Workshop IBM Operations Manager for z/vm

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Workshop IBM Operations Manager for z/vm"

Transcrição

1 Workshop IBM Operations Manager for z/vm Abril de 2012 Anderson Pedrassa, MSc, PMP, PP Client Technical Specialist - Tivoli for System z IBM Certified Senior IT Specialist Master Degree in Computer Engineering Objetivo O objetivo deste workshop é facilitar um primeiro contato com a ferramenta Operations Manager for z/vm. Essa experiência inclui acesso ao produto, verificação de consoles de usuários, schedulagem de ações, definição de monitores, monitoração de spool e vigília de operação de VMs com auto-restart. Copyright 2012 IBM Brasil. Todos os direitos reservados. Alguns procedimentos descritos neste material de apoio foram livremente baseados em IBM Operations Manager for z/vm - Lab Exercises, May 2011 escrito por Tracy Dean. Também foram utilizados como referência os manuais originais do produto.

2 Índice Objetivo Login dos Usuários de Workshop Cenário: Visualizar consoles de usuários Cenário: Conectar a SFS (Shared File System) com Arquivos de Configuração Cenário: Monitorar Tamanho do Spool e Enviar Mensagem Quando Acima de Determinado Limite Cenário: Customizar a Visualização de Consoles de Usuários para Suprimir Mensagens Meramente Informativas Cenário: Customizar a Visualização de Consoles de Usuários para Destacar e Manter Determinadas Mensagens Cenário: Verificar o Status do Servidor do Operations Manager Cenário: Definir um Monitor de VM para Garantir Que a Mesma Esteja Sempre Logada Cenário: Enviar Quando Receber Mensagem FATAL ou de ABEND Cenário: Definir um Scheduler Cenário: Definir Uma Ação em Resposta a Evento ou Comando no OMEGAMON APÊNDICE: Trecho de Código-Fonte REXX para Envio de APÊNDICE: Trecho de Código-Fonte REXX para Alteração de SHARE de CPU

3 Informação de Referência O Operations Manager Administration Guide contém documentação detalhada sobre os comandos e opções de configuração. A tabela a seguir funciona como um índice rápido: cms cmd() Capítulo 5, pág. 35 config Capítulo 5, pág. 36 defactn Capítulo 6, pág. 65 defrule Capítulo 6, pág. 79 viewcon Capítulo 7, pág. 106 viewlog Capítulo 7, pág. 110 suspend Capítulo 6, pág. 101 defschd Capítulo 6, pág. 82/83 Todos os comandos do Operations Manager que forem emitidos a partir do seu usuário de workshop (WRKSHOP1, por exemplo), serão processados por GOMCMD OPGMRM1 A partir do seu usuário, o comando VIEWCON (para visualizar de consoles), seria GOMCMD OPGMRM1 VIEWCON USER(xxxxxxxx)...onde xxxxxxxx é o id do usuário cujo console você quer visualizar. 3

4 1 Login dos Usuários de Workshop O primeiro passo para ter contato com o Operations Manager é fazer login de um usuário (VM) de workshop no z/vm. Siga os passos a seguir: 1.1 Abra um emulador de terminal 3270 (PCOMM, Extra, x3270 ou equivalente): 1.2 Conecte-se ao endereço IP do z/vm ( ): 4

5 1.3 Faça login com usuário e senha de Workshop (a ser informado pelo instrutor): 5

6 6

7 1.4 Concluindo o processo de login, no prompt do CMS temos a indicação de que o sistema está pronto (Ready) para receber comandos. 1.5 O warning relacionado a minidisk 191 inválido pode ser ignorado, já que não foi definido disco para este usuário. 7

8 2 Cenário: Visualizar consoles de usuários Por meio do comando VIEWCON, o Operations Manager permite visualizar as mensagens de qualquer console que esteja sendo monitorado e aos quais o seu usuário de operação está autorizado. VIEWCON provê uma visão tratada dos consoles. Dessa forma, todas as regras e ações que tenham sido definidas e configuradas se aplicam e, portanto, algumas mensagens podem ser suprimidas, destacadas, mantidas com o objetivo de controle e ação (hold), etc. Além disso, você pode usar VIEWLOG para visualizar uma cópia do log do Operations Manager. O log contém todas as mensagens de todos os consoles que estão sendo monitorados. Esta visão de log, diferentemente da visão do VIEWCON, não é tratada. Este log também contém todas as mensagens do console do próprio Operations Manager, incluindo mensagens de confirmação sobre novas configurações, mensagens de erro e mensagens que indicam quando uma regra, ação ou schedulagem são aplicados. Com VIEWCON e VIEWLOG você pode fazer scroll para cima e para baixo, esquerda e direita, buscar por texto para cima e para baixo e ligar e desligar a função Hold. Também é possível configurar a exibição de data e/ou hora. É possível customizar o comportamento de VIEWCON e VIEWLOG por meio da definição de um arquivo de perfil (PROFILE) que especifica como as teclas de função devem operar e que permite configurar a formatação default de data e hora. 2.1 Objetivos: Monitorar console de um usuário Linux/z e um usuário CMS Simular situação x e situação y Mensagens são marcadas (hold) para tratamento Operador toma ação e responde a usuário 2.2 Com Q NAMES, instrutor deve verificar OPMGRM1 (servidor do Operations Manager for z/vm) logado. 2.3 Caso contrário, com usuário MAINT, deve emitir XAUTOLOG OPMGRM Alternativamente, se usuário MAINT estiver sendo utilizado, logar com OPMGRM1 (usar #CP DISC para desconectar e manter serviço ativo) 8

9 2.5 Agora que o servidor do Operations Manager for z/vm está ativo, usuário do workshop (WRKSHOP1, por exemplo) pode emitir comandos de operação. 2.6 Para ver as mensagens do Operations Manager for z/vm: 2.7 SET LANGUAGE ( ADD GOM USER ) 2.8 Para ter acesso ao último comando: 2.9 SET PF12 RETRIEVE 2.10 Para ver a console da VM Linux/z ITUAM1 e da VM CMS CMS1: 2.11 GOMCMD OPMGRM1 VIEWCON USERS(ITUAM1,CMS) 2.12 Instrutor conecta-se ao Linux/z ITUAM via ssh: 2.13 ssh 2.14 ~]# logger -p user.emerg Situation x ocurred 2.15 Repare na tela a seguir no console de operador que Situation x ocurred para o usuário root no Linux/z ITUAM1. A simulação da situação foi logada às 09:02:21 e chegou à console 1 segundo depois, às 11:02:22 (a diferença de 2 horas equivale a GMTs diferentes entre os servidores) 2.16 Repare também que (Scroll) está ativo e, portanto, novas mensagens de console empurrarão as mensagens mais antigas para fora da tela <PF5> pode ser utilizado para manter (hold) mensagens de interesse que, por exemplo, requeiram ação ou atenção. Hold é do tipo liga/desliga. No exemplo 9

10 abaixo, a mensagem Gostaria de pedir outro apoio foi recebida e marcada com Hold e, dessa forma, não será perdida com o scroll automático Use <PF7> e <PF8> para Page Up e Page Down. O uso destas teclas desliga a função auto-scroll (indicador (Scroll) localizado no canto inferior direito da tela). Para reativar o auto-scroll, use <PF23> 2.19 Use <PF10> e <PF11> para scroll para a direita e esquerda 2.20 Use <PF6> para alternar entre os modos de exibição de data e hora 2.21 Um número n na linha de comando seguido de <PF7>, <PF8>, <PF10> ou <PF11> fará scroll na direção correspondente à tecla de função por n linhas/colunas 2.22 Use o caracter / para fazer pesquisa. O texto encontrado será posicionado na primeira linha da tela. Note que o auto-scrolling será desativado 2.23 Use \ para pesquisa reversa 2.24 Instrutor conecta-se a usuário CMS CMS Instrutor emite TELL OPMGRM1 SITUATION Y OCURRED 2.26 Usuário do workshop emite comando CMS1 ID 10

11 2.27 Repare que o comando ID foi executado na console do usuário CMS CMS1 QUERY NAMES 2.29 Novamente, esse comando é direcionado para execução no usuário CMS Envie uma mensagem para o usuário CMS1: 2.31 CMS1 MSG CMS1 SITUACAO Y RESOLVIDA 2.32 Envie para execução no usuário CMS1 um comando para verificar os minidiscos acessados: 2.33 CMS1 QUERY DISK 2.34 Repare que o resultado representa a visão de mini-discos do usuário de destino do comando (CMS1) e não do operador (usuário do workshop) que emitiu o comando 2.35 Para fazer login em um servidor Linux/z, envie os comandos diretamente: 2.36 ITUAM1 root (usuário para login) 2.37 ITUAM (senha para login) 2.38 ITUAM1 ls 2.39 Para enviar mensagem ao usuário da VM ITUAM1, use: 2.40 ITUAM1 write root 2.41 (neste caso, será enviada uma mensagem ao usuário root) 11

12 2.42 ITUAM1 SITUACAO Y RESOLVIDA 2.43 (a mensagem é recebida pelo usuário root) 2.44 com write root, sabendo que o operador está vendo a sua console, o instrutor do workshop pode simular o pedido de outra ajuda: 12

13 3 Cenário: Conectar a SFS (Shared File System) com Arquivos de Configuração Os arquivos de configuração para o Operations Manager estão em um SFS. Para ter acesso de leitura e gravação, use: 3.1 ACCESS OMSFS:OPMGRM1.CONFIGURATION E (FORCERW 3.2 FILEL E WRKSHOP1 FILELIST E0 V 169 Trunc=169 Size=14 Line=1 Col=1 Alt=0 Directory = OMSFS:OPMGRM1.CONFIGURATION Cmd Filename Filetype Fm Format Lrecl Records Blocks Date Time WRKSHOP1 CONFIG E1 F /13/12 19:42:43 OPMGRM1 CONFIG E1 V /13/12 17:56:00 TEST NOTE E1 V /29/12 19:17:10 WRKSHOP1 NETLOG E0 V /29/12 18:18:31 SMTPNOTE EXEC E1 V /29/12 18:13:58 TRACY CONFIG2 E1 F /01/12 13:38:11 DIRM1AA EXEC E1 V /01/12 13:04:21 OPMGRM1 CONFIG2 E1 V /01/12 13:04:21 OPMGRM1 CONFIG3 E1 V /01/12 13:04:21 OPS CONFIG E1 V /01/12 13:04:21 POSTZMSG EXEC E1 V /01/12 13:04:21 SNMP2OMN EXEC E1 V /01/12 13:04:21 TRACY CONFIG E1 V /01/12 13:04:21 VCPU EXEC E1 V /01/12 13:04:21 1= Help 2= Refresh 3= Quit 4= Cancel 5= Sort(dir) 6= Sort(size) 7= Backward 8= Forward 9= FL /n 10= Share 11= XEDIT/LIST 12= Cursor ====> X E D I T 1 File 13

14 4 Cenário: Monitorar Tamanho do Spool e Enviar Mensagem Quando Acima de Determinado Limite Neste cenário, criamos um monitor de spool que avisa um usuário de operação, por mensagem, que determinado spool está com tamanho acima de determinado limite. O comando VIEWSPL apresenta um painel com uma lista de arquivos de spool, permite ver o conteúdo de um arquivo de spool em tela cheia e trazer uma cópia de um arquivo de spool para o Virtual Reader. A lista de arquivos de spool inclui arquivos dos tipos RDR, PUN, DMP, HELD (USER ou SYSHOLD) e OPEN. 4.1 Para listar os arquivos de spool: 4.2 GOMCMD OPMGRM1 VIEWSPL 4.3 Podem ser filtrados apenas arquivos de spool maiores que determinado 14

15 tamanho (operando SIZE), de determinado(s) usuário(s) (operando USER) e cuja criação tenha ocorrido após determinada data (operando DATE): 4.4 GOMCMD OPMGRM1 VIEWSPL SIZE(1M), USER(ITUAM), DATE(2011/07/01) 4.5 Na lista de spool, podem ser utilizados os comandos CP PURGE, CHANGE e TRANSFER. 4.6 Use <PF24> para ver as teclas de função 4.7 Use <PF5> (ascendente) ou <PF6> (descendente) para ordenar a lista por determinada coluna. Posicione o cursos na coluna desejada e pressione a tecla de função. 4.8 Vamos utilizar o comando SENDFILE para enviar um arquivo grande para um usuário de teste, de modo a verificar que o spool correspondente aumenta de tamanho. 4.9 A partir de um usuário que tenha link para o minidisco Y de MAINT (por exemplo, PEDRASS): 15

16 Ready; T=0.95/ :12:30 q disk LABEL VDEV M STAT CYL TYPE BLKSZ FILES BLKS USED-(%) BLKS LEFT BLK TOTAL PED A R/W MNT S R/O MNT19E 19E Y/S R/O Ready; T=0.01/ :12:33 id PEDRASS AT ZCENTER VIA 03/12/12 17:18:40 BST MONDAY Ready; T=0.01/ :18:40 SENDFILE SCEERUN LOADLIB Y2 ITUAM2 File SCEERUN LOADLIB Y2 sent to ITUAM2 at ZCENTER on 03/12/12 17:20:44 Ready; T=0.46/ :20: Verifique com VIEWSPL para o usuário ITUAM2 que ele agora tem mais 51 Mb de spool. Pode ser necessário repetir o SENDFILE até que seja possível confirmar um aumento do porcentual de spool utilizado. Neste exemplo o porcentual utilizado aumentou de 40% para 41%: System: ZCENTER Spool: 41% Used Files: 0% Used 1 of 6 Max: 9.6G Max: Cmd Owner File CLS QUE TYP Size Hold Date Time Name Type ITUAM A RDR PUN 12M NONE 07/14 00:06:17 RHEL55 INITRD ITUAM A RDR PUN 4K NONE 07/14 00:06:17 RHEL55 PARMFILE ITUAM A RDR PUN 7M NONE 07/14 00:06:16 RHEL55 KERNEL ITUAM A RDR PUN 51M NONE 03/12 17:09:41 SCEERUN LOADLIB ITUAM A RDR PUN 51M NONE 03/12 17:10:14 SCEERUN LOADLIB ITUAM A RDR PUN 51M NONE 03/12 17:20:44 SCEERUN LOADLIB 4.11 Vamos agora habilitar um monitor do Operations Manager que vai enviar uma mensagem a um usuário de operação sempre que o porcentual de utilização de spool atingir determinado limite Edite o arquivo WRKSHOP1 CONFIG e inclua as linhas a seguir. O usuário WRKSHOP1 deve começar os ids com W1, WRKSHOP2 com W2 e assim por diante. Dessa forma evitamos conflitos entre monitores e ações com os outros participantes: MONITOR DE SPOOL 16

17 DEFSMON NAME(W1SPLF),+ ACTION(W1SPLFA),+ USAGE( ),+ PARM(SPOOL) SUSPEND SPOOL(W1SPLF) DEFACTN NAME(W1SPLFA),+ COMMAND(CP MSG PEDRASS O SPOOL ESTA &4% CHEIO.),+ ENV(LVM) 4.13 O próximo passo é carregar este arquivo como sendo o arquivo de configuração do Operations Manager. Use: 4.14 GOMCMD OPMGRM1 CONFIG FN(WRKSHOP1), FT(CONFIG), FM(E), CLEAR(ALL) A cláusula CLEAR(ALL) limpa todas as definições anteriores. Sem ela, podemos receber algo como: 03/12/ :00:10 GOMCMD0211E DEFSMON "W1SPLF " ALREADY DEFINED 03/12/ :00:10 GOMCMD0211E DEFACTN "W1SPLFA " ALREADY DEFINED 4.15 Veja que a mensagem chega ao usuário de operação PEDRASS: 17:58:37 MSG FROM OPMGRM1 : O SPOOL ESTA 41% CHEIO O comando GOMCMD OPMGRM1 VIEWLOG mostra a sequencia de eventos: 03/12/ :04:07 GOMRSY0412E TCP/IP OPERATION TO LNXSYSL2 SOCK /12/ :04:07 GOMRSY0412E TCP/IP OPERATION TO LNXSYSL3 SOCK /12/ :04:07 GOMCMD0201L PEDRASS "VIEWSPL USER(ITUAM2)" VID=PEDRASS S 03/12/ :04:14 GOMCMD0201L PEDRASS "VIEWLOG" VID=PEDRASS SRC=MASIUCV C 03/12/ :04:37 GOMSMO0403I SPOOL ALERT: MONITOR W1SPLF USAGE CONDITI 03/12/ :04:37 GOMSMO0401I SPOOL USE: MONITOR W1SPLF SPACE 41 PERCENT, 03/12/ :04:37 GOMSMO0402I SPOOL CHG: MONITOR W1SPLF SPACE 1 PERCENT, F 03/12/ :04:37 GOMACT0260I SPOOL W1SPLF ACTION W1SPLFA TRIGGERED BY _G 03/12/ :04:37 GOMACT0262I ACTION W1SPLFA BEGIN FOR _GOMSMON SERVER OPMG 03/12/ :04:37 GOMACT0269L COMMAND "CP MSG PEDRASS O SPOOL ESTA 41% CHEIO 17

18 03/12/ :04:37 GOMACT0267I ACTION W1SPLFA END RC=0 SERVER OPMGRM1 03/12/ :04:37 GOMRSY0413E FSOPEN FAILED 28 FOR TRANSLATION TABLE /12/ :04:37 GOMRSY0412E TCP/IP OPERATION TO LNXSYSL3 SOCK Alguns comentários sobre o monitor de spool: _GOMALOG (Scroll) DEFSMON = Define o monitor de spool DEFACTN = Define a ação a ser tomada W1SPLF = Workshop user 1 Spool Full monitor W1SPLFA = Workshop user 1 Spool Full Action A leitura do comando seria algo como Defina um monitor de spool X que executa a ação Y sempre que o porcentual de utilização estiver entre M% e N% &4 é resolvido como o porcentual de utilização de spool A cláusula ENV especifica em que ambiente (ENVironment) o comando deve ser executado. Algumas opções incluem: LVM = Local Virtual Machine. Deve ser usado com atenção para não degradar a performance geral do Operations Manager SVM = Service Virtual Machine (Action Processing Server). A instalação padrão do Operations Manager habilita 4 máquinas virtuais (OPMGRS1 a S4) para servir como workers. ENV = SVM força seleção automática de worker livre ou com menor carga de trabalho userid = id da VM que deve executar o comando. Pode ser usado para fixar, por exemplo, que a ação será feita por OPMGRS3 e para definir paralelismo explicitamente Faça PURGE dos arquivos enviados e veja por meio de VIEWLOG que a ação W1SPLFA não é mais disparada. 18

19 5 Cenário: Customizar a Visualização de Consoles de Usuários para Suprimir Mensagens Meramente Informativas Para este cenário, em primeiro lugar vamos criar uma regra (rule) para suprimir determinadas mensagens que podem ou devem ser ignoradas em benefício de mensagens que realmente requeiram atenção. 5.1 Crie uma regra que diga ao VIEWCON para ignorar (suprimir) todas as mensagens que contêm INFORMATIONAL. Nosso objetivo é que mensagens meramente informativas não apareçam na visualização de console quando esta regra estiver ativa. Essa filtragem de mensagens não afeta o log: todas as mensagens são logadas e podem ser vistas por meio de VIEWLOG, independentemente de regras ou filtros. 5.2 Edite o arquivo de configuração para incluir a nova regra: 5.3 X WRKSHOP1 CONFIG E REGRA PARA QUE SEJAM SUPRIMIDAS AS MENSAGENS QUE CONTEM "INFORMATIONAL" DEFRULE NAME(W1SUPINF),+ MATCH(INFORMATIONAL),+ ACTION(W1SUPINA),+ USER(OPMGRC1) DEFACTN NAME(W1SUPINA),+ INPUT(SUP) 5.4 Recarregue o arquivo de configuração para que a nova regra seja aplicada e considerada: 5.5 GOMCMD OPMGRM1 CONFIG FN(WRKSHOP1), FT(CONFIG), FM(E), CLEAR(ALL) 5.6 Vamos então enviar três mensagens de teste: 5.7 MSG ITUAM1 TESTE 1 MENSAGEM NORMAL 5.8 MSG ITUAM1 TESTE 2 MENSAGEM INFORMATIONAL 5.9 MSG ITUAM1 TESTE 3 MENSAGEM NORMAL NOVAMENTE 5.10 E agora vamos conferir na visualização de console que a mensagem que contém INFORMATIONAL não foi apresentada: 19

20 5.11 GOMCMD OPMGRM1 VIEWCON USERS(ITUAM1) Detected Linux RedHat 5 Applying LD_PRELOAD workaround. Ignore any subsequent errors referencing libfre Using /opt/ibm/tivoli/tipv2/java/jre/bin/java # # Finished starting TCR / Cognos Content Store Server # # # Starting TIP Server (it will start ITUAM and TCR Server as well) # ADMU0116I: Tool information is being logged in file /opt/ibm/tivoli/tipv2/profiles/tipprofile/logs/server1/startserver.l ADMU0128I: Starting tool with the TIPProfile profile ADMU3100I: Reading configuration for server: server1 ADMU3200I: Server launched. Waiting for initialization status. ADMU3000I: Server server1 open for e-business; process id is 3460 # # Finished starting TIP (and ITUAM) Servers # # # END # Red Hat Enterprise Linux Server release 5.7 (Tikanga) Kernel el5 on an s390x ituam1 login: HCPMID6001I TIME IS 00:00:00 BST TUESDAY 03/13/12 MSG FROM WRKSHOP1: TESTE 1 - MENSAGEM NORMAL MSG FROM WRKSHOP1: TESTE 3 - MENSAGEM NORMAL NOVAMENTE 5.12 O comando DEFRULE também permite procurar o texto para match em um intervalo de colunas, definir em quais dias da semana esta regra se aplica, se a mesma é válida ou não para feriados, entre outras opções. 20

21 6 Cenário: Customizar a Visualização de Consoles de Usuários para Destacar e Manter Determinadas Mensagens Agora vamos criar três ações para respectivamente 1) manter (HOLD) uma mensagem, 2) destacar uma mensagem e 3) realçar uma mensagem com vermelho: ACAO PARA MANTER (HOLD) MENSAGEM DEFACTN NAME(W1HOLDA),+ INPUT(AHI,HLD) ACAO PARA DESTACAR (HILIGHT) MENSAGEM DEFACTN NAME(W1HILITA),+ INPUT(AHI) ACAO PARA REALCAR MENSAGEM COM VERMELHO DEFACTN NAME(W1REDA),+ INPUT(CRE) 6.1 Vamos incluir as regras para usar essas ações. Veja se você consegue descobrir que tipo de mensagem será afetado por quais ações e como funciona o encadeamento de ações. REGRA PARA CATCH DE MENSAGEM CRITICA DEFRULE NAME(W1CRIT),+ MATCH(MENSAGEM CRITICA),+ ACTION(W1CRITR),+ USER(ITUAM1) ACAO PARA MENSAGEM CRITICA DEFACTN NAME(W1CRITR),+ INPUT(CRE),+ NEXTACTN(W1CRITM) 21

22 DEFACTN NAME(W1CRITM),+ COMMAND(CP MSG WRKSHOP1 MENSAGEM CRITICA '&T' RECEBIDA POR &U.),+ ENV(LVM),+ OUTPUT(LOG) REGRA PARA CATCH DE ABEND DEFRULE NAME(W1ABEND),+ MATCH(ABEND),+ USER(ITUAM1),+ ACTION(W1HOLDA) 6.2 Quando uma mensagem crítica é enviada ao usuário ITUAM1 com, por exemplo, o comando: 6.3 MSG ITUAM1 ESTE E UM TESTE DE MENSAGEM CRITICA ENVIADO AS 12: a regra W1CRIT faz o match e executa a ação W1CRITR (o último R indica que esta ação fará com que a mensagem seja realçada em vermelho). 6.5 A ação W1CRITR altera o input (mensagem) para CRE (Color = REd). Outras opções incluem: CBL: Color = BLue CGR: Color = GReen ABL: Attribute BLink (faz a mensagem piscar) AAL: Audible ALarm (soa um beep) AHI: Attribute HIghlight (destaca a mensagem) HLD: HoLD 6.6 A seguir, esta ação dispara a execução de outra ação (encadeamento), W1CRITM. Esta última utiliza o comando CP MSG para enviar uma mensagem para o usuário WRKSHOP &T é resolvido como a mensagem recebida e &U como o usuário que recebeu a mensagem. Existem outras variáveis para substituições úteis. 22

23 7 Cenário: Verificar o Status do Servidor do Operations Manager A qualquer momento, emita o comando a seguir para verificar o status do Operations Manager: 7.1 GOMCMD OPMGRM1 STATUS Ready; T=0.01/ :14:14 GOMCMD OPMGRM1 STATUS 03/13/ :14:21 GOMCMD0899I OPERATIONS MANAGER V1R4 BUILT 12/05/ /13/ :14:21 GOMCMD0900I 3 RULE(S) DEFINED 03/13/ :14:21 GOMCMD0902I 0 MACHINE MONITOR(S) DEFINED 03/13/ :14:21 GOMCMD0903I 0 SCHEDULE(S) DEFINED 03/13/ :14:21 GOMCMD0904I 6 ACTION(S) DEFINED 03/13/ :14:21 GOMCMD0905I 0 ACTION(S) SCHEDULED FOR EXECUTION 03/13/ :14:21 GOMCMD0906I 0 GROUP(S) DEFINED 03/13/ :14:21 GOMCMD0907I 0 DATES(S) DEFINED 03/13/ :14:21 GOMCMD0908I 1 SPOOL MONITOR(S) DEFINED 03/13/ :14:21 GOMCMD0909I 0 EVENT MONITOR(S) DEFINED 03/13/ :14:21 GOMCMD0920I 5 SERVICE MACHINE(S) DEFINED 03/13/ :14:21 GOMCMD0921I 15 USER(S) AUTHORIZED 03/13/ :14:21 GOMCMD0922I 9 IUCV CONNECTION(S) 03/13/ :14:21 GOMCMD0923I 0 DATA SPACE SIZE DEFINITION(S) 03/13/ :14:21 GOMCMD0924I 0 COMBINED VIEW(S) 03/13/ :14:21 GOMCMD0925I 28 USER CONSOLE(S) RECORDING 03/13/ :14:21 GOMCMD0926I 4 TCP/IP APPLICATION(S) DEFINED Ready; T=0.01/ :14:21 23

24 8 Cenário: Definir um Monitor de VM para Garantir Que a Mesma Esteja Sempre Logada Use o comando DEFMMON (DEFine Machine MONitor) dentro de um arquivo de configuração para que seja feita uma verificação cíclica se determinada máquina virtual está LOGGED OFF. 8.1 A ação associada normalmente equivale a XAUTOLOG <VM> para restabelecer o status LOGGED ON. 8.2 Podem ser incluídos no comando o intervalo entre as verificações, que dias da semana e faixas de horários devem ser considerados, quantidade e intervalo entre retries (tentativas) e de que outras máquinas virtual esta que está sendo monitorada depende. 8.3 O comando DEFDATE pode ser utilizado para definir feriados. Feriados podem ou não ser ignorados por esta monitoração. 8.4 Vamos criar um monitor para a VM ITUAM2. Esta VM deve estar LOGGED ON de segunda a sexta, das 9 às 18h. Não é importante que ela esteja up em feriados: MONITOR PARA GARANTIR QUE A VM ITUAM2 ESTEJA NO AR ESTA VM DEVE ESTAR OPERACIONAL DE SEGUNDA A SEXTA, DAS 9 AS 18H, EM DIAS UTEIS DEFMMON NAME(ITUAM2),USER(ITUAM2),ACTION(W1AUTOL1),+ DAYS(SSH),INTERVAL(10) DEFACTN NAME(W1AUTOL1),+ COMMAND(CP SLEEP 3 SEC),+ NEXTACTN(W1AUTOL2),+ OUTPUT(LOG),+ ENV(OPMGRS1) DEFACTN NAME(W1AUTOL2),+ COMMAND(CP XAUTOLOG &3),+ NEXTACTN(W1AUTOL3),+ OUTPUT(LOG),+ ENV(OPMGRS1) DEFACTN NAME(W1AUTOL3),+ 24

25 COMMAND(CP MSG WRKSHOP1 FOI ENVIADO COMANDO XAUTOLOG PARA &3),+ OUTPUT(LOG),+ ENV(OPMGRS1) 8.5 A opção DAYS tem o formato DAYS(MTWTFSSH): Monday, Tuesday, Wednesday, Thrusday, Friday, Saturday, Sunday, Holiday. Para que seja feita verificação em determinado dia e/ou nos feriados, a posição correspondente na cláusula DAYS deve conter um. 8.6 Vamos fazer um primeiro teste sem a ajuda do monitor. Vamos confirmar que ITUAM2 está no ar: Ready; T=0.01/ :13:51 QUERY ITUAM2 ITUAM2 -L0004 Ready; T=0.01/ :13: Vamos agora usar #CP LOGOFF a partir de ITUAM2 e a seguir: Ready; T=0.01/ :13:57 QUERY ITUAM2 HCPCQU045E ITUAM2 not logged on Ready(00045); T=0.01/ :14: Vamos então ativar o novo arquivo de configuração que inclui nosso monitor: 8.9 GOMCMD OPMGRM1 CONFIG FN(WRKSHOP1), FT(CONFIG), FM(E), CLEAR(ALL) Ready; T=0.01/ :23:01 ID WRKSHOP1 AT ZCENTER VIA 03/13/12 14:24:00 BST TUESDAY Ready; T=0.01/ :24:00 GOMCMD OPMGRM1 CONFIG FN(WRKSHOP1), FT(CONFIG), FM(E), CLEAR(ALL) Ready; T=0.01/ :24:04 QUERY ITUAM2 HCPCQU045E ITUAM2 not logged on Ready(00045); T=0.01/ :24: Veja a sequencia de comandos e eventos no log no Operations Manager: 8.11 GOMCMD OPMGRM1 VIEWLOG 25

26 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "CONFIG FN(WRKSHOP1), FT(CONFIG), FM( 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "DEFSMON NAME(W1SPLF), ACTION(W1SPLF 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "SUSPEND SPOOL(W1SPLF)" VID=WRKSHOP1 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "DEFACTN NAME(W1SPLFA), COMMAND(CP M 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "DEFRULE NAME(W1SUPINF), MATCH(INFO 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "DEFACTN NAME(W1SUPINA), INPUT(SUP)" 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "DEFACTN NAME(W1HOLDA), INPUT(AHI,HL 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "DEFACTN NAME(W1HILITA), INPUT(AHI)" 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "DEFACTN NAME(W1REDA), INPUT(CRE)" V 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "DEFRULE NAME(W1CRIT), MATCH(MENSAG 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "DEFACTN NAME(W1CRITR), INPUT(CRE), 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "DEFACTN NAME(W1CRITM), COMMAND(CP M 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "DEFRULE NAME(W1ABEND), MATCH(ABEND 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "DEFMMON NAME(ITUAM2),USER(ITUAM2),AC 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "DEFACTN NAME(W1AUTOL1), COMMAND(CP 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "DEFACTN NAME(W1AUTOL2), COMMAND(CP 03/13/ :39:25 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "DEFACTN NAME(W1AUTOL3), COMMAND(CP 03/13/ :39:35 GOMCMD0201L WRKSHOP1 "VIEWLOG" VID=WRKSHOP1 SRC=MASIUCV C 03/13/ :39:47 GOMCPC0111L COMMAND "QUERY USER ITUAM2 " RC= D 03/13/ :39:47 GOMACT0260I MACHINE ITUAM2 ACTION W1AUTOL1 TRIGGERED BY 03/13/ :39:47 GOMACT0262I ACTION W1AUTOL1 BEGIN FOR _GOMMMON SERVER OPMG 03/13/ :39:47 GOMACT0269L COMMAND "CP SLEEP 3 SEC" 03/13/ :39:50 GOMACT0267I ACTION W1AUTOL1 END RC=0 SERVER OPMGRS1 03/13/ :39:50 GOMACT0260I MACHINE ITUAM2 ACTION W1AUTOL2 TRIGGERED BY 03/13/ :39:50 GOMACT0262I ACTION W1AUTOL2 BEGIN FOR _GOMMMON SERVER OPMG 03/13/ :39:50 GOMACT0269L COMMAND "CP XAUTOLOG ITUAM2" 03/13/ :39:50 GOMACT0270L Command accepted 03/13/ :39:50 GOMACT0267I ACTION W1AUTOL2 END RC=0 SERVER OPMGRS1 03/13/ :39:50 GOMACT0260I MACHINE ITUAM2 ACTION W1AUTOL3 TRIGGERED BY 03/13/ :39:50 GOMACT0262I ACTION W1AUTOL3 BEGIN FOR _GOMMMON SERVER OPMG 03/13/ :39:50 GOMACT0269L COMMAND "CP MSG WRKSHOP1 FOI ENVIADO COMANDO X 03/13/ :39:50 GOMACT0267I ACTION W1AUTOL3 END RC=0 SERVER OPMGRS1 03/13/ :39:50 GOMCMD0216L OPERATOR "AUTO LOGON ITUAM2 USERS 03/13/ :39:50 GOMCMD0224L ITUAM2 EVENT TYPE 0 VID=VMEVENT SRC=MASIUCV 03/13/ :39:50 GOMCMD0224L ITUAM2 EVENT TYPE 5 VID=VMEVENT SRC=MASIUCV 8.12 O comando XAUTOLOG ITUAM2 foi emitido e aceito às 14:39:50 26

27 8.13 Agora podemos confirmar que a VM ITUAM2 voltou a estar logada: Ready; T=0.05/ :41:26 QUERY ITUAM2 ITUAM2 - DSC Ready; T=0.01/ :41:28 27

28 9 Cenário: Enviar Quando Receber Mensagem FATAL ou de ABEND Neste cenário criamos uma regra para interceptar todas as mensagens que contém ABEND ou FATAL e enviamos um para um operador. 9.1 Inclua no arquivo de configuração as regras e ação de enviar conforme o exemplo a seguir: ENVIAR PARA UM OPERADOR QUANDO RECEBER MENSAGEM FATAL DEFRULE NAME(W1FATAL),+ MATCH(FATAL),+ USER(ITUAM1),+ ACTION(W1 A),+ PARM(FATAL) ENVIAR PARA UM OPERADOR QUANDO RECEBER MENSAGEM DE ABEND DEFRULE NAME(W1ABENDR),+ MATCH(ABEND),+ USER(ITUAM1),+ ACTION(W1 A),+ PARM(ABEND) EXECUTAR A REXX QUE COMPOE A NOTA E ENVIA O DEFACTN NAME(W1 A),+ COMMAND(EXEC SMTPNOTE ANDERPED AT BR.IBM.COM &U &P &T),+ OUTPUT(LOG),+ ENV(LVM) 9.2 A configuração acima intercepta mensagens que contêm ABEND ou FATAL e executa a REXX SMTPNOTE passando como parâmetros o usuário / VM (&U) onde a mensagem foi gerada, o tipo de erro (&P) e texto da mensagem (&T). 9.3 Para testar nossa configuração, usamos: 9.4 MSG ITUAM1 TESTANDO MENSAGEM FATAL Com VIEWLOG, podemos ver a sequencia de eventos: 28

29 17:03:52 GOMCMD0216L ITUAM1 " MSG FROM WRKSHOP1: TESTANDO MENSAGEM FATAL :03:52 GOMACT0260I RULE W1FATAL ACTION W1 A TRIGGERED BY ITUAM1 17:03:52 GOMACT0262I ACTION W1TESTA BEGIN FOR ITUAM1 SERVER OPMGRM1 17:03:52 GOMACT0267I ACTION W1TESTA END RC=0 SERVER OPMGRM1 17:03:52 GOMACT0262I ACTION W1 A BEGIN FOR ITUAM1 SERVER OPMGRM1 17:03:52 GOMACT0269L COMMAND "EXEC SMTPNOTE ANDERPED AT BR.IBM.COM ON 17:03:52 17:03:52 GOMACT0270L DMSXSU587I XEDIT: 17:03:52 GOMACT0270L NOTE OPMGRM1 NOTE E1 sent to ANDERPED at BR.IB 17:03:52 GOMACT0267I ACTION W1 A END RC=0 SERVER OPMGRM1 9.6 A REXX SMTPNOTE gera um arquivo temporário que é enviado como e- mail pelo comando SENDFILE (NOTE SMTP: Date: 31 Mar 2012, 17:03:52 From: Operations Manager for z/vm To: ANDERPED at BR.IBM.COM Subject: Fatal error on user ID ITUAM1 on z/vm system The following message was received on ITUAM1 running on unknown_host_name. MSG FROM WRKSHOP1: TESTANDO MENSAGEM FATAL 1604 DO NOT REPLY - This was generated by an automated service machine 29

30 10 Cenário: Definir um Scheduler O comando DEFSCHD define um scheduler para automação e associa que ação deve ser executada. A ação pode ser executada uma única vez, repetida de hora em hora, diariamente, em um feriado, mensalmente ou anualmente Vamos definir entradas de scheduler para 1) enviar uma mensagem ao usuário de workshop toda hora cheia, nos dias úteis; 2) enviar uma outra mensagem na primeira segunda-feira do mês e 3) enviar uma mensagem dois minutos depois da ativação do scheduler contido no arquivo de configuração: SCHEDULER DEFSCHD NAME(W1HORA),ACTION(W1HORAA),WHEN(00),DAYS(SSH) DEFACTN NAME(W1HORAA),+ COMMAND(CP MSG WRKSHOP1 HORA CHEIA!),+ ENV(OPMGRS1) DEFSCHD NAME(W1PRSEG),ACTION(W1PRSEGA),WHEN(1STMON-00:00) DEFACTN NAME(W1PRSEGA),+ COMMAND(CP MSG WRKSHOP1 HOJE E A PRIMEIRA SEGUNDA-FEIRA DO MES),+ ENV(OPMGRS1) DEFSCHD NAME(W1EM2M),ACTION(W1EM2MA),WHEN(NOW+00:02) DEFACTN NAME(W1EM2MA),+ COMMAND(CP MSG WRKSHOP1 ESTA MENSAGEM SERA ENVIADA DAQUI A 2 MIN),+ ENV(OPMGRS1) 10.2 Após recarregar o arquivo de configuração, o novo scheduler passa a vigorar. Dois minutos depois a mensagem enviada pela ação W1EM2MA é recebida. 30

31 10.3 Por meio de VIEWLOG, podemos ver: 03/13/ :22:18 GOMACT0260I SCHEDULE W1EM2M ACTION W1EM2MA TRIGGERED BY 03/13/ :22:18 GOMACT0262I ACTION W1EM2MA BEGIN FOR _GOMSCHD SERVER OPMG 03/13/ :22:18 GOMACT0269L COMMAND "CP MSG WRKSHOP1 ESTA MENSAGEM SERA em 03/13/ :22:18 GOMACT0267I ACTION W1EM2MA END RC=0 SERVER OPMGRS1 31

32 11 Cenário: Definir Uma Ação em Resposta a Evento ou Comando no OMEGAMON É possível definir uma regra no Operations Manager de modo a capturar uma mensagem originada no OMEGAMON e tomar uma ação automática no z/vm. Este exemplo utiliza uma REXX, VCPU, que ajusta o porcentual (SHARE) de CPU utilizado por uma VM Vamos começar definindo a regra e a ação correspondente no arquivo de configuração do Operations Manager: REGRA PARA TOMAR ACAO A PARTIR DE ESTIMULO DO OMEGAMON FOR Z/VM AJUSTE AUTOMATICO DE CPU DE MAQUINA VIRTUAL DEFRULE NAME(W1VCPU),+ MATCH(VMUTILIZANDO MUITA CPU),+ ACTION(W1VCPUA1),+ USER(WRKSHOP1) DEFACTN NAME(W1VCPUA1),+ INPUT(AHI),+ NEXTACTN(W1VCPUA2) DEFACTN NAME(W1VCPUA2),+ COMMAND(EXEC VCPU &5),+ ENV(LVM),+ OUTPUT(LOG) 11.2 Para alterar dinamicamente o uso absoluto de CPU de uma máquina virtual é utilizada a REXX VCPU. Um trecho do código-fonte encontra-se na seção de apêndices deste documento Esta REXX funciona apenas para VMs logadas. Se o QUICKDSP não está ativo para a VM em questão, VCPU usa o comando SET QUICKDSP <VM> ON para ativá-lo Quando a opção QUICKDSP (Quick Dispatch) está ativa para uma VM, este usuário é adicionado à lista de dispatch (equivalente a READY QUEUE) imediatamente, sempre que tem instruções a processar e estiver pronta (sem dependência de I/O), sem precisar aguardar numa lista de eligibilidade. 32

33 11.5 Se a VM já está com a opção QUICKDSP ativa, VCPU verifica a fatia (SHARE) de CPU alocada. Se o share é relativo, VCPU altera o share para ABSOLUTE 5%. Se o share já estiver definido como ABSOLUTE e não é maior que 35%, aumenta a fatia de CPU em 5% Os comandos a seguir, emitidos a partir do usuário MAINT, permitem simular a atuação de VCPU. Na primeira sequência podemos ver que a opção QUICKDSP não está ativa para a VM ITUAM2: Ready; T=0.01/ :42:40 ID MAINT AT ZCENTER VIA 03/13/12 17:43:41 BST TUESDAY Ready; T=0.01/ :43:41 QUERY QUICKDSP ITUAM2 USER ITUAM2 : QUICKDSP = OFF Ready; T=0.01/ :43: Para ativar QUICKDSP, usamos: Ready; T=0.01/ :43:47 SET QUICKDSP ITUAM2 ON USER ITUAM2 : QUICKDSP = ON Ready; T=0.01/ :44: Com QUERY SHARE, podemos ver que o default para QUICKDSP é share relativo de 100%, sem limite: Ready; T=0.01/ :58:41 QUERY SHARE ITUAM2 USER ITUAM2 : CP RELATIVE SHARE = 100 MAXIMUM SHARE = NOLIMIT ZAAP RELATIVE SHARE = 100 MAXIMUM SHARE = NOLIMIT IFL RELATIVE SHARE = 100 MAXIMUM SHARE = NOLIMIT ICF RELATIVE SHARE = 100 MAXIMUM SHARE = NOLIMIT ZIIP RELATIVE SHARE = 100 MAXIMUM SHARE = NOLIMIT Ready; T=0.01/ :59: Simulando a execução de VCPU vemos que o share foi identificado como 33

34 RELATIVE e alterado para ABSOLUTE. A fatia percentual é alterada de 100% para 1% (LIMITHARD). Ready(00016); T=0.01/ :01:57 VCPU ITUAM2 Sharet = RELATIVE Sharev = 100 VCPU - Changing user ITUAM2 from RELATIVE to ABSOLUTE 1% SHARE. USER ITUAM2 : CP ABSOLUTE SHARE = 1% MAXIMUM SHARE = LIMITHARD ABSOLUTE 1% ZAAP ABSOLUTE SHARE = 1% MAXIMUM SHARE = LIMITHARD ABSOLUTE 1% IFL ABSOLUTE SHARE = 1% MAXIMUM SHARE = LIMITHARD ABSOLUTE 1% ICF ABSOLUTE SHARE = 1% MAXIMUM SHARE = LIMITHARD ABSOLUTE 1% ZIIP ABSOLUTE SHARE = 1% MAXIMUM SHARE = LIMITHARD ABSOLUTE 1% VCPU - SHARE for user ITUAM2 changed from RELATIVE to ABSOLUTE 1% LIMITHARD. Ready; T=0.01/ :02: Uma nova execução de VCPU para esta VM mostra que não é possível diminuir ainda mais a fatia de CPU dedicada a ela: Ready; T=0.01/ :02:37 VCPU ITUAM2 Sharet = ABSOLUTE Sharev = 1% VCPU - Current SHARE is "1" VCPU - Cannot decrease ABSOLUTE SHARE for ITUAM2 because VCPU - the value is already 1%. Ready(00016); T=0.01/ :02: Tendo entendido a sequência de ajustes promovida por VCPU, vamos gerar o estímulo a partir do OMEGAMON. 34

35 11.12 Por meio da janela do Navegador, abra z/vm Systems e o sistema monitorado pelo agente VL. A seguir, selecione z/vm Linux Systems e o Workspace chamado Workload: Na tabela All z/vm Workloads, selecione qualquer linha e com o botão direito do mouse escolha Take Action e Create / Edit Preencha a ação conforme o exemplo a seguir. Utilize o botão Insert Attribute para incluir na mensagem que será enviada ao Operations Manager o nome do usuário (VM) e o Porcentual de CPU que ele estará utilizando no momento em que a ação for tomada. 35

36 11.15 A seguir, com o botão direito na linha correspondente ao Linux guest que está utilizando muita CPU, selecione Take Action e a ação que foi configurada no passo anterior Veja que os atributos são substituídos pelos valores de momento contidos na tabela de Workloads A ação acima é convertida para um comando na forma: sudo vmcp MSG WRKSHOP1 MSG FROM OMEGAMON: VM ITUAM1 / CPU PERCENT = 1.04 UTILIZANDO MUITA CPU O comando acima é submetido no Linux Guest que está executando o agente de monitoração para o z/vm. A mensagem que contém o comando é enviada para uma VM especial para processamento de comandos (OMEGACMD) OMEGACMD executa uma REXX (KVLCMD) que recebe as mensagens via MSG ou SMSG e executa o comando subjacente. É possível executar quaisquer comandos CP e CMS. Pode ser fixada uma lista de comandos restritos Ato contínuo, a mensagem VM <x> UTILIZANDO MUITA CPU é recebida pelo Operations Manager e ativa a ação W1VCPUA2 descrita acima que, por sua vez, executa a REXX VCPU que ajusta dinamicamente o consumo de CPU do Linux Guest. 36

NOVO SISTEMA DE CORREIO ELETRONICO PARA OS DOMINIOS ic.uff.br & dcc.ic.uff.br

NOVO SISTEMA DE CORREIO ELETRONICO PARA OS DOMINIOS ic.uff.br & dcc.ic.uff.br NOVO SISTEMA DE CORREIO ELETRONICO PARA OS DOMINIOS ic.uff.br & dcc.ic.uff.br A partir de 28/07/2004 (quarta-feira), ás 17:30 hs estaremos trocando nossos servidores de correio para ambos os domínios ic.uff.br

Leia mais

Alarmes e Erros CNC Proteo

Alarmes e Erros CNC Proteo Alarmes e Erros CNC 1 Códigos de Erro 1.1 Erro ( 0 ) : NO ERROR Texto: "Código de erro inválido" "Invalid Error Code" 1.2 Erro ( 1 ) : ERROR_BP_WAS_UNABLE_TO_OPEN_INPUT_FILE Texto: "Não foi possível abrir

Leia mais

Dados de exibição rápida. Versão R9. Português

Dados de exibição rápida. Versão R9. Português Iniciar Dados de exibição rápida Versão R9 Português Março 26, 2015 Agreement The purchase and use of all Software and Services is subject to the Agreement as defined in Kaseya s Click-Accept EULATOS as

Leia mais

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações Manual de Instalação de Telecentros Comunitários Ministério das Comunicações As informações contidas no presente documento foram elaboradas pela International Syst. Qualquer dúvida a respeito de seu uso

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do

Leia mais

Dell Server PRO Management Pack 4.0 para o Microsoft System Center Virtual Machine Manager Guia de instalação

Dell Server PRO Management Pack 4.0 para o Microsoft System Center Virtual Machine Manager Guia de instalação Dell Server PRO Management Pack 4.0 para o Microsoft System Center Virtual Machine Manager Guia de instalação Notas, avisos e advertências NOTA: uma NOTA indica informações importantes que ajudam você

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO. Plataforma Windows. Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes da Silva, Tiago França Melo de Lima

GUIA DE INSTALAÇÃO. Plataforma Windows. Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes da Silva, Tiago França Melo de Lima Laboratório de Engenharia e Desenvolvimento de Sistemas LEDS/UFOP Universidade Federal de Ouro Preto UFOP GUIA DE INSTALAÇÃO Plataforma Windows Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes

Leia mais

Guia de configuração de destinos de digitalização e mensagens de alerta da X500 Series

Guia de configuração de destinos de digitalização e mensagens de alerta da X500 Series Guia de configuração de destinos de digitalização e mensagens de alerta da X500 Series www.lexmark.com Julho de 2007 Lexmark e Lexmark com desenho de losango são marcas registradas da Lexmark International,

Leia mais

RIT Roteiro de Instalação Técnica

RIT Roteiro de Instalação Técnica 1. DADOS DO EQUIPAMENTO Nome do Equipamento Modelo Fabricante Nº RIT TCR RBG 200 ITAUTEC RIT113 Responsável pela elaboração Data da elaboração Washington Oliveira 11/07/2012 Aprovador Data da aprovação

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração MySQL

Manual de Instalação e Configuração MySQL Manual de Instalação e Configuração MySQL Data alteração: 19/07/11 Pré Requisitos: 1. Baixar os seguintes arquivos no através do link http://ip.sysfar.com.br/install/ mysql-essential-5.1.46-win32.msi mysql-gui-tools-5.0-r17-win32.msi

Leia mais

DVR 9 Canais ATX 209

DVR 9 Canais ATX 209 DVR 9 Canais ATX 209 Índice Introdução ao DVR 2 Painel frontal 3 Painel traseiro 4 Ligando a unidade 5 Visualização de tela 6 Guia de operação: Menu principal 7 Guia de operação: Seleção de câmera 7 Guia

Leia mais

OPCEM 1.0. Versão 1.0 Copyright 2013 OpServices 1

OPCEM 1.0. Versão 1.0 Copyright 2013 OpServices 1 OPCEM 1.0 Versão 1.0 Copyright 2013 OpServices 1 OpCEM CONCEITO... 4 REQUISITOS MÍNIMOS... 4 INSTALANDO... 4 CONHECENDO A INTERFACE DO OPCEM... 7 CONFIGURAÇÃO DO GERENCIADOR... 7 ADICIONAR NOVO ROBÔ...

Leia mais

MA001. 01 de 28. Responsável. Revisão Q de 26/06/2015. Cantú & Stange Software. Página

MA001. 01 de 28. Responsável. Revisão Q de 26/06/2015. Cantú & Stange Software. Página Manual de instalação do Zada 5 MA001 Responsável Revisão Q de 26/06/2015 FL Página 01 de 28 Página 1 de 33 Revisão Q de 26/06/2015 MA001 Responsável: FL Manual de instalação do Zada 5 Este manual consiste

Leia mais

Gonçalves, Adriel {adriel@digitel.com.br} - Porto Alegre, RS Brazil. Guia de Configuração TACACS+ no NR2G-3200.

Gonçalves, Adriel {adriel@digitel.com.br} - Porto Alegre, RS Brazil. Guia de Configuração TACACS+ no NR2G-3200. ! " # "$$% % % Folha de Rosto... 01 Índice... 02 I. Introdução... 03 II. O que é TACACS+... 03 III. Topologia... 03 IV. Configuração do Servidor... 04 01. Adicionando Grupo... 04 02. Adicionando Usuário...

Leia mais

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL. url_response série 4.1

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL. url_response série 4.1 CA Nimsoft Monitor Guia do Probe Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL url_response série 4.1 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se

Leia mais

para que Software www.aker.com.br Produto: Página: 6.0 Introdução O Aker Firewall não vem com Configuração do PPPoE Solução

para que Software www.aker.com.br Produto: Página: 6.0 Introdução O Aker Firewall não vem com Configuração do PPPoE Solução 1 de 6 Introdução O não vem com a opção de configuração através do Control Center, para a utilização de discagem/autenticação via PPPoE. Este documento visa demonstrar como é feita a configuração do PPPoE

Leia mais

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP Obrigado por utilizar os produtos Dimy s. Antes de operar o equipamento, leia atentamente as instruções deste manual para obter um desempenho adequado. Por favor,

Leia mais

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Inspetor de serviços do Windows. ntservices série 3.1

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Inspetor de serviços do Windows. ntservices série 3.1 CA Nimsoft Monitor Guia do Probe Inspetor de serviços do Windows ntservices série 3.1 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se somente para fins informativos

Leia mais

SQL Gatilhos (Triggers)

SQL Gatilhos (Triggers) SQL Gatilhos (Triggers) Laboratório de Bases de Dados Gatilho (trigger) Bloco PL/SQL que é disparado de forma automática e implícita sempre que ocorrer um evento associado a uma tabela INSERT UPDATE DELETE

Leia mais

MANUAL TECLADO ADAPTADO IntelliKeys USB

MANUAL TECLADO ADAPTADO IntelliKeys USB NAPNE Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Especiais SIEP Sistema de Informações da Educação Profissional e Tecnológica MANUAL TECLADO ADAPTADO IntelliKeys USB Fonte: User s Guide (Guia do

Leia mais

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Autor: Alexandre F. Ultrago E-mail: ultrago@hotmail.com 1 Infraestrutura da rede Instalação Ativando o usuário root Instalação do Webmin Acessando o Webmin

Leia mais

(Nota Fiscal Eletrônica no Power Systems AS/400) Projeto Nacional Versão 1.0

(Nota Fiscal Eletrônica no Power Systems AS/400) Projeto Nacional Versão 1.0 Manual do usuário (Nota Fiscal Eletrônica no Power Systems AS/400) Projeto Nacional Versão 1.0 29-03-2011 1 de 32 Í ndice 1. Descrição Geral do Sistema 1.1 Descrição 1.2 Desenho do Processo 2. Aplicação

Leia mais

O essencial do comando mysqladmin, através de 18 exemplos

O essencial do comando mysqladmin, através de 18 exemplos O essencial do comando mysqladmin, através de 18 exemplos Elias Praciano O mysqladmin é uma ferramenta de linha de comando que vem junto com a instalação do servidor MySQL e é usada por administradores

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep Secure em um

Leia mais

hdd enclosure caixa externa para disco rígido

hdd enclosure caixa externa para disco rígido hdd enclosure caixa externa para disco rígido USER S GUIDE SPECIFICATONS HDD Support: SATA 2.5 Material: Aluminium and plastics Input connections: SATA HDD Output connections: USB 3.0 (up to 5.0Gbps)

Leia mais

STK (Start Kit DARUMA) Conectando-se diretamente a sua aplicação via TS com o MT1000 Daruma

STK (Start Kit DARUMA) Conectando-se diretamente a sua aplicação via TS com o MT1000 Daruma STK (Start Kit DARUMA) Conectando-se diretamente a sua aplicação via TS com o MT1000 Daruma Neste STK apresentaremos como configurar seu servidor Windows 2008 R2 para abrir diretamente sua aplicação ao

Leia mais

LEIA-ME PRIMEIRO Instalação do Fiery WorkCentre Série 7300

LEIA-ME PRIMEIRO Instalação do Fiery WorkCentre Série 7300 LEIA-ME PRIMEIRO Instalação do Fiery WorkCentre Série 7300 Este documento descreve como instalar e configurar o Controlador de rede Fiery para WorkCentre Série 7300. Complete as etapas que correspondem

Leia mais

Guia de instalação rápida

Guia de instalação rápida 1 Wireless IP Camera Guia de instalação rápida www.mundialsul.com.br (48) 3343-0108 2 Conteúdo da Caixa 1X Camera IP 1X Fonte 5V 2A 1X CD com Programa 1X Certificado de Garantia 1X Suporte para Fixação

Leia mais

CIBM. IBM SmartCloud Entry. Guia do Usuário - Versão 2.2

CIBM. IBM SmartCloud Entry. Guia do Usuário - Versão 2.2 CIBM Guia do Usuário - Versão 2.2 Esta edição aplica-se à versão 2, release 2, modificação 0 do (número do produto 5765-SKC) e a todos os releases e modificações subsequentes, até que seja indicado de

Leia mais

TCP/IP - NÍVEL APLICAÇÃO (utilizador)

TCP/IP - NÍVEL APLICAÇÃO (utilizador) Protocolos de Aplicação (Telnet, FTP, SMTP, POP, HTTP) TCP/IP - NÍVEL APLICAÇÃO (utilizador) TCP UDP ICMP IP ARP Acesso à rede Secção de Redes de Comunicação de Dados Redes de Computadores Correio Electrónico

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração para Revendedores e Assinantes Virtual Server.

Manual de Instalação e Configuração para Revendedores e Assinantes Virtual Server. Manual de Instalação e Configuração para Revendedores e Assinantes Virtual Server. Parte I Cadastrando Sites no painel de controle Parte II Criando E-mail Parte III Configurando o Outlook do Cliente Última

Leia mais

TUTORIAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO BÁSICA DO TRIXBOX

TUTORIAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO BÁSICA DO TRIXBOX TUTORIAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO BÁSICA DO TRIXBOX Material traduzido do Tribox all descubierto feito por Alfredo Certain Yance e modificado por Eric Barbosa Jales de Carvalho Coordenador: Nathan

Leia mais

Guia para atualização de Firmware dos consoles CL5, CL3 e CL1. (Firmware 1.51)

Guia para atualização de Firmware dos consoles CL5, CL3 e CL1. (Firmware 1.51) Guia para atualização de Firmware dos consoles CL5, CL3 e CL1 (Firmware 1.51) Yamaha Musical do Brasil www.yamaha.com.br PRECAUÇÕES 1. O usuário assume total responsabilidade pela atualização. 2. Atualize

Leia mais

Easy Linux! FUNAMBOL FOR IPBRICK MANUAL. IPortalMais: a «brainware» company www.iportalmais.pt. Manual

Easy Linux! FUNAMBOL FOR IPBRICK MANUAL. IPortalMais: a «brainware» company www.iportalmais.pt. Manual IPortalMais: a «brainware» company FUNAMBOL FOR IPBRICK MANUAL Easy Linux! Title: Subject: Client: Reference: Funambol Client for Mozilla Thunderbird Doc.: Jose Lopes Author: N/Ref.: Date: 2009-04-17 Rev.:

Leia mais

Kit de Demonstração MatchPort Início Rápido

Kit de Demonstração MatchPort Início Rápido Kit de Demonstração MatchPort Início Rápido Número de peça 900-486 Revisão F Maio 2010 Índice Introdução...3 Conteúdo do kit de demonstração...3 O que você precisa saber...3 Endereço de hardware... 3 Endereço

Leia mais

Linux. Visão geral do servidor de impressão e de arquivo para Linux on Power Systems Servers

Linux. Visão geral do servidor de impressão e de arquivo para Linux on Power Systems Servers Linux Visão geral do servidor de impressão e de arquivo para Linux on Power Systems Servers Linux Visão geral do servidor de impressão e de arquivo para Linux on Power Systems Servers Note Antes de utilizar

Leia mais

CA Clarity Agile. Guia de Implementação. Release 13.3.00

CA Clarity Agile. Guia de Implementação. Release 13.3.00 CA Clarity Agile Guia de Implementação Release 13.3.00 A presente documentação, que inclui os sistemas de ajuda incorporados e os materiais distribuídos eletronicamente (doravante denominada Documentação),

Leia mais

Kaseya 2. Guia do usuário. Version R8. Português

Kaseya 2. Guia do usuário. Version R8. Português Kaseya 2 vpro Guia do usuário Version R8 Português Outubro 23, 2014 Agreement The purchase and use of all Software and Services is subject to the Agreement as defined in Kaseya s Click-Accept EULATOS as

Leia mais

Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Professor Sérgio Furgeri

Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Professor Sérgio Furgeri OBJETIVOS DA AULA: Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Fazer uma breve introdução a respeito do MS SQL Server 7.0; Criar uma pequena base de dados no MS SQL Server 7.0; Elaborar

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL url_response série 4.1 Avisos legais Copyright 2013, CA. Todos os direitos reservados. Garantia

Leia mais

11g Wireless Broadband Router (Roteador banda-larga sem fio- Wireless G) Quick Installation Guide

11g Wireless Broadband Router (Roteador banda-larga sem fio- Wireless G) Quick Installation Guide LevelOne WBR-3408 11g Wireless Broadband Router (Roteador banda-larga sem fio- Wireless G) Quick Installation Guide English Português Table of Contents English... 3 Português... 16 2 English Package Contents

Leia mais

Click the + sign to add new server details. Clique no sinal de "+" para adicionar novos detalhes do servidor. Enter a friendly name for your BI Server

Click the + sign to add new server details. Clique no sinal de + para adicionar novos detalhes do servidor. Enter a friendly name for your BI Server Click the + sign to add new server details Clique no sinal de "+" para adicionar novos detalhes do servidor Enter a friendly name for your BI Server Digite um nome amigável para o seu BI Server Enter the

Leia mais

Integração entre o IBM HTTP SERVER, APACHE WEB Server e IBM Websphere Application Server

Integração entre o IBM HTTP SERVER, APACHE WEB Server e IBM Websphere Application Server Integração entre o IBM HTTP SERVER, APACHE WEB Server e IBM Websphere Application Server Índice Resumo sobre este documento... 3 Integrando o IBM HTTP Server com o IBM WebSphere Application Server... 3

Leia mais

BlackBerry Enterprise Server

BlackBerry Enterprise Server BlackBerry Enterprise Server Versão: 5.0 Service pack: 3 Guia de monitoramento Publicado: 2011-04-02 SWD-1398426-0402045748-012 Conteúdo 1 Solução de monitoramento do BlackBerry Enterprise Server... 5

Leia mais

Instruções de Instalação do IBM SPSS Modeler (Licença Simultânea)

Instruções de Instalação do IBM SPSS Modeler (Licença Simultânea) Instruções de Instalação do IBM SPSS Modeler (Licença Simultânea) Índice Instruções de Instalação....... 1 Requisitos de Sistema........... 1 Instalando............... 1 Instalando a Partir de um Arquivo

Leia mais

ZIM 8.50 PRIMEIROS PASSOS (WINDOWS E UNIX)

ZIM 8.50 PRIMEIROS PASSOS (WINDOWS E UNIX) ZIM TECHNOLOGIES DO BRASIL ZIM 8.50 PRIMEIROS PASSOS (WINDOWS E UNIX) Próx Antes de Iniciar O objetivo deste documento é apresentar os primeiros passos para utilizar a versão mais recente do Zim 8.50 para

Leia mais

SATA 3.5. hd:basic. hdd enclosure caixa externa para disco rígido

SATA 3.5. hd:basic. hdd enclosure caixa externa para disco rígido SATA 3.5 hd:basic hdd enclosure caixa externa para disco rígido hd:basic USER S GUIDE SPECIFICATIONS HDD support: SATA 3.5 Material: Aluminium Input connections: SATA HDD Output connections: USB 2.0

Leia mais

Guia de consulta rápida DVR HD

Guia de consulta rápida DVR HD Guia de consulta rápida DVR HD Primeira parte: Operações Básicas... 2 1. Instalação básica... 2 2. Arranque... 2 3. Desligar... 2 4. Iniciar sessão... 2 5. Pré- visualização... 3 6. Configuração da gravação...

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

ALARM REPORT ALARM TYPE = (A)... ALARM-NUMBER = 1 (1)... STATUS AT ABORTION: (3)... (4)... ERROR REASON: (6)... (7)...

ALARM REPORT ALARM TYPE = (A)... ALARM-NUMBER = 1 (1)... STATUS AT ABORTION: (3)... (4)... ERROR REASON: (6)... (7)... Informe de Alarme RRN 05835 Causa de Ativação da Mensagem Informe de alarme gerado nas seguintes condições: D algum erro ocorreu durante o Backup Contínuo de Dados o que leva a um cancelamento dessa função

Leia mais

Instalando o Root Management Server (RMS)

Instalando o Root Management Server (RMS) Instalando o Root Management Server (RMS) Última revisão feita em 07 de Abril de 2008. Objetivo Depois de instalarmos a base de dados do SCOM 2007 é hora de implementar o Root Management Server (RMS) e

Leia mais

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 -

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 - 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de Gestão de Conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

Automatização de Aplicativos Windows usando o AutoHotKey

Automatização de Aplicativos Windows usando o AutoHotKey Automatização de Aplicativos Windows usando o AutoHotKey Muitos processos de negócio dependem de aplicativos de terceiros que assumem a presença de um operador humano para executar determinadas rotinas.

Leia mais

Instalando e Ativando o Smaart 7

Instalando e Ativando o Smaart 7 Instalando e Ativando o Smaart 7 A Instalação do Smaart 7 da Rational Acoustics consiste em instalar o software e depois registrar e ativar a sua instalação. Abaixo explicaremos estes passos. Instalação

Leia mais

Configurando o Roteador Prof. Isaías Lima. Carregar o arquivo de texto para configurar outro roteador usando o HyperTerminal.

Configurando o Roteador Prof. Isaías Lima. Carregar o arquivo de texto para configurar outro roteador usando o HyperTerminal. Laboratório / ECO Configurando o Roteador Prof. Isaías Lima Objetivos: Capturar a configuração atual de um roteador para um arquivo de texto ASCII com o HyperTerminal do Windows XP. Editar ou modificar

Leia mais

Instruções de Instalação do IBM SPSS Modeler (Licença de Usuário Autorizado)

Instruções de Instalação do IBM SPSS Modeler (Licença de Usuário Autorizado) Instruções de Instalação do IBM SPSS Modeler (Licença de Usuário Autorizado) Índice Instruções de Instalação....... 1 Requisitos do sistema........... 1 Código de autorização.......... 1 Instalando...............

Leia mais

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP).

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP). EN3610 Gerenciamento e interoperabilidade de redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática SNMP 1 MIBs RMON No Linux os arquivos MIB são armazenados no diretório /usr/share/snmp/mibs. Cada arquivo MIB

Leia mais

Guia do usuário. Versão R9. Português

Guia do usuário. Versão R9. Português Time Tracking Guia do usuário Versão R9 Português Março 26, 2015 Agreement The purchase and use of all Software and Services is subject to the Agreement as defined in Kaseya s Click-Accept EULATOS as updated

Leia mais

Usar Atalhos para a Rede. Logar na Rede

Usar Atalhos para a Rede. Logar na Rede GUIA DO USUÁRIO: NOVELL CLIENT PARA WINDOWS* 95* E WINDOWS NT* Usar Atalhos para a Rede USAR O ÍCONE DA NOVELL NA BANDEJA DE SISTEMA Você pode acessar vários recursos do software Novell Client clicando

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

TUTORIAL VMWARE WORKSTATION 8. Aprenda a instalar e configurar corretamente uma máquina virtual utilizando VMware Workstation com este tutorial

TUTORIAL VMWARE WORKSTATION 8. Aprenda a instalar e configurar corretamente uma máquina virtual utilizando VMware Workstation com este tutorial TUTORIAL VMWARE WORKSTATION 8 Aprenda a instalar e configurar corretamente uma máquina virtual utilizando VMware Workstation com este tutorial INTRODUÇÃO O uso de máquinas virtuais pode ser adequado tanto

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep

Leia mais

Aloque 1024 MB de RAM para a VM. Crie um novo disco virtual. Figura 03. Figura 04.

Aloque 1024 MB de RAM para a VM. Crie um novo disco virtual. Figura 03. Figura 04. Aloque 1024 MB de RAM para a VM. Figura 03. Crie um novo disco virtual. Figura 04. 2 Escolha o formato de disco padrão do Virtual Box, VDI. Figura 05. Escolha o disco rígido Dinamicamente Alocado. Figura

Leia mais

Aqui pode escolher o Sistema operativo, e o software. Para falar, faça download do Cliente 2.

Aqui pode escolher o Sistema operativo, e o software. Para falar, faça download do Cliente 2. TeamSpeak PORTUGUES ENGLISH Tutorial de registo num servidor de TeamSpeak Registration tutorial for a TeamSpeak server Feito por [WB ].::B*A*C*O::. membro de [WB ] War*Brothers - Non Dvcor Dvco Made by:

Leia mais

Completing your Participant Agreement Como preencher o Contrato de Participação

Completing your Participant Agreement Como preencher o Contrato de Participação Completing your Participant Agreement Como preencher o Contrato de Participação A quick-start guide for stock plan participants. Um guia rápido para participantes do plano de compra de ações. Your company

Leia mais

ITALC - Intelligent Teaching and Learning with Computers

ITALC - Intelligent Teaching and Learning with Computers ITALC - Intelligent Teaching and Learning with Computers Italc Ensino e aprendizado inteligente em computadores Antônio Ricardo Leocádio Gomes, Prof. Centro Universitário de Belo Horizonte UNI-BH Manual

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA SERVIÇOS REALIZADOS NO PLANTÃO

PROCEDIMENTOS PARA SERVIÇOS REALIZADOS NO PLANTÃO PROCEDIMENTOS PARA SERVIÇOS REALIZADOS NO PLANTÃO A primeira coisa a ser verificada é a navegação dos servidores e isso será possível com o Programa PuTTY. Selecione o servidor que está na caixa Load,

Leia mais

Start me quick! Português

Start me quick! Português Start me quick! Português Descrição do dispositivo de instalação: Conteudo do kit: Para instalar a câmera, siga os passos abaixo: Sensor de luz Lâmpada-indicador Lente da câmera Lâmpada de iluminação infravermelha

Leia mais

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP).

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP). EN3610 Gerenciamento e interoperabilidade de redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática SNMP Net-SNMP (http://www.net-snmp.org) é um conjunto de aplicações usado para implementar SNMPv1, SNMPv2 e SNMPv3.

Leia mais

INSTALANDO O LAM-MPI NO DEBIAN

INSTALANDO O LAM-MPI NO DEBIAN INSTALANDO O LAM-MPI NO DEBIAN Brivaldo Junior 25 de Março de 2006 1 Introdução A comunicação de processos por troca de mensagens é muito utilizada em programação paralela, especialmente em máquinas parelelas

Leia mais

Guia da Área pessoal

Guia da Área pessoal Guia da Área pessoal A Área pessoal é uma ferramenta de gerenciamento de contas reais MetaTrader 4, depósitos e resgates. A seguir explicaremos como é fácil e prático trabalhar com sua Área pessoal. Registrar

Leia mais

Noções básicas. Índice analítico. Quick User Guide - Português (Brasil)

Noções básicas. Índice analítico. Quick User Guide - Português (Brasil) Noções básicas Este Guia Rápido do Usuário ajuda você a começar a usar o IRIScan TM Anywhere Wifi. Leia este guia antes de operar este scanner e seu software. Todas as informações estão sujeitas a alterações

Leia mais

Copyright. Isenção e limitação de responsabilidade

Copyright. Isenção e limitação de responsabilidade Manual do SMS Copyright 1998-2002 Palm, Inc. Todos os direitos reservados. Graffiti, HotSync, o logotipo da Palm e Palm OS são marcas registradas da Palm, Inc. O logotipo de HotSync e Palm são marcas comerciais

Leia mais

Laboratório 3. Base de Dados II 2008/2009

Laboratório 3. Base de Dados II 2008/2009 Laboratório 3 Base de Dados II 2008/2009 Plano de Trabalho Lab. 3: Programação em Transact-SQL MYSQL Referências www.mysql.com MICROSOFT SQL SERVER - Procedimentos do Lado do Servidor (Stored Procedures)

Leia mais

User Guide Manual de Utilizador

User Guide Manual de Utilizador 2400 DPI OPTICAL GAMING MOUSE User Guide Manual de Utilizador 2014 1Life Simplify it All rights reserved. www.1-life.eu 2 2400 DPI OPTICAL GAMING MOUSE ENGLISH USER GUIDE...4 MANUAL DE UTILIZADOR PORTUGUÊS...18

Leia mais

Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas

Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas 1 Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas O DIR 635 tem duas opções para liberação de portas: Virtual server: A opção Virtual Server permite que você defina uma única porta pública

Leia mais

Capítulo 4. Programação em ASP

Capítulo 4. Programação em ASP Índice: CAPÍTULO 4. PROGRAMAÇÃO EM ASP...2 4.1 REGISTRAR...2 4.1.1 Códigos para configuração do objeto...2 4.1.2 Formulário para transferir dados da impressão digital...3 4.1.3 Código Javascript para registro

Leia mais

Utilizando o ROCKEY4ND Envelope

Utilizando o ROCKEY4ND Envelope Utilizando o ROCKEY4ND Envelope Sobre o ROCKEY4ND Envelope O ROCKEY4ND Envelope é um utilitário que faz parte do kit do sistema de proteção contra pirataria de software ROCKEY4ND. Ele pode ser usado para

Leia mais

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID Este material pertence a Carlos A. Majer, Professor da Unidade Curricular: Aplicações Corporativas da Universidade Cidade de São Paulo UNICID Licença de Uso Este trabalho está licenciado sob uma Licença

Leia mais

Linux. Quota de disco

Linux. Quota de disco Linux Quota de disco Quota Quotas de disco permitem controlar o uso do disco por usuário ou grupo, ou por ambos (usuário e grupo). São normalmente utilizadas em sistemas com vários usuários e não com 1

Leia mais

Programação Básica em STEP 7 Símbolos. SITRAIN Training for Automation and Drives Página 4-1

Programação Básica em STEP 7 Símbolos. SITRAIN Training for Automation and Drives Página 4-1 Conteúdo Pág. Endereçamento Absoluto e Simbólico... 2 Endereçamento Absoluto - Panorâmica... 3 Abrindo a Tabela de...... 4 Editar: Procurar e Substituir... 5 Visualizar: Filtro... 6 Visualizar: Ordenar...

Leia mais

300Mbps Wireless N VPN Router

300Mbps Wireless N VPN Router 300Mbps Wireless N VPN Router TEW-659BRV ŸGuia de Instalação Rápida (1) ŸTroubleshooting (7) 1.01 PORTUGUÊS 1. Antes de Iniciar Conteúdo da Embalagem Ÿ TEW-659BRV Ÿ CD-ROM de Guia do Usuário Ÿ Guia de

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoramento do Jboss do Nimsoft jboss série 1.3 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Snap Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se somente

Leia mais

III WTR do POP-BA III Workshop de Tecnologias de Redes Ponto de Presença da RNP na Bahia Instrutor: Italo Valcy Monitor: Marcio Bouças

III WTR do POP-BA III Workshop de Tecnologias de Redes Ponto de Presença da RNP na Bahia Instrutor: Italo Valcy Monitor: Marcio Bouças III WTR do POP-BA III Workshop de Tecnologias de Redes Ponto de Presença da RNP na Bahia Instrutor: Italo Valcy Monitor: Marcio Bouças Cenário: A máquina curso-monitoramento possui os softwares de gerencia

Leia mais

Call Center Manual do agente. Nº do componente P1007893 01 11 de fevereiro de 2004

Call Center Manual do agente. Nº do componente P1007893 01 11 de fevereiro de 2004 Call Center Manual do agente Nº do componente P1007893 01 11 de fevereiro de 2004 2 Manual do agente do Call Center Copyright 2004 Nortel Networks Todos os direitos reservados. 2004. As informações contidas

Leia mais

6.8.3.10 Lab - Configurar o Roteador Sem Fio no Windows XP

6.8.3.10 Lab - Configurar o Roteador Sem Fio no Windows XP IT Essentials 5.0 6.8.3.10 Lab - Configurar o Roteador Sem Fio no Windows XP Introdução Imprima e preencha este laboratório. Neste laboratório, você vai configurar e testar as configurações sem fio no

Leia mais

INTRODUÇÃO. A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2009.

INTRODUÇÃO. A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2009. Guia de Instalação do SolidWorks 2009 INTRODUÇÃO A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2009. O SolidWorks pode ser instalado

Leia mais

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de gestão de conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

Laboratório - Configuração de um endereço de gerenciamento do switch

Laboratório - Configuração de um endereço de gerenciamento do switch Laboratório - Configuração de um endereço de gerenciamento do switch Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway Padrão Objetivos S1 VLAN 1 192.168.1.2

Leia mais

administração Guia de BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1

administração Guia de BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1 BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1 Guia de administração Publicado: 16/01/2014 SWD-20140116140606218 Conteúdo 1 Primeiros passos... 6 Disponibilidade de recursos administrativos... 6 Disponibilidade

Leia mais

Instruções de trabalho

Instruções de trabalho Navegação Básica SAP R/3 - Versão 4.7 Instruções de trabalho Objetivo Use estas instruções de trabalho para aprender a navegação básica do sistema SAP R/3, versão 4.7. Procedimento Fazer Logon no Sistema

Leia mais

System Handle ou Referência de Conta de Suporte: Identificação de Contrato de Serviço:

System Handle ou Referência de Conta de Suporte: Identificação de Contrato de Serviço: HP 690 East Middlefield Road Mt. View, CA 94043, EUA Resposta de Clientes N.º (650) 960-5040 System Handle ou Referência de Conta de Suporte: Identificação de Contrato de Serviço: IMPORTANTE: Todos os

Leia mais

Guia do usuário para o serviço IM e Presence no Cisco Unified Communications Manager, Versão 9.0(1)

Guia do usuário para o serviço IM e Presence no Cisco Unified Communications Manager, Versão 9.0(1) Guia do usuário para o serviço IM e Presence no Cisco Unified Communications Manager, Versão 9.0(1) Primeira publicação: May 25, 2012 Americas Headquarters Cisco Systems, Inc. 170 West Tasman Drive San

Leia mais

Manual de uso do Gerente

Manual de uso do Gerente Manual de uso do Gerente Manual do Hypnobox: www.hypnobox.com.br/manual Índice Acessar o Hypnobox Endereço o www Login e Senha Tela Principal Perfil de acesso Editar Dados pessoais Fila de corretores Gerenciar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CURSO DIDÁTICO SOBRE O SIMULADOR DE CIRCUITOS ELÉTRICOS E ELETRÔNICOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CURSO DIDÁTICO SOBRE O SIMULADOR DE CIRCUITOS ELÉTRICOS E ELETRÔNICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - DEE CURSO DIDÁTICO SOBRE O SIMULADOR DE CIRCUITOS ELÉTRICOS E ELETRÔNICOS Prof. Fortaleza, Agosto de 2003 ORCAD

Leia mais

Como instalar o sistema operacional pfsense no Citrix Xen Server

Como instalar o sistema operacional pfsense no Citrix Xen Server Como instalar o sistema operacional pfsense no Citrix Xen Server Autor: Eder S. G. - edersg@vm.uff.br Versão: 1.2 Data: 21/11/2012 Última atualização: 07/03/2013 Observação: Máquina real: Sistema operacional

Leia mais

Seu manual do usuário YAMAHA UX16 http://pt.yourpdfguides.com/dref/512336

Seu manual do usuário YAMAHA UX16 http://pt.yourpdfguides.com/dref/512336 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

PHONE. manual do usuário. Version 1.0 FPP 010001

PHONE. manual do usuário. Version 1.0 FPP 010001 Version 1.0 FPP 010001 índice CONTEÚDO DO KIT FLIP ESPECIFICAÇÃO TERMINAL FUNÇÕES DO TERMINAL COMO INSTALAR O TERMINAL ANEXO I ANEXO II 5 5 5 6 9 12 17 CONTEÚDO DO KIT FLIP RC Terminal FLIP Phone Fonte

Leia mais