CAPACITAR AS POPULAÇÕES PARA A INTEGRAÇÃO PLENA TOMADA DE POSSE NA CRPI DA PÓVOA CONFLITOS NA URMEIRA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CAPACITAR AS POPULAÇÕES PARA A INTEGRAÇÃO PLENA TOMADA DE POSSE NA CRPI DA PÓVOA CONFLITOS NA URMEIRA"

Transcrição

1 PUB TOMADA DE POSSE NA CRPI DA PÓVOA Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2012 // N.º 424 II Série Ano XII Director: Henrique Ribeiro CONFLITOS NA URMEIRA CUTPO ENTREGOU ABAIXO-ASSINADO EM DEFESA DOS TRANSPORTES PÚBLICOS CAPACITAR AS POPULAÇÕES PARA A INTEGRAÇÃO PLENA DESFILE DAS ALUNAS DO INSTITUTO DE ODIVELAS ANIMOU A CIDADE NESTE NÚMERO CLDS da Vertente Sul Instituto de Ciências Educativas Novos órgãos sociais na CRPI da Póvoa Externato Pica-Pau Ideologia do Poder Manjar do Casal Reunião da CMO Festival da Canção Infantil do Kaué Conflitos na Urmeira Projeto EU CIDADÃO Regressa a Hipoterapia Aniversário do MOC Loja do Turismo Utentes dos Transportes Públicos Projeto SerSeguro BE acusa CMO de não responder a requerimento Joclima, ar condicionado Instituto de Odivelas Exposição nos Paços do Concelho Dualidades Ponto e Vírgula Universidade Sénior Kalunga Imagens Reais, fotografia e vídeo Estreito de Magalhães Caneças Solidária Entretanto Todos a Bordo Horóscopo Deishas e Hacienda D Luisa Flash do Reino Woodsart Guarda Real Realmente Nobres Confissões DESPORTIVAMENTE XADREZ DO GINÁSIO CLUBE DE ODIVELAS EM DESTAQUE

2 2 Nova Odivelas 20 Janeiro 2012 ATUALIDADE DESENVOLVIMENTO SOCIAL A IDEOLOGIA DO PODER CLDS da Vertente Sul continua a trabalhar pela integração Henrique Ribeiro O Contrato Local de Desenvolvimento Social (CLDS) da Vertente Sul, cujo primeiro projecto terminou em Março de 2011, foi um dos poucos do país a ser renovado e em Maio do mesmo ano começou o novo projecto que vai durar mais dois anos, num novo local e com mais valências. A filosofia destes projectos parte do trabalho local e integrado com quatro eixos de intervenção obrigatórios: emprego, formação e qualificação; intervenção familiar e parental; a capacitação da comunidade e das instituições e informação e acessibilidade. Para além destes eixos obrigatórios cada CLDS pode estabelecer o seu próprio plano de ação onde as acções a desenvolver em cada um dos eixos serão viradas para as necessidades locais. Benedita Lima disse-nos que após o término do primeiro projecto, e tendo em conta os resultados que foram obtidos, o CCPF entendeu que se devia avançar com um novo CLDS porque se verificou ser pertinente que certas áreas de intervenção não morressem e continuassem a existir na Vertente Sul e não havia mais nenhuma entidade no terreno que conseguisse mantê-las. A coordenadora deu como exemplo a formação em informática que tinha uma longa lista de espera. Também na área social iria ser criado um grande vazio se o CLDS terminasse. Apresentada a candidatura, acabou por ser aceite, ainda no Governo anterior, tornando este CLDS um dos poucos que foram renovados a nível de todo o país. O novo Plano de Ação foi mais fácil de fazer porque já existiam os resultados do projecto anterior o que facilitou a descoberta do tipo que acções que deviam ser implementadas. Este plano foi aprovado pelas entidades competentes mas ainda não está completamente vali- N a edição 363, de 15 de Outubro de 2010 (www.novaodivelas.pt/pdf/363. pdf) apresentámos o primeiro projecto do Contrato Local de Desenvolvimento Social da Vertente Sul, que tinha como entidade gestora o Centro Comunitário e Paroquial de Famões (CCPF) e que teve o seu início em Abril de Neste projecto o CLDS funcionou no Vale do Forno e terminou em Março de O novo projecto apresentado pela entidade gestora foi aprovado e a 13 de Maio assinado o Protocolo que sustenta o CLDS. Em Junho a equipa voltou ao terreno continuando a ser coordenada por Benedita Lima mas mudando as suas instalações para a Quinta do Zé Luís, ficando no centro dos bairros abrangidos que são Vale do Forno, Quinta do Zé Luís, Encosta da Luz, Quinta das Arrombas e Serra da Luz. Nas duas pontas estão a Urmeira e o Senhor Roubado, que não sendo áreas do CDLS também encontram ali apoio. A propósito da 3ª edição da Feira do Emprego, Desenvolvimento e Empreendedorismo que vai acontecer a 26 de janeiro, o Nova Odivelas voltou esta semana ao CLDS da Vertente Sul para, em conversa com Benedita Lima, coordenadora e Cristina Nascimento, responsável pelo evento, fazer o ponto da situação deste novo projecto que irá terminar em Os Contratos Locais de Desenvolvimento Social, que existem um pouco por todo o país foram criados pelo Governo português no âmbito da luta contra a pobreza e a exclusão social. O CLDS da Vertente Sul de Odivelas resultou de um Protocolo de Intenções entre o Instituto da Segurança Social (ISS), que gere o projecto e os financiamentos; a Câmara Municipal de Odivelas, que identificou esta área como Zona Crítica quer pela instabilidade dos solos quer pela ilegalidade e debilidade da construção e o Centro Comunitário e Paroquial de Famões (CCPF) que gere o projecto no terreno. Benedita Lima explicou-nos que o CCPF «Foi convidado por já ter tradição em projectos de luta contra a pobreza». Fotografias: Henrique Ribeiro

3 ATUALIDADE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 20 Janeiro 2012 Nova Odivelas 3 dado, encontrando no Instituto de Segurança Social (ISS) à espera da validação deste organismo, faltando por isso a assinatura do projecto definitivo. O projecto funciona há vários meses sem essa validação e consequentemente sem a transferência de verbas do ISS para a entidade gestora do projecto. Benedita Lima disse se poderia ter esperado que o projecto fosse oficialmente assinado e partir para o terreno com o financiamento garantido, mas perdendo tempo de execução do projecto que termina definitivamente em 2013, para além do facto de haver uma perda de continuidade que ira criar mais dificuldades no recomeço. Por isso o Centro Comunitário e Paroquial de Famões entendeu que devia avançar com o trabalho no terreno ainda que tivesse que avançar com as verbas necessárias ao desenvolvimento da actividade, como o vencimento dos cinco elementos da equipa técnica e dos formadores contratados para as várias ações formativas. Segundo Benedita Lima «Não estávamos a contar que demorasse assim tanto tempo o que está a causar vários constrangimentos financeiros. A equipa voltou a funcionar em pleno em junho do ano passado, estas instalações são arrendadas com o pagamento mensal do aluguer, há as despesas da electricidade, água, da Internet e tudo o resto». As verbas investidas pelo Centro Comunitário e Paroquial de Famões neste projecto até 31 de dezembro de 2001 ascendem aos 70 mil euros aos quais se juntam mais 20 mil euros que ainda não foram recebidos do projeto anterior. «Não é nada fácil. O Centro Comunitário e Paroquial de Famões tem tido grandes dificuldades em conseguir manter este projecto a funcionar». A especificidade deste tipo de projectos cria algumas situações complicadas para as pessoas envolvidas. Em março, como o término do primeiro projecto a equipa ficou desempregada até junho, o mesmo voltando a acontecer quando o projeto terminar em maio de Perguntámos a Benedita Lima o que farão nessa altura. «Fazemos como os utentes do CLDS, inscrevemo-nos no Centro de Emprego e damos início ao nosso próprio processo de pesquisa de emprego com vista a mantermos a nossa carreira profissional» disse-nos com ar bem disposto, rendida à inevitabilidade da situação. Mas a preocupação fundamental de Benedita Lima é com os resultados do projecto. «Estes projectos quando são apresentados têm como objectivo principal capacitar a população de uma determinada zona. Iniciam-se intervenções que ao fim de dois ou três anos começam a ter alguns pequenos resultados, porque a área social não é fácil de trabalhar e quando se começam a obter resultados vamos embora. Não pode ser». A coordenadora lembrou que um dos objectivos fundamentais do CLDS é «Deixar no terreno algumas das actividades que aqui iniciámos. Esse é um trabalho que nós temos de fazer e já começámos a trabalhar nesse sentido. Temos aqui algumas pessoas e associações com características para poder agarrar em algumas actividades mas temos também um grande problema, ao qual temos de dar a volta que é a sustentabilidade dessas actividades. A área social não dá dinheiro mas nós temos de descobrir uma maneira de rentabilizar o projecto porque não é possível fazer nenhum trabalho sem dinheiro». Um dos principais desafios da equipa do CLDS da Vertente Sul neste projecto é «Identificar de que forma é que vamos manter no terreno aquelas que nos parecem ser as actividades principais para que esta população continue o seu processo de capacitação e de inserção social». Benedita Lima acredita que não vai ser fácil mas que «As entidades que têm gerido e coordenado este projecto não vão deixá-lo morrer assim, se não, nem sequer faria sentido ter começado. Acredito que as principais entidades parceiras e que deram origem ao projecto, O instituto de Segurança Social, a Câmara Municipal de Odivelas e o Centro Comunitário e Paroquial de Famões, alguma coisa irão descobrir para manter as actividades» após o encerramento definitivo do projecto em maio de Fazendo um balanço do projecto terminado em Março de 2011, Benedita Lima considerou os resultados muito positivos tendo abrangido cerca de pessoas dos bairros da Vertente Sul se considerarmos os 900 inscritos nas diversas actividades e as respectivas famílias que acabavam também por participar e aquelas pessoas que participavam em actividades pontuais como a Feira de Emprego ou ações pontuais que não careciam de registo. Os bairros da Vertente Sul têm uma população estimada de 12 mil pessoas. «O primeiro CLDS foi de arranque, as pessoas começaram a conhecer-nos, a saber onde estávamos e o que fazíamos. O CLDS não é um projecto só para pessoas com dificuldades socioeconómicas, é para todos os residentes da Vertente Sul e as pessoas habituaram-se a vir ter connosco sempre que necessitavam porque nós tínhamos oferta variada a vários níveis, mesmo cultural e desportivo. Capacitámos muitas pessoas a nível do RVCC, fizemos vários cursos de informática além do inúmero apoio social». Cristina Nascimento, responsável pelo eixo Emprego, Formação e Qualificação disse-nos que a partir do momento em que a pessoa se inscreve no CLDS é traçado um plano de inserção profissional em conjunto com um técnico. «Temos apoio à orientação vocacional e profissional e todo o trabalho feito em conjunto com o técnico no espaço Clube de Emprego, com actividades de pesquisa activa como a elaboração do currículo, acesso a motores de busca de procura de emprego, respondem a anúncios, fazem candidaturas espontâneas, etc.». O CLDS da Vertente Sul está a trabalhar para a criação de um Portal de Emprego próprio e existe articulação com as empresas, algumas de trabalho temporário e outras sediadas em Odivelas que contactam o projecto para obter trabalhadores. Segundo Cristina Nascimento já se registaram alguns casos de sucesso. Para as pessoas que pretendam criar o seu próprio emprego e queiram recorrer ao microcrédito o CLDS tem articulação com a Associação Nacional de Direito ao Crédito e com o Millennium BCP e ajuda na elaboração de todo o projecto de negócio. Se o técnico perceber que o projecto tem potencialidades para ser financiado o processo é encaminhado para o gestor do projecto do banco ou da associação. O CLDS, em articulação com a Câmara Municipal de Odivelas e a AUDAX, está também envolvido no projecto Mulher Criadora. «É um projecto muito interessante onde se pretende capacitar mulheres residentes na Vertente Sul para a criação do seu próprio negócio». A entidade gestora do projecto é a AUDAX, um centro de investigação e de apoio ao empreendedorismo e às empresas familiares, que tem como associados institucionais fundadores o INDEG/ISCTE-IUL e a Fundação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Para além do CLDS está também envolvida a Associação Rute. O projecto Mulher Criadora tem a duração de 75 horas e reúne como objectivos a criação de um plano de negócios, o desenvolvimento de competências pessoais e sociais que se constituirão como importantes ferramentas para a vida. Durante este período, as mulheres vão ter ainda uma abordagem de temáticas ajustadas às suas necessidades e, caso existam condições de viabilidade, vão poder criar o seu próprio negócio. Na área social e das famílias o CLDS presta apoio social directo em carência muito básicas, como as alimentares. «Temos distribuição de

4 4 Nova Odivelas 20 Janeiro 2012 PUB

5 ATUALIDADE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 20 Janeiro 2012 Nova Odivelas 5 alimentos do Banco Alimentar e de roupas que nos são doadas», disse Benedita Lima, referindo que há muitas pessoas a fazer essa doação mas também muitas pessoas a solicitar esse apoio. O apoio alimentar é prestado a 50 famílias, que abrangem mais de 100 pessoas. «Temos uma grande lista de espera para avaliação. Infelizmente não conseguimos dar resposta imediata porque estas questões da distribuição de alimentos são muito sensíveis». O CLDS apoia apenas os residentes da Vertente Sul que pertencem à freguesia de Odivelas. Os restantes residentes são apoiados pela Associação Rute. Existem também acções de formação e informação ao nível da cidadania, como a gestão doméstica, trabalho com crianças e apoio psicológico, entre outros. Estas ações são participadas e há pessoas que são muito regulares na sua participação, segundo a coordenadora do CLDS. Começam também a aparecer agora pessoas motivadas para ajudar nas ações em regime de voluntariado. «Temos uma pequena equipa de voluntários que nos ajudam muito em pequenas coisas. É um movimento ainda incipiente, esta a começar agora, mas estamos muito contentes porque é importante também para as pessoas poderem também comunicar entre si, associarem-se e até elas próprias poderem criar ações que é outro dos objectivos do nosso projecto». Capoeira, danças de Salão, Taichi e música também são actividades desenvolvidas pelo CLDS onde os participantes têm acesso de forma gratuita. A equipa está a pensar numa forma de os utentes entregarem uma caução, a devolver no final, para responsabilizar mais as pessoas que por vezes se inscrevem mas depois dão frequentes faltas. No entanto é apenas uma ideia que Benedita Lima não sabe se vai ser ou não concretizada. «Serviria também para as pessoas se habituarem a que as coisas têm custos porque um dia o CLDS vai sair daqui e qualquer outra entidade terá de cobrar essas actividades». A área da informática é das mais participadas de todas as actividades promovidas no CLDS da Vertente Sul. «Temos momento já temos inscrições que dão para fazer cursos até ao final do projecto e não temos tempo de fazer cursos para toda a gente porque duram algum tempo. Termos cursos de manhã, á tarde e à noite e mesmo ao sábado e está tudo esgotado». Os cursos são devidos em cinco módulos de cerca de trinta horas cada um e os participantes podem inscrever-se só nos módulos que desejem. O quiosque de Internet também tem muita procura e uma utilização diária. Em final de conversa Benedita Lima sublinhou a importância deste projecto. «Tem sido um trabalho interessante para mim e seguramente para toda a equipa. Felizmente tenho encontrado sempre uma excepcional». A equipa do CLDS é constituída por cinco pessoas, a coordenadora, um engenheiro que trata da área informática, uma técnica de recursos humanos, uma psicóloga e uma técnica de serviço social. Existem ainda os formadores esternos para as várias ações de formação nas diferentes áreas. Para além disso o CLDS conta com a «Colaboração gratuita e voluntária de muitas pessoas, como nos rastreios de saúde onde temos uma enfermeira voluntária quer vem cá periodicamente. Contamos ainda com a participação de muitas entidades que colaboram con- nosco nas organizações dos workshops e outras ações. À medida que vamos solicitando o apoio há várias entidades que vão apoiando o projeto. É a 3ª Feira do Emprego única maneira de ele não se tornar tão caro. Somos um polo aglutinador de recursos da comunidade e isso é muito interessante». No dia 26 de janeiro, entre as 10h00 e as 19h00, vai acontecer a 3ª edição da Feira do Emprego, Desenvolvimento e Emp r e e n d e d o r i s m o que, segundo Cristina Nascimento, «Visa promover a aproximação das empresas à realidade da Vertente Sul e apresentar ofertas formativas e de emprego, bem como sessões de esclarecimento por parte de algumas entidades». Na feira vão estar presentes empresas de trabalho temporário e de formação, o Centro de Emprego de Loures. «Este ano a feira tem um novo conceito não sendo apenas um evento com os vários stands mas também sessões de esclarecimento e workshops. Queremos que o público não se informe apenas no stand específico mas que possa aprofundar a informação». Programa: 10h00 Sessão de abertura com Benedita Lima, coordenadora do CLDS 11h00 Momento de coaching com a Plano Sentidos 12h00 Animação Musical com a LX PRO 14h30 Entrega de certificados aos voluntários do CLDS-VS e de formação TIC 15h00 Sessões de Esclarecimento: ACIDI, AUDAX-ISCTE; Microcrédito, Millennium BCP e Associação Nacional de Direito ao Crédito; Centro de Emprego de Loures; empresa Talenter, recrutamento e apoio ao imigrante; empresa Escriturando, estágios profissionais. PUB

6 6 Nova Odivelas 20 Janeiro 2012 QUOTIDIANOS ASSOCIATIVISMO Órgãos Sociais da CRPI tomam posse David Braga Os 23 elementos que constituem os novos órgãos sociais da Comissão de Reformados, Pensionistas e Idosos da Póvoa de Santo Adrião eleitos na última assembleia-geral eleitoral de 17 de Dezembro, para o biénio 2012/2013, tomaram posse no sábado, 13 de janeiro, em cerimónia realizada na sede da instituição. C sado dia 17 de Dezembro usou da palavra elogiando os elementos que na sua maioria são reconduzidos e que no mandato passado «Conseguiram, com muito trabalho e empenho a estabilização financeira do centro, o que tem permitido proceder a alguns melhoramentos e a alguns investimentos», acrescentando ainda que acredita que a CRPI vai continuar a contar com o apoio da câmara municipal e por fim agradeceu nas pessoas de Hugo Martins e Fernanda Franchi os 6 cabazes de Natal oferecidos pelos eleitos do PS na Câmara e Assembleia Municipal a utentes mais carenciados da CRPI. Por sua vez, Francisco Pires, presidente reeleito para mais um mandato de dois anos numa curta intervenção começou por endereçar as boas vindas a todos os presentes na sala agradecendo aos restantes membros dos órgãos sociais que «São pessoas excepcionais e que têm feito um trabalho inexcedível em prol dos sócios e utentes da CRPI». Referiu ainda que «Em tempos de crise não desistimos de ir à luta, queremos continuar e se possível ampliar os nossos serviços. O nosso melhor pagamento é o bem-estar de quem servimos diariamente». Antes de terminar Francisco Pires numa declaração cheia de intenção deixou o recado a quem de direito afirmando «Mais do que projectos bonitos, bem escritos e cheios de floreados feitos nos gabinetes, é tempo de agir, é tempo de vir para o terreno e conhecer a dura realidade». Logo de seguida Fernanda Franchi que acusou o toque dado pelas declarações de Francisco Pires, que por acaso, viemos à posterior saber, nada tinham a ver com a Câmara mas sim com outra instituição que nem sequer se fez representar, não deixou no entanto de responder. A vereadora com o pelouro da Acção Social começou saudar todos aqueles que tomaram posse passando depois então a responder directamente a Francisco Pires. Fernanda Franchi referiu que «Apesar situação financeira não ser fácil há um compromisso da própria presidente Susana Amador que a acção social continuará a ser uma prioridade». No segui- Fotografias: David Braga mento do seu discurso e para provar que a câmara não deixa projectos na gaveta enumerou alguns que já estão no terreno com são os casos da Teleassistência, do projecto convida-avida, da formação de informática a seniores, da loja social, entre outros. Para Fernanda Franchi, os tempos não estão para facilidades e pede a todos que se unam numa cadeia de solidariedade para fazer face às dificuldades que por aí vêem. Contraindo o protocolo foi Rogério Breia que finalizou os discursos com mais um recado desta vez a Achando Ramos dizendo que este «Por lapso deve ter se esquecido de dizer que a Junta de Freguesia da Póvoa de Santo Adrião também ajuda a CRPI tanto a nível monetário como noutras coisas sempre que lhe é solicitada», até porque como quis deixar bem vincado «O Francisco Pires é massacrante e só deixa de o ser quando consegue o que pretende». No final da tomada de posse ainda houve tempo para os convidados verem a nova viatura adquirida pela CRPI onde lhes foi explicado as potencialidades do veículo capaz de transportar pessoas com mobilidade reduzida e para o tradicional Porto de Honra onde todos brindaram ao sucesso om a presença das Vereadoras Fernanda Franchi e Maria da Luz Nogueira, do Vereador Hugo Martins, do presidente da Junta de Freguesia da Póvoa de Santo Adrião, Rogério Breia, e representantes de outras associações similares tomaram posse os novos membros dos órgãos sociais da CRPI. Numa cerimónia simples o presidente da Assembleia-geral, António Achando Ramos depois de ter dado posse a todos os eleitos saídos da assembleia-geral eleitoral do pasdestes novos Órgãos Sociais. Aproveitámos a presença de Maria da Luz Nogueira para ouvir a opinião desta sobre o momento actual do movimento associativo de cariz social. Para a vereadora comunista a situação generalizada de grande carência dificulta a vida das instituições sociais do concelho. O facto da Segurança Social não actualizar as tabelas de comparticipação bem como atrasar-se na transferência de verbas, exigindo do ponto de vista técnico e humano condições a que as instituições não conseguem responder só vem agravar a situação já de si difícil. A Câmara faz o que pode na actual conjuntura, mas no passado devia ter feito mais acrescenta Maria da Luz que deixa criticas ao governo pelas opções feitas em «Que a crise é só para alguns. Quando devia ser reforçado o apoio às famílias o governo retira benefícios quando era possível ser de outra forma. A solução não é cortar nas prestações sociais». Aliás para a eleita da CDU o Estado Social está paulatinamente a ser destruído com a descapitalização da Segurança Social e com um reduzido número de famílias a concentrar a riqueza existente em contraste com o resto da população em empobrecimento constante. PUB

7 PUB 20 Janeiro 2012 Nova Odivelas 7

8 8 Nova Odivelas 20 Janeiro 2012 A IDEOLOGIA DO PODER Voando sobre um ninho de cucos O facto de se colocar, na banda do casaco, a bandeira nacional, parece bem mais uma imitação inspirada num certo hábito dos presidentes americanos, do que uma verdadeira paixão patriótica. Fernando Tudela U m certo mau estar parece começar a sentir-se no seio do PSD, com o seu parceiro de Governo, o CDS, por vezes, de forma velada, a fazer maior oposição que o próprio Partido Socialista, que, numa espécie de fogo-fátuo, não consegue, através de António José Seguro, conter contradições herdadas do anterior governo, nem evitar que surja à luz de quem quiser estar atento, um desconforto perverso, agora com origem num revanchismo dos adeptos de Sócrates, o qual, tal como Paulo Portas, paradoxalmente, parece querer passar desapercebido, fazendo-se notar estas duas personagens, pelo seu ruidoso silêncio, nesta espécie de voo sobre este ninho de cucos. É que Paulo Portas e o seu partido, não parecem sentir muito o desgaste de uma política de empobrecimento e hipoteca da soberania do País, levada a efeito por Passos Coelho, na defesa do seu pensamento neo-liberal e da economia capitalista, sujeita que está à voragem dos mercados e às medidas ruinosas tomadas no contexto de uma ocupação estrangeira de um Portugal que deveria ser soberano, mas é governado por uma Tróica (EU/BCE/FMI), onde cada português parece valer menos que um sistema de exploração, sob pretexto de um apoio financeiro, cuja deriva passa por retirar direitos e salários a quem trabalha, numa autêntica política de insensibilidade social e de retrocesso civilizacional, a qual se vai espalhando por esta Europa, a golpes de corte de rating, levados a cabo por agências que não são mais do que organizações terroristas ao serviço do capitalismo e da sua vertente, chamada mercados. STANDARD & POOR S BAIXA RATINGS (DOLAR VS EURO?) Vivemos numa espécie de democracia em que a coação psicológica faz parte de um sistema económico, onde são utilizadas armas de arremesso que protegem e definem os caminhos que os investidores financeiros desejam ver trilhados. A democracia, como a conhecemos, está a esvair-se, perante o princípio defendido pelos economistas neo-liberais, de que são exemplos o ministro português das Finanças, Vítor Gaspar e da Economia, Álvaro Santos Pereira. É difícil não reparar que Pedro Passos Coelho optou por uma revolução anticonstitucional, baseada na sua antiga proposta de revisão da mesma e que acabará com o que ainda existe do chamado Estado Social, pois, liberdade e mercados, são, para estes fundamentalistas, a única forma de democracia, juntando-a ao princípio de que a propriedade privada é sagrada e que nenhum Estado a poderá obstaculizar. Esta política que leva o Governo a ser mais papista que o papa, ultrapassando os limites no que se refere ao próprio programa da Tróica, estribando-se no princípio de que é preciso ser um bom aluno, demonstrar obediência e conquistar a confiança dos mercados, não passa de uma política de vendilhões do templo, onde a bandeira portuguesa na lapela de cada ministro, representa um acto de vassalagem ao sistema que desejam e estão a impor aos portugueses. Numa reflexão que tem tudo a ver com o que atrás foi dito, parece ser óbvio que os mercados desejam definhar a Europa e atacar o euro, pela via da sua desvalorização, tomando como álibi as dívidas soberanas dos vários países da zona, começando pelas crises nos países periféricos. A STANDARD & POOR S, uma das mais consideradas agências de rating, acaba por levar a cabo um corte em vários países da zona, com relevo para a França, sem esquecer a Áustria, Espanha e Itália, cujo chefe do governo é Mário Monti, numa perspectiva de uma avaliação de crise sistémica. Aliás, parece não ser inocente o timing utilizado, na medida em que o primeiro-ministro da Itália, Mário Monti, ainda há pouco falava numa perspectiva de estabilização da zona euro. Também a entrada em cena dos chineses em Portugal, através da compra da parte estatal na privatização da EDP, bem como a promessa de avançarem para outros investimentos (REN e empresas financeiras), pode ser considerada, ainda que muito boa gente possa achar uma observação ingénua e improvável, como um alerta, na perspectiva em que a RPC tem uma estratégia de controlo e submissão da Europa, minada por uma desindustrialização e uma crise dos sistemas políticos, já que os EUA estão em extrema dificuldade, até, segundo analistas, maior que os países europeus. UMA MENSAGEM DE AVISO DE GUERRA? Em contenção, os americanos reduzem significativamente o seu orçamento para a defesa, mas estão a concentrar esforços para apontar esta no sentido do Oriente, numa manobra geoestratégica. Isto é significativo e pode mostrar-nos como se está a mon- tar uma prevenção, tendo em conta uma futura guerra inter-imperialista. Quando? Não se sabe para já. Os EUA, estão a utilizar a NATO e a Europa como carne para canhão, deixando o ónus das intervenções da força imperialista ocidental, para os países europeus. Foi demasiado evidente, o pouco empenhamento americano na guerra civil na Líbia e, embora surjam sinais, a Síria não está a coberto de uma intervenção, esta com a colaboração activa da dos países europeus. O Afeganistão recomeça com as suas contradições étnicas, talvez mais uma guerra perdida pelo imperialismo americano. A História diz-nos que jamais alguém ganhou um conflito neste país e a experiência da URSS, saldou-se pelo acelerar do fim do império soviético. E as primaveras árabes? Está o terreno aberto para o avanço de governos com forte pendor teocrático na zona Norte de África / Médio Oriente. O IRÃO É PEDRA NO SAPATO Estamos num tempo em que as sanções económicas estão a passar de moda. Elas já não têm o mesmo efeito, pois o Mundo mudou e a correlação de forças se tornou muito diferente. Ahmadinejad encontra nos países emergentes, em especial os que alteraram as suas formas de acção política, numa espécie de adesão à velha teoria dos três mundos reinventada, nascida com Mao Tsé Tung, embora bebendo, apenas, algumas das suas características. É que já não existe o campo socialista, capitalista e os não alinhados (pode-se ver as coisas, como estes últimos sendo os países emergentes). Daí, que um hipotético global embargo ao Irão, como forma de pressão para que desista do seu programa nuclear com objectivos pacíficos ou não se esteja a mostrar uma faca de dois gumes para o Ocidente. O Périplo levado a cabo por Ahmadinejad, através dos países da América Latina, vale mais pela repulsa do imperialismo americano, que data aos tempos de Reagan, que pelo sincronismo ideológico entre as partes envolvidas, numa unidade anti-imperialista. Não devemos, no entanto, esquecer a História e recuarmos no tempo. Em 19 de Agosto de 1953, o primeiroministro da Pérsia (Irão), Mossadeq, foi derrubado por um golpe de Estado, organizado pelos EUA e a CIA, quando, entre várias medidas de carácter social, se atreveu, no que respeitas às riquezas do país, a nacionalizar a indústria petrolífera, que, ao tempo, estava nas mãos da Companhia do Petróleo Anglo - Persa. O perigo do nuclear, tão acentuado pelo Ocidente, com os EUA à cabeça, não pode ser separado de um certo ódio de estimação dos iranianos em relação aos americanos, reavivado em 1978, na presidência de Jimmy Carter, com a ocupação da embaixada americana, onde foram feitos reféns, durante mais de um ano, os seus funcionários. A queda do Xá Reza Palevi, que em 1953 se tinha aliado aos EUA, foi deposto, depois de um reinado em que uma ditadura feroz, apoiada pela polícia secreta, a SAVAK, a qual obrigou muitos persas ao exílio, entre eles o ayatolah Komeni. Agora, uma vez

9 A IDEOLOGIA DO PODER 20 Janeiro 2012 Nova Odivelas 9 mais, o Irão é uma pedra no sapato dos americanos, embora uma intervenção armada americana, seria, provavelmente, uma catástrofe de efeitos desconhecidos. A questão, centra-se no repúdio do imperialismo americano e, como alguém diz, a compra da EDP pelos chineses, tem a ver com a influência de ordem económica e política, numa visão global estratégica, a qual se centra numa esfera de influência em relação aos países emergentes (África e América Latina), onde a empresa portuguesa tem muitos interesses de ordem económica. Estaremos perante um dilema que se traduz pela queda de um ciclo político internacional, numa perspectiva da decadência de influência económica e política do Ocidente (EUA- Europa)? Aqui ficam os dados para uma reflexão e compreensão de como vai o nosso mundo na questão das influências e das consequências que poderão advir nos caminhos que estão a ser trilhados. COMO SOMOS MANIPULADOS Se Mário Soares nos diz que os mercados deveriam estar sujeitos ao poder político, é pela simples razão de que não admite, que, só se estiverem subordinados a um Estado forte, eles serão aquilo que se poderá chamar mercados numa economia ao serviço do ser humano, aliás o verdadeiro sentido da economia. Mas isto vai contra os princípios do capitalismo e faz-nos recordar a teorização sobre este tipo de economia, levada a cabo por Karl Marx. Trata-se, no caso de Mário Soares, da falta de uma perspectiva que tem a ver, quer se queira ou não a iniciativa dita privada e as questões levantadas com o direito à propriedade, estão na origem de uma descaracterização da economia -, com a existência da luta de classes. Se assim não fosse, ainda estaríamos no ciclo da economia feudal, para não falar do esclavagismo, que, ainda, é a base de economias mais atrasadas, no que respeita à função que determina o princípio de que ela deve ser tida como uma ciência do homem para o homem, na satisfação das suas necessidades e não como o meio, cujo objectivo último é o lucro e a acumulação da riqueza. E é neste contexto que verificamos os ciclos de crise económica, fabricados pelo capitalismo, como forma de uma autofagia para a sua sobrevivência. Mas tudo tem um fim, resultante das mudanças contínuas e das contradições por elas geradas. A globalização capitalista está moribunda e, como em 1929, a crise, indubitavelmente, acabará na confrontação bélica, a qual resultou de uma outra, mal resolvida e que redesenhou o mapa dos países, concluído com as partilhas da II Guerra Mundial do século passado, depois de uma serie de conflitualidades de experimentação, de que a Guerra Civil em Espanha foi um exemplo. A paz verdadeira surge, apenas, com o fim das contradições e numa sociedade em que elas são resolvidas num contexto de mudança ideológica e política. UMA EUROPA DAS PÁTRIAS E O FIM DE UMA UTOPIA Aqueles que insistem em fazer as classes trabalhadoras pagar para convencer os mercados, dar-lhes sinais de confiança, parece não entender que a chantagem é uma arma na luta entre zonas imperialistas e de influência, pelo controlo da economia e das riquezas subjacentes ao fornecimento de matériasprimas. Ao que parece, deixaram-se encantar por modelos, só e apenas, baseados no individualismo, aliado a uma espécie de lei da selva que vai contra o desenvolvimento intelectual da sociedade e o princípio de que tanto falam da Carta Universal dos Direitos Humanos. Afinal, não passa de um manual de boas maneiras entre pares! Portugal, jamais pagará a dívida soberana e voltará aos mercados, pois nem a estes convém, tal como a países europeus, apertando-se o garrote em torno dos pescoços do povo, onde as classes trabalhadoras se vêem espoliadas e forçadas a um retrocesso civilizacional. É preciso que reajam a este forçado retrocesso de mais de um século! O desmembramento da zona euro e da própria UE poderá traduzir-se por um abrir de uma qualquer PUB caixa de Pandora, mas teimar em ligar o doente, em fase terminal, à máquina, não é uma solução. Aliás, os mercados manipulam e só há uma forma de combater a praga ideológica que os envolve, que passa pela opção por alternativas ao sistema capitalista, para alguns um novo p a r a d i g m a (para Mário Soares um novo (?) capitalismo). Só que novos paradigmas não podem passar pelo princípio de que quem gera riqueza é, tão-só a iniciativa privada. Ela é gerada por quem vende a sua força de trabalho, produzindo as mais-valias, as classes trabalhadoras. A ideia que os grandes investimentos empresariais criam postos de trabalho e só eles, encobre a grande verdade, na medida em que o objectivo primeiro e único é o lucro. Quando uma grande empresa não atinge os objectivos traçados, como começa a sua reestruturação? Reduzindo e despedindo nos seus efectivos! Pois bem, as pequenas e médias empresas, em Portugal, são a força da economia, enquanto os grandes grupos económicos criam sedes no estrangeiro, baseando-se na legalidade do sistema montado para eles. Economia de casino, jogo do monopólio, patrão paternalista? Para cada um a sua resposta! E a UE dos interesses e da moeda única, dos países metidos num espartilho, sem se poderem movimentar, levando o continente europeu ao empobrecimento e às economias em várias velocidades e sem respostas políticas, às ditaduras dos mercados? É o fim das chamadas democracias, dos Estados ditos de Direito? Eis, propostas para reflexão para quem tenha coragem para a fazer! Que saudades da Europa das pátrias, soberanas, e das relações com base nos interesses mútuos Será que estamos a voar sobre um ninho de cucos?

10 10 Nova Odivelas 20 Janeiro 2012 PUB

11 PODER LOCAL EXECUTIVO MUNICIPAL Programa de Teleassistência Sénior vai continuar 20 Janeiro 2012 Nova Odivelas 11 Henrique Ribeiro Na terça-feira 10 de janeiro realizou-se a primeira reunião ordinária de 2012 da Câmara Municipal de Odivelas, que não foi aberta ao público. No Período Antes da Ordem do Dia (PAOD) foi aprovado por unanimidade um Voto de Congratulação sobre a classificação do Fado como património Imaterial da Humanidade, a primeira revisão orçamental, a continuação do programa de teleassistência sénior e a proposta de Construção do Pólo Cívico e Comunitário do Vale do Forno. N o início do Período antes da Ordem do Dia o vereador independente Paulo Aido, requereu informações relativas a todos os custos inerentes à actividade do gestor escolhido para o Pavilhão Multiusos. «Na continuação da ausência de um modelo de gestão para o equipamento», o autarca quer conhecer «Todos os valores pagos àquele técnico, bem como a cópia das folhas da conta corrente daquele prestador de serviços». Paulo Aido também pediu que lhe fossem fornecidos os custos da acção de comunicação, que anunciou a recriação do Jardim da Ribeirada, ocorrida nos últimos dias de «Pretendo os custos da produção das monofolhas, a quantidade produzida e ainda o custo com a distribuição e a que áreas do concelho ou da cidade de Odivelas se circunscreveu, e se é verdade ou não que se recorreu aos CTT», diz o requerimento apresentado. Este vereador apresentou um Voto de Congratulação pelo facto de a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), ter declarado o Fado como Património Mundial Imaterial da Humanidade. Este voto viria a ser aprovado por unanimidade e referia que «Este reconhecimento formalmente concedido pela UNESCO, reveste-se de uma importância mento Participativo Jovem e a vereadora Fernanda Franchi apresentou oralmente um Voto de Louvor a actual directora do Departamento Sociocultural, Margarida Freitas, que breve deixará de trabalhar na CMO. O Louvor foi aprovado por unanimidade. Antes de entrar na ordem do dia, o vereador Mário Máximo, que se encontrava a dirigir os trabalhos, colocou à consideração dos presentes a retirada dos pontos 2.4, 2.5, 2.6 e 2.8 porque de acordo com o Orçamento de Estado para 2012 alguns destes assuntos têm de ir previamente à bolsa de emprego público (BEP) e só depois, caso a ou as vagas não sejam preenchidas é que se poderá iniciar o procedimento. Os pontos retirados foram os seguintes: 2.04 Pedido Parecer Prévio Vinculativo Celebração Contrato Prestação Serviços para Limpeza Urbana; 2.05 Programa Convida à Vida Parecer Prévio Vinculativo Aquisição Serviços Empresa Viva Social Apoio Comunitário Próximo, Lda.;2.06 Projeto Canta e Encanta Proposta de Continuidade e Ajuste Direto, Empresa LXPRO e 2.08 Proposta de Contratação de Nutricionista, em Modalidade de Avença. O vereador Mário Máximo colocou à consideração dos presentes a possibilidade da Comissão de Administração Conjunta da AUGI do Vale do Forno (CACAVF) à discussão dos pontos relacionados com a Vertente Sul, nomeadamente a aprovação do lançamento do concurso para a construção do Pólo Cívico do Vale do Forno. Esta proposta gerou uma intensa e longa discussão onde o vereador Hernâni Carvalho referiu insistentemente que não se estava a o Regimento abrindo um procedente que poderia dar azo a que qualquer vereador pudesse vir a trazer quem lhe aprouver em futuras reuniões. Hernâni carvalho, no entanto afirmou que não seria por ele que a CA- CAVF deixará de assistir à reu- fulcral na identidade nacional porque o fado é cantado na língua portuguesa; as suas letras e músicas nascem de autores e compositores portugueses; o País ganhou mais uma marca que permite associar um conjunto de actividades culturais, sociais e económicas; é nosso compromisso transmitir esta canção popular às gerações mais novas e às vindouras; é nosso dever promover os actuais fadistas, cada vez em maior número, os músicos, autores e compositores e é nossa responsabilidade preservar o fado, o património que lhe está associado e a sua imagem internacional». O vereador da CDU, Rui Francisco, referiu ter chegado ao conhecimento dos vereadores da CDU o descontentamento de um munícipe sobre o Orçamento participativo e que tinha a ver com uma obra incluída no orçamento de 2010, como resultado da auscultação da população e que ainda não foi executada e, segundo a resposta obtida por parte da Câmara muito possivelmente também não será executada no ano de Referiu ainda que o orçamento participativo que era para ter sido executado em 2010,por dificuldades orçamentais foi dividido pelos anos de 2010 e «Estamos em 2012 e constatamos que nas GOP para 2012 existem ainda obras previstas do orçamento participativo, mas todas com uma verba residual, sinal que possivelmente não irão ser executadas, ou que serão adiadas para 2013». Sobre questão o vereador do Departamento de Obras Municipais, Hugo Martins, disse que a obra referida, de pequena monta, nas traseiras da Praça Ordem de Cristo, pode vir a ser executada, se houver condições orçamentais, após a revisão orçamental de Abril. Nessa altura, segundo o vereador, serão avaliadas e executadas as obras mais relevantes. O vereador Mário Máximo apresentou uma declaração política do PS sobre o Orçanião. Após isto a entrada na comissão na reunião durante a discussão desses pontos foi aprovada por unanimidade. Um dos pontos da Ordem de Trabalhos era uma proposta de alteração do Regimento da Câmara Municipal de Odivelas que viria a ser aprovada por unanimidade dos vereadores presentes com uma alteração apresentada por Hernâni Carvalho que permite que o tempo de intervenção dos munícipes em reuniões públicas do executivo municipal possa ser superior a 30 minutos. O vereador considerou que «É da maior relevância que os munícipes possam participar mais no quotidiano do concelho que lhes seja permitido expor as suas dúvidas, anseios, reclamações e problemas junto dos seus representantes eleitos». A 1ª alteração orçamental foi aprovada por maioria com 4 votos a favor e 4 abstenções. O vereadores da CDU, que se abstiveram, lembraram em declaração de voto que «Regra geral quando se verifica um aumento das despesas correntes em detrimento das despesas de capital, o nosso voto é contra. Nas situações inversas, quando se verifica o aumento das despesas de capital em detrimento das despesas correntes, o nosso voto é de abstenção, porque não participamos nas decisões e opções políticas que gerem esta câmara e porque não votámos a favor do Orçamento e Grandes Opções do Plano. Hoje estamos perante a 1ª alteração orçamental de 2012, que apesar de se verificar um aumento das despesas correntes em detrimento das despesas de capital, é uma alteração orçamental muito objectiva e quase exclusivamente direccionada para o reforço orçamental para que possa ser dado início ao processo para construção do Pólo Cívico e Comunitário do Vale do Forno, obra que os vereadores da CDU reputam de muito importante e que contribuirá decisivamente para requalificação da Vertente Sul. Pelas razões expostas e excepcionalmente, a nossa abstenção». O executivo municipal aprovou por unanimidade a Continuidade Programa SOS Sénior, Teleassistência, prestado pela Cruz Vermelha Portuguesa a alguns idosos do concelho. O vereador Rui Francisco afirmou que a CDU considera positivo que tenha sido feita uma prévia avaliação do projecto que está agora a terminar. Os vereadores da CDU fazem uma avaliação positiva deste programa, considerando também positivo que haja um alargamento do mesmo a mais utentes, no entanto consideram não estar explicita a razão pela qual este projecto não abrange todas as freguesias, deixando de fora as freguesias da Pontinha, Olival Basto e Famões. A vereadora Fernanda Franchi explicou que foram consideradas as freguesias mais envelhecidas. A proposta de Construção do Pólo Cívico e Comunitário do Vale do Forno Freguesia de Odivelas Proposta de Constituição do Júri, foi aprovada por maioria com abstenção de Hernâni Carvalho. Na discussão a vereadora da CDU, Natália Santos, sublinhou a importância deste projecto no conjunto dos planos de reconversão da vertente sul. «Ao longo do tempo e do desenvolvimento deste projecto, os vereadores da CDU sempre tiveram o entendimento de que a requalificação desta área do concelho impõe um tratamento específico e uma abordagem integrada e concertada entre a Câmara e os agentes sociais e económicos que estão no terreno. Com a aprovação deste projecto e o lançamento do concurso para a construção do Pólo Cívico e Comunitário do Vale do Forno, que será dotado de um Jardim de Infância e de um espaço comum para usufruição da comunidade local, com sala de leitura e sala de actividades entre outras está a ser dado mais um importante passo para a requalificação e socialização desta comunidade».

12 12 Nova Odivelas 20 Janeiro 2012 PODER LOCAL EXECUTIVO MUNICIPAL O ponto Aquisição de Serviços de Conservação e Assistência do Sistema de Sinalização Luminosa Vertical deu uma árida e longa discussão e acabou por ser aprovado por maioria. A vereadora da CDU, Natália Santos, questionou a razão pela qual a este contrato de prestação de serviços, não é aplicada a norma estatuída na Lei 55-A/2010 (OE de 2011) de redução do valor da prestação de serviço, pois trata-se de uma prestação de serviço superior a 1.500,00. O vereador Hugo Martins explicou que se trata de uma renovação automática e como houve dúvidas por parte dos serviços se este processo teria de vir ou não a reunião de câmara, só vem agora por precaução, pois a dúvida subsiste. A vereadora Natália Santos afirmou que a questão por si colocada não foi respondida mas acabou por ficar sem essa resposta. O vereador independente Hernâni Carvalho sublinhou que este ponto se refere a serviços prestados em Junho de 2011 e que por isso votou contra. «Esta proposta já aqui devia ter vindo há 6 meses atrás e com a demonstração ou previsão dos custos de uma operação deste género ( ) continuamos sem conhecer os valores, qualquer cabimento ou requisição externa de despesa», disse. Como se tratou de uma reunião pública esta peça foi elaborada através de dados recolhidos de diversas fontes e por isso há pontos que não são mais aprofundados. Os resultados das votações de todos os pontos podem ser vistos na caixa que incluímos nesta peça. Conclusões Proposta de Alteração ao Regimento da Câmara Municipal de Odivelas. Aprovado por unanimidade ª Alteração Orçamental. Aprovado por maioria. 2.3 Proposta de Constituição de Fundos de Maneios. Aprovado por unanimidade Pedido de Parecer Prévio Vinculativo para Celebração de Contrato de Prestação de Serviços para Limpeza Urbana. Aprovado, por unanimidade, retirar este assunto da Ordem de Trabalhos Programa Convida à Vida Proposta de Emissão de Parecer Prévio Vinculativo para Aquisição de Serviços à Empresa Viva Social Apoio Comunitário Próximo, Lda. Aprovado, por unanimidade, retirar este assunto da Ordem de Trabalhos Projeto Canta e Encanta Proposta de Continuidade e de Emissão de Parecer Vinculativo para Aquisição de Serviços, por Ajuste Direto, à Empresa LXPRO Produção Musical. Aprovado, por unanimidade, retirar este assunto da Ordem de Trabalhos Cruz Vermelha Portuguesa Proposta de Continuidade do Programa SOS Sénior Teleassistência Proposta de Aquisição de Serviço de Teleassistência com a HelpPhone Tecnologias de Comunicação S.A. e Cruz Vermelha Portuguesa. Aprovado por unanimidade Proposta de Contratação de Nutricionista, em Modalidade de Avença. Aprovado, por unanimidade, retirar este assunto da Ordem de Trabalhos Proc. 2213/OD/DOM - Proposta de Construção do Pólo Cívico e Comunitário do Vale do Forno Freguesia de Odivelas Proposta de Constituição do Júri. Aprovado por maioria Proposta de Emissão de Parecer Prévio Vinculativo para Aquisição de Serviços para Conservação e Assistência dos Sistemas de Sinalização Luminosa e de Painéis Dinâmicos de Aproximação de Escola no Concelho, Ano Aprovado por maioria Proposta de Protocolo de Parceria a Celebrar entre o Município de Odivelas e o Agrupamento Complementar de Empresas (ACE) Empresários de Sucesso. Aprovado por maioria Proposta de Alteração ao Contrato assinado entre o Município de Odivelas e a Comissão de Administração Conjunta da AUGI do Bairro Vale do Forno no âmbito do Programa de Ação Parcerias para a Regeneração Urbana da Vertente Sul do Concelho de Odivelas. Aprovado por unanimidade. Este assunto carece de deliberação da Assembleia Municipal Proposta de Aceitação da Doação da Empresa CODAN de Material Médico para o Consultório Veterinário Municipal. Aprovado por unanimidade. 4.2 Grupo Recreativo e Cultural Presa Casal do Rato - PAADO Programa de Apoio ao Associativismo Desportivo de Odivelas - Medida 6 Proposta de Cedência de Transporte Municipal Dia 21 de Janeiro de Aprovado por unanimidade Movimento Odivelas no Coração Proposta de Cedência de Transporte Municipal Ratificação do Transporte Cedido no Dia 3 de Janeiro e Proposta de Atribuição de Transporte para as Primeiras Terças-Feiras de cada mês, a partir do Mês de Fevereiro de Aprovado por unanimidade Proc. 2507/LO Predicaneças Quinta das Piçarras Proposta de Redução de Caução das Obras de Urbanização relativas ao Alvará de Licença de Loteamento n.º 8/2005. Aprovado por unanimidade Proc. 1733/LO - Sociedade de Construções Caracol e Filhos, Lda. - Freguesia da Ramada - Pedido de Substituição de Hipoteca Legal. Aprovado por unanimidade. PUB

13 DIVULGAÇÃO 20 Janeiro 2012 Nova Odivelas 13

14 14 Nova Odivelas 20 Janeiro 2012 QUOTIDIANOS VIOLÊNCIA Guerra de famílias na Urmeira CIDADANIA EU, Cidadão? - Câmara (in)forma futuros cidadãos Na Segunda-feira, 16 de janeiro, um desentendimento entre famílias originou um episódio de inusitada violência no bairro de S. José, na Urmeira, freguesia da Pontinha, do qual resultaram ferimentos a tiro em dois homens e agressões a duas mulheres, uma delas idosa. tiroteio começou cerca O das 10h45 na artéria mais movimentada daquela zona, a Rua padre Américo Monteiro de Aguiar que começa na Urmeira e termina junto ás Patameiras. Como habitualmente dezenas de pessoas e viaturas circulavam na zona e tiveram de se abrigar quando os tiros, de caçadeira e de pistola, segundo alguns testemunhos, começaram a ser disparados. Segundo o Nova Odivelas conseguiu apurar tratou-se de um confronto entre duas famílias que obrigou à intervenção de um forte dispositivo policial, mais de 100 agentes, que cercaram o local, ação que gerou alguma tensão entre os moradores As duas vitimas dos tiros foram transportadas ao Hospital de Santa Maria pelos Bombeiros Voluntários da Pontinha onde ficaram hospitalizados sob detenção. A vítima de 32 anos levou três tiros, na barriga, perna e virilha e a de 37 anos foi ferido na virilha. As vítimas femininas sofreram agressões a socos e pontapés e tinha 21 e 67 anos. A operação policial foi comandada pelo comissário Resende, comandante da divisão e implicou um cerco ao bairro com revista a quem entrava e saia à procura de armas e drogas. A investigação posterior da ocorrência está a cargo da Directoria de Lisboa da Polícia Judiciária. O cerco policial durou até às 13h00. A Câmara Municipal de Odivelas iniciou esta semana um ciclo de ações de formação cívica denominadas Eu, Cidadão?. A primeira sessão aconteceu na terça-feira, na Escola Secundária da Ramada e contou com a presença de Susana Amador, presidente da edilidade. Segundo nota da CMO «A iniciativa, de promoção de uma Cidadania Ativa, destina-se a alunos do ensino secundário regular e profissional e dá continuidade ao trabalho em rede com todas as Escolas Secundárias e Profissional do Município». Eu, Cidadão? abrange mais de jovens «Proporcionando, em cada uma destas sessões, o contacto com os conceitos de Estado, Autarquias Locais, Partidos Políticos, Cidadania, Participação, e outras questões relacionadas com estes temas». A nota diz ainda que «Ao invés de Estar Cidadão, a Autarquia procura caminhos que convertam esta tendência para um SER Cidadão, investindo numa cultura de educação cívica, que faz apelo Fotografia: CMO à compreensão dos indivíduos, não enquanto pessoas abstratas, mas enquanto cidadãos. Pretende-se, igualmente, envolver os jovens no seu exercício de Cidadania, contrariando a fraca cultura de participação política dos portugueses e o seu alheamento em relação à vida comunitária, temas frequentes de estudo que concluem, na maioria das vezes, que existe um desinteresse geral pela vida coletiva e uma crescente desconfiança em relação aos outros e às instituições». Para a Câmara Municipal de Odivelas, «Este projeto piloto constitui um desafio que abre caminho à Cidadania Ativa dos Jovens e uma via para aprofundar o seu modelo de comunicação entre Poder Local e Cidadãos, acreditando que a informação constitui uma condição básica de participação, que permite aos cidadãos conhecerem os seus direitos e dar-lhes a capacidade de atuar com base neles. Valorizando o futuro dos jovens e contribuindo para o seu crescimento e conhecimento, Odivelas vai ao encontro dos jovens e (in)forma-os como Cidadãos já que é neles que reside o futuro». ENSINO Bullying na Minha Escola? NÃO, Obrigado! Câmara Municipal de A Odivelas, no âmbito do Projeto Sei Odivelas esta a promover o concurso Bullying na Minha Escola? NÃO, Obrigado! Destinado aos jovens alunos do 2º e 3º ciclo do ensino básico da rede pública do concelho. As candidaturas devem ser entregues até ao dia 31 de janeiro de 2012 de acordo com as normas de participação, no Edifício Municipal do Parque Maria Lamas, sito na Rua da Memória, 2 A, em Odivelas. Os objetivos deste concurso são promover nos jovens boas práticas para a prevenção da violência escolar; fomentar as relações interpessoais, o espírito de pertença e a convergência para objetivos comuns que visem o bem-estar de todos; e promover comportamentos saudáveis, bem como, desenvolver nos jovens valores éticos cuja importância se reflita no seu futuro. ASSOCIATIVISMO 4º Aniversário do MOC F undado em Janeiro de 2008, o Movimento Odivelas no Coração assinala no sábado, 21 de janeiro, o seu 4º aniversário com uma Sessão Solene Comemorativa que terá lugar no Pavilhão Polivalente de Odivelas (Na Rua Aquilino Ribeiro) a partir das 16h00. Para além dos habituais discursos institucionais por parte do C o n s e l h o D i r e c t i v o do MOC e de entidades convidadas, a sessão terá como um dos seus pontos altos a entrega do Coração Cívico, trofeu com que o MOC distingue anualmente pessoas ou instituições que ao longo ao ano anterior, neste caso 2011, se distinguiram em ações de cidadania. O evento terminará com um lanche convívio, o soprar das velas e o cantar dos parabéns à instituição aniversariante. CIRCULAÇÃO RODOVIÁRIA Radares da CRIL sem certificação S egundo notícia publicada no SOL online, «Os radares instalados no troço da CRIL, entre Benfica e a Pontinha, estão a funcionar desde o início do ano sem a devida certificação do Instituto Português da Qualidade (IPQ), - o que significa que qualquer infracção detectada nas últimas semanas pelos aparelhos pode ser impugnada e anulada». Citando uma fonte oficial do IPC, o SOL escreve que «Só nos últimos dias é que a Estradas de Portugal (EP), entidade proprietária dos aparelhos, pediu a verificação do sistema, que começou a funcionar em Abril do ano passado». O SOL diz ainda que agoras os 16 radares vão ser retirados e entregues ao IPQ para sertem novamente examinados. Os 16 radares vão agora ser retirados e entregues ao IPQ para serem novamente examinados. «Está previsto realizar os ensaios em laboratório e em estrada no decorrer das próximas duas semanas», segundo a fonte do SOL. Fotografia: CMO SAUDE Projeto Hipoterapia de Odivelas esde o dia 09 de Janeiro D que a Câmara Municipal de Odivelas em parceria com a Escola Profissional Agrícola D. Dinis Paiã e com o apoio da Direção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo dão continuidade ao Projeto Hipoterapia de Odivelas. Este projeto dirigido a crianças com Necessidades Educativas Especiais, consiste em disponibilizar uma sessão semanal a cada uma das crianças, com as mais variadas patologias, desde o espectro do Autismo à Multideficiência, sendo cada sessão específica para cada caso, com programa individualizado. A equipa que está envolvida no projeto é transdisciplinar e conta com dois Docentes de Equitação Terapêutica, duas Técnicas de Ensino Especial e Motricidade e um Auxiliar de Equitação Terapêutica. Este projeto permite responder às diversas características e necessidades que os alunos apresentam, proporcionando uma oferta de qualidade orientada para o sucesso educativo de crianças e jovens com necessidades educativas especiais, nos contextos familiar, socioeducativo e cultural. GC/CMO

15 PUB 20 Janeiro 2012 Nova Odivelas 15

16 16 Nova Odivelas 20 Janeiro 2012 QUOTIDIANOS TURISMO Oferta diversificada na Loja Municipal N Centro Comercial Odivelas Parque, funciona de segunda-feira a sábado, entre as 10h00 e as 20h30, à exceção de feriados. «Os Postos de Turismo são pontos de contacto privilegiados, permitindo mostrar e potenciar o conhecimento das diferentes faces de cada concelho e constituindo um potencial fator de informação dos visitantes. Nesse sentido, a localização da Loja do Turismo no Centro Comercial Odivelas Parque representa um passo seguro na caminhada que a Câmara Municipal de Odivelas tem feito no sentido de tornar o Serviço Público acessível e mais próximo da população», diz ainda a CMO. Com um horário alargado, localização privilegiada, estacionamento gratuito e proximidade aos serviços da Administração Central e Local, «A Loja do Turismo, ao ser criada na única grande superfície do concelho, encerra inúmeras vantagens para a dinamização do turismo enquanto atividade econóa Loja do Turismo da Câmara Municipal de Odivelas está patente, até final de janeiro, uma Exposição da Associação Amigos de Caneças. Informação no sítio da Internet a CMO dá conta de que «No decorrer deste ano todos os meses a Loja do Turismo vai acolher uma temática diferente, demonstrando a pluralidade da oferta turística de Odivelas». Segundo a informação «Estas exposições contam com o empenho e dinamismo das Associações, Empresas, Escolas e Freguesias do concelho, que demonstram, assim, a qualidade dos diferentes recursos patrimoniais e o simbolismo de efemérides de grande relevância para este município». A Loja do Turismo abriu portas a 07 de outubro de 2011, com a Exposição da Marmelada Branca de Odivelas, promovida pela Secção de Produtores da Marmelada Branca de Odivelas. Situada no Fotografia: CMO mica, nomeadamente, no sentido de ser uma montra expositiva do património histórico e cultural de Odivelas». Programação para 2012: Janeiro - Associação dos Amigos de Caneças Fevereiro Associação de Artesãos D. Dinis Março Sociedade Musical e Desportiva de Caneças Abril Movimento das Forças Armadas Maio Lusofonia Junho Sociedade Musical Odivelense Julho Povarte Agosto Visitas ao Património Setembro Turismo Outubro Comemorações dos 750 anos do Nascimento de D. Dinis Novembro Mostra de Atividades Económicas Dezembro Marmelada Branca de Odivelas PUB

17 PUB 20 Janeiro 2012 Nova Odivelas 17

18 18 Nova Odivelas TRANSPORTES PÚBLICOS 20 Janeiro 2012 QUOTIDIANOS Comissão de Utentes entrega abaixo-assinado N o dia 17 de janeiro a Comissão de Utentes dos Transportes Públicos de Odivelas (CUTPO) deslocou-se ao Ministério da Economia e Emprego para proceder à entrega Do abaixo-assinado Em Defesa dos Transportes Públicos de Odivelas. A Comissão foi recebida pelo Adjunto do Secretário de Estado dos Transportes a quem fez entrega das cerca de assinaturas que começaram a ser recolhidas em meados de novembro, quando foi tornada pública a proposta do Grupo de Trabalho para a Simplificação Tarifária e Reformulação da Rede de Transportes na Área Metropolitana de Lisboa, e decorreu até meados de dezembro. Segunda a Comissão o abaixoassinado teve como objetivo expressar a rejeição, por parte dos utentes dos transportes públicos, das medidas preconizadas que incluía, entre outras, Fotografia: CUTPO a redução do horário do Metro para as 21h30 entre o Campo Grande e Odivelas e a supressão e/ou encurtamento de várias carreiras da Carris em Odivelas e na Pontinha. Na audiência, os membros da comissão salientaram que apesar de a última proposta do grupo de trabalho não incluir a redução do horário do Metro, as medidas que se mantêm em relação aos autocarros da Carris - o encurtamento do percurso do autocarro 36, que passará a ficar no Sr. Roubado, a supressão total do autocarro 205 e o fim do serviço noturno prestado pelos autocarros 724 e 726 que servem atualmente a Freguesia da Pontinha, afetarão gravemente a vida das populações, porque dificulta a sua mobilidade e porque aumenta os custos dos transportes, uma vez que as tarifas da Rodoviária de Lisboa são mais caras e o percurso das suas carreiras não abrange os trajetos feitos pela Carris. A Comissão deixou ainda claro ao representante do Governo que continuará a desenvolver ações de protesto contra estas medidas, para que as mesmas não se concretizem. Para o próximo dia 24, às 10h00 está agendada uma audiência com a Comissão Parlamentar de Economia e Emprego a quem será entregue cópia do abaixo-assinado e transmitidas as preocupações com as medidas propostas. SEGURANÇA RODOVIÁRIA O Fantástico Mundo do SerSeguro Projeto de Educação Rodoviária para o Ensino Básico SerSeguro leva durante o mês de janeiro, a cerca de vinte Jardins de Infância do Concelho de Odivelas, a peça de Teatro A Fada Verde e o Feiticeiro Inseguro. Esta peça tem como principal objetivo dar as primeiras e mais importantes noções de Segurança e Prevenção Rodoviárias às crianças mais pequenas e é representada por uma turma do Curso Profissional de Artes do Espetáculo da Escola Secundária do 2,3 Ciclos de Passos Manuel, de Lisboa. A sua primeira sessão decorreu no dia 10 de Janeiro, no Jardim de Infância Porto Pinheiro, em Odivelas, com a presença da Vereadora da Educação, Fernanda Franchi, dos Agentes da PSP que participam na Escola Segura, bem como, dos representantes da Escola Secundária Passos Manuel e do Jardim de Fotografia: CMO Infância Porto Pinheiro. Esta peça baseia-se numa história onde todos os anos, a Floresta Segura é atacada com feitiços e malandrices protagonizadas pelo Feiticeiro Inseguro e o seu fiel criado Elfo, às quais nem o Rei consegue escapar... Mas este ano tudo será diferente. Os planos do Feiticeiro e do Elfo não vão correr como planeado. O Elfo será o novo aliado das três irmãs, as fadas verde, vermelha e amarela que, em conjunto com o cavaleiro de farda azul e o dragão, trarão de novo a segurança à floresta... O Projeto SerSeguro - Educação Rodoviária no Ensino Básico, da Câmara Municipal de Odivelas, teve início em 2003, e desenvolve-se em parceria com os Agrupamentos de Escolas, as Associações de Pais e Encarregados de Educação, Forças de Segurança do Concelho, as Juntas de Freguesia, a Rodoviária de Lisboa e com o apoio da Impala. GC/CMO iniciativa As Princesas e Príncipes ANIMAÇÃO INFANTIL Princesas e Príncipes Magos invadiram BMDD A Magos realizou-se no dia 07, na Biblioteca Municipal D. Dinis e baseou-se numa ação de voluntariado por parte dos psicólogos Hugo Martins e Paula Nogueira, da CTC Ponto de Equilíbrio, efetuada em parceria com a Câmara Municipal de Odivelas, contou com mais de seis dezenas de participantes, quatro instituições, 10 voluntários. Nesta ação participaram crianças e jovens com idades compreendidas entre os 3 e os 16 anos, pais, animadores, voluntários, organizadores e o padrinho para a reportagem fotográfica amadora. As crianças puderam participar enquanto dinamizadores ajudando na construção dos próprios ateliers lúdico pedagógicos de: papel (feitura de coroas e embrulhar presentes), modelagem de balões, reciclagem, pintura facial, dança, Karaoke, jogos diversos, etc. Em suma, esta iniciativa disponibilizou a doação de presentes, roupas, utensílios ou brinquedos usados e/ou novos para crianças mais fragilizadas/carenciadas, que puderam em troca receber destes, um prémio de agradecimento através da realização de um trabalho manual com materiais reciclados ou não (exemplo diploma da amizade, medalha, etc ) dando largas à sua criatividade e emotividade. Realizou-se ainda a roda dos presentes onde cada criança se dirigiu ao centro da mesma e pode escolher com quem queria efetuar a troca. A iniciativa terminou com as princesas e os príncipes a elegerem o rei e a rainha dos Reis Magos. GC/CMO

19 QUOTIDIANOS BE acusa CMO de esconder projecto do Skate Parque E POLÍTICA m nota de imprensa a concelhia de Odivelas do Bloco de Esquerda acusa a Câmara Municipal de Odivelas de querer esconder o projecto de reconversão cão do Skate parque de Odivelas. A acusação baseia-se no facto de passados os 30 dias regimentais a CMO não ter ainda respondido a um Requerimento apresentado na Assembleia Municipal de Odivelas pela deputada municipal Maria do Carmo Gonçalves. Transcrevemos na íntegra a nota do BE. No início do mês de Dezembro foram realizadas obras no restaurante e espaço envolvente do McDonald s de Odivelas, numa parceria entre a Câmara Municipal de Odivelas (CMO) e o referido restaurante. Parceria essa que, recorde-se, foi despoletada pela preocupação da Presidente da CMO com as condições do restaurante, como ficou claro na intervenção de Susana Amador na sessão de 7 de Dezembro da Assembleia Municipal de Odivelas, na qual assumiu ter confrontado os responsáveis do restaurante sobre, «Se o McDonald s de Odivelas é o refugo dos do resto do país?». Na altura do arranque das obras, valeu a pronta intervenção dos utilizadores do Skate Parque e do Bloco de Esquerda para evitar a destruição daquela infra-estrutura. A forte mobilização dos skaters, bem como a acção determinada do Bloco de Esquerda, obrigou a CMO, e o seu parceiro McDonald s, a recuar, assumindo que, num curto espaço de tempo (menos de uma semana), seria apresentado um novo projecto para o Skate Parque. Nesse mesmo momento, a deputada municipal do Bloco de Esquerda, em exercício de funções, Maria do Carmo Gonçalves, dando cumprimento ao direito de oposição, fez chegar um requerimento à CMO, sobre esta questão, onde era solicitada toda a informação sobre este assunto, incluindo, obviamente, o novo projecto para o Skate Parque. O prazo legal para resposta a requerimentos da oposição (30 dias) foi ultrapassado, e do executivo apenas há um assustador silêncio sobre este tema. Lamentamos profundamente, que a CMO seja tão rápida a apontar as más condições de funcionamento das empresas privadas, mas seja incapaz de identificar as falhas que quiçá existam no seu seio, e que levam a estar, continuamente, em incumprimento das suas obrigações legais e políticas, no que diz respeito às relações com a oposição: A prática política da maioria jardinista, na Madeira, parece estar a aproximar-se rapidamente do concelho de Odivelas. A Concelhia de Odivelas do Bloco de Esquerda reafirma a Fotografia: Maria do Carmo sua total discordância com a destruição, parcial ou total, do Skate Parque de Odivelas, mantendo-se, sem hesitações, ao lado de todos e todas os que lutam pela manutenção e qualificação daquele espaço. Por 20 Janeiro 2012 Nova Odivelas 19 outro lado, é uma exigência da democracia que todos apresentem com clareza a sua posição sobre o assunto, e não se escondam na cobardia de um silêncio sempre tão cómodo para o poder instituído. PUB

20 20 Nova Odivelas 20 Janeiro º Aniversário do Instituto de Odivelas O Instituto de Odivelas assinalou no Sábado, 14 de Janeiro, o seu 112º aniversário com uma sessão solene (cuja reportagem publicaremos na próxima edição) e com um desfile das suas alunas pelas ruas de Odivelas evento que sucede pela primeira vez na história da instituição. O desfile teve início junto ao quartel dos Bombeiros Voluntários de Odivelas e terminou no Instituto de Odivelas. Entidades civis e militares assistiram ao evento. Aqui ficam as imagens.

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013 Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013 O Decreto-Lei n.º 7/2003, de 15 de Janeiro, tem por objecto os Conselhos Municipais de Educação, regulando as suas competências e composição,

Leia mais

3. Caracterização e cadastro do Movimento Associativo do concelho

3. Caracterização e cadastro do Movimento Associativo do concelho De : DCED/DICUL Carlos Anjos Proc. Nº Para : ANA JOSÉ CARVALHO, CHEFE DA DICUL Assunto : PROPOSTA DE PLANO DE ACTIVIDADES DO GRUPO DE TRABALHO PARA O MOVIMENTO ASSOCIATIVO - 2011 Para os efeitos tidos

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011

GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011 GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2011 DA CIM ALTO MINHO RELATÓRIO DE PROGRESSO 31 MARÇO 2011 Versão Preliminar Este relatório tem por objectivo da conta do que de mais relevante foi realizado no cumprimento

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL. Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL. Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete A construção de um futuro impõe que se considere fundamental investir na capacitação e formação das pessoas,

Leia mais

15ª Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Odivelas

15ª Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Odivelas Presidência 15ª Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Odivelas A 15ª Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Odivelas realizou-se no dia 29 de julho, nos Paços de Concelho Quinta da Memória, com a

Leia mais

CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE"

CICLO DE CONFERÊNCIAS 25 ANOS DE PORTUGAL NA UE Boletim Informativo n.º 19 Abril 2011 CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE" A Câmara Municipal de Lamego no âmbito de atuação do Centro de Informação Europe Direct de Lamego está a promover

Leia mais

1.ª REUNIÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 22 DE OUTUBRO DE 2013

1.ª REUNIÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 22 DE OUTUBRO DE 2013 1.ª REUNIÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 22 DE OUTUBRO DE 2013 A Câmara reconhecendo a urgência de deliberação deliberou, por unanimidade, apreciar o seguinte assunto não incluído na

Leia mais

CONTRATO LOCAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL (CLDS) ESPINHO VIVO

CONTRATO LOCAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL (CLDS) ESPINHO VIVO CONTRATO LOCAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL (CLDS) ESPINHO VIVO EIXO 1 EMPREGO, FORMAÇÃO, QUALIFICAÇÃO E EMPREENDEDORISMO 01 - BALCÃO DE EMPREGABILIDADE; O Balcão de Empregabilidade pretende apoiar os desempregados

Leia mais

Câmara Municipal Gondomar REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GONDOMAR

Câmara Municipal Gondomar REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GONDOMAR Câmara Municipal Gondomar REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GONDOMAR Aprovado pela Câmara em 6/02/2003, alterado em Reunião de Câmara de 18/09/2003 Aprovado pela Assembleia Municipal em

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 05 FEVEREIRO DE 2014

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 05 FEVEREIRO DE 2014 REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 05 FEVEREIRO DE 2014 A Câmara deliberou, por unanimidade, justificar a falta da Vice-Presidente, Senhora Dr.ª Felícia Maria Cavaleiro

Leia mais

Normas do Orçamento Participativo

Normas do Orçamento Participativo Normas do Orçamento Participativo Município de Braga 16 O Orçamento Participativo, cujas regras aqui se apresentam, pretende incentivar o exercício de uma cada vez mais ativa, qualificada e concreta intervenção

Leia mais

INTERVENÇÃO SOCIAL DOS MUNICÍPIOS PARA ALÉM DAS SUAS COMPETÊNCIAS LEGAIS

INTERVENÇÃO SOCIAL DOS MUNICÍPIOS PARA ALÉM DAS SUAS COMPETÊNCIAS LEGAIS INTERVENÇÃO SOCIAL DOS MUNICÍPIOS PARA ALÉM DAS SUAS COMPETÊNCIAS LEGAIS Está em curso um inquérito, promovido pela ANMP, sobre as despesas municipais com acções de carácter social que ultrapassam as competências

Leia mais

ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS)

ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) Data: 26-01-2012 Local: Auditório do Edifício Cultural da Câmara Municipal de Peniche Hora de início: 21h15mn Hora do fecho: 23h30mn

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto

Ficha de Caracterização de Projecto Ficha de Caracterização de Projecto Projecto +Skillz E5G Programa Escolhas Promotor: Associação Mais Cidadania 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto Projecto +Skillz E5G Promotor: Associação Mais

Leia mais

Regulamento do Conselho Municipal de Educação do Fundão. Preâmbulo

Regulamento do Conselho Municipal de Educação do Fundão. Preâmbulo REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO FUNDÃO Publicação II SÉRIE N.º 98 20 de Maio de 2010 Regulamento do Conselho Municipal de Educação do Fundão Preâmbulo A Lei de Bases do Sistema Educativo

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE REDONDO REGIMENTO

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE REDONDO REGIMENTO y Câmara Municipal de Redondo CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE REDONDO REGIMENTO O DL 7/2003, de 15 de Janeiro, que prevê a constituição do Conselho Municipal de Educação, regulou as suas competências

Leia mais

É para estes jovens, atentos à sua sociedade, que se destina o concurso de ideias Projeto Voluntariado Jovem.

É para estes jovens, atentos à sua sociedade, que se destina o concurso de ideias Projeto Voluntariado Jovem. 1. APRESENTAÇÃO A juventude, período intermédio entre a infância e a idade adulta, é indubitavelmente uma fase determinante na afirmação do eu, perante si mesmo e perante os outros. Nesta fase, a consciência

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO A Lei 159/99, de 14 de Setembro, estabelece no seu artigo 19, nº2., alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os Conselhos Locais de Educação.

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES ANO DE 2004

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES ANO DE 2004 APD- DELEGAÇÃO LOCAL DE MEM MARTINS RELATÓRIO DE ACTIVIDADES ANO DE 2004 INTRODUÇÃO O ano de 2004 ficou marcado por alguns acontecimentos relevantes, sinal de que, apesar do passar dos anos, a Delegação

Leia mais

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ENXAMES ACTA N.º 8

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ENXAMES ACTA N.º 8 ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ENXAMES ACTA N.º 8 Aos vinte dias do mês de Abril do ano de dois mil e sete, reuniu a Assembleia de freguesia de Enxames não se registando nenhuma falta. Ao iniciar a sessão

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017

Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Página 2 de 29 Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Índice Índice de Siglas. 4 Nota Prévia... 5 Exposição e Explicação dos

Leia mais

MAPA DE PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE CARNIDE - Ano 2014 Nos termos da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro

MAPA DE PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE CARNIDE - Ano 2014 Nos termos da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro MAPA DE PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE CARNIDE - Ano 204 Nos termos da Lei n.º 2-A/2008, de 27 de Fevereiro SECÇÃO DE APOIO E DE COORDENAÇÃO GERAL (Capitulo III do Regulamento da Organização dos Serviços)

Leia mais

- CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE LAGOS - PREÂMBULO

- CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE LAGOS - PREÂMBULO PREÂMBULO A Lei de Bases do Sistema Educativo (Lei nº 46/86 de 14 de Outubro) consagrou a interacção com a comunidade educativa local como um pilar fundamental da política educativa. Por essa razão o nº

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA NOTA JUSTIFICATIVA Em conformidade com os poderes regulamentares que lhes são atribuídos pelos artigos 112º n.º 8 e 241º da Lei Constitucional, devem os Municípios aprovar os respectivos regulamentos municipais,

Leia mais

REGIMENTO PARA O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE ÁGUEDA PARTE I. Disposições Gerais. Artigo 1º. Definição e Âmbito

REGIMENTO PARA O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE ÁGUEDA PARTE I. Disposições Gerais. Artigo 1º. Definição e Âmbito REGIMENTO PARA O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE ÁGUEDA PARTE I Disposições Gerais Artigo 1º Definição e Âmbito 1. O Conselho Municipal de Educação de Águeda, adiante designado de Conselho é uma instância

Leia mais

No entanto, antes de ser financeira, a crise tem uma natureza económica.

No entanto, antes de ser financeira, a crise tem uma natureza económica. INTERVENÇÃO DO PRESIDENTE DA AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL, JOSÉ ANTÓNIO BARROS, NA CONFERÊNCIA «O QUE FAZER POR PORTUGAL? MEDIDAS PARA ULTRAPASSAR A CRISE», SOB O TEMA «AS PESSOAS E AS EMPRESAS

Leia mais

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido.

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2015 ÍNDICE Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. Ações Educação e Formação 2 Ação Social 3 Gestão Participada e Finanças 4 Saúde 5 Desporto 5 Juventude 6 Cultura 6 Turismo

Leia mais

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida.

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida. 1. APRESENTAÇÃO DA INSTITUIÇÃO A Casa do Povo de Alvalade foi criada em 1943, por grupo informal de pessoas, na tentativa de dar resposta às necessidades das pessoas que a esta se iam associando. Com o

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Braga

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Braga Regimento do Conselho Municipal de Educação de Braga A lei de bases do sistema educativo assume que o sistema educativo se organiza de forma a descentralizar, desconcentrar e diversificar as estruturas

Leia mais

EIXO 1 - Empreendedorismo, Empregabilidade e Educação

EIXO 1 - Empreendedorismo, Empregabilidade e Educação PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL de ODEMIRA 2014-2015 EIXO 1 - Empreendedorismo, Empregabilidade e Educação Promover o conhecimento e o acesso dos empresários aos apoios e incentivos no âmbito do empreendedorismo

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO. Programa Viver Solidário/ Normas Página 1

NORMAS DE FUNCIONAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO. Programa Viver Solidário/ Normas Página 1 NORMAS DE FUNCIONAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO Programa Viver Solidário/ Normas Página 1 PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO NORMAS DE FUNCIONAMENTO 1.INTRODUÇÃO A prática de actividades de animação regular e sistemática,

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 07 DE JANEIRO DE 2015 ORDEM DO DIA

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 07 DE JANEIRO DE 2015 ORDEM DO DIA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 07 DE JANEIRO DE 2015 ORDEM DO DIA ASSUNTOS APRECIADOS AO ABRIGO DO N.º 2 DO ART. 50.º DA LEI N.º 75/2013, DE 12 DE SETEMBRO: 1. Empréstimo

Leia mais

1. Como pensam integrar, no âmbito dos poderes e competências da autarquia, as questões da educação intercultural e do combate ao racismo?

1. Como pensam integrar, no âmbito dos poderes e competências da autarquia, as questões da educação intercultural e do combate ao racismo? Gostaríamos de iniciar a resposta a este questionário com uma nota prévia relativamente às questões que nos foram colocadas: as questões da discriminação e do racismo constituem, desde o surgimento desta

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Diário da República, 1.ª série N.º 30 10 de fevereiro de 2012 661 ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Lei n.º 6/2012 de 10 de fevereiro Primeira alteração à Lei n.º 8/2009, de 18 de Fevereiro, que cria o regime jurídico

Leia mais

Sr. Presidente da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores Sras. e Srs. Deputados Sra. e Srs. membros do Governo

Sr. Presidente da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores Sras. e Srs. Deputados Sra. e Srs. membros do Governo A mulher e o trabalho nos Piedade Lalanda Grupo Parlamentar do Partido Socialista A data de 8 de Março é sempre uma oportunidade para reflectir a realidade da mulher na sociedade, apesar de estes dias

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL

PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL 2014 Aprovado na reunião do Plenário de 11.06.2014 16 de janeiro Workshop e assinatura de protocolo com CIG Público-alvo: comunidade no geral Local: Edifício Paço dos Concelho

Leia mais

VISEU PRIMEIRO, VISEU EDUCA

VISEU PRIMEIRO, VISEU EDUCA Setembro 2014 VISEU PRIMEIRO, VISEU EDUCA O lançamento de um programa pedagógico e de desenvolvimento educativo de crianças e jovens, partilhado por todos os agentes do sistema escolar e educativo local,

Leia mais

LIGA DOS AMIGOS DO HOSPITAL Rampa do Hospital, nº 62 4600-001 Amarante PROPOSTA. Plano de Atividades e Orçamento para 2016

LIGA DOS AMIGOS DO HOSPITAL Rampa do Hospital, nº 62 4600-001 Amarante PROPOSTA. Plano de Atividades e Orçamento para 2016 LIGA DOS AMIGOS DO HOSPITAL Rampa do Hospital, nº 62 4600-001 Amarante PROPOSTA Plano de Atividades e Orçamento para 2016 Em cumprimento do disposto na alínea b) do artigo 33º dos Estatutos da Liga dos

Leia mais

NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4. Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5

NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4. Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5 INDICE NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4 Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5 Eixo de Desenvolvimento 2: Empregabilidade de Formação Profissional... 13 Eixo

Leia mais

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA 1 REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA MADEIRA ACTA Nº 26/2006 - DEZEMBRO --- DATA DA REUNIÃO: Sete de Dezembro de dois mil e seis. ------------------------- --- LOCAL DA REUNIÃO: Sala

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE. Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006. Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr.

JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE. Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006. Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr. JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006 Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr.ª Guadalupe Tel. e Fax: 266 781 165 Tel.: 266 747 916 email: jfguadalupe@mail.evora.net

Leia mais

Plano de Ação 2013. I Eixo De Intervenção: QUALIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E RESPONSABILIDADE SOCIAL

Plano de Ação 2013. I Eixo De Intervenção: QUALIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E RESPONSABILIDADE SOCIAL 0 Plano de Ação I Eixo De Intervenção: QUALIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E RESPONSABILIDADE SOCIAL OBJETIVO GERAL: Dotar as Instituições do Município de competências na área da qualidade para melhorar a resposta

Leia mais

Plano de Ação. Benéfica e Previdente

Plano de Ação. Benéfica e Previdente Plano de Ação 2015 Benéfica e Previdente Mensagem da Administração Objetivos Estratégicos para 2015 Plano de Ação 2015 Desenvolvimento Associativo Apoio ao Associado Lazer Abrigo da Geira Residências de

Leia mais

-------- Aos três dias do mês de Março do ano de dois mil e três reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de

-------- Aos três dias do mês de Março do ano de dois mil e três reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de -------- Aos três dias do mês de Março do ano de dois mil e três reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, em reunião ordinária para apreciação e deliberação

Leia mais

Ata n.º 13/2015 de 01/07/2015

Ata n.º 13/2015 de 01/07/2015 --------------------------------------- ATA N.º 13/2015 --------------------------------------- -------- Ao dia 1 do mês de julho de 2015, pelas 10h, no Salão Nobre dos Paços do Município de Celorico da

Leia mais

ATA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA 2014

ATA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA 2014 ATA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA 2014 Aos vinte e dois dias do mês de março de dois mil e catorze, pelas quinze horas e dez minutos, reuniu, em segunda convocatória, a Assembleia Geral Ordinária da Confederação

Leia mais

MUNICÍPIO DO CARTAXO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. Acta n.º3/2004

MUNICÍPIO DO CARTAXO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. Acta n.º3/2004 MUNICÍPIO DO CARTAXO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Acta n.º3/2004 Aos dez dias do mês de Maio do ano de 2004, no Auditório Municipal da Quinta das Pratas, reuniu o Conselho Municipal de Educação do Concelho

Leia mais

Conselho Municipal de Educação de Santa Marta de Penaguião Projecto de Regimento

Conselho Municipal de Educação de Santa Marta de Penaguião Projecto de Regimento Conselho Municipal de Educação de Santa Marta de Penaguião Projecto de Regimento A Lei de Bases do Sistema Educativo assume que o sistema educativo se deve organizar de forma a descentralizar, desconcentrar

Leia mais

PLANO E ORÇAMENTO 2014

PLANO E ORÇAMENTO 2014 PLANO E ORÇAMENTO 2014 Junta de Freguesia Assembleia de Freguesia Em reunião de 02 de Dezembro de 2013 Em sessão de 16 de Dezembro 2013 Plano e Orçamento 2014 Página 1 Índice INTRODUÇÃO... 3 EXECUÇÃO E

Leia mais

Registamos, com afeto, a presença de Vossa Excelência, nesta cerimónia uma honra ímpar para este Instituto.

Registamos, com afeto, a presença de Vossa Excelência, nesta cerimónia uma honra ímpar para este Instituto. Senhor Ministro da Administração Interna. Excelência. Registamos, com afeto, a presença de Vossa Excelência, nesta cerimónia uma honra ímpar para este Instituto. Excelentíssimo Senhor Vice-Procurador Geral

Leia mais

Fls. 1. Fich: EDITAL L N.º 11 - Reunião ordinária de 12 de Junho de 2008.doc

Fls. 1. Fich: EDITAL L N.º 11 - Reunião ordinária de 12 de Junho de 2008.doc Fls. 1 EDITAL ANTÓNIO MAGALHÃES, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE GUIMARÃES, FAZ SABER, em cumprimento do disposto no art. 91º da Lei nº 169/99, de 18 de Setembro, alterada e republicada pela Lei 5-A/2002,

Leia mais

Aos dezanove dias do mês de Abril de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços

Aos dezanove dias do mês de Abril de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços ACTA N.º 08/10 ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 19 DE ABRIL DE 2010 Aos dezanove dias do mês de Abril de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO O Programa Nacional de Microcrédito, criado pela Resolução do Conselho de Ministros Nº 16/2010, pretende ser uma medida de estímulo à criação de emprego e ao empreendedorismo entre

Leia mais

Programa EDP SOLIDÁRIA

Programa EDP SOLIDÁRIA Programa EDP SOLIDÁRIA REGULAMENTO I. Do Programa EDP SOLIDÁRIA 1. A Fundação EDP, no âmbito das suas actividades nas áreas da solidariedade e inovação social, promove uma iniciativa anual o Programa EDP

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 17 AGOSTO DE 2011

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 17 AGOSTO DE 2011 REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 17 AGOSTO DE 2011 A Câmara deliberou, por unanimidade, justificar a falta do Senhor Presidente e do Vereador Senhor Eng.º Sérgio Manuel

Leia mais

DEMOCRACIA E GESTÃO AUTÁRQUICA

DEMOCRACIA E GESTÃO AUTÁRQUICA DEMOCRACIA E GESTÃO AUTÁRQUICA DURAÇÃO / COMPONENTE / DIPLOMA CURSO DE FORMAÇÃO AVANÇADA I Edição 2014 30 Horas lectivas / Teórica / Curso de Formação Avançada COORDENAÇÃO Coordenação Científica Prof.

Leia mais

Município de Vieira do Minho

Município de Vieira do Minho CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIEIRA DO MINHO REGIMENTO INTERNO A lei nº 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo19º, nº 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos

Leia mais

Regulamento Interno PREÂMBULO

Regulamento Interno PREÂMBULO Regulamento Interno PREÂMBULO O Município de Beja enquanto promotor local de políticas de protecção social, desempenha um papel preponderante na elaboração de estratégias de desenvolvimento social e na

Leia mais

Aos Órgãos Sociais da FAPODIVEL. Odivelas, 20 de Novembro de 2010. Caros Colegas,

Aos Órgãos Sociais da FAPODIVEL. Odivelas, 20 de Novembro de 2010. Caros Colegas, Aos Órgãos Sociais da FAPODIVEL Odivelas, 20 de Novembro 2010 Caros Colegas, Estando a terminar este ano de trabalho na Federação Concelhia de Odivelas, da qual eu fiz parte dos seus Órgãos Sociais neste

Leia mais

A EQUIPA MILLENNIUM BCP MICROCRÉDITO DESEJA-LHE UM FELIZ 2013!

A EQUIPA MILLENNIUM BCP MICROCRÉDITO DESEJA-LHE UM FELIZ 2013! nº 3 - janeiro 2013 A EQUIPA MILLENNIUM BCP MICROCRÉDITO DESEJA-LHE UM FELIZ 2013! Vivemos tempos desafiantes. Cerca de 41% dos microempreendedores que recorrem ao Microcrédito do Millennium bcp vêm de

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTARÉM. Preâmbulo

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTARÉM. Preâmbulo REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTARÉM Preâmbulo A Lei n.º 159/99, de 14 de Setembro estabelece, no seu artigo 19.º, n.º 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais:

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: PROGRAMA AÇÃO 2015 O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: - Preservar a identidade da Instituição, de modo especial no que respeita a sua preferencial ação junto das pessoas, famílias e grupos

Leia mais

INTRODUÇÃO O QUE É O PLANO «SALATIA»?

INTRODUÇÃO O QUE É O PLANO «SALATIA»? INTRODUÇÃO O QUE É O PLANO «SALATIA»? No actual cenário económico-financeiro do Mundo e do País, é obrigação de todas as entidades públicas, à sua escala, promoverem medidas de apoio às empresas e às famílias

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ALCOCHETE REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL

CÂMARA MUNICIPAL DE ALCOCHETE REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL CÂMARA MUNICIPAL DE ALCOCHETE REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Denominação, Sede e Âmbito 1. O Conselho Local de Acção Social do Concelho de

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Considerando que: 1. A experiência do Conselho Local de Educação em Palmela procurou fomentar a valorização da educação como motor de desenvolvimento do local,

Leia mais

REGULAMENTO Orçamento Tu decides!

REGULAMENTO Orçamento Tu decides! 1 REGULAMENTO Orçamento Tu decides! PREÂMBULO O diálogo entre os cidadãos e o poder autárquico constitui um eixo fundamental para o desenvolvimento de uma cidade. A participação de todos na escolha e definição

Leia mais

Introdução Freguesia de Odivelas Junta Freguesia de Odivelas Comissão Social de Freguesia de Odivelas

Introdução Freguesia de Odivelas Junta Freguesia de Odivelas Comissão Social de Freguesia de Odivelas Introdução A Freguesia de Odivelas é uma realidade complexa que a todos diz respeito, uma realidade que deve ser alvo de uma intervenção de todos que nela participam para que seja executado um trabalho

Leia mais

PACTO SOCIAL DO MONTE DESENVOLVIMENTO ALENTEJO CENTRAL, A.C.E. CAPTULO PRIMEIRO DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO PRIMEIRO. (Denominação)

PACTO SOCIAL DO MONTE DESENVOLVIMENTO ALENTEJO CENTRAL, A.C.E. CAPTULO PRIMEIRO DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO PRIMEIRO. (Denominação) PACTO SOCIAL DO MONTE DESENVOLVIMENTO ALENTEJO CENTRAL, A.C.E. CAPTULO PRIMEIRO DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO PRIMEIRO (Denominação) O Agrupamento adopta a denominação de Monte - Desenvolvimento Alentejo Central,

Leia mais

Conselho Municipal de Educação

Conselho Municipal de Educação 1 Regimento do (CME) do Município de Vila Nova de Paiva A Lei 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo 19, n.º2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos locais

Leia mais

TESTEMUNHOS SUMÁRIO. de Voluntários destacam importância da ajuda ao Próximo. Boletim Informativo n.º 24. Setembro 2011

TESTEMUNHOS SUMÁRIO. de Voluntários destacam importância da ajuda ao Próximo. Boletim Informativo n.º 24. Setembro 2011 Boletim Informativo n.º 24 Setembro 2011 SUMÁRIO TESTEMUNHOS de Voluntários destacam importância da ajuda ao Próximo Pequenas histórias de pessoas comuns que fazem coisas extraordinárias em prol dos outros,

Leia mais

Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa. Banco de Voluntariado LagoaSocial

Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa. Banco de Voluntariado LagoaSocial Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa Banco de Voluntariado LagoaSocial Projecto de Voluntariado Social de Lagoa O Banco de Voluntariado LagoaSocial será enquadrado num conjunto de medidas e acções

Leia mais

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO PROMOÇÃO DA SAÚDE PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA DOENÇA REDUÇÃO DE DANOS E REINSERÇÃO

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO PROMOÇÃO DA SAÚDE PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA DOENÇA REDUÇÃO DE DANOS E REINSERÇÃO Para efectuar o projecto a que se propõe elaborar deve ler o Regulamento de Programa de Apoio Financeiro ao abrigo da Portaria n.º 1418/2007, de 30 de Outubro, bem como o aviso de abertura do concurso.

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2014

PLANO DE ACTIVIDADES 2014 PLANO DE ACTIVIDADES 2014 A - INTRODUÇÃO O ano de 2013 que agora termina, foi decisivo para a continuidade da Fundação do Desporto. O Governo, através do Sr. Ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares,

Leia mais

OBJECTIVO 2015. Cinco anos para construir uma verdadeira Parceria Global para o Desenvolvimento PROPOSTA DE ACÇÃO FEC

OBJECTIVO 2015. Cinco anos para construir uma verdadeira Parceria Global para o Desenvolvimento PROPOSTA DE ACÇÃO FEC OBJECTIVO 2015 Cinco anos para construir uma verdadeira Parceria Global para o Desenvolvimento PROPOSTA DE ACÇÃO INTRODUÇÃO O ano de 2010 revela-se, sem dúvida, um ano marcante para o combate contra a

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO Reunião de Câmara: Reunião da Assembleia: Entrada em vigor: CAPITULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Lei Habilitante O presente

Leia mais

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às Câmara Municipal da Departamento de Educação e Desenvolvimento Sociocultural Divisão de Intervenção Social Plano Municipal contra a Violência Rede Integrada de Intervenção para a Violência na Outubro de

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO CRATO EDITAL

CÂMARA MUNICIPAL DO CRATO EDITAL CÂMARA MUNICIPAL DO CRATO EDITAL João Teresa Ribeiro, Presidente da Câmara Municipal do Crato, em cumprimento do disposto no artigo 91.º da Lei n.º 169/99 de 18 de setembro, torna público que na 27.ª reunião

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS E APOIOS ÀS ASSOCIAÇÕES/COLECTIVIDADES SEM FINS LUCRATIVOS DO MUNICÍPIO DE BORBA

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS E APOIOS ÀS ASSOCIAÇÕES/COLECTIVIDADES SEM FINS LUCRATIVOS DO MUNICÍPIO DE BORBA REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS E APOIOS ÀS ASSOCIAÇÕES/COLECTIVIDADES SEM FINS LUCRATIVOS DO MUNICÍPIO DE BORBA Praça da República 7150-249 Borba Telf.: 268 891 630 Fax: 268 894 806 balcaounico@cm-borba.pt

Leia mais

ENQUADRAMENTO 2 CORPOS SOCIAIS TRIÉNIO 2007/2009 3 APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 4 ACTIVIDADES A DESENVOLVER 2007/2008 7 ESTATUTO DE IPSS 8

ENQUADRAMENTO 2 CORPOS SOCIAIS TRIÉNIO 2007/2009 3 APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 4 ACTIVIDADES A DESENVOLVER 2007/2008 7 ESTATUTO DE IPSS 8 ÍNDICE ENQUADRAMENTO 2 CORPOS SOCIAIS TRIÉNIO 2007/2009 3 APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 4 ACTIVIDADES A DESENVOLVER 2007/2008 7 ESTATUTO DE IPSS 8 CASINHA DA ROUPA 9 OS RATINHOS DE REBOREDA 10 CRIAÇÃO DA COMISSÃO

Leia mais

Plano a Médio Prazo e Orçamento 2005. Intervenção no Plenário Assembleia Legislativa da R.A.A. 5 a 8 de Abril de 2005

Plano a Médio Prazo e Orçamento 2005. Intervenção no Plenário Assembleia Legislativa da R.A.A. 5 a 8 de Abril de 2005 Plano a Médio Prazo e Orçamento 2005 Intervenção no Plenário Assembleia Legislativa da R.A.A. 5 a 8 de Abril de 2005 Senhor Presidente da ALRAA Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente do Governo

Leia mais

MENSAGEM DO PRESIDENTE2012

MENSAGEM DO PRESIDENTE2012 1. Pela 12 ª vez relatamos atividades e prestamos contas. Este é dos actos mais nobres de um eleito, mostrar o que fez, como geriu o dinheiro dos cidadãos, dar transparência à governação. Constitui um

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016 Associação Sénior de Odivelas A Universidade Sénior de Odivelas é um projecto inovador que tem por base a promoção da qualidade de vida dos seniores de Odivelas, fomentando

Leia mais

Princípios Programáticos

Princípios Programáticos Princípios Programáticos O nosso Programa centra se em 5 pontos, como os dedos da mão, do qual apresentamos aqui os seus principais Princípios Programáticos, definindo se como linhas de actuação que o

Leia mais

Associação de Apoio a Crianças e Jovens em Risco. Plano de Atividades 2015

Associação de Apoio a Crianças e Jovens em Risco. Plano de Atividades 2015 Associação de Apoio a Crianças e Jovens em Risco Plano de Atividades 2015 INTRODUÇÃO Depois de escalar uma montanha muito alta, descobrimos que há muitas mais montanhas por escalar. (Nelson Mandela) A

Leia mais

MOÇÃO Solidariedade com os trabalhadores da Gestnave/Ereta

MOÇÃO Solidariedade com os trabalhadores da Gestnave/Ereta Deliberações de 1 de Fevereiro de 2008 1 de Fevereiro de 2008 Auditoria externa das Contas Aprovada a contratação da Sociedade de Revisores Oficiais de Contas Sebastião & Santos, para prestação de serviços

Leia mais

POSIÇÃO DA UGT Audição sobre o Futuro da Europa

POSIÇÃO DA UGT Audição sobre o Futuro da Europa POSIÇÃO DA UGT Audição sobre o Futuro da Europa A UGT saúda o debate em curso na Comissão dos Assuntos Europeus sobre o Futuro da Europa e, particularmente, sobre o futuro do Tratado Constitucional. O

Leia mais

Discurso de Sua Excelência o Presidente da República

Discurso de Sua Excelência o Presidente da República Continuarei a percorrer o País, de Norte a Sul, a apelar à união de esforços, a levar uma palavra de esperança e a mostrar bons exemplos de resposta à crise. Discurso de Sua Excelência o Presidente da

Leia mais

Encontros do Observatório 2014 Pobreza Infantil

Encontros do Observatório 2014 Pobreza Infantil º Uma iniciativa: Com apoio: 1 Encontros do Observatório, 23 Maio 2014 1. Contextualização O Observatório de Luta contra a Pobreza na Cidade de Lisboa definiu como prioridade temática para 2014 a, problema

Leia mais

GUIA DO VOLUNTÁRIO. Sociedade Central de Cervejas

GUIA DO VOLUNTÁRIO. Sociedade Central de Cervejas GUIA DO VOLUNTÁRIO Sociedade Central de Cervejas ÍNDICE 1. A RESPONSABILIDADE SOCIAL NA SCC: O NOSSO COMPROMISSO... 3 2. O NOSSO COMPROMISSO COM O VOLUNTARIADO... 4 2.1 A ESTRUTURAÇÃO DO VOLUNTARIADO EMPRESARIAL...

Leia mais

Jornadas de Educação Pelo Desporto 1

Jornadas de Educação Pelo Desporto 1 Jornadas de Educação Pelo Desporto 1 Jornadas de Educação Pelo Desporto As Jornadas de Educação Pelo Desporto alinham-se com os objetivos gerais do Diálogo Estruturado na área da juventude, uma vez que

Leia mais

Intervenção de Manuel Freitas Primeiro Candidato à Câmara Municipal de Felgueiras. Caros Camaradas e Amigos,

Intervenção de Manuel Freitas Primeiro Candidato à Câmara Municipal de Felgueiras. Caros Camaradas e Amigos, Intervenção de Manuel Freitas Primeiro Candidato à Câmara Municipal de Felgueiras Caros Camaradas e Amigos, Quero partilhar convosco a minha satisfação e o quanto me sinto honrado por ter recebido o convite

Leia mais

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Actividade Formativa - Intervenção Comunitária Data - 1 de Abril de 2009 Local Auditório do Edifício Cultural Município de Peniche Participação:

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação

Projeto Pedagógico e de Animação Projeto Pedagógico e de Animação 1 - Memória Descritiva 2 Identificação e Caracterização da Instituição Promotora 3 - Objetivos Gerais 4 - Objetivos Específicos 5 - Princípios educacionais 6 Metodologias

Leia mais

Eventos. Eixo I Emprego, Formação e Qualificação. Acção: Bom Porto

Eventos. Eixo I Emprego, Formação e Qualificação. Acção: Bom Porto Eventos Eixo I Emprego, Formação e Qualificação Acção: Bom Porto - Gabinete de Empregabilidade e Empreendedorismo: Uma das acções do projecto consiste na criação de um Gabinete de atendimento na área da

Leia mais

E D I T A L N.º 16/2010

E D I T A L N.º 16/2010 Torna público que nos termos do n.º 1 do art. 91.º da Lei n.º 169/99, de 18 de Setembro, com a redacção actualizada pela Lei n.º 5-A/2002, de 11 de Janeiro e com as alterações introduzidas pela Lei n.º

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DE CAPARICA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO GERAL. Acta número nove

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DE CAPARICA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO GERAL. Acta número nove ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DE CAPARICA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO GERAL Acta número nove Aos oito dias do mês de Setembro, do ano de dois mil e onze, realizou-se a nona reunião ordinária do Conselho

Leia mais

Cidadania O ASSOCIATIVISMO O RECENSEAMENTO MILITAR O RECENSEAMENTO ELEITORAL O VOLUNTARIADO

Cidadania O ASSOCIATIVISMO O RECENSEAMENTO MILITAR O RECENSEAMENTO ELEITORAL O VOLUNTARIADO 24 Capítulo 43 2 25 Estudos, Depois Formação da Outros Licenciatura e Trabalho Apoios 5 O ASSOCIATIVISMO O RECENSEAMENTO MILITAR O RECENSEAMENTO ELEITORAL O VOLUNTARIADO 5 Capítulo Capítulo 5 57 O ASSOCIATIVISMO

Leia mais

Orientações para as políticas de emprego

Orientações para as políticas de emprego C 87 E/94 Jornal Oficial da União Europeia 1.4.2010 23. Considera que, com a liderança da UE no provimento de apoio financeiro e técnico aos países em desenvolvimento, as probabilidades de sucesso nas

Leia mais

DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA E PARA EFEITOS IMEDIATOS

DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA E PARA EFEITOS IMEDIATOS DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA E PARA EFEITOS IMEDIATOS (Nos termos do nº3 do artº 92º do Decreto-Lei nº 169/99, de 18/09) --------- Reunião de 29 de Maio de 2007 --------- --- PEDIDOS DE ISENÇÃO DE

Leia mais