De MPS/SPI para MDPEK: Objetivos da apresentação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "De MPS/SPI para MDPEK: Objetivos da apresentação"

Transcrição

1 De MPS/SPI para MDPEK: Uma proposta para evolução da área de Melhoria de Processo de Software Clênio F. Salviano CenPRA Centro de Pesquisas Renato Archer e Núcleo ProQualiti gmail.com} Slides versão 1.5 para apresentação em 4 horas.aula no evento ProQualiti CFS , v1.5 1 Objetivos da apresentação Apresentar e discutir: a área atual de Melhoria de Processo de Software (MPS) baseada em Níveis de Maturidade como uma área consolidada, cinco forças para evolução de MPS, uma proposta de evolução de MPS, uma abordagem exemplo para esta proposta de evolução de MPS, outras abordagens para a evolução de MPS e estado atual e trabalhos futuros da proposta. CFS , v1.5 2 (c) Clenio F. Salviano,

2 Agenda da apresentação 1. Melhoria de Processo de Software (MPS) 2. Forças para 3. Proposta de 4. Exemplo de abordagem para proposta de evolução 5. Outras propostas 6. Estado atual e futuro CFS , v Melhoria de Processo de Software (MPS) 2. Forças para 3. Proposta de 4. Exemplo de abordagem para proposta de evolução 5. Outras propostas 6. Estado atual e futuro CFS , v1.5 4 (c) Clenio F. Salviano,

3 Histórico e relações pesquisa/aplicação e estabelecimento/consolidação da MPS Estabelecimento: (+pesquisa/-aplicação) Marco do início: Outubro 1986, Humphrey relaciona 100 questões com níveis de Crosby e cria os níveis de maturidade [Humphrey,2002] Consolidação: (-pesquisa/+aplicação) Marco do início: maio 2002, lançamento dos modelos CMMI v1.1 Evidência: sucesso e impacto do CMMI no mundo, e MPS.BR no Brasil Balanço: pesquisa + pesquisa + aplicação aplicação Situação atual [a partir de 2002]: Consolidação da MPS baseada nos níveis de maturidade do CMM/CMMI CFS , v1.5 5 Proposta de definição para Melhoria de Processo de Software (MPS) ou Software Process Improvement (SPI) é uma abordagem para de uma organização intensiva em software por meio da de processos relevantes baseada no conceito de capacidade de processo (process capability) buscando melhores resultados de negócio tendo como referência um modelo de capacidade e/ou maturidade (na maioria das vezes um nível de maturidade CMM/CMMI ou similar) CFS , v1.5 6 (c) Clenio F. Salviano,

4 Modelo e Tipo de Elementos da MPS Área Referência Conceitual Domínio Requisitos de Modelo Cap/Mat Requisitos de Processo Avaliação processo de uma organização ciclo de de processo avaliação de processo Modelo de Cap. e/ou Maturidade Processo de Avaliação Avaliador Competente Ciclo de Melhoria de Processo Modelo de Negócio CFS , v1.5 7 Como a MPS foi consolidada: CMM/15504/CMMI Modelo [período] /Tipo de elemento Referência Conceitual Requisitos de Modelos Cap/Mat Modelo de Cap. e/ou Maturidade Requisitos de Processo Avaliação CMM [ ] Nível de Maturidade e Área de Processo ISO/IEC [ ] Nível e Perfil de Capacidade CMMI, icmm [ ] Todos: NM, AP, NC e PC CMMI SW-CMM AutomotiveSPICE CMMI-DEV icmm CAF ARC Método Avaliação CBA-IPI SCAMPI Ciclo de Melhoria IDEAL IDEAL Domínio Software Sistemas (e software) Modelo de Negócio Baseado em Credencia Avaliador Modelo da ISO Sistemas (e software) Baseado em Cred. Avaliador Área MPS MPS MPS Legenda: Tipo de elemento: elemento => criou o tipo de elemento CFS , v1.5 8 (c) Clenio F. Salviano,

5 Modelo e Tipos de Elementos da MPS e Exemplos CMM/15504/CMMI/MPS.BR Área MPS Melhoria de Processo de Software Referência Conceitual Nível de Maturidade, Perfil de Capacidade Área de Processo, Nível de Capacidade Domínio Software Sistemas processo de uma organização ciclo de de processo CMMI SW-CMM icmm AutomotiveSPICE CMMI-DEV MR-MPS avaliação de processo Requisitos de Modelo Cap/Mat Modelo de Cap. e/ou Maturidade Requisitos de Processo Avaliação Processo de Avaliação Avaliador Competente Ciclo de Melhoria de Processo IDEAL, , AMP1 CAF ARC CBA-IPI SCAMPI MARES MA-MPS Modelo de Negócio Baseado no credenciamento de avaliador: CMM ISO CMMI MPS.BR CFS , v Melhoria de Processo de Software (MPS) 2. Forças para 3. Proposta de 4. Exemplo de abordagem para proposta de evolução 5. Outras propostas 6. Estado atual e futuro CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

6 Forças para Flexibilidade dos modelos contínuos Generalização de software como mídia para conhecimento Necessidade de identificação dos conceitos básicos Integração e utilização de múltiplos modelos Consolidação da MPS baseada nos níveis de maturidade CMM/CMMI Evolução da Melhoria de Processo de Software Comoditização, globalização e aumento da importância da estratégia Conceitos Básicos, MDPEK e PRO2PI CFS , v Integração de modelos e utilização de múltiplos modelos para a Várias empresas tem utilizado, de forma improvisada ou mesmo de forma separada, mais de um modelo para orientar a, p. ex., CMMI, ISO 9000 e PMBOK. Vários modelos, às vezes para domínios e segmentos mais específicos, tem sido propostos Alguns destes modelos são propostas de integração de outros modelos, p. ex., CMMI-DEV, icmm, ISF for Excellence e Enterprize SPICE Analogia com a indústria automobilística: Modelo único para estabelecer a área e Múltiplos modelos depois da área ser estabelecida CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

7 Flexibilidade dos modelos contínuos A Norma ISO/IEC definiu a arquitetura contínua como uma alternativa à arquitetura estagiada A arquitetura contínua permite que uma organização escolha um perfil de capacidade para orientar a e/ou avaliação de seus processos. A arquitetura estagiada já define um perfil de capacidade (denominado de nível de maturidade). Um nível de maturidade é um (excelente) exemplo de um perfil, para um determinado tipo de organização Apesar do potencial de utilização, pela flexibilidade, a arquitetura contínua ainda não é muito utilizada CFS , v Generalização de software como mídia para conhecimento e trabalhador do conhecimento (1 de 2) A visão de software como um produto tem sido provavelmente um erro. Software deve ser considerado como uma mídia na qual armazenamos conhecimento. Software é a quinta destas mídias: DNA: ~4 bilhões de anos Cérebro: ~2 milhões de anos Ferramentas: ~1 milhão de anos Livros: ~600 anos Software: ~50 anos [Phillip Armour, Of Zeppelins and Jet Planes: Agile Development and the New Paradigm for Software, 2003] CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

8 Generalização de software como mídia para conhecimento e trabalhador do conhecimento (2 de 2) Trabalhador do Conhecimento Uma pessoa cujo trabalho envolve desenvolver e utilizar conhecimento [Peter Drucker, Landmarks of Tomorrow, 1959, anyone who works for a living at the tasks of developing or using knowledge ] "Productive work in today's society and economy is work that applies vision, knowledge and concepts -- work that is based on the mind rather than the hand. [Landmarks of Tomorrow, 1959] the typical business will be knowledge-based, [...] it will be what I call an information-based organization [The Coming of the New Organization, 1988] "The most valuable assets of a 20th-century company were its production equipment. The most valuable asset of a 21st-century institution, whether business or nonbusiness, will be its knowledge workers and their productivity. [Management Challenges for the 21st Century, 1999] CFS , v Necessidade de identificação dos conceitos básicos (1 de 3) SPI tornou-se uma força dominante na indústria global de software. Porém, SPI não é um tópico popular de pesquisa rigorosa, especialmente em universidades. Abordagens (CMMI, Six Sigma, Lean Development e ISO 9001) tem sido evoluída ou adaptada para a engenharia de software largamente sem a participação da comunidade de pesquisa acadêmica. Isto é um problema? Minha resposta é sim. Uma questão que inibe a disseminação destas abordagens nos dias de hoje é que estas abordagens são consideradas competidoras. Na verdade todas elas são baseadas em conceitos e técnica muito similares. O empacotamento obscurece os princípios básicos. Elicitar e refinar princípios básicos é o papel da ciência. [David Card, Research Directions in Software Process Improvement, 2004] CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

9 Necessidade de identificação dos conceitos básicos (2 de 3) Duas áreas, que tratam de generalização de conceitos básicos, podem ser utilizadas: a) Model Driven Engineering MDE (Engenharia dirigida por modelo), que prega que tudo é modelo e devemos utilizar modelos e metamodelos como elementos principais e com isto termos uma interoperabilidade semântica [Bézevin, Favre e outros] b) Semiótica de Peirce, que prega uma relação triádica entre um signo, um objeto e o efeito no interpretante, como base de uma teoria unificada da significação [Charles Sanders Peirce ( )] CFS , v Necessidade de identificação dos conceitos básicos (3 de 3) Modelo é uma representação de um sistema, como uma abstração em relação a um determinado aspecto. Um modelo é documentado na notação de seu metamodelo e este metamodelo define o significfado do modelo e de qual aspecto do sistema ele abstrai. Um modelo deve ser capaz de responder perguntas em relação ao sistema que ele representa. Modelagem é essencial para atividades humanas porque toda ação é precedida pela construção (implícita ou explícita) de um modelo. Modelo, modelagem e ação estão relacionados ao processo de significação. CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

10 Comoditização, globalização e aumento da importância da estratégia (1 de 3) Globalização 3.0 [Thomas L. Friedman, A Brief History of the Globalized World in the Twenty-First Century, 2004] Os níveis 2 e 3 do CMMI e outros modelos possibilitam a disseminação das melhores práticas de desenvolvimento de projetos de software nas organizações e com isto, a comoditização do desenvolvimento de software Os processos de negócio tem sido analisados, padronizados e sua qualidade tem sido verificada. Esta tendência levará à comoditização (commoditization) e em conseqüência à terceirização (outsourcing) em alta escala [Thomas H. Davenport, The Coming Commoditization of Processes, Harvard Business Review, p. 1-8, June 2005] CFS , v Comoditização, globalização e aumento da importância da estratégia (2 de 3) Estratégia nunca foi tão importante [Michael Porter, etc...] Estratégia e Melhoria de Processo: Eficácia Estabelece Metas, Dirige os Investimentos Eficiência Objetivos Estratégicos Confirma Estratégia, Agrega Valor [David Reo, Linking Business with Improvement, SIMPROS 2000] Melhoria de Processo CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

11 Comoditização, globalização e aumento da importância da estratégia (3 de 3) Existe uma divergência entre CMM/CMMI e (algumas) estratégias corporativas [Stan Rifkin, Is there a Misfit between the CMM/CMMI and corporate strategy?, 2005] Existe três estratégias dominantes: a) Excelência operacional b) Inovação de produto c) Intimidade com o cliente [Treacy and Wiersema 1993] Estratégias e o uso do CMM/CMMI: a) Sim b) Não c) Não [Rifkin 2005] E organizações (principalmente as pequenas) orientadas a produtos para múltiplos clientes? CFS , v Forças e MPS Abordagem Força 1: Múltiplos Modelos Força 2: Flex. Mod. Continuo Força 3: de Sw. p/ Conhec. Força 4: Conceitos Básicos Força 5: Comodit. Estratégia MPS/SPI N P P N P Legenda N Não atende P Atende Parcialmente L Atende Largamente F Atende Completamente (Fully) CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

12 Proposta para Flexibilidade dos modelos contínuos Generalização de software como mídia para conhecimento Necessidade de identificação dos conceitos básicos Integração e utilização de múltiplos modelos Consolidação da MPS baseada nos níveis de maturidade CMM/CMMI Evolução da Melhoria de Processo de Software Comoditização, globalização e aumento da importância da estratégia Conceitos Básicos, MDPEK e PRO2PI CFS , v Melhoria de Processo de Software (MPS) 2. Forças para 3. Proposta de 4. Exemplo de abordagem para proposta de evolução 5. Outras propostas 6. Estado atual e futuro CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

13 MDPEK: Conceitos Básicos (1 de 4) descriptive model: represents M 1 (the modeling space) from process capability aspect Process Capability Profile isrepresentedby prescriptive model: gives requirements and orientation for M 0 (the world) Process CFS , v MDPEK: Conceitos Básicos (2 de 4) Nível de Capacidade de Processo (Process Capability Level) Um conjunto de boas práticas genéricas relacionadas a quão bem fazer Exemplos: Gerenciado, Estabelecido/Definido Área de Capacidade de Processo (Process Capability Area) Um conjunto de boas práticas específicas relacionadas a o que fazer independente do quão bem fazer Exemplos: Solução Técnica, Medição, Verificação Perfil de Capacidade de Processo (Process Capability Profile) Um conjunto de áreas de capacidade de processo, cada uma em um nível de capacidade de processo Exemplos: Nível 3 de Maturidade do CMMI, (Solução Técnica no nível 2 e Medição no nível 3) CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

14 MDPEK: Conceitos Básicos (3 de 4) 5: Em Otimização Inovação de Proc. Otimização de Proc. 4: Previsível Medição de Proc. Controle de Proc. 3: Estabelecido Definição de Proc. Implementação Proc. 2: Gerenciado. Ger. da Execução Ger. de Produtos 1: Executado Execução de Proc. 0: Incompleto Níveis de Capacidade e Exemplos de Processos da Exemplo de um Perfil de Capacidade de Processo no nível 3 no nível 3 no nível 2 no nível 4 no nível 2 Gerência de Projeto escopo estimativas planos progresso Elicitação Construção de Requisitos de Software comunicação requisitos necessidade mudança critérios unidades código verificação Teste de Software critérios integração teste regressão Suporte ao Cliente serviços satisfação solicitações necessidades CFS , v MDPEK: Conceitos Básicos (4 de 4) Geraes Class Diagram for MDPEK Basic Concepts (in Ecore) CFS , v1.5 MDPEK Geraes Class Diagram by [Salviano and Figueiredo 2007] 28 (c) Clenio F. Salviano,

15 de MPS/SPI para MDPEK MDPEK para de MPS / SPI { (Engenharia de Processo) (de Software, de Sistema e de qualquer outro Trabalho Humano Intensivo em Conhecimento) Dirigida por (Modelos de Perfis de Capacidade de Processo) (dinâmicos, sistêmicos e específicos) com áreas de processo de vários modelos } { (Melhoria de Processo) (de Projetos de Desenvolvimento de Software) Baseada em (Níveis de Maturidade) (fixos, sistêmicos e universais) dos modelos estagiados SW-CMM, CMMI,...} Referência: C. F. Salviano, Uma proposta orientada a perfis de capacidade de processo para evolução da de processo de software, Tese de doutorado, Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação da Universidade Estadual de Campinas (FEEC-Unicamp), 2006 (em procurar pela palavra-chave: PRO2PI) CFS , v MDPEK (Process Capability Profile) Model-Driven (Process Engineering) for (Software, System and other Knowledge) Worker Intensive Organization (Engenharia de Processo) dirigida por modelos de (Perfis de Capacidade de Processo) para Organizações Intensivas em Trabalhadores de (Software, Sistema e Conhecimento) CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

16 modelo de capacidade de processo (níveis de capacidade e áreas de processo, com propósito, objetivos, resultados, e práticas) outros tipos de modelos (organizados com estruturas próprias) modelo de processo genérico (ciclo de vida, papéis, atividades, e artefatos) modelo do processo da organização (ciclo de vida, papéis, atividades, e artefatos) processo da organização (o que as pessoas fazem) Legenda: A B X Y relacionamento direto entre A e B relacionamento indireto entre X e Y CFS , v modelo de capacidade de processo (níveis de capacidade e áreas de processo, com propósito, objetivos, resultados, e práticas) outros tipos de modelos (organizados com estruturas próprias) Perfil de Capacidade de Processo modelo de processo genérico (ciclo de vida, papéis, atividades, e artefatos) modelo do processo da organização (ciclo de vida, papéis, atividades, e artefatos) processo da organização (o que as pessoas fazem) Legenda: A B X Y relacionamento direto entre A e B relacionamento indireto entre X e Y CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

17 Sinal Aberto Concept Map for MDPEK MDPEK Sinal Aberto Concept Map by Salviano, 2007 Concept Map is graphical tool for capturing, representing, organizing, archiving and creating knowledge [Novak and Canas 2001] CFS , v Melhoria de Processo de Software (MPS) 2. Forças para 3. Proposta de 4. Exemplo de abordagem para proposta de evolução 5. Outras propostas 6. Estado atual e futuro CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

18 Abordagem PRO2PI An Approach oriented by Process Capability Profile to Process Improvement Uma Abordagem orientada a Perfis de Capacidade de Processo para Melhoria de Processo uma abordagem exemplo de MDPEK Referência: [Salviano, 2006] Note: The name PRO2PI uses the number 2 to mean the two PRO (Process Profile) and also as to Process Improvement CFS , v MDPEK Contexto e características de um segmento ou domínio Define Modelo Modelo mais específico Níveis de Capacidade c 5 c 3 c 1 abordagem PRO2PI Perfis de Capacidade de Processo p i p j p k... Áreas de Processo PRO2PI Contexto e objetivos estratégicos da organização e da unidade organizacional Usa PRO2PI ações de de processo processos da unidade organizacional Define Boas PRO2PI práticas Avalia de modelos de Processo resultados de capacidade de desempenho processo mais genéricos resultados de organizacional (SW-CMM, icmm, capacidade de processo ISO/IEC , CMMI-DEV, OPM3, COBIT, escm-sp, MR-MPS...), de outros modelos de referência (ISO 9001, PMBOK, ISO/IEC 12207, SWEBOK, EFQM, PNQ, RUP,...) e/ou de qualquer outra fonte CFS , v Níveis de Capacidade Perfil de Capacidade de Processo Áreas de Processo (c) Clenio F. Salviano,

19 Fases do Ciclo de Melhoria de Processo: Decisão e comprometimento para a Avalia práticas correntes Planeja ações de Inicia ciclo de Realiza ações de Melhoria da Organização Institucionaliza a Prepara institucionalização da CFS , v Referências para o Ciclo de Melhoria de Processo: Decisão e comprometimento para a Contexto e objetivos estratégicos da organização Avalia práticas correntes Planeja ações de Boas práticas de modelos de capacidade de processo (SW- CMM, ISO/IEC , icmm, CMMI-DEV, OPM3, COBIT, escm-sp, MR-MPS,...), outros modelos de referência (ISO 9001, PMBOK, ISO/IEC 12207, SWEBOK, EFQM, PNQ, RUP,...), e/ou qualquer outra fonte Inicia ciclo de Realiza ações de Melhoria da Organização Institucionaliza a Prepara institucionalização da Experiências e resultados de outras organizações CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

20 Perfil para o Ciclo de Melhoria de Processo: Decisão e comprometimento para a Contexto e objetivos estratégicos da organização Avalia práticas correntes Planeja ações de Boas práticas de modelos de capacidade de processo (SW- CMM, ISO/IEC , icmm, CMMI-DEV, OPM3, COBIT, escm-sp, MR-MPS,...), outros modelos de referência (ISO 9001, PMBOK, ISO/IEC 12207, SWEBOK, EFQM, PNQ, RUP,...), e/ou qualquer outra fonte Inicia ciclo de Define e utiliza PRO2PI PRO2PI Realiza ações de Melhoria da Organização Institucionaliza a Prepara institucionalização da Experiências e resultados de outras organizações CFS , v PRO2PI-CYCLE: Ciclo de Melhoria de Processo: Decisão e comprometimento para a Contexto e objetivos estratégicos da organização Avalia práticas correntes Planeja ações de Boas práticas de modelos de capacidade de processo (SW- CMM, ISO/IEC , icmm, CMMI-DEV, OPM3, COBIT, escm-sp, MR-MPS,...), outros modelos de referência (ISO 9001, PMBOK, ISO/IEC 12207, SWEBOK, EFQM, PNQ, RUP,...), e/ou qualquer outra fonte Inicia ciclo de Define e utiliza PRO2PI PRO2PI Realiza ações de Melhoria da Organização Institucionaliza a Prepara institucionalização da Experiências e resultados de outras organizações CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

21 Propriedades de um PRO2PI Dinâmico pode ser alterado Relevante aos objetivos estratégicos da organização Viável em relação ao estado atual e investimento Específico às características da organização PRO2PI: Perfil de Capacidade de Processo para Melhoria de Processo Oportuno explora oportunidades existentes Rastreável aos modelos relevantes Representativo como um modelo do processo Sistêmico forma um sistema pode ser aplicado a uma parte do PRO2PI CFS , v1.5 aplica-se ao todo do PRO2PI 41 Forças, MPS e MSPEK/PRO2PI Abordagem Força 1: Múltiplos Modelos Força 2: Flex. Mod. Continuo Força 3: de Sw. p/ Conhec. Força 4: Conceitos Básicos Força 5: Comodit. Estrategia MPS/SPI N P P N P MDPEK/PRO2PI F F F F F Legenda N Não atende P Atende Parcialmente L Atende Largamente F Atende Completamente (Fully) CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

22 1. Melhoria de Processo de Software (MPS) 2. Forças para 3. Proposta de 4. Exemplo de abordagem para proposta de evolução 5. Outras propostas 6. Estado atual e futuro CFS , v Outras propostas QuagMap : SPC Compliance Framework Mapping Tool [Software Productivity Consortium website ISF : ISD Brasil - ISF for Excellence - Integrando CobiT, ITIL, CMMI, ISO 9001 e outros [R. Vasques, 2006] UPIMM : Unified Process Improvement Approach for Multi-Model Improvement Environments [Kirwan et al. 2006] IA-SixSigma : The Integrated Approaches to Six Sigma and Domain Practices [Siviy 2006] QMRM : Improving Organizational Performance - The Quandary of Multiple Reference Models [Borland, 2006] icmm/es : Integração de Modelos do icmm [Ibrahim et al. 2001] e Enterprize SPICE [http://www.enterprisespice.com/] Const : Abordagem Constagedeous [Kasse 2004] MARES : Metodologia MARES [von Wangenheim e Salviano 2005] CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

23 Forças, MPS, MSPEK/PRO2PI e outras propostas Abordagem Força 1: Múltiplos Modelos Força 2: Flex. Mod. Continuo Força 3: de Sw. p/ Conhec. Força 4: Conceitos Básicos Força 5: Comodit. Estratégia MPS/SPI N P P N P QuagMap L P L P P ISF L P P P L UPIMM L N P P L IA-SixSigma L N P P L QMRM L N P P L icmm/es P L P N P Const N P P N P MARES P F N N L MDPEK/PRO2PI F F F F F Legenda Legenda N Não atende L Atende Largamente CFS , v1.5 P Atende Parcialmente F Atende Completamente (Fully) Melhoria de Processo de Software (MPS) 2. Forças para 3. Proposta de 4. Exemplo de abordagem para proposta de evolução 5. Outras propostas 6. Estado atual e futuro CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

24 Situação Atual Experiência com versões de MDPEK e PRO2PI Proposta, identificação e versões dos elementos principais, e validação preliminar propriedades e medições para as propriedades modelo unificado e metamodelo abordagem para e método para início em MPE [Salviano 2006] Continuação do desenvolvimento com: Conceitos básicos (Diagrama de classes Geraes ) e Definição de MDPEK ( Sinal Aberto Concept Map) [Salviano e Figueiredo 2007, Salviano 2007] CFS , v Trabalhos futuros Evolução e experiências com MDPEK e PRO2PI Participação em outros projetos Construção conjunta de uma visão de futuro, evoluindo MDPEK em torno de: Um mercado de conjuntos de áreas de capacidade de processo, cada um codificando boas práticas com propósitos específicos Cada organização construindo uma estratégia com a escolha de conjuntos de áreas de capacidade de processo alinhadas com esta estratégia e realizando a de processo CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

25 1. Melhoria de Processo de Software (MPS) 2. Forças para 3. Proposta de 4. Exemplo de abordagem para proposta de evolução 5. Outras propostas 6. Estado atual e futuro CFS , v Revisão da apresentação a área atual de Melhoria de Processo de Software (MPS) baseada em Níveis de Maturidade é uma área consolidada, existem cinco forças para evolução de MPS, MDPEK é uma proposta de evolução de MPS, PRO2PI é uma abordagem exemplo para a proposta MDPEK de evolução de MPS, existem outras abordagens para a evolução de MPS e MDPEK e PRO2PI estão em desenvolvimento. CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

26 Referências para MDPEK/PRO2PI (1 de 2) [Salviano 2006a] C. F. Salviano, Uma proposta orientada a perfis de capacidade de processo para evolução da de processo de software, Tese de doutorado, Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação da Universidade Estadual de Campinas (FEEC-Unicamp), 2006 (acessível em procurar pela palavra-chave: PRO2PI) [Salviano and Jino 2006a] Salviano, C. F., Jino, M.: Uma Proposta Orientada a Perfis de Capacidade de Processo para Evolução da Melhoria de Processo de Software. In: Anais do Quinto Simpósio Brasileiro de Qualidade de Software (SBQS), Vitória, ES, Brasil, 2006, p [Salviano et al. 2004] C. F. Salviano, M. Jino and M. J. Mendes, Towards an ISO/IEC Based Process Capability Profile Methodology for Process Improvement (PRO2PI), in Proceedings of SPICE 2004, Lisbon, Portugal, p , April 28-29, [Salviano and Jino 2004] C. F. Salviano and M. Jino, Using Continuous Modes as Dynamic and Specific Staged Models, slides from presentation at Fourth Annual CMMI Technology Conference and Users Group, Denver, USA, November CFS , v Referências para MDPEK/PRO2PI (2 de 2) [Salviano and Jino 2006b] Salviano, C. F., Jino, M.: Towards a {(Process Capability Profile)-Driven (Process Engineering)} as an Evolution of Software Process Improvement. In: EuroSPI - European Software Process Improvement - Industrial Proceedings. Joensuu University, Joensuu, Finland, v. 1. p [Salviano 2006b] Salviano, C. F., Como Iniciar uma Melhoria Viável e Necessária em uma Micro ou Pequena Organização de Software, slides de tutorial apresentado no III Software Engineering Process Group Latinoamericano Conference, São Paulo, SP, Brasil, 2006 [Salviano and Figueiredo 2007] Salviano, C. F. and Figueiredo, A. M. C. M., A Proposal for a Unified Underlying Basic Concept of Process Capability Model, Technical Report, 2007 [Salviano 2007a] Salviano, C. F., From SPI to MDPEK: A Conceptual Map towards a Model-Driven Process Engineering for Knowledge Workers as an evolution of the Current Software Process Improvement, Technical Report, [Salviano 2007b] Salviano, C. F., De MPS/SPI para MDPEK: Uma proposta para evolução da área de Melhoria de Processo de Software, Slides versão 1.5 para apresentação em 4 horas.aula no evento ProQualiti, em Recife, PE, Brasil 2 de Novembro de 2007 (esta apresentação). CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

27 Na sociedade do conhecimento as pessoas precisam aprender a aprender [e] as matérias [a serem aprendidas] podem ser menos importantes que a capacidade dos estudantes para [identificar as matérias a serem aprendidas,] continuar aprendendo e a sua motivação para faze-lo Peter Drucker 1992 Na sociedade do conhecimento as organizações precisam aprender a melhorar o processo, e as áreas de processos a serem melhoradas podem ser menos importantes que a capacidade das organizações para identificar as áreas de processo a serem melhoradas, continuar a do processo e a sua motivação para faze-lo Visão MDPEK/PRO2PI Obrigado pela atenção! Perguntas, Comentários, Idéias? CFS , v (c) Clenio F. Salviano,

PRO2PI: Perfis de Capacidade de Processo para Melhoria de Processo

PRO2PI: Perfis de Capacidade de Processo para Melhoria de Processo # Programa Brasileiro de EQPS - Belém, PA Qualidade e Produtividade 23-24 de novembro de 26 Projeto 4.7, Ciclo 25 3º lugar PRO2PI: Perfis de Capacidade de Processo para Melhoria de Processo Clenio F. Salviano

Leia mais

Uma Proposta Orientada a Perfis de Capacidade de Processo para Evolução da Melhoria de Processo de Software

Uma Proposta Orientada a Perfis de Capacidade de Processo para Evolução da Melhoria de Processo de Software Departamento de Engenharia de Computação e Automação Industrial Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação Universidade Estadual de Campinas DCA FEEC Unicamp Tese de Doutorado Março 2006 Orientador:

Leia mais

Uma Experiência de Capacitação e Início de Melhoria de Processo de Software com o Método PRO2PI-WORK

Uma Experiência de Capacitação e Início de Melhoria de Processo de Software com o Método PRO2PI-WORK Uma Experiência de Capacitação e Início de Melhoria de Processo com o Método PRO2PI-WORK Flávia de Petri 1,4, Juliana Rodrigueiro 1,4, Luiz Mapelli 2,4, Vera Lúcia Oliveira 2,4 e Clênio F. Salviano 3,4,5

Leia mais

De MPS/SPI para MDPEK: Objetivos da apresentação

De MPS/SPI para MDPEK: Objetivos da apresentação CenPRA Tecnologia da Informação Uma proposta para evolução da área de Melhoria de Processo de Software Clênio F. Salviano CenPRA Centro de Pesquisas Renato Archer e Núcleo ProQualiti clenio.salviano@{cenpra.gov.br,

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE introdução As mudanças que estão ocorrendo nos clientes e nos ambientes de negócios altamente competitivos têm motivado as empresas a modificarem

Leia mais

Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP

Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática na área de Sistemas de Informação UFRJ/IM Pós-Graduado em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas PUC Pós-Graduado

Leia mais

Uma visão pessoal, baseada em processos, para competitividade em software

Uma visão pessoal, baseada em processos, para competitividade em software I DO 2003 - Exportação de Software São Paulo, 08-10 de dezembro de 2003 Painel: A Qualidade nos Produtos e das Fábricas de Software e a Exportação Brasileira Uma visão pessoal, baseada em processos, para

Leia mais

Técnicas para Engenharia de Modelos de Capacidade de Processo de Software

Técnicas para Engenharia de Modelos de Capacidade de Processo de Software Técnicas para Engenharia de Modelos de Capacidade de Processo de Software Alessandra Zoucas, Marcello Thiry Mestrado em Computação Universidade do Vale do Itajaí, UNIVALI São José, Brasil {alessandra.zoucas,

Leia mais

Projeto 2.32, Ciclo 2004

Projeto 2.32, Ciclo 2004 Programa Brasileiro de EQPS, Manaus, AM Qualidade e Produtividade 31 de outubro de 2005 Projeto 2.32, Ciclo 2004 Consolidação de uma Metodologia para Avaliação de Processos de Software (para a melhoria)

Leia mais

V Simpósio Internacional de Recife, PE - Brasil 3-5/11/2003

V Simpósio Internacional de Recife, PE - Brasil 3-5/11/2003 Recife - PE, 3 de novembro de 2003 Tutorial: Introdução aos Modelos CMM, ISO/IEC 15504 (SPICE) e CMMI Clenio F. Salviano (clenio.salviano@cenpra.gov.br) Centro de Pesquisas Renato Archer DMPS: Divisão

Leia mais

Aplicação da ISO/IEC TR 15504 na Melhoria do Processo de Desenvolvimento de Software de uma Pequena Empresa

Aplicação da ISO/IEC TR 15504 na Melhoria do Processo de Desenvolvimento de Software de uma Pequena Empresa Aplicação da ISO/IEC TR 15504 na Melhoria do Processo de Desenvolvimento de Software de uma Pequena Empresa Odair Jacinto da Silva 1, Carlos Alberto Borges 1, Clênio Sampaio Salviano 2, Adalberto N. Crespo

Leia mais

Agenda. Alessandra Zoucas alessandra.zoucas@gmail.com. Marcello Thiry marcello.thiry@gmail.com. Clênio F. Salviano clenio.salviano@cti.gov.

Agenda. Alessandra Zoucas alessandra.zoucas@gmail.com. Marcello Thiry marcello.thiry@gmail.com. Clênio F. Salviano clenio.salviano@cti.gov. Técnicas para Engenharia de Modelos de Capacidade de Processo de Software II Workshop Internacional en Ingeniería de Software Avanzada (II International Workshop ) IWASE, Alessandra Zoucas alessandra.zoucas@gmail.com

Leia mais

Introdução aos Modelos de Capacidade de Processo do CMMI, MPS-BR, ISO/IEC 15504 e outros Clênio F. Salviano e Alfredo Tsukumo

Introdução aos Modelos de Capacidade de Processo do CMMI, MPS-BR, ISO/IEC 15504 e outros Clênio F. Salviano e Alfredo Tsukumo Introdução aos Modelos de Capacidade de Processo do CMMI, MPS-BR, ISO/IEC 15504 e outros Clênio F. Salviano e Alfredo Tsukumo Este tutorial apresenta uma visão geral, estrutura e principais elementos dos

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Unidade IV Introdução aos Padrões de PDS Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo da Unidade 1. CMM / CMMI 2. SPICE 3. ISO 12207 4. MPS/BR CMM - Capability Maturity Model CMM Capability

Leia mais

FAPS: Ferramenta para apoiar Avaliações Integradas de Processos de Software

FAPS: Ferramenta para apoiar Avaliações Integradas de Processos de Software FAPS: Ferramenta para apoiar Avaliações Integradas de Processos de Software Marcello Thiry 1 2, Christiane Gresse von Wangenheim 1 2, Alessandra Zoucas 12, Leonardo Reis Tristão 1 1 (II-MPS.BR) Incremental

Leia mais

APLICAÇÃO DE BOAS PRÁTICAS DE QUALIDADE DE SOFTWARE NO DESENVOLVIMENTO DE UM PROTÓTIPO DE SISTEMA DE REGISTRO ELETRÔNICO EM SÁUDE ASSISTENCIAL

APLICAÇÃO DE BOAS PRÁTICAS DE QUALIDADE DE SOFTWARE NO DESENVOLVIMENTO DE UM PROTÓTIPO DE SISTEMA DE REGISTRO ELETRÔNICO EM SÁUDE ASSISTENCIAL APLICAÇÃO DE BOAS PRÁTICAS DE QUALIDADE DE SOFTWARE NO DESENVOLVIMENTO DE UM PROTÓTIPO DE SISTEMA DE REGISTRO ELETRÔNICO EM SÁUDE ASSISTENCIAL Cristiane Machado de Vargas 1 Ana Marcia Debiasi Duarte 2

Leia mais

Uma Abordagem para a Avaliação de Processos de Desenvolvimento de Software Baseada em Risco e Conformidade

Uma Abordagem para a Avaliação de Processos de Desenvolvimento de Software Baseada em Risco e Conformidade Rafael de Souza Lima Espinha Uma Abordagem para a Avaliação de Processos de Desenvolvimento de Software Baseada em Risco e Conformidade Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial

Leia mais

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI)

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) APARECIDA DE GOIÂNIA 2014 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Áreas de processo por

Leia mais

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro Melhoria de Processo do Software Brasileiro (MPS.BR) SUMÁRIO 1. Introdução 2. Implantação do Programa MPS.BR: 2004 2007 3. Consolidação do Programa MPS.BR: 20082010 4. Conclusão Kival Weber Coordenador

Leia mais

Propondo um Método de Avaliação de Processo de Software em Micro Empresas Incubadas

Propondo um Método de Avaliação de Processo de Software em Micro Empresas Incubadas Propondo um Método de Avaliação de Processo de Software em Micro Empresas Incubadas Kênia Karim Pickler 1, Christiane Gresse von Wangenheim 1, Clenio Figueiredo Salviano 2 1 Universidade do Vale do Itajaí

Leia mais

Método para auxiliar na definição de perfis de capacidade de processo a partir de características organizacionais - PCPM

Método para auxiliar na definição de perfis de capacidade de processo a partir de características organizacionais - PCPM Método para auxiliar na definição de perfis de capacidade de processo a partir de características organizacionais - PCPM Cristiano Schwening SETREM - Sociedade Educacional Três de Maio Av. Santa Rosa,

Leia mais

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos Bacharel em Sistemas de Informação Faculdade de Informática de Presidente Prudente Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) thiago@visioncom.com.br;

Leia mais

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE 1. INTRODUÇÃO 1.1 Finalidade Este documento define um framework de execução de processos de software, denominado Spider-PE (Process Enactment),

Leia mais

O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br

O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br Prof. Pasteur Ottoni de Miranda Junior Disponível em www.pasteurjr.blogspot.com 1-Estrutura do MPS-Br ( Softex, 2009) O MPS.BR1 é um programa mobilizador,

Leia mais

Requisitos para Modelo de Melhoria do Processo de Software nas Micro e Pequenas Empresas

Requisitos para Modelo de Melhoria do Processo de Software nas Micro e Pequenas Empresas Requisitos para Modelo de Melhoria do Processo de Software nas Micro e Pequenas Empresas Tarciane de Castro Andrade Fabrício Gomes de Freitas Jerffeson Teixeira de Souza Universidade Estadual do Ceará

Leia mais

Introdução à Qualidade de Software

Introdução à Qualidade de Software FACULDADE DOS GUARARAPES Introdução à Qualidade de Software www.romulocesar.com.br Prof. Rômulo César (romulodandrade@gmail.com) 1/41 Objetivo do Curso Apresentar os conceitos básicos sobre Qualidade de

Leia mais

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION Prof. Késsia R. C. Marchi Modelos de maturidade Um modelo de maturidade é um conjunto estruturado de elementos que descrevem características de processos efetivos.

Leia mais

MODELOS DE MELHORES GOVERNANÇA DE T.I. PRÁTICAS DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MODELOS DE MELHORES GOVERNANÇA DE T.I. PRÁTICAS DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MODELOS DE MELHORES PRÁTICAS DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MELHORES PRÁTICAS PARA T.I. MODELO DE MELHORES PRÁTICAS COBIT Control Objectives for Information

Leia mais

Programa MPS.BR e Modelo MPS: A Evolução da Qualidade de Software no Brasil

Programa MPS.BR e Modelo MPS: A Evolução da Qualidade de Software no Brasil Programa MPS.BR e Modelo MPS: A Evolução da Qualidade de Software no Brasil 1. Qualidade de Software: motivação para o foco no processo, características dos processos de software e abordagens para melhoria

Leia mais

Modelos de Maturidade: MPS.BR. Aécio Costa

Modelos de Maturidade: MPS.BR. Aécio Costa Modelos de Maturidade: MPS.BR Aécio Costa Criado em 2003 pela Softex para melhorar a capacidade de desenvolvimento de software nas empresas brasileiras. Objetivo: Impulsionar a melhoria da capacidade de

Leia mais

Avaliação e Melhorias no Processo de Construção de Software

Avaliação e Melhorias no Processo de Construção de Software Avaliação e Melhorias no Processo de Construção de Software Martim Chitto Sisson Centro Tecnológico Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Florianópolis SC Brasil martim@inf.ufsc.br Abstract. This

Leia mais

CERTIFICAÇÃO BRASILEIRA DE MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE: O MPS.BR

CERTIFICAÇÃO BRASILEIRA DE MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE: O MPS.BR CERTIFICAÇÃO BRASILEIRA DE MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE: O MPS.BR Leonardo Galvão Daun Universidade Estadual de Maringá leonardo.daun@gmail.com Profª Drª Sandra Ferrari Universidade Estadual de Maringá

Leia mais

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação CobiT 5 Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? 2013 Bridge Consulting All rights reserved Apresentação Sabemos que a Tecnologia da

Leia mais

GTI Governança de TI

GTI Governança de TI GTI Governança de TI Modelos de Melhores Práticas e o Modelo de Governança de TI Governança de TI FERNANDES & ABREU, cap. 4 1 COBIT Control Objectives for Information and Related Technology. Abrangente

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Qualidade de Software André Mesquita Rincon Instituto de Informática/Universidade Federal de Goiás (UFG) Goiânia GO Brasil Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas/Fundação

Leia mais

Programa MPS.BR e Modelo MPS: MPS-RH

Programa MPS.BR e Modelo MPS: MPS-RH Programa MPS.BR e Modelo MPS: MPS-RH Gleison Santos (COPPE) Renato Luiz Della Volpe (ASR Consultoria) Introdução RENATO LUIZ DELLA VOLPE Sócio Diretor da ASR Consultoria e Assessoria em Qualidade Ltda.

Leia mais

Processo de Software

Processo de Software Processo de Software Uma importante contribuição da área de pesquisa de processo de software tem sido a conscientização de que o desenvolvimento de software é um processo complexo. Pesquisadores e profissionais

Leia mais

Programa MPS.BR: resultados e perspectivas

Programa MPS.BR: resultados e perspectivas Programa MPS.BR: resultados e perspectivas Ana Regina Rocha Programa de Engenharia de Sistemas e Computação Coordenadora da Equipe Técnica do Modelo MPS Uma Organização com bom desempenho gasta 80% de

Leia mais

Qualidade de Processo de Software. Implementação de Melhoria de Processos de Software

Qualidade de Processo de Software. Implementação de Melhoria de Processos de Software Qualidade de Processo de Software Implementação de Melhoria de Processos de Software Sumário Conceitos de Melhoria de Processos de Software (MPS) Implementação de Processos com Modelos e Normas de Qualidade

Leia mais

Um Framework para definição de processos de testes de software que atenda ao nível 3 do TMM-e

Um Framework para definição de processos de testes de software que atenda ao nível 3 do TMM-e JEANE MENDES DA SILVA SANTOS Um Framework para definição de processos de testes de software que atenda ao nível 3 do TMM-e Plano de Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Universidade Federal de

Leia mais

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Profa. Celia Corigliano Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Agenda da disciplina Unidade I Gestão de Projetos Unidade II Ferramentas para Gestão de Projetos Unidade III Gestão de Riscos em TI Unidade

Leia mais

MPS.BR: Melhoria de Processo do Software Brasileiro e dos Resultados de Desempenho

MPS.BR: Melhoria de Processo do Software Brasileiro e dos Resultados de Desempenho l MPS.BR: Melhoria de Processo do Software Brasileiro e dos Resultados de Desempenho SUMÁRIO 1. Introdução Programa MPS.BR e Modelo MPS 2. Programa MPS.BR Resultados Esperados, Resultados Alcançados e

Leia mais

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 1 CobIT Modelo abrangente aplicável para a auditoria e controle de processo de TI, desde o planejamento da tecnologia até a monitoração e auditoria de

Leia mais

Uma Arquitetura de Processos para ISO 9001:2000 e SW- CMM Nível 3

Uma Arquitetura de Processos para ISO 9001:2000 e SW- CMM Nível 3 Uma Arquitetura de Processos para ISO 9001:2000 e SW- CMM Nível 3 Carlo Giovano Pires, Fabiana Marinho, Gabriela Telles, Márcia Sampaio Instituto Atlântico, Rua Chico Lemos, 946, 60822-780, Fortaleza -

Leia mais

www.asrconsultoria.com.br

www.asrconsultoria.com.br www.asrconsultoria.com.br Renato Luiz Della Volpe Sócio Diretor da ASR Consultoria e Assessoria em Qualidade Ltda. Formado em 1983 em Eng. Mecânica pela FEI e Pós-graduação em Administração pela USP 2001.

Leia mais

FACULDADE SENAC GOIÂNIA

FACULDADE SENAC GOIÂNIA FACULDADE SENAC GOIÂNIA NORMA ISO 12.207 Curso: GTI Matéria: Auditoria e Qualidade de Software Professor: Elias Ferreira Acadêmico: Luan Bueno Almeida Goiânia, 2015 CERTIFICAÇÃO PARA O MERCADO BRASILEIRO

Leia mais

Aplicando Avaliações de Contextualização em Processos de Software Alinhados ao nível F do MR-MPS V1.2

Aplicando Avaliações de Contextualização em Processos de Software Alinhados ao nível F do MR-MPS V1.2 Aplicando Avaliações de Contextualização em Processos de Software Alinhados ao nível F do MR-MPS V1.2 Marcello Thiry 1 2, Christiane Gresse von Wangenheim 1 2, Alessandra Zoucas 1 2 1 (II-MPS.BR) Incremental

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Mestre em Informática na área de Sistemas de Informação

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Disciplina: Qualidade de Software Profa. : Kátia Lopes Silva 1 CMM: DEFINIÇÃO Capability Maturity Model Um modelo que descreve como as práticas

Leia mais

Gestão de Projetos CMMI e outros modelos de referência

Gestão de Projetos CMMI e outros modelos de referência Gestão de Projetos CMMI e outros modelos de referência Autora: Ivanise M. Gomes IO SEPG Manager Mercosur General Motors do Brasil, IS&S Agenda Ø Introdução Ø Visão Estratégica Ø Malcolm Baldrige Ø ISO

Leia mais

Projeto 2.32 Consolidação da Metodologia para Avaliação de Processos de Software de MPEs Baseada na Norma ISO/IEC 15504 (SPICE)

Projeto 2.32 Consolidação da Metodologia para Avaliação de Processos de Software de MPEs Baseada na Norma ISO/IEC 15504 (SPICE) Programa Brasileiro de EQPS, Campinas, SP Qualidade e Produtividade 16 e 17 de Setembro de 2004 Projeto 2.32 Consolidação da Metodologia para Avaliação de Processos de Software de MPEs Baseada na Norma

Leia mais

Spider-Appraisal: Uma Ferramenta de Apoio à Avaliação Integrada do MPS.BR e CMMI

Spider-Appraisal: Uma Ferramenta de Apoio à Avaliação Integrada do MPS.BR e CMMI Spider-Appraisal: Uma Ferramenta de Apoio à Avaliação Integrada do MPS.BR e CMMI Jñane Neiva Sampaio de Souza 1, Pedro Afonso Aviz 2, Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira 1,2 1 Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

Dificuldades no desenvolvimento de software Características do mercado de software A participação de Minas Gerais no cenário nacional

Dificuldades no desenvolvimento de software Características do mercado de software A participação de Minas Gerais no cenário nacional Promovendo a Melhoria de Processos e a Qualidade de Software em Minas Gerais Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães, Fernando Silva Parreiras, Frederico Faria Comitê Gestor do SPIN-BH Direitos reservados

Leia mais

Definição de Processo de Software através da Composição de Atributos de Casos Similares

Definição de Processo de Software através da Composição de Atributos de Casos Similares Definição de Processo de Software através da Composição de Atributos de Casos Similares Márcia Maria A. Brasil 1, Mariela Inês Cortés 1 1 Departamento de Estatística e Computação Universidade Estadual

Leia mais

F U N D A Ç Ã O E D U C A C I O N A L S Ã O J O S É. MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI)

F U N D A Ç Ã O E D U C A C I O N A L S Ã O J O S É. MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI) 1 MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI) Teresinha Moreira de Magalhães 1 Lúcia Helena de Magalhães 2 Fernando Machado da Rocha 3 Resumo Este trabalho visa apresentar uma

Leia mais

Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura. O Modelo. Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.

Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura. O Modelo. Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail. Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura O Modelo Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com Agenda O que é? Motivação Organização do MPS.BR Estrutura

Leia mais

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com)

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com) CMMI Conceitos básicos 113 CMMI integra as disciplinas de engenharia de sistemas e de engenharia de software em um único framework de melhoria de processos. 114 No tocante às disciplinas de engenharia

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Aula 05 MPS.BR (ago/12) Melhoria de Processo do Software Brasileiro Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Agenda Descrição sumária do MPS.BR - Melhoria de Processo do Software

Leia mais

APOSTILAS: NORMAS; ABNT NBR ISO; MPS BR

APOSTILAS: NORMAS; ABNT NBR ISO; MPS BR APOSTILAS: NORMAS; ABNT NBR ISO; MPS BR Fonte: http://www.softex.br/mpsbr/_home/default.asp Apostilas disponíveis no site 1 NORMAS: NBR ISO NBR ISO/IEC CMM SPICE Continuação... 2 NORMAS VISÃO GERAL NBR

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Sistemas de Informação Código da Matriz Curricular: 109P1NB

Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Sistemas de Informação Código da Matriz Curricular: 109P1NB Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Sistemas de Informação Código da Matriz Curricular: 109P1NB Plano de Disciplina Ano Letivo: 2013-1 º Semestre Dados da Disciplina Código Disc. Nome

Leia mais

do software Brasileiro

do software Brasileiro Projeto mps Br: melhoria de processo do software Brasileiro SUMÁRIO 1. Introdução 2. O Projeto mps Br 3. Conclusão Project: Bspi Brazilian software process improvement 1 Percepção da Qualidade dos Processos

Leia mais

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Evandro Polese Alves Ricardo de Almeida Falbo Departamento de Informática - UFES Av. Fernando Ferrari, s/n, Vitória - ES - Brasil

Leia mais

Relato da Experiência do Processo de Institucionalização do Modelo CMMI na Dataprev

Relato da Experiência do Processo de Institucionalização do Modelo CMMI na Dataprev Artigos técnicos selecionados Relato da Experiência do Processo de Institucionalização do Modelo CMMI na Dataprev Rosana Fernandes Osório, Guilherme Tavares Motta Coordenação Geral de Qualidade de Software

Leia mais

VANTAGENS DA APLICAÇÃO DO PROGRAMA DE MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE BRASILEIRO MPS.BR NOS AMBIENTES DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

VANTAGENS DA APLICAÇÃO DO PROGRAMA DE MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE BRASILEIRO MPS.BR NOS AMBIENTES DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE 1 VANTAGENS DA APLICAÇÃO DO PROGRAMA DE MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE BRASILEIRO MPS.BR NOS AMBIENTES DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Elvis Ferreira da Silva* Msc. Marta Alves de Souza** Msc. Helder

Leia mais

Introdução ao MPS.BR Guia Geral. Prof. Elias Batista Ferreira

Introdução ao MPS.BR Guia Geral. Prof. Elias Batista Ferreira Introdução ao MPS.BR Guia Geral Prof. Elias Batista Ferreira IMPORTANTE Este NÃO é um curso oficial do MPS.BR. Este curso NÃO é apoiado pela Softex. Objetivo deste Curso Descrever os processos e resultados

Leia mais

Transformação de um Modelo de Empresa em Requisitos de Software

Transformação de um Modelo de Empresa em Requisitos de Software Transformação de um Modelo de Empresa em Requisitos de Software Fábio Levy Siqueira 1 and Paulo Sérgio Muniz Silva 2 1 Programa de Educação Continuada da Poli-USP, São Paulo, Brazil 2 Escola Politécnica

Leia mais

Mapeamento GRH. 1. Introdução

Mapeamento GRH. 1. Introdução Mapeamento GRH 1. Introdução 1.1. Finalidade Este documento tem duas finalidades principais: a) Averiguar semelhanças e diferenças entre modelos, normas e guias de boas práticas para gestão de recursos

Leia mais

Uma Abordagem para a Implementação Multi- Modelos de Qualidade de Software Adotando a CERTICS e o CMMI-DEV

Uma Abordagem para a Implementação Multi- Modelos de Qualidade de Software Adotando a CERTICS e o CMMI-DEV Revista de Sistemas de Informação da FSMA n. 16 (2015) pp. 26-40 Uma Abordagem para a Implementação Multi- Modelos de Qualidade de Software Adotando a CERTICS e o CMMI-DEV Fabrício Wickey da Silva Garcia,

Leia mais

Pós Graduação Engenharia de Software

Pós Graduação Engenharia de Software Pós Graduação Engenharia de Software Ana Candida Natali COPPE/UFRJ Programa de Engenharia de Sistemas e Computação FAPEC / FAT Estrutura do Módulo QUALIDADE DE SOFTWARE - PROCESSO Introdução: desenvolvimento

Leia mais

Avaliação de Processos para Início de Programas de Melhoria em Micro e Pequenas Empresas de Software

Avaliação de Processos para Início de Programas de Melhoria em Micro e Pequenas Empresas de Software Avaliação de Processos para Início de Programas de Melhoria em Micro e Pequenas Empresas de Software Alessandra Anacleto 1, Christiane Gresse von Wangenheim 2 e Clenio F. Salviano 3 1 Universidade Federal

Leia mais

MPS.BR A EXPERIÊNCIA E OS BENEFÍCIOS EM IMPLANTAR O MODELO NOS NÍVEIS G E F:

MPS.BR A EXPERIÊNCIA E OS BENEFÍCIOS EM IMPLANTAR O MODELO NOS NÍVEIS G E F: MPS.BR A EXPERIÊNCIA E OS BENEFÍCIOS EM IMPLANTAR O MODELO NOS NÍVEIS G E F: um estudo de caso. Rodrigo Pereira Assunção 1 Fabrício Pires Vasconcellos 2 RESUMO: Muitas empresas têm buscado no modelo de

Leia mais

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Especialização em Gerência de Projetos de Software Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br Qualidade de Software 2009 Instituto

Leia mais

MBA Gestão da Tecnologia de Informação

MBA Gestão da Tecnologia de Informação MBA Gestão da Tecnologia de Informação Informações: Dias e horários das aulas: Segundas e Terças-feiras das 18h00 às 22h00 aulas semanais; Sábados das 08h00 às 12h00 aulas quinzenais. Carga horária: 600

Leia mais

25/05/2015. Um pouco de história. O Modelo CMMI. Capability Maturity Model Integration (CMMI) Capability Maturity Model (CMM)

25/05/2015. Um pouco de história. O Modelo CMMI. Capability Maturity Model Integration (CMMI) Capability Maturity Model (CMM) DCC / ICEx / UFMG Um pouco de história O Modelo CMMI Na década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo Objetivos Fornecer software

Leia mais

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro l MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro SUMÁRIO 1. Introdução 2. Modelo MPS 3. Programa MPS.BR: Resultados Alcançados (2004-2008) e Resultados Esperados (2004-2010) 4. MPS.BR Lições Aprendidas

Leia mais

Quem Somos CMM/ CMMI. ISO 9000 PNQ ISO 12207 ISO 15504 ITIL Outros modelos. Gestão Sistêmica da. Alinhamento às Diretrizes Organizacionais.

Quem Somos CMM/ CMMI. ISO 9000 PNQ ISO 12207 ISO 15504 ITIL Outros modelos. Gestão Sistêmica da. Alinhamento às Diretrizes Organizacionais. Quem Somos Missão Promover a melhoria e a busca da excelência na gestão organizacional e o aperfeiçoamento contínuo dos processos dos nossos clientes, por meio de modelos e padrões de qualidade adequados

Leia mais

CLEVERSONTPP@GMAIL.COM

CLEVERSONTPP@GMAIL.COM UM BREVE DESCRITIVO DO MODELO MPS-BR (MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE BRASILEIRO) E SUAS PERSPECTIVAS PARA O FUTURO CLÉVERSON TRAJANO PRÉCOMA PORTES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Modelos de Maturidade. Porque estudar um Modelo de Maturidade? Descrevem as características de processos efetivos;

Modelos de Maturidade. Porque estudar um Modelo de Maturidade? Descrevem as características de processos efetivos; Versão 1.1 - Última Revisão 16/08/2006 Porque estudar um Modelo de Maturidade? Segundo o Standish Group, entidade americana de consultoria empresarial, através de um estudo chamado "Chaos Report", para

Leia mais

Fase 1: Engenharia de Produto

Fase 1: Engenharia de Produto Fase 1: Engenharia de Produto Disciplina: Análise de Requisitos DURAÇÃO: 44 h O objetivo principal da disciplina é realizar uma análise das necessidades e produzir um escopo do produto. Representará os

Leia mais

Programa Integrado de Melhoria de Processos de Desenvolvimento de Software Carol Passos

Programa Integrado de Melhoria de Processos de Desenvolvimento de Software Carol Passos Setembro/ 2006 Programa Integrado de Melhoria de Processos de Desenvolvimento de Software Carol Passos PBQP Software - EQPS Fortaleza Agenda Contexto do Programa de Melhoria de Processos da Unitech Objetivos

Leia mais

WAMPS 2009. Gestão Integrada da Melhoria de Processos em Organizações de Software. Ana Regina Rocha Marcelo Mello 19/10/2009

WAMPS 2009. Gestão Integrada da Melhoria de Processos em Organizações de Software. Ana Regina Rocha Marcelo Mello 19/10/2009 WAMPS 2009 Gestão Integrada da Melhoria de Processos em Organizações de Software Ana Regina Rocha Marcelo Mello 19/10/2009 Agenda 1. Objetivos 2. Fundamentação Teórica 3. Organização do Projeto 4. Mapeamento

Leia mais

Definição do Framework

Definição do Framework Definição do Framework 1. Introdução 1.1. Finalidade Este documento tem por finalidade apresentar o mapeamento dos processos de Definição de Processo Organizacional e Avaliação e Melhoria do Processo dos

Leia mais

O Modelo de Maturidade de Processos: como maximizar o retorno dos investimentos em melhoria da qualidade e produtividade.

O Modelo de Maturidade de Processos: como maximizar o retorno dos investimentos em melhoria da qualidade e produtividade. O Modelo de Maturidade de Processos: como maximizar o retorno dos investimentos em melhoria da qualidade e produtividade. Jairo Siqueira 1 Resumo Este estudo apresenta um modelo para avaliação do grau

Leia mais

Qualidade do Processo de Software

Qualidade do Processo de Software CBCC Bacharelado em Ciência da Computação CBSI Bacharelado em Sistemas de Informação Qualidade do Processo de Software Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Tópicos Especiais

Leia mais

Estudo do CMM e do CMMI

Estudo do CMM e do CMMI Estudo do CMM e do CMMI Autores Félix Carvalho Rodrigues fcrodrigues@inf.ufrgs.br Georgina Reategui gg@inf.ufrgs.br Manuela Klanovicz Ferreira mkferreira@inf.ufrgs.br Motivação Grande quantidade de projetos

Leia mais

Engenharia de Software Qualidade de Software

Engenharia de Software Qualidade de Software Engenharia de Software Qualidade de Software O termo qualidade assumiu diferentes significados, em engenharia de software, tem o significado de está em conformidade com os requisitos explícitos e implícitos

Leia mais

UMA ABORDAGEM SOBRE OS PADRÕES DE QUALIDADE DE SOFTWARE COM ÊNFASE EM SISTEMAS PARA WEB

UMA ABORDAGEM SOBRE OS PADRÕES DE QUALIDADE DE SOFTWARE COM ÊNFASE EM SISTEMAS PARA WEB UMA ABORDAGEM SOBRE OS PADRÕES DE QUALIDADE DE SOFTWARE COM ÊNFASE EM SISTEMAS PARA WEB Alan Francisco de Souza¹, Claudete Werner¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil alanfsouza.afs@gmail.com,

Leia mais

Modelagem do Processo de Gerenciamento da Configuração de Software para um Ambiente Integrado

Modelagem do Processo de Gerenciamento da Configuração de Software para um Ambiente Integrado Modelagem do Processo de Gerenciamento da Configuração de Software para um Ambiente Integrado Martha A. D. Abdala Centro Técnico Aeroespacial (CTA) martha@iae.cta.br Resumo Os processos utilizados na engenharia

Leia mais

MBA em Gestão de Empreendimentos Turísticos

MBA em Gestão de Empreendimentos Turísticos Prof. Martius V. Rodriguez y Rodriguez, DSc martius@kmpress.com.br MBA em Gestão de Empreendimentos Turísticos Gestão do Conhecimento e Tecnologia da Informação Gestão do Conhecimento evolução conceitual.

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Disciplina: Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com marcosmoraisdesousa.blogspot.com Sistemas de informação Engenharia de Software II Gerenciamento de Qualidade CMMI e MPS.BR

Leia mais

escm-sp v2 e ISO/IEC 15504 : Um estudo comparativo

escm-sp v2 e ISO/IEC 15504 : Um estudo comparativo escm-sp v2 e ISO/IEC 15504 : Um estudo comparativo Angela M. Alves (CenPRA) angela.alves@cenpra.gov.br Sueli A. Varani Eleutério (CenPRA) sueli.varani@cenpra.gov.br Resumo: O artigo trata de um estudo

Leia mais

Qualidade de software

Qualidade de software Qualidade de software É cada dia maior o número de empresas que buscam melhorias em seus processos de desenvolvimento de software. Além do aumento da produtividade e da diminuição do retrabalho, elas buscam

Leia mais

SIMPROS 2007 03 a 05 Dezembro de 2007

SIMPROS 2007 03 a 05 Dezembro de 2007 Conciliando Modelos: Arquitetura Corporativa, COBIT, PMBOK e CMMI em Harmonia Atila Belloquim Gnosis IT Knowledge Solutions TI E NEGÓCIO 10 entre 10 CIOs hoje estão preocupados com: Alinhar TI ao Negócio;

Leia mais

Aplicando Avaliações de Contextualização em Processos de Software Alinhados ao CMMI-SE/SW

Aplicando Avaliações de Contextualização em Processos de Software Alinhados ao CMMI-SE/SW Aplicando Avaliações de Contextualização em Processos de Software Alinhados ao CMMI-SE/SW Christiane Gresse von Wangenheim 1, Kênia Karim Pickler 1, Marcello Thiry 1, Alessandra Casses Zoucas 1, Clenio

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Engenharia de Software Orientada a Serviços

Leia mais

Década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado.

Década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado. Aécio Costa CMM Década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado. Objetivos Fornecer software de qualidade para o Departamento de Defesa dos EUA Aumentar a capacitação da indústria

Leia mais

Departamento de Produção POLI

Departamento de Produção POLI Departamento de Produção POLI Marcelo Pessoa Mauro Spinola Sarah Kohan Fevereiro 2004 Multiplicidade de Modelos Por que usar um modelo? Modelos atuam como referência para a obtenção de níveis adequados

Leia mais

Gerenciamento de TI. Paulo César Rodrigues

Gerenciamento de TI. Paulo César Rodrigues Gerenciamento de TI Paulo César Rodrigues *Analista de Sistemas; *Tutor do curso de graduação em Tecnologia em Sistemas de Computação (UFF/Cederj); * Professor do curso Técnico em Informática da Prefeitura

Leia mais