X CONGRESSO DA GEOGRAFIA PORTUGUESA Os Valores da Geografia Lisboa, 9 a 12 de setembro de 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "X CONGRESSO DA GEOGRAFIA PORTUGUESA Os Valores da Geografia Lisboa, 9 a 12 de setembro de 2015"

Transcrição

1 X CONGRESSO DA GEOGRAFIA PORTUGUESA Os Valores da Geografia Lisboa, 9 a 12 de setembro de 2015 Modelo conceptual de análise do crescimento urbano vertical M. Magarotto (a) (b),m. Costa (b), A. Rodrigues (a), J. Tenedório (a), C. Silva (a) (a) CICS.NOVA Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa, (b) LEGECE Laboratório de Ecologia e Gerenciamento de Ecossistemas Costeiros e Estuarinos, Departamento de Oceanografia, Universidade Federal de Pernambuco, Resumo Os modelos urbanos em terceira dimensão (3D) são instrumentos de análise do crescimento urbano vertical e acrescentam valor à informação para planeamento e urbanismo. A versatilidade destes modelos, em diferentes escalas, facilita a visualização e possibilita a medição de parâmetros urbanos do crescimento ocorrido. Estes modelos 3D resultam da evolução da representação de espaços urbanos em maquetes para o software de modelação de dados em Sistemas de Informação Geográfica (SIG). O enriquecimento dos algoritmos implementados em plataformas SIG 3D revela-se, para além das possibilidades de visualização, na quantificação de parâmetros como a área do imóvel, a altura, o número de pisos, o perímetro, o volume, a área mínima de análise, entre outros. Neste contexto, a comunicação tem como objetivo realizar uma análise conceptual do desenvolvimento dos modelos urbanos em SIG 3D orientados para a análise do crescimento urbano vertical em zonas costeiras. Palavras chave: modelo urbano, ordenamento do litoral, SIG 3D 1. Introdução Os modelos urbanos em mapas ou em maquetes representam o espaço em duas ou três dimensões e são necessários aos planejadores urbanistas para entender e distribuir o edificado que compõem a arquitetura das cidades (Ranzinger & Gleixner 1997). Este complexo emaranhado de interesses políticos, sociais, económicos e humano forma o espaço onde o homem instituiu como morada (Adolphe 2001; Lal & Pawar 2011; Harvey 2011). As cidades são cada vez mais habitadas e seu entendimento de autogestão ou de planeamento deve ser entendido o que exige meios sistemáticos que possam gerir o espaço urbano (Lemmen & van Oosterom 2003; Benhamu & Doytsher 2003; Ying et al. 2014). No intuito de melhor planejar e administrar o espaço urbano existem iniciativas e uma verdadeira transformação para os modelos computacionais dos planos em duas dimensões (2D) para três dimensões (3D) (Chen et al. 2011; Ding 2013). Este esforço pode dar uma diferente forma de medir e entender o espaço urbano e assim melhor administra-lo (Encarnação et al. 2010; Santos et al. 2013). Existe iniciativas de rever estes conceitos, mas ainda há uma relutância pelos planejadores urbanos (Chen 2011). Contudo, o processo

2 de mudança esta em curso e cada vez mais os urbanistas utilizam os modelos em 3D para a representação dos espaços urbanos. Assim como, as empresas do ramo imobiliário começam a fazer seus anúncios com imoveis representados em modelos 3D de alta definição e com alta-fidelidade e realismo (Salvati et al. 2013; Ding 2013; Peng 2015). Neste sentido, entender a evolução urbana em um determinado período de tempo através da análise de trabalhos científicos ajuda no entendimento do crescimento e desenvolvimento local. Assim como, gera a possibilidade de melhor gerenciar o espaço urbano e construir críticas necessárias para uma melhor gestão do território. Sendo assim, o modelo conceptual aqui proposto visa a entender o processo do crescimento urbano do Bairro da Boa Viagem (Figura 1). Este modelo analisa uma seleção de trabalhos realizados a partir da segunda metade da década passada e busca o entendimento da transformação da paisagem urbana da Praia da Boa Viagem em 2D e 3D. Figura 1 Área de estudo, Bairro da Boa Viagem localizado na área costeira da Cidade do Recife, Pernambuco, Brasil. 2. Metodologia Como processo metodológico foi analisado os principais trabalhos científicos desenvolvidos no bairro da Boa Viagem, Recife, Pernambuco, Brasil nos últimos anos. O foco foram os trabalho desenvolvidos por Araújo, 2007, Costa, Araújo, Cavalcanti, 2008, Alves, 2009, Magarotto, 2012 e Magarotto, Tenedório, Costa, Silva Estes trabalhos podem construir um mosaico deste crescimento urbano e a modificação

3 da paisagem da Praia da Boa Viagem nos últimos 70 anos. O estudo abordará as diferentes fases do conhecimento sobre a área de estudo. O interesse está na busca de respostas das questões formuladas no quadro conceptual (Figura 2). Estas questões foram formuladas pelos autores supracitados. Figura 2 Modelo conceptual das fases do conhecimento do desenvolvimento urbano na área de estudo no bairro da Boa Viagem. Neste esquema falta acrescentar e responder a questão volumétrica dos modelos 3D, o impacto, segundo a tipologia do edificado e a diversidade quanto ao uso. Assim como, se o crescimento urbano volumétrico tem relação quanto ao aquecimento urbano local, causando ilhas de calor ou ainda problemas socioambientais incidentes sobre a população local. 3. Resultado Os resultados sobre o desenvolvimento urbano no bairro da Boa Viagem pode ser descrito segundo o conhecimento alcançado em cada estudo realizado. Está área foi protagonista de um abrupto e pouco planeamento do crescimento urbano apoiado pela demanda populacional e, sobretudo, pela especulação imobiliária. Todos os trabalhos mostram que uma praia junto a um grande centro urbano necessita de leis para regular o crescimento dos edifícios e urbanizações, a fim de melhor gerir o espaço e atender as necessidades de planeamento futuro. Neste aspeto, nota-se a praia da Boa Viagem constituída em um local com um complexo arranjo residencial e comercial, com falta de planos urbanos destinados a mudança de perfil tanto a nível de uma praia urbana com bons indicadores de qualidade de uso quanto as condições de vida residencial. Na análise bibliográfica também buscou entender como o planeamento do bairro foi desestimulado e deu lugar a uma complexa forma baseada nas leis sancionadas sempre beneficiadoras de um grupo de interesse (setor imobiliário) transformando, assim, paisagem aprazível da praia. Em uma constatação temporal

4 observa-se que no início da década de 1950, segundo (Araújo, 2007) o bairro foi local de grande interesse para uma população que desfrutava de lindas vistas e de uma praia fabulosa para o banho de mar. Com a entrada na década de 1980 até a década de 1990 a troca do mobiliário urbano passa de moradias de segunda residência à edifícios voltados a residência fixa tornado um padrão vigente no bairro (Costa et al. 2008; Dantas et al. 2007; Alves 2009; Magarotto 2012). Este processo de crescimento vertical tende a se intensificar no período de 2000 até a atualidade com novos edifícios (Magarotto et al. 2014). Esta transformação do mobiliário urbano pode ser representada segundo a Figura 3.

5 Figura 3. Planos urbanos. (a) Representação do bairro da Boa Viagem (b) Projeto Cura Setúbal para o desenvolvimento do bairro, (c) representação parcial em SIG 3D do Bairro da Boa Viagem ano de Nesta representação verifica-se que o processo de desenvolvimento dos planos de desenvolvimento urbano que podem passar de um modelo em 2D para 3D. Neste caso a representação dos dados urbanos podem serem melhores compreendidos e além das medidas tradicionais de extensão em área também pode ser produzidos mapas e gráficos com as medidas de volume. 4. Conclusões Os resultados formam um mosaico e a atualização do modelo SIG 2D para o modelo SIG 3D para melhor entender o espaço urbano. Este método de geração de plano de identificação do edificado em 2D é proposto para gerar dados SIG 3D e modelos urbanos. Esta modificação é amplamente acessível e o exemplo aqui apresentado, indica uma escala linear do método proposto, permitindo novos cenários urbanos em várias escalas de observação. Usando o modelo SIG 3D urbano pode-se demonstrar o crescimento do Bairro da Boa Viagem num período de 70 anos como base os trabalhos desenvolvidos neste bairro e a geração de um modelos em SIG 3D. Estes modelos podem simular a área urbana em expansão em área e densidade em volume, baseada no método de visualização em alta-fidelidade para representar o cenário para além dos modelos em SIG 2D. Estas técnicas são as novas gerações de planos urbanísticos que muitas entidades administrativas em diversos países estão usando. Os dados podem ser atualizados do cadastro urbano existente gerando baixos custos e de fácil interpretação. Neste caso os planos têm bons resultados de resposta para visualização. No geral, o método proposto é significativamente mais realista comparado com os modelos em 2D.

6 3. Bibliografia Adolphe, L., A simplified model of urban morphology: Application to an analysis of the environmental performance of cities. Environment and Planning B: Planning and Design, 28, pp Alves, P.R.M., Valores do Recife. O valor do solo na evolução da cidade. 1st ed. Luci Artes Gráficas, ed., Recife. Araújo, R. de C.B. de, As praias e os dias : história social das praias do Recife e Olinda. 1st ed. Fundação da Cultura Cidade do Recife, ed., Recife. Benhamu, M. & Doytsher, Y., Toward a spatial 3D cadastre in Israel. Computers, Environment and Urban Systems, 27(4), pp Available at: Chen, B., Huang, F. & Fang, Y., Integrating virtual environment and GIS for 3D virtual city development and urban planning IEEE International Geoscience and Remote Sensing Symposium, pp Available at: Chen, R., The development of 3D city model and its applications in urban planning th International Conference on Geoinformatics, pp.1 5. Available at: Costa, M.F. da et al., Verticalização da Praia da Boa Viagem (Recife, Pernambuco) e suas consequências socioambientais. Revista da Gestão Costeira Integrada, 8(2), pp Available at: [Accessed March 11, 2013]. Dantas, R.A., Magalhães, A.M. & Vergolino, J.R.O., Avaliação de imóveis: a importância dos vizinhos no caso de Recife. Economia Aplicada, V. 11(N. 2), pp Available at: [Accessed September 4, 2013]. Ding, C., Building height restrictions,land development and economic costs. Land Use Policy, 30(1), pp Available at: [Accessed June 19, 2013]. Encarnação, S. et al., Cartografia de uso do solo à escala regional com recurso a análise orientada a objecto e segmentação multiresolução., (i), pp Available at: Encarna o-tenedorio- Rocha.pdf [Accessed September 19, 2013]. Harvey, D., The Enigma of capital and the crises of capitalism 1st ed. D. Harvey, ed., London, UK: Profile Books LDA. Lal, D.M. & Pawar, S.D., Effect of urbanization on lightning over four metropolitan cities of India. Atmospheric Environment, 45(1), pp Available at: [Accessed September 17, 2013]. Lemmen, C. & van Oosterom, P., D Cadastres. Computers, Environment and Urban Systems, 27(4), pp Available at: Magarotto, M.G. et al., Methodology for the development of 3D GIS models in the Coastal Zone. Journal of Coastal Research, (70), pp

7 Magarotto, M.G., Sistemas de Informação Geográfica Orientados para o Ordenamento do Litoral. O caso da Boa Viagem Recife - PE - Brasil. Universidade Nova de Lisboa. Peng, W., Application of Computer 3D Simulation in Architectural Art Effect Wei Peng., (Iccset 2014), pp Ranzinger, M. & Gleixner, G., GIS datasets for 3D urban planning. Computers, Environment and Urban Systems, 21(2), pp Salvati, L., Zitti, M. & Sateriano, A., Changes in city vertical profile as an indicator of sprawl: Evidence from a Mediterranean urban region. Habitat International, 38, pp Available at: [Accessed September 17, 2013]. Santos, T., Rodrigues, A. & Tenedório, J.A., Characterizing urban volumetry using lidar data. International Archives of the Photogrammetry, Remote Sensing and Spatial Information Sciences, XL, pp Ying, S. et al., Construction of 3D Volumetric Objects for a 3D Cadastral System. Transactions in GIS, 1, p.22.

Universidade Federal do Ma Pós-Graduação em Eng. Elétrica

Universidade Federal do Ma Pós-Graduação em Eng. Elétrica Universidade Federal do Ma Pós-Graduação em Eng. Elétrica Computação Gráfica II Sistemas de Informação Geográfica Prof. Anselmo C. de Paiva Depto de Informática Introdução aos Sistemas de Informação Geografica

Leia mais

O USO DE GEOTECNOLOGIA NA ANÁLISE DAS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS NA ÁREA METROPOLITANA DE SÃO PAULO - BRASIL

O USO DE GEOTECNOLOGIA NA ANÁLISE DAS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS NA ÁREA METROPOLITANA DE SÃO PAULO - BRASIL O USO DE GEOTECNOLOGIA NA ANÁLISE DAS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS NA ÁREA METROPOLITANA DE SÃO PAULO - BRASIL Profa. Dra. Magda Adelaide Lombardo Universidade Estadual Paulista / Universidade de São Paulo lombardo@rc.unesp.br

Leia mais

A utilização de modelos SIG 3D na determinação da exposição solar

A utilização de modelos SIG 3D na determinação da exposição solar A utilização de modelos SIG 3D na determinação da exposição solar Rita MACHETE 1, Sónia ILDEFONSO 1, Ana Paula FALCÃO 1, Maria Glória GOMES 1 1 Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa (rita_machete@msn.com;

Leia mais

SISTEMA DE SAÚDE E EXPANSÃO URBANA: ANÁLISE E MAPEAMENTO DO MUNICÍPIO DE LEME/SP

SISTEMA DE SAÚDE E EXPANSÃO URBANA: ANÁLISE E MAPEAMENTO DO MUNICÍPIO DE LEME/SP SISTEMA DE SAÚDE E EXPANSÃO URBANA: ANÁLISE E MAPEAMENTO DO MUNICÍPIO DE LEME/SP GUILHERME OTÁVIO GALLO¹ e RÚBIA GOMES MORATO² g.guilhermegallo@gmail.com, rubiagm@gmail.com ¹ Bolsista Iniciação Científica

Leia mais

ESTUDOS DE ILHA DE CALOR URBANA POR MEIO DE IMAGENS DO LANDSAT 7 ETM+: ESTUDO DE CASO EM SÃO CARLOS (SP)

ESTUDOS DE ILHA DE CALOR URBANA POR MEIO DE IMAGENS DO LANDSAT 7 ETM+: ESTUDO DE CASO EM SÃO CARLOS (SP) ESTUDOS DE ILHA DE CALOR URBANA POR MEIO DE IMAGENS DO LANDSAT 7 ETM+... 273 ESTUDOS DE ILHA DE CALOR URBANA POR MEIO DE IMAGENS DO LANDSAT 7 ETM+: ESTUDO DE CASO EM SÃO CARLOS (SP) Ricardo Victor Rodrigues

Leia mais

Mapeamento Costeiro Cadastral de Linha de Costa

Mapeamento Costeiro Cadastral de Linha de Costa Mapeamento Costeiro Cadastral de Linha de Costa Rodrigo Mikosz Gonçalves 1 Profa. Dra. Cláudia Pereira Krueger 2 Elmo Leonardo Xavier Tanajura 3 Diuliana Leandro 4 Suelen Cristina Movio Huinca 5 123 UFPR

Leia mais

QUALIS OBT: CLASSIFICAÇÃO DAS REVISTAS E CONFERÊNCIAS CIENTÍFICAS

QUALIS OBT: CLASSIFICAÇÃO DAS REVISTAS E CONFERÊNCIAS CIENTÍFICAS QUALIS OBT: CLASSIFICAÇÃO DAS REVISTAS E CONFERÊNCIAS CIENTÍFICAS Revisão 10 9 Janeiro 2006 Critérios Gerais para Classificação de Periódicos Na classificação adotada pela OBT, estamos buscando usar, na

Leia mais

ANEXO II: Resumo do Projeto

ANEXO II: Resumo do Projeto ANEXO II: Resumo do Projeto A- PROJETO 1-Título: Aplicação de Geoprocessamento Visando Controle e Contenção de Desmoronamentos e Deslizamentos dos Morros no Município de Jaboatão dos Guararapes - PE: Uma

Leia mais

METODOLOGIA PARA O GEORREFERENCIAMENTO DE ILHAS COSTEIRAS COMO SUBSÍDIO AO MONITORAMENTO AMBIENTAL

METODOLOGIA PARA O GEORREFERENCIAMENTO DE ILHAS COSTEIRAS COMO SUBSÍDIO AO MONITORAMENTO AMBIENTAL METODOLOGIA PARA O GEORREFERENCIAMENTO DE ILHAS COSTEIRAS COMO SUBSÍDIO AO MONITORAMENTO AMBIENTAL Carolina Rodrigues Bio Poletto¹ & Getulio Teixeira Batista² UNITAU - Universidade de Taubaté Estrada Municipal

Leia mais

EXTRACÇÃO DE SOMBRA A PARTIR DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO

EXTRACÇÃO DE SOMBRA A PARTIR DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO EXTRACÇÃO DE SOMBRA A PARTIR DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO Classificação Não Supervisionada, Reclassificação de Imagem e Classificação Orientada a Segmento Morna Nandaia Ricardo Silva SUMÁRIO

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA COMO PLATAFORMA PARA APLICAÇÃO DO MODELO SATURN

UTILIZAÇÃO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA COMO PLATAFORMA PARA APLICAÇÃO DO MODELO SATURN UTILIZAÇÃO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA COMO PLATAFORMA PARA APLICAÇÃO DO MODELO SATURN André Bresolin Pinto Helena Beatriz Bettella Cybis Davi Ribeiro Campos de Araújo Luis Antonio Lindau LASTRAN

Leia mais

Uma Abordagem para Tratamento de Regras de Negócio nas Fases Iniciais do Desenvolvimento

Uma Abordagem para Tratamento de Regras de Negócio nas Fases Iniciais do Desenvolvimento Uma Abordagem para Tratamento de Regras de Negócio nas Fases Iniciais do Desenvolvimento Marco Antonio De Grandi, Valter Vieira de Camargo, Edmundo Sérgio Spoto Centro Universitário Eurípides de Marília

Leia mais

SISTEMA DE APOIO À DECISÃO DE INFORMAÇÕES ESPACIAIS VIA WEB PARA TRANSPORTE PÚBLICO URBANO

SISTEMA DE APOIO À DECISÃO DE INFORMAÇÕES ESPACIAIS VIA WEB PARA TRANSPORTE PÚBLICO URBANO SISTEMA DE APOIO À DECISÃO DE INFORMAÇÕES ESPACIAIS VIA WEB PARA TRANSPORTE PÚBLICO URBANO Rony Marcelo Arteaga Velasquez Pastor Willy Gonzales-Taco SISTEMA DE APOIO À DECISÃO DE INFORMAÇÕES ESPACIAIS

Leia mais

1. Apresentação de todos os participantes: docentes e alunos.

1. Apresentação de todos os participantes: docentes e alunos. Unidade Curricular Paisagem, Biodiversidade e Sociedade Área Científica Paisagem, Ambiente e Ordenamento Ano Curricular 1 Horas de Trabalho 156 Horas de Contacto TP-30;TC-15;OT-15 ECTS 6 Observações Obrigatória

Leia mais

Análise comparativa sobre bases de dados para armazenamento e consulta de dados não estruturados no formato JSON.

Análise comparativa sobre bases de dados para armazenamento e consulta de dados não estruturados no formato JSON. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA Análise comparativa sobre bases de dados para armazenamento e consulta de dados não estruturados no formato JSON. Proposta de Trabalho de Graduação

Leia mais

ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING.

ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING. ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING. RODRIGUES, Caroline Gomes 1, COSTA, Bruno Lopes ², CORREIA, Mariana Ribeiro³ 1 Universidade do Estado do Rio de

Leia mais

Concepção de um simulador de cenários futuros de elevação do nível do mar no litoral Setentrional do RN utilizando tecnologia de Jogos.

Concepção de um simulador de cenários futuros de elevação do nível do mar no litoral Setentrional do RN utilizando tecnologia de Jogos. Concepção de um simulador de cenários futuros de elevação do nível do mar no litoral Setentrional do RN utilizando tecnologia de Jogos. Carlos Henrique Grilo Diniz 1 ; Mattheus da Cunha Prudêncio 2 ; Venerando

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Profª Iana Alexandra Alves Rufino [iana_alex@uol.com.br]

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Profª Iana Alexandra Alves Rufino [iana_alex@uol.com.br] INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO Profª Iana Alexandra Alves Rufino [iana_alex@uol.com.br] Introdução ao Geoprocessamento Conceitos básicos Componentes de um SIG Exemplos de aplicações Conceitos Geoprocessamento

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. Realizado de 25 a 31 de julho de 2010. Porto Alegre - RS, 2010. ISBN 978-85-99907-02-3

1 INTRODUÇÃO. Realizado de 25 a 31 de julho de 2010. Porto Alegre - RS, 2010. ISBN 978-85-99907-02-3 AMBIENTE E LAZER: análise da percepção ambiental dos freqüentadores da praia ponta d areia em São Luís-MA Josélio Oliveira de AMORIM (UFMA/LEBAC/GEOTEC) joseliogeografo@yahoo.com.br Márcia Talídia Ferreira

Leia mais

Figura 1 Classificação Supervisionada. Fonte: o próprio autor

Figura 1 Classificação Supervisionada. Fonte: o próprio autor ANÁLISE DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO JUQUERY ATRÁVES DE TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO E IMAGENS DE SENSORIAMENTO REMOTO 1. INTRODUÇÃO Ultimamente tem-se visto uma grande

Leia mais

Sistema de Entrega para Suporte Varejista Utilizando a Metaheurística GRASP

Sistema de Entrega para Suporte Varejista Utilizando a Metaheurística GRASP Sistema de Entrega para Suporte Varejista Utilizando a Metaheurística GRASP Gil Romeu A. Pereira 1, Ivairton M. Santos 1 1 Universidade Federal de Mato Grosso(UFMT) Campus Universitário do Araguaia Instituto

Leia mais

VARIAÇÃO DA SUSCETIBILIDADE E VULNERABILIDADE À AÇÃO DE PERIGOS COSTEIROS NA PRAIA DOS INGLESES (FLORIANÓPOLIS-SC) ENTRE 1957 E 2009

VARIAÇÃO DA SUSCETIBILIDADE E VULNERABILIDADE À AÇÃO DE PERIGOS COSTEIROS NA PRAIA DOS INGLESES (FLORIANÓPOLIS-SC) ENTRE 1957 E 2009 VARIAÇÃO DA SUSCETIBILIDADE E VULNERABILIDADE À AÇÃO DE PERIGOS COSTEIROS NA PRAIA DOS INGLESES (FLORIANÓPOLIS-SC) ENTRE 1957 E 2009 Muler, M. 1 ; Bonetti, J. 1 muler.mariela@gmail.com 1 Laboratório de

Leia mais

O USO DAS TECNOLOGIAS DE GEOPROCESSAMENTO APLICADAS À GESTÃO DOS TRANSPORTES PÚBLICOS SIG APPLIED IN THE MANAGEMENT OF THE URBAN TRANSPORTS

O USO DAS TECNOLOGIAS DE GEOPROCESSAMENTO APLICADAS À GESTÃO DOS TRANSPORTES PÚBLICOS SIG APPLIED IN THE MANAGEMENT OF THE URBAN TRANSPORTS O USO DAS TECNOLOGIAS DE GEOPROCESSAMENTO APLICADAS À GESTÃO DOS TRANSPORTES PÚBLICOS SILVEIRA, T. A. 1 ; BARROS FILHO, M. B. B. 2. RESUMO: Uma das grandes dificuldades relacionadas à gestão dos transportes

Leia mais

Anais XVI Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Foz do Iguaçu, PR, Brasil, 13 a 18 de abril de 2013, INPE

Anais XVI Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Foz do Iguaçu, PR, Brasil, 13 a 18 de abril de 2013, INPE Densidade urbana das zonas costeiras. O caso da orla marítima da cidade do Recife Mateus Georgenes Magarotto 1,2 Monica Ferreira Costa 2 Carlos Pereira Silva 1,2 José Antonio Tenedório 1 Ted Lincoln Martins

Leia mais

Anais III Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto Aracaju/SE, 25 a 27 de outubro de 2006

Anais III Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto Aracaju/SE, 25 a 27 de outubro de 2006 GEOPROCESSAMENTO E FOTOINTERPRETAÇÃO APLICADOS À ANÁLISE DAS TRANSFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS E ESPACIAIS PROVOCADAS PELO TURISMO NAS COMUNIDADES MASSAGUEIRA/RUA NOVA, MARECHAL DEODORO, ALAGOAS ARAUJO, L.

Leia mais

Análise dos Indicadores de Sustentabilidade na Cidade de Serafina Corrêa - RS

Análise dos Indicadores de Sustentabilidade na Cidade de Serafina Corrêa - RS Análise dos Indicadores de Sustentabilidade na Cidade de Serafina Corrêa - RS Daniela Maroni (1) Denize Fabiani (2) Malu Durante (3) Tatiana Chiodi (4) (1) Aluna da Escola de Arquitetura e Urbanismo, IMED,

Leia mais

Uma Representação Ontológica da Geografia Física de Portugal

Uma Representação Ontológica da Geografia Física de Portugal Uma Representação Ontológica da Geografia Física de Portugal Catarina Rodrigues, Marcirio Chaves, Mário J. Silva Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências PALAVRAS-CHAVE: Informação Geográfica, ontologia

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL PLANO DE TRABALHO DETALHADO

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL PLANO DE TRABALHO DETALHADO PROJETO: Caracterização da variabilidade espacial e temporal da pluma do Rio Amazonas no período de 1999 a 2007 a partir de imagens de sensores remotos da cor do oceano a) UNIDADE EXECUTORA: INPE Coordenação:

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO GEOPROCESSAMENTO. Introdução ao Geoprocessamento. Conceitos básicos 18/06/2015. Conceitos básicos

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO GEOPROCESSAMENTO. Introdução ao Geoprocessamento. Conceitos básicos 18/06/2015. Conceitos básicos GEOPROCESSAMENTO INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO Prof. Esp. André Aparecido da Silva Introdução ao Geoprocessamento Conceitos básicos Conceitos básicos Componentes de um SIG Entrada de Dados em Geoprocessamento

Leia mais

O geoprocessamento aplicado à gestão dos transportes públicos. Thyago de Almeida Silveira 1 Marcello Benigno de B. Barros Filho 2

O geoprocessamento aplicado à gestão dos transportes públicos. Thyago de Almeida Silveira 1 Marcello Benigno de B. Barros Filho 2 O geoprocessamento aplicado à gestão dos transportes públicos Thyago de Almeida Silveira 1 Marcello Benigno de B. Barros Filho 2 1 Centro Federal de Educação Tecnológica da Paraíba CEFET, PB Rua Juiz Arnaldo

Leia mais

Anais III Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto Aracaju/SE, 25 a 27 de outubro de 2006

Anais III Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto Aracaju/SE, 25 a 27 de outubro de 2006 VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DE BOSQUES DE MANGUE CUNHA-LIGNON, M. 1 INTRODUÇÃO: Os manguezais são ecossistemas característicos das zonas estuarinas tropicais e subtropicais. Por muitos anos, os manguezais

Leia mais

BASE DE DADOS GEORREFERENCIADOS DAS CAVIDADES NATURAIS SUBTERRÂNEAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

BASE DE DADOS GEORREFERENCIADOS DAS CAVIDADES NATURAIS SUBTERRÂNEAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE BASE DE DADOS GEORREFERENCIADOS DAS CAVIDADES NATURAIS SUBTERRÂNEAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE Jocy CRUZ *; Solon R. de ALMEIDA NETTO **; Carlos Rostand F. MEDEIROS ***; Uílson CAMPOS * * - cecav.rn@ibama.gov.br

Leia mais

O Enfrentamento à Vulnerabilidade Costeira de Pernambuco

O Enfrentamento à Vulnerabilidade Costeira de Pernambuco O Enfrentamento à Vulnerabilidade Costeira de Pernambuco COSTA DE PERNAMBUCO 187 Km de Costa 21 Municípios Costeiros 4.034.122 habitantes (2012) 44,99% da população de Pernambuco 4,53% do território de

Leia mais

GIS in Disaster Risk Management in Mozambique

GIS in Disaster Risk Management in Mozambique GIS in Disaster Risk Management in Mozambique 1 Contents 1. Disasters in Mozambique 2. Role of GIS 3. Some Examples 4. CIG Profile 2 1. Disasters in Mozambique Frequent disasters are: Droughts Floods (+

Leia mais

Aplicações Práticas de Cartografia de Modelos de Combustível Florestal no apoio ao Planeamento e Combate a Incêndios

Aplicações Práticas de Cartografia de Modelos de Combustível Florestal no apoio ao Planeamento e Combate a Incêndios Aplicações Práticas de Cartografia de Modelos de Combustível Florestal no apoio ao Planeamento e Combate a Incêndios Nuno Guiomar (Investigador/Colaborador da Universidade de Évora) João Paulo Fernandes

Leia mais

Utilização de um banco de dados relacional no Sistema de Informações Geográfica (SIG) para o cadastro florestal

Utilização de um banco de dados relacional no Sistema de Informações Geográfica (SIG) para o cadastro florestal Utilização de um banco de dados relacional no Sistema de Informações Geográfica (SIG) para o cadastro florestal Use of relational database in a Geographical Information System (GIS) for forest register

Leia mais

Laboratório de Arquitectura III Mestrado Integrado em Arquitectura com especialização em Gestão Urbanística. Ano lectivo 2009/2010

Laboratório de Arquitectura III Mestrado Integrado em Arquitectura com especialização em Gestão Urbanística. Ano lectivo 2009/2010 Laboratório de Arquitectura III Mestrado Integrado em Arquitectura com especialização em Gestão Urbanística. Ano lectivo 2009/2010 Docente responsável: Professora Doutora Catarina Teles Ferreira Camarinhas

Leia mais

Modelagem da paisagem urbana com apoio do aplicativo City Engine:

Modelagem da paisagem urbana com apoio do aplicativo City Engine: Modelagem da paisagem urbana com apoio do aplicativo City Engine: potencialização da comunicação espacial em simulação da morfologia de ocupação e parâmetros urbanísticos Profa Ana Clara Mourão Moura Laboratório

Leia mais

ABSTRACT: The Suape region has received public and private investments, which allowed a

ABSTRACT: The Suape region has received public and private investments, which allowed a ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL DOS IMPACTOS DO CRESCIMENTO URBANO-INDUSTRIAL NA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE DA REGIÃO DE SUAPE, CABO DE SANTO DE AGOSTINHO/IPOJUCA PE Jacicleide Ramos de Souza,¹² Ygor Cristiano

Leia mais

Desenvolvimento de uma aplicação SIG Open Source para criação de mapas de risco e perigosidade florestal

Desenvolvimento de uma aplicação SIG Open Source para criação de mapas de risco e perigosidade florestal Desenvolvimento de uma aplicação SIG Open Source para criação de mapas de risco e perigosidade florestal Lia Duarte Assistente convidada, Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, liaduarte@fc.up.pt

Leia mais

Uma arquitetura de Cloud Computing para análise de Big Data proveniente da Internet of Things

Uma arquitetura de Cloud Computing para análise de Big Data proveniente da Internet of Things UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Graduação em Engenharia da Computação Centro de Informática Uma arquitetura de Cloud Computing para análise de Big Data proveniente da Internet of Things Aluno: Diogo

Leia mais

Apoio à Decisão Gerencial na Alocação de Recursos Humanos em Projetos de Software Ahilton Silva Barreto ahilton@cos.ufrj.br

Apoio à Decisão Gerencial na Alocação de Recursos Humanos em Projetos de Software Ahilton Silva Barreto ahilton@cos.ufrj.br Apoio à Decisão Gerencial na Alocação de Recursos Humanos em Projetos de Software Ahilton Silva Barreto ahilton@cos.ufrj.br Orientadores: Márcio de Oliveira Barros e Cláudia Maria Lima Werner {marcio,

Leia mais

Construção, Território e Ambiente. Construction, Planning and Environment. Semestre do plano de estudos 2

Construção, Território e Ambiente. Construction, Planning and Environment. Semestre do plano de estudos 2 Nome UC Construção, Território e Ambiente CU Name Código UC 11 Curso LEC Semestre do plano de estudos 2 Área científica Engenharia Civil Duração Semestral Horas de trabalho 95 ECTS 3.5 Horas de contacto

Leia mais

ArgoCASEGEO + TerraLib = bancos de dados geográficos para aplicações Small GIS

ArgoCASEGEO + TerraLib = bancos de dados geográficos para aplicações Small GIS ArgoCASEGEO + TerraLib = bancos de dados geográficos para aplicações Small GIS Alexandre Gazola, Gustavo Breder Sampaio, Jugurta Lisboa Filho Departamento de Informática Universidade Federal de Viçosa

Leia mais

Geotecnologia aplicadas à análise histórica humana /intervenções urbanas e evolução da linha de costa

Geotecnologia aplicadas à análise histórica humana /intervenções urbanas e evolução da linha de costa Geotecnologia aplicadas à análise histórica humana /intervenções urbanas e evolução da linha de costa Marcia Cristina de Souza Matos Carneiro marcia.carneiro@ibge.gov.br NEXUS : Sociedade e Natureza UFPE

Leia mais

Utilização de SIGs na Análise de Irregularidades na Distribuição do Eleitorado no Estado do Rio Grande do Norte nas Eleições Municipais de 2008

Utilização de SIGs na Análise de Irregularidades na Distribuição do Eleitorado no Estado do Rio Grande do Norte nas Eleições Municipais de 2008 Utilização de SIGs na Análise de Irregularidades na Distribuição do Eleitorado no Estado do Rio Grande do Norte nas Eleições Municipais de 2008 Francisco Márcio de Oliveira 2, Igor Saraiva Brasil 1 1 Programa

Leia mais

ANÁLISE DO PROCESSO DE CRESCIMENTO URBANO DA CIDADE DE CACHOEIRA PAULISTA (SP) DE 1985-2007 UTILIZANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO

ANÁLISE DO PROCESSO DE CRESCIMENTO URBANO DA CIDADE DE CACHOEIRA PAULISTA (SP) DE 1985-2007 UTILIZANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO ANÁLISE DO PROCESSO DE CRESCIMENTO URBANO DA CIDADE DE CACHOEIRA PAULISTA (SP) DE 1985-2007 UTILIZANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO Marcio Alexandre Guimarães Ferreira¹ e Fabio de Oliveira Sanches²

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução Engenharia Engenhar Sistema Software Alguns Conceitos 1 Definição É a aplicação sistemática, disciplinada e com abordagem quantitativa para o desenvolvimento, operação

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Sistemas de Informação I

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Sistemas de Informação I INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÂO DE COIMBRA Aprovação do Conselho Pedagógico 5/11/2014 Aprovação do Conselho Técnico-Científico 23/2/2015 Ficha de Unidade

Leia mais

O PAPEL DOS AQUÁRIOS NA SENSIBILIZAÇÃO QUANTO À PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

O PAPEL DOS AQUÁRIOS NA SENSIBILIZAÇÃO QUANTO À PRESERVAÇÃO AMBIENTAL O PAPEL DOS AQUÁRIOS NA SENSIBILIZAÇÃO QUANTO À PRESERVAÇÃO AMBIENTAL 1 Gallo, H.; 1 Barbosa, C. B.; 1 Panza, A. B. 1- Aquário de Ubatuba biologia@aquariodeubatuba.com.br Rua Guarani, 859 Itaguá 11680-000

Leia mais

Projeto de um Sistema Mecânico para Auxiliar o Implante Permanente de Sementes Radioativas em Tecidos Moles

Projeto de um Sistema Mecânico para Auxiliar o Implante Permanente de Sementes Radioativas em Tecidos Moles Universidade Federal de São João Del-Rei MG 26 a 28 de maio de 2010 Associação Brasileira de Métodos Computacionais em Engenharia Projeto de um Sistema Mecânico para Auxiliar o Implante Permanente de Sementes

Leia mais

Curriculum Vitae de Ricardo Morla

Curriculum Vitae de Ricardo Morla Curriculum Vitae de Ricardo Morla Curriculum Vitae de Ricardo Santos Morla Identificação Ricardo Santos Morla Unidades a que pertence Telecomunicações Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores

Leia mais

PROJETOS ID&I REALIZADOS E EM CURSO

PROJETOS ID&I REALIZADOS E EM CURSO O Núcleo de Estudos Urbanos e Territoriais PROJETOS ID&I REALIZADOS E EM CURSO (atualizado em dezembro de 2015) INTRODUÇÃO AMBIENTE CONSTRUÍDO Cidades saudáveis Organização e funcionamento do ambiente

Leia mais

Utilização de SIG aliado ao sistema de gestão ambiental em cursos d água urbanos.

Utilização de SIG aliado ao sistema de gestão ambiental em cursos d água urbanos. Utilização de SIG aliado ao sistema de gestão ambiental em cursos d água urbanos. AUTORES: Reginal Exavier¹, Elizabeth Rodrigues Brito Ibrahim² ¹Graduado no curso de Engenharia Ambiental e Sanitária pelo

Leia mais

MÉTODO DE ANÁLISE DA VULNERABILIDADE COSTEIRA À EROSÃO

MÉTODO DE ANÁLISE DA VULNERABILIDADE COSTEIRA À EROSÃO MÉTODO DE ANÁLISE DA VULNERABILIDADE COSTEIRA À EROSÃO João Thadeu de Menezes; Antonio Henrique da Fontoura Klein. Laboratório de Oceanografia Geológica.- Centro de Ciências Tecnológicas da Terra e do

Leia mais

Fasci-Tech MAPEAMENTO DOS PROCESSOS DE NEGÓCIO PARA DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

Fasci-Tech MAPEAMENTO DOS PROCESSOS DE NEGÓCIO PARA DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO MAPEAMENTO DOS PROCESSOS DE NEGÓCIO PARA DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO Resumo: Carlos Alberto dos Santos 1 Profa. MSc. Rosangela Kronig 2 Abstract: Num ambiente globalizado e em constante

Leia mais

Seminário. Banco de Dados II Banco de Dados Espaciais. Alunos: Lucas Alves Teixeira e Vinícius Dias Villar Professor: Guilherme Tavares de Assis

Seminário. Banco de Dados II Banco de Dados Espaciais. Alunos: Lucas Alves Teixeira e Vinícius Dias Villar Professor: Guilherme Tavares de Assis Seminário Banco de Dados II Banco de Dados Espaciais Alunos: Lucas Alves Teixeira e Vinícius Dias Villar Professor: Guilherme Tavares de Assis Descrição do Tema Bando de Dados Espaciais é um recurso que

Leia mais

Estudo da influência de superfícies urbanizadas no saldo de radiação local

Estudo da influência de superfícies urbanizadas no saldo de radiação local Estudo da influência de superfícies urbanizadas no saldo de radiação local Taciana L. Araujo 1, Fabiane R. C. Dantas 2, Soetânia O. Santos 2, Herika P. Rodrigues 2, Enio P. Souza 3 1 Departamento de Engenharia

Leia mais

formas de cooperação interurbana: o caso da rede de cidades do quadrilátero urbano

formas de cooperação interurbana: o caso da rede de cidades do quadrilátero urbano formas de cooperação interurbana: o caso da rede de cidades do quadrilátero urbano Fernando P. Fonseca Rui A.R Ramos Resumo: Palavras-chave Códigos JEL Abstract:. Keywords JEL Codes 37 estudos regionais

Leia mais

AGRICULTURA IRRIGADA E ESTIAGEM NA BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO

AGRICULTURA IRRIGADA E ESTIAGEM NA BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO AGRICULTURA IRRIGADA E ESTIAGEM NA BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO Daniel Pereira Guimarães 1, Elena Charlotte Landau 1, Denise Luz de Sousa 2 1 Engenheiro Florestal, Pesquisador, Embrapa Milho e Sorgo, Sete

Leia mais

Sumário. Apresentação, xix Pre/dcio à 7 a edição, xxi Prefácio à 1 a edição, xxiii. Parte I - EMPRESA E SISTEMAS, l

Sumário. Apresentação, xix Pre/dcio à 7 a edição, xxi Prefácio à 1 a edição, xxiii. Parte I - EMPRESA E SISTEMAS, l Sumário Apresentação, xix Pre/dcio à 7 a edição, xxi Prefácio à 1 a edição, xxiii Parte I - EMPRESA E SISTEMAS, l l SISTEMA EMPRESA, 3 1.1 Teoria geral de sistemas, 3 1.1.1 Introdução e pressupostos, 3

Leia mais

EROSÃO E PROGRADAÇÃO DO LITORAL BRASILEIRO

EROSÃO E PROGRADAÇÃO DO LITORAL BRASILEIRO Ministério do Meio Ambiente EROSÃO E PROGRADAÇÃO DO LITORAL BRASILEIRO 1 organização Dieter Muehe 2006 Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministra do Meio Ambiente Marina Silva Secretário

Leia mais

Desenvolvimento de uma Plataforma Gráfica para a Descrição de Modelos de Sistemas Ambientais

Desenvolvimento de uma Plataforma Gráfica para a Descrição de Modelos de Sistemas Ambientais Desenvolvimento de uma Plataforma Gráfica para a Descrição de Modelos de Sistemas Ambientais Tiago F. M. Lima 1,2, Tiago G. S. Carneiro 2, Sérgio D. Faria 3 1 Programa de Pós-Graduação em Análise e Modelagem

Leia mais

Europass-Curriculum Vitae

Europass-Curriculum Vitae Europass-Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada(s) Rua da Treija, nº 118, Sequeira 6300-805 Guarda Telemóvel 962986403 Fax(es) Correio(s) electrónico(s) bidarrex@gmail.com

Leia mais

Detecção Remota para extracção de

Detecção Remota para extracção de Detecção Remota para extracção de informação geográfica urbana: cartografia fractal das áreas edificadas e estimativa do potencial fotovoltaico dos edifícios José António Tenedório Universidade NOVA de

Leia mais

A Região Norte NUT III como valor acrescentado para o desenvolvimento digital da região e o potencial do Porto como Smart city

A Região Norte NUT III como valor acrescentado para o desenvolvimento digital da região e o potencial do Porto como Smart city A Região Norte NUT III como valor acrescentado para o desenvolvimento digital da região e o potencial do Porto como Smart city Amaro Correia, 19492@ufp.edu.pt Doutoramento em Ciências da Informação, SiTeGI,

Leia mais

A OCEANOGRAFIA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA

A OCEANOGRAFIA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA A OCEANOGRAFIA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA Pinheiro, M. A. A.; Fontes, R. F. C.; Oliveira, A. J. F. C.; Pinheiro, H. M. S. Universidade

Leia mais

Europass Curriculum Vitae

Europass Curriculum Vitae Europass Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Endereço(s) de correio eletrónico Magro da Costa Pereira, Inês, Morada(s) Largo do Terreirinho, 1 P-7050-120 Montemor-o-Novo

Leia mais

Banco de Dados Geográficos. Márcio Fernando Machry Rafael Orssatto

Banco de Dados Geográficos. Márcio Fernando Machry Rafael Orssatto Banco de Dados Geográficos Márcio Fernando Machry Rafael Orssatto Sistema de Informação Geográfico (SIG) Um Sistema de Informação Geográfico (SIG ou GIS Geographic Information System) é um sistema de hardware,

Leia mais

Área de Avaliação: ARQUITETURA E URBANISMO

Área de Avaliação: ARQUITETURA E URBANISMO LOGIN Selecione o tipo de detalhamento da pesquisa: Por Titulo do Periódico Por Classificação / Área de Avaliação Por ISSN do Periódico Área de Avaliação Qualidade Circulação Área de Avaliação: ARQUITETURA

Leia mais

ESTUDO DE SOLOS COLAPSÍVEIS POR MÉTODO NÃO-INVASIVO 1

ESTUDO DE SOLOS COLAPSÍVEIS POR MÉTODO NÃO-INVASIVO 1 Nº, dez/96, p.- ESTUDO DE SOLOS COLAPSÍVEIS POR MÉTODO NÃO-INVASIVO João de Mendonça Naime 2 Wilson Conciani 3 Márcio Miranda Soares 4 Paulo Estevão Cruvinel Sílvio Crestana 6 O colapso do solo vem preocupando

Leia mais

da ZONA PILOTO João Duarte Aurora Bizarro

da ZONA PILOTO João Duarte Aurora Bizarro Caracterização Ambiental da ZONA PILOTO João Duarte Aurora Bizarro Lisboa, 15/06/2009 Zona Piloto Decreto Lei 5/2008 de 8 de Janeiro Delimitação tendo em conta, nomeadamente, ausência de afloramentos rochosos

Leia mais

Bolsa de Integração na Investigação

Bolsa de Integração na Investigação Bolsa de Integração na Investigação Avaliação da precisão de um Modelo Digital de Terreno de alta resolução obtido por filtragem de dados LiDAR num povoamento de Eucaliptos: Bruno Baeta Magalhães Baptista

Leia mais

Mineração de Dados Meteorológicos pela Teoria dos Conjuntos Aproximativos para Aplicação na Previsão de Precipitação Sazonal

Mineração de Dados Meteorológicos pela Teoria dos Conjuntos Aproximativos para Aplicação na Previsão de Precipitação Sazonal Anais do CNMAC v.2 ISSN 1984-820X Mineração de Dados Meteorológicos pela Teoria dos Conjuntos Aproximativos para Aplicação na Previsão de Precipitação Sazonal Juliana Aparecida Anochi Instituto Nacional

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 2.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 2.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 2.1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NAS EMPRESAS* *slides adaptados material disponível livro do laudon 2004 2.1 2004 by Pearson Education Laudon & Laudon Essentials

Leia mais

Simulação virtual do planejamento de um edifício (Planejamento 4D)

Simulação virtual do planejamento de um edifício (Planejamento 4D) Simulação virtual do planejamento de um edifício (Planejamento 4D) Samuel João da Silveira (UFSC) samuelsj@pop.com.br Luis Alberto Gómez luis@ecv.ufsc.br Antônio Edésio Jungles ecv1aej@ecv.ufsc.br Resumo

Leia mais

Ferramentas para Uso e Publicação de Dados Abertos por Movimentos Sociais: uma abordagem participativa

Ferramentas para Uso e Publicação de Dados Abertos por Movimentos Sociais: uma abordagem participativa Ferramentas para Uso e Publicação de Dados Abertos por Movimentos Sociais: uma abordagem participativa Alan Freihof Tygel Greco PPGI NCE & IM UFRJ Defesa de Qualificação de Doutorado 23/05/2014 Orientadora:

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Slide 05 Modelos de Processos Maurício Archanjo Nunes Coelho mauricio.coelho@ifsudestemg.edu.br Instituto Federal Análise de Sistemas Por que surgiu a Engenharia de Software? Resposta

Leia mais

METODOLOGIA PARA PROJETO DE INTERFACES E EQUIPAMENTOS NUCLEARES COM ABORDAGEM CENTRADA NOS USUÁRIOS E NA SUA ATIVIDADE

METODOLOGIA PARA PROJETO DE INTERFACES E EQUIPAMENTOS NUCLEARES COM ABORDAGEM CENTRADA NOS USUÁRIOS E NA SUA ATIVIDADE 6 Disponibilizado no endereço http://www.acaoergonomica.ergonomia.ufrj.br Ação Ergonômica vol 3 nº. 1 (2007) pp. 01-06 METODOLOGIA PARA PROJETO DE INTERFACES E EQUIPAMENTOS NUCLEARES COM ABORDAGEM CENTRADA

Leia mais

Renzo Joel Flores Ortiz e Ilka Afonso Reis

Renzo Joel Flores Ortiz e Ilka Afonso Reis ESTIMAÇÃO DE POPULAÇÕES HUMANAS VIA IMAGENS DE SATÉLITE: COMPARANDO ABORDAGENS E MODELOS Renzo Joel Flores Ortiz e Ilka Afonso Reis Laboratório de Estatística Espacial (LESTE) Departamento de Estatística

Leia mais

Planejamento de execução de aplicação baseada no tipo de tarefa com o foco na análise de desempenho

Planejamento de execução de aplicação baseada no tipo de tarefa com o foco na análise de desempenho Planejamento de execução de aplicação baseada no tipo de tarefa com o foco na análise de desempenho Emerson da Silva Borges, Maurício Amaral de Almeida Pós-Graduação / Strictu Sensu - Programa de Mestrado

Leia mais

ENSINO MÉDIO. Geografia

ENSINO MÉDIO. Geografia ENSINO MÉDIO Geografia 2011 Governador do Estado de Pernambuco EDUARDO HENRIQUE ACCIOLY CAMPOS Secretário de Educação do Estado ANDERSON STEVENS LEÔNIDAS GOMES EQUIPE DE ELABORAÇÃO Evandro Ribeiro de Souza

Leia mais

Lista de Títulos Revistas/ Folhetos. Tipo de Material 1 Ambiente Revista. Sobre

Lista de Títulos Revistas/ Folhetos. Tipo de Material 1 Ambiente Revista. Sobre Lista de s s/ Folhetos 1 Ambiente 2 Architectural Record 3 Arquiteto 4 Arquitetura & Aço 5 Bamboo 6 Boletim Informativo - IAB-SP Folheto 7 Boletim Informativo - IAB-ES Folheto 8 9 Boletim Especial do Museu

Leia mais

Arquitetura Proposta

Arquitetura Proposta Componentização e Integração de Sistemas de Informação em Saúde de Grande Porte Bianca de Oliveira Spazziani 1, Fabiane Bizinella Nardon 1 1 Fundação Atech / Vidatis Sistemas de Informação em Saúde, São

Leia mais

PROJECTO NAZARÉ XXI. - Marina de recreio e Complexo Turístico de S. Gião

PROJECTO NAZARÉ XXI. - Marina de recreio e Complexo Turístico de S. Gião PROJECTO NAZARÉ XXI - Marina de recreio e Complexo Turístico de S. Gião Nazaré XXI é um projecto turístico de impacto regional, inserido na política de desenvolvimento económico que a Câmara Municipal

Leia mais

Análise do índice de instalação de empresas no Município de Osasco utilizando sistemas de informação geográfica e análise envoltória de dados - DEA

Análise do índice de instalação de empresas no Município de Osasco utilizando sistemas de informação geográfica e análise envoltória de dados - DEA Análise do índice de instalação de empresas no Município de Osasco utilizando sistemas de informação geográfica e análise envoltória de dados - DEA George Eduardo Serra Almeida 1 José Alberto Quintanilha

Leia mais

For-All - Uma Plataforma para Sistemas Pervasivos Orientados a Serviço

For-All - Uma Plataforma para Sistemas Pervasivos Orientados a Serviço For-All - Uma Plataforma para Sistemas Pervasivos Orientados a Serviço Elenilson Vieira da S. Filho 1, Ângelo L. Vidal de Negreiros 1, Alisson V. Brito 2 1 Departamento de Informática Universidade Federal

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS Av. Governador Lindemberg, 316, Jerônimo Monteiro ES, CEP 29550-000 C. Postal 16 Telefone:

Leia mais

Normalização e interoperabilidade da informação geográfica

Normalização e interoperabilidade da informação geográfica Normalização e interoperabilidade da informação geográfica perspetivas para a formação em Engenharia Geográfica João Catalão Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia Faculdade de Ciências

Leia mais

Geografia Leituras e Interação

Geografia Leituras e Interação Apontamentos das obras LeYa em relação às Orientações Teórico-Metodológicas para o Ensino Médio do estado de PERNAMBUCO Geografia Leituras e Interação 2 Caro professor, Este guia foi desenvolvido para

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS QUE UTILIZAM GEOPROCESSAMENTO E TECNOLOGIA BIM PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL

ESTUDO COMPARATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS QUE UTILIZAM GEOPROCESSAMENTO E TECNOLOGIA BIM PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL ESTUDO COMPARATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS QUE UTILIZAM GEOPROCESSAMENTO E TECNOLOGIA BIM PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL 1. INTRODUÇÃO E REFERENCIAL TEÓRICO A área de geoprocessamento

Leia mais

Universidade Católica Dom Bosco

Universidade Católica Dom Bosco Universidade Católica Dom Bosco Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Curso de Engenharia de Computação Técnicas de Visão Computacional para Rastreamento de Múltiplos Objetos João Bosco Oliveira Monteiro

Leia mais

Proposta para implantação e utilização de gerenciador corporativo de imagens georreferenciadas na CEMIG

Proposta para implantação e utilização de gerenciador corporativo de imagens georreferenciadas na CEMIG 06 a 10 de Outubro de 2008 Olinda - PE Proposta para implantação e utilização de gerenciador corporativo de imagens georreferenciadas na CEMIG Carlos Alberto Moura Ricardo Crispim Costa Fernando Iran Fonseca

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE BANCOS DE DADOS ESPACIAIS COM IMAGENS DE SATÉLITE

CONSTRUÇÃO DE BANCOS DE DADOS ESPACIAIS COM IMAGENS DE SATÉLITE CONSTRUÇÃO DE BANCOS DE DADOS ESPACIAIS COM IMAGENS DE SATÉLITE Renzo Joel Flores Ortiz e Ilka Afonso Reis Laboratório de Estatística Espacial (LESTE) Departamento de Estatística Universidade Federal de

Leia mais

OPERAÇÕES CENTRADAS EM REDE:

OPERAÇÕES CENTRADAS EM REDE: GTE - GUERRA DE INFORMAÇÃO Curso Avançado em OPERAÇÕES CENTRADAS EM REDE: DA SUPERIORIDADE DE INFORMAÇÃO AOS NOVOS MODELOS DE DECISÃO ENQUADRAMENTO Ao longo dos últimos anos, temos assistido ao desenvolvimento

Leia mais

Requisitos de Ferramentas Especializadas de Gestão de Configuração de Software

Requisitos de Ferramentas Especializadas de Gestão de Configuração de Software Requisitos de Ferramentas Especializadas de Gestão de Configuração de Software Ricardo Terra 1 1 Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Campus da Pampulha 31.270-010

Leia mais

Europass Curriculum Vitae

Europass Curriculum Vitae Europass Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada(s) Endereço(s) de correio electrónico Praceta Brunilde Judice, Lt2, R/C Frente, 2620-267 Ramada Odivelas (Portugal) Telefone(s)

Leia mais

INTRODUÇÃO O QUE É VISÃO COMPUTACIONAL?

INTRODUÇÃO O QUE É VISÃO COMPUTACIONAL? INTRODUÇÃO O QUE É VISÃO COMPUTACIONAL? Sinônimo Visão Computacional =========== Visão de Máquinas Análise de Imagens, Análise de Cenas Image Understanding Oposto Visão Computacional =========== Computação

Leia mais

Estudo Comparativo Entre Sistemas de Banco de Dados NoSQL e Relacional

Estudo Comparativo Entre Sistemas de Banco de Dados NoSQL e Relacional Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Graduação em Ciência da Computação Estudo Comparativo Entre Sistemas de Banco de Dados NoSQL e Relacional Marcelo Nascimento Oliveira Proposta de

Leia mais