Folhas de exercícios de Termodinâmica

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Folhas de exercícios de Termodinâmica"

Transcrição

1 DEF-FEUP Física MIEC /2013 Termodinâmica - 1 Folhas de exercícios de Termodinâmica Temperatura; lei dos gases perfeitos; calorimetria; 1 a lei da termodinâmica Admita os valores seguintes para a capacidade térmica mássica da água Fase c kcal/(kg.k) sólido 0,49 líquido 1,00 vapor 0,48 O calor de fusão da água é de 333,5 kj/kg, e o calor de evaporação é de 2257 kj/kg. Problemas 3.1 (a) Obtenha a relação entre a temperatura medida na escala Celsius (t C ) e a temperatura medida na escala Fahrenheit (t F ). (b) Qual é a temperatura que tem o mesmo valor na escala Celsius e na escala Fahrenheit? 3.2 Justifique se é verdadeiro ou falso que: (a) As escalas de Fahrenheit e de Celsius diferem apenas na escolha da temperatura zero. (b) É possível determinar se dois corpos estão em equilíbrio térmico se é impossivel pô-los em contacto térmico. (c) Os objectos quentes e frios numa sala em equilíbrio térmico têm a mesma temperatura. 3.3 Na figura é apresentado um processo que leva um gás ideal do ponto A ao ponto B. Na linha a tracejado V = T. Como varia a pressão do gás? 3.4 Um tubo de ensaio hermeticamente fechado tem um volume de 10 ml e contém 1 ml de água no fundo a uma temperatura de 100 C e a uma pressão de 1 atm. Estime a pressão no interior do tubo de ensaio quando a água estiver completamemente vaporizada. 3.5 A pressão de manómetro nos pneus de um automóvel é de 200 kpa, quando a temperatura é de 20 C (a pressão que mede o manómetro é a diferença entre a pressão real e a pressão atmosférica). Depois de uma viagem na autoestrada, a temperatura nos pneus aumentou até 50 C. (a) Admitindo que o volume dos pneus não muda, e que o ar é um gás ideal, calcule a nova pressão de manómetro nos pneus. (b) Calcule a pressão de manómetro nos pneus admitindo que o seu volume aumentou 10%. 3.6 (a) Se uma mole de um gás num contentor ocupa um volume de 10 litros, à pressão de 1 atm, qual será a temperatura absoluta do gás? (b) O mesmo contentor tem um pistão que permite mudar o seu volume. Quando o gás é aquecido, mantendo a pressão constante, o seu volume aumenta até 20 litros. Qual é a temperatura ab- soluta do gás? (c) O volume mantém-se constante em 20 litros, e o gás é aquecido até a sua temperatura atingir os 350 K. Qual é a pressão no gás? 3.7 (a) Um corpo A tem o dobro da massa e o dobro da capacidade térmica mássica de um corpo B. Se ambos os corpos absorverem iguais quantidades de calor, como se relacionam as suas variações de temperatura? (b) Pode um sistema absorver calor e a sua energia interna não variar? 3.8 Um carro de 1.4 ton viajando à velocidade de 80 km/h trava até parar. Se o calor específico do aço 1

2 é de 0.11 cal/(g.k), qual deve ser a massa total dos tambores dos travões para que a variação de temperatura dos travões não ultrapasse os 120 C? 3.9 Um copo de vidro contém 200 ml de água a 24 C. Qual será a temperatura final da bebida se juntarmos dois cubos de gelo, a -3 C, cada um com 15 g? Ignore o calor perdido por condução térmica entre o copo e o ar O estado inicial de uma mole de um gás ideal é P 1 =3 atm, V 1 =1 L, e E int = 456 J. O gás expande-se isotérmicamente, até o seu volume aumentar para 3 L e a pressão diminuir para 1 atm. A seguir aquece-se, a a volume constante, até a sua pressão aumentar para 2 atm, ficando com energia interna E int = 912 J. (a) Desenhe o diagrama do processo num gráfico P V e calcule o trabalho realizado pelo gás. (b) Calcule a quantidade de calor transferida para o gás durante todo o processo Meia mole de um gás ideal, formado por moléculas monoatómicas, a pressão de 400 kpa e temperatura de 300 K, expande-se até a pressão diminuir até 160 kpa. Calcule a temperatura e volume final, assim como o trabalho realizado e o calor absorvido pelo gás se a expansão for: (a) isotérmica, e (b) adiabática O diagrama PV apresentado corresponde a um gás ideal, monoatómico, com 3 moles. O gás encontra-se incialmente no ponto A. Os percursos AD e BC representam processos isotérmicos. Se o sistema for levado até ao ponto C pelo percurso ADC, calcule: (a) as temperaturas inicial e final, (b) o trabalho realizado pelo gás, e (c) o calor absorbido pelo gás Numa expansão isotérmica, um gás ideal a uma pressão inicial P 0 expande-se até o seu volume duplicar. (a) Calcule a pressão após a expansão. (b) Posteriormente o gás é comprimido adiabáticamente e quase-estáticamente até ao seu volume original. Observa-se que a pressão aumentou para 1,32 P 0. O gás monoatómico, diatómico ou poliatómico? (c) Como variou a energia cinética de translação do gás nestes processos? 3.14 Um micro-ondas tem normalmente uma potência de 1200 W. Supondo que apenas 50% da potência consumida pelo micro-ondas é transmitida à água estime o tempo necessário para ferver um copo de água No ponto D no diagrama PV (ver figura), a pressão e temperatura de duas moles de gás ideal, com moléculas monoatómicas, são 2 atm e 360 K. No ponto B, o volume do gás é três vezes maior do que no ponto D e a pressão é o dobro da pressão em C. Os percursos AB e CD representam processos isotérmicos. O gás descreve um ciclo completo DABCD. Calcule o trabalho realizado e o calor transferido para o gás em cada uma das quatro etapas do ciclo. 2

3 Respostas atm 3.5 (a) 231 kpa (b) 201 kpa 3.6 (a) 122 K (b) 244 K (c) 1,43 atm. 3.7 T A = T B / kg C (a) 334 J. (b) 790 J (a) 300 K, 7,79 L, 1,14 kj, 1,14 kj (b) 208 K, 5,40 L, 574 J, 0 J (a) 65.2 K, 81.2 K (b) 2.65 kj, (c) 3.25 kj (a) P 0 /2, (b) diatómica, (c) no processo isotérmico não varia, no processo adiabático aumenta de 1, cerca de 110 s (Todos os valores em kj). D-A: 0 e 8,98. A-B: -13,2 e 13,2. B-C: 0 e -8,98. C-D: 6,58 e -6,58. Escolha múltipla 3.1 Qual das seguintes não é uma unidade de pressão? A. kpa B. mm Hg C. atm 3.2 A massa de 18 ml de água é: A. 1.8 g B kg C L D. Todas são unidades de pressão E. N/m 2 D ton E. 18 cm Um gás ideal é aquecido, a volume constante, da temperatura de 25 C à temperatura de 100 C. Sabendo que a sua pressão inicial é P, a sua pressão final será: A. 4 P B P C. P D. P/4 E. 0.8 P 3.4 A relação entre a pressão e o volume de um gás segundo a lei de Boyle é válida: A. para pressões maiores que a atmosférica. B. quando a densidade é constante. C. quando o contentor do gás pode expandir-se se a pressão é aumentada. D. quando a temperatura se mantém constante. E. para todos os gases em todas as condições. A. a temperatura tende para 0 C B. a temperatura tende para 32 F C. a temperatura tende para K D. a temperatura tende para F E. a temperatura tende para C 3.6 O número de moles em 36 ml de água é: A. 36 B C. 1 D. 2 E A propriedade termométrica de um gás ideal a volume constante é: A. a temperatura. B. o número de moles. C. o termómetro. D. a pressão. E. o volume. 3.8 A lei zero da termodinâmica afirma que se dois corpos estão em equilíbrio térmico entre si: A. Estão em equilíbrio térmico com um terceiro corpo. B. Têm a mesma temperatura. C. Os corpos não se movem. D. A energia conserva-se. E. A força resultante é nula. 3.5 Na escala dos gases ideais, a pressão tende para zero quando: 3

4 3.9 Se uma mole de um gás ideal ocupa um volume de 1 litro à pressão de 1 atm, qual é, aproximadamente, a temperatura do gás? A. 12 C B. 12 K C. 1.2 K D. 1.2 C E. 285 C 3.10 Se uma massa de oxigénio gasoso ocupa um volume de 8 L à temperatura 0 C e pressão 1 atm, qual é, aproximadamente, a variação de volume se a sua temperatura é reduzida para 136 K mantendo a pressão constante? A. Aumenta para 16 L B. Diminui para 12 L C. Aumenta para 24 L D. Diminui para 4 L E. Aumenta para 12 L 3.11 O capacidade térmica mássica do aluminio é mais do dobro da do cobre. Massas idênticas de alumínio e cobre à tempertura de 0 C são deixadas cair numa panela de água quente. Quando o sistema atinge o equilíbrio, A. o aluminio tem uma temperatura mais elevada que o cobre B. o cobre tem uma temperatura mais elevada que o aluminio C. o aluminio e cobre estão à mesma temperatura D. a diferenca de temperatura entre o aluminio e o cobre depende da quantidade de água na panela E. a diferenca de temperatura entre o aluminio e o cobre depende da temperatura inicial da água da panela 3.12 Um sistema absorve calor Q e uma quantidade igual de trabalho positivo é feito sobre si. Qual é a variação em energia interna do sistema? A. Q B. 2Q C. 2Q D. zero E. Q/ A primeira lei da termodinâmica está mais relacionada com A. a definição da temperatura absoluta B. a definição de um gás ideal C. a conservação da energia D. a expansão térmica E. a condução térmica 3.15 Num certo processo, 500 cal de calor são fornecidas a um gás num cilindro. Ao mesmo tempo, 500 J de trabalho são feitos pelo gás durante a expansão. O aumento da energia térmica do gás é de, A. zero B kj C kj D kj E kj 3.16 Um gás ideal sofre um processo cíclico no qual um trabalho total (positivo) W é realizado pelo gás. Qual é o calor total adicionado ao gás durante um ciclo? A. W B. -W C. zero D. mais que W E. menos que W 3.17 A energia interna de um gás diatómico é dada por U = 5nRT /2. Calcule a energia interna de 100 g uma mistura de oxigénio (20%) e azoto (80%) a 25 C. (a massa molar do O 2 =32 g e do N 2 =28 g) A kj B kj C kj D kj E kj 3.18 Um gás tem uma capacidade térmica a volume constante de J/mol K. Assuma o teorema da equipartição válido. Qauntos graus de liberdade (incluindo de translação) existem nas moléculas do gás? (R=8.31 J/mol K) 3.13 Segundo a primeira lei da termodinâmica, a percentagem máxima de energia mecânica que teoricamente pode ser transformada em calor é, A. 100% B. 90% C. 75% D. 50% E. 0% 4 A. 1 B. 3 C. 4 D. 5 E. 7

5 Termodinâmica a lei da Termodinâmica; máquinas térmicas e frigoríficas; entropia Problemas 4.1 Estime a eficiência máxima de um motor de um automóvel com uma razão de compressão de 8:1. Assuma γ = Uma máquina térmica aborve 100 J e rejeita 60 J em cada ciclo. (a) Qual a sua eficiência? (b) Se cada ciclo dura 0.5 s, calcule a potência debitada por este motor em watts? 4.3 Um motor remove 200 kj de calor de um reservatório quente a 500 K e liberta calor para um reservatório frio a 200 K, em cada ciclo. A sua eficiência é 85% da eficiência de um motor de Carnot, que trabalha entre os mesmos reservatórios de calor. (a) Qual a eficiência deste motor? (b) Qual o trabalho em cada ciclo? (c) Quando calor é libertado em cada ciclo? 4.4 Uma máquina térmica opera com uma mole de gás ideal para o qual C v = 2 3 R e C p = 5 2 R. O ciclo começa em P 1 =1 atm e V 1 =24.6 L. O gás é aquecido a volume constante até P 2 =2 atm. Depois expande-se a pressão constante até o volume de V 2 =49.2 L. Durante estes dois passos, o gás absorve calor. Em seguida, o gás é arrefecido a volume constante, até a sua pressão ser novamente 1 atm, e depois comprimido, a pressão constante, até o seu estado original. Durante os dois últimos passos, o gás liberta calor. Todos os passos são quase-estáticos e reversiveis. (a) Desenhe o ciclo num diagrama PV. Calcule o trabalho realizado, o calor trocado e a variação de energia interna em cada passo do ciclo. (b) Determine a eficiência do ciclo. 4.5 Uma mole de gás ideal monoatómico a um volume inicial de V 1 =25 L segue o ciclo mostrado na figura. (a) Determine: (a) a temperatura de cada estado do ciclo; (b) O calor transferido em cada parte do ciclo; (c) a eficiência da máquina que opere segundo este ciclo. 4.6 O Ciclo a diesel representado na figura aproxima o comportamento de um motor a diesel. O processo ab é uma compressão adiabática, o processo bc é uma expansão a pressão constante, o processo cd é uma expansão adiabática, e o processo da consiste de um arrefecimento a volume constante. Determine a eficiência do ciclo em função de V a, V b, V c e V d. 4.7 Uma máquina de Carnot opera entre dois reservatórios de calor como um frigorífico. Em cada ciclo, realiza 50 J de trabalho para retirar 100 J do reservatório frio e fornece 150 J ao reservatório quente. O seu COP (coefficient of performance, em inglês) é COP = Q c /W = 2. (a) Qual a eficiência do mesmo ciclo de Carnot, operando entre os mesmos reservatórios de calor, como máquina térmica? (b) Mostre que não existe nenhuma outra máquina que trabalhando como frigorífico entre os mesmos reservatórios de calor, tenha um COP superior a Um ciclo de Carnot trabalha entre dois reservatórios de calor com temperaturas T h =300 K e T c =77 K (a) Qual a sua eficiência. (b) Se absorver 100 J do reservatório quente, quanto trabalho realiza? (c) Quanto calor liberta em cada ciclo? (d) Qual o coeficiente de performance quando trabalho como um frigorífico entre os mesmos reservatórios de calor 5

6 4.9 Duas moles de um gás ideal diatómico realizam o ciclo ABCDA do diagrama PV representado na figura. O segmento AB representa uma expansão isotérmica, e o segmento BC uma compressão adiabática. A pressão e a temperatura em A são 5 atm e 600 K. O volume em B é o dobro do volume em A. A pressão em D é de 1 atm. (a) Qual a pressão em B? (b) Qual a temperatura em C? (c) Calcule o trabalho realizado pelo gás durante um ciclo e a eficiência termodinâmica deste ciclo Um bloco de chumbo de 2 kg a 100 C é largado num lago a 10 C. Qual a variação de entropia do universo? 4.11 Duas moles de gás ideal a T = 400 K, expandemse quase-estática e isotermicamente de um volume inicial de 40 L até um volume final de 80 L. (a) Qual a variação de entropia do gás? (b) Qual a variação de entropia do universo? 4.12 Qual a variação de entropia de 1.0 kg de água quando muda para vapor a 100 C, à pressão de 1 atm? 4.13 Um sistema absorve 200 J de calor, reversivelmente, de um reservatório a 300 K e fornece 100 J, reversivelmente, a um reservatório a 200 K, quando muda do estado A para o estado B. Durante o processo, realiza 50 J de trabalho. (a) Qual a variação de energia interna do sistema? (b) Qual a variação de entropia do sistema? (c) Qual a variação de entropia do universo? (d) Se o sistema mudasse do estado A para o B através de um processo não reversível, como se alterariam as respostas às alíneas anteriores? 4.14 Um carro de 1500 kg, que viaja à velocidade de 100km/h colide com uma parede de betão. Se a temperatura do ar é de 20 C, calcule a variação de entropia do universo Para manter a temperatura dentro de um casa a 20 C, a potência consumida é de 30 kw num dia em que a temperatura exterior é de -7 C. A que taxa contribui esta casa para o aumento de entropia do universo? Respostas % 4.2 (a) 40% (b) 80.0 W 4.3 (a) 51% (b) 102 kj (c) 98.0 kj 4.4 (a) W 1 2 = 0; Q 1 2 = 3.74kJ; W 2 3 = 4.99; Q 2 3 = 12.5kJ; W 3 4 = 0; Q 3 4 = 7.48kJ; W 4 1 = 2.49kJ; Q 4 1 = 6.24kJ; (b) 15.4% 4.5 (a) T 1 = 301 K; T 2 = T 3 = 601 K (b) Q 1 2 = 3.74kJ; Q 2 3 = 3.46kJ; Q 3 1 = 6.24kJ (c) 13.3% ( Vc V a ) γ ( Vb V a ) γ ) γ( Vc V a V b V a 4.7 (a) 33.3% (b) Viola a 2 a lei da termodinâmica. 4.8 (a) 74.3% (b) 74.3 J (c) 25.7 J (d) (a) 253 kpa (b) 462 K (c) 6.96 kj (d) 25.9% (a) 10.7 J/K 4.11 (a) 11.5 J/K (b) 0 J/K kj/k 4.13 (a) 50 J (b) kj/k (c) 0 (d) S > kj/k W/K 6

7 Escolha múltipla 4.1 Uma máquina térmica absorve calor Q de um reservatório quente. O trabalho realizado pelo máquina é A. igual a Q B. maior que Q. C. menor que Q D. pode ser maior que Q E. nulo 4.2 Se um frigorífico estiver numa sala fechada com a porta aberta, a temperatura da sala A. aumenta B. diminui C. mantem-se constante D. Qualquer das situações pode ocorrer dependendo da eficiência do frigorífico E. Qualquer das situações pode ocorrer dependendo do tamanho da sala e do frigorífico 4.3 Uma máquina térmica absorve uma quantidade calor Q 1 à temperatura T 1 e liberta uma quantidade de calor Q 2 à temperatura T 2. A sua eficiência é A. B. C. Q 1 Q 2 Q 2 Q 1 Q 2 Q 1 T 1 T 2 T 2 D. E. Q 2 Q 2 Q 1 T 1 T 1 T 2 D. W (1 - e max )/e max E. 2W (1 - e max /2) / e max 4.6 Quando se fazem cubos de gelo, a entropia da água A. diminui. B. permanece inalterada. C. aumenta. D. não se altera quando a água arrefece mas diminui quando a água congela. E. diminui quando a água arrefece mas não varia quando a água se transforma em gelo. 4.7 A variação de entropia do universo devido ao funcionamento de uma máquina de Carnot A. é zero. B. deve ser positiva C. tem de ser negativa D. pode ser positiva ou negativa E. ão tem significado considerar porque um ciclo de Carnot não tem nada a ver com a entropia 4.8 Uma certa quantidade de calor é retirada de um reservatório quente à temperatura absoluta T e depois é adicionada a um reservatório frio à temperatura absoluta T/2.O reservatório frio sofre uma variação de entropia de S. Qual a variação de entropia do universo? 4.4 Uma máquina de Carnot absorve calor Q de um reservatório quente à temperatura 127 C e liberta calor para um reservatório frio à temperatura 27 C O calor libertado para o reservatório frio é A. S. B. zero C. -S D. 2 S E. S/2 A. Q B. 27Q/127 C. 127Q/27 D. 3Q/4 E. 4Q/3 4.5 Se uma máquina a vapor opera a metade da sua eficiência teórica máxima, e max, e realiza trabalho a uma taxa de W J/s, calcule o calor libertado por segundo A. W (1 - e max /2) / 2e max B. 2W(1 - e max ) /e max C. W (2-2e max /2) /(e max /2) 7

8 4.9 Qual das seguintes afirmações é verdadeira para um sistema constituído por 15 moléculas? 4.10 A entropia está relacionada com probabilidade. Um sistema isolado evolui para A. De acordo com a segunda lei, a entropia do gás não pode diminuir B. De acordo com a segunda lei, a entropia do gás não pode aumentar C. De acordo com a segunda lei, a probabilidade da entropia do gás diminuir é baixa. D. De acordo com a segunda lei, a probabilidade da entropia do gás aumentar é baixa. E. De acordo com a segunda lei, a a entropia do gás aumentar deve permanecer inalterada. A. um sistema muito ordenado, de baixa probabilidade e entropia alta. B. um sistema muito ordenado, de alta probabilidade e entropia baixa. C. um sistema pouco ordenado, de alta probabilidade e entropia alta. D. um sistema pouco ordenado, de baixa probabilidade e entropia alta. E. um sistema pouco ordenado, de baixa probabilidade e entropia baixa. 8

9 Termodinâmica - 3 Transferência de calor: condução, radiação e convecção. Dilatação térmica Problemas 5.1 Uma barra de cobre (k = 401 W/(m K)) de 2 m de comprimento tem uma secção circular de raio 1 cm. Uma das extremidades da barra é mantida a 100 C e a outra a 20 C. A superficície da barra é isolada de forma a que não haja perda de calor através dela. (a) Qual a resistência térmica da barra? (b) Qual a corrente térmica? (c) Qual o gradiente de temperatura, T /dx? (d) Qual a temperatura da barra a 25 cm da extremidade mais quente? 5.2 Uma placa isoladora de dimensões 6 m 9 m possui um factor R f (resistência térmica por unidade de área) de 2. Qual a potência térmica conduzida, se um dos lados estiver a 20 C e o outro a -1 C? 5.3 Dois cubos de metal com arestas de 3 cm, um de cobre (k Cu = 401 W/(m K)) e outro de alumínio (k Al = 237 W/(m K)), estão dispostos como mostra a figura. (a) Qual a resistência térmica de cada cubo? (b) Qual a resistência do sistema de 2 cubos? (c) Qual a corrente térmica que atravessa os dois cubos? (d) Qual a temperatura na interface dos dois cubos? 5.4 Os cubos do problema anterior estão agora dispostos como mostra a figura. (a) Qual a corrente térmica conduzida por cada cubo? (b) Qual a corrente térmica total (c) Qual a resistência térmica equivalente do sistema de 2 cubos? 5.5 Para determinar o valor do factor R f de um material isolador que vem em folhas de 1.5 cm de espessura, constrói-se uma caixa cúbica de 30 cm de lado e coloca-se um aquecedor de 100W dentro da caixa. A temperatura no interior é de 90 C e no exterior 20 C. Qual o valor de R f? 5.6 Considere uma janela de vidro de 1.5 m de largura e 0.8 m de altura e com uma espessura de 8 mm. Determine (a) a potência térmica que atravessa a janela e (b) a temperatura na superfície interior da janela, num dia em que a temperatura dentro é mantida a 20 C e fora é 10 C. A condutividade térmica do vidro é k = 0.78W/(m C) e os coeficientes de transferência de calor por convecção para as superfície de dentro e fora são, respectivamente h 1 = 10 W/(m 2 C) e h 2 = 40 W/(m 2 C). Estes coeficientes já incluem os efeitos de radiação. 5.7 Considere uma janela de 1.5 m de largura e 0.8 m de altura, constituida por duas camadas de 4 mm de vidro, separadas por uma camada de ar de 10 mm. Determine (a) a potência térmica que atravessa a janela e (b) a temperatura na superfície interior da janela, num dia em que a temperatura dentro é mantida a 20 C e fora é 10 C. A condutividade térmica do vidro é k vidro = 0.78W/(m C), a do ar é k ar = 0.026W/(m C) e os coeficientes de transferência de calor por convecção para as superfície de dentro e fora são, respectivamente h 1 = 10 W/(m 2 C) e h 2 = 40 W/(m 2 C). Estes coeficientes já incluem os efeitos de radiação. 5.8 Os fios eléctricos de um aquecedor de potência 1 kw ficam incandescentes a 900 C. Assumindo que 100% do calor é emitido por radiação e que os fios radiam como corpos negros, qual é a área efectiva da superfície radiante? (Assuma uma temperatura ambiente de 20 C). 5.9 Uma esfera maciça de cobre escurecida de raio 4.0 cm está suspensa, no vácuo, num recipiente fechado cujas paredes estão a 20 C. Se a esfera estiver inicialmente a 0 C, qual a taxa de variação da temperatura, assumindo que o calor é transmitido apenas por radiação? 9

10 5.10 A emissividade do tungsténio é Uma esfera de tungsténio de raio 1.50 cm está suspensa num reservatório onde se criou o vácuo, cujas paredes estão a 290 K. Qual deve ser a potência necessário para manter a esfera a 3000 K, negligenciando o calor transmitido pelo suporte da esfera A área total da superficie do corpo humano é cerca de 1.20 m 2 e a temperatura da superfície é cerca de 30 C. Qual potência total radiada se a temperatura ambiente for de 20 C? A emissividade da pele humana é aproximadamente 1, independentemente da pigmentação O termómetro de ouvido mede a radiação emitida pelo tímpano. Qual a percentagem de aumento da radiação se a temperatura aumentar de 37 C para C Duas placas de cimento de uma auto-estrada foram projectadas para terem 25 m de comprimento. As secções são unidas a 10 C. (a) Qual a distância mínima entre as placas que se deve deixar, caso a temperatura seja de 50 C? (b) Se essa distância não for cumprida, qual a tensão que se instala entre as placas de betão, a 50 C? (Considere para o betão α = ( C) 1 e E = 23 GPa.) 5.14 Um balão de vidro, cujo volume é cm 3 à temperatura de 0.0 C está completamente cheio de mercúrio. Quando o sistema balão+mercúrio é aquecido até 55 C, 8.95 cm 3 de mercúrio são derramados. Determine o coeficiente de expansão volumétrico do vidro sabendo que o do mercúrio é K Um mecânico faz um furo de cm de diâmetro numa placa de aço à temperatura de 25 C. Qual a área da secção recta do furo a (a) 25 C? (b)175 C? Assuma que o coeficiente de expansão linear do aço, α = K 1, permanece constante neste intervalo de temperaturas Um fio de 1.50 m de comprimento a 20 C dilata 1.9 cm quando aquecido a 420 C. (a) Qual o coeficiente de expansão linear? (b) Se a tensão no fio è nula a 420 C, qual a tensão a 20 C, se não permitirmos que o fio se contraia? O módulo de Young do fio é Pa. Respostas 5.1 (a) 15.9 K/W (b) 6.29 W (c) 50 K/m (d) 87.5 C W. 5.3 (a) K/W e K/W (b) K/W (c) 375 W (d) 70.3 C. 5.4 (a) 962 W e 569 W (b) 1.53kW (c) K/W Km 2 /W 5.6 (a) 266 W, (b) -2.2 C. 5.7 (a) W; (b) C m K/s W W % 5.13 (a) 1.2 cm; (b) 11 MPa K (a) cm 3 ; (b) cm (a) C 1 ; (b) GPa. Escolha múltipla 5.1 Um corpo negro radia 100 W a uma temperatura de 2000 K. Qual a potência que radiaria a 3000 K? A. 150 W B. 225 W C. 338 W D. 506 W E. 759 W 5.2 Se a espessura de uma parede uniforme duplicar a taxa de condução de calor através da parede A. duplica. B. diminui para metade, C. aumenta de um factor de 4 D. permanece igual E. diminui de um factor 4 10

11 5.3 Dois tipos de parede separam uma sala frigorífica do resto do edifício. A parede 1 tem metade da condutividade térmica da parede 2. A parede 2 tem metade da espessura da parede 1 e ambas têm a mesma área. A corrente térmica que flui através da parede 2 comparada com a que flui através da parede 1 é 5.7 O principal processo através do qual calor é transferido para a sua casa aquecida pela energia solar é A. condução B. transferência de calor latente C. convecção D. insolação E. radiação A. 4 vezes maior. B. metade. C. o dobro. D. 1/4. E. a mesma. 5.4 Se a temperatura absoluta do filamento de uma lâmpada duplicasse, a energia radiada por segundo pelo filamento A. ficava na mesma B. aumentava 8 vezes C. aumenta para o dobro. D. aumentava 16 vezes E. aumentava 4 vezes. 5.5 Se a temperatura do lado mais quente de uma parede aumentar para o dobro, a taxa a que o calor é conduzido através da parede A. aumenta para o dobro. B. aumenta de um factor de 4. C. diminui de um factor de 4. D. diminui para metade E. aumenta mas a taxa não pode ser dterminada 5.6 Se a temperatura absoluta de um objecto triplicar, a taxa de radiação de energia térmica 5.8 O gradiente de temperatura numa parede é 80 C/cm, e a condutividade térmica da parede é cal/(s cm) A quantidade de calor conduzida por minuto e por cm 2 através desta parede é aproximadamente A. 19 cal B. 27 cal C. 35 cal D. 42 cal E kcal 5.9 Se um pedaço de ferro estiver exposto ao sol, a sua temperatura aumenta até que A. que está suficientemente quente para reflectir toda a energia que o atinge B. o calor absorvido excede a sua capacidade térmica. C. o calor absorvido é igual à sua capacidade térmica. D. ganha e perde energia à mesma taxa. E. a sua temperatura fica igual à do meio ambiente 5.10 Uma esfera sólida à temperatura T, radia energia a uma taxa R J/s. Se o raio da esfera duplicar, (e a sua temperatura de mantiver), então a taxa de energia radiada aumentaria de um factor A. triplica B. aumenta de um factor de 9. C. aumenta de factor 27. D. aumanta de um factor 81. E. depende se a temperatura absoluta está acima ou abaixo de zero. A. não aumentaria nem diminuiria B. 2 C. 4 D. 8 E

Física. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor:

Física. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Física Questão 1 (Unirio 2000) Um aluno pegou um fina placa metálica e nela recortou um disco de raio r. Em seguida, fez um anel também de raio r com um fio

Leia mais

3) A figura representa o comprimento de uma barra metálica em função de sua temperatura.

3) A figura representa o comprimento de uma barra metálica em função de sua temperatura. LISTA 04 ONDAS E CALOR 1) A 10 C, 100 gotas idênticas de um líquido ocupam um volume de 1,0cm 3. A 60 C, o volume ocupado pelo líquido é de 1,01cm 3. Calcule: (Adote: calor específico da água: 1 cal/g.

Leia mais

TERMODINÂMICA Exercícios

TERMODINÂMICA Exercícios Escola Superior de Tecnologia de Abrantes TERMODINÂMICA Exercícios Professor: Eng. Flávio Chaves Ano lectivo 2003/2004 ESCALAS DE PRESSÃO Problema 1 Um óleo com uma massa específica de 0,8 kg/dm 3 está

Leia mais

TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR

TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR Temperatura: é a grandeza que mede o grau de agitação das partículas de um corpo, caracterizando o seu estado térmico. Calor: é a energia térmica em trânsito,

Leia mais

Introdução à condução de calor estacionária

Introdução à condução de calor estacionária Introdução à condução de calor estacionária Exercício 1 - O telhado de uma casa com aquecimento elétrico tem 6m de comprimento, 8m de largura e 0, 25m de espessura e é feito de uma camada plana de concreto

Leia mais

Professores: Moysés/Abud

Professores: Moysés/Abud LISTA DE RECUPERAÇÃO PARALELA 1 a UNIDADE FÍSICA Professores: Moysés/Abud 01. Se dois corpos, A e B, estão em equilíbrio térmico, então: a) as massas de A e B são iguais. b) as capacidades térmicas de

Leia mais

TERMOMETRIA TERMOLOGIA. Escalas Termométricas. Dilatação Superficial. Dilatação Linear. A = Ao. β. t. L = Lo. α. t

TERMOMETRIA TERMOLOGIA. Escalas Termométricas. Dilatação Superficial. Dilatação Linear. A = Ao. β. t. L = Lo. α. t TERMOMETRIA TERMOLOGIA Temperatura grandeza escalar associada ao grau de vibração térmica das partículas de um corpo. Equilíbrio térmico corpos em contato com diferentes temperaturas trocam calor, e após

Leia mais

Nome:...N o...turma:... Data: / / ESTUDO DOS GASES E TERMODINÂMICA

Nome:...N o...turma:... Data: / / ESTUDO DOS GASES E TERMODINÂMICA Ensino Médio Nome:...N o...turma:... Data: / / Disciplina: Física Dependência Prof. Marcelo Vettori ESTUDO DOS GASES E TERMODINÂMICA I- ESTUDO DOS GASES 1- Teoria Cinética dos Gases: as moléculas constituintes

Leia mais

NOME: Nº. ASSUNTO: Recuperação Final - 1a.lista de exercícios - Comentada VALOR: 13,0 NOTA:

NOME: Nº. ASSUNTO: Recuperação Final - 1a.lista de exercícios - Comentada VALOR: 13,0 NOTA: NOME: Nº 2 o ano do Ensino Médio TURMA: Data: 11/ 12/ 12 DISCIPLINA: Física PROF. : Petrônio L. de Freitas ASSUNTO: Recuperação Final - 1a.lista de exercícios - Comentada VALOR: 13,0 NOTA: INSTRUÇÕES (Leia

Leia mais

O estado no qual um ou mais corpos possuem a mesma temperatura e, dessa forma, não há troca de calor entre si, denomina-se equilíbrio térmico.

O estado no qual um ou mais corpos possuem a mesma temperatura e, dessa forma, não há troca de calor entre si, denomina-se equilíbrio térmico. 4. CALORIMETRIA 4.1 CALOR E EQUILÍBRIO TÉRMICO O objetivo deste capítulo é estudar a troca de calor entre corpos. Empiricamente, percebemos que dois corpos A e B, a temperaturas iniciais diferentes, ao

Leia mais

FOLHAS DE PROBLEMAS. Termodinâmica e teoria cinética. Física dos Estados da Matéria 2002/03

FOLHAS DE PROBLEMAS. Termodinâmica e teoria cinética. Física dos Estados da Matéria 2002/03 FOLHAS DE PROBLEMAS Termodinâmica e teoria cinética Física dos Estados da Matéria 00/03 Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto ª FOLHA

Leia mais

Projeto rumo ao ita. Química. Exercícios de Fixação. Exercícios Propostos. Termodinâmica. ITA/IME Pré-Universitário 1. 06. Um gás ideal, com C p

Projeto rumo ao ita. Química. Exercícios de Fixação. Exercícios Propostos. Termodinâmica. ITA/IME Pré-Universitário 1. 06. Um gás ideal, com C p Química Termodinâmica Exercícios de Fixação 06. Um gás ideal, com C p = (5/2)R e C v = (3/2)R, é levado de P 1 = 1 bar e V 1 t = 12 m³ para P 2 = 12 bar e V 2 t = 1m³ através dos seguintes processos mecanicamente

Leia mais

De acordo a Termodinâmica considere as seguintes afirmações.

De acordo a Termodinâmica considere as seguintes afirmações. Questão 01 - (UFPel RS/2009) De acordo a Termodinâmica considere as seguintes afirmações. I. A equação de estado de um gás ideal, pv = nrt, determina que a pressão, o volume, a massa e a temperatura podem

Leia mais

Física. Atividades Adicionais. Determine, em função de F, a nova intensidade da força de repulsão.

Física. Atividades Adicionais. Determine, em função de F, a nova intensidade da força de repulsão. Atividades Adicionais Física Módulo 4 1. Qual é a intensidade da força de atração elétrica entre um núcleo de um átomo de ferro (Q = 26 e) e seu elétron mais interno (q = e), sabendo-se que este possui

Leia mais

Vestibulando Web Page www.vestibulandoweb.com.br - CALORIMETRIA -

Vestibulando Web Page www.vestibulandoweb.com.br - CALORIMETRIA - 1. (Fuvest 2005) Características do botijão de gás: Gás - GLP Massa total - 13 kg Calor de combustão - 40 000 kj/kg Vestibulando Web Page Um fogão, alimentado por um botijão de gás, com as características

Leia mais

1 a QUESTÃO Valor 1,0

1 a QUESTÃO Valor 1,0 1 a QUESTÃO Valor 1,0 Um esquimó aguarda a passagem de um peixe sob um platô de gelo, como mostra a figura abaixo. Ao avistá-lo, ele dispara sua lança, que viaja com uma velocidade constante de 50 m/s,

Leia mais

Colégio Nomelini. FÍSICA Aprofundamento Profº. JB

Colégio Nomelini. FÍSICA Aprofundamento Profº. JB FÍSICA Aprofundamento Profº. JB LISTA DE RECUPERAÇÃO MENSAL 2º. ANO EM DILATAÇÃO 1) 1. (Unesp 89) O coeficiente de dilatação linear médio de um certo material é e a sua massa específica a 0 C é. Calcule

Leia mais

Resolução de Curso Básico de Física de H. Moysés Nussenzveig Capítulo 08 - Vol. 2

Resolução de Curso Básico de Física de H. Moysés Nussenzveig Capítulo 08 - Vol. 2 HTTP://COMSIZO.BLOGSPOT.COM/ Resolução de Curso Básico de Física de H. Moysés Nussenzveig Capítulo 08 - Vol. 2 Engenharia Física 09 Universidade Federal de São Carlos 10/31/2009 *Conseguimos algumas resoluções

Leia mais

Física Unidade VI Termofísica Série 4 - Calor provocando mudanças de estado físico

Física Unidade VI Termofísica Série 4 - Calor provocando mudanças de estado físico 01 De acordo com o enunciado: na etapa I do processo de liofilização, a água contida no alimento é solidificada. Sendo assim, ela passa do estado líquido ao estado sólido, representado no diagrama de fases

Leia mais

Exercícios Terceira Prova de FTR

Exercícios Terceira Prova de FTR Exercícios Terceira Prova de FTR 1) Existe uma diferença de 85 o C através de uma manta de vidro de 13cm de espessura. A condutividade térmica da fibra de vidro é 0,035W/m. o C. Calcule o calor transferido

Leia mais

APOSTILA DE FÍSICA II BIMESTRE

APOSTILA DE FÍSICA II BIMESTRE LICEU DE ESUDOS INEGRADOS Aluno:... Data:... Série: º ano do ENSINO MÉDIO Professor: Marcos Antônio APOSILA DE FÍSICA II BIMESRE ERMODINÂMICA É a ciência que estuda as relações entre o calor o trabalho,

Leia mais

CA 6 - Apropriar-se de conhecimentos da Física para, em situações problema, interpretar, avaliar ou planejar intervenções científico-tecnológicas.

CA 6 - Apropriar-se de conhecimentos da Física para, em situações problema, interpretar, avaliar ou planejar intervenções científico-tecnológicas. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CADERNO 9 PROF.: Célio Normando CA 6 - Apropriar-se de conhecimentos da Física para, em situações problema, interpretar, avaliar ou planejar intervenções científico-tecnológicas.

Leia mais

FÍSICA. Professor Felippe Maciel Grupo ALUB

FÍSICA. Professor Felippe Maciel Grupo ALUB Revisão para o PSC (UFAM) 2ª Etapa Nas questões em que for necessário, adote a conversão: 1 cal = 4,2 J Questão 1 Noções de Ondulatória. (PSC 2011) Ondas ultra-sônicas são usadas para vários propósitos

Leia mais

Determine, em graus kelvins, o módulo da variação entre a maior e a menor temperatura da escala apresentada.

Determine, em graus kelvins, o módulo da variação entre a maior e a menor temperatura da escala apresentada. 1. (Uerj 2015) No mapa abaixo, está representada a variação média da temperatura dos oceanos em um determinado mês do ano. Ao lado, encontra-se a escala, em graus Celsius, utilizada para a elaboração do

Leia mais

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 14:26. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica,

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 14:26. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, Exercícios Resolvidos de Física Básica Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, Doutor em Física pela Universidade udwig Maximilian de Munique, Alemanha Universidade Federal da

Leia mais

Aluno: Série:_2º Data: Matéria: Fisica Turno: Valor: Nota: Supervisoras: Rejane/Betânia

Aluno: Série:_2º Data: Matéria: Fisica Turno: Valor: Nota: Supervisoras: Rejane/Betânia ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA TRABALHO DE PROGRESSÃO PARCIAL ENSINO MÉDIO - 2012 ESCOLA REFERENCIA Aluno: Série:_2º Data: Matéria: Fisica Turno: Valor: Nota: Supervisoras: Rejane/Betânia

Leia mais

Exercícios de Termodinâmica

Exercícios de Termodinâmica Exercícios de Termodinâmica 1-Uma massa gasosa, inicialmente num estado A, sofre duas transformações sucessivas e passa para um estado C. A partir do estado A esse gás sofre uma transformação isobárica

Leia mais

Aulas 11 e 12 Segunda e Terceira Lei da Termodinâmica

Aulas 11 e 12 Segunda e Terceira Lei da Termodinâmica Aulas 11 e 12 Segunda e Terceira Lei da Termodinâmica 1 Introdução De forma geral podemos afirmar que na natureza algumas coisas acontecem e outras não. Por exemplo: um gás se expande ocupando inteiramente

Leia mais

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984)

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) 1 - Um corpo humano está a 69 0 numa escala X. Nessa mesma escala o ponto do gelo corresponde a 50 graus e o ponto a vapor 100 0. Este corpo:

Leia mais

Capítulo 20. Processos reversíveis Entropia O Motor de Carnot Frigoríficos Motores de reais (20-1)

Capítulo 20. Processos reversíveis Entropia O Motor de Carnot Frigoríficos Motores de reais (20-1) Capítulo 20 Entropia e a Segunda ei da ermodinâmica Neste capítulo, vamos introduzir a segunda lei da termodinâmica. Os seguintes tópicos serão abordados: Processos reversíveis Entropia O Motor de Carnot

Leia mais

Vale a pena ressaltar que na figura 4.3.1 existe uma chaminé, que vai o resto do gás que não foi aproveitado para mover o pistão.

Vale a pena ressaltar que na figura 4.3.1 existe uma chaminé, que vai o resto do gás que não foi aproveitado para mover o pistão. Máquinas Térmicas INTRODUÇÃO Dando continuidade ao nosso material, vamos trazer aplicações para tudo que a gente viu até agora na termodinâmica. A máquina térmica revolucionou o mundo a partir dos estudos

Leia mais

Liquido saturado é aquele que está numa determinada temperatura e pressão eminente de iniciar a transformação para o estado vapor.

Liquido saturado é aquele que está numa determinada temperatura e pressão eminente de iniciar a transformação para o estado vapor. Módulo IV Propriedades de Substâncias Puras: Relações P-V-T e Diagramas P-V, P-T e T-V, Título, Propriedades Termodinâmicas, Tabelas Termodinâmicas, Energia Interna, Entalpia, Calores Espercíficos c v

Leia mais

Lista 04. F.02 Espelhos Planos e Esféricos

Lista 04. F.02 Espelhos Planos e Esféricos F.02 Espelhos Planos e Esféricos 2º Série do Ensino Médio Turma: Turno: Vespertino Lista 03 Lista 04 Questão 01) Obedecendo às condições de Gauss, um espelho esférico fornece, de um objeto retilíneo de

Leia mais

b) Pedrinho não estava com febre, pois sua temperatura era de 36,5 ºC.

b) Pedrinho não estava com febre, pois sua temperatura era de 36,5 ºC. Exercícios calorimetria 1.Dona Maria do Desespero tem um filho chamado Pedrinho, que apresentava os sintomas característicos da gripe causada pelo vírus H1N1: tosse, dor de garganta, dor nas articulações

Leia mais

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 14:30. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica,

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 14:30. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, Exercícios Resolvidos de Física Básica Jason Alfredo Carlson Gallas professor titular de física teórica Doutor em Física pela Universidade Ludwig Maximilian de Munique Alemanha Universidade Federal da

Leia mais

FÍSICA. Calor é a transferência de energia térmica entre corpos com temperaturas diferentes.

FÍSICA. Calor é a transferência de energia térmica entre corpos com temperaturas diferentes. Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 12R Ensino Médio Equipe de Física Data: FÍSICA CALORIMETRIA Calor Quando colocamos dois corpos com temperaturas diferentes em contato, podemos observar que a temperatura

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN FÍSICA 1 Estude nas apostilas: Física Térmica e Termodinâmica Curiosidade: a unidade de temperatura no SI (Sistema Internacional de Unidades) é o Kelvin. Na tabela seguinte, alguns valores importantes

Leia mais

Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 2 o ano Disciplina: Física - Calorimetria. Pré Universitário Uni-Anhanguera

Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 2 o ano Disciplina: Física - Calorimetria. Pré Universitário Uni-Anhanguera Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 2 o ano Disciplina: Física - Calorimetria 01 - (MACK SP) Um estudante no laboratório de física, por

Leia mais

Disciplina de Físico Química I - Gases Ideais- Lei de Boyle-Charles. Prof. Vanderlei Inácio de Paula contato: vanderleip@anchieta.

Disciplina de Físico Química I - Gases Ideais- Lei de Boyle-Charles. Prof. Vanderlei Inácio de Paula contato: vanderleip@anchieta. Disciplina de Físico Química I - Gases Ideais- Lei de Boyle-Charles. Prof. Vanderlei Inácio de Paula contato: vanderleip@anchieta.br A físico-química é a disciplina que estuda as propriedades físicas e

Leia mais

Cap. 24. Gases perfeitos. 21 questões

Cap. 24. Gases perfeitos. 21 questões Cap 24 Gases perfeitos 21 questões 357 Gases perfeitos 01 UFFRJ 1 a Fase 20 Nas cidades I e II não há tratamento de água e a população utiliza a ebulição para reduzir os riscos de contaminação A cidade

Leia mais

Simulado ENEM. a) 75 C b) 65 C c) 55 C d) 45 C e) 35 C

Simulado ENEM. a) 75 C b) 65 C c) 55 C d) 45 C e) 35 C 1. Um trocador de calor consiste em uma serpentina, pela qual circulam 18 litros de água por minuto. A água entra na serpentina à temperatura ambiente (20 C) e sai mais quente. Com isso, resfria-se o líquido

Leia mais

A velocidade escalar constante do caminhão é dada por:

A velocidade escalar constante do caminhão é dada por: 46 c Da carroceria de um caminhão carregado com areia, pinga água à razão constante de 90 gotas por minuto. Observando que a distância entre as marcas dessas gotas na superfície plana da rua é constante

Leia mais

a) h0/16 b) h0/8 c) h0/4 d) h0/3 e) h0/2 Gabarito: A

a) h0/16 b) h0/8 c) h0/4 d) h0/3 e) h0/2 Gabarito: A FÍSICA. Para um corpo em MHS de amplitude A, que se encontra incialmente na posição A/, com velocidade positiva, a fase inicial é, em radianos, a) b) c) d) e). O planeta Terra possui raio R e gira com

Leia mais

QUESTÃO 01. a) Qual a temperatura do forno? b) Qual a variação de energia interna do bloco do latão. QUESTÃO 02

QUESTÃO 01. a) Qual a temperatura do forno? b) Qual a variação de energia interna do bloco do latão. QUESTÃO 02 Quando necessário considere: g = 10 m/s 2, densidade da água = 1 g/cm 3, 1 atm = 10 5 N/m 2, c água = 1 cal/g. 0 C, R = 8,31 J/mol.K, velocidade do som no ar = 340 m/s e na água = 1500 m/s, calor específico

Leia mais

a) Qual a pressão do gás no estado B? b) Qual o volume do gás no estado C

a) Qual a pressão do gás no estado B? b) Qual o volume do gás no estado C Colégio Santa Catarina Unidade XIII: Termodinâmica 89 Exercícios de Fixação: a) PV = nr T b)pvn = RT O gráfico mostra uma isoterma de uma massa c) PV = nrt d) PV = nrt de gás que é levada do e) PV = nrt

Leia mais

MEDIÇÃO DE TEMPERATURA

MEDIÇÃO DE TEMPERATURA MEDIÇÃO DE TEMPERATURA 1 INTRODUÇÃO Temperatura é sem dúvida a variável mais importante nos processos industriais, e sua medição e controle, embora difíceis, são vitais para a qualidade do produto e a

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Módulo II Aula 05 1. Introdução A mecânica dos gases é a parte da Mecânica que estuda as propriedades dos gases. Na Física existem três estados da matéria

Leia mais

Lista de exercícios 15 Transformações gasosas

Lista de exercícios 15 Transformações gasosas Lista de exercícios 15 Transformações gasosas 01. Desenhe a curva correspondente (numa dada temperatura) para a transformação isotérmica, explique o porquê desta denominação. 02. Desenhe a curva correspondente

Leia mais

Determinação da condutividade térmica do Cobre

Determinação da condutividade térmica do Cobre Determinação da condutividade térmica do Cobre TEORIA Quando a distribuição de temperatura de um corpo não é uniforme (ou seja, diferentes pontos estão a temperaturas diferentes), dá-se expontaneamente

Leia mais

Prof. André Motta - mottabip@hotmail.com_ C) O calor contido em cada um deles é o mesmo. D) O corpo de maior massa tem mais calor que os outros dois.

Prof. André Motta - mottabip@hotmail.com_ C) O calor contido em cada um deles é o mesmo. D) O corpo de maior massa tem mais calor que os outros dois. Exercícios de Termometria 1-Calor é: A) Energia que aumenta em um corpo quando ele se aquece. B) Energia que sempre pode ser convertida integralmente em trabalho. C) O agente físico responsável pelo aquecimento

Leia mais

Questão 46. Questão 48. Questão 47. alternativa D. alternativa E

Questão 46. Questão 48. Questão 47. alternativa D. alternativa E Questão 46 Correndo com uma bicicleta, ao longo de um trecho retilíneo de uma ciclovia, uma criança mantém a velocidade constante de módulo igual a,50 m/s. O diagrama horário da posição para esse movimento

Leia mais

Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ

Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ º Exame de Qualificação 011 Questão 6 Vestibular 011 No interior de um avião que se desloca horizontalmente em relação ao

Leia mais

Termologia. Calor: É uma forma de energia em transito de um corpo de maior temperatura para outro de menor temperatura.

Termologia. Calor: É uma forma de energia em transito de um corpo de maior temperatura para outro de menor temperatura. Página 1 de 35 Termologia 1 - Introdução: A termologia (termo = calor, logia = estudo) é o ramo da física que estuda o calor e seus efeitos sobre a matéria. Ela é o resultado de um acúmulo de descobertas

Leia mais

TIPO-A FÍSICA. x v média. t t. x x

TIPO-A FÍSICA. x v média. t t. x x 12 FÍSICA Aceleração da gravidade, g = 10 m/s 2 Constante gravitacional, G = 7 x 10-11 N.m 2 /kg 2 Massa da Terra, M = 6 x 10 24 kg Velocidade da luz no vácuo, c = 300.000 km/s 01. Em 2013, os experimentos

Leia mais

1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor

1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor 1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor Um mol de um gás ideal é levado do estado A para o estado B, de acordo com o processo representado no diagrama pressão versus volume conforme figura abaixo: a)

Leia mais

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR Prof. Humberto A. Machado Departamento de Mecânica e Energia DME Faculdade de Tecnologia de Resende - FAT Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

COMENTÁRIOS DA PROVA DE FÍSICA DO SSA-UPE 2 ANO

COMENTÁRIOS DA PROVA DE FÍSICA DO SSA-UPE 2 ANO COMENTÁRIOS DA PROVA DE FÍSICA DO SSA-UPE 2 ANO 23. Leia o seguinte texto: Considere que esse grande espelho, acima da camada da atmosfera, estará em órbita geoestacionária. Com base nessas informações,

Leia mais

Estudo dos Gases. 1- Diagrama de Estado:

Estudo dos Gases. 1- Diagrama de Estado: 1 TEXTO DE REVISÃO Termodinâmica e Gases Ideais Caro aluno (a) : Este texto de revisão é uma continuação do texto de revisão Termologia e Calorimetria. A melhor forma de abordá-lo seja sugerir que ele

Leia mais

Calorimetria e Mudança de fases

Calorimetria e Mudança de fases Parte I Calorimetria e Mudança de fases 1. (Uerj 2014) A energia consumida por uma pessoa adulta em um dia é igual a 2 400 kcal. Determine a massa de gelo a 0 C que pode ser totalmente liquefeita pela

Leia mais

e R 2 , salta no ar, atingindo sua altura máxima no ponto médio entre A e B, antes de alcançar a rampa R 2

e R 2 , salta no ar, atingindo sua altura máxima no ponto médio entre A e B, antes de alcançar a rampa R 2 FÍSICA 1 Uma pista de skate, para esporte radical, é montada a partir de duas rampas R 1 e R 2, separadas entre A e B por uma distância D, com as alturas e ângulos indicados na figura. A pista foi projetada

Leia mais

sendo as componentes dadas em unidades arbitrárias. Determine: a) o vetor vetores, b) o produto escalar e c) o produto vetorial.

sendo as componentes dadas em unidades arbitrárias. Determine: a) o vetor vetores, b) o produto escalar e c) o produto vetorial. INSTITUTO DE FÍSICA DA UFRGS 1 a Lista de FIS01038 Prof. Thomas Braun Vetores 1. Três vetores coplanares são expressos, em relação a um sistema de referência ortogonal, como: sendo as componentes dadas

Leia mais

DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO:

DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO: DISCIPLINA: FÍSICA PROFESSORES: Erich/ André NOME COMPLETO: I N S T R U Ç Õ E S DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 1 a EM Circule a sua turma: Funcionários:

Leia mais

Escolha sua melhor opção e estude para concursos sem gastar nada

Escolha sua melhor opção e estude para concursos sem gastar nada Escolha sua melhor opção e estude para concursos sem gastar nada VALORES DE CONSTANTES E GRANDEZAS FÍSICAS - aceleração da gravidade g = 10 m/s 2 - calor específico da água c = 1,0 cal/(g o C) = 4,2 x

Leia mais

16) O produto nr tem um valor constante de 50atm.cm 3 /K. 32) A densidade final do gás foi de 50% do valor inicial.

16) O produto nr tem um valor constante de 50atm.cm 3 /K. 32) A densidade final do gás foi de 50% do valor inicial. Exercícios de termodinâmica Para as questões 01 e 02: Em uma transformação isotérmica, mantida a 127 C, o volume de certa quantidade de gás, inicialmente sob pressão de 2,0 atm, passa de 10 para 20 litros.

Leia mais

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES 2015 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 Uma mola comprimida por uma deformação x está em contato com um corpo de massa m, que se encontra

Leia mais

Equação Geral dos Gases

Equação Geral dos Gases Equação Geral dos Gases EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (EEM-SP) Uma determinada massa gasosa, confinada em um recipiente de volume igual a 6,0 L, está submetida a uma pressão de 2,5 atm e sob temperatura de

Leia mais

Apresentar os conceitos relacionados à mistura simples e equilíbrios de fases e equilíbrio químico.

Apresentar os conceitos relacionados à mistura simples e equilíbrios de fases e equilíbrio químico. Exercícios de Equilíbrio químico e Misturas Meta Apresentar os conceitos relacionados à mistura simples e equilíbrios de fases e equilíbrio químico. Objetivos Ao final desta aula, o aluno deverá: compreender

Leia mais

Olimpíada Brasileira de Física 2001 2ª Fase

Olimpíada Brasileira de Física 2001 2ª Fase Olimpíada Brasileira de Física 2001 2ª Fase Gabarito dos Exames para o 1º e 2º Anos 1ª QUESTÃO Movimento Retilíneo Uniforme Em um MRU a posição s(t) do móvel é dada por s(t) = s 0 + vt, onde s 0 é a posição

Leia mais

Lista 3- Atividades resolvidas

Lista 3- Atividades resolvidas Lista 3- Atividades resolvidas 4.2 Determine a fase ou as fases em um sistema constituído de H 2 0 para as seguintes condições esboçe os diagramas p-v e T-v mostrando a posição de cada estado. (a) p =

Leia mais

Questão 46. Questão 47. Questão 49. Questão 48. ver comentário. alternativa D. alternativa C

Questão 46. Questão 47. Questão 49. Questão 48. ver comentário. alternativa D. alternativa C Questão 46 Um casal de namorados passeia, de braços dados, com velocidade escalar constante de 80 cm/s. O passo da menina mede 40 cm e o do rapaz, 60 cm. Se, em certo instante, ambos tocam o pé direito

Leia mais

Prof. André Motta - mottabip@hotmail.com_ B) 593 kcal C) 771 kcal D) 829 kcal E) 1000 kcal

Prof. André Motta - mottabip@hotmail.com_ B) 593 kcal C) 771 kcal D) 829 kcal E) 1000 kcal Exercícios de Calorimetria 1-Num calorímetro, contendo 185 g de água a 26 C, jogase um bloco de 150 g de prata a 120 C, obtendo-se o equilíbrio térmico em temperatura de 30 C. Determinar o equivalente

Leia mais

Elementos de Engenharia Civil 2007/2008. Enunciados dos problemas *

Elementos de Engenharia Civil 2007/2008. Enunciados dos problemas * DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E ARQUITECTURA SECÇÁO DE HIDRÁULICA E RECURSOS HÍDRICOS E AMBIENTAIS Elementos de Engenharia Civil 2007/2008 2 SEMESTRE Enunciados dos problemas * (módulo de Hidráulica)

Leia mais

Q t. Jornal de Física Único Jornal do Pará www.fisicapaidegua.com

Q t. Jornal de Física Único Jornal do Pará www.fisicapaidegua.com A condição necessária para que haja propagação do calor de um ponto para outro é que exista diferença de temperatura entre os pontos. O calor pode se propagar de três maneiras: condução, convecção e irradiação.

Leia mais

= + + = = + = = + 0 AB

= + + = = + = = + 0 AB FÍSIC aceleração da gravidade na Terra, g 0 m/s densidade da água, a qualquer temperatura, r 000 kg/m 3 g/cm 3 velocidade da luz no vácuo 3,0 x 0 8 m/s calor específico da água @ 4 J/(ºC g) caloria @ 4

Leia mais

n 1 L 1 n 2 L 2 Supondo que as ondas emergentes podem interferir, é correto afirmar que

n 1 L 1 n 2 L 2 Supondo que as ondas emergentes podem interferir, é correto afirmar que QUESTÃO 29 QUESTÃO 27 Uma escada de massa m está em equilíbrio, encostada em uma parede vertical, como mostra a figura abaixo. Considere nulo o atrito entre a parede e a escada. Sejam µ e o coeficiente

Leia mais

2. Considere um bloco de gelo de massa 300g á temperatura de 20 C, sob pressão normal. Sendo L F

2. Considere um bloco de gelo de massa 300g á temperatura de 20 C, sob pressão normal. Sendo L F 1. Considere um bloco de gelo de massa 300g encontra-se a 0 C. Para que todo gelo se derreta, obtendo água a 0 C são necessárias 24.000 cal. Determine o calor latente de fusão do gelo. 2. Considere um

Leia mais

Questão 1. Questão 2. Resposta

Questão 1. Questão 2. Resposta aceleração da gravidade na Terra, g = 10 m/s densidade da água, a qualquer temperatura, ρ = 1000 kg/m 3 = 1 g/cm 3 velocidade da luz no vácuo = 3,0 10 8 m/s calor específico da água 4 J/( o C g) 1 caloria

Leia mais

Gás Ideal ou Perfeito

Gás Ideal ou Perfeito Leituras Complementares Gás Ideal ou Perfeito Um gás ideal ou perfeito é aquele que segue a ecuação: PV = nrt Onde: R = 8,314 J mol -1 K -1 R = 8,205 10-2 atm L mol -1 K -1 R = 8,314 10-2 bar L mol -1

Leia mais

(J/gºC) Água 4,19 Petróleo 2,09 Glicerin a 2,43. Leite 3,93 Mercúri o 0,14. a) a água. b) o petróleo. c) a glicerina. d) o leite.

(J/gºC) Água 4,19 Petróleo 2,09 Glicerin a 2,43. Leite 3,93 Mercúri o 0,14. a) a água. b) o petróleo. c) a glicerina. d) o leite. COLÉGIO PEDRO II PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA DOCENTE RESIDENTE DOCENTE: Marcia Cristina de Souza Meneguite Lopes MATRÍCULA: P4112515 INSCRIÇÃO: PRD.FIS.0006/15

Leia mais

Lista de exercícios sobre barras submetidas a força normal

Lista de exercícios sobre barras submetidas a força normal RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I Lista de exercícios sobre barras submetidas a força normal 1) O cabo e a barra formam a estrutura ABC (ver a figura), que suporta uma carga vertical P= 12 kn. O cabo tem a área

Leia mais

Preencha a tabela a seguir, de acordo com as informações do texto.

Preencha a tabela a seguir, de acordo com as informações do texto. 1. Uma amostra de um gás está contida em um cilindro ao qual se adapta um êmbolo. A figura a seguir mostra o diagrama pressão X volume das transformações sofridas pelo gás. A energia interna do gás no

Leia mais

Questão 46. alternativa A

Questão 46. alternativa A Questão 46 Um garoto, brincando com seu autorama, resolve analisar o movimento do carrinho durante um ciclo, ao longo da trajetória pontilhada ABDEFA. Os trechos AB, D, DE e FA medem 40,00 cm cada um e

Leia mais

Energia nos Transportes! Co-financiado por:

Energia nos Transportes! Co-financiado por: Energia nos Transportes! O Projecto Ferreira Sustentável - Energia Projecto -Ferreira Energia Plano Nacional para a Eficiência Energética Portugal Eficiência 2015 Energia nas Escolas Energia nos Transportes

Leia mais

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por:

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por: Primeira Lei da Termodinâmica A energia interna U de um sistema é a soma das energias cinéticas e das energias potenciais de todas as partículas que formam esse sistema e, como tal, é uma propriedade do

Leia mais

LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12

LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12 LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12 Questão 01) Quando uma pessoa se aproxima de um espelho plano ao longo da direção perpendicular a este e com uma velocidade de módulo 1 m/s, é correto afirmar que

Leia mais

FUVEST 2000-2 a Fase - Física - 06/01/2000 ATENÇÃO

FUVEST 2000-2 a Fase - Física - 06/01/2000 ATENÇÃO ATENÇÃO VERIFIQUE SE ESTÃO IMPRESSOS EIXOS DE GRÁFICOS OU ESQUEMAS, NAS FOLHAS DE RESPOSTAS DAS QUESTÕES 1, 2, 4, 9 e 10. Se notar a falta de uma delas, peça ao fiscal de sua sala a substituição da folha.

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DA TERMODINÂMICA

CONCEITOS BÁSICOS DA TERMODINÂMICA CAPÍTULO 1 1 CAPÍTULO 1 CONCEITOS BÁSICOS DA TERMODINÂMICA SUMÁRIO Cada ciência tem um vocabulário próprio e a Termodinâmica não é excepção. Definições precisas dos conceitos básicos no desenvolvimento

Leia mais

2- TRABALHO NUMA TRANSFORMAÇÃO GASOSA 4-1ª LEI DA TERMODINÂMICA

2- TRABALHO NUMA TRANSFORMAÇÃO GASOSA 4-1ª LEI DA TERMODINÂMICA AULA 07 ERMODINÂMICA GASES 1- INRODUÇÃO As variáveis de estado de um gás são: volume, pressão e temperatura. Um gás sofre uma transformação quando pelo menos uma das variáveis de estado é alterada. Numa

Leia mais

23-05-2012. Sumário. Materiais. Algumas propriedades físicas e químicas dos materiais

23-05-2012. Sumário. Materiais. Algumas propriedades físicas e químicas dos materiais Sumário Correção do TPC. Algumas propriedades físicas características de substâncias. Os estados físicos da matéria e as mudanças de estado; Temperatura de fusão e temperatura de ebulição; Densidade. Estados

Leia mais

Questão 2 Uma esfera de cobre de raio R0 é abandonada em repouso sobre um plano inclinado de forma a rolar ladeira abaixo. No entanto, a esfera

Questão 2 Uma esfera de cobre de raio R0 é abandonada em repouso sobre um plano inclinado de forma a rolar ladeira abaixo. No entanto, a esfera Questão 1 Na figura abaixo, vê-se um trecho de uma linha de produção de esferas. Para testar a resistência das esferas a impacto, são impulsionadas a partir de uma esteira rolante, com velocidade horizontal

Leia mais

Interbits SuperPro Web

Interbits SuperPro Web 1. (Ufrgs 2013) Um projeto propõe a construção de três máquinas térmicas, M 1, M 2 e M 3, que devem operar entre as temperaturas de 250 K e 500 K, ou seja, que tenham rendimento ideal igual a 50%. Em cada

Leia mais

DILATAÇÃO TÉRMICA. A figura mostra uma barra metálica, em duas temperaturas diferentes: Verifica-se, experimentalmente, que:

DILATAÇÃO TÉRMICA. A figura mostra uma barra metálica, em duas temperaturas diferentes: Verifica-se, experimentalmente, que: DILATAÇÃO TÉRMICA Uma variação de temperatura pode alterar o valor das grandezas de um corpo, tais como: a pressão de um gás, cor e um metal, a resistência elétrica de um condutor de eletricidade, a altura

Leia mais

Prof. Eduardo Loureiro, DSc.

Prof. Eduardo Loureiro, DSc. Prof. Eduardo Loureiro, DSc. Transmissão de Calor é a disciplina que estuda a transferência de energia entre dois corpos materiais que ocorre devido a uma diferença de temperatura. Quanta energia é transferida

Leia mais

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA Prof Cazuza 1 (Uff 2012) O ciclo de Stirling é um ciclo termodinâmico reversível utilizado em algumas máquinas térmicas Considere o ciclo de Stirling para 1 mol de um gás ideal monoatônico ilustrado no

Leia mais

Questão 46 Questão 47

Questão 46 Questão 47 Questão 46 Questão 47 Um estudante que se encontrava sentado em uma praça, em frente de um moderno edifício, resolveu observar o movimento de um elevador panorâmico. Após haver efetuado algumas medidas,

Leia mais

Métodos Numéricos 2010-11. Exame 11/07/11

Métodos Numéricos 2010-11. Exame 11/07/11 ESCOLA SUPERIOR DE BIOTECNOLOGIA Métodos Numéricos 2010-11 Exame 11/07/11 Parte Teórica Duração: 30 minutos Atenção: Teste sem consulta. Não é permitido o uso da máquina de calcular. Não esquecer de indicar

Leia mais

g= 10 m.s c = 3,0 10 8 m.s -1 h = 6,63 10-34 J.s σ = 5,7 10-8 W.m -2 K -4

g= 10 m.s c = 3,0 10 8 m.s -1 h = 6,63 10-34 J.s σ = 5,7 10-8 W.m -2 K -4 TESTE DE FÍSICO - QUÍMICA 10 º Ano Componente de Física A Duração do Teste: 90 minutos Relações entre unidades de energia W = F r 1 TEP = 4,18 10 10 J Energia P= t 1 kw.h = 3,6 10 6 J Q = mc θ P = U i

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE ANÁLISE LABORATORIAL

CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE ANÁLISE LABORATORIAL DIREÇÃO GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES DIREÇÃO DE SERVIÇOS DA REGIÃO CENTRO ANO LECTIVO 2015 2016 CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE ANÁLISE LABORATORIAL MÉTODOS OPTICOS ESPECTROFOTOMETRIA MOLECULAR (UV

Leia mais

3. Calorimetria. 3.1. Conceito de calor

3. Calorimetria. 3.1. Conceito de calor 3. Calorimetria 3.1. Conceito de calor As partículas que constituem um corpo estão em constante movimento. A energia associada ao estado de movimento das partículas faz parte da denominada energia intera

Leia mais

UNICAMP - 2006. 2ª Fase FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UNICAMP - 2006. 2ª Fase FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UNICAMP - 2006 2ª Fase FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Física Questão 01 Um corredor de 100 metros rasos percorre os 20 primeiros metros da corrida em 4,0 s com aceleração constante. A velocidade

Leia mais