PLANO DE CONTAS - GÁS NATURAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE CONTAS - GÁS NATURAL"

Transcrição

1 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante Disponibilidades Caixa e Equivalentes de Caixa Caixa Depósitos Bancários em Moeda Nacional Contas de Poupança Numerários em Trânsito Aplicações de Liquidez Imediata Depósitos Bancários em Moeda Estrangeira Operações Instr.Financeiros Derivativos Invest. Instr. Financeiros Derivativos Créditos, Valores e Bens Contas a Receber de Clientes Beneficiamento e Distribuição de Gás Atividades não Correlatas Benef. e Distr.de Gás-Venda a Faturar (-) Provisão Créd.Liquidação Duvidosa (-) Títulos a Receber Descontados Parcelamento de Clientes a Receber Penalidade Contratual Empréstimos e Financiamentos Concedidos Empréstimos e Financiamentos Concedidos (-) Provisão Créd.Liq. Duvidosa Outros Créditos Rendas a Receber Operações a Receber Convênios a Executar Adiantamento a Terceiros Devedores Diversos Tributos a Recuperar-Federal Tributos a Recuperar - Estadual Tributos a Recuperar - Municipal Créditos de Participações Societárias Transações com Partes Relacionadas Títulos e Valores Mobiliários Depósito Restituível e Val. Vinculados Provisões Ativas Dividendos a Receber Juros sobre Capital Próprio a Receber Adiantamento Futuro Aumento Capital Estoque Mat. Prima e Insumos-Distribuição de Gás Estoque de Gás Natural Estoque de Matéria Prima e Insumos Material, Equipamentos e Peças Almoxarifado Operacional Adiantamento a Fornecedores Adiant. a Fornecedores para Estoques (-) Provisão para Perdas em Estoque (-) Provisão para Perdas em Estoque (-) Provisão Redução a Valor de Mercado (-) Provisão Redução a Valor de Mercado Estoque em Poder de Terceiros

2 Materiais em Poder de Terceiros (-)Estoque/Mats.Terceiros Poder Próprio (-) Materiais Terceiros Poder Próprio Despesas Pagas Antecipadamente Despesas Antecipadas Pagamentos Antecipados Operacoes de Aquisição de Gás Adiantamento a Fornecedores - Take or Pay Adiantamento a Fornecedores - Take or Pay Adiantamento a Fornecedores - Ship or Pay Adiantamento a Fornecedores - Ship or Pay Penalidade Contratual Penalidade Contratual 1.2 Ativo não Circulante Realizável a Longo Prazo Contas a Receber de Clientes Contas Receber Clientes-Ativ.Correlatas Contas Rec.clientes-Ativ.não Correlatas (-)Provisão Crédito Liquidação Duvidosa (-) Títulos a Receber Descontados Penalidade Contratual Empréstimos e Financiamentos Empréstimos e Financiamentos - LP Investimentos Instr.Financ.Derivativos Outros Créditos Operações a Receber Convênios a Executar Devedores Diversos Tributos a Recuperar-Federal Tributos a Recuperar-Estadual Tributos a Recuperar - Municipal Transações com Partes Relacionadas Títulos e Valores Mobiliários Depósitos Restituíveis e Val.Vinculados Provisões Ativas Adiantamento Futuro Aumento Capital Despesas Pagas Antecipadamente Despesas Antecipadas Pagamentos Antecipados Operacoes de Aquisição de Gás Adiantamento a Fornecedores - Take or Pay Adiantamento a Fornecedores - Take or Pay Adiantamento a Fornecedores - Ship or Pay Adiantamento a Fornecedores - Ship or Pay Penalidade Contratual Penalidade Contratual Investimentos Participações Societárias Participações Avaliadas Pelo MEP Participações Avaliadas pelo Custo Outros Investimentos Outros Investimentos Ativo Imobilizado Bens em Operação

3 Redes de Distribuição Bens Imóveis Veículos Outros Bens de Uso (-) Depreciação Acumulada (-) Bens em Operação Imobilizado em Formação Imobilizações em Formação Ativo Intangível Ativo Intangível - Normal Ativo Intangível-Normal/Amort. Acumulada (-)Amort.Acumul. Ativo Intangível-Normal Ágio ou Deságio nos Investimentos (-)Amort.Acuml.Ágio nos Investimentos Ativo Intangível - Concessões-ICPC Redes de Distribuição Bens Imóveis Veículos Outros Bens de Uso (-) Amortização Acumulada Obras em Andamento Materiais Intangível a Amortizar 2 Passivo 2.1 Passivo Circulante Empréstimos e Financiamentos Empréstimos e Financiamentos Emprést.e Financiamentos-Moeda Nacional Empréstimos/Financ.-Moeda Estrangeira Obrigações com Instrumentos Derivativos Contrato de Mútuo Adiantamentos de Coligadas e Controladas Outros Credores Diversos Fornecedores Fornecedores de Gás Fornecedores de Gás Fornecedores de Materiais e Serviços Fornecedores de Materiais e Serviços Tributos, Taxas e Contribuições a Pagar Tributos a Pagar Tributos Federais Tributos Estaduais Tributos Municipais Tributos sobre Lucro Tributos sobre Lucro Tributos e Contrib.Ret.Fonte a Recolher Tributos/Contrib.Ret.Fonte Recolher-Fed Trib/Contrib.Ret.Fonte Recolher-Mun/Est Tributos/Contr.- Folha de Pagamento Tributos/Contr.- Folha de Pagamento Outros Tributos Outros Tributos Obrigações Sociais e Trabalhistas

4 Salários e Honorários a Pagar Salários a Pagar Honorários a Pagar Participação Lucros e Resultados Provisões Trabalhistas / Sociais Provisões Trabalhistas / Sociais Provisões de Férias Provisão 13 Salário Outras Provisões Provisões para Contingências Provisões para Contingências Provisões-Ganhos e Perdas de Gás Natural Provisões-Ganhos e Perdas de Gás Natural Outras Obrigações Adiantamentos de Clientes Adiantamento de Clientes Dividendos a Pagar Dividendos Declarados Créditos de Fornecedores em Garantia Créditos de Fornecedores em Garantia Adiantamento Futuro Aumento Capital Adiantamento Futuro Aumento Capital Juros sobre Capital Próprio a Pagar Juros sobre Capital Próprio a Pagar Outras Contas a Pagar Reembolsos a Acionistas Valores em Controvérsia Convênios a Executar Outras Contas a Pagar - Diversos Transações com Partes Relacionadas Penalidade Contratual Participação Financeira - Clientes Operações de Venda de Gás Adiantamento de Clientes - Take or Pay Adiantamento de Clientes - Take or Pay Adiantamento de Clientes - Ship or Pay Adiantamento de Clientes - Ship or Pay 2.2 Passivo não Circulante Empréstimos e Financiamentos Empréstimos e Financiamentos Empréstimos e Financ.-Moeda Nacional Empréstimos/Financ.-Moeda Estrangeira Obrigações com Instrumentos Derivativos Contrato de Mútuo Adiantamentos de Coligadas e Controladas Outros Credores Diversos Fornecedores Fornecedores de Gás Fornecedores de Gás Fornecedores de Materiais e Serviços Fornecedores de Materiais e Serviços Obrigações Exigíveis a Longo Prazo Outras Obrigações Créditos de Fornecedores em Garantia

5 Convênios a Executar Credores Diversos Transações com Partes Relacionadas Penalidade Contratual Participação Financeira - Clientes Tributos e Contribuições Sociais Tributos sobre o Lucro - Federal Provisões Provisões para Contingências Outras Provisões Adiantamento Futuro Aumento Capital Adiantamento Futuro Aumento Capital Operações de Venda de Gás Adiantamento de Clientes - Take or Pay Adiantamento de Clientes - Take or Pay Adiantamento de Clientes - Ship or Pay Adiantamento de Clientes - Ship or Pay 2.3 Patrimônio Liquido Capital Social Atualizado Capital Capital Subscrito Capital a Integralizar Ajuste de Avaliação Patrimonial Ajuste de Avaliação Patrimonial Reservas Reservas de Capital Reservas de Capital Reservas de Lucros Reservas de Lucros Recursos Destinados a Aumento de Capital Recursos Destinados a Aumento de Capital Lucros ou Prejuízos Acumulados Lucros ou Prejuízos Acumulados Lucros ou Prejuízos Acumulados Ajustes de Exercícios Anteriores Ajustes de Exercícios Anteriores Dividendos Adicionais Propostos a Distribuir Dividendos Adicionais Propostos a Distribuir Dividendos Adicionais Propostos a Distribuir 3 RECEITAS 3.1 Receitas Operacionais Receita de Venda de Gás e Serviços Receita Bruta de Venda de Gás Beneficiamento e Distribuição de Gás Receita de Serviços Benef. e Distr.de Gás-Venda a Faturar Deduções da Receita Bruta Vendas Canceladas Abatimentos sobre Vendas Tributos sobre Vendas Tributos sobre Vendas - Federal Tributos sobre Vendas - Estadual

6 Tributos sobre Vendas - Municipal Outras Receitas Operacionais Outras Receitas Operacionais Receitas do Serviço de Construção Outras Receitas Operac.-Recup.Diversas Reversão de Provisões Outras Receitas Operacionais Participação Financeira - Clientes Receitas Operac.Aquisição/Venda de Gás Resultado da Venda de Ativo Imobilizado Resultado da Venda de Ativo Intangível Receitas Financeiras Receitas Financeiras Resultado com Participação Acionária Receita com Equivalência Patrimonial Receita com Equivalência Patrimonial Receita de Juros Sobre o Capital Próprio Receita de Juros Sobre o Capital Próprio Deduções da Receita com JSCP 3.9 Transferência para Apuração do Resultado Transferência para Apuração do Resultado Transferência para Apuração do Resultado Transferência para Apuração do Resultado 4 Custos e despesas 4.1 Custos Custos Variáveis Operacionais Custo de Aquisição do Gás Custo de Aquisição do Gás Commodity Custos das Devoluções Ganhos / Perdas de Gás Natural Custo de Compressão - GNV Custo de Compressão - Gnc Custo de Odorização Filtração e Limpeza de Gás Controle de Pressão do Gás Direcionamento do Fluxo de Gás Custo do Transporte do Gás Custo Var.Cam.Pagamento da Fatura Diferença de Consumo de Gás Custos Fixos Operacionais Custo com Pessoal Salário e Encargos Custo com Benefícios Treinamento Outros Custos com Pessoal Custo com Serviços e Outros Serviços Aluguéis Custo com Apólices de Seguros Materiais de Manutenção Viagens e Representações Veículos Operação

7 Custo com Depreciação Custo com Amortização Despesas Gerais Despesas Institucionais Licença Operação Direitos de Passagem 4.2 Despesas Operacionais Despesas Administrativas Despesas com Pessoal Salários e Encargos Despesas com Benefícios Treinamento Outras Despesas com Pessoal Despesas com Serviços e Outros Serviços Aluguéis Despesas com Apólices de Seguros Materiais de Manutenção Viagens e Representações Veículos Operação Despesas com Depreciação Despesas com Amortização Despesas Gerais Despesas Institucionais Despesas Comerciais Despesas com Pessoal Salários e Encargos Despesas com Benefícios Treinamento Outras Despesas com Pessoal Despesas com Serviços e Outros Serviços Aluguéis Despesas com Apólices de Seguros Materiais de Manutenção Viagens e Representações Veículos Operação Despesas com Depreciação Despesas com Amortização Despesas Gerais Despesas Promocionais Conversões de Clientes Despesas Tributárias Despesas Tributárias Despesas Tributárias - Federal Despesas Tributárias - Estadual Despesas Tributárias - Municipal Tributos e Taxas Diversas Outras Despesas Operacionais Outras Despesas Operacionais Custos do Serviço de Construção Despesa de Provisões Outras Despesas Operacionais Despesas Operac.Aquisição/Venda de Gás

8 Resultado da Venda Invest/Intang/Imob Resultado da Venda de Ativo Intangível Provisão Atuarial Provisão Atuarial Despesas Prov.Créditos Liq.Duvidosa Despesas Prov.Créditos Liq. Duvidosa 4.3 (-) Despesas Financeiras (-) Despesas Financeiras (-) Despesas Financeiras Encargos de Dividas Variações Monetárias e Cambiais Perdas Instr. Financeiros Derivativos Despesas Bancárias Outras Despesas Financeiras 4.9 Transferência para Apuração do Resultado Transferência para Apuração do Resultado Transferência para Apuração do Resultado Transferência para Apuração do Resultado 5 Resultado Antes do IRPJ/CSll e Participações 5.1 Resultado Antes do IRPJ / CSLL e Participações Resultado Antes do IRPJ / CSLL e Participações Resultado Antes do IRPJ / CSLL e Participações Resultado Antes do IRPJ / CSLL e Participações 5.2 Tributos Sobre o Lucro Provisão Imposto de Renda Pessoa Jurídica Provisão Imposto de Renda Pessoa Jurídica Provisão Imposto de Renda Pessoa Jurídica Provisão Contribuição Social Sobre o Lucro Provisão Contribuição Social Sobre o Lucro Provisão Contribuição Social Sobre o Lucro 5.3 Participações e Contribuições Participações e Contribuições Participações e Contribuições Participações e Contribuições 5.4 Reversão Juros Sobre Capital Próprio Reversão Juros Sobre Capital Próprio Reversão Juros Sobre Capital Próprio Reversão Juros Sobre Capital Próprio 5.9 Transferência para Apuração do Resultado Transferência para Apuração do Resultado Transferência para Apuração do Resultado Transferência para Apuração do Resultado 9 Contas de Transição 9.9 Contas de Transição Contas de Transição Contas de Transição Contas de Transição

Conta Descrição 30/06/2012 31/12/2011. 1 Ativo Total 13.041.716 13.025.168. 1.01 Ativo Circulante 955.080 893.603

Conta Descrição 30/06/2012 31/12/2011. 1 Ativo Total 13.041.716 13.025.168. 1.01 Ativo Circulante 955.080 893.603 Conta Descrição 0/06/0 //0 Ativo Total.0.76.05.68.0 Ativo Circulante 955.080 89.60.0.0 Caixa e Equivalentes de Caixa 5.8 7.9.0.0.0 Bens Numerários.0.0.0 Depósitos Bancários.69 6..0.0.0 Aplicações Financeiras.9.5.0.0

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais)

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais) DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Adiantamento para futuro Capital Prejuízos aumento Explicativa n o social acumulados Subtotal de capital Total SALDO EM 01 DE DEZEMBRO DE 2010 255.719.100

Leia mais

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil)

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 1.829 Fornecedores 58.422 Contas a Receber 238.880

Leia mais

Código Grau Título Legenda 1 Ativo. 1.1.1 Caixa e Equivalentes de Caixa (A)

Código Grau Título Legenda 1 Ativo. 1.1.1 Caixa e Equivalentes de Caixa (A) 6. PLANO DE CONTAS É apresentada abaixo a estrutura do Plano de Contas elaborada para o Manual de Contabilidade do Serviço Público de Exploração da Infraestrutura Rodoviária Federal. Legenda: (A) Rubrica

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

Aula 2 Contextualização

Aula 2 Contextualização Planejamento Financeiro Aula 2 Contextualização Profa. Claudia Abramczuk Definição da quantidade de capital para investimento Movimentações financeiras constituem o patrimônio da empresa O bom planejamento

Leia mais

Banrisul Armazéns Gerais S.A.

Banrisul Armazéns Gerais S.A. Balanços patrimoniais 1 de dezembro de 2012 e 2011 Nota Nota explicativa 1/12/12 1/12/11 explicativa 1/12/12 1/12/11 Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 17.891 18.884 Contas

Leia mais

PLANO DE CONTAS PADRÃO ANS

PLANO DE CONTAS PADRÃO ANS MICROFLEX Informática Folha 1 1 ATIVO 1.2 ATIVO CIRCULANTE 1.2.1 DISPONÍVEL 1.2.1.1 CAIXA 1.2.1.1.1 Caixa 1.2.1.1.1.9.1.0.0 Caixa 1.2.1.2 VALORES EM TRÂNSITO 1.2.1.2.1 Valores em Trânsito 1.2.1.2.1.9.1.0.0

Leia mais

ANEXO Capítulo II - Elenco Sintético das Contas 2013 ATIVO

ANEXO Capítulo II - Elenco Sintético das Contas 2013 ATIVO SUB 1 1 2 CIRCULANTE 1 2 1 DISPONÍVEL 1 2 1 1 CAIXA 1 2 1 1 1 CAIXA 1 2 1 1 1 9 CAIXA 1 2 1 1 1 9 0 1 CAIXA 1 2 1 1 1 9 0 1 1 Caixa 1 2 1 2 NUMERÁRIO EM TRANSITO 1 2 1 2 1 NUMERÁRIO EM TRANSITO 1 2 1 2

Leia mais

PLANO DE CONTAS ATIVO - CONTAS DEVEDORAS PASSIVO - CONTAS CREDORAS DESPESAS - CONTAS DEVEDORAS RECEITAS - CONTAS CREDORAS APURAÇÃO DE RESULTADO

PLANO DE CONTAS ATIVO - CONTAS DEVEDORAS PASSIVO - CONTAS CREDORAS DESPESAS - CONTAS DEVEDORAS RECEITAS - CONTAS CREDORAS APURAÇÃO DE RESULTADO PLANO DE CONTAS O plano de Contas normalmente é composto de cinco grupos. ATIVO - CONTAS DEVEDORAS PASSIVO - CONTAS CREDORAS DESPESAS - CONTAS DEVEDORAS RECEITAS - CONTAS CREDORAS APURAÇÃO DE RESULTADO

Leia mais

ATIVO Notas 2009 2008

ATIVO Notas 2009 2008 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO Notas 2009 2008 CIRCULANTE Caixa e bancos 20.723 188.196 Contas a receber 4 903.098 806.697 Outras contas a receber 5 121.908 115.578 Estoques 11.805 7.673

Leia mais

FUNDAÇÃO DAS ESCOLAS UNIDAS DO PLANALTO CATARINENSE LAGES - SC BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE. Valores expressos em Reais ATIVO

FUNDAÇÃO DAS ESCOLAS UNIDAS DO PLANALTO CATARINENSE LAGES - SC BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE. Valores expressos em Reais ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO CIRCULANTE Notas 6.637.617 7.393.842 Disponibilidades 1.048.777 742.707 Créditos a receber de clientes 4.1 1.832.535 2.646.556 Créditos a receber - outros

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

Elenco de Contas Prof. Me. Laércio Juarez Melz 1

Elenco de Contas Prof. Me. Laércio Juarez Melz 1 Elenco de Contas Prof. Me. Laércio Juarez Melz 1 Classificação CONTA 1. ATIVO 1. 1. ATIVO CIRCULANTE 1. 1. 1. DISPONIBILIDADES 1. 1. 1. 01. CAIXA GERAL 1. 1. 1. 01. 1001 Caixa 1. 1. 1. 02. BANCOS CONTA

Leia mais

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal após a Lei 11638/07 Quando informado o registro: as instituições sujeitas

Leia mais

Plano de Contas RECURSOS NO EXTERIOR DECORRENTES DE EXPO 01 CONTAS BANCÁRIAS SUBVENÇÕES 01 CONTAS BANCÁRIAS DOAÇÕES 01

Plano de Contas RECURSOS NO EXTERIOR DECORRENTES DE EXPO 01 CONTAS BANCÁRIAS SUBVENÇÕES 01 CONTAS BANCÁRIAS DOAÇÕES 01 1 1.00.00.00.000000 10000 **** A T I V O **** 01 1 1.01.00.00.000000 10050 CIRCULANTE 01 1.01 1.01.01.00.000000 10100 DISPONIBILIDADES 01 1.01.01 1.01.01.01.000000 10150 CAIXA 01 1.01.01.01.00 1.01.01.02.000000

Leia mais

0001 CNPJ: Código T Classificação Nome

0001 CNPJ: Código T Classificação Nome 000..678/000-9 S ATIVO S. ATIVO CIRCULANTE S.. DISPONIVEL S...0 CAIXA...0.00 CAIXA GERAL 6...0.00 FUNDO FIXO DE CAIXA 7 S...0 BANCOS CONTA MOVIMENTO 8...0.00 BANCO DO BRASIL 9...0.00 CAIXA ECONOMICA FEDERAL

Leia mais

Anexo 12 - Balanço Orçamentário

Anexo 12 - Balanço Orçamentário Anexo 12 - Balanço Orçamentário BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EXERCÍCIO: PERÍODO: MÊS DATA DE EMISSÃO: PÁGINA: PREVISÃO PREVISÃO RECEITAS SALDO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS INICIAL ATUALIZADA REALIZADAS (a) (b) c = (a-b)

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

ELETROBRÁS PARTICIPAÇÕES S/A - ELETROPAR BALANÇO EM 31 DE MARÇO 2009 E 2008 (Em milhares de Reais)

ELETROBRÁS PARTICIPAÇÕES S/A - ELETROPAR BALANÇO EM 31 DE MARÇO 2009 E 2008 (Em milhares de Reais) ATIVO ELETROBRÁS PARTICIPAÇÕES S/A - ELETROPAR CIRCULANTE Disponibilidades Aplicação Financeira 27.880 14.201 Caixa e Bancos 18 65 27.898 14.266 Contas a Receber Eletronet 59.145 59.145 Empresas Cedentes

Leia mais

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 54 RELATÓRIO ANUAL GERDAU 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 GERDAU S.A. e empresas controladas BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

C N C. Indice 11 - CÓDIGO DE CONTAS CLASSE 1 - DISPONIBILIDADES 11 - CÓDIGO DE CONTAS... 1

C N C. Indice 11 - CÓDIGO DE CONTAS CLASSE 1 - DISPONIBILIDADES 11 - CÓDIGO DE CONTAS... 1 Indice 11 - CÓDIGO DE CONTAS... 1 CLASSE 1 - DISPONIBILIDADES... 1 CLASSE 2 - TERCEIROS*... 2 CLASSE 3 - EXISTÊNCIAS*... 4 CLASSE 4 - IMOBILIZAÇÕES*... 5 CLASSE 5 - CAPITAL, RESERVAS E RESULTADOS TRANSITADOS...

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - NEOENERGIA S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - NEOENERGIA S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 ITR Informações Trimestrais 30/06/2012 NEOENERGIA S.A Versão : 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial

Leia mais

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007 PLANO DE S FOLHA: 000001 1 - ATIVO 1.1 - ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 - DISPONÍVEL 1.1.1.01 - BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.0001 - (0000000001) - CAIXA 1.1.1.02 - DEPÓSITOS BANCÁRIOS 1.1.1.02.0001 - (0000000002)

Leia mais

Unidade II CONTABILIDADE. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade II CONTABILIDADE. Prof. Jean Cavaleiro Unidade II CONTABILIDADE Prof. Jean Cavaleiro Objetivo Conhecer a estrutura do balanço patrimonial: ativo; passivo. Conhecer a estrutura do DRE. Conhecer a estrutura do DFC: direto; indireto. Balanço patrimonial

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO. Aracaju - SE BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO A T I V O CIRCULANTE 160.805.445 138.417.

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO. Aracaju - SE BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO A T I V O CIRCULANTE 160.805.445 138.417. BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO A T I V O 2008 2007 CIRCULANTE 160.805.445 138.417.550 DISPONIBILIDADES 19.838.758 6.355.931 Caixa e bancos 2.931.388 3.021.874 Aplicações de liquidez imediata 16.907.370

Leia mais

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Contabilistas e Corretores de Seguros da Grande Belo Horizonte Ltda. SICOOB CREDITÁBIL

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Contabilistas e Corretores de Seguros da Grande Belo Horizonte Ltda. SICOOB CREDITÁBIL BALANÇOS PATRIMONIAIS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DEZEMBRO DE 2015 E 2014 A T I V O 31/12/2015 31/12/2014 Circulante 16.397.472,20 12.860.303,16 Disponibilidades 290.217,28 156.007,88 Relações Interfinanceiras

Leia mais

Conta Descrição (em R$ mil) 31/03/2011 31/12/2010. 1 Ativo Total 13.623.774 13.422.948. 1.01 Ativo Circulante 1.403.533 1.180.328

Conta Descrição (em R$ mil) 31/03/2011 31/12/2010. 1 Ativo Total 13.623.774 13.422.948. 1.01 Ativo Circulante 1.403.533 1.180.328 Conta Descrição (em R$ mil) /0/0 //00 Ativo Total.6.77..98.0 Ativo Circulante.0.5.80.8.0.0 Caixa e Equivalentes de Caixa 69.7 8.657.0.0.0 Bens Numerários.0 05.0.0.0 Depósitos Bancários.07.57.0.0.0 Aplicações

Leia mais

Unidade II ESTRUTURA DAS. Prof. Me. Alexandre Saramelli

Unidade II ESTRUTURA DAS. Prof. Me. Alexandre Saramelli Unidade II ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Me. Alexandre Saramelli Estrutura das demonstrações contábeis Relatório Anual Porto Seguro Introdução Processo de Convergência Contábil Internacional

Leia mais

Segue a relação das contas do Ativo e do Passivo Exigível mais utilizadas pela ESAF, organizadas por grupo de contas.

Segue a relação das contas do Ativo e do Passivo Exigível mais utilizadas pela ESAF, organizadas por grupo de contas. Segue a relação das contas do Ativo e do Passivo Exigível mais utilizadas pela ESAF, organizadas por grupo de contas. 1 - Ativo (Saldo devedor, exceto as contas retificadoras) 1.1 Ativo Circulante Adiantamento

Leia mais

Princípios Fundamentais Contabilidade

Princípios Fundamentais Contabilidade Princípios Fundamentais Contabilidade 1 Princípios Contábeis. Resolução CFC 750 de 29 de dezembro de 1993. Art. 3 São Princípios de Contabilidade:(2) I o da ENTIDADE; II o da CONTINUIDADE; III o da OPORTUNIDADE;

Leia mais

Palestra. Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC) e Demonstração do Valor Adicionado (DVA) - Novas Normas Contábeis. Março 2012.

Palestra. Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC) e Demonstração do Valor Adicionado (DVA) - Novas Normas Contábeis. Março 2012. Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

10. Balanço Patrimonial. 10.1 Plano de Contas

10. Balanço Patrimonial. 10.1 Plano de Contas 10. Balanço Patrimonial 10.1 Plano de Contas É um elemento sistematizado e metódico de todas as contas movimentadas por uma empresa. Cada empresa deverá ter seu próprio plano de contas de acordo com suas

Leia mais

Estado de Santa Catarina Tribunal de Contas de Santa Catarina EVENTOS c/c DÉBITO c/c CRÉDITO

Estado de Santa Catarina Tribunal de Contas de Santa Catarina EVENTOS c/c DÉBITO c/c CRÉDITO 001 Previsão orçamentária inicial da receita Estado de Santa Catarina 1 5.2.1.1.1.00.00 Previsão inicial da receita bruta 1 6.2.1.1.0.00.00 Receita a realizar 002 Previsão adicional da receita 1 5.2.1.2.1.XX.XX

Leia mais

Contabilidade Decifrada. Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo

Contabilidade Decifrada. Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo Contabilidade Decifrada Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo Demonstrações Contábeis - balanço patrimonial; - demonstração do resultado do exercício; e, - demonstração de lucros ou prejuízos acumulados.

Leia mais

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/3/1999 Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE - AM Sistema de Contabilidade BALANCETE DE VERIFICAÇÃO - PATRIMONIAL ATIVO Outubro / 2013.

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE - AM Sistema de Contabilidade BALANCETE DE VERIFICAÇÃO - PATRIMONIAL ATIVO Outubro / 2013. BALANCETE DE VERIFICAÇÃO - PATRIMONIAL ATIVO Pág. : 1 1 ATIVO 5.074.992,69 549.154,73 650.029,25 4.974.118,17 D 1.1 ATIVO CIRCULANTE 3.364.071,87 442.443,82 539.589,09 3.266.926,60 D 1.1.1 CAIXA E EQUIVALENTES

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE - AM Sistema de Contabilidade BALANCETE DE VERIFICAÇÃO - PATRIMONIAL ATIVO Novembro / 2013.

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE - AM Sistema de Contabilidade BALANCETE DE VERIFICAÇÃO - PATRIMONIAL ATIVO Novembro / 2013. BALANCETE DE VERIFICAÇÃO - PATRIMONIAL ATIVO Pág. : 1 1 ATIVO 4.974.118,17 507.672,45 596.145,95 4.885.644,67 D 1.1 ATIVO CIRCULANTE 3.266.926,60 426.700,41 515.432,99 3.178.194,02 D 1.1.1 CAIXA E EQUIVALENTES

Leia mais

ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL. FASF - Faculdade Sagrada Família - Curso de Administração - Disciplina Contabilidade Geral - 3º periodo

ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL. FASF - Faculdade Sagrada Família - Curso de Administração - Disciplina Contabilidade Geral - 3º periodo ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL Introdução Já sabemos que o Patrimônio é objeto da contabilidade, na qual representa o conjunto de bens, diretos e obrigações. Esta definição é muito importante estar claro

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL REGIONAL JARAGUAENSE - FERJ BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE Valores expressos em Reais. ATIVO Notas 2010 2009

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL REGIONAL JARAGUAENSE - FERJ BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE Valores expressos em Reais. ATIVO Notas 2010 2009 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO Notas 2010 2009 CIRCULANTE Caixa e bancos 422.947 20.723 Contas a receber 4 698.224 903.098 Outras contas a receber 5 3.304.465 121.908 Estoques 14.070

Leia mais

Light Serviços de Eletricidade S.A. Demonstrações contábeis regulatórias referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013

Light Serviços de Eletricidade S.A. Demonstrações contábeis regulatórias referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 Light Serviços de Eletricidade S.A. Demonstrações contábeis regulatórias referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 Balanços Patrimoniais Regulatório e Societário Nota Societário Ajustes CPCs

Leia mais

Relatório do Plano de Contas

Relatório do Plano de Contas 1 10000 ATIVO 1.01 10001 ATIVO CIRCULANTE 1.01.01 10002 DISPONIVEL 1.01.01.01 10003 CAIXA 1.01.01.01.00001 10004 CAIXA GERAL S 1.01.01.02 10020 BANCO CONTA MOVIMENTO 1.01.01.02.00001 10021 BANCO DO BRASIL

Leia mais

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar A seguir um modelo de Plano de Contas que poderá ser utilizado por empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, com as devidas adaptações: 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponível 1.1.1.01

Leia mais

Anexo à Instrução nº 16/96

Anexo à Instrução nº 16/96 Anexo à Instrução nº 16/96 SOCIEDADES DE LOCAÇÃO FINANCEIRA SITUAÇÃO ANALÍTICA CONTAS COM SALDOS DEVEDORES 10 - CAIXA VALORES (em contos) 11 - DEPÓSITOS À ORDEM NO BANCO DE PORTUGAL 12 - DISPONIBILIDADES

Leia mais

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS 11 MODELO DE PLANO DE CONTAS Apresentamos a seguir uma sugestão de plano de contas, para as empresas de construção civil, utilizável também por aquelas que trabalham com obras por empreitada MODELO DE

Leia mais

RECEITA FEDERAL Coordenação-Geral de Estudos Econômico- Tributários, Previsão e Análise da Arrecadação

RECEITA FEDERAL Coordenação-Geral de Estudos Econômico- Tributários, Previsão e Análise da Arrecadação RECEITA FEDERAL Coordenação-Geral de Estudos Econômico- Tributários, Previsão e Análise da Arrecadação ESTATÍSTICAS TRIBUTÁRIAS Consolida DIPJ 2006 Consolidação da Declaração do Imposto de Renda das Pessoas

Leia mais

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord TipoConta SuperiorGrau Nat 1 ATIVO 1 S 1 1 1.01 ATIVO

Leia mais

IBRACON NPC nº 20 - DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

IBRACON NPC nº 20 - DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA IBRACON NPC nº 20 - DEMONSTRAÇÃO DOS FLUOS DE CAIA Princípios Contábeis Aplicáveis 1. A 'Demonstração dos Fluxos de Caixa' refletirá as transações de caixa oriundas: a) das atividades operacionais; b)

Leia mais

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial Contabilidade Empresarial PROGRAMA DO CURSO Conceitos básicos de contabilidade Balanço patrimonial Demonstrativo de resultado de exercício Demonstrativo de fluxo de caixa Demonstrativo das Origens e Aplicações

Leia mais

Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro. Contabilidade. História. Contabilidade e Balanço Patrimonial

Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro. Contabilidade. História. Contabilidade e Balanço Patrimonial Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro Contabilidade e Balanço Patrimonial Contabilidade É a ciência teórica e prática que estuda os métodos de cálculo e registro da movimentação financeira e patrimônio

Leia mais

Análise Financeira. Universidade do Porto Faculdade de Engenharia Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Economia e Gestão

Análise Financeira. Universidade do Porto Faculdade de Engenharia Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Economia e Gestão Análise Financeira Universidade do Porto Faculdade de Engenharia Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Economia e Gestão Introdução Objectivos gerais avaliar e interpretar a

Leia mais

GTD PARTICIPAÇÕES S.A.

GTD PARTICIPAÇÕES S.A. GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Leia mais

Plano de Contas Pag.: 1 de 7

Plano de Contas Pag.: 1 de 7 Plano de Contas Pag.: 1 de 7 1 ATIVO 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 ATIVO DISPONIVEL 1.1.1.001 NUMERARIOS 1.1.1.001.0001-0 CAIXA PEQUENO 11110 X 1.1.1.002 BANCOS CONTA MOVIMENTO 1.1.1.002.0001-5 BANCO BRADESCO

Leia mais

ANÁLISE FINANCEIRA VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA

ANÁLISE FINANCEIRA VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA ANÁLISE FINANCEIRA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA NAS EMPRESAS INTEGRAÇÃO DOS CONCEITOS CONTÁBEIS COM OS CONCEITOS FINANCEIROS FLUXO DE OPERAÇÕES E DE FUNDOS VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA Possibilita um diagnóstico

Leia mais

Jonilson Lima da Silva Diretor Administrativo CRC/DF 13305/00

Jonilson Lima da Silva Diretor Administrativo CRC/DF 13305/00 BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO ATIVO CIRCULANTE 38.455.315,35 29.551.124,31 Disponível 87.037,02 29.289,05 Realizável 38.037.154,40 29.516.935,26 Aplicações 23.329.701,27 15.413.999,65 Créditos de Operações

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

CRP/PA Conselho Regional de Psicologia 10ª Região - Pa/Ap - CRP10 CNPJ: 37.115.540/0001-20

CRP/PA Conselho Regional de Psicologia 10ª Região - Pa/Ap - CRP10 CNPJ: 37.115.540/0001-20 Conselho Regional de Psicologia 10ª Região - Pa/Ap - CRP10 CNPJ: 37.115.540/0001-20 Balancete Conta Anterior Débitos Créditos 1 - ATIVO 723.347,50D 3.344.572,02 3.148.733,90 919.185,62D 1.1 - ATIVO CIRCULANTE

Leia mais

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2012.

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - HOTEIS OTHON SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - HOTEIS OTHON SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

REGIMES CONTÁBEIS RECEITAS E DESPESAS

REGIMES CONTÁBEIS RECEITAS E DESPESAS CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA I ELEMENTOS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REGIMES CONTÁBEIS RECEITAS E DESPESAS Prof. Emanoel Truta ELEMENTOS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Os Elementos das Demonstrações Contábeis

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Análise Horizontal. Consiste no estabelecimento de um ano-base, no qual cada item componente da demonstração

Análise Horizontal. Consiste no estabelecimento de um ano-base, no qual cada item componente da demonstração Análise Horizontal Consiste no estabelecimento de um ano-base, no qual cada item componente da demonstração será designado pelo número-índice 100. Será verificada a tendência do item a partir de sua variação,

Leia mais

Prof. Fernando Oliveira Boechat

Prof. Fernando Oliveira Boechat Prof. Fernando Oliveira Boechat Prof. Fernando Oliveira Boechat Sumário: 1. Introdução 2. Prof. Fernando Oliveira Boechat 2 Introdução: ENTENDENDO AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS BRASILEIRAS Prof. Fernando

Leia mais

PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES

PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES Introdução Em abril de 2009, a Fitch Ratings modificou a estrutura dos demonstrativos sintéticos que acompanham os relatórios dos bancos analisados, adotando um novo

Leia mais

EXEMPLO COMPLETO DO CÁLCULO DO FLUXO DE CAIXA COM BASE EM DEMONSTRATIVOS FINANCEIROS

EXEMPLO COMPLETO DO CÁLCULO DO FLUXO DE CAIXA COM BASE EM DEMONSTRATIVOS FINANCEIROS EXEMPLO COMPLETO DO CÁLCULO DO FLUXO DE CAIXA COM BASE EM DEMONSTRATIVOS FINANCEIROS! O pagamento de juros conjunturais! O pagamento de juros estruturais! O recebimento de dividendos! A contratação de

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

1. a. Preencha os balancetes: 1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200

1. a. Preencha os balancetes: 1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200 EXERCÍCIOS EXTRAS 1. a. Preencha os balancetes: 1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200 S.DEVEDORES (APLICAÇÕES)............ S.CREDORES (ORIGENS)...... t o t a

Leia mais

Plano de Contas Aplicado ao Setor PúblicoP. Tesouro Nacional

Plano de Contas Aplicado ao Setor PúblicoP. Tesouro Nacional Plano de Contas Aplicado ao Setor PúblicoP Tesouro Nacional 2009 A Estrutura de Plano de Contas no Mundo Plano de Contas do Reino Unido 1 Ativo 1.1 Ativo Fixo Intangível 1.3 Ativo Fixo Tangível 1.4 Equipamento

Leia mais

ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO

ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO Conta do ATIVO 1 ATIVO 1. Circulante 1.. Disponível 1.. Realizável 1... Créditos 1... Estoques 1... Combustíveis 1... Lubrificantes 1... Peças, Acessórios, Materiais 1...

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO E ELABORAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO E ELABORAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO E ELABORAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS As orientações constantes deste manual devem ser observadas pelas Unidades Gestoras para encerramento do exercício,

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

Ativo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Passivo Nota 30/09/2014 31/12/2013

Ativo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Passivo Nota 30/09/2014 31/12/2013 DUDALINA S/A BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE SETEMBRO DE 2014 (Valores expressos em milhares de reais) Ativo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Passivo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

18- PLANILHA DOS METODOS DIRETO E INDIRETO DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA MÉTODO DIRETO

18- PLANILHA DOS METODOS DIRETO E INDIRETO DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA MÉTODO DIRETO 18- PLANILHA DOS METODOS DIRETO E INDIRETO DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA MÉTODO DIRETO Fluxos de caixa das atividades operacionais: Recebimentos de Clientes (+) Pagamento de Fornecedores (-) Pagamento

Leia mais

Demonstração dos Fluxos de Caixa - DFC. Renato Tognere Ferron

Demonstração dos Fluxos de Caixa - DFC. Renato Tognere Ferron Demonstração dos Fluxos de Caixa - DFC Renato Tognere Ferron Relatórios Contábeis Relatórios Contábeis Obrigatórios Exigidos pela Lei das Sociedades por ações Sociedade Anônima Deverão ser publicados Ltdas.

Leia mais

PÓS GRADUAÇÃO DIRETO EMPRESARIAL FUNDAMENTOS DE CONTABILIDADE E LIVROS EMPRESARIAS PROF. SIMONE TAFFAREL FERREIRA

PÓS GRADUAÇÃO DIRETO EMPRESARIAL FUNDAMENTOS DE CONTABILIDADE E LIVROS EMPRESARIAS PROF. SIMONE TAFFAREL FERREIRA PÓS GRADUAÇÃO DIRETO EMPRESARIAL FUNDAMENTOS DE CONTABILIDADE E LIVROS EMPRESARIAS PROF. SIMONE TAFFAREL FERREIRA DISTRIBUIÇÃO DA APRESENTAÇÃO - Aspectos Conceituais - Definições Teóricas e Acadêmicas

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

Anexo 12 - Balanço Orçamentário

Anexo 12 - Balanço Orçamentário Anexo 12 - Balanço Orçamentário BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EXERCÍCIO: PERÍODO (MÊS) : DATA DE EMISSÃO: PÁGINA: PREVISÃO PREVISÃO RECEITAS SALDO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS INICIAL ATUALIZADA REALIZADAS (a) (b) c

Leia mais

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC Contabilidade Avançada Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Prof. Dr. Adriano Rodrigues Normas Contábeis: No IASB: IAS 7 Cash Flow Statements No CPC: CPC 03 (R2) Demonstração dos Fluxos de Caixa Fundamentação

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - PDG REALTY SA EMPREENDIMENTOS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - PDG REALTY SA EMPREENDIMENTOS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Centro de Ciências Sociais Aplicadas Departamento de Ciências Contábeis ENDEREÇO: Campus Universitário,

Leia mais

Módulo 11 Instrumentos Financeiros Básicos Módulo 12 Outros Assuntos sobre Instrumentos Financeiros

Módulo 11 Instrumentos Financeiros Básicos Módulo 12 Outros Assuntos sobre Instrumentos Financeiros ESTUDO DE CASO Uma entidade possui o seguinte balancete para o ano encerrado em 31 de dezembro de 20X2. Usando as colunas da direita, marque quais itens estão dentro do escopo da Seção 11 e, para aqueles

Leia mais

Ano 2015, Número 018 Brasília, terça-feira, 27 de janeiro de 2015 Página 1

Ano 2015, Número 018 Brasília, terça-feira, 27 de janeiro de 2015 Página 1 Ano 2015, Número 018 Brasília, terça-feira, 27 de janeiro de 2015 Página 1 Ano 2015, Número 018 Divulgação: segunda-feira, 26 de janeiro de 2015 Publicação: terça-feira, 27 de janeiro de 2015 Tribunal

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1 ATIVO 1 11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1113 BANCOS CONTA DEPÓSITOS 11131 BANCOS CONTA DEPÓSITOS - MOVIMENTO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PRÓ-HOPE APOIO À CRIANÇA COM CÂNCER CNPJ 02.072.483/0001-65 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DEZEMBRO DE 2010 E 2009

ASSOCIAÇÃO PRÓ-HOPE APOIO À CRIANÇA COM CÂNCER CNPJ 02.072.483/0001-65 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DEZEMBRO DE 2010 E 2009 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DEZEMBRO DE 2010 E 2009 ATIVO 31/12/2010 31/12/2009 PASSIVO 31/12/2010 31/12/2009 CIRCULANTE 2.067.853,08 1.156.034,03 CIRCULANTE 1.444.697,99 375.899,34 DISPONIBILIDADES 1.284.699,22

Leia mais

Workshop Rentabilidade e liquidez nas instituições de ensino Guilherme da Nóbrega Milton dos Santos

Workshop Rentabilidade e liquidez nas instituições de ensino Guilherme da Nóbrega Milton dos Santos Workshop Rentabilidade e liquidez nas instituições de ensino Guilherme da Nóbrega Milton dos Santos Conteúdo As números fundamentais da gestão econômicofinanceira Compreendendo a liquidez Capital de Giro

Leia mais

1º CASO Cia. INVESTIDORA S.A.

1º CASO Cia. INVESTIDORA S.A. 1º CASO Cia. INVESTIDORA S.A. O quadro a seguir apresenta o Balancete de Verificação da Cia. Investidora S.A. em 31/12/X1. Contas Saldo ($) Contas Saldo ($) Depósitos Bancários 182.000 Financiamentos L.

Leia mais

http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_...

http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_... http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_... Página 1 de 14 CONTABILIDADE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Considerações ROTEIRO 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO

Leia mais

ANEXO - CAPÍTULO III - Modelo de Publicação BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO

ANEXO - CAPÍTULO III - Modelo de Publicação BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO 200Y 200X ATIVO Contas ATIVO CIRCULANTE 12 Disponível 121 Realizável 122+123+124+125+126+127+128+129 Aplicações Financeiras 122 Aplicações Vinculadas a Provisões Técnicas 1221

Leia mais

Demonstrativos Contábeis OCB/RJ

Demonstrativos Contábeis OCB/RJ Demonstrativos Contábeis OCB/RJ Balanço Patrimonial (em R$) ATIVO Circulante Caixa Bancos Creditos a Receber Adiantamento a Terceiros Não Circulante Comodatos Investimentos Imóveis 10.887,19 738,37 3.548,82

Leia mais

IESA ÓLEO & GÁS S.A. Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008

IESA ÓLEO & GÁS S.A. Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Conteúdo Balanços Patrimoniais

Leia mais

DFC Demonstração dos Fluxos de Caixa. Professor: Eduardo José Zanoteli, M.Sc.

DFC Demonstração dos Fluxos de Caixa. Professor: Eduardo José Zanoteli, M.Sc. DFC Demonstração dos Fluxos de Caixa Demonstração dos Fluxos de Caixa - DFC Regime de Caixa Regime de Competência X DFC: Objetivo/finalidade Permitir que investidores, credores e outros usuários avaliem:

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação a conceitos, objetivos e finalidades da contabilidade, julgue os itens que se seguem. 51 Auxiliar um governo no processo de fiscalização tributária é uma das finalidades

Leia mais

GRANDE ~ RECIFE CONSORCIO DE TRANSPORTE

GRANDE ~ RECIFE CONSORCIO DE TRANSPORTE GRANDE ~ RECIFE CONSORCIO DE TRANSPORTE Piano de Contas Anexo 20 -- grandev

Leia mais

Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p. Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa):

Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p. Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa): Pesquisa Industrial Anual Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa): Aluguéis e arrendamentos Despesas com

Leia mais

Divulgação: segunda-feira, 26 de janeiro de 2015 Publicação: terça-feira, 27 de janeiro de 2015. Tribunal Superior Eleitoral

Divulgação: segunda-feira, 26 de janeiro de 2015 Publicação: terça-feira, 27 de janeiro de 2015. Tribunal Superior Eleitoral Página 1 Divulgação: segunda-feira, 26 de janeiro de 2015 Publicação: terça-feira, 27 de janeiro de 2015 Tribunal Superior Eleitoral Ministro José Antonio Dias Toffoli Presidente Ministro Gilmar Ferreira

Leia mais

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014 Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas Demonstrações financeiras em IFRS e baseadas nos Pronunciamentos Técnicos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC em

Leia mais