TECNOLOGIAS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO: COLABORAÇÃO E CRIATIVIDADE EM SALA DE AULA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TECNOLOGIAS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO: COLABORAÇÃO E CRIATIVIDADE EM SALA DE AULA"

Transcrição

1 TECNOLOGIAS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO: COLABORAÇÃO E CRIATIVIDADE EM SALA DE AULA DIGITAL TECNOLOGIES IN EDUCATION: COLLABORATION AND CREATIVITY AT SCHOOL Carine Geltrudes Webber Universidade de Caxias do Sul, Centro de Computação e Tecnologia da Informação, Martha Barcelos Vieira Universidade de Caxias do Sul, Centro de Computação e Tecnologia da Informação, Resumo Os recentes avanços das tecnologias aplicadas à educação trazem novas oportunidades e desafios para educadores e pesquisadores. A inserção do computador em atividades educativas implica no uso de novas linguagens, na aprendizagem de novos conceitos e no desenvolvimento de novas práticas pedagógicas e curriculares. Este artigo documenta experimentos que tiveram como objetivo explorar ferramentas de edição de vídeo e colaboração através das quais educadores podem desenvolver projetos educacionais bem sucedidos. A elaboração dos experimentos se baseou em estudos recentes sobre como o uso de softwares e diferentes mídias podem incentivar e desenvolver o pensamento reflexivo e crítico, a compreensão conceitual e as habilidades colaborativas em diversas áreas do conhecimento. Como resultado principal da oficina destaca-se um avanço na percepção dos benefícios que as tecnologias digitais, quando bem integradas a projetos de aprendizagem, podem trazer para a sala de aula. Palavras-chave: Tecnologias na Educação, Trabalho em grupo, Colaboração, Criatividade. Abstract Recent advances on the domain of Educational Technologies bring new opportunities and challenges to educators and researchers. The insertion of computers in educational activities implies on the use of new representations and languages, the learning of new concepts, and the development of new pedagogical practices and curricula. This paper documents a computer-based workshop having the goal of exploring particular software tools that could help educators to construct successful educational projects. The conception of the workshop was based on recent studies about how software tools and 166 REnCiMa, V. 1, N. 2, p , jul/dez 2010

2 especially new medias can improve and develop the reflexive and critical thought, abstract reasoning and collaborative skills in specific knowledge areas. As a main result, we consider that workshops have allowed learners to better perceive the benefits that digital technologies, in a well planned learning project, can bring to the classroom. Keywords: Educational Technology, Group work, Collaboration, Creativity. Introdução Diversos projetos educacionais têm buscado analisar os benefícios e impactos do uso das tecnologias de comunicação e informação na aprendizagem. Estudos mostram que alunos de países que têm acesso fácil às tecnologias são mais motivados e obtém melhores resultados em avaliações internacionais (SCHACTER, 1999; LAAT, 2006). Sabe-se, porém, que as tecnologias não constituem recursos que por si só garantem o sucesso dos processos de aprendizagem (MOURSUND e BIELEFELDT, 1999). O sucesso depende de diversos fatores que incluem a própria população de alunos, do nível de acesso dos alunos às tecnologias, e principalmente o perfil e formação do professor. Embora nem todas as áreas se beneficiem igualmente do uso das tecnologias, em algumas elas são fundamentais. Por exemplo, comportamentos e fenômenos podem ser observados e analisados através de ferramentas de simulação, onde parâmetros permitem que conceitos e leis sejam compreendidos e justificados. Problemas matemáticos e lógicos podem ser automaticamente analisados e corrigidos, permitindo que o aprendiz possa imediatamente identificar seu erro e corrigi-lo. Atividades colaborativas mediadas pelo computador podem ser realizadas sem que fatores como localização e tempo interfiram no sucesso da tarefa. O termo aprendizagem colaborativa é predominantemente utilizado para descrever uma configuração na qual alunos trabalham em grupos em um problema ou tarefa compartilhada, para a qual se espera que todos tenham igual contribuição e participação. Por esta razão, os participantes que possuem competências e habilidades similares ou complementárias, estabelecem objetivos compartilhados claros e trabalham juntos nas tarefas. Em cenários de colaboração, as tecnologias assumem papéis na comunicação, mediação e motivação dos participantes, contribuindo nos processos de interação e aprendizagem. A abordagem da aprendizagem colaborativa se fundamenta nas teorias que defendem que a aprendizagem é um processo social, pois as pessoas aprendem melhor com e a partir de outros. Neste caso, o professor assume o papel de acompanhar e mediar a aprendizagem, intervindo para apresentar novos problemas, validar ou invalidar hipóteses. Estudos sobre a aprendizagem colaborativa são fundamentados e influenciados pelos trabalhos de Vygotsky (1962; 1978). Segundo alguns autores, (GOLDSTEIN, 1999; RESNICK, 1991; SALOMON e PERKINS, 1998) observa-se em trabalhos em grupo que o pensamento do grupo tem forte influência sobre o pensamento dos indivíduos que o compõe. Tensões, conflitos e divergências que podem ocorrer em atividades colaborativas são comuns e promovem interações em que novos conceitos e significados são construídos. 167 REnCiMa, V. 1, N. 2, p , jul/dez 2010

3 Além da aprendizagem esperada, atividades de colaboração contribuem para que soluções originais, conceitos e novas ideias possam emergir. Em se tratando de tarefas de colaboração, ferramentas de suporte a criatividade permitem novas formas de expressão e de criação. O conceito de criatividade está relacionado à descoberta ou invenção de uma ideia, padrão, método ou dispositivo que posteriormente ganhe reconhecimento na área. Atividades que incentivam a criatividade são fortemente vistas como parte de processos de inovação, tão importantes em nossos dias (SHNEIDERMAN, 2007). Experiências têm mostrado que o incentivo à criatividade precisa ocorrer em todos os momentos da formação educacional, para que cada indivíduo possa se valer do conhecimento e da capacidade criativa para repensar, projetar e desenvolver inovações. Ferramentas computacionais de suporte a criatividade ampliam a capacidade dos indivíduos para fazerem descobertas ou invenções, desde os estágios iniciais de coleta de informação, geração de hipóteses e produção inicial até os últimos estágios de refinamento, validação e disseminação. Pode-se inferir que alunos envolvidos em atividades que desenvolvam e incentivem habilidades criativas terão mais chances de um dia estarem envolvidos em equipes que contribuam com descobertas nas ciências, projetos inovadores de design, inovação nas engenharias e imaginação nas artes. Neste contexto, torna-se importante preparar os educadores para que sejam capazes de introduzir tecnologias de comunicação e informação em cenários educacionais que, além dos objetivos de aprendizagem, possam desenvolver habilidades como a criatividade e a colaboração. Este artigo apresenta um experimento realizado com professores das disciplinas de Ciências, Matemática, Geografia e Língua Portuguesa do ensino médio visando introduzir o uso de tecnologias de comunicação e informação em cenários educacionais. Na preparação deste experimento buscou-se explorar formatos de representação do conhecimento e mídias digitais, em cenários de colaboração e criação, além de investigar suas aplicabilidades e pertinências nesses cenários. Materiais e Métodos A fim de introduzir as tecnologias de apoio às atividades educacionais, planejou-se uma oficina de 12 horas de duração organizada em duas partes: concepção de vídeo e edição de textos, Blogs e Wikis. A oficina foi concebida e proposta para professores do Ensino Médio em laboratórios de informática equipados com câmeras de vídeo e equipamentos multimídia. Participaram da oficina 50 professores divididos em 2 turmas. Os softwares utilizados foram o Windows Movie Maker (editor de vídeo), BrOffice (editor e planilha eletrônica) e editores de Blog e Wikis. As atividades desenvolvidas foram de natureza prática, envolvendo a aprendizagem e o uso dos softwares em cenários didáticopedagógicos. A concepção da primeira parte da oficina esteve fundamentada em trabalhos sobre o uso de mídias na educação. Neste contexto, autores como Schuck e Kearney (2006) sustentam que o uso de projetos de vídeo digital contribui com a formação e organização do pensamento reflexivo e crítico, a compreensão conceitual, o raciocínio abstrato e a 168 REnCiMa, V. 1, N. 2, p , jul/dez 2010

4 capacidade de trabalhar em grupo. O engajamento em projetos que contemplam tarefas criativas melhora a auto-estima dos alunos, o que tem efeito sobre a motivação escolar. Estes mesmos autores apresentam uma revisão sobre o uso de tarefas de construção de vídeo em áreas específicas do conhecimento tais como: história, ciências e línguas (KEARNEY e SCHUCK, 2006). Nas ciências em especial, os vídeos constituem ferramentas de observação e análise de fenômenos, sendo ainda consideradas ferramentas metacognitivas à medida que permitem que os autores do vídeo possam se auto-avaliar e criticar seu produto (WINNIE, 2010; COZENDEY, PESSANHA e SOUZA 2007). Para a segunda parte da oficina utilizou-se ferramentas para tarefas colaborativas, como a construção de Blogs. A aprendizagem colaborativa prepara o aluno para situações reais de colaboração (SHNEIDERMAN, 2007): a colaboração entre cientistas e especialistas em domínios acelera a construção e disseminação do conhecimento, a colaboração das artes e tecnologias supera os resultados que um único artista ou cientista poderia obter isoladamente, etc. A ligação entre as duas partes da oficina está na concepção de que grupos são em geral constituídos quando soluções criativas para problemas não convencionais são necessárias. Tal tarefa demanda diferentes tipos de conhecimento especializado e busca altos padrões de desempenho. Ferramentas, como editores de texto e vídeo, são facilitadores de processos criativos. De forma complementar, atividades em grupo permitem que diferenças individuais quanto a conhecimento, visão e perspectivas sejam a base para a colaboração na direção de soluções criativas e sustentáveis. Resultados e Discussão A oficina realizada tratou de temas e tecnologias complementares, com a finalidade de explorar meios de produção visual e textual. O objetivo da oficina foi utilizar diferentes tecnologias, expressar seus conhecimentos em vários formatos e desenvolver habilidades de criação e colaboração. A oficina foi dividida em duas partes, apresentadas nas seções seguintes. Primeira parte: criatividade Na primeira parte da oficina realizada os alunos foram apresentados ao software de edição de vídeo Windows Movie Maker (2009). Além de ser um software fácil de ser aprendido e utilizado, ele acompanha todo computador instalado com sistema operacional Windows. O software Movie Maker permite a construção de vídeos através de imagens, fotografias, outros vídeos, texto e áudio. Por ser um editor, ele permite que qualquer tema seja desenvolvido, registrado em formatos de vídeo variados e gravado em formato de mídias digitais. Além de editor de vídeos, ele é uma ferramenta classificada como de suporte a criatividade individual e em grupo (SHNEIDERMAN, 2007). O objetivo da atividade foi, em um primeiro momento, instrumentalizar os alunos com o uso de um software de edição de vídeo para permitir que eles pudessem explorar 169 REnCiMa, V. 1, N. 2, p , jul/dez 2010

5 seus recursos. Posteriormente, a oficina buscou situar os alunos na perspectiva do conhecimento representado de forma visual. Nela a tarefa do aluno não consiste mais em expressar o seu conhecimento na forma textual ou através de uma linguagem formal. Ele deve capturar, editar e gerar seu vídeo, aprendendo e demonstrando, segundo Winnie (2010), o valor de uma aprendizagem autêntica através das tecnologias digitais. Kearney e Schuck (2006) defendem, sob a ótica das propostas de aprendizagem ativa e experimental, o uso do vídeo digital em sala de aula. Em seus apontamentos os autores destacam o fato de que a mídia digital está muito mais próxima da realidade dos alunos fora da escola do que nos currículos escolares. Por isso, trazê-la para dentro da sala de aula ajuda a conectar aos problemas reais estudados, permitindo que eles façam uso de conhecimentos externos à escola sobre filmes e tevê. Essa interligação traz benefícios, pois torna os alunos expectadores uns dos outros em suas tarefas. De fato, esta forma de expressão, embora pouco explorada e conhecida por educadores e pesquisadores, pode permitir novas formas de aprendizagem e de geração de materiais educacionais. Isso ocorre especialmente nos dias de hoje com a popularização das câmeras digitais e dos repositórios digitais. No escopo desta oficina foi solicitado aos alunos que se reunissem em grupos temáticos de 2 ou 3 pessoas. Cada grupo deveria escolher um tema e trabalhar de forma coletiva no desenvolvimento do vídeo, privilegiando um tópico de conhecimento no tema escolhido. Os alunos foram orientados a descrever primeiramente o roteiro do vídeo e em seguida proceder com a elaboração e coleta de imagens, sons e materiais. Tanto o roteiro quanto o material desenvolvido e coletado deveriam contribuir para uma situação de aprendizagem pontual, levando em conta a experiência dos alunos no ensino e preceitos didático-pedagógicos. Em seguida, os alunos poderiam se ocupar da montagem do vídeo, inclusão de narrativas ou som, interatividade, luzes e cores. Ao término da tarefa, todos os alunos deveriam gerar o vídeo no formato de mídia digital (padrão Windows) e apresentar ao grupo expondo seus objetivos e justificando decisões tomadas. Diversos tópicos de conhecimento foram explorados pelos alunos em seus vídeos. A figura 1 ilustra imagens capturadas no vídeo desenvolvido pelas alunas Ana e Paula 1 tratando do tema da origem da escrita. No vídeo, as alunas retrataram a evolução do homem através da evolução da escrita. O vídeo proposto seguiu um modelo de documentário, contando uma história e apresentando diversas ilustrações. 1 Os nomes de alunos citados neste trabalho são fictícios. Figura 1: Imagens do vídeo de Ana e Paula 170 REnCiMa, V. 1, N. 2, p , jul/dez 2010

6 A figura 2 ilustra o vídeo das alunas Maria e Sandra sobre o tema das rochas. As alunas seguiram um modelo descritivo, destacando os processos de formação de rochas. Figura 2: Imagens do vídeo de Maria e Sandra Em um cenário experimental, os alunos Paulo e Joana elaboraram um vídeo sobre o conceito físico de Pressão (figura 3). Nele, conceitos intercalam experimentos fáceis de serem repetidos. Figura 3: Imagens do vídeo de Paulo e Joana Os mesmos alunos propuseram ainda um problema comparativo sobre a pressão exercida por um edifício de 100 toneladas e uma bailarina de 40 quilos (figura 4). Figura 4: Problema proposto no vídeo de Paulo e Joana O vídeo permite que o aluno reflita sobre a questão e, em seguida, apresenta a sua resposta (figura 5). Ao término do tempo estipulado, todos os alunos apresentaram seus vídeos, apontando em especial as principais dificuldades encontradas. A maior dificuldade do grupo de alunos foi abandonar a expressão exclusivamente textual e incorporar novas mídias (imagens, vídeos, som) na produção do material. De fato, a proficiência visual é uma habilidade de expressão que precisa ser compreendida e praticada para que possa ser utilizada adequadamente. Através desta oficina observou-se a importância de se desenvolver esta habilidade com educadores, para que eles possam conceber projetos educacionais onde as novas mídias impulsionem e produzam novas aprendizagens. 171 REnCiMa, V. 1, N. 2, p , jul/dez 2010

7 Figura 5: Resposta ao problema proposto por Paulo e Joana Segunda parte: colaboração Na segunda parte da oficina trabalhou-se a criação de Blogs e Wikis para o desenvolvimento de habilidades de colaboração. Um blog (ou weblog) é um registro publicado na Internet relativo a algum assunto e organizado cronologicamente (como um diário). Pode ainda permitir comentários dos leitores aos textos publicados (denominados posts). A grande vantagem da sua utilização é que autor do blog não necessita saber construir páginas para a Internet ou trabalhar com código de programação. Os blogs podem ser poderosas ferramentas de aprendizagem detentoras de grande importância no meio educacional, seja pela facilidade de criação ou pela constante atualização, permitindo a interação e o compartilhamento do conhecimento entre alunos e professores e proporcionando uma troca constante de experiências e de informações. O aluno passa a ser o protagonista de sua aprendizagem e, à medida que modifica o ambiente, constrói novos significados. No uso pedagógico os blogs podem ser utilizados como recursos pedagógicos de acesso à informação especializada e oriunda do professor (GOMES, 2005; SANTOS e CYPRIANO, 2010). Os blogs podem servir como um portfólio digital, um espaço de colaboração, de debate (role playing), e ainda espaço de integração entre professor-aluno e aluno-aluno. Sistematização do uso da ferramenta na oficina Os alunos receberam tarefas de construção, publicação e atualização de um blog. Os blogs desenvolvidos foram hospedados no site Blogger (2009). Foram sugeridas as seguintes aplicações do blog para o projeto da oficina: (a) Apresentação das várias etapas de um projeto educativo de um ou mais professores; (b) Reflexão em torno de temas educativos e conteúdos programáticos; 172 REnCiMa, V. 1, N. 2, p , jul/dez 2010

8 (c) Apresentação de projetos e trabalhos realizados por alunos (em grupo ou individualmente); (d) Criação de um jornal escolar online; (e) Apoio a uma disciplina. Os blogs podem ser criados e gerenciados por professores (individualmente ou em grupo), pelos alunos (individualmente, por grupos de trabalho ou por turmas) e até simultaneamente por professores e os seus alunos. Após a construção dos blogs, os alunos desenvolveram suas Wikis, publicando e atualizando seus conteúdos. As Wikis desenvolvidas foram hospedadas no repositório Wikispaces (2009). Uma wiki é uma aplicação web que permite que vários autores possam construir documentos ou editar um já existente, em conjunto e de forma cooperativa (COUTINHO e JUNIOR, 2007). As wikis assumem um papel importante na comunidade educativa, destituídos de qualquer fronteira geográfica e institucional, acrescentam interatividade no processo ensino-aprendizagem. Elas desenvolvem no usuário a capacidade de preparar atividades cooperativas e colaborativas, permitindo a construção de um projeto de autoria coletiva. De forma semelhante aos blogs, as wikis conduzem a aprendizagem colaborativa, integrando seus participantes e proporcionando crescimento coletivo. Blogs e wikis são diferentes nas suas concepções, porém quando integrados são complementares em sala de aula. Ao final da oficina traçou-se um paralelo destacando usos e benefícios na escolha entre blogs e wikis (Tabela 1), utilizando-se critérios de alguns autores (SANTOS e CYPRIANO, 2010; COUTINHO e JUNIOR, 2007). Tabela 1 - Formas de uso dos blogs e wikis Blogs O acesso é restrito a novos usuários. Apresenta ideias, conceitos e pensamentos de um único usuário ou de usuários autorizados para publicar no espaço criado. A escolha e a apresentação de temas são pessoais e subjetivas. As regras podem ser constantemente revistas. A autoria é pessoal, pois o tema ou a questão inicialmente tratada é definida pelo autor. Wikis O acesso é livre a novos usuários. Apresenta ideias, conceitos e histórias construídos por usuários com iguais direitos de edição. A escolha e a apresentação de temas são objetivas. As regras são rígidas. A autoria é coletiva e marcada pela anonimidade dos autores. Como recomendação final nesta etapa, os alunos foram estimulados a criar seus blogs e suas wikis, em suas áreas de conhecimento, nas escolas onde atuam. 173 REnCiMa, V. 1, N. 2, p , jul/dez 2010

9 Conclusões As novas tecnologias não conseguem por si só suscitar aprendizagens ou o desenvolvimento de habilidades. O corpo de educadores é inteiramente responsável pela criação de projetos educacionais que integrem tecnologias adequadas aos objetivos das aprendizagens. A formação dos educadores é, portanto, fundamental para garantir o sucesso da inserção das tecnologias na educação (UNESCO, 2010). Para contribuir com este objetivo, buscou-se através de uma oficina ilustrar situações de aprendizagem ativa, onde por meio de ferramentas de software os alunos (educadores na prática) pudessem desenvolver projetos educacionais em áreas específicas do conhecimento. Habilidades sociais, de reflexão crítica e compreensão conceitual são algumas características individuais que podem ser desenvolvidas enquanto alunos brincam e se motivam mutuamente. Como resultado principal da oficina destacase o avanço nas percepções dos educadores sobre os benefícios que as tecnologias, quando bem integradas a projetos de aprendizagem, podem trazer para a sala de aula. Embora a oficina tenha sido de curta duração, ficou evidente a todos os alunos participantes que o uso de tecnologias para produção visual facilita que novas visões sobre o conhecimento sejam exploradas, favorecendo e mesmo incentivando processos criativos. Outro ponto importante destacado foi o fato de que através das mídias digitais é possível de fato integrar conhecimentos estudados na escola com as tecnologias que crianças e adolescentes já estão se habituando a utilizar fora dela. Esta integração pode favorecer e atrair o engajamento e o comprometimento dos alunos com projetos de aprendizagem da mesma forma que vem acontecendo em países como Estados Unidos, Inglaterra e Portugal (WINNIE, 2010; Interactive Video Team, 2010; CRUZ e CARVALHO, 2007). Na segunda parte da oficina, a expressão textual foi enriquecida pelas tecnologias que permitem a realização de atividades de colaboração. Ficou claro aos alunos que as produções visuais e textuais são plenamente complementares, permitindo o desenvolvimento de múltiplas formas de expressão do conhecimento e o desenvolvimento e aprimoramento de habilidades cognitivas (criatividade, fluência em mídias, memória) metacognitivas (pensamento convergente, pensamento divergente, auto-avaliação da aprendizagem, motivação e reflexão) e sociais (autonomia, colaboração, cooperação, estabelecimento de vínculos, interatividade). A Tabela 2 ilustra quais habilidades foram mobilizadas durante nossos experimentos e se tornaram fortemente aparentes. Uma fundamentação destas habilidades pode ser encontrada em Gatti (1997). Destacamos que esta lista não é definitiva nem exclui a possibilidade de que outras habilidades possam ser trabalhadas e aprimoradas no uso das mesmas ferramentas tecnológicas. A lista retrata apenas as habilidades que se destacaram durante a realização da oficina no uso de cada uma das ferramentas. 174 REnCiMa, V. 1, N. 2, p , jul/dez 2010

10 Tabela 2 Habilidades desenvolvidas na oficina Habilidades percebidas Blog Vídeo Digital Wiki Autonomia x Colaboração x Cooperação x x Criatividade x Estabelecimento de vínculos x x Fluência em mídias digitais x Interatividade x x Memória x x x Motivação x x x Pensamento convergente x x x Pensamento divergente x x Processos de auto-avaliação x x x Reflexão x x x Para finalizar, entende-se que de fato as tecnologias podem apoiar os alunos nos processos de aprendizagem, seja expandindo a gama de questões que podem ser analisadas, os tipos de informação coletados, ou ainda permitindo que dados e informações possam ser visualizados. Para os educadores, os produtos de conhecimento elaborados pelos alunos, sejam vídeos ou blogs, constituem novas formas de expor e representar conhecimento, possibilitando o acompanhamento dos processos de aprendizagem em todas as suas dimensões (concepção, desenvolvimento e avaliação). Para os alunos, em particular, eles constituem prova material de sua evolução e aprendizagem, subsidiando ainda processos de auto-avaliação e construção de identidades. Referências Blogger. Disponível em Acesso em: 03 março COUTINHO, C. P., JUNIOR, J. B. B. Blog e Wiki: Os Futuros Professores e as Ferramentas da Web 2.0. Actas do IX Simpósio Internacional de Informática Educativa (SIIE07). Leiria: Escola Superior de Educação de Leiria, pp , COZENDEY, S. G.; PESSANHA, M. C. R.; SOUZA M. O. Uma Análise do Uso de Vídeos Educativos Mono-Conceituais como uma Ferramenta Auxiliar da Aprendizagem Significativa de Conceitos Básicos de Física em Escolas Públicas do Norte do Estado do Rio de Janeiro. Anais do VI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Mortimer, E. F. (org), Florianópolis, Santa Catarina, ABRAPEC, REnCiMa, V. 1, N. 2, p , jul/dez 2010

11 CRUZ, S.; CARVALHO, A. A. A. Produção de vídeo com o Movie Maker: um estudo sobre o envolvimento dos alunos de 9º ano na aprendizagem. In Marcelino, M. J. e Silva, M. J. (org) Simpósio Internacional de Informática Educativa, 9, Porto, Portugal, p , GATTI, B. A. Habilidades Cognitivas e Competências Sociais, Disponível em: Acesso em março de GOLDSTEIN, L. S. The relational zone: The role of caring relationships in the coconstruction of mind. American Educational Research Journal, 36(3), p , GOMES, M. J. Blogs: um recurso e uma estratégia pedagógica. Actas do VII Simpósio Internacional de Informática Educativa (SIIE05). Leiria: Escola Superior de Educação de Leiria, pp Interactive Video Team. Disponível em Acesso em 6 de outubro de KEARNEY, M. D.; SCHUCK, S. R. Spotlight on authentic learning: Student developed digital video projects. Australian Journal of Educational Technology, vol. 22, no. 2, pp , LAAT, M. Networked Learning. The Netherlands: Politieacademie, 2006, pp.111. MOURSUND, D., BIELEFELDT, T. Will New Teachers be Prepared to Teach in the Digital Age? A National Survey on Information Technology in Teacher Education. Milken Exchange on Education Technology, California, RESNICK, L. B. Shared Cognition: thinking as social practice. In L. B. Resnick & J. M. Levine & S. D. Teasley (Eds.), Perspectives on Socially Shared Cognition. Arlington VA: American Psychological Association. p.1-20, SALOMON, G., & PERKINS. D. N. Individual and Social Aspects of Learning. Review of Research in Education, 23, p.1-24, SANTOS, F. C.; CYPRIANO, C. P. Blogs e Wikis Duas formas de colaboração em redes sociais. Biblioteca on-line de Ciências da Comunicação, Disponível em Acesso em março de SCHACTER, J. The Impact of Education Technology on Student Achievement. Milken Exchange on Education Technology, California, SCHUCK, S., KEARNEY, M. Capturing learning through student-generated digital video, Australian Educational Computing, 21(1), p.15-20, REnCiMa, V. 1, N. 2, p , jul/dez 2010

12 SHNEIDERMAN, B. Creativity Support Tools-Accelerating Discovery and Innovation, Communications of the ACM, December 2007/Vol. 50, No. 12, p.20-32, UNESCO, ICT in Education, ICT Portal for Teachers. Disponível em Acesso em 4 de agosto VYGOTSKY, L. S. Thought and Language. E. Hanfmann and G. Vakar, Trans. Cambridge, MA: MIT Press, VYGOTSKY, L. S. Mind in Society: the development of higher psychological processes. M. Cole, V. John-Steiner, S. Scribner and E. Souberman, Trans. Cambridge MA: Harvard University Press, Wikispaces. Disponível em Acesso em 3 de março Windows Movie Maker. Disponível em: windowsxp/moviemaker/default.mspx Acesso em 3 de março WINNIE, S. W. M. Meaning representation in video outcomes of inquiry project. Computers & Education, 55, p , REnCiMa, V. 1, N. 2, p , jul/dez 2010

O uso de blogs no ensino de Matemática 2

O uso de blogs no ensino de Matemática 2 Claudinei Flavia Batista Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Brasil bs_flavia@hotmail.com Sirlândia Souza Santana sirlandiasantana@hotmail.com Resumo Este trabalho tem como principal objetivo

Leia mais

Portal de conteúdos Linha Direta

Portal de conteúdos Linha Direta Portal de conteúdos Linha Direta Tecnologias Educacionais PROMOVEM SÃO Ferramentas Recursos USADAS EM SALA DE AULA PARA APRENDIZADO SÃO: Facilitadoras Incentivadoras SERVEM Necessárias Pesquisa Facilitar

Leia mais

O GOOGLE SITES NA APRESENTAÇÃO DO V DE GOWIN DE UMA INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL EM CIÊNCIAS NATURAIS

O GOOGLE SITES NA APRESENTAÇÃO DO V DE GOWIN DE UMA INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL EM CIÊNCIAS NATURAIS O GOOGLE SITES NA APRESENTAÇÃO DO V DE GOWIN DE UMA INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL EM CIÊNCIAS NATURAIS Berta Bemhaja, Elizabeth Ashall, Inês Tavares, Sara Barroca, Zara Baltazar Escola Secundária, com 3º ciclo,

Leia mais

HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB

HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB Luzivone Lopes GOMES - PPGFP UEPB luzivone@gmail.com Kennedy Machado OLIVIERA prof.kennedy@hotmail.com RESUMO: Este artigo trata de um relato de experiência

Leia mais

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS REFLEXÕES PEDAGÓGICAS A forma como trabalhamos, colaboramos e nos comunicamos está evoluindo à medida que as fronteiras entre os povos se tornam mais diluídas e a globalização aumenta. Essa tendência está

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA IVINHEMA MS MAIO DE 2010 ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR

Leia mais

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES EDIT MARIA ALVES SIQUEIRA (UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA). Resumo Diferentes instrumentos de avaliação (ENEM, SIMAVE) tem diagnosticado o despreparo dos alunos

Leia mais

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO 1. DIMENSÃO PEDAGÓGICA 1.a) ACESSIBILIDADE SEMPRE ÀS VEZES NUNCA Computadores, laptops e/ou tablets são recursos que estão inseridos na rotina de aprendizagem dos alunos, sendo possível

Leia mais

TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO 63 TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO CARLOS FERNANDO DE ARAUJO JR 1 ÁDERSON GUIMARÃES PEREIRA 2 RESUMO O trabalho procura demonstrar que a aplicação das tecnologias

Leia mais

PROJETO UCA: FORMAÇÃO BRASIL. Proposta de operacionalização. Formação dos professores na escola

PROJETO UCA: FORMAÇÃO BRASIL. Proposta de operacionalização. Formação dos professores na escola Ministério da Educação Secretaria de Educação a Distância Projeto Um Computador por Aluno PROJETO UCA: FORMAÇÃO BRASIL Proposta de operacionalização Formação dos professores na escola Outubro, 2009 FORMAÇÃO

Leia mais

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa Pedagogia Prof. Marcos Munhoz da Costa Tecnologias da informação e mídias digitais na educação Objetivos deste tema Refletir sobre as mudanças de experiências do corpo com o advento das novas tecnologias;

Leia mais

OBJETOS DE APRENDIZAGEM EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL: CONHEÇA O AMBIENTE ATRAVÉS DO WIKI Rosane Aragón de Nevado 1 ; Janaína Oppermann 2

OBJETOS DE APRENDIZAGEM EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL: CONHEÇA O AMBIENTE ATRAVÉS DO WIKI Rosane Aragón de Nevado 1 ; Janaína Oppermann 2 OBJETOS DE APRENDIZAGEM EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL: CONHEÇA O AMBIENTE ATRAVÉS DO WIKI Rosane Aragón de Nevado 1 ; Janaína Oppermann 2 RESUMO Os hábitos e costumes humanos tem alterado intensamente os ecossistemas

Leia mais

O blog no processo de ensino e aprendizagem em Ciências: horizontes e possibilidades

O blog no processo de ensino e aprendizagem em Ciências: horizontes e possibilidades O blog no processo de ensino e aprendizagem em Ciências: horizontes e possibilidades Rodolfo Fortunato de Oliveira Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho UNESP, Bauru/SP rodolfo_fdeoliveira@hotmail.com

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO USO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA O ENSINO- APRENDIZAGEM DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA: a visão dos alunos

CONTRIBUIÇÕES DO USO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA O ENSINO- APRENDIZAGEM DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA: a visão dos alunos CONTRIBUIÇÕES DO USO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA O ENSINO- APRENDIZAGEM DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA: a visão dos alunos Marli Fátima Vick Vieira 1 ; Gicele Vieira Prebianca 2 ; Tháfila Krum de

Leia mais

JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS

JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS Lucas Gabriel Seibert Universidade Luterana do Brasil lucasseibert@hotmail.com Roberto Luis Tavares Bittencourt Universidade Luterana do Brasil rbittencourt@pop.com.br

Leia mais

Ministério da Educação. Primavera 2014. Atualização do Redesenho do Currículo

Ministério da Educação. Primavera 2014. Atualização do Redesenho do Currículo Ministério da Educação Primavera 2014 Atualização do Redesenho do Currículo Em 2010, o Ministério da Educação começou a transformar o sistema educacional de British Columbia, Canadá, Ensino Infantil Médio

Leia mais

INFORMÁTICA: UMA NOVA FERRAMENTA PARA A EDUCAÇÃO

INFORMÁTICA: UMA NOVA FERRAMENTA PARA A EDUCAÇÃO INFORMÁTICA: UMA NOVA FERRAMENTA PARA A EDUCAÇÃO SANTOS, Lucimeire Silva 1 SANTOS, Luciana Silva 2 ALMEIDA, Douglas Ribeiro 3 BARBARESCO, Bárbara Lima 4 SANTOS, Luiz Alberto Alves 5 RESUMO Atualmente para

Leia mais

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Prof. Dr. Luis Paulo Leopoldo Mercado Programa de Pós-Graduação em Educação Universidade Federal de Alagoas Conteúdos

Leia mais

O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL

O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL Introdução Com frequência as tecnologias digitais estão sendo empregadas pelos educadores em

Leia mais

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3 ENSINO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DO MOODLE COMO INSTRUMENTO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DO ENSINO MÉDIO E SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CATARINENSE (IFC) - CÂMPUS ARAQUARI

Leia mais

DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS. Maio/2005 216-TC-C3

DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS. Maio/2005 216-TC-C3 1 DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS Maio/2005 216-TC-C3 José Antonio Gameiro Salles UNISUAM / CCET / Desenv. de Softwares & UNISUAM/LAPEAD - antoniosalles@gmail.com

Leia mais

O BLOG COMO RECURSO DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA NA EJA

O BLOG COMO RECURSO DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA NA EJA O BLOG COMO RECURSO DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA NA EJA Fernanda de Araujo Monteiro Colégio Estadual General Dutra fmonteiro5@yahoo.com.br Príscila de Oliveira Neves Colégio Estadual General Dutra priscila1092@uol.com.br

Leia mais

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas CONSTRUINDO CONCEITOS SOBRE FAMÍLIA DE FUNÇÕES POLINOMIAL DO 1º GRAU COM USO DO WINPLOT Tecnologias da Informação e Comunicação e Educação Matemática (TICEM) GT 06 MARCOS ANTONIO HELENO DUARTE Secretaria

Leia mais

Produção de um documentário amador por turmas de ensino médio e EJA, (ensino de jovens e adultos) com o uso do Windows Movie Maker

Produção de um documentário amador por turmas de ensino médio e EJA, (ensino de jovens e adultos) com o uso do Windows Movie Maker Produção de um documentário amador por turmas de ensino médio e EJA, (ensino de jovens e adultos) com o uso do Windows Movie Maker Adriana Oliveira Bernardes UENF (Universidade Estadual do Norte Fluminense

Leia mais

Departamento de Ciências da Educação

Departamento de Ciências da Educação Departamento de Ciências da Educação 2010/2011 1º ciclo em Ciências da Educação Tecnologia e Inovação na Educação 1º ano 2º Semestre 7,5 ECTS Docente: Mestre Fernando Correia fcorreia@uma.pt Coordenador:

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Como encontrar maneiras de associar um importante conteúdo didático a um software que ensine e divirta ao mesmo tempo? Estão os professores

Como encontrar maneiras de associar um importante conteúdo didático a um software que ensine e divirta ao mesmo tempo? Estão os professores Profª Levany Rogge Os softwares são considerados programas educacionais a partir do momento em que são projetados através de uma metodologia que os contextualizem no processo ensino-aprendizagem; Tajra

Leia mais

Análise do processo de avaliação contínua em um curso totalmente à distância

Análise do processo de avaliação contínua em um curso totalmente à distância Análise do processo de avaliação contínua em um curso totalmente à distância Joice Lee Otsuka Instituto de Computação Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) 1 Caixa Postal 6176 CEP: 13083-970 - Campinas,

Leia mais

Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3

Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3 Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3 A LEGO Education tem o prazer de trazer até você a edição para tablet do Software LEGO MINDSTORMS Education EV3 - um jeito divertido

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Alfabetização de Crianças O Professor Alfabetizador é o profissional responsável por planejar e implementar ações pedagógicas que propiciem,

Leia mais

MUSEU DA COMPUTAÇÃO DA UEPG: O QUE É O MUSEU VIRTUAL

MUSEU DA COMPUTAÇÃO DA UEPG: O QUE É O MUSEU VIRTUAL 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DA REALIDADE AUMENTADA EM ATIVIDADES PRÁTICAS/COMPLEMENTARES COMO MOTIVAÇÃO PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Brasília DF Maio 2010

A UTILIZAÇÃO DA REALIDADE AUMENTADA EM ATIVIDADES PRÁTICAS/COMPLEMENTARES COMO MOTIVAÇÃO PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Brasília DF Maio 2010 1 A UTILIZAÇÃO DA REALIDADE AUMENTADA EM ATIVIDADES PRÁTICAS/COMPLEMENTARES COMO MOTIVAÇÃO PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA Brasília DF Maio 2010 Daniela Zinn S. Gonçalves - NT Educação - daniela.goncalves@grupont.com.br

Leia mais

Universidade de Santa Cruz do Sul Departamento de Informática

Universidade de Santa Cruz do Sul Departamento de Informática Universidade de Santa Cruz do Sul Departamento de Informática II Seminário dos Grupos de Pesquisa da UNISC Ficha de Inscrição do Grupo de Pesquisa Sistemas Computacionais de Apoio à Educação Santa Cruz

Leia mais

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA Dayane Ribeiro da Silva (PICV/PRPPG/ UNIOESTE), Greice da Silva Castela (Orientadora), e-mail: greicecastela@yahoo.com.br

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA Autores : Agata RHENIUS, Melissa MEIER. Identificação autores: Bolsista IFC-Campus Camboriú;

Leia mais

IMERSÃO TECNOLÓGICA DE PROFESSORES: POSSIBILIDADES DE FORMAÇÃO CONTINUADA MEDIADA POR AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA

IMERSÃO TECNOLÓGICA DE PROFESSORES: POSSIBILIDADES DE FORMAÇÃO CONTINUADA MEDIADA POR AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA IMERSÃO TECNOLÓGICA DE PROFESSORES: POSSIBILIDADES DE FORMAÇÃO CONTINUADA MEDIADA POR AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA QUARESMA, Cíndia Rosa Toniazzo 1 Palavras-chave: Formação de Professores,

Leia mais

PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA. Ensino Fundamental (séries finais)

PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA. Ensino Fundamental (séries finais) PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA Ensino Fundamental (séries finais) O Clickideia é um portal educacional (www.clickideia.com.br), desenvolvido com o apoio do CNPq e da UNICAMP, que apresenta conteúdos didáticos

Leia mais

Um modelo para construção de materiais didáticos para o ensino de Matemática baseado em Tecnologias de Informação

Um modelo para construção de materiais didáticos para o ensino de Matemática baseado em Tecnologias de Informação Um modelo para construção de materiais didáticos para o ensino de Matemática baseado em Ednilson Luiz Silva Vaz Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, UNESP Brasil ednilson_vaz@hotmail.com

Leia mais

INSTITUTO VIANNA JÚNIOR LTDA FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS VIANNA JÚNIOR INTERNET COMO INSTRUMENTO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

INSTITUTO VIANNA JÚNIOR LTDA FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS VIANNA JÚNIOR INTERNET COMO INSTRUMENTO DE ENSINO-APRENDIZAGEM INSTITUTO VIANNA JÚNIOR LTDA FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS VIANNA JÚNIOR INTERNET COMO INSTRUMENTO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Lúcia Helena de Magalhães 1 Maria Cristina de Oliveira 2 Resumo Este artigo

Leia mais

Escola Municipal Andre Urani Ginásio Experimental de Novas Tecnologias Educacionais / GENTE RJ 27/06/2013

Escola Municipal Andre Urani Ginásio Experimental de Novas Tecnologias Educacionais / GENTE RJ 27/06/2013 Escola Municipal Andre Urani Ginásio Experimental de Novas Tecnologias Educacionais / GENTE RJ 27/06/2013 Informações da instituição A Escola Municipal André Urani está situada na Rocinha e é a primeira

Leia mais

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula :

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula : Como Criar uma Aula? Para criar uma sugestão de aula é necessário que você já tenha se cadastrado no Portal do Professor. Para se cadastrar clique em Inscreva-se, localizado na primeira página do Portal.

Leia mais

Módulo 4 Criando Exemplos para Aprendizagem

Módulo 4 Criando Exemplos para Aprendizagem Módulo 4 Criando Exemplos para Aprendizagem Este Caderno de Anotações é usado para o do Programa Intel Educar. No decorrer do curso você pode registrar seus pensamentos on-line ou em uma cópia impressa

Leia mais

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS Kelly Cristina de Oliveira 1, Júlio César Pereira 1. 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil kristhinasi@gmail.com,

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Gamificação. Ensino de Programação. Jogos educacionais. Interdisciplinaridade.

PALAVRAS CHAVE: Gamificação. Ensino de Programação. Jogos educacionais. Interdisciplinaridade. O ENSINO DE PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES BASEADO EM JOGOS * Cristiano da Silveira Colombo Instituto Federal do Espírito Santo RESUMO: As dificuldades encontradas por alunos no processo de ensino-aprendizagem

Leia mais

Tecnologias Digitais e Educação a Distância: letramento digital e formação de professores

Tecnologias Digitais e Educação a Distância: letramento digital e formação de professores Tecnologias Digitais e Educação a Distância: letramento digital e formação de professores Prof. Dr. Luís Paulo Leopoldo Mercado Universidade Federal de Alagoas Conteúdos Cenário das práticas pedagógicas

Leia mais

Disciplina: Ambientes Sociotécnicos para Ensino/Aprendizagem de Línguas Professora: Dra. Maria Raquel de A. Bambirra Aluna: Ednalva Pereira da Silva

Disciplina: Ambientes Sociotécnicos para Ensino/Aprendizagem de Línguas Professora: Dra. Maria Raquel de A. Bambirra Aluna: Ednalva Pereira da Silva Disciplina: Ambientes Sociotécnicos para Ensino/Aprendizagem de Línguas Professora: Dra. Maria Raquel de A. Bambirra Aluna: Ednalva Pereira da Silva O uso Wallwisher/Padlet no ensino de L2 e sua complexidade

Leia mais

Fotografia: Arte,Ciência e Tecnologia

Fotografia: Arte,Ciência e Tecnologia Fotografia: Arte,Ciência e Tecnologia E.E. Frontino Guimarães Sala 5 2ª Sessão Professor(es) Apresentador(es): Meire Pereira de França Roseli Fernandes Euquério Lima Realização: Foco Desenvolvimento da

Leia mais

Sua Escola, Nossa Escola

Sua Escola, Nossa Escola Sua Escola, Nossa Escola Episódio: Andréa Natália e o Ensino na Fronteira Ponta Porã Resumo Esse vídeo integra a série Sua Escola, Nossa Escola, composta por dezessete programas, os quais mostram experiências

Leia mais

Palavras-chave: Fisioterapia; Educação Superior; Tecnologias de Informação e Comunicação; Práticas pedagógicas.

Palavras-chave: Fisioterapia; Educação Superior; Tecnologias de Informação e Comunicação; Práticas pedagógicas. A INTERAÇÃO DOS PROFESSORES DO CURSO DE FISIOTERAPIA COM AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO PROCESSO PEDAGÓGICO Heloisa Galdino Gumueiro Ribeiro 1, Prof. Dirce Aparecida Foletto De Moraes 2

Leia mais

JUSTIFICATIVA PEDAGÓGICA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS NA FORMATAÇÃO DO SOFTWARE EDUCACIONAL (SIMULAÇÃO E ANIMAÇÃO)

JUSTIFICATIVA PEDAGÓGICA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS NA FORMATAÇÃO DO SOFTWARE EDUCACIONAL (SIMULAÇÃO E ANIMAÇÃO) JUSTIFICATIVA PEDAGÓGICA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS NA FORMATAÇÃO DO SOFTWARE EDUCACIONAL (SIMULAÇÃO E ANIMAÇÃO) De acordo com o Edital de produção de conteúdo digitais multimídia, alguns aspectos

Leia mais

Inclusão Digital Uma Maneira Eficiente De Inclusão Social

Inclusão Digital Uma Maneira Eficiente De Inclusão Social Inclusão Digital Uma Maneira Eficiente De Inclusão Social Fábio Manoel Caliari Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) São Bento do Sul SC Brasil Departamento de Sistemas de Informação caliari@sbs.udesc.br

Leia mais

Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha

Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha MODERNA.COMPARTILHA: INTEGRAR TECNOLOGIA E CONTEÚDOS A FAVOR DO APRENDIZADO. Os alunos deste século estão conectados com novas ideias, novas

Leia mais

USO DO LABORATÓRIO DE INFOMÁTICA NAS DE MATEMÁTICA

USO DO LABORATÓRIO DE INFOMÁTICA NAS DE MATEMÁTICA USO DO LABORATÓRIO DE INFOMÁTICA NAS DE MATEMÁTICA Resumo: Neste mini-curso os participantes terão a oportunidade de conhecer uma metodologia, bem como também construir e trabalhar com a mesma, na tentativa

Leia mais

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL 1. INTRODUÇÃO Lygia de Assis Silva Sérgio Paulino Abranches Universidade Federal de Pernambuco lygia1@hotmail.com/ Este

Leia mais

Tópicos Especiais em Informática. Msc. Márcio Alencar

Tópicos Especiais em Informática. Msc. Márcio Alencar Tópicos Especiais em Informática Msc. Márcio Alencar Recursos Certamente, um dos atrativos do chamado e- Learning (ou ensino á distância com uso de ferramentas computacionais/eletrônicas), são os novos

Leia mais

Software Tutorial sobre Sistema Solar

Software Tutorial sobre Sistema Solar Software Tutorial sobre Sistema Solar Alan Correa, Antônio Rocir, Sandro Niederauer Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de maio, 141 95520-000 Osório RS Brasil {sandroniederauer, alan.sms}@hotmail.com,

Leia mais

Contexto da ação: Detalhamento das atividades:

Contexto da ação: Detalhamento das atividades: PROJETO EMPREENDEDORISMO NA ESCOLA Área Temática: Trabalho Cristiano Tolfo (Coordenador da Ação de Extensão) 1 Cristiano Tolfo Jaline Gonçalves Mombach 2 Kézia Letícia da Silva Lôbo 3 Vinícius da Silva

Leia mais

MÍDIAS SOCIAIS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL REGRAS ABERTAS PARA UMA PARTICIPAÇÃO EFETIVA

MÍDIAS SOCIAIS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL REGRAS ABERTAS PARA UMA PARTICIPAÇÃO EFETIVA MÍDIAS SOCIAIS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL REGRAS ABERTAS PARA UMA PARTICIPAÇÃO EFETIVA Mário Taveira Martins 1 (IF-SERTÃO PE) Lucas Samir Silva de Matos 2 (IF-SERTÃO PE) Resumo: Este artigo foi elaborado

Leia mais

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Pedro Henrique SOUZA¹, Gabriel Henrique Geraldo Chaves MORAIS¹, Jessiara Garcia PEREIRA².

Leia mais

APRENDENDO BIOSSEGURANÇA COM O USO DE WIKIS. Janara de Camargo Matos 1 *

APRENDENDO BIOSSEGURANÇA COM O USO DE WIKIS. Janara de Camargo Matos 1 * 1 APRENDENDO BIOSSEGURANÇA COM O USO DE WIKIS Janara de Camargo Matos 1 * RESUMO A internet ou Web 2.0 é um espaço onde se pode criar, editar e transformar páginas de maneira simples. A utilização de tecnologias

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO Bruno Rodrigo Teixeira 1 Universidade Estadual de Londrina - UEL bruno_matuel@yahoo.com.br Camila Rosolen 2 Universidade Estadual de Londrina - UEL camilarosolen@yahoo.com.br

Leia mais

DISPOSITIVO TECNOLÓGICO COMO FERRAMENTA DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO CURSO DE AGROECOLOGIA: ESTUDO DE CASO

DISPOSITIVO TECNOLÓGICO COMO FERRAMENTA DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO CURSO DE AGROECOLOGIA: ESTUDO DE CASO DISPOSITIVO TECNOLÓGICO COMO FERRAMENTA DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO CURSO DE AGROECOLOGIA: ESTUDO DE CASO Mércia Cardoso da Costa Guimarães 1, Henrique Oliveira da Silva 2 1 Instituto Federal de Pernambuco

Leia mais

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças PADILHA, Aparecida Arrais PMSP cidarrais@yahoo.com.br Resumo: Este artigo apresenta uma

Leia mais

Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional

Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional Douglas Vaz, Suelen Silva de Andrade Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de maio, 141 95520-000 Osório RS Brasil {doug.vaz,

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS EIXO TECNOLÓGICO:Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Física FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( x ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

PROJETO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC. Multimídia

PROJETO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC. Multimídia PROJETO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC Multimídia Prof.ª Sylvia Augusta Catharina Fernandes Correia de Lima Floresta - PE 2013 CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Ciência, Educação e Tecnologia Tecnologia e Educação: Possibilidades Pedagogia Portal do Professor Objetivo

Ciência, Educação e Tecnologia Tecnologia e Educação: Possibilidades Pedagogia Portal do Professor Objetivo Ciência, Educação e Tecnologia Teleaula 6 Profa. Mônica Caetano Vieira da Silva tutoriapedagogia@grupouninter.com.br Tecnologia e Educação: Possibilidades Pedagogia Portal do Professor

Leia mais

O ENSINO DE PORTUGUÊS MEDIADO PELA INFORMÁTICA

O ENSINO DE PORTUGUÊS MEDIADO PELA INFORMÁTICA O ENSINO DE PORTUGUÊS MEDIADO PELA INFORMÁTICA Fernanda Mara Cruz (SEED/PR-PG-UFF) Introdução Os processos de ensinar e aprender estão a cada dia mais inovadores e com a presença de uma grande variedade

Leia mais

CONSTRUINDO UM JOGO EDUCATIVO UTILIZANDO O SOFTWARE DE AUTORIA ADOBE FLASH

CONSTRUINDO UM JOGO EDUCATIVO UTILIZANDO O SOFTWARE DE AUTORIA ADOBE FLASH CONSTRUINDO UM JOGO EDUCATIVO UTILIZANDO O SOFTWARE DE AUTORIA ADOBE FLASH Francielly Falcão da Silva¹, Samuel Carlos Romeiro Azevedo Souto², Mariel José Pimentel de Andrade³ e Alberto Einstein Pereira

Leia mais

PROJETO CIDADÃO EM REDE: DE CONSUMIDOR A PRODUTOR DE INFORMAÇÃO SOBRE O TERRITÓRIO PLANO DE TRABALHO

PROJETO CIDADÃO EM REDE: DE CONSUMIDOR A PRODUTOR DE INFORMAÇÃO SOBRE O TERRITÓRIO PLANO DE TRABALHO PROJETO CIDADÃO EM REDE: DE CONSUMIDOR A PRODUTOR DE INFORMAÇÃO SOBRE O TERRITÓRIO PLANO DE TRABALHO CONVÊNIO DE COOPERAÇÃO TECNOLÓGICA PRODEB-UFBA PRODEB/DSS Diretoria de Sistemas e Serviços UFBA/LCAD

Leia mais

PRATICANDO TRABALHO COM PROJETOS NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

PRATICANDO TRABALHO COM PROJETOS NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA PRATICANDO TRABALHO COM PROJETOS NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Fernanda Pimentel Dizotti Academia de Ensino Superior fernandadizotti@gmail.com Norma Suely Gomes Allevato Universidade Cruzeiro do Sul normallev@uol.com.br

Leia mais

Ciência Tecnologia - Inovação

Ciência Tecnologia - Inovação Ciência Tecnologia - Inovação Tecnologias da informação A Tecnologia da Informação assumiu nos últimos anos um papel imprescindível no contexto das Instituições de Ensino Superior. agilidade flexibilidade

Leia mais

UM PRODUTO EDUCATIVO PARA FAZER EDUCAÇÃO AMBIENTAL

UM PRODUTO EDUCATIVO PARA FAZER EDUCAÇÃO AMBIENTAL UM PRODUTO EDUCATIVO PARA FAZER EDUCAÇÃO AMBIENTAL Se, na verdade, não estou no mundo para simplesmente a ele me adaptar, mas para transformá-lo [...] devo usar toda possibilidade que tenha para não apenas

Leia mais

O futuro da educação já começou

O futuro da educação já começou O futuro da educação já começou Sua conexão com o futuro A 10 Escola Digital é uma solução inovadora para transformar a sua escola. A LeYa traz para a sua escola o que há de mais moderno em educação, a

Leia mais

PERSPECTIVAS DO PROJETO DE ENSINO FÁBRICA DE SOFTWARE *

PERSPECTIVAS DO PROJETO DE ENSINO FÁBRICA DE SOFTWARE * PERSPECTIVAS DO PROJETO DE ENSINO FÁBRICA DE SOFTWARE * Hudson Henrique de Souza LOPES 1 ; Wellington Garcia PEREIRA 2 ; Getúlio Antero de DEUS JÚNIOR 3. 1 Bolsista do PET EEEC/UFG hudsonhsl@hotmail.com.

Leia mais

SOFTWARE EDUCATIVO DE MATEMÁTICA: SHOW MATH

SOFTWARE EDUCATIVO DE MATEMÁTICA: SHOW MATH SOFTWARE EDUCATIVO DE MATEMÁTICA: SHOW MATH Anderson Clavico Moreira Profª. Ms. Deise Deolindo Silva short_acm@hotmail.com deisedeolindo@hotmail.com Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de

Leia mais

Projeto pedagógico para um curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos com aplicação de ABP Virtual

Projeto pedagógico para um curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos com aplicação de ABP Virtual Projeto pedagógico para um curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos com aplicação de ABP Virtual Silvane Guimarães Silva Gomes, Frederico José Vieira Passos Universidade Federal de Viçosa

Leia mais

JOGOS DIGITAIS NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE ENGENHARIA DE SOFTWARE

JOGOS DIGITAIS NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE ENGENHARIA DE SOFTWARE JOGOS DIGITAIS NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE ENGENHARIA DE SOFTWARE João Fukusawa 1, Andreia Carniello 2, Adriana Carniello 3 1. Especializando do Curso de Pós-Graduação em Gestão de Projetos em Desenvolvimento

Leia mais

ESTUDO DE CASO: LeCS: Ensino a Distância

ESTUDO DE CASO: LeCS: Ensino a Distância ESTUDO DE CASO: LeCS: Ensino a Distância HERMOSILLA, Lígia Docente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais de Garça FAEG - Labienópolis - CEP 17400-000 Garça (SP) Brasil Telefone (14) 3407-8000

Leia mais

CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET

CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET 1 CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET 04/2007 Mílada Tonarelli Gonçalves CENPEC - Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária

Leia mais

O MODELO DA TELEVISÃO BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE VIDEOAULAS: UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA DO IFSC NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA.

O MODELO DA TELEVISÃO BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE VIDEOAULAS: UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA DO IFSC NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. O MODELO DA TELEVISÃO BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE VIDEOAULAS: UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA DO IFSC NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Autor: Paulo Vitor Tavares, Ms. Palavras-chave: EAD, Televisão, Videoaula, IFSC.

Leia mais

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM COMUNIDADES DE PRÁTICA: ASPECTOS TEÓRICOS E

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM COMUNIDADES DE PRÁTICA: ASPECTOS TEÓRICOS E 03 A FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM COMUNIDADES DE PRÁTICA: ASPECTOS TEÓRICOS E ESTUDOS RECENTES ARTIGOS DE PESQUISA TEACHERS' TRAINING IN COMMUNITIES OF PRACTICE: THEORETICAL ASPECTS AND RECENT RESEARCHES

Leia mais

ATIVIDADE WEBQUEST COMO ABORDAGEM DIDÁTICA

ATIVIDADE WEBQUEST COMO ABORDAGEM DIDÁTICA ATIVIDADE WEBQUEST COMO ABORDAGEM DIDÁTICA Renato dos Santos Diniz renatomatematica@hotmail.com Adelmo de Andrade Carneiro adelmomatematico@yahoo.com.br Wesklemyr Lacerda wesklemyr@hotmail.com Abigail

Leia mais

Palavras chaves: Criança, Educação Infantil, Corpo e Movimento.

Palavras chaves: Criança, Educação Infantil, Corpo e Movimento. CORPO E MOVIMENTO: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS DOS PROFESSORES NA EDUCAÇÃO INFANTIL Tamiris Andrade dos Santos (UEL) tamiris_152@hotmail.com Gilmara Lupion Moreno gilmaralupion@uel.br RESUMO: Sabe-se da importância

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE MÍDIAS E A RECONSTRUÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

INTEGRAÇÃO DE MÍDIAS E A RECONSTRUÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA Tema debatido na série Integração de tecnologias, linguagens e representações, apresentado no programa Salto para o Futuro/TV Escola, de 2 a 6 de maio de 2005 (Programa 1) INTEGRAÇÃO DE MÍDIAS E A RECONSTRUÇÃO

Leia mais

Dias 12 e 13 de fevereiro de 2014 João Pessoa - Paraíba

Dias 12 e 13 de fevereiro de 2014 João Pessoa - Paraíba Realização: Apoio Técnico e Institucional Secretaria do Estado da Educação Dias 12 e 13 de fevereiro de 2014 João Pessoa - Paraíba Dia 12 de fevereiro de 2014 15h Novas e antigas tecnologias devem se combinar

Leia mais

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS Fortaleza Ce Agosto 2009 Liádina Camargo Lima Universidade de Fortaleza liadina@unifor.br Categoria C Métodos

Leia mais

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Fabiana Pacheco Lopes 1 1 Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) fabipl_21@yahoo.com.br Resumo.Este

Leia mais

Projeto: TE Conhecer, aprender, saber...

Projeto: TE Conhecer, aprender, saber... Colégio Pe. João Bagozzi Formação de Educadores Tecnologias da Informação e da Comunicação - TICs http://blog.portalpositivo.com.br/ticbagozzi Projeto: TE Conhecer, aprender, 1 Objetivos e Atividades:

Leia mais

Portal de conteúdos. Tecnologia a serviço da educação

Portal de conteúdos. Tecnologia a serviço da educação Portal de conteúdos Tecnologia a serviço da educação O trabalho do docente vai muito além do horário de aula. Estudantes possuem muitas atividades para pesquisar e não dispõem de fontes seguras. E se os

Leia mais

O USO INTELIGENTE DO COMPUTADOR NA EDUCAÇÃO José A. Valente NIED - UNICAMP

O USO INTELIGENTE DO COMPUTADOR NA EDUCAÇÃO José A. Valente NIED - UNICAMP O USO INTELIGENTE DO COMPUTADOR NA EDUCAÇÃO José A. Valente NIED - UNICAMP INTRODUÇÃO O que seria a utilização do computador na educação de maneira inteligente? Seria fazer aquilo que o professor faz tradicionalmente

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores FORMANDO PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA PARA O ACESSO A INTERNET: O CURSO DE WEB DESIGN E A

Leia mais

1. Capacitação Docente em Informática na Educação

1. Capacitação Docente em Informática na Educação DO EDITOR DE TEXTOS A PLATAFORMA MOODLE: UM PROJETO PILOTO INOVADOR DE CAPACITAÇÃO DOCENTE CONSTRUCIONISTA EM UMA ESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Maira Teresinha Lopes Penteado 1 Maria Beatriz

Leia mais

O USO DAS REDES SOCIAIS EM SALA DE AULA: REFERÊNCIAS AO MODELO SÓCIO INTERACIONISTA PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM

O USO DAS REDES SOCIAIS EM SALA DE AULA: REFERÊNCIAS AO MODELO SÓCIO INTERACIONISTA PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM 1 O USO DAS REDES SOCIAIS EM SALA DE AULA: REFERÊNCIAS AO MODELO SÓCIO INTERACIONISTA PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM Lygia de Assis Silva (lygia1@hotmail.com) - UFPE Rayanne Angela Albuquerque dos Santos

Leia mais

MULTIMÍDIAS PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1. Resumo

MULTIMÍDIAS PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1. Resumo MULTIMÍDIAS PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1 VIERO, Lia Margot Dornelles 2 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Curso de Geografia do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil E-mail:

Leia mais

Utilização de modelos virtuais no ensino de desenho técnico para engenheiros florestais

Utilização de modelos virtuais no ensino de desenho técnico para engenheiros florestais Utilização de modelos virtuais no ensino de desenho técnico para engenheiros florestais UNIPLAC fabiterezo@hotmail.com 1. Introdução Com o advento dos computadores, dos programas de desenho, das impressoras

Leia mais

PRODUÇÃO TEXTUAL ONLINE E OFFLINE NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA *

PRODUÇÃO TEXTUAL ONLINE E OFFLINE NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA * PRODUÇÃO TEXTUAL ONLINE E OFFLINE NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA * Luciana Patricia Schumacher Eidelwein - UFSM RESUMO: Este trabalho apresenta uma proposta de utilização do uso das Tecnologias Digitais

Leia mais

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem Coordenação: Juliana Cristina Braga Autoria: Rita Ponchio Você aprendeu na unidade anterior a importância da adoção de uma metodologia para a construção de OA., e também uma descrição geral da metodologia

Leia mais

CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES PARA USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO AMBIENTE ESCOLAR DA REDE PÚBLICA

CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES PARA USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO AMBIENTE ESCOLAR DA REDE PÚBLICA IV Congresso RIBIE, Brasilia 1998 CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES PARA USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO AMBIENTE ESCOLAR DA REDE PÚBLICA Cristina Vermelho, Glaucia da Silva Brito, Ivonélia da Purificação

Leia mais