RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA. NOVA Medical School Faculdade de Ciências Médicas Universidade Nova de Lisboa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA. NOVA Medical School Faculdade de Ciências Médicas Universidade Nova de Lisboa"

Transcrição

1 NOVA Medical School Faculdade de Ciências Médicas Universidade Nova de Lisboa Mestrado Integrado em Medicina - 6º ano Unidade Curricular: Estágio Profissionalizante Regente: Professor Doutor Fernando Miguel Teixeira Xavier RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA Cristina Maria dos Santos Varela Pinto Aluna n.º Junho de 2015

2 ÍNDICE INTRODUÇÃO 1 OBJETIVOS 1 ESTÁGIOS PARCELARES 2 CIRURGIA 2 MEDICINA 3 SAÚDE MENTAL 3 MEDICINA GERAL E FAMILIAR 3 PEDIATRIA 4 GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA 4 ESTÁGIO CLÍNICO OPCIONAL: ENDOCRINOLOGIA 5 OUTROS TRABALHOS EFETUADOS 5 REFLEXÃO CRÍTICA 5 ANEXOS 9 Agradecimentos: Gostaria de agradecer a todos os Serviços envolvidos no decorrer deste ano letivo pelo à vontade e disponibilidade com que me receberam.

3 INTRODUÇÃO Na estrutura curricular do Mestrado Integrado em Medicina (MIM), o Estágio Profissionalizante do 6º ano surge como período de formação pré-graduada, em que o aluno deverá assumir responsabilidade progressiva, pretendendo-se, associado ao ensino clínico tutelado, o exercício programado e orientado em meio hospitalar, antes do início do exercício profissional da Medicina. Com este relatório pretendo que sejam reportadas as atividades desenvolvidas durante o ano. Inicialmente exponho os objetivos gerais que desejo alcançar no final do 6º ano. Na descrição do estágio, começo por apresentar a calendarização e de acordo com a ordem cronológica são relatadas as atividades de cada estágio. Posteriormente são apresentados outros trabalhos efetuados no decorrer do ano letivo. A dissertação final surge como uma reflexão crítica e avaliação das atividades desenvolvidas, enumerando os objetivos cumpridos em cada estágio. OBJETIVOS No início do ano, defini alguns objetivos gerais a atingir, dos quais destaco: aprofundar, atualizar e relacionar os conhecimentos, gestos e atitudes adquiridos, assim como adquirir e desenvolver novos conhecimentos indispensáveis à boa prática médica; prática na colheita de dados nas várias situações clínicas, na solicitação adequada de exames complementares de diagnóstico, no raciocínio elaborado e conducente à formulação de diagnósticos provisórios e definitivos; contacto com as patologias mais frequentes nas diferentes áreas clínicas e respetivos diagnóstico, terapêutica e prognóstico; avaliar e tratar o doente numa perspectiva biopsicossocial; treino na capacidade de comunicação com doentes, profissionais e familiares, assim como na capacidade de integração e de trabalho de equipa; e, desenvolver competências de autonomia na seleção de percursos de aprendizagem ao longo do exercício profissional da Medicina. 1

4 ESTÁGIOS PARCELARES Neste ano letivo, desde 15 de setembro de 2014 a 5 de junho de 2015, efetuei os estágios parcelares do plano de estudos do MIM na seguinte ordem: Cirurgia (8 semanas), Medicina Interna (8 semanas), Saúde Mental (4 semanas), Medicina Geral e Familiar (4 semanas), Pediatria (4 semanas), Ginecologia e Obstetrícia (4 semanas). E nas últimas 2 semanas, o estágio clínico opcional de Endocrinologia. Seguindo a ordem cronológica são descritas de seguida e de forma sucinta as atividades desenvolvidas em cada estágio. CIRURGIA O estágio de Cirurgia, sob a regência do Prof. Doutor Rui Maio, decorreu de 15 de setembro a 7 de novembro de Na primeira semana foram apresentadas no Hospital Beatriz Ângelo sessões teóricas e teórico-práticas. O estágio decorreu no Hospital da Luz com a seguinte rotação: 4 semanas no Serviço de Cirurgia Geral, 1 semana no Atendimento Médico Permanente (AMP) e 2 semanas no Serviço de Gastrenterologia. O estágio no Serviço de Cirurgia Geral, sob a orientação do Dr. Carlos Ferreira, permitiu a minha completa integração na atividade diária do tutor por diferentes áreas como Bloco Operatório, Pequena Cirurgia, Consulta Externa, Enfermaria, Reunião de Serviço, Reunião Multidisciplinar de Oncologia do Aparelho Digestivo, Sessões Clínicas e Formativas. O estágio nas diferentes valências do AMP foi organizado pela Dra. Cláudia Febra, tendo sido privilegiado o contacto com a patologia cirúrgica urgente. O estágio no Serviço de Gastrenterologia decorreu sob a orientação do Dr. David Serra e compreendeu a participação na área de exames endoscópicos. Na última semana de estágio, no âmbito do Mini-Congresso, apresentei com os colegas, Catarina Albuquerque, David Lopes e Sofia Couto, um caso clínico de "Coledocolitiase terminal obstrutiva". 2

5 MEDICINA O estágio de Medicina, sob a regência do Prof. Doutor Fernando Nolasco, decorreu de 10 de novembro de 2014 a 16 de janeiro de 2015 no Serviço de Medicina Interna IA do Hospital de Egas Moniz, sob a orientação da Dra. Teresa Romão. No decorrer do estágio acompanhei a tutora na sua atividade diária pelas diferentes vertentes profissionais e funcionais, tais como Enfermaria, Consulta Externa, Journal Club, Reunião Medicina I-II, Reunião de Notas de Alta, Sessões Clínicas e Formativas e Urgência. No final do estágio apresentei com a colega Sofia Couto um trabalho de revisão teórica intitulado "Abordagem do doente em coma". Durante o estágio foram apresentados na Faculdade seminários de casos clínicos das patologias mais frequentes ligadas à urgência e emergência. SAÚDE MENTAL O estágio de Saúde Mental, sob a regência do Prof. Doutor Miguel Xavier, decorreu de 26 de janeiro a 20 de fevereiro de 2015 na Unidade de Saúde Mental de Oeiras, sob a orientação do Prof. Doutor Joaquim Gago. No início do estágio decorreram na Faculdade seminários teórico-práticos orientados pelo regente em que foram apresentados e discutidos casos clínicos das patologias do foro psiquiátrico e da saúde mental mais frequentes na urgência. Durante o estágio acompanhei o tutor na sua atividade diária nas diferentes áreas abrangidas pelo Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental: Internamento, Consulta Comunitária, Grupo de Psicoeducação, Unidade de Dia, Reuniões de Serviço e Urgência. MEDICINA GERAL E FAMILIAR O estágio de Medicina Geral e Familiar, sob a regência da Prof. Doutora Isabel Santos, decorreu de 23 de fevereiro a 20 de março de 2015 na Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) de Linda-a-Velha, sob a 3

6 orientação da Dra. Hermínia Nascimento. Durante o estágio acompanhei a tutora na sua atividade diária pelas diferentes vertentes profissionais e funcionais, tais como Saúde de Adultos, Saúde Materna e Planeamento Familiar, Saúde Infantil, Consulta de Diabetes mellitus, Consulta de Desabituação Tabágica e Unidade de Cuidados Continuados Integrados (UCCI). PEDIATRIA O estágio de Pediatria, sob a regência do Prof. Doutor Luís Manuel Varandas, decorreu de 23 de março a 24 de abril de 2015 na área de Pediatria Médica do Hospital de Dona Estefânia (HDE), sob a orientação do Dr. João Farela Neves. Durante o estágio acompanhei o tutor na sua atividade diária pelas diferentes vertentes profissionais e funcionais, tais como Enfermaria da Unidade de Infeciologia, Consulta Externa de Imunodeficiências Primárias, Unidade de Cuidados Intensivos, Sessões Clínicas e Formativas e Urgência. O estágio incluiu uma participação no Serviço de Imunoalergologia (HDE) e no Serviço de Cardiologia Pediátrica (Hospital de Santa Marta). Na última semana de estágio, no âmbito do Seminário, apresentei com os colegas, Agostinho Ladeira e Sofia Couto, um trabalho de revisão teórica intitulado "Vacina contra o vírus da Varicela-zoster". GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA O estágio de Ginecologia e Obstetrícia, sob a regência da Prof. Doutora Teresa Ventura, decorreu de 27 de abril a 22 de maio de 2015 no Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca. Este estágio compreendeu 2 semanas no Serviço de Ginecologia, sob a orientação da Dra. Teresa Diniz da Costa, em que participei nas diferentes vertentes profissionais e funcionais deste Serviço como Unidade de Colposcopia Histeroscopia e Laser, Bloco Operatório, Consulta Externa, Enfermaria e Urgência. Nas 2 últimas semanas no Serviço de 4

7 Obstetrícia, sob a orientação do Dr. Diogo Bruno, participei nas diferentes áreas deste Serviço como Ecografia, Enfermaria, Consulta Externa e Urgência/Bloco de Partos. ESTÁGIO CLÍNICO OPCIONAL: ENDOCRINOLOGIA O estágio clínico opcional, sob a regência do Prof. Doutor José Delgado Alves, decorreu de 25 de maio a 5 de junho de 2015 no Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo do Hospital de Egas Moniz, sob a orientação da Dra. Catarina Senra Moniz. Durante o estágio acompanhei a tutora na sua atividade diária por diferentes áreas, tais como Consulta Externa, Enfermaria, Citologias Aspirativas por Agulha Fina, Journal Club e Sessão Clínica. OUTROS TRABALHOS EFETUADOS Durante o estágio de Cirurgia assisti às seguintes sessões formativas: - 3ª Reunião Técnica do AMP - Adultos: Diagnóstico do abdómen agudo cirúrgico, Causas não cirúrgicas de dor abdominal e Pequena cirurgia - Quem? Quando? Como? (Hospital da Luz, 24 de setembro de 2014, Anexo I); - Reunião Nacional das Comissões de Ética - Comissões de Ética e Investigação Clínica em Portugal (Hospital Beatriz Ângelo, 17 de outubro de 2014, Anexo II). No estágio de Saúde Mental tive oportunidade de desenvolver com o colega Pedro Celeiro flyers de dois módulos de desenvolvimento de competências pessoais e relacionais da Unidade de Dia de Oeiras/Laveiras. Estes flyers pretendem transmitir de forma sucinta o conteúdo dos módulos a outros profissionais de saúde de forma a facilitar a referenciação dos doentes (Anexo III). REFLEXÃO CRÍTICA De uma forma geral considero o Estágio Profissionalizante muito bem organizado e bastante positivo para a minha formação pré-graduada. Em todos os estágios, tive oportunidade de trabalhar de forma integrada nas atividades dos Serviços onde fui 5

8 inserida, com uma equipa clínica motivada em ensinar. O ensino prático exercido permitiu um contacto muito próximo entre o tutor e os alunos uma vez que em mais de metade dos estágios a relação era de um tutor para um aluno. O ensino prático abrangeu todas as áreas inicialmente estipuladas nos objetivos de cada Unidade Curricular. A organização de cada estágio conseguiu oferecer uma perspectiva global das diferentes valências de cada especialidade. Das competências clínicas adquiridas em cada um dos estágios, destaco no estágio de Cirurgia a frequente participação no Bloco Operatório como 2º ajudante e ocasionalmente (pela primeira vez) como 1º ajudante, a consolidação dos conhecimentos adquiridos relativamente à linguagem/terminologia cirúrgicas e às principais patologias cirúrgicas e respetivas semiologia, diagnóstico e tratamento, assim como o treino nas normas de assepsia em atos cirúrgicos. Realço também a participação noutras especialidades médico-cirúrgicas referidas anteriormente. No estágio de Medicina realço a autossuficiência e autonomia progressivas no contacto com o doente de uma Enfermaria de Medicina Interna, permitindo aprofundar e relacionar os conhecimentos, gestos e atitudes adquiridos no MIM assim como o treino em trabalho de equipa pela dinâmica de trabalho integrado com outras especialidades e profissionais de saúde. Na Urgência participei pela primeira vez nas vertentes funcionais de Reanimação e Sala de Observação. No estágio de Saúde Mental destaco o trabalho multidisciplinar e a estreita articulação com a família dos doentes, tendo aperfeiçoado a minha capacidade de comunicação com doentes, profissionais e familiares. Realço também o treino na identificação de sintomas de perturbação psiquiátrica e a compreensão do doente como um todo, no seu contexto social, laboral e familiar. Pela primeira vez assisti a uma sessão de Grupo de Psicoeducação (Perturbação bipolar) e participei nas atividades de uma Unidade de Dia. 6

9 No estágio de Medicina Geral e Familiar tive autonomia na condução das consultas o que me permitiu treinar a execução de entrevistas clinicas e exame objetivo direcionado. Destaco a importância de identificação de situações passíveis de referenciação, do contacto com rastreios para a deteção da doença em fase precoce, da compreensão do doente no seu todo contextualizando família, cultura e educação, e de conhecer a epidemiologia e a população de cada UCSP para uma melhor caracterização dos problemas de saúde. Na UCCI participei pela primeira vez em visitas domiciliárias e na reunião de discussão de planos individuais de doentes num trabalho de equipa multidisciplinar. Considero 4 semanas tempo insuficiente para a participação ativa em todas as vertentes desta especialidade. No estágio de Pediatria desempenhei com algum grau de autonomia as diversas tarefas do dia-a-dia hospitalar de uma Enfermaria. Na Consulta Externa de Imunodeficiências Primárias contactei pela primeira vez com algumas patologias. Gostaria de realçar o enfoque dado à atualização de conhecimentos pelas constantes Sessões Clínicas assim como o trabalho de cooperação que se desenvolve neste hospital entre as diferentes subespecialidades pediátricas. Destaco também a participação noutras especialidades médicas já referidas. No estágio de Ginecologia e Obstetrícia destaco o contacto com as neoplasias ginecológicas mais frequentes e a sensibilização para a prevenção e diagnóstico precoce, o primeiro contacto com a área de Uroginecologia, e finalmente treino no exame ginecológico e na execução de colpocitologias. Na área de Obstetrícia destaco o contacto e a importância do diagnóstico pré-natal, o reconhecimento de sintomas e sinais de trabalho de parto e uma participação ativa na enfermaria de puérperas com treino no exame objetivo. No Bloco de Partos destaco o trabalho de equipa realizado com o Serviço de Anestesiologia e Enfermeiros Especialistas em Obstetrícia e a observação de diferentes tipos de parto distócico. 7

10 No estágio clínico opcional de Endocrinologia realço a prática na execução da palpação cervical e a consolidação dos conhecimentos adquiridos relativamente às principais patologias endocrinológicas. Neste Estágio Profissionalizante, os meus objetivos pessoais passavam predominantemente por adquirir autonomia, algo que penso ter conseguido, de forma mais evidente nos estágios de Medicina e Medicina Geral e Familiar. Gostaria de destacar as sessões teóricas onde foram abordados pela primeira vez no MIM temas abrangentes que se revelaram muito interessantes e de elevado valor para a futura atividade laboral como por exemplo Liderança e trabalho de equipa, Gestão do stress e prevenção do burnout e Decisões de fim de vida. Os Journal Club e Sessões Clínicas foram muito proveitosos para aprofundar e adquirir novos conhecimentos, assim como reconhecer a importância da constante atualização e formação ao longo do percurso profissional. Na vertente humanista, contactei com uma realidade de doentes com idades tão dispares assim como etnias e estratos socioeconómicos diferentes. Este contacto permitiu desenvolver a compreensão do que significa ser médico, da identidade e responsabilidade profissional, e dos valores e atitudes que os médicos devem cultivar. Concluo, referindo que a formação médica pré-graduada deste MIM cumpre a finalidade de dotar o futuro médico de conhecimentos, gestos e atitudes que serão a base da sua prática ao longo da sua carreira médica. Se nos primeiros três anos é concedida a base sólida de formação cientifica da arte da Medicina, nos últimos três esses conhecimentos são aplicados na prática clínica culminando num estudante médico dotado de um conjunto de valores, atitudes e aptidões para o exercício ética e cientificamente correto da Medicina e o "aperfeiçoamento ao longo da vida das suas próprias capacidades de modo a promover a saúde e o bem-estar das comunidades que servem" O Licenciado Médico em Portugal 8

11 ANEXOS 9

12 ANEXO I 3ª REUNIÃO TÉCNICA DO AMP - ADULTOS (PROGRAMA)

13 ANEXO II REUNIÃO NACIONAL DAS COMISSÕES DE ÉTICA (PROGRAMA E CERTIFICADO DE PARTICIPAÇÃO)

14 Relatório Final de Estágio - Mestrado Integrado em Medicina

15 ANEXO III FLYERS DOS MÓDULOS DE DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PESSOAIS E RELACIONAIS

16 Relatório Final de Estágio - Mestrado Integrado em Medicina

Maria Margarida Cruz Paixão Nº2009246. Introdução... 3. Pediatria... 3. Ginecologia e Obstetrícia... 4. Saúde Mental... 4

Maria Margarida Cruz Paixão Nº2009246. Introdução... 3. Pediatria... 3. Ginecologia e Obstetrícia... 4. Saúde Mental... 4 Maria Margarida Cruz Paixão Nº2009246 Índice Introdução... 3 Pediatria... 3 Ginecologia e Obstetrícia... 4 Saúde Mental... 4 Medicina Geral e Familiar... 5 Medicina Interna... 5 Cirurgia Geral... 6 Estágio

Leia mais

Relatório Final de Estágio

Relatório Final de Estágio Relatório Final de Estágio setembro de 2014 a junho de 2015 6º Ano do Mestrado Integrado em Medicina Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa Universidade NOVA de Lisboa Ospedale San Gerardo di Monza Ospedale

Leia mais

PROGRAMA CIENTÍFICO. 25 e 26 fevereiro 2016. Centro de Congressos de Lisboa. Homenagem Nacional: Prof. Doutor A. Pacheco Palha

PROGRAMA CIENTÍFICO. 25 e 26 fevereiro 2016. Centro de Congressos de Lisboa. Homenagem Nacional: Prof. Doutor A. Pacheco Palha Presidente Prof. Doutor A. Pacheco Palha Secretários Gerais Dr. José Canas da Silva e Dr. Rui Cernadas Homenagem Nacional: Prof. Doutor A. Pacheco Palha 25 e 26 fevereiro 2016 Centro de Congressos de Lisboa

Leia mais

Europass-Curriculum Vitae

Europass-Curriculum Vitae an Europass-Curriculum Vitae In pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada(s) Orvalho, Inês Tabau Rua Vicente Pindela, nº 36 1º esquerdo 3030-030 Coimbra Telefone(s) +351 239716762 Telemóvel: +351

Leia mais

Unidades prestadores de cuidados de saúde do SNS. Departamento da Qualidade na Saúde (dqs@dgs.pt)

Unidades prestadores de cuidados de saúde do SNS. Departamento da Qualidade na Saúde (dqs@dgs.pt) NÚMERO: 006/2015 DATA: 08/04/2015 ASSUNTO: Gestão Integrada da Obesidade Requisitos para Centros de Tratamento Cirúrgico de Obesidade PALAVRAS-CHAVE: Tratamento Cirúrgico de Obesidade, Obesidade PARA:

Leia mais

S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 58/2015 de 6 de Maio de 2015

S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 58/2015 de 6 de Maio de 2015 S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 58/2015 de 6 de Maio de 2015 A redução de listas de espera cirúrgicas, de consultas e de meios complementares de diagnóstico e terapêutica para tempos de espera clinicamente

Leia mais

Clarificação Técnica

Clarificação Técnica Clarificação Técnica Face à confusão entre Cuidados de Saúde Primários do Trabalho e cuidados diferenciados de Medicina do Trabalho A Portaria n.º 112/2014, de 23 de maio, regula a prestação de Cuidados

Leia mais

ESCOLA DE MEDICINA FAMILIAR Primavera 2013

ESCOLA DE MEDICINA FAMILIAR Primavera 2013 FORMAÇÃO MÉDICA CONTÍNUA Primavera 2013 Peniche - Consolação 15 a 18 de Maio de 2013 LOCAL Hotel Atlântico Golf **** Praia da Consolação 2525-150 Atouguia da Baleia - Peniche Telf. 262757700; Fax 762750717

Leia mais

ESCOLA DE MEDICINA FAMILIAR /Primavera 2015

ESCOLA DE MEDICINA FAMILIAR /Primavera 2015 Apresentação Formação Médica Contínua ESCOLA DE MEDICINA FAMILIAR /Primavera 2015 Peniche - Consolação 6 a 9 de Maio de 2015 Local: Hotel Atlântico Golf **** Praia da Consolação 2525-150 Atouguia da Baleia

Leia mais

1º CURSO PÓS GRADUADO PARA FISIOTERAPEUTAS

1º CURSO PÓS GRADUADO PARA FISIOTERAPEUTAS 1º CURSO PÓS GRADUADO PARA FISIOTERAPEUTAS Disseção e Técnicas Cirúrgicas Joelho, Ombro e Coluna Vertebral 17 e 18 de Fevereiro de 2015 Coordenadores Professor Doutor João Goyri O Neill Dr. Gonçalo Neto

Leia mais

Estágio Opcional em Anestesia Fora do Bloco Operatório

Estágio Opcional em Anestesia Fora do Bloco Operatório Estágio Opcional em Anestesia Fora do Bloco Operatório Serviço de Anestesiologia Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra José Pedro Alves Ribeiro Coordenação Assistente Graduado do Centro Hospitalar

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diário da República, 1.ª série N.º 197 11 de outubro de 2013 6085

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diário da República, 1.ª série N.º 197 11 de outubro de 2013 6085 Diário da República, 1.ª série N.º 197 11 de outubro de 2013 6085 de 25 de maio de 2006, assinado em Moscovo, em 1 de fevereiro de 2007, o qual foi aprovado pelo Decreto do Governo n.º 24/2007, publicado

Leia mais

Proposta de Estágio em anestesia para grande cirurgia oncológica no Serviço Anestesia Clínica do IPO, Porto

Proposta de Estágio em anestesia para grande cirurgia oncológica no Serviço Anestesia Clínica do IPO, Porto O Serviço de Anestesia Clínica propõe a organização de estágio em anestesia para grande cirurgia oncológica, no âmbito dos estágios opcionais do Internato de Especialidade. O estágio engloba as seguintes

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 27 de maio de 2014. Série. Número 96

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 27 de maio de 2014. Série. Número 96 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 27 de maio de 2014 Série Sumário VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Despacho n.º 90/2014 Delega competências no Diretor Regional de Infraestruturas

Leia mais

ESTÁGIOS DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL AMI/NBup 11ª Edição 2016

ESTÁGIOS DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL AMI/NBup 11ª Edição 2016 ESTÁGIOS DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL AMI/NBup 11ª Edição 2016 QUERES FAZER PARTE DESTA MISSÃO? Se queres chegar mais longe em experiência e vivência Pelo décimo primeiro ano consecutivo abrimos a possibilidade

Leia mais

Nº de Utilizadores do Hospital Psiquiátrico. Nº de Utilizadores do Hospital Psiquiátrico. Fecho (Ano N-2) Estimado (Ano N-1) Acumulado (Ano N)

Nº de Utilizadores do Hospital Psiquiátrico. Nº de Utilizadores do Hospital Psiquiátrico. Fecho (Ano N-2) Estimado (Ano N-1) Acumulado (Ano N) Q 2 Número de Utilizadores do Hospital (P) Instituições Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE Agr. Scenario Contratualização Time Dezembro 2012 Área de Influência Fora da Área de Influência Notas:

Leia mais

Mestrados em Fisioterapia MÚSCULO-ESQUELÉTICA E SAÚDE PUBLICA 2013-2015

Mestrados em Fisioterapia MÚSCULO-ESQUELÉTICA E SAÚDE PUBLICA 2013-2015 Mestrados em Fisioterapia MÚSCULO-ESQUELÉTICA E SAÚDE PUBLICA 2013-2015 INDICE Competências a Desenvolver 5 Área de Especialização Músculo-Esquelética 5 Área de Especialização Saúde Pública 6 Condições

Leia mais

Hospital de Santo Espirito da Ilha Terceira e a sua articulação com as Unidades de Saúde de Ilha da RAA. Paula Moniz

Hospital de Santo Espirito da Ilha Terceira e a sua articulação com as Unidades de Saúde de Ilha da RAA. Paula Moniz Hospital de Santo Espirito da Ilha Terceira e a sua articulação com as Unidades de Saúde de Ilha da RAA Paula Moniz VISÃO O Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira, EPER pretende ser uma instituição

Leia mais

NOTAS CURRICULARES. João Manuel Alves da Silveira Ribeiro Nascido a 19 de novembro de 1951, na freguesia de Cedofeita, concelho do Porto.

NOTAS CURRICULARES. João Manuel Alves da Silveira Ribeiro Nascido a 19 de novembro de 1951, na freguesia de Cedofeita, concelho do Porto. NOTAS CURRICULARES João Manuel Alves da Silveira Ribeiro Nascido a 19 de novembro de 1951, na freguesia de Cedofeita, concelho do Porto. Formação académica: 2007 - Programa de Alta Direção de Instituições

Leia mais

Descobrir para saber cuidar 2 º. Congresso Internacional. Lusíadas Saúde 17 OUTUBRO 2015 HOTEL THE OITAVOS QUINTA DA MARINHA - CASCAIS

Descobrir para saber cuidar 2 º. Congresso Internacional. Lusíadas Saúde 17 OUTUBRO 2015 HOTEL THE OITAVOS QUINTA DA MARINHA - CASCAIS NOVOS CAMINHOS 2 º Internacional 17 OUTUBRO 2015 HOTEL THE OITAVOS QUINTA DA MARINHA - CASCAIS 1oh 1oh30 11h 11h30 Gestão de Risco - Toda a atenção é pouca Moderador: Nuno Candeias Hospital Lusíadas Lisboa

Leia mais

SAÚDE MENTAL 14 JAN A 17 JUN 2013. Módulo 1 Epidemiologia, Psicopatologia e Sistema Nervoso Central

SAÚDE MENTAL 14 JAN A 17 JUN 2013. Módulo 1 Epidemiologia, Psicopatologia e Sistema Nervoso Central CURSO DE FORMAÇÃO AVANÇADA EM SAÚDE MENTAL 14 JAN A 17 JUN 2013 Segundas-feiras: 17:30h-20:30h; Sábados (mensalmente): das 9h30 às 13h00 e das 14h30 às 17h30. PROGRAMA Módulo 1 Epidemiologia, Psicopatologia

Leia mais

ARS Norte. Identificação da Instituição Executora. Título. Responsável. Liga dos Amigos do Centro de Saúde Soares dos Reis

ARS Norte. Identificação da Instituição Executora. Título. Responsável. Liga dos Amigos do Centro de Saúde Soares dos Reis ARS Norte Apoio Domiciliário e Voluntário a Idosos e Dependentes Promoção da Prática de Cirurgia em Regime de Ambulatório em Portugal Normalização dos Ensinos/Personalizados do que ensinar Ajudar a Cuidar

Leia mais

PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA FORENSE

PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA FORENSE CURSO PÓS GRADUADO EM PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA FORENSE 16 DE ABRIL DE 2016 a 11 DE MARÇO DE 2017 LOCAL: AUDITÓRIO DO CENTRO HOSPITALAR TONDELA VISEU, E.P.E. Candidaturas: 10 DE MARÇO A 21 DE MARÇO, 2016

Leia mais

PARECER N.º 2 / 2012

PARECER N.º 2 / 2012 PARECER N.º 2 / 2012 DOTAÇÃO DE PESSOAL NO SERVIÇO DE PEDIATRIA ONCOLÓGICA 1. A questão colocada Solicitar o parecer da Ordem acerca da dotação de pessoal no serviço de Pediatria Oncológica, dado que não

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 73/2013 de 1 de Julho de 2013

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 73/2013 de 1 de Julho de 2013 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 73/2013 de 1 de Julho de 2013 Tendo por aceite que os órgãos de gestão das unidades de saúde devem manter os seus representantes clínicos, mas

Leia mais

Quem somos? MUNICÍPIO DO SEIXAL CENSOS 2011. População residente 158.269 hab. População jovem 27% População idosa 15% Mulheres 52% Homens 48%

Quem somos? MUNICÍPIO DO SEIXAL CENSOS 2011. População residente 158.269 hab. População jovem 27% População idosa 15% Mulheres 52% Homens 48% ARPIFF, 21 DE NOVEMBRO DE 2014 Quem somos? MUNICÍPIO DO SEIXAL CENSOS 2011 47.661 30,11% 48.629 30,73% 28886 18,25% 2776 1,75% 13258 8,38% População residente 158.269 hab. População jovem 27% População

Leia mais

PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO INTERNATO COMPLEMENTAR DE ORTOPEDIA. Portaria 50/ 97

PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO INTERNATO COMPLEMENTAR DE ORTOPEDIA. Portaria 50/ 97 PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO INTERNATO COMPLEMENTAR DE ORTOPEDIA Portaria 50/ 97 314 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 16 20-1-1997 MINISTÉRIO DA SAÚDE Portaria n. o 50/97 de 20 de Janeiro As crescentes exigências

Leia mais

UNIVERSIDADE DOS AÇORES DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA, FILOSOFIA E CIÊNCIAS SOCIAIS PÓS-GRADUAÇÃOE MESTRADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS: BOLETIM DE CANDIDATURA

UNIVERSIDADE DOS AÇORES DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA, FILOSOFIA E CIÊNCIAS SOCIAIS PÓS-GRADUAÇÃOE MESTRADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS: BOLETIM DE CANDIDATURA UNIVERSIDADE DOS AÇORES DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA, FILOSOFIA E CIÊNCIAS SOCIAIS PÓS-GRADUAÇÃOE MESTRADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS: BOLETIM DE CANDIDATURA Nº (reservado aos serviços) A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

2012-2013. Estudos avançados em DO TRABALHO. mestrado pós-graduação doutoramento

2012-2013. Estudos avançados em DO TRABALHO. mestrado pós-graduação doutoramento 2012-2013 Estudos avançados em DIREITO DO TRABALHO mestrado pós-graduação doutoramento 2012-2013 Estudos avançados em DIREITO DO TRABALHO Centrado na temática do Direito do Trabalho na empresa, é um curso

Leia mais

Reflexão Final do Módulo Atendimento e serviço pós-venda

Reflexão Final do Módulo Atendimento e serviço pós-venda Reflexão Final do Módulo Atendimento e serviço pós-venda R u i J o r g e d a E i r a P e r e i r a N º 1 6 Página 1 Índice Remissivo Capa de apresentação... 1 Índice remissivo... 2 Dados biográficos...

Leia mais

CENTRO DE AMBULATÓRIO PEDIÁTRICO

CENTRO DE AMBULATÓRIO PEDIÁTRICO PROJECTO CENTRO DE AMBULATÓRIO PEDIÁTRICO do Hospital de Santa Maria CENTRO DE AMBULATÓRIO PEDIÁTRICO MARIA RAPOSA Todos os anos, um número crescente de crianças, dos 0 aos 18 anos de idade, são assistidas

Leia mais

CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO E PREVENÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA

CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO E PREVENÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA 1 CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO E PREVENÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA ENQUADRAMENTO Um projecto de prevenção em saúde mental na área da primeira infância implica sempre uma união de esforços e um trabalho em conjunto

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Doutoramento em Educação Especialização: Formação de Professores Tema: Educação Especial 16 17 Edição Instituto de Educação da

Leia mais

CURSO DE TEMAS CLÍNICOS PARA GESTORES DA SAÚDE

CURSO DE TEMAS CLÍNICOS PARA GESTORES DA SAÚDE CURSO DE TEMAS CLÍNICOS PARA GESTORES DA SAÚDE PÓS-GRADUAÇÃO DE CAPACITAÇÃO 20 novembro a 4 março O diálogo entre gestores e clínicos é fundamental para a implementação das melhores soluções organizacionais

Leia mais

LINK. Prezado(a) estudante de Medicina,

LINK. Prezado(a) estudante de Medicina, Prezado(a) estudante de Medicina, Bem vindo ao nosso RESUMO DIGITAL sobre a temática Como Escolher a sua Residência Médica. Reunimos neste módulo, uma breve síntese de 8 das mais de 50 especialidades médicas.

Leia mais

A Voz dos Hospitais Programa Científico

A Voz dos Hospitais Programa Científico 182ª Reunião SPG 7 de novembro de 2015 Universidade do Algarve Campus de Gambelas A Voz dos Hospitais Programa Científico Caros Colegas, A 182ª Reunião da SPG realiza-se no dia 7 de Novembro de 2015 na

Leia mais

Assunto: Apreciação dos projetos de diplomas legais de criação de novas carreiras de saúde em apreciação pública.

Assunto: Apreciação dos projetos de diplomas legais de criação de novas carreiras de saúde em apreciação pública. A SUAS EXCELÊNCIAS O SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE DR. MANUEL TEIXEIRA O SECRETÁRIO DE ESTADO DO EMPREGO DR. OTÁVIO OLIVEIRA Lisboa, 27 de agosto de 2015 Com conhecimento de Suas Excelências, O Ministro

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Doutoramento em Educação Especialização: Administração e Política Educacional Edição Instituto de Educação da Universidade de

Leia mais

NOME Grau Académico Título Especialista Vínculo Laboral Acumulação. Não. Sim. Quadro de pessoal da API

NOME Grau Académico Título Especialista Vínculo Laboral Acumulação. Não. Sim. Quadro de pessoal da API A ESEI Maria Ulrich é uma escola do ensino superior particular e cooperativo cuja entidade instituidora e contratadora é a Associação de Pedagogia Infantil (API). No artigo 22º dos seus estatutos, clarifica

Leia mais

FORMAÇÃO PÓS GRADUADA

FORMAÇÃO PÓS GRADUADA FORMAÇÃO PÓS GRADUADA Pós-Graduações Formação Avançada - Oferta formativa 2016/2017-1º Semestre ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DA CRUZ VERMELHA PORTUGUESA FORMAÇÃO PÓS-GRADUADA A Escola Superior de Saúde da

Leia mais

PADRÕES DE QUALIDADE DOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM

PADRÕES DE QUALIDADE DOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM PADRÕES DE QUALIDADE DOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM Unidade de São Rafael PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PARA A ADESÃO AO REGIME MEDICAMENTOSO 2011 Autores: Mariana Bordalo Rodrigues (Enfermeira chefe Unidade de

Leia mais

Mestrado Biotecnologia e Inovação Um mestrado de 90 ECTS 3 semestres com especialização em:

Mestrado Biotecnologia e Inovação Um mestrado de 90 ECTS 3 semestres com especialização em: Mestrado Biotecnologia e Inovação Um mestrado de 90 ECTS 3 semestres com especialização em: > Ciência Alimentar > Nutrição Humana > Saúde e Qualidade de Vida > Ambiente e Sustentabilidade Uma estrutura

Leia mais

OTORRINOLARINGOLOGIA

OTORRINOLARINGOLOGIA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO MÉDICA Presidente da Direcção Prof. A. Matos-Ferreira Secretário-Geral Prof. L. Campos Pinheiro Director Prof. A. Galvão-Teles Curso Teórico-Prático Patologia Oral Doenças, síndromas,

Leia mais

Curso Pós-graduado de Aperfeiçoamento B-LEARNING EM ENDODONTIA

Curso Pós-graduado de Aperfeiçoamento B-LEARNING EM ENDODONTIA UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE MEDICINA DENTÁRIA Curso Pós-graduado de Aperfeiçoamento B-LEARNING EM ENDODONTIA (2013-2015) 1. FINALIDADE O Curso Pós-graduado de Aperfeiçoamento B-LEARNING EM ENDODONTIA

Leia mais

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância ATOS LEGAIS DO CURSO: Nome do Curso: Pedagogia Tempo de Integralização: Mínimo: 8 semestres Máximo: 14 semestres Nome da Mantida: Centro Universitário

Leia mais

- Avaliação da Cultura de Segurança do Doente em Hospitais -

- Avaliação da Cultura de Segurança do Doente em Hospitais - - Avaliação da Cultura de Segurança do Doente em Hospitais - A segurança do doente é uma preocupação crescente nos Hospitais Portugueses, tal como acontece noutros países da Europa e do resto do mundo.

Leia mais

Alargamento do Horário dos Centros de Saúde - Plano de Contingência - Frio 2015/2016

Alargamento do Horário dos Centros de Saúde - Plano de Contingência - Frio 2015/2016 Alargamento do Horário dos Centros de Saúde - Plano de Contingência - Frio 2015/2016 Os Planos de Contingência para Temperaturas Extremas Adversas - Módulo Inverno, têm como objetivo prevenir e minimizar

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE CONSERVATÓRIO REGIONAL DE GAIA Ano Letivo 2013 2014 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE Regulamento Artigo 1.º Âmbito 1. O presente Regulamento de Avaliação de Desempenho aplica-se a todos os docentes com

Leia mais

ESTUDOS AVANÇADOS EM ANESTESIA PARA TRANSPLANTAÇÃO HEPÁTICA, RENO-PANCREÁTICA, RENAL E CÓRNEA

ESTUDOS AVANÇADOS EM ANESTESIA PARA TRANSPLANTAÇÃO HEPÁTICA, RENO-PANCREÁTICA, RENAL E CÓRNEA Serviço de Anestesiologia do Centro Hospitalar do Porto Director de Serviço Dr. Humberto Machado Março de 2014 ESTUDOS AVANÇADOS EM ANESTESIA PARA TRANSPLANTAÇÃO HEPÁTICA, RENO-PANCREÁTICA, RENAL E CÓRNEA

Leia mais

MESTRADO EM ANÁLISES CLÍNICAS (i.é. ANÁLISES QUÍMICO-BIOLÓGICAS)

MESTRADO EM ANÁLISES CLÍNICAS (i.é. ANÁLISES QUÍMICO-BIOLÓGICAS) MESTRADO EM ANÁLISES CLÍNICAS (i.é. ANÁLISES QUÍMICO-BIOLÓGICAS) º Ciclo Bolonha Aviso n.º/0 (D.R. N.º,.ª série, de Dezembro de 0) Registo DGES: / (DR) Extracto do Regulamento Geral de Mestrados do ISCSEM

Leia mais

Programa Eleitoral para a SPP 2103-2016

Programa Eleitoral para a SPP 2103-2016 Programa Eleitoral para a SPP 2103-2016 My Heart Leaps Up My heart leaps up when I behold A rainbow in the sky: So was it when my life began; So is it now I am a man; So be it when I shall grow old, Or

Leia mais

Reunião com Maria João da SPP

Reunião com Maria João da SPP Reunião com Maria João da SPP Fui a Lisboa dia 26 de Novembro de 2007 Nomeação de médicos para contactos com imprensa: Norte: José Luís Centro: Helena Sul: Leonor Reunião com Maria João da SPP Curso da

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Gabinete do Secretário de Estado da Saúde

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Gabinete do Secretário de Estado da Saúde 21816-(2) Diário da República, 2.ª série N.º 118 20 de junho de 2012 PARTE C MINISTÉRIO DA SAÚDE Gabinete do Secretário de Estado da Saúde Despacho n.º 8317-A/2012 Pelo despacho n.º 7702 -B/2012, publicado

Leia mais

Reflexão Final do Módulo Técnicas de negociação e venda

Reflexão Final do Módulo Técnicas de negociação e venda Reflexão Final do Módulo Técnicas de negociação e venda R u i J o r g e d a E i r a P e r e i r a N º 1 6 Página 1 Índice Remissivo Capa de apresentação... 1 Índice remissivo... 2 Dados biográficos...

Leia mais

Planeamento Estratégico

Planeamento Estratégico 2011 Planeamento Estratégico Autoavaliação 2013/2014 Melissa [Escrever o nome da empresa] 11 de dezembro de 2013 01-01-2011 1 MMA 2011 Índice 1. Enquadramento estratégico da autoavaliação... 3 1.1. Introdução...

Leia mais

CONGRESSO NACIONAL DE ENFERMAGEM DE REABILITAÇÃO 2009

CONGRESSO NACIONAL DE ENFERMAGEM DE REABILITAÇÃO 2009 CONGRESSO NACIONAL DE ENFERMAGEM DE REABILITAÇÃO 2009 A ACESSIBILIDADE NÃO É UM PRESENTE, É UM DIREITO A Associação Portuguesa dos Enfermeiros de Reabilitação (APER) realizou, em Espinho, Hotel Solverde,

Leia mais

Programa para a Reabilitação de Pessoas com Comportamentos Adictos

Programa para a Reabilitação de Pessoas com Comportamentos Adictos Programa para a Reabilitação de Pessoas com Comportamentos Adictos Introdução Os comportamentos adictos têm vindo a aumentar na nossa sociedade. Os problemas, ao nível do local e das relações no trabalho,

Leia mais

Anexo II Sistema concetual Estatísticas da Saúde e Incapacidades

Anexo II Sistema concetual Estatísticas da Saúde e Incapacidades Anexo II Sistema concetual Estatísticas da Saúde e Incapacidades SAÚDE PÚBLICA ESTADO DE SAÚDE ACAMADO ANDAR ANOS DE VIDA SAUDÁVEL ATIVIDADE DE VIDA DIÁRIA ATIVIDADE INSTRUMENTAL DE VIDA DIÁRIA AUTO APRECIAÇÃO

Leia mais

PLANO DE AUTOAVALIAÇÃO

PLANO DE AUTOAVALIAÇÃO AE de maximinos EQUIPA DE AUTOAVALIAÇÃO PLANO DE AUTOAVALIAÇÃO 2012/2013 Equipa de Autoavaliação Alcina Pires Ana Paula Couto Antonieta Silva António Rocha Beatriz Gonçalves José Pedrosa Paula Mesquita

Leia mais

Escola Superior De Enfermagem São Francisco das Misericórdias. Anexos

Escola Superior De Enfermagem São Francisco das Misericórdias. Anexos Escola Superior De Enfermagem São Francisco das Misericórdias Anexos Relatório de atividades 2014 Auditoria Interna Serviços Administrativos Quadro 1 não conformidades e reclamações no período de 13.05.2013

Leia mais

COORDENADOR AUTORES. Lista de Autores

COORDENADOR AUTORES. Lista de Autores Lista de Autores COORDENADOR Pedro Monteiro Psiquiatra da Infância e Adolescência, com formação em Terapia Familiar, Psicodrama e Terapias Cognitivo-comportamentais; Membro do Núcleo de Doenças do Comportamento

Leia mais

Cuidar do Idoso com demência

Cuidar do Idoso com demência Cuidar do Idoso com demência Na atualidade, somos confrontados com um processo de envelhecimento demográfico caracterizado por um aumento progressivo de população idosa, em detrimento da população jovem,

Leia mais

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro DGEstE Direção de Serviços da Região Centro Bibliotecas Escolares - Plano Anual de Atividades (PAA) Ano letivo 2014/2015 Este PAA encontra-se estruturado em 4 domínios (seguindo as orientações da RBE)

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA RESIDÊNCIA MÉDICA DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

REGIMENTO INTERNO DA RESIDÊNCIA MÉDICA DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA REGIMENTO INTERNO DA RESIDÊNCIA MÉDICA DA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Artigo 1 o.- A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) através da Faculdade de Medicina e do Hospital de Clínicas, manterá

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA. ESTÁGIO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA 6º ANO Ano Lec vo 2014/2015

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA. ESTÁGIO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA 6º ANO Ano Lec vo 2014/2015 ÁREA ACADÉMICA UGC Unidade de Gestão Curricular FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA ESTÁGIO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA 6º ANO Ano Lec vo 2014/2015 Coordenadores:

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE AS ACTIVIDADES DE ENSINO E INVESTIGAÇÃO E A ACTIVIDADE CLÍNICA

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE AS ACTIVIDADES DE ENSINO E INVESTIGAÇÃO E A ACTIVIDADE CLÍNICA UNL Universidade Nova de Lisboa CHL ZC Centro Hospitalar de Lisboa Zona Central PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE AS ACTIVIDADES DE ENSINO E INVESTIGAÇÃO E A ACTIVIDADE CLÍNICA Nos termos do regime jurídico

Leia mais

A realização deste relatório de atividades formativas tem como principal objetivo a apresentação do trabalho

A realização deste relatório de atividades formativas tem como principal objetivo a apresentação do trabalho RELATÓRIO DE ATIVIDADES FORMATIVAS 2012 2010 RELATÓRIO DE ATIVIDADES FORMATIVAS Colaboradores 2012 1. INTRODUÇÃO A realização deste relatório de atividades formativas tem como principal objetivo a apresentação

Leia mais

ANEXO 4 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE MEDICINA E CIRURGIA

ANEXO 4 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE MEDICINA E CIRURGIA PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO: MEDICINA DEPARTAMENTO: DECIGE DISCIPLINA: CLÍNICA CIRÚRGICA CÓDIGO: CARGA HORÁRIA: 585 HORAS CRÉDITOS: 22 PROFESSOR RESPONSÁVEL: 3ª ENFERMARIA - PROF. PEDRO EDER PORTARI FILHO

Leia mais

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO SOCIAL

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO SOCIAL O presente regulamento foi homologado pelo Presidente da ESEV, a 18 de maio

Leia mais

SEGURANÇA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

SEGURANÇA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA SEGURANÇA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Maio 2015 Ficha Técnica Autor Direção-Geral da Segurança Social (DGSS) - Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação (DSIA) Edição e propriedade

Leia mais

Fiscalidade e Contabilidade

Fiscalidade e Contabilidade Fiscalidade e Contabilidade Formação Executiva 2016 www.catolicabs.porto.ucp.pt A Católica Porto Business School Pós-Graduações Fundada em 2002, a Católica Porto Business School é a escola de negócios

Leia mais

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA PROMOÇÃO DO AUTOCUIDADO DO IDOSO COM DIABETES MELLITUS TIPO 2

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA PROMOÇÃO DO AUTOCUIDADO DO IDOSO COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA PROMOÇÃO DO AUTOCUIDADO DO IDOSO COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 Elinalva Maria da Silva elinalva_maria_silva@hotmail.com Jéssyca da Silva Martins Universidade Estadual da Paraíba/UEPB

Leia mais

Colocações no âmbito do Internato Médico IM 2013 A - FE RA MADEIRA

Colocações no âmbito do Internato Médico IM 2013 A - FE RA MADEIRA Centro de Saúde Caniçal Ana Filipa Melim Carvalho Medicina Geral E Familiar Centro De Saúde Caniçal 1170 Preferencial ACSS, I.P. Pag. 1 de 11 Centro de Saúde Caniço Helena Raquel Pimenta da Conceição Medicina

Leia mais

MÉDICOS INTERNOS DE ANO COMUM ANO DE LICENCIATURA: 2007

MÉDICOS INTERNOS DE ANO COMUM ANO DE LICENCIATURA: 2007 MÉDICOS INTERNOS DE ANO COMUM ANO DE LICENCIATURA: 2007 QUESTIONÁRIO PARTE I Sexo: Idade: Expresse a sua opinião de forma clara, sucinta e expressa. 1. Em que Faculdade de Medicina Portuguesa se licenciou?

Leia mais

Boletim de Vigilância Epidemiológica da Gripe. Época 2014/2015 Semana 04 - de 19/01/2015 a 25/01/2015

Boletim de Vigilância Epidemiológica da Gripe. Época 2014/2015 Semana 04 - de 19/01/2015 a 25/01/2015 Resumo Parceiros Rede de hospitais para a vigilância clínica e laboratorial em Unidades de Cuidados Intensivos Contatos: Departamento de Epidemiologia do INSA, tel 217526488 Laboratório Nacional de Referência

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 102 27 de maio de 2015 13575

Diário da República, 2.ª série N.º 102 27 de maio de 2015 13575 Diário da República, 2.ª série N.º 102 27 de maio de 2015 13575 Joaquim Luís Oliveira Costa, na categoria de Assistente Convidado, a 55 %, pelo prazo de oito meses, com efeitos a partir de 26 de março

Leia mais

Federação de Ginástica de Portugal Curso de Treinadores de Ginástica de GRAU I. Todas as disciplinas Formação Geral (41h) e Formação Específica (59h)

Federação de Ginástica de Portugal Curso de Treinadores de Ginástica de GRAU I. Todas as disciplinas Formação Geral (41h) e Formação Específica (59h) Federação de Ginástica de Portugal Curso de Treinadores de Ginástica de GRAU I Todas as disciplinas Formação Geral (41h) e Formação Específica (59h) Regulamento de Participação 1. Componente Geral Organizada

Leia mais

REGULAMENTO DA FORMAÇÃO NÃO GRADUADA SECÇÃO I COORDENADOR DE CURSO. Artigo 1.º Coordenador de Curso

REGULAMENTO DA FORMAÇÃO NÃO GRADUADA SECÇÃO I COORDENADOR DE CURSO. Artigo 1.º Coordenador de Curso REGULAMENTO DA FORMAÇÃO NÃO GRADUADA SECÇÃO I COORDENADOR DE CURSO Artigo 1.º Coordenador de Curso 1. A coordenação pedagógica e científica de um curso de formação não graduada cabe, em regra, a um docente

Leia mais

Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13

Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13 Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Adoção (32 V4.08) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social,

Leia mais

Conferência do Fórum Gulbenkian de Saúde, Auditório 2, Fundação Calouste Gulbenkian.

Conferência do Fórum Gulbenkian de Saúde, Auditório 2, Fundação Calouste Gulbenkian. Conferência do Fórum Gulbenkian de Saúde, Auditório 2, Fundação Calouste Gulbenkian. Serviço de Saúde e Desenvolvimento Humano Valores em euros Encargos com pessoal 323 430 Despesas de funcionamento 74

Leia mais

Na comemoração anual do Dia Mundial da Criança cumpre recordar que o bem estar das crianças se realiza, ou não, no seio das famílias e que as

Na comemoração anual do Dia Mundial da Criança cumpre recordar que o bem estar das crianças se realiza, ou não, no seio das famílias e que as Na comemoração anual do Dia Mundial da Criança cumpre recordar que o bem estar das crianças se realiza, ou não, no seio das famílias e que as condições socioeoconomicoculturais destas são determinantes

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Medicina

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Medicina III MATRIZ CURRICULAR Matriz Curricular I (MC I), em atendimento às Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Graduação em Medicina, aprovadas no Parecer CNE/CES nº 1133/2001, de 7/8/2001. Aprovada

Leia mais

Cuidados paliativos em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos

Cuidados paliativos em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos Cuidados paliativos em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos Fernanda Diniz de Sá 1, Leonildo Santos do Nascimento Júnior, Daniele Nascimento dos Santos, Magdalena Muryelle Silva Brilhante (UFRN

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2013/2015

PLANO DE AÇÃO 2013/2015 PLANO DE AÇÃO 2013/2015 INTRODUÇÃO: Os planos de formação previstos na alínea b) do n.º 2 do artigo 20.º e na alínea d) do artigo 33.º, ambos do Decreto -Lei n.º 75/2008, de 22 de Abril, devem conter,

Leia mais

Relatório Anual Sobre o Acesso a Cuidados de Saúde 2013 RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE

Relatório Anual Sobre o Acesso a Cuidados de Saúde 2013 RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE 1 A. IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE Designação HPP Hospital de Cascais, Dr. José de Almeida Localização da sede Telefone e-mail Fax site Avª Brigadeiro Victor

Leia mais

Índice 1. Introdução... 2 2. Objetivo e Âmbito do Manual do Voluntariado... 2 3. Definições... 2 3.1. Voluntariado... 2 3.2. Voluntário... 3 4.

Índice 1. Introdução... 2 2. Objetivo e Âmbito do Manual do Voluntariado... 2 3. Definições... 2 3.1. Voluntariado... 2 3.2. Voluntário... 3 4. Manual do Índice 1. Introdução... 2 2. Objetivo e Âmbito do Manual do Voluntariado... 2 3. Definições... 2 3.1. Voluntariado... 2 3.2. Voluntário... 3 4. Ser Voluntário da Liga... 3 5. Reflexões prévias...

Leia mais

INSTITUTO PÓLITECNICO DA GUARDA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO. Relatório de estágio. Tânia Patrícia Pinheiro Miguel 17/06/2008

INSTITUTO PÓLITECNICO DA GUARDA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO. Relatório de estágio. Tânia Patrícia Pinheiro Miguel 17/06/2008 INSTITUTO PÓLITECNICO DA GUARDA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO Relatório de estágio Tânia Patrícia Pinheiro Miguel 17/06/2008 RELATÓRIO FINAL A OBTENÇÃO DO GRAU DE NIVEL 4 EM DESENVOLVIMENTOS DE

Leia mais

Câmara Municipal de Santa Maria da Feira Aviso n.º 1/2015 OFERTA DE ESTÁGIOS PROFISSIONAIS - PEPAL 5ª EDIÇÃO

Câmara Municipal de Santa Maria da Feira Aviso n.º 1/2015 OFERTA DE ESTÁGIOS PROFISSIONAIS - PEPAL 5ª EDIÇÃO Câmara Municipal de Santa Maria da Feira Aviso n.º 1/2015 OFERTA DE ESTÁGIOS PROFISSIONAIS - PEPAL 5ª EDIÇÃO O Município de Santa Maria da Feira, no âmbito do Programa de Estágios Profissionais na Administração

Leia mais

Normas e Critérios Gerais de Avaliação. Cursos Profissionais

Normas e Critérios Gerais de Avaliação. Cursos Profissionais Normas e Critérios Gerais de Avaliação Cursos Profissionais O formador deve orientar toda a sua atividade didática no sentido de promover o sucesso educativo do formando através de planificações contextualizadas,

Leia mais

PLANO DE MELHORIA DA BIBLIOTECA da FAV PARA 2015/2016

PLANO DE MELHORIA DA BIBLIOTECA da FAV PARA 2015/2016 Agrupamento de Escolas de Santiago do Cacém Escola Básica Frei André da Veiga PLANO DE MELHORIA DA BIBLIOTECA da FAV PARA 2015/2016 A. Currículo, literacias e aprendizagem Problemas identificados Falta

Leia mais

NCE/15/00099 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/15/00099 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/15/00099 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Instituto Politécnico De Setúbal

Leia mais

Crescer Saudável. Promover e proteger a saúde e prevenir a doença na comunidade educativa.

Crescer Saudável. Promover e proteger a saúde e prevenir a doença na comunidade educativa. Administração Regional de Saúde do Alentejo, IP Centro de Saúde de Montemor-o-Novo Crescer Saudável O Programa de Educação para a Saúde Crescer Saudável surge no âmbito do Programa Nacional de Saúde r

Leia mais

Instituto Superior de Saúde do Alto Ave RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO LICENCIATURA EM FISIOTERAPIA

Instituto Superior de Saúde do Alto Ave RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO LICENCIATURA EM FISIOTERAPIA RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO LICENCIATURA EM FISIOTERAPIA Período de Referência: Ano letivo 2012/2013 Novembro de 2013 Índice Geral INTRODUÇÃO...1 Capítulo I. Elaboração do Relatório de Autoavaliação...2

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Av. Costa Pinto, nº 440 2750-329 Cascais Tel: 21 482 15 21 Email: achupeta@sapo.pt

REGULAMENTO INTERNO. Av. Costa Pinto, nº 440 2750-329 Cascais Tel: 21 482 15 21 Email: achupeta@sapo.pt REGULAMENTO INTERNO Av. Costa Pinto, nº 440 2750-329 Cascais Tel: 21 482 15 21 Email: achupeta@sapo.pt OBJECTIVOS DA CHUPETA "Proporcionar o atendimento individualizado da criança num clima de segurança

Leia mais

CAMPUS DE PARANAVAÍ Divisão de Extensão e Cultura EDITAL Nº. 001/2014. Processo Seletivo de Bolsistas de Extensão Universitária PIBEX/FA

CAMPUS DE PARANAVAÍ Divisão de Extensão e Cultura EDITAL Nº. 001/2014. Processo Seletivo de Bolsistas de Extensão Universitária PIBEX/FA CAMPUS DE PARANAVAÍ Divisão de Extensão e Cultura EDITAL Nº. 001/2014 Processo Seletivo de Bolsistas de Extensão Universitária PIBEX/FA A Divisão de Extensão e Cultura, em conformidade com a Chamada 012/2014

Leia mais

Obesidade pediátrica: a doença que ainda não teve direito a ser reconhecida. A propósito do 1º Simpósio Português sobre Obesidade Pediátrica.

Obesidade pediátrica: a doença que ainda não teve direito a ser reconhecida. A propósito do 1º Simpósio Português sobre Obesidade Pediátrica. Obesidade pediátrica: a doença que ainda não teve direito a ser reconhecida. A propósito do 1º Simpósio Português sobre Obesidade Pediátrica. Carla Rego*, Diana Silva*, António Guerra*, Manuel Fontoura*,

Leia mais

Pós graduação em Psicologia das Organizações DESCRITIVO DE CURSO

Pós graduação em Psicologia das Organizações DESCRITIVO DE CURSO Pós graduação em Psicologia das Organizações DESCRITIVO DE CURSO 1. Apresentação O curso de Pós Graduação Lato Sensu em Psicologia Aplicada às Organizações da Pos Global visa à formação profissional de

Leia mais

Parlamento dos Jovens

Parlamento dos Jovens Parlamento dos Jovens Nos passados dias 4 e 5 de maio, jovens do 3º ciclo de todo o país e fora da Europa encontraram-se no Palácio de São Bento, em Lisboa, no seguimento dos trabalhos relativos ao projeto

Leia mais

Biodanza. Para Crianças e Jovens. Manuela Mestre Robert

Biodanza. Para Crianças e Jovens. Manuela Mestre Robert Biodanza Para Crianças e Jovens Manuela Mestre Robert FICHA TÉCNICA: TÍTULO Biodanza para Crianças e Jovens AUTORIA Manuela Mestre Robert Manuela Mestre Robert, 2008 CAPA Crianças do 1º ciclo do Ensino

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA 2007/2008 DEPARTAMENTO Secção Autónoma de Ciências da Saúde 1. INTRODUÇÃO Em 2003 foi criado o Mestrado em Geriatria e Gerontologia, que se iniciou no

Leia mais