de São Paulo ;

a) a locução Lei de Incentivo ao Esporte Prefeitura de São Paulo ; manual de DIVULGAÇÃO da lei municipal de incentivo ao esporte APLICAÇÃO DA MARCA LEI E DECRETO Lei nº 15.928/13 Art. 32. Em todos os projetos incentivados por esta lei deverá constar claramente de todo

Leia mais

EDITAL 001/2015 EDITAL DE INSCRIÇÃO E DE HABILITAÇÃO

EDITAL 001/2015 EDITAL DE INSCRIÇÃO E DE HABILITAÇÃO EDITAL 001/2015 EDITAL DE INSCRIÇÃO E DE HABILITAÇÃO 1. DO PREÂMBULO. A PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista o Decreto Municipal nº 5.796, de 23 de dezembro

Leia mais

LEI Nº 1.982, DE 30 DE AGOSTO DE 2010

LEI Nº 1.982, DE 30 DE AGOSTO DE 2010 LEI Nº 1.982, DE 30 DE AGOSTO DE 2010 DISCIPLINA O CORTE E A PODA DE VEGETAÇÃO DE PORTE ARBÓREO EXISTENTE NO MUNICÍPIO DE BARUERI E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. RUBENS FURLAN, Prefeito do Município de Barueri,

Leia mais

LEI Nº 3.502 DE 26 DE NOVEMBRO DE 2007 PUBLICADA NO DOM DE 29.11.2007

LEI Nº 3.502 DE 26 DE NOVEMBRO DE 2007 PUBLICADA NO DOM DE 29.11.2007 LEI Nº 3.502 DE 26 DE NOVEMBRO DE 2007 PUBLICADA NO DOM DE 29.11.2007 Cria o Sistema de Registro e Fiscalização dos veículos de tração animal e de seus condutores e dá outras providências. O PREFEITO DO

Leia mais

DECRETO Nº 13.397 DE 07 DE AGOSTO DE 2014

DECRETO Nº 13.397 DE 07 DE AGOSTO DE 2014 DECRETO Nº 13.397 DE 07 DE AGOSTO DE 2014 Regulamenta a realização de parceria com a iniciativa privada e a sociedade civil organizada para manutenção de espaços públicos no Município de Fortaleza. O PREFEITO

Leia mais

LEI Nº 2.176, DE 17 DE JULHO DE 2005. (ATUALIZADA ATÉ A LEI Nº 2.666, DE 20 DE AGOSTO DE 2010)

LEI Nº 2.176, DE 17 DE JULHO DE 2005. (ATUALIZADA ATÉ A LEI Nº 2.666, DE 20 DE AGOSTO DE 2010) LEI Nº 2.176, DE 17 DE JULHO DE 2005. (ATUALIZADA ATÉ A LEI Nº 2.666, DE 20 DE AGOSTO DE 2010) Institui o Programa de Incentivo e Desenvolvimento Industrial de Morrinhos e estabelece normas gerais de incentivos

Leia mais

Lei n 1.687/91 De 27 de março de 1991

Lei n 1.687/91 De 27 de março de 1991 Lei n 1.687/91 De 27 de março de 1991 Regulamenta o Art. 16 da Lei Orgânica, que diz respeito à garantia de acesso adequado aos portadores de deficiência física ou mental aos bens e serviços coletivos,

Leia mais

CARNAVAL DE RUA DA CIDADE DE SÃO PAULO 2016

CARNAVAL DE RUA DA CIDADE DE SÃO PAULO 2016 CARNAVAL DE RUA DA CIDADE DE SÃO PAULO 2016 CARTILHA PARA ATIVAÇÃO DE MARCA DE PATROCINADORES A partir do Decreto nº 56.690/2015, que disciplina o Carnaval de Rua da Cidade de São Paulo, foi elaborada

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 4.680, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2010

LEI MUNICIPAL Nº 4.680, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2010 LEI MUNICIPAL Nº 4.680, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2010 DISPÕE SOBRE A INSTALAÇÃO DE ESTAÇÕES RÁDIO-BASE - ERB S, MINI - ERBS, TORRES, SISTEMAS DE RÁDIO-TRANSMISSÃO E EQUIPAMENTOS AFINS NO MUNICÍPIO DE TAQUARA

Leia mais

LEI MUNICIPAL COMPLEMENTAR Nº 003/2007

LEI MUNICIPAL COMPLEMENTAR Nº 003/2007 LEI MUNICIPAL COMPLEMENTAR Nº 003/2007 DISPÕE SOBRE O PLANO VIÁRIO DO MUNICÍPIO DE GOIOERÊ EM CONFORMIDADE COM A LEI MUNICIPAL COMPLEMENTAR Nº 001/2007 LEI DO PLANO DIRETOR, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A

Leia mais

Capítulo 6 - COMPARTIMENTOS DAS EDIFICAÇÕES

Capítulo 6 - COMPARTIMENTOS DAS EDIFICAÇÕES Capítulo 6 - COMPARTIMENTOS DAS EDIFICAÇÕES 6.1 Disposições gerais Art. 154 - Os compartimentos e ambientes deverão ser posicionados na edificação de forma a garantir conforto ambiental e a salubridade,

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS - Nº 005/2015 PROCESSO N 2014.030552 VALIDADE: 12 (doze) meses.

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS - Nº 005/2015 PROCESSO N 2014.030552 VALIDADE: 12 (doze) meses. 1 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS - Nº 005/2015 PROCESSO N 2014.030552 VALIDADE: 12 (doze) meses. Ata de registro de preço, para Modalidade: : REGISTRO DE PREÇOS PARA FUTURA AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS DE CRIAÇÃO

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO NOTURNO DO TRANSPORTE COLETIVO DE CAMPINAS CORUJÃO

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO NOTURNO DO TRANSPORTE COLETIVO DE CAMPINAS CORUJÃO GPT/M012/10/R4 PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO NOTURNO DO TRANSPORTE COLETIVO DE CAMPINAS CORUJÃO O presente documento estabelece os padrões de comunicação visual a serem observados

Leia mais

NORMA TÉCNICA n.º 02, DE 07 DE MAIO DE 2012. Processo n.º 660/2008 Padrão Processo nº 385/1998 - Normas

NORMA TÉCNICA n.º 02, DE 07 DE MAIO DE 2012. Processo n.º 660/2008 Padrão Processo nº 385/1998 - Normas NORMA TÉCNICA n.º 02, DE 07 DE MAIO DE 2012. DISPÕE SOBRE PROCEDIMENTOS TÉCNICOS E OPERACIONAIS RELATIVOS A INSTALAÇÃO OBRIGATÓRIA DE CAIXA DE PROTEÇÃO DE HIDROMETRO, CONFORME DISPÕE O DECRETO 7.218 DE

Leia mais

CONVÊNIO Nº 002/87 1.0 - GENERALIDADES.

CONVÊNIO Nº 002/87 1.0 - GENERALIDADES. 1 CONVÊNIO Nº 002/87 TERMO DE CONVÊNIO QUE ENTRE SI CELEBRAM DE UM LADO A PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE BARUERI E, DE OUTRO, A SOCIEDADE ALDEIA DA SERRA RESIDENCIAL MORADA DOS PÁSSAROS, PARA A APLICAÇÃO DE

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO CONVENCIONAL DO TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO DE CAMPINAS

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO CONVENCIONAL DO TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO DE CAMPINAS GPT/M002/12/R8 PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO CONVENCIONAL DO TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO DE CAMPINAS O presente documento estabelece os padrões de comunicação visual a serem

Leia mais

Sinalização e Mídia Exterior

Sinalização e Mídia Exterior Fachadas Sinalização e Mídia Exterior E-mail: silviazampar-unip@ig.com.br Blog: http://silviazampar-unip.blogspot.com Aula 7 Fachadas Composta por um ou mais painéis, é a apresentação externa das instalações

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO legais, ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DELIBERAÇÃO CME/VR Nº 28 / 200 Fixa normas para aprovação do funcionamento de escolas mantidas pelo

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº. 14/2013.

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº. 14/2013. PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº. 14/2013. ESTABELECE NORMAS PARA CONCESSÃO DE ALVARÁ DE LICENÇA DE LOCALIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE FEIRAS E EVENTOS COMERCIAIS, DE CARÁTER ITINERANTE E (OU) TEMPORÁRIO NO

Leia mais

O VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no exercício do cargo de PRESIDENTE DA REPÚBLICA

O VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no exercício do cargo de PRESIDENTE DA REPÚBLICA LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997 Estabelece normas para as eleições. O VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no exercício do cargo de PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA nº 334, de 3 de abril de 2003 Publicada no DOU n o 94, de 19 de maio de 2003, Seção 1, páginas 79-80

RESOLUÇÃO CONAMA nº 334, de 3 de abril de 2003 Publicada no DOU n o 94, de 19 de maio de 2003, Seção 1, páginas 79-80 RESOLUÇÃO CONAMA nº 334, de 3 de abril de 2003 Publicada no DOU n o 94, de 19 de maio de 2003, Seção 1, páginas 79-80 Dispõe sobre os procedimentos de licenciamento ambiental de estabelecimentos destinados

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS TÁXIS

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS TÁXIS GPM/M013/11/R8 PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS TÁXIS DO MUNICÍPIO DE CAMPINAS O presente anexo estabelece os padrões de comunicação visual a serem observados nos veículos utilizados no Sistema de

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE PESO DA RÉGUA

CÂMARA MUNICIPAL DE PESO DA RÉGUA CÂMARA MUNICIPAL DE PESO DA RÉGUA REGULAMENTO MUNICIPAL DE PUBLICIDADE ARTIGO 1. (OBJECTO) O exercício da publicidade e propaganda comercial rege-se pelas disposições do presente regulamento. ARTIGO 2.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SETE LAGOAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE SETE LAGOAS PREFEITURA MUNICIPAL DE SETE LAGOAS DECRETO Nº 4.022 DE 18 DE FEVEREIRO DE 2010. REGULAMENTA A LEI Nº 7.152 DE 17 DE NOVEMBRO DE 2005 QUE DISPÕE SOBRE A UTILIZAÇÃO DE CAÇAMBAS ESTACIONÁRIAS PARA COLETA

Leia mais

TRANSPORTE COLETIVO URBANO

TRANSPORTE COLETIVO URBANO TRANSPORTE COLETIVO URBANO ABRIGOS PARA PONTOS DE PARADA PROJETO ARQUITETÔNICO Julho 2007 PARADAS DE ÔNIBUS Memorial Justificativo A proposta é a construção de mobiliário urbano para abrigo da população

Leia mais

Lei Municipal N.º 1414

Lei Municipal N.º 1414 Câmara Municipal de Volta Redonda Estado do Rio de Janeiro Lei Municipal N.º 1414 Art. 126 - Para que seja concedido habite-se parcial ou total é necessário o registro prévio de declaração do autor do

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA REITORIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA REITORIA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA REITORIA RESOLUÇÃO N o 04/2011 DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO. Regulamenta a utilização e aplicação da Marca UFU. O CONSELHO

Leia mais

Instituir um padrão único de grafismo para os veículos no âmbito do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte e dá outras providências.

Instituir um padrão único de grafismo para os veículos no âmbito do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte e dá outras providências. GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR GABINETE DO COMANDO GERAL PORTARIA Nº 104/2015 GAB CMDO CBMRN Dispõe sobre

Leia mais

LEI N.º 4.598/15 DE 28 DE JULHO DE 2015

LEI N.º 4.598/15 DE 28 DE JULHO DE 2015 LEI N.º 4.598/15 DE 28 DE JULHO DE 2015 Dispõe sobre condomínios por unidades autônomas e dá outras providências... TEODORA BERTA SOUILLJEE LÜTKEMEYER, PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NÃO-ME-TOQUE/RS. FAÇO SABER

Leia mais

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. tabuleta

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. tabuleta CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. tabuleta 02 Critérios específicos 03 Condições Gerais 05 Zonas de Proteção Específica 1 Uma tabuleta por estabelecimento e não ser colocada acima do piso térreo;

Leia mais

GABINETE DO PREFEITO LEI Nº. 370 /009 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009.

GABINETE DO PREFEITO LEI Nº. 370 /009 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009. LEI Nº. 370 /009 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009. INSTITUI O SISTEMA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ATRAVÉS DE MOTOCICLETAS NO MUNICÍPIO DE URUPÁ/RO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito

Leia mais

LEI Nº 977, DE 24 DE ABRIL DE 2014.

LEI Nº 977, DE 24 DE ABRIL DE 2014. LEI Nº 977, DE 24 DE ABRIL DE 2014. Regulamenta os serviços funerários no Município de Chapadão do Sul e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Chapadão do Sul, Estado de Mato Grosso do Sul, no

Leia mais

II os lotes poderão se escolhidos pelos interessados segundo a Planta Geral e de Zoneamento do LIC-SUL;

II os lotes poderão se escolhidos pelos interessados segundo a Planta Geral e de Zoneamento do LIC-SUL; LEI Nº1508/2011 DATA: 14 de julho de 2011. SÚMULA: Cria o Loteamento Industrial, Comercial e de Prestadores de Serviços Sul de Sinop LIC/SUL regulamenta e autoriza a doação com encargos de lotes para fins

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO PUBLICADO EM PLACAR Em / / PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS LEI COMPLEMENTAR Nº 173, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2008. Faço saber que: Dispõe sobre permissão de uso, de espaço público, aéreo e subsolo, para instalação

Leia mais

DECRETO Nº 18.480 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2000

DECRETO Nº 18.480 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2000 DECRETO Nº 18.480 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2000 Regulamenta a Lei nº 16.478/99, publicada no Diário Oficial da Cidade do Recife em 23.02.99 CAPÍTULO I OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Art. 1º Estas normas têm

Leia mais

FERRAMENTAS DE MERCHANDISING LÍDER MUNDIAL NA ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS

FERRAMENTAS DE MERCHANDISING LÍDER MUNDIAL NA ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS FERRAMENTAS DE MERCHANDISING LÍDER MUNDIAL NA ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS BENEFÍCIOS Antecipa sua comunicação com os visitantes da feira; direto em público altamente qualificado; Ativação de marca; Possibilita

Leia mais

Lei Municipal N.º 1414

Lei Municipal N.º 1414 Subseção II Dos Estacionamentos e Guarda de Veículos Art. 41 - Os locais para estacionamento ou guarda de veículos podem ser cobertos ou descobertos, podendo se destinar em ambos os casos à utilização

Leia mais

CARTILHA COMUNICAÇÃO VISUAL GUARAPARI PAISAGEM URBANA

CARTILHA COMUNICAÇÃO VISUAL GUARAPARI PAISAGEM URBANA CARTILHA COMUNICAÇÃO VISUAL PAISAGEM URBANA Recomendações para montagem de fachadas e qualquer outro tipo de COMUNICAÇÃO VISUAL, ou seja, uso de propaganda visual urbana em centros comerciais e de serviços

Leia mais

DECRETO Nº 6.323 DE 27 DE AGOSTO DE 1.998.

DECRETO Nº 6.323 DE 27 DE AGOSTO DE 1.998. DECRETO Nº 6.323 DE 27 DE AGOSTO DE 1.998. Estabelece as penalidades aplicáveis aos infratores da Lei 3.491 de 19 de dezembro de 1.997, que dispõe sobre a consolidação das leis de propaganda no Município

Leia mais

Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul

Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul LEI Nº 4.833 DE 10 DE DEZEMBRO DE 2009 DISPÕE SOBRE O IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO E SOBRE A TAXA DE COLETA, REMOÇÃO E DESTINAÇÃO DO LIXO PARA O EXERCÍCIO DE 2010, CONCEDE ISENÇÕES E DÁ OUTRAS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº DE DE DE 2012

RESOLUÇÃO Nº DE DE DE 2012 RESOLUÇÃO Nº DE DE DE 2012 Estabelece os padrões e critérios para a instalação de ondulações transversais (lombadas físicas) em vias públicas, disciplinadas pelo Parágrafo único do art. 94 do Código de

Leia mais

A PREFEITURA MUNICIPAL DE MANGARATIBA, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal decretou e eu sanciono a seguinte,

A PREFEITURA MUNICIPAL DE MANGARATIBA, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal decretou e eu sanciono a seguinte, LEI Nº 837, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA EXPLORAÇÃO COMERCIAL DE ATIVIDADES NÁUTICAS NAS PRAIAS DO MUNICÍPIO DE MANGARATIBA. A PREFEITURA MUNICIPAL DE MANGARATIBA, no uso

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ILHÉUS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 3.745, DE 09 DE OUTUBRO DE 2015.

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ILHÉUS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 3.745, DE 09 DE OUTUBRO DE 2015. LEI Nº 3.745, DE 09 DE OUTUBRO DE 2015. Dispõe sobre loteamento urbano fechado, condomínio horizontal fechado, responsabilidade do incorporador e loteador, concessão de uso e dá outras providências. O

Leia mais

PORTARIA Nº 592, DE 28 DE ABRIL DE 2014

PORTARIA Nº 592, DE 28 DE ABRIL DE 2014 PORTARIA Nº 592, DE 28 DE ABRIL DE 2014 Altera a Norma Regulamentadora n.º 34 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval. O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO,

Leia mais

LEI Nº 1.081/02, DE 17 DE MAIO DE 2002.

LEI Nº 1.081/02, DE 17 DE MAIO DE 2002. LEI Nº 1.081/02, DE 17 DE MAIO DE 2002. Estabelece normas para a exploração do comércio ambulante e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE PAVERAMA-RS, no uso de suas atribuições legais e na forma

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO PROJETO DE LEI N o 7.018, DE 2013 Dispõe sobre o armazenamento de imagens em dispositivos de monitoramento e gravação eletrônica por meio de

Leia mais

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. bandeiras

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. bandeiras CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. bandeiras 02 Critérios específicos 03 Condições Gerais 05 Zonas de Proteção Específica 1 A distância mínima admitida de qualquer elemento fixado ao mastro ao

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPORÃ GABINETE DO PREFEITO Administração 2013/2016. Um Novo Tempo. Uma Cidade Para Todos.

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPORÃ GABINETE DO PREFEITO Administração 2013/2016. Um Novo Tempo. Uma Cidade Para Todos. LEI Nº 2273/2013 DISPÕE SOBRE DOAÇÃO DE IMÓVEIS DE PROPRIEDADE DO MUNICÍPIO DE ITAPORÃ- MS, PARA FINS QUE ESPECIFICA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. MS, no uso de suas atribuições legais que são conferidas por

Leia mais

PORTARIA Nº 22, DE 1º DE ABRIL DE 2008.

PORTARIA Nº 22, DE 1º DE ABRIL DE 2008. Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal PORTARIA Nº 22, DE 1º DE ABRIL DE 2008. Estabelece normas complementares necessárias à aplicação da Lei nº 3.914, de 05 de dezembro de 2006, regulamentada

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2

Leia mais

(Apenso o PL nº 5.010, de 2009)

(Apenso o PL nº 5.010, de 2009) COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N o 3.572, DE 2008 (Apenso o PL nº 5.010, de 2009) Dispõe sobre normas gerais acerca da prestação de serviços funerários, administração de cemitérios

Leia mais

LEI Nº 11.427 DE 17 DE JANEIRO DE 1997

LEI Nº 11.427 DE 17 DE JANEIRO DE 1997 LEI Nº 11.427 DE 17 DE JANEIRO DE 1997 Dispõe sobre a conservação e a proteção das águas subterrâneas no Estado de Pernambuco e dá outras providências Capítulo I - Da conservação e proteção das águas subterrâneas

Leia mais

MINUTA DO PROJETO DE LEI Nº XX/GP/2012, DE XX DE XXX DE 2012.

MINUTA DO PROJETO DE LEI Nº XX/GP/2012, DE XX DE XXX DE 2012. MINUTA DO PROJETO DE LEI Nº XX/GP/2012, DE XX DE XXX DE 2012. SÚMULA: DISPÕE SOBRE A PADRONIZAÇÃO DO CONJUNTO DE PLACAS INDICATIVAS DE NOMES DE VIAS E LOGRADOUROS PÚBLICOS E A CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DE

Leia mais

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar:

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar: Institui Projeto Simplificado e dispõe sobre a forma de apresentação de projetos de construção de edificações residenciais unifamiliares, e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE GUARATINGUETÁ

Leia mais