Regulamento da Biblioteca da Escola Superior da Magistratura da AJURIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regulamento da Biblioteca da Escola Superior da Magistratura da AJURIS"

Transcrição

1 Regulamento da Biblioteca da Escola Superior da Magistratura da AJURIS Preâmbulo Ficam sujeitos a este regulamento, sem prejuízo de outras normas vigentes, todos os usuários da Biblioteca da Escola Superior da Magistratura da AJURIS, independentemente de sua categoria. CAPÍTULO I - DA NATUREZA E FINALIDADE Art. 1º A Biblioteca da Escola Superior da Magistratura da AJURIS é uma biblioteca especializada, de acervo aberto (de acesso restrito), e tem como missão oferecer apoio às atividades de ensino, extensão e pesquisa da Escola, sendo seus principais objetivos: 1º Atender ao corpo docente, discente, administrativo, magistrados e outras entidades vinculadas à Escola Superior da Magistratura e/ou à AJURIS; 2º Apoiar as atividades desenvolvidas na ESM, fornecendo informações aos usuários mediante seleção, coleta, armazenamento, recuperação e disseminação de informação e documentos nas áreas de Direito e Ciências afins. CAPÍTULO II - DA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA Art. 2º A Biblioteca é constituída de um Coordenador indicado pela Direção da Escola, por dois bibliotecários, por auxiliares de biblioteca e estagiários de Biblioteconomia e Documentação. Art. 3º Os bibliotecários são os responsáveis pela administração técnica da Biblioteca, e a eles compete: I - planejar, gerenciar, supervisionar e avaliar os recursos e as atividades da Biblioteca; II - efetuar o processamento técnico de obras adquiridas (classificação, catalogação, indexação); III - gerenciar o processo de seleção bibliográfica e de multimeios, e caso necessário, submeter listas de aquisições ao Coordenador e/ou à Direção da Escola; IV - estabelecer política de desenvolvimento e manutenção de coleções com a finalidade de manter o equilíbrio e a atualização do acervo; V - verificar periodicamente as bibliografias utilizadas em cada disciplina e, caso necessário, submeter listas de aquisição ao Coordenador e/ou à Direção da Escola, para adequar o acervo às exigências dos cursos oferecidos; VI - selecionar doações oferecidas à Biblioteca, fazendo a inserção, descarte ou repasse para outras instituições de acordo com a adequação ao acervo; VII - estabelecer intercâmbio de informações com outras bibliotecas, centros de documentação e órgãos afins; VIII - participar de projetos de construção e/ou reforma das instalações da Biblioteca; IX - cumprir e fazer cumprir as diretrizes e normas da Biblioteca; Art. 4º A Biblioteca estrutura-se da seguinte forma: I - Setor Administrativo II - Setor de Processamento Técnico III - Setor de Referência e Circulação Seção I - Do Setor Administrativo: Art. 5º Além das atividades descritas no artigo 5º, do item I ao IX, são atribuições do Setor Administrativo: I - criação de serviços de disseminação de informação; II - coordenação e treinamento de pessoal da Biblioteca; III - distribuição de pessoal de acordo com as necessidades de serviço; IV - elaboração de relatórios; V- verificação e atualização das informações no site da Biblioteca;

2 VI - recepção e processo de requerimentos; VII - definição e adequação de serviços à demanda dos usuários. Seção II - Do Setor de processamento técnico: Art. 6º São atribuições do Setor de Processamento Técnico: I - atividades de catalogação, indexação e classificação; II - inserção de obras na base de dados da Biblioteca; III - preparação de materiais para circulação; IV - análise de consistência da base de dados bibliográficos e execução de correções necessárias; V - outras atividades afins. Seção III - Do Setor de Referência e Circulação Art. 7º São atribuições do setor de referência e circulação: I - orientar os usuários sobre a utilização do acervo, as normas de empréstimo, renovação e reserva de documentos; II - efetuar cadastramento de novos usuários; III - encaminhar dados para emissão da carteira da Biblioteca; IV - obter listagens de alunos matriculados, palestrantes, magistrados e funcionários e manter atualizada a base de dados de usuários; V- realizar as atividades de circulação (empréstimo e devolução); VI - enviar avisos de vencimento por ; VII - efetuar cobrança de obras com atraso na devolução; VIII - realizar pesquisas bibliográficas; IX - organizar e recolocar materiais nas estantes. CAPÍTULO III - DO FUNCIONAMENTO DAS SEÇÕES Art. 8º O horário regular de funcionamento da Biblioteca é de segunda a sexta-feira, das 7h45min às 21h40min, e aos sábados das 8h às 12h Parágrafo único. O horário de funcionamento da Biblioteca poderá sofrer alteração durante os períodos de férias, recesso da Escola Superior da Magistratura ou por motivo de força maior, assim definidos por sua Direção. O horário a ser adotado durante períodos especiais será definido pela Direção da Escola. Quaisquer mudanças no horário regular serão amplamente divulgadas pela coordenação da Biblioteca, mediante cartazes e webpage. Art. 9º Fora do horário de expediente, será expressamente proibido o uso da Biblioteca. Art. 10. O Acervo da Biblioteca da Escola Superior da Magistratura da AJURIS é composto de livros, obras de referência, monografias, folhetos, periódicos, CD, fitas de vídeo e DVD, que, para efeito do presente regulamento, serão denominadas de "obras". Art. 11. Compõem a Biblioteca as seguintes seções: I - Acervo circulante, composto por obras disponíveis para empréstimos domiciliar; II - Acervo de referência e Consulta Local, composto por obras indisponíveis para empréstimo domiciliar; III - Acervo de Obras Raras, indisponíveis para empréstimo; IV - Periódicos, indisponíveis para empréstimo domiciliar; V - Salão de Estudo; VI - Sala de Estudo em Grupo e Estação Multimídia; VII - Laboratório de Informática. CAPÍTULO IV - DOS USUÁRIOS Seção I - Do Acesso

3 Art. 12. O acesso às dependências físicas e a utilização dos serviços prestados e/ou disponibilizados pela Biblioteca da ESM-AJURIS é restrito aos usuários cadastrados na mesma. Seção II - Das Condições para Cadastramento Art. 13. A Biblioteca possui duas categorias de usuários, de acordo com as condições de acesso: 1º Usuários Regulares: a esta categoria de usuários, além das prerrogativas dos usuários restritos, é permitido empréstimo domiciliar e local; 2 Usuários Restritos: a esta categoria de usuári os será permitida apenas a consulta local ao acervo e a utilização do salão de estudo. Art. 14. Na condição de usuários regulares, serão cadastrados automaticamente: I - alunos do Curso de Preparação à Magistratura; II - palestrantes da ESM - AJURIS; III - funcionários da AJURIS. Art. 15. Na condição de usuários regulares, poderão ser cadastrados, mediante solicitação: I - Magistrados; II - alunos dos Cursos de Idiomas da ESM; III - alunos do Curso teórico-prático de decisões judiciais; IV - alunos dos cursos de especialização vinculados à ESM-AJURIS; V - estagiários da AJURIS; VI - participantes inscritos no Centro de Pesquisa "Judiciário, Justiça e Sociedade"; VII - entidades com as quais a Biblioteca da ESM mantém intercâmbio bibliográfico. Parágrafo único. Os Magistrados que efetuarem cadastro na Biblioteca poderão solicitar a inscrição de até 2(duas) pessoas (assessores, secretários e/ou dependentes) como autorizados a retirar livros em seu nome e/ou utilizar o serviço de consulta local. Art. 16. Na condição de usuários regulares, poderão solicitar cadastramento, mediante requerimento e pagamento da taxa mensal, cujo valor será estabelecido pela Comissão de Biblioteca, os alunos recém egressos, os quais poderão utilizar a Biblioteca pelo período máximo de 1 (um) ano após conclusão do Curso. Art. 17. Na categoria de usuários restritos, poderão solicitar cadastramento na Biblioteca, mediante apresentação de comprovante de vínculo e autorização: I - alunos dos cursos de Extensão da ESM; II- alunos de cursos promovidos pela ESM-AJURIS e realizados nas dependências da mesma, com duração superior à dois meses, que recebam autorização da Direção da Escola. III - alunos recém egressos do Curso de Preparação à Magistratura, para utilização da Biblioteca pelo período máximo de um ano após conclusão do Curso. Art. 18 A solicitação de cadastramento para usuários regulares e restritos requer apresentação de comprovante de vínculo com a ESM-Ajuris (alunos, pesquisadores, palestrantes, funcionários e estagiários) ou com a Ajuris (magistrados, funcionários e estagiários); Seção III - Dos Deveres do Usuário Art. 19 Todo aquele que utilizar os serviços desta Biblioteca ficará comprometido a obedecer e cumprir todas as determinações desse Regulamento ou instruções que venham a ser promulgadas posteriormente para suplementar as disposições nele mencionadas.

4 Art. 20 O usuário é responsável pelas obras em seu poder, ficando obrigado a zelar pelas publicações, devolvê-las nos prazos estipulados, e repô-las em caso de perda ou dano. Art. 21 É expressamente vedado ao usuário fazer anotações nos documentos sob sua responsabilidade. Art. 22 A Biblioteca emitirá gratuitamente aos usuários regulares, uma única vez, um cartão, que permitirá a utilização dos serviços em quaisquer de suas modalidades. A emissão de segunda via poderá ser feita mediante solicitação e pagamento de uma taxa, a ser fixada pela Direção da ESM. Em casos excepcionais serão emitidos cartões para usuários restritos. CAPÍTULO V - DOS SERVIÇOS OFERECIDOS Art. 23 A Biblioteca da Escola Superior da Magistratura da AJURIS oferece os seguintes serviços: I - empréstimo domiciliar; II - consulta local e salão de estudo; III - empréstimo temporário; IV - sala de estudo em grupo; V - estação multimídia; VII - laboratório de informática; VIII - COMUT. Seção I - Do Empréstimo Domiciliar Art. 24. Somente poderão ser emprestadas para leitura em domicílio as obras pertencentes à coleção circulante da Biblioteca. Art. 25. Os usuários de que tratam os artigos 14, 15 e 16, desde que devidamente cadastrados e de acordo com o disposto neste regulamento, poderão utilizar o serviço de empréstimo domiciliar de obras, observados os seguintes prazos e quantidades: Art. 26. Estão excluídos do empréstimo domiciliar: I - obras de referência, tais como: dicionários, enciclopédias e documentos indicados como consulta local;

5 II - periódicos; III - obras cuja doação tenha ocorrido com restrições à pesquisa fora do ambiente da Biblioteca; IV - obras raras; V - obras que a juízo dos bibliotecários possam, em caso de dano ou perda, acarretar prejuízos à Biblioteca; Art. 27. O usuário poderá renovar o empréstimo das obras em seu poder, por igual período, desde que não haja reserva da obra para outro usuário. 1 Todas as renovações serão feitas exclusivament e pela internet, pelo próprio usuário, informando o número do cartão da Biblioteca e senha pessoal e intransferível, podendo utilizar para esse fim os terminais disponíveis na Biblioteca e no laboratório de informática; 2 Não serão feitas renovações de obras no balcão de empréstimo. 3º O não recebimento de aviso de vencimento ou lembrete de renovação não implica na isenção de multa por atraso. Art. 28 A reserva de obras já emprestadas a outrem será feita exclusivamente pela internet, pelo próprio usuário, informando o número do cartão da Biblioteca e senha pessoal e intransferível, podendo utilizar para este fim os terminais disponíveis na Biblioteca e laboratório de informática. 1 A ordem de precedência das reservas é cronológi ca. 2 A obra permanecerá na Biblioteca, à disposição do usuário, pelo prazo de 24 horas após a devolução, sendo automaticamente anulada a reserva pelo sistema. 3 Ao usuário não será permitida a reserva de obr as já em seu poder. 4 Não será permitida a reserva de obras que este jam disponíveis para empréstimo na Biblioteca ou que pertençam a coleção de consulta local. 5º Não serão feitas reservas de obras no balcão de empréstimo. Art. 29. Enquanto o material emprestado pela Biblioteca estiver em nome do consulente, será ele responsável pela guarda e conservação desse material. Esta responsabilidade só cessará depois da baixa verificada com a restituição do material retirado. Seção II - Da Consulta Local e Salão de Estudo Art. 30. Às consultas terão livre acesso exclusivamente os usuários cadastrados na Biblioteca. Art. 31. Todas as obras constantes do acervo poderão ser consultadas no salão de estudo, devendo, após sua utilização, serem deixadas sobre as mesas para posterior reposição nas estantes pelos funcionários. Seção III - Do Empréstimo Temporário Art. 32. Os usuários poderão retirar temporariamente para fotocópia ou utilização em sala de aula, as obras pertencentes ao acervo de consulta local, ficando obrigados a devolvê-las, sob pena de multa horária, no prazo máximo de duas horas. Art. 33 Os usuários poderão retirar temporariamente para utilização overnight as obras pertencentes ao acervo de consulta local, respeitadas as condições a seguir: 1º As obras somente poderão sair para empréstimo uma (1) hora antes do horário de

6 encerramento do expediente da Biblioteca; 2º As obras retiradas deverão ser devolvidas impreterivelmente até as 8h30min da manhã do próximo dia útil, independente do turno no qual o aluno estiver matriculado; 3º A não devolução das obras no prazo estipulado acarretará a aplicação de multa horária por obra emprestada, e o usuário faltoso estará sujeito às penas descritas no art. 44 deste regulamento. Seção IV - Da Sala de Estudo em Grupo Art. 34. A sala de estudo em grupo está disponível para utilização de qualquer usuário cadastrado na Biblioteca, respeitadas as condições a seguir: 1º O usuário deverá reservar o horário para utilização da sala de estudo em grupo. 2º A reserva da sala de estudo em grupo deverá ser feita no balcão de atendimento da Biblioteca com no máximo uma semana de antecedência. 3º O usuário poderá reservar esta sala para um grupo mínimo de três pessoas e máximo de seis pessoas. O tempo de permanência será de 2(duas) horas. Havendo disponibilidade, ao término do seu horário, o grupo usuário poderá permanecer na sala. 4º Não será permitida a permanência na sala de estudo para um grupo com menos de três membros. 5º Reservada a sala, o usuário terá tolerância de quinze minutos para ocupá-la, sob pena de perder o direito de utilizá-la, no período que lhe fora reservado. 6º O usuário que reservou a sala será responsável pelos pertences do ambiente, como por exemplo, quadro, pincel, apagador, mesa e cadeiras. 7º A ausência dos membros do grupo na sala, por período superior a 15 (quinze) minutos, acarretará a perda do direito de uso, permitindo à Biblioteca conceder o uso a outro grupo que a solicitar. Seção V - Da Estação Multimída Art. 35. A estação multimída, composta de um aparelho de TV, um videocassete, um aparelho de DVD e um fone de ouvido, fica disponível para utilização no laboratório de informática. Art. 36. As regras para utilização da estação multimídia serão descritas em regulamento próprio. Seção VI - Da Laboratório de Informática Art. 37. O laboratório de informática, localizado na sala ao lado da Biblioteca dispõe de computadores para utilização exclusiva dos alunos, palestrantes e funcionários da ESM-AJURIS e magistrados. Art. 38. A utilização dos computadores do laboratório destina-se, exclusivamente ao acesso a sites jurídicos ou pertinentes à áreas de pesquisa, sendo vedada a utilização dos recursos computacionais para fins alheios aos interesses da Escola. Art. 39. Os computadores serão ligados e desligados pelos funcionários da Biblioteca, no início e término do expediente, sendo vedado aos usuários tal procedimento.

7 Art. 40. Ao surgir alguma mensagem de erro, o usuário deverá interromper sua pesquisa e comunicar o fato imediatamente aos funcionários da Biblioteca. Art. 41. É vedada a ingestão de alimentos e/ou bebidas no laboratório de informática. Art É expressamente proibida aos usuários a instalação de qualquer programa nos computadores do laboratório. Se, para acessar alguma página da internet for necessário algum software adicional, o usuário deverá informar o fato aos funcionários da Biblioteca, os quais tomarão as devidas providências. Seção VII - Do COMUT Art. 43. O serviço de Comutação Bibliográfica (COMUT) oferecido pela Biblioteca, permite que os usuários possam solicitar e receber cópias de artigos publicados em periódicos técnico-científicos (revistas, jornais, boletins, etc.), teses, e anais de congressos existentes em bibliotecas brasileiras e do exterior. Parágrafo único. As regras para utilização deste serviço serão descritas em regimento próprio. CAPÍTULO VI - DAS PENALIDADES Art. 44. O usuário que no prazo determinado não devolver à Biblioteca as obras em seu poder, sofrerá as seguintes sanções: I - obras da coleção circulante: pagamento de multa diária, por obra, em valor fixado periodicamente pela Comissão de Biblioteca; II - obras de Consulta Local: pagamento de multa por hora, por obra, em valor fixado periodicamente pela Comissão de Biblioteca III - suspensão automática dos direitos de empréstimo, renovação e reserva até regularizar a situação; IV - no caso de extravio de obra emprestada, será exigida a reposição da obra ou pagamento de seu valor atualizado (preço de mercado) acrescido do valor da multa gerada por dias atrasados; em se tratando de obra esgotada e a juízo da Comissão da Biblioteca, poderá ser exigida a substituição por outra obra. 1º Quaisquer danos causados à objetos pertencentes à Biblioteca, sejam estes obras, mobiliário ou equipamentos localizados em seu recinto, implicarão as penalidades relacionadas acima. Nesta hipótese o usuário não poderá freqüentar as dependências da Biblioteca. 2º A recusa do faltoso ao pagamento de multa pendente, implicará o encaminhamento de seu histórico à Direção da Escola, que adotará as providências cabíveis, podendo, inclusive, vincular a matrícula do semestre seguinte ao referido pagamento. 3º Em caso de danos na encadernação de obras, a critério do bibliotecário, poderá ser exigido do usuário ressarcimento do valor gasto pela Biblioteca para reencadernação ou restauração do material danificado. CAPÍTULO VII - DA MANUTENÇÃO DA ORDEM Art. 45. Nas dependências da Biblioteca é expressamente proibido: I - perturbar o silêncio, sob qualquer pretexto; II - fumar, comer, beber; III - utilizar telefones celulares, mesmo que no modo silencioso; IV - manipular inadequadamente as obras e equipamentos; V - desobedecer às recomendações dos funcionários e àquelas recorrentes deste regulamento. Art. 46. Não será permitida a entrada no salão de estudo com pastas, mochilas, bolsas, arquivos e

8 livros emprestados da Biblioteca. Art.47 Os pertences pessoais dos usuários devem ser guardados nos escaninhos do guardavolumes, localizados no hall de entrada, obedecido o seguinte: 1º O escaninho é de uso individual e exclusivo dos usuários da Biblioteca, somente durante sua permanência no recinto. 2º O usuário é responsável pela guarda e retirada do material no escaninho, o que deverá providenciar no mesmo dia, antes do horário de fechamento da Biblioteca, sendo obrigatória a devolução da respectiva chave. 3º Diariamente, serão verificados os escaninhos para constatação e retirada de materiais esquecidos, sem que isso implique qualquer responsabilidade dos funcionários da Biblioteca por esses materiais. 4º Os materiais esquecidos nos escaninhos poderão ser retirados no balcão de empréstimo da Biblioteca, mediante devolução da respectiva chave. Em caso de não retirada do material, após o período de 15 dias, este será encaminhado ao setor de achados e perdidos da ESM-AJURIS. Art. 48. A Biblioteca não se responsabiliza, em nenhuma hipótese, pelos pertences pessoais dos usuários, sejam estes deixados nas dependências da Biblioteca ou nos escaninhos guardavolumes. CAPÍTULO VIII - DA COMISSÃO DE BIBLIOTECA Art. 49. A comissão de Biblioteca é formada pelo Coordenador da Biblioteca e pelos bibliotecários. Art. 50. A Comissão será presidida pelo Coordenador da Biblioteca. Art. 51. A Comissão de Biblioteca poderá ser convocada por qualquer membro desta, sempre que deliberações forem necessárias. Art. 52. São atribuições da Comissão de Biblioteca: I - fixar valor da multa por dia e por hora atraso da devolução das obras emprestadas; II - fixar o valor de inscrições de ex-alunos; III - arbitrar valor de obras raras da Biblioteca, extraviadas ou danificadas, para fins de ressarcimento; IV - quando necessário, propor mudanças neste Regulamento, e submetê-las para aprovação da Direção da ESM-AJURIS. CAPÍTULO IX - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS Art. 53. As obras que forem abandonadas nas dependências da Biblioteca ficarão guardadas por um período máximo de 30 (trinta) dias, findo este prazo, serão remetidas ao setor de achados e perdidos da escola. Art. 54. Os bibliotecários responsáveis ficam autorizados a expedir ofícios e outros documentos, referentes ao campo de ação profissional que lhes é pertinente. Art. 55. Qualquer usuário cadastrado poderá recorrer das decisões da Comissão de Biblioteca à Direção da Escola Superior da Magistratura. Art. 56. A Biblioteca se reservará ao direito de interromper o atendimento ao usuário, sempre que houver necessidade, em período de férias, para inventário das coleções que compõem seu acervo.

9 A data será estabelecida em função do plano de trabalho da Biblioteca. Art. 57. Quando do desligamento de suas atividades na AJURIS, docentes, alunos, estagiários e funcionários deverão comparecer a Biblioteca para devolução e baixa de obras em seu poder. Art. 58. Os casos não previstos nos artigos anteriores serão resolvidos pelo bibliotecário responsável, e em casos excepcionais pela Comissão de Biblioteca e Direção da Escola. Art. 59. Este regulamento entra em vigor na data de sua publicação. Art. 60. Revogam-se as disposições contrárias.

CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO

CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO 1 CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO Art.1º - Institui o regulamento da BIBLIOTECA DA FACULDADE UNISSA DE SARANDI, com o objetivo de definir normas para prestação e utilização dos serviços e garantir

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento estabelece normas de uso e funcionamento da biblioteca do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

Aprova o Regulamento da Biblioteca do Campus Curitiba do Instituto Federal do Paraná (IFPR).

Aprova o Regulamento da Biblioteca do Campus Curitiba do Instituto Federal do Paraná (IFPR). RESOLUÇÃO Nº 001/2012 DA DIREÇÃO GERAL Aprova o Regulamento da Biblioteca do Campus Curitiba do Instituto Federal do Paraná (IFPR). O Diretor Geral, no uso de suas atribuições, resolve disciplinar as normas

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA Revisão 00 31/08/2009 Edição inicial Revisão 01 29/06/2011 - Nova redação para o Cap. I,

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CIDADE LUZ FACILUZ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. CAPÍTULO I Dos usuários e das inscrições

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CIDADE LUZ FACILUZ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. CAPÍTULO I Dos usuários e das inscrições 1 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CIDADE LUZ FACILUZ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º - Este regulamento disciplina as normas que regem o funcionamento da biblioteca e as relações funcionais

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA Revisão 00 31/08/2009 Edição inicial Revisão 01 29/06/2011 - Nova redação para o Cap. I,

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE E ESCOLA TÉCNICA NOVO RUMO

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE E ESCOLA TÉCNICA NOVO RUMO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE E ESCOLA TÉCNICA NOVO RUMO SUMÁRIO TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 DA INSTITUIÇÃO BIBLIOTECA... 3 DA FINALIDADE DESTE REGULAMENTO... 3 PRINCÍPIOS DA BIBLIOTECA...

Leia mais

REGULAMENTO DE BIBLIOTECAS

REGULAMENTO DE BIBLIOTECAS REGULAMENTO DE BIBLIOTECAS Este regulamento visa estabelecer padrões e normas para o funcionamento das Bibliotecas das Unidades de Ensino mantidas pela PITÁGORAS, objetivando sempre o aperfeiçoamento dos

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA Revisão 00 31/08/2009 Edição inicial Revisão 01 29/06/2011 Nova redação para o Cap. I, art.

Leia mais

RESOLUÇÃO GP N. 23 DE 14 DE AGOSTO DE 2014.

RESOLUÇÃO GP N. 23 DE 14 DE AGOSTO DE 2014. RESOLUÇÃO GP N. 23 DE 14 DE AGOSTO DE 2014. Dispõe sobre o funcionamento da Biblioteca Desembargador Marcílio Medeiros. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SANTA CATARINA, considerando o exposto

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA DAMA E FACULDADE DAMA Regulamento Biblioteca DAMA

ESCOLA TÉCNICA DAMA E FACULDADE DAMA Regulamento Biblioteca DAMA ESCOLA TÉCNICA DAMA E FACULDADE DAMA Regulamento Biblioteca DAMA 1 INFORMAÇÕES GERAIS A Biblioteca DAMA é um órgão suplementar da Escola Técnica DAMA e Faculdade DAMA, com regulamento próprio, conforme

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I Das disposições gerais Art. 1º. A Biblioteca, tem por objetivo oferecer suporte informacional à toda Instituição, podendo ser aberta à comunidade para consulta bibliográfica.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO REDE DE BIBLIOTECAS FACULDADE PADRÃO

REGIMENTO INTERNO REDE DE BIBLIOTECAS FACULDADE PADRÃO REGIMENTO INTERNO REDE DE BIBLIOTECAS FACULDADE PADRÃO 2015 REGIMENTO REDE DE BIBLIOTECAS FACULDADE PADRÃO Título I Das Disposições Preliminares Capítulo I Das Disposições Gerais Art. 1º - Este regulamento

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA FAME

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA FAME REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA FAME Letícia do Carmo Miranda Bibliotecária FAME - CRB 6 / 2443 BARBACENA/MG 2014 Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regimento contém as normas que disciplinarão

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACADÊMICA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACADÊMICA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACADÊMICA Aprovado pela Resolução Consuni nº. 15/08, de 21/05/08. CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DO FUNCIONAMENTO Art. 1º A Biblioteca Acadêmica, órgão de apoio às atividades do

Leia mais

REGIMENTO INTERNO BIBLIOTECA MACHADO DE ASSIS

REGIMENTO INTERNO BIBLIOTECA MACHADO DE ASSIS REGIMENTO INTERNO BIBLIOTECA MACHADO DE ASSIS Aprova o Regimento da Biblioteca do Colégio Cenecista Dr. Julio Cesar Ribeiro Neves e dá outras providências. A Diretora do Colégio Cenecista Dr. Julio Cesar

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Regulamenta o funcionamento da biblioteca no âmbito da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés. Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento tem por

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referente ao funcionamento da Biblioteca da Faculdade do Vale do Itapecuru - FAI, objetivando

Leia mais

CAPÍTULO I. Da finalidade. Art. 1º A Biblioteca do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo terá por finalidade:

CAPÍTULO I. Da finalidade. Art. 1º A Biblioteca do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo terá por finalidade: NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA NELSON RODRIGUES, DO CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DE SÃO PAULO CAPÍTULO I Da finalidade Art. 1º A Biblioteca do Conselho Regional de Contabilidade

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS. Art. 2º As Bibliotecas da Univás estão a serviço da comunidade, oferecendo aos usuários:

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS. Art. 2º As Bibliotecas da Univás estão a serviço da comunidade, oferecendo aos usuários: REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1 Este Regulamento normatiza o funcionamento das Bibliotecas da Universidade do Vale do Sapucaí Univás, mantida pela Fundação de Ensino Superior

Leia mais

O Presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

O Presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA CRCMG Nº 137/2009 APROVA ALTERAÇÕES NO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROFESSOR ANTÔNIO LOPES DE SÁ. O Presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS DO TOCANTINS REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACIT

FACULDADE DE CIÊNCIAS DO TOCANTINS REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACIT FACULDADE DE CIÊNCIAS DO TOCANTINS REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACIT TÍTULO I DAS FINALIDADES Art.1º. O presente documento tem por finalidade estabelecer normas e rotinas para o funcionamento

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento do Sistema de Bibliotecas do Centro Universitário Lusíada

Leia mais

REGULAMENTO DA SALA DE LEITURA Anexo III

REGULAMENTO DA SALA DE LEITURA Anexo III REGULAMENTO DA SALA DE LEITURA Anexo III CAPÍTULO I DA Finalidade Art. 1º O presente regulamento tem por finalidade orientar e normalizar o serviço de circulação de obras da Sala de Leitura da Associação

Leia mais

Art. 2º. A Biblioteca oferece aos seus usuários salas de estudo em grupo, cabines de estudo individuais e terminais de consulta e pesquisa.

Art. 2º. A Biblioteca oferece aos seus usuários salas de estudo em grupo, cabines de estudo individuais e terminais de consulta e pesquisa. REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CECÍLIA MEIRELES FACULDADE METROPOLITANA Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento da Biblioteca Cecília Meireles da Faculdade Metropolitana,

Leia mais

Regulamento da Biblioteca. Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca.

Regulamento da Biblioteca. Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca. PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO Biblioteca Paulo Lacerda de Azevedo Regulamento da Biblioteca Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca. Usuários da Biblioteca Alunos

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA FACULDADE SÃO CAMILO-MG

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA FACULDADE SÃO CAMILO-MG 1 REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA FACULDADE SÃO CAMILO-MG CAPÍTULO I Disposição preliminares Art 1º A Biblioteca da Faculdade São Camilo-MG tem por objetivo geral apoiar as atividades de ensino-aprendizagem

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 15, DE 17 DE AGOSTO DE 2010.

INSTRUÇÃO Nº 15, DE 17 DE AGOSTO DE 2010. Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF INSTRUÇÃO Nº 15, DE 17 DE AGOSTO DE 2010. A PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE, no uso das atribuições que

Leia mais

Regulamento da Biblioteca. Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca.

Regulamento da Biblioteca. Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca. PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO Biblioteca Paulo Lacerda de Azevedo Regulamento da Biblioteca Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca. Usuários da Biblioteca Alunos

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS: CENTRAL E INFANTIL

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS: CENTRAL E INFANTIL REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS: CENTRAL E INFANTIL DA NATUREZA Art. 1º - A Biblioteca do Colégio Catarinense, apresentando características inovadoras, alicerçada no conhecimento e na qualidade na prestação

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS: Art. 1 - A Biblioteca da FACSETE Faculdade Sete Lagoas, tem como objetivo, a disseminação da informação através da aquisição, organização, e conservação

Leia mais

Regulamento da Biblioteca São José

Regulamento da Biblioteca São José 1 Regulamento da Biblioteca São José Pato Branco - PR 2 SUMÁRIO DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO... 3 DA NATUREZA E FINS... 3 DO ACERVO... 4 DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO... 4 DA ORGANIZAÇÃO... 5 DO PESSOAL...

Leia mais

REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ

REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento da Biblioteca das Faculdades MAGSUL, objetivando sempre o aperfeiçoamento

Leia mais

Regimento Interno. - Adotar padrões ou critérios de organização e administração da biblioteca da Fundação Educacional "Dr. Raul Bauab" Jahu.

Regimento Interno. - Adotar padrões ou critérios de organização e administração da biblioteca da Fundação Educacional Dr. Raul Bauab Jahu. Regimento Interno Título I: Dos objetivos e competências Art. 1º: A Biblioteca, órgão da Fundação Educacional "Dr. Raul Bauab" - Jahu, tem por finalidade oferecer apoio informativo aos usuários, proporcionando

Leia mais

REGIMENTO DA BIBLIOTECA. Rosmar Tobias FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃ DO NORTE

REGIMENTO DA BIBLIOTECA. Rosmar Tobias FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃ DO NORTE REGIMENTO DA BIBLIOTECA Rosmar Tobias FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃ DO NORTE SUMÁRIO 1 DOS OBJETIVOS... 3 2 DA ORGANIZAÇÃO TÉCNICA... 3 3 DA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA... 3 4 DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO...

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DO IBMEC

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DO IBMEC REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DO IBMEC 1. Do objetivo a) Este Regulamento estabelece as normas de funcionamento e dos serviços prestados pelas Bibliotecas do Ibmec. b) As normas prescritas neste documento

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DO CONSELHO FEDERAL DE CONTA- BILIDADE

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DO CONSELHO FEDERAL DE CONTA- BILIDADE REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DO CONSELHO FEDERAL DE CONTA- BILIDADE CAPÍTULO I Da finalidade Art. 1º A Biblioteca do Conselho Federal de Contabilidade terá por finalidade: I - proporcionar ao presidente,

Leia mais

REGULAMENTO. BIBLIOTECA Dr. ÉLCIO COSTA COUTO

REGULAMENTO. BIBLIOTECA Dr. ÉLCIO COSTA COUTO 1 REGULAMENTO BIBLIOTECA Dr. ÉLCIO COSTA COUTO DA FINALIDADE ARTIGO 1º - A biblioteca Dr. Élcio Costa Couto da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras do Alto São Francisco FASF, mantida pelas Obras Sociais

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE BÍBLICA DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS FABAD PINDAMONHANGABA, SP, 2012 1 INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A BIBLIOTECA Função: Atender à comunidade acadêmica em suas necessidades bibliográficas

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS KROTON EDUCACIONAL SA

REGULAMENTO INTERNO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS KROTON EDUCACIONAL SA REGULAMENTO INTERNO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS KROTON EDUCACIONAL SA CONTROLE DE REVISÕES* Editadoem: Revisado em: Revisado por: Históricoda revisão: 04/07/2014 - - Primeira versão corporativa. * As atualizações

Leia mais

Fatec Pindamonhangaba

Fatec Pindamonhangaba Regulamento da Biblioteca CAPÍTULO I - APRESENTAÇÃO Art. 1º - A Biblioteca da FATEC Faculdade de Tecnologia de Pindamonhangaba, rege-se pelo Regimento desta Instituição e por este Regulamento. Art. 2º

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CAMPINEIRA DE ENSINO SUPERIOR E CULTURA - ACESC Instituto de Ensino Superior de Americana - IESA

ASSOCIAÇÃO CAMPINEIRA DE ENSINO SUPERIOR E CULTURA - ACESC Instituto de Ensino Superior de Americana - IESA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Capítulo I Disposições Preliminares Artigo 1º. - O presente regulamento estabelece normas de uso e funcionamento da Biblioteca do IESA - Instituto de Ensino Superior de Americana.

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL

REGULAMENTO INSTITUCIONAL UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇOS, ENSINO E PESQUISA LTDA. REGULAMENTO INSTITUCIONAL DA BIBLIOTECA KOSHITY NARAHASHI São Paulo 2010 SEÇÃO I DA COMPETENCIA Artigo 1º - À Biblioteca compete planejar, coordenar,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO BARRIGA VERDE

CENTRO UNIVERSITÁRIO BARRIGA VERDE CENTRO UNIVERSITÁRIO BARRIGA VERDE REGULAMENTO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA CENTRO UNIVERSITÁRIO BARRIGA VERDE - UNIBAVE REGULAMENTO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE Art.

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA GEORGE ALEXANDER. Capítulo I Disposições Preliminares

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA GEORGE ALEXANDER. Capítulo I Disposições Preliminares UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA GEORGE ALEXANDER Capítulo I Disposições Preliminares Art. 1º Este regulamento disciplina o funcionamento da Biblioteca George Alexander

Leia mais

Normas de Utilização e de Funcionamento da Biblioteca Campus Cachoeiro de Itapemirim

Normas de Utilização e de Funcionamento da Biblioteca Campus Cachoeiro de Itapemirim Normas de Utilização e de Funcionamento da Biblioteca Campus Cachoeiro de Itapemirim Título I Disposições Gerais Art. 1º - As normas tem por finalidade regular o funcionamento e a utilização da Biblioteca

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. PÍNDARO MACHADO SOBRINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. PÍNDARO MACHADO SOBRINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. PÍNDARO MACHADO SOBRINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento disciplina o funcionamento da Biblioteca Prof.

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FACISABH

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FACISABH REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FACISABH Belo Horizonte 2014 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FACISABH 1 Da Finalidade da Biblioteca A Biblioteca FacisaBH tem como finalidade proporcionar ao corpo docente, discente

Leia mais

A qualquer usuário é permitido o acesso à Biblioteca de Saúde Pública, bem como a consulta aos seus acervos, nos dias e horários de funcionamento.

A qualquer usuário é permitido o acesso à Biblioteca de Saúde Pública, bem como a consulta aos seus acervos, nos dias e horários de funcionamento. A BIBLIOTECA DE SAÚDE PÚBLICA A Biblioteca de Saúde Pública, que integra a Rede de Bibliotecas da Fiocruz, foi criada em 1954 e tem como missão contribuir para o desenvolvimento da Saúde Pública através

Leia mais

PORTARIA FATEC / PRESIDENTE PRUDENTE Nº 18/2008 DE 23 DE JUNHO DE 2008.

PORTARIA FATEC / PRESIDENTE PRUDENTE Nº 18/2008 DE 23 DE JUNHO DE 2008. PORTARIA FATEC / PRESIDENTE PRUDENTE Nº 18/2008 DE 23 DE JUNHO DE 2008. Estabelece normas para utilização da Biblioteca da Faculdade de Tecnologia de Presidente Prudente. O Diretor da Faculdade de Tecnologia

Leia mais

Avenida Loja Maçônica Renovadora 68, no. 100 - CEP 14785-002 - Barretos/SP. Regulamento. Capítulo I. Disposições preliminares

Avenida Loja Maçônica Renovadora 68, no. 100 - CEP 14785-002 - Barretos/SP. Regulamento. Capítulo I. Disposições preliminares Regulamento Capítulo I Disposições preliminares Art. 1º. Este regulamento disciplina o funcionamento da Biblioteca Dr. Ranulpho Prata da Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos Dr. Paulo Prata (FACISB).

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 28 DE OUTUBRO DE 2015.

PRÓ-REITORIA DE ENSINO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 28 DE OUTUBRO DE 2015. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 28 DE OUTUBRO DE 2015. Estabelece o regulamento para Utilização da Biblioteca. A PRÓ-REITORA DE ENSINO, usando da atribuição que lhe confere o inciso IV, do artigo 41, do Estatuto

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DISPOSIÇÕES gerais CAPITULO I DA COMPETÊNCIA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DISPOSIÇÕES gerais CAPITULO I DA COMPETÊNCIA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DISPOSIÇÕES gerais CAPITULO I DA COMPETÊNCIA Art. 1º. Compete a Biblioteca da Faculdade do Vale do Ipojuca (Favip) planejar, preparar, organizar e controlar todas as atividades

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS DE ASSIS REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACÁCIO JOSÉ SANTA ROSA

FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS DE ASSIS REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACÁCIO JOSÉ SANTA ROSA FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS DE ASSIS 1 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACÁCIO JOSÉ SANTA ROSA CAPÍTULO I DO ACESSO E DO FUNCIONAMENTO Artigo 1º A Biblioteca destina-se especialmente ao corpo docente e discente,

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS I. Da Finalidade Art. 1º. O Sistema de Bibliotecas da Universidade São Judas Tadeu, constituídas atualmente por duas Unidades de Bibliotecas,

Leia mais

JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Secretaria Administrativa

JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Secretaria Administrativa PORTARIA Nº 108-JF/RN, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2006. O DIRETOR DO FORO DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso de suas atribuições legais e, CONSIDERANDO: a) o aumento do número do acervo da biblioteca

Leia mais

Faculdade de Ciências Humanas de Curvelo - FACIC. Regulamento Interno da biblioteca Dom Serafim Fernandes de Araújo

Faculdade de Ciências Humanas de Curvelo - FACIC. Regulamento Interno da biblioteca Dom Serafim Fernandes de Araújo Faculdade de Ciências Humanas de Curvelo - FACIC Regulamento Interno da biblioteca Dom Serafim Fernandes de Araújo Curvelo - 2011 Da natureza e finalidade Art. 01º. A Biblioteca Dom Serafim Fernandes de

Leia mais

Regulamento da Biblioteca

Regulamento da Biblioteca Regulamento da Biblioteca Art. 1º A Biblioteca da Unicampo - Faculdade União de Campo Mourão é regida pelo presente Regulamento e por normas adicionais emitidas pelos órgãos competentes da Faculdade União

Leia mais

REGULAMENTO. DO EXPEDIENTE E/OU DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA : Art 2º

REGULAMENTO. DO EXPEDIENTE E/OU DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA : Art 2º DO OBJETIVO : Art 1º As Bibliotecas UNIABEU têm o objetivo geral de contribuir com o processo de ensino e pesquisa desta IES, sendo esta responsável, particularmente, por administrar o acervo da Instituição;

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS APARÍCIO CARVALHO - FIMCA Sociedade Mantenedora de Pesquisa, Educação, Assistência, Comunicação e Cultura Maria Coelho Aguiar

FACULDADES INTEGRADAS APARÍCIO CARVALHO - FIMCA Sociedade Mantenedora de Pesquisa, Educação, Assistência, Comunicação e Cultura Maria Coelho Aguiar 1 FACULDADES INTEGRADAS APARÍCIO CARVALHO - FIMCA Sociedade Mantenedora de Pesquisa, Educação, Assistência, Comunicação e Cultura Maria Coelho Aguiar BIBLIOTECA DA FIMCA RESOLUÇÃO NORMATIVA N. º 001/FIMCA/BIB-00

Leia mais

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Regulamento TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento objetiva normalizar os aspectos de funcionamento da estrutura e administração da Biblioteca Júlio Bordignon da. TÍTULO II DOS

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA SUMÁRIO 1 - INTRODUÇÃO... 3 2 - DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO... 3 3 - DAS INSCRIÇÕES... 3 4 - DO ACERVO... 3 5 - DO PRAZO DE EMPRÉSTIMO E QUANTIDADES DE VOLUMES... 4 6 - DA

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE HERRRERO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE HERRRERO MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE HERRRERO CURITIBA 2015 MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE HERRRERO Curitiba 2015 Rua Álvaro Andrade, 345 Bairro

Leia mais

BIBLIOTECA JOÃO LÁZARO FERREIRA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS REGULAMENTO

BIBLIOTECA JOÃO LÁZARO FERREIRA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS REGULAMENTO BIBLIOTECA JOÃO LÁZARO FERREIRA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS REGULAMENTO 1. DA BIBLIOTECA Art. 1º. A Biblioteca João Lázaro Ferreira da Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás tem por finalidade reunir,

Leia mais

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO E CONSULTA DO ACERVO BIBLIOTECA DA FANORPI. Capítulo I Das Disposições Preliminares

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO E CONSULTA DO ACERVO BIBLIOTECA DA FANORPI. Capítulo I Das Disposições Preliminares REGULAMENTO EMPRÉSTIMO E CONSULTA DO ACERVO BIBLIOTECA DA FANORPI Capítulo I Das Disposições Preliminares Art. 1º- A Biblioteca, presta seus serviços à comunidade acadêmica da FANORPI e região, com a intenção

Leia mais

ETEC DE MAUÁ. 1º- A Biblioteca Central é diretamente subordinada ao Centro de Gestão Documental CGD;

ETEC DE MAUÁ. 1º- A Biblioteca Central é diretamente subordinada ao Centro de Gestão Documental CGD; REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA CENTRAL E DAS BIBLIOTECAS DAS ESCOLAS TÉCNICAS ESTADUAIS - ETECS E DAS FACULDADES DE TECNOLOGIA - FATECS DO CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA

Leia mais

Manual de uso e Regras da Biblioteca

Manual de uso e Regras da Biblioteca Manual de uso e Regras da Biblioteca A Biblioteca é parte integrante do processo educativo da ETEC Dr. Emílio Hernandes Aguilar, de forma a alcançar o desenvolvimento das competências de informação, ensino,

Leia mais

FACULDADE SALESIANA DOM BOSCO DE PIRACICABA

FACULDADE SALESIANA DOM BOSCO DE PIRACICABA FACULDADE SALESIANA DOM BOSCO DE PIRACICABA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA A biblioteca Pe. Mário Quilici, da Faculdade Salesiana Dom Bosco de Piracicaba tem por objetivo proporcionar aos professores, alunos,

Leia mais

TÍTULO I DA SUBORDINAÇÃO E COMPETÊNCIA

TÍTULO I DA SUBORDINAÇÃO E COMPETÊNCIA S u m á r i o DA SUBORDINAÇÃO E COMPETÊNCIA... 2 DO FUNCIONAMENTO... 3 DO USUÁRIO... 3 DAS INSCRIÇÕES... 4 DA CONSULTA... 4 DO EMPRÉSTIMO, RESERVA E DEVOLUÇÃO... 5 DAS SANÇÕES... 6 DO EXTRAVIO E DANOS...

Leia mais

REGULAMENTO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA GETÚLIO VARGAS

REGULAMENTO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA GETÚLIO VARGAS REGULAMENTO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA GETÚLIO VARGAS A Presidente da Academia de Educação Montenegro, no uso de suas atribuições regimentais e regulamentares, tendo em vista o Regimento Interno das Faculdades

Leia mais

FACULDADE DE ARARAQUARA

FACULDADE DE ARARAQUARA SUMÁRIO CAPÍTULO I: CONSTITUIÇÃO, FINALIDADES E COMPETÊNCIAS... 2 CAPÍTULO II: DO CADASTRO DE USUÁRIOS... 3 CAPÍTULO III: DA CONSULTA AO ACERVO... 4 CAPÍTULO IV: DOS EMPRÉSTIMOS... 4 CAPÍTULO V: DO ATRASO

Leia mais

ESCOLA DE ENFERMAGEM WENCESLAU BRAZ BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGE REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGIE

ESCOLA DE ENFERMAGEM WENCESLAU BRAZ BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGE REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGIE ESCOLA DE ENFERMAGEM WENCESLAU BRAZ BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGE REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGIE ITAJUBÁ-MG 2012 CAPÍTULO I Da Biblioteca e seu funcionamento CAPÍTULO II Do usuário Seção

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA MARIA TEREZA GAVA

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA MARIA TEREZA GAVA Mantenedora Fasipe Centro Educacional Mantida Faculdade Fasipe - FASIPE REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA MARIA TEREZA GAVA SINOP / MATO GROSSO CAPÍTULO I DA FACULDADE E SUAS FINALIDADES Art.1º - A biblioteca

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO TOCANTINS PORTARIA Nº 41, DE 21 DE AGOSTO DE 2012.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO TOCANTINS PORTARIA Nº 41, DE 21 DE AGOSTO DE 2012. MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO TOCANTINS PORTARIA Nº 41, DE 21 DE AGOSTO DE 2012. Aprova o Regulamento Interno da Biblioteca da PR/TO. O PROCURADOR-CHEFE DA PROCURADORIA

Leia mais

BIBLIOTECA UEZO REGULAMENTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

BIBLIOTECA UEZO REGULAMENTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este documento tem por finalidade formalizar e instituir as normas de utilização da biblioteca, no que tange aos produtos e serviços oferecidos pela

Leia mais

Capítulo 1 Dos termos

Capítulo 1 Dos termos Resolução n 03 do Conselho de Ensino Superior O Conselho de Ensino Superior da Faculdade Três de Maio SETREM reformula o Regulamento da Biblioteca José de Alencar e dá outras providências. Capítulo 1 Dos

Leia mais

Regulamento Interno da Biblioteca Liliana Gonzaga Rede Gonzaga de Ensino Superior

Regulamento Interno da Biblioteca Liliana Gonzaga Rede Gonzaga de Ensino Superior Capítulo 1 - INTRODUÇÃO Art. 1. Este regulamento visa definir normas para a prestação de serviços da Biblioteca e a utilização dos serviços oferecidos pela Biblioteca Liliana Gonzaga e Faculdade REGES

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DA COMPETÊNCIA

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DA COMPETÊNCIA DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DA COMPETÊNCIA Art.1º À gerência da biblioteca da FASAM compete desenvolver e implantar a política de desenvolvimento do seu acervo bibliográfico e promover: o tratamento, organização

Leia mais

Art. 1º Atualizar o Regulamento que disciplina o funcionamento da Biblioteca do Tribunal Regional do Trabalho, conforme o que segue:

Art. 1º Atualizar o Regulamento que disciplina o funcionamento da Biblioteca do Tribunal Regional do Trabalho, conforme o que segue: ATO EJTRT Nº 03/2014 O DIRETOR DA ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais e regulamentares, CONSIDERANDO os objetivos da Escola Judicial do

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 45/2012, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2012 PROCESSO Nº 23199.000547/2012-82

RESOLUÇÃO Nº 45/2012, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2012 PROCESSO Nº 23199.000547/2012-82 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC - INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO RESOLUÇÃO Nº 45/2012, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2012 Dispõe sobre o regulamento das bibliotecas dos câmpus

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA SERRA SUMÁRIO REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA... 2 DOS OBJETIVOS:... Erro! Indicador não definido. DO HORÁRIO

Leia mais

FACULDADE FRUTAL FAF REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCRITORA MAGNÓLIA ROSA

FACULDADE FRUTAL FAF REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCRITORA MAGNÓLIA ROSA FACULDADE FRUTAL FAF REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCRITORA MAGNÓLIA ROSA Frutal/MG 2014 1 UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES EDUCACIONAIS DO ESTADO DE SÃO PAULO PRESIDENTE: José Fernando Pinto da Costa VICE-

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 04/14 CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 04/14 CONSUNI RESOLUÇÃO Nº 04/14 CONSUNI HOMOLOGA A PORTARIA Nº 35/13 QUE APROVOU AD REFERENDUM O REGULAMENTO DO SISTEMA INTEGRADO DE BIBLIOTECAS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE. O Conselho

Leia mais

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO APROVOU E EU, VICE- REITORA, NO USO DE MINHAS ATRIBUIÇÕES ESTATUTÁRIAS E REGIMENTAIS, SANCIONO A SEGUINTE RESOLUÇÃO:

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO APROVOU E EU, VICE- REITORA, NO USO DE MINHAS ATRIBUIÇÕES ESTATUTÁRIAS E REGIMENTAIS, SANCIONO A SEGUINTE RESOLUÇÃO: R E S O L U Ç Ã O N o 007/2011-COU CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, nesta Reitoria e no site http://www.scs.uem.br, no dia 28/4/2011. Aprova Regulamento de Uso

Leia mais

REGULAMENTO DE CIRCULAÇÃO DE ACERVOS E SERVIÇOS DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UEPA

REGULAMENTO DE CIRCULAÇÃO DE ACERVOS E SERVIÇOS DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UEPA , GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ BIBLIOTECA CENTRAL REGULAMENTO DE CIRCULAÇÃO DE ACERVOS E SERVIÇOS DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UEPA Documento Elaborado pelo Corpo Técnico de

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DO SISTEMA INTEGRADO INESUL

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DO SISTEMA INTEGRADO INESUL REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS DO SISTEMA INTEGRADO INESUL Estrutura Organizacional Presidente da Entidade Mantenedora Dinocarme Aparecido Lima Diretora Geral Vergínia Aparecida Mariani Missão Formar agentes

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A INFRAESTRUTURA DA BIBLIOTECA

RELATÓRIO SOBRE A INFRAESTRUTURA DA BIBLIOTECA RELATÓRIO SOBRE A INFRAESTRUTURA DA BIBLIOTECA 1 RELATÓRIO SOBRE A BIBLIOTECA INFORMAÇÕES GERAIS: As bibliografias das disciplinas do curso estão atualizadas, e seguem o padrão de três obras para a bibliografia

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA 1 INTRODUÇÃO A Biblioteca é referida pelos Estatutos da FAJE no Título II, Cap. II, Art. 20, 1, e no Título 111, Art. III, Artigos 61, 64 69. Este regulamento deve ser revisto

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica alterado, conforme anexo, o Regulamento do Sistema de Bibliotecas da Universidade São Francisco USF.

R E S O L U Ç Ã O. Fica alterado, conforme anexo, o Regulamento do Sistema de Bibliotecas da Universidade São Francisco USF. RESOLUÇÃO CONSUN 8/2015 ALTERA O REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. O Presidente do Conselho Universitário CONSUN, no uso das atribuições que lhe confere o art. 14,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS DIRETORIA DE BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS DIRETORIA DE BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA REGULAMENTO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS - UNIMONTES CAPÍTULO I Dos Objetivos Art. 1º Este regulamento visa a estabelecer as normas dos serviços oferecidos pelo Sistema

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA COMPETÊNCIA Art.1º. A Biblioteca da Faculdade Canção Nova tem atribuição de desenvolver e implantar política de desenvolvimento do respectivo acervo e promover o tratamento,

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAMILLO PEREIRA CARNEIRO BURLE CAPÍTULO I DA BIBLIOTECA E SEUS OBJETIVOS

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAMILLO PEREIRA CARNEIRO BURLE CAPÍTULO I DA BIBLIOTECA E SEUS OBJETIVOS SUMÁRIO CAPÍTULO I DA BIBLIOTECA E SEUS OBJETIVOS CAPÍTULO II DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO CAPÍTULO III DOS USUÁRIOS CAPÍTULO IV DO EMPRÉSTIMO CAPÍTULO V DAS PENALIDADES CAPÍTULO VI DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica NORMAS GERAIS PARA USO DA BIBLIOTECA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CÂMPUS GOVERNADOR VALADARES

Leia mais

REGULAMENTO I. FINALIDADE

REGULAMENTO I. FINALIDADE REGULAMENTO I. FINALIDADE Art. 1º As Bibliotecas do Centro Universitário Assunção UNIFAI, dispõe de 2 unidades distribuídas no Ipiranga e na Vila Mariana. Para melhor atender a todos que delas usufruem,

Leia mais

REGIMENTO DA BIBLIOTECA UNIFAVIP DeVry

REGIMENTO DA BIBLIOTECA UNIFAVIP DeVry REGIMENTO DA BIBLIOTECA UNIFAVIP DeVry REGIMENTO DA BIBLIOTECA UNIFAVIP DeVry DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DA COMPETÊNCIA Art. 1º. Compete a Biblioteca do Centro Universitário do Vale do Ipojuca (UNIFAVIP

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE DOM BOSCO DE UBIRATÃ

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE DOM BOSCO DE UBIRATÃ REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE DOM BOSCO DE UBIRATÃ UBIRATÃ - PR 2013 REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DA BIBLIOTECA: DIRETRIZES GERAIS Art.1º- A Biblioteca apóia

Leia mais

PORTARIA Nº. 234, DE 22 DE SETEMBRO DE 2015.

PORTARIA Nº. 234, DE 22 DE SETEMBRO DE 2015. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PORTARIA Nº. 234, DE 22 DE SETEMBRO DE 2015. O DIRETOR-GERAL DO CAMPUS IBATIBA, DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO, nomeado pela Portaria nº.

Leia mais

FACULDADE ERNESTO RISCALI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA BIBLIOTECA ARMANDO RISCALI

FACULDADE ERNESTO RISCALI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA BIBLIOTECA ARMANDO RISCALI FACULDADE ERNESTO RISCALI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA BIBLIOTECA ARMANDO RISCALI OLÍMPIA 2014 1 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA BIBLIOTECA ARMANDO RISCALI APRESENTAÇÃO A Biblioteca presta serviços ao público em

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Edina Watfa Elid Duenhas

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Edina Watfa Elid Duenhas REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Edina Watfa Elid Duenhas Bibliotecária Esp. - Mara Liz Souza da Cunha 2ª revisão atualizada O Regulamento da Biblioteca foi aprovado pelo CONSUP mediante a Resolução nº 012/2013

Leia mais

REGULAMENTO GERAL. SISTEMA DE BIBLIOTECAS IESI Faculdade Max Planck BIBLIOTECA HENRIQUE SCHULZ E HEV CAMPUS II. Sumário

REGULAMENTO GERAL. SISTEMA DE BIBLIOTECAS IESI Faculdade Max Planck BIBLIOTECA HENRIQUE SCHULZ E HEV CAMPUS II. Sumário SISTEMA DE BIBLIOTECAS IESI Faculdade Max Planck BIBLIOTECA HENRIQUE SCHULZ E HEV CAMPUS II. REGULAMENTO GERAL Sumário I. Do Regulamento e sua aplicação... 2 II. Dos usuários da Biblioteca... 2 III. Do

Leia mais