Demonstrações Financeiras Consolidadas Net Serviços de Comunicação S.A.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Demonstrações Financeiras Consolidadas Net Serviços de Comunicação S.A."

Transcrição

1 Demonstrações Financeiras Consolidadas Net Serviços de Comunicação S.A. Exercícios encerrados em com Relatório de Empresa de Contabilidade Independente (Pública e Registrada)

2 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Índice Relatório da Administração sobre Controle Interno sobre Relatórios Financeiros... 1 Relatório de Empresa de Contabilidade Independente (Pública e Registrada) sobre o Controle Interno sobre Relatórios Financeiros... 3 Relatório de Empresa de Contabilidade Independente (Pública e Registrada)... 5 Demonstrações Financeiras Consolidadas Auditadas Balanços Patrimoniais Consolidados em 31 de dezembro de 2008 e Demonstrações dos Resultados Consolidadas para cada um dos três exercícios findos em 31 de dezembro de Demonstrações do Patrimônio Líquido e do Lucro Abrangente Consolidadas para cada um dos três exercícios findos em 31 de dezembro de Demonstrações dos Fluxos de Caixa Consolidadas para cada um dos três exercícios findos em 31 de dezembro de Notas Explicativas para Demonstrações Financeiras Consolidadas... 11

3 Relatório da Administração sobre o Controle Interno Sobre Reporte Financeiro. A administração da Net Serviços de Comunicação S.A. é responsável pelo estabelecimento e manutenção de controles internos efetivos sobre reportes financeiros da Companhia. Um controle interno de uma Companhia sobre o reporte financeiro é um processo desenhado para fornecer uma garantia razoável em relação à confiabilidade dos reportes financeiros e a preparação de demonstrativos financeiros para propósitos externos de acordo com os princípios contábeis geralmente aceitos. Os controles internos da Companhia sobre o reporte financeiro incluem aquelas políticas e procedimentos que (i) se referem à manutenção de registros que, em detalhes razoáveis, refletem de forma precisa e justa as transações e alienações de ativos da companhia; (ii) fornecer garantia razoável que as transações são registradas conforme necessário para permitir a preparação dos demonstrativos financeiros de acordo com os princípios contábeis geralmente aceitos, e que os recebimentos e gastos da Companhia são somente feitos de acordo com as autorizações da administração e diretores da Companhia; e (iii) fornecer garantia razoável em relação à prevenção e detecção tempestiva de aquisições, uso ou alienação não autorizados de ativos da Companhia que poderiam ter um efeito significativo sobre os demonstrativos financeiros. Devido às suas limitações inerentes, os controles internos sobre reportes financeiros podem não impedir ou detectar declarações erradas. Portanto, mesmo aqueles sistemas que foram determinados como sendo eficientes fornecem somente garantia razoável com respeito à preparação e apresentação de relatórios financeiros. Além disso, projeções de quaisquer avaliações da eficiência para períodos futuros estão sujeitas ao risco que os controles possam se tornar inadequados devido a mudanças nas condições. Conforme descrito nas notas 1 e 5 de suas demonstrações financeiras consolidadas, durante o quarto trimestre de 2008 a Companhia adquiriu a 614 Telecomunicações Ltda., 614 TVP João Pessoa S.A. e 614 TVT Maceió S.A. (conjuntamente BIGTV). Conforme requer a Lei Sarbanes Oxley de 2002 e as regras da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos da América, a Administração resolveu excluir a BIGTV desta avaliação. BIGTV é uma subsidiária integral que está inclusa em 2008 nas demonstrações financeiras consolidadas da Companhia e representou US$ (4,19%) e US$ (4,92%) do total de ativo e dos ativos líquidos, respectivamente, em 31 de dezembro de A administração avaliou a eficiência do controle interno sobre reportes financeiros da companhia, em 31 de dezembro de 2007, com base nos critérios estabelecidos em Controles Internos Estrutura Integrada emitido pelo Comitê de Organizações Patrocinadoras da Comissão Treadway (os critérios COSO). Com base naquela avaliação, a administração concluiu que em 31 de dezembro de 2007 o controle interno da Companhia sobre o reporte financeiro era eficiente. A avaliação da administração da eficiência do controle interno da Companhia sobre o reporte financeiro em 31 de dezembro de 2008 foi auditada pela Ernst & Young Auditores Independentes, a empresa de auditoria independente pública e registrada da Companhia, cujo parecer está declarado em seu relatório. José Guaraldi Felix Data: 10 de fevereiro de 2008 Diretor Presidente 1

4 Relatório da Administração sobre o Controle Interno Sobre o Reporte Financeiro. A administração da Net Serviços de Comunicação S.A. é responsável pelo estabelecimento e manutenção de controles internos efetivos sobre reportes financeiros da Companhia. Um controle interno de uma Companhia sobre o reporte financeiro é um processo desenhado para fornecer uma garantia razoável em relação à confiabilidade dos reportes financeiros e a preparação de demonstrativos financeiros para propósitos externos de acordo com os princípios contábeis geralmente aceitos. Os controles internos da Companhia sobre o reporte financeiro incluem aquelas políticas e procedimentos que (i) se referem à manutenção de registros que, em detalhes razoáveis, refletem de forma precisa e justa as transações e alienações de ativos da companhia; (ii) fornecer garantia razoável que as transações são registradas conforme necessário para permitir a preparação dos demonstrativos financeiros de acordo com os princípios contábeis geralmente aceitos, e que os recebimentos e gastos da Companhia são somente feitos de acordo com as autorizações da administração e diretores da Companhia; e (iii) fornecer garantia razoável em relação à prevenção e detecção tempestiva de aquisições, uso ou alienação não autorizados de ativos da Companhia que poderiam ter um efeito significativo sobre os demonstrativos financeiros. Devido às suas limitações inerentes, os controles internos sobre reportes financeiros podem não impedir ou detectar declarações erradas. Portanto, mesmo aqueles sistemas que foram determinados como sendo eficientes fornecem somente garantia razoável com respeito à preparação e apresentação de relatórios financeiros. Além disso, projeções de quaisquer avaliações da eficiência para períodos futuros estão sujeitas ao risco que os controles possam se tornar inadequados devido a mudanças nas condições. Conforme descrito nas notas 1 e 5 de suas demonstrações financeiras consolidadas, durante o quarto trimestre de 2008 a Companhia adquiriu a 614 Telecomunicações Ltda., 614 TVP João Pessoa S.A. e 614 TVT Maceió S.A. (conjuntamente BIGTV). Conforme requer a Lei Sarbanes Oxley de 2002 e as regras da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos da América, a Administração resolveu excluir a BIGTV desta avaliação. BIGTV é uma subsidiária integral que está inclusa em 2008 nas demonstrações financeiras consolidadas da Companhia e representou US$ (4,19%) e US$ (4,92%) do total de ativo e dos ativos líquidos, respectivamente, em 31 de dezembro de A administração avaliou a eficiência do controle interno sobre reportes financeiros da companhia, em 31 de dezembro de 2007, com base nos critérios estabelecidos em Controles Internos Estrutura Integrada emitido pelo Comitê de Organizações Patrocinadoras da Comissão Treadway (os critérios COSO). Com base naquela avaliação, a administração concluiu que em 31 de dezembro de 2007 o controle interno da Companhia sobre o reporte financeiro era eficiente. A avaliação da administração da eficiência do controle interno da Companhia sobre o reporte financeiro em 31 de dezembro de 2008 foi auditada pela Ernst & Young Auditores Independentes, a empresa de auditoria independente pública e registrada da Companhia, cujo parecer está declarado em seu relatório. Data: 10 de fevereiro de 2008 João Adalberto Elek Junior Diretor Financeiro 2

5 RELATÓRIO DE EMPRESA DE CONTABILIDADE INDEPENDENTE (PÚBLICA E REGISTRADA) Ao Conselho de Administração e Acionistas da Net Serviços de Comunicação S.A. Auditamos o controle interno sobre relatórios financeiros da Net Serviços de Comunicação S.A., em 31 de dezembro de 2008, com base nos critérios estabelecidos em Controles Internos - Estrutura Integrada emitido pelo Comitê de Organizações Patrocinadoras da Comissão Treadway (os critérios COSO). A administração da Net Serviços de Comunicação S.A. é responsável pela manutenção de controles internos efetivos sobre relatórios financeiros, e pela sua avaliação da eficácia dos controles internos sobre os relatórios financeiros incluídos no Relatório anexado da Administração sobre os Controles Internos sobre Relatórios Financeiros. Nossa responsabilidade é expressar um parecer sobre o controle interno da empresa sobre os relatórios financeiros com base em nossa auditoria. Conduzimos nossas auditorias de acordo com os padrões do Conselho de Supervisão de Empresas Públicas de Contabilidade (Estados Unidos). Esses padrões exigem um planejamento e execução de auditoria para obter uma garantia razoável se os controles internos efetivos sobre relatórios financeiros foram mantidos em todos os aspectos significativos. Nossa auditoria incluiu a obtenção e compreensão dos controles internos sobre relatórios financeiros, avaliando o risco que um ponto fraco significativo exista, testando e avaliando o projeto e eficiência operacional dos controles internos com base nos riscos avaliados, e executando tais outros procedimentos que considerarmos necessários nas circunstâncias. Acreditamos que nossa auditoria garante uma base satisfatória para nossa opinião. Um controle interno de uma empresa sobre o relatório financeiro é um processo desenhado para fornecer uma garantia razoável em relação à confiabilidade dos relatórios financeiros e a preparação de demonstrativos financeiros para propósitos externos de acordo com os princípios contábeis geralmente aceitos. O controle interno de uma empresa sobre os relatórios financeiros inclui aquelas políticas e procedimentos que (1) referem-se à manutenção de registros que, em detalhes razoáveis, mostram de forma justa e precisa as transações e alienações de ativos da empresa; (2) fornecem razoável garantia que as transações são registradas conforme necessário para permitir a preparação dos demonstrativos financeiros de acordo com os princípios contábeis geralmente aceitos, e que os recebimentos e despesas da empresa estão sendo feitos somente de acordo com autorizações da administração e diretores da empresa; e (3) fornecem garantia razoável em relação à prevenção e detecção tempestiva de aquisição, uso ou alienação não autorizada dos ativos da empresa que poderiam ter um efeito significativo sobre os demonstrativos financeiros. Devido às suas limitações inerentes, os controles internos sobre relatórios financeiros podem não impedir ou detectar declarações erradas. Além disso, projeções de quaisquer avaliações da eficiência para períodos futuros estão sujeitas ao risco que os controles possam se tornar inadequados devido a mudanças nas condições, ou que o grau de conformidade com as políticas e procedimentos possa deteriorar. 3

6 Conforme indicado no Relatório da Administração sobre Controle Interno sobre Relatórios Financeiros, a avaliação da administração e conclusão da eficiência dos controles internos sobre relatórios financeiros não incluiu os controles internos da 614 Telecomunicações Ltda., 614 TVP João Pessoa S.A. e 614 TVT Maceió S.A.,(conjuntamente BIGTV ), os quais estão incluídos nas demonstrações financeiras consolidadas da Net Serviços de Comunicação S.A. e representaram US$ (4,19%) e US$ (4,92%) do total de ativos e ativos líquidos, respectivamente, em 31 de dezembro de Nossa auditoria dos controles internos sobre os relatórios financeiros da Net Serviços de Comunicação S.A. também não incluiu uma avaliação dos controles internos sobre relatórios financeiros da BIGTV. Em nossa opinião, a Net Serviços de Comunicação S.A. manteve, em todos os aspectos significativos, controles internos efetivos sobre o relatório financeiro em 31 de dezembro de 2008, com base nos critérios COSO. Nós também auditamos, de acordo com os padrões do Conselho de Supervisão de Empresas Públicas de Contabilidade (Estados Unidos), o relatório financeiro consolidado da Net Serviços de Comunicação S.A. de 31 de dezembro de 2008 e 2007, e demonstrativos consolidados relacionados de resultados, de mutações no patrimônio líquido e de fluxos de caixa para cada um dos três exercícios encerrados em 31 de dezembro de 2008 da Net Serviços de Comunicação S.A. e nosso relatório com data de 10 de fevereiro de 2009 expressou um parecer sem ressalvas destes. São Paulo, 10 de fevereiro de 2009 ERNST & YOUNG Auditores Independentes S.S. CRC-2SP015199/O-6 Maria Helena Pettersson Sócia 4

7 RELATÓRIO DE EMPRESA DE AUDITORIA INDEPENDENTE PÚBLICA REGISTRADA Ao Conselho de Administração e Acionistas da Net Serviços de Comunicação S.A. Auditamos o balanço patrimonial consolidado da Net Serviços de Comunicação S.A. e subsidiárias em 31 de dezembro de 2008 e 2007, e as respectivas demonstrações consolidadas do resultado, mutações no patrimônio líquido e fluxos de caixa para cada um dos três anos findos em 31 de dezembro de Esses demonstrativos financeiros são de responsabilidade da administração da Companhia. Nossa responsabilidade é expressar um parecer sobre os relatórios financeiros com base em nossa auditoria. Conduzimos nossas auditorias de acordo com os padrões do Conselho de Supervisão de Companhias Públicas de Contabilidade (Estados Unidos). Esses padrões exigem um planejamento e execução de auditoria para obter uma garantia razoável se as demonstrações financeiras estão livres de declarações erradas ou inexatas. Uma auditoria inclui o exame, com base em testes, de evidências suportando os valores e divulgações nos demonstrativos financeiros. Uma auditoria também inclui a avaliação dos princípios contábeis usados e estimativas significativas feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação geral dos demonstrativos financeiros. Acreditamos que nossas auditorias garantem uma base satisfatória para nossa opinião. Em nossa opinião os demonstrativos financeiros consolidados citados acima apresentam de forma justa, em todos os aspectos significativos, a posição financeira consolidada da Net Serviços de Comunicação S.A. e subsidiárias em 31 de dezembro de 2008 e 2007, e os resultados consolidados de suas operações e seus fluxos de caixa para cada um dos três exercícios encerrados em 31 de dezembro de 2008 em conformidade com os princípios contábeis geralmente aceitos nos EUA. Nós também auditamos, de acordo com as normas do Conselho de Supervisão de Companhias Públicas de Contabilidade (Estados Unidos), o controle interno sobre relatórios financeiros da Net Serviços de Comunicação S.A., em 31 de dezembro de 2008, com base nos critérios estabelecidos em Controles Internos Estrutura Integrada emitido pelo Comitê de Organizações Patrocinadoras da Comissão Treadway e nosso relatório datado de 10 de fevereiro de 2009 expressou um parecer sem ressalvas destes. São Paulo, 10 de fevereiro de 2009 ERNST & YOUNG Auditores Independentes S.S. CRC-2SP015199/O-6 Maria Helena Pettersson Sócia 5

8 BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS 31 de dezembro de 2008 e 2007 (Em milhares de dólares dos Estados Unidos da América exceto para valores por quantidade de ações) Ativo Ativo circulante Disponibilidades US$ US$ Investimentos de curto prazo Contas a receber, líquido de provisão para Créditos de liquidação duvidosa de US$ em 31 de dezembro de 2008 e de US$ em 31 de dezembro de Estoques Impostos diferidos Impostos a recuperar Despesas antecipadas Outros ativos circulantes Total do ativo circulante Ativos não circulantes Imobilizado, Líquido Ágio Ativos Intangíveis Impostos diferidos Depósitos judiciais Impostos a recuperar Outros ativos não circulantes Total do ativo não circulante Total do ativo US$ US$

9 Passivo e patrimônio líquido Passivo circulante Fornecedores US$ US$ Fornecedores de programação Impostos a recolher Obrigações fiscais Salários e encargos sociais Parcela corrente da dívida de longo prazo Juros a pagar Receita diferida Provisões Outros passivos Total do passivo circulante Passivo não circulante Dívida de longo prazo, menos parcela circulante Receita diferida com taxa de adesão e benefício de programação Passivo projetado para reclamações e avaliações fiscais, trabalhistas e cíveis Provisões Total do passivo não circulante Total do passivo Patrimônio Líquido Ações preferenciais, sem valor nominal, ações autorizadas, emitidas e em circulação (31 de dezembro de e 31 de dezembro de ) Ações ordinárias, sem valor nominal, ações autorizadas, emitidas e em circulação (31 de dezembro de e 31 de dezembro de ) Capital adicional Prejuízos Acumulados ( ) ( ) Outros lucros (prejuízos) abrangentes acumulados ( ) Total do patrimônio líquido Total do passivo e patrimônio líquido US$ US$ Vide as notas explicativas das demonstrações financeiras interinas consolidadas. 7

10 DEMONSTRAÇÕES DOS RESULTADOS Exercícios encerrados em (Em milhares de dólares dos Estados Unidos da América exceto para valores por ação e quantidade de ações) Exercício encerrado em 31 de dezembro Total da receita US$ US$ US$ Impostos e outras deduções de receitas ( ) ( ) ( ) Receita operacional líquida Programação e outros custos operacionais excluindo-se depreciação e amortização: Fornecedores terceiros ( ) ( ) (38.606) Partes Relacionadas ( ) ( ) ( ) Outros custos operacionais ( ) ( ) ( ) Despesas com vendas, gerais e administrativas ( ) ( ) ( ) Depreciações e amortizações ( ) ( ) (74.985) Outras receitas (despesas) (10.454) (7.446) Total dos custos e despesas operacionais ( ) ( ) ( ) Lucro operacional: Outras receitas (despesas): Variação monetária, líquida (2.303) (53),475 Variação cambial, líquida (prejuízo) ( ) Despesas com juros (86.420) (61.891) (47.651) Receita financeira (inclusive ganho da extinção de passivos de US$ em 2006) Despesas financeiras, líquidas (15.089) (35.603) (26.420) Total de outras despesas líquidas ( ) (31.715) (8.764) Lucro antes do imposto de renda Benefícios (despesas) de imposto de renda (74.458) (21.376) Lucro líquido US$ US$ US$ Lucro líquido por ação ordinária, básicas e diluídas US$ 0,06 US$ 0,36 US$ 0,72 Lucro líquido por ação preferencial, básicas e diluídas US$ 0,07 US$ 0,40 US$ 0,79 Média ponderada do número de ações ordinárias em circulação, básicas e diluídas Média ponderada do número de ações preferenciais em circulação básicas e diluídas Vide as notas explicativas das demonstrações financeiras interinas consolidadas. 8

11 DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO E DOS LUCROS ABRAGENTES Anos findos em (Em milhares de dólares dos Estados Unidos da América exceto para valores por quantidade de ações) Número de ações emitidas Capital social Capital Prejuízos Outros Prejuízos Lucros Abrangentes Preferenciais Ordinárias Preferenciais Ordinárias Total adicional acumulados (prejuízo) -apenas CTA Total Saldo em 31 de dezembro de US$ US$ US$ US$ US$ ( ) US$ ( ) US$ Troca de benéfico fiscal contribuído por acionistas por ações em 18 de maio de (31.730) Benefício fiscal contribuído por acionistas (2.023) - - (2.023) Emissão de ações em 29 de novembro de Emissão de ações em 30 de novembro de Emissão de ações em 4 de dezembro de Ajuste cumulativo de conversão para o ano Lucro líquido do exercício Saldo em 31 de dezembro de US$ US$ US$ US$ US$ ( ) US$ ( ) US$ Troca de benefício fiscal contribuído por acionistas por ações em 1 de fevereiro de ,146, (32.930) Emissão de ações pela aquisição da Vivax em 11 de junho de Benefício fiscal contribuído por acionista Ajuste cumulativo de conversão para o ano Lucro líquido do exercício Saldo em 31 de dezembro de US$ US$ US$ US$ US$ ( ) US$ US$ Troca de benéfico fiscal contribuído por acionistas por ações em 31 de janeiro de (41.685) Benefício fiscal contribuído por acionista Ajuste cumulativo de conversão para o ano ( ) ( ) Lucro líquido do exercício Saldo em 31 de dezembro de US$ US$ US$ US$ US$ ( ) US$ ( ) US$ Lucro líquido do exercício US$ US$ US$ Ajustes cumulativos de conversão ( ) Total dos lucros abrangentes US$ ( ) US$ US$ Vide as notas explicativas das demonstrações financeiras interinas consolidadas. See accompanying notes to consolidated financial statements. 9

12 DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA Exercícios encerrados em 31 de dezembro Atividades operacionais Lucro líquido do exercício US$ US$ US$ Ajustes para reconciliar o lucro líquido ao caixa líquido gerado pelas Atividades operacionais: Receitas diferidas de taxa de assinatura e adesão Amortização de receitas diferidas de taxa de assinatura e adesão (2.531) (4.548) (18.437) Resultado de equivalência patrimonial - (6.785) (1.613) Variação cambial, variação monetária e despesas financeiras, líquido Depreciações e amortizações Impostos diferidos (83.703) Baixa e alienação de ativos, líquido Passivo projetado para reclamações e avaliações fiscais, trabalhistas e cíveis (25.863) (18.073) (38.759) Aumento/redução nos ativos e passivos operacionais Contas a receber (14.978) (28.563) (17.732) Imposto de renda a recuperar (25.432) (7.191) Caixa restrito Investimentos de curto prazo ( ) Despesas antecipadas e outros ativos (1.191) (1.497) Fornecedores e programação a pagar Imposto de renda a pagar (679) Salários e encargos sociais Impostos sobre vendas, provisões Caixa líquido gerado por atividades operacionais Atividades de investimento: Aquisição de imobilizado ( ) ( ) ( ) Aquisição de investimentos ( ) (3.703) (1.952) Resultado da venda de equipamentos Aquisição de subsidiárias, líquido de caixa adquirido Caixa líquido utilizado em atividades de investimento ( ) ( ) ( ) Atividades de financiamento: Emissões de dívidas de curto prazo Pagamentos de dívidas de curto prazo (83.562) (61.524) ( ) Emissões de dívidas de longo prazo Emissões de dívida de partes relacionadas Pagamentos de dívidas de longo prazo - (28.330) ( ) Contribuição de capital em dinheiro Caixa líquido gerado utilizado em atividades de financiamento (37.956) Efeito de alterações nas taxas de câmbio sobre as disponibilidades ( ) Aumento (redução) líquido nas disponibilidades (3.753) (12.039) Disponibilidades no início do exercício Disponibilidades no final do exercício US$ US$ US$ Divulgação suplementar de informações de fluxo de caixa Imposto de renda pago US$ US$ US$ Juros pagos US$ US$ US$ Ações emitidas em conexão com a aquisição da Vivax US$ - US$ US$ Contribuição de benefício fiscal contribuído por acionista por ações US$ US$ US$ Vide as notas explicativas anexas às demonstrações financeiras consolidadas. 10

13 1. Operações NET SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO S.A. A Net Serviços de Comunicação S.A. é uma empresa de capital aberto organizada segundo as leis do Brasil. Ela controla um grupo de operadoras de televisão a cabo por assinatura, também referido como Net Serviços ou a Companhia, e é o Operador Múltiplo de Sistema (Multiple System Operator MSO) líder de televisão a cabo no Brasil. As ações da Net Serviços são negociadas nas Bolsas de Valores de São Paulo e Madri e os Recibos Depositários Americanos ou ADS (American Depositary Share) são negociados no Mercado Nacional da NASDAQ. A Companhia fornece serviços de televisão a cabo sob a marca "NET" e acesso à Internet de alta velocidade sob a marca "NET VIRTUA" por meio de várias redes de cabos localizadas nas maiores cidades do país. A Companhia e a Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. Embratel (Embratel), subsidiária da Teléfonos del México S.A. de C.V. (Telmex), fornecem conjuntamente serviços de voz sob a marca NET FONE VIA EMBRATEL. Aquisições Em 29 de dezembro de 2008, a Companhia consumou a aquisição de 100% das ações e quotas das empresas que possuem operações nos mercados de TV por assinatura e Internet de banda larga segundo a marca "BIGTV" ("Empresas BIGTV") conforme anunciado em 21 de dezembro de Em 1º de novembro de 2007 a Companhia adquiriu os 50% remanescentes de participação na Net Jundiaí Ltda., anteriormente TV Cabo e Comunicações de Jundiaí S.A. (Net Jundiaí), anteriormente uma entidade controlada em conjunto e em 18 de dezembro de 2007 a Companhia adquiriu os 40% restantes de participações minoritárias da TV Cabo Criciúma Ltda. (Net Criciúma). Em 11 de outubro de 2006, a Companhia adquiriu uma participação minoritária de 36,7% na Vivax. Em 11 de junho de 2007, após a aprovação regulatória concedida pela Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL), a Companhia adquiriu as ações remanescentes em circulação da Vivax. Nova aquisição proposta sujeita à aprovação normativa Conforme discutido na Nota Explicativa 16, em 29 de agosto de 2008, a Companhia celebrou um contrato de compra com EDP Energias do Brasil S.A. para adquirir a participação de controle na ESC90 Telecomunicações Ltda., uma importante provedora de TV por assinatura e banda larga nas cidades de Vitória e Vila Velha, Estado do Espírito Santo no Brasil. Esta aquisição está sujeita à aprovação regulatória da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL., 11

14 1. Operações (Continuação) A Companhia detem as seguintes subsidiárias diretas e indiretas e investimentos segundo a equivalência patrimonial em porcentagem de participação em 31 de dezembro: Diretas Indiretas Diretas Indiretas Entidades consolidadas Net Belo Horizonte Ltda ,00-100,00 Net Brasília Ltda ,00-100,00 Net Rio Ltda. 100,00-100,00 - Net Recife Ltda. 100,00-100,00 - Net São Paulo Ltda. 97,40 2,60 97,40 2,60 Net Campinas Ltda ,00-100,00 Net Indaiatuba Ltda. 100,00-100,00 - Net São Carlos Ltda. 100,00-100,00 - Net Franca Ltda. 100,00-100,00 - Net Sul Comunicações Ltda. 100,00-100,00 - Reyc Comércio e Participação Ltda. 26,94 73,06 26,94 73,06 Net Anápolis Ltda ,00-100,00 Net Bauru Ltda. 9,06 90,94 9,06 90,94 Net Campo Grande Ltda ,00-100,00 Net Goiânia Ltda ,00-100,00 Net Ribeirão Preto Ltda. 12,07 87,93 12,07 87,93 Net São José do Rio Preto Ltda ,00-100,00 Net Sorocaba Ltda ,00-100,00 Horizonte Sul Comunicações Ltda ,00-100,00 DR Empresa de Distribuição e Recepção de TV Ltda ,00-100,00 Antenas Comunitárias Brasileiras Ltda ,00-100,00 Net Paraná Comunicações Ltda ,00-100,00 Net Florianópolis Ltda. 78,14 21,86 78,14 21,86 Net Maringá Ltda ,00-100,00 Net Arapongas Ltda ,00-100,00 TV Cabo Criciúma Ltda. 40,00 60,00 40,00 60,00 Net Londrina Ltda. 86,45 13,55 86,45 13,55 Net Jundiaí Ltda. (inicialmente TV Cabo e Comunicações de Jundiaí Ltda.) (*) ,00 - Vivax Ltda. (inicialmente Vivax S.A.) 100,00-100,00 - Subsidiárias operacionais de cabo sob a Vivax Ltda.: Horizon Line Brasil Ltda. ( HLB ) 8,18 91,82 8,18 91,82 Jacareí Cabo S.A. - 83,00-83,00 Canbras TVA Cabo Ltda ,00-100,00 TV Mogno Ltda ,00-100,00 TV Eucalipto Ltda ,00-100, TVH Vale Ltda. ( TVH ) - 100,00-100, Telecomunicações Ltda. (inicialmente BIG TV) 100, Subsidiárias operacionais de cabo sob 614 Telecomunicações Ltda.: 614 Serviços de Internet Maceió Ltda , TVT Maceió S.A. 50,00 50, Serviços de Internet João Pessoa Ltda , TVP João Pessoa S.A. 50,00 50, Interior Linha S.A , Zerelda Participações Ltda , TV a Cabo Guarapuava Ltda , TV Jacarandá Ltda , TV a Cabo Cascavél Ltda , EBS Empresa Brasileira de Sinais Ltda , TVC Oeste Paulista Ltda , TVG Guarulhos S.A , (*) Como parte do plano em andamento de reestruturação corporativa, a Net Jundiaí Ltda. foi fundida na Net Serviços de Comunicação S.A.. 12

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A.

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2014 com o relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES DURATEX COMERCIAL EXPORTADORA S.A. AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL APURADO POR MEIO DOS LIVROS CONTÁBEIS EM 31 DE AGOSTO DE 2015 Escritório Central: Rua Laplace, 96-10 andar - Brooklin - CEP 04622-000

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA EDITAL DE CONVOCAÇÃO

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA EDITAL DE CONVOCAÇÃO NET Serviços de Comunicação S.A. CNPJ/MF nº 00.108.786/0001-65 NIRE nº 35.300.177.240 Companhia Aberta Rua Verbo Divino nº 1.356 1º andar, São Paulo-SP ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA EDITAL DE CONVOCAÇÃO Ficam

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

Abril S.A. e empresas controladas

Abril S.A. e empresas controladas Abril S.A. e empresas controladas DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2010 e Relatório dos Auditores Independentes 1 Abril S.A. e empresas controladas

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras

Leia mais

Participações Industriais do Nordeste S.A. e Empresas Controladas

Participações Industriais do Nordeste S.A. e Empresas Controladas Participações Industriais do Nordeste S.A. e Empresas Controladas Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS, em 31 de dezembro de 2013 e Relatório dos

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

Demonstrações Contábeis Cimento Tupi S.A. e Empresas Controladas

Demonstrações Contábeis Cimento Tupi S.A. e Empresas Controladas Demonstrações Contábeis Cimento Tupi S.A. e Empresas Controladas 31 de dezembro de 2012 com o Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis Demonstrações contábeis 31 de dezembro

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 7 Demonstração

Leia mais

Parque Eólico Assuruá VII. Relatório dos Auditores Independentes. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2014

Parque Eólico Assuruá VII. Relatório dos Auditores Independentes. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2014 Parque Eólico Assuruá VII Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2014 Parque Eólico Assuruá VII Demonstrações contábeis Referentes aos exercícios findos em 31

Leia mais

Relatório da Administração Dommo 2014

Relatório da Administração Dommo 2014 Relatório da Administração Dommo 2014 A Administração da Dommo Empreendimentos Imobiliários S.A. apresenta o Relatório da Administração e as correspondentes Demonstrações Financeiras referentes aos exercícios

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

Guararapes Confecções S.A. e Controladas

Guararapes Confecções S.A. e Controladas 1 Informações gerais Atividades operacionais A Guararapes Confecções S.A. ( Companhia ) e suas controladas (conjuntamente, "o Grupo"), constituída em 6 de outubro de 1956, é uma sociedade anônima de capital

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO

Leia mais

Demonstrações Financeiras Enel Green Power Damascena Eólica S.A.

Demonstrações Financeiras Enel Green Power Damascena Eólica S.A. Demonstrações Financeiras Enel Green Power Damascena Eólica S.A. 31 de dezembro de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras 31 de dezembro

Leia mais

Demonstrações Financeiras Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - Ecosul

Demonstrações Financeiras Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - Ecosul Demonstrações Financeiras Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - Ecosul 31 de dezembro de 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Índice

Leia mais

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Niterói Administradora de Imóveis S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26 Prefácio 1 Exercício Social, 1 Exercícios, 2 2 Disposições Gerais, 3 2.1 Demonstrações financeiras exigidas, 3 2.2 Demonstrações financeiras comparativas, 4 2.3 Contas semelhantes e contas de pequenos,

Leia mais

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2009 e 2008 HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS

Leia mais

Demonstrações Financeiras Concessionária Ecovias dos Imigrantes S.A.

Demonstrações Financeiras Concessionária Ecovias dos Imigrantes S.A. Demonstrações Financeiras Concessionária Ecovias dos Imigrantes S.A. 31 de dezembro de 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Condomínio São Luiz Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 1830 Torre

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

Demonstrações Financeiras 31 de Dezembro de 2013 e 2012

Demonstrações Financeiras 31 de Dezembro de 2013 e 2012 Demonstrações Financeiras com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras... 1 Demonstrações financeiras

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01995-0 VIVAX S.A. 01.402.946/0001-47 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01995-0 VIVAX S.A. 01.402.946/0001-47 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

Officer Distribuidora de Produtos de Informática S.A.

Officer Distribuidora de Produtos de Informática S.A. Officer Distribuidora de Produtos de Informática S.A. Demonstrações Financeiras Individuais e Consolidadas Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2012 e Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A. Índice

Raízen Combustíveis S.A. Índice Raízen Combustíveis S.A. Índice Balanço patrimonial...2 Demonstração do resultado...4 Demonstração do resultado abrangente...5 Demonstração das mutações do patrimônio líquido...6 Demonstração dos fluxos

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Demonstrações Financeiras Arezzo Indústria e Comércio S.A.

Demonstrações Financeiras Arezzo Indústria e Comércio S.A. Demonstrações Financeiras Arezzo Indústria e Comércio S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Índice Relatório dos auditores independentes sobre

Leia mais

RBS Participações S.A. e empresas controladas

RBS Participações S.A. e empresas controladas Balanços patrimoniais consolidados em 31 de dezembro Em milhares de reais (Tradução livre do original em inglês) Ativo Nota 2013 2012 Passivo e patrimônio líquido Nota 2013 2012 Circulante Circulante Caixa

Leia mais

RBS Participações S.A. e empresas controladas

RBS Participações S.A. e empresas controladas Demonstrações consolidadas do resultado Exercícios findos em 31 de dezembro Em milhares de reais, exceto valor por ação (Tradução livre do original em inglês) Nota 2014 2013 Receita líquida 18 (a) 487.758

Leia mais

Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL

Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2011 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores e Acionistas HTL

Leia mais

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52 CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA Evolução das Normas de Contabilidade aplicadas no EUA Critérios Contábeis brasileiros e americanos (USGAAP) Objetivos da conversão de demonstrações contábeis

Leia mais

Demonstrações Contábeis Cimento Tupi S.A. e Empresas Controladas

Demonstrações Contábeis Cimento Tupi S.A. e Empresas Controladas Demonstrações Contábeis Cimento Tupi S.A. e Empresas Controladas 31 de dezembro de 2011 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis Demonstrações contábeis 31 de dezembro

Leia mais

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89 01 - CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia, com sede em Gravataí (RS) e unidade industrial em Glorinha (RS), tem por objeto a industrialização, comércio, importação, exportação e beneficiamento de aços e metais,

Leia mais

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 54 RELATÓRIO ANUAL GERDAU 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 GERDAU S.A. e empresas controladas BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

Leia mais

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ).

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 25 de Outubro de 2005. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). (Os

Leia mais

Demonstrações Financeiras BK Brasil Operações e Assessoria a Restaurantes S.A. 31 de dezembro de 2013 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras BK Brasil Operações e Assessoria a Restaurantes S.A. 31 de dezembro de 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras BK Brasil Operações e Assessoria a Restaurantes S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes sobre as

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2012. Resolução comentada da prova de Contabilidade Prof. Milton M. Ueta. Analista-Contabilidade

DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2012. Resolução comentada da prova de Contabilidade Prof. Milton M. Ueta. Analista-Contabilidade DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2012 Resolução comentada da prova de Contabilidade Prof. Milton M. Ueta Analista-Contabilidade 1 Primeiramente, é necessário Apurar o Resultado pois, como

Leia mais

Copobras da Amazônia Industrial de Embalagens Ltda.

Copobras da Amazônia Industrial de Embalagens Ltda. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 7) 1.440 1.112 Fornecedores(Nota 14) 3.537 4.353 Contas a receber

Leia mais

Altus Sistemas de Automação S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2014

Altus Sistemas de Automação S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2014 Altus Sistemas de Automação S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2014 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos

Leia mais

Abril Comunicações S.A.

Abril Comunicações S.A. Abril Comunicações S.A. e empresas controladas DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS em 31 de Dezembro de 2012 e Relatório dos Auditores Independentes Abril Comunicações S.A. e empresas controladas DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00839-7 MANGELS INDUSTRIAL S.A. 61.065.298/0001-02 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00839-7 MANGELS INDUSTRIAL S.A. 61.065.298/0001-02 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Exercício/período findo em 31 de dezembro Receita líquida (Nota 14) 13.913 Custo

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

Normas Internacionais de Relatório Financeiro Modelo de demonstrações financeiras para 2009

Normas Internacionais de Relatório Financeiro Modelo de demonstrações financeiras para 2009 Normas Internacionais de Relatório Financeiro Modelo de demonstrações financeiras para 2009 2 Demonstrações financeiras para o exercício findo em 31 de dezembro de 2009 As demonstrações financeiras, modelo

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos Tópicos do Estudo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (Doar). Uma primeira tentativa de estruturar

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ITG 1000

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ITG 1000 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ALCANCE 1.... estabelece critérios e procedimentos específicos a serem observados pelas entidades

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - Encalso Participações em Concessões S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - Encalso Participações em Concessões S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Yuny Incorporadora S.A. Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 e 2012

Leia mais

Salus Infraestrutura Portuária S.A.

Salus Infraestrutura Portuária S.A. Salus Infraestrutura Portuária S.A. Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Deloitte

Leia mais

Demonstrações Financeiras Azul S.A. 31 de dezembro de 2013, 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Azul S.A. 31 de dezembro de 2013, 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Azul S.A. 2013, 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras 2013, 2012 e 2011 Índice Relatório dos auditores independentes...1 Demonstrações

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Demonstrações Financeiras Estácio Participações S.A.

Demonstrações Financeiras Estácio Participações S.A. Demonstrações Financeiras Estácio Participações S.A. 31 de dezembro de 2011 e 2010 com Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Demonstrações financeiras individuais e consolidadas

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 . (Companhia em fase pré-operacional) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 KPDS 80296 Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008 TEXTO INTEGRAL DA, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA DELIBERAÇÃO CVM Nº 624, DE 28 DE JANEIRO DE 2010 (DOCUMENTO DE REVISÃO CPC Nº 01) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 03 do Comitê de Pronunciamentos

Leia mais

Banco Volkswagen S.A. Demonstrações financeiras consolidadas em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes

Banco Volkswagen S.A. Demonstrações financeiras consolidadas em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras consolidadas em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes Aos administradores Banco Volkswagen S.A. Examinamos as demonstrações

Leia mais

Demonstrações Financeiras Medise Medicina Diagnóstico e Serviços S.A.

Demonstrações Financeiras Medise Medicina Diagnóstico e Serviços S.A. Demonstrações Financeiras Medise Medicina Diagnóstico e Serviços S.A. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório auditores independentes

Leia mais

ADOÇÃO DO IFRS PELO GRUPO GERDAU GERALDO TOFFANELLO DIRETOR CORPORATIVO CONTÁBIL

ADOÇÃO DO IFRS PELO GRUPO GERDAU GERALDO TOFFANELLO DIRETOR CORPORATIVO CONTÁBIL ADOÇÃO DO IFRS PELO GRUPO GERDAU GERALDO TOFFANELLO DIRETOR CORPORATIVO CONTÁBIL Outubro/2009 Agenda Adoção do IFRS pelo Grupo Gerdau GRUPO GERDAU EXPERIÊNCIA IFRS / CPC BENEFÍCIOS PARA O GRUPO GERDAU

Leia mais

IESA ÓLEO & GÁS S.A. Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008

IESA ÓLEO & GÁS S.A. Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Conteúdo Balanços Patrimoniais

Leia mais

Demonstrações Contábeis Consolidadas em IFRS. Dezembro de 2014

Demonstrações Contábeis Consolidadas em IFRS. Dezembro de 2014 Demonstrações Contábeis Consolidadas em IFRS Dezembro de 2014 Índice Geral Pág. Relatório dos Auditores Independentes 02 Demonstrativos Contábeis 05 Notas Explicativas da Administração 11 Relatório dos

Leia mais

Demonstrações Financeiras Arezzo Indústria e Comércio S.A.

Demonstrações Financeiras Arezzo Indústria e Comércio S.A. Demonstrações Financeiras Arezzo Indústria e Comércio S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2014 Índice Relatório dos

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

Ativo 2012 2011 Passivo e patrimônio líquido 2012 2011

Ativo 2012 2011 Passivo e patrimônio líquido 2012 2011 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 5) 45.431 15.305 Financiamentos e empréstimos (Nota 12) 71.389 40.388

Leia mais

Demonstrações Financeiras Auditadas Unidas S.A. e Empresas Controladas. 31 de dezembro de 2008 e 2007 com Parecer dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Auditadas Unidas S.A. e Empresas Controladas. 31 de dezembro de 2008 e 2007 com Parecer dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Auditadas Unidas S.A. e Empresas Controladas com Parecer dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras auditadas Índice Parecer dos auditores independentes... 1 Demonstrações

Leia mais

2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais

2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais Conteúdo 1 Introdução... 1 2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais... 1 3 Questão 32 Natureza das contas... 3 4 Questão 33 Lançamentos - Operações de captação de recursos... 4 5 Questão

Leia mais

Alcoa Alumínio S.A. Demonstrações financeiras consolidadas e individuais em 31 de dezembro de 2011 e relatório dos auditores independentes

Alcoa Alumínio S.A. Demonstrações financeiras consolidadas e individuais em 31 de dezembro de 2011 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras consolidadas e individuais em 31 de dezembro de 2011 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras consolidadas

Leia mais

Comparações entre Práticas Contábeis

Comparações entre Práticas Contábeis IAS 12, SIC-21, SIC-25 SFAS 109, I27, muitas questões EITF NPC 25 do Ibracon, Deliberação CVM 273/98 e Instrução CVM 371/02 Pontos-chave para comparar diferenças D i f e r e n ç a s S i g n i f i c a t

Leia mais

Companhia de Marcas e Controladas

Companhia de Marcas e Controladas Companhia de Marcas e Controladas Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Deloitte Touche

Leia mais

Aqua-Rio Aquário Marinho do Rio de Janeiro S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de

Aqua-Rio Aquário Marinho do Rio de Janeiro S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de Aqua-Rio Aquário Marinho do Rio de Janeiro S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Relatório

Leia mais

Lojas Americanas S.A.

Lojas Americanas S.A. 1. Contexto operacional A Lojas Americanas S.A. ("LASA" ou a "Companhia") é uma sociedade anônima de capital aberto com ações negociadas na Bolsa de Valores do Estado de São Paulo sob os códigos LAME3

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas Pro Forma. GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A.

Demonstrações Financeiras Consolidadas Pro Forma. GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A. Demonstrações Financeiras Consolidadas Pro Forma GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A. com Parecer dos Auditores Independentes DFC-81 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS PRO FORMA Índice Parecer dos Auditores

Leia mais

Demonstrações Financeiras Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes... 1 Demonstrações financeiras

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

Demonstrações Financeiras Azul S.A. 31 de dezembro de 2014, 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Azul S.A. 31 de dezembro de 2014, 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Azul S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes...1 Demonstrações financeiras auditadas Balanços patrimoniais...3

Leia mais

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações Objectivo No âmbito do processo de adopção plena das Normas Internacionais de Contabilidade e de Relato Financeiro ("IAS/IFRS") e de modo a apoiar as instituições financeiras bancárias ("instituições")

Leia mais

RELATÓRIO DE ADMINISTRAÇÃO. Exercício de 2009. Exercício de 2010

RELATÓRIO DE ADMINISTRAÇÃO. Exercício de 2009. Exercício de 2010 1 - Mensagem da Administração Senhores Acionistas, A administração da Concessão Metroviária do Rio de Janeiro tem o prazer de encaminhar para apreciação de V.Sas. o Relatório de Administração e as Demonstrações

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01764-7 EMBRATEL PARTICIPAÇÕES S.A 02.558.124/0001-12 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01764-7 EMBRATEL PARTICIPAÇÕES S.A 02.558.124/0001-12 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

PARTICIPAÇÕES INDUSTRIAIS DO NORDESTE S.A.

PARTICIPAÇÕES INDUSTRIAIS DO NORDESTE S.A. PARTICIPAÇÕES INDUSTRIAIS DO NORDESTE S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013 Demonstrações Financeiras Em 31 de Dezembro de 2014 e 2013 Conteúdo Relatório da Administração Relatório

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012 CIRCULANTE 67.424 76.165 DISPONIBILIDADES 4 5.328 312 TITULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INTRUMENTOS

Leia mais

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011 ASSOCIAÇÃO DIREITOS HUMANOS EM REDE QUADRO I - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em reais) Nota Nota ATIVO Explicativa PASSIVO Explicativa CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa 4 3.363.799

Leia mais

EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/03/1999 01462-1 GLOBO CABO S.A. 00.108.786/0001-65

EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/03/1999 01462-1 GLOBO CABO S.A. 00.108.786/0001-65 08.01 - COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO NO TRIMESTRE A Globo Cabo é a maior operadora de TV a Cabo no Brasil, com participação acionária em 18 sistemas de TV a Cabo e 1 de MMDS, incluindo as três

Leia mais

Paraná Equipamentos S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos

Paraná Equipamentos S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte BALANÇO PATRIMONIAL 1. CRITÉRIO DE DISPOSIÇÃO DAS CONTAS NO ATIVO E NO PASSIVO (ART. 178 DA LEI 6.404/76): a. No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais