Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl"

Transcrição

1 Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl

2 Roteiro introdução objetivos do trabalho fundamentação teórica desenvolvimento da ferramenta requisitos principais; técnicas e ferramentas utilizadas; implementação; operacionalidade. conclusão extensões Você está em: Roteiro

3 Introdução garantia da qualidade de processo e produto com o crescimento da concorrência, a necessidade da qualidade não é apenas um diferencial mais sim pré-requisito para sua existência no mercado; para obter a melhoria do processo de software existem modelos de qualidade que representam um conjunto de boas práticas a serem adotadas, dentre eles pode-se citar o CMMI, PMBOK e o MPS.BR; a GQA é um dos principais objetivos do nível de maturidade F do modelo MPS.BR verifica se os processos e artefatos estão de acordo com os padrões e procedimentos estabelecidos; as ferramentas de baixo custo disponíveis no mercado não atendem a todas as atividades da GQA; devido a grande diversidade de ferramentas que são utilizadas nesse processo a integração entre elas praticamente não existe. Você está em: Introdução

4 Objetivos do trabalho O objetivo deste trabalho foi desenvolver uma ferramenta de apoio ao processo de garantia da qualidade baseado nos resultados previstos na versão 1.2 do modelo MPS.BR. Você está em: Objetivos do trabalho

5 Fundamentação teórica Conceitos estudados para o desenvolvimento da ferramenta melhoria de processo do software brasileiro (MPS.BR) níveis de maturidade; o que é qualidade de software; base técnica do modelo MPS.BR ISO/IEC e ISO/IEC 15504; CMMI. objetivo do modelo MPS.BR; objetivo da garantia da qualidade do modelo MPS.BR. Você está em: Fundamentação teórica

6 Fundamentação teórica Conceitos estudados para o desenvolvimento da ferramenta trabalhos correlatos processo de garantia da qualidade identificar a necessidade de garantia da qualidade; desenvolvimento da garantia da qualidade; técnicas e ferramentas da qualidade; resultados esperados pela GQA do modelo MPS.BR; Você está em: Fundamentação teórica

7 Melhoria de processo do software brasileiro Níveis de maturidade do modelo de referência de melhoria de processo de software. Nível A B C D E F G Processos Análise de Causas de Problemas e Resolução (ACP) Gerência de Projetos (GPR) - evolução Gerência de Riscos (GRI), Desenvolvimento para Reutilização (DRU), Análise de Decisão e Resolução (ADR), Gerência de Reutilização (GRU) - evolução Verificação (VER), Validação (VAL), Projeto e Construção do Produto (PCP), Integração do Produto (ITP), Desenvolvimento de Requisitos (DRE) Gerência de Projetos (GPR) evolução, Gerência de Reutilização (GRU), Gerência de Recursos Humanos (GRH), Definição do Processo Organizacional (DFP), Avaliação e Melhoria do Processo Organizacional (AMP) Medição (MED), Garantia da Qualidade (GQA), Gerência de Configuração (GCO), Aquisição (AQU) Gerência de Requisitos (GRE), Gerência de Projetos (GPR) Atributos de Processo AP 1.1, AP 2.1, AP 2.2, AP 3.1, AP 3.2, AP 4.1, AP 4.2, AP 5.1 e AP 5.2 AP 1.1, AP 2.1, AP 2.2, AP 3.1, AP 3.2, AP 4.1 e 4.2 AP 1.1, AP 2.1, AP 2.2, AP 3.1 e AP 3.2 AP 1.1, AP 2.1, AP 2.2, AP 3.1 e AP 3.2 AP 1.1, AP 2.1, AP 2.2, AP 3.1 e AP 3.2 AP 1.1, AP 2.1 e AP 2.2 AP 1.1 e AP 2.1 Você está em: Fundamentação teórica Conceitos Melhoria de processo do software brasileiro

8 Melhoria de processo do software brasileiro O que é qualidade de software em desenvolvimento de software a qualidade pode ser entendida como um conjunto de características a serem satisfeitas para que o produto resultante atenda direta e indiretamente as necessidades dos usuários. A qualidade do produto depende diretamente do processo de desenvolvimento. Base técnica do modelo MPS.BR a base técnica para a construção do modelo MPS.BR é composta pela Norma Brasileira de Regulamentação (NBR), as ementas 1 e 2 da ISO/IEC 12207, ISO/IEC avaliação de processo e está em conformidade com o CMMI. Você está em: Fundamentação teórica Conceitos Melhoria de processo do software brasileiro

9 Base técnica do modelo MPS.BR Comparativo da gerência de qualidade do projeto entre CMMI, ISO/IEC e o modelo MPS.BR. Mapeamento Gerência da qualidade do projeto CMMI Nível 2 Gerenciado (Área de processo: Garantia da qualidade do processo e do produto) MPS.BR Nível F Gerenciado (Processo: Garantia da Qualidade GQA) ISO/IEC Implementação do processo Garantia do produto Garantia do processo Sistemas de garantia da qualidade. Você está em: Fundamentação teórica Conceitos Melhoria de processo do software brasileiro Base técnica do modelo MPS.BR

10 Melhoria de processo do software brasileiro Objetivo do modelo MPS.BR é fornecer um modelo de qualidade de software compatível com os padrões de qualidade aceitos internacionalmente, voltado especialmente para a realidade das micro, pequenas e médias empresas. O modelo é definido em sete níveis de maturidade possibilitando uma implantação mais gradual. Objetivo da garantia da qualidade do modelo MPS.BR tem como principal intuito assegurar que os produtos de trabalho e a execução dos processos estão em conformidade com os planos e recursos predefinidos Você está em: Fundamentação teórica Conceitos Melhoria de processo do software brasileiro

11 Trabalhos correlatos TestLink é um software gratuito de código livre, que tem por principal objetivo o gerenciamento de casos de testes. É desenvolvida em PHP. Funciona em qualquer sistema operacional, desde que este tenha um navegador de internet. Não é aconselhado para projetos com mais de cinco envolvidos. Mantis é uma ferramenta de código livre, que tem como principal objetivo o monitoramento de não-conformidades encontradas durante os processos de GQA. Rational ClearQuest tem como principal objetivo o monitoramento de defeitos e mudanças flexíveis durante o ciclo de vida de desenvolvimento do aplicativo. Você está em: Fundamentação teórica Conceitos Trabalhos correlatos

12 Processo de garantia da qualidade Identificar a necessidade da garantia da qualidade para identificar as necessidades da garantia da qualidade podemos utilizar as dez etapas propostas por Deming. As etapas são sequenciais e cada etapa necessita de resultados da etapa anterior. As etapas são: identificar a equipe; fluxo de saída de processos; definir a posição dos requisitos; produção; propor a solução; criar um plano de implementação; obter gerenciamento de apoio; implementar a solução; monitorar a solução; relatório de verificação de resultados. Você está em: Fundamentação teórica Conceitos Processo de garantia da qualidade

13 Processo de garantia da qualidade Desenvolvimento da garantia da qualidade verifica e aplica a metodologia a engenharia de software, engenharia de sistemas e engenharia de hardware; este processo é avaliado de forma objetiva aplicando-se a todos os produtos desenvolvidos durante o projeto, comparando os resultados esperados com resultados obtidos. Técnicas e ferramentas da qualidade a aplicação de técnicas e ferramentas na garantia da qualidade varia de acordo com a organização e das necessidades do clico de vida do projeto. O engenheiro da qualidade de software é quem determina quais mecanismos ou softwares utilizar durante o processo de GQA. Você está em: Fundamentação teórica Conceitos Processo de garantia da qualidade

14 Processo de garantia da qualidade Resultados esperados pela GQA do modelo MPS.BR a aderência dos produtos de trabalho aos padrões, procedimentos e requisitos aplicáveis é avaliada objetivamente; a aderência dos processos executados às descrições de processo, padrões e procedimentos é avaliada objetivamente; os problemas e não-conformidades são identificados, registrados e comunicados; ações corretivas para não-conformidades são estabelecidas e acompanhadas até as suas efetivas conclusões. Você está em: Fundamentação teórica Conceitos Processo de garantia da qualidade

15 Desenvolvimento do trabalho levantamento dos requisitos especificação da ferramenta através dos diagramas UML de casos de uso, classes e atividades técnicas e ferramentas utilizadas Implementação da ferramenta métodos de gravação, alteração e exclusão de dados do banco; criação de componentes dinâmicos; método para o envio de s; gerador de relatórios ireport. operacionalidade cadastro de padrões utilizados em avaliações avaliação objetiva do itens de avaliação Você está em: Desenvolvimento do Trabalho

16 Requisitos da ferramenta de GQA Requisitos funcionais permitir o cadastro de projetos permitir o cadastro de processos (tarefas) e produtos (artefatos) pertencentes a um projeto permitir o cadastro de padrões da organização permitir o registro de critérios de avaliação, checklist e questões permitir o registro de não conformidades monitorar as não-conformidades encontrados até a sua resolução através de registros e pela interação entre os membros da equipe emitir alertas aos desenvolvedores quando o prazo de entrega da correção estiver se esgotando assegurar a aderência do processo e do produto aos padrões estabelecidos pela organização através da análise dos ckecklists e critérios de avaliação gerar relatórios de acompanhamento da GQA, por processo, produto e projeto; Você está em: Requisitos do sistema de GQA

17 Requisitos da ferramenta de GQA Requisitos não-funcionais ser implementada utilizando a linguagem de desenvolvimento Java para desktop utilizar o banco de dados MySQL 5.0 atender a todos os resultados previstos do modelo MPS.BR, em relação ao processo de GQA Você está em: Requisitos do sistema de GQA

18 Diagrama de casos de uso uc 01 - Gerente da Qualidade UC01.13 Emitir Relatório de Av aliação UC01.01 Cadastrar Usuário UC01.02 Cadastrar Responsáv eis UC01.03 Cadastrar Disciplinas UC01.04 Cadastrar Tarefas UC01.12 Env iar Não-Conformidades UC01.05 Cadastrar Passos UC01.11 Av aliar Planos Gerente da Qualidade UC01.06 Cadastrar Artefatos UC01.10 Registrar Plano de Av aliação UC01.09 Selecionar Projeto Ativo UC01.08 Cadastrar Proj etos UC01.07 Cadastrar Itens de Av aliação Diagrama de casos de uso (gerente da qualidade) Você está em: Diagrama de casos de uso

19 Descrição do caso de uso registrar plano de avaliação UC01.10 Registrar Plano de Avaliação Pré-condições O usuário deve estar logado no sistema com o tipo administrador/gerente. Usuários desenvolvedores somente poderão visualizar este cadastro, não sendo permitida a inclusão ou alteração. Deve existir previamente o cadastro de pelo menos uma tarefa ou artefato e um responsável. Principal (Registrar plano de avaliação) 1. O sistema preenche automaticamente o campo de código do plano de avaliação com o próximo código disponível, podendo o usuário alterar este código conforme a necessidade. 2. O sistema valida o código informado. 3. O usuário insere o nome e descrição do plano de avaliação. 4. O usuário insere o código do responsável. 5. O sistema valida o código do responsável. 6. O usuário informa qual o tipo de item que será vinculado ao plano de avaliação. 7. O usuário informa o código do artefato ou tarefa já previamente cadastrado que será vinculada ao cadastro de plano de avaliação. 8. O sistema valida o código do artefato ou tarefa. 9. O usuário adiciona o artefato ou tarefa à lista. 10. O usuário poderá remover o artefato ou tarefa já adicionada à lista. 11. O usuário finaliza o cadastro clicando no botão "OK". 12. O sistema salva o registro no banco e o sistema volta para o item de avaliação 1. Você está em: Descrição do caso de uso registrar plano de avaliação Continua...

20 Descrição do caso de uso registrar plano de avaliação Alternativo (Alterar plano de avaliação) No passo 1, caso o plano de avaliação já esteja cadastrado: 1.1. Sistema apresenta as informações do cadastro do plano de avaliação já contidas no banco de dados O sistema somente permite a alteração de planos que ainda não foram avaliados O usuário altera os campos de acordo com sua necessidade O usuário altera o cadastro do plano de avaliação clicando no botão "OK" O sistema salva o registro no banco de dados e o sistema volta para o passo 1. Alternativo (Buscar plano de avaliação) No passo 1, o usuário pode optar por localizar um plano de avaliação já inserido no banco de dados O usuário clica no botão buscar O sistema apresenta a tela de consulta do cadastro do plano de avaliação O usuário seleciona o plano de avaliação a ser manipulado O plano de avaliação selecionado é apresentado para o usuário na tela do cadastro de plano de avaliação e o sistema vai para o passo 3. Alternativo (Buscar artefato ou tarefa) No passo 7, o usuário pode optar por localizar um artefato ou tarefa já inserida no banco de dados O usuário clica no botão buscar O sistema apresenta a tela de consulta do cadastro de artefatos ou tarefas O usuário seleciona o artefato ou a tarefa a ser vinculada ao cadastro do plano de avaliação O cadastro selecionado é apresentado para o usuário na tela do cadastro do plano de avaliação e o sistema vai para o passo 9. Alternativo (Excluir artefatos ou tarefas da lista) No passo 10, o usuário pode optar por excluir um artefato ou tarefa da lista O usuário clica sobre o artefato ou tarefa que deseja remover da lista O sistema habilita o botão de "Remover" O usuário remove o artefato ou tarefa selecionada clicando no botão "Remover" O sistema remove o artefato ou tarefa selecionada da lista O sistema desabilita o botão de "Remover" e o sistema volta para o passo 7. Você está em: Descrição do caso de uso registrar plano de avaliação Continua...

21 Descrição do caso de uso registrar plano de avaliação Exceção (Código do plano de avaliação inválido) Se no passo 2, o sistema encontrar algum problema: 2.1. O código do plano de avaliação for um número maior que o próximo disponível o sistema exibe uma mensagem informando que o código deve ser um número sequencial ao último registro cadastrado no banco de dados O código do plano de avaliação for alfanumérico o sistema exibe ao usuário uma mensagem informando que o código digitado é inválido e o sistema volta para o passo 1. Exceção (Código do artefato ou tarefa inválido) Se no passo 8, o sistema encontrar algum problema: 8.1. O código do artefato ou tarefa não estiver previamente cadastrado no banco de dados, o sistema exibe uma mensagem informando ao usuário que o artefato ou tarefa não estão cadastrados O código do artefato ou tarefa for alfanumérico o sistema exibe ao usuário uma mensagem informando que o código digitado é inválido e o sistema volta para o passo 7. Exceção (Vincular artefatos ou tarefas ao plano de avaliação) No passo 9, caso o artefato ou tarefa já estejam vinculados ao plano de avaliação: 9.1. Sistema exibe uma mensagem informando ao usuário que o artefato ou tarefa já foram adicionados a lista e o sistema volta para o passo 7. Pós-condições Um plano de avaliação foi cadastrado, consultado ou alterado. Você está em: Descrição do caso de uso registrar plano de avaliação

22 Diagrama de classes as classes estão divididas em vários pacotes de forma que cada pacote contenha um conjunto de classes que são responsáveis por funções semelhantes dessa forma separando as classes com funções distintas em outro pacote as classes estão divididas nos pacotes: Banco: representam a camada de conexão e configurações; Banco.Conexao: representa a camada de negócios do sistema, possui os métodos de consultas utilizadas na camada de dados ; Banco.Tabelas: representa a camada das tabelas, são o espelho dos itens das tabelas do banco de dados; Consistencia: representa a camada de tratamento e formatação de dados; Visual: representa a camada de apresentação. Você está em: Diagrama de classes

23 Diagrama de classes Diagrama de classes do pacote Visual Você está em: Diagrama de classes

24 Diagrama de atividades Diagrama de atividades Você está em: Diagrama de atividades

25 Técnicas e ferramentas utilizadas o sistema de garantia da qualidade do modelo MPS.BR, foi implementado empregando o paradigma de orientação a objetos; utiliza a linguagem de programação Java; desenvolvido na ferramenta Netbeans 6.5; kit de desenvolvimento Java Development Kit 6.0 (JDK); e para o armazenamento dos dados e informações relevantes, foi utilizado MySQL 5.0, que é um banco de dados gratuito. Você está em: Técnicas e ferramentas utilizadas

26 Implementação da ferramenta Métodos de gravação, alteração e exclusão de dados do banco São métodos genéricos utilizados para fazer a movimentação dos dados utilizados no processo de garantia da qualidade. é composta pelo métodos: insertvalues, responsável pela inserção dos dados no banco; updatevalues, responsável pela alteração dos dados no banco de um determinado registro; deletevalues, responsável por excluir um registro do banco de dados; Você está em: Implementação do sistema

27 Implementação da ferramenta Você está em: Implementação do sistema

28 Implementação da ferramenta Criação de componentes dinâmicos método utilizado no desenvolvimento de uma das principais telas do sistema de GQA, denominada avaliar planos. este método por sua vez foi de difícil implementação já que não funciona em todos os leiautes de alinhamento de campos disponíveis no ambiente de desenvolvimento. além da criação desses campos também foi necessário a implementação de um método de leitura dos dados inseridos nesses campos dinâmicos para posterior gravação no banco de dados. Você está em: Implementação do sistema

29 Implementação da ferramenta Método para envio de s método criado especificamente para enviar s de nãoconformidades encontradas durante o processo de avaliação; A implementação deste recurso é bem simples, mas exigiu dedicação até chegar o resultado esperado. Você está em: Implementação do sistema

30 Implementação da ferramenta Gerador de relatórios ireport ferramenta responsável pela geração de relatórios utilizados pelo sistema de GQA; ferramenta robusta que fornece diversas possibilidades para a criação de relatórios. Você está em: Implementação do sistema

31 Operacionalidade Registrar plano de avaliação Você está em: Implementação Operacionalidade

32 Operacionalidade Registrar avaliações Você está em: Implementação Operacionalidade

33 Operacionalidade Enviar não-conformidades Você está em: Implementação Operacionalidade

34 Resultados e discussão Etapas propostas por Deming atendidas pela ferramenta desenvolvida são. Você está em: Resultados e discussão

35 Resultados e discussão Maneiras como o sistema atende os resultados esperados da GQA Resultados esperados da GQA A aderência dos produtos de trabalho aos padrões. A aderência dos processos executados às descrições de processo. Os problemas e não-conformidades são identificados, registrados e comunicados. Ações corretivas para nãoconformidades são estabelecidas e acompanhadas até as suas efetivas conclusões. Ferramenta de GQA desenvolvida Atende bem, pois é possível inserir os padrões da empresa através dos cadastros disponíveis no menu Padrões. Os produtos são cadastrados no sistema pelo cadastro de artefatos. Atende bem, pois é possível inserir os padrões da empresa através dos cadastros disponíveis no menu Padrões. Os processos são cadastrados no sistema pelo cadastro de tarefas. Atende bem, pois as não-conformidades são identificadas e registradas pela tela de registro de avaliações que permite avaliar objetivamente o resultado de cada item. Estes resultados são encaminhados através da tela de envio de nãoconformidades. Atende parcialmente, pois as não-conformidades são registradas com níveis de prioridade e status que são registradas e encaminhadas para correção. O acompanhamento deve ser feito manualmente conforme retorno das respostas de pedidos de correções Você está em: Resultados e discussão

36 Resultados e discussão Comparativo entre ferramentas correlatas estudadas e a ferramenta desenvolvido Resultados esperados da GQA Sistema TestLink Sistema Mantis Sistema Rational ClearQuest Ferramenta GQA desenvolvida de A aderência dos produtos de trabalho aos padrões. Atende bem Não atende Não atende Atende bem A aderência dos processos executados às descrições de processo. Atende bem Não atende Não atende Atende bem Os problemas e não-conformidades são identificados, registrados e comunicados. Não atende Atende bem Atende bem Atende bem Ações corretivas para não-conformidades são estabelecidas e acompanhadas até as suas efetivas conclusões. Não atende Atende parcialmente Atende parcialmente Atende parcialmente Você está em: Resultados e discussão

37 Conclusão o sistema desenvolvido auxiliará a organização a agilizar o processo de avaliação da garantia da qualidade; este processo de avaliação tem como principal objetivo encontrar nãoconformidades registrando e comunicando-as aos responsáveis para efetuar a correção; A ferramenta atingiu a grande maioria dos objetivos propostos para o desenvolvimento deste trabalho, somente não atende em sua totalidade a funcionalidade de monitoramento de não conformidades Você está em: Conclusão

38 Extensões desenvolver o sistema para a Web; adaptar o sistema para atender as especificações de garantia da qualidade dos modelos PMBOK, CMMI, NBR, ISO/IEC e 15504; implementação de mais relatórios funcionais; implementar uma nova forma de envio (troca) de mensagens das nãoconformidades entre os responsáveis, utilizando Java RMI. Você está em: Extensões

39 Demonstração da ferramenta de garantia da qualidade

A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G. por Adriana Silveira de Souza

A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G. por Adriana Silveira de Souza A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G por Adriana Silveira de Souza Agenda Visão Geral do MPS.BR Processos e Capacidade de Processo Níveis de Maturidade Atributos de Processo Processo

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução à Melhoria de Processos de Software baseado no MPS.BR Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Agenda Introdução MPS.BR MR-MPS Detalhando o MPS.BR nível G Introdução

Leia mais

Melhoria do Processo de Software MPS-BR

Melhoria do Processo de Software MPS-BR Melhoria do Processo de Software MPS-BR Fabrício Sousa Pinto fabbricio7@yahoo.com.br O que é Qualidade? O problema da gestão da qualidade não é que as pessoas não sabem a respeito dela. O problema é que

Leia mais

Prova de Conhecimento para Consultores de Implementação MPS.BR INSTRUÇÕES

Prova de Conhecimento para Consultores de Implementação MPS.BR INSTRUÇÕES Implementação MPS.BR 26 de maio de 2008 4 horas de duração e-mail: (DEIXAR EM BRANCO) RESULTADO: Q1 Q2 Q3 Q4 Q5 Q6 Q7 Q8 Q9 Q10 Nota INSTRUÇÕES Para a maioria das questões você tem mais de uma opção e

Leia mais

Reutilização no MPS.BR e no projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL. Porto Alegre, Agosto de 2008. Sumário

Reutilização no MPS.BR e no projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL. Porto Alegre, Agosto de 2008. Sumário Reutilização no MPS.BR e no projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL Porto Alegre, Agosto de 2008. Sumário Apresentação Programa MPS.BR Reutilização no MPS.BR Gerência de reutilização Desenvolvimento para reutilização

Leia mais

Ferramenta de apoio a gerência de configuração de software. Aluno: Rodrigo Furlaneto Orientador: Everaldo Artur Grahl

Ferramenta de apoio a gerência de configuração de software. Aluno: Rodrigo Furlaneto Orientador: Everaldo Artur Grahl Ferramenta de apoio a gerência de configuração de software Aluno: Rodrigo Furlaneto Orientador: Everaldo Artur Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Gerência de Configuração

Leia mais

Viabilidade do Desenvolvimento de Software Baseado no Modelo MPS.BR com a Metodologia Extreme Programming

Viabilidade do Desenvolvimento de Software Baseado no Modelo MPS.BR com a Metodologia Extreme Programming Viabilidade do Desenvolvimento de Software Baseado no Modelo MPS.BR com a Metodologia Extreme Programming T. M. R. Dias 1 ; G. F. Moita 2 ; M. P. Silva 3 ; B. Ferreira 1 ; A. M. Silva 1 1 IFMG Instituto

Leia mais

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro l MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro SUMÁRIO 1. Introdução 2. Modelo MPS 3. Programa MPS.BR: Resultados Alcançados (2004-2008) e Resultados Esperados (2004-2010) 4. MPS.BR Lições Aprendidas

Leia mais

http://rogerioaraujo.wordpress.com Série Rações Semanais MPS.BR Rogério Araújo

http://rogerioaraujo.wordpress.com Série Rações Semanais MPS.BR Rogério Araújo http://rogerioaraujo.wordpress.com Série Rações Semanais MPS.BR Rogério Araújo http://rogerioaraujo.wordpress.com Série Rações Semanais MPS.BR Rogério Araújo Questões O futuro pertence àqueles que acreditam

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS MPS.BR

LISTA DE EXERCÍCIOS MPS.BR LISTA DE EXERCÍCIOS MPS.BR Disciplina: Professor: Qualidade de Software Edison Andrade Martins Morais 01. (FGV 2008 Senado Analista de Sistemas) Considere as assertivas sobre o Modelo MPS do Programa de

Leia mais

Da Pesquisa em Engenharia de Software à Melhoria da Qualidade de Software no Brasil

Da Pesquisa em Engenharia de Software à Melhoria da Qualidade de Software no Brasil Da Pesquisa em Engenharia de Software à Melhoria da Qualidade de Software no Brasil Autores: Marcos Kalinowski (COPPE/UFRJ), Gleison Santos (PPGI - UNIRIO), Rafael Prikladnicki (PUCRS), Ana Regina Rocha

Leia mais

Uma análise das Metodologias Ágeis FDD e Scrum sob a Perspectiva do Modelo de Qualidade MPS.BR

Uma análise das Metodologias Ágeis FDD e Scrum sob a Perspectiva do Modelo de Qualidade MPS.BR SCIENTIA PLENA VOL 6, NUM 3 2010 www.scientiaplena.org.br Uma análise das Metodologias Ágeis FDD e Scrum sob a Perspectiva do Modelo de Qualidade MPS.BR F. G. Silva; S. C. P. Hoentsch, L. Silva Departamento

Leia mais

Quem Somos CMM/ CMMI. ISO 9000 PNQ ISO 12207 ISO 15504 ITIL Outros modelos. Gestão Sistêmica da. Alinhamento às Diretrizes Organizacionais.

Quem Somos CMM/ CMMI. ISO 9000 PNQ ISO 12207 ISO 15504 ITIL Outros modelos. Gestão Sistêmica da. Alinhamento às Diretrizes Organizacionais. Quem Somos Missão Promover a melhoria e a busca da excelência na gestão organizacional e o aperfeiçoamento contínuo dos processos dos nossos clientes, por meio de modelos e padrões de qualidade adequados

Leia mais

FUMSOFT EDITAL 002/2013 1ª EDIÇÃO

FUMSOFT EDITAL 002/2013 1ª EDIÇÃO FUMSOFT PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À MELHORIA E QUALIDADE DOS PROCESSOS DE SOFTWARE EM EMPRESAS COM ESTABELECIMENTO EM MINAS GERAIS E DIFUSÃO DO MODELO MPS.BR (MELHORIA DE PROCESSO DO SOFTWARE BRASILEIRO)

Leia mais

Cenários do CEL. Acessar ao sistema

Cenários do CEL. Acessar ao sistema Cenários do CEL Acessar ao sistema Permitir que o usuário acesse ao Sistema de Léxicos e Cenários nas seguintes condições: logando-se, quando já estiver cadastrado; ou incluindo usuário independente, quando

Leia mais

Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários

Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários Sistema Gerenciador de Locadora Documento de Caso de Uso UC04 Versão 1.1 Responsável: Gustavo Teles UC04 Cadastro de Funcionários Página 1 de

Leia mais

Melhoria de Processos de Software com o MPS.BR

Melhoria de Processos de Software com o MPS.BR Melhoria de Processos de Software com o MPS.BR Prof. Dr. Marcos Kalinowski (UFF) kalinowski@acm.org Agenda do Curso Motivação para processos de software Visão geral do programa MPS.BR e do modelo MPS-SW

Leia mais

MPS.BR. O MPS.BR é um programa para Melhoria de Processo do Software Brasileiro. A proposta MPS.BR nasceu com base nos moldes CMMI.

MPS.BR. O MPS.BR é um programa para Melhoria de Processo do Software Brasileiro. A proposta MPS.BR nasceu com base nos moldes CMMI. MPS.BR O MPS.BR é um programa para Melhoria de Processo do Software Brasileiro. A proposta MPS.BR nasceu com base nos moldes CMMI. ISO - 12207 para desenvolvimento de software. ISO - 15504 para avaliação

Leia mais

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro Melhoria de Processo do Software Brasileiro (MPS.BR) SUMÁRIO 1. Introdução 2. Implantação do Programa MPS.BR: 2004 2007 3. Consolidação do Programa MPS.BR: 20082010 4. Conclusão Kival Weber Coordenador

Leia mais

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Implementação Parte 10: Implementação do MR-MPS em organizações do tipo Fábrica de Teste

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Implementação Parte 10: Implementação do MR-MPS em organizações do tipo Fábrica de Teste MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro Guia de Implementação Parte 10: Implementação do MR-MPS em organizações do tipo Fábrica de Teste Este guia contém orientações para a implementação do

Leia mais

Rem Commodatum. Rem Commodatum - Versão 1.0. Manter Visitas Técnicas. Iteração 01 - Release 1.0. Versão do Documento: 1.0

Rem Commodatum. Rem Commodatum - Versão 1.0. Manter Visitas Técnicas. Iteração 01 - Release 1.0. Versão do Documento: 1.0 Rem Commodatum Rem Commodatum - Versão 1.0 Iteração 01 - Release 1.0 Manter Visitas Técnicas Versão do Documento: 1.0 Data Versão do Documento Histórico de Revisão Descrição Autor 20/09/2011 1.0 Elaboração

Leia mais

Gerenciador Financeiro CITi. Gerenciador Financeiro CITi

Gerenciador Financeiro CITi. Gerenciador Financeiro CITi (Sistema de Gerenciamento Financeiro) Especificação dos Requisitos do Software Gerenciador Financeiro CITi Versão 1.0 Autores: Bruno Medeiros de Oliveira Igor Rafael Medeiros Pedro Araújo de Melo Tiago

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Aula 05 MPS.BR (ago/12) Melhoria de Processo do Software Brasileiro Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Agenda Descrição sumária do MPS.BR - Melhoria de Processo do Software

Leia mais

Programa MPS.BR e Modelo MPS: A Evolução da Qualidade de Software no Brasil

Programa MPS.BR e Modelo MPS: A Evolução da Qualidade de Software no Brasil Programa MPS.BR e Modelo MPS: A Evolução da Qualidade de Software no Brasil 1. Qualidade de Software: motivação para o foco no processo, características dos processos de software e abordagens para melhoria

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE introdução As mudanças que estão ocorrendo nos clientes e nos ambientes de negócios altamente competitivos têm motivado as empresas a modificarem

Leia mais

Modo Estrutura é o ambiente de definição e estruturação dos campos, tipos de dados, descrição e propriedades do campo.

Modo Estrutura é o ambiente de definição e estruturação dos campos, tipos de dados, descrição e propriedades do campo. Unidade 02 A- Iniciando o Trabalho com o ACCESS: Criar e Salvar um Banco de Dados Acessar o ACCESS Criar e Salvar o Banco de Dados Locadora Encerrar o Banco de Dados e o Access Criando um Banco de Dados

Leia mais

22/10/2012 WAMPS 2012. Implementação do MPS.BR na Informal Informática: Um Relato da Trajetória de Melhoria até o Nível C de Maturidade

22/10/2012 WAMPS 2012. Implementação do MPS.BR na Informal Informática: Um Relato da Trajetória de Melhoria até o Nível C de Maturidade 22/10/2012 WAMPS 2012 Implementação do MPS.BR na Informal Informática: Um Relato da Trajetória de Melhoria até o Nível C de Maturidade Tópicos 1. Institucional 2. Programa de Melhoria de Processos 3. Nível

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução Página 1 de 16 Introdução Documento para especificação de programa do Caso de Uso Manter Usuários. Além da descrição de programa o documento terá o diagrama de classes e o diagrama de sequência. Caso de

Leia mais

FERRAMENTA WEB DE SUPORTE A AVALIAÇÃO DE SOFTWARE COM A METODOLOGIA CERTICS

FERRAMENTA WEB DE SUPORTE A AVALIAÇÃO DE SOFTWARE COM A METODOLOGIA CERTICS FERRAMENTA WEB DE SUPORTE A AVALIAÇÃO DE SOFTWARE COM A METODOLOGIA CERTICS Acadêmico: Vinícius Ferneda de Lima vinicius.ferneda@gmail.com Orientador: Prof. Everaldo Artur Grahl everaldo.grahl@gmail.com

Leia mais

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro Guia de Implementação Parte 9: Implementação do MR-MPS em organizações do tipo Fábrica de Software Este guia contém orientações para a implementação

Leia mais

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Compra Direta - Guia do Fornecedor PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Página As informações contidas neste documento, incluindo quaisquer URLs e outras possíveis referências a web sites, estão sujeitas

Leia mais

MPS.BR: Melhoria de Processo do Software Brasileiro e dos Resultados de Desempenho

MPS.BR: Melhoria de Processo do Software Brasileiro e dos Resultados de Desempenho l MPS.BR: Melhoria de Processo do Software Brasileiro e dos Resultados de Desempenho SUMÁRIO 1. Introdução Programa MPS.BR e Modelo MPS 2. Programa MPS.BR Resultados Esperados, Resultados Alcançados e

Leia mais

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Implementação Parte 10: Implementação do MR-MPS em organizações do tipo Fábrica de Teste

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Implementação Parte 10: Implementação do MR-MPS em organizações do tipo Fábrica de Teste MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro Guia de Implementação Parte 10: Implementação do MR-MPS em organizações do tipo Fábrica de Teste Este guia contém orientações para a implementação do

Leia mais

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento do trabalho Conclusão Extensões

Leia mais

Implantação dos Processos Gerência de Projeto e Medição com Auxílio de Ferramenta Baseada em Planilhas Carlos Simões Claudia Lasmar Gleison Santos

Implantação dos Processos Gerência de Projeto e Medição com Auxílio de Ferramenta Baseada em Planilhas Carlos Simões Claudia Lasmar Gleison Santos Implantação dos Processos Gerência de Projeto e Medição com Auxílio de Ferramenta Baseada em Planilhas Carlos Simões Claudia Lasmar Gleison Santos Agenda: Carlos Simões cs@synapsisbrasil.com.br carlossimoes@cos.ufrj.br

Leia mais

WEBQUESTER: FERRAMENTA PARA CRIAÇÃO DE WEBQUEST COM AVALIAÇÕES ON- LINE. Acadêmico: Yauari Vieira Orientador: Everaldo Artur Grahl

WEBQUESTER: FERRAMENTA PARA CRIAÇÃO DE WEBQUEST COM AVALIAÇÕES ON- LINE. Acadêmico: Yauari Vieira Orientador: Everaldo Artur Grahl 1 WEBQUESTER: FERRAMENTA PARA CRIAÇÃO DE WEBQUEST COM AVALIAÇÕES ON- LINE Acadêmico: Yauari Vieira Orientador: Everaldo Artur Grahl Roteiro 2 Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Implementação Parte 8: Implementação do MR-MPS em organizações que adquirem software

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Implementação Parte 8: Implementação do MR-MPS em organizações que adquirem software MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro Guia de Implementação Parte 8: Implementação do MR-MPS em organizações que adquirem software Este guia contém orientações para a implementação do Modelo

Leia mais

Implantação do Processo Aquisição na Synapsis Brasil. Carlos Simões Ana Regina Rocha Gleison Santos

Implantação do Processo Aquisição na Synapsis Brasil. Carlos Simões Ana Regina Rocha Gleison Santos Implantação do Processo Aquisição na Synapsis Brasil Carlos Simões Ana Regina Rocha Gleison Santos Data: 20/10/2009 Agenda Empresa Problema Alternativas Implementação Forma de contratação Processo Aquisição

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução Página 1 de 15 Introdução Documento para especificação de programa do Caso de Uso Manter Usuários. Além da descrição de programa o documento terá o diagrama de classes e o diagrama de sequência. Caso de

Leia mais

UC05 Manter Páginas. Diplomata CADASTRO. Versão 1.0

UC05 Manter Páginas. Diplomata CADASTRO. Versão 1.0 UC05 Manter Páginas Versão.0 Página / 0 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autor.0 Criação do documento. Eduardo Gomes de Souza Página 3 / 0 SUMÁRIO. FINALIDADE... 4. REFERÊNCIAS... 4 3. GLOSSÁRIO...

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS 1/38 DOCUMENTO DE REQUISITOS GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Versão 1.1 Identificação do Projeto CLIENTE: NOME DO CLIENTE TIPO DO SISTEMA OU PROJETO Participantes Função Email Abilio Patrocinador

Leia mais

Programa MPS.BR e Modelo MPS: Contribuições para a Evolução da Qualidade de Software no Brasil

Programa MPS.BR e Modelo MPS: Contribuições para a Evolução da Qualidade de Software no Brasil l Programa MPS.BR e Modelo MPS: Contribuições para a Evolução da Qualidade de Software no Brasil SUMÁRIO 1. Introdução: Programa MPS.BR e Modelo MPS 2. Programa MPS.BR: Resultados Esperados, Resultados

Leia mais

A Importância do Controle da Qualidade na Melhoria de Processos de Software. Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães

A Importância do Controle da Qualidade na Melhoria de Processos de Software. Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães A Importância do Controle da Qualidade na Melhoria de Processos de Software Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães Agenda Contextualização da Qualidade Dificuldades na construção de software Possíveis soluções

Leia mais

Definição do Framework

Definição do Framework Definição do Framework 1. Introdução 1.1. Finalidade Este documento tem por finalidade apresentar o mapeamento dos processos de Definição de Processo Organizacional e Avaliação e Melhoria do Processo dos

Leia mais

FERRAMENTA PARA CONSTRUÇÃO DE INTERFACES DE SOFTWARE A PARTIR DE DIAGRAMA DE CLASSES

FERRAMENTA PARA CONSTRUÇÃO DE INTERFACES DE SOFTWARE A PARTIR DE DIAGRAMA DE CLASSES FERRAMENTA PARA CONSTRUÇÃO DE INTERFACES DE SOFTWARE A PARTIR DE DIAGRAMA DE CLASSES Aluno: André Luis Becker Orientador: Prof. Everaldo Artur Grahl. Mestre Orientador, FURB Roteiro da Apresentação Introdução;

Leia mais

Utilizando o correio eletrônico da UFJF com Thunderbird e IMAP

Utilizando o correio eletrônico da UFJF com Thunderbird e IMAP Utilizando o correio eletrônico da UFJF com Thunderbird e IMAP O cliente de e-mail web utilizado pela UFJF é um projeto OpenSource que não é desenvolvido pela universidade. Por isso, pode ocorrer que alguns

Leia mais

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia Geral

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia Geral MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro Guia Geral Este guia contém a descrição geral do Modelo MPS e detalha o Modelo de Referência (MR-MPS) e as definições comuns necessárias para seu entendimento

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE ACESSO, PARA AMBIENTE ACADÊMICO

SISTEMA DE CONTROLE DE ACESSO, PARA AMBIENTE ACADÊMICO SISTEMA DE CONTROLE DE ACESSO, FREQÜÊNCIA E GESTÃO DE PERMISSÃO PARA AMBIENTE ACADÊMICO LEONARDO DENARDI ORIENTADOR: JACQUES ROBERT HECKMANN SEQÜÊNCIA DA APRESENTAÇÃO Introdução Objetivos Fundamentação

Leia mais

Ricardo Roberto de Lima UNIPÊ 2008.1 APS-I. Históricos e Modelagem Orientada a Objetos

Ricardo Roberto de Lima UNIPÊ 2008.1 APS-I. Históricos e Modelagem Orientada a Objetos Históricos e Modelagem Orientada a Objetos Histórico Diversas metodologias e métodos surgiram para apoiar OO. Evolução a partir de linguagens C++ e SmallTalk. Anos 80 Anos 80-90: diversidade de autores.

Leia mais

FUMSOFT EDITAL 001/2013 1ª EDIÇÃO

FUMSOFT EDITAL 001/2013 1ª EDIÇÃO FUMSOFT PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À MELHORIA E QUALIDADE DOS PROCESSOS DE SOFTWARE EM EMPRESAS COM ESTABELECIMENTO EM MINAS GERAIS E DIFUSÃO DO MODELO MPS.BR (MELHORIA DE PROCESSO DO SOFTWARE BRASILEIRO)

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

InfoMix Tecnologia. SYSFARM Sistema de Gerenciamento de Farmácias. Especificação de Caso de Uso UC - 0001 - Efetuar Vendas. Versão 1.

InfoMix Tecnologia. SYSFARM Sistema de Gerenciamento de Farmácias. Especificação de Caso de Uso UC - 0001 - Efetuar Vendas. Versão 1. SYSFARM Sistema de Gerenciamento de Farmácias Especificação de Caso de Uso UC - 0001 - Efetuar Vendas Versão 1.0 Histórico de Revisão Data 23/10/2 009 Vers Descrição Autor ão 1.0 Versão inicial do documento

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura MANUAL DO PROPONENTE: ADMINISTRATIVO VERSÃO 1.0 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 08/01/2013 1.0 Criação do documento. Aline Oliveira - MINC 3 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO...

Leia mais

O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br

O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br Prof. Pasteur Ottoni de Miranda Junior Disponível em www.pasteurjr.blogspot.com 1-Estrutura do MPS-Br ( Softex, 2009) O MPS.BR1 é um programa mobilizador,

Leia mais

Documento de Casos de Uso. MC436 Introdução à Engenharia de Software Profª Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho

Documento de Casos de Uso. MC436 Introdução à Engenharia de Software Profª Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho Documento de Casos de Uso MC436 Introdução à Engenharia de Software Profª Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho 1. Índice 2. Introdução 3 3. Descrição dos atores 3 4. Diagrama de caso de uso 4 5. 5.1 5.2

Leia mais

Clóvis Diego Schuldt. Orientador: Prof. Wilson Pedro Carli

Clóvis Diego Schuldt. Orientador: Prof. Wilson Pedro Carli SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE MUDANÇAS DE AMBIENTES CORPORATIVOS BASEADO NA BIBLIOTECA ITIL Clóvis Diego Schuldt Orientador: Prof. Wilson Pedro Carli Roteiro da Apresentação Introdução Objetivos Fundamentação

Leia mais

É uma forma do engenheiro de requisitos especificar os limites e as funcionalidades do sistema.

É uma forma do engenheiro de requisitos especificar os limites e as funcionalidades do sistema. Definindo o Escopo: Modelo de Caso de Uso Agradei-me, particularmente, da possibilidade de que Joshua estivesse tão preso ao seu modo clássico de pensar que me permitisse realizar o incrível feito de chegar

Leia mais

A U T O R I Z O R R I GUIA DE INSTALAÇÃO W E B. Versão: 1.02 Agosto/2006 Versão: AW 4.004.006

A U T O R I Z O R R I GUIA DE INSTALAÇÃO W E B. Versão: 1.02 Agosto/2006 Versão: AW 4.004.006 A U T O R I Z A D O R W E B B I O M E T R I A GUIA DE INSTALAÇÃO Versão: 1.02 Agosto/2006 Versão: AW 4.004.006 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 UTILIZANDO A BIOMETRIA... 4 INSTALAÇÃO... 5 CADASTRO DA DIGITAL...15

Leia mais

UML - Unified Modeling Language

UML - Unified Modeling Language UML - Unified Modeling Language Casos de Uso Marcio E. F. Maia Disciplina: Engenharia de Software Professora: Rossana M. C. Andrade Curso: Ciências da Computação Universidade Federal do Ceará 24 de abril

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso (Parte 1)

Modelagem de Casos de Uso (Parte 1) Modelagem de Casos de Uso (Parte 1) Roteiro Introdução Descrição: Sistema de Ponto de Vendas Casos de Usos Atores Fluxo de Eventos Cenários Formato de Documentação de Casos de Uso Diagramas de Casos de

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos

Sistema de Automação Comercial de Pedidos Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos Cabana - Versão 1.0 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.5 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE DIÁRIAS DA MGS. Versão 1.0

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE DIÁRIAS DA MGS. Versão 1.0 MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE DIÁRIAS DA MGS Versão 1.0 SUMÁRIO 1. Descrição do Local de Acesso... 1 2. Módulo Registrar Diárias... 3 3. Módulo Aprovar Diárias... 11 4. Registrar Prestação de Contas...

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS

FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS PAULO ALBERTO BUGMANN ORIENTADOR: ALEXANDER ROBERTO VALDAMERI Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Definição e Implantação de um Processo de Software para o Núcleo de Práticas de uma Universidade

Definição e Implantação de um Processo de Software para o Núcleo de Práticas de uma Universidade Definição e Implantação de um Processo de Software para o Núcleo de Práticas de uma Universidade Micaelly P. Soares e Silva, Carla I. M. Bezerra, Camilo C. Almendra, Enyo José T. Gonçalves Universidade

Leia mais

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Ferramenta web para gerenciamento de projetos de software baseado no Scrum Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Introdução Roteiro da apresentação Objetivos do trabalho Fundamentação

Leia mais

Charles Sales Bicalho. Orientador: Prof. Dr. Oscar Dalfovo

Charles Sales Bicalho. Orientador: Prof. Dr. Oscar Dalfovo PROCESSOS DA ITIL: APLICAÇÃO PARA AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE MATURIDADE Charles Sales Bicalho Orientador: Prof. Dr. Oscar Dalfovo Roteiro da Apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Trabalhos

Leia mais

Sistema Gerenciador de Hotel. Adriano Douglas Girardello. Ana Paula Fredrich. Tiago Alexandre Schulz Sippert

Sistema Gerenciador de Hotel. Adriano Douglas Girardello. Ana Paula Fredrich. Tiago Alexandre Schulz Sippert UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Sistema Gerenciador de Hotel Adriano Douglas Girardello

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO

MANUAL DE UTILIZAÇÃO MANUAL DE UTILIZAÇÃO Módulo de operação Ativo Bem vindo à Vorage CRM! Nas próximas paginas apresentaremos o funcionamento da plataforma e ensinaremos como iniciar uma operação básica através do nosso sistema,

Leia mais

Universidade Federal Rural de Pernambuco. Bacharelado em Sistemas de Informação. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação

Universidade Federal Rural de Pernambuco. Bacharelado em Sistemas de Informação. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Universidade Federal Rural de Pernambuco Bacharelado em Sistemas de Informação Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Docente: Rodrigo Aluna: Thays Melo de Moraes Diagramas do Projeto

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

IBM Software Demos Rational Software Delivery Platform - Teste automatizado

IBM Software Demos Rational Software Delivery Platform - Teste automatizado Na parte final da demonstração, Jan, nossa testadora, usará o IBM Rational Functional Tester ou RFT para registrar um novo script de teste. O RFT está integrado ao IBM Rational Software Delivery Platform

Leia mais

Manual. ID REP Config Versão 1.0

Manual. ID REP Config Versão 1.0 Manual ID REP Config Versão 1.0 Sumário 1. Introdução... 3 2. Pré-Requisitos... 3 2.1. Atualização... 3 3. Instalação do ID REP Config... 4 4. Visão Geral do Programa... 6 4.1. Tela Principal... 6 4.2.

Leia mais

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge Manual do Usuário Versão 1.1 ExpressoMG 14/10/2015 Sumário 1. Apresentação... 4 1.1 Objetivos do Manual... 4 1.2 Público Alvo...

Leia mais

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Juarez Bachmann Orientador: Alexander Roberto Valdameri Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Ferramenta de gerenciamento de mudanças e configurações de infraestrutura de TI Acadêmico: Joni Rodrigo Manke Orientador: Cláudio Ratke Banca:

Ferramenta de gerenciamento de mudanças e configurações de infraestrutura de TI Acadêmico: Joni Rodrigo Manke Orientador: Cláudio Ratke Banca: Ferramenta de gerenciamento de mudanças e configurações de infraestrutura de TI Acadêmico: Joni Rodrigo Manke Orientador: Cláudio Ratke Banca: Everaldo Artur Grahl Jacques Robert Heckmann Roteiro Introdução;

Leia mais

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MANUAL

Leia mais

Especificação do Caso de Uso. Manter Cliente. Versão 1.0

Especificação do Caso de Uso. Manter Cliente. Versão 1.0 Especificação do Caso de Uso Manter Cliente Versão 1.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 27/05/2011 1.0 Elaboração do documento Isaque J. Barbosa Índice 1. Manter Cliente 3 1.1 Breve Descrição...

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

InfoMix Tecnologia. Soluções em Tecnologia da Informação. InfoMix Tecnologia Soluções em Tecnologia da Informação

InfoMix Tecnologia. Soluções em Tecnologia da Informação. InfoMix Tecnologia Soluções em Tecnologia da Informação SYSFARM Sistema de Gerenciamento de Farmácias Documento Caso de uso Manter Fluxo de Caixa. Versão 1.0. Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 20/10/2009 1.0 Especificação de Caso de Uso Manter

Leia mais

Documentação de um Produto de Software

Documentação de um Produto de Software Documentação de um Produto de Software Versão 3.0 Autora: Profª Ana Paula Gonçalves Serra Revisor: Prof. Fernando Giorno 2005 ÍNDICE DETALHADO PREFÁCIO... 4 1. INTRODUÇÃO AO DOCUMENTO... 6 1.1. TEMA...

Leia mais

MPOG Evolução do Portal do Software Público

MPOG Evolução do Portal do Software Público MPOG Evolução do Portal do Software Público Versão do Documento v 0.2 Modelo SISP: Especificação de Caso de Uso v 0.2 1/9 Data de Publicação: 26/05/2014 2/9 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor

Leia mais

Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando Alves Rodrigues 2, Silvio Francisco dos Santos 3

Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando Alves Rodrigues 2, Silvio Francisco dos Santos 3 DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA INFORMATIZADO PARA O CONTROLE DE PROCESSOS DA QUALIDADE NA DIRETORIA DE METROLOGIA CIENTÍFICA E INDUSTRIAL DIMCI/INMETRO. Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando

Leia mais

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Implementação Parte 3: Fundamentação para Implementação do Nível E do MR-MPS-SW:2012

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Implementação Parte 3: Fundamentação para Implementação do Nível E do MR-MPS-SW:2012 MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro Guia de Implementação Parte 3: Fundamentação para Implementação do Nível E do MR-MPS-SW:2012 Este guia contém orientações para a implementação do nível

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS

SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS Lilian R. M. Paiva, Luciene C. Oliveira, Mariana D. Justino, Mateus S. Silva, Mylene L. Rodrigues Engenharia de Computação - Universidade de Uberaba (UNIUBE)

Leia mais

Sistema para Reservas de Veículos de uma Cooperativa de Saúde. Ricardo Hoffmann Orientador: Wilson Pedro Carli

Sistema para Reservas de Veículos de uma Cooperativa de Saúde. Ricardo Hoffmann Orientador: Wilson Pedro Carli Sistema para Reservas de Veículos de uma Cooperativa de Saúde Ricardo Hoffmann Orientador: Wilson Pedro Carli Roteiro da Apresentação 1 Introdução 2 Objetivos 3 Fundamentação Teórica 4 Sistema Atual 5

Leia mais

PMAT. Sistema de Análise e Acompanhamento de Operações. Manual. Desenvolvido pelo BNDES AS/DEGEP

PMAT. Sistema de Análise e Acompanhamento de Operações. Manual. Desenvolvido pelo BNDES AS/DEGEP PMAT Sistema de Análise e Acompanhamento de Operações Manual 1 Índice 1. O que é o Sistema de Análise e Acompanhamento de Operações PMAT... 3 2. Acessando o sistema pela primeira vez Download... 3 3. Fluxogramas

Leia mais

FERRAMENTA PARA GERENCIAMENTO DE ARTEFATOS EM PROJETO DE MELHORIA NO PROCESSO DE TESTES.

FERRAMENTA PARA GERENCIAMENTO DE ARTEFATOS EM PROJETO DE MELHORIA NO PROCESSO DE TESTES. UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FERRAMENTA PARA GERENCIAMENTO DE ARTEFATOS EM PROJETO DE MELHORIA NO PROCESSO DE TESTES. Bruna Herkenhof Prof. Jacques R. Heckmann, Orientador

Leia mais

Programa 04/12/2008 05/12/2008. 1. Relato de experiência Integração de modelos CMMI, MPS.BR e ISO 9000 na 7COMm Sergio Esmério (7COMm)

Programa 04/12/2008 05/12/2008. 1. Relato de experiência Integração de modelos CMMI, MPS.BR e ISO 9000 na 7COMm Sergio Esmério (7COMm) Programa 04/12/2008 05/12/2008 1. Relato de experiência Integração de modelos CMMI, MPS.BR e ISO 9000 na 7COMm Sergio Esmério (7COMm) 2. A importância do fator humano no desenvolvimento de software Daniel

Leia mais

Manual do Instar Mail Sumário

Manual do Instar Mail Sumário Manual do Instar Mail Sumário 1 - Apresentação do sistema... 2 2 - Menu cliente... 2 3 - Menu Importação... 5 4 - Menu Campanhas... 9 5 - Menu banco de arquivos... 16 6 - Menu agendamento... 16 7 - Menu

Leia mais

MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S. Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick

MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S. Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe:

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe: Versão Documento de Requisitos Documento de Requisitos Equipe: Bruno Harada (bhhc) Edilson Augusto Junior (easj) José Ivson Soares da Silva (jiss) Pedro Rodolfo da Silva Gonçalves (prsg) Raphael

Leia mais

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização WebEDI - Tumelero Manual de Utilização Pedidos de Compra Notas Fiscais Relação de Produtos 1. INTRODUÇÃO Esse documento descreve o novo processo de comunicação e troca de arquivos entre a TUMELERO e seus

Leia mais

Testes de Software AULA 02 PLANEJANDO E ELABORANDO OS TESTES. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB

Testes de Software AULA 02 PLANEJANDO E ELABORANDO OS TESTES. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB Testes de Software 1 AULA 02 PLANEJANDO E ELABORANDO OS TESTES Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB Conteúdo Programático Aula 02 Planejamento dos Testes Plano de Teste Análise de Risco

Leia mais

Especificação de Caso de Uso

Especificação de Caso de Uso Versão: 1.1 Especificação de Caso de Uso UCCITES04 Versão: 1.1 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 03/09/2008 0.1 Criação do documento. Ana Ornelas 09/09/2008 0.2 Atualização gerais no documento.

Leia mais

ANEXO 04 PROCESSO E METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO PROCERGS MDP. Processo de Desenvolvimento de Sistemas

ANEXO 04 PROCESSO E METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO PROCERGS MDP. Processo de Desenvolvimento de Sistemas ANEXO 04 PROCESSO E METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO PROCERGS MDP Processo de Desenvolvimento de Sistemas MDP - Metodologia de Desenvolvimento PROCERGS - é uma estrutura básica de definição de processos

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA. Rodrigo Luiz da Rosa

ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA. Rodrigo Luiz da Rosa ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA Rodrigo Luiz da Rosa Estrela 2012 EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação TÍTULO: SISTEMA DE LOCADORA AUTOR:

Leia mais