Pessoas com Deficiência na Mídia: uma abordagem humanizada

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pessoas com Deficiência na Mídia: uma abordagem humanizada"

Transcrição

1 Pessoas com Deficiência na Mídia: uma abordagem humanizada Maria Isabel da Silva Jornalista e Gestora da Assessoria de Comunicação Institucional Daniela Loureiro Iacobucci Jornalista e Assessora de Imprensa

2 PESSOAS COM DEFICIÊNCIA QUANTAS SÃO IBGE 2010 Dados do Censo 2010 revelam que quase 24% da população: 45,6 milhões de pessoas no Brasil têm algum tipo de deficiência física, visual, auditiva, intelectual, múltipla. 9 milhões no Estado de São Paulo

3 TERMINOLOGIA INCLUSIVA A construção de uma sociedade inclusiva passa também pelo cuidado com a linguagem. A seguir: 25 palavras ou expressões incorretas publicadas em livros, revistas, jornais, programas de televisão e de rádio, apostilas, reuniões, palestras e aulas e os respectivos termos corretos. Adaptação do texto de Romeu Kazumi Sassaki

4 1. Pessoa Normal x Anormal Termo Errado Para designar pessoas que não tenham deficiência Adolescente, jovem, criança, adulto, homem, mulher, menino, menina, trabalhador, estudante: sem deficiência

5 2 - Aleijado; defeituoso físico; incapacitado; inválido Deficiente físico Termo Errado Utilizado até a década de : Ano Internacional das Pessoas Deficientes, começa-se a escrever e falar pela primeira vez a expressão pessoa deficiente. Década de 1981 a pessoa portadora de deficiência, portadores de deficiência Constituição Federal 1990 a 2000 portadores de necessidades especiais pessoas com deficiência, 2006 aprovação da Convenção da ONU 2007 Brasil torna-se signatário 2008 emenda constitucional A palavra inválido significa sem valor. Assim eram consideradas as pessoas com deficiência desde a Antiguidade até o final da Segunda Guerra Mundial.

6 3. apesar de deficiente, ele é um ótimo aluno apesar de cego, ele consegue se virar sozinho Termo Errado preconceito embutido, não acredita no potencial da pessoa: A pessoa com deficiência não pode ser um ótimo aluno nem se virar sozinho em função da deficiência. ele tem deficiência e é um ótimo aluno. ele é cego e consegue se virar muito bem sozinho.

7 4. cadeira de rodas elétrica Termo Errado para cadeira de rodas equipada com motor cadeira de rodas motorizada

8 5. ceguinho Termo Errado O diminutivo ceguinho denota que o cego não é tido como uma pessoa completa. Há a deficiência visual parcial - baixa visão ou monocular e cegueira (quando a deficiência visual é total). Termo Pejorativo e depreciativo cego; pessoa cega; pessoa com deficiência visual;

9 6. deficientes físicos Termo Errado Referindo-se a pessoas com qualquer tipo de deficiência Pessoas com deficiência (sem especificar o tipo de deficiência).

10 7. ela é retardada mental, mas é uma atleta excepcional Termo Errado preconceito embutido: Toda pessoa com deficiência intelectual não tem capacidade para ser atleta. Ela tem deficiência intelectual e se destaca como atleta

11 8. ela é surda [ou cega], mas não é retardada mental Termo Errado preconceito: Todo surdo ou cego tem retardo mental. Retardada mental, retardamento mental e retardo mental são termos do passado, obsoletos, em desuso Ela é surda *ou cega+ e não tem deficiência intelectual.

12 9. ela foi vítima de paralisia infantil ou ele sofre de paralisia Termo Errado A poliomielite já ocorreu nesta pessoa (por ex., ela teve pólio ). Enquanto a pessoa estiver viva, ela tem seqüela de poliomielite. A palavra vítima provoca sentimento de piedade. E ninguém sofre de paralisia Ela teve pólio ela tem paralisia decorrente de sequela de pólio.

13 10. ela teve paralisia cerebral (referindo-se a uma pessoa no presente) Termo Errado A paralisa cerebral pode ser decorrente de excesso de oxigênio no cérebro no momento do nascimento ou outras intercorrências no parto, como nascimento prematuro. Ela tem deficiência decorrente de paralisia cerebral. (ou ela tem paralisia cerebral - que permanece com a pessoa por toda a vida)

14 11. ele atravessou a fronteira da normalidade quando sofreu um acidente de carro e ficou deficiente Termo Errado A normalidade, em relação a pessoas, é um conceito questionável. A palavra sofrer coloca a pessoa em situação de vítima e, por isso, provoca sentimentos de piedade. Ele teve um acidente de carro que o deixou com uma deficiência.

15 12. ele é surdo-cego ela é surda-muda Termo Errado A pessoa raramente é muda ela tem surdez (ou deficiência auditiva) e não treinou o aparelho fonético, por isso ficou com dificuldade de se comunicar verbalmente pela surdez. Ele é surdocego. Também podemos dizer ou escrever: ele tem surdocegueira associação da deficiência visual com auditiva A pessoa pode ficar muda (trauma psicológico) doença e não deficiência. -Ele é surdo -- ele tem deficiência auditiva

16 13. ele manca com bengala nas axilas Ele anda com muletas axilares para se referir a uma pessoa que anda apoiada em muletas. No contexto coloquial, é correto o uso do termo cadeirante para usuário de cadeira de rodas, mas deve ser evitado em textos formais.

17 14. esta família carrega a cruz de ter um filho deficiente Termo Errado Nesta frase há um estigma embutido: Filho deficiente é um peso morto para a família. Esta família tem um filho com deficiência.

18 15. Jussara afirma que infelizmente seu primeiro filho é deficiente; mas o segundo nasceu normal Termo Errado A normalidade, em relação a pessoas, é um conceito questionável, ultrapassado. E a palavra infelizmente reflete o que a mãe pensa da deficiência do primeiro filho: uma coisa ruim. Se essa informação é repassada da mesma forma - reforça-se o estigma e o preconceito. Jussara afirma que tem dois filhos: o primeiro tem deficiência e o segundo não. ou Jussara afirma que tem dois filhos: o primeiro com deficiência e o segundo sem.

19 16. intérprete do LIBRAS ou Linguagem Brasileira de Sinais Intérprete de Libras. Libras é sigla para Língua Brasileira de Sinais. Libras é um termo consagrado pela comunidade surda brasileira, e com o qual ela se identifica. Ele é consagrado pela tradição e foi adotado por grande parte das pessoas surdas, como idioma. Há surdos que não utilizam a Libras para se comunicar. Há surdos que fazem leitura labial e se comunicam na língua portuguesa. Língua de sinais. A comunicação sinalizada dos e com os surdos constitui uma língua e não uma linguagem. Já a comunicação por gestos, envolvendo ou não pessoas surdas, constitui uma linguagem gestual. Uma outra aplicação do conceito de linguagem se refere ao que as posturas e atitudes humanas comunicam não-verbalmente, conhecido como a linguagem corporal.

20 17. Louis Braile GRAFIA CORRETA: Louis Braille. O criador do sistema de escrita e impressão para cegos foi o educador francês Louis Braille ( ), que era cego. Para o sistema braile: Sistema braile. Conforme MARTINS (1990), grafa-se Braille somente quando se referir ao educador Louis Braille. Por ex.: A casa onde Braille passou a infância (...). Nos demais casos, devemos grafar: [a] braile (máquina braile, relógio braile, dispositivo eletrônico braile, sistema braile, biblioteca braile etc.) ou [b] em braile (escrita em braile, cardápio em braile, placa metálica em braile, livro em braile, jornal em braile, texto em braile etc.).

21 18. Necessidades especiais Necessidades educacionais especiais. O termo necessidades educacionais especiais foi adotado pelo Conselho Nacional de Educação (Resolução nº 2, de , com base no Parecer nº 17/2001, homologado em ).

22 19. paralisia cerebral é uma doença Paralisia cerebral é uma condição. Muitas pessoas confundem doença com deficiência. Deficiência é uma condição da pessoa

23 20. pessoa presa (confinada - condenada) a uma cadeira de rodas Pessoa em cadeira de rodas; usuário de cadeira de rodas. Pessoa que anda em cadeira de rodas; pessoa que usa uma cadeira de rodas. Os termos presa, confinada e condenada provocam sentimentos de piedade. No contexto coloquial, é correto o uso dos termos cadeirante e chumbado.

24 21. PPD e PNE Pessoas com Deficiência No Brasil, tornou-se bastante popular, acentuadamente entre 1986 e 1996, o uso do termo pessoas portadoras de deficiência (PPD). Hoje, o termo correto é pessoas com deficiência, motivando o desuso da sigla PPD e PNE (portador de necessidade especial).

25 22. quadriplegia, paralisado total Tetraplegia ou (coloquialmente) Tetra. Ao se referir à pessoa, prefira o termo pessoa com tetraplegia. Ex.: Marco Pellegrini é Secretário Adjunto e tetraplégico

26 23. retardo mental, retardamento mental Deficiência intelectual. São pejorativos os termos retardado mental, pessoa com retardo mental, portador de retardamento mental etc.

27 24. sala de aula normal Sala de aula comum. Quando todas as escolas forem inclusivas, bastará o termo sala de aula sem adjetivá-lo.

28 25. visão sub-normal Baixa visão. É preferível baixa visão a visão subnormal. A rigor, diferencia-se entre deficiência visual parcial (baixa visão) e cegueira (quando a deficiência visual é total). GRAFIA CORRETA: baixa visão, visão monocular (baixa visão ou cegueira em um dos olhos)

29 Contato: Tel.: (11) Obrigada!

GLOSSÁRIO PESSOA COM DEFICIÊNCIA

GLOSSÁRIO PESSOA COM DEFICIÊNCIA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA MINISTÉRIO DAS MULHERES, IGUALDADE RACIAL E DIREITO S HUMANO S SECRETARIA DE DIREITO S HUMANO S - SDH CO NSELHO NACIO NAL DO S DIREITO S DO IDO SO - CNDI GLOSSÁRIO PESSOA COM DEFICIÊNCIA

Leia mais

Terminologia correta sobre Deficiência e Inclusão Social.

Terminologia correta sobre Deficiência e Inclusão Social. Terminologia correta sobre Deficiência e Inclusão Social. Autor: Romeu Kazumi Sassaki - Dezembro de 2001 Usar ou não usar termos técnicos corretamente não é uma mera questão semântica ou sem importância,

Leia mais

TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO *

TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * Romeu Kazumi Sassaki ** * Trabalho publicado no livro Mídia e Deficiência, da Agência de Notícias dos Direitos da Infância e da Fundação Banco do Brasil

Leia mais

TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO *

TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * Romeu Kazumi Sassaki ** A construção de uma verdadeira sociedade inclusiva passa também pelo cuidado com a linguagem. Na linguagem se expressa, voluntariamente

Leia mais

TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * Romeu Kazumi Sassaki **

TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * Romeu Kazumi Sassaki ** TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * Romeu Kazumi Sassaki ** * SASSAKI, Romeu Kazumi. Terminologia sobre deficiência na era da inclusão. In: VIVARTA, Veet (coord.). Mídia e deficiência.

Leia mais

TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * Romeu Kazumi Sassaki **

TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * Romeu Kazumi Sassaki ** TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * Romeu Kazumi Sassaki ** * SASSAKI, Romeu Kazumi. Terminologia sobre deficiência na era da inclusão. In: VIVARTA, Veet (coord.). Mídia e deficiência.

Leia mais

Fonte: http://www.cnbb.org.br/ Terminologia sobre deficiência na era da inclusão Romeu Kazumi Sassaki, 2002 - Consultor de inclusão social e autor do

Fonte: http://www.cnbb.org.br/ Terminologia sobre deficiência na era da inclusão Romeu Kazumi Sassaki, 2002 - Consultor de inclusão social e autor do Fonte: http://www.cnbb.org.br/ Terminologia sobre deficiência na era da inclusão Romeu Kazumi Sassaki, 2002 - Consultor de inclusão social e autor do livro Inclusão: Construindo uma Sociedade para Todos

Leia mais

TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO *

TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * * Trabalho inserido nas seguintes publicações: Romeu Kazumi Sassaki ** VIVARTA, Veet (org.). Mídia e Deficiência. Brasília: Agência de Notícias dos Direitos

Leia mais

Considerações sobre o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência

Considerações sobre o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência Considerações sobre o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência Vivemos um momento complexo no que diz respeito às pessoas com deficiência: por um lado, temos (no campo do Direito) uma legislação específica

Leia mais

Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiência

Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiência Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiência Respeito à Diversidade Devemos respeitar as pessoas exatamente como elas são. O respeito à diversidade humana é o primeiro passo para construirmos

Leia mais

Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiência

Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiência Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiência Respeito à Diversidade A INFORMAÇÃO é fundamental para vencermos as barreiras do preconceito e da discriminação. Ao buscarmos a INFORMAÇÃO, exercitamos

Leia mais

Romeu Sassaki romeukf@uol.com.br

Romeu Sassaki romeukf@uol.com.br Romeu Sassaki romeukf@uol.com.br A CESSI BILIDADE BARREIRAS A CESSI BILIDADE 7 DIMENSÕES DE BARREIRAS A CESSI BILIDADE IDENTIFICAR 7 DIMENSÕES DE BARREIRAS BARREIRAS 1. ARQUITETÔNICAS 2. COMUNICACIONAIS

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA SOLICITAÇÃO DE SERVIÇOS E RECURSOS DE ACESSIBILIDADE POR CANDIDATOS COM DEFICIÊNCIA E OUTRAS CONDIÇÕES ESPECIAIS COMPERVE

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA SOLICITAÇÃO DE SERVIÇOS E RECURSOS DE ACESSIBILIDADE POR CANDIDATOS COM DEFICIÊNCIA E OUTRAS CONDIÇÕES ESPECIAIS COMPERVE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE UFRN NÚCLEO PERMANENTE DE CONCURSOS COMPERVE COMISSÃO PERMANENTE DE APOIO A ESTUDANTES COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS CAENE MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA

Leia mais

Atendimento às pessoas com deficiência no serviço ao cidadão

Atendimento às pessoas com deficiência no serviço ao cidadão Atendimento às pessoas com deficiência no serviço ao cidadão 1 2 Apresentação Considerando a inclusão social como um processo bilateral, em que a sociedade se adapta às necessidades de seus habitantes

Leia mais

Conhecendo o Aluno com Deficiência Múltipla

Conhecendo o Aluno com Deficiência Múltipla I - [FICHA DE AVALIAÇÃO SOBRE O ALUNO COM DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA] Usar letra de forma É importante considerarmos que o aluno com deficiência múltipla da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro possui

Leia mais

A Educação Especial na Perspectiva Inclusiva

A Educação Especial na Perspectiva Inclusiva A Educação Especial na Perspectiva Inclusiva Instituto Paradigma O Instituto Paradigma é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), dedicada a desenvolver e implementar projetos nas

Leia mais

DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Maria Izabel do Amaral Sampaio Castro 8.ª Promotora de Justiça de São Caetano do Sul miasc@mp.sp.gov.br (11) 4238-8757 1 TERMINOLOGIA 1) Pessoa PORTADORA de Deficiência:

Leia mais

REFLEXÕES ACERCA DA INCLUSÃO DOS SURDOS NO MERCADO DE TRABALHO

REFLEXÕES ACERCA DA INCLUSÃO DOS SURDOS NO MERCADO DE TRABALHO REFLEXÕES ACERCA DA INCLUSÃO DOS SURDOS NO MERCADO DE TRABALHO Maria Solange de Sousa Lacerda Universidade Federal de Campina Grande soldepombal@hotmail.com Josilene Martins Urtiga Silva Universidade Federal

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO EVOLUÇÃO DA LEGISLAÇÃO E DA TERMINOLOGIA CONSTITUIÇÕES ANTERIORES: - DESVALIDOS; - EXCEPCIONAIS. COMENTÁRIOS SOBRE

CLASSIFICAÇÃO EVOLUÇÃO DA LEGISLAÇÃO E DA TERMINOLOGIA CONSTITUIÇÕES ANTERIORES: - DESVALIDOS; - EXCEPCIONAIS. COMENTÁRIOS SOBRE COMENTÁRIOS SOBRE A AVALIAÇÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E INCAPACIDADES NA PERSPECTIVA DE UMA NOVA CLASSIFICAÇÃO NO BRASIL COORDENADORIA NACIONAL PARA INTEGRAÇÃO DA PESSOA PORTADORA DE DEFICIÊNCIA CORDE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO CEPAE Centro de Ensino, Pesquisa, Extensão e Atendimento em Educação Especial

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO CEPAE Centro de Ensino, Pesquisa, Extensão e Atendimento em Educação Especial UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO CEPAE Centro de Ensino, Pesquisa, Extensão e Atendimento em Educação Especial RELATÓRIO DE ATIVIDADES O CEPAE Centro de Ensino, Pesquisa, Extensão

Leia mais

A DEFICIÊNCIA NA COMUNICAÇÃO SOCIAL BOAS PRÁTICAS PARA JORNALISTAS. A diversidade humana é uma realidade e não pode ser ignorada pelos jornalistas

A DEFICIÊNCIA NA COMUNICAÇÃO SOCIAL BOAS PRÁTICAS PARA JORNALISTAS. A diversidade humana é uma realidade e não pode ser ignorada pelos jornalistas A DEFICIÊNCIA NA COMUNICAÇÃO SOCIAL BOAS PRÁTICAS PARA JORNALISTAS ÍNDICE 1. Aspetos básicos a ter em conta A diversidade humana é uma realidade e não pode ser ignorada pelos jornalistas Conceitos na ordem

Leia mais

Terminologia. Fonte:

Terminologia. Fonte: Terminologia Fonte: http://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/portal.php/terminologia Sobre a deficiência na era da inclusão. Por Romeu Kazumi Sassaki A construção de uma verdadeira sociedade inclusiva

Leia mais

O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO -AEE E O ALUNO COM SURDOCEGUEIRA E OU COM

O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO -AEE E O ALUNO COM SURDOCEGUEIRA E OU COM O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO -AEE E O ALUNO COM SURDOCEGUEIRA E OU COM DEFICIÊNCIA MÚLTPLA A pessoa com Surdocegueira O conceito de surdocegueira Surdocegueira é uma condição que apresenta outras

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 010 /CME/2011 (*) APROVADA EM 28.07.2011. O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MANAUS, no uso de suas atribuições legais e;

RESOLUÇÃO N. 010 /CME/2011 (*) APROVADA EM 28.07.2011. O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MANAUS, no uso de suas atribuições legais e; RESOLUÇÃO N. 010 /CME/2011 (*) APROVADA EM 28.07.2011 Institui os procedimentos e orientações para Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva no Sistema Municipal de Ensino de Manaus. O CONSELHO

Leia mais

Manual de Redação Mídia Inclusiva Assembleia A casa do povo é de TODOS os gaúchos

Manual de Redação Mídia Inclusiva Assembleia A casa do povo é de TODOS os gaúchos Manual de Redação Mídia Inclusiva Assembleia A casa do povo é de TODOS os gaúchos EXPEDIENTE MESA DIRETORA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO RS Presidente - Deputado Adão Villaverde (PT) 1º Vice-presidente

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROGRAMA DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROGRAMA DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA OBJETIVO Proporcionar ao trabalhador com deficiência a obtenção e a manutenção do emprego, atuar na orientação profissional e no empreendimento de ações e/ou

Leia mais

Gestão Sustentável de Pessoas com Deficiência

Gestão Sustentável de Pessoas com Deficiência Gestão Sustentável de Pessoas com Deficiência Objetivo O objetivo deste treinamento é possibilitar aos profissionais de uma empresa, se relacionarem melhor com as Pessoas com Deficiência (PcDs) e dar acesso

Leia mais

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO TRABALHO

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO TRABALHO INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO TRABALHO COORDIGUALDADE Coordenadoria Nacional de Promoção da Igualdade de Oportunidades e Eliminação da Discriminação no Trabalho Criada em 28/10/2002, com o objetivo

Leia mais

Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes

Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes Instituto Municipal Helena Antipoff Educação Especial no Município do Rio de

Leia mais

10 COISAS QUE TODO MUNDO SÍNDROME DE DOWN PRECISA SABER SOBRE

10 COISAS QUE TODO MUNDO SÍNDROME DE DOWN PRECISA SABER SOBRE 10 COISAS QUE TODO MUNDO PRECISA SABER SOBRE SÍNDROME DE DOWN NÃO USE USE Deficiente, inválido, doente e excepcional Pessoa com deficiência Portador de síndrome de Down, retardado, portador de retardamento

Leia mais

Ergonomia Parte II f

Ergonomia Parte II f Ergonomia Parte II f Paracambi / Nova Iguaçu Problemas de deslocamento (exemplo) 9. DE DESLOCAMENTO Excesso de caminhamentos e deambulações. Grandes distâncias a serem percorridas para a realização das

Leia mais

ADAPTAÇÕES NECESSÁRIAS PARA O ALUNO SURDOCEGO ADQUIRIDO NA ESCOLA DE ENSINO REGULAR

ADAPTAÇÕES NECESSÁRIAS PARA O ALUNO SURDOCEGO ADQUIRIDO NA ESCOLA DE ENSINO REGULAR ADAPTAÇÕES NECESSÁRIAS PARA O ALUNO SURDOCEGO ADQUIRIDO NA ESCOLA DE ENSINO REGULAR Tais Pereira de Sousa Lima Ma. Cyntia Moraes Teixeira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo

Leia mais

Diretrizes Operacionais Referentes à Rede de Apoio à Inclusão. Gerência de Ensino Especial

Diretrizes Operacionais Referentes à Rede de Apoio à Inclusão. Gerência de Ensino Especial Diretrizes Operacionais Referentes à Rede de Apoio à Inclusão Gerência de Ensino Especial I - Equipe multiprofissional Profissionais: psicólogo, fonoaudiólogo, assistente social. Lotação: Nos Centros de

Leia mais

ANEXO II RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 22, DE 20 DE ABRIL DE 2006. ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO PEDAGÓGICO

ANEXO II RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 22, DE 20 DE ABRIL DE 2006. ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO PEDAGÓGICO ANEXO II RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 22, DE 20 DE ABRIL DE 2006. ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO PEDAGÓGICO Estas orientações têm por objetivo nortear a elaboração do Plano Pedagógico, que será apresentado

Leia mais

ANEXO I ATRIBUIÇÕES DO CARGO

ANEXO I ATRIBUIÇÕES DO CARGO ANEXO I ATRIBUIÇÕES DO CARGO DESCRIÇÃO ANALÍTICA DAS ATRIBUIÇÕES: I - participar da elaboração e efetivação da proposta Pedagógica; II - auxiliar no atendimento às crianças; III - participar do planejamento

Leia mais

INSERÇÃO DE PROFISSIONAIS DEFICIENTES NO MERCADO DE TRABALHO: UM DEVER DE TODOS

INSERÇÃO DE PROFISSIONAIS DEFICIENTES NO MERCADO DE TRABALHO: UM DEVER DE TODOS CAFÉ SENSORIAL INSERÇÃO DE PROFISSIONAIS DEFICIENTES NO MERCADO DE TRABALHO: UM DEVER DE TODOS O Café Sensorial é um projeto da Fecomerciários, em parceria com os Sindicatos dos Comerciários e Sinprafarmas,

Leia mais

PROJETO DE VIVÊNCIA 2016.1

PROJETO DE VIVÊNCIA 2016.1 FACULDADE PIO DÉCIMO LICENCIATURA EM QUÍMICA ENSINO DE QUÍMICA ÁREA 4 PROF a MARIA ANTÔNIA ARIMATÉIA FREITAS QUESTÃO 01 Com base na projeção da população brasileira para o período 2010-2040 apresentada

Leia mais

Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação

Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação Deficiência Deficiência Estabelecidos pelo Decreto Federal 3.298 de 20 de dezembro de 1999 (art. 3º, I e 4 ), que foi alterado pelo Decreto 5.296 de 02 de dezembro de 2004. É todo e qualquer comprometimento

Leia mais

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 2597, DE 22 DE SETEMBRO DE 2003. Regulamenta a Lei n.º 8.160, de 31 de março de 2003, que dispõe sobre a Política Municipal de Atenção às Pessoas

Leia mais

I Fórum Municipal de Autismo, Acessibilidade e Mobilidade Territorial PROGRAMA DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA

I Fórum Municipal de Autismo, Acessibilidade e Mobilidade Territorial PROGRAMA DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA I Fórum Municipal de Autismo, Acessibilidade e Mobilidade Territorial PROGRAMA DE APOIO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA OBJETIVO Proporcionar aos trabalhadores com deficiência a obtenção e a manutenção do emprego,

Leia mais

CADERNO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA

CADERNO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Prefeitura Municipal de Otacílio Costa Secretaria Municipal de Educação de Otacílio Costa Departamento de Educação Especial CADERNO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2 RELATO DE EXPERIÊNCIA DE UM PROJETO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA ESTADUAL AUGUSTO CARNEIRO DOS SANTOS Keegan Bezerra Ponce Escola Estadual Augusto Carneiro dos Santos RESUMO Ao exercer seu papel social,

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA ACESSIBILIDADE NA ESCOLA ESPECIAL HELEN KELLER CAXIAS DO SUL

PROJETO DE PESQUISA ACESSIBILIDADE NA ESCOLA ESPECIAL HELEN KELLER CAXIAS DO SUL UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL CENTRO DE FILOSOFIA E EDUCAÇÃO PROJETO NOSSA ESCOLA PESQUISA SUA OPINIÃO - PÓLO RS CURSO ESCOLA E PESQUISA: UM ENCONTRO POSSÍVEL ELENISE PEREIRA PROJETO DE PESQUISA ACESSIBILIDADE

Leia mais

EMENTAS DE DISCIPLINAS - BACHARELADO NÍVEL I

EMENTAS DE DISCIPLINAS - BACHARELADO NÍVEL I EMENTAS DE DISCIPLINAS - BACHARELADO 31157-04 Anatomia Humana NÍVEL I Estudo sobre a estruturação do organismo humano com ênfase nas características morfológicas dos sistemas anatômicos respiratório, cardiovascular,

Leia mais

VSB-Acess. Natureza e Objetivo: Ações da VSB - Acess envolvem: Público-Alvo:

VSB-Acess. Natureza e Objetivo: Ações da VSB - Acess envolvem: Público-Alvo: Titulo 1 VSB-Acess Natureza e Objetivo: Organização Sem Fins Econômicos, Captadora de Recursos para Execução de Projetos em Acessibilidade, Inclusão Social e Sustentabilidade Ações da VSB - Acess envolvem:

Leia mais

TdB e Vez da Voz por um mundo mais inclusivo. vez. dobem

TdB e Vez da Voz por um mundo mais inclusivo. vez. dobem TdB e Vez da Voz por um mundo mais inclusivo vez dobem ÍNDICE: 3 4 7 10 12 INTRODUÇÃO DEFICIÊNCIA AUDITIVA DEFICIÊNCIA VISUAL DEFICIÊNCIA FÍSICA DEFICIÊNCIA INTELECTUAL A TdB, em parceria com a ONG Vez

Leia mais

Módulo II - Teórico TEXTO 3: SURDEZ, FUNÇÕES COGNITIVAS E LIBRAS

Módulo II - Teórico TEXTO 3: SURDEZ, FUNÇÕES COGNITIVAS E LIBRAS 1 1 Módulo II - Teórico TEXTO 3: SURDEZ, FUNÇÕES COGNITIVAS E LIBRAS Rosimar Bortolini Poker A principal conseqüência da surdez refere-se aos prejuízos na comunicação natural dos sujeitos surdos que atingem

Leia mais

Educação Online: um caminho para inclusão de Pessoas com Deficiência na sociedade. Janae Gonçalves Martins 1 Andréa Miranda 2 Fernando José Spanhol 3

Educação Online: um caminho para inclusão de Pessoas com Deficiência na sociedade. Janae Gonçalves Martins 1 Andréa Miranda 2 Fernando José Spanhol 3 Educação Online: um caminho para inclusão de Pessoas com Deficiência na sociedade Janae Gonçalves Martins 1 Andréa Miranda 2 Fernando José Spanhol 3 1 Universidade do Vale do Itajaí UNIVALI janaegm@univali.br

Leia mais

Política Nacional de Educação Especial, na perspectiva da Educação Inclusiva (2008)

Política Nacional de Educação Especial, na perspectiva da Educação Inclusiva (2008) Política Nacional de Educação Especial, na perspectiva da Educação Inclusiva (2008) Público-alvo da Educação Especial Alunos com: surdez deficiência física, intelectual cegueira, baixa visão, surdocegueira

Leia mais

DIÁRIODAREPÚBLICA ÓRGÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DE ANGOLA SUMÁRIO. Presidente da República PRESIDENTE DA REPÚBLICA. ISérie N.º11

DIÁRIODAREPÚBLICA ÓRGÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DE ANGOLA SUMÁRIO. Presidente da República PRESIDENTE DA REPÚBLICA. ISérie N.º11 Terça-feira,18deJaneirode2011 ISérie N.º11 DIÁRIODAREPÚBLICA ÓRGÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DE ANGOLA Preço deste número Kz: 160,00 Toda a correspondência, quer oficial, quer relativa a anúncio e assinaturas

Leia mais

A EDUCAÇÃO DOS SURDOS: UMA ANÁLISE HISTÓRICO-CRÍTICA RESUMO

A EDUCAÇÃO DOS SURDOS: UMA ANÁLISE HISTÓRICO-CRÍTICA RESUMO A EDUCAÇÃO DOS SURDOS: UMA ANÁLISE HISTÓRICO-CRÍTICA Mayara Cordeiro da Silva ( UFAL) Mayaracordeiro4@gmail.com Rebecca Thamyres de Missena Costa( UFAL) rebecca.ufal@gmail.com RESUMO Muito vem sendo discutido

Leia mais

ANEXO IV QUESTIONÁRIO TEMÁTICO

ANEXO IV QUESTIONÁRIO TEMÁTICO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL M I N I S T É R I O D A E D U C A Ç Ã O INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO, CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO COORDENAÇÃO DE PROJETOS EDUCACIONAIS

Leia mais

FERREIRO, Emilia e TEBEROSKY, Ana. Psicogênese da Língua Escrita. ArtmedEditora. Porto Alegre. 1999.

FERREIRO, Emilia e TEBEROSKY, Ana. Psicogênese da Língua Escrita. ArtmedEditora. Porto Alegre. 1999. Bibliografias úteis Alfabetização FERREIRO, Emilia e TEBEROSKY, Ana. Psicogênese da Língua Escrita. ArtmedEditora. Porto Alegre. 1999. SOARES, Magda B. Alfabetização e letramento: caminhos e descaminhos....alfabetização

Leia mais

TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO. Escrito por Romeu Kazumi sassaki Dom, 18 de Setembro de :00

TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO. Escrito por Romeu Kazumi sassaki Dom, 18 de Setembro de :00 1 de 11 07/09/2011 13:06 TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO Escrito por Romeu Kazumi sassaki Dom, 18 de Setembro de 2005 03:00 TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * Romeu Kazumi

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA. Porque [...] temos direito à diferença, quando a igualdade nos descaracteriza. (Boaventura de Souza Santos)

EDUCAÇÃO INCLUSIVA. Porque [...] temos direito à diferença, quando a igualdade nos descaracteriza. (Boaventura de Souza Santos) EDUCAÇÃO INCLUSIVA Porque [...] temos direito à diferença, quando a igualdade nos descaracteriza. (Boaventura de Souza Santos) O QUE É INCLUSÃO? Inclusão é o privilégio de conviver com as diferenças. É

Leia mais

Organização do Atendimento Educacional Especializado nas Salas de Recursos Multifuncionais

Organização do Atendimento Educacional Especializado nas Salas de Recursos Multifuncionais Organização do Atendimento Educacional Especializado nas Salas de Recursos Multifuncionais Fonte: MEC/SEE - Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva O que é a Educação

Leia mais

Fundamentos e Práticas em Libras II

Fundamentos e Práticas em Libras II Fundamentos e Práticas em Libras II Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO. Responsabilidade social e acessibilidade no ensino superior: a trajetória do UniCEUB

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO. Responsabilidade social e acessibilidade no ensino superior: a trajetória do UniCEUB RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO Responsabilidade social e acessibilidade no ensino superior: a trajetória do UniCEUB 1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL 1.1. Histórico da prática eficaz Desde 1988, o Centro

Leia mais

ENSINO DE CIÊNCIAS PARA SURDOS UMA INVESTIGAÇÃO COM PROFESSORES E INTÉRPRETES DE LIBRAS.

ENSINO DE CIÊNCIAS PARA SURDOS UMA INVESTIGAÇÃO COM PROFESSORES E INTÉRPRETES DE LIBRAS. ENSINO DE CIÊNCIAS PARA SURDOS UMA INVESTIGAÇÃO COM PROFESSORES E INTÉRPRETES DE LIBRAS. OLIVEIRA, Walquíria Dutra de. BENITE, Anna M. Canavarro. Mestrado em Educação em Ciências e Matemática UFG walzinha19@gmail.com

Leia mais

ROTEIRISTA GRAVAÇÃO TÍTULO TEMPO Cris Boragan a definir Diadema: Educação Inclusiva a Todos 10 minutos

ROTEIRISTA GRAVAÇÃO TÍTULO TEMPO Cris Boragan a definir Diadema: Educação Inclusiva a Todos 10 minutos Lauda 01 1ª parte abertura ( 30 Take 1: montagem de imagens com diversas crianças indo para a escola/ intercalar cada imagem com fade como nos traillers de cinema (lembrar para não identificarmos as crianças

Leia mais

Como lidar com alunos com necessidades especiais?

Como lidar com alunos com necessidades especiais? Como lidar com alunos com necessidades especiais? Ao decorrer deste e-book gratuito, você verá 26 dicas incríveis para aprimorar o seu relacionamento em sala de aula com alunos que possuem necessidades

Leia mais

Gestão do Desenvolvimento Inclusivo da Escola Módulo I

Gestão do Desenvolvimento Inclusivo da Escola Módulo I Gestão do Desenvolvimento Inclusivo da Escola Módulo I ESCLARECENDO ALGUNS CONCEITOS... Acessibilidade: Costuma ser associada apenas a questões físicas e arquitetônicas, mas expressa um conjunto de dimensões

Leia mais

ACESSIBILIDADE: UM DESAFIO

ACESSIBILIDADE: UM DESAFIO ACESSIBILIDADE: UM DESAFIO Material de apoio ao Fórum Acessibilidade e Pessoas com Deficiência 16 a 20 de março de 2015 Apoio: Banco do Brasil, Fundação Bando do Brasil, Fiocruz, Furnas, Eletronuclear,

Leia mais

INCLUSÃO: TEORIA E REALIDADE NO MUNICÍPIO DE SÃO BENTO DO SUL

INCLUSÃO: TEORIA E REALIDADE NO MUNICÍPIO DE SÃO BENTO DO SUL INCLUSÃO: TEORIA E REALIDADE NO MUNICÍPIO DE SÃO BENTO DO SUL Resumo Vitor Alves UFSC vituxo_17fev@hotmail.com Eixo Temático: Diversidade e Inclusão Agência Financiadora: Não contou com financiamento.

Leia mais

Objetivos. Introdução. Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz. Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros

Objetivos. Introdução. Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz. Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros Objetivos Apresentar a discussão atual sobre a primeira língua dos surdos: a língua de sinais;

Leia mais

TODOS JUNTOS POR UM BRASIL MAIS ACESSÍVEL O MP E A PESSOA COM DEFICIÊNCIA

TODOS JUNTOS POR UM BRASIL MAIS ACESSÍVEL O MP E A PESSOA COM DEFICIÊNCIA TODOS JUNTOS POR UM BRASIL MAIS ACESSÍVEL O MP E A PESSOA COM DEFICIÊNCIA TODOS JUNTOS POR UM BRASIL MAIS ACESSÍVEL O MP E A PESSOA COM DEFICIÊNCIA Brasília 2013 CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

Leia mais

Atendimento Educacional Especializado - AEE

Atendimento Educacional Especializado - AEE Atendimento Educacional Especializado - AEE Segundo o texto da Política de Educação Especial, na Perspectiva Inclusiva SEESP/MEC; 01/2008 Educação Especial É uma modalidade de ensino que perpassa todos

Leia mais

Questão 1: SignWriting é:

Questão 1: SignWriting é: Questão 1: SignWriting é: a) um método criado na Comunicação Total para o ensino de surdos. b) um sistema de escrita visual direta de sinais. c) um conjunto de sinais dados para gestos icônicos. d) nome

Leia mais

Ministério do Esporte

Ministério do Esporte INCLUSÃO, GÊNERO E DEFICIÊNCIA Ministério do Esporte Objetivo Geral do PST... Democratizar o acesso ao esporte educacional de qualidade, como forma de inclusão social, ocupando o tempo ocioso de crianças

Leia mais

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO Jessica Fernanda Gonçalves Graduanda em Administração Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Mariane Pereira Graduanda em Administração Faculdades

Leia mais

O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento de Interação e comunicação de pessoas com surdocegueira e com deficiência múltipla sensorial

O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento de Interação e comunicação de pessoas com surdocegueira e com deficiência múltipla sensorial O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento de Interação e comunicação de pessoas com surdocegueira e com deficiência múltipla sensorial 1 O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento

Leia mais

PESSOA COM DEFICIENCIA VISUAL E EDUCAÇÃO A DISTANCIA: POSSIBILIDADES E ADVERSIDADES

PESSOA COM DEFICIENCIA VISUAL E EDUCAÇÃO A DISTANCIA: POSSIBILIDADES E ADVERSIDADES PESSOA COM DEFICIENCIA VISUAL E EDUCAÇÃO A DISTANCIA: POSSIBILIDADES E ADVERSIDADES Eurides Miranda Edna Aparecida Carvalho Pacheco Diego de Morais Batista Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM

Leia mais

TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * Romeu Kazumi Sassaki **

TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * Romeu Kazumi Sassaki ** TERMINOLOGIA SOBRE DEFICIÊNCIA NA ERA DA INCLUSÃO * Romeu Kazumi Sassaki ** * SASSAKI, Romeu Kazumi. Terminologia sobre deficiência na era da inclusão. In: VIVARTA, Veet (coord.). Mídia e deficiência.

Leia mais

A PESSOA COM DEFICIENCIA E O TRABALHO APAMT 25-10 - 2014

A PESSOA COM DEFICIENCIA E O TRABALHO APAMT 25-10 - 2014 A PESSOA COM DEFICIENCIA E O TRABALHO APAMT 25-10 - 2014 PERIODIZAÇÃO DA HISTÓRIA IDADE ANTIGA 4000AC A 476 DC (Queda do Império Romano do Ocidente) IDADE MÉDIA 476 DC A 1453 (Queda do Império Romano do

Leia mais

0 BRASIL: altura que varia entre 70cm e 1,40m.

0 BRASIL: altura que varia entre 70cm e 1,40m. 0 CONDIÇÃO: Antigamente nanismo, atualmente baixa estatura 0 INDIVÍDUO: Antigamente anão, atualmente pessoa de baixa estatura 0 Em alguns poucos países: pessoas pequenas ( little people, em inglês), como

Leia mais

LIBRAS E A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM PARA SURDOS

LIBRAS E A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM PARA SURDOS LIBRAS E A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM PARA SURDOS Sonia Maria Dechandt Brochado (orientadora- UENP) Mariana Matheus Pereira da Silva (G- UENP/ campus Jac.) Introdução A língua é o instrumento fundamental para

Leia mais

O PROCESSO DE INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: UM ESTUDO DE METODOLOGIAS FACILITADORAS PARA O PROCESSO DE ENSINO DE QUÍMICA

O PROCESSO DE INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: UM ESTUDO DE METODOLOGIAS FACILITADORAS PARA O PROCESSO DE ENSINO DE QUÍMICA O PROCESSO DE INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: UM ESTUDO DE METODOLOGIAS FACILITADORAS PARA O PROCESSO DE ENSINO DE QUÍMICA Bruna Tayane da Silva Lima; Eduardo Gomes Onofre 2 1 Universidade Estadual

Leia mais

Portaria 002/2012. O Secretário Municipal de Educação, no uso de suas atribuições, e considerando os preceitos legais que regem a Educação Especial:

Portaria 002/2012. O Secretário Municipal de Educação, no uso de suas atribuições, e considerando os preceitos legais que regem a Educação Especial: Portaria 002/2012 Estabelece normas para o exercício dos profissionais do magistério, detentores dos cargos de Agentes de Apoio em Educação Especial, de natureza pedagógica e as de cuidar, no Atendimento

Leia mais

Restabelecimento do BPC após s rescisão do contrato de trabalho

Restabelecimento do BPC após s rescisão do contrato de trabalho Audiência Pública no Senado Federal Subcomissão Permanente de Assuntos Sociais das Pessoas com Deficiência, da Comissão de Assuntos Sociais Restabelecimento do BPC após s rescisão do contrato de trabalho

Leia mais

FUNDAMENTOS E PRESSUPOSTOS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE QUÍMICA Claudio Roberto Machado BENITE; Anna Maria Canavarro

FUNDAMENTOS E PRESSUPOSTOS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE QUÍMICA Claudio Roberto Machado BENITE; Anna Maria Canavarro FUNDAMENTOS E PRESSUPOSTOS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE QUÍMICA Claudio Roberto Machado BENITE; Anna Maria Canavarro BENITE Instituto de Química UFG claudio.benite@ueg.br Palavras-chave:

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA A inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais na Universidade de Brasília Tania Milca de Carvalho Malheiros A IMPORTÂNCIA DO TEMA: INCLUSÃO SOCIAL a inclusão social

Leia mais

A inclusão de pessoas portadoras de deficiências nas organizações como oportunidade para o desenvolvimento local

A inclusão de pessoas portadoras de deficiências nas organizações como oportunidade para o desenvolvimento local A inclusão de pessoas portadoras de deficiências nas organizações como oportunidade para o desenvolvimento local RESUMO Com a criação da Lei que estabelece cotas para a inclusão do profissional portador

Leia mais

Inclusão de Estudantes com Necessidades Educacionais Especiais no Ensino Superior

Inclusão de Estudantes com Necessidades Educacionais Especiais no Ensino Superior MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Inclusão de Estudantes com Necessidades Educacionais Especiais no Ensino Superior Prof. Francisco Ricardo Lins V. de Melo Departamento

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA Nº 001/2011 PREFEITURA MUNICIPAL DE LUZIÂNIA/GO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ANEXO I MODELO DO LAUDO MÉDICO

EDITAL DE ABERTURA Nº 001/2011 PREFEITURA MUNICIPAL DE LUZIÂNIA/GO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ANEXO I MODELO DO LAUDO MÉDICO EDITAL DE ABERTURA Nº 001/2011 ANEXO I MODELO DO LAUDO MÉDICO Ilma. Senhora, Antônia Siqueira dos Santos Presidente da Comissão Especial e Permanente do Concurso Público Eu,, inscrição nº., CPF nº. portador

Leia mais

ANÁLISE DO PROCESSO DE INCLUSÃO DE UM ALUNO SURDO NO ENSINO FUNDAMENTAL II

ANÁLISE DO PROCESSO DE INCLUSÃO DE UM ALUNO SURDO NO ENSINO FUNDAMENTAL II XIII CONGRESSO DE EDUCAÇÃO DO NORTE PIONEIRO Educação em perspectiva: caminhos para a transformação dos paradigmas educacionais UENP-CCHE-CLCA CAMPUS JACAREZINHO ANAIS 2013 ISSN 1808-3579 ANÁLISE DO PROCESSO

Leia mais

Comunicação e a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência

Comunicação e a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência Comunicação e a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência Patricia Almeida Jornalista Adotada 13/12/06 Brasil Assinatura 30/03/07 Ratificação por quórum qualificado em menos de 4 meses 21/09/0

Leia mais

AVALIAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA NO RGPS

AVALIAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA NO RGPS AVALIAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA NO RGPS Movimentos Sociais X Modelo biomédico Modelo biomédico: Estático; localizado ao corpo; Especialidade dos saberes centralidade

Leia mais

PROJETO DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL N.º, DE 2011 (Da Sra. Rosinha da Adefal)

PROJETO DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL N.º, DE 2011 (Da Sra. Rosinha da Adefal) PROJETO DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL N.º, DE 2011 (Da Sra. Rosinha da Adefal) Altera o art. 6º da Constituição Federal para incluir o direito à Acessibilidade entre os direitos e garantias fundamentais

Leia mais

ACESSIBILIDADES. boas práticas Boas práticas para auxiliar pessoas com necessidades especiais. 1. Deficiência visual

ACESSIBILIDADES. boas práticas Boas práticas para auxiliar pessoas com necessidades especiais. 1. Deficiência visual Boas práticas para auxiliar pessoas com necessidades especiais 1. Deficiência visual A deficiência visual é a perda ou redução da capacidade visual, com caráter definitivo. As limitações do campo visual

Leia mais

Convivendo com pessoas com deficiência. Um guia para facilitar suas relações no trabalho e na vida.

Convivendo com pessoas com deficiência. Um guia para facilitar suas relações no trabalho e na vida. Convivendo com pessoas com deficiência Um guia para facilitar suas relações no trabalho e na vida. Índice 3 4 5 6 7 8 8 10 10 11 15 19 23 27 28 29 30 31 33 Introdução Contextualizando Definição de deficiência

Leia mais

Princípios da educação inclusiva. Profa Me Luciana Andrade Rodrigues

Princípios da educação inclusiva. Profa Me Luciana Andrade Rodrigues Princípios da educação inclusiva Profa Me Luciana Andrade Rodrigues Objetivos - Pensar na imagem que nós temos do outro ; - Conversar sobre Estigma e preconceito; - Discutir sobre as estratégias a serem

Leia mais

TESTE SEU PODER DE INCLUSAO. Maria Teresa Eglér Mantoan

TESTE SEU PODER DE INCLUSAO. Maria Teresa Eglér Mantoan TESTE SEU PODER DE INCLUSAO Maria Teresa Eglér Mantoan Para esse breve exame, as regras são: 1. Colocar-se na condição dos professores(as) que aqui apresentaremos. 2. Escolher a alternativa que você adotaria

Leia mais

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO AEE E SURDOCEGUEIRA E DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO AEE E SURDOCEGUEIRA E DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA Aspectos Importantes para saber sobre Surdocegueira e DMU Shirley Rodrigues Maia Sobre Conceito, Definição e Terminologia A surdocegueira é uma terminologia adotada mundialmente para se referir a pessoas

Leia mais

CALENDÁRIO - PED PSICOMOTRICIDADE Grupo 095 - Abril/2012

CALENDÁRIO - PED PSICOMOTRICIDADE Grupo 095 - Abril/2012 informações: 1.º 2.º 3.º 5.º CALENDÁRIO - PED PSICOMOTRICIDADE Grupo 095 - Abril/2012 Estrutura do Calendário Antes de utilizar o Calendário do Curso, leia atentamente o Manual do Aluno de EAD para que

Leia mais

Programa de Promoção da Acessibilidade PPA

Programa de Promoção da Acessibilidade PPA Programa de Promoção da Acessibilidade PPA O que é o Programa de Promoção da Acessibilidade? É um programa institucional que tem como objetivo criar condições de acesso ao conhecimento as pessoas com deficiência

Leia mais

Por uma rede colaborativa

Por uma rede colaborativa PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DE CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Por uma rede colaborativa Mossoró - 2012 ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO

Leia mais

Acessibilidade: VOCÊ ESTÁ SENSÍVEL A ESSE TEMA? POR MARA GABRILLI

Acessibilidade: VOCÊ ESTÁ SENSÍVEL A ESSE TEMA? POR MARA GABRILLI Acessibilidade: VOCÊ ESTÁ SENSÍVEL A ESSE TEMA? POR MARA GABRILLI Quem é MARA GABRILLI... reabilitação, estudo, trabalho, inclusão... Quando eu ajudo a melhorar a vida de alguém, a minha vida melhora junto.

Leia mais

Portadores de Deficiência: pauta de discussão Marta Rovery de Souza Alguns dados são significativos para expressar a magnitude da situação das pessoas com deficiência. Segundo a Organização Mundial de

Leia mais