O ANGLO RESOLVE A PROVA DA PUC-SP DO 2º DIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O ANGLO RESOLVE A PROVA DA PUC-SP DO 2º DIA"

Transcrição

1 O ANGLO RESOLVE A PROVA DA PUC-SP DO 2º DIA É trabalho pioneiro. Prestação de serviços com tradição de confiabilidade. Construtivo, procura colaborar com as Bancas Examinadoras em sua tarefa árdua de não cometer injustiças. Didático, mais do que um simples gabarito, auxilia o estudante em seu processo de aprendizagem. O Concurso Vestibular da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo seleciona candidatos para os cursos de diversas instituições: PUC-SP, Faculdade de Medicina do ABC, Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo, Faculdade de Medicina de Marília (estadual) e Faculdades SENAC. É realizado em uma única fase, que se divide em dois dias. A prova do 1º dia consta de 81 testes de múltipla escolha, valendo 10 pontos cada, sendo nove de cada disciplina: Língua Portuguesa, Literatura, Biologia, Língua Estrangeira (Inglês ou Francês), História, Geografia, Física, Matemática e Química. A prova do 2º dia é constituída de 4 questões analítico- -expositivas interdisciplinares: uma de Redação (150 pontos), uma de História e Geografia (80 pontos), uma de Matemática e Física (80 pontos) e uma de Biologia e Química (80 pontos). As provas e disciplinas não têm peso, e a pontuação final é a soma das notas obtidas.

2 H O 2 A água é fundamental para os seres vivos, por isso resolvemos abordar alguns aspectos desse tema para poder dialogar com você.

3 Biologia e Química A água é fundamental para a existência dos seres vivos e eles apresentam diversas estratégias para obtê-la do meio em que vivem. Por exemplo, a maioria das plantas absorve a água que está disponível no solo. Para o desenvolvimento da agricultura em regiões áridas, torna-se necessário disponibilizar água no solo, o que é feito por meio de técnicas de irrigação. Entretanto, em certas regiões extensivamente irrigadas, pode ocorrer a salinização do solo, tornando-o infértil, pois, à medida que a água evapora, os sais se acumulam no solo e, quando isso acontece, as células das raízes das plantas passam a perder água ao invés de absorvê-la. 4 PUC-SP/2002 ANGLO VESTIBULARES

4 Um experimento realizado em laboratório, a 27 C, ilustra o processo de passagem da água pelas membranas celulares. No caso, foi utilizado uma membrana semipermeável, cuja característica é permitir a passagem do solvente e não do soluto. EXPERIMENTO 1 Líquido A: 500 ml de água. Líquido B: 500 ml de solução aquosa contendo 11,7 g de cloreto de sódio (NaCl). INÍCIO APÓS O EQUILÍBRIO 500 ml A B MEMBRANA SEMI-PERMEÁVEL EXPERIMENTO 2 Líquido B: 500 ml de solução aquosa contendo 11,7 g de cloreto de sódio (NaCl). Líquido C: 500 ml de solução aquosa contendo 23,4 g de cloreto de sódio. INÍCIO APÓS O EQUILÍBRIO 500 ml B C MEMBRANA SEMI-PERMEÁVEL Com base nas informações apresentadas e em seus conhecimentos de Biologia e Química, elabore um texto sucinto que contemple as seguintes questões: explique o ocorrido nos experimentos 1 e 2, indicando o nome desse fenômeno. Relacione esses experimentos com o fato de as raízes das plantas absorverem a água fornecida pela irrigação ou perderem água quando o solo está salinizado. determine a concentração em mol/l e a pressão osmótica da solução B, considerando a dissociação total do cloreto de sódio. Indique os cálculos. apresente o procedimento para a preparação de 500mL de uma solução de glicose (C 6 H 12 O 6 ) isotônica (mesma pressão osmótica) da solução B. Indique o cálculo para determinar a concentração dessa solução de glicose, bem como o procedimento para prepará-la, citando a aparelhagem necessária. tanto nas células animais quanto nas células vegetais ocorre entrada e saída de moléculas de água. Observou-se que uma célula animal colocada em um recipiente contendo água pura aumentou seu volume até estourar; entretanto, em uma célula vegetal, houve a entrada de um certo volume de água, mas não houve o rompimento da célula. Explique essas observações, relacionando os diferentes efeitos observados com a estrutura dos dois tipos de células e com o conceito de pressão osmótica. Dados: P osmótica = CRTi, onde C é a concentração em mol/l, R é a constante dos gases perfeitos (R = 0,082atm L/mol K) T é a temperatura em Kelvin i é o fator de van t Hoff massa molar do NaCl = 58,5g/mol massa molar da glicose = 180g/mol PUC-SP/2002 ANGLO VESTIBULARES 5

5 RESOLUÇÃO: Nos experimentos 1 e 2, a água atravessou a membrana semipermeável da solução de menor concentração para a solução mais concentrada. Esse fenômeno é chamado de osmose. Na irrigação, as raízes absorvem, por osmose, água da solução do solo, por ser esta menos concentrada do que a solução interna dos vacúolos celulares. Em solos salinos, ao contrário, a concentração da solução do solo é maior do que a da solução celular, ocorrendo saída de água das raízes por osmose. Volume da solução = 500mL = 0,5L = V(L) massa do soluto (NaCl) = 11,7g = m 1 Massa Molar NaCl = 58,5g mol 1 = M 1 Molaridade ou concentração em mol/l m C = ηη = 1 M1 V( L) 11, 7g = 04, mol / L 1 58, 5g mol 0, 5L NaCl Na + + Cl 1 mol mol 1 mol i = 2 T = 27 C = 300K R = 0,082 atm L mol 1 K 1 P osmótica = C R T i 0, 4 mol 0, 082 atm L 300 K P osmótica = L mol K P osmótica = 19,68atm 2 Como as soluções de NaCl e de glicose são isotônicas, teremos: P osmótica (sol. Glicose) = P osmótica (sol. NaCl) ou CRT = C RTi onde C = concentração em mol/l i = fator de van t Hoff do NaCl. Admitindo-se α = 100%, vem que i = 2 CRT = C RT2 Mantendo-se a temperatura constante, pode-se cancelar o produto RT: C = 2C Como C = 0,4 mol/l de NaCl, calcula-se: C = 2(0,4 mol/l) = 0,8 mol/l de glicose. Cálculo da concentração em g/l: 1 mol (glicose) 180g m = 144 g 0,8 mol m Como o volume desejado de solução é 500mL, a massa necessária de glicose será igual a 72 g. O procedimento para preparar tal solução será, por exemplo, pesar 72g de glicose e dissolver essa massa em água suficiente para 500mL de solução, utilizando-se um balão volumétrico aferido para esse volume. 123 Em qualquer célula, seja ela animal ou vegetal, as soluções internas são mais concentradas do que a água pura. Ambas têm, portanto, uma pressão osmótica maior do que a do meio em que estão mergulhadas e, devido a isso, absorvem água. No caso da célula animal, a absorção ultrapassa o limite de resistência da membrana plasmática, que acaba por se romper. Na célula vegetal, a presença de uma membrana celulósica externa à membrana plasmática, de elasticidade limitada porém de grande resistência, permite a entrada de água até o estado de turgescência máxima, não ocorrendo ruptura celular. 6 PUC-SP/2002 ANGLO VESTIBULARES

6 Física e Matemática Normalmente, quando andamos sob chuva, as gotas que caem não nos machucam. Isso ocorre porque as gotas d água não estão em queda livre, mas sujeitas a um movimento no qual a resistência do ar não pode ser desconsiderada. A resistência do ar é uma força cujo sentido é sempre contrário ao sentido do movimento do objeto e seu valor é tanto maior quanto maior for a velocidade do corpo em movimento. Para uma gota em queda, a velocidade aumenta até um valor máximo denominado velocidade limite. Como as gotas têm, em geral, pequena massa e baixa velocidade limite em média 18km/h o impacto, normalmente, não nos causa sensação dolorosa. Os textos abaixo se relacionam com o descrito. Leia-os com atenção e responda o que se solicita. TEXTO 1 CORTANDO O AR Vencer a resistência do ar ao deslocamento do carro é função da aerodinâmica. A forma ideal de qualquer modelo seria a criada pela natureza na gota d água, explica o chefe de Design da Volkswagen do Brasil, Luiz Alberto Veiga (que preparou para o jornal O Estado de S. Paulo os desenhos do quadro abaixo). A gota d água: aerodinamicamente perfeita EM BUSCA DO MODELO IDEAL Modelos hatch têm mais problemas de aerodinâmica, porque criam áreas de maior turbulência atrás o efeito desentupidor de pia, que dificulta o avanço. O desenho dos sedãs e cupês permite que o ar flua com mais facilidade ao longo da carroceria, reduzindo a turbulência e, portanto, o repuxo. A forma ideal de carro seria a de uma gota cortada longitudinalmente: isso não provocaria turbulência atrás, facilitando o deslocamento. TEXTO 2 CALCULANDO A FORÇA DE RESISTÊNCIA DO AR Qualquer objeto em movimento com velocidade v sujeito à resistência do ar (F res ), tem a ele associado um número chamado coeficiente de arrasto aerodinâmico, indicado por C x. Quanto menor o coeficiente, melhor a aerodinâmica. O C x é uma grandeza adimensional e seu valor para automóveis, normalmente, varia entre 0,3 e 0,9. A área (A) do objeto, voltada para o movimento, também, tem uma influência importante na resistência do ar. Para entender que área é essa, observe-a, por exemplo, na figura ao lado: Outro fator importante a considerar é a densidade do ar (d). Um mesmo objeto, movimentando-se a uma mesma velocidade, sofre menor resistência em um local em que o ar seja menos denso. Há uma fórmula que relaciona todas as grandezas que discutimos até aqui e que permite calcular o valor da força de resistência do ar que atua sobre os objetos na maioria das situações: 1 F res = d A C x v 2 2 PUC-SP/2002 ANGLO VESTIBULARES 7

7 INSTRUÇÕES: Nas respostas lembre-se de deixar seus processos de resolução claramente expostos. Não basta escrever apenas o resultado final. É necessário mostrar os cálculos ou o raciocínio utilizado. Sempre que necessário, utilize g = 10m/s 2. QUESTÕES A) De acordo com as informações contidas nos textos e figuras, analise as ilustrações abaixo e identifique qual dos veículos possui o maior valor para o coeficiente de arrasto aerodinâmico. Justifique. CARRO A CARRO B B) Suponha uma gota de chuva, em queda livre, após desprender-se de uma nuvem situada a 1280m de altura. Calcule a velocidade da gota ao atingir o solo e determine quantas vezes o valor encontrado é maior do que a velocidade limite citada no texto de introdução. Considere a gota inicialmente em repouso em relação ao solo. C) O fato de as gotas de chuva atingirem a velocidade limite indica uma situação em que foi atingido o equilíbrio dinâmico. Quais forças se equilibram, a partir desse momento? Identifique o tipo de movimento que será executado pela gota a partir desse instante, justificando sua resposta. D) Considere uma gota de chuva de massa 0,2g, em situação de equilíbrio dinâmico. Para a expressão 1 dada no texto 2, assuma o produto d A como uma constante de valor (unidades do 2 Sistema Internacional). Calcule o valor de C x para a gota de chuva considerando que a velocidade limite em sua queda é de 5m/s. E) Numa boa aproximação, uma gota d água pode ser considerada como o resultado da união de dois sólidos: uma semi-esfera e um cone (veja a figura seguinte). Calcule a relação entre a altura (h) do cone e o raio (R) da semi-esfera, considerando que seus volumes são iguais. Altura (h) Raio (R) 8 PUC-SP/2002 ANGLO VESTIBULARES

8 RESOLUÇÃO: A) De acordo com o texto, o carro que apresenta mais problemas de aerodinâmica e, portanto, maior coeficiente de arrasto aerodinâmico é o modelo hatch, correspondendo ao carro A. B) Um corpo em queda livre, abandonado de uma altura h, atinge o solo com velocidade v = 2gh v = v = 160 m/ s Como a velocidade limite da gota, com resistência do ar, é 18km/h = 5m/s, temos que a velocidade em queda livre é 32 vezes a velocidade limite. C) Marcando-se as forças na gota e desconsiderando-se o empuxo: F res P = peso da gota F res = força de resistência do ar. P O movimento é retilíneo uniforme, pois, como indica o texto, a gota está em equilíbrio dinâmico. 1 D) F res = P d A C x v 2 = mg C x 5 2 = C x = 0,1 1 4 E) Semi-esfera: V 1 = π R Cone: V 2 = π R 2 h 3 Considerando-se V 1 = V 2 : π R 3 1 = π R 2 h h = 2 R Comentário: Segundo o enunciado, o sentido da força de resistência do ar é sempre contrário ao sentido do movimento do objeto, o que nem sempre é verdade. PUC-SP/2002 ANGLO VESTIBULARES 9

9 Geografia e História Os rios brasileiros tiveram grande importância ao longo da história e em várias partes do país: facilitaram a penetração para o interior, serviram de apoio para as formas de exploração e colonização do território, articularam e integraram regiões distantes. Com corredeiras fortes, encachoeirados e, sobretudo, porque desciam para o interior do planalto, os rios pouco serviam àquela sociedade que só queria correr para o mar. A economia brasileira se constitui olhando sempre para o exterior: este foi o sentido da colonização moderna. Mesmo quando penetrou fundo nas Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso, no século XVIII, o objetivo do colono era trazer o ouro e as pedras para o litoral e, de lá exportar para a Europa. Os rios paulistas serviam para integração com outras regiões, mas não com a metrópole. (Dora Shellard CORRÊA. A água no olhar da história.são Paulo, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, 1999) As oito grandes bacias hidrográficas brasileiras segundo classificação proposta pela Aneel e a rede hidrometeorológica controlada pelos satélites Argos e SCD1 Fonte: Atlas Hidrológico do Brasil ANEEL SRH/MMA IBAMA Numa região como a Amazônia, o transporte hidroviário é, para a maior parte da população, a base de seu diálogo com o país, uma vez que os vínculos aéreos permanecem restritos a uma pequena camada da sociedade. Além de Belém e Manaus, destacam-se os portos de Munguba, Santarém e, certamente, Porto Velho. (Milton SANTOS e Maria Laura SILVEIRA. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro, Record, 2001) CONSIDERANDO AS INFORMAÇÕES, REDIJA UMA DISSERTAÇÃO CONTENDO análise comparativa da forma como os rios da região Amazônica, do Nordeste e do Sul-Sudeste foram utilizados na exploração e formação do território brasileiro tendo como referência os contextos históricos pré e pós-independência política; avaliação da situação atual desses rios e de sua importância para os sistemas de transporte, de energia e de abastecimento; citação e análise de alguns exemplos da condição ambiental apresentada atualmente pelos rios. IMPORTANTE Não reproduza os textos utilizados no enunciado ou nas citações feitas nesta prova; A avaliação levará em consideração a clareza e a objetividade na exposição, a capacidade argumentativa e a profundidade na abordagem do tema. 10 PUC-SP/2002 ANGLO VESTIBULARES

10 RESOLUÇÃO: Considerando as informações apresentadas, os candidatos devem ter redigido uma dissertação em que foram desenvolvidos alguns dos itens históricos e geográficos apresentados abaixo. Sobre a exploração e a formação do território brasileiro, tendo como referência os contextos históricos pré e pós-independência política: 1. Região Amazônica: No Período Colonial os rios constituíram estradas naturais da floresta para a penetração, o reconhecimento e a ocupação do território. O mito do Eldorado, que moveu os pioneiros rumo ao interior, e as chamadas drogas do sertão impulsionaram o movimento de ocupação facilitado pela rede fluvial, que serviu ao escoamento dos produtos extraídos. No período pós-independência o extrativismo e os transportes prosseguiram como atividades básicas, e o látex dos seringais veio enriquecer produtores e cidades especializados na produção da borracha, entre a última década do século XIX e as duas primeiras do XX. 2. Região Nordeste: No Período Colonial a Bacia do Rio São Francisco serviu à expansão territorial, junto com outros rios, como base dos transportes e das atividades pecuárias. Nesse quadro, a ocupação se deu por populações ralas e dispersas. No período pós-independência, a pecuária continuou vinculada à vida ribeirinha, que passou também a se desenvolver com base na agricultura irrigada. Nas últimas décadas do século XX, a importância dos rios na região foi significativamente aumentada pelas hidrelétricas construídas. 3. Região Sul-Sudeste: No Período Colonial o rio Tietê serviu à penetração bandeirante, celebrizando as monções que levaram os paulistas aos sertões do Centro-Oeste. Os rios Paraná e Uruguai foram rotas para o transporte do couro produzido pelas fazendas pecuaristas e também para o abastecimento das zonas mineradoras do Mato Grosso. No período pós-independência a bacia Platina serviu à rede de comunicações e de transportes para o interior de Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, além de Mato Grosso e Goiás. Sua importância provocou focos de tensão traduzidos nas várias e sangrentas guerras platinas do Império. No século XX a rede fluvial viveu o renascimento do transporte hidroviário e tornou-se rico manancial gerador de energia, com a construção das hidrelétricas que alimentam amplos mercados do Sul-Sudeste. Na atualidade, a situação dos rios quanto a transporte, energia, abastecimento e condição ambiental é a seguinte: 1. Região Amazônica (Bacias do Amazonas e do Araguaia-Tocantins) Rios são essenciais para as populações ribeirinhas, que os utilizam para o transporte, o abastecimento de água e a produção de alimentos (pescado). Servem ainda para o escoamento das produções agrominerais desenvolvidas na região nas últimas décadas e para a entrada de bens industriais, matérias-primas e outras mercadorias para atender a população e os mercados produtivos locais. Maior potencial hidrelétrico disponível no país, embora pouco aproveitado devido ao baixo consumo regional de energia, às dificuldades naturais e à grande distância dos mercados consumidores mais desenvolvidos. O maior aproveitamento ocorre no rio Tocantins, graças à construção da hidrelétrica de Tucuruí, uma das maiores do país. Não há problemas de falta de água para abastecimento da população e da indústria em toda a região. Inúmeros problemas ambientais atingem os rios das bacias dessa região, com destaque para os seguintes: * contaminação das águas pelo mercúrio utilizado no garimpo de ouro; * intensificação do assoreamento dos rios pelo desmatamento de áreas próximas às margens; * contaminação das águas dos rios que cortam as cidades, devido ao lançamento de esgoto e efluentes industriais. 2. Região Nordeste (Bacias do Nordeste, do São Francisco e do Leste) A navegação é hoje pouco utilizada nessa região, destacando-se trechos dos rios Parnaíba e São Francisco, por onde se deslocam passageiros e mercadorias de importância restrita à região. Há um intenso aproveitamento hidrelétrico do rio São Francisco, onde se destacam as usinas de Sobradinho e Paulo Afonso. PUC-SP/2002 ANGLO VESTIBULARES 11

11 O abastecimento de água em algumas grandes cidades, como Salvador e Vitória, por exemplo, depende dos rios da Bacia do Leste. Nas margens do São Francisco encontram-se fazendas que utilizam suas águas para abastecer os maiores projetos de irrigação do país. Há grave problema de abastecimento de água para uma grande parte da população que vive no Polígono das Secas, pois nessa área os rios são temporários. Ocorre grave problema de assoreamento no rio São Francisco, devido ao desmatamento de suas cabeceiras. Muitos rios da Bacia do Leste estão poluídos por esgotos e efluentes industriais. 3. Região Sul-Sudeste (Bacias do Paraná-Paraguai, do Uruguai e do Sudeste) Graças à ação humana, houve uma intensificação do uso dos rios da Bacia do Paraná-Paraguai para o transporte de carga, com destaque para a hidrovia Tietê-Paraná e trechos do rio Paraguai. Os rios da Bacia do Paraná têm a maior potência hidrelétrica instalada do Brasil, graças à presença de rios de planalto e à proximidade de grandes mercados consumidores. É a região onde se encontram as bacias mais utilizadas para o abastecimento de água de uso urbano, industrial e agrícola, como resultado do desenvolvimento econômico e da concentração humana. Graves problemas ambientais atingem os rios das bacias do Sul-Sudeste, dificultando e encarecendo o tratamento de suas águas, com destaque para os seguintes: * excesso de desmatamento causado pelo rápido crescimento urbano e pela expansão agrícola; * crescente poluição por lançamento de esgotos, efluentes industriais e agrotóxicos; * poluição com resíduos provenientes da exploração mineral, em especial do carvão e do ferro. 12 PUC-SP/2002 ANGLO VESTIBULARES

12 Redação LEIA COM ATENÇÃO Observe com cuidado cada uma das imagens, verifique as possíveis relações entre elas e extraia delas o seu tema. Redija, em prosa, um texto dissertativo procurando responder a questão formulada pelo filósofo Jostein Gaarder em um de seus livros. Crie um título coerente com seu texto. ATÉ QUE PONTO VOCÊ CONSIDERA O FUTURO DESTE RARO PLANETA RESPONSABILIDADE SUA? ALDEIA NAZARÉ (AM) ONDE OS ÍNDIOS AINDA CONSEGUEM VIVER COMO SEUS ANTEPASSADOS (VEJA 24/12/1997) ESGOTO A CÉU ABERTO NO IGARAPÉ DOS FRANCESES, REGIÃO CENTRO-OESTE DE MANAUS (FOLHA DE S. PAULO 03/11/2001) Oceanos 97% Toda a água Calota de gelo 79% e geleiras Água doce 3% Água doce Água subterrânea 20% Lagos 52% Água no interior dos organismos vivos...1% Rios...1% Vapor d água Atmosférica... 8% Água doce superficial de fácil acesso 1% Umidade do solo 38% SECA NA REPRESA DE LOS LAURELES EM TEGUCIGALPA HONDURAS (FOLHA DE S. PAULO 25/07/2001) PUC-SP/2002 ANGLO VESTIBULARES 13

13 SUJEIRA ACUMULADA NA SUPERFÍCIE DO RIO TIETÊ, EM PIRAPORA DO BOM JESUS (SP) (FOLHA DE S. PAULO 24/06/2001) AMAZÔNIA RIO ENVENENADO PELO MERCÚRIO DOS GARIMPOS (VEJA 24/12/1999) GENÁRIO ROCHA DA SILVA, DESEMPREGADO, TENTA PESCAR TILÁPIAS EM UMA LAGOA DA VÁRZEA DO RIO TIETÊ NO ITAIM PAULISTA (FOLHA DE S. PAULO 06/05/2001) Passe a limpo, a tinta, sua redação, no espaço a ela reservado. O rascunho não será considerado. Seu trabalho será avaliado de acordo com os seguintes critérios: espírito crítico; adequação do título/texto ao desenvolvimento do tema; padrão culto da língua; estrutura textual compatível com o tipo de texto proposto. Baptistão (pesquisa Fapesp 1/12/2000) 14 PUC-SP/2002 ANGLO VESTIBULARES

14 RESOLUÇÃO: ANÁLISE DA PROVA Para se iniciar a abordagem da prova de redação, cabe observar que a PUC/SP, desta vez, explicitou uma questão para orientar o posicionamento (o ponto de vista) do enunciador: Até que ponto você considera o futuro deste raro planeta responsabilidade sua? O principal pressuposto da pergunta de Jostein Gaarder é que os indivíduos têm a responsabilidade sobre o futuro do planeta, diante da evidência da deterioração de recursos naturais, conseqüentemente de recursos humanos. O candidato deveria deter-se no grupo nominal raro planeta : o planeta é raro porque possui água (ironicamente, em maior quantidade do que terra, que lhe empresta o nome), da qual depende a vida; a questão temática focaliza, portanto, um grande paradoxo: a água, essencial para a vida, é destruída pelo homem. Uma possível abordagem Aparecem na proposta três imagens da Amazônia, que podem ser lidas em progressão. A primeira, retratando índios da Aldeia Nazaré, apresenta a natureza em estado selvagem, em que a água é abundante e limpa. A legenda esclarece que esse é um quadro raro nos dias de hoje, correndo risco de desaparecer, conforme se depreende do trecho: os índios ainda conseguem viver como seus antepassados. Na segunda imagem, nota-se a ocupação desordenada do espaço: sem a devida infra-estrutura, que inclui também rede de esgoto, os habitantes acabam por poluí-lo, como mostra a foto do esgoto a céu aberto na região centro-oeste de Manaus. A terceira imagem se refere ao envenenamento de um rio caudaloso pelo mercúrio dos garimpos, revelando o resultado danoso da ação irresponsável do homem no meio ambiente. Supondo-se as três imagens dispostas em progressão, enquanto a primeira focaliza homem e natureza em relação de cumplicidade, em harmonia, as outras duas denunciam uma relação de polêmica, de desarmonia entre ambos. É possível inferir, portanto, que o futuro do planeta, associado à imagem ideal dos índios da Aldeia Nazaré,só será possível se o homem se compatibilizar com a natureza, fonte de vida, e criar soluções políticas para que ela seja preservada. Além das imagens da Amazônia, há duas de São Paulo. Na primeira, destaca-se a sujeira acumulada na superfície do rio Tietê na região de Pirapora do Bom Jesus, tornando a água imprópria para o aproveitamento. As casas comerciais e os prédios, ao fundo, de um colorido artificial, remetem ao problema do desenvolvimento desregrado, que desconsidera o meio ambiente. Na segunda imagem do mesmo rio, agora no Itaim Paulista, zona leste de São Paulo, um desempregado tenta pescar em uma lagoa visivelmente poluída. Traduzindo: ações irresponsáveis tornaram uma fonte de subsistência num depósito de lixo. Como final da progressão de imagens iniciada com a Aldeia Nazaré, a foto da seca em Honduras ilustra uma das conseqüências mais nocivas da interferência inconseqüente do homem no meio: a total ausência de água. Ressalta-se, ainda, que o problema não é pontualmente brasileiro, mas faz parte da falta de consciência generalizada, mundial. Os gráficos de setores a respeito da Distribuição da água no planeta constituem argumentos de prova concreta sobre o problema da escassez de água na Terra. Considerando-se a premissa de que a água doce é vital para a sobrevivência humana, é estarrecedor constatar que, de todas as águas do planeta, só 3% são doces. Além disso, há um complicador: apenas 1% da água doce (0,03% da água do planeta) é superficial, de fácil acesso. Por fim, segundo o último gráfico, uma parte da água doce existente é de difícil aproveitamento, como a que se encontra no interior dos organismos vivos e na umidade do solo. Na charge de Baptistão, um sujeito bebe distraído (ou cínico ou inconsciente) um copo de água, enquanto, a seu lado, a água de um bebedouro (cujo galão é ironicamente um globo terrestre) é desperdiçada. A idéia da charge é clara: a água do planeta não é infinita, mas os homens, que precisam dela, não se percebem responsáveis por sua preservação. PUC-SP/2002 ANGLO VESTIBULARES 15

15 Comentários Química e Biologia A questão foi bem escolhida, pois abordou um assunto importante em um grau de dificuldade adequado. Física e Matemática Questões bem propostas, avaliando as habilidades e competências do candidato em estabelecer relações, ler um texto e contextualizar a matéria com o cotidiano. Geografia e História Prova bastante abrangente, que exigiu dos candidatos a capacidade de relacionar dados de caráter histórico e geográfico da realidade regional brasileira. Redação Além de propor um tema transversal, que encontra ressonâncias em várias disciplinas, permitindo um amplo diálogo entre elas, a versão 2002 da PUC/SP inova no plano formal e no conteudístico, se é que é possível separá-los. Quanto ao primeiro, seleciona imagens belíssimas, convincentes, atuais, que, por si sós, criam uma polêmica de que o candidato é convidado a participar. Em relação ao segundo, o tema, que em outras provas se distanciava do universo de questionamento e informações do vestibulando, nesta remete a referências e debates do cotidiano de qualquer estudante. Outra inovação é bem-vinda: a delimitação do tipo de texto, isto é, dissertativo, com que se pode avaliar a capacidade de expor um ponto de vista e defendê-lo com argumentação eficiente, vazada numa linguagem correta. A prova, em sintonia com o mundo atual da multimídia, é um convite para que o jovem possa ler textos visuais explorando-os além da realidade opaca, que os impermeabiliza pela repetição intensa. 16 PUC-SP/2002 ANGLO VESTIBULARES

Resposta. M C M m 11,7 g. V V M V 58,5 g 0,5 L

Resposta. M C M m 11,7 g. V V M V 58,5 g 0,5 L 1 A água é fundamental para a existência dos seres vivos e eles apresentam diversas estratégias para obtê-la do meio em que vivem. Por exemplo, a maioria das plantas absorve a água que está disponível

Leia mais

BIOLOGIA E QUÍMICA EXPERIMENTO 1

BIOLOGIA E QUÍMICA EXPERIMENTO 1 BIOLOGIA E QUÍMICA A água é fundamental para a existência dos seres vivos e eles apresentam diversas estratégias para obtê-la do meio em que vivem. Por exemplo, a maioria das plantas absorve a água que

Leia mais

Águas Continentais do Brasil. Capítulo 11

Águas Continentais do Brasil. Capítulo 11 Águas Continentais do Brasil Capítulo 11 As reservas brasileiras de água doce O Brasil é um país privilegiado pois detém cerca de 12% da água doce disponível no planeta; Há diversos problemas que preocupam:

Leia mais

A HIDROSFERA. Colégio Senhora de Fátima. Disciplina: Geografia 6 ano Profª Jenifer Tortato

A HIDROSFERA. Colégio Senhora de Fátima. Disciplina: Geografia 6 ano Profª Jenifer Tortato A HIDROSFERA Colégio Senhora de Fátima. Disciplina: Geografia 6 ano Profª Jenifer Tortato A HIDROSFERA A água é o mais abundante solvente natural que atua no sentido de desagregar, ou seja, fragmentar

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2ª PROVA PARCIAL DE GEOGRAFIA

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2ª PROVA PARCIAL DE GEOGRAFIA COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 2ª PROVA PARCIAL DE GEOGRAFIA Aluno(a): Nº Ano: 7º Turma: Data: 02/06/2012 Nota: Professor(a): EDVALDO DE OLIVEIRA Valor da Prova: 40 pontos Orientações

Leia mais

1) INSTRUÇÃO: Para responder à questão, considere as afirmativas a seguir, sobre a Região Nordeste do Brasil.

1) INSTRUÇÃO: Para responder à questão, considere as afirmativas a seguir, sobre a Região Nordeste do Brasil. Marque com um a resposta correta. 1) INSTRUÇÃO: Para responder à questão, considere as afirmativas a seguir, sobre a Região Nordeste do Brasil. I. A região Nordeste é a maior região do país, concentrando

Leia mais

Recursos Hídricos GEOGRAFIA DAVI PAULINO

Recursos Hídricos GEOGRAFIA DAVI PAULINO Recursos Hídricos GEOGRAFIA DAVI PAULINO Bacia Hidrográfica Área drenada por um conjunto de rios que, juntos, formam uma rede hidrográfica, que se forma de acordo com elementos fundamentais como o clima

Leia mais

Exercícios de Propriedades Coligativas e Coloides

Exercícios de Propriedades Coligativas e Coloides Exercícios de Propriedades Coligativas e Coloides 1. Considere o gráfico da pressão máxima de vapor em função da temperatura para um solvente puro e para uma solução desse solvente contendo um soluto molecular

Leia mais

Núcleo União Pró-Tietê. Água : O ouro azul do planeta

Núcleo União Pró-Tietê. Água : O ouro azul do planeta Núcleo União Pró-Tietê Água : O ouro azul do planeta Água A água é um mineral, elemento químico simples (H 2 O) fundamental para o planeta. Forma oceanos, geleiras, lagos e rios. Cobre ¾ da superfície

Leia mais

Este caderno contém exercícios de fixação e passatempos sobre os temas: Água no cotidiano - Módulo 1. A oferta de água - Módulo 2

Este caderno contém exercícios de fixação e passatempos sobre os temas: Água no cotidiano - Módulo 1. A oferta de água - Módulo 2 professor Este caderno contém exercícios de fixação e passatempos sobre os temas:. Mapa conceitual sobre Água: Água no cotidiano - Módulo que são em três estados físicos A oferta de água - Módulo 2 é encontrada

Leia mais

Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose

Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose 01. (Pucsp) Osmose é a difusão do solvente através de uma membrana semipermeável do meio menos concentrado para o meio mais concentrado. A pressão osmótica

Leia mais

Profª: Sabrine V. Welzel

Profª: Sabrine V. Welzel Geografia 6 Ano Águas Continentais e Oceânicas 1 - Observe a imagem a seguir e explique com suas palavras sobre o que se trata: 2 Complete os espaços em branco com palavras abaixo destacadas: Solos subterrâneas

Leia mais

Bacia Hidrográfica ou Bacia de drenagem de um curso de água é o conjunto de terras que fazem a drenagem da água das precipitações para esse curso de

Bacia Hidrográfica ou Bacia de drenagem de um curso de água é o conjunto de terras que fazem a drenagem da água das precipitações para esse curso de Hidrografia Bacia Hidrográfica ou Bacia de drenagem de um curso de água é o conjunto de terras que fazem a drenagem da água das precipitações para esse curso de água. É uma área e, como tal, mede-se em

Leia mais

Propriedades coligativas

Propriedades coligativas Química Aula de Revisão 9 3 os anos Décio ago/09 Nome: Nº: Turma: Propriedades coligativas Objetivo O objetivo dessa ficha é dar continuidade à revisão do 3º ano Química, dos assuntos mais significativos.

Leia mais

LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA

LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA AS ÁGUAS DE SUPERFÍCIE Os rios são cursos naturais de água doce. Eles podem se originar a partir do derretimento de neve e de geleiras, de um lago ou das águas das

Leia mais

Mudanças de estado da água: fusão, solidificação, evaporação, ebulição, condensação...

Mudanças de estado da água: fusão, solidificação, evaporação, ebulição, condensação... PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= Mudanças de estado

Leia mais

Respostas das questões sobre as regiões do Brasil

Respostas das questões sobre as regiões do Brasil Respostas das questões sobre as regiões do Brasil Região Norte 1. Qual a diferença entre região Norte, Amazônia Legal e Amazônia Internacional? A região Norte é um conjunto de 7 estados e estes estados

Leia mais

O Q UE U É HIDRO R GRA R FIA? A

O Q UE U É HIDRO R GRA R FIA? A HIDROGRAFIA BRASILEIRA O QUE É HIDROGRAFIA? A hidrografia é o ramo da geografia física que estuda as águas do planeta, abrangendo, rios, mares, oceanos, lagos, geleiras, água do subsolo e da atmosfera.

Leia mais

ÁGUA. Água conhecida como elemento vital. primitivas. evoluídas. História da humanidade relação simples e intrínseca: Homem/Água.

ÁGUA. Água conhecida como elemento vital. primitivas. evoluídas. História da humanidade relação simples e intrínseca: Homem/Água. ÁGUA Água conhecida como elemento vital Comunidades primitivas evoluídas Água Sobrevivência História da humanidade relação simples e intrínseca: Homem/Água. Civilizações mais primitivas comunidades nômades

Leia mais

Ciclo hidrológico. Distribuição da água na Terra. Tipo Ocorrência Volumes (km 3 ) Água doce superficial. Rios. Lagos Umidade do solo.

Ciclo hidrológico. Distribuição da água na Terra. Tipo Ocorrência Volumes (km 3 ) Água doce superficial. Rios. Lagos Umidade do solo. Ciclo hidrológico Quase toda a água do planeta está concentrada nos oceanos. Apenas uma pequena fração (menos de 3%) está em terra e a maior parte desta está sob a forma de gelo e neve ou abaixo da superfície

Leia mais

1 (0,5) Dos 3% de água doce que estão na superfície terrestre, onde estão concentradas as grandes parcelas dessas águas? R:

1 (0,5) Dos 3% de água doce que estão na superfície terrestre, onde estão concentradas as grandes parcelas dessas águas? R: Data: / /2014 Bimestre: 3 Nome: 6 ANO Nº Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Valor da Atividade: 2,0 (Dois) Nota: GRUPO 6 1 (0,5) Dos 3% de água doce que estão na superfície terrestre, onde estão

Leia mais

RESOLUÇÕES E RESPOSTAS

RESOLUÇÕES E RESPOSTAS GEOGRAFIA 1 GRUPO CV 10/2009 RESOLUÇÕES E RESPOSTAS QUESTÃO 1: a) Os gráficos destacam que conforme ocorreu o aumento da população na grande São Paulo aumentaram também o número de viagens da população

Leia mais

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 7 A - aula 21 FRNTE 8 A - aula 22. Profº André Tomasini

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 7 A - aula 21 FRNTE 8 A - aula 22. Profº André Tomasini TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 7 A - aula 21 FRNTE 8 A - aula 22 Profº André Tomasini Clima Fatores de influência do Clima Latitude; Altitude; Continentalidade / Maritimidade; Correntes Marinhas; Massas de

Leia mais

MATÉRIA 6º 2º Dez/13 NOTA

MATÉRIA 6º 2º Dez/13 NOTA Valores eternos. TD Recuperação MATÉRIA Geografia ANO/TURMA SEMESTRE DATA 6º 2º Dez/13 ALUNO(A) PROFESSOR(A) Tiago Bastos TOTAL DE ESCORES ESCORES OBTIDOS NOTA VISTO DOS PAIS/RESPONSÁVEIS 1. Analise e

Leia mais

3. do Sul-Sudeste. Sudeste.

3. do Sul-Sudeste. Sudeste. A Hidrografia Brasileira HIDROGRAFIA O Brasil apresenta hidrografia bastante diversificada e rica. Para se ter uma idéia, a Bacia Amazônica, que é a maior do mundo, tem 7.050.000 km, enquanto a do Congo,

Leia mais

Existem diversos tipos de transporte que podem ocorrer através da membrana plasmática. Vejamos abaixo:

Existem diversos tipos de transporte que podem ocorrer através da membrana plasmática. Vejamos abaixo: MEMBRANA PLASMÁTICA E TRANSPORTES MEMBRANA PLASMÁTICA A membrana plasmática é constituída de uma camada dupla de lipídeos. Nesta camada, existem moléculas de proteínas encaixadas. Essas moléculas de proteínas

Leia mais

Química Prof. Marcelo

Química Prof. Marcelo Química Prof. Marcelo PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1 Pressão de vapor 2 Pressão de vapor e mudança de estado 3- Tonoscopia 4- Crioscopia 5- Ebulioscopia 6 - Osmose e pressão osmótica PROPRIEDADES COLIGATIVAS

Leia mais

GEOGRAFIA. Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

GEOGRAFIA. Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS GEOGRAFIA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este caderno contém oito questões, constituídas de itens e subitens, abrangendo um total de doze

Leia mais

Características e os efeitos das propriedades coligativas

Características e os efeitos das propriedades coligativas Características e os efeitos das propriedades coligativas O estudo das propriedades coligativas é um dos conteúdos mais importantes a serem estudados, pois facilita a compreensão de fenômenos químicos

Leia mais

Para produzir energia elétrica e

Para produzir energia elétrica e Produção de energia elétrica A UU L AL A uma notícia de jornal: Leia com atenção o texto a seguir, extraído de Seca agrava-se em Sobradinho e ameaça causar novo drama social no Nordeste Para produzir energia

Leia mais

Bacias hidrográficas brasileiras

Bacias hidrográficas brasileiras Bacias hidrográficas brasileiras Características da hidrografia brasileira Riqueza em rios e pobreza em formações lacustres. Todos rios direta ou indiretamente são tributários do Oceano Atlântico. Predomínio

Leia mais

Hidrografia - Brasil. Professora: Jordana Costa

Hidrografia - Brasil. Professora: Jordana Costa Hidrografia - Brasil Professora: Jordana Costa As reservas brasileiras de água doce O Brasil é um país privilegiado em relação a disponibilidade de água; Possui cerca de 12% de água doce do planeta em

Leia mais

exercícios _ SANTA CATARINA

exercícios _ SANTA CATARINA exercícios _ SANTA CATARINA CONTEXTUALIZANDO SANTA CATARINA EM ATIVIDADES 1. Assinale as proposições que estiverem de acordo com a hidrografia de Santa Catarina e/ou com o mapa a seguir. HIDROGRAFIA DE

Leia mais

Bacias hidrográficas brasileiras

Bacias hidrográficas brasileiras Bacias hidrográficas brasileiras Características da hidrografia brasileira Riqueza em rios e pobreza em formações lacustres. Todos rios direta ou indiretamente são tributários do Oceano Atlântico. Predomínio

Leia mais

HIDROGRAFIA DO BRASIL

HIDROGRAFIA DO BRASIL Hidrografia características gerais HIDROGRAFIA DO BRASIL Bacias hidrográficas Reflete as condições de umidade do clima do país Rica em rios,, mas pobre em lagos Predominância de rios de planalto,, favoráveis

Leia mais

A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para

A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para outro. Os transportes podem se distinguir pela possessão:

Leia mais

Como os seres vivos modificam o ambiente?

Como os seres vivos modificam o ambiente? Como os seres vivos modificam o ambiente? O ar e a água possibilitam a integração dos seres vivos na dinâmica planetária. Por que a parede do copo com água fria fica molhada? Será? Toda matéria é constituída

Leia mais

Bacias Hidrográficas

Bacias Hidrográficas Bacias Hidrográficas Objetivos Conceituar bacias hidrográficas; Entender o funcionamento das bacias; Conhecer as principais bacias brasileiras; Conhecer a legislação. Introdução A água encontra-se disponível

Leia mais

Hidrografia Brasileira

Hidrografia Brasileira HIDROGRAFIA BRASILEIRA 1 O QUE É HIDROGRAFIA? A hidrografia é o ramo da geografia física que estuda as águas do planeta, abrangendo, rios, mares, oceanos, lagos, geleiras, água do subsolo e da atmosfera.

Leia mais

Amazônia Brasileira e Brasil em Crise

Amazônia Brasileira e Brasil em Crise Amazônia Brasileira e Brasil em Crise 1. (UERJ-2009) Folha de São Paulo, 01/06/2008. Adaptado de Zero Hora, 16/06/2008. Diferentes critérios e objetivos podem orientar a divisão do espaço geográfico em

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS EDUCANDO PARA UM AMBIENTE MELHOR Apresentação A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Rio Grande do Norte SEMARH produziu esta

Leia mais

Abril Educação Água Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota:

Abril Educação Água Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota: Abril Educação Água Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota: Questão 1 A água e o ar são indispensáveis para a sobrevivência dos seres vivos, mas o homem vem poluindo esses meios de forma muitas

Leia mais

Região Norte P1 4 Bimestre. Geografia 7 ano manhã e tarde

Região Norte P1 4 Bimestre. Geografia 7 ano manhã e tarde Região Norte P1 4 Bimestre Geografia 7 ano manhã e tarde A Região Norte é a maior região brasileira em área. Apresenta população relativamente pequena, é a região com a menor densidade demográfica. Um

Leia mais

A Qualidade da Água nas Cidades de Campina Grande e Taperoá. *gicelia.moreira2009@gmail.com

A Qualidade da Água nas Cidades de Campina Grande e Taperoá. *gicelia.moreira2009@gmail.com A Qualidade da Água nas Cidades de e Gicélia Moreira (ID) 1,AntonioJoão S. Filho(ID) 1 Nataline C. S. Barbosa (ID) 1 Antonio N. de Souza (PG) Departamento de Química CCT-UEPB *gicelia.moreira2009@gmail.com

Leia mais

Atividade de Aprendizagem 1 Aquífero Guarani Eixo(s) temático(s) Tema Conteúdos Usos / objetivos Voltadas para procedimentos e atitudes Competências

Atividade de Aprendizagem 1 Aquífero Guarani Eixo(s) temático(s) Tema Conteúdos Usos / objetivos Voltadas para procedimentos e atitudes Competências Aquífero Guarani Eixo(s) temático(s) Vida e ambiente / Terra e universo Tema Água e vida / ciclo hidrológico do planeta Conteúdos Águas subterrâneas Usos / objetivos Aprofundamento do estudo sobre as águas

Leia mais

Domínios Morfoclimáticos

Domínios Morfoclimáticos Domínios Morfoclimáticos Os domínios morfoclimáticos representam a interação e a integração do clima, relevo e vegetação que resultam na formação de uma paisagem passível de ser individualizada. Domínios

Leia mais

SISTEMA DE REAPROVEITAMENTO DE ÁGUA RESIDUAIS DE PROCESSOS INDUSTRIAL E ESGOTO RESIDENCIAIS POR MEIO DE TRANSFORMAÇÃO TÉRMICAS FÍSICO QUÍMICA N0.

SISTEMA DE REAPROVEITAMENTO DE ÁGUA RESIDUAIS DE PROCESSOS INDUSTRIAL E ESGOTO RESIDENCIAIS POR MEIO DE TRANSFORMAÇÃO TÉRMICAS FÍSICO QUÍMICA N0. SISTEMA DE REAPROVEITAMENTO DE ÁGUA RESIDUAIS DE PROCESSOS INDUSTRIAL E ESGOTO RESIDENCIAIS POR MEIO DE TRANSFORMAÇÃO TÉRMICAS FÍSICO QUÍMICA N0. 4 JACIRO JOHNSON PEREIRA JACQUIMINOUT jaciro.jacquiminout@am.senai.br

Leia mais

Lista de Exercícios de Recuperação do 3 Bimestre

Lista de Exercícios de Recuperação do 3 Bimestre Instruções gerais: Lista de Exercícios de Recuperação do 3 Bimestre Resolver os exercícios à caneta e em folha de papel almaço ou monobloco (folha de fichário). Copiar os enunciados das questões. Entregar

Leia mais

Formas de uso da água

Formas de uso da água Formas de uso da água INTRODUÇÃO A água é utilizada para várias atividades humanas: uso doméstico, geração de energia, irrigação, navegação, lazer, entre outras atividades. Distribuição relativa do consumo

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES

CADERNO DE ATIVIDADES COLÉGIO ARNALDO 2014 CADERNO DE ATIVIDADES GEOGRAFIA Aluno (a): 4º ano Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Conteúdo de Recuperação Sistema Solar. Mapa político do Brasil: Estados e capitais. Regiões

Leia mais

Gestão Ambiental 19/3/2012. MÓDULO Gerenciamento e Controle de Poluição da Água. Tema: DISPONIBILIDADE HÍDRICA: as Águas do Planeta

Gestão Ambiental 19/3/2012. MÓDULO Gerenciamento e Controle de Poluição da Água. Tema: DISPONIBILIDADE HÍDRICA: as Águas do Planeta Gestão Ambiental Profª Denise A. F. Neves MÓDULO Gerenciamento e Controle de Poluição da Água Tema: DISPONIBILIDADE HÍDRICA: as Águas do Planeta Objetivos: Entender a distribuição da água no Planeta. Reconhecer

Leia mais

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 23 O CERRADO

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 23 O CERRADO GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 23 O CERRADO Como pode cair no enem? (UNESP) Leia. Imagens de satélite comprovam aumento da cobertura florestal no Paraná O constante monitoramento nas áreas em recuperação do

Leia mais

PROF. RICARDO TEIXEIRA A DINÂMICA DA HIDROSFERA

PROF. RICARDO TEIXEIRA A DINÂMICA DA HIDROSFERA PROF. RICARDO TEIXEIRA A DINÂMICA DA HIDROSFERA A hidrosfera fonte para a vida A superfície do planeta Terra é constituída predominantemente de água. Os continentes e ilhas constituem cerca de 30% da superfície

Leia mais

Hidrografia. Bacias hidrográficas no mundo. Relevo oceânico

Hidrografia. Bacias hidrográficas no mundo. Relevo oceânico Hidrografia Relevo oceânico Bacias hidrográficas no mundo BACIA HIDROGRÁFICA: Corresponde à área de captação de água superficial e subsuperficial para um canal principal e seus afluentes; portanto, é uma

Leia mais

Capítulo 07. Distribuição dos Ecossistemas

Capítulo 07. Distribuição dos Ecossistemas Capítulo 07 Distribuição dos Ecossistemas A terra possui regiões que apresentam características próprias, onde cada uma desenvolve sua flora e fauna típica, sejam elas aquáticas ou terrestres, vindo a

Leia mais

PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA

PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= 01- Observe a figura

Leia mais

Biomas Brasileiros. 1. Bioma Floresta Amazônica. 2. Bioma Caatinga. 3. Bioma Cerrado. 4. Bioma Mata Atlântica. 5. Bioma Pantanal Mato- Grossense

Biomas Brasileiros. 1. Bioma Floresta Amazônica. 2. Bioma Caatinga. 3. Bioma Cerrado. 4. Bioma Mata Atlântica. 5. Bioma Pantanal Mato- Grossense Biomas Brasileiros 1. Bioma Floresta Amazônica 2. Bioma Caatinga 3. Bioma Cerrado 4. Bioma Mata Atlântica 5. Bioma Pantanal Mato- Grossense 6. Bioma Pampas BIOMAS BRASILEIROS BIOMA FLORESTA AMAZÔNICA

Leia mais

Oi amigos. A maioria de vocês já me conhece, eu sou o Kiko, o amigo do futuro, e vou apresentar a vocês o Tibum, que é o amigo da água.

Oi amigos. A maioria de vocês já me conhece, eu sou o Kiko, o amigo do futuro, e vou apresentar a vocês o Tibum, que é o amigo da água. Oi amigos. A maioria de vocês já me conhece, eu sou o Kiko, o amigo do futuro, e vou apresentar a vocês o Tibum, que é o amigo da água. 01 Água no corpo humano: cérebro 75% sangue 81% músculos 75% coração

Leia mais

A água nossa de cada dia

A água nossa de cada dia A água nossa de cada dia Marco Antonio Ferreira Gomes* Foto: Eliana Lima Considerações gerais A água é o constituinte mais característico e peculiar do Planeta Terra. Ingrediente essencial à vida, a água

Leia mais

PROPRIEDADES ESPECÍFICAS E USOS DOS MATERIAIS

PROPRIEDADES ESPECÍFICAS E USOS DOS MATERIAIS SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1 PROPRIEDADES ESPECÍFICAS E USOS DOS MATERIAIS Etapa 1 Página 3 Os alunos devem escolher a roupa de algodão, e não a de lã. Além disso, é importante que tentem justificar essa

Leia mais

REVISÃO UDESC GAIA GEOGRAFIA GEOGRAFIA FÍSICA PROF. GROTH

REVISÃO UDESC GAIA GEOGRAFIA GEOGRAFIA FÍSICA PROF. GROTH REVISÃO UDESC GAIA GEOGRAFIA GEOGRAFIA FÍSICA PROF. GROTH 01. (UDESC_2011_2) Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), existem no Brasil oito Bacias Hidrográficas. Assinale a alternativa

Leia mais

Questões Climáticas e Água

Questões Climáticas e Água Questões Climáticas e Água Material de apoio para Monitoria 1. (UNICAMP-2012) O mapa abaixo indica a ocorrência de queda de neve na América do Sul. Observe o mapa e responda às questões. a) Que fatores

Leia mais

Sugestões de avaliação. Geografia 7 o ano Unidade 1

Sugestões de avaliação. Geografia 7 o ano Unidade 1 Sugestões de avaliação Geografia 7 o ano Unidade 1 5 Unidade 1 Nome: Data: 1. Verdadeiro ( V ) ou falso ( F )? Responda considerando a localização do território brasileiro no planeta. a) o oceano que banha

Leia mais

Propriedade Coligativas das Soluções

Propriedade Coligativas das Soluções Capítulo 9 Propriedade Coligativas das Soluções 1. (IME) Um instrumento desenvolvido para medida de concentração de soluções aquosas não eletrolíticas, consta de: a) um recipiente contendo água destilada;

Leia mais

RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE 7ºS ANOS. Bacia Hidrográfica é a área drenada por um rio principal e todos os seus afluentes e subafluentes.

RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE 7ºS ANOS. Bacia Hidrográfica é a área drenada por um rio principal e todos os seus afluentes e subafluentes. RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE 7ºS ANOS Bacia Hidrográfica é a área drenada por um rio principal e todos os seus afluentes e subafluentes. BACIAS HIDROGRÁFICAS BRASILEIRAS BACIAS INDEPENDENTES BACIAS SECUNDÁRIAS

Leia mais

PROVA DE GEOGRAFIA 4 o BIMESTRE DE 2012

PROVA DE GEOGRAFIA 4 o BIMESTRE DE 2012 PROVA DE GEOGRAFIA 4 o BIMESTRE DE 2012 PROF. FERNANDO NOME N o 1 a SÉRIE A compreensão do enunciado faz parte da questão. Não faça perguntas ao examinador. A prova deve ser feita com caneta azul ou preta.

Leia mais

CIÊNCIA E MEIO AMBIENTE Prof. Dr. Anderson Orzari Ribeiro

CIÊNCIA E MEIO AMBIENTE Prof. Dr. Anderson Orzari Ribeiro CIÊNCIA E MEIO AMBIENTE Prof. Dr. Anderson Orzari Ribeiro Tópico: A água Objetivos: i) identificação dos diferentes tipos de uso dos recursos hídricos e seu impacto ambiental, econômico e social ii) Ciclo

Leia mais

Usina de Balbina(grande degradação ambiental)

Usina de Balbina(grande degradação ambiental) Bacia Amazônica Localizada na região norte do Brasil, é a maior bacia hidrográfica do mundo, possuindo 7 milhões de quilômetros quadrados de extensão (4 milhões em território brasileiro). O rio principal

Leia mais

Os impactos ambientais de maior incidência no país

Os impactos ambientais de maior incidência no país Os impactos ambientais de maior incidência no país Segundo a Pesquisa de Informações Básicas Municipais Perfil dos Municípios Brasileiros/MUNIC 2008, realizada regularmente pelo Instituto Brasileiro de

Leia mais

Biomas Brasileiros I. Floresta Amazônica Caatinga Cerrado. Mata Atlântica Pantanal Campos Sulinos ou Pampas Gaúchos

Biomas Brasileiros I. Floresta Amazônica Caatinga Cerrado. Mata Atlântica Pantanal Campos Sulinos ou Pampas Gaúchos Biomas Brasileiros I Floresta Amazônica Caatinga Cerrado Mata Atlântica Pantanal Campos Sulinos ou Pampas Gaúchos Floresta Amazônica Localizada na região norte e parte das regiões centro-oeste e nordeste;

Leia mais

1. o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. Jefferson Oliveira Prof. ª Ludmila Dutra

1. o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. Jefferson Oliveira Prof. ª Ludmila Dutra 1. o ANO ENSINO MÉDIO Prof. Jefferson Oliveira Prof. ª Ludmila Dutra Unidade I Geografia física mundial e do Brasil. 2 Aula 5.1 Conteúdo Bacias Hidrográficas Brasileiras. 3 Habilidade Localizar as diferentes

Leia mais

RESUMO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

RESUMO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO HIDROLOGIA I RESUMO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1 - Introdução: Apresentação do Programa da Disciplina, Sistema de Avaliação; Conceito; Importância e Aplicação da Hidrologia (2h) 2 - Ciclo Hidrológico (2h);

Leia mais

Principais características geográficas do estado do Goiás

Principais características geográficas do estado do Goiás Principais características geográficas do estado do Goiás Laércio de Mello 1 Para iniciarmos o estudo sobre o estado de Goiás é importante primeiramente localizá-lo dentro do território brasileiro. Para

Leia mais

CP/CAEM/2005 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA - 2005 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO

CP/CAEM/2005 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA - 2005 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO CP/CAEM/05 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA - 05 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA DO BRASIL 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar os fatores fisiográficos do espaço territorial do Brasil, concluindo sobre a influência

Leia mais

-- De São Paulo a Santos -- Colégio Santa Clara Prof. Marcos

-- De São Paulo a Santos -- Colégio Santa Clara Prof. Marcos -- De São Paulo a Santos -- Colégio Santa Clara Prof. Marcos São Paulo tem déficit de água Região Metropolitana de São Paulo População: aprox. 20 milhões Consumo médio de água: 73 mil litros por segundo

Leia mais

Hidrografia no Brasil. Luciano Teixeira

Hidrografia no Brasil. Luciano Teixeira Hidrografia no Brasil Luciano Teixeira Hidrografia Brasil Características da Hidrografia Brasileira Pobre em lagos Drenagem Exorréica Predomínio de foz em estuário Predomínio de rios de planaltos Bacias

Leia mais

CORREÇÃO DAS ATIVIDADES DE SALA E TAREFAS.

CORREÇÃO DAS ATIVIDADES DE SALA E TAREFAS. Aula 19: Conhecendo a hidrosfera do Brasil I CORREÇÃO DAS ATIVIDADES DE SALA E TAREFAS. Correção atividade sala: PG 3: Canadá, Brasil, EUA, Canadá, R.U etc... Bolívia, República do Congo, Mongólia, etc...

Leia mais

TEMA 4 VAPOR DE ÁGUA, NÚVENS, PRECIPITAÇÃO E O CICLO HIDROLÓGICO

TEMA 4 VAPOR DE ÁGUA, NÚVENS, PRECIPITAÇÃO E O CICLO HIDROLÓGICO TEMA 4 VAPOR DE ÁGUA, NÚVENS, PRECIPITAÇÃO E O CICLO HIDROLÓGICO 4.1 O Processo da Evaporação Para se entender como se processa a evaporação é interessante fazer um exercício mental, imaginando o processo

Leia mais

GEOGRAFIA. Provas Comentadas Química 1ª Fase

GEOGRAFIA. Provas Comentadas Química 1ª Fase Geografia 1ª FASE A prova de geografia da primeira fase objetivou avaliar a capacidade dos vestibulandos de fazer uma leitura atenta e adequada de fenômenos naturais e sociais que compõem o quadro da formação

Leia mais

REDES HIDROGRÁFICAS SÃO TODOS OS RECURSOS HIDROGRÁFICAS DE UM PAÍS, COMPOSTOS GERALMENTE PELOS RIOS, LAGOS E REPRESAS.

REDES HIDROGRÁFICAS SÃO TODOS OS RECURSOS HIDROGRÁFICAS DE UM PAÍS, COMPOSTOS GERALMENTE PELOS RIOS, LAGOS E REPRESAS. REDES HIDROGRÁFICAS SÃO TODOS OS RECURSOS HIDROGRÁFICAS DE UM PAÍS, COMPOSTOS GERALMENTE PELOS RIOS, LAGOS E REPRESAS. BACIA HIDROGRÁFICA. É UMA REDE DE TERRAS DRENADAS POR UM RIO E SEUS PRINCIPAIS AFLUENTES.

Leia mais

Data: /08/2014 Bimestre: 2. Nome: 8 ANO B Nº. Disciplina: Geografia Professor: Geraldo

Data: /08/2014 Bimestre: 2. Nome: 8 ANO B Nº. Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Data: /08/2014 Bimestre: 2 Nome: 8 ANO B Nº Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Valor da Prova / Atividade: 2,0 (DOIS) Nota: GRUPO 3 1- (1,0) A mundialização da produção industrial é caracterizada

Leia mais

https://www.youtube.com/watch?v=ejyyhuxkn8y

https://www.youtube.com/watch?v=ejyyhuxkn8y https://www.youtube.com/watch?v=ejyyhuxkn8y Definição é a camada superficial da crosta terrestre formada por quatro elementos principais: a, o, a e os. Possui importância fundamental para variadas atividades

Leia mais

Guia do Professor Distribuição de água no planeta

Guia do Professor Distribuição de água no planeta Guia do Professor Distribuição de água no planeta Introdução Sempre se ouviu falar que o nosso planeta deveria se chamar Planeta Água e não Planeta Terra. Esta idéia deriva da visualização da Terra do

Leia mais

COLÉGIO MARQUES RODRIGUES - SIMULADO

COLÉGIO MARQUES RODRIGUES - SIMULADO COLÉGIO MARQUES RODRIGUES - SIMULADO Estrada da Água Branca, 2551 Realengo RJ Tel: (21) 3462-7520 www.colegiomr.com.br PROFESSOR ALUNO ANA CAROLINA DISCIPLINA GEOGRAFIA A TURMA SIMULADO: P3 501 Questão

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO - CAP. 04-7ºS ANOS

EXERCÍCIOS DE REVISÃO - CAP. 04-7ºS ANOS EXERCÍCIOS DE REVISÃO - CAP. 04-7ºS ANOS LEIA AS INFORMAÇÕES, CONSULTE O LIVRO PARA ADQUIRIR MAIS CONHECIMENTO E RESPONDA OS EXERCÍCIOS EM SEU CADERNO. 1- Quente e frio: um país de extremos O Brasil é

Leia mais

Águas do Planeta. Nascente Curso Superior Margem Direita Meandro Curso Médio Margem Esquerda Afluente Curso Inferior Foz Em Delta Foz Em Estuário

Águas do Planeta. Nascente Curso Superior Margem Direita Meandro Curso Médio Margem Esquerda Afluente Curso Inferior Foz Em Delta Foz Em Estuário PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= Águas do Planeta

Leia mais

OSMOSE INVERSA: o que você talvez gostaria de saber

OSMOSE INVERSA: o que você talvez gostaria de saber Jorge Gomes do Cravo Barros Assessor em geologia da 4ª CCR OSMOSE INVERSA: o que você talvez gostaria de saber Introdução: entendendo a dessalinização natural das águas A água é a substância mais abundante

Leia mais

Aluno (a): Professor:

Aluno (a): Professor: 3º BIM P1 LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS 6º ANO Aluno (a): Professor: Turma: Turno: Data: / / Unidade: ( ) Asa Norte ( ) Águas Lindas ( )Ceilândia ( ) Gama ( )Guará ( ) Pistão Norte ( ) Recanto das Emas

Leia mais

USO RACIONAL DA ÁGUA NA AGRICULTURA

USO RACIONAL DA ÁGUA NA AGRICULTURA ASGAM Assessoria de Gestão Ambiental Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos COGERH USO RACIONAL DA ÁGUA NA AGRICULTURA Marcos Dantas Gestão Ambiental Pós-graduando em Biodiversidade e Sustentabilidade

Leia mais

D) As planícies brasileiras terminam, na sua grande maioria, em frentes de cuestas nome que se dá às áreas planas das praias.

D) As planícies brasileiras terminam, na sua grande maioria, em frentes de cuestas nome que se dá às áreas planas das praias. 01 - (UDESC 2008) Para classificar o relevo, deve-se considerar a atuação conjunta de todos fatores analisados a influência interna, representada pelo tectonismo, e a atuação do clima, nos diferentes tipos

Leia mais

Água - Recurso Natural

Água - Recurso Natural - Recurso Natural PROF. Carla Gracy Ribeiro Meneses A água é um elemento essencial para a humanidade. Nosso corpo é composto por dois terços de água, isso equivalente ao nosso peso total. Curiosidades!

Leia mais

Unidade V - Estática e Dinâmica dos Fluidos

Unidade V - Estática e Dinâmica dos Fluidos 49 Unidade V - Estática e Dinâmica dos Fluidos fig. V.. Atmosfera terrestre é uma camada essencialmente gasosa um fluido. Na segunda parte da figura podemos ver a um fluido em movimento escoando em um

Leia mais

www.soumaisenem.com.br

www.soumaisenem.com.br 1. (Enem 2011) Uma das modalidades presentes nas olimpíadas é o salto com vara. As etapas de um dos saltos de um atleta estão representadas na figura: Desprezando-se as forças dissipativas (resistência

Leia mais

Bom trabalho! DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL. SÉRIE: 2 a EM NOME COMPLETO:

Bom trabalho! DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL. SÉRIE: 2 a EM NOME COMPLETO: DISCIPLINA: FÍSICA PROFESSOR: Erich/ André DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 2 a EM Circule a sua turma: Funcionários: 2 o A 2ºB Anchieta:2 o NOME COMPLETO:

Leia mais

Causas humanas Prejuízos ao ser humano Formas de evitar

Causas humanas Prejuízos ao ser humano Formas de evitar EROSÃO A erosão é um processo de deslocamento de terra ou de rochas de uma superfície. A erosão pode ocorrer por ação de fenômenos da natureza ou do ser humano. Causas naturais No que se refere às ações

Leia mais