PROJETO BÁSICO 1. DO OBJETO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO BÁSICO 1. DO OBJETO"

Transcrição

1 PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE ATIVOS DE REDE PARA TERRACAP Março/2013 1

2 PROJETO BÁSICO 1. DO OBJETO 1.1. Contratação de empresa(s) especializada(s) em fornecimento e instalação de equipamentos, sob demanda e com transferência de tecnologia, para o Sistema de Registro de Preços, divididos em 02 (dois) lotes distintos, que podem ser adjudicados para empresas distintas, sendo: a) LOTE 01 Aquisição de SWITCHES DE CORE, SWITCHES DE BORDA e ACCESS POINTS; b) LOTE 02 Aquisição de SISTEMA DE DIAGNOSE E MONITORAMENTO DE REDE. 2. JUSTIFICATIVA PARA CONTRATAÇÃO O objetivo do presente projeto é prover as demandas referentes à disponibilização de serviços de TI para os clientes da TERRACAP, tanto internos quanto externos. Nos últimos 03 (três) anos, a quantidade de servidores no ambiente cresceu significativamente e o número de usuários também. Dessa maneira, o tráfego de dados no âmbito da Companhia vem crescendo consideravelmente e está cada vez mais sobrecarregado, causando lentidão nos acessos e nas informações disponibilizadas aos usuários da Companhia. Isso pode ser comprovado pelos vários documentos dos setores da TERRACAP, que tratam de solicitações das áreas técnicas no sentido de melhorar o desempenho do tráfego de dados na rede da Cia. É importante informar, ainda, que atualmente há vários projetos na TERRACAP que irão causar cada vez mais o aumento de consumo de banda de dados. Um exemplo é o programa TERRAGEO, programa de disponibilização de informações de imóveis por intermédio de plantas de CAD. A intenção deste projeto é disponibilizar informações dos imóveis de todo o DF, por intermédio dos mapas das cidades. Esse tipo de procedimento causa um elevado aumento no tráfego da rede de dados. Há, ainda, o projeto de GED, cuja intenção é digitalizar e inteligenciar os documentos da Companhia, objetivando consultas e acesso rápido pelos usuários da TERRACAP. Sabemos que um projeto GED consome uma elevada quantidade de recursos de TI para sua utilização e disponibilização. Há, também, a necessidade de aumentar a área de cobertura da internet sem fio, pois ainda existem algumas áreas no âmbito da Companhia em que o sinal wi fi não consegue ser captado satisfatoriamente. Por este motivo, se faz necessária a aquisição com o objetivo de aumentar o atual quantitativo de access points em número suficiente para sanar esta questão. Por último, diante do aumento de usuários e altas taxas de dados trafegados pela rede da TERRACAP, se faz necessária a utilização de uma solução que possa localizar e determinar com rapidez e precisão os gargalos e erros físicos que poderão vir a ocorrer na rede, de maneira objetiva e precisa. Desta forma, é possível agir de forma proativa, obtendo rapidez no diagnóstico, dirimindo dúvidas quanto à origem do problema, ou seja, se o mesmo está na rede, nos aplicativos, no banco de dados ou no usuário final. A proposta é para aquisição de solução para diagnóstico e monitoramento da rede Diante do exposto, faz-se necessária a aquisição de ativos de rede visando a substituição gradativa dos equipamentos já obsoletos em relação à performance exigida pelo alto tráfego de dados, a ampliação da rede sem fio, bem como uma solução que permita a diagnose e o monitoramento da rede de dados, como proteção ao investimento em upgrade de equipamentos, objetivando a melhoria dos serviços disponibilizados pela TI à Companhia. 2

3 É importante informar que os equipamentos especificados no Lote 01, tanto os switches quanto os access point de internet Wifi (AP s), serão solicitados e substituídos de acordo com a disponibilidade orçamentária para os anos de 2013 e Como se trata de aquisição parcelada, foi confeccionado o presente projeto básico visando aquisição pelo Sistema de Registro de Preços. Em virtude de tal fato, a adjudicação para a aquisição do Lote 01 em tela deverá ser GLOBAL, com o fim de se evitar prejuízo ao conjunto da solução que se pretende implantar, conforme as justificativas que se seguem: a) Viabilidade Técnica: i. Para os comutadores baseados em chassi, cada fabricante personaliza seu equipamento com slots, portas e demais acessórios de acordo com seu esquema de rede. Assim, a aquisição de comutadores diferenciados prejudicarão a arquitetura final a ser implementada; ii. Os demais comutadores, switches de distribuição, topo e acesso, caso sejam de marcas diferentes dos comutadores baseados em chassis, acarretarão perda considerável de performance, posto as incompatibilidades existentes entre soluções específicas de alguns fabricantes de equipamentos; iii. A solução integrada propiciará a utilização de ferramenta única de gerência, capaz de gerir toda a solução, o que otimiza a detecção de problemas e facilita a administração do ambiente; iv. A implementação dos demais recursos de controle e segurança de rede estará garantida, de forma a utilizar a solução em sua plenitude. b) Viabilidade Econômica: i. Diferentes marcas propiciarão diferentes contratos de manutenção, cujo gerenciamento por si só enseja elevados dispêndios de recursos. Acrescenta-se ainda, a dificuldade para resolução de problemas, pois haverá diferentes fabricantes e cada qual buscará isentar seu equipamento dos eventuais problemas manifestados, situação esta já enfrentada por esta Coordenação de Informática. Assim, além da economia no gerenciamento de um contrato único de manutenção, tem-se a perspectiva de suporte único nos ativos de rede como um todo; ii. Equipamentos diferentes exigirão treinamentos específicos para cada marca, onerando o custo da solução e a equipe técnica para resolução de problemas, podendo inviabilizar a solução e sua administração como um todo. Considerando a elevada possibilidade de inviabilidade técnica e econômica da aquisição por itens, pelos motivos acima mencionados, e no sentido de assegurar a compatibilidade, interoperabilidade, facilidade na administração e atendimento de suporte fim-a-fim, todos os equipamentos para o Lote 01 deverão ser totalmente compatíveis com os equipamentos atualmente instalados no parque de TI da TERRACAP. Será permitido, excepcionalmente, o fornecimento de outros switches que não possuam total compatibilidade com as funcionalidades dos equipamentos atuais, desde que seja fornecido junto a estes, um software de gerência totalmente compatível com estes novos equipamentos e com a base atualmente instalada, sendo capaz de gerenciar todos estes ativos com as mesmas funcionalidades dos atuais. 3. DAS ESPECIFICAÇÕES, e QUANTITATIVOS 3.1. As especificações técnicas dos equipamentos estão contidas no anexo I do Presente Projeto A planilha de quantitativos e valores estimados para contratação estão descritos no Anexo II do presente Projeto Básico. 3

4 4. DA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL 4.1. A contratação de pessoa jurídica para execução das atividades presente neste projeto básico encontra amparo legal no Decreto n.º 2.271, de 7 de julho de 1997, Lei n.º , de 17 de julho de 2002, Lei n.º 8.666, de 21 de junho de 1993, Lei Complementar n.º 123, de 14 de dezembro de 2006 e Decreto n.º 6.204, de 05 de setembro de DOS PRAZOS 5.1. Vigência da Ata de Registro de Preços: 01 (um) ano, a contar da publicação no Diário Oficial do DF, podendo ser prorrogada por igual período uma única vez; 5.2. Vigência do Contrato: a vigência será de 36 (trinta e seis) meses, contados a partir da data de sua publicação do extrato no Diário Oficial do DF, podendo, no interesse da administração, ser prorrogado, conforme Inciso II, do Artigo 57, da Lei nº 8.666/93; 5.3. Entrega e instalação dos equipamentos: será de no máximo 60 (sessenta) dias, quando demandados, sendo que estes prazos serão estipulados nas respectivas Ordens de Serviços, onde deverá constar, também, o endereço completo dos locais de instalação e a indicação do setor e do responsável pelo recebimento; 5.4. O prazo de instalação somente poderá ser prorrogado em caso de força maior, devidamente comprovado pela CONTRATADA, por escrito, até 24 (vinte e quatro) horas antes da data fixada para a instalação; 5.5. Atendimento aos chamados: será de até 02 (duas) horas; 5.6. Resolução para o chamado: será de até 24 (vinte e quatro) horas; 5.7. Substituição do equipamento: será de até 07 (sete) dias úteis. 6. LOCAL DE INSTALAÇÃO 6.1. Os equipamentos e serviços deverão ser entregues e instalados nas dependências do Edifício Sede da TERRACAP e/ ou em seus anexos Os equipamentos serão instalados de acordo com a necessidade da TERRACAP e por solicitação desta, que deverá ser feita com a emissão da Ordem de Serviços; 6.3. Os equipamentos, quando demandados, deverão ser entregues e instalados em perfeitas condições de operação, nos locais indicados pela TERRACAP. 7. DA MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS 7.1. A manutenção técnica, mecânica e operacional dos equipamentos instalados deverão ser efetuados de forma contínua, de modo a mantê-los permanente, plena e eficaz capacidade produtiva, através de pessoal próprio da Contratada, sem quaisquer ônus, encargos ou responsabilidades para a TERRACAP; 7.2. Chamados de suporte 08 x 05 em primeiro nível serão realizados via sítio ou telefone. 8. DA HABILITAÇÃO 8.1. As empresas licitantes deverão apresentar, sob pena de inabilitação, os seguintes documentos: Lote 01 atestado(s) emitido(s) por pessoa jurídica de direito público ou privado, acompanhado(s) do(s) respectivo(s) contrato(s), referente(s) à prestação de serviços similares, de natureza pertinente e compatível com o objeto desta licitação, e que comprove a prestação de serviços e fornecimento de solução compatível com o presente Projeto Básico; Lote 02 - Declaração de que a licitante é uma revenda autorizada ou parceiro autorizado do fabricante dos equipamentos ofertados e está apta a comercializar os equipamentos, materiais e serviços. 4

5 9. DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATANTE 9.1. Acompanhar, fiscalizar e conferir o objeto contratual; 9.2. Proporcionar todas as facilidades para que a CONTRATADA possa efetuar os serviços dentro das normas estabelecidas no contrato; 9.3. Permitir livre acesso dos funcionários da CONTRATADA aos equipamentos, objeto deste Projeto Básico, para execução dos serviços de instalação e assistência técnica, desde que devidamente identificados; 9.4. Receber os equipamentos entregues pela CONTRATADA, desde que estejam em conformidade com o objeto contratado; 9.5. Prestar informações e esclarecimentos que venham a ser solicitados pela CONTRATADA; 9.6. Comunicar a CONTRATADA as irregularidades observadas na execução do Contrato; 9.7. Não consentir que terceiro sem autorização execute os serviços de manutenção e reparo dos equipamentos; 9.8. Fornecer instalação elétrica e física, indispensável ao assentamento dos equipamentos e adequadas ao perfeito funcionamento dos mesmos; 9.9. Assegurar aos técnicos credenciados pela CONTRATADA o acesso aos equipamentos para efetuarem as manutenções preventivas e corretivas, resguardadas todas as necessidades de sigilo e segurança, bem como dependerá de autorização da CONTRATADA toda e qualquer intervenção nos equipamentos; Não remover os equipamentos do local instalado ou reinstalado, sem prévio e expresso consentimento da CONTRATADA; Solicitar a substituição dos equipamentos defeituosos; Notificar à CONTRATADA sobre imperfeições, falhas ou irregularidades constatadas nos equipamentos, para que sejam adotadas as medidas necessárias. 10. DAS OBRIGAÇÕES DA(s) CONTRATADA(s) Manter todas as condições de habilitação jurídica, fiscal, trabalhista e qualificação técnica, que ensejaram a sua contratação, devidamente atualizadas, durante toda a vigência do contrato, sob pena de retenção dos valores, até sua regularização, sem ônus para a TERRACAP, bem como a aplicação das demais penalidades; Responsabilizar-se pelo perfeito cumprimento do objeto do contrato, arcar com os eventuais prejuízos causados à TERRACAP ou a terceiros, provocados por ineficiência ou irregularidade cometida por seus empregados ou prepostos envolvidos na execução dos serviços, respondendo integralmente pelo ônus decorrente de sua culpa ou dolo na entrega dos serviços, o que não exclui nem diminui a responsabilidade pelos danos que se constatarem, independentemente do controle e fiscalização exercidos pela TERRACAP; Comunicar à TERRACAP, por escrito, quaisquer anormalidades, que ponham em risco o êxito e o cumprimento dos prazos de execução dos serviços, propondo as ações corretivas necessárias; Recrutar e contratar mão de obra especializada, qualificada e em quantidade suficiente à perfeita prestação dos serviços, em seu nome e sob sua responsabilidade, sem qualquer solidariedade da TERRACAP; Assumir todas as despesas e ônus relativos ao pessoal e a quaisquer outras derivadas ou conexas com o Contrato, ficando, ainda, para todos os efeitos legais, inexistente qualquer vínculo empregatício entre seus colaboradores e/ou preposto e a TERRACAP; Informar a TERRACAP, para efeito de controle de acesso às suas dependências, o nome, CPF e no número da carteira de identidade dos colaboradores disponibilizados para a prestação de serviços; 5

6 10.7. Cumprir as condições de garantia e suporte do objeto contratual de acordo com o Projeto Básico e seus anexos Fornecer as devidas notas fiscais/faturas, nos termos da lei e cumprir todas as obrigações fiscais decorrentes da execução do Contrato, responsabilizando-se por quaisquer infrações fiscais daí advindas, desde que a infração fiscal tenha resultado de obrigação da CONTRATADA; Atender aos prazos estabelecidos e acordados nas Ordens de Serviço abertas pela TERRACAP; Assumir total responsabilidade pelo sigilo das informações e dados, contidos em quaisquer mídias e documentos, que seus empregados ou prepostos vierem a obter em função dos serviços prestados à TERRACAP, respondendo pelos danos que venham a ocorrer; Prestar as informações e esclarecimentos relativos ao objeto desta contratação que venham a ser solicitados pelos agentes designados pela TERRACAP; Respeitar os direitos de propriedade intelectual relativo ao uso, proteção e segurança dos programas. 11. ESTIMATIVA DE CUSTO O valor total estimado para as possíveis contratações é de R$ ,00 (dois milhões, duzentos e noventa e um mil e oitocentos reais), distribuídos da seguinte forma: Lote 01: R$ ,00 (um milhão, novecentos e noventa e seis mil e oitocentos reais); Lote 02: R$ ,00 (duzentos e noventa e cinco mil reais) Os valores unitários estimados para contratação estão descritos no Anexo II É importante informar que os dois lotes poderão ser adjudicados para a mesma empresa ou para empresas diferentes, de acordo com os menores valores ofertados no certame licitatório; Os equipamentos especificados tanto no Lote 01 quanto no lote 02 serão solicitados e substituídos de acordo com a disponibilidade orçamentária para os anos de 2013 e Por tal razão está sendo realizado um registro de preços. 12. DO PAGAMENTO O(s) pagamento(s) será(ão) efetuado(s), em até 15 (quinze), após o atesto da(s) Nota(s) Fiscal(is)/ fatura(s), pelo executor do Contrato. 13. DA FISCALIZAÇÃO A fiscalização da prestação dos serviços será exercida por representante do CONTRATANTE, neste ato denominado Executor, devidamente credenciado, ao qual competirá dirimir as dúvidas que surgirem no curso da execução, dando ciência de tudo à CONTRATADA, Art. 67 da Lei n.º 8.666/93, com suas alterações A fiscalização que trata esta Cláusula, não exclui, nem reduz a responsabilidade da CONTRATADA, até mesmo perante terceiro, por qualquer irregularidade, inclusive resultante de imperfeições técnicas, emprego de material inadequado ou de qualidade inferior e, na ocorrência desta, não implica corresponsabilidade do CONTRATANTE ou de seus agentes e prepostos, Art. 70 da Lei n.º 8.666/93, com suas alterações. 14. ADMINISTRAÇÃO E SUPERVISÃO A administração da Ata de Registro de Preços e o acompanhamento dos serviços será de responsabilidade da Divisão de Suporte DISUP/CODIN. 6

7 ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE CADA LOTE 7

8 LOTE 1 - CONECTIVIDADE ITEM 01 - Switch LAN Tipo I 1. Conectividade Deve possuir ao menos 06 slots para a inserção de módulos de interface. Não serão considerados slots para módulos de gerenciamento/supervisor/switch fabric; 2. Controle 2.1. Possuir no mínimo oito filas em hardware para priorização de tráfego por porta; 2.2. Implementar o protocolo 802.1p; 2.3. Deve implementar o protocolo 802.3X; 2.4. Deve implementar IGMP v1, v2 e v3; 2.5. Deve implementar roteamento multicast; 2.6. Implementar o protocolo GVRP; 2.7. Implementar controle de broadcast permitindo fixar o limite máximo de broadcasts por porta; 2.8. Implementar controle de Multicast permitindo fixar o limite máximo de Multicasts por porta; 2.9. Implementar controle de Unicast permitindo fixar o limite máximo de Unicasts por porta; Deve implementar roteamento IPv4 e IPv6; Deve implementar os seguintes protocolos de roteamento: RIP, RIPII, OSPF, BGP4, PIM-SM, PIM- DM, PIM-SSM, RIPng, OSPFv3, BGP4+, PIMv6 DM e PIMv6 SM; Deve implementar MSDP (Multicast Source Discovery Protocol); Deve implementar ECMP (Equal cost Multi-Path) com 8 caminhos simultâneos, pelo menos; Deve implementar arquitetura com dual stack IPv4/IPv6; Deve possuir os seguintes mecanismos de migração para IPv6: Túneis configurados Manualmente; ISATAP; Túneis 6 to 4; Deve implementar o gerenciamento de banda identificando os fluxos através de listas de controle de acesso baseadas em endereço MAC fonte e destino, VLAN, Ethernet type, Protocolo de camada 3, Endereço IP fonte e destino, DSCP, tipo de Datagrama, protocolo de camada 4, porta IP de camada 4; Deve implementar o gerenciamento de banda em valores absolutos em intervalos de 64 Kbps; Deve implementar os mecanismos de controle de fila: WRED (Weighted Random Early Discard), Tail Drop, SP (Strict Priority), WRR (Weighted Round Robin) e Called Distributed Weighted Fair Queuing. Deverá permitir em uma mesma porta fila com prioridade estrita e filas com divisão ponderada (WRR+SP) Deve detectar telefones IP conectados tanto do mesmo fabricante como de terceiros e automaticamente configurar a porta para a VLAN de Voz (Voice VLAN); Implementar protocolo NTP com autenticação Deve suportar a instalação de módulos com capacidade de alimentação de dispositivos Externos (Power over Ethernet); 3. Disponibilidade 3.1. Deve suportar fontes de alimentação redundantes com duas conexões de eletricidade diferentes; 3.2. Deve suportar módulos de Gerenciamento/Switch Fabric Redundantes; 3.3. As fontes de alimentação deverão operar em tensões de 100 a 240 V e em frequências de 47 a 63 Hz; 3.4. Implementar o protocolo Spanning Tree; 3.5. Implementar o protocolo Rapid Spanning Tree (802.3w); 3.6. Deve implementar o protocolo Multiple Spanning Tree (802.1s); 3.7. Deve implementar STP Root Guard; 3.8. Deve implementar BPDU Protection; 3.9. Deve implementar o protocolo VRRP e VRRPv3; Deve possuir capacidade de detectar Loopbacks nas interfaces; Deve implementar mecanismo de operação Ethernet em anel com recuperação rápida em caso de falha; Todos os módulos de interface, switch fabrics, ventiladores e fontes de alimentação deverão ser hotswappable; 4. Gerenciamento 4.1. Deve suportar gerenciamento SNMP v1, v2c e v3, sendo v3 com Criptografia; 4.2. Deve suportar gerenciamento RMON implementando no mínimo 4 grupos; 4.3. Deve implementar espelhamento de tráfego de forma que o tráfego de várias portas possa ser espelhado em outra para fins de monitoramento e diagnósticos. Deve permitir até 4 sessões de espelhamento simultâneas; 8

9 4.4. Deve suportar configuração através de TELNET e TELNETv6; 4.5. Deve suportar configuração através de SSHv2; 4.6. Deve implementar as seguintes MIBs: RFC 1155 (Structure and Management Information (SMI v1)) RFC 1157 (SNMP v1/v2c) RFC 1213 (MIB II) RFC 1213/ (MIB II) RFC 1493 (Bridge MIB) RFC 1573/2233/2863 (Private IF MIB) RFC 1774 (RIP Version 2 MIB) RFC 1850 (OSPF Version 2 MIB) RFC 1657 (BGP MIB) RFC 1657 (BGP MIB) RFC 1757 (RMON) RFC 2452 (IPv6 MIB) RFC 2454 (IPv6 UDP MIB) 4.7. Deve possuir cliente DNS; 4.8. Deve permitir a configuração através de console serial; 4.9. Deve ser gerenciável por meio do software de gerência Intelligent Management Center (IMC) da HP, atualmente utilizado na Companhia para gerenciamento da rede de dados; Deve ser compatível com a função de com a função de NAC (Network Access Control) do software de gerência IMC; Será permitido, excepcionalmente, o fornecimento de outros switches que não possuam total compatibilidade com as funcionalidades do IMC, desde que seja fornecido junto a estes, um software de gerência totalmente compatível com estes novos equipamentos e com a base atualmente instalada, sendo capaz de gerenciar todos estes ativos com as mesmas funcionalidades do IMC. 5. Segurança 5.1. Deve implementar 4094 VLANs segundo o protocolo IEEE 802.1Q e suportar VLANs por porta e VLANs IEEE 802.1v por protocolo; 5.2. Deve implementar Super VLANs; 5.3. Deve implementar o padrão IEEE 802.1x (network login), permitindo a configuração automática da VLAN e aplicação de ACL de acordo com o perfil do usuário; 5.4. Deve implementar Guest VLAN; 5.5. Deve implementar DHCP Snooping; 5.6. Deve implementar ARP Proxy; 5.7. Implementar listas de controle de acesso baseadas em endereço MAC de origem/destino, endereço IP de origem/destino, identificador de VLAN, porta TCP/UDP de destino/origem, valor do campo DSCP, Ethertype, Tipo de Datagrama e hora do dia; 5.8. Deve implementar autenticação MD5 para os pacotes RIP V2, BGP4 e OSPF; 6. Desempenho 6.1. Deve suportar agregação de links possibilitando até 8 links Gigabit Ethernet operem como um único link lógico com balanceamento de carga. Deve permitir a criação de até 128 grupos de Link Aggregation. Deve permitir a utilização de portas em módulos distintos na criação de um grupo de link aggregation; 6.2. Deve suportar Jumbo Frames de até 9000; 6.3. Deve possuir backplane de no mínimo 1,6 Tbps; 6.4. Deve possuir capacidade de vazão de ao menos 760 Gbps; 6.5. Deve possuir capacidade de comutação de ao menos 480 Mbps; 7. Padronização 7.1. IEEE 802.1D (STP) 7.2. IEEE 802.1p (COS) 7.3. IEEE 802.1Q (VLAN) 7.4. IEEE 802.1s (MSTP) 7.5. IEEE 802.1v (VLAN) 7.6. IEEE 802.1w (RSTP) 7.7. IEEE 802.1X (Security) 7.8. IEEE 802.3ab (1000BASE-T) 7.9. IEEE 802.3ad (Link aggregation) IEEE 802.3ae (10GBASE-X) IEEE 802.3i (10BASE-T) IEEE 802.3u (Fast Ethernet) IEEE 802.3x (Flow control) IEEE 802.3z (Gigabit) 9

10 8. Gerais 8.1. Deve vir acompanhado do kit de suporte específico para montagem em Rack de 19"; 8.2. Tabela de endereços MAC com capacidade para no mínimo endereços MAC; 8.3. O switch deverá possuir capacidade de comutação em camadas 2 e 3 local nos módulos de interface, de forma que o tráfego entre portas do mesmo módulo não necessite atravessar o backplane para transitar entre portas de um mesmo módulo 8.4. De forma a facilitar o gerenciamento e diminuir os custos de operação, o switch deverá possuir interface CLI similar à do switch de acesso. As facilidades quando disponíveis nos dois equipamentos deverão ser implementadas pela mesma sintaxe de comandos; 8.5. Deverá possuir certificado de homologação na Anatel conforme Resolução n. 242, de 30 de novembro de Deverá ser apresentado o certificado para comprovação quando da realização da licitação. ITEM 02 Fonte Redundante para Switch LAN Tipo I 1. Características: 1.1. Módulo para fonte redundante com potencia de 1400W, compatível com o switch tipo I. ITEM 03 Módulo Fabric para Switch LAN Tipo I 1. Características: 1.1. Módulo Fabric / Main Processing Unit com capacidade de 384Gbps para switch tipo I. ITEM 04 Módulo com portas 10GbE para Switch LAN Tipo I 1. Características: 1.1. Módulo para switch tipo I, contendo 8 portas 10GbE SFP+ SC Module. ITEM 05 Transceiver Tipo I 1. Características 1.1. Gbic SFP Plus 10GbE SR. ITEM 06 Módulo com portas GbE para Switch LAN Tipo I 1. Características: 1.1. Módulo para switch tipo I, contendo 24 portas GbE SFP SC. ITEM 07 Módulo com portas UTP para Switch LAN Tipo I 1. Características: 1.1. Módulo para switch tipo I, contendo 48 portas RJ-45 Gig-T. ITEM 08 - Switch LAN Tipo II 1. Conectividade 1.1. Deve possuir no mínimo 20 portas Switch Gigabit Ethernet 10/100/1000BaseT com conectores RJ Deve suportar auto negociação de velocidade, modo duplex e MDI/MDIX; 1.3. Deve possuir, adicionalmente, 4 portas duais 10/100/1000 e SFP para instalação de transceivers Gigabit Ethernet 1000BaseSX e 1000BaseLX com conectores LC 1.4. Deve suportar a instalação de uma porta 10 Gigabit Ethernet; 1.5. Deve suportar as seguintes tecnologias Ethernet, Fast Ethernet, Gigabit Ethernet e 10 Gigabit Ethernet, comunicando-se através de um único backplane; 1.6. Deve implementar PoE Plus em todas as portas 10/100/1000; 2. Controle 2.1. Possuir no mínimo oito filas para priorização de tráfego por porta; 2.2. Implementar o protocolo 802.1p; 2.3. Deve implementar o protocolo 802.3X; 2.4. Deve implementar IGMP snooping v1, v2 e v3; 2.5. Possibilidade de identificar automaticamente portas em que telefones IP tanto do mesmo fabricante quanto de outros estejam conectados e associá-las automaticamente a VLAN de voz; 2.6. Implementar controle de broadcast permitindo fixar o limite máximo de broadcasts; 2.7. Deve implementar roteamento entre as VLANs internamente, sem a necessidade de equipamentos externos; 2.8. Deve implementar roteamento IP, suportando no mínimo 32 rotas estáticas; 2.9. Deve implementar Traffic Shapping; 10

11 3. Disponibilidade 3.1. Deve possuir fonte de alimentação com capacidade de operar em tensões de 90 a 240 V e em frequências de 50/60 Hz; 3.2. Deve implementar o protocolo Spanning Tree; 3.3. Deve implementar o protocolo Rapid Spanning Tree (802.1w); 3.4. Deve implementar o protocolo Multiple Spanning Tree (802.1s); 3.5. Deve implementar BPDU Protection; 4. Gerenciamento 4.1. Deve suportar gerenciamento SNMP, v1, v2c e v Deve suportar gerenciamento RMON implementando no mínimo 4 grupos; 4.3. Deve implementar espelhamento de tráfego de forma que o tráfego de um grupo de portas possa ser espelhado em outra para fins de monitoramento Deve suportar configuração através de TELNET; 4.5. Deve suportar configuração através de SSHv2; 4.6. Deve suportar gerenciamento via interface web; 4.7. Deve suportar as seguintes MIBs: MIB II, Bridge MIB e RMON MIB; 4.8. Deve permitir a configuração através de porta serial; 4.9. Deve suportar autenticação através de Radius para acesso ao gerenciamento; Deve permitir o empilhamento (cluster) de até 32 switches; Deve permitir a atualização de software através de TFTP, FTP e SFTP; Deve possuir estatísticas de hits das ACLs; Deve ser gerenciável por meio do software de gerência Intelligent Management Center (IMC) da HP, atualmente utilizado na Companhia para gerenciamento da rede de dados; Deve ser compatível com a função de com a função de NAC (Network Access Control) do software de gerência IMC; Será permitido, excepcionalmente, o fornecimento de outros switches que não possuam total compatibilidade com as funcionalidades do IMC, desde que seja fornecido junto a estes, um software de gerência totalmente compatível com estes novos equipamentos e com a base atualmente instalada, sendo capaz de gerenciar todos estes ativos com as mesmas funcionalidades do IMC. 5. Segurança 5.1. Deve implementar 256 VLANs segundo o protocolo IEEE 802.1Q; 5.2. Deve implementar network login através do padrão IEEE 802.1x. Deve implementar autenticação usando os padrões PEAP, EAP-TLS, EAP-MD5; 5.3. Deve configurar o parâmetro de VLAN de acordo com o usuário autenticado Deve permitir autenticação dos dispositivos de rede pelo endereço MAC utilizando servidor RADIUS; 5.5. Deve configurar o parâmentro de VLAN de acordo com o dispositivo autenticado; 5.6. Deve implementar listas de controle de acesso baseadas em endereço MAC fonte e destino, endereço IP fonte e destino e port TCP/UDP fonte e destino; 5.7. Deve possuir proteção contra ataques DoS; 6. Desempenho 6.1. Deve suportar agregação de links segundo o padrão IEEE 802.3ad possibilitando que no mínimo até 8 links Gigabit Ethernet operem como um único link lógico com balanceamento de carga; 6.2. Deve suportar Jumbo Frames; 6.3. Deve possuir capacidade de vazão (throughput) de no mínimo 144 Gbps; 6.4. Deve possuir capacidade de comutação de no mínimo 107 Mbps; 6.5. Deve possuir latência até 10 microssegundos 7. Padronização 7.1. IEEE 802.1D Spanning Tree Protocol 7.2. IEEE 802.1p QoS 7.3. IEEE 802.1Q VLANs / VLAN tagging 7.4. IEEE 802.1s Multiple Spanning Tree 7.5. IEEE 802.1w Rapid Spanning Tree 7.6. IEEE 802.1X Network Login Security 7.7. IEEE Ethernet 7.8. IEEE 802.3ad Link Aggregation 7.9. IEEE 802.3ae 10-Gigabit Ethernet IEEE 802.3i 10BASE-T IEEE 802.3u Fast Ethernet IEEE 802.3x Flow control IEEE 802.3z Gigabit Ethernet 1000BASE-X 11

12 8. Gerais 8.1. Tabela de endereços MAC com capacidade para no mínimo 8000 endereços MAC; 8.2. Deve vir acompanhado do kit de suporte específico para montagem em Rack de 19" ocupando uma unidade de Rack (1U); 8.3. Deverá possuir certificado de homologação na Anatel conforme Resolução n. 242, de 30 de novembro de Deverá ser apresentado o certificado para comprovação quando da realização da licitação O equipamento deve contar com garantia de fabricante para troca de equipamento, em caso de defeito, pelo período de 3 anos. ITEM 09 - Switch LAN Tipo III 1. Conectividade 1.1. Deve possuir no mínimo 40 portas Switch Gigabit Ethernet 10/100/1000BaseT com conectores RJ Deve suportar auto negociação de velocidade, modo duplex e MDI/MDIX; 1.3. Deve possuir, adicionalmente, 4 portas duais 10/100/1000 e SFP para instalação de transceivers Gigabit Ethernet 1000BaseSX e 1000BaseLX com conectores LC 1.4. Deve suportar a instalação de uma porta 10 Gigabit Ethernet; 1.5. Deve suportar as seguintes tecnologias Ethernet, Fast Ethernet, Gigabit Ethernet e 10 Gigabit Ethernet, comunicando-se através de um único backplane; 1.6. Deve implementar PoE Plus em todas as portas 10/100/1000; 2. Controle 2.1. Possuir no mínimo oito filas para priorização de tráfego por porta; 2.2. Implementar o protocolo 802.1p; 2.3. Deve implementar o protocolo 802.3X; 2.4. Deve implementar IGMP snooping v1, v2 e v3; 2.5. Possibilidade de identificar automaticamente portas em que telefones IP tanto do mesmo fabricante quanto de outros estejam conectados e associá-las automaticamente a VLAN de voz; 2.6. Implementar controle de broadcast permitindo fixar o limite máximo de broadcasts; 2.7. Deve implementar roteamento entre as VLANs internamente, sem a necessidade de equipamentos externos; 2.8. Deve implementar roteamento IP, suportando no mínimo 32 rotas estáticas; 2.9. Deve implementar Traffic Shapping; 3. Disponibilidade 3.1. Deve possuir fonte de alimentação com capacidade de operar em tensões de 90 a 240 V e em frequências de 50/60 Hz; 3.2. Deve implementar o protocolo Spanning Tree; 3.3. Deve implementar o protocolo Rapid Spanning Tree (802.1w); 3.4. Deve implementar o protocolo Multiple Spanning Tree (802.1s); 3.5. Deve implementar BPDU Protection; 4. Gerenciamento 4.1. Deve suportar gerenciamento SNMP, v1, v2c e v Deve suportar gerenciamento RMON implementando no mínimo 4 grupos; 4.3. Deve implementar espelhamento de tráfego de forma que o tráfego de um grupo de portas possa ser espelhado em outra para fins de monitoramento Deve suportar configuração através de TELNET; 4.5. Deve suportar configuração através de SSHv2; 4.6. Deve suportar gerenciamento via interface web; 4.7. Deve suportar as seguintes MIBs: MIB II, Bridge MIB e RMON MIB; 4.8. Deve permitir a configuração através de porta serial; 4.9. Deve suportar autenticação através de Radius para acesso ao gerenciamento; Deve permitir o empilhamento (cluster) de até 32 switches; Deve permitir a atualização de software através de TFTP, FTP e SFTP; Deve possuir estatísticas de hits das ACLs; Deve ser gerenciável por meio do software de gerência Intelligent Management Center (IMC) da HP, atualmente utilizado na Companhia para gerenciamento da rede de dados; Deve ser compatível com a função de com a função de NAC (Network Access Control) do software de gerência IMC; Será permitido, excepcionalmente, o fornecimento de outros switches que não possuam total compatibilidade com as funcionalidades do IMC, desde que seja fornecido junto a estes, um software de gerência totalmente compatível com estes novos equipamentos e com a base 12

13 atualmente instalada, sendo capaz de gerenciar todos estes ativos com as mesmas funcionalidades do IMC. 5. Segurança 5.1. Deve implementar 256 VLANs segundo o protocolo IEEE 802.1Q; 5.2. Deve implementar network login através do padrão IEEE 802.1x. Deve implementar autenticação usando os padrões PEAP, EAP-TLS, EAP-MD5; 5.3. Deve configurar o parâmetro de VLAN de acordo com o usuário autenticado Deve permitir autenticação dos dispositivos de rede pelo endereço MAC utilizando servidor RADIUS; 5.5. Deve configurar o parâmentro de VLAN de acordo com o dispositivo autenticado; 5.6. Deve implementar listas de controle de acesso baseadas em endereço MAC fonte e destino, endereço IP fonte e destino e port TCP/UDP fonte e destino; 5.7. Deve possuir proteção contra ataques DoS; 6. Desempenho 6.1. Deve suportar agregação de links segundo o padrão IEEE 802.3ad possibilitando que no mínimo até 8 links Gigabit Ethernet operem como um único link lógico com balanceamento de carga; 6.2. Deve suportar Jumbo Frames; 6.3. Deve possuir capacidade de vazão (throughput) de no mínimo 192 Gbps; 6.4. Deve possuir capacidade de comutação de no mínimo 142 Mbps; 6.5. Deve possuir latência até 10 microssegundos 7. Padronização 7.1. IEEE 802.1D Spanning Tree Protocol 7.2. IEEE 802.1p QoS 7.3. IEEE 802.1Q VLANs / VLAN tagging 7.4. IEEE 802.1s Multiple Spanning Tree 7.5. IEEE 802.1w Rapid Spanning Tree 7.6. IEEE 802.1X Network Login Security 7.7. IEEE Ethernet 7.8. IEEE 802.3ad Link Aggregation 7.9. IEEE 802.3ae 10-Gigabit Ethernet IEEE 802.3i 10BASE-T IEEE 802.3u Fast Ethernet IEEE 802.3x Flow control IEEE 802.3z Gigabit Ethernet 1000BASE-X 8. Gerais 8.1. Tabela de endereços MAC com capacidade para no mínimo 8000 endereços MAC; 8.2. Deve vir acompanhado o kit de suporte específico para montagem em Rack de 19" ocupando uma unidade de Rack (1U); 8.3. Deverá possuir certificado de homologação na Anatel conforme Resolução n. 242, de 30 de novembro de Deverá ser apresentado o certificado para comprovação quando da realização da licitação O equipamento deve contar com garantia de fabricante para troca de equipamento, em caso de defeito, pelo período de 3 anos. ITEM 10 Módulo para Switch LAN Tipos II e III 1. Características: 1.1. Módulo de 2 portas 10GbE SFP+ para switches tipos II e III. ITEM 11 Transceiver Tipo I 1. Características 1.1. Gbic SFP Plus 10GbE SR. ITEM 12 Módulo para Empilhamento dos Switches LAN Tipos II e III 1. Características 1.1. Módulo de empilhamento de 2 portas 10-GbE CX4 para os switches tipo II e III. ITEM 13 Cabo para Empilhamento dos Switches LAN Tipos II e III 1. Características: 1.1. Cabo de empilhamento CX4 com 100cm para os switches tipos II e III. 13

14 ITEM 14 - Ponto de Acesso Wireless 1. Características 1.1. Possuir uma interface 10/100/ Suportar alimentação via porta padrão 802.3af Ser fornecido com 6 antenas internas e integradas. Deverá possuir estética compacta, não sendo aceitos equipamentos com antenas aparentes Deve permitir a conexão simultânea de usuários do padrão a/n (5 GHz) e do padrão b/g/n (2.4 GHz) Implementar, no mínimo, 4 SSID s por rádio (8 SSIDs total) Deverá possuir 3 conectores R-SMA de forma a suportar antenas externas Deve implementar WPA2 com criptografia AES Deve Implementar 802.1x Deve implementar WMM Deve implementar controle de acesso baseado em MAC Deve implementar PEAP, EAP-TLS e PEAP Deve implementar 802.1Q Suportar canais de 40Mhz quando operando no padrão n Deve suportar taxas de transmissão de 270 Mbps O consumo de potência deverá ser inferior a 12W, com ambos rádios ativos, de forma a garantir aproveitamento eficiente de energia Deve possuir certificação Wi-Fi Deve suportar montagem em parede e teto. Deve incluir o kit de montagem Deve ser gerenciado pelo controlador wireless a ser fornecido Deve ser fornecido com injetor de alimentação PoE do mesmo fabricante Os pontos de acesso a serem adquiridos devem possuir todas as funcionalidades gerenciáveis pelo software de gerência IMC atualmente em uso Será permitido, excepcionalmente, o fornecimento de outros pontos de acesso que não possuam total compatibilidade com as funcionalidades do IMC, desde que seja fornecido junto a estes, um software de gerência totalmente compatível com estes novos equipamentos e com funcionalidades, relacionadas a estes ativos, equiparadas ao IMC Os pontos de acesso a serem adquiridos devem ter total compatibilidade com os controladores especificados no ambiente atual Serão aceitos outros pontos de acesso que não sejam compatíveis com os atuais controladores instalados, desde que seja substituída toda a solução, isto é, os controladores e pontos de acesso atualmente instalados Os controladores atualmente instalados são: (uma) unidade do modelo Wireless Unified LAN Controller WX3024 (part number 0235A37T) Os pontos de acesso atualmente instalados são: (oito) unidades do modelo Wireless WA2620-AGN Dual-Radio 11 a/b/g/n Access Point (part number 9801A0AA) Em caso de substituição de qualquer equipamento (switches, pontos de acesso e controladores) atualmente disponíveis no parque da Companhia, os novos equipamentos deverão ter características técnicas iguais ou superiores aos atuais e serem instalados e configurados pela vencedora do certame. ITEM 15 - Serviços Especializados 1. Características 1.1. Os serviços de instalação e configuração dos produtos deverão ser realizados por profissionais capacitados do quadro funcional da licitante ou por profissionais do fabricante Deverá ser apresentada declaração do fabricante, direcionada a este processo, informando a capacitação dos mesmos, devendo obrigatoriamente informar os nomes dos profissionais Entende-se por serviços especializados: Instalação de equipamentos previstos nos itens 1 a 14; Configurações de quaisquer funcionalidades de equipamentos previstos nos itens 1 a Reconfiguração de quaisquer funcionalidades de equipamentos previstos nos itens 1 a 14, desde que previamente agendada; Atendimento para chamados de suporte 8 x 5 em primeiro nível, via sítio ou telefone; Remanejamento de equipamentos na rede, desde que previamente agendado e que não haja necessidade de outro elemento, tais como: elevador, trolley, etc; Serviços de substituição de módulos (módulos de chassi, transceivers). 14

15 Os pagamentos referentes aos serviços de instalação serão realizados conforme quadro estimado de horas, sob demanda e de acordo com a necessidade da TERRACAP, nos termos do abaixo relacionado: Planilha de Serviços Item Descrição Especificação dos serviços Horas 15.1 Planejamento da instalação do novo core de rede. Definição do escopo para instalação do novo core Planejamento da integração dos novos cores de rede aos dispositivos legados (storage, blades, etc) Estudo do cenário atual com integração ao novo cenário Instalação do novo core de rede. Execução dos serviços de instalação e configuração de todas as features e funcionalidades elencadas no escopo do serviço Planejamento da instalação dos novos switches de acesso. Definição do escopo para instalação dos novos switches de acesso Instalação dos novos switches de acesso. Execução dos serviços de instalação e configuração de todas as features e funcionalidades elencadas no escopo do serviço Avaliação das áres de sombra dos APs Realização de site survey Planejamento da instalação dos access points. Definição do escopo para instalação dos access points Instalação dos access points. Execução dos serviços de instalação e configuração de todas as features e funcionalidades elencadas no escopo do serviço. 40 Total de horas 650 ITEM 16 - Serviços de Transferência de Tecnologia 1. Características 1.1. Visão Geral do Curso Este curso objetiva proporcionar aos participantes, habilidades necessárias para instalar, configurar e suportar os switches, baseado no sistema operacional dos mesmos. Uma visão geral do portfólio de switching está incluso para todos os participantes conhecerem os modelos, componentes e características desses switches. Passo a passo de laboratórios baseados no material dos participantes através das configurações mais úteis sobre estes parâmetros. Os participantes trabalharão em equipes para construírem redes que simulem situações reais em sala de aula O treinamento LAN Switching, contemplará os seguintes tópicos: Portfolio Overview Módulo 1 Basic System Management Módulo 2 Ports and Link Aggregation Módulo 3 VLANs Módulo 4 MSTP and RRPP Módulo 5 IPv4 Basics Módulo 6 IPv4 Routing Módulo 7 IPv4 Multicast Routing Módulo 8 Quality of Service Módulo 9 Security Módulo 10 Network Management Módulo 11 IRFv Módulo 12 Gerenciamento e seus módulos 1.3. O treinamento será realizado com base nos equipamentos adquiridos por meio dos itens 1 a 14; 1.4. O treinamento será ministrado para, no máximo, 10 pessoas. 15

16 LOTE 2 MONITORAMENTO E DIAGNOSE DE REDE ITEM 1 Solução de Monitoramento e Diagnóstico de Rede 1. Características Gerais 1.1. Analisador de Rede Integrado para análise de desempenho em Redes Locais Ethernet Comutadas, com capacidade de diagnosticar problemas com cabeamento de rede e monitorar atributos importantes de dispositivos de infraestrutura de rede Ethernet 10Mbps, 100Mbps, 1000Mbps, 10Gbps e wireless a/b/g/n, utilizando interface gráfica para interatividade e sensível ao toque (touchscreen) Deve possuir display LCD colorido com resolução mínima de 1024x768 sensível ao toque; 1.3. Deve ser fornecido estojo para transporte do analisador de redes e acessórios; 1.4. O equipamento deve ser capaz de monitorar e analisar atributos importantes dos dispositivos da infraestrutura de rede; 1.5. Deverá ter uma bateria independente no dispositivo portátil com as seguintes características: Bateria de lithium-ion, recarregável; Autonomia para operação durante 3 horas ininterruptas; Devem ser hot swappable ; Indicadores da carga devem ser fornecidos na interface e na própria bateria Deve possuir fonte de alimentação com as seguintes características: 1.7. Adaptador AC externo; 1.8. Permitir comutação automática de volts AC (com variação máxima de 10%); 1.9. Permitir freqüências de 50 / 60 Hz (com variação máxima de 10%); O adaptador AC deve ser capaz de carregar as baterias, sem a necessidade de remover a bateria do analisador Deve possuir disco rígido removível: Deve ser um drive de estado sólido com pelo menos 128 GB de capacidade O analisador deve ser tipo portátil não excedendo 3 (três) quilos incluindo baterias e 2 (dois) quilos sem baterias; Deverá permitir funcionamento nos seguintes ambientes: Permitir funcionamento em ambiente com temperatura entre 10 C a 30 C com 95% de Umidade Relativa; Permitir funcionamento em ambiente com temperatura entre 0 C a 50 C com 75% de Umidade Relativa Deve suportar um ambiente não-operacional de -40 C a 71 C. 2. Interfaces (portas) 2.1. Deve possuir duas portas Ethernet 10/100/1000 com conectores RJ-45 fixas para conexão simultânea com portas SPAN (Switched Port Analyzer Espelhamento) para monitoramento de rede; 2.2. Deve possuir um slot SFP (Small Form-factor Pluggable) com suporte aos padrões 1000BASE-SX, 1000BASE-LX e 1000BASE-ZX; 2.3. Deverá ser fornecido com 1 (uma) interface MGBIC 1000BASE-SX Deve possuir um slot SFP+ (Small Form-factor Pluggable) com suporte aos padrões 10GBASE-LR, 10GBASE-LRM e 10GBASE-SR; 2.5. Deverá ser fornecido com 1 (uma) interface MGBIC 10GBASE-SR A conexão 10/100/1000BASE-T deve suportar auto-negociação; 2.7. Deverá possuir uma porta Ethernet 10/100/1000 específica para gerência out-of-band com conector RJ-45; 2.8. Deve suportar os seguintes padrões: 10BASE-T; 10BASE-TX; 100BASE-TX; 1000BASE-T; 1000BASE- TX; 1000BASE-X; 1000BASE-SX; 1000BASE-LX 1000BASE-ZX 10GBASE-X 10GBASE-LR 10GBASE-LRM 10GBASE-SR; 2.9. Deverá possuir, no mínimo, 2 (duas) interfaces USB 2.0; Deverá possuir 1 (uma) interface SVGA; Deve conter LEDs para denotar a utilização da rede e outros Eventos Ethernet, tais como erros, colisões e link ativo. 3. Recursos Wireless 3.1. Possuir capacidade de monitorar, analisar e realizar troubleshooting em redes Wireless do tipo a/b/g/n; 3.2. O equipamento deve possuir três interfaces Wireless, conforme características abaixo: 3.3. Deve possuir dois adaptadores conforme os padrões: a; b; g; n Deve possuir interface exclusiva para análise de espectro de RF A taxa de dados dessas interfaces deve ser: 11a: 6/9/12/24/36/48/54 Mbps; 11b: 1/2/5.5/11 Mbps; 11g: 6/9/12/24/36/48/54 Mbps; 11n (20 MHz): MCS0-23, até Mbps; 11n (40 MHz): MCS0-23, até 450 Mbps Os adaptadores Wireless devem operar nas seguintes frequências: 2,400GHz a 2,472GHz; 5,180GHz a 5825 GHz. 16

17 3.7. Deve implementar os seguintes mecanismos de segurança: 64/128-Bit WEP; WPA; WPA2; 802.1x Deve possuir conector para instalação de antena externa Deve possuir recurso no próprio equipamento para analisar redes Wireless: Deve permitir visualizar redes wireless com no mínimo os seguintes parâmetros: SSID; Potência do sinal; Canal de operação; Deve permitir visualizar e mapear o espectro de freqüências em 2,4GHz e 5GHz para redes WLAN. 4. Interface do Operador 4.1. O equipamento deve oferecer painéis personalizáveis: Esses painéis devem ter a funcionalidade de exportar seu conteúdo; Deve incluir sistema de ajuda relacionado por contexto a cada tela Quando inicializado e conectado à rede, o visor deverá indicar, no mínimo: Mapa de Conectividade: A interface deve apresentar um mapa que indique sua conexão à rede, endereço IP, velocidade de rede negociada e o dispositivo ao qual ele está conectado com o número da porta caso esteja conectado diretamente a um switch; 4.3. Deverá indicar o estado da conectividade web e dos serviços críticos da rede, bem como utilização da interface que estiver conectado Descoberta de Problemas: Deverá ter capacidade de descobrir problemas na rede conectada automaticamente, categorizá-los e exibi-los como erros, alertas e informativos em forma gráfica; 4.5. Endereço IP: O analisador deve ser capaz de automaticamente obter um endereço IP válido para a rede associada, mesmo sem a presença de um servidor DHCP; 4.6. Número de sub-redes e dispositivos descobertos: O equipamento deve classificar todas as sub-redes em IPv4 e IPv6 e mostrar também o número total de sub-redes encontradas. O equipamento deve também categorizar dispositivos encontrados (servidores, roteadores, switches, estações, Access Points, VoiP Phones e aplicações) e fornecer uma contagem para cada tipo de dispositivo descoberto; 4.7. Saúde da Rede e Serviços: O equipamento deve indicar o estado dos servidores para os quais qualquer uma das estações está recebendo serviços de rede tais como DHCP e DNS. Além disso, deve indicar o tempo de resposta para os serviços de rede, juntamente com indicação clara de servidores que não estão respondendo as requisições; 4.8. Saúde de Switches e Roteadores descobertos: O equipamento deve ser capaz de mostrar problemas detectados para todos os switches e roteadores descobertos; 4.9. Utilização Local: Deve exibir no mínimo: Taxa de utilização da interface conectada; Top Applications; Top Conversas; Top Protocolos TCP e sua porcentagem de banda utilizada cumulativos. 5. Estatísticas 5.1. Utilização e erros: Deve apresentar análise histórica sobre o desempenho e saúde do segmento de rede no qual o equipamento estiver conectado; Deve exibir um gráfico de barras que mostra a utilização percentual ao longo do tempo. O intervalo de tempo gráfico deverá ser selecionável de 2,5 minutos a 15 horas; Permitir apresentar os Top Broadcasters, Top Multicasters e Top Talkers do segmento, possibilitando classificação em ordem ascendente ou descendente por nome ou endereço; Permitir apresentar gráfico de erros categorizados por erros de CRC, frames, pacotes de tamanho grande e sub-dimensionados. Os nomes e endereços das maiores fontes de problema devem ser registrados e apresentados. 6. Protocolos 6.1. Deve permitir exibir a lista atual dos protocolos ativos como visualizados no segmento de rede no qual o equipamento estiver conectado. A tela deve mostrar uma árvore de protocolos que pode ser expandida para mostrar todos os protocolos e sub-protocolos em transito, a partir da camada MAC até a camada de aplicação; 6.2. Deve permitir identificar os protocolos rodando sob HTTP, tais como streaming de mídia e identificar aplicações do tipo Peer-to-Peer (p2p), bem como IMs (Instant Messengers); 6.3. Deve permitir exibição dos protocolos a partir qualquer nível em um gráfico de pizza ou barras. Quando utilizado em modo barras os protocolos podem ser ordenadas por pacotes ou octetos. Os Top Hosts e Top Conversations devem ser exibidos pelo tipo de protocolo; 6.4. Deve permitir adição de portas TCP e UDP à árvore de protocolos monitorados 6.5. Deve permitir apresentar os protocolos em uso e conversações ativas para um host específico selecionado. 7. Descobrimento de Dispositivos 7.1. Deve ser capaz de descobrir os dispositivos monitorando o tráfego e consultando ativamente os Hosts através da interface de rede. Para todos os dispositivos descobertos, o equipamento deve apresentar a exibir informações tais como: DNS, nome NetBIOS, nome SNMP e endereços do tipo IPv4, IPv6 e IPX; 17

18 7.2. Deve ser capaz de diferenciar entre vários tipos de dispositivos, tais como agentes SNMP, servidores, impressoras, roteadores e switches; 7.3. O processo de descoberta deve também ter a capacidade de obter informações a partir de dados de Netflow habilitados nos roteadores lendo as MIBS Netflow do roteador; 7.4. Deverá ter capacidade de descobrir e apresentar relatórios sobre os atributos-chave para servidores ESX e máquinas virtuais rodando sobre eles; 7.5. Permitir exibição da lista de dispositivos por classificação em ordem ascendente ou descendente por nome, endereço IP ou endereço MAC. Quando um dispositivo específico é selecionado, o equipamento deve fornecer informações adicionais sobre esse host, como nome, endereço, protocolo e configuração da rede; 7.6. Deverá automaticamente testar a conectividade do segmento conectado através da realização de ping, IP e IPX; 7.7. Deverá ser capaz de descobrir dispositivos fora do domínio de broadcast. O escopo da descoberta teve ser definido pelo usuário Deve ser capaz de categorizadas as redes descobertas por tipo (IP, IPX e NetBIOS); 7.9. Deverá apresentar um resumo detalhado para todas as redes locais contendo no mínimo as seguintes informações: Para redes IP deverá apresentar no mínimo: Sub-rede; Range; Máscara; Endereço de broadcast Para redes IPX deverá apresentar no mínimo: Número de rede; Servidor mais próximo; Tipos de encapsulamento Para domínios NetBIOS deverá apresentar no mínimo: Nome de domínio; AD ou domínio primário; Informações sobre o controlador Deve permitir identificação das VLANs configuradas na rede e exibir os participantes de cada uma das VLANs. 8. Descobrimento de Problemas 8.1. Deve permitir localizar hosts na rede com possíveis problemas; 8.2. Os problemas devem ser exibidos de acordo com a gravidade de erro, aviso ou informação; 8.3. Os problemas que forem resolvidos também devem ser exibidos; 8.4. Deve exibir no mínimo os seguintes problemas detectados: Máscara de sub-rede errada; Cabo não suporta link Gigabit; IP oferecido via DHCP está sendo utilizado; Servidor DHCP não responde; Esperado Servidor DHCPv6; Falha de pesquisa DNS; Servidor de DNS não está respondendo; Default Router não está respondendo; Dispositivo Reiniciado; IP duplicado; Alta Temperatura; Alta utilização da CPU; Alta utilização de disco; Alta taxa de erro FCS; Alta taxa de erros por interface individual; Alta taxa de Erros FCS por interface individual; Alto taxa de descarte de pacotes por Interface individual; Alta taxa de utilização da interface individual; Alta taxa de erros de Interface; Alta taxa de utilização da Interface; Alta taxa de utilização da memória; Alto Descarte de pacotes no Switch e no Roteador; Dispositivo não está respondendo; Lease DHCP perdido; Múltiplos serviços de DHCP; Nenhum agente SNMP; Agente SNMPv3 respondeu uma consulta SNMPv1/v2; Tempo de resposta DHCP lento; Tempo de consulta DNS lento; Tempo de resposta ICMP lento; Mudança de Topologia STP. 18

19 8.5. Deverá ser fornecida para o usuário a descrição e causa do problema, juntamente com uma recomendação para solução do mesmo; 8.6. Deve permitir a flexibilidade de habilitar e/ou descartar os erros identificados. 9. Análise de Dispositivos SNMP 9.1. Deve ser capaz de consultar via SNMP informações como nomes, endereços, protocolos NetBIOS; 9.2. Deve permitir utilização de utilitários para configuração de dispositivos. Os utilitários incluem: Telnet; Web Browser; Emulação de terminal Utilizar protocolos SNMP v1, v2 e v3 e ter a capacidade de armazenar diferentes conjuntos de credenciais; 9.4. Deve exibir informações sobre os dispositivos multi-porta, como switches e roteadores, em formato de tabelas e gráficos; 9.5. Para dispositivos do tipo Switch ou Roteador deve exibir no mínimo: Hosts conectados nas interfaces; Tipo de interface; Status; Velocidade; MTU; MAC; VLAN A exibição gráfica deve apresentar estatísticas da porta ou interface classificadas por utilização média, média de erros ou número da porta/interface. Qualquer porta individual ou interface pode ser selecionada para exibir as estatísticas mais detalhadas. 10. Switches de Interconexão e Análise de VLANs Deve ser capaz de determinar o caminho e conectividade entre dois dispositivos no mesmo domínio de broadcast. A análise deverá mostrar informações sobre cada salto no caminho juntamente com dispositivo de interconexão número de porta e velocidade; Deve ser possível visualizar as VLANs configuradas em um switch, juntamente com os membros da porta do switch para cada VLAN; Deve permitir identificação das portas de switch que estão configuradas como portas de uplink ou tronco e também indicar o protocolo de agregação em uso, caso utilizado. Quando conectado a uma porta de tronco, o equipamento deve identificar cada VLAN no tronco e ter a capacidade de identificar protocolos, Top Hosts e conversas por VLAN. 11. Testes em Redes Deve ser capaz de realizar ping em dispositivos selecionados. Os parâmetros que podem ser configurados para uma taxa de ping IP são taxa (10, 5 e 1 por segundo ou uma vez a cada 5 segundos) e tamanho dos dados (18 bytes a 1472 bytes). Os resultados devem indicar o número total de solicitações, o número de respostas, a taxa de sucesso e tempos de resposta mínimo, médio e máximo; Deve conter recurso de rastreamento de rota (traceroute). Resultados apresentados pela ferramenta devem ser número de saltos (hops), nome e endereço IP de cada dispositivo no caminho e o tempo total de ida e volta para cada salto. Além disso, deve ser capaz de identificar Split Routes e Route Flapping. Deve ser igualmente capaz de visualizar o sistema de grupo, encaminhamento e tabelas ARP de todos os roteadores que separam dois hosts; Deve ser capaz de gerar tráfego do tipo multicast e unicast baseado em parâmetros definidos pelo usuário, os parâmetros devem incluir tamanho, taxa e número de quadros (frames); Deve ser capaz de gerar o tráfego nas taxas de 10, 100 Mbps e 1, 10 Gbps com comprimento mínimo do quadro (64 bytes) e comprimento máximo (9000 bytes); Testes em cabos: Quando conectado à rede usando a mídia de cobre, deve ser capaz de realizar teste no cabo e comunicar no mínimo as seguintes informações: Par de fios; Polaridade; Comprimento. As unidades de medida devem ser indicadas em metros ou pés Deve compensar automaticamente para uma conexão crossover, continuando a funcionar, e informar o usuário de uma conexão MDI-X. 12. Filtro, Decodificação e Captura de Pacotes Deve incluir funcionalidade de captura e decodificação de pacotes completos; Deverá ser capaz de capturar pacotes nas velocidades de 10, 100 Mbps e 1, 10 Gbps sem perda de pacotes (drop). Um filtro de captura estará disponível e deve permitir a filtragem de hosts, conversações e tipos de protocolo; Deverá permitir customização do tamanho do buffer de captura; Deve ser capaz de reconhecer uma palavra ou frase, tanto em um cabeçalho de pacote quanto na carga (payload), em tempo real, e iniciar uma captura ou filtro de tráfego com base na palavra ou frase; O decodificador de pacotes deve incluir filtros de visualização e capacidade de salvar e exportar o buffer, juntamente com um gráfico que exibe visualmente os tempos de resposta entre cliente e servidor de uma conversa. Deverá também identificar todos os servidores envolvidos em uma sessão de aplicação e rastrear no mínimo as seguintes comunicações: DNS; DHCP; HTTP Deve ser capaz de apresentar métricas de qualidade para comunicação do tipo Voice over IP (VoIP); Deve permitir capturar pacotes e executar demais testes simultaneamente. 19

20 13. Relatórios Durante a visualização das telas de Estatística ou Discovery o equipamento deve permitir produção de relatórios em HTML e PDF sobre protocolos, Top Hosts, Top Conversations, dispositivos, redes e problemas. Tais relatórios devem ser armazenados no equipamento e podem ser visualizados localmente ou remotamente usando um navegador web; Deve ter capacidade de criar relatórios customizáveis. 14. Recursos Adicionais O analisador deverá ser capaz de conectar a redes com autenticação IEEE 802.1x com suporte a EAP-TLS, EAP-MD5 e PEAP; Deve permitir a importação de certificados de software, armazenar múltiplos perfis de autenticação para permitir conectividade em diferentes redes Deverá possuir interface que permita acesso remoto ao equipamento através de conexão TCP/IP; O acesso a interface remota deve ser suportado na interface utilizada para análise bem como na interface out-of-band exclusiva para gerência; Deverá permitir comunicação criptografada entre o equipamento e a interface de gerência remota; Deve permitir múltiplas sessões remotas de administração com capacidade para personalização Deve ter a capacidade de criar contas de usuário com proteção por senha para evitar acesso não autorizado a determinados recursos do equipamento. Como um mínimo deve ser possível restringir o acesso as funcionalidades de captura de pacotes, geração de tráfego e acesso a interface remota. ITEM 2 Serviços de Transferência de Tecnologia 1. Características 1.1. Visão Geral do Curso Este curso objetiva proporcionar aos participantes, habilidades necessárias para: a) Operar o equipamento e suas diversas funções. b) Salvar os relatórios gerados em PDF e repassá-los para a estação de trabalho. c) Como utilizar o equipamento para a realização de testes de carga; O curso será realizado com base em apresentação em sala de treinamento e também em forma de hands on para fixação do conteúdo aplicado O treinamento será realizado para no máximo, 10 pessoas. 20

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots 1.1.1. Deve possuir no mínimo 06 slots para inserção de módulos de I/O, ou seja, 06 além dos slots para supervisoras; 1.1.2. Deve vir acompanhado de kit de suporte específico

Leia mais

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch Fast Ethernet com as seguintes configurações mínimas: capacidade de operação em camada 2 do modelo OSI; 24 (vinte e quatro) portas

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12 TERMO DE REFERÊNCIA I DEFINIÇÃO DO OBJETO O presente Projeto Básico tem por objeto a aquisição de equipamentos para implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. ITEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE 1 Switch

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 001 111586 Nobreak Senoidal de Dupla Conversão de no mínimo 3.0 KVa 1. Todos os equipamentos deverão ser novos de primeiro uso e estar na linha de produção atual do fabricante; 2. A garantia

Leia mais

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA Subitem Característica Especificação Exigência CONEXÕES DESEMPENHO 1.1 Portas RJ-45 1.2 Portas GBIC 1.3 Autoconfiguraçã

Leia mais

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps Especificações Técnicas Característica/Configurações/Requisitos mínimos: Descrição do Material Switch

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 067/2013

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 067/2013 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 067/2013 No dia 06 (seis) do mês de novembro de 2013 (dois mil e treze), o MUNICÍPIO DE ANGRA DOS REIS, pessoa jurídica de direito público interno, inscrito no CNPJ sob o nº

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1.UNIDADE REQUISITANTE: ETICE 2. DO OBJETO: ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 2.1. Registro de preços para futuras e eventuais aquisições de EQUIPAMENTOS DE REDE CORPORATIVOS ( SWITCHS e ACESSÓRIOS), todos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas TERMO DE REFERÊNCIA Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação; Deve possuir, no mínimo, 24

Leia mais

Especificaça o Te cnica

Especificaça o Te cnica Especificaça o Te cnica Esta especificação técnica tem como objetivo possibilitar a implantação da infraestrutura de rede lógica (nível de acesso) na nova sede da DME Distribuição. A solução deverá ser

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Especificação de Referência Switch de Borda Alguns itens apresentam opções de configuração, refletindo nos aspectos originais de preço e características da máquina Código do Material Descrição do Material

Leia mais

Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE

Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE Especificações Técnicas Mínimas: 1. O equipamento deve ter gabinete único para montagem

Leia mais

PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE REDE WIRELESS

PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE REDE WIRELESS PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE REDE WIRELESS 1. OBJETO Este Projeto Básico tem por objeto a especificação dos requisitos técnicos necessários para a aquisição de uma solução de Rede Wireless para

Leia mais

Por ser uma funcionalidade comum a diversos switches de mercado, sugerimos adicionar os seguintes requisitos:

Por ser uma funcionalidade comum a diversos switches de mercado, sugerimos adicionar os seguintes requisitos: ((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 10/2014 (PERGUNTAS E RESPOSTAS) A ATA REGISTRO PREÇOS FUTURA E EVENTUAL AQUISIÇÃO SWITCH ÓPTICA E SWITCH BORDA A ADMINISTRAÇÃO DIRETA E INDIRETA DO MUNICÍPIO SÃO PAULO

Leia mais

ANEXO DO EDITAL ANEXO VI

ANEXO DO EDITAL ANEXO VI ANEXO DO EDITAL ANEXO VI Caderno Técnico de Tecnologia da Informação 1 ÍNDICE 1. Introdução... 7 2. Disposições Gerais... 8 3. Escopo... 9 4. Normas Técnicas e Segurança... 10 4.1. Normas Técnicas Aplicáveis...

Leia mais

1 de 6 25/08/2015 10:22

1 de 6 25/08/2015 10:22 1 de 6 25/08/2015 10:22 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria Executiva Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano Termo de Adjudicação

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 26430 - INST.FED.DE EDUC.,CIENC.E TEC.S.PERNAMBUCANO 158149 - INST.FED.EDUC.CIENC.E TEC.SERTãO PERNAMBUCANO RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 1 - Itens da Licitação 1 - EQUIPAMENTO

Leia mais

ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO:

ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO: ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO: GRUPO 1 Item Quant. Descrição item R$ unitário R$ total 01 123 SWITCH TIPO 01: Equipamento tipo Switch Gigabit Ethernet com capacidade de operação

Leia mais

Fundada em 2010 a partir de uma fusão entre duas

Fundada em 2010 a partir de uma fusão entre duas Confiabilidade, Segurança e Agilidade Desde 1994. LINHA DE PRODUTOS SMC EDGE-CORE Fundada em 2010 a partir de uma fusão entre duas grandes marcas, a SMC Edge-Core atende tanto ao mercado SOHO (Small Office

Leia mais

Especificação de Referência Switch de Acesso I

Especificação de Referência Switch de Acesso I 1 Especificação de Referência Switch de Acesso I Código do Objeto Descrição do Objeto Aplicação do Objeto Data da Especificação de Referência Validade da Especificação de Referência AC0000045 Switch de

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE Aquisição de Solução de Criptografia para Backbone da Rede da Dataprev ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE 1.1 Cada appliance deverá ser instalado em rack de 19 (dezenove) polegadas

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Especificação de Referência Switches Wireless LAN (Controlador de Rede sem Fio) Alguns itens apresentam opções de configuração, refletindo nos aspectos originais de preço e características da máquina Código

Leia mais

((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 03/2009 (PERGUNTAS) AQUISIÇÃO DE SWITCH DE DISTRIBUIÇÃO DE 192 PORTAS

((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 03/2009 (PERGUNTAS) AQUISIÇÃO DE SWITCH DE DISTRIBUIÇÃO DE 192 PORTAS ((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 03/2009 (PERGUNTAS) AQUISIÇÃO DE SWITCH DE DISTRIBUIÇÃO DE 192 PORTAS ((TEXTO)) Aos 15 (quinze) dias do mês de junho de dois mil e nove, às 14:00 hs, na sede da Empresa

Leia mais

ATAS DE REGISTRO DE PREÇO ESTADUAIS

ATAS DE REGISTRO DE PREÇO ESTADUAIS ATAS DE REGISTRO DE PREÇO ESTADUAIS ATA ESTADUAL Tribunal de Justiça de MG SWITCH CHASSI, MÓDULOS e TRANSCEIVERS Validade: 23 / 05 /2013 Pregão: 026/2012 SWITCHES CHASSI - 7 itens - Validade: 23 / 05 /

Leia mais

Termo de Referência ANEXO B ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Termo de Referência ANEXO B ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO B DO TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS LOTE 1 Item 1 Switch Core 1. Chassis Cisco Nexus 7010 (N7K-C7010), com 8 (oito) slots para inserção de módulos com portas Ethernet, 2 (dois) slots

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS INFRAESTRUTURA CONVERGENTE DE TI:

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS INFRAESTRUTURA CONVERGENTE DE TI: ATA DE REGISTRO DE PREÇOS INFRAESTRUTURA CONVERGENTE DE TI: 01 02 03 04 SEGURANÇA LAN SWITCHING GERÊNCIA DE REDE SERVIÇOS ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Soluções desta ATA de Registro de Preços: SEGURANÇA LAN

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SWITCHES

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SWITCHES ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SWITCHES 1 SWITCH Todos os switches objeto deste fornecimento deverão ser do mesmo fabricante e serem entregues com todas as licenças de software necessárias à implementação de todos

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL SESC/MS N.º 016/2012 - PG

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL SESC/MS N.º 016/2012 - PG EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL SESC/MS N.º 016/2012 - PG O SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Regional no Estado do Mato Grosso do Sul, entidade de direito privado, sem fins lucrativos, comunica

Leia mais

Expansão da rede local do CSS Equipamentos para Blocos do Sesc/DN

Expansão da rede local do CSS Equipamentos para Blocos do Sesc/DN Expansão da rede local do CSS Equipamentos para Blocos do Sesc/DN Objeto: Aquisição de infraestrutura de Tecnologia da Informação (TI) para expansão da rede loca do CSS (aumento de pontos de rede) em atendimento

Leia mais

PROJETO BÁSICO PARA RECARGA DE GÁS E REMANEJAMENTO DE CONDICIONADORES DE AR TIPO SPLIT E JANELA

PROJETO BÁSICO PARA RECARGA DE GÁS E REMANEJAMENTO DE CONDICIONADORES DE AR TIPO SPLIT E JANELA PROJETO BÁSICO PARA RECARGA DE GÁS E REMANEJAMENTO DE CONDICIONADORES DE AR TIPO SPLIT E JANELA Janeiro/2013 Página 1 de 6 1. DO OBJETO 1.1 Contratação de empresa(s) especializada(s) em manutenção e instalação

Leia mais

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches Disciplina: Dispositivos de Rede II Professor: Jéferson Mendonça de Limas 4º Semestre Aula 03 Regras de Segmentação e Switches 2014/1 19/08/14 1 2de 38 Domínio de Colisão Os domínios de colisão são os

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Nº 003/2013 PROJETO: AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE REDE WIRELESS

CONSULTA PÚBLICA Nº 003/2013 PROJETO: AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE REDE WIRELESS CONSULTA PÚBLICA Nº 003/2013 PROJETO: AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE REDE WIRELESS ESCLARECIMENTOS AOS QUESTIONAMENTOS APRESENTADOS PELAS EMPRESAS INTERESSADAS País: BRASIL Nome do Projeto:

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO GRANDE GABINETE DE COMPRAS E LICITAÇÕES PÚBLICAS ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO GRANDE GABINETE DE COMPRAS E LICITAÇÕES PÚBLICAS ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. JUSTIFICATIVA DA NECESSIDADE DA CONTRATAÇÃO Para atender a solicitação expressa ao processo digital 30719/2012, AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE REDE DE DADOS WIRELESS, COM INSTALAÇÃO,

Leia mais

Redes de Computadores IEEE 802.3

Redes de Computadores IEEE 802.3 Redes de Computadores Ano 2002 Profª. Vívian Bastos Dias Aula 8 IEEE 802.3 Ethernet Half-Duplex e Full-Duplex Full-duplex é um modo de operação opcional, permitindo a comunicação nos dois sentidos simultaneamente

Leia mais

DESPACHO DE HOMOLOGAÇÃO

DESPACHO DE HOMOLOGAÇÃO DESPACHO DE HOMOLOGAÇÃO PROCESSO LICITATÓRIO Nº: 085/2012 PREGÃO PRESENCIAL Nº: 039/2012 OBJETO: FORNECIMENTO PARCELADO DE ATIVOS DE REDE COMPOSTOS POR SWITCHES, CABOS E INTERFACES PARA MANUTENÇÃO E AMPLIAÇÃO

Leia mais

Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015

Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015 Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015 1. Por meio deste aditamento, inserimos o Anexo I Especificações Técnicas.

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA 1 - OBJETO

TERMO DE REFERENCIA 1 - OBJETO TERMO DE REFERENCIA 1 - OBJETO Contratação de empresa especializada para fornecimento de equipamentos e instalação de Ativos de Rede, destinados à ampliação da infraestrutura física e lógica da Procuradoria

Leia mais

1 de 47 25/08/2015 10:23

1 de 47 25/08/2015 10:23 1 de 47 25/08/2015 10:23 158149.82015.56073.5134.2733097788.342 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria Executiva Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

1. LOTE 1 SWITCH REDE OPTICA

1. LOTE 1 SWITCH REDE OPTICA 1. LOTE 1 SWITCH REDE OPTICA Switch de 10 portas, Quantidade unidades. 1.1.1. Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação e deve ocupar uma unidade

Leia mais

Sugestão acatada. A redação do item 2.43 será alterada para Implementar

Sugestão acatada. A redação do item 2.43 será alterada para Implementar DEFINIÇÕES E RESPOSTAS AS SUGESTÕES APRESENTADAS PELO REPRESENTANTE GLOBALRED, VIA E-MAIL, DATADO DE 18/03/2011, RELATIVAS À CONSULTA PÚBLICA, REALIZADA NO DIA 16/03/2010, VISANDO DISCUSSÃO DAS ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Administração de Empresas 2º Período Informática Aplicada REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Prof. Sérgio Rodrigues 1 INTRODUÇÃO Introdução Este trabalho tem como objetivos: definir

Leia mais

Switches Gigabit Cabeados/Wireless Unificados L2+

Switches Gigabit Cabeados/Wireless Unificados L2+ Arquitetura de Rede Unificada Cabeada/Wireless Escalável 20 portas Gigabit 10/100/1000BASE-T Até 48 conexões diretas/indiretas de APs wireless Conexão cabeada/wireless combinada de qualquer porta 4 Combo

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Uma estação é considerada parte de uma LAN se pertencer fisicamente a ela. O critério de participação é geográfico. Quando precisamos de uma conexão virtual entre duas estações que

Leia mais

Câmara Municipal de Blumenau Estado de Santa Catarina CONTRATO N 12-1/2014

Câmara Municipal de Blumenau Estado de Santa Catarina CONTRATO N 12-1/2014 CONTRATO N 12-1/2014 A Câmara Municipal de Blumenau, neste ato representado pelo seu Presidente, Vereador Vanderlei Paulo de Oliveira, doravante denominada CONTRATANTE, e a empresa.solução INFORMÁTICA

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

Switch Central de Grande Porte

Switch Central de Grande Porte Switch Central de Grande Porte GERAL 1. Estrutura de chassi modular, para instalação em gabinete padrão EIA 19, e kit completo de instalação. Os equipamentos ofertados deverão vir acompanhados de kits

Leia mais

INTERNET Edital de Licitação. Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007

INTERNET Edital de Licitação. Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007 INTERNET Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007 Anexo I - página 1 Índice 1. OBJETIVO... 3 2. VISÃO GERAL DO ESCOPO DO SERVIÇO... 3 3. ENDEREÇOS

Leia mais

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento)

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) Disciplina: Gerência de Redes Professor: Jéferson Mendonça de Limas 5º Semestre AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) 2014/1 Agenda de Hoje Evolução da Gerência

Leia mais

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios Técnico em Redes de Computadores Equipamentos e Acessórios Componentes de uma Rede Uma rede é um sistema composto de um arranjo de componentes: Cabeamento Hardware Software Cabeamento Componentes de uma

Leia mais

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet:

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet: Comunicação em uma rede Ethernet A comunicação em uma rede local comutada ocorre de três formas: unicast, broadcast e multicast: -Unicast: Comunicação na qual um quadro é enviado de um host e endereçado

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Departamento de Informática UFPE Redes de Computadores Nível de Redes - Exemplos jamel@cin.ufpe.br Nível de Rede na Internet - Datagramas IP Não orientado a conexão, roteamento melhor esforço Não confiável,

Leia mais

2.1 Perímetro com a WAN

2.1 Perímetro com a WAN ANEXO I. Projeto Básico 1 ESCOPO O escopo desse projeto é implementar soluções de switch core, switch de borda, sistema de controle de acesso à rede, access points, sistemas de gerenciamento wireless,

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Switch na Camada 2: Comutação www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução A conexão entre duas portas de entrada e saída, bem como a transferência de

Leia mais

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede Interconexão de redes locais Existência de diferentes padrões de rede necessidade de conectá-los Interconexão pode ocorrer em diferentes âmbitos LAN-LAN LAN: gerente de um determinado setor de uma empresa

Leia mais

Acesso Ethernet com Hubs

Acesso Ethernet com Hubs Acesso Ethernet com Hubs O dado é enviado de um por vez Cada nó trafega a 10 Mbps Acesso Ethernet com Bridges Bridges são mais inteligentes que os hubs Bridges reuni os quadros entre dois segmentos de

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE ORÇAMENTO - 29/09/2009 URGENTE. Necessita este Conselho de proposta estimativa de preço nos moldes das descrições abaixo:

SOLICITAÇÃO DE ORÇAMENTO - 29/09/2009 URGENTE. Necessita este Conselho de proposta estimativa de preço nos moldes das descrições abaixo: SOLICITAÇÃO DE ORÇAMENTO - 29/09/2009 URGENTE Prezados Senhores, Necessita este Conselho de proposta estimativa de preço nos moldes das descrições abaixo: ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1. OBJETO Contratação

Leia mais

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia Aula 3 Gerenciamento de Redes Cenário exemplo Detecção de

Leia mais

APRESENTAÇÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇOS DE SWITCHES BRB EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS Nº BRB 2013/010

APRESENTAÇÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇOS DE SWITCHES BRB EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS Nº BRB 2013/010 APRESENTAÇÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇOS DE SWITCHES BRB EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS Nº BRB 2013/010 Brasília-DF, 21 de fevereiro de 2012 Ref.: Apresentação de Sistema de Registro

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 45/2014 ESCLARECIMENTO N. 2

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 45/2014 ESCLARECIMENTO N. 2 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento Referência: Pregão Eletrônico n. 45/2014 Data: 06/3/2015 Objeto: Registro de Preços para fornecimento de equipamentos, componentes de solução de rede local, incluindo instalação

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE FITOTECA AUTOMATIZADA Substituição dos Silos Robóticos Storagetek 9310

ESPECIFICAÇÃO DE FITOTECA AUTOMATIZADA Substituição dos Silos Robóticos Storagetek 9310 Especificação Técnica 1. A Solução de Fitoteca ofertada deverá ser composta por produtos de Hardware e Software obrigatoriamente em linha de produção do fabricante, não sendo aceito nenhum item fora de

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRÁS

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRÁS PÁG. 1 DE 13 PRÁTICA DE SERVIÇO DE BANDA LARGA REQUISITOS MÍNIMOS PARA OS PRESTADORES DE SERVIÇO DO PROGRAMA NACIONAL DE BANDA LARGA - PNBL Sumário 1.OBJETIVO... 2 2.CAMPO DE APLICAÇÃO... 2 3.DEFINIÇÕES...

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TR Pregão Eletrônico nº 018/2011. 2.1 - SWITCHES TIPO A - Camada Núcleo da Rede Campus e Data Center

TERMO DE REFERÊNCIA TR Pregão Eletrônico nº 018/2011. 2.1 - SWITCHES TIPO A - Camada Núcleo da Rede Campus e Data Center TERMO DE REFERÊNCIA TR Pregão Eletrônico nº 018/2011 Anexo I 1 DO OBJETO 1.1 - Prestação de serviços de infraestrutura tecnológica de conectividade e de segurança lógica, com fornecimento de equipamentos

Leia mais

Sumário 1 Introdução... 19 2 O Modelo OSI... 33

Sumário 1 Introdução... 19 2 O Modelo OSI... 33 Sumário 1 Introdução... 19 1.1 Um Resumo da História da Cisco Systems... 19 1.2 Sobre a Certificação Cisco Certified Network Associate CCNA Routing and Switching (R&S)... 20 1.2.1 Por que Tornar-se um

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Switch Tipo 1: Switch fast-ethernet 24 portas FE 100BASE-TX, 2 portas 1GbE 1000BASE-T, 2 portas 1GbE SFP;

TERMO DE REFERÊNCIA. Switch Tipo 1: Switch fast-ethernet 24 portas FE 100BASE-TX, 2 portas 1GbE 1000BASE-T, 2 portas 1GbE SFP; TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO Fornecimento de Switches, Módulos transceiver e Cordões Óticos. LOTE 1 Item Descrição 1.1 Switch Tipo 1: Switch fast-ethernet 24 portas FE 100BASE-TX, 2 portas 1GbE 1000BASE-T,

Leia mais

1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES...15

1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES...15 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES...15 1.1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES...16 1.2 O PAPEL DO GERENTE DE REDES...18 1.3 VOCÊ: O MÉDICO DA REDE...20 1.4 REFERÊNCIAS...23 1.4.1 Livros...23

Leia mais

Manual de Instalação e Operação

Manual de Instalação e Operação Manual de Instalação e Operação CONVERSOR HPNA 3.1 CTS3600EC-F Versão 1.0 Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta documentação pode ser reproduzida sob qualquer forma, sem a autorização da CIANET.

Leia mais

ANEXO 5 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX

ANEXO 5 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX ANEXO 5 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS, PROCEDIMENTOS DE TESTES E PARÂMETROS DE QUALIDADE 1. PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS 1.1 As Partes observarão

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1 Descritivo Técnico 16/02/2011 Página 1 1. OBJETIVO O SLAview é um sistema de análise de desempenho de redes IP por meio da monitoração de parâmetros de SLA (Service Level Agreement, ou Acordo de Nível

Leia mais

Devido ao contínuo aperfeiçoamento de nossos produtos e serviços, as especificações descritas a seguir estarão sujeitas a alterações sem prévio aviso.

Devido ao contínuo aperfeiçoamento de nossos produtos e serviços, as especificações descritas a seguir estarão sujeitas a alterações sem prévio aviso. Devido ao contínuo aperfeiçoamento de nossos produtos e serviços, as especificações descritas a seguir estarão sujeitas a alterações sem prévio aviso. Antes de utilizar o equipamento verifique a disponibilidade

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE CARAZINHO SA - ELETROCAR RETIFICAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 016/12

CENTRAIS ELÉTRICAS DE CARAZINHO SA - ELETROCAR RETIFICAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 016/12 CENTRAIS ELÉTRICAS DE CARAZINHO SA - ELETROCAR RETIFICAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 016/12 1. Objeto : Aquisição de Equipamentos e Acessórios de Informática 2. Os itens 1.1, 1.2 e 1.3 do Termo de Referência

Leia mais

Termo de Referência Tecnologia da Informação

Termo de Referência Tecnologia da Informação Termo de Referência Tecnologia da Informação TERMO DE REFERÊNCIA PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE TI E LICENÇAS. GERENCIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS JULHO/2015 CDG CAE 01/2015 1. DO OBJETO Aquisição de

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

OptiView. Total integração Total controle Total Network SuperVision. Solução de Análise de Rede. Ninguém melhor que os. Engenheiros de Rede e a Fluke

OptiView. Total integração Total controle Total Network SuperVision. Solução de Análise de Rede. Ninguém melhor que os. Engenheiros de Rede e a Fluke Ninguém melhor que os OptiView Solução de Análise de Rede Total integração Total controle Total Network SuperVision Engenheiros de Rede e a Fluke Networks para saber o valor de uma solução integrada. Nossa

Leia mais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Conteúdo deste módulo Equipamentos usados nas Redes; Modelos de Camadas; Protocolos

Leia mais

Web Smart Switch DGS-1210-28. Destaques

Web Smart Switch DGS-1210-28. Destaques Destaques Economize energia, economize dinheiro Seja amigável com o planeta e com o seu orçamento; obtenha economias de energia significativas para manter seus custos baixos Gerenciamento Funções avançadas,

Leia mais

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com Wireless Leandro Ramos www.professorramos.com Redes Wireless Interferências Access-Point / ROUTER Wireless Ponto de Acesso Numa rede wireless, o hub é substituído pelo ponto de acesso (access-point em

Leia mais

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação O ProApps Security O ProApps Security é um componente da suíte de Professional Appliance focada na segurança de sua empresa ou rede. A solução pode atuar como gateway e como solução IDS/IPS no ambiente.

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

Interconexão redes locais (LANs)

Interconexão redes locais (LANs) Interconexão redes locais (LANs) Descrever o método de funcionamento dos dispositivos bridge e switch, desenvolver os conceitos básicos de LANs intermediárias, do uso do protocolo STP e VLANs. Com o método

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE 2011 A Presidenta do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

Comunicação Industrial: Algumas características importantes em Switches Industriais.

Comunicação Industrial: Algumas características importantes em Switches Industriais. Comunicação Industrial: Algumas características importantes em Switches Industriais. O uso de switches ethernet é cada vez maior em redes industriais, não resta dúvida, e essa utilização não é de agora.

Leia mais

Redes de Alta Velocidade

Redes de Alta Velocidade Redes de Alta Velocidade IEEE 802.3z e IEEE 802.3ab Gigabit Ethernet Redes de Alta Velocidade IEEE 802.3z e IEEE 802.3ab Gigabit Ethernet Parte I IEEE 802.3 Ethernet Parte II IEEE 802.3u Fast Ethernet

Leia mais

ENH908-NWY. Manual do Usuário

ENH908-NWY. Manual do Usuário ENH908-NWY Manual do Usuário O dispositivo é um poderoso switch Fast Ethernet de alto desempenho, com todas as portas capazes de realizarem operações de negociação automática (NWay) de 10 ou 100 Mbps,

Leia mais

HP Network Core Implementation

HP Network Core Implementation HP Network Core Implementation Dados técnicos O serviço HP Network Core Implementation tem como objetivo, através de uma análise técnica no ambiente de rede local, realizar a implementação de uma proposta

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO A presente licitação tem como objeto a contratação de empresa, especializada e devidamente autorizada pela ANATEL - Agência Nacional de Telecomunicações, prestadora

Leia mais

EN2HWI-N3 Roteador Sem Fio para Jogos Online N300

EN2HWI-N3 Roteador Sem Fio para Jogos Online N300 EN2HWI-N3 Roteador Sem Fio para Jogos Online N300 Introdução O Roteador Sem Fio para Jogos Online N300 fornece de alta velocidade com o padrão 802.11n, que realça a sua experiência em jogos online e multimídia.

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES. 2.6. Possibilidade de prover serviço de hospedagem para DNS secundário.

ESPECIFICAÇÕES. 2.6. Possibilidade de prover serviço de hospedagem para DNS secundário. 1 1. OBJETO ESPECIFICAÇÕES Contratação de serviços de telecomunicações para implementação, operação e manutenção de um circuito de acesso, síncrono, dedicado à Internet, na velocidade de 6Mbps, com disponibilidade

Leia mais

BELLA DONNA CENTRO DE ESTÉTICA Sistema de Gerenciamento de Serviços em Estética SisGSE. Documento de Projeto Lógico e Físico de Rede

BELLA DONNA CENTRO DE ESTÉTICA Sistema de Gerenciamento de Serviços em Estética SisGSE. Documento de Projeto Lógico e Físico de Rede BELLA DONNA CENTRO DE ESTÉTICA Sistema de Gerenciamento de Serviços em Estética SisGSE Documento de Projeto Lógico e Físico Histórico de revisões Versão Data Autor Descrição Localização 1.0 20/OUT/2010

Leia mais

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES Página 1 CONHECIMENTO ESPECÍFICO 01. Suponha um usuário acessando a Internet por meio de um enlace de 256K bps. O tempo mínimo necessário para transferir um arquivo de 1M byte é da ordem de A) 4 segundos.

Leia mais

Nway Switch 8 Portas Manual do Usuário

Nway Switch 8 Portas Manual do Usuário P R E F Á C I O Este é um produto da marca GTS Network, que está sempre comprometida com o desenvolvimento de soluções inovadoras e de alta qualidade. Este manual descreve, objetivamente, como instalar

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Redes de computadores e telecomunicação Objetivos da Unidade III Apresentar as camadas de Transporte (Nível 4) e Rede (Nível 3) do

Leia mais

MAXXSTATION MIMO 5 GHz 802.11a/n 300Mbps 5GHz MIMO 2x2 Wireless CPE Router

MAXXSTATION MIMO 5 GHz 802.11a/n 300Mbps 5GHz MIMO 2x2 Wireless CPE Router Manual do Usuário MAXXSTATION MIMO 5 GHz 802.11a/n 300Mbps 5GHz MIMO 2x2 Wireless CPE Router Versão 1.0 Última atualização Março 2013. 1 Introdução Obrigado por adquirir o MaxxStation MIMO 5 GHz. Esse

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 11: Redes de Computadores Prof.: Roberto Franciscatto REDES - Introdução Conjunto de módulos de processamento interconectados através de um sistema de comunicação, cujo objetivo é compartilhar

Leia mais

HP Router Basic Implementation

HP Router Basic Implementation HP Router Basic Implementation Dados técnicos O HP Router Basic Implementation tem como objetivo, baseado na entrevista para coleta de informações junto a equipe designada pelo cliente, realizar a instalação

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 13/2012-SALC. Empresa: BERGAMO & CAVALCANTE INFORMATICA LTDA ME. Prezado(a) Sr(a) Giancarlo Bergamo Cecilio,

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 13/2012-SALC. Empresa: BERGAMO & CAVALCANTE INFORMATICA LTDA ME. Prezado(a) Sr(a) Giancarlo Bergamo Cecilio, POR FAVOR NÃO IMPRIMA ESTA PÁGINA. GRATO!!!!! PREGÃO ELETRÔNICO Nº 13/2012-SALC Curitiba, PR, 05 de NOVEMBRO de 2012. Empresa: BERGAMO & CAVALCANTE INFORMATICA LTDA ME CNPJ: 11.195.926/0001-04 e-mail:

Leia mais

OptiView XG. Tablet para Análise de Rede. Sua rede. Seu tablet - OptiView XG

OptiView XG. Tablet para Análise de Rede. Sua rede. Seu tablet - OptiView XG OptiView XG Tablet para Análise de Rede O OptiView XG é o primeiro tablet especificamente projetado para Engenheiros de Rede. Ele automatiza a análise da causa-raiz de problemas de rede e de aplicativos

Leia mais

REGISTRO DE PREÇOS. diovany@worklink.inf.br Diretor Comercial (61) 8538-3245

REGISTRO DE PREÇOS. diovany@worklink.inf.br Diretor Comercial (61) 8538-3245 REGISTRO DE PREÇOS Diovany Moreira Diovany Moreira diovany@worklink.inf.br Diretor Comercial (61) 8538-3245 HISTÓRICO DA EMPRESA Conectividade Armazenamento de dados Segurança Telecomunicações SISTEMA

Leia mais

Especificação de Referência Roteador Sem Fio (Wireless)

Especificação de Referência Roteador Sem Fio (Wireless) 1 Especificação de Referência Roteador Sem Fio (Wireless) Código do Objeto Descrição do Objeto Aplicação do Objeto Data da Especificação de Referência Validade da Especificação de Referência AC0000049

Leia mais