modernistas. Apenas um pedido, querido. Por favor, não entre pela chaminé para não assustar os convidados. Um beijo.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "modernistas. Apenas um pedido, querido. Por favor, não entre pela chaminé para não assustar os convidados. Um beijo."

Transcrição

1 1º EMG CP-02 meios de comunicação funcionam como um elo entre os diferentes segmentos de uma sociedade. Texto I Nas Noel últimas querido, décadas, No próximo dia 24 vou oferecer uma ceia para alguns amigos em minha casa, em petit comité. Eu adoraria acompanham poder contar com a sua presença. E, se você quiser trazer um presente para a anfitriã, não vou me os a importar, inserção pelo contrário, até dou uma sugestão: você já viu a nova linha de monitores de plasma da de Gradiente? um novo É um must! Design clean, tecnologia de última geração. Ficaria o máximo ao lado de minhas meio obras de modernistas. Apenas um pedido, querido. Por favor, não entre pela chaminé para não assustar os convidados. Um beijo. comunicação que supera Seu nome em muito outros já Texto II existentes, visto que pode E aí, Papai Noel? Belê? contribuir para A parada é a seguinte: eu,, tô muito a fim, a finzaço mesmo, de ter um Mini a System Titanium da Gradiente no meu quarto, aquele que reproduz MP3 com Watts de potência, tá democratizaçã ligado? Sabe como é: eu queimo uns CDs MP3, convido a mina para ouvir um som da hora, a gente troca o da umas vida ideias e aí, meu velho, você tá ligado, né? E então? Quebra essa pra mim, mano. O senhor, que já social tá velhinho, e não sabe como é difícil hoje em dia agradar a política mulherada. Veja, dez sociedade à medida 01)Sobre que a linguagem utilizada nos textos I e II, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as possibilita falsas. a instituição de mecanismos ( ) A coloquialidade no texto I é marcada, por exemplo, pela busca de proximidade com o destinatário e eletrônicos por algumas escolhas lexicais; a norma padrão é predominante, como exemplifica o trecho Por favor, não para entre a efetiva pela chaminé para não assustar os convidados. participação ( ) A oralidade permeia o texto II de forma marcante, como mostram os trechos E aí, Papai Noel? Belê?, e política aí, meu e velho você já tá ligado, né?, tô muito a fim, tô a finzaço mesmo. disseminação ( ) No texto II, o jovem não se dirige a Papai Noel de forma polida, respeitosa, pois utiliza gírias, como tá de ligado, quebra essa e refere-se a ele como mano e meu velho. informações. ( ) O uso, no texto I, de estrangeirismos em petit comité, must revela a imagem que a senhora pretende passar ao Papai Noel. Constitui Assinale o a sequência correta. exemplo a) F, V, mais V, F expressivo b) V, V, F, V desse c) V, novo F, V, F conjunto d) F, F, de V, V redes informacionais Texto para a questão 02. a Ele se aproximou e com voz cantante de nordestino que a emocionou, perguntou-lhe: a)internet. E se me desculpe, senhorinha, posso convidar a passear? Sim, respondeu atabalhoadamente com pressa antes que ele mudasse de ideia. b)fibra E, ótica. se me permite, qual é mesmo a sua graça? Macabéa. c) TV Maca digital. o quê? Bea, foi ela obrigada a completar. d)telefonia Me desculpe mas até parece doença, doença de pele. móvel. Eu também acho esquisito mas minha mãe botou ele por promessa a Nossa Senhora da Boa Morte se 2. Nas últimas décadas Centro Educacional Professor Ruy Azevedo Avenida Getúlio Vargas 243/253 Centro Santo Antônio de Pádua RJ CEP: Tel.: (22)

2 eu vingasse, até um ano de idade eu não era chamada porque não tinha nome, eu preferia continuar a nunca ser chamada em vez de ter um nome que ninguém tem mas parece que deu certo parou um instante retomando o fôlego perdido e acrescentou desanimada e com pudor pois como o senhor vê eu vinguei... pois é... Também no sertão da Paraíba promessa é questão de grande dívida de honra. Eles não sabiam como se passeia. Andaram sob a chuva grossa e pararam diante da vitrine de uma loja de ferragem onde estavam expostos atrás do vidro canos, latas, parafusos grandes e pregos. E Macabéa, com medo de que o silêncio já significasse uma ruptura, disse ao recém-namorado: Eu gosto tanto de parafuso e prego, e o senhor? Da segunda vez em que se encontraram caía uma chuva fininha que ensopava os ossos. Sem nem ao menos se darem as mãos caminhavam na chuva que na cara de Macabéa parecia lágrimas escorrendo. Clarice Lispector, A hora da estrela. 02)No trecho mas minha mãe botou ele por promessa, o pronome pessoal foi empregado em registro coloquial. É o que também se verifica em: a) E se me desculpe, senhorinha, posso convidar a passear? b) E, se me permite, qual é mesmo a sua graça? c) Eu gosto tanto de parafuso e prego, e o senhor? d) Me desculpe mas até parece doença, doença de pele. Texto para a questão 03 Uma mensagem comum em fotologs... Oiieee... td bemmm galera!?! espero q sim... essa fotin eh um pokito antigs, mas como eu xonei nelaaa to postandu... pra qm naum conhece, esse eh meu cafofo, moh lindu, fla seriu!! Ahuahuaha. Essa semana foi xuper cansativa, altas provas e talz... nd + a declarar... huhu... Lunch entre amigonasss, tarde sussa... =) dps preciso de ajuda nakele post special das p.i. s* dessa semana gnt!! Hauhauha... Aguardem!! grd bjooo... * p.i. s: piadas internas Folha de S.Paulo, São Paulo, 24 abr. 2005, p. C6. 03)Pode-se dizer a respeito da constituição textual em Uma mensagem comum em fotologs que se trata de a)um vocabulário restrito aos jovens, cuja composição remete a um único campo semântico, como em galera, amigonasss e gnt. b) sequências de orações sem valor referencial, como se pode observar em expressões do tipo xonei nelaaa to postandu.... c) um tipo discursivo cuja estruturação recruta elementos de textos mais formais, como se vê na afirmação nd + a declarar. d) um padrão de organização segundo normas da língua falada e recursos da escrita, como a segmentação das palavras em moh lindu, fla seriu!!. Texto para a questão 04. Falar português não é difícil me diz um francês residente no Brasil, o diabo é que, mal consigo aprender, a língua portuguesa já ficou diferente. Está sempre mudando. E como! No Brasil as palavras envelhecem e caem como folhas secas. Ainda bem a gente não conseguiu aprender uma nova expressão, já vem o pessoal com outra. Não é somente pela gíria que a gente é apanhado. (Aliás, já não se usa mais a primeira pessoa, tanto do singular como do plural: tudo é a gente.) A própria linguagem corrente vai-se renovando, e a cada dia uma parte do léxico cai em desuso. É preciso ficar atento, para não continuar usando palavras que já morreram, vocabulário de velho que só velho entende.

3 Os que falariam ainda em cinematógrafo, auto-ônibus, aeroplano, estes também já morreram e não sabem. Mas uma amiga minha, que vive preocupada com este assunto, me chama a atenção para os que falam assim: Assisti a uma fita de cinema com um artista que representa muito bem. Os que acharem natural esta frase, cuidado! Não saberão dizer que viram um filme com um ator que trabalha bem. E irão ao banho de mar em vez de ir à praia, vestidos de roupa de banho em vez de calção ou biquíni, carregando guarda-sol em vez de barraca. Comprarão um automóvel em vez de comprar um carro, pegarão um defluxo em vez de um resfriado, vão andar no passeio em vez de passear na calçada e percorrer um quarteirão em vez de uma quadra. Viajarão de trem de ferro acompanhados de sua esposa ou sua senhora em vez de sua mulher. A lista poderia ser enorme, mas vou ficando por aqui, pois entre escrever e publicar há tempo suficiente para que tudo que eu disser caia em desuso é dito e feito. Fernando Sabino, Folha de S.Paulo, 13/4/ )O autor do texto constata que já não se usa mais a primeira pessoa, tanto do singular como do plural: tudo é a gente. Sobre os usos dos pronomes pessoais, no português brasileiro, analise as afirmações a seguir. 1) A forma a gente, que tem prevalecido em relação a nós, é uma das marcas do uso informal da língua. 2) Uma construção como nós estudamos apresenta duas marcas de pessoa, uma das quais se encontra inserida na forma verbal. 3) Podemos afirmar que a forma vós, para designar a segunda pessoa do plural, foi, na língua corrente, substituída pela forma vocês. 4) Nos usos do Brasil, convivem duas formas de segunda pessoa do singular: tu e você. Estão corretas: a) 2, 3 e 4 apenas. b) 1, 2, 3 e 4. c) 1 e 4 apenas. d) 1 e 3 apenas. 05)Leia o fragmento a seguir do texto retirado da seção Esportes, de Zero Hora (8/7/05), sobre um jogador do internacional. Chiquinho: Estou voltando Para quem iria encarar dentro de alguns minutos uma delicada cirurgia de púbis prevista para durar hora e meia, Chiquinho revelava o semblante de um paciente tranquilo. [...] conversou com a assistente social do clube e mandou um recado para os torcedores Esperem só mais um pouquinho que eu tô voltando! [...] A partir do cotejo entre a construção Chiquinho: Estou voltando e a frase proferida pelo jogador Esperem só mais um pouquinho que eu tô voltando, é correto concluir que a) apesar de o jogador ter empregado um registro informal para manifestar-se, este foi preterido pelo jornal, cuja preocupação maior deixa de ser a correção linguística, para fixar-se no uso das aspas. b) o jornal marca um lugar de destaque na matéria para a variante de prestígio, uma vez que a frase colocada entre aspas não é aquela pronunciada pelo atleta, mas a transposição desta para o registro formal da língua. c) o enunciado transcrito entre aspas, embora não tenha sido aquele por meio do qual se manifestou o jogador, foi a escolha do jornal para imprimir maior originalidade à fala do atleta, o que de outra forma não ocorreria, se a variante não padrão tivesse sido conservada. d) ainda que o conteúdo da mensagem de Chiquinho tenha se mantido inalterado, o mesmo não pode ser afirmado com respeito à locução verbal da frase original, a qual privilegia a variante padrão em detrimento da não padrão.

4 06) São características do gênero lírico, exceto: a)geralmente subjetivo b) Predominância de pronome em primeira pessoa c) Sentimental d) Racional 07) Só não é característica do gênero épico: a) presença de um narrador, que quase sempre conta uma história envolvendo terceiros. b) intitula-se epopéia. c) atualmente, é representado por filmes de aventuras ou de guerras que definem a história de um povo. d) não há a presença de um herói. Leia o poema Canção excêntrica, de Cecília Meireles. Ando à procura de espaço para o desenho da vida. Em números me embaraço e perco sempre a medida. Se penso encontrar saída, em vez de abrir um compasso, projeto-me num abraço e gero uma despedida. Se volto sobre o meu passo, é já distância perdida. Meu coração, coisa de aço, começa a achar um cansaço esta procura de espaço para o desenho da vida. Já por exausta e descrida não me animo a um breve traço: saudosa do que não faço, do que faço, arrependida. MEIRELES, Cecília. Flor de poemas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2003, p ) Em relação ao poema transcrito, analise a veracidade (V) ou a falsidade (F) das proposições abaixo. ( ) Em sua busca de um espaço para o "desenho da vida", o eu-poético sente-se desmotivado. ( ) O título Canção excêntrica aponta para a incapacidade de o sujeito lírico centrar-se, encontrando a si mesmo. ( ) O sujeito poético expressa um sentimento de insatisfação em relação às coisas que faz e às que deixa de fazer. Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses, de cima para baixo. a) V F F b) V F V c) V V V d) F F V

5 INSTRUÇÃO: Para responder à questão seguinte, leia o fragmento de Machado de Assis, de 1866, e o poema de Mario Quintana, de 1940, e analise as afirmativas. TEXTO A A explicação da minha recusa e do desamor com que eu via a minha prima estava no meu gênio solitário e contemplativo. Até aos quinze anos fui tido por idiota; dos quinze aos vinte chamavam-me poeta; e, se as palavras eram diferentes, o sentido que a minha família lhes dava era o mesmo. Era pouco de ser estimado um moço que não comungava nos mesmos passatempos da casa e via correr as horas na leitura e nas digressões pelo mato. TEXTO B Eu nada entendo da questão social. Eu faço parte dela, simplesmente... E sei apenas do meu próprio mal, Que não é bem o mal de toda a gente, Nem é deste Planeta... Por sinal Que o mundo se lhe mostra indiferente! E o meu Anjo da Guarda, ele somente, É quem lê os meus versos afinal... E enquanto o mundo em torno se esbarronda. Vivo regendo estranhas contradanças No meu vago País de Trebizonda... Entre os Loucos, os Mortos e as Crianças. É lá que eu canto, numa eterna ronda, Nossos comuns desejos e esperanças!... I. O uso da primeira pessoa está de acordo com a temática dos textos, relacionada à afirmação da individualidade. II. Os dois autores expressam uma atitude crítica ante os interesses sociais que anulam os valores humanos. III. Em contextos sociais muito distantes no tempo, os autores expressam, em gêneros diferentes, seu posicionamento. 09) Pela análise das afirmativas, conclui-se que está/estão correta(s): a) I, II e III. b) apenas II. c) apenas III. d) apenas I e II. Em casa, brincava de missa, um tanto às escondidas, porque minha mãe dizia que missa não era cousa de brincadeira. Arranjávamos um altar, Capitu e eu. Ela servia de sacristão, e alterávamos o ritual, no sentido de dividirmos a hóstia entre nós; a hóstia era sempre um doce. No tempo em que brincávamos assim, era muito comum ouvir à minha vizinha: Hoje há missa? Eu já sabia o que isto queria dizer, respondia afirmativamente, e ia pedir hóstia por outro nome. Voltava com ela, arranjávamos o altar, engrolávamos o latim e precipitávamos as cerimônias. Dominus non sum dignus * Isto, que eu devia dizer três vezes, penso que só dizia uma, tal era a gulodice do padre e do sacristão. Não bebíamos vinho nem água; não tínhamos o primeiro, e a segunda viria tirar-nos o gosto do sacrifício. ASSIS, Machado de. Dom Casmurro, Obra completa.

6 *Trecho da fala do sacerdote, no momento da comunhão, que era proferida em latim, antes do Concílio Vaticano II. A fala inteira, que deve ser repetida três vezes, é: Dominus non sum dignus ut intres sub tectum meum, sed tantum dic verbum e sanabitur anima mea, cuja tradução é: Senhor, não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma só palavra e minha alma será salva. 10)-Sobre esse trecho de Dom Casmurro, pode-se dizer que: a)apresenta diálogos indiretos entre as personagens. b) revela a intromissão de vizinhos na vida das crianças. c) o ambiente da ação é uma igreja católica. d) quatro pessoas brincavam de missa: Capitu, o narrador, um sacristão e um padre. Roboticbuzzing There are things in nature we see but may find it difficult to explain exactly how they happen. For example: insects are pretty good at navigating, and seem to know how high they are flying. But how? Dr. Nicolas Franceschini, a roboticist at the French National Research Agency, believes that insects regulate altitude by watching the speed at which the ground below is moving, adjusting their height until groundspeed is optimum. Essentially, the higher the insect, the slower the ground will appear to sweep below it. To test this idea, Franceschini created a robotic insect with an electronic eye for navigation. Tethered to a tiny arm, which it can lift and drag in response to commands like nose-down or nose-up, it has behaved in the lab just like butterflies, which are known, for example, to fly down across the bottom of narrow canyons, rather than over them. "They don't need a speedometer or altimeter. They just need to use their eyes," says Franceschini. The researcher says the robot s abilities might prove useful in un-piloted spacecraft, airplanes or submarines.newsweek. March 5, p )The author of this text: a) describes how robotic insects behave. b) compares the way insects and spacecraftsfly. c) compares robots abilities to un-piloted spacecrafts, airplanes and submarines. d) describes a piece of research on insects ability to control altitude while flying. 12) Com seu experimento Dr. Franceschini queria: a) provar que insetos podem voar muito alto. b) provar que insetos têm um olho eletrônico para voar. c) provar que insetos em laboratório comportam-se todos como borboletas. d) compreender por que insetos parecem saber a que altitude estão voando. 13) Usando o contexto como referência, qual você diria ser o sentido de tetheredto (linha 7)? a) preso a b) testado em c) comparado a d) retirado de

7 14) Qual a melhor e mais correta tradução para a frase: The researcher says the robot s abilities might prove useful in un-piloted spacecraft, airplanes or submarines? a) A pesquisa afirma que robôs podem ser úteis em naves espaciais, aeroplanos ou submarinos não pilotados. b) A pesquisa diz que robôs hábeis provam a utilidade de naves espaciais, aeroplanos ou submarinos. c) A pesquisa diz que as habilidades dos robôs são úteis para pilotos de naves espaciais, aviões ou submarinos. d) O pesquisador diz que robôs têm utilidades provadas em naves espaciais, aviões ou submarinos não pilotados. 15) Qual a forma negativacorreta para a frase: Insects seem to know how high they are flying? a) Insects seem not to know how high they are flying. b) Insects not seem to know how high they are not flying. c) Insects do not seem to know how high they are flying. d) Insects did not seem to know how high they are flying. Texto I 16) Con piensa en esto ( línea 1) el narrador: a) sugiere que el lector debe pensar más antes de regalar un reloj a alguien; b) condena el lector porque no tiene el hábito de persar. c) invita al lector a participar con él en una reflexión; d) denuncia la mala calidad de los relojes modernos;

8 17) Con la expresión no lo saben lo terrible es que no lo saben ( líneas 6 y 7) el narrador: a) se excusa frente a los productores de relojes; b) asume su propia culpa cuanto al juzgamiento que hace; c) culpa a los hombres de haber producido relojes de baja calidad; d) exime de culpa a los que regalan relojes;. 18) El uso de lo en lo terrible (línea7) equivale al de: a) lo nuevo b) lo que pasó; c) lo regalan; d) déjalo 19) La expresión reveladora de que el reloj es un regalo por el aniversario de alguien es: a) lo terrible es que no lo saben (línea 7) b) esperamos que dure porque es una buena marca (líneas 3-4) c) que los cumplas muy felices (línea 3) d) hay que atar a tu cuerpo con su correa ( LÍNEA 9) 20) Le darle ( línea 11) sustituye a: a) a la muñeca; b) al reloj c) al vendedor d) a la hora 21) (UFF) Simplificando a expressão: [ ( {1,2,3} {4,5,6} ) {3,4} ] [ ( {1,2,3} {4,5,6} {3,4} ] obtém-se: a) {1,2,3,4,5,6} b) {3,4} c) {4,5,6} d) {1,3,4} 22) (UNEB) Quaisquer que sejam os conjuntos A e B, não vazios, pode-se afirmar que: a) (A B) C; C b) (A B) (A-B) c) A B = (A-B) (B-A) = A B d) A B = (A-B) (B-A) = A 23) (UNIRIO) Considerando os conjuntos A, B e C, a região hachurada no diagrama abaixo representa: A B a) A (C-B) b) A (C-B) c) A (B-C) d) A (B-C) C

9 24) (CESGRANRIO) A interseção entre os conjuntos R C, (N Z) Q e N (Z Q) é: a)n b) Z c) Q d) R 25) (EsPCEx) Dos conjuntos X, Y e Z sabe-se que: I - X Y Z = a,b II - X Y = a,b,c,e,f III - Y Z = a,b,e,g IV - X Z = a,b,c,f,g ] Então, o conjunto X é dado por: a) a,b,e,f b) a,c,f,g c) a,b,e,g d) a,b,c,f 26)Dois ângulos opostos pelo vértice medem, em graus, (3x+ 10 ) e (x + 50 ). Um deles mede, em graus: a) 20 b) 30 c) 70 d) 80 27)O triplo da medida do complemento de um ângulo, aumentado de 40º é igual à medida do seu suplemento. Qual a medida do ângulo? a) 24 b) 31 c) 48 d) 65 28)Duas retas cortadas por uma transversal, formam ângulos alternos externos expressos, em graus, por 3x + 18 e 5x O valor de x de modo que estas retas sejam paralelas é a) 4 b) 5 c) 10 d) 12

10 29)(UNIUBE MG) Na figura abaixo, as retas r e s são paralelas, cortadas por uma transversal t. Se a medida do ângulo α é o triplo da media do ângulo β, então a diferença α β vale: a) 80º b) 90º c) 100º d) 110º 30)Na figura abaixo estão representadas as retas r, s e t. Sabendo-se que as retas r e s são paralelas, o valor de y é: a) 76 b) 84 c) 90 d) ) Em um período repleto de agitações, os intelectuais brasileiros enxergaram a necessidade de romper com os valores estéticos dominantes, representados principalmente pelos poetas parnasianos, dando origem a um estilo novo e transformador. No Brasil, esse descontentamento que originou a Semana de Arte Moderna foi bastante explorado na literatura. Qual dos escritores abaixo não fazia parte do movimento modernista? a) Oswald de Andrade b) Euclides da Cunha c) Manuel Bandeira d) Guilherme de Almeida 32) Em 1917, a Pintora Anita Malfatti, recém-chegada do exterior, realizou a primeira exposição modernista. Com influência do Cubismo, Expressionismo e Futurismo, suas obras escandalizaram a sociedade, chamando a atenção de um importante escritor. Em sua coluna no jornal O Estado de São Paulo, ele publicou o famoso artigo Paranoia ou mistificação?, que serviu como incentivo para a criação da Semana de Arte Moderna, 5 anos depois. Quem foi o autor do artigo? a) Menotti del Picchia b) Nelson Rodrigues c) Antônio Cândido d) Monteiro Lobato 33) Entre as propostas dos participantes da Semana de Arte Moderna, podem ser citadas: a) A adesão ao Futurismo, movimento vanguardista nascido nos Estados Unidos. b) A renovação na linguagem das artes brasileiras, incluindo literatura, escultura, música, pintura, e uma maior conexão com a identidade e a realidade nacionais. c) Uma reforma ortográfica que privilegiasse a oralidade da língua portuguesa. d) A renovação estética, sobretudo das artes plásticas brasileiras, incluindo pintura, escultura, arquitetura e cinema.

11 34) Porta-voz dos modernistas, a revista começou a ser publicada ainda em Qual era ela? a) Piauí b) O Cruzeiro c) Klaxon d) Estética 35) Nas artes plásticas, Tarsila do Amaral é considerada por muitos a principal pintora modernista brasileira. Desse período, quais são duas de suas obras mais famosas? a) O Homem Amarelo e Abaporu b) Abaporu e Antropofagia c) Juca Mulato e Antropofagia d) Antropofagia e A Índia 36) (Unicamp 2014) A figura abaixo exibe, em porcentagem, a previsão da oferta de energia no Brasil em 2030, segundo o Plano Nacional de Energia. Segundo o plano, em 2030, a oferta total de energia do país irá atingir 557 milhões de tep (toneladas equivalentes de petróleo). Nesse caso, podemos prever que a parcela oriunda de fontes renováveis, indicada em cinza na figura, equivalerá a a) 178,240 milhões de tep. b) 297,995 milhões de tep. c) 353,138 milhões de tep. d) 259,562 milhões de tep. 37) (Uerj 2015) Na imagem da etiqueta, informa-se o valor a ser pago por 0,256 kg de peito de peru. O valor, em reais, de um quilograma desse produto é igual a: a) 25,60 b) 32,76 c) 40,00 d) 50,00

12 38)(G1 - cftmg 2014) O gráfico representa a função real definida por f(x) = a x + b. O valor de a + b é igual a a) 0,5. b) 1,0. c) 1,5. d) 2,0. 39)Uma pessoa, pesando atualmente 70kg, deseja voltar ao peso normal de 56kg. Suponha que uma dieta alimentar resulte em um emagrecimento de exatamente 200g por semana. Fazendo essa dieta, a pessoa alcançará seu objetivo ao fim de a)67semanas b)68semanas c)69semanas d)70semanas 40)O valor de um carro novo é de R$9.000,00 e, com 4 anos de uso, é de R$4.000,00. Supondo que o preço caia com o tempo, segundo uma linha reta, o valor de um carro com 1 ano de uso é: a)r$8.250,00 b)r$8.000,00 c)r$7.750,00 d)r$7.500,00 41) (G1 - ifce 2014) Considere as seguintes afirmativas. I. Os meios transparentes são meios em que a luz os percorre em trajetórias bem definidas, ou seja, a luz passa por esses meios regularmente. II. Nos meios translúcidos, a luz não se propaga. Esses meios absorvem e refletem essa luz, e a luz absorvida é transformada em outras formas de energia. III. Nos meios opacos, a luz não passa por eles com tanta facilidade como nos meios transparentes: sua trajetória não é regular. É(são) verdadeira(s): a) apenas I. b) apenas II. c) apenas III. d) I e III.

13 42) (Ufrgs 2014) Uma câmera fotográfica caseira pode ser construída a partir de uma caixa escura, com um minúsculo orifício (O, na figura) em um dos lados, e uma folha de papel fotográfico no lado interno oposto ao orifício. A imagem de um objeto é formada, segundo o diagrama abaixo. O fenômeno ilustrado ocorre porque a) a luz apresenta ângulos de incidência e de reflexão iguais. b) a direção da luz é variada quando passa através de uma pequena abertura. c) a luz produz uma imagem virtual. d) a luz viaja em linha reta.. 43)(Uemg 2014) Em uma aula sobre Gravitação, o professor de Física resolveu escrever um poema e mostrá-lo a seus alunos: O Sol e a Lua num balé em torno da Terra. Ora a Lua está entre o Sol e a Terra. Ora a Terra está entre o Sol e a Lua. Os dois últimos versos desse poema referem-se, respectivamente, a) à lua crescente e à lua minguante. b) à lua cheia e à lua nova. c) à lua nova e à lua cheia. d) a uma situação irreal. 44)(G1 - ifce 2012) Uma bandeira do Brasil, que se encontra em uma sala escura, é iluminada com luz monocromática de cor azul. As cores apresentadas pelo retângulo, pelo losango, pelas letras da faixa central e pelo circulo são, respectivamente, a) verde, amarela, branca e azul. b) preta, preta, azul e azul. c) preta, preta, preta e azul. d) azul, preta, verde e azul. 45) (Pucrj 2013) A uma certa hora da manhã, a inclinação dos raios solares é tal que um muro de 4,0 m de altura projeta, no chão horizontal, uma sombra de comprimento 6,0 m. Uma senhora de 1,6 m de altura, caminhando na direção do muro, é totalmente coberta pela sombra quando se encontra a quantos metros do muro? a) 2,0 b) 2,4 c) 1,5 d) 3,6

14 46)(UFMG) Uma amostra de uma substância X teve algumas de suas propriedades determinadas. Todas as alternativas apresentam propriedades que são úteis para identificar essa substância, exceto: a)densidade b)massa da amostra c)solubilidade em água d)temperatura de fusão e)temperatura de ebulição 47) (Ufac) Com relação às substâncias O 2, H 2, H 2 O, Pb, CO 2, O 3, CaO e S 8, podemos afirmar que: a) todas são substâncias simples. b) somente O 2, H 2 e O 3 são substâncias simples. c) todas são substâncias compostas. d) as substâncias O 2, H 2, Pb, O 3 e S 8 são simples. 48)(Osec-SP) Em qual das sequências abaixo estão representados um elemento, uma substância simples e uma substância composta, respectivamente: a) H 2, Cl 2, O 2 b) H 2, Ne, H 2 O c) H 2, HI, He d) Cl, N 2, HI 49) Seja o esquema: Entre as alternativas abaixo, indique a correta sobre o esquema: a) Temos cinco componentes. b) É formado por duas substâncias simples. c) Foram usados apenas três elementos. d) Temos cinco substâncias simples e duas substâncias compostas. 50) (PUCC) - Colocando em tubo de ensaio pequena quantidade de petróleo e água do mar filtrada, temos: a) sistema heterogêneo, sendo cada fase uma mistura; b) sistema homogêneo; c) sistema heterogêneo, sendo uma fase substância pura e outra mistura; d) sistema heterogêneo, sendo cada fase uma substância pura. 51) A pedra imã natural é a magnetita (Fe 3 O 4 ). O metal ferro pode ser representado por 26 Fe 56 e seu átomo apresenta a seguinte distribuição eletrônica por níveis: a) 2, 8, 16. b) 2, 8, 8, 8. c) 2, 8, 10, 6. d) 2, 8, 14, 2.

15 52) O titânio (Z = 22) é muito utilizado atualmente, quando se deseja um material de difícil oxidação. Sobre esse elemento, são feitas as seguintes proposições: I) Possui 12 elétrons na camada M. II) Apresenta 4 camadas eletrônicas. III) Apresenta 8 elétrons no subnível s. IV) O seu subnível mais energético é o subnível 4s. São corretas: a) II, III e IV. b) II e IV. c) III e IV. d) II e III. 53) Alguns elementos apresentam, no seu estado fundamental e no seu nível mais energético, a distribuição eletrônica np x. Dentre os elementos abaixo, o que apresenta o maior valor de x é: a) 14 Si. b) 34 Se. c) 15 P. d) 35 Br. 54) O elemento cujo átomo tem o maior número de elétrons em sua camada mais externa é aquele cujo número atômico é igual a: a) 2. b) 4. c) 7. d) ) A soma do número de elétrons do subnível mais energético das espécies químicas N 3, O 2 e Al 3+ é igual a: Dados: 7 N 14 ; 8 O 16 ; 13 Al 27. a) 18. c) 14. b) 8. d) 24 56)Com relação às células, todas as afirmativas abaixo estão corretas, exceto: a)- são as unidades que formam o corpo de todos os seres vivos; b)- podem apresentar tamanhos, formas e funções bem diferentes; c)- as células animais, ao contrário das vegetais, possuem parede celular; d)- todas as células do ser humano são eucarióticas; 57)Sem sombra de dúvidas, um dos equipamentos mais utilizados em pesquisa científica são os microscópios. À respeito desse aparelho, considere as proposições abaixo. I. É um instrumento usado para ampliar e regular imagens. II. Dependendo do tipo de amostra, essa pode ser vista com ou sem corantes; III. As lentes objetivas e oculares atuam em conjunto para promover o aumento final da imagem. IV. Pode-se afirmar que: a) as proposição I, II e III estão corretas. b) somente a proposição III está correta. c) somente as proposições I e II estão corretas. d) somente as proposições II e III estão corretas.

16 58)Marque a alternativa que contém a sequência lógica de organização dos seres vivos: a)- célula tecido sistema - órgão organismo; b)- célula órgão tecido sistema - organismo; c)- célula sistema órgão tecido - organismo; d)- célula tecido órgão sistema organismo. 59)Um estudante de Biologia, ao observar um microorganismo ao microscópio eletrônico, visualizou uma célula com material genético disperso no citoplasma e ausência de estruturas intracelulares, como, mitocôndria, retículo endoplasmático e complexo de Golgi. Baseado no texto e em seus conhecimentos sobre células procarióticas e eucarióticas, é correto afirmar que se tratava de: a)- fungo b)- alga d)- bactéria c)- protozoário 60)Abaixo uma imagem de células de bochecha semelhantes as células do Davi que observamos na última aula. No interior de cada célula é possível observar um ponto mais escuro. A qual estrutura celular tal ponto refere-se? a)- complexo de Golgi; b)- cloroplasto; c)- ribossomo; d)- núcleo; 61)Na fabricação de iogurtes e coalhadas, utilizam-se "iscas", isto é, colônias de microrganismos que realizam a fermentação do leite. Em relação a esse processo, é correto afirmar que a) consiste em respiração aeróbica. b) é realizado por vírus anaeróbicos láticos. c) resulta da liberação de ácido lático e energia. d) resulta na formação de ácido acético e CO2. 62)Uma diminuição de CO2 na atmosfera, contribuindo para amenizar o efeito estufa, pode ocorrer através do aumento da a) respiração. b) fotossíntese. c) transpiração. d) fermentação. 63)Relacione a coluna I com a coluna II: Coluna I 1. fermentação alcoólica 2. fermentação lática 3. fermentação acética

17 Coluna II ( ) fabricação de pão ( ) produção de vinagre ( ) fabricação de queijos A seqüência correta, de cima para baixo, na coluna II é: a) 1, 2, 3 b) 1, 3, 2 c) 2, 1, 3 d) 2, 3, 1 64)Os seres vivos podem obter energia por meio da respiração aeróbica ou anaeróbica. Sobre esses processos é CORRETO afirmar que: a) na respiração aeróbica não é necessária a presença de oxigênio; b) a respiração aeróbica possui um rendimento energético muito menor que a respiração anaeróbica; c) a fermentação alcoólica é uma modalidade da respiração anaeróbica; d) apenas seres pluricelulares promovem a respiração anaeróbica; 65)Durante a Preparação do pão, para que a massa cresça, adiciona-se um pouco de fermento ( Saccharomyces sp.). O crescimento da massa está relacionado com a: a) embebição da farinha pela água eliminada pelo fungo. b) dilatação da massa em virtude da alta temperatura do forno. c) formação de vapor d água no interior da massa. d) formação de gás carbônico resultante da fermentação. 66) Com a crise econômica aprofundada em 2008, uma classe de países da Zona do Euro passou a ser chamada de PIIGS. Nesses países: a) a arrecadação caiu, apesar de o emprego ter aumentado, afetando a manutenção das políticas de bem estar desenvolvidas há décadas. b) a pobreza estrutural é muito grande, já que são periferias comunitárias localizadas no leste do continente. c) as taxas de desemprego são as mais expressivas do continente, apesar de a suscetibilidade das economias nacionais ter diminuído. d) os gastos públicos são excessivos e o endividamento descontrolado, ao ponto de suas dívidas serem iguais ou superiores a 50% dos seus PIB.

18 67) A imagem abaixo mostra um local por onde passa o Trópico de Capricórnio. Sobre o Trópico de Capricórnio podemos afirmar que: a) É a linha imaginária ao sul do Equador, onde os raios solares incidem sobre a superfície de forma perpendicular, o que ocorre em um único dia no ano. b) Os raios solares incidem perpendicularmente nesta linha imaginária durante o solstício de inverno, o que ocorre duas vezes por ano. c) Durante o equinócio, os raios solares atingem de forma perpendicular a superfície no Trópico de Capricórnio, marcando o início do verão. d) No início do verão (21 ou 22 de dezembro), as noites têm a mesma duração que os dias no Trópico de Capricórnio. 68) Uma lua espetacular durante boa parte do dia. Não havia mais dia e eu não havia percebido. O céu avermelhado e cristalino por algumas horas e uma longa noite em seguida. Pôr e nascer do sol reunidos num único e breve esforço de luz, próximos ao meio dia verdadeiro. (...) Manhã e entardecer eram agora próximos Amir Klink, Parati: entre dois pólos. São Paulo, Companhia das Letras, 1998, p O fenômeno descrito indica que o barco de Amir Klink se encontrava em uma região a) localizada na Zona Tropical sob influência do Sol da Meia-Noite. b) de baixa latitude e exposta a clima frio e noites maiores que os dias. c) sob o domínio do Solstício de verão e sujeita a pequenas variações entre o dia e a noite. d) de latitude elevada, com grande variação da iluminação solar ao longo do ano.

19 69) Observe as figuras a seguir. [Adaptado] Disponível em: <http://www.novaterraesoterico.blogspot.com>. Ilustração esquemática, sem escala. Acesso em: 18 set Os ângulos de incidência dos raios solares sobre a superfície da Terra, demonstrados nas figuras, apresentam duas situações distintas, que caracterizam os solstícios e os equinócios. Em ambas as figuras, o ponto A representa uma cidade sobre a linha do equador, ao meio-dia. A Figura 2 mostra a incidência do sol três meses após a situação ilustrada na Figura 1. A Figura 1 representa o a) equinócio de primavera no hemisfério sul, quando a incidência dos raios solares é oblíqua à superfície da Terra em A. b) equinócio de primavera no hemisfério sul, quando a incidência dos raios solares é perpendicular à superfície da Terra em A. c) equinócio de outono no hemisfério sul, quando a incidência dos raios solares é perpendicular à superfície da Terra em A. d) solstício de verão no hemisfério norte, quando a incidência dos raios solares é oblíqua à superfície da Terra em A. 70) Se uma imagem vale mais do que mil palavras, um mapa pode valer um milhão mas cuidado. Todos os mapas distorcem a realidade. (...) Todos os cartógrafos procuram retratar o complexo mundo tridimensional em uma folha de papel ou em uma televisão ou tela de vídeo. Em resumo, o autor avisa, todos os mapas precisam contar mentirinhas.

20 Observe o planisfério acima, considerando as ressalvas presentes no texto. Para deslocar-se sequencialmente, sem interrupções, pelos pontos A, B, C e D, percorrendo a menor distância física possível em rotas por via aérea, as direções aproximadas a serem seguidas seriam: a) Leste Norte Oeste b) Oeste Norte Leste c) Leste Noroeste Leste d) Oeste Noroeste Oeste 71) (Uepa) Os escribas do Egito antigo ocupavam uma posição subalterna na hierarquia administrativa governamental frente à aristocracia burocrática. Sua posição social era inferior em relação aos conselheiros do Faraó, aos chefes da administração, à nobreza territorial, à elite militar e aos sacerdotes. Mas as características de seu ofício os afastavam de trabalhos forçados e das arbitrariedades das elites, que subjugavam e exploravam camponeses livres e escravos de origem estrangeira. Tal condição privilegiada se explicava: a) pelas possibilidades de ascensão social dos escribas que, em função do sucesso de suas carreiras, poderiam ocupar posições no alto escalão da administração pública. b) por serem provenientes do meio social dos felás, camponeses livres, que investiam na formação educacional de seus filhos mais inclinados ao serviço público. c) pelo domínio dos escribas dos segredos da escrita demótica e dos hieróglifos, do cálculo e, por conseguinte, da organização das atividades da administração pública. d) pelo domínio exclusivo dos escribas do idioma escrito, da matemática, da agrimensura e dos processos administrativos em geral. 72) (Ufg) Leia o fragmento a seguir. Tinha o desejo de saber por que o Nilo começa a encher no solstício de Verão. De acordo com a primeira explicação, são os ventos estivais que, desviando com seu sopro as águas do Nilo, impede-as de ir para o mar, ocasionando a cheia. A segunda versão é ainda mais absurda, embora encerre qualquer coisa de maravilhoso. Dizem que o oceano envolve toda a terra, e que o Nilo está sujeito a inundações porque vem do oceano. A terceira explicação é mais falsa. Com efeito, pretender que o Nilo provém de fontes de neve equivale a não dizer nada. Como poderia ser formado por fontes de neve se vem de um clima muito quente para um país igualmente tórrido? HERÓDOTO. História. Rio de Janeiro: Jackson Inc., p (Adaptado). No fragmento apresentado, escrito por volta de 440 a.c., Heródoto expõe diferentes visões para explicar os motivos das cheias do rio Nilo, no Egito. A forma de exposição de Heródoto expressa uma característica da pólis grega, associada a) ao apego a modelos explicativos baseados no empirismo. b) à crença na interferência de elementos míticos sobre os eventos naturais. c) à especulação filosófica como forma de transformar a realidade. d)ao exercício do diálogo constituído por distintas opiniões sobre os acontecimentos.

21 73) (Ufsm) Observe as imagens: Nas gravuras, veem-se uma pintura egípcia (2100 a.c.) e um baixo-relevo mesopotâmico (645 a.c.). A partir desses dois modos de representar a vida cotidiana na Antiguidade Oriental, é possível afirmar: I. Uma característica comum às civilizações do Egito e da Mesopotâmia, na Antiguidade, era o predomínio do comércio sobre as atividades agropastoris. II. As duas civilizações tinham como atividade primordial a agricultura de irrigação e utilizavam os animais como principal meio de transporte. III. Na produção artística de cada povo, o historiador encontra não apenas o registro do mundo do sagrado, do poder e da vida material, mas também a indicação de valores e costumes existentes nas sociedades. IV. A arte dos povos antigos não tinha função política nem religiosa e era, antes de mais nada, a expressão da sensibilidade do artista e a fruição prazerosa do espectador. Está(ão) correta(s) a) apenas I e II. b) apenas II e III. c) apenas I, II e III. d) apenas III e IV.

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de A U A U L L A A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de rotação. É esse movimento que dá origem à sucessão dos dias

Leia mais

1-Em janeiro de 2011, os jornais noticiaram que os protestos contra o governo do Egito poderiam ter um efeito colateral muito sério: a destruição ou

1-Em janeiro de 2011, os jornais noticiaram que os protestos contra o governo do Egito poderiam ter um efeito colateral muito sério: a destruição ou 1-Em janeiro de 2011, os jornais noticiaram que os protestos contra o governo do Egito poderiam ter um efeito colateral muito sério: a destruição ou dano de várias relíquias, obras e sítios arqueológicos

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO ACADÊMICO PROF. FELIPE KELLER TURMAS: 1C01 a 1C10 Lista para a prova da 1UL

LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO ACADÊMICO PROF. FELIPE KELLER TURMAS: 1C01 a 1C10 Lista para a prova da 1UL LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO ACADÊMICO PROF. FELIPE KELLER TURMAS: 1C01 a 1C10 Lista para a prova da 1UL 1 (Unirio) Durante a final da Copa do Mundo, um cinegrafista, desejando alguns efeitos especiais,

Leia mais

XI OLIMPÍADA REGIONAL DE CIÊNCIAS-2009 O Sistema Solar

XI OLIMPÍADA REGIONAL DE CIÊNCIAS-2009 O Sistema Solar XI OLIMPÍADA REGIONAL DE CIÊNCIAS-2009 O Sistema Solar Gabarito Primeira Fase Cruzadinha 3 6 1 V Ê N U S E 2 L U A 8 1 S N M 3 E S P E C T R O S C O P I A Q 2 R R U T E 4 É I 4 E C L Í P T I C A 7 N R

Leia mais

FÍSICA ÓPTICA GEOMÉTRICA FÍSICA 1

FÍSICA ÓPTICA GEOMÉTRICA FÍSICA 1 2014_Física_2 ano FÍSICA Prof. Bruno ÓPTICA GEOMÉTRICA FÍSICA 1 1. (Uftm 2012) Uma câmara escura de orifício reproduz uma imagem de 10 cm de altura de uma árvore observada. Se reduzirmos em 15 m a distância

Leia mais

Atira mais em cima! O pessoal está reunido na casa de Gaspar e

Atira mais em cima! O pessoal está reunido na casa de Gaspar e A U A UL LA Atira mais em cima! O pessoal está reunido na casa de Gaspar e Alberta. O almoço acabou e todos conversam em torno da mesa. - Eu soube que você está interessado em ótica - diz Gaspar a Ernesto.

Leia mais

As famílias no Antigo Egipto; As famílias no Império romano.

As famílias no Antigo Egipto; As famílias no Império romano. Trabalho realizado por: Luís Bernardo nº 100 8ºC Gonçalo Baptista nº 275 8ºC Luís Guilherme nº 358 8ºC Miguel Joaquim nº 436 8ºC Índice; Introdução; As famílias no Antigo Egipto; As famílias no Império

Leia mais

Aula 1. Atividades. V. A cartografia é a arte que tem o interesse de explicar a origem do planeta Terra. Estão corretas: e) II, IV e V.

Aula 1. Atividades. V. A cartografia é a arte que tem o interesse de explicar a origem do planeta Terra. Estão corretas: e) II, IV e V. Aula 1 1. Atividades A palavra cartografia é relativamente nova, sendo utilizada pela primeira vez em 8 de dezembro de 1839. Seu uso aconteceu na carta escrita em Paris, enviada pelo português Visconde

Leia mais

ENGENHARIA ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO VESTIBULAR 1º/2010 TURMA A EXAME 1. PORTUGUÊS Redação Gramática Literatura MATEMÁTICA INGLÊS

ENGENHARIA ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO VESTIBULAR 1º/2010 TURMA A EXAME 1. PORTUGUÊS Redação Gramática Literatura MATEMÁTICA INGLÊS ENGENHARIA ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO VESTIBULAR 1º/2010 TURMA A EXAME 1 PORTUGUÊS Redação Gramática Literatura MATEMÁTICA INGLÊS Campus SBC - Av.Humberto de Alencar Castelo Branco, 3972-09850-901

Leia mais

História da Arte. Exercícios de Sala de Aula

História da Arte. Exercícios de Sala de Aula História da Arte Exercícios de Sala de Aula A arte é um conjunto de procedimentos que são utilizados para realizar obras, e no qual aplicamos nossos conhecimentos. Apresenta-se sob variadas formas como:

Leia mais

Escola: ( ) Atividade ( ) Avaliação Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota:

Escola: ( ) Atividade ( ) Avaliação Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota: Escola: ( ) Atividade ( ) Avaliação Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota: Questão 1 (OBMEP RJ) O preço de uma corrida de táxi é R$ 2,50 fixos ( bandeirada ), mais R$ 0,10 por 100 metros rodados.

Leia mais

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos.

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos. Óptica Os fenômenos ópticos que observamos através do nosso aparelho de visão (Olho Humano) são todos devidos às propriedades da luz. Para estudarmos a óptica, ou seja, os efeitos sofridos pela luz, utilizaremos

Leia mais

VAMOS CONSTRUIR UMA CIDADE

VAMOS CONSTRUIR UMA CIDADE VAMOS CONSTRUIR UMA CIDADE Versão adaptada de Eugénio Sena para Wir Bauen Eine Stadt de Paul Hindemith 1. MARCHA (Entrada) Uma cidade nossa amiga Não queremos a cidade antiga. Nós vamos pensar tudo de

Leia mais

Espelhos Planos. Parte I. www.soexatas.com Página 1. = 3 m e entre os espelhos fixo e giratório é D = 2,0 m.

Espelhos Planos. Parte I. www.soexatas.com Página 1. = 3 m e entre os espelhos fixo e giratório é D = 2,0 m. Parte I Espelhos Planos 1. (Unesp 2014) Uma pessoa está parada numa calçada plana e horizontal diante de um espelho plano vertical E pendurado na fachada de uma loja. A figura representa a visão de cima

Leia mais

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.:

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.: PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= TEMPO ATMOSFÉRICO

Leia mais

Física José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com)

Física José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) 05. (UFPE 97/Fís. 3) Considere um raio de luz contido em um plano perpendicular aos dois espelhos planos, conforme a figura abaixo. O raio refletido formará o ângulo γ com o feixe incidente, cujo valor

Leia mais

Observe o mapa múndi e responda.

Observe o mapa múndi e responda. EXERCÍCIOS DE REVISÃO COM RESPOSTAS PARA O EXAME FINAL GEOGRAFIA 5ª SÉRIE 1) Escreva V para verdadeiro e F para falso: ( V ) No globo terrestre, no planisfério e em outros mapas são traçadas linhas que

Leia mais

Oficina de CNII/EF Material do Aluno. Tema: Sistema Solar. Prezado Aluno,

Oficina de CNII/EF Material do Aluno. Tema: Sistema Solar. Prezado Aluno, Tema: Sistema Solar Prezado Aluno, Nesta oficina, você desenvolverá atividades que abordam a constituição do Sistema Solar, os movimentos dos astros, os fenômenos celestes e sua relação com o planeta Terra.

Leia mais

PROVA DE FÍSICA 1 o TRIMESTRE DE 2014

PROVA DE FÍSICA 1 o TRIMESTRE DE 2014 PROVA DE FÍSICA 1 o TRIMESTRE DE 2014 PROF. VIRGÍLIO NOME N o 1 a SÉRIE A compreensão do enunciado faz parte da questão. Não faça perguntas ao examinador. A prova deve ser feita com caneta azul ou preta.

Leia mais

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma.

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. PERTO DE TI Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Jesus! Perto de ti, sou mais e mais. Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o

Leia mais

Pessoais Do caso reto Oblíquo. Possessivos. Demonstrativos. Relativos. Indefinidos. Interrogativos

Pessoais Do caso reto Oblíquo. Possessivos. Demonstrativos. Relativos. Indefinidos. Interrogativos Pessoais Do caso reto Oblíquo Possessivos Demonstrativos Relativos Indefinidos Interrogativos Os pronomes is indicam diretamente as s do discurso. Quem fala ou escreve, assume os pronomes eu ou nós, emprega

Leia mais

Exercícios de Óptica Conceitos básicos

Exercícios de Óptica Conceitos básicos COLÉGIO TIRADENTES DA POLÍCIA MILITAR BARBACENA MG POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS Exercícios de Recuperação de Física 1ª prova DATA: SOESP: Profª. Eliane Ensino Médio Série 2º Turmas 201-202-203 1ª etapa

Leia mais

introdução à Óptica Geométrica

introdução à Óptica Geométrica PARTE II Unidade E capítulo 10 introdução à Óptica Geométrica seções: 101 Conceitos fundamentais 102 Princípios da Óptica Geométrica antes de estudar o capítulo Veja nesta tabela os temas principais do

Leia mais

O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO

O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA PARA O HISTORIADOR GREGO HERÓDOTO: O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO DÁDIVA = PRESENTE SIGNIFICADO = Sem as cheias do Nilo, o Egito seria um grande deserto PARA O HISTORIADOR FRANCÊS JEAN

Leia mais

Óptica Básica. www.nsaulasparticulares.com.br Página 1 de 14

Óptica Básica. www.nsaulasparticulares.com.br Página 1 de 14 Óptica Básica 1. (Pucrj 2013) A uma certa hora da manhã, a inclinação dos raios solares é tal que um muro de 4,0 m de altura projeta, no chão horizontal, uma sombra de comprimento 6,0 m. Uma senhora de

Leia mais

Nome: Turma: Unidade: 1º SIMULADO - 9º ANO LÓGICA, CONTEÚDO. 45 Questões Dia: 07 de Maio - quinta-feira EDUCANDO PARA SEMPRE

Nome: Turma: Unidade: 1º SIMULADO - 9º ANO LÓGICA, CONTEÚDO. 45 Questões Dia: 07 de Maio - quinta-feira EDUCANDO PARA SEMPRE Nome: 015 Turma: Unidade: 1º SIMULADO - 9º ANO LÓGICA, CONTEÚDO. 45 Questões Dia: 07 de Maio - quinta-feira EDUCANDO PARA SEMPRE Nome: Turma: Unidade: 3 5 1. A expressão 10 a) 5. 11 b) 5. c) 5 d) 30 5

Leia mais

Curso Wellington - Física Óptica Espelhos Planos Prof Hilton Franco

Curso Wellington - Física Óptica Espelhos Planos Prof Hilton Franco 1. Considere um objeto luminoso pontual, fixo no ponto P, inicialmente alinhado com o centro de um espelho plano E. O espelho gira, da posição E 1 para a posição E 2, em torno da aresta cujo eixo passa

Leia mais

A soma será feita da seguinte forma:

A soma será feita da seguinte forma: TESTE VOCACIONAL Teste sua vocação Testes vocacionais não fazem milagres, não têm poder de apontar uma única profissão a ser seguida, mas são um bom norte acerca de aptidões e interesses. O questionário

Leia mais

Extensivo noite - Aulas 01 e 02

Extensivo noite - Aulas 01 e 02 1. (Unesp 2011) A figura 1 mostra um quadro de Georges Seurat, grande expressão do pontilhismo. De forma grosseira podemos dizer que a pintura consiste de uma enorme quantidade de pontos de cores puras,

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Álbum: O caminho é o Céu

Álbum: O caminho é o Céu Álbum: O caminho é o Céu ETERNA ADORAÇÃO Não há outro Deus que seja digno como tu. Não há, nem haverá outro Deus como tu. Pra te adorar, te exaltar foi que eu nasci, Senhor! Pra te adorar, te exaltar foi

Leia mais

EXERCÍCIOS DE MONITORIA 2º PERÍODO JULHO GEOGRAFIA - ENEM

EXERCÍCIOS DE MONITORIA 2º PERÍODO JULHO GEOGRAFIA - ENEM 1ª série Ens. Médio EXERCÍCIOS DE MONITORIA 2º PERÍODO JULHO GEOGRAFIA - ENEM 1. Fenômeno astronômico marca início do inverno no hemisfério sul A figura abaixo ajuda a compreender o fenômeno. Para dar

Leia mais

Lista de refração e reflexão Ondulatória - Prof. Flávio

Lista de refração e reflexão Ondulatória - Prof. Flávio 1. (Ufu 2006) João corre assoviando em direção a uma parede feita de tijolos, conforme figura a seguir. A frequência do assovio de João é igual a f(inicial). A frequência da onda refletida na parede chamaremos

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto

Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto 3 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO

Leia mais

SESSÃO 5: DECLINAÇÃO SOLAR AO LONGO DO ANO

SESSÃO 5: DECLINAÇÃO SOLAR AO LONGO DO ANO SESSÃO 5: DECLINAÇÃO SOLAR AO LONGO DO ANO Respostas breves: 1.1) 9,063 N 1.2) norte, pois é positiva. 1.3) São José (Costa Rica). 2) Não, porque Santa Maria não está localizada sobre ou entre os dois

Leia mais

2010 PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO

2010 PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO 2010 PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO NOME: Jaguarari, outubro de 2010. CADERNO DO 6º E 7º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 2010 Numa carta de Papai Noel destinada às crianças, ele comunica que não será

Leia mais

MÓDULO 9. A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais:

MÓDULO 9. A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais: A COR DE UM CORPO MÓDULO 9 A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais: luz branca vermelho alaranjado amarelo verde azul anil violeta A cor que um corpo iluminado

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Prova 1) 6º Ano / Ensino Fundamental

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Prova 1) 6º Ano / Ensino Fundamental Leia atentamente o texto 1 e responda às questões de 01 a 12 e 18, assinalando a única alternativa correta. Texto 1 O pote vazio 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24

Leia mais

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 33 A FORMAÇÃO DAS SOCIEDADES ORIENTAIS

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 33 A FORMAÇÃO DAS SOCIEDADES ORIENTAIS HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 33 A FORMAÇÃO DAS SOCIEDADES ORIENTAIS Fixação F 1) Leia os itens abaixo, que contém possíveis condições para o surgimento do Estado nas 2 sociedades da Antigui-dade. I)

Leia mais

TÍTULO: Plano de Aula OS DIAS, AS NOITES E AS ESTAÇÕES DO ANO. Ensino Fundamental/Anos Iniciais. 2º Ano. Ciências. Vida e meio ambiente

TÍTULO: Plano de Aula OS DIAS, AS NOITES E AS ESTAÇÕES DO ANO. Ensino Fundamental/Anos Iniciais. 2º Ano. Ciências. Vida e meio ambiente Org.: Claudio André - 1 Autora: Maria Silva TÍTULO: OS DIAS, AS NOITES E AS ESTAÇÕES DO ANO Nível de Ensino: Ano/Semestre de Estudo Ensino Fundamental/Anos Iniciais 2º Ano Componente Curricular: Ciências

Leia mais

CONTEÚDO PREVISTO/2015 6º ANO

CONTEÚDO PREVISTO/2015 6º ANO CONTEÚDO PREVISTO/2015 6º ANO DISCIPLINA 1º BIMESTRE 2º BIMESTRE 3º BIMESTRE 4º BIMESTRE GRAMÁTICA Cap. 1 Uso do dicionário. Alfabeto Cap. 2 Fonema e letra. Encontros vocálicos Cap. 3 Estudo da sílaba

Leia mais

FÍSICA. Para as três questões abaixo de números 3, 4 e 5 use o enunciado acima. 3) Ache o tempo de ultrapassagem do trem sobre o carro:

FÍSICA. Para as três questões abaixo de números 3, 4 e 5 use o enunciado acima. 3) Ache o tempo de ultrapassagem do trem sobre o carro: FÍSICA 1) Dois alunos dos cursos de Engenharia do UniFOA estão motivados com as disciplinas iniciais do curso que escolheram. Ambos estão discutindo as leis da natureza encontradas na disciplina de Física

Leia mais

Geografia - Clima e formações vegetais

Geografia - Clima e formações vegetais Geografia - Clima e formações vegetais O MEIO NATURAL Clima e formações vegetais 1. Estado do tempo e clima O que é a atmosfera? A atmosfera é a camada gasosa que envolve a Terra e permite a manutenção

Leia mais

Ele deu... a luz. Era noite e chovia torrencialmente. Roberto,

Ele deu... a luz. Era noite e chovia torrencialmente. Roberto, A UU L AL A Ele deu... a luz Era noite e chovia torrencialmente. Roberto, prevenido, deu a sua ordem preferida: - Desliga a televisão que é perigoso, está trovejando! Mal ele acabou a frase, surgiu um

Leia mais

GABARITO DA PROVA OLÍMPICA DO NÍVEL II DA II OBA

GABARITO DA PROVA OLÍMPICA DO NÍVEL II DA II OBA 1. A astronomia estuda tudo que está fora da Terra, como por exemplo, os planetas, as estrelas, os cometas, as galáxias, as constelações, os movimentos destes corpos, etc. Para observar estes corpos basta

Leia mais

GABARITO PROVA DO NÍVEL 3 (Para alunos do 6 º ao 9 º ano do Ensino Fundamental) XVII OBA - 2014

GABARITO PROVA DO NÍVEL 3 (Para alunos do 6 º ao 9 º ano do Ensino Fundamental) XVII OBA - 2014 GABARITO PROVA DO NÍVEL 3 (Para alunos do 6 º ao 9 º ano do Ensino Fundamental) XVII OBA - 2014 Nota de Astronomia: Nota de Astronáutica: Nota Final: Observação: A Nota Final é a soma das notas de Astronomia

Leia mais

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Curso: Nome do (a) Aluno (a): Ano: 3º Componente Curricular: Língua Portuguesa Professor

Leia mais

PESQUISA DIAGNÓSTICA - SISTEMATIZAÇÃO. - Sim, estou gostando dessa organização sim, porque a gente aprende mais com organização das aulas.

PESQUISA DIAGNÓSTICA - SISTEMATIZAÇÃO. - Sim, estou gostando dessa organização sim, porque a gente aprende mais com organização das aulas. ESCOLA MUNICIPAL BUENA VISTA Goiânia, 19 de junho de 2013. - Turma: Mestre de Obras e Operador de computador - 62 alunos 33 responderam ao questionário Orientador-formador: Marilurdes Santos de Oliveira

Leia mais

1- Fonte Primária 2- Fonte Secundária. 3- Fonte Puntiforme 4- Fonte Extensa

1- Fonte Primária 2- Fonte Secundária. 3- Fonte Puntiforme 4- Fonte Extensa Setor 3210 ÓPTICA GEOMÉTRICA Prof. Calil A Óptica estuda a energia denominada luz. 1- Quando nos preocupamos em estudar os defeitos da visão e como curá-los, estamos estudando a Óptica Fisiológica. Estudar

Leia mais

INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA 411EE

INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA 411EE 1 T E O R I A 1. SOMBRA Define se sombra como uma região do espaço desprovida de luz. Uma sombra é produzida quando um objeto opaco impede que raios de luz provenientes de uma fonte luminosa iluminem uma

Leia mais

Uma receita de iogurte

Uma receita de iogurte A U A UL LA Uma receita de iogurte O iogurte, um alimento comum em vários países do mundo, é produzido a partir do leite. Na industrialização desse produto empregam-se técnicas diversas para dar a consistência,

Leia mais

EGITO PA P SSADO E PR P ESENT N E T

EGITO PA P SSADO E PR P ESENT N E T EGITO PASSADO E PRESENTE VOCÊ SABE ONDE ESTÁ O EGITO? ÁFRICA O EGITO É UM PAÍS DO CONTINENTE AFRICANO NO PASSADO O EGITO ERA ASSIM... ATUALMENTE, O EGITO CHAMA-SE REPÚBLICA ÁRABE DO EGITO. SUA CAPITAL

Leia mais

Primeira lista de física para o segundo ano 1)

Primeira lista de física para o segundo ano 1) Primeira lista de física para o segundo ano 1) Dois espelhos planos verticais formam um ângulo de 120º, conforme a figura. Um observador está no ponto A. Quantas imagens de si mesmo ele verá? a) 4 b) 2

Leia mais

Apostila 2 Capítulo 8. Página 305. Reflexões. Gnomo

Apostila 2 Capítulo 8. Página 305. Reflexões. Gnomo Apostila 2 Capítulo 8 Página 305 Reflexões Fenômenos Ópticos Reflexão Refração Absorção Tipos de Reflexão Reflexão Especular Reflexão Difusa Na reflexão especular os raios de luz que entram paralelos são

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões de 1 a 7. AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Há três coisas para

Leia mais

Cao Guimarães: "Não conseguir ficar sozinho é a maior solidão i

Cao Guimarães: Não conseguir ficar sozinho é a maior solidão i Cao Guimarães: "Não conseguir ficar sozinho é a maior solidão i O cineasta mineiro Cao Guimarães, 41, terá seu filme mais recente "Andarilho" (2006) exibido pela primeira vez na Quinzena de Realizadores,

Leia mais

O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB!

O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB! O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB! A história da Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para Analista Tributário da Receita Federal do Brasil, é mais uma das histórias

Leia mais

USO DE DEDOCHES NO REPASSE DAS RECOMENDAÇÕES DE ATIVIDADES FÍSICAS PARA CRIANÇAS

USO DE DEDOCHES NO REPASSE DAS RECOMENDAÇÕES DE ATIVIDADES FÍSICAS PARA CRIANÇAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LABORATÓRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM ATIVIDADE FÍSICA E SAÚDE USO DE DEDOCHES NO REPASSE DAS RECOMENDAÇÕES DE

Leia mais

Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história.

Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história. Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história. Nem um sopro de vento. E já ali, imóvel frente à cidade de portas e janelas abertas, entre a noite vermelha do poente e a penumbra do jardim,

Leia mais

Vinho Novo Viver de Verdade

Vinho Novo Viver de Verdade Vinho Novo Viver de Verdade 1 - FILHOS DE DEUS - BR-LR5-11-00023 LUIZ CARLOS CARDOSO QUERO SUBIR AO MONTE DO SENHOR QUERO PERMANECER NO SANTO LUGAR QUERO LEVAR A ARCA DA ADORAÇÃO QUERO HABITAR NA CASA

Leia mais

MÓDULO DE RECUPERAÇÃO

MÓDULO DE RECUPERAÇÃO DISCIPLINA Física II 2º ANO ENSINO MÉDIO MÓDULO DE RECUPERAÇÃO ALUNO(A) Nº TURMA TURNO Manhã 1º SEMESTRE DATA / / 01- A figura representa um feixe de raios paralelos incidentes numa superfície S e os correspondentes

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES 2ª SÉRIE

LISTA DE EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES 2ª SÉRIE LISTA DE EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES FÍSICA - A - 2012 ALUNO: TURMA: CARTEIRA: MATRÍCULA: DATA: / / Unidade 01 - Introdução à Óptica Geométrica Unidade 02 - Reflexão da Luz REFAZER OS EXERCÍCIOS DO LIVRO:

Leia mais

Projeto Minha Identidade

Projeto Minha Identidade Projeto Minha Identidade Esta apostila é a primeira a ser desenvolvida com as crianças do Espaço Voar e tem como objetivo fortalecer o senso de identidade da criança como indivíduo, oferecendo situações

Leia mais

Espelho Plano. www.nsaulasparticulares.com.br Página 1 de 21

Espelho Plano. www.nsaulasparticulares.com.br Página 1 de 21 Espelho Plano 1. (Fuvest 2013) O telêmetro de superposição é um instrumento ótico, de concepção simples, que no passado foi muito utilizado em câmeras fotográficas e em aparelhos de medição de distâncias.

Leia mais

Como uma onda no mar...

Como uma onda no mar... Como uma onda no mar... A UU L AL A Certa vez a turma passou férias numa pequena cidade do litoral. Maristela costumava ficar horas a fio admirando a imensidão azul do mar, refletindo sobre coisas da vida

Leia mais

Pão, pão, pão. Estêvão Marques, Marina Pittier e Fê Sztok Ionit Zilberman. escrito por. ilustrado por

Pão, pão, pão. Estêvão Marques, Marina Pittier e Fê Sztok Ionit Zilberman. escrito por. ilustrado por elaboração: Tatiana Pita Mestre em Educação pela PUC (SP) Pão, pão, pão escrito por ilustrado por Estêvão Marques, Marina Pittier e Fê Sztok Ionit Zilberman 2 O encanto e as descobertas que o livro nos

Leia mais

Física. Resolução das atividades complementares. F7 Introdução à Óptica geométrica

Física. Resolução das atividades complementares. F7 Introdução à Óptica geométrica Resolução das atividades complementares 3 Física F7 Introdução à Óptica geométrica p. 10 1 (FMTM-MG) O princípio da reversibilidade da luz fica bem exemplificado quando: a) holofotes iluminam os atores

Leia mais

Nosso objetivo será mostrar como obter informações qualitativas sobre a refração da luz em um sistema óptico cilíndrico.

Nosso objetivo será mostrar como obter informações qualitativas sobre a refração da luz em um sistema óptico cilíndrico. Introdução Nosso objetivo será mostrar como obter informações qualitativas sobre a refração da luz em um sistema óptico cilíndrico. A confecção do experimento permitirá também a observação da dispersão

Leia mais

Neste ano estudaremos a Mecânica, que divide-se em dois tópicos:

Neste ano estudaremos a Mecânica, que divide-se em dois tópicos: CINEMÁTICA ESCALAR A Física objetiva o estudo dos fenômenos físicos por meio de observação, medição e experimentação, permite aos cientistas identificar os princípios e leis que regem estes fenômenos e

Leia mais

BATISMO HISTÓRIA E SIGNIFICADO

BATISMO HISTÓRIA E SIGNIFICADO BATISMO HISTÓRIA E SIGNIFICADO 1 INTRODUÇÃO Jesus mandou seus discípulos: Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a

Leia mais

ARTES PLÁSTICAS - LICENCIATURA (NOTURNO)

ARTES PLÁSTICAS - LICENCIATURA (NOTURNO) assinatura do(a) candidato(a) ADMISSÃO PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR 2.ª DCS/2011 ARTES PLÁSTICAS - LICENCIATURA (NOTURNO) LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. Prova Dissertativa 1 Ao receber

Leia mais

Depressão e Qualidade de Vida. Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP

Depressão e Qualidade de Vida. Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP Depressão e Qualidade de Vida Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP 1 Percepções de 68 pacientes entrevistadas. 1. Sentimentos em relação à doença Sinto solidão, abandono,

Leia mais

Aprenda nesta quinta aula a montar um roteiro para não perder os momentos importantes com os noivos no altar

Aprenda nesta quinta aula a montar um roteiro para não perder os momentos importantes com os noivos no altar Técnica&Prática Fotografia Social O fotógrafo de casamento deve estar preparado para captar todos os tipos de emoções e explorar os mais diversos ângulos da cerimônia religiosa As dicas para fotografar

Leia mais

Filosofia - Introdução à Reflexão Filosófica

Filosofia - Introdução à Reflexão Filosófica Filosofia - Introdução à Reflexão Filosófica 0 O que é Filosofia? Essa pergunta permite muitas respostas... Alguns podem apontar que a Filosofia é o estudo de tudo ou o nada que pretende abarcar tudo.

Leia mais

ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091

ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091 ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091 INTRODUÇÃO Trata-se de um modelo científico de trabalho, representando o Sol, a Terra e a Lua, e mostrando como estes se relacionam entre si. Foi concebido para mostrar

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2006 / 2ª FASE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO E ENSINO MÉDIO REDAÇÃO

PROCESSO SELETIVO 2006 / 2ª FASE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO E ENSINO MÉDIO REDAÇÃO PROCESSO SELETIVO 2006 / 2ª FASE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO E ENSINO MÉDIO REDAÇÃO TEMA 1 O Adolescente (Mário Quintana) A vida é tão bela que chega a dar medo. Não o medo que paralisa e gela,

Leia mais

GEOGRAFIA 1. Cartografia 1 Aulas 1 e 2

GEOGRAFIA 1. Cartografia 1 Aulas 1 e 2 GEOGRAFIA 1 Cartografia 1 Aulas 1 e 2 O QUE É CARTOGRAFIA Cartografia é a área do conhecimento que se preocupa em produzir, analisar e interpretar as diversas formas de se representar a superfície, como

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 1ª SÉRIE

LISTA DE EXERCÍCIOS 1ª SÉRIE 1. (Uemg 2014) Em uma aula sobre Gravitação, o professor de Física resolveu escrever um poema e mostrá-lo a seus alunos: O Sol e a Lua num balé em torno da Terra. Ora a Lua está entre o Sol e a Terra.

Leia mais

Questões Exatas 1º ano

Questões Exatas 1º ano Física I Profº Roro 01) (Unitau) Quando um objeto de massa m cai de uma altura h 0 para outra h, sua energia potencial gravitacional diminui de: a) mg (h h 0 ). b) mg (h + h 0 ). c) mg (h 0 - h). d) mg

Leia mais

Elementos Climáticos CLIMA

Elementos Climáticos CLIMA CLIMA Elementos Climáticos O entendimento e a caracterização do clima de um lugar dependem do estudo do comportamento do tempo durante pelo menos 30 anos: das variações da temperatura e da umidade, do

Leia mais

Prof. Franco Augusto

Prof. Franco Augusto Prof. Franco Augusto Astros São corpos que giram no espaço, classificados de acordo com a luminosidade. Iluminados ou opacos não possuem luz própria, recebendo luz das estrelas. São os planetas, asteroides,

Leia mais

2015 O ANO DE COLHER MAIO - 1 COMO SERÁ A CIDADE?

2015 O ANO DE COLHER MAIO - 1 COMO SERÁ A CIDADE? MAIO - 1 COMO SERÁ A CIDADE? Texto: Apocalipse 21:1-2 Então vi um novo céu e uma nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra tinham passado; e o mar já não existia. Vi a cidade santa, a nova Jerusalém,

Leia mais

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Modo: indicativo O modo indicativo expressa um fato de maneira definida, real, no presente, passado ou futuro, na frase afirmativa, negativa ou interrogativa. Presente Presente Passado (=Pretérito) Pretérito

Leia mais

Interbits SuperPro Web

Interbits SuperPro Web 1. (Unesp 2014) Uma pessoa está parada numa calçada plana e horizontal diante de um espelho plano vertical E pendurado na fachada de uma loja. A figura representa a visão de cima da região. Olhando para

Leia mais

II- Quanto mais próximo está um objeto de um espelho plano, mais distante está sua imagem do espelho.

II- Quanto mais próximo está um objeto de um espelho plano, mais distante está sua imagem do espelho. Professor: DUDU (óptica geométrica e espelhos planos) 1ºLista de exercícios física 1-Considere a figura a seguir que representa uma caixa cúbica que tem, em uma de suas faces, um espelho plano com a face

Leia mais

Dicas para estudar: Tome nota!

Dicas para estudar: Tome nota! CARTILHA SOBRE COMO ESTUDAR, PARA DIVULGAÇÃO INSTITUCIONAL Núcleo de Atendimento Psicopedagógico (NAPP) Título da Cartilha: Dicas para estudar: Tome nota! Proposta: Por meio de um diálogo entre um aluno

Leia mais

Paletas. Episódio: Pintado por Eufrônio. Palavras-chave Arte grega, cerâmica, mitologia grega, utensílios.

Paletas. Episódio: Pintado por Eufrônio. Palavras-chave Arte grega, cerâmica, mitologia grega, utensílios. Paletas Episódio: Pintado por Eufrônio Resumo Este episódio, de Paletas, aborda a análise de um antigo utensílio cerâmico grego, produzido e pintado por volta dos anos 515-510 a.c, chamado Cratera de Héracles

Leia mais

ENSINO MÉDIO. Data :23/05/2012 Etapa: 1ª Professor: MARCIA C. Nome do (a) aluno (a): Ano:1 º Turma: FG Nº

ENSINO MÉDIO. Data :23/05/2012 Etapa: 1ª Professor: MARCIA C. Nome do (a) aluno (a): Ano:1 º Turma: FG Nº Rede de Educação Missionárias Servas do Espírito Santo Colégio Nossa Senhora da Piedade Av. Amaro Cavalcanti, 2591 Encantado Rio de Janeiro / RJ CEP: 20735042 Tel: 2594-5043 Fax: 2269-3409 E-mail: cnsp@terra.com.br

Leia mais

Manual de Instruções F60050 - F70060M F80060M - F90060M. www.equifoto.com.br 1

Manual de Instruções F60050 - F70060M F80060M - F90060M. www.equifoto.com.br 1 Manual de Instruções F60050 - F70060M F80060M - F90060M www.equifoto.com.br 1 A) Capa de lente B) Protetor de lente C) Lente objetiva 1) Controle ajuste fino de altitude D) Tubo principal 2) Trava azimutal

Leia mais

Leia os textos abaixo e faça o que se pede.

Leia os textos abaixo e faça o que se pede. Disciplina: Tópicos de Comunicação e Arte Data: / /2010 Professor: Luiz Lana Período: 4º; 5º Segmento: Publicidade e Propaganda Tipo de Atividade: Prova Semestre: 1º Nome do(a) Aluno(a): Valor: Nº: Nota:

Leia mais

1. Introdução. 2. Fontes de luz. Óptica geométrica

1. Introdução. 2. Fontes de luz. Óptica geométrica 1. Introdução Óptica geométrica Vamos iniciar nosso estudo, fazendo uma breve introdução sobre a óptica geométrica. Quando estudamos a Óptica nos centramos na compreensão da natureza e propriedades da

Leia mais

Vivendo a Liturgia Ano A

Vivendo a Liturgia Ano A Vivendo a Liturgia Junho/2011 Vivendo a Liturgia Ano A SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR (05/06/11) A cor litúrgica continua sendo a branca. Pode-se preparar um mural com uma das frases: Ide a anunciai

Leia mais

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO (Ufc) Na(s) questão(ões) a seguir escreva no espaço apropriado a soma dos itens corretos.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO (Ufc) Na(s) questão(ões) a seguir escreva no espaço apropriado a soma dos itens corretos. Respiração e Fermentação 1. (Fuvest) O fungo 'Saccharomyces cerevisiae' (fermento de padaria) é um anaeróbico facultativo. Quando cresce na ausência de oxigênio, consome muito mais glicose do que quando

Leia mais

Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE. Comunicação Oral e Escrita. Unidade 11. Emprego de Pronomes Relativos e Pessoais

Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE. Comunicação Oral e Escrita. Unidade 11. Emprego de Pronomes Relativos e Pessoais Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE Comunicação Oral e Escrita Unidade 11 Emprego de Pronomes Relativos e Pessoais Núcleo de Educação a Distância 2 Aviso importante! Este material foi produzido

Leia mais

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL SUGESTÃO DE CELEBRAÇÃO DE NATAL 2013 ADORAÇÃO Prelúdio HE 21 Dirigente: Naqueles dias, dispondo-se Maria, foi apressadamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá, entrou na casa de Zacarias e saudou

Leia mais

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C CONTEÚDOS DO EXAME Líderes religiosos, Motivação e Liderança Convivência com o grupo; Amizade e sentido de grupo Os projetos Solidários; O que é um projeto? Olhares sobre

Leia mais

Lista 1 Cinemática em 1D, 2D e 3D

Lista 1 Cinemática em 1D, 2D e 3D UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA DEPARTAMENTO DE ESTUDOS BÁSICOS E INSTRUMENTAIS CAMPUS DE ITAPETINGA PROFESSOR: ROBERTO CLAUDINO FERREIRA DISCIPLINA: FÍSICA I Aluno (a): Data: / / NOTA: Lista

Leia mais