I CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM TABAGISMO DISCIPLINA DE PNEUMOLOGIA - ESCOLA MÉDICA DE PÓS-GRADUAÇÃO - PUC RIO AVALIAÇÃO CLÍNICA INICIAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM TABAGISMO DISCIPLINA DE PNEUMOLOGIA - ESCOLA MÉDICA DE PÓS-GRADUAÇÃO - PUC RIO AVALIAÇÃO CLÍNICA INICIAL"

Transcrição

1 Cristina Cantarino Pneumologista Coordenadora do Centro de Estudos para Tratamento da Dependência à Nicotina do INCA Coordenadora Municipal do Controle de Tabagismo de Niterói Coordenadora da Clínica de Tratamento do Fumante do Centro Médico Procordis Niterói (PROO2)

2 INFORMAÇÃO IMPORTANTE 70% dos fumantes desejam parar de fumar Entre os que recaem, 2/3 desejam tentar novamente em 30 dias Fiore, DESAFIOS DA Identificar os fumantes sinal vital documentar no prontuário alerta o profissional de saúde aumentando a taxa de abordagem (A) Avaliar integralmente as pessoas fumantes. conhecer quem está atrás do cigarro Oferecer o tratamento mais adequado para cada indivíduo. individualizar o tratamento, inclusive nos grupos

3 Importância da Identificação do fumante Sistema de screening nº de braços OR (95% IC) taxa estimada da intervenção do clínico (95% IC) Sem screening na US para identificar fumante Com sistema de screening na US para identificar Fumante ( ) Tabela: Impacto da existência de um sistema de identificação de fumantes numa unidade de saúde (US) sobre a taxa de intervenção dos clínicos com os pacientes fumantes. Fiore, 2008

4 clínica rede de apoio tabagística tabágica estilo de vida

5 Identificar : DTR, fatores dificultadores, C.I. para uso de medicamentos Clínica Idade, sexo, estado civil, escolaridade, profissão Doenças relacionadas ao tabagismo já instaladas DPOC, DCV, câncer, outras Importância dos sintomas( tosse, expectoração, chiado dispnéia, dor torácica, palpitações, claudicação intermitente, tonteiras). Valorizar benefícios com a cessação Co-morbidades ( psiquiátricas: ansiedade - depressão - alcoolismo, HAS, asma, DM, d. renal, d. hepática, d.dermatológica, alergias, uso de outras drogas, peso corporal) Existência de contra-indicações para tratamento farmacológico (convulsão,anorexia, bulimia, uso de inibidor da MAO - bupropiona)

6 Identificar : clínica Interações medicamentosas: Bupropiona ciclofosfamida,cimetidina, anti-depressivos tricíclicos, alguns beta bloqueadores Situações que demandam cautela no uso de medicamentos ( gravidez, amamentação, IAM recente, arritmias graves, adolescentes, idosos) O controle de outras d. crônicas e usar para integrar o tratamento de tabagismo. O momento mais adequado p/ solicitar os exames de rotina medo do resultado fuga do tratamento

7 Atenção : clínica Desordens psiquiátricas são mais freqüentes entre fumantes do que na população geral % dos que procuram tratamento de tabagismo podem ter passado de depressão 20% ou + podem ter passado de abuso ou dependência do álcool 70% ou + dos etilistas fumam Fiore MC et al. Treating Tobacco Use and Dependence: 2008 Update. Clinical Practice Guideline. Rockville,MD:US. Department of Health and Human Services. Public Health Service. May 2008

8 Perfil do fumante: tabagística motivação para a cessação do tabagismo (P&C) pronto para a ação? grau de dependência à nicotina (Fagerströn) idade que começou a fumar e o nº de cigarros fumados por dia importância do cigarro na vida ( solidão, ansiedade, ociosidade, recreio) tentativas anteriores de cessação: quantas? ( sem /com ajuda, uso de medicamentos, sintomas de síndrome de abstinência) motivo da recaída? Usar como aprendizagem.

9 tabagística MAIOR RISCO DE RECAÍDA Variáveis associadas com taxas de abstinência mais baixas VARIÁVEIS EXEMPLOS Alto grau de dependência à nicotina fumante de 20 ou mais cig/ dia, e/ou fuma o 1º cig até 30 minutos após acordar Co-morbidade psiquiátrica e uso de drogas fumantes têm mais depressão, abuso de álcool, e esquizofrenia Alto nível de stress circunstâncias estressantes de vida e/ou grandes mudanças na vida ( divórcio, troca de emprego) Exposição à outros fumantes convivência com fumantes em casa Fiore, 2008.

10 Ambiente domiciliar: tabagística Perfil dos familiares ( fumantes, ex- fumantes, não fumantes, colaboradores, dificultadores, tabagismo passivo) Ambiente profissional: Permitido X proibido fumar Fumódromo acolhedor X 100% livre do tabaco Convive e almoça com fumantes? Ambiente do círculo social Convive com fumantes? Eventos sociais frequentes, uso de bebida alcoólica?

11 Maior Chance de Sucesso no Tratamento tabagística Variáveis associadas com taxas de abstinência mais altas VARIÁVEIS EXEMPLOS Alta motivação Fumante refere grande motivação para parar Pronto para mudar Fumante pronto para cessar dentro de 1 mês Auto-eficácia Fumante confiante na sua habilidade Moderada - alta de parar Rede social de suporte casa livre do tabaco e amigos não fumam na presença do paciente Fiore, 2008

12 Alimentação saudável estilo de vida Atividade física Importância do lazer Outras fontes de prazer

13 Parar de fumar é contagioso rede de apoio Probability That a Subject Will Quit Smoking According to the Type of Relationship with a Contact Who Quits Smoking, in the Social Network of the Framingham Heart Study. The Collective Dynamics of Smoking in a Large Social Network. / Nicholas A. Christakis, M.D., Ph.D., M.P.H., and James H. Fowler, Ph.D. NEJM,Volume 358: May 22, 2008 number 21

14 rede de apoio Figure. Part of the Social Network from the Framingham Heart Study, with Information about Smoking in 1971 and fumante não fumante NEJM,Volume 358: May 22, 2008 number 21

15 FUMANTE rede de apoio EX FUMANTE

16

A primeira avaliação individual com o paciente

A primeira avaliação individual com o paciente I Encontro de Profissionais de Saúde para Abordagem e Tratamento do Tabagismo na rede SUS 12/09/2012 RJ - INCA A primeira avaliação individual com o paciente Cristina Cantarino Coordenadora do Centro de

Leia mais

A METODOLOGIA DO TRATAMENTO DO TABAGISMO NO SUS

A METODOLOGIA DO TRATAMENTO DO TABAGISMO NO SUS A METODOLOGIA DO TRATAMENTO DO TABAGISMO NO SUS I Encontro de Profissionais de Saúde para Abordagem e Tratamento do Tabagismo na Rede SUS Ricardo Henrique Sampaio Meirelles Divisão de Controle do Tabagismo

Leia mais

Declaração de Conflitos de Interesse

Declaração de Conflitos de Interesse 1 XXII Curso Nacional de Atualização em Pneumologia Rio de Janeiro, 19-21 de abril de 2012 Tabagismo: Como preparar o paciente para o dia D? Quais são os recursos para enfrentar a síndrome de abstinência?

Leia mais

I CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM TABAGISMO DISCIPLINA DE PNEUMOLOGIA - ESCOLA MÉDICA DE PÓS-GRADUAÇÃO - PUC RIO

I CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM TABAGISMO DISCIPLINA DE PNEUMOLOGIA - ESCOLA MÉDICA DE PÓS-GRADUAÇÃO - PUC RIO Cristina Cantarino Pneumologista Coordenadora do Centro de Estudos para Tratamento da Dependência à Nicotina do INCA Coordenadora Municipal do Controle de Tabagismo de Niterói Coordenadora da Clínica de

Leia mais

Tabagismo (dependência de nicotina) Protocolo Clínico

Tabagismo (dependência de nicotina) Protocolo Clínico Tabagismo (dependência de nicotina) Protocolo Clínico O fumante, de Joos van Craesbeeck, 1605. Protocolo da Rede de Atenção Psicossocial, baseado em evidências científicas, para o diagnóstico, a avaliação

Leia mais

Parar de fumar Resumo de diretriz NHG M85 (maio 2011)

Parar de fumar Resumo de diretriz NHG M85 (maio 2011) Parar de fumar Resumo de diretriz NHG M85 (maio 2011) Chavannes NH, Kaper J, Frijling BD, Van der Laan JR, Jansen PWM, Guerrouj S, Drenthen AJM, Bax W, Wind LA traduzido do original em holandês por Luiz

Leia mais

III Jornada Regional sobre drogas ABEAD/MPPE ENTENDENDO O TABAGISMO: A DEPENDÊNCIA E O TRATAMENTO

III Jornada Regional sobre drogas ABEAD/MPPE ENTENDENDO O TABAGISMO: A DEPENDÊNCIA E O TRATAMENTO III Jornada Regional sobre drogas ABEAD/MPPE ENTENDENDO O TABAGISMO: A DEPENDÊNCIA E O TRATAMENTO IVANA MAGALY LIMA ALENCAR CARVALHEIRA Psicóloga Clínica Hospitalar Neuropsicóloga - CRP 02/8461 Setembro/2010

Leia mais

AÇÕES PARA PROMOÇÃO DA CESSAÇÃO DO TABAGISMO

AÇÕES PARA PROMOÇÃO DA CESSAÇÃO DO TABAGISMO AÇÕES PARA PROMOÇÃO DA CESSAÇÃO DO TABAGISMO Ministério da Saúde - MS Instituto Nacional de Câncer - INCA Coordenação de Prevenção e Vigilância - Conprev Divisão de Programas de Controle do Tabagismo e

Leia mais

PARECER COREN-SP 003/2015 - CT PRCI nº 102.705 Tickets nº 298.347

PARECER COREN-SP 003/2015 - CT PRCI nº 102.705 Tickets nº 298.347 PARECER COREN-SP 003/2015 - CT PRCI nº 102.705 Tickets nº 298.347 Ementa: Paciente fumante. 1. Do fato Profissional Auxiliar de Enfermagem informa que a direção da instituição em que trabalha determinou

Leia mais

Cessação e Tratamento do Tabagismo Mitos e Verdades. Silvia M. Cury Ismael Mônica Andreis

Cessação e Tratamento do Tabagismo Mitos e Verdades. Silvia M. Cury Ismael Mônica Andreis Cessação e Tratamento do Tabagismo Mitos e Verdades Silvia M. Cury Ismael Mônica Andreis Cigarro é droga? Verdade! Cigarro é uma droga poderosa, apesar de ser um produto lícito. O potencial de abuso da

Leia mais

O desafio em ajudar o paciente a parar de fumar TABAGISMO 03/07/2012. Prevalência de Tabagismo no Brasil

O desafio em ajudar o paciente a parar de fumar TABAGISMO 03/07/2012. Prevalência de Tabagismo no Brasil O desafio em ajudar o paciente a parar de fumar Fernanda Miranda de Oliveira Pneumologista TABAGISMO O tabagismo é uma doença crônica, gerada pela dependência física e psicológica da nicotina. Todos os

Leia mais

Efeitos do tabagismo passivo sobre a saúde

Efeitos do tabagismo passivo sobre a saúde Efeitos do tabagismo passivo sobre a saúde Jonathan Samet, MD, MS Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health 2007 Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health O que é Tabagismo Passivo? Fumaça

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Medicina Psicossomática e Psiquiatria

Diretrizes Assistenciais. Medicina Psicossomática e Psiquiatria Diretrizes Assistenciais Medicina Psicossomática e Psiquiatria Versão eletrônica atualizada em fev/2012 TRATAMENTO DE TABAGISMO Indicação: Pacientes tabagistas atendidos na SBIBAE Contraindicação: Não

Leia mais

TRATAMENTO DE DADOS: PESQUISA SOBRE O NÚMERO DE FUMANTES NO CAMPUS DA ULBRA DE GUAÍBA

TRATAMENTO DE DADOS: PESQUISA SOBRE O NÚMERO DE FUMANTES NO CAMPUS DA ULBRA DE GUAÍBA TRATAMENTO DE DADOS: PESQUISA SOBRE O NÚMERO DE FUMANTES NO CAMPUS DA ULBRA DE GUAÍBA Ismael Bridi 1 Carine B. Loureiro 2 Paulo Samarani 3 RESUMO Em pesquisa realizada entre os alunos do campus da ULBRA

Leia mais

COMO AJUDAR SEU PACIENTE A PARAR DE FUMAR Ronaldo Laranjeira Maria Tereza Cruz Lourenço Helena B. Sarnaia

COMO AJUDAR SEU PACIENTE A PARAR DE FUMAR Ronaldo Laranjeira Maria Tereza Cruz Lourenço Helena B. Sarnaia DIAGNÓSTICO & TRATAMENTO - INTERESSE GERAL COMO AJUDAR SEU PACIENTE A PARAR DE FUMAR Ronaldo Laranjeira Maria Tereza Cruz Lourenço Helena B. Sarnaia INTRODUÇÃO Atualmente estima-se que 50% da população

Leia mais

Folha 01/07 DATA: 27/10/2011 DATA:27/10/2011 REVISÕES DATA RESPONSÁVEL 1ª REVISÃO 2ª REVISÃO 3ª REVISÃO 3ª REVISÃO 5ª REVISÃO

Folha 01/07 DATA: 27/10/2011 DATA:27/10/2011 REVISÕES DATA RESPONSÁVEL 1ª REVISÃO 2ª REVISÃO 3ª REVISÃO 3ª REVISÃO 5ª REVISÃO PROTOCOLO CLÍNICO Nº. 06 Folha 01/08 PROTOCOLOS CLÍNICOS Nº. 01/ Serviço de Psiquiatria do Hospital de Clínicas da UFPR. Folha 01/07 : PROTOCOLO CLÍNICO DE TRATAMENTO DO TRANSTORNO DEPRESSIVO SERVIÇO DE:

Leia mais

09:49:35 - Jane Bettiol : Convidado 'Jane Bettiol' entra na sala. 10:00:22 - DC fala para todos: Os chats são realizadas por jornalistas de

09:49:35 - Jane Bettiol : Convidado 'Jane Bettiol' entra na sala. 10:00:22 - DC fala para todos: Os chats são realizadas por jornalistas de 09:49:35 - Jane Bettiol : Convidado 'Jane Bettiol' entra na sala. 10:00:22 - DC fala para todos: Os chats são realizadas por jornalistas de diario.com.br, convidados especiais e pelos usuários. Todas as

Leia mais

TRATAMENTO DO TABAGISMO: o que funciona? TRATAMENTO DO TABAGISMO CONTROLE DO TABAGISMO TRATAMENTO DO TABAGISMO. Carlos A A Viegas POR QUE PARAR?

TRATAMENTO DO TABAGISMO: o que funciona? TRATAMENTO DO TABAGISMO CONTROLE DO TABAGISMO TRATAMENTO DO TABAGISMO. Carlos A A Viegas POR QUE PARAR? : o que funciona? Carlos A A Viegas IX CURSO NACIONAL DE ATUALIZAÇÃO EM PNEUMOLOGIA SBPT - 2008 CONTROLE DO TABAGISMO IMPLEMENTAÇÃO DA CONVENÇÃO QUADRO IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA SABER SAÚDE TRATAMENTO

Leia mais

PREVALÊNCIA DE TABAGISMO E GRAU DE DEPENDÊNCIA ENTRE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA, SEGUNDO TESTE DE FAGERSTRÖM

PREVALÊNCIA DE TABAGISMO E GRAU DE DEPENDÊNCIA ENTRE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA, SEGUNDO TESTE DE FAGERSTRÖM 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA PREVALÊNCIA DE TABAGISMO E GRAU DE DEPENDÊNCIA ENTRE

Leia mais

PREVENÇÃO DAS DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS PREVENIR É PRECISO MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS

PREVENÇÃO DAS DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS PREVENIR É PRECISO MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS PREVENÇÃO DAS DOENÇAS MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS design ASCOM-PMMC PREVENIR É PRECISO DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS No

Leia mais

Os padrões de consumo de crack, álcool e outras drogas e alguns instrumentos de avaliação e codificação

Os padrões de consumo de crack, álcool e outras drogas e alguns instrumentos de avaliação e codificação Os padrões de consumo de crack, álcool e outras drogas e alguns instrumentos de avaliação e codificação Enfª. Lorena Silveira Cardoso Mestranda em Saúde Coletiva do PRPPG - UFES VITÓRIA 2015 Nessa aula

Leia mais

Tratamento de Tabagismo em ambulatórios de Tratamento de abuso de substâncias nos Estados Unidos

Tratamento de Tabagismo em ambulatórios de Tratamento de abuso de substâncias nos Estados Unidos Tratamento de Tabagismo em ambulatórios de Tratamento de abuso de substâncias nos Estados Unidos Cigarette smoking cessation services in outpatient substance abuse treatment programs in the United States

Leia mais

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas. O caso da depressão. Gustavo Pradi Adam

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas. O caso da depressão. Gustavo Pradi Adam Modelo de Atenção às Condições Crônicas Seminário II Laboratório de Atenção às Condições Crônicas O caso da depressão Gustavo Pradi Adam Caso clínico Sempre te Vi, Nunca te Amei Sra. X, 43 anos, sexo feminino,

Leia mais

1. A adoção da auto avaliação como

1. A adoção da auto avaliação como Questionário de Auto avaliação da Saúde Vocal: * Aqui específico para professores, podendo ser adaptado para demais profissões que utilizem a voz. 1. A adoção da auto avaliação como parte integrante dos

Leia mais

CNAP 2015 - Módulo Tabagismo

CNAP 2015 - Módulo Tabagismo XVI Curso Nacional de Atualização em PNEUMOLOGIA - CNAP SBPT 2015 - São Paulo, 17/Abril/2015 CNAP 2015 - Módulo Tabagismo 08h00 08h25: Contribuição do Pneumologista para o Controle do Tabagismo - Luiz

Leia mais

TÍTULO: Perfil dos pacientes tabagistas em tratamento no Programa Municipal de Controle do Tabagismo, em Goiânia

TÍTULO: Perfil dos pacientes tabagistas em tratamento no Programa Municipal de Controle do Tabagismo, em Goiânia TÍTULO: Perfil dos pacientes tabagistas em tratamento no Programa Municipal de Controle do Tabagismo, em Goiânia AUTORES: MARTINS, Karine Anusca Martins; PONTES, Angelita Evaristo Barbosa; VIEIRA, Layana

Leia mais

TABAGISMO. O tema deste informe foi sugerido pelo Laboratorista Edmund Cox

TABAGISMO. O tema deste informe foi sugerido pelo Laboratorista Edmund Cox Informativo Semanal O tema deste informe foi sugerido pelo Laboratorista Edmund Cox O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo.

Leia mais

Cessação do tabagismo e Farmacoterapia. Edward Ellerbeck, MD, MPH

Cessação do tabagismo e Farmacoterapia. Edward Ellerbeck, MD, MPH Cessação do tabagismo e Farmacoterapia Edward Ellerbeck, MD, MPH Juiz de Fora, Brasil October 17, 2011 Mary: Uma mulher de 54 anos na minha clínica Paciente regular nos últimos 5 anos» Realizava o exame

Leia mais

Tratamento farmacológico do tabagismo

Tratamento farmacológico do tabagismo Tratamento farmacológico do tabagismo Sandra Odebrecht Vargas Nunes Heber Odebrecht Vargas Luciana Vargas Alves Nunes Mariane Vargas Nunes Noto SciELO Books / SciELO Livros / SciELO Libros NUNES, SOV.,

Leia mais

PARAR DE FUMAR. Uma decisão saudável. Programa de Controle do Tabagismo

PARAR DE FUMAR. Uma decisão saudável. Programa de Controle do Tabagismo PARAR DE FUMAR Uma decisão saudável Programa de Controle do Tabagismo Você sabe o que tem dentro do cigarro e outros produtos do tabaco? 4720 substâncias tóxicas, incluindo: Nicotina; Alcatrão; Monóxido

Leia mais

Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Comissão de Tabagismo

Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Comissão de Tabagismo Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Comissão de Tabagismo Sessão de Casos Clínicos em Tabagismo: Caso Clínico para Discussão: 2012. Fumante com síndrome metabólica e DPOC * 1 Autores e Instituição:

Leia mais

Implantação de Programas de Combate ao Tabagismo em Hospitais Dr. Marcos Marques Hospital Vita Batel Curitiba/PR História O uso do tabaco surgiu aproximadamente no ano 1000 a.c (América Central). Chegou

Leia mais

Análise dos resultados

Análise dos resultados Análise dos resultados Percepção do estado de saúde Autoavaliação da saúde A avaliação do estado de saúde consiste na percepção que os indivíduos possuem de sua própria saúde. Por conseguinte, é um indicador

Leia mais

Consulta de Enfermagem para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica. Ms. Enf. Sandra R. S. Ferreira

Consulta de Enfermagem para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica. Ms. Enf. Sandra R. S. Ferreira Consulta de Enfermagem para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica Ms. Enf. Sandra R. S. Ferreira O QUE É HIPERTENSÃO ARTERIAL? Condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados

Leia mais

ASMA ASMA ASMA SINTOMAS. Page 1

ASMA ASMA ASMA SINTOMAS. Page 1 ASMA SUBSTÂNCIAS IRRITANTES: produtos de limpeza, sprays, tintas, inseticida, perfumes, poluição atmosférica REMÉDIOS:aspirina, certos anti-inflamatórios bloqueadores beta adrenérgicos Asma é uma inflamação

Leia mais

ao Consumo de Substâncias Psicoativas na População Geral

ao Consumo de Substâncias Psicoativas na População Geral III INQUÉRITO NACIONAL ao Consumo de Substâncias Psicoativas na População Geral Portugal 2012 Casimiro Balsa Clara Vital Cláudia Urbano CESNOVA Centro de Estudos de Sociologia da Universidade Nova de Lisboa

Leia mais

Attemps Among Smokers Unmotivated to Quit.

Attemps Among Smokers Unmotivated to Quit. Universidade Federal de Juiz de Fora Programa de Pós-Graduação em Saúde Área de Concentração Saúde Brasileira Niepen Núcleo Interdisciplinar de Estudos, Pesquisas e Tratamento em Nefrologia Disciplinas:

Leia mais

M-HEALTH. levando a coisa pro lado pessoal. Fran Oliveira

M-HEALTH. levando a coisa pro lado pessoal. Fran Oliveira M-HEALTH levando a coisa pro lado pessoal Fran Oliveira Doenças crônicas não transmissíveis correspondem a 70% das causas de morte; 18 milhões de brasileiros fumam Uma morte a cada 6 segundos no mundo...(who,

Leia mais

Hipertensão, saúde do trabalhador e atenção primária

Hipertensão, saúde do trabalhador e atenção primária Universidade Federal do Rio Grande do Sul Faculdade de Medicina Programa de Saúde Urbana, Ambiente e Desigualdades Hipertensão, saúde do trabalhador e atenção primária Francisco Arsego de Oliveira Serviço

Leia mais

INTERATIVIDADE FINAL EDUCAÇÃO FÍSICA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Atividade física e prevenção às drogas.

INTERATIVIDADE FINAL EDUCAÇÃO FÍSICA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Atividade física e prevenção às drogas. Conteúdo: Atividade física e prevenção às drogas. Habilidades: Perceber a alienação das drogas e alcoolismo como destruidores da convivência e dignidade humana. Drogas O que são drogas? São substâncias,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA DIFICULDADE DE CESSAÇÃO DO TABAGISMO DIANTE DA SÍNDROME DE ABSTINÊNCIA

AVALIAÇÃO DA DIFICULDADE DE CESSAÇÃO DO TABAGISMO DIANTE DA SÍNDROME DE ABSTINÊNCIA AVALIAÇÃO DA DIFICULDADE DE CESSAÇÃO DO TABAGISMO DIANTE DA SÍNDROME DE ABSTINÊNCIA Marina Oliveira Honorato 1 Nelson Bruno de Almeida Cunha 2 Pedro Henrique Araújo da Silva 3 Suellen Emilliany Feitosa

Leia mais

de eficácia em 1 click. c 1

de eficácia em 1 click. c 1 24h de eficácia em 1 click. 1 Relvar ELLIPTA : 1 100/25 mcg 200/25 mcg 1 inalação 1 vez ao dia de eficácia em 1 click. c 1 24h 4 Inalador ELLIPTA 1 º Abra o inalador ELLIPTA Quando você retirar o inalador

Leia mais

Vigilância de fatores de risco: Tabagismo

Vigilância de fatores de risco: Tabagismo Universidade Federal Fluminense Instituto de Saúde da Comunidade MEB Epidemiologia IV Vigilância de fatores de risco: Tabagismo Maria Isabel do Nascimento MEB/ Departamento de Epidemiologia e Bioestatística

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI COORDENAÇÃO GERAL DO PROJETO RONDON/UFVJM EDITAL N.º 10 DE 06 DE ABRIL DE 2011 A COORDENAÇÃO GERAL DO PROJETO RONDON E A PRO-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL torna público que estarão

Leia mais

O TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA QUIMICA

O TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA QUIMICA O TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA QUIMICA Quase todos aqueles que sofrem com a drogadição de um parente ou amigo próximo perguntam se é possível tratar o uso de drogas de um jovem, e, caso este aceitar o tratamento

Leia mais

Resumo Aula 9- Psicofármacos e Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, na adolescência e na idade adulta

Resumo Aula 9- Psicofármacos e Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, na adolescência e na idade adulta Curso - Psicologia Disciplina: Psicofarmacologia Resumo Aula 9- Psicofármacos e Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, na adolescência e na idade adulta Psicofármacos:Transtorno

Leia mais

Dependência do Tabagismo

Dependência do Tabagismo Dependência do Tabagismo Jack E. Henningfield, PhD Johns Hopkins School of Medicine (Escola de Medicina Johns Hopkins) Pinney Associates 2007 Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health (Escola de

Leia mais

NICORETTE. Johnson & Johnson INDUSTRIAL Ltda. Tabletes mastigáveis. 2 e 4 mg de nicotina

NICORETTE. Johnson & Johnson INDUSTRIAL Ltda. Tabletes mastigáveis. 2 e 4 mg de nicotina NICORETTE Johnson & Johnson INDUSTRIAL Ltda mastigáveis 2 e 4 mg de nicotina NICORETTE nicotina APRESENTAÇÕES mastigáveis no sabor Icemint em embalagens com 30 tabletes contendo 2 mg de nicotina ou 4 mg

Leia mais

Orientar trabalhos de pesquisa... Um caso com aplicação na disciplina de Ciências Naturais (9.º ano de escolaridade).

Orientar trabalhos de pesquisa... Um caso com aplicação na disciplina de Ciências Naturais (9.º ano de escolaridade). Orientar trabalhos de pesquisa... Um caso com aplicação na disciplina de Ciências Naturais (9.º ano de escolaridade). A operação de interpretação refere-se a inferências e generalizações que podem ser

Leia mais

O TRATAMENTO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA (HAS)

O TRATAMENTO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA (HAS) O TRATAMENTO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA (HAS) ANA CLÁUDIA LIMA RODRIGUES, KARINA FEITAL E VANESSA DINIZ DO NASCIMENTO 1. Introdução O tratamento da Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) inclui estratégias

Leia mais

EPIDEMIOLOGIA DO TABAGISMO. 50 doenças 5 milhões de mortes/ano maioria evitável 200.000 mortes no Brasil CONGRESSO ASMA, DPOC E TABAGISMO SBPT 2007

EPIDEMIOLOGIA DO TABAGISMO. 50 doenças 5 milhões de mortes/ano maioria evitável 200.000 mortes no Brasil CONGRESSO ASMA, DPOC E TABAGISMO SBPT 2007 CONGRESSO ASMA, DPOC E TABAGISMO SBPT 2007 Mesa redonda Tratamento do tabagismo Nossos pulmões não são cinzeiros! Tabagismo no consultório e abordagem em cooperativa médica Luiz Fernando F. Pereira Coordenador

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ SEED UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UEM PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL PDE

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ SEED UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UEM PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL PDE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ SEED UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UEM PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL PDE OBJETO DE APRENDIZAGEM COLABORATIVA Professora PDE: Jakeline da Silva Calixto

Leia mais

O fumo e a saúde: uma atualização

O fumo e a saúde: uma atualização O fumo e a saúde: uma atualização Jonathan M. Samet, MD, MS Diretor do Instituto para Saúde Mental da USC (USC Institute for Global Health) Professor e Presidente do Flora L. Thornton, Departamento de

Leia mais

Projecto Curricular de Escola Ano Lectivo 2008/2009 ANEXO III 2008/2009

Projecto Curricular de Escola Ano Lectivo 2008/2009 ANEXO III 2008/2009 Projecto Curricular de Escola Ano Lectivo 2008/2009 ANEXO III 2008/2009 ÍNDICE Pág. INTRODUÇÃO........ 3 OBJECTIVOS........ 4 ACTIVIDADES/ESTRATÉGIAS...... 4 MATERIAL........ 5 RECURSOS HUMANOS.......

Leia mais

E: Jamie Hunt, PhD; Paula Cupertino, PhD; Peter Friedmann, PhD; Byron Gajewski; PhD; Babalola Faseru, M.D., Edward Ellerbeck, MD, PhD

E: Jamie Hunt, PhD; Paula Cupertino, PhD; Peter Friedmann, PhD; Byron Gajewski; PhD; Babalola Faseru, M.D., Edward Ellerbeck, MD, PhD Kim Richter, PhD E: Jamie Hunt, PhD; Paula Cupertino, PhD; Peter Friedmann, PhD; Byron Gajewski; PhD; Babalola Faseru, M.D., Edward Ellerbeck, MD, PhD Discutir porque é importante o tratamento da dependência

Leia mais

Page 1 EDUCAÇÃO DA EQUIPE DE ATENDIMENTO EDUCAÇÃO DA EQUIPE DE ATENDIMENTO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EM ASMA RELAÇÃO MÉDICO PACIENTE

Page 1 EDUCAÇÃO DA EQUIPE DE ATENDIMENTO EDUCAÇÃO DA EQUIPE DE ATENDIMENTO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EM ASMA RELAÇÃO MÉDICO PACIENTE RELAÇÃO MÉDICO PACIENTE COMUNICAÇÃO ABERTA DESENVOLVIMENTO DE PLANO DE TRATAMENTO CONJUNTO ESTIMULAR O ESFORÇO DO PACIENTE E DA FAMÍLIA NO SENTIDO DA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DOS SINTOMAS EDUCAÇÃO DA EQUIPE

Leia mais

cloxazolam Eurofarma Laboratórios S.A. Comprimido 1 mg e 2 mg

cloxazolam Eurofarma Laboratórios S.A. Comprimido 1 mg e 2 mg cloxazolam Eurofarma Laboratórios S.A. Comprimido 1 mg e 2 mg cloxazolam Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 Comprimido FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES: Embalagens com 20 e 30 comprimidos contendo

Leia mais

Portugal Prevenção e Controlo do Tabagismo em números 2013

Portugal Prevenção e Controlo do Tabagismo em números 2013 ISSN: 2183-0762 Portugal Prevenção e Controlo do Tabagismo em números 2013 Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do Tabagismo www.dgs.pt Portugal. Direção-Geral da Saúde. Direção de Serviços de

Leia mais

O Consumo de Tabaco no Brasil. Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga Ilana Pinsky Ana Cecília Marques Sandro Mitsuhiro

O Consumo de Tabaco no Brasil. Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga Ilana Pinsky Ana Cecília Marques Sandro Mitsuhiro O Consumo de Tabaco no Brasil Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga Ilana Pinsky Ana Cecília Marques Sandro Mitsuhiro 1. Porque esse estudo é relevante? Segundo a Organização Mundial de

Leia mais

Fundação Oswaldo Cruz Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães Departamento de Saúde Coletiva Curso de Especialização em Saúde Pública

Fundação Oswaldo Cruz Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães Departamento de Saúde Coletiva Curso de Especialização em Saúde Pública Fundação Oswaldo Cruz Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães Departamento de Saúde Coletiva Curso de Especialização em Saúde Pública Fábia Castro de Albuquerque Maranhão Lisandra de Lima Rodrigues Ivy Ane

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Prof. Alexandre Vranjac

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Prof. Alexandre Vranjac SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Prof. Alexandre Vranjac O TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA DA NICOTINA PORQUE TRATAR A NICOTINO-DEPENDÊNCIA?

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO

PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO Abordagem e Tratamento do Tabagismo PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO Abordagem e Tratamento do Tabagismo I- Identificação do Paciente Nome: Nº do prontuário:

Leia mais

Poluição Ambiental e Saúde Infantil: a Vulnerabilidade do período Intra-Uterino

Poluição Ambiental e Saúde Infantil: a Vulnerabilidade do período Intra-Uterino Poluição Ambiental e Saúde Infantil: a Vulnerabilidade do período Intra-Uterino Nelson Gouveia Depto. de Medicina Preventiva Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo EVIDÊNCIAS DE EFEITOS DA POLUIÇÃO

Leia mais

PESQUISA 1 PESQUISA 2 PESQUISA 3 PESQUISA 4 PESQUISA 5 PESQUISA 6

PESQUISA 1 PESQUISA 2 PESQUISA 3 PESQUISA 4 PESQUISA 5 PESQUISA 6 Monique e Rita PESQUISA 1 PESQUISA 2 PESQUISA 3 PESQUISA 4 PESQUISA 5 PESQUISA 6 TÍTULO DA PESQUISA AUTORES/ANO Uso de tabaco por estudantes adolescentes portugueses e fatores associados. Fraga, S., Ramos,

Leia mais

Prevenção Cardio vascular. Dra Patricia Rueda Cardiologista e Arritmologista

Prevenção Cardio vascular. Dra Patricia Rueda Cardiologista e Arritmologista Prevenção Cardio vascular Dra Patricia Rueda Cardiologista e Arritmologista Principal causa de morte em todo o mundo Considerada uma EPIDEMIA pela OMS em 2009 Alta mortalidade Alta morbidade = Muitas

Leia mais

Neste texto você vai estudar:

Neste texto você vai estudar: Prevenção ao uso de drogas Texto 1 - Aspectos gerais relacionados ao uso de drogas Apresentação: Neste texto apresentamos questões gerais que envolvem o uso de drogas com o objetivo de proporcionar ao

Leia mais

PARÂMETROS TÉCNICOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE PROGRAMAS DE PROMOÇÃO DA SAÚDE E PREVENÇÃO DE RISCOS E DOENÇAS NA SAÚDE SUPLEMENTAR

PARÂMETROS TÉCNICOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE PROGRAMAS DE PROMOÇÃO DA SAÚDE E PREVENÇÃO DE RISCOS E DOENÇAS NA SAÚDE SUPLEMENTAR PARÂMETROS TÉCNICOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE PROGRAMAS DE PROMOÇÃO DA SAÚDE E PREVENÇÃO DE RISCOS E DOENÇAS NA SAÚDE SUPLEMENTAR I. INTRODUÇÃO A implementação de estratégias e Programas de Promoção da Saúde

Leia mais

Sonolência Excessiva Diurna (SED)

Sonolência Excessiva Diurna (SED) Sonolência Excessiva Diurna (SED) A sonolência é queixa comum, principalmente, entre adolescentes, quase sempre por não desfrutarem de sono satisfatório. Eles dormem poucas horas à noite e, no dia seguinte,

Leia mais

DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA

DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA Propedêutica no Processo de Cuidar na Saúde do Adulto Profª Daniele Domingues Zimon Profª Adriana Cecel Guedes DPOC DPOC é um estado patológico caracterizado pela limitação

Leia mais

Tabagismo e Adolescência. Divisão de Controle do Tabagismo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva INCA/MS

Tabagismo e Adolescência. Divisão de Controle do Tabagismo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva INCA/MS Tabagismo e Adolescência Divisão de Controle do Tabagismo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva INCA/MS Adolescência e Uso de Tabaco A iniciação do tabagismo na adolescência está associada

Leia mais

cloridrato de betaxolol Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999 Solução Oftálmica Estéril Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda.

cloridrato de betaxolol Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999 Solução Oftálmica Estéril Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. cloridrato de betaxolol Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999 Solução Oftálmica Estéril Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE 1 IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO cloridrato

Leia mais

Fundada em 1986. Gestão Comportamental. Educação para a saúde Gestão de crise

Fundada em 1986. Gestão Comportamental. Educação para a saúde Gestão de crise MISSÃO Educar para a prevenção e condução de crises, visando a saúde emocional individual, da família e da organização. Gestão Comportamental Fundada em 1986 PAP - Programa de Apoio Pessoal Atuações em

Leia mais

EFEITO DAS DROGAS NO CORAÇÃO

EFEITO DAS DROGAS NO CORAÇÃO EFEITO DAS DROGAS NO CORAÇÃO Dra. Ana Paula Cabral Ramidan 2º CURSO DE FORMAÇÃO DE AGENTES MULTIPLICADORES EM PREVENÇÃO ÀS DROGAS CORAÇÃO FONTE: http://www.google.com/imgres?imgurl=http://1.bp.blogspot.com/-hrgazxrptx4/tu8antmk2ai/aaaaaaaake0/mkgmvoud1fa/s1600/coracao.jpg&imgrefurl=http://toinhoffilho.blogspot.com/2011/12/cienciasvale-apensa-saber-coracao-uma.html&usg=

Leia mais

PRINCÍPIOS Prevenção e o controle das doenças, especialmente as crônico-degenerativas estimulam desejo

PRINCÍPIOS Prevenção e o controle das doenças, especialmente as crônico-degenerativas estimulam desejo PRINCÍPIOS Prevenção e o controle das doenças, especialmente as crônico-degenerativas estimulam o desejo de participação social direciona as ações para a estruturação de um processo construtivo para melhoria

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA. PROJETO DE LEI Nº 934, DE 2003 (Apenso o Projeto de Lei nº 1.802, de 2003)

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA. PROJETO DE LEI Nº 934, DE 2003 (Apenso o Projeto de Lei nº 1.802, de 2003) COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 934, DE 2003 (Apenso o Projeto de Lei nº 1.802, de 2003) Institui Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico destinada a financiar programas

Leia mais

IX Curso Nacional de Atualização em Pneumologia - SBPT. Discinesia de corda vocal. Diagnóstico diferencial da Asma DISCINESIA DE CORDA VOCAL

IX Curso Nacional de Atualização em Pneumologia - SBPT. Discinesia de corda vocal. Diagnóstico diferencial da Asma DISCINESIA DE CORDA VOCAL IX Curso Nacional de Atualização em Pneumologia - SBPT 18 a 20 de Abril - Rio de Janeiro Discinesia de corda vocal diferencial da Asma d Ávila Melo DISCINESIA DE CORDA VOCAL PASSAGEM DE AR FONAÇÃO PROTEÇÃO

Leia mais

EXCEDRIN. Novartis Biociências S.A. Comprimido revestido 500 mg de paracetamol e 65 mg de cafeína

EXCEDRIN. Novartis Biociências S.A. Comprimido revestido 500 mg de paracetamol e 65 mg de cafeína EXCEDRIN Novartis Biociências S.A. Comprimido revestido 500 mg de paracetamol e 65 mg de cafeína EXCEDRIN paracetamol + cafeína - Embalagens com 1 ou 5 blísteres com 4 comprimidos revestidos. - Embalagens

Leia mais

Doenças Desencadeadas ou Agravadas pela Obesidade

Doenças Desencadeadas ou Agravadas pela Obesidade Doenças Desencadeadas ou Agravadas pela Obesidade Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica ABESO Dra. Maria Edna de Melo CREMESP 106.455 Responsável Científica pelo site

Leia mais

SABADOR. Apresentadora: Renée Sarmento de Oliveira Membro da equipe de Cardiologia/Coronária HBD. Professora de Clínica Médica da UNIRIO

SABADOR. Apresentadora: Renée Sarmento de Oliveira Membro da equipe de Cardiologia/Coronária HBD. Professora de Clínica Médica da UNIRIO SABADOR Prevenção Primária: em quem devemos usar estatina e aspirina em 2015? Apresentadora: Renée Sarmento de Oliveira Membro da equipe de Cardiologia/Coronária HBD Professora de Clínica Médica da UNIRIO

Leia mais

TRATAMENTO DE FUNCIONARIOS E DOCENTES TABAGISTAS DO CENTRO UNIVERSITARIO SERRA DOS ORG?OS (UNIFESO), TERESOPOLIS, RJ, 2011

TRATAMENTO DE FUNCIONARIOS E DOCENTES TABAGISTAS DO CENTRO UNIVERSITARIO SERRA DOS ORG?OS (UNIFESO), TERESOPOLIS, RJ, 2011 PROJETO Nº: 015816 LINHA DE PESQUISA: Genetica aplicada a saude da crianca TITULO TRATAMENTO DE FUNCIONARIOS E DOCENTES TABAGISTAS DO CENTRO UNIVERSITARIO SERRA DOS ORG?OS (UNIFESO), TERESOPOLIS, RJ, 2011

Leia mais

USO DO HIPERDIA NA ATENÇÃO BÁSICA. Dr. EDSON AGUILAR PEREZ

USO DO HIPERDIA NA ATENÇÃO BÁSICA. Dr. EDSON AGUILAR PEREZ Dr. EDSON AGUILAR PEREZ QUADRO ATUAL HIPERTENSÃO ARTERIAL E DIABETES MELLITUS DOENÇAS CRÔNICAS NÃO-TRANSMISSÍVEIS APRESENTANDO A MAIOR MAGNITUDE ELEVADO NÚMERO DE CONSULTAS DE ROTINA, DE EMERGÊNCIA E URGÊNCIA

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Segundo recente relatório da Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (IARC) /OMS (World Cancer Report 2008), o impacto global do câncer mais que dobrou em 30 anos. Estimou-se que, no ano de 2008,

Leia mais

TERAPIA COGNITIVO COMPORTAMENTAL

TERAPIA COGNITIVO COMPORTAMENTAL CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM TABAGISMO TERAPIA COGNITIVO COMPORTAMENTAL BASE METODOLÓGICA, ENFOQUE, TÉCNICAS E FERRAMENTAS MAIS COMUNS FORMAS DE TERAPIA: INDIVIDUAL OU GRUPAL VERA LÚCIA GOMES BORGES CENTRO

Leia mais

Comorbidades Psiquiátricas na Dependência Química

Comorbidades Psiquiátricas na Dependência Química Comorbidades Psiquiátricas na Dependência Química Fernanda de Paula Ramos Psiquiatra Diretora da Villa Janus Especialista em Dependência Química UNIFESP Especialista em Psicoterapia pela UFRGS Coordenadora

Leia mais

LORAX lorazepam I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO. Nome comercial: Lorax Nome genérico: lorazepam

LORAX lorazepam I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO. Nome comercial: Lorax Nome genérico: lorazepam LORAX lorazepam I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Lorax Nome genérico: lorazepam APRESENTAÇÕES Lorax 1 mg ou 2 mg em embalagens contendo 30 comprimidos. VIA DE ADMINISTRAÇÃO: USO ORAL USO

Leia mais

Tratamento do tabagismo : manejo da farmacoterapia e das co-morbidades

Tratamento do tabagismo : manejo da farmacoterapia e das co-morbidades Tratamento do tabagismo : manejo da farmacoterapia e das co-morbidades Interações medicamentosas Carlos Alberto de Barros Franco Professor Titular de Pneumologia da Escola Médica de PósGraduação da PUC-Rio

Leia mais

Administração dos riscos cardiovasculares Resumo de diretriz NHG M84 (segunda revisão, janeiro 2012)

Administração dos riscos cardiovasculares Resumo de diretriz NHG M84 (segunda revisão, janeiro 2012) Administração dos riscos cardiovasculares Resumo de diretriz NHG M84 (segunda revisão, janeiro 2012) traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização para uso e divulgação sem

Leia mais