UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO EXAMES DE ACESSO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO EXAMES DE ACESSO"

Transcrição

1 EXAMES DE ACESSO

2 UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO EXAMES DE ACESSO 2

3 UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO Roteiro das Inscrições e Excertos do Regulamento dos Exames de Acesso UAN 2015 ROTEIRO DO PROCESSO DE INSCRIÇÕES DE NOVOS ESTUDANTES NA UAN Prezado Candidato, em primeiro lugar gostaríamos de lhe dar as boas vindas à Universidade Agostinho Neto (UAN). Saiba que tomou uma sábia decisão ao escolher a UAN como candidato aos exames de acesso ao Ano Académico Somos a primeira Universidade Pública criada em Angola, cuja existência supera hoje meio século desde a criação dos Estudos Gerais Universitários em Angola. Saiba, pois, que o processo de inscrição de novos estudantes na Universidade Agostinho Neto é realizado de maneira integrada, obedecendo às seguintes etapas: 1. FASE DE DIVULGAÇÃO É o período que precede e permanece durante todo o processo de inscrições. Nesta etapa são colocadas à disposição do público em geral informações relativas à oferta de cursos, número de vagas e requisitos para a inscrição. A divulgação é 3

4 feita nos meios internos da Universidade, internet e nos meios de comunicação social. 2. FASE DE ATENDIMENTO NO EXTERIOR i. Consiste na organização dos Estudantes no Exterior do Campus por ordem de chegada e por área de estudos a avaliar. Para o efeito são organizadas filas de ciências sociais, ciências Exactas e da Saúde. ii. Pode ainda consistir na realização de uma pré-inscrição online. Neste caso o candidato preenche os formulários por internet e obtém um recibo que indica o dia e período em que deverá apresentar a documentação original para efeitos de verificação da sua autenticidade. Para os candidatos que fazem a pré-inscrição online é criada uma via rápida de atendimento no dia previamente agendado. 3. FASE DE ATENDIMENTO NO INTERIOR Esta fase comporta duas etapas, nomeadamente: i. Triagem Consiste na verificação da autenticidade da documentação, esclarecimento de dúvidas e na orientação dos candidatos. Nesta etapa o candidato informa das suas opções e é analisada a compatibilidade das mesmas com a sua formação secundária. É conferida a documentação, sendo assinaladas as opções do candidato no bordereaux de pagamentos dos emolumentos, o qual é assinado pelo funcionário que efectuou a verificação. As equipas de triagem são formadas por funcionários das diferentes unidades orgânicas intervenientes na respectiva prova de exames. São indicados pela Comissão de Exames os Vice-Decanos para os Assuntos Académicos que coordenam e supervisionam cada ponto de triagem, os quais indicarão os capitães das respectivas equipas. No Campus são definidos quatros pontos de triagem, nomeadamente: a. Dois pontos de triagens para as provas de Ciências Sociais, sendo um no Anfiteatro de Química e outro no de Matemática; b. Um ponto de triagem para as provas de Ciências Exactas no Anfiteatro de Informática e Computação; c. Um ponto de triagem para as provas de Ciências da Saúde no Anfiteatro de Física. ii. Retriagem Consiste numa nova verificação da autenticidade da documentação. Este processo ocorre no Hall de Entrada do Edifício da 4

5 Biblioteca e precede à introdução dos no Sistema Informático de Gestão dos Exames de Acesso (SIGEA). Nesta etapa são reanalisados os documentos de habilitações literárias e identificados os potenciais documentos falsos. Uma equipa de professores previamente treinada compara os documentos com base nos elementos de segurança da autenticidade, previamente definidos. iii. iv. Inserção da identificação no sistema de atendimento É o momento em que um operador insere os dados de identificação candidato (nome e bilhete de identidade) no SIGEA para definição da ordem de inscrição. Urna de senhas As senhas são depositadas na urna localizadas no ponto de acesso ao ponto de chamada e espera. v. Tela de Chamada Individual É o momento em que o candidato permanece sentado na sala de atendimento e espera pela aparição do seu nome tela de chamada e identifica o posto no qual será atendido por um operador. O sistema de megafonia auxilia a chamada individual e a localização do posto de atendimento. vi. vii. Inscrição do Candidato É a etapa em que são inseridos no SIGEA os dados complementares da candidatura, nomeadamente a idade, sexo, escola de proveniência, cursos e turno pretendidos, número do recibo de pagamento de emolumentos entre outros. Organização do Processo individual O candidato obtém da impressora o recibo e dirige-se ao posto de entrega do processo individual, onde se confere a documentação, colam-se as fotografias, organiza-se o processo e carimba-se o recibo que é entregue ao candidato. Funcionários de cada uma das Unidades Orgânicas organizam os processos individuais por Unidade Orgânica. 4. FASE DE PUBLICAÇÃO DE LISTAS A publicação das listas dos candidatos inscritos é feita nos meios internos da Universidade e por internet. Um comunicado de Imprensa é remetido aos meios de comunicação social para informar do início do processo de publicação das listas dos candidatos inscritos. 5

6 As listas indicam, o dia, hora e sala da realização das provas. Os candidatos não poderão realizar os exames fora do dia, hora e sala indicados na lista. 5. FASE DE RECLAMAÇÕES Esta fase permite ao candidato exercer o seu direito de reclamar por qualquer irregularidade na inscrição junto da Comissão de Exames de Acesso. Para tal, o candidato mencionar o motivo da reclamação por escrito e de forma inteligível no verso da cópia do recibo de inscrição e entregar a reclamação à Comissão dentro do período estabelecido pelo calendário dos exames de acesso. 6. FASE DE PUBLICAÇÃO DAS LISTAS DEFINITIVAS Este período ocorre depois da actualização do SIGEA após ao atendimento das reclamações apresentadas pelos candidatos. Durante esta fase, as listas afectadas deverão ser substituídas após a devida correcção. Rogamos agora que dedica a melhor atenção para conhecer excertos do Regulamentos dos Exames de Acesso UAN 2015, cujo cumprimento é de carácter obrigatório. Compreender o seu conteúdo é fundamental para o sucesso da sua participação nos exames de acesso. BOA LEITURA! 6

7 REGULAMENTO PARA OS CANDIDATOS AOS EXAMES DE ACESSO À UAN EXCERTOS -- CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Objecto O presente regulamento disciplina o concurso de acesso e ingresso a todos cursos do ensino superior público oferecidos pela Universidade Agostinho Neto. Artigo 2º Âmbito Os exames de acesso, objeto do presente regulamento, abrangem exclusivamente as provas únicas a que os candidatos serão submetidos para obtenção de uma vaga à primeira inscrição (matrícula) para os cursos de bacharelato ou de licenciatura nas Unidades Orgânicas da Universidade Agostinho Neto, obedecendo ao calendário académico oficial. Artigo 3º Período de Exames de Acesso Os exames de Acesso decorrem uma única vez no período definido pelo calendário académico oficial. Artigo 5º Condições gerais de apresentação aos Exames de Acesso 1. Pode candidatar-se aos exames o candidato que satisfaça cumulativamente as seguintes condições: a) Ser titular de um certificado original de conclusão de curso de ensino médio, pré-universitário ou de habilitação legalmente equivalente, com notas descriminadas; 7

8 b) Fazer prova da sua documentação de identificação pessoal, nomeadamente do Bilhete de Identidade, para os cidadãos nacionais, do passaporte, para os estrangeiros. Em qualquer dos casos acompanhada de uma fotocópia que ficará arquivada depois de conferida a sua autenticidade com o original; c) Reunir condições para a realização efectiva da prova presencial. 2. Para além dos requisitos descritos no número anterior, os candidatos aos cursos de Direito e de Medicina deverão possuir no mínimo 14 valores da média final do aproveitamento obtido no ensino secundário do II ciclo. 3. A formalização da candidatura é feita mediante a inscrição dentro dos prazos estabelecidos. Artigo 6º Inscrições aos Exames de Acesso 1. As inscrições têm carácter presencial, embora seja possível uma pré-inscrição online. 2. São documentos necessários para a realização das inscrições os seguintes: a) Original do Certificado de habilitações (curso médio ou pré-universitário) com notas discriminadas de todas as disciplinas e anos, acompanhada de uma fotocópia que ficará arquivada, depois de confrontada com o original. b) Original do Bilhete de Identidade ou Passaporte (para), acompanhado de uma fotocópia que ficará arquivada depois de confrontada com o original. c) Declaração do serviço para os candidatos trabalhadores. Documento militar ou da polícia, caso seja militar ou polícia. d) Apresentação de um atestado da situação militar regularizada para os candidatos do sexo masculino em idade militar. e) Três fotografias coloridas tipo passe recentes. f) Comprovativo de Pagamento de Kz (Dois Mil Kwanzas), por cada uma das opções em que se inscreve, obtido em qualquer balcão do Banco indicado no edital dos exames de acesso. 3. Os candidatos podem inscrever-se em duas opções com afinidade e compatíveis para a mesma prova de exames. 4. O prazo de inscrições é estabelecido pelo calendário académico oficial. 8

9 5. A efectivação da inscrição é confirmada pela emissão do respectivo recibo, contendo o número da inscrição. CAPÍTULO II EXAMES Artigo 9º Tipo de Exames 1. Os exames de Acesso da Universidade Agostinho Neto têm um carácter presencial e são realizados em prova única de acordo com o curso pretendido. 2. As provas únicas assumem as seguintes denominações e opções: a) Prova de Ciências Sociais: para os candidatos aos cursos de: i. Antropologia, Ciência Política, Comunicação Social, Psicologia, História, Sociologia, Geodemografia, Gestão e Administração Pública, oferecidos pelas Faculdades de Ciências Sociais; ii. Direito, oferecido pela Faculdade de Direito; iii. Economia, Gestão Financeira, Gestão de Empresas, Contabilidade e Administração, Contabilidade e Auditoria, oferecidos pela Faculdade de Economia; iv. Filosofia, Língua e Literatura Angolanas, Língua e Literatura Inglesas, Língua e Literatura Francesas, Língua e Literatura Portuguesas, Secretariado Administrativo, oferecidos pela Faculdade de Letras; v. Psicologia Clínica e Psicologia Escolar, oferecidos pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde; vi. Gestão Hoteleira e Gestão de Turismo, oferecidos pela Escola Superior de Hotelaria e Turismo; vii. Qualquer outro curso ministrado pela UAN, por indicação da comissão de Exames. b) Prova de Ciências Exactas para os candidatos aos cursos de: i. Ciências da Computação, Engenharia Geográfica, Física, Geofísica, Geologia, Matemática, Meteorologia, Química, oferecidos pela Faculdade de Ciências; ii. Arquitectura, Engenharia Civil, Engenharia Electrónica e Telecomunicações, Engenharia Electrotécnica, Engenharia 9

10 Informática, Engenharia Mecânica, Engenharia de Minas, Engenharia Química, Engenharia de Petróleo, oferecidos pela Faculdade de Engenharia; iii. Qualquer outro curso ministrado pela UAN, por indicação da comissão de Exames. c) Prova de Ciências da Saúde para os candidatos aos cursos de: i. Análises Clínicas e Saúde Pública, Ciências Farmacêuticas, Ciências de Enfermagem, oferecidos pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde; ii. iii. iv. Biologia, oferecido pela Faculdade de Ciências; Medicina, oferecido pela Faculdade de Medicina; Qualquer outro curso ministrado pela UAN, por indicação da comissão de Exames. 3. As provas únicas são preferencialmente escritas em papel e com esferográfica com tinta azul ou preta, excepto em casos de necessidade especial decorrentes de alguma deficiência física do candidato devidamente comprovada e autorizada. 4. Excepcionalmente é admitida a utilização de máquinas de escrever em braile para os candidatos invidentes, sendo a impressão do conteúdo feita logo a seguir à realização do exame, sob acompanhamento dos membros do júri. Artigo 10º Conteúdos a Examinar 1. Os conteúdos a avaliar são definidos de acordo com as opções do candidato, sendo por regra os seguintes: a. Língua Portuguesa, Matemática, Física e Desenho, para os candidatos ao curso de: i. Arquitectura b. Língua Portuguesa, Biologia, Matemática e Química, para os candidatos aos seguintes cursos: i. Análises Clínicas ii. Biologia 10

11 iii. Enfermagem iv. Ciências Farmaceuticas v. Medicina c. Língua Portuguesa, Matemática, Física, Química, para os candidatos aos seguintes cursos: i. Ciências da Computação ii. Engenharia Civil iii. Engenharia de Minas iv. Engenharia de Petróleo v. Engenharia Electrónica e Telecomunicações vi. Engenharia Electrotécnica vii. Engenharia Geográfica viii. Engenharia Informática ix. Engenharia Mecânica x. Engenharia Química xi. Física xii. Geofísica xiii. Geologia xiv. Matemática xv. Metereologia xvi. Química d. Língua Portuguesa, História, Matemática, Cultura Geral, para os candidatos aos seguintes cursos: i. Antropologia ii. Ciência Política iii. Comunicação Social iv. Geodemografia v. História vi. Psicologia (do Trabalho, Criminal e Social) vii. Psicologia Clínica viii. Psicologia Escolar ix. Sociologia x. Direito xi. Gestão e Administração Pública 11

12 xii. Economia xiii. Gestão Financeira xiv. Gestão de Empresas xv. Gestão Hoteleira xvi. Gestão de Turismo xvii. Contabilidade e Administração xviii. Contabilidade e Auditoria xix. Filosofia xx. Secretariado Administrativo xxi. Língua e Literatura Francesas xxii. Língua e Literatura Inglesas xxiii. Língua e Literatura Angolanas xxiv. Língua e Literatura em Língua Portuiguesa Artigo 11º Realização dos Exames 1. A realização de exames só é permitida na sala na pauta, salvo indicação contrária da Comissão por razões devidamente justificadas. 2. Para o acesso aos exames, os candidatos inscritos deverão permanecer diante da sala com 1 (uma) hora de antecedência mínima, munidos de Bilhete de Identidade, carta de condução ou Passaporte e recibo de inscrição. 3. Pela não observância do disposto nos números 1) e 2) pelos candidatos ser-lhesá vedada a realização da referida prova. 4. Após o início de cada prova, não será permitida a entrada de qualquer candidato, independentemente dos motivos que vier a alegar. 5. Para a realização de cada prova os candidatos deverão estar munidos do seguinte material: a. Esferográfica de tinta azul ou preta b. Régua (se necessário) c. Lápis d. Borracha 6. Sob pena de anulação da prova e consequentemente a anulação da candidatura, não será permitido o uso dos seguintes materiais: 12

13 a. Máquina de calcular; b. Corretores; c. Telemóveis; d. Ipad s, tablet s ou outro material electrónico; e. Qualquer outro material susceptível de prática de fraude. 7. As provas deverão ser efectuadas exclusivamente na folha específica fornecida no acto de exame; 8. As respostas deverão ser efectuadas a esferográfica azul ou preta. 9. As perguntas respondidas a lápis não serão corrigidas. 10. Os candidatos devem seguir atentamente as instruções para o preenchimento da folha da prova e não devem escrever no espaço reservado ao número convencional. 11. Não é permitido o diálogo nem a partilha de material durante a prova de exame. 12. Não é admissível a saída e entrada de candidatos durante a prova de exame. Artigo 13º Critérios de Selecção dos Estudantes aos Diferentes Cursos 1. Após a correcção das provas de acesso, a selecção dos estudantes para a admissão aos diferentes cursos será feita de acordo com as melhores notas até a cobertura das vagas existentes por curso. 2. Para cada curso, a selecção dos estudantes a serem admitidos inclui os candidatos que escolhem o curso como segunda opção. 3. Excepcionalmente, a Comissão poderá decidir sugerir aos candidatos com classificações altas a optarem por um curso diferente dos das suas opções, no caso caso de em tais cursos existirem poucos candidatos para cobrirem as vagas, ou se verificar que os candidatos a ditos cursos com probabilidade de serem admitidos obtiverem notas negativas demasiado baixas. 4. Para o efeito do disposto no número anterior, a Comissão decidirá pela fixação de uma nota mínima para o acesso a tais cursos. 5. No caso de igualdade na classificação, o desempate é feito mediante factores como a idade, género predominante no curso, ordem alfabética, etc. 13

14 6. Pelo disposto no número anterior assume prioridade o candidato mais jovem, do género menos predominante no curso, e de condição social menos favorecida. Artigo 15º Reclamações 1. O direito às reclamações dos candidatos é garantido pela Comissão de Exames de Acesso. 2. Para aplicação do exposto no número anterior, o candidato deverá obedecer aos seguintes procedimentos: a) Mencionar o motivo da reclamação por escrito e de forma inteligível no verso da cópia do recibo de inscrição; b) Entregar a reclamação à Comissão dentro do período estabelecido pelo calendário dos exames de acesso; c) Efectuar o pagamento dos emolumentos da reclamação, caso seja requerido; d) Apresentar no acto da reclamação a sua documentação pessoal ou outra informação complementar, caso lhe for solicitada. 3. Dentro do prazo estabelecido, o tratamento das reclamações é realizado por cada uma das sub-comissões especializadas, sendo os seus resultados apreciados pela Comissão antes da sua divulgação. 4. Os resultados das reclamações são divulgados nas pautas da segunda etapa da publicação de resultados, sendo as pautas afixadas nos locais da realização dos exames e publicadas no sítio da internet da Reitoria e Unidades Orgânicas; 5. A criação de condições para afixação dos resultados é assegurada pela Sub- Comissão de Informação. Reitoria da UAN em Luanda, aos 19 de Dezembro de

REGULAMENTO GERAL PARA OS EXAMES DE ACESSO

REGULAMENTO GERAL PARA OS EXAMES DE ACESSO REGULAMENTO GERAL PARA OS EXAMES DE ACESSO Artigo 1.º (Objecto e âmbito) O presente regulamento visa regulamentar o processo da organização e realização dos exames de acesso para frequência dos cursos

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO DE LICENCIATURA NO EXTERIOR DO PAÍS EDITAL 03/DGB/2015. ARTIGO I Princípios

PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO DE LICENCIATURA NO EXTERIOR DO PAÍS EDITAL 03/DGB/2015. ARTIGO I Princípios PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO DE LICENCIATURA NO EXTERIOR DO PAÍS EDITAL 03/DGB/2015 ARTIGO I Princípios A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (SONANGOL E.P.) torna público os critérios e as etapas

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO DE LICENCIATURA PARA O EXTERIOR DO PAÍS 2º CONCURSO (PROGRAMA 2014) EDITAL Nº. 02/DGB/2015. ARTIGO I Princípios

PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO DE LICENCIATURA PARA O EXTERIOR DO PAÍS 2º CONCURSO (PROGRAMA 2014) EDITAL Nº. 02/DGB/2015. ARTIGO I Princípios PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO DE LICENCIATURA PARA O EXTERIOR DO PAÍS 2º CONCURSO (PROGRAMA 2014) EDITAL Nº. 02/DGB/2015 ARTIGO I Princípios A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola, SONANGOL, E.P.,

Leia mais

Secção I Matricula e Inscrição. Art.º 16.º ( conceito) Art.º 17.º (Matricula e Inscrição)

Secção I Matricula e Inscrição. Art.º 16.º ( conceito) Art.º 17.º (Matricula e Inscrição) Secção I Matricula e Inscrição Art.º 16.º ( conceito) 1. A matrícula é o acto pelo qual o estudante ingressa na universidade Agostinho Neto. 2. A matrícula á Universidade Agostinho Neto faz-se uma só vez.

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO DE LICENCIATURA NO EXTERIOR DO PAÍS EDITAL 2014. ARTIGO I Princípios

PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO DE LICENCIATURA NO EXTERIOR DO PAÍS EDITAL 2014. ARTIGO I Princípios PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO DE LICENCIATURA NO EXTERIOR DO PAÍS EDITAL 2014 ARTIGO I Princípios A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (SONANGOL E.P.) torna público os critérios e as etapas necessárias

Leia mais

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVASF, no uso da atribuição que lhe confere o Estatuto da Universidade Federal do Vale do São Francisco,

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVASF, no uso da atribuição que lhe confere o Estatuto da Universidade Federal do Vale do São Francisco, RESOLUÇÃO Nº 01/2009 Fixa critérios para o Processo Seletivo/Vestibular 2009.2 - UNIVASF referentes aos novos cursos de Graduação do projeto REUNI e preencher as vagas remanescentes dos cursos de Engenharia

Leia mais

Candidatura ao Ensino Superior

Candidatura ao Ensino Superior Candidatura ao Ensino Superior Para concluir o ensino secundário, os alunos têm que obter aprovação a todas as disciplinas do plano de estudos do respectivo curso. Nas disciplinas não sujeitas à realização

Leia mais

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA. Faculdade de Ciências e Tecnologia Diário da República, 2 série N.º 186 26 de Setembro de 2006. Resolução n.

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA. Faculdade de Ciências e Tecnologia Diário da República, 2 série N.º 186 26 de Setembro de 2006. Resolução n. UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências e Tecnologia Diário da República, 2 série N.º 186 26 de Setembro de 2006 Resolução n.º 94/2006 Por resolução do conselho directivo da Faculdade de Ciências

Leia mais

CONCURSO DE ACESSO AO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO PÓS GRADUADA EM ENGENHARIA INFORMÁTICA APLICADA À SAÚDE EDIÇÃO 2011/2012

CONCURSO DE ACESSO AO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO PÓS GRADUADA EM ENGENHARIA INFORMÁTICA APLICADA À SAÚDE EDIÇÃO 2011/2012 PRES EDT006 2011 CONCURSO DE ACESSO AO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO PÓS GRADUADA EM ENGENHARIA EDIÇÃO 2011/2012 João Manuel Simões da Rocha, Presidente do Instituto Superior de Engenharia do Porto, faz saber:

Leia mais

DESPACHO SP/3/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA

DESPACHO SP/3/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA DESPACHO SP/3/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA Nos termos dos artigos 2.º e 3.º do Regulamento do Estatuto do Estudante Internacional

Leia mais

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO Aprovado em reunião da Comissão Coordenadora do Conselho Científico em 22/11/2006 Aprovado em reunião de Plenário do Conselho Directivo em 13/12/2006 PREÂMBULO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 03/2008

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 03/2008 RESOLUÇÃO Nº 03/2008 Fixa critérios para o Processo Seletivo/Vestibular 2008.2 - UNIVASF referentes aos Cursos de Engenharia do Campus Juazeiro-BA. O DA UNIVASF, no uso da atribuição que lhe confere o

Leia mais

Regulamento da Candidatura através dos Concursos Especiais. Ano Letivo 2013/2014

Regulamento da Candidatura através dos Concursos Especiais. Ano Letivo 2013/2014 Regulamento da Candidatura através dos Concursos Especiais (Decreto-Lei nº393-b/99, de 2 de outubro, alterado pelo Decreto-lei nº64/2006, de 21 de março, pelo Decreto-Lei nº88/2006, de 23 de maio, e pela

Leia mais

EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL. Ano letivo de 2015/2016

EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL. Ano letivo de 2015/2016 EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL Ano letivo de 2015/2016 João Baptista da Costa Carvalho, Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), torna público a

Leia mais

Instituto Superior de Ciências da Saúde - Norte

Instituto Superior de Ciências da Saúde - Norte Regulamento do concurso de acesso aos cursos ministrados pelos estabelecimentos de ensino da Cooperativa de Ensino Superior, Politécnico e Universitário, CRL. C.E.S.P.U. Instituto Superior de Ciências

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO DE ALUNOS 2014/1 EDITAL N.º 023/2013

CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO DE ALUNOS 2014/1 EDITAL N.º 023/2013 1. ABERTURA CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO DE ALUNOS 2014/1 EDITAL N.º 023/2013 O Reitor do Centro Universitário La Salle UNILASALLE, na forma do que dispõe o art. 44, Inciso

Leia mais

Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferências e Reingressos do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferências e Reingressos do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferências e Reingressos do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Artigo 1.º Objecto e âmbito 1 - O presente regulamento disciplina, no cumprimento

Leia mais

EXAMES NACIONAIS E PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA -2014/2015

EXAMES NACIONAIS E PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA -2014/2015 EXAMES NACIONAIS E PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA -2014/2015 ESCLARECIMENTOS PARA DIRETORES DE TURMA E ALUNOS DO ENSINO SECUNDÁRIO (11º e 12º anos dos cursos científico-humanísticos e 12º ano dos

Leia mais

ANO LETIVO 2014 / 2015 I NÚMERO DE VAGAS

ANO LETIVO 2014 / 2015 I NÚMERO DE VAGAS Código IMP.EM.EI.8_ ANO LETIVO 2 / 25 I NÚMERO DE VAGAS. O número total de vagas para o º ano de cada curso, é: VAGAS Medicina Dentária (MD) 2 Ciências Farmacêuticas (CF) 2* Engenharia Biomédica (EB) 8

Leia mais

Candidatura 2011/12 SPO - ESMAIA

Candidatura 2011/12 SPO - ESMAIA Candidatura 2011/12 IMPORTANTE: ESTE DOCUMENTO NÃO SUBSTITUI A CONSULTA DOS DOCUMENTOS OFICIAIS RELATIVAMENTE AOS ASPECTOS RELATIVOS AO ACESSO AO ENSINO SUPERIOR, E POR ISSO, NÃO DISPENSA A CONSULTA PERIÓDICA

Leia mais

DESPACHO SP/61/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA

DESPACHO SP/61/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA DESPACHO SP/61/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA Face à necessidade de ajustar o regime do Estudante Internacional do Instituto

Leia mais

REGULAMENTO DE ACESSO E INGRESSO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO ISVOUGA

REGULAMENTO DE ACESSO E INGRESSO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO ISVOUGA Página 1 de 6 Preâmbulo O presente regulamento define as regras de acesso e ingresso nos cursos técnicos superiores profissionais do e institui os critérios pelos quais se pautam as provas de avaliação

Leia mais

EDITAL Nº 07/2013 - VESTIBULAR AGENDADO DE INVERNO 2013/02

EDITAL Nº 07/2013 - VESTIBULAR AGENDADO DE INVERNO 2013/02 FACULDADE SANT ANA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO SANT ANA. EDITAL Nº 07/2013 - VESTIBULAR AGENDADO DE INVERNO 2013/02 Estabelece normas para Vestibular Agendado 2013/2 da INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO AMAZONAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS Gabinete da Reitora EDITAL Nº 27/2009

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO AMAZONAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS Gabinete da Reitora EDITAL Nº 27/2009 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO AMAZONAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS Gabinete da Reitora EDITAL Nº 27/2009 A FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO AMAZONAS torna público que o Processo Seletivo para preenchimento de

Leia mais

Candidatura ao Ensino Superior

Candidatura ao Ensino Superior Candidatura ao Ensino Superior Para concluir o ensino secundário, os alunos têm que obter aprovação a todas as disciplinas do plano de estudos do respetivo curso. Nas disciplinas não sujeitas à realização

Leia mais

Anexo 7 CTC 25/1/2012

Anexo 7 CTC 25/1/2012 Anexo7 CTC25/1/2012 INSTITUTO POLITÉCNICO DE LISBOA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE LISBOA Regulamento dos regimes de mudança de curso, transferência e reingresso da Escola Superior de Educação de Lisboa

Leia mais

Exames nacionais E N S I N O S E C U N D Á R I O

Exames nacionais E N S I N O S E C U N D Á R I O Exames nacionais E N S I N O S E C U N D Á R I O Afixação dos resultados da avaliação Afixação das pautas de avaliação final do 3.º período: 9 de junho Entrega de avaliações pelos diretores de turma: 9

Leia mais

Ministério da Educação e Desportos (MED) Concurso de Recrutamento de Professores 2014/2015

Ministério da Educação e Desportos (MED) Concurso de Recrutamento de Professores 2014/2015 Ministério da Educação e Desportos (MED) Concurso de Recrutamento de Professores 2014/2015 O Ministério da Educação e Desporto (MED) em colaboração com a Direcção Geral da Administração Pública (DGAP),

Leia mais

Regulamento de Acesso e Ingresso

Regulamento de Acesso e Ingresso Página 1 de 7 Preâmbulo O presente regulamento define as regras de acesso e ingresso nos cursos técnicos superiores profissionais do ISVOUGA e institui os critérios pelos quais se pautam as provas de avaliação

Leia mais

Regulamento dos Concursos Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior nos Cursos Ministrados na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Regulamento dos Concursos Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior nos Cursos Ministrados na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Regulamento dos Concursos Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior nos Cursos Ministrados na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro TÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Âmbito O presente

Leia mais

ANO 2014 2º SEMESTRE

ANO 2014 2º SEMESTRE SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 095/2014, de 25/04/2014 PROCESSO SELETIVO E MATRÍCULA DOS CANDIDATOS APROVADOS NO PROGRAMA

Leia mais

Faculdades Unidas de Pesquisa, Ciências e Saúde CNPJ : 08.543.681/0001-46 www.faculdadefapec.com.br

Faculdades Unidas de Pesquisa, Ciências e Saúde CNPJ : 08.543.681/0001-46 www.faculdadefapec.com.br EDITAL 021/2015 DE 15 DE OUTUBRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2016.1 A Faculdades Unidas de Pesquisa, Ciências e Saúde FAPEC torna público o Edital do Processo Seletivo Vestibular 2016.1, para

Leia mais

Antes de começar a preencher o seu boletim de inscrição, leia atentamente as seguintes instruções:

Antes de começar a preencher o seu boletim de inscrição, leia atentamente as seguintes instruções: Antes de começar a preencher o seu boletim de inscrição, leia atentamente as seguintes instruções: O boletim de inscrição deve ser preenchido com esferográfica, azul ou preta e não deve conter quaisquer

Leia mais

EDITAL Nº 021/2015-PROGRAD. A Pró-Reitora de Graduação da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, no uso de suas atribuições, considerando:

EDITAL Nº 021/2015-PROGRAD. A Pró-Reitora de Graduação da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, no uso de suas atribuições, considerando: EDITAL Nº 021/2015-PROGRAD ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA OCUPAÇÃO DE VAGAS REMANESCENTES PARA INGRESSO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIOESTE, PARA O ANO LETIVO DE 2015. A Pró-Reitora de Graduação da Universidade

Leia mais

PREENCHIMENTO DO BOLETIM DE INSCRIÇÃO

PREENCHIMENTO DO BOLETIM DE INSCRIÇÃO PREENCHIMENTO DO BOLETIM DE INSCRIÇÃO O boletim de inscrição deve ser preenchido com esferográfica, azul ou preta, não conter rasuras e devem ser tidas em consideração as seguintes indicações: 1.1. Nome

Leia mais

CONCURSO DE ACESSO AO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO DA QUALIDADE, AMBIENTE E SEGURANÇA EDIÇÃO 2015/2016

CONCURSO DE ACESSO AO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO DA QUALIDADE, AMBIENTE E SEGURANÇA EDIÇÃO 2015/2016 O Presidente do Instituto Superior de Engenharia do Porto, João Manuel Simões da Rocha faz saber: 1. É aberto, com o calendário constante do Anexo I, o concurso de acesso para frequência, no ano letivo

Leia mais

Regulamento de Ingresso e Acesso para Estudantes Internacionais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Disposição geral Objeto

Regulamento de Ingresso e Acesso para Estudantes Internacionais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Disposição geral Objeto Regulamento de Ingresso e Acesso para Estudantes Internacionais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa SECÇÃO A Disposição geral Artigo 1.º Objeto O presente regulamento define as normas aplicáveis

Leia mais

EDITAL REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO NO ENSINO SUPERIOR 2015/2016

EDITAL REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO NO ENSINO SUPERIOR 2015/2016 EDITAL REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO NO ENSINO SUPERIOR 205/206 (Portaria n.e 40/2007, de 5 de abril, alterada pela portaria n.s 232-A/203, de 22 de julho, e pelo Decreto-Lei

Leia mais

Mais de 40 anos de Progresso! Calendário de Exames do Ensino Secundário e de Acesso ao Ensino Superior 2010/2011

Mais de 40 anos de Progresso! Calendário de Exames do Ensino Secundário e de Acesso ao Ensino Superior 2010/2011 Mais de 40 anos de Progresso! Calendário de Exames do Ensino Secundário e de Acesso ao Ensino Superior 2010/2011 1. Calendário Geral de Exames do Ensino Secundário e de Acesso ao Ensino Superior (2011)*

Leia mais

PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR ESPECIAL DE VERÃO 2009/1

PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR ESPECIAL DE VERÃO 2009/1 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR ESPECIAL DE VERÃO 2009/1 EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÃO O Reitor do Centro Universitário Feevale, instituição de ensino superior recredenciada pela Portaria nº 1.566, de 27

Leia mais

EDITAL PRES-EDT012-2015

EDITAL PRES-EDT012-2015 O Presidente do Instituto Superior de Engenharia do Porto, João Manuel Simões da Rocha faz saber: 1. É aberto, com o calendário constante do Anexo I, o concurso de acesso para frequência, no ano letivo

Leia mais

COORDENADORIA GERAL DE CONCURSOS E PROCESSOS SELETIVOS EDITAL 027/2013-COGEPS

COORDENADORIA GERAL DE CONCURSOS E PROCESSOS SELETIVOS EDITAL 027/2013-COGEPS COORDENADORIA GERAL DE CONS E PROCESSOS SELETIVOS EDITAL 027/2013-COGEPS ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA OCUPAÇÃO DE INICIAIS REMANESCENTES DO CON VESTIBULAR 2013 PELO APROVEITAMENTO DO RESULTADO DO ENEM DE

Leia mais

Regulamento das Provas Especialmente Adequadas Destinadas a Avaliar a Capacidade para a Frequência do Ensino Superior dos Maiores de 23 Anos.

Regulamento das Provas Especialmente Adequadas Destinadas a Avaliar a Capacidade para a Frequência do Ensino Superior dos Maiores de 23 Anos. Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril Regulamento n.º 100/2006 (Diário da República II Série de 16 de Junho de 2006) Regulamento das Provas Especialmente Adequadas Destinadas a Avaliar a Capacidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CURSINHO DA INCLUSÃO SOCIAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CURSINHO DA INCLUSÃO SOCIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CURSINHO DA INCLUSÃO SOCIAL EDITAL DE ABERTURA DE VAGAS PARA PROFESSOR-MONITOR DO CURSINHO DA INCLUSÃO SOCIAL, N 2 DE 03 DE SETEMBRO DE 2012. A Coordenação do Projeto Cursinho

Leia mais

EDITAL Nº 13 / 2012 Pró-Reitoria de Ensino de Graduação

EDITAL Nº 13 / 2012 Pró-Reitoria de Ensino de Graduação 1 EDITAL Nº 13 / 2012 Pró-Reitoria de Ensino de A Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA, através da Pró-Reitoria de Ensino de PROGRAD, e amparada pelas Resoluções de CEPE Nº 73/2007 e 81/2007, anuncia

Leia mais

1) Endereço na INTERNET: www.vestibular.unifei.edu.br

1) Endereço na INTERNET: www.vestibular.unifei.edu.br MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ EDITAL DO SEGUNDO VESTIBULAR 2009 UNIFEI Campus Itajubá Aprovado pela Câmara de Graduação em 10/02/2009 1ª Reunião Ordinária O Pró-Reitor de Graduação

Leia mais

CONCURSO VESTIBULAR 2016.1 EDITAL

CONCURSO VESTIBULAR 2016.1 EDITAL CONCURSO VESTIBULAR 2016.1 EDITAL A REITORA do Centro Universitário de João Pessoa UNIPÊ faz saber, pelo presente EDITAL, que estão sendo abertas durante o período, de 15 de setembro de 2015 a 11 de março

Leia mais

EDITAL PRE Nº 003/2015 PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA (PSTV) PERÍODO LETIVO 2015.1

EDITAL PRE Nº 003/2015 PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA (PSTV) PERÍODO LETIVO 2015.1 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PRÓ-REITORIA DE ENSINO EDITAL PRE Nº 003/2015 PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA (PSTV) PERÍODO LETIVO 2015.1 O presente Edital

Leia mais

1 - DAS INSCRIÇÕES. 1.4 Portadores de necessidades especiais:

1 - DAS INSCRIÇÕES. 1.4 Portadores de necessidades especiais: 1 - DAS INSCRIÇÕES Cursos de Arquitetura e Urbanismo noturno, Administração noturno, Administração vespertino, Biomedicina noturno, Ciências Biológicas Bacharelado noturno, Ciências Biológicas Licenciatura

Leia mais

EDITAL DO 1º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL - VESTIBULAR 1º SEMESTRE - 2015

EDITAL DO 1º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL - VESTIBULAR 1º SEMESTRE - 2015 EDITAL DO 1º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL - VESTIBULAR 1º SEMESTRE - 2015 A Faculdade Meta - FAMETA, Instituição de Ensino Superior comprometida a observar o padrão

Leia mais

Direcção do Registo Académico

Direcção do Registo Académico Direcção do Registo Académico EDITAL DE MATRÍCULAS E INSCRIÇÕES PARA OS INGRESSOS DO ANO LECTIVO DE 2015 1. INTRODUÇÃO 1.1. A Direcção do Registo Académico (DRA) da Universidade Eduardo Mondlane (UEM),

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 158/2013

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 158/2013 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 158/2013 Dispõe sobre as normas e fixa o calendário e o número de vagas do Processo Seletivo/2014 para o Curso de Medicina da Universidade de Taubaté. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA,

Leia mais

SOBRESP - Faculdade de Ciências da Saúde. Edital 001/2014. Processo Seletivo

SOBRESP - Faculdade de Ciências da Saúde. Edital 001/2014. Processo Seletivo SOBRESP - Faculdade de Ciências da Saúde Edital 001/2014 Processo Seletivo A Direção da SOBRESP - Faculdade de Ciências da Saúde torna públicas as normas a seguir, que regem o Processo Seletivo Vestibular

Leia mais

PREZADO CANDIDATO. Maria Eliza de Aguiar e Silva Diretoria Geral

PREZADO CANDIDATO. Maria Eliza de Aguiar e Silva Diretoria Geral PREZADO CANDIDATO Este talvez seja o momento mais importante na definição dos caminhos e rumos da sua vida. Lembre-se que esta escolha é só sua e pelo resto da vida. A construção de um bom profissional

Leia mais

EDITAL DO VESTIBULAR ESPECIAL EAD/UAB - UNIFEI 2009

EDITAL DO VESTIBULAR ESPECIAL EAD/UAB - UNIFEI 2009 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ EDITAL DO VESTIBULAR ESPECIAL EAD/UAB - UNIFEI 2009 Aprovado pela Câmara de Graduação em 19/09/2008 18ª Reunião Extraordinária O Pró-Reitor de Graduação

Leia mais

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal de São Carlos, no

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal de São Carlos, no RESOLUÇÃO CEPE Nº 503, de 13 de julho de 2005. Regulamenta a execução do Processo Seletivo para ingresso nos cursos da UFSCar e dá outras providências. O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO DE ADMISSÃO 2011 Campi Itajubá e Itabira

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO DE ADMISSÃO 2011 Campi Itajubá e Itabira MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ EDITAL DE PROCESSO SELETIVO DE ADMISSÃO 2011 Campi Itajubá e Itabira (*) RETIFICAÇÃO O Pró-Reitor de Graduação da Universidade Federal de Itajubá

Leia mais

UNIVERSIDADE ZAMBEZE DIRECÇÃO DE RECURSOS HUMANOS ANÚNCIO DE VAGAS

UNIVERSIDADE ZAMBEZE DIRECÇÃO DE RECURSOS HUMANOS ANÚNCIO DE VAGAS UNIVERSIDADE ZAMBEZE DIRECÇÃO DE RECURSOS HUMANOS ANÚNCIO DE VAGAS A Universidade Zambeze torna público que, por Despacho do Magnifico Reitor datado de 27 de Novembro de 2014, com o fulcro no artigo 31

Leia mais

COLÉGIO SHALOM PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE ESTUDO - 2015

COLÉGIO SHALOM PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE ESTUDO - 2015 1 COLÉGIO SHALOM PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE ESTUDO - 2015 EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE ESTUDO 2015 A Direção Geral do COLÉGIO SHALOM faz saber que as inscrições para o Processo Seletivo

Leia mais

Regulamento dos Regimes de Reingresso, Mudança de Curso e Transferência

Regulamento dos Regimes de Reingresso, Mudança de Curso e Transferência Regulamento dos Regimes de Reingresso, Mudança de Curso e Transferência A Portaria n 401/2007, de 5 de Abril, aprova o Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no Ensino

Leia mais

EDITAL SMEE/DAA Nº 47, DE 10 DE OUTUBRO DE 2013

EDITAL SMEE/DAA Nº 47, DE 10 DE OUTUBRO DE 2013 EDITAL SMEE/DAA Nº 47, DE 10 DE OUTUBRO DE 2013 DURVAL ORLATO, Secretário de Educação e Esportes da Prefeitura do Município de Jundiaí. Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, ------------------------------------------

Leia mais

Turno de funcionamento. integral (noite/manhã)

Turno de funcionamento. integral (noite/manhã) CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES EDITAL DE 31 DE AGOSTO DE 2015 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR PARA O ANO DE 2016 (Processo Seletivo Vestibular 2016, Processo Seletivo Vestibular Complementar 2016/A e Processo

Leia mais

C1 C2 C3 C4 C5 C6 a) 6 2 1 2 1. Licenciatura em Design a) 20 8 10 14 8

C1 C2 C3 C4 C5 C6 a) 6 2 1 2 1. Licenciatura em Design a) 20 8 10 14 8 EDITAL 1º Ciclo de Estudos - Ano Letivo 2015/2016 Concurso para os regimes de Reingresso, Mudança de Curso, Transferência, e Concursos Especiais de Ingresso (titulares de curso médio ou superior e maiores

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO DA ESTBarreiro/IPS

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO DA ESTBarreiro/IPS REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO DA ESTBarreiro/IPS Artigo 1.º Duração e estrutura do ciclo de estudos conducente ao grau de Mestre 1. O ciclo de estudos conducente ao grau de Mestre, ministrado na ESTBarreiro/IPS,

Leia mais

Exames Nacionais do Ensino Secundário. http://agrcanelas.edu.pt/

Exames Nacionais do Ensino Secundário. http://agrcanelas.edu.pt/ 2015 Exames Nacionais do Ensino Secundário http://agrcanelas.edu.pt/ PARA EFEITOS DE ADMISSÃO A EXAME, OS CANDIDATOS CONSIDERAM-SE: ALUNOS INTERNOS ALUNOS AUTOPROPOSTOS EXAMES NACIONAIS DO ENSINO SECUNDÁRIO

Leia mais

Cod. Vagas 2014 Estudantes 3123 IP Portalegre - ES Agrária

Cod. Vagas 2014 Estudantes 3123 IP Portalegre - ES Agrária EDITAL CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS Nos termos do Decreto-Lei nº 36/2014, de 10 de março e do Regulamento do Estudante Internacional do Instituto Politécnico de

Leia mais

PROCESSO SELETIVO ENEM 2015.1 EDITAL Nº 02

PROCESSO SELETIVO ENEM 2015.1 EDITAL Nº 02 PROCESSO SELETIVO ENEM 2015.1 EDITAL Nº 02 SUMÁRIO 1. Da Validade... 3 2. Das Inscrições... 5 3. Período de Inscrição e Horário... Erro! Indicador não definido. 4. Da Avaliação... 5 5. Da Matrícula...

Leia mais

Poderão ser aceitos no programa os candidatos que obtiverem nota superior ou igual a 8 (oito), seguindo a distribuição indicada acima.

Poderão ser aceitos no programa os candidatos que obtiverem nota superior ou igual a 8 (oito), seguindo a distribuição indicada acima. INSTITUTO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E DE COMPUTAÇÃO - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AOS PROCESSOS SELETIVOS nº

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)*

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* Bolsa / / Reservado aos Serviços A preencher pelo candidato Nome completo: Domínio científico principal (indicar apenas

Leia mais

Universidade Católica de Moçambique

Universidade Católica de Moçambique Universidade Católica de Moçambique INSCRIÇÕES PARA NOVOS INGRESSOS ANO ACADÉMICO 2015 Processo de Inscrição Os interessados deverão candidatar-se a uma única Faculdade/ Extensão. Só irão frequentar os

Leia mais

EDITAL DE TRANSFERÊNCIA Nº 001/2013 DRCA/UFAL CAMPUS MACEIÓ

EDITAL DE TRANSFERÊNCIA Nº 001/2013 DRCA/UFAL CAMPUS MACEIÓ SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE REGISTRO E CONTROLE ACADÊMICO EDITAL DE TRANSFERÊNCIA Nº 001/2013 DRCA/UFAL CAMPUS MACEIÓ O Departamento

Leia mais

NORMAS DO PRIMEIRO PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS REMANESCENTES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA PUC-CAMPINAS 1 o SEMESTRE DE 2016

NORMAS DO PRIMEIRO PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS REMANESCENTES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA PUC-CAMPINAS 1 o SEMESTRE DE 2016 NORMAS DO PRIMEIRO PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS REMANESCENTES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA PUCCAMPINAS 1 o SEMESTRE DE 2016 Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1 o Este Processo Seletivo tem

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO APROVADO 30 de dezembro de 2014 O Presidente, ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO (Paulo Parente) REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA Capítulo I Disposições gerais

Leia mais

E X A M E S N A C I O N A I S D O E N S I N O S E C U N D Á R I O

E X A M E S N A C I O N A I S D O E N S I N O S E C U N D Á R I O 2012 DECRETO-LEI N.º 50/2011 [PLANO DE ESTUDOS] PORTARIA N.º 244/2011 [AVALIAÇÃO] DESPACHO N.º 1942/2012 [CALENDÁRIO DE EXAMES] NORMA 01/JNE/2012 [INSTRUÇÕES PARA A INSCRIÇÃO] E X A M E S N A C I O N A

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 171/2015

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 171/2015 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 171/2015 Dispõe sobre as normas e fixa o calendário e o número de vagas para o Processo Seletivo Verão-2016, para os cursos de graduação presenciais da Universidade de Taubaté UNITAU.

Leia mais

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014)

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) EDITAL MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/200, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objecto) O presente regulamento estabelece a orgânica do Gabinete Erasmus, bem

Leia mais

Regulamento das Provas Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior para Maiores de 23 Anos

Regulamento das Provas Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior para Maiores de 23 Anos Regulamento das Provas Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior para Maiores de 23 Anos O Decreto-Lei nº64/2006, de 21 de Março, regulamenta as provas especialmente adequadas destinadas a avaliar

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA. (Edição 2015-2017)

EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA. (Edição 2015-2017) EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA (Edição 2015-2017) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

EDITAL Nº 35/2014 EDITAL DE ABERTURA DO VESTIBULAR 2015

EDITAL Nº 35/2014 EDITAL DE ABERTURA DO VESTIBULAR 2015 EDITAL Nº 35/2014 EDITAL DE ABERTURA DO VESTIBULAR 2015 A Comissão Coordenadora do Processo Seletivo das Faculdades Integradas de Vitória FDV, para conhecimento de todos os interessados, torna público

Leia mais

EDITAL N. 009/2014 - DG/FG CONCURSO VESTIBULAR AGENDADO PARA O CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO TURNO NOTURNO 1º SEMESTRE/2014

EDITAL N. 009/2014 - DG/FG CONCURSO VESTIBULAR AGENDADO PARA O CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO TURNO NOTURNO 1º SEMESTRE/2014 EDITAL N. 009/2014 - DG/FG CONCURSO VESTIBULAR AGENDADO PARA O CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO TURNO NOTURNO 1º SEMESTRE/2014 A Faculdade Guarapuava, mantida pela União de Ensino e Cultura de Guarapuava

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E DE COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AOS PROCESSOS SELETIVOS

INSTITUTO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E DE COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AOS PROCESSOS SELETIVOS INSTITUTO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E DE COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AOS PROCESSOS SELETIVOS nº.047/2015 PROGRAMA DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E MATEMÁTICA COMPUTACIONAL

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM PROCESSOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS. (edição 2010-2012)

EDITAL MESTRADO EM PROCESSOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS. (edição 2010-2012) EDITAL MESTRADO EM PROCESSOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS (edição 2010-2012) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, com as alterações introduzidas

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2/2015. EDITAL Nº 013/2015 de 05 de junho de 2015.

PROCESSO SELETIVO 2/2015. EDITAL Nº 013/2015 de 05 de junho de 2015. PROCESSO SELETIVO 2/2015 EDITAL Nº 013/2015 de 05 de junho de 2015. O Pró-Reitor de Graduação, considerando o disposto na Portaria Normativa MEC nº 21, de 5 de novembro de 2012, torna público que a seleção

Leia mais

EDITAL DO1º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL - VESTIBULAR 1º SEMESTRE - 2015

EDITAL DO1º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL - VESTIBULAR 1º SEMESTRE - 2015 EDITAL DO1º PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE PRESENCIAL - VESTIBULAR 1º SEMESTRE - 2015 A Faculdade FAPAN Instituição de Ensino Superior comprometida a observar o padrão de qualidade

Leia mais

REGULAMENTO DE ACESSO E INGRESSO

REGULAMENTO DE ACESSO E INGRESSO REGULAMENTO DE ACESSO E INGRESSO Artigo 1.º Âmbito O presente Regulamento destina-se a regular o acesso e ingresso nos cursos da Escola Superior Artística do Porto Guimarães, adiante designada por Escola.

Leia mais

EGAS MONIZ COOPERATIVA DE ENSINO SUPERIOR, C. R. L.

EGAS MONIZ COOPERATIVA DE ENSINO SUPERIOR, C. R. L. EGAS MONIZ COOPERATIVA DE ENSINO SUPERIOR, C. R. L. Regulamento n.º 120/2006 (DIÁRIO DA REPÚBLICA II SÉRIE N.º 124 29 de Junho de 2006) Regulamento do Concurso Especial de Acesso e Ingresso no Ensino Superior

Leia mais

Universidade Estadual do Maranhão Pró-Reitoria de Graduação EDITAL Nº 033/2014 PROG/UEMA

Universidade Estadual do Maranhão Pró-Reitoria de Graduação EDITAL Nº 033/2014 PROG/UEMA Universidade Estadual do Maranhão Pró-Reitoria de Graduação EDITAL Nº 033/2014 PROG/UEMA A Universidade Estadual do Maranhão UEMA, por meio da Pró-Reitoria de Graduação PROG, torna público aos interessados

Leia mais

Serviço de Psicologia e Orientação (SPO) Psicóloga Maria João Caria

Serviço de Psicologia e Orientação (SPO) Psicóloga Maria João Caria Serviço de Psicologia e Orientação (SPO) Psicóloga Maria João Caria Alunos 12º anos; Fevereiro de 2011 Para concluir um curso do ensino secundário os alunos, têm de obter aprovação em todas as disciplinas!

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA A SAÚDE. (2ª Edição 2011/2013)

EDITAL MESTRADO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA A SAÚDE. (2ª Edição 2011/2013) EDITAL MESTRADO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA A SAÚDE (2ª Edição 2011/2013) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, com as alterações

Leia mais

Escola Secundária Filipa de Vilhena 2013/2014

Escola Secundária Filipa de Vilhena 2013/2014 Escola Secundária Filipa de Vilhena 2013/2014 Documentos reguladores Decretos-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho; (Princípios orientadores da organização, da gestão e do desenvolvimento dos currículos dos

Leia mais

DESPACHO Nº 14/2007(a), com as alterações introduzidas pelo DESPACHO Nº 13/R/2011 de 11 de Abril de 2011 (Versão consolidada)

DESPACHO Nº 14/2007(a), com as alterações introduzidas pelo DESPACHO Nº 13/R/2011 de 11 de Abril de 2011 (Versão consolidada) DESPACHO Nº 14/2007(a), com as alterações introduzidas pelo DESPACHO Nº 13/R/2011 de 11 de Abril de 2011 (Versão consolidada) Assunto: Regulamento dos concursos especiais de acesso aos ciclos de estudo

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO APROVADO 30 de junho de 2014 O Presidente, ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO (Paulo Parente) REGULAMENTO DOS CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E INGRESSO NO CURSO DE LICENCIATURA EM ENFERMAGEM E DAS PROVAS

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO E DOS CONCURSOS ESPECIAIS DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO (IPVC)

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO E DOS CONCURSOS ESPECIAIS DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO (IPVC) REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO E DOS CONCURSOS ESPECIAIS DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO (IPVC) Nos termos do disposto nos artigos 12º e 15º do Decreto-Lei

Leia mais

Regulamento Geral de Matrículas e Inscrições. no ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado

Regulamento Geral de Matrículas e Inscrições. no ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado Regulamento Geral de Matrículas e Inscrições no ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado Artigo 1.º Âmbito 1 - O presente Regulamento fixa as normas gerais relativas a matrículas e inscrições

Leia mais

PROGRAMA DE CRIAÇÃO DE TALENTOS PARA ANGOLA BOLSA ESCOM Bolsa de Estudo para Cursos Superiores

PROGRAMA DE CRIAÇÃO DE TALENTOS PARA ANGOLA BOLSA ESCOM Bolsa de Estudo para Cursos Superiores PROGRAMA DE CRIAÇÃO DE TALENTOS PARA ANGOLA BOLSA ESCOM Bolsa de Estudo para Cursos Superiores A pretende impulsionar as actividades de Responsabilidade Social em Angola, contribuindo para o seu desenvolvimento.

Leia mais

Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Música de Lisboa. Regulamento dos regimes de mudança de curso, transferência e reingresso PREÂMBULO

Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Música de Lisboa. Regulamento dos regimes de mudança de curso, transferência e reingresso PREÂMBULO Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Música de Lisboa Regulamento dos regimes de mudança de curso, transferência e reingresso PREÂMBULO Nos termos do disposto no artigo 10º do Regulamento

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 164/2012

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 164/2012 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 164/2012 Dispõe sobre as normas e fixa o calendário e número de vagas para o Processo Seletivo/2013 dos cursos presenciais de graduação. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)*

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* Bolsa / / Reservado aos Serviços A preencher pelo candidato Nome completo: Domínio científico principal (indicar apenas

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO VERÃO 2016

EDITAL PROCESSO SELETIVO VERÃO 2016 EDITAL PROCESSO SELETIVO VERÃO 2016 A União Dinâmica de Faculdades Cataratas UDC S/C LTDA, mantenedora das Instituições: - Centro Universitário Dinâmica das Cataratas Faculdades Anglo-Americano e a Diretiva

Leia mais