A CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPOS DOS GOYTACAZES DECRETA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPOS DOS GOYTACAZES DECRETA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI:"

Transcrição

1 Lei nº 7.084, de 02 de julho de Cria o Fundo de Desenvolvimento de Campos dos Goytacazes - FUNDECAM e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPOS DOS GOYTACAZES DECRETA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: Art. 1º. O Fundo de Desenvolvimento de Campos dos Goytacazes - FUNDECAM, com o objetivo de fomentar o desenvolvimento empresarial, tecnológico, o setor agropecuário, financiar projetos de geração de empregos nos setores industriais e de serviços e promover o acesso de, microempresas, empresas de pequeno, médio e grande porte, de qualquer atividade compatível com as peculiaridades do município, a recursos de capital, ou para implantação de novas tecnologias identificadas com os objetivos do fundo, sempre no âmbito geográfico do Município. (Redação Art. 2º - O FUNDECAM será administrado por um Conselho Gestor e terá como agentes financeiros bancos oficiais instalados no município, podendo também contar com o apoio das empresas financiadoras de estudos e projetos que agregarem valores aos orçamentos constituídos do próprio fundo, ou especificamente de cada projeto. Parágrafo Único Os agentes financeiros que forem escolhidos pelo Conselho Gestor, com aprovação do Chefe do Executivo Municipal, deverão firmar convênio com a municipalidade, responsabilizando-se pela elaboração e execução dos contratos. Art. 3º - O Conselho Gestor será constituído pelos seguintes membros: (Redação I- Representante da Secretaria Municipal de Controle e Orçamento; II- Representante da Companhia de Desenvolvimento do Município de Campos - CODEMCA; III- Representante da Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca; IV- Representante da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Petróleo; V- Representante da Secretaria Municipal de Trabalho e Renda; VI- Representante da Secretaria Municipal de Finanças; VII- Representante do Centro de Informações e Dados de Campos - CIDAC; VIII- Representante da Procuradoria Geral do Município e,

2 IX- Representante do FUNDECAM - Fundo de Desenvolvimento de Campos, a quem incumbe a atribuição de Presidente do Conselho Gestor. 1º - Conselho Gestor decidirá por maioria dos seus membros e todas as suas decisões serão respaldadas, pela assinatura, individual de seus membros em ata das reuniões. (Redação 2º - As reuniões do Conselho Gestor que se destinarem à análise e à aprovação de projetos, poderão ser assistidas pelos investidores diretamente interessados, a critério do próprio Conselho, bem como por representantes da Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes, estes especialmente convidados e sem direito a voto. (Redação dada pela Lei de 2009) 3º - As deliberações do Conselho Gestor sobre projetos de investimentos ou sobre pedidos de repactuações serão pautadas sobre parecer instituído por relatoria de um dos membros do conselho, a ser escolhido em reunião e constante em Ata. (Redação dada pela Lei de 2009) 4º - Poderá o Conselho Gestor do Fundecam, instituir a qualquer tempo Comitês Técnicos ou Grupos de Trabalho, para auxiliar nas decisões ou gerir programas que fujam da especificidade técnica de seus membros. (Redação 5º - Os Comitês Técnicos serão formados por profissionais de diversas áreas, integrantes da sociedade civil, sociedade organizada, Instituições de Ensino, Institutos de Ciência e Tecnologia, cabendo aos Comitês Técnicos, juntamente com o Conselho Gestor, elaborar planejamentos de investimentos estratégicos e Planos de Trabalhos do Fundecam. (Redação 6º - Toda organização, governamental, ou não-governamental que destinar recursos ao FUNDECAM poderá participar do Conselho Gestor, inclusive das discussões e aprovação dos projetos em análise. Para participar do Conselho Gestor, inclusive com indicação de um membro, a instituição governamental que não faça parte da estrutura base da administração pública municipal e a não governamental deverão, cada, contribuir com um mínimo de trinta por cento do capital anual alocado pelo município para o FUNDECAM, sendo definido pelo Conselho Gestor a forma de alocação dos recursos em conta corrente do Fundo, não sendo esta superior a seis meses. (Redação 7º - A nomeação dos membros do Conselho Gestor será feita pelo Chefe do Executivo Municipal, a quem caberá também a indicação do Tesoureiro, dentre os membros nomeados. (Redação 8º - O mandato e a forma de investidura dos conselheiros serão definidos em regulamento, mas não poderá ultrapassar o prazo de mandato de Prefeito Municipal. (Redação 9.º - O Conselho Gestor poderá solicitar ao Presidente do FUNDECAM a contratação de técnicos, em consonância com a lei 8.666/93, para prestação eventual de assessoria e consultoria, visando contribuir com o corpo técnico do Fundecam, para análise de projetos que fujam à competência profissional dos seus membros, visando respaldar a decisão

3 de viabilidade dos pleitos apresentados pelos interessados nos recursos do Fundo. (Redação 10 - As deliberações do 4º do art.3º dependerão de quorum mínimo de 04(quatro) Conselheiros, com presença obrigatória do Presidente do FUNDECAM. (Redação Art. 4º. O Fundo de Desenvolvimento de Campos dos Goytacazes será formado por recursos das seguintes origens: (Redação I - Recursos consignados no orçamento público municipal, destacados das participações governamentais referentes à produção de petróleo e gás. II - Doações, auxílios e transferências de entidades públicas ou privadas, inclusive do Orçamento da União; III - Decorrentes de empréstimos, caso assim entenda o Conselho Gestor, com aprovação do Chefe do Executivo, com operação de empréstimo aprovada pelo Legislativo Municipal, observados os limites e atendidas as exigências legais especialmente da Lei de Responsabilidade Fiscal; IV - As receitas decorrentes das aplicações de seus recursos orçamentários e extraorçamentários; V - O produto de rendimento de aplicações do próprio Fundo; VI - verbas municipais, estaduais, federais, internacionais, de Instituições Públicas e Privadas, Órgãos de Fomento e Bancos para financiamentos a investimentos, de programas específicos destinadas à modernização empresarial ou capacitação de mão-de-obra técnica, profissional, gerencial e de mercado. VII - o reembolso dos financiamentos concedidos. VIII - taxas e/ou juros cobrados sobre os financiamentos concretizados. IX- recursos de órgãos, entidades ou instituições públicas ou privadas, nacionais ou internacionais, destinados a projetos específicos e/ou a programas de fomento às micro, pequenas e médias empresas. X - recursos oriundos de convênios, acordos, ajustes e contratos celebrados com instituições públicas ou privados. XI - parcelas contratuais de lucros resultantes da exploração de direitos sobre patentes em pesquisas científicas feitas com auxílio deste fundo. XII - Outras receitas que lhe vierem a ser destinadas. XIII - Produtos provenientes de Dação de Pagamento. Art. 5º. Os recursos do Fundo de Desenvolvimento de Campos dos Goytacazes terão as seguintes destinações: (Redação

4 I - apoio aos empreendimentos vinculados, às micro, pequenas, médias e grandes empresas dos setores industriais e de serviços e, prioritariamente, projetos que visem a geração de emprego e renda, o fortalecimento de cadeias produtivas locais ou a criação de novas cadeias produtivas. II - fomento às cooperativas ou outras formas associativas de produção e trabalho; III - aval às operações que objetivem o acesso a crédito em Instituições Financeiras credenciadas e à geração de emprego e renda. IV - participar da constituição de fundo de aval, de empréstimos destinados a fomentar a criação e o desenvolvimento de micro e pequenos empreendimentos industriais, comerciais e de prestação de serviços, a partir de critérios que serão definidos mediante Decreto. Art. 6º. Os recursos destinados ao Fundo e não utilizados até o final do exercício, apurados no balanço anual, serão transferidos como crédito do mesmo Fundo no exercício seguinte e, obrigatoriamente, retornarão ao orçamento municipal quando os objetivos do Fundo não mais justificarem a sua existência. (Redação dada pela Lei de 2009) 1º Os saldos da conta corrente referentes a juros, taxas e outras receitas recebidas deverão ser utilizadas pelo Fundo na reaplicação de novos projetos. (Redação dada pela Lei de 2009) 2 Os valores recebidos referentes a negociação de projetos inadimplentes devem ser reaplicados no próprio Fundo, inclusive aqueles provenientes de processo judicial via Divida Ativa do Município. (Redação Art. 7º. Para obtenção de recursos do Fundo, independente da viabilidade do projeto, o autor a ser beneficiado, estará obrigado a atender todo o disposto na Lei Complementar 101 de 4 de maio de 2000 (lei de responsabilidade fiscal), bem como outros dispositivos legais pertinentes, além de obrigar-se a prestar contas, conforme o cronograma de liberação dos recursos, da execução do projeto aprovado pelo Conselho Gestor. (Redação 1.º - Cabe ao Conselho Gestor do Fundecam, emitir manual de prestação de contas em conformidade com as instruções e normas do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, que servirá para orientar os beneficiários sobre o formato e regras para a prestação de contas. (Redação 2 - O responsável por investimento contemplado com recursos do FUNDECAM que não respeitar as normas regulamentares do financiamento, ou desviar o montante financeiro, ficará impedido de candidatar-se a novos investimentos do Fundo por um prazo de cinco anos, independente de responder judicialmente pelo ilícito praticado e da aplicação das penalidades administrativas. Além de ter seu contrato vencido antecipadamente. (Redação Art. 8.º O financiamento liberado pelo Fundo será remunerado com juros de seis por cento ao ano, além das despesas inerentes à operação do agente financeiro. (Redação

5 1º - Os Contratos inadimplentes com o Fundecam terão correção de multa, juros, conforme estipulado em lei, além de sofrer correção da TJLP, de acordo com o Regulamento. (Redação dada pela Lei de 2011) 2º- Na hipótese de inadimplência, comprovada a impossibilidade de pagamento em processo administrativo específico, havendo interesse da Administração em adquirir os bens ou serviços fornecidos pelo beneficiário, e mediante anuência do Conselho Gestor, as partes de comum acordo poderão firmar contrato de dação em pagamento para quitação da dívida. (Redação dada pela Lei de 2011) 3º Havendo pagamento, na forma de que trata o parágrafo anterior, será acrescida ao montante devido, além das demais sanções previstas, multa equivalente a 10% (dez por cento). (Redação dada pela Lei de 2011) 4º- O valor dos bens ou serviços utilizados como forma de dação em pagamento terá seu valor apurado em levantamento público de preços elaborado especificamente para tal finalidade. (Redação dada pela Lei de 2011) 5º A eventual dação em pagamento não substitui ou invalida os contratos e as garantias previamente estipuladas, podendo, inclusive, ser executados na hipótese de novo inadimplemento. (Redação dada pela Lei de 2011) 6º O valor correspondente à dação em pagamento efetivamente realizada, será recomposto pela Administração em favor do FUNDECAM no exercício seguinte. (Redação dada pela Lei de 2011) Art. 8º-A. Todo beneficiário com recursos do FUNDECAM que comprovar o desenvolvimento de tecnologias, executá-lo por completo, dentro do prazo estabelecido, ter suas prestações de contas aprovadas e adimplir as prestações regularmente nas datas aprazadas em contrato, após julgamento do Conselho Gestor, receberá um prêmio do fundo equivalente à remuneração do financiamento. (Redação 1º - Compete ao Conselho Gestor aferir o cumprimento do disposto neste artigo para o fim de autorizar a liberação da premiação. (Redação dada pela Lei de 2009) 2º - Perde o direito ao prêmio previsto neste artigo, o contemplado com recursos do FUNDECAM que não cumprir qualquer um dos requisitos de premiação, ou deixar de atender ao disposto no Art. 7º e seu parágrafo único da Lei Municipal nº 7.084/2001. (Redação 3º - Os beneficiados com recursos do Fundecam, enquanto seus contratos estiverem em aberto, deverão comprovar, periodicamente, que a aplicação dos recursos gerou benefícios ao município, através de indicadores estabelecidos pelo Conselho Gestor do Fundecam. (Redação Art. 9º - O projeto submetido à apreciação do Fundo poderá ser contemplado com cem por cento das necessidades do financiamento pretendido, cabendo ao Conselho Gestor definir, em cada caso, a necessidade de contrapartida do financiado, conforme o risco do empreendimento.

6 Art. 10. O financiamento liberado pelo Fundo terá carência estabelecida no regulamento, mas em nenhuma hipótese poderá ser superior a um ano após executado o projeto e o efetivo início da produção, qualquer que seja a atividade. (Redação dada pela Lei de 2009) 1º - O prazo de amortização do financiamento não poderá ser superior a 5 (cinco) anos, excluídos o período de carência. (Redação 2º - O reembolso e/ou amortizações dos financiamentos serão estabelecidos de acordo com os prazos e condições fixados nos contratos e em consonância com os critérios definidos pelo Conselho Gestor. (Redação Art. 11 Fica o Chefe do Executivo Municipal autorizado a firmar convênio com agente financeiro oficial que dará respaldo à contratação dos recursos do Fundo de Desenvolvimento de Campos dos Goytacazes. Art. 12 A regulamentação do Fundo de Desenvolvimento de Campos será elaborado pelo Executivo Municipal com o apoio do Conselho Gestor de que trata a presente lei. Art. 13 As despesas decorrentes da implantação do Fundo de Desenvolvimento correrão por conta de recursos orçamentários, suplementados se for o caso, de acordo com as disponibilidades do fluxo da receita decorrente das participações governamentais advindas da exploração de petróleo e gás. Art 14 Esta lei entrará em vigor sessenta dias após sua publicação. PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPOS DOS GOYTACAZES, 02 de julho de Arnaldo França Vianna -Prefeito-

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL Nº 1925, DE 23 DE MAIO DE 2005, Págs 54 e 56 LEI Nº 1367, DE 17 DE MAIO DE 2005. Regulamentada pelo Decreto nº 198/06 Cria o Fundo Municipal de Desenvolvimento da Economia Popular

Leia mais

O Prefeito do Município de João Pessoa, Estado da Paraíba, faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte lei:

O Prefeito do Município de João Pessoa, Estado da Paraíba, faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte lei: www.leismunicipais.com.br LEI Nº 12.211, DE 27 DE SETEMBRO DE 2011. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO FUNDO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA POPULAR EMPREENDEDORA E SOLIDÁRIA DO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA

Leia mais

FAÇO SABER que a CÂMARA MUNICIPAL DE aprove e eu sanciono a seguinte Lei Complementar: CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

FAÇO SABER que a CÂMARA MUNICIPAL DE aprove e eu sanciono a seguinte Lei Complementar: CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS LEI COMPLEMENTAR Nº 87, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2012 O PREFEITO MUNICIPAL DE JUAZEIRO DO NORTE, Estado d Ceará. Institui o Fundo Municipal dos Mercados públicos, a Comissão Gestora do Fundo dos Mercados,

Leia mais

LEI Nº 3.219, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006

LEI Nº 3.219, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006 LEI Nº 3.219, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006 Dispõe sobre a criação do Conselho Municipal de Meio Ambiente, dá outras providências sobre o Fundo Municipal de Meio Ambiente, revoga e altera disposições indicadas

Leia mais

LEI Nº 15.853 DE 11 DE OUTUBRO DE 2011.

LEI Nº 15.853 DE 11 DE OUTUBRO DE 2011. LEI Nº 15.853 DE 11 DE OUTUBRO DE 2011. 1 Dispõe sobre a criação do Conselho Municipal de Economia Solidária e o Fundo Municipal de Fomento à Economia Solidária e dá outras providências. O Prefeito Municipal

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº864/2005, DE 18 DE ABRIL DE 2005.

LEI MUNICIPAL Nº864/2005, DE 18 DE ABRIL DE 2005. LEI MUNICIPAL Nº864/2005, DE 18 DE ABRIL DE 2005. "Institui o Programa Municipal de Desenvolvimento Industrial, cria o Fundo Municipal de Desenvolvimento Industrial FMDI e dá outras providências." O PREFEITO

Leia mais

DECRETO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

DECRETO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS DECRETO Nº 2.537 DE 13 DE MARÇO DE 2013 REGULAMENTA O FUNDO MUNICIPAL DE APOIO Á POLÍTICA DO IDOSO-FUMAPI, CRIADO PELA LEI COMPLEMENTAR Nº 033/2003, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito do Município de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA OLINDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA OLINDA LEI N 274/2013 Nova Olinda - TO, 23 de outubro de 2013 "Institui e cria o Fundo Municipal do Meio Ambiente - FMMA do Município de Nova Olinda -TO e dá outras providências." O PREFEITO MUNICIPAL DE NOVA

Leia mais

LEI Nº 9.038, DE 14 DE JANEIRO DE 2005. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 9.038, DE 14 DE JANEIRO DE 2005. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 9.038, DE 14 DE JANEIRO DE 2005 Dispõe sobre o Programa Municipal de Parcerias Público- Privadas. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte

Leia mais

DECRETO Nº 980, DE 16 DE ABRIL DE 2012

DECRETO Nº 980, DE 16 DE ABRIL DE 2012 DECRETO Nº 980, DE 16 DE ABRIL DE 2012 Regulamenta o Fundo Municipal dos Direitos do Idoso. O Prefeito Municipal de São José dos Pinhais, Estado do Paraná, usando de suas atribuições legais, e de acordo

Leia mais

Lei 2.230/05 28 de dezembro de 2005. Cria o Fundo Municipal de Segurança Pública e dá outras providências.

Lei 2.230/05 28 de dezembro de 2005. Cria o Fundo Municipal de Segurança Pública e dá outras providências. Lei 2.230/05 28 de dezembro de 2005. Cria o Fundo Municipal de Segurança Pública e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORANGATU, ESTADO DE GOIÁS, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, FAZ SABER

Leia mais

PREFEITURA DE PORTO VELHO

PREFEITURA DE PORTO VELHO LEI Nº. 1628, DE 27 DE OUTUBRO DE 2005. Institui a Política Municipal de fomento à Economia Popular e Solidária na Cidade de Porto Velho e estabelece outras disposições. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PORTO

Leia mais

LEI Nº 10.066, DE 27 DE JULHO DE 1992

LEI Nº 10.066, DE 27 DE JULHO DE 1992 LEI Nº 10.066, DE 27 DE JULHO DE 1992 Cria a Secretaria de Estado do Meio Ambiente SEMA, a entidade autárquica Instituto Ambiental do Paraná IAP e adota outras providências. A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO

Leia mais

ESTADO DO ACRE LEI N. 1.358 DE 29 DE DEZEMBRO DE 2000.

ESTADO DO ACRE LEI N. 1.358 DE 29 DE DEZEMBRO DE 2000. LEI N. 1.358 DE 29 DE DEZEMBRO DE 2000.. Publicado no D.O.E n 7.942 de 09 de janeiro de 2001.. Alterada pela Lei nº 2.956, de 9 de abril de 2015 Institui o Programa de Incentivo Tributário para Empresas,

Leia mais

DECRETO Nº 55.461, DE 29 DE AGOSTO DE 2014

DECRETO Nº 55.461, DE 29 DE AGOSTO DE 2014 Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo DECRETO Nº 55.461, DE 29 DE AGOSTO DE 2014 Institui a Política Municipal de Estímulo à Inovação e ao Desenvolvimento de Startups na Cidade

Leia mais

CAPÍTULO I DA FINALIDADE BÁSICA DO CONSELHO

CAPÍTULO I DA FINALIDADE BÁSICA DO CONSELHO LEI N 128/2014. Cria o Conselho Municipal de Esporte e Lazer, o Fundo Municipal de Esporte e Lazer e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, faz saber

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.437, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006. Mensagem de veto Altera a destinação de receitas decorrentes da Contribuição para o Desenvolvimento

Leia mais

LEI Nº 8.798 de 22 de fevereiro de 2006.

LEI Nº 8.798 de 22 de fevereiro de 2006. LEI Nº 8.798 de 22 de fevereiro de 2006. Institui a Política Estadual de fomento à Economia Popular Solidária no Estado do Rio Grande do Norte e estabelece outras disposições. O PRESIDENTE DA ASSEMBLÉIA

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES PROJETO DE LEI N o, DE DE DE 2010 Dispõe sobre a Política Nacional de Economia Solidária, cria o Sistema Nacional de Economia Solidária e o Fundo Nacional de Economia Solidária, e dá outras providências.

Leia mais

DECRETO Nº 713, DE 1º DE ABRIL DE 2013

DECRETO Nº 713, DE 1º DE ABRIL DE 2013 DECRETO Nº 713, DE 1º DE ABRIL DE 2013 Publicado no DOE(Pa) de 02.04.13. Institui o Programa de Parcerias Público-Privadas PPP/PA e regulamenta o Conselho Gestor de Parcerias Público- Privadas do Estado

Leia mais

GABINETE DO GOVERNADOR

GABINETE DO GOVERNADOR GABINETE DO GOVERNADOR LEI N 5.674 DE 21 DE OUTUBRO DE 1991 Dispõe sobre o Fundo de Desenvolvimento Econômico do Estado do Pará - FDE, de que trata o Art. 40 do Ato das Disposições Transitórias da Constituição

Leia mais

DECRETO Nº 17.033, DE 11 DE MARÇO DE 1996

DECRETO Nº 17.033, DE 11 DE MARÇO DE 1996 DECRETO Nº 17.033, DE 11 DE MARÇO DE 1996 Dispõe sobre a Instituição da Autarquia Estadual, Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas - IPAAM, aprova seu Regimento interno e dá outras providências. O

Leia mais

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1047/2012 O Prefeito do Município de Pinhalão,. SÚMULA: Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2013 e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu,

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE SUMIDOURO GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE SUMIDOURO GABINETE DO PREFEITO LEI MUNICIPAL Nº 1034, DE 10 DE SETEMBRO DE 2012. Dispõe sobre o Conselho Municipal do Idoso (CMI) e o Fundo Municipal do Idoso (FMI) e dá outras publicações. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMIDOURO DO ESTADO

Leia mais

LEI Nº 540/93 - DE, 19 DE MAIO 1.993. MÁRCIO CASSIANO DA SILVA, Prefeito Municipal de Jaciara, no uso de suas atribuições legais,

LEI Nº 540/93 - DE, 19 DE MAIO 1.993. MÁRCIO CASSIANO DA SILVA, Prefeito Municipal de Jaciara, no uso de suas atribuições legais, LEI Nº 540/93 - DE, 19 DE MAIO 1.993. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE DEFESA DO MEIO AMBIENTE, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. MÁRCIO CASSIANO DA SILVA, Prefeito Municipal de Jaciara, no uso

Leia mais

LEI Nº 9.548, DE 22 DE ABRIL DE 2015. A CÂMARA MUNICIPAL DE GOIÂNIA, Estado de Goiás, aprova e eu, PREFEITO MUNICIPAL, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 9.548, DE 22 DE ABRIL DE 2015. A CÂMARA MUNICIPAL DE GOIÂNIA, Estado de Goiás, aprova e eu, PREFEITO MUNICIPAL, sanciono a seguinte Lei: 1 Gabinete do Prefeito LEI Nº 9.548, DE 22 DE ABRIL DE 2015 Institui o Programa Municipal de Parcerias Público-Privadas, cria a Comissão Gestora de Parcerias Público-Privadas de Goiânia e dá outras providências.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL PUBLICADA NO DOE Nº 2.137, DE 31-03-06 LEI Nº 1424, DE 14 DE MARÇO DE 2006.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL PUBLICADA NO DOE Nº 2.137, DE 31-03-06 LEI Nº 1424, DE 14 DE MARÇO DE 2006. PUBLICADA NO DOE Nº 2.137, DE 31-03-06 LEI Nº 1424, DE 14 DE MARÇO DE 2006. Faço saber que: Institui o Programa de Parcerias Público- Privadas do Município de Palmas, Estado do Tocantins, e dá outras providências.

Leia mais

LEI Nº 7.439 DE 18 DE JANEIRO DE 1999 CAPÍTULO I DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA

LEI Nº 7.439 DE 18 DE JANEIRO DE 1999 CAPÍTULO I DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA Publicada D.O.E. Em 19.01.99 LEI Nº 7.439 DE 18 DE JANEIRO DE 1999 Dispõe sobre a criação da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia - ADAB e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA

Leia mais

ESTATUTO DO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL - ABDI

ESTATUTO DO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL - ABDI ESTATUTO DO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL - ABDI ESTATUTO DO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL - ABDI I - DA DENOMINAÇÃO,

Leia mais

DECRETO Nº 5.933, DE 20 DE ABRIL DE 2004.

DECRETO Nº 5.933, DE 20 DE ABRIL DE 2004. DECRETO Nº 5.933, DE 20 DE ABRIL DE 2004. (PUBLICADO NO DOE DE 26.04.04) Este texto não substitui o publicado no DOE Regulamenta a Lei nº 14.546, de 30 de setembro de 2003, que dispõe sobre a criação do

Leia mais

DECRETO Nº 1.565, DE 26 DE MARÇO DE 2009

DECRETO Nº 1.565, DE 26 DE MARÇO DE 2009 DECRETO Nº 1.565, DE 26 DE MARÇO DE 2009 Publicado no DOE(Pa) de 27.03.09. Alterado pelos Decretos 1.677/09, 323/12. Regulamenta a Lei nº 5.674, de 21 de outubro de 1991, que dispõe sobre o Fundo de Desenvolvimento

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS PUBLICADO NO DOMP Nº 756 DE: 08/05/2013 PÁG. 1/4 PREFEITURA DE PALMAS LEI N o 1.966, DE 8 DE MAIO DE 2013. (Alterada pela Lei nº 2.198, de 03/12/2015). (Alterada pela Lei nº 2.097 de. A CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO CHOÇA ESTADO DA BAHIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO CHOÇA ESTADO DA BAHIA LEI Nº 272, DE 06 DE JUNHO DE 2014. Dispõe sobre a criação do Conselho Comunitário de Segurança Pública e Entidades Afins do Município de Barra do Choça e dá outras Providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE

Leia mais

GOVERNO DE ALAGOAS SECRETARIA DA FAZENDA O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

GOVERNO DE ALAGOAS SECRETARIA DA FAZENDA O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI Nº 5.671 de 01 de Fevereiro de 1995. Publicada no DOE de: 02-02-95. GOVERNO DE ALAGOAS SECRETARIA DA FAZENDA DISPÕE SOBRE O PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO ESTADO DE ALAGOAS - PRODESIN, E

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 12.234, DE 13 DE JANEIRO DE 2005. (publicada no DOE nº 09, de 14 de janeiro de 2005) Dispõe sobre normas para

Leia mais

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 4139, DE 11 DE SETEMBRO DE 2013. Regulamenta o Fundo Municipal de Esporte e Lazer e o Incentivo ao Esporte e Lazer e dá outras providências. O PREFEITO DE GOIÂNIA, no

Leia mais

Prefeitura Municipal da Estância Climática de Santo Antonio do Pinhal Estado de São Paulo

Prefeitura Municipal da Estância Climática de Santo Antonio do Pinhal Estado de São Paulo Prefeitura Municipal da Estância Climática de Santo Antonio do Pinhal Estado de São Paulo LEI N 980, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2006 Dispõe sobre a criação do Fundo Municipal de Turismo (FUMTUR), no Município

Leia mais

Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011.

Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011. Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o São estabelecidas, em cumprimento

Leia mais

LEI Nº 1550, DE 17 DE ABRIL DE 2008

LEI Nº 1550, DE 17 DE ABRIL DE 2008 Autoria: Poder Executivo LEI Nº 1550, DE 17 DE ABRIL DE 2008 Reestrutura o Conselho Municipal de Turismo COMTUR e cria o Fundo Municipal do Turismo de Lucas do Rio Verde e da outras providências. O Prefeito

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS LEI Nº 14.517, DE 16 DE OUTUBRO DE 2007 Institui o Programa Municipal de Parcerias Público-Privadas, cria a Companhia São Paulo de Parcerias - SPP e dá outras providências. GILBERTO KASSAB, Prefeito do

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL. Texto atualizado apenas para consulta.

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL. Texto atualizado apenas para consulta. 1 Texto atualizado apenas para consulta. LEI Nº 3.984, DE 28 DE MAIO DE 2007 (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Cria o Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Distrito Federal Brasília

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.690, DE 19 DE JULHO DE 2012. Mensagem de veto Dispõe sobre a organização e o funcionamento das Cooperativas de Trabalho;

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 139, DE 25 DE JANEIRO DE 1996. Altera a Lei Complementar n.º 129, de 02 de fevereiro de 1995 e dá outras providências.

LEI COMPLEMENTAR Nº 139, DE 25 DE JANEIRO DE 1996. Altera a Lei Complementar n.º 129, de 02 de fevereiro de 1995 e dá outras providências. LEI COMPLEMENTAR Nº 139, DE 25 DE JANEIRO DE 1996. Altera a Lei Complementar n.º 129, de 02 de fevereiro de 1995 e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER que

Leia mais

Lei Ordinária Nº 5.519 de 13/12/2005 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Lei Ordinária Nº 5.519 de 13/12/2005 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Lei Ordinária Nº 5.519 de 13/12/2005 Dispõe sobre a qualificação de entidades como organizações sociais, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PIAUÍ, FAÇO saber que o Poder Legislativo decreta

Leia mais

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e,

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e, DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013 Cria a Empresa Pública de Saúde do Rio de Janeiro S/A RIOSAÚDE e aprova seu Estatuto. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO BLAIRO BORGES MAGGI Governador SECRETARIA DE ESTADO DE INDÚSTRIA, COMÉRCIO, MINAS E ENERGIA

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO BLAIRO BORGES MAGGI Governador SECRETARIA DE ESTADO DE INDÚSTRIA, COMÉRCIO, MINAS E ENERGIA GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO BLAIRO BORGES MAGGI Governador SECRETARIA DE ESTADO DE INDÚSTRIA, COMÉRCIO, MINAS E ENERGIA ALEXANDRE FURLAN Secretário de Estado JOSÉ EPAMINONDAS MATTOS CONCEIÇÃO Secretário

Leia mais

Projeto do Fórum Paranaense de Economia Solidária que define a Política Estadual de Fomento à Economia Solidária no Paraná.

Projeto do Fórum Paranaense de Economia Solidária que define a Política Estadual de Fomento à Economia Solidária no Paraná. Projeto do Fórum Paranaense de Economia Solidária que define a Política Estadual de Fomento à Economia Solidária no Paraná. Artigo 1. Fica instituída a Política Estadual de Fomento à Economia Solidária

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31144 de 08/04/2008

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31144 de 08/04/2008 DIÁRIO OFICIAL Nº. 311 de 08/0/008 GABINETE DA GOVERNADORA L E I Nº 7.030, DE 30 DE JULHO DE 007* Cria o Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará - IDESP, e dá outras providências.

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.112, DE 31 DE DEZEMBRO DE 1993 "Cria a Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Econômico e Social do Estado do Acre - FADES, por transformação do Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Estado

Leia mais

EST ADO DO AMAZONAS CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS GABINETE VEREADOR EDNAILSON ROZENHA

EST ADO DO AMAZONAS CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS GABINETE VEREADOR EDNAILSON ROZENHA PROJETO DE LEI N.188/2014 Cria o Fundo Municipal dos Direitos Animais (FMDA) e institui seu Conselho Gestor. Art. 1º Fica criado o Fundo M unicipal dos Direitos Animais (FM DA), com objetivo principal

Leia mais

EMENTÁRIO LEI N.º 946, DE 20 DE JANEIRO DE 2006

EMENTÁRIO LEI N.º 946, DE 20 DE JANEIRO DE 2006 LEI N.º 946, DE 20 DE JANEIRO DE 2006 (D.O.M. 20.01.2006 Nº. 1406 Ano VII) DISPÕE sobre o Plano de Saúde dos Servidores Públicos do Município de Manaus SERVMED, institui o correspondente Fundo de Custeio

Leia mais

Rua Ulisses Caldas, 81 - Centro - Natal/RN 59025-090 (55)xx84-3232-8863 www.natal.rn.gov.br

Rua Ulisses Caldas, 81 - Centro - Natal/RN 59025-090 (55)xx84-3232-8863 www.natal.rn.gov.br LEI Nº. 6.067, DE 11 DE MARÇO DE 2010. Altera a Lei Ordinária 5.711/06, que dispõe sobre a Organização Administrativa da Câmara Municipal do Natal, e dá outras providências. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE

Leia mais

DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 Disciplina a celebração de convênios e operações de crédito com previsão de ingresso de recursos financeiros que beneficiem órgãos e entidades da Administração

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre os parâmetros para a criação e o funcionamento dos Fundos Nacional, Estaduais e Municipais

Leia mais

LEI Nº 5.070 DE 7 DE JULHO DE 1966. Cria o Fundo de Fiscalização das Telecomunicações e dá outras providências.

LEI Nº 5.070 DE 7 DE JULHO DE 1966. Cria o Fundo de Fiscalização das Telecomunicações e dá outras providências. LEI Nº 5.070 DE 7 DE JULHO DE 1966. Cria o Fundo de Fiscalização das Telecomunicações e dá outras providências. O Presidente da República, Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte

Leia mais

PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI

PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI LEI N.º 064/2013. Dispõe sobre a Reorganização do Fundo Municipal para os Direitos da Criança e do Adolescente-FMDCA de Aracati, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI, no uso de suas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3310. Parágrafo único. Não são considerados no cálculo da exigibilidade:

RESOLUÇÃO Nº 3310. Parágrafo único. Não são considerados no cálculo da exigibilidade: RESOLUÇÃO Nº 3310 Dispõe acerca da realização de operações de microcrédito destinadas à população de baixa renda e a microempreendedores. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei 4.595, de

Leia mais

O Congresso Nacional decreta:

O Congresso Nacional decreta: Autoriza o Poder Executivo federal a instituir serviço social autônomo denominado Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural - ANATER e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta:

Leia mais

VALDINEY GOMES PAULINO

VALDINEY GOMES PAULINO AUTOR: VEREADOR VALDINEY GOMES PAULINO PROJETO DE LEI N 001/2010 Institui o Programa de Incentivo a Industrialização de Denise PIID, o Conselho Municipal de Desenvolvimento Industrial CMDI e o Fundo de

Leia mais

e) Liberdade assistida; f) Semiliberdade; g) Internação, fazendo cumprir o Estatuto da Criança e do Adolescente.

e) Liberdade assistida; f) Semiliberdade; g) Internação, fazendo cumprir o Estatuto da Criança e do Adolescente. REGIMENTO INTERNO DO COMDICA Título I DO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Capítulo I - DA NATUREZA Art.1º - O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente COMDICA,

Leia mais

REQUERIMENTO Nº 139/2013

REQUERIMENTO Nº 139/2013 CÂMARA MUNICIPAL DE ESTEIO GABINETE DO VEREADOR LEONARDO PASCOAL RUA 24 DE AGOSTO, 535, CENTRO, SALA 06 3º ANDAR CEP: 93280-000 - ESTEIO - RS TELEFONE (51) 3458-5015 - FAX (51) 3458-3366 E-MAIL: contato@leonardopascoal.com.br

Leia mais

LEI Nº 2.284,DE 04 D E ABRIL DE 2016.

LEI Nº 2.284,DE 04 D E ABRIL DE 2016. LEI Nº 2.284,DE 04 D E ABRIL DE 2016. "Altera e cria dispositivos na Lei nº 1.887 de 08 de Junho de 2010 que Instituiu o Programa de Inclusão Social Universidade para todos FACULDADE DA PREFEITURA, e dá

Leia mais

Prefeitura Municipal de Campinas

Prefeitura Municipal de Campinas Prefeitura Municipal de Campinas Criada pelo Decreto Municipal nº 17.301 de 29 de março de 2011 Estrutura: Coordenadoria Setorial Administrativo e de Expediente Departamento de Controle Preventivo Coordenadoria

Leia mais

DECRETO N 28.662, DE 08 DE MARÇO DE 2007

DECRETO N 28.662, DE 08 DE MARÇO DE 2007 ESTADO DO CEARÁ DECRETO N 28.662, DE 08 DE MARÇO DE 2007 * Publicado no DOE em 12/03/2007. REGULAMENTA O ART.25 DA LEI COMPLEMENTAR Nº58, DE 31 DE MARÇO DE 2006 (DOE-CE DE 31.03.2006), QUE DISPÕE SOBRE

Leia mais

NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL ESTATUTO. Capítulo I. Da entidade e seus objetivos

NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL ESTATUTO. Capítulo I. Da entidade e seus objetivos Versão Final NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL ESTATUTO Capítulo I Da entidade e seus objetivos Art. 1º - O NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL, é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos,

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS. Faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS. Faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N 4.986, DE 16 DE MAIO DE 1988. Cria o Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas - IMA e adota outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS. Faço saber que o Poder Legislativo decreta

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: Dispõe sobre a utilização de recursos das exigibilidades de aplicação em crédito rural oriundos da poupança rural e dos depósitos a vista para financiamentos destinados à liquidação de dívidas de produtores

Leia mais

LEI Nº 2.176, DE 17 DE JULHO DE 2005. (ATUALIZADA ATÉ A LEI Nº 2.666, DE 20 DE AGOSTO DE 2010)

LEI Nº 2.176, DE 17 DE JULHO DE 2005. (ATUALIZADA ATÉ A LEI Nº 2.666, DE 20 DE AGOSTO DE 2010) LEI Nº 2.176, DE 17 DE JULHO DE 2005. (ATUALIZADA ATÉ A LEI Nº 2.666, DE 20 DE AGOSTO DE 2010) Institui o Programa de Incentivo e Desenvolvimento Industrial de Morrinhos e estabelece normas gerais de incentivos

Leia mais

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PIRACICABA Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS

Leia mais

O Povo de Florianópolis, por seus representantes, aprova e eu sanciono a seguinte Lei:

O Povo de Florianópolis, por seus representantes, aprova e eu sanciono a seguinte Lei: LEI MUNICIPAL Nº 7692, de 21 de agosto de 2008. DISPÕE SOBRE FINANCIAMENTOS E PROGRAMAS HABITACIONAIS DE INTERESSE SOCIAL, ESTABELECE NORMAS DE CONCESSÃO DE SUBSÍDIOS, REGULAMENTA AS TRANSAÇÕES COM MORADIAS

Leia mais

DECRETO Nº 60.070, DE 15 DE JANEIRO DE 2014

DECRETO Nº 60.070, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 DECRETO Nº 60.070, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 Regulamenta os procedimentos relativos à compensação ambiental de que trata o artigo 36 da Lei federal nº 9.985, de 18 de julho de 2000, no âmbito do licenciamento

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 305, DE 07 DE FEVEREIRO DE 2008.

LEI COMPLEMENTAR Nº 305, DE 07 DE FEVEREIRO DE 2008. LEI COMPLEMENTAR Nº 305, DE 07 DE FEVEREIRO DE 2008. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DE INCENTIVOS AO DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO, PRESTADORES DE SERVIÇOS, CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO, UNIDADES DE LOGÍSTICA

Leia mais

Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências.

Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências. DECRETO N o 3.474, DE 19 DE MAIO DE 2000. Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

PROJETO DE LEI N 3476/04 EMENDA DE PLENÁRIO N

PROJETO DE LEI N 3476/04 EMENDA DE PLENÁRIO N PROJETO DE LEI N 3476/04 Dispõe sobre incentivos à inovação. EMENDA DE PLENÁRIO N Acrescente-se ao PL os seguintes dispositivos, renumerando os atuais Capítulo VII como IX e os artigos 24 a 27 como 37

Leia mais

GABINETE DO PREFEITO

GABINETE DO PREFEITO Autor: Poder Executivo. LEI N 1.328/2016. CRIA O CONSELHO E FUNDO MUNICIPAL E POLÍTICAS SOBRE DROGAS DO MUNICÍPIO DE ARIPUANÃ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. EDNILSON LUIZ FAITTA, Prefeito Municipal de Aripuanã,

Leia mais

Lei Nº 1.268/2004 Uruaçu-Go., 27 de Fevereiro de 2004.

Lei Nº 1.268/2004 Uruaçu-Go., 27 de Fevereiro de 2004. Lei Nº 1.268/2004 Uruaçu-Go., 27 de Fevereiro de 2004. Dispõe sobre a instituição do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável, e dá outras providências A Câmara Municipal de Uruaçu, Estado

Leia mais

MUNICÍPIO DE CAUCAIA

MUNICÍPIO DE CAUCAIA LEI Nº 1799, 29 DE DEZEMBRO DE 2006. Concede incentivos fiscais com redução da Alíquota de IPTU e ISSQN às empresas que venham a se instalar no Município de Caucaia e dá outras providências A PREFEITA

Leia mais

LEI MUNICIPAL 563/73

LEI MUNICIPAL 563/73 LEI MUNICIPAL 563/73 Dispõe sobre a organização administrativa da PREFEITURA MUNICIPAL DE TAQUARA e dá outras providências. ALCEU MARTINS, Prefeito Municipal de Taquara: Faço saber que a Câmara Municipal,

Leia mais

MUNICÍPIO DE CRUZEIRO DO SUL - ACRE GABINETE DO PREFEITO MEDIDA PROVISÓRIA N 002/2013, DE 14 DE MARÇO DE 2013.

MUNICÍPIO DE CRUZEIRO DO SUL - ACRE GABINETE DO PREFEITO MEDIDA PROVISÓRIA N 002/2013, DE 14 DE MARÇO DE 2013. Pág. 1 de 7 MEDIDA PROVISÓRIA N 002/2013, DE 14 DE MARÇO DE 2013. DO: PODER EXECUTIVO AO: PODER LEGISLATIVO DISPÕE SOBRE A POLÍTICA MUNICIPAL DE ATENDIMENTO DOS DIREITOS DO IDOSO, CRIA O FUNDO MUNICIPAL

Leia mais

LEI N 2.298/2002, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2002.

LEI N 2.298/2002, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2002. LEI N 2.298/2002, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2002. Dispõe sobre a política de incentivo ao desenvolvimento econômico e social do Município de Encantado, cria o Programa de Desenvolvimento Econômico e Social e

Leia mais

CAPÍTULO I Do Programa

CAPÍTULO I Do Programa REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS DA INCUBADORA DE EMPRESAS E PROJETOS DO INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES INATEL Art. 1 O presente regulamento visa disciplinar a

Leia mais

Estado da Paraíba Prefeitura Municipal de Santa Cecília Gabinete do Prefeito

Estado da Paraíba Prefeitura Municipal de Santa Cecília Gabinete do Prefeito Lei nº176/2014 Dispõe sobre o Conselho e Fundo Municipal de Políticas sobre Drogas do Município de Santa Cecília e dá outras providências. A Câmara Municipal de Santa Cecília, estado da Paraíba, aprovou

Leia mais

República Federativa do Brasil Estado do Ceará Município de Juazeiro do Norte Poder Executivo

República Federativa do Brasil Estado do Ceará Município de Juazeiro do Norte Poder Executivo LEI Nº 4311, DE 28 DE ABRIL DE 2014 Dispõe sobre a qualificação de entidades sem fins lucrativos como organizações sociais e adota outras providências O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE JUAZEIRO DO NORTE,. FAÇO

Leia mais

O Congresso Nacional decreta:

O Congresso Nacional decreta: Dispõe sobre os valores mínimos a serem aplicados anualmente por Estados, Distrito Federal, Municípios e União em ações e serviços públicos de saúde, os critérios de rateio dos recursos de transferências

Leia mais

Reestrutura as Universidades Estaduais da Bahia e dá outras providências

Reestrutura as Universidades Estaduais da Bahia e dá outras providências LEI 7.176/97 DE 10 DE SETEMBRO DE 1997 Reestrutura as Universidades Estaduais da Bahia e dá outras providências O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono

Leia mais

Transforma a Companhia de Transportes do Município de Belém - CTBel em Autarquia Especial e dá outras providências. CAPÍTULO I DA ENTIDADE MUNICIPAL

Transforma a Companhia de Transportes do Município de Belém - CTBel em Autarquia Especial e dá outras providências. CAPÍTULO I DA ENTIDADE MUNICIPAL LEI Nº 8.227, DE 30/12/02. Publicada no DOM nº 9.858, de 30/12/2002. Transforma a Companhia de Transportes do Município de Belém - CTBel em Autarquia Especial e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N o 11.306, DE 16 DE MAIO DE 2006 Estima a receita e fixa a despesa da União para o exercício financeiro de 2006. O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA TRIBUNAL DE JUSTIÇA SISTEMA DE DEPÓSITOS JUDICIAIS SIDEJUD LEGISLAÇÃO CORRELATA

ESTADO DE SANTA CATARINA TRIBUNAL DE JUSTIÇA SISTEMA DE DEPÓSITOS JUDICIAIS SIDEJUD LEGISLAÇÃO CORRELATA ESTADO DE SANTA CATARINA TRIBUNAL DE JUSTIÇA SISTEMA DE DEPÓSITOS JUDICIAIS SIDEJUD E LEGISLAÇÃO CORRELATA Florianópolis, março de 2011. 2 SUMÁRIO SISTEMA DE DEPÓSITOS JUDICIAIS SIDEJUD LEI N. 15.327,

Leia mais

Emenda nº - CAS Substitutiva (ao PLS 607, de 2007)

Emenda nº - CAS Substitutiva (ao PLS 607, de 2007) Emenda nº - CAS Substitutiva (ao PLS 607, de 2007) Dispõe sobre a regulamentação do exercício da profissão de Analista de Sistemas e suas correlatas, autoriza o Poder Executivo a criar o Conselho Federal

Leia mais

LEI N 904, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009.

LEI N 904, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009. 1 LEI N 904, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009. DISPÕE SOBRE O LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE IMPACTO LOCAL NO MUNICÍPIO DE PORTO MAUÁ E DÁ OUTRAS PRVIDÊNCIAS. GUERINO PEDRO PISONI, Prefeito Municipal de Porto Mauá,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 492. O GOVERNADOR DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte

LEI COMPLEMENTAR Nº 492. O GOVERNADOR DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte LEI COMPLEMENTAR Nº 492 Institui o Programa de Parcerias Público- Privadas do Estado do Espírito Santo e dá outras providências. Lei: O GOVERNADOR DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná LEI Nº 558/2003

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná LEI Nº 558/2003 LEI Nº 558/2003 CRIA O CONSELHO COMUNITÁRIO DE SEGURANÇA DO MUNICÍPIO DE JURANDA, ESTADO DO PARANÁ, ESTABELECE ATRIBUIÇÕES E DÁ OUTRAS PROVIDENCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL DE JURANDA, ESTADO DO PARANÁ, APROVOU

Leia mais

LEI Nº 8478, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2010.

LEI Nº 8478, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2010. LEI Nº 8478, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2010. CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE CULTURA DE FLORIANÓPOLIS (FMCF), VINCULADO À FUNDAÇÃO CULTURAL DE FLORIANÓPOLIS FRANKLIN CASCAES E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS Faço saber a

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO REGIMENTO INTERNO

CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO REGIMENTO INTERNO REGIMENTO INTERNO Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º O Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação (CMCTI/Campinas), criado pela Lei Municipal

Leia mais

MARISOL S.A. CNPJ Nº 84.429.752/0001-62 EMPRESA DE CAPITAL ABERTO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO, PRAZO DE DURAÇÃO

MARISOL S.A. CNPJ Nº 84.429.752/0001-62 EMPRESA DE CAPITAL ABERTO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO, PRAZO DE DURAÇÃO MARISOL S.A. CNPJ Nº 84.429.752/0001-62 EMPRESA DE CAPITAL ABERTO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO, PRAZO DE DURAÇÃO Artigo 1º: A MARISOL S.A. é uma Sociedade Anônima de capital aberto,

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.478, DE 15 DE JANEIRO DE 2003 Cria o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Acre IDAF/AC e define sua competência e organização básica. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO CAMPUS VIRTUAL DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO CEARÁ

REGULAMENTO GERAL DO CAMPUS VIRTUAL DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO CEARÁ REGULAMENTO GERAL DO CAMPUS VIRTUAL DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO CEARÁ TÍTULO I DA FINALIDADE E DA COMPETÊNCIA DO CAMPUS VIRTUAL DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO CEARÁ CVSP Art. 1º O Campus Virtual

Leia mais

LEI Nº 180 DE 25 DE SETEMBRO DE 1997

LEI Nº 180 DE 25 DE SETEMBRO DE 1997 LEI Nº 180 DE 25 DE SETEMBRO DE 1997 Autoriza o Poder Executivo a transformar o Banco do Estado de Roraima S/A - BANER, em Agência de Fomento do Estado de Roraima S/A - AFERR, e dá outras providências.

Leia mais

Dispõe sobre a Política Estadual de Agricultura Irrigada e dá outras providências.

Dispõe sobre a Política Estadual de Agricultura Irrigada e dá outras providências. Lei nº 18995 DE 03/09/2015 Norma Estadual - Goiás Publicado no DOE em 08 set 2015 Dispõe sobre a Política Estadual de Agricultura Irrigada e dá outras providências. A Assembleia Legislativa do Estado de

Leia mais

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Dispõe sobre o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico FNDCT, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais