15 Conceitos de Bancos de Dados com o LibreOffice Base

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "15 Conceitos de Bancos de Dados com o LibreOffice Base"

Transcrição

1 Introdução a Informática - 1º semestre AULA 14 Prof. André Moraes Objetivos desta aula: Explorar as propriedades na criação de bancos de dados no LibreOffice Base; Criar e explorar tabelas; Criar e explorar formulários; Importar informações de planilhas de dados; 15 Conceitos de Bancos de Dados com o LibreOffice Base O Base é um software da família dos SGBDR (Sistemas Gerenciadores de Banco de dados Relacionais), e é o atual concorrente do Microsoft Access, da Microsoft. A medida que as informações de uma empresa crescem, a tendência da administração começar a se dividir em departamentos e setores. Cada departamento deve gerenciar as informações pertinentes a sua área e pode acontecer o que podemos chamar de redundância (repetição) de arquivos. O mais comum de se começar a utilizar um banco de dados é através do armazenamento de cadastros ou de um controle de estoque. Normalmente estes tipos de arquivos costumam ser gerenciados por aplicativos comuns como o Calc e o Excel. Uma tarefa comum de se realizar é a importação destes dados para que sejam convertidos para um banco de dados e utilizados dentro do gerenciador COMPONENTES DE UM BANCO DE DADOS Os dados são vistos como grandes tabelas de dados. No Calc, por exemplo, são manipulados como se fossem tabelas com linhas e colunas. A diferença é que para cada grupo de informações teremos uma tabela diferente, ou seja, caso desejarmos armazenar informações de uma loja de locação de filmes, por exemplo, teremos: Cadastro de Filmes Pág 138

2 Um cadastro como este é um tanto pequeno, mas à medida que os dados são inseridos os dados tornam-se difíceis de serem controlados. Daí passa a ser interessante o uso de um Sistema Gerenciador de Banco de dados, onde o gerenciamento das informações é muito mais dinâmico para quando temos uma quantidade maior de informações. Vejamos os principais aspectos de um banco de dados: COMPONENTES DE UM BANCO DE DADOS Componente Tabela Campos Registros Chave Primária Descrição Matriz bidimensional onde as colunas são os campos e as linhas são os registros. Representa o nome da respectiva coluna onde serão armazenadas as informações. Representam cada linha armazenada na tabela contendo todas as suas colunas. Normalmente consiste em cada informação sobre o assunto o qual a tabela estiver armazenando. Consiste em um campo onde é inserida uma informação individual para um registro, normalmente é utilizada alguma informação como um código, um CPF, etc. Vejamos os seguintes passos para a elaboração de um banco de dados básico: PASSO 1: Criando o primeiro Banco de Dados Base Logo ao acessar o LibreOffice Base, será solicitado ao usuário da criação do banco de dados. Algumas opções estarão disponíveis como abrir um arquivo de banco de dados existente ou criar um novo banco de dados. Outras opções estarão disponíveis, porém para a criação de um banco de dados novo é necessário começar criando o banco de dados e em seguida a criação das tabelas. Escolhemos criar novo, Pág 139

3 Em seguida é visualizada a tela inicial do Base: PASSO 2: Criando a primeira tabela no modo assistente A criação de tabelas é a principal tarefa na construção de um banco de dados robusto. Normalmente é feito um planejamento inicial antes de realizar tal tarefa. Para a abordagem feita pela unidade curricular não será necessário nenhum projeto para esta construção, abordaremos apenas os procedimentos de criação e manipulação dos dados. Pág 140

4 A primeira forma explorada de criar uma tabela é acessando o assistente de tabelas, o qual nos ajudará a realizar tal tarefa: Note que temos os passos a serem seguidos localizados na parte esquerda da tela, os mesmos serão seguidos a cada vez que clicarmos em avançar. Nesta etapa, escolheremos quais campos (colunas) irão compor a tabela que estamos criando. O Base tenta sugerir campos comuns a qualquer tabela, neste caso escolheremos a categoria Pessoal /DVDColecao: Note que é possível selecionar quais campos irão compor a tabela a ser criada, os campos podem ser selecionados e movidos para a coluna da direita, tentaremos reproduzir o arquivo Calc que foi criado anteriormente e clicaremos avançar. Pág 141

5 No próximo passo, como os campos irão armazenar informações, escolheremos o tipo de dado que irão armazenar e também algumas outras configurações que são importantes para campos de banco de dados. Em seguida, definimos a chave primária que irá compor a tabela. Escolheremos um campo existente na tabela, pois escolhemos um campo IDcolecao para desempenhar a tarefa de ser a chave primária: Marcamos também a caixa de verificação Valor automático, em seguida clicamos Avançar: Pág 142

6 Após a criação da tabela, veremos na tela principal a tabela que foi criada imediatamente. Se deixarmos os campos e as opções como estão, veremos que a tabela será aberta para a inserção de informações. Este modo não é muito amigável ao usuário, pois não é feito para inserir dados diretamente, mas será muito semelhante ao modo de inserção de dados do Calc. Pág 143

7 PASSO 4: Inserindo informações na tabela no modo de inserção. Este modo é apenas para a inserção informal de informações, visto que não é normalmente utilizado pelo usuário. Uma maneira de interagir com a inserção de dados é através da criação de formulários CRIANDO UM FORMULÁRIO Formulários são uma maneira eficiente de apresentar ao usuário uma interface amigável para a inserção e/ou modificação dos dados existentes nas tabelas. A principal funcionalidade de um formulário é oferecer ao usuário botões, caixas, listagens visuais, enfim, tudo o que puder ser apresentado visualmente ao usuário com uma interface amigável. Criaremos um formulário a partir da tabela tabela_filmes para o exemplo apresentado: PASSO 3: Criando o primeiro formulário para interação com as informações da tabela_filmes: Na primeira etapa é necessário selecionar os campos integrantes no formulário. Pág 144

8 Este procedimento normalmente é realizado com base no assistente de criação, visto que não é viável uma criação manual de formulários simples de dados em um banco com várias tabelas. Nesta etapa, é disponibilizada a opção de configurar um sub-formulário. Normalmente utilizado para inserir informações que sejam cruzadas entre as tabelas do banco, passaremos direto por esta etapa sem alterações. Neste passo faremos a orientação visual das caixas que irão compor o formulário, escolha um layout e o Base fará a disposição dos dados diretamente no formulário. Pág 145

9 Aqui podemos definir se o formulário irá permitir o acesso a todas as informações da referida tabela: Nesta etapa é escolhida a interface visual do formulário: Pág 146

10 Por fim, inserimos o nome do formulário e encerramos a criação. Chamaremos o formulário de form_filmes. A criação de formulários é útil para que seja possível interagir com as informações do banco de dados. Muitas funcionalidades podem ser incluídas além de simplesmente inserir informações na tabela referente. Pág 147

11 15.3 GERANDO RELATÓRIOS Relatórios são utilizados para apresentar listagens de informações contidas nas tabelas de dados do banco de dados. Os relatórios permitem que os dados possam ser organizados em ordem alfabética, agrupados por tipos de informações e com o acréscimo de detalhes que tornam a visualização das informações mais interessante para uma melhor análise dos dados. PASSO 4: Criando o primeiro relatórios para a listagem das informações da tabela_filmes: Geraremos um relatório para teste em nossa base de dados: O relatório será gerado através do assistente: Inicialmente é apresentado a opção da escolha da origem das informações a serem listadas, escolheremos a tabela que criamos anteriormente. Pág 148

12 Em seguida é apresentada a opção para a personalização dos rótulos dos campos que aparecem na listagem do relatório, normalmente os nomes originais dos campos não são interessantes de manter, o mais comum é alterar os nomes que são apresentados para nomes mais amigáveis ao usuário. Aqui mostramos os nomes escolhidos para os campos. Em seguida são apresentadas opções para agrupamento de informações, por exemplo, poderíamos agrupar os filmes por gênero para serem listados como exemplo filmes de terror, suspense, etc. Pág 149

13 Escolheremos agrupar por gênero para deixar uma listagem mais real. Em seguida, é possibilitada a escolha de alguma ordenação além da ordenação obrigatória já existente no agrupamento que fizemos anteriormente: Em seguida, é apresentada a opção da escolha do visual das informações, onde escolhemos a maneira que os dados são vistos pelo usuário: Pág 150

14 Desta vez, escolhemos o modelo Esboço-Moderno para ser apresentado. Por fim, escolheremos o nome do relatório e concluímos a sua criação: Visualizando as informações: Pág 151

15 Note que os dados estão agora organizados pelo seu gênero e também em ordem alfabética de nome. Pág 152

16 Introdução a Informática - 1º semestre AULA 16 Prof. André Moraes Objetivos desta aula: Explorar as propriedades na criação de bancos de dados no LibreOffice Base; Criar e explorar relatórios de tabelas únicas e de tabelas vinculadas; 15.4 UTILIZANDO CONSULTAS NO LIBREOFFICE BASE Consultas são um dos recursos mais importantes na utilização de um banco de dados, elas permitem que seja possível que o software gerenciador de banco de dados (SGBD) possa interagir com as informações das tabelas e recuperar as informações disponíveis relacionadas em tabelas que foram criadas em cada base. No estudo das funcionalidades do broffice Base, temos 3 formas de realizar a criação de consultas: A partir do editor: onde é utilizada a grade QBE para a geração dos campos e condições da consulta; A partir do assistente: onde é utilizado um assistente auxiliando a seleção de tabelas e a criação das condições; A partir do editor SQL: onde é aberto um editor livre permitindo utilizar a Structured Qurery Language (SQL). Para os exemplos deste material, foi criado um banco de dados loja, contendo inicialmente a tabela com o nome de funcionário, com os seguintes campos e informações: Tabela funcionário com os seus campos: Pág 153

17 CONSULTAS VIA ASSISTENTE Para criar uma consulta com base no assistente, é possível adotar uma quantidade razoável de funcionalidades em consultas, limitada às opções disponíveis do SGBD. A seguir é detalhada a criação de uma consulta com uso do assistente. Exemplo 1: Criando uma nova consulta com base no assistente: O assistente facilita bastante a criação de consultas, neste exemplo faremos uma listagem do nome e da cidade de todos os funcionários oriundos da tabela funcionário. Passo 1: crie uma nova consulta utilizando o assistente; Passo 2: Selecione a tabela a ser consultada e os campos nome e cidade; Passo 3: selecione a classificação e também a ordem em que as informações ficarão na listagem; Passo 4: Em condições de pesquisa, não utilizaremos nenhuma alteração e nem Alias, e passamos diretamente ao resumo da consulta e finalizaremos a mesma, salve a consulta como consulta_funcionario_assistente_1: Pág 154

18 E teremos a consulta gerada da forma solicitada. Passaremos a sugerir algumas alterações: Agora testaremos algumas funcionalidades: Alteração 1: Crie outra consulta no assistente listando apenas o nome e a cidade dos funcionários da cidade de pelotas. Alteração 2: Crie outra consulta no assistente listando nome, endereço e cidade, classificando por cidade e onde a cidade não é pelotas. OBSERVAÇÕES: Podemos perceber que o assistente de consultas é bastante ágil dentro das opções existentes e permite realizar diversas maneiras de consultas, inclusive com parâmetros de busca ou filtro. Pág 155

19 CRIANDO CONSULTAS COM USO DO EDITOR Além do assistente, outra forma de criaremos consultas é através do editor. O editor utiliza um sistema de consulta no sistema Query By Example (QBE), detalhado a seguir: Query-By-Example é o nome tanto da linguagem de manipulação de dados quanto do sistema de banco de dados que a contém. O sistema de banco de dados QBE foi desenvolvido pela IBM, no Centro de Pesquisa T.J. Watson, no início de A linguagem de manipulação de dados QBE foi usada mais tarde na Query Management Facility (QMF, da IBM). Atualmente, alguns sistemas de banco de dados para computadores pessoais dão suporte a variantes da linguagem QBE, que possui alguns características: Ao contrário da maioria das linguagens de programação por consulta, a QBE tem uma sintaxe bidimensional: as consultas parecem tabelas. Uma consulta em uma linguagem unidimensional, como o SQL, pode ser escrita em uma linha. Uma linguagem bidimensional exige duas dimensões para sua expressão. Consultas em QBE são expressas por exemplo. Em vez de determinar um procedimento para obtenção de uma resposta desejada, o usuário dá um exemplo do que é desejado. O sistema generaliza o exemplo para o processamento da resposta da consulta, por exemplo a tela a seguir: Figura 4 - Grade QBE no BrOffice Base No Libreoffice, a grade mostrada anteriormente é um exemplo de uma consulta desenvolvida no modo editor. O Base permite o modelo QBE para a realização de consultas, caso o usuário desejar. Caso quiséssemos realizar a mesma consulta feita para funcionários realizada anteriormente, podemos montar no seguinte formato: Exemplo 1: Listando o nome e a cidade dos funcionários da cidade de pelotas: Passo 1: abrimos uma nova consulta no editor: Passo 2: selecionamos a tabela e os campos desejados na consulta e posicionamos na grade: Pág 156

20 Passo 3: execute a consulta, observando o ícone (versões BrOffice e LibreOffice): Visualizando a consulta referida. OBSERVAÇÕES: Neste modo, é possibilitado editar consultas após terem sido criadas, adicionando novos campos, novas tabelas, etc. O modo editor é o mais utilizado em relação ao assistente pela clareza nas informações utilizadas, este também permite o uso de funções e demais funcionalidades. O editor pode alternar a qualquer momento para a edição em linguagem SQL, permitindo visualizar o código gerado. Para interagir com o modo de edição SQL é necessário conhecer a notação SQL para a criação de consultas, que está fora do escopo de nosso estudo atualmente. Pág 157

21 UTILIZANDO RELACIONAMENTOS Na criação de bancos de dados, uma das regras primordiais é que as tabelas não são criadas para trabalharem de forma isolada. Na realidade as tabelas trabalham relacionando-se umas com as outras e sendo consultadas simultaneamente quando é necessário retornar uma informação. A regra básica utilizada em bancos de dados é a álgebra relacional, uma linguagem de consulta formal, porém procedimental, onde é possível darmos instruções ao sistema para que sejam realizadas uma sequência de operações calculando o resultado desejado. Por ora, precisamos apenas saber que a relação entre duas tabelas dá-se com a criação de um campo identificador que se relacionará com outro campo identificador de outra tabela. Um exemplo prático para esta situação seria o seguinte: Se observarmos, a tabela funcionário criada anteriormente possui um campo cidade, onde é escrito o nome da cidade correspondente; Sabemos que desta forma, é muito provável que algumas cidades com nomes maiores poderão ser escritas de forma diferente umas das outras, causando erros quando precisarmos listar funcionários por meio de alguma cidade específica; Uma forma de solucionar isto e também aplicar a regra de relação básica entre tabelas é criar um campo identificador contendo o id da cidade na tabela funcionário e criar uma tabela cidade contendo o id, o nome e demais informações possíveis de cada cidade, no formato: Naturalmente, o campo anterior que descrevia o nome da cidade na tabela funcionário poderá ser excluído, mas será mantido para questões de comparação em nossas consultas. Pág 158

22 Em seguida, existe uma forma de vincularmos o campo identificador da id_cidade da tabela cidade ao campo cidade da tabela funcionário, o nome que damos a isto é o relacionamento, e fazemos da seguinte forma: o Vá ao menu ferramentas / relações e clique duas vezes nas tabelas que serão utilizadas. Para criar a relação, dizemos que o campo não original de cidade, neste caso o id_cidade da tabela funcionário, será referenciado por algum campo original, neste caso o campo id_cidade da tabela cidade. Para isto basta arrastar com o mouse o campo_referencia e soltar até o campo referenciado, quando soltar veremos uma linha realizando a ligação entre os dois. Qual o objetivo de criar um relacionamento? o Quando é criado um relacionamento não mais será possível incluir em funcionário um código de cidade que não existe. o Isto garante a integridade das informações, evitando inserções incorretas; o Com relacionamentos, a relação entre as tabelas existente no banco de dados fica claramente visível ao desenvolvedor, permitindo criar consultas adequadas às informações a serem listadas. É obrigatória a criação de um relacionamento? o Não, mas certamente isto será necessário caso o banco de dados tenha uma interação maior entre as suas tabelas e também sofrendo a interação de aplicativos externos simultaneamente. Pág 159

23 o Em seguida feche a janela de relacionamentos e confirme a opção de salvar alterações. Podemos testar a obrigatoriedade do relacionamento tentando inserir um código de cidade na tabela funcionário não existente na tabela cidade Este erro é chamado de erro de integridade, pois há uma regra de integridade sendo violada com a tentativa. Exemplo 2: ampliando as relações de funcionários com uso de departamentos Faremos a inclusão de outra tabela, a de departamentos, contendo os campos iddepto, nomedepto, verbadepto. Vejamos a seguir os detalhes da relação e dos campos: Abra uma nova consulta no modo Editor; Selecione as tabelas que irão compor as necessidades da consulta, por exemplo, listar todos os funcionários juntamente com o nome de seu departamento; o o Em seguida, selecione os campos necessários para a realização da consulta, a seleção pode ser feita diretamente com um clique duplo no referido campo ou através do arraste do campo até a grade no item campo; Pág 160

24 o Execute a consulta e visualize o seu resultado; o o Caso a consulta atenda as necessidades, salve a consulta para que fique disponível posteriormente; o PROPRIEDADES BÁSICAS DE UMA CONSULTA QBE Existem algumas propriedades simples que podem ser manipuladas em uma consulta QBE, são elas: Ordenar os dados de uma consulta por um campo qualquer; Pág 161

25 Esta função permite que a listagem resultante de uma consulta feita em uma grade QBE possa ser ordenada por algum campo componente. Modificar a visibilidade de um campo Apenas torna um campo visível ou não ao usuário quando no resultado de uma consulta. Pág 162

Banco de Dados BrOffice Base

Banco de Dados BrOffice Base Banco de Dados BrOffice Base Autor: Alessandro da Silva Almeida Disponível em: www.apostilando.com 27/02/2011 CURSO TÉCNICO EM SERVIÇO PÚBLICO Apostila de Informática Aplicada - Unidade VI Índice Apresentação...

Leia mais

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Sumário Conceitos / Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Consultas... 5 3. Relatórios... 8 4. Conclusões... 11

Leia mais

Roteiro 2: (Planilhas Eletrônicas) - Função procv / manipulação de formulários

Roteiro 2: (Planilhas Eletrônicas) - Função procv / manipulação de formulários Roteiro 2: (Planilhas Eletrônicas) - Função procv / manipulação de formulários Objetivos Explorar funções de procura e referência; Explorar ferramentas para controle de formulários em planilhas; Importar

Leia mais

BASE 2.0. Conhecendo BrOffice.org Base 2.0 Básico

BASE 2.0. Conhecendo BrOffice.org Base 2.0 Básico BASE 2.0 1 Autor: Alessandro da Silva Almeida alessandroalmeida.teledata@ancine.gov.br Elaborado em : Final Janeiro de 2006. Licença: O manual segue os termos e condições da Licença Creative Attribution-NonCommercial-ShareAlike

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Lição 1 - Criação de campos calculados em consultas

Lição 1 - Criação de campos calculados em consultas 1 de 5 21-08-2011 22:15 Lição 1 - Criação de campos calculados em consultas Adição de Colunas com Valores Calculados: Vamos, inicialmente, relembrar, rapidamente alguns conceitos básicos sobre Consultas

Leia mais

Microsoft Access XP Módulo Um

Microsoft Access XP Módulo Um Microsoft Access XP Módulo Um Neste primeiro módulo de aula do curso completo de Access XP vamos nos dedicar ao estudo de alguns termos relacionados com banco de dados e as principais novidades do novo

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

PRINCÍPIOS DE INFORMÁTICA PRÁTICA 08 1. OBJETIVO 2. BASE TEÓRICA. 2.1 Criando Mapas no Excel. 2.2 Utilizando o Mapa

PRINCÍPIOS DE INFORMÁTICA PRÁTICA 08 1. OBJETIVO 2. BASE TEÓRICA. 2.1 Criando Mapas no Excel. 2.2 Utilizando o Mapa PRINCÍPIOS DE INFORMÁTICA PRÁTICA 08 1. OBJETIVO Aprender a utilizar mapas, colocar filtros em tabelas e a criar tabelas e gráficos dinâmicos no MS-Excel. Esse roteiro foi escrito inicialmente para o Excel

Leia mais

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3 SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 1. Login no sistema... 2 Atendente... 3 1. Abrindo uma nova Solicitação... 3 1. Consultando Solicitações... 5 2. Fazendo uma Consulta Avançada... 6 3. Alterando dados da

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

SIAP - Sistema de Apoio ao Professor

SIAP - Sistema de Apoio ao Professor Introdução O SIAP, Sistema de Apoio ao Professor, é um programa que vai contribuir, de forma decisiva, com o cotidiano escolar de alunos, professores, gestores e funcionários administrativos. Com a implantação

Leia mais

Parte 5 LibreOffice Base

Parte 5 LibreOffice Base Parte 5 LibreOffice Base 1. Criação do banco de dados 1. Abra o LibreOffice Base; 2. Escolha Criar um novo banco de dados e clique em Concluir; 3. Salve o banco de dados em alguma pasta do computador.

Leia mais

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INDICE 1. INTRODUÇÃO 2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO 2.1. COMPARTILHANDO O DIRETÓRIO DO APLICATIVO 3. INTERFACE DO APLICATIVO 3.1. ÁREA DO MENU 3.1.2. APLICANDO A CHAVE DE LICENÇA AO APLICATIVO 3.1.3 EFETUANDO

Leia mais

Roteiro 3: Apresentações eletrônicas (parte 1)

Roteiro 3: Apresentações eletrônicas (parte 1) Roteiro 3: Apresentações eletrônicas (parte 1) Objetivos Criar apresentações eletrônicas com uso do software libreoffice; Exportar arquivos em formato pdf; Compreender conceitos sobre imagens digitais;

Leia mais

WORD. Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br. http://www.inf.ufsm.br/~leandromc. Colégio Politécnico 1

WORD. Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br. http://www.inf.ufsm.br/~leandromc. Colégio Politécnico 1 WORD Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br http://www.inf.ufsm.br/~leandromc Colégio Politécnico 1 WORD Mala direta Cartas Modelo Mesclar Etiquetas de endereçamento Formulários Barra

Leia mais

Trabalhando com banco de dados

Trabalhando com banco de dados Avançado Trabalhando com Aprenda a manipular dados no Excel com a ajuda de outros aplicativos da suíte Office Armazenar e organizar informações são tarefas executadas diariamente por todos nós. Desde o

Leia mais

BrOffice.org Base. Prof. João Alberto Fabro UTFPR Curitiba

BrOffice.org Base. Prof. João Alberto Fabro UTFPR Curitiba Prof. João Alberto Fabro UTFPR Curitiba (Baseado no documento livre Introdução ao BrOffice.org Base, de Noelson Alves Duarte, Revisado em 18 de março de 2006) Formatos: Diversos, inclusive bases de dados

Leia mais

Índice Apresentação... 3 Mensagens... 4 Tickets... 6 Cadastro de Tickets... 6 Acompanhamento de Tickets:...9 Entregas... 11 Storage...

Índice Apresentação... 3 Mensagens... 4 Tickets... 6 Cadastro de Tickets... 6 Acompanhamento de Tickets:...9 Entregas... 11 Storage... Índice Apresentação... 3 Mensagens... 4 Tickets... 6 Cadastro de Tickets... 6 Acompanhamento de Tickets:...9 Entregas... 11 Storage... 12 Apresentação O Pitstop foi desenvolvido pela Interact com o objetivo

Leia mais

Faculdade Boa Viagem Sistemas de Informação Gerenciais EXERCÍCIO PASSO-A-PASSO PEDIDOS E CONTROLE DE ESTOQUE. Microsoft Access.

Faculdade Boa Viagem Sistemas de Informação Gerenciais EXERCÍCIO PASSO-A-PASSO PEDIDOS E CONTROLE DE ESTOQUE. Microsoft Access. Faculdade Boa Viagem Sistemas de Informação Gerenciais EXERCÍCIO PASSO-A-PASSO PEDIDOS E CONTROLE DE ESTOQUE Microsoft Access Professor: M.Sc. Joel da Silva Recife-PE 2006 FBV Controle de Estoque passo-a-passo

Leia mais

Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01)

Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01) Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01) Submissão de Relatórios Científicos Sumário Introdução... 2 Elaboração do Relatório Científico... 3 Submissão do Relatório Científico... 14 Operação

Leia mais

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0 Este manual foi desenvolvido com o objetivo de documentar as principais funcionalidades do Gerador de Relatórios WinReport versão 2.0. Conteúdo 1. Tela Principal...

Leia mais

G-Bar. Módulo Básico Versão 4.0

G-Bar. Módulo Básico Versão 4.0 G-Bar Software para Gerenciamento de Centrais de Corte e Dobra de Aço Módulo Básico Versão 4.0 Pedidos de Vendas Manual do Usuário 1 As informações contidas neste documento, incluindo links, telas e funcionamento

Leia mais

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.11.1.7-26-02-2013

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.11.1.7-26-02-2013 Florianópolis, 26 de fevereiro de 2013. Abaixo você confere as características e funcionalidades da nova versão 4.11.1.7 do Channel. Para quaisquer dúvidas ou na necessidade de maiores esclarecimentos,

Leia mais

DIRETRIZES DE USO DA MATRIZ DE SISTEMATIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES

DIRETRIZES DE USO DA MATRIZ DE SISTEMATIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico Coordenação Geral de Regionalização PROGRAMA DE REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO Roteiros do Brasil

Leia mais

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE ÍNDICE ÍNDICE... 1 CAPÍTULO 01 PREPARAÇÃO DO AMBIENTE... 2 1.1 IMPORTAÇÃO DO DICIONÁRIO DE DADOS... 2 CAPÍTULO 02 CADASTRO E CONFIGURAÇÃO DE RELATÓRIOS... 4 2.1 CADASTRO DE RELATÓRIOS... 4 2.2 SELEÇÃO

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO ÍNDICE Relatórios Dinâmicos... 3 Requisitos de Sistema... 4 Estrutura de Dados... 5 Operadores... 6 Tabelas... 7 Tabelas x Campos... 9 Temas... 13 Hierarquia Relacionamento...

Leia mais

Curso de Capacitação ao Sistema CDV. - GID Desmanches -

Curso de Capacitação ao Sistema CDV. - GID Desmanches - Curso de Capacitação ao Sistema CDV - GID Desmanches - Coordenadoria de Gestão de Desmanches Divisão de Desmanches Conteúdo Módulo 1 Como utilizar o Moodle... 4 Módulo 2 - Acessando o GID CDV... 4 Aula

Leia mais

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR 1 Índice: 01- Acesso ao WEBMAIL 02- Enviar uma mensagem 03- Anexar um arquivo em uma mensagem 04- Ler/Abrir uma mensagem 05- Responder uma mensagem

Leia mais

FCT Faculdade de Ciências e Tecnologia Serviço Técnico de Informática STI SGCD Sistema Gerenciador de Conteúdos Dinâmicos

FCT Faculdade de Ciências e Tecnologia Serviço Técnico de Informática STI SGCD Sistema Gerenciador de Conteúdos Dinâmicos FCT Faculdade de Ciências e Tecnologia Serviço Técnico de Informática STI SGCD Sistema Gerenciador de Conteúdos Dinâmicos Manual do Usuário Presidente Prudente, outubro de 2010 Índice 1. Introdução e Instruções

Leia mais

O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar de qualquer local através da Internet.

O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar de qualquer local através da Internet. Olá! Você está recebendo as informações iniciais para utilizar o GEM (Software para Gestão Educacional) para gerenciar suas unidades escolares. O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar

Leia mais

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Desenvolvido por Fábrica de Software Coordenação de Tecnologia da Informação Pág 1/22 Módulo: 1 Responsável: Desenvolvimento Ti Data: 01/11/2012 Versão: 1.0 Empresa:

Leia mais

Aula 03 PowerPoint 2007

Aula 03 PowerPoint 2007 Aula 03 PowerPoint 2007 Professor: Bruno Gomes Disciplina: Informática Básica Curso: Gestão de Turismo Sumário da aula: 1. Abrindo o PowerPoint; 2. Conhecendo a Tela do PowerPoint; 3. Criando uma Nova

Leia mais

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria 1 Sumário Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria... 1 1 Sumário... 1 2 Lista de Figuras... 5 3 A Janela principal...

Leia mais

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas Banco de Dados Microsoft Access: Criar s Vitor Valerio de Souza Campos Objetivos do curso 1. Criar uma no modo de exibição Folha de Dados. 2. Definir tipos de dados para os campos na. 3. Criar uma no modo

Leia mais

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Índice 1 Introdução...2 1.1 Versão... 2 1.2 Licenciamento...2 1.3 Mensagem do Projeto

Leia mais

Apostilas OBJETIVA - Técnico Judiciário Área Administrativa TRE Tribunal Regional Eleitoral Estado do Maranhão - Concurso Público 2015.

Apostilas OBJETIVA - Técnico Judiciário Área Administrativa TRE Tribunal Regional Eleitoral Estado do Maranhão - Concurso Público 2015. 2º Caderno Índice Planilha eletrônica MS- Excel + exercícios... 02 Computação na Nuvem (cloud computing)... 102 Conceitos de Internet e Intranet + exercícios... 105 Internet Explorer, Firefox e Google

Leia mais

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas. Vitor Valerio de Souza Campos

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas. Vitor Valerio de Souza Campos Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas Vitor Valerio de Souza Campos Objetivos do curso 1. Criar uma tabela no modo de exibição Folha de Dados. 2. Definir tipos de dados para os campos na tabela.

Leia mais

Tela Inicial: O Banco de Dados e seus objetos:

Tela Inicial: O Banco de Dados e seus objetos: Access 1 Tela Inicial: 2 ÁREA DE TRABALHO. Nosso primeiro passo consiste em criar o arquivo do Access (Banco de Dados), para isto utilizaremos o painel de tarefas clicando na opção Banco de Dados em Branco.

Leia mais

CRIANDO TEMPLATES E LEGENDAS

CRIANDO TEMPLATES E LEGENDAS CRIANDO TEMPLATES E LEGENDAS Este tutorial tem como objetivo instruir passo à passo como criar templates de peças, utilizar os novos recursos de cadastro de propriedade de peças e criação de legenda. 1-

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

Tutorial Administrativo (Backoffice)

Tutorial Administrativo (Backoffice) Manual - Software ENTRANDO NO SISTEMA BACKOFFICE Para entrar no sitema Backoffice, digite no seu navegador de internet o seguinte endereço: http://pesquisa.webbyapp.com/ Entre com o login e senha. Caso

Leia mais

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos O objetivo deste documento é orientar o usuário final na utilização das funcionalidades da ferramenta OLAP IBM Cognos, referente a licença de consumidor. Sumário 1 Query

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 4

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 4 Mic crosoft Excel 201 0 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 4 Interface... 4 Guias de Planilha... 5 Movimentação na planilha... 6 Entrada de textos e números... 7 Congelando painéis... 8 Comentários nas Células...

Leia mais

Microsoft Office Excel 2007

Microsoft Office Excel 2007 1 Microsoft Office Excel 2007 O Excel é um programa dedicado a criação de planilhas de cálculos, além de fornecer gráficos, função de banco de dados e outros. 1. Layout do Excel 2007 O Microsoft Excel

Leia mais

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet Manual do Usuário Copyright 2014 - ControleNaNet Conteúdo A Ficha de Vendas...3 Os Recibos...6 Como imprimir?...7 As Listagens...9 Clientes... 10 Consulta... 11 Inclusão... 13 Alteração... 14 Exclusão...

Leia mais

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Desenvolvido por Hamilton Dias (31) 8829.9195 Belo Horizonte hamilton-dias@ig.com.br www.h-dias.cjb.net ÍNDICE Introdução...3 Implantação...3 Instalação...3

Leia mais

AULA 1 Iniciando o Uso do TerraView

AULA 1 Iniciando o Uso do TerraView 1.1 AULA 1 Iniciando o Uso do TerraView Essa aula apresenta o software TerraView apresentando sua interface e sua utilização básica. Todos os arquivos de dados mencionados neste documento bem como o executável

Leia mais

PROVA DE NOÇÕES DE INFORMÁTICA CÓD. 11

PROVA DE NOÇÕES DE INFORMÁTICA CÓD. 11 15 PROVA DE NOÇÕES DE INFORMÁTICA CÓD. 11 QUESTÃO 41 Para se imprimir no ambiente do Microsoft Windows, é necessário que a impressora esteja cadastrada no sistema. Na configuração padrão do sistema, o

Leia mais

Programa de Edição de Textos- Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 2

Programa de Edição de Textos- Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 2 Programa de Edição de Textos- Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 2 2. MANIPULAÇÃO DE DOCUMENTOS Os processadores de textos possibilitam a criação e a manipulação de diversos modelos de documentos. Com eles

Leia mais

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Processos de Compras Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar 1 Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Sumário Controle de Compras... 4 Parametrização... 4 Funcionamento... 4 Processo de Controle...

Leia mais

Curso básico de LibreOffice/Impress

Curso básico de LibreOffice/Impress Curso básico de LibreOffice/Impress O Impress é o aplicativo de criação e edição de apresentações da família BrOffice.org que possibilita realizar as seguintes tarefas: Criação de gráficos vetoriais (imagens);

Leia mais

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Excel 2000 Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Índice 1.0 Microsoft Excel 2000 3 1.1 Acessando o Excel 3 1.2 Como sair do Excel 3 1.3 Elementos da

Leia mais

❶ No Sistema Gênesis, na Aba ESTOQUE

❶ No Sistema Gênesis, na Aba ESTOQUE ❶ No Sistema Gênesis, na Aba ESTOQUE a) Checagem de Estoque - Verifique o estoque dos produtos desejados. b) Listar produtos com a quantia de estoque mínimo atingido: ESTOQUE / RELATÓRIO / ALERTA DE COMPRA

Leia mais

Como criar formulário com o Google Drive

Como criar formulário com o Google Drive Como criar formulário com o Google Drive Lembre-se que uma das maiores dificuldades em questionários e pesquisas é a árdua tarefa de consolidar os dados para análise. Com o Google Formulários é possível

Leia mais

Este arquivo está disponível em: http://www.unesc.net/diario/manual

Este arquivo está disponível em: http://www.unesc.net/diario/manual Este arquivo está disponível em: http://www.unesc.net/diario/manual Diário On-line Apresentação ----------------------------------------------------------------------------------------- 5 Requisitos Básicos

Leia mais

Menu Utilitários. Atualização do Banco de Dados Atualização e organização dos arquivos existentes

Menu Utilitários. Atualização do Banco de Dados Atualização e organização dos arquivos existentes Atualização do Banco de Dados Atualização e organização dos arquivos existentes Rotina responsável pelo rastreamento de possíveis arquivos não indexados, danificados ou inexistentes. Este processo poderá

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

PEDIDO Manual OPERACIONAL

PEDIDO Manual OPERACIONAL SISTEMA DE GESTÃO HDIAS HAMILTON DIAS (31) 8829.9195 8540.8872 www.hdias.com.br hamilton-dias@ig.com.br PEDIDO Manual OPERACIONAL Pagina 2 de 34 ÍNDICE Pedido... 4 Como Acessar... 4 Como Localizar Pedido...

Leia mais

Bases Computacionais da Ciência

Bases Computacionais da Ciência BC0005 Bases Computacionais da Ciência Aula 04 Noções de Banco de Dados (Base de Dados) Santo André, junho de 2010 Roteiro da Aula PARTE I Parte Teórica Definições e conceitos básicos Modelo Relacional

Leia mais

Manual do Usuário Sistema Podológico 2007 AFA Assessoria e Informática Ltda. www.afa.inf.br

Manual do Usuário Sistema Podológico 2007 AFA Assessoria e Informática Ltda. www.afa.inf.br AFA Assessoria e Informática Ltda. www.afa.inf.br Índice INTRODUCAO SISTEMA PODOLOGICO 2007... 4 REQUISITOS DE HARDWARE E SOFTWARE... 5 MSDE vs. SQL SERVER... 5 PADRÕES E CARACTERISTICAS NAS TELAS DO SISTEMA...

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. Conteúdo 1. Descrição geral 2 2. Resumo das funcionalidades 3 3. Efetuar cadastro no sistema 4 4. Acessar o sistema 6 5. Funcionalidades do menu 7 5.1 Dados cadastrais 7 5.2 Grupos de usuários 7 5.3 Funcionários

Leia mais

Tutorial do ADD Analisador de Dados Dinâmico.

Tutorial do ADD Analisador de Dados Dinâmico. Tutorial do ADD Analisador de Dados Dinâmico. Após clicarmos para entrar no Analisador de Dados Dinâmico aparecerá a tela acima. O Banco de dados já tem que estar configurado. (Ver como fazer em Como configurar

Leia mais

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft.

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Introdução ao Microsoft Windows 7 O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Visualmente o Windows 7 possui uma interface muito intuitiva, facilitando a experiência individual do

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Manual Documentação de Arquivos. Tela Classificação de Arquivo

Manual Documentação de Arquivos. Tela Classificação de Arquivo Manual Documentação de Arquivos Tela Classificação de Arquivo Objetivo e orientações iniciais Registro das classificações dos arquivos: título e unidade organizacional responsável. Menu: Documentação Classificação

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Criação de Formulários no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Criação de Formulários no Google Drive Introdução...

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO EM AMBIENTES DIGITAIS NEAD

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO EM AMBIENTES DIGITAIS NEAD 0 CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO EM AMBIENTES DIGITAIS NEAD ORIENTAÇÕES SOBRE USO DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM (MOODLE) PARA DISPONIBILIZAÇÃO

Leia mais

1. Introdução pág.3 2. Apresentação do sistema Joomla! pág.4 3. Acessando a administração do site pág.4 4. Artigos 4.1. Criando um Artigo 4.2.

1. Introdução pág.3 2. Apresentação do sistema Joomla! pág.4 3. Acessando a administração do site pág.4 4. Artigos 4.1. Criando um Artigo 4.2. 1. Introdução pág.3 2. Apresentação do sistema Joomla! pág.4 3. Acessando a administração do site pág.4 4. Artigos 4.1. Criando um Artigo 4.2. Editando um Artigo 4.3. Excluindo um Artigo 4.4. Publicar

Leia mais

Ajuda do Sistema Aquarius.

Ajuda do Sistema Aquarius. Ajuda do Sistema Aquarius. Esta ajuda é diferenciada da maioria encontrada nos sistemas de computador do mercado. O objetivo desta ajuda é literalmente ajudar o usuário a entender e conduzir de forma clara

Leia mais

WF Processos. Manual de Instruções

WF Processos. Manual de Instruções WF Processos Manual de Instruções O WF Processos é um sistema simples e fácil de ser utilizado, contudo para ajudar os novos usuários a se familiarizarem com o sistema, criamos este manual. Recomendamos

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. 1. Descrição Geral Este manual descreve as operações disponíveis no módulo VTWEB Client, cuja finalidade é gerenciar cadastros de funcionários, realização de pedidos e controle financeiro dos pedidos.

Leia mais

MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB

MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB CNS LEARNING MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB Versão Online 13 Índice ÍNDICE... 1 VISÃO GERAL... 2 CONCEITO E APRESENTAÇÃO VISUAL... 2 PRINCIPAIS MÓDULOS... 3 ESTRUTURAÇÃO... 3 CURSOS... 4 TURMAS... 4

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Turismo Pós-Graduação em Gestão de Negócios CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD EMENTA

Leia mais

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MANUAL

Leia mais

Planilha - orçamento doméstico

Planilha - orçamento doméstico Planilha - orçamento doméstico Everson Santos Araujo email@everson.com.br Orçamento doméstico! O orçamento doméstico é um tema comum e de interesse geral, é uma prática recomendada para estabelecer o potencial

Leia mais

TUTORIAL DO ACCESS PASSO A PASSO. I. Criar um Novo Banco de Dados. Passos: 1. Abrir o Access 2. Clicar em Criar um novo arquivo

TUTORIAL DO ACCESS PASSO A PASSO. I. Criar um Novo Banco de Dados. Passos: 1. Abrir o Access 2. Clicar em Criar um novo arquivo TUTORIAL DO ACCESS PASSO A PASSO I. Criar um Novo Banco de Dados Passos: 1. Abrir o Access 2. Clicar em Criar um novo arquivo 3. Clicar em Banco de Dados em Branco 4. Escrever um nome na caixa de diálogo

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA CONVERSÃO DE IMAGENS DIGITALIZADAS EM DOCUMENTO PDF ÚNICO UTILIZANDO A IMPRESSORA FREEPDF XP.

PROCEDIMENTOS PARA CONVERSÃO DE IMAGENS DIGITALIZADAS EM DOCUMENTO PDF ÚNICO UTILIZANDO A IMPRESSORA FREEPDF XP. PROCEDIMENTOS PARA CONVERSÃO DE IMAGENS DIGITALIZADAS EM DOCUMENTO PDF ÚNICO UTILIZANDO A IMPRESSORA FREEPDF XP. O objetivo deste manual é orientar os usuários do sistema de Processo Eletrônico a transformar

Leia mais

SISADI MÓDULO GERAL Via Inquilino Manual versão 2.0.0

SISADI MÓDULO GERAL Via Inquilino Manual versão 2.0.0 SISADI MÓDULO GERAL Via Inquilino Manual versão 2.0.0 Autoria Cristiane Caldeira Mendes Belo Horizonte 2013 Índice Introdução... 3 Objetivo... 3 Considerações Gerais... 3 Glossário de Ícones, Botões e

Leia mais

GERENCIADOR DE CONTEÚDO

GERENCIADOR DE CONTEÚDO 1/1313 MANUAL DO USUÁRIO GERENCIADOR DE CONTEÚDO CRISTAL 2/13 ÍNDICE 1. OBJETIVO......3 2. OPERAÇÃO DOS MÓDULOS......3 2.1 GERENCIADOR DE CONTEÚDO......3 2.2 ADMINISTRAÇÃO......4 Perfil de Acesso:... 4

Leia mais

Apostilas OBJETIVA Escrevente Técnico Judiciário TJ Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo - Concurso Público 2015. Índice

Apostilas OBJETIVA Escrevente Técnico Judiciário TJ Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo - Concurso Público 2015. Índice Índice Caderno 2 PG. MS-Excel 2010: estrutura básica das planilhas, conceitos de células, linhas, colunas, pastas e gráficos, elaboração de tabelas e gráficos, uso de fórmulas, funções e macros, impressão,

Leia mais

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha!

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha! 1 ÍNDICE 1. IMPLEMENTAÇÃO 4 1.1 PAINEL DE CONTROLE 4 1.1.1 SENHA 4 1.1.2 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS DO LYNC 5 1.1.3 REDEFINIR SENHA 7 1.1.4 COMPRAR COMPLEMENTOS 9 1.1.5 UPGRADE E DOWNGRADE 10 1.1.5.1 UPGRADE

Leia mais

Impressão e Fotolito Oficina Gráfica da EDITORA VIENA. Todos os direitos reservados pela EDITORA VIENA LTDA

Impressão e Fotolito Oficina Gráfica da EDITORA VIENA. Todos os direitos reservados pela EDITORA VIENA LTDA Autores Karina de Oliveira Wellington da Silva Rehder Consultores em Informática Editora Viena Rua Regente Feijó, 621 - Centro - Santa Cruz do Rio Pardo - SP CEP 18.900-000 Central de Atendimento (0XX14)

Leia mais

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção Este procedimento corresponde ao fluxo de trabalho de Indexação de OCR com separação de código de correção no programa de treinamento do Capture Pro Software. As etapas do procedimento encontram-se na

Leia mais

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.10.1.8-05-12-2012

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.10.1.8-05-12-2012 Florianópolis, 05 de dezembro de 2012. Abaixo você confere as características e funcionalidades da nova versão 4.10.1.8-05-12-2012 do Channel. Para quaisquer dúvidas ou na necessidade de maiores esclarecimentos,

Leia mais

Manual da Turma Virtual: MATERIAIS. Para acessar a turma virtual com o perfil Docente, siga o caminho indicado abaixo:

Manual da Turma Virtual: MATERIAIS. Para acessar a turma virtual com o perfil Docente, siga o caminho indicado abaixo: Manual da Turma Virtual: MATERIAIS Para acessar a turma virtual com o perfil Docente, siga o caminho indicado abaixo: MENU TURMA VIRTUAL MENU MATERIAIS CONTEÚDO/PÁGINA WEB Esta operação possibilita que

Leia mais

Manual Instalação Pedido Eletrônico

Manual Instalação Pedido Eletrônico Manual Instalação Pedido Eletrônico 1 Cliente que não utiliza o Boomerang, mas possui um sistema compatível. 1.1 Instalação do Boomerang Inserir o CD no drive do computador, clicar no botão INICIAR e em

Leia mais

Sumário: Fluxo Operacional... 3 Contatos... 4. Agenda Online... 10. Reservas de Salas... 26. Tarefas... 42

Sumário: Fluxo Operacional... 3 Contatos... 4. Agenda Online... 10. Reservas de Salas... 26. Tarefas... 42 Sumário: Fluxo Operacional... 3 Contatos... 4 Passo a passo para visualização de contatos... 5 Passo a passo para filtragem da lista de contatos... 6 Como ordenar a lista de contatos... 7 Como gerar uma

Leia mais

Como funciona? SUMÁRIO

Como funciona? SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Benefícios e Vantagens... 2 3. Como utilizar?... 2 3.1. Criar Chave / Senha de Usuário... 2 3.2. Recursos da Barra Superior... 2 3.2.1. Opções... 3 3.2.1.1. Mover Para...

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Informática para Administração Introdução ao Excel

Professor: Macêdo Firmino Informática para Administração Introdução ao Excel Professor: Macêdo Firmino Informática para Administração Introdução ao Excel Excel é um programa de planilhas do sistema Microsoft Office. Você pode usar o Excel para criar e formatar pastas de trabalho

Leia mais

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010.

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Manual do Usuário Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Impresso no Brasil. Sujeito a alterações técnicas. A reprodução deste documento,

Leia mais

Validação de dados. Determinamos qual tipo de informação será aceita e dentro de qual intervalo.

Validação de dados. Determinamos qual tipo de informação será aceita e dentro de qual intervalo. Validação de dados Por meio do recurso de validação, podemos definir que tipo de informação gostaríamos que fosse aceita em um intervalo de células ou uma mensagem de auxílio ao usuário indicando qual

Leia mais

PLANILHA PARA GERENCIAR NOTAS DAS TURMAS

PLANILHA PARA GERENCIAR NOTAS DAS TURMAS PLANILHA PARA GERENCIAR NOTAS DAS TURMAS INTRODUÇÃO Faça download de um dos arquivos de acordo com o software de planilha eletrônica disponível em sua máquina: Excel 97-03 https://dl.dropboxusercontent.com/u/5308498/rem_planilhaexemplo.xls

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

Noções de Informática

Noções de Informática Noções de Informática 2º Caderno Conteúdo Microsoft Excel 2010 - estrutura básica das planilhas; manipulação de células, linhas e colunas; elaboração de tabelas e gráficos; inserção de objetos; campos

Leia mais

Volpe Enterprise Resource Planning

Volpe Enterprise Resource Planning Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado, reproduzido, traduzido ou reduzido a qualquer mídia eletrônica ou máquina de leitura, sem a expressa

Leia mais

Sistema de Chamados Protega

Sistema de Chamados Protega SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. REALIZANDO ACESSO AO SISTEMA DE CHAMADOS... 4 2.1 DETALHES DA PÁGINA INICIAL... 5 3. ABERTURA DE CHAMADO... 6 3.1 DESTACANDO CAMPOS DO FORMULÁRIO... 6 3.2 CAMPOS OBRIGATÓRIOS:...

Leia mais