REGISTRO DE DADOS RGB-D EM AMBIENTES INDOOR COM REGIÕES POUCO TEXTURIZADAS. Daniel Rodrigues dos Santos1 Kourosh Khoshelham2 1 RESUMO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGISTRO DE DADOS RGB-D EM AMBIENTES INDOOR COM REGIÕES POUCO TEXTURIZADAS. Daniel Rodrigues dos Santos1 Kourosh Khoshelham2 1 RESUMO"

Transcrição

1 REGISTRO DE DADOS RGB-D EM AMBIENTES INDOOR COM REGIÕES POUCO TEXTURIZADAS Daniel Rodrigues dos Santos1 Kourosh Khoshelham2 1 Universidade Federal do Paraná Departamento de Geomática Programa de Pós Graduação em Ciências Geodésicas CEP Curitiba/PR-Brasil 2 University of Twente Faculty of Geo-information and Earth Observation Science Enschede-Netherlands RESUMO Neste trabalho é apresentado um método para registro de pares de nuvem de pontos 3D derivados de câmeras RGB-D em ambientes indoor. Esta técnica pode ser empregada em regiões pouco texturizadas, onde é impossível a extração de primitivas pontuais, assim como o uso de algoritmos baseados em abordagens ponto-a-plano ou plano-a-plano para registro de pares de nuvem de pontos. A principal características do método proposto é a ponderação da informação de profundidade no problema de otimização. Os resultados encontrados mostraram que podem ser obtidas precisões melhores que 3 cm no registro dos dados usando o método proposto. Palavras chaves: câmeras RGB-D, Registro de pares de nuvem de pontos 3D, Ambientes indoor. 1. INTRODUÇÃO O problema do registro de nuvem de pontos 3D é uma tarefa importante para diversas aplicações em fotogrametria e visão computacional, tais como, localização e mapeamento 3D simultâneos, modelagem e reconstrução 3D, entre outras. O registro de nuvem de pontos consiste, basicamente, em determinar os parâmetros de rotação (R) e translação (T) entre os pares de nuvem de pontos 3D consecutivos, por intermédio de um modelo matemático rígido que estime a transformação entre o par de nuvem de pontos e uma função que minimize a distância entre as primitivas correspondentes. O método algoritmo mais difundido na comunidade científica é o ICP (Iterative Closest Point), sendo originalmente desenvolvido por Besl e McKay (1990). É importante notar que a eficiência do ICP depende da entrada de valores iniciais aproximados e a quantidade de pontos envolvidos pode onerar o tempo de processamento. Para melhorar a robustez e eficiência do ICP diversas variações baseadas em abordagens ponto-a-ponto, plano-a-plano, e ponto-a-plano (CHEN e MEDIONI, 1992; ZHANG, 1994; EGGERT et al., 1998; SEGAL et al., 2009 entre outros). Bendels et al. (2004) e May et al. (2009) integraram imagens RGB e de profundidade empregando o método SIFT (Scale Invariant Feature Transform), para produzir um descritor de características visuais que permita avaliações rápidas e altamente discriminatórias em relação à outras primitivas. Henry et al. (2012) propuseram nova variação do método ICP, conhecida como RGB-D ICP. A abordagem explora as vantagens das informações derivadas das imagens RGB e de profundidade. No entanto, para mapeamento 3D de ambientes indoor é muito comum encontrar regiões de pouca texturização, com padrões repetidos e/ou superfícies planas, tornando impossível a extração de primitivas pontuais e inviabilizando o emprego de algoritmos baseados em abordagens ponto-a-plano ou plano-a-plano para o registro de pares de nuvem de pontos, uma vez que um minimo de três planos não paralelos deve ser empregado para solucionar o problema de otimização. Neste trabalho é proposto um método para registro de pares de nuvem de pontos 3D em ambientes indoor com superfícies planas e pouco texturizadas. O método apresenta uma abordagem que divide a nuvem de pontos em células como padrão de organização para o estabelecimento automático das correspondências, uma proposta de ponderação dos 1

2 pontos 3D correspondentes e o registro dos pares de nuvem de pontos usando o modelo de corpo rígido 3D, juntamente com o método dos mínimos quadrados (MMQ) para estimativa dos parâmetros de rotação e translação. Vale ressaltar que os dados são adquiridos com câmeras RGB-D (dispositivo Kinect). Tal dispositivo é composto por três sensores, isto é, dois sensores CMOS (Complementary metal-oxide-semicondutor) que registram energia eletromagnética na faixa do espectro correspondente ao visível (câmera RGB) e infravermelho (câmera IR), e um emissor laser infravermelho, podendo capturar cenas com 640x480 pixels em uma taxa de 30 quadros por segundo (fps). Cada quadro (frame) capturado pode conter até pontos, cuja precisão é da ordem de 3 cm a cada 3 m, com campo de visão de ~60 graus para sensores com distância media de aquisição inferior a 7 m. Este trabalho está organizado da seguinte forma: na seção 1 uma breve introdução é apresentada; a seção 2 descreve o método proposto; a seção 3 apresenta os experimentos e os resultados são discutidos; e na seção 4 são apontadas as conclusões e as recomendações futuras. 2. MÉTODO O método proposto está divido em 3 etapas principais, a saber: Aquisição dos dados e geração da nuvem de pontos 3D; Estabelecimento automático das correspondências e detecção de outliers; Ponderação das coordenadas Z de cada ponto correspondente e estimativa dos parâmetros. No dispositivo Kinect, o sensor LASER emite um pulso que é espalhado na superfície de referência (plano referencial) em forma de padrão de luz estruturada. Assumindo que um objeto está no plano referencial do padrão de luz estruturada a uma distância Zo do sensor, e um ponto P do padrão de luz estruturada foi projetado na superfície física, o mesmo também é registrado no plano focal da câmera IR. Se o objeto está próximo (ou distante) do sensor, a posição do ponto P no plano focal IR será deslocada na direção do eixo X. Esta é a medida de paralaxe (d) obtida no espaço imagem correspondente ao ponto P no espaço objeto. Com as informações das medidas de paralaxe pode-se obter a nuvem de pontos 3D usando as equações propostas em Khoshelham e Ouder Elberink (2012), como segue: Zk = Z0 Z 1+ 0 d cb Zk X k = ( x ' + x o + dx) c Zk Y k = ( y ' + y o +dy) c (1) (2) (3) sendo, x', y' as fotocoordenadas do ponto imagem (observadas no plano focal da câmera IR), x o yo são as coordenadas do ponto principal e dx e dy os coeficientes de distorção das lentes, denota a distância do ponto P no espaço objeto ao sensor, b é a linha de base, c a distância focal da câmera IR, Xk, Yk e Zk são as coordenadas tridimensionais de um P no espaço-objeto. Vale ressaltar que os parâmetros Zo, b e c devem ser devidamente obtidos por um processo de calibração de câmeras (maiores detalhes ver KHOSHELHAM e OUDER ELBERINK, 2012). Neste trabalho é proposto um método para reduzir o tempo de processamento e organizar o processo de estabelecimento de correspondências. Considere um par de imagens IR obtidas com o dispositivo Kinect. A primeira imagem é regularmente dividida em células de dimensão mxm e para cada célula são calculadas as coordenadas XYZ e seu respectivo centroide (q). Como resultado tem-se um conjunto de centroides correspondente a nuvem de pontos de referencia. Para obtenção da nuvem de pontos corrente as equações (1)-(3) são empregadas sobre as fotocoordenadas de cada ponto na segunda imagem IR. Vale ressaltar que a nuvem de pontos corrente não é dividida em células e um conjunto de p pontos é então obtido. Para estabelecer as correspondências entre os centroides de cada célula na nuvem de pontos de referencia (qi) e o conjunto de pontos da nuvem de pontos corrente (p i) é calculada a distancia euclidiana e para um determinado centroide seu correspondente é o ponto mais próximo. Como resultado tem-se um conjunto de pontos correspondentes obtido de forma rápida e organizada, evitando falsos positivos. Outra fator importante é a detecção de outliers. Neste trabalho, distancias e variações angulares entre as linhas retas que ligam os pontos correspondentes inferiores a um limiar pré definido são considerados outliers e removidos do processamento. Dado um conjunto de pontos correspondentes, um modelo matemático rigoroso deve ser elaborado para determinar os parâmetros de rotação e translação entre o par de nuvem de pontos 3D. O modelo empregado neste trabalho minimiza a soma dos erros (E) como segue: 2

3 n E j= Pi X i, j 1 ( R X i, j +T ) (4) i=1 sendo, X i, j 1 e X i, j as coordenadas dos pontos correspondentes nas nuvens de pontos de referencia (i) e corrente (j), Pij é peso associado ao par de pontos ij, T é o vetor dos parâmetros de translação tx, ty, tz e R a matriz dos parâmetros de rotação em função dos ângulos de Euler ( ω, ϕ, κ ). Neste caso, os pesos são definidos para todo par de pontos correspondentes (inliers) baseado na precisão teórica das coordenadas de profundidade (Z). Aplicando a propagação de covariâncias nas Equações (1)-(3) e fazendo algumas manipulações matemáticas obtém-se a ponderação como proposto por Khoshelham et al. (2013). A Equação (4) não é linear e envolve 6 parâmetros a serem determinados pelo MMQ. Neste caso, deve ser aplicado o modelo paramétrico não linear (GEMAEL, 1994). Vale ressaltar que, assim como o ICP, o método proposto é iterativo. Ou seja, cada vez que os parâmetros de rotação e translação são estimados pelo MMQ uma nova nuvem de pontos 3D corrente é obtida, ou seja, para cada iteração, o algoritmo implementado trabalha da seguinte forma a saber: 1. Encontra a correspondência entre os centroides na nuvem de pontos de referencia e os pontos na nuvem de pontos corrente através do calculo da distancia euclidiana; 2. Atribui pesos aos pontos correspondentes; 3. Determina o alinhamento entre o par de nuvem de pontos; 4. Regenera a nuvem de pontos 3D corrente empregando os parâmetros estimados; 5. Os passos 1-4 são repetidos até que o erro médio quadrático da discrepância dos valores seja inferior a um limiar pré definido ou o número de iterações seja superior ao número máximo de iterações definida; 6. Finalmente, é obtido um par de nuvem de pontos 3D com minimas diferenças angulares e posicionais, de forma rápida e precisa. 3. EXPERIMENTO E ANÁLISE DOS RESULTADOS Um experimento foi conduzido para avaliar o método proposto neste trabalho. Os algoritmos foram implementados em linguagem de programação C/C++ MinGW para Linux e os resultados são visualizados através das ferramentas de visualização implementadas na biblioteca computacional open-source, conhecida como PCL (Point Cloud Library) e VTK (Visualization ToolKit). A Figura 1 mostra o par de imagens usado para validar o experimento discutido neste trabalho. Vale ressaltar que para cada imagem RGB existe uma imagem IR e a nuvem de pontos deve ser obtida usando as equações apresentadas na seção 2. Figura 1. Superfícies pouco texturizadas em ambiente indoor. Como pode ser observado na Figura 1 todas as superfícies presentes nos ambientes mapeados são pouco texturizadas, assim como em nenhum dos casos pode-se detectar três planos não colineares. Para cada par de nuvem de pontos 3D são executadas as etapas 1-6 apresentadas na seção 2. A Figura 2 mostra os resultados obtidos para o par de nuvem de pontos. 3

4 (a) (c) (b) (d) (e) Fig. 1 - resultados obtidos para o par de nuvem de pontos 3D. (a) Vista frontal do par de nuvem de pontos antes do registro; (b) Vista aérea do par de nuvem de pontos antes do registro; (c) Pontos correspondentes da 1a. Iteração; (d) Vista frontal do par de nuvem de pontos depois do registro; (e) Vista aérea do par de nuvem de pontos depois do registro. Neste experimento foram usados como limiares de distancia minima e variação angular entre as linhas retas que ligam os pontos correspondentes 2,5 cm e 90 graus, respectivamente. Como pode ser observado na Figuras 1a e 1b o desalinhamento do par de nuvem de pontos 3D é relativamente grande, uma vez que a aquisição dos dados foi realizada com um dispositivo Kinect cuja taxa de aquisição é inferior a 15 quadros por segundo. Na Figura 1c pode-se verificar visualmente que as correspondências estabelecidas são coerentes e a medida que os parâmetros de rotação e translação são corrigidos, o número de falsos positivos diminui e o número de inliers pode aumentar. As Figuras 1d e 1e mostram que o método proposto registra adequadamente um par de nuvem de pontos em uma região pouco texturizada. No entanto, o alinhamento não é perfeito, uma vez que os dados Kinect são bastante ruidosos em função da baixa qualidade dos sensores integrados no sistema e os próprios objetos que compõem a cena, tais como, os objetos plásticos, objetos pintados de preto e superfícies especulares. No ambiente tratado, neste experimento, pode-se encontrar objetos plásticos, objetos pintados de preto. Isto também propicia uma nuvem de pontos incompleta. O Gráfico 1 mostra o erro médio quadrático (rms) dos resíduos calculados para cada iteração. 4

5 Gráfico 1. Erro médio quadrático dos resíduos de cada iteração. Como esperado o rms dos resíduos diminui conforme aumenta o número de iterações (ver Gráfico 1). No entanto, na terceira iteração ocorre o oposto do esperado, seguido de uma caída abrupta do rms na quarta iteração. Isto pode ser explicado devido ao estabelecimento de falsos positivos. Como a detecção de outliers é uma tarefa complexa, erros como este podem ocorrer durante o processo de registro do par de nuvem de pontos. 4. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES Este trabalho apresentou um método de registro de pares de nuvens de pontos 3D derivados de câmeras RGBD em ambientes indoor. A principal características do método proposto é a ponderação da informação de profundidade no problema de otimização. Para investigar a potencialidade do método proposto foi realizado um experimento em ambiente indoor com regiões pouco texturizadas. O processo de correspondência ponto-a-ponto é feito de forma organizada e rápida, uma que a nuvem de pontos de referencia é dividia em células igualmente espaçadas. Duas restrições geométricas foram propostas para diminuir o número de falsos positivos, ou seja, a distancia minima e a variação angular das linhas retas que ligam os pontos correspondentes. Os resultados obtidos mostraram que a divisão da nuvem de pontos de referencia em células reduz drasticamente o tempo de processamento. A detecção e remoção de outliers é uma tarefa complexa e exige maiores investigações, uma vez que elas afetam a estimativa dos parâmetros e consequentemente o calculo do rms dos resíduos. De forma geral, o algoritmo implementado pode ser usado em qualquer tipo de ambiente indoor uma vez que não depende da correspondência entre pontos ou planos extraídos na nuvem de pontos, podendo-se afirmar que é um método robusto para fins de registro de nuvem de pontos 3D. O método também não requer aproximações iniciais. Em trabalhos futuros serão conduzidos investigações para abordagens ponto-a-plano no processo de registro dos pares de nuvem de pontos 3D, incluir novas restrições geométricas no processo de estabelecimento de correspondências e algoritmos de registro global a fim de evitar o acumulo de erros ao longo do processo. AGRADECIMENTOS Ao CNPq por concessão de bolsa de Produtividade em Pesquisa (processo no /2013-0). REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BENDELS, G.H., DEGENER, P., WAHL, R., K, M., e KLEIN, R., 2004, Image-based registration of 3D-range data using feature surface elements, Proceedings of the 5th International conference on Virtual Reality, Archaeology and Intelligent Cultural Heritage: Oudenaarde, Belgium, Eurographics Association, p BESL, P.J., e MCKAY, H.D., 1992, A method for registration of 3-D shapes: Pattern Analysis and Machine Intelligence, IEEE Transactions on, v. 14, p CHEN, Y., e MEDIONI, G., 1992, Object modelling by registration of multiple range images: Image Vision Comput., v. 10, p

6 DOLD, C., e BRENNER, C., 2006, registration of terrestrial laser scanner data using planar patches and image data, in Maas, H.-G., and Schneider, D., eds., ISPRS Comm. V Symposium Iamge Engineering and Vision Metrology, Volume XXXVI Part. 5, 25-27: Dresden, p EGGERT, D.W., FITZGIBBON, A.W., e FISHER, R.B., 1998, Simultaneous registration of multiple range views for use in reverse engineering of CAD models: Comput. Vis. Image Underst., v. 69, p HENRY, P., KRAININ, M., HERBST, E., REN, X., e FOX, D., 2010, RGB-D Mapping: Using Depth Cameras for Dense 3D Modeling of Indoor Environments, Symposium on Experimental Robotics (ISER). HENRY, P., KRAININ, M., HERBST, E., REN, X., e FOX, D., 2012, RGB-D mapping: Using Kinect-style depth cameras for dense 3D modeling of indoor environments: The International Journal of Robotics Research, v. 31, p KHOSHELHAM, K., e ELBERINK, S.O., 2012, Accuracy and Resolution of Kinect Depth Data for Indoor Mapping Applications: Sensors, v. 12, p KHOSHELHAM, K., DOS SANTOS, D.R. e VOSSELMAN, G., 2013, Generation and weighting of 3D point correspondences for improved registration of RGB-D data. In: ISPRS Annals Volume II-5/W2 : ISPRS Workshop laser scanning, November 2013, Antalya, Turkey / ed by M. Scaioni et al. Antalya: ISPRS, ISSN: pp MAY, S., DROESCHEL, D., HOLZ, D., FUCHS, S., MALIS, E., N., e HERTZBERG, J., 2009, Three-dimensional mapping with time-of-flight cameras: J. Field Robot., v. 26, p SEGAL, A., HAEHNEL, D., e THRUN, S., 2009, Generalized-icp, In Proc. of Robotics: Science and Systems (RSS), Volume 25, 26, 27. ZHANG, Z., 1994, Iterative point matching for registration of free-form curves and surfaces: Int. J. Comput. Vision, v. 13, p

Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D

Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D Servílio Souza de ASSIS 1,3,4 ; Izadora Aparecida RAMOS 1,3,4 ; Bruno Alberto Soares OLIVEIRA 1,3 ; Marlon MARCON 2,3 1 Estudante de Engenharia de

Leia mais

Visão Computacional e Realidade Aumentada. Trabalho 3 Reconstrução 3D. Pedro Sampaio Vieira. Prof. Marcelo Gattass

Visão Computacional e Realidade Aumentada. Trabalho 3 Reconstrução 3D. Pedro Sampaio Vieira. Prof. Marcelo Gattass Visão Computacional e Realidade Aumentada Trabalho 3 Reconstrução 3D Pedro Sampaio Vieira Prof. Marcelo Gattass 1 Introdução Reconstrução tridimensional é um assunto muito estudado na área de visão computacional.

Leia mais

MOLLIOREM: RECONSTRUÇÃO DO TÓRAX FEMININO

MOLLIOREM: RECONSTRUÇÃO DO TÓRAX FEMININO Departamento de Sistemas e Computação FURB Curso de Ciência da Computação Trabalho de Conclusão de Curso 2014/1 MOLLIOREM: RECONSTRUÇÃO DO TÓRAX FEMININO Acadêmico: Marina Uliano Marina.miyu@gmail.com

Leia mais

UNIVERSIDADE F EDERAL DE P ERNAMBUCO ANÁLISE DE UM MÉTODO PARA DETECÇÃO DE PEDESTRES EM IMAGENS PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE F EDERAL DE P ERNAMBUCO ANÁLISE DE UM MÉTODO PARA DETECÇÃO DE PEDESTRES EM IMAGENS PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE F EDERAL DE P ERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA 2010.2 ANÁLISE DE UM MÉTODO PARA DETECÇÃO DE PEDESTRES EM IMAGENS PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO Aluno!

Leia mais

PROPOSTA DE UMA ABORDAGEM HÍBRIDA PARA AVALIAÇÃO DA ACURÁCIA POSICIONAL INTERNA DE DADOS LIDAR AEROTRANSPORTADO

PROPOSTA DE UMA ABORDAGEM HÍBRIDA PARA AVALIAÇÃO DA ACURÁCIA POSICIONAL INTERNA DE DADOS LIDAR AEROTRANSPORTADO PROPOSTA DE UMA ABORDAGEM HÍBRIDA PARA AVALIAÇÃO DA ACURÁCIA POSICIONAL INTERNA DE DADOS LIDAR AEROTRANSPORTADO Gabriel Dresch 1 Daniel Rodrigues dos Santos 2 1 Diretoria de Serviço Geográfico dresch@dsg.eb.mil.br

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco

Universidade Federal de Pernambuco Universidade Federal de Pernambuco Graduação em Engenharia da Computação Centro de Informática 2D Feature Distance Estimation for Indoor Environments using 2D laser range data Proposta de Trabalho de Graduação

Leia mais

Registro Automático de Superfícies Usando Spin-Images

Registro Automático de Superfícies Usando Spin-Images Registro Automático de Superfícies Usando Spin-Images Thales Vieira UFAL / PUC-Rio / IMPA Adelailson Peixoto (orientador) UFAL Luiz Velho (orientador) IMPA Thomas Lewiner (orientador) PUC-Rio Resumo Este

Leia mais

Anais do XX Congresso Brasileiro de Automática Belo Horizonte, MG, 20 a 24 de Setembro de 2014

Anais do XX Congresso Brasileiro de Automática Belo Horizonte, MG, 20 a 24 de Setembro de 2014 RECONSTRUÇÃO A PARTIR DE MÚLTIPLOS REGISTROS DE NUVEM DE PONTOS RGB-D Edson K. Ueda Rogério Y. Takimoto Marco S. G. Tsuzuki Renato Vogelaar Thiago C. Martins Toshiyuki Gotoh Seiichiro Kagei Giulliano B.

Leia mais

Mapeamento de ambientes e processamento visual utilizando Kinect

Mapeamento de ambientes e processamento visual utilizando Kinect Mapeamento de ambientes e processamento visual utilizando Kinect Mário Alberto Cecchi Raduan Bolsista PIBIC/UFRJ Orientador: Adriano Joaquim de Oliveira Cruz, PhD Laboratório de Inteligência Computacional

Leia mais

Reabilitação e Reforço de Estruturas

Reabilitação e Reforço de Estruturas Mestrado em Engenharia Civil 2011 / 2012 Reabilitação e Reforço de Estruturas Aula 06: Métodos de inspecção e diagnóstico. 6.2. Aplicação da tecnologia laser scanning à reabilitação do espaço construído.

Leia mais

Segmentação de imagens tridimensionais utilizando o sensor Microsoft Kinect

Segmentação de imagens tridimensionais utilizando o sensor Microsoft Kinect Segmentação de imagens tridimensionais utilizando o sensor Microsoft Kinect Lucas Viana Barbosa 1 ; Wanderson Rigo 2 ; Manassés Ribeiro 3 INTRODUÇÃO Os sistemas de visão artificial vêm auxiliando o ser

Leia mais

Segmentação de imagens de profundidade por limiarização com morfologia matemática. Jorge Antonio Silva Centeno 1 Regina Tiemy Kishi 2

Segmentação de imagens de profundidade por limiarização com morfologia matemática. Jorge Antonio Silva Centeno 1 Regina Tiemy Kishi 2 Segmentação de imagens de profundidade por limiarização com morfologia matemática Jorge Antonio Silva Centeno 1 Regina Tiemy Kishi 2 Universidade Federal do Paraná - UFPR 1 Departamento de Geomática 2

Leia mais

CAPÍTULO I 1 INTRODUÇÃO 1.1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS

CAPÍTULO I 1 INTRODUÇÃO 1.1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS 20 CAPÍTULO I 1 INTRODUÇÃO 1.1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS A Fotogrametria é uma sub-área das Ciências Geodésicas e abrange grande parte de todo o processo de compilação de mapas. Atualmente, a Fotogrametria

Leia mais

IMPORTÂNCIA DE UM SISTEMA DE ACOMPANHAMENTO PARA A DIGITALIZAÇÃO DE OBJETOS UTILIZANDO SENSOR LASER

IMPORTÂNCIA DE UM SISTEMA DE ACOMPANHAMENTO PARA A DIGITALIZAÇÃO DE OBJETOS UTILIZANDO SENSOR LASER IMPORTÂNCIA DE UM SISTEMA DE ACOMPANHAMENTO PARA A DIGITALIZAÇÃO DE OBJETOS UTILIZANDO SENSOR LASER Werley Rocherter Borges Ferreira UFU, Universidade Federal de Uberlândia, Curso de Engenharia Mecatrônica,

Leia mais

6. Geometria, Primitivas e Transformações 3D

6. Geometria, Primitivas e Transformações 3D 6. Geometria, Primitivas e Transformações 3D Até agora estudamos e implementamos um conjunto de ferramentas básicas que nos permitem modelar, ou representar objetos bi-dimensionais em um sistema também

Leia mais

Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos

Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos Paula Rayane Mota Costa Pereira*, Josemar Rodrigues de Souza**, Resumo * Bolsista de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia SENAI CIMATEC,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ JOÃO HENRIQUE BECKER REGISTRO DE NUVENS DE PONTOS PROVENIENTES DE CÂMERA DE DISTÂNCIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ JOÃO HENRIQUE BECKER REGISTRO DE NUVENS DE PONTOS PROVENIENTES DE CÂMERA DE DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ JOÃO HENRIQUE BECKER REGISTRO DE NUVENS DE PONTOS PROVENIENTES DE CÂMERA DE DISTÂNCIA CURITIBA 2014 JOÃO HENRIQUE BECKER REGISTRO DE NUVENS DE PONTOS PROVENIENTES DE CÂMERA

Leia mais

Reconstrução de Objetos 3D utilizando Estruturas de Indexação Espacial com o Microsoft Kinect

Reconstrução de Objetos 3D utilizando Estruturas de Indexação Espacial com o Microsoft Kinect Reconstrução de Objetos 3D utilizando Estruturas de Indexação Espacial com o Microsoft Kinect Fernando Akio Araújo Yamada, Luciano Walenty Xavier Cejnog, Renan Augusto Dembogurski, Marcelo Bernardes Vieira,

Leia mais

ESTEREOSCOPIA. A reconstrução 3-D pode ser realizada em três condições

ESTEREOSCOPIA. A reconstrução 3-D pode ser realizada em três condições ESTEREOSCOPIA RECONSTRUÇÃO 3-D A reconstrução 3-D pode ser realizada em três condições CONHECIMENTO PRÉVIO RECONSTRUÇÃO 3-D A PARTIR DE DUAS VISTAS Parâmetros intrínsecos e Triangulação (coords. absolutas)

Leia mais

SCANNER DE TRIANGULAÇÃO LASER PARA PROTOTIPAGEM 3D

SCANNER DE TRIANGULAÇÃO LASER PARA PROTOTIPAGEM 3D SCANNER DE TRIANGULAÇÃO LASER PARA PROTOTIPAGEM 3D Autores: Evandro Francisco WEISS, Felipe Augusto SCHIQUETTI, Eduardo Bidese PUHL Identificação autores: Aluno da Ciência da Computação, Bolsista IFC Rio

Leia mais

Reconhecimento das Configurações de Mão da LIBRAS a Partir de Malhas 3D

Reconhecimento das Configurações de Mão da LIBRAS a Partir de Malhas 3D Reconhecimento das Configurações de Mão da LIBRAS a Partir de Malhas 3D Andres Jessé Porfirio Orientador: Prof. Dr. Daniel Weingaertner Universidade Federal do Paraná Sumário Introdução Abordagem Baseada

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. Herondino

Processamento de Imagem. Prof. Herondino Processamento de Imagem Prof. Herondino Sensoriamento Remoto Para o Canada Centre for Remote Sensing - CCRS (2010), o sensoriamento remoto é a ciência (e em certa medida, a arte) de aquisição de informações

Leia mais

[Fingerprint Recognition]

[Fingerprint Recognition] Mestrado em Engenharia de Segurança Informática Tecnologias Biométricas Pedro Santos santos.pmcm@gmail.com 12065 Filipe Vieira fil.vieira@gmail.com 12049 Rui Pereira ruipereira.eng@gmail.com 12061 Docente

Leia mais

Sistema de Controle de Acesso Baseado no Reconhecimento de Faces

Sistema de Controle de Acesso Baseado no Reconhecimento de Faces Sistema de Controle de Acesso Baseado no Reconhecimento de Faces Access Control System Based on Face Recognition Tiago A. Neves, Welton S. De Oliveira e Jean-Jacques De Groote Faculdades COC de Ribeirão

Leia mais

Prof. Responsável Wagner Santos C. de Jesus

Prof. Responsável Wagner Santos C. de Jesus Universidade do Vale do Paraíba Colégio Técnico Antônio Teixeira Fernandes Disciplina Desenho Técnico Aplicado a Segurança do Trabalho Material III-Bimestre Introdução e Conceito de CAD e Ferramentas,Primitivas

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nome:Daniel Oliveira de Lima Paper: Real-Time Shaded NC milling Display Tim Vam Hook - SIGGRAPH 86

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nome:Daniel Oliveira de Lima Paper: Real-Time Shaded NC milling Display Tim Vam Hook - SIGGRAPH 86 Universidade Federal do Rio de Janeiro Nome:Daniel Oliveira de Lima Paper: Real-Time Shaded NC milling Display Tim Vam Hook - SIGGRAPH 86 SIMULAÇÃO DE USINAGEM EM TEMPO REAL Motivação Problema Considerações

Leia mais

MODELAGEM DE EDIFICAÇÕES UTILIZANDO IMAGENS DE ALTIMETRIA

MODELAGEM DE EDIFICAÇÕES UTILIZANDO IMAGENS DE ALTIMETRIA MODELAGEM DE EDIFICAÇÕES UTILIZANDO IMAGENS DE ALTIMETRIA DANIEL RODRIGUES DOS SANTOS 1 ÁLVARO LIMA MACHADO 1 JORGE SILVA CENTENO 1 QUINTINO DALMOLIN 1 ANTONIO MARIA GARCIA TOMMASELLI 2 1 UFPR - Universidade

Leia mais

Controle Inteligente de Robôs Móveis Autônomos utilizando Sistemas Inteligentes

Controle Inteligente de Robôs Móveis Autônomos utilizando Sistemas Inteligentes Controle Inteligente de Robôs Móveis Autônomos utilizando Sistemas Inteligentes Aluno: Gabriel Lins Tenório Orientadoras: Roxana Jiménez e Marley Rebuzzi Vellasco Introdução A aplicação de robôs móveis

Leia mais

Pipeline de Visualização Câmara Virtual

Pipeline de Visualização Câmara Virtual Pipeline de Visualização Câmara Virtual Edward Angel, Cap. 5 Instituto Superior Técnico Computação Gráfica 2009/2010 1 Na última aula... Transformações Geométricas Composição de Transformações Deformação

Leia mais

Nuvens de pontos e modelos tridimensionais a partir de fotografias

Nuvens de pontos e modelos tridimensionais a partir de fotografias Nuvens de pontos e modelos tridimensionais a partir de fotografias José Alberto Gonçalves, jagoncal@fc.up.pt Colaboração de: Nelson Pires, Sérgio Madeira Workshop em Fotogrametria e Varrimento por Laser

Leia mais

Verificação de Impressões Digitais usando Algoritmos Genéticos

Verificação de Impressões Digitais usando Algoritmos Genéticos 1. Introdução Verificação de Impressões Digitais usando Algoritmos Genéticos Matheus Giovanni Pires, Fernando Vieira Duarte, Adilson Gonzaga Escola de Engenharia de São Carlos Universidade de São Paulo

Leia mais

FOTOGRAMETRIA DIGITAL. Rogério Mercandelle Santana Universidade Federal de Viçosa Departamento de Solos

FOTOGRAMETRIA DIGITAL. Rogério Mercandelle Santana Universidade Federal de Viçosa Departamento de Solos FOTOGRAMETRIA DIGITAL Rogério Mercandelle Santana Universidade Federal de Viçosa Departamento de Solos O que é Fotogrametria? A Fotogrametria é, segundo a American Society for Photogrammetry and Remote

Leia mais

MODELAGEM DIGITAL DE SUPERFÍCIES

MODELAGEM DIGITAL DE SUPERFÍCIES MODELAGEM DIGITAL DE SUPERFÍCIES Prof. Luciene Delazari Grupo de Pesquisa em Cartografia e SIG da UFPR SIG 2012 Introdução Os modelo digitais de superficie (Digital Surface Model - DSM) são fundamentais

Leia mais

VANT e fotogrammetria

VANT e fotogrammetria VANT e fotogrammetria Um piscar sobre a tecnologia Emanuele Traversari UFPE - 5 de Julho 2013 1 O que é um VANT O VANT é uma sigla para Veículo Aéreo Não Tripulado: é uma aeronave genérica, criada para

Leia mais

Comparação entre a Máscara de Nitidez Cúbica e o Laplaciano para Realce de Imagens Digitais

Comparação entre a Máscara de Nitidez Cúbica e o Laplaciano para Realce de Imagens Digitais Comparação entre a Máscara de Nitidez Cúbica e o Laplaciano para Realce de Imagens Digitais Wesley B. Dourado, Renata N. Imada, Programa de Pós-Graduação em Matemática Aplicada e Computacional, FCT, UNESP,

Leia mais

Geomática Aplicada à Engenharia Civil. 1 Fotogrametria

Geomática Aplicada à Engenharia Civil. 1 Fotogrametria Geomática Aplicada à Engenharia Civil 1 Fotogrametria Conceitos 2 Segundo Wolf (1983), a Fotogrametria pode ser definida como sendo a arte, a ciência e a tecnologia de se obter informações confiáveis de

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS MODELOS PONTUAIS DE DISTRIBUIÇÃO E SUA UTILIZAÇÃO NA SEGMENTAÇÃO E RECONHECIMENTO DE OBJECTOS EM IMAGENS

INTRODUÇÃO AOS MODELOS PONTUAIS DE DISTRIBUIÇÃO E SUA UTILIZAÇÃO NA SEGMENTAÇÃO E RECONHECIMENTO DE OBJECTOS EM IMAGENS Congreso de Métodos Numéricos en Ingeniería 2005 Granada, 4 a 7 de Julio, 2005 SEMNI, España 2005 INTRODUÇÃO AOS MODELOS PONTUAIS DE DISTRIBUIÇÃO E SUA UTILIZAÇÃO NA SEGMENTAÇÃO E RECONHECIMENTO DE OBJECTOS

Leia mais

Projeto de um Sistema Mecânico para Auxiliar o Implante Permanente de Sementes Radioativas em Tecidos Moles

Projeto de um Sistema Mecânico para Auxiliar o Implante Permanente de Sementes Radioativas em Tecidos Moles Universidade Federal de São João Del-Rei MG 26 a 28 de maio de 2010 Associação Brasileira de Métodos Computacionais em Engenharia Projeto de um Sistema Mecânico para Auxiliar o Implante Permanente de Sementes

Leia mais

36 Anais da Semana de Ciência e Tecnologia, Ouro Preto, v. 4, p. 1 120, 2012.

36 Anais da Semana de Ciência e Tecnologia, Ouro Preto, v. 4, p. 1 120, 2012. CONTROLE À DISTÂNCIA DE UM MOTOR UTILIZANDO RECURSOS DE VISÃO COMPUTACIONAL Matheus Henrique Almeida Nascimento 1, Gean Carlo Neves Correa 2, Cristiano Lúcio Cardoso Rodrigues 3 e Sílvia Grasiella Moreira

Leia mais

Tratamento da Imagem Transformações (cont.)

Tratamento da Imagem Transformações (cont.) Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE Tratamento da Imagem Transformações (cont.) Antonio G. Thomé thome@nce.ufrj.br Sala AEP/133 Tratamento de Imagens - Sumário Detalhado Objetivos Alguns

Leia mais

UM COMPOSITOR MUSICAL TANGÍVEL USANDO O ARTOOLKIT

UM COMPOSITOR MUSICAL TANGÍVEL USANDO O ARTOOLKIT UM COMPOSITOR MUSICAL TANGÍVEL USANDO O ARTOOLKIT Marcelo Fernandes França (Bolsista PIBIC/CNPq) Felipe Afonso de Almeida (Orientador) Davi D Andréa Baccan (Co-orientador) Instituto Tecnológico de Aeronáutica

Leia mais

Reconhecimento de marcas de carros utilizando Inteligência Artificial. André Bonna Claudio Marcelo Basckeira Felipe Villela Lourenço Richard Keller

Reconhecimento de marcas de carros utilizando Inteligência Artificial. André Bonna Claudio Marcelo Basckeira Felipe Villela Lourenço Richard Keller Reconhecimento de marcas de carros utilizando Inteligência Artificial André Bonna Claudio Marcelo Basckeira Felipe Villela Lourenço Richard Keller Motivação Análise estatística das marcas de carros em

Leia mais

USO DE NUVEM DE PONTOS LIDAR COMO SUBSÍDIO À ESTIMATIVA DE POTENCIAL FOTOVOLTÁICO. Edson Aparecido Mitishita Jorge Antonio Silva Centeno

USO DE NUVEM DE PONTOS LIDAR COMO SUBSÍDIO À ESTIMATIVA DE POTENCIAL FOTOVOLTÁICO. Edson Aparecido Mitishita Jorge Antonio Silva Centeno USO DE NUVEM DE PONTOS LIDAR COMO SUBSÍDIO À ESTIMATIVA DE POTENCIAL FOTOVOLTÁICO Edson Aparecido Mitishita Jorge Antonio Silva Centeno Universidade Federal do Paraná - UFPR Caixa Postal 19001, 81.531-990

Leia mais

Detecção e Rastreamento de Objetos coloridos em vídeo utilizando o OpenCV

Detecção e Rastreamento de Objetos coloridos em vídeo utilizando o OpenCV Detecção e Rastreamento de Objetos coloridos em vídeo utilizando o OpenCV Bruno Alberto Soares OLIVEIRA 1,3 ; Servílio Souza de ASSIS 1,3,4 ; Izadora Aparecida RAMOS 1,3,4 ; Marlon MARCON 2,3 1 Estudante

Leia mais

Avaliação de técnicas de seleção de quadros-chave na recuperação de informação por conteúdo visual

Avaliação de técnicas de seleção de quadros-chave na recuperação de informação por conteúdo visual Avaliação de técnicas de seleção de quadros-chave na recuperação de informação por conteúdo visual Shênia Salvador de Pinho, Kleber J. F. Souza Instituto de Ciências Exatas e Informática PUC Minas Guanhães,

Leia mais

SENSORIAMENTO REMOTO APLICADO AO CADASTRO URBANO

SENSORIAMENTO REMOTO APLICADO AO CADASTRO URBANO SENSORIAMENTO REMOTO APLICADO AO CADASTRO URBANO 04/04/2013 Leonardo Scharth Loureiro Silva Sumário 1 Fundamentos básicos de Sensoriamento Remoto 2 Levantamento aerofotogramétrico para fins de cadastro

Leia mais

Processamento digital de imagens. introdução

Processamento digital de imagens. introdução Processamento digital de imagens introdução Imagem digital Imagem digital pode ser descrita como uma matriz bidimensional de números inteiros que corresponde a medidas discretas da energia eletromagnética

Leia mais

Detecção em tempo real de movimentos de olhos e boca em um vídeo em cores

Detecção em tempo real de movimentos de olhos e boca em um vídeo em cores Detecção em tempo real de movimentos de olhos e boca em um vídeo em cores Daniel Ponciano dos Santos Barboza, Programa de Engenharia de Sistemas e Computação - PESC/COPPE Universidade Federal do Rio de

Leia mais

Auto-Calibração de Câmeras em Visão Estéreo

Auto-Calibração de Câmeras em Visão Estéreo Auto-Calibração de Câmeras em Visão Estéreo Israel de Morais Madalena, David Menotti PPGCC - Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação UFOP - Universidade Federal de Ouro Preto Ouro Preto, Minas

Leia mais

Algoritmos de Subtração Básica de Fundo

Algoritmos de Subtração Básica de Fundo Algoritmos de Subtração Básica de Fundo Leonardo Ronald Perin Rauta leonardorauta@univali.br UNIVALI Anita Maria da Rocha Fernandes anita.fernandes@univali.br UNIVALI Resumo:Algoritmos de subtração de

Leia mais

Curso de Computação Gráfica (CG) 2014/2- Unidade 1- Modelagem de objetos. Exercício 1 (individual) - Entrega: quarta 13/08

Curso de Computação Gráfica (CG) 2014/2- Unidade 1- Modelagem de objetos. Exercício 1 (individual) - Entrega: quarta 13/08 Curso de Computação Gráfica (CG) 2014/2- Unidade 1- Modelagem de objetos Exercício 1 (individual) - Entrega: quarta 13/08 Escolha um objeto entre os que possivelmente compõem uma clínica médica de exames

Leia mais

Representação de Imagens

Representação de Imagens Representação de Imagens Primitivas Gráficas As primitivas gráficas são os elementos básicos que formam um desenho. Exemplos: Ponto, segmento, polilinha, polígono, arco de elipse, etc. Primitivas já definidas

Leia mais

2.1.2 Definição Matemática de Imagem

2.1.2 Definição Matemática de Imagem Capítulo 2 Fundamentação Teórica Este capítulo descreve os fundamentos e as etapas do processamento digital de imagens. 2.1 Fundamentos para Processamento Digital de Imagens Esta seção apresenta as propriedades

Leia mais

Enquadramento e Conceitos Fundamentais

Enquadramento e Conceitos Fundamentais Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica Enquadramento e Conceitos Fundamentais Edward Angel, Cap. 1 Questão 9, exame de 29/06/11 [0.5v] Identifique e descreva os três

Leia mais

Sistema de Contagem, Identificação e Monitoramento Automático de Rotas de Veículos baseado em Visão Computacional

Sistema de Contagem, Identificação e Monitoramento Automático de Rotas de Veículos baseado em Visão Computacional Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Engenharia Curso de Graduação em Engenharia de Controle e Automação Sistema de Contagem, Identificação e Monitoramento Automático de Rotas de Veículos baseado

Leia mais

REFLEXÃO DA LUZ: ESPELHOS 412EE TEORIA

REFLEXÃO DA LUZ: ESPELHOS 412EE TEORIA 1 TEORIA 1 DEFININDO ESPELHOS PLANOS Podemos definir espelhos planos como toda superfície plana e polida, portanto, regular, capaz de refletir a luz nela incidente (Figura 1). Figura 1: Reflexão regular

Leia mais

Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais

Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais Esse documento é parte integrante do material fornecido pela WEB para a 2ª edição do livro Data Mining: Conceitos, técnicas, algoritmos, orientações

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE

Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE Processamento de Imagens Tratamento da Imagem - Filtros Antonio G. Thomé thome@nce.ufrj.br Sala AEP/033 Sumário 2 Conceito de de Filtragem Filtros

Leia mais

Cálculo do conjunto paralelo

Cálculo do conjunto paralelo Cálculo do conjunto paralelo Vamos usar letras maiúsculas A; B, etc para representar conjuntos e letras minusculas x, y, etc para descrever seus pontos. Vamos usar a notação x para descrever a norma de

Leia mais

Implementação de Algoritmo em PHP para Detecção de Faces em Imagens Estáticas

Implementação de Algoritmo em PHP para Detecção de Faces em Imagens Estáticas Implementação de Algoritmo em PHP para Detecção de Faces em Imagens Estáticas Helmiton Filho, Mikaelle Oliveira, Carlos Danilo Miranda Regis Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Leia mais

Uma avaliação estatística do problema de registro de imagens de profundidade usando o Kinect

Uma avaliação estatística do problema de registro de imagens de profundidade usando o Kinect Uma avaliação estatística do problema de registro de imagens de profundidade usando o Kinect João Marcelo Teixeira Bernardo Reis Samuel Macedo Judith Kelner Centro de Informática Universidade Federal de

Leia mais

Interpolação de Curvas de Nível por Difusão de Calor

Interpolação de Curvas de Nível por Difusão de Calor Interpolação de Curvas de Nível por Difusão de Calor ROBERTO DE BEAUCLAIR SEIXAS LUIZ HENRIQUE DE FIGUEIREDO CLAUDIO ANTONIO DA SILVA IMPA Instituto de Matemática Pura e Aplicada VISGRAF Laboratório de

Leia mais

Rastreamento de Componentes Conexas em Vídeo 3D para Obtenção de Estruturas Tridimensionais

Rastreamento de Componentes Conexas em Vídeo 3D para Obtenção de Estruturas Tridimensionais Rastreamento de Componentes Conexas em Vídeo 3D para Obtenção de Estruturas Tridimensionais Manuscrito número 21829 Resumo Este artigo apresenta um sistema que objetiva a geração de estruturas tridimensionais

Leia mais

Realidade Virtual e Aumentada Bruno Madeira Luiz Velho (orientador) Technical Report TR-10-01 Relatório Técnico. January - 10 - Janeiro

Realidade Virtual e Aumentada Bruno Madeira Luiz Velho (orientador) Technical Report TR-10-01 Relatório Técnico. January - 10 - Janeiro Laboratório VISGRAF Instituto de Matemática Pura e Aplicada Realidade Virtual e Aumentada Bruno Madeira Luiz Velho (orientador) Technical Report TR-10-01 Relatório Técnico January - 10 - Janeiro The contents

Leia mais

Simetria de Figuras Planas e Espaciais

Simetria de Figuras Planas e Espaciais Simetria de Figuras Planas e Espaciais Introdução A maioria das pessoas acreditam que a simetria está ligada mais a pensamentos sobre Arte e Natureza do que sobre Matemática. De fato, nossas ideias de

Leia mais

INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS DO SISTEMA LASER

INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS DO SISTEMA LASER INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS DO SISTEMA LASER Leonardo Ercolin Filho Engefoto Engenharia e Aerolevantamentos S.A. Consultoria de Pesquisas e Tecnologias leonardoercolin@engefoto.com.br Fone: +55 41 3071 4252

Leia mais

Leica Geosystems HDS High Definition Surveying Inovação, Tecnologia e Precisão

Leica Geosystems HDS High Definition Surveying Inovação, Tecnologia e Precisão Leica Geosystems HDS High Definition Surveying Inovação, Tecnologia e Precisão Seminário Geomática nas Obras de Engenharia e Infraestrutura 27 de Outubro de 2011, São Paulo Irineu da Silva Miguel Menegusto

Leia mais

8. Síntese de Imagens: Cálculo de Cor

8. Síntese de Imagens: Cálculo de Cor 8. Síntese de Imagens: Cálculo de Cor O processo de determinar a aparência (ou seja, a textura e a cor) das superfícies visíveis é chamado de shading. Essa aparência da superfície depende das propriedades

Leia mais

Um Método Projetivo para Cálculo de Dimensões de Caixas em Tempo Real

Um Método Projetivo para Cálculo de Dimensões de Caixas em Tempo Real Um Método Projetivo para Cálculo de Dimensões de Caixas em Tempo Real Leandro A. F. Fernandes 1, Manuel M. Oliveira (Orientador) 1 1 Instituto de Informática Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Leia mais

Introdução ao Processamento de Imagens

Introdução ao Processamento de Imagens Introdução ao PID Processamento de Imagens Digitais Introdução ao Processamento de Imagens Glaucius Décio Duarte Instituto Federal Sul-rio-grandense Engenharia Elétrica 2013 1 de 7 1. Introdução ao Processamento

Leia mais

2 Texturas com Relevo e Equações de Pré Warping

2 Texturas com Relevo e Equações de Pré Warping 2 Texturas com Relevo e Equações de Pré Warping A noção de warping de imagens é fundamental para o entendimento da técnica abordada nesta dissertação. Este capítulo apresenta definições formais para vários

Leia mais

Normalização Espacial de Imagens Frontais de Face

Normalização Espacial de Imagens Frontais de Face Normalização Espacial de Imagens Frontais de Face Vagner do Amaral 1 e Carlos Eduardo Thomaz 2 Relatório Técnico: 2008/01 1 Coordenadoria Geral de Informática Centro Universitário da FEI São Bernardo do

Leia mais

INTRODUÇÃO O QUE É VISÃO COMPUTACIONAL?

INTRODUÇÃO O QUE É VISÃO COMPUTACIONAL? INTRODUÇÃO O QUE É VISÃO COMPUTACIONAL? Sinônimo Visão Computacional =========== Visão de Máquinas Análise de Imagens, Análise de Cenas Image Understanding Oposto Visão Computacional =========== Computação

Leia mais

Deteção do Espaço Navegável para o ATLASCAR usando informação 3D

Deteção do Espaço Navegável para o ATLASCAR usando informação 3D Deteção do Espaço Navegável para o ATLASCAR usando informação 3D Diogo Artur Fonseca Matos Universidade de Aveiro Departamento de Engenharia Mecânica 16 de Julho 2013 Conteúdos 1 Introdução Apresentação

Leia mais

Análise e visualização de dados utilizando redes neurais artificiais auto-organizáveis

Análise e visualização de dados utilizando redes neurais artificiais auto-organizáveis Análise e visualização de dados utilizando redes neurais artificiais auto-organizáveis Adriano Lima de Sá Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia 20 de junho de 2014 Adriano L. Sá (UFU)

Leia mais

1 Descrição do Trabalho

1 Descrição do Trabalho Departamento de Informática - UFES 1 o Trabalho Computacional de Algoritmos Numéricos - 13/2 Métodos de Runge-Kutta e Diferenças Finitas Prof. Andréa Maria Pedrosa Valli Data de entrega: Dia 23 de janeiro

Leia mais

ORIENTAÇÃO INDIRETA DE IMAGENS DIGITAIS USANDO TELHADOS DE DUAS ÁGUAS COMO APOIO DE CAMPO

ORIENTAÇÃO INDIRETA DE IMAGENS DIGITAIS USANDO TELHADOS DE DUAS ÁGUAS COMO APOIO DE CAMPO ORIENTAÇÃO INDIRETA DE IMAGENS DIGITAIS USANDO TELHADOS DE DUAS ÁGUAS COMO APOIO DE CAMPO Indirect image orientation using gable roofs as ground control NADISSON LUIS PAVAN 1 DANIEL RODRIGUES DOS SANTOS

Leia mais

Controle de Veículos Aéreos

Controle de Veículos Aéreos 12, 13 e 14/11/2014, Parnaíba-PI Controle de Veículos Aéreos Prof. Dr. Mário Sarcinelli Filho Universidade Federal do Espírito Santo UFES Bolsista de Produtividade em Pesquisa PQ-2 do CNPq Orientador de

Leia mais

OpenGL. Uma Abordagem Prática e Objetiva. Marcelo Cohen Isabel Harb Manssour. Novatec Editora

OpenGL. Uma Abordagem Prática e Objetiva. Marcelo Cohen Isabel Harb Manssour. Novatec Editora OpenGL Uma Abordagem Prática e Objetiva Marcelo Cohen Isabel Harb Manssour Novatec Editora Capítulo 1 Introdução A Computação Gráfica é uma área da Ciência da Computação que se dedica ao estudo e ao desenvolvimento

Leia mais

de Bordas em Imagens Digitais

de Bordas em Imagens Digitais Anais do CNMAC v.2 ISSN 1984-820X Avaliação Quantitativa de um Método Automático de Extração de Bordas em Imagens Digitais Inês A. Gasparotto Boaventura Departamento de Ciências de Computação e Estatística,

Leia mais

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS Executar as principais técnicas utilizadas em processamento de imagens, como contraste, leitura de pixels, transformação IHS, operações aritméticas

Leia mais

Desenvolvimento de um Sistema Híbrido para Rastreamento

Desenvolvimento de um Sistema Híbrido para Rastreamento Desenvolvimento de um Sistema Híbrido para Rastreamento de Objetos aplicado ao Futebol de Robôs Eduardo W. Basso 1, Diego M. Pereira 2, Paulo Schreiner 2 1 Laboratório de Robótica Inteligente Instituto

Leia mais

FREDERICO OLDEMBURGO PERES SCANNER 3D: PROBLEMAS E SOLUÇÕES

FREDERICO OLDEMBURGO PERES SCANNER 3D: PROBLEMAS E SOLUÇÕES FREDERICO OLDEMBURGO PERES SCANNER 3D: PROBLEMAS E SOLUÇÕES LONDRINA PR 2013 FREDERICO OLDEMBURGO PERES SCANNER 3D: PROBLEMAS E SOLUÇÕES Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao curso de Bacharelado

Leia mais

ESTEREOSCOPIA INTRODUÇÃO. Conversão de um par de imagens (a)-(b) em um mapa de profundidade (c)

ESTEREOSCOPIA INTRODUÇÃO. Conversão de um par de imagens (a)-(b) em um mapa de profundidade (c) ESTEREOSCOPIA INTRODUÇÃO Visão estereoscópica se refere à habilidade de inferir informações da estrutura 3-D e de distâncias da cena de duas ou mais imagens tomadas de posições diferentes. Conversão de

Leia mais

DETECÇÃO AUTOMÁTICA DE VEÍCULOS COM USO DE IMAGENS DE INTENSIDADE LASER E ANAGLIFO

DETECÇÃO AUTOMÁTICA DE VEÍCULOS COM USO DE IMAGENS DE INTENSIDADE LASER E ANAGLIFO DETECÇÃO AUTOMÁTICA DE VEÍCULOS COM USO DE IMAGENS DE INTENSIDADE LASER E ANAGLIFO Automatic Detection of Vehicles Using Intensity Laser and Anaglyph Image Daniel Rodrigues dos Santos Quintino Dalmolin

Leia mais

Curva ROC. George Darmiton da Cunha Cavalcanti Tsang Ing Ren CIn/UFPE

Curva ROC. George Darmiton da Cunha Cavalcanti Tsang Ing Ren CIn/UFPE Curva ROC George Darmiton da Cunha Cavalcanti Tsang Ing Ren CIn/UFPE Introdução ROC (Receiver Operating Characteristics) Curva ROC é uma técnica para a visualização e a seleção de classificadores baseado

Leia mais

APLICAÇÕES DO LASER SCANNER EM TOPOGRAFIA E GEOMÁTICA

APLICAÇÕES DO LASER SCANNER EM TOPOGRAFIA E GEOMÁTICA APLICAÇÕES DO LASER SCANNER EM TOPOGRAFIA E GEOMÁTICA Adriano Scheuer Gerente de Contas FARO Laser Scanner 08/05/2014. AGENDA 1. Introdução sobre a FARO 2. Apresentação básica sobre a tecnologia de Scanner

Leia mais

Transformada de Hough. Cleber Pivetta Gustavo Mantovani Felipe Zottis

Transformada de Hough. Cleber Pivetta Gustavo Mantovani Felipe Zottis Transformada de Hough Cleber Pivetta Gustavo Mantovani Felipe Zottis A Transformada de Hough foi desenvolvida por Paul Hough em 1962 e patenteada pela IBM. Originalmente, foi elaborada para detectar características

Leia mais

Aprendizagem de Máquina

Aprendizagem de Máquina Aprendizagem de Máquina Alessandro L. Koerich Algoritmo k Means Mestrado/Doutorado em Informática (PPGIa) Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) 2 Problema do Agrupamento Seja x = (x 1, x 2,,

Leia mais

Detecção de mudanças em imagens oriundas de sensoriamento remoto, usando conjuntos fuzzy.

Detecção de mudanças em imagens oriundas de sensoriamento remoto, usando conjuntos fuzzy. Detecção de mudanças em imagens oriundas de sensoriamento remoto, usando conjuntos fuzzy. Marcelo Musci Baseado no artigo: Change detection assessment using fuzzy sets and remotely sensed data: an application

Leia mais

LENTES E ESPELHOS. O tipo e a posição da imagem de um objeto, formada por um espelho esférico de pequena abertura, é determinada pela equação

LENTES E ESPELHOS. O tipo e a posição da imagem de um objeto, formada por um espelho esférico de pequena abertura, é determinada pela equação LENTES E ESPELHOS INTRODUÇÃO A luz é uma onda eletromagnética e interage com a matéria por meio de seus campos elétrico e magnético. Nessa interação, podem ocorrer alterações na velocidade, na direção

Leia mais

Óptica. Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm).

Óptica. Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm). Óptica Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm). Fenômenos ópticos Professor: Éder (Boto) Sobre a Luz O que emite Luz?

Leia mais

CONTROLO VISUAL DE UM TAPETE ROLANTE

CONTROLO VISUAL DE UM TAPETE ROLANTE CONTROLO VISUAL DE UM TAPETE ROLANTE José Fernandes; José Silva; Nuno Vieira; Paulo Sequeira Gonçalves Curso de Engenharia Industrial Escola Superior de Tecnologia de Castelo Branco Av. do Empresário,

Leia mais

Casamento de padrões em imagens e vídeos usando características de imagens

Casamento de padrões em imagens e vídeos usando características de imagens Casamento de padrões em imagens e vídeos usando características de imagens Kassius Vinicius Sipolati Bezerra DCEL / CEUNES / UFES São Mateus, ES, Brazil Edilson de Aguiar DCEL / CEUNES / UFES São Mateus,

Leia mais

Rastreamento de Múltiplos. Objetos em Tempo Real

Rastreamento de Múltiplos. Objetos em Tempo Real Rastreamento de Múltiplos Objetos em Tempo Real THIAGO DA ROSA DE BUSTAMANTE 1 UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais, Av. Antônio Carlos, 667 Pampulha - Belo Horizonte, MG, Brasil trb@dcc.ufmg.br

Leia mais

Roteiro 23 Difração e Interferência de ondas bidimensionais num meio líquido

Roteiro 23 Difração e Interferência de ondas bidimensionais num meio líquido Roteiro 23 Difração e Interferência de ondas bidimensionais num meio líquido 1 INTRODUÇÃO As ondas podem sofrer o efeito de diversos fenômenos, dentre eles estão a difração e a interferência. A difração

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Processamento de Imagem Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Visão Computacional Não existe um consenso entre os autores sobre o correto escopo do processamento de imagens, a

Leia mais

Lentes e formação de imagem

Lentes e formação de imagem Lentes e formação de imagem Princípio de Huygens e por quê precisamos de instrumentos de formação de imagem Um instrumento simples de formação de imagem: a câmera pinhole Princípio de formação de imagem

Leia mais

Mapeamento 3D de superficies planas para interação homem-máquina

Mapeamento 3D de superficies planas para interação homem-máquina Mapeamento 3D de superficies planas para interação homem-máquina SCHVARCZ FRANCO, Guilherme 1 ; CEOLIN, Simone R. 1 1 Projeto PROBITI do Curso de Sistemas de Informação do Centro Universitário Franciscano

Leia mais

Chow&Kaneko buscam as modas da imagem para separar os objetos. Admite que os tons na vizinhança de cada moda são do mesmo objeto.

Chow&Kaneko buscam as modas da imagem para separar os objetos. Admite que os tons na vizinhança de cada moda são do mesmo objeto. Respostas Estudo Dirigido do Capítulo 12 Image Segmentation" 1 Com suas palavras explique quais os problemas que podem ocorrer em uma segmentação global baseada em níveis de cinza da imagem. Que técnicas

Leia mais