Normas de Estudo. Universidade Técnica de Ilmenau, Faculdade de Engenharia Mecânica, Para o Curso de. Engenharia Mecânica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Normas de Estudo. Universidade Técnica de Ilmenau, Faculdade de Engenharia Mecânica, Para o Curso de. Engenharia Mecânica"

Transcrição

1 Normas de Estudo da Universidade Técnica de Ilmenau, Faculdade de Engenharia Mecânica, Para o Curso de Engenharia Mecânica Tendo em vista a lei de Ensino Superior da Turíngia (ThürHG) de 07 de Julho de 99, o Conselho da Faculdade de Engenharia Mecânica da Universidade Técnica de Ilmenau resolveu em 8 de Dezembro de 997 as seguintes normas de estudo para o curso de Engenharia Mecânica. O Senado da Universidade Técnica de Ilmenau em 07 de Abril de 998 acordou as regras aqui dispostas. As normas de estudo foram em de junho de 998 apresentadas ao Ministério de Ciência, Pesquisa e Arte da Turíngia. (Os trechos não essenciais ao processo de reconhecimento de diploma não foram traduzidos.)

2 Sumário Escopo Duração do Curso 3 PréRequisitos do Curso Conteúdo e Objetivo do Estudo; Formação Profissional 5 Estrutura do Estudo; Plano de Estudos 6 PréRequisitos para Admissão nas Provas (Avaliações de Ensino); Conclusão de Disciplinas através de Avaliações de Desempenho 7 udienfachberatung 8 Inkrafttreten Apêndice Apêndice : Normas de Estágio (prática da atividade profissional) para o Curso de Engenharia Mecânica Apêndice : Ensino e Aprendizado Apêndice 3: Plano de Estudos para os Estudos de Base do Curso de Engenharia Mecânica Apêndice : Plano de Estudos para a Fase Principal do Curso de Engenharia Mecânica, Área de Foco: Mecânica Geral e Mecânica de Veículos Apêndice 5: Plano de Estudos para a Fase Principal do Curso de Engenharia Mecânica, Área de Foco: Mecânica de Precisão e Engenharia de Mídia Apêndice 6: Plano de Estudos para a Fase Principal do Curso de Engenharia Mecânica, Área de Foco: Engenharia de Projeto Apêndice 7: Plano de Estudos para a Fase Principal do Curso de Engenharia Mecânica, Área de Foco: Engenharia de Produção e Engenharia Ambiental Apêndice 8: Plano de Estudos para a Fase Principal do Curso de Engenharia Mecânica, Área de Foco: Metrologia e Sensores

3 Gegenstand (Escopo) () Die udienordnung für den Diplomstudiengang Maschinenbau regelt auf der Grundlage der Diplomprüfungsordnung Allgemeine Bestimmungen der Technischen Universität Ilmenau (DPO AB), veröffentlicht im Gemeinsamen Amtsblatt des Thüringer Kultusministeriums und des Thüringer Ministeriums für Wissenschaft, Forschung und Kultur 997, S. 89, und der Diplomprüfungsordnung Besondere Bestimmungen (DPO BB) für den udiengang Maschinenbau, veröffentlicht im Gemeinsamen Amtsblatt des Thüringer Kultusministeriums und des Thüringer Ministeriums für Wissenschaft, Forschung und Kunst 000, S. 83, Ziele, Inhalt, Aufbau und Gliederung des genannten udienganges der Technischen Universität Ilmenau. () Alle Personen und Funktionsbezeichnungen in dieser Ordnung gelten für Männer und Frauen in gleicher Weise. Duração do Curso O período normal de estudos do curso de Engenharia Mecânica abrange, de acordo com o 3 das Normas de Avaliação Disposições Especiais (DPO BB), incluindo a formação prática, (estágio básico e técnico) 0 semestres: semestres dos estudos de base com encerramento através do Exame Preliminar de Conclusão, e 6 semestres da fase principal de estudos, dentre os quais semestre é dedicado ao estágio técnico e semestre ao trabalho de conclusão de curso (Elaboração do trabalho e da apresentação). O estudo conclui com a atribuição do grau acadêmico de engenheiro (Dipl.Ing.) e com a emissão do diploma sobre o Exame de Conclusão. 3 PréRequisitos do Curso () Prérequisito para a admissão ao Curso de Engenharia Mecânica é a qualificação de entrada ao ensino superior de âmbito geral ou técnica em conformidade com o 67 Alínea da ThürHG ou um certificado reconhecido por lei nos termos do 67 Alínea da ThürHG. () O estudo neste curso exige do candidato conhecimentos suficientes em matemática e ciências exatas, assim como a capacidade para assimilar outros conhecimentos e abordagens matemáticas e científicas e aplicarlos em problemas técnicos. Conteúdo e Objetivo do Estudo; Formação Profissional () O conteúdo e o objetivo do estudo é fornecer aos estudantes no curso de Engenharia Mecânica conhecimentos básicos e habilitálos a trabalhar com métodos científicos de forma independentemente. Os estudantes devem desenvolver a capacidade de trabalhar de forma independente nas mais diversas tarefas e aplicações de engenharia e pesquisa e adquirir um conhecimento científico e um senso crítico, de forma a se tornar capaz de atuar nas mais diversas áreas de trabalho e lidar com elas na vida profissional. O objetivo da formação como Engenheiro é instruir estudantes versáteis nas áreas de desenvolvimento, projeto, tecnologia e produção de produtos, máquinas e equipamentos de alta precisão. Além disso, no decorrer do estudo, competências, habilidades e aptidões para o trabalho em equipe e para a comunicação social são desenvolvidas. () Uma base sólida na formação básica, juntamente com conhecimentos matemáticos e científicos propiciam uma formação sólida nas áreas de construção, materiais, eletrônica e eletrotécnica, criando as bases para um estudo com perfil amplo. (3) Na fase principal dos estudos, a base de conhecimentos de engenharia é expandida, onde, através da escolha de uma área de especialização, um aprofundamento exemplar poder ser feito. O foco é a aquisição de métodos e técnicas científicas. O desenvolvimento de

4 habilidades inventivas é também um dos objetivos do estudo. () Den udierenden wird empfohlen, neben den fachspezifischen Fächern im Hauptstudium auch über den in der Diplomprüfungsordnung Besondere Bestimmungen (DPO BB) für den Diplomstudiengang Maschinenbau vorgeschriebenen Umfang hinaus Veranstaltungen (wie z. B. aus den Bereichen Wirtschaftswissenschaften, Rechtswissenschaften und Medienwissenschaften) zu belegen. Die spätere Berufstätigkeit erfordert Kenntnisse auch auf diesen Gebieten. (5) Além da capacitação técnica, pertence também a um estudo universitário temas sóciopolíticos, éticos, filosóficos e artísticos (Estudos Gerais) e o aprendizado de línguas estrangeiras. A disciplina de estudos gerais e a formação em línguas estrangeiras são, dessa forma, disciplinas optativas da etapa de formação básica. (6) A participação nos grêmios estudantis da universidade é recomendada aos estudantes. (7) Para a aquisição de conhecimentos de base e técnicos e para o aprofundamento e extensão do conteúdo apresentado durante as aulas é indispensável o estudo da literatura científica. Os alunos devem, desde o início de sua formação básica, incluir em seus estudos o emprego da literatura pertinente. Para tal, encontrase à disposição a biblioteca universitária. (8) A natureza do ensino universitário do curso de Engenharia Mecânica, juntamente com sua forte orientação prática nos domínios tecnológicos mais inovadores, possibilita aos recémformados dedicados oportunidades profissionais em toda a economia. Para tal também desempenha um papel fundamental o espectro representativo das disciplinas oferecidas que representam o perfil dos departamentos e da TU Ilmenau. (9) Para os formandos no curso de Engenharia Mecânica são oferecidas as oferece oportunidades nas seguintes áreas atuação: Pesquisa e Desenvolvimento, Construção, Planejamento, Controle de Produção, Logística, Manufatura (e Reciclagem), Qualidade, Manutenção, Proteção Ambiental, Vendas, Serviços, Serviços técnicos, Educação, Formação e Pesquisa em Universidades / Escolas Técnicas, Administração pública. O foco está em empresas e instituições que atuam nas áreas de equipamentos e máquinas de precisão, de mídia, de metrologia e instrumentação, na indústria de áudio e vídeo, nas áreas de automação, informática, imprensa e gráfica. Também merecem destaque empresas na área de fabricação de veículos, fabricação de bens de consumo e a indústria de vidro e cerâmica. Outras oportunidades também estão presentes em instituições científicas, organismos de ensaios e de peritos, escritórios de engenharia, no serviço público e como profissional liberal. Também existe a possibilidade de abertura de uma empresa própria. 5 Estrutura do Estudo; Plano de Estudos () Os estudos do curso de Engenharia Mecânica têm início normalmente no semestre de inverno e engloba, de acordo com o 3 do DPO BB. semestres de estudos de base e. 6 semestre da fase principal de estudos (sendo aí incluídos semestre para o estágio técnico e semestre para o trabalho de conclusão de curso).

5 () Tanto no estudo de base quanto na fase principal de estudos são utilizadas diferentes formas de ensino (ver explicação no Apêndice ): Aulas Exercícios/Seminários Laboratórios Disciplinas Optativas ( Áreas de Ensino Complementares) Excursões. Os estudos de base estão organizados de forma que o Exame Preliminar de Conclusão possa ser realizado após semestres. A parte principal dos estudos é, normalmente, concluída em 6 semestres e é encerrada com o Exame de Conclusão. (3) O número total de horasaula por semana (SWS) do curso de Engenharia Mecânica, de acordo com o 3 do DPOBB é:. Estudos de Base 0 SWS. Fase Principal de Estudos 68 SWS (As disciplinas N o. a 6 nos Apêndices a 8 são obrigatórias (36 SWS); As disciplinas N o. 7 a 0 nos Apêndices a 8 são optativas (3 SWS)). () A oferta de disciplinas ( semestres nos estudos de base e semestres na fase principal de estudos) abrange mais de 8 semestres, tendo um semestre, normalmente, ou 5 semanas de atividades. (5) O estudo de base compreende principalmente cursos básicos de ciências naturais e técnicos (disciplinas obrigatórias). A atribuição das horas de estudo é definida no plano de ensino dos estudos de base para todas as áreas de especialização do curso de Engenharia Mecânica (Apêndice 3). Está incluída a participação nas disciplinas optativas de estudos gerais e de línguas estrangeiras. A prática de esportes também é oferecida como disciplina optativa. Recomendase que o estudo de base seja realizado seguindose a ordem estabelecida no plano de estudo, uma vez que essa ordem é estabelecida considerandose o conteúdo e a seqüência das disciplinas. (6) Para a disciplina de estudos gerais e para os cursos de língua estrangeira, os alunos devem escolher o curso desejado do catálogo de disciplinas optativas em vigor. Para a disciplina de estudos gerais é publicado em cada semestre um catálogo de temas. Para os cursos de línguas no contexto do Exame Preliminar de Conclusão existe o catálogo geral com os cursos de inglês, francês e russo. Um conhecimento básico da língua em questão é prérequisito para a admissão nos respectivos cursos. Os testes conduzidos pelo Centro de Línguas da Universidade estabelecem o alcance e conteúdo da formação. (7) Os estudos de base são concluídos com o Exame Preliminar de Conclusão. Os procedimentos e requisitos para o Exame Preliminar de Conclusão são estabelecidos pelos 7, 8, 9 e 0 do DPOBB do curso de Engenharia Mecânica. (8) A fase principal de estudos do curso de Engenharia Mecânica pode, de acordo com o 3 Alínea 5 do DPOBB, ser concluído nas seguintes áreas de especialização: Mecânica Geral e Engenharia de Veículos, Mecânica de Precisão e Dispositivos de Mídia, Tecnologia de Projeto, Tecnologia de Produção e Tecnologia Ambiental, Metrologia e Sensores. (9) Para a conclusão com sucesso da fase principal de estudos é necessário o conhecimento do

6 conteúdo das disciplinas estabelecidas para cada uma das áreas de especialização. A especificação exata do conteúdo de cada uma das áreas de especialização, assim como a distribuição da carga horária durante os quatro semestres da fase principal de estudos está definida no plano de estudos da fase principal de estudos do curso de Engenharia Mecânica (Apêndices a 8). (0) O Exame de Conclusão encerra os estudos do curso de Engenharia Mecânica. O exame define se e em que extensão o candidato adquiriu os conhecimentos necessários para a transição para o mercado de trabalho, oferece uma visão geral da área de especialização escolhida e se o candidato possuía a habilidade de aplicar o conhecimento e métodos científicos em novas situações. () Os procedimentos e requisitos para o Exame de Conclusão são estabelecidos pelos,, 3, e 5 da DPOBB do Curso de Engenharia Mecânica. 6 PréRequisitos para Admissão nas Provas (Avaliações de Ensino); Conclusão de Disciplinas através de Avaliações de Desempenho () Während des udiums sind gemäß DPO BB für den udiengang Maschinenbau Zulassungsvoraussetzungen (udienleistungen) zu den Fachprüfungen zu erbringen. Die Zulassungsvoraussetzungen für die DiplomVorprüfung sind in 7, die für die Diplomprüfung in der DPO BB geregelt. () Zu Beginn jeder Lehrveranstaltung werden von dem das Lehrfach Vertretenden Inhalt, Form und Termin der zu erbringenden Zulassungsvoraussetzungen (udienleistungen) für die jeweilige Fachprüfung bekanntgegeben. (3) Para as disciplinas do estudo de base e da fase principal de estudos que não possuem um prova específica, a participação bem sucedida será reconhecida através de avaliações alternativas graduadas ou não. () Disciplinas avaliadas como "insuficiente" ou "reprovado" podem ser utilizadas como prérequisito para a repetição de uma prova específica ou para conclusão direta de uma disciplina. 7 udienberatung (Conselho) () Für die udienfachberatung für den udiengang Maschinenbau sind an der Fakultät für Maschinenbau der TU Ilmenau der Prodekan und der Referent für Bildung verantwortlich. Die udienrichtungsleiter beraten ebenfalls bei der Auswahl der Wahlpflichtfächer. () Für die Beratung in Prüfungsfragen ist neben dem Vorsitzenden des Prüfungsausschusses auch der Referent für Bildung zuständig. (3) Für leistungsstarke udierende bietet die Fakultät für Maschinenbau eine gezielte Förderung durch höhere Forderungen, verbunden mit intensiver Betreuung durch Professoren der Fakultät im Rahmen eines Intensivprogramms an. Schwerpunkte dieser Förderung sind Mechatronik und Management. Den udierenden im Intensivprogramm wird Gelegenheit gegeben, sich unter Anleitung des Betreuers frühzeitig in die Forschungstätigkeit des Fachgebietes einzubringen sowie ihre Persönlichkeit durch gesellschaftliche Bildung und Engagement zu entwickeln. Die Fakultät ermutigt ebenfalls udentinnen zur Teilnahme am Intensivprogramm. Die Teilnahmeberechtigung, Inhalt, Gliederung, Umfang und Zertifizierung für dieses Intensivprogramm sind in den Richtlinien für das Intensivprogramm der Fakultät für Maschinenbau geregelt.

7 8 Entrada em Vigor Diese udienordnung tritt am Tage nach der Veröffentlichung im Gemeinsamen Amtsblatt des Thüringer Kultusministeriums und des Thüringer Ministeriums für Wissenschaft, Forschung und Kunst in Kraft. Univ.Prof. Dr. Ing. habil. Wolfgang Gens Reitor da Universidade Técnica de Ilmenau

8 Apêndice Normas de Estágio (prática da atividade profissional) para o Curso de Engenharia Mecânica Conteúdo: Âmbito Propósito da Atividade Profissional 3 Duração e distribuição da Atividade Profissional Requisitos para o Tipo de Atividade Profissional 5 Funcionamento da Prática da Atividade Profissional 6 Taxas e Exceções 7 Relatório sobre a Prática da Atividade Profissional 8 Certificado de Prática da Atividade Profissional 9 Estágio no Exterior 0 Endereço da Secretaria de Estágios do Curso de Engenharia Mecânica Certificado de Estágio. Âmbito O Apêndice é parte integrante das Normas de Estudo do curso de Engenharia Mecânica e estabelece o conteúdo, as exigências e o reconhecimento do estágio básico e do estágio técnico (prática da atividade profissional) dos cursos oferecidos pela Universidade Técnica de Ilmenau.. Propósito da Atividade Profissional. A prática da atividade profissional é um requisito importante para o sucesso nos estudos e uma parte essencial de um curso técnico.. A prática da atividade profissional dividese em um estágio básico e um estágio técnico..3 O estágio básico e o estágio técnico oferecem a. o conhecimento de processamento e fabricação de diferentes materiais (sem que aquisição de habilidades manuais esteja em primeiro plano), b. uma visão dos processos e instituições modernas de desenvolvimento/projeto e produção/qualidade de componentes e sistema mecânicos, elétricos e eletrônicos, c. uma visão sobre as operações e a estrutura organizacional na indústria, d. a experiência prática dentro da estrutura social de uma empresa (trabalho em equipe, hierarquia, situação social). 3. Duração e distribuição da Atividade Profissional 3. A atividade profissional reconhecida deve somar, no mínimo, 6 semanas. 3. O estágio básico, de duração de 6 semanas, pode ser realizado desde o início dos estudos; ele deve, entretanto, de acordo com o 3 do DPOBB, ser apresentado, no mais tardar, até o término do Exame Preliminar de Conclusão. 3.3 O estágio técnico é realizado após a conclusão com êxito do Exame Preliminar de Conclusão. Para tanto, há no plano de estudos da fase principal de estudos do curso de Engenharia Mecânica um semestre de estágio e horários livres sem disciplinas disponíveis. Nos termos do 3 do DPOBB, até a inscrição para a última etapa do Exame de Conclusão

9 (antes da definição do tema do trabalho de conclusão de curso) devem ser comprovadas 0 semanas de estágio técnico. O tempo de formação prática em uma empresa deve englobar no mínimo 6 semanas consecutivas. Arbeitsausfälle von mehr als drei Tagen müssen nachgeholt werden.. Requisitos para o Tipo de Atividade Profissional. O estágio básico deve compreender atividades fundamentais. Para tanto são equivalentes:.. Um estágio mecânico básico: a. Trabalhos fundamentais como medir, gravar, desbastar, serrar, furar, rosquear, etc, b. Operação de máquinasferramenta para torneamento, fresagem, aplainamento, corte, estampagem, prensagem, etc..., c. Fabricação de conexões mecânicas e tratamentos de superfície, como soldagem, brasagem, rebitagem, colagem, galvanoplastia, endurecimento, etc..., d. montagem mecânica e teste de componentes e equipamentos e.. Um estágio eletrotécnico básico: a. Produção de dispositivos, componentes, conjuntos e dispositivos elétricos, b. Montagem, testes, reparo e manutenção de equipamentos, aparelhos e sistemas.. O estágio técnico engloba atividades da área de engenharia nos ramos de a. pesquisa, desenvolvimento, planejamento, projeto, construção, b. fabricação, montagem, qualidade, logística, operações, manutenção, serviços e centrase no nível atual do estadodaarte..3 Junto com a formação técnica, os estagiários também devem ser instruídos quanto à organização empresarial, às estruturas sociais, quanto os aspectos de segurança e eficiência, e quanto às questões ambientais. 5. Betriebe für die berufspraktische Tätigkeit (Empresas para a Atividade Profisional ) 5. Die Wahl eines geeigneten Praktikumsbetriebes (weltweit) bleibt dem udierenden überlassen. Das Praktikantenamt berät bezüglich der Eignung von Ausbildungsstellen. Zum Nachweis von Ausbildungsstellen kann sich der Bewerber mit der zuständigen Industrie und Handelskammer oder der Berufsberatung des Arbeitsamtes in Verbindung setzen. 5. Anerkennung finden vornehmlich mittlere und große Industriebetriebe, die von den Industrie und Handelskammern als Ausbildungsbetriebe anerkannt werden und eine Ausbildung im Sinne der vorliegenden Richtlinien ermöglichen. Betriebe von Verwandten oder private Handwerksbetriebe scheiden in der Regel aus. Über Ausnahmen zu Satz entscheidet das Praktikantenamt der Fakultät für Maschinenbau auf Antrag des udierenden. 5.3 Der Praktikant schließt mit dem Ausbildungsbetrieb einen Vertrag (Praktikumsvertrag) ab. 5. Dem udierenden wird empfohlen, sich die mit dem Praktikumsbetrieb vereinbarte Tätigkeit bzw. die Praktikumsaufgaben noch vor Aufnahme des Praktikums durch das Praktikantenamt der Fakultät für Maschinenbau bestätigen zu lassen. Eine vorherige Bestätigung sichert bei erfolgreichem Abschluss des Praktikums die Anerkennung. 5.5 Der udierende ist während des Praxissemesters gemäß Artikel I Unfallversicherungseinordnungsgesetz (Siebte Buch, Sozialgesetzbuch) vom 07. August 996 (BGBl. I S. 5) mit Wirkung vom gesetzlich gegen Unfall versichert. Im Versicherungsfalle übermittelt die Praxiseinrichtung der Technischen Universität Ilmenau die Unfallanzeige.

10 5.6 Das Haftpflichtrisiko der udierenden am Praxisplatz ist in der Regel für die Laufzeit des Vertrages durch die allgemeine Betriebshaftpflichtversicherung der Praxisstelle gedeckt. 5.7 Es wird den udierenden empfohlen, eine der Dauer und dem Inhalt des Ausbildungsvertrages angepasste private Haftpflichtversicherung abzuschließen. Für alle Angelegenheiten des Grund und Fachpraktikums ist das Praktikantenamt der Fakultät für Maschinenbau zuständig. 6. Anrechnung und Ausnahmeregelungen (Créditos e Excessões ) 6. Bei Nachweis eines berufsqualifizierenden Abschlusses (Facharbeiter, Techniker, Ingenieurprüfung) auf einem handwerklichen oder technischen Gebiet wird das Grundpraktikum in der Regel auf Antrag des udierenden vom Praktikantenamt der Fakultät für Maschinenbau erlassen. 6. Über die Anerkennung von Wehr und Zivildienstzeiten in technischen Werkstätten/technischen Einheiten bei entsprechendem Nachweis entscheidet ebenfalls das Praktikantenamt auf Antrag des udierenden. Körperbehinderte udierende können besondere Regelungen mit dem Praktikantenamt vereinbaren. 7. Berichterstattung über die praktische Tätigkeit (Relatório de Atividades Práticas ) 7. Der Praktikant weist seine Tätigkeit mit Praktikumszeugnissen und Tätigkeitsberichten beim Praktikantenamt nach (auf der Grundlage eines regelmäßig geführten Berichtsheftes). 7. Auf der Basis des Tätigkeitsberichtes, des Nachweises im Berichtsheft und des Praktikantenzeugnisses oder der Praktikantenzeugnisse entscheidet das Praktikantenamt der Fakultät für Maschinenbau über die Anrechenbarkeit der Zeitabschnitte als Ganzes oder in Teilen. Die Tätigkeitsberichte (Umfang etwa 3 DIN A Seiten pro Woche) müssen vom Betreuer im Betrieb abgezeichnet werden. 8. Zeugnis über die praktische Tätigkeit (Certificado de Atividades Práticas) 8. Vom Ausbildungsbetrieb muß ein Praktikantenzeugnis ausgestellt werden. Dieses Zeugnis (siehe Punkt ) muss enthalten: a. Angaben zur Person (Name, Vorname, Geburtsdatum, ort) b. Ausbildungsbetrieb, Ort c. Ausbildungsarten und ihre Dauer d. Fehl und Urlaubstage, auch wenn keine Fehl bzw. Urlaubstage angefallen sind. Das Praktikantenamt trägt für anerkannte Praktikumszeiten eine Anerkennung in die udentenakte ein. 9. Praktische Tätigkeit im Ausland (Atividades Prátivas no Exterior ) Praktische Tätigkeit im Ausland wird anerkannt, wenn sie diesen Richtlinien und Vorschriften genügt. Das Berichtsheft für die praktische Tätigkeit ist entweder in deutscher, englischer, französischer oder russischer Sprache entsprechend Punkt 7 zu führen. Anderenfalls ist eine beglaubigte Übersetzung beizufügen.

11 0. Endereço do Escritório de Estágios para o curso de Engenharia Mecânica: Technische Universität Ilmenau Fakultät für Maschinenbau Prüfungsamt / Praktikantenamt PF Ilmenau Tel /699 bzw. 96 Fax 03677/6980

12 . Certificado de Estágio P r a k t i k a n t e n z e u g n i s Name:... Vorname:... geb. am:... in:... eingeschrieben im udiengang Maschinenbau an der TU Ilmenau (udienrichtung...) absolvierte vom... bis... in der Ausbildungsstelle... ein Praktikum mit folgenden Tätigkeiten und Ergebnissen: Tätigkeiten (Zeitraum in Wochen, Art der Tätigkeit): Einschätzung der Ergebnisse:... Besondere Bemerkungen:... Fehltage:..., davon Krankheit:......,... Ort Datum Firmenstempel/Unterschrift

13 Apêndice Ensino e Aprendizado Die Verschiedenartigkeit der Lehrveranstaltungen (Vorlesung, Übung, Seminar, Praktikum) erfordert unterschiedliche Arbeitsweisen. Diese sind dem Anfänger oft noch unbekannt und müssen vermittelt werden. Insbesondere ist es notwendig, daß Übungsaufgaben bearbeitet und Lehrveranstaltungen nachgearbeitet werden; es ist zweckmäßig, dies auch in Arbeitsgruppen zu tun.. Explicação dos Tipos de Curso:. Aulas (V) são palestras e são geralmente realizadas por professores do corpo docente.. Exercícios (Ü) são trabalhos em grupo e visam uma melhor e mais profunda compreensão do conteúdo apresentado durante as aulas. O professor, geralmente um assistente de pesquisa ou de assistente de laboratório, apresenta as tarefas, auxilia os estudantes na solução e estimula a discussão das tarefas e do conteúdo. Os alunos resolvem as tarefas propostas durante o exercício (Ü) e/ou em casa. Os estudantes são dessa forma envolvidos ativamente na resolução do problema e guiados ao trabalho em equipe. O desempenho dos estudantes é geralmente avaliado..3 Seminários (S) visam desenvolver nos estudantes a capacidade de, com base na literatura e nos conhecimentos e competências adquiridos, abordar cientificamente questões complexas da disciplina, apresentar seus conhecimentos em uma palestra e defendêlos em uma discussão. Os seminários são lecionados tanto por membros do corpo docente quanto por assistentes de pesquisa e de laboratório.. Laboratórios (P) servem para aprofundar e complementar o conhecimento adquirido nas aulas, seminários e exercícios, através de experimentos em pequenos grupos sob a orientação de assistentes de pesquisa e de laboratório. Nos laboratórios, o conhecimento teórico deve ser utilizado na prática..5 Disciplinas optativas (áreas de ensino complementares) devem oferecer conteúdos complementares ao plano de estudos regular e ao mesmo tempo dar uma opção a alunos de alto desempenho para se promoverem..6 Exkursionen dienen dem Anschauungsunterricht außerhalb der Universität. Sie vermitteln einen Praxisbezug während des udiums und sind für die udierenden eine wesentliche Orientierungshilfe. Exkursionen werden zu einzelnen Lehrveranstaltungen des Hauptstudiums in eigener Regie der Fachgebiete durchgeführt. 3. Für den Erwerb des Fachwissens des Maschinenbaus, das Verstehen mathematischnaturwissenschaftlicher Denkweisen und für die Erweiterung des in den Lehrveranstaltungen dargebotenen Wissens ist das udium von Fachliteratur unerlässlich. Der udent sollte daher frühzeitig die Beschäftigung mit einschlägiger Literatur in sein udium einbeziehen. Hierzu stehen ihm die Einrichtungen der Universitätsbibliothek zur Verfügung.. Wenn mit der Selbstorganisation des udiums und den udienbedingungen Schwierigkeiten auftreten, sollte der udierende mit einem Professor, wissenschaftlichen Mitarbeiter, udenten höherer Semester, Vertretern des udentenrates oder der udienfachberatung der Fakultät für Maschinenbau Kontakt aufnehmen.

14 Apêndice 3 Plano de Estudos para os Estudos de Base do Curso de Engenharia Mecânica Disciplinas.Semestre.Semestre 3.Semestre.Semestre SWS V S P V S P V S P V S P Disciplinas Obrigatórias: Matemática 9 Física 6 Química Fundamentos da Informática Algoritmos e Programação Fundamentos de Eletrotécnica Fundamentos de Eletrônica Elementos de Máquinas 5 Desenho Técnico Materiais I e II 6 Mecânica dos Sólidos Tecnologia em 3 Óptica/Iluminação Tecnologia de Fabricação 3 Termodinâmica 6 Fundamentos da Metrologia Disciplinas Optativas: Estudos Gerais Línguas Estrangeiras Total: Legenda: SWS HorasAula Semanais V Aulas S Seminário P Laboratório Avaliações (Aulas, Tarefas ou Laboratório) 9 6

15 Apêndice Plano de Estudos para a Fase Principal do Curso de Engenharia Mecânica, Área de Foco: Mecânica Geral e Mecânica de Veículos As disciplinas N o a 6 são obrigatórias (36 SWS); As disciplinas N o 7 a 0 são optativas (3 SWS). O 9 o semestre é oferecido para o estágio técnico. a) O catálogo das disciplinas optativas N o. 7 a 9 para essa área de especialização é apresentado nos Apêndices a, b, c. b) As áreas de especialização e as disciplinas optativas são regidas pelo 3 Alínea 5 do DPOBB para o curso de Engenharia Mecânica. Nr. Disciplinas 5.Semestre 6.Semestre 7.Semestre 8.Semestre SWS V S P V S P S t V S P V S P Automação Metrologia e Sensores 3 Automação e Controladores Computação Mecânica dos Flúidos I 3 Tecnologia em 6 Mecanismos e Acionamentos Organização da Produção/ Gestão Técnica 5 Tecnologia de Fabricação Tecnologia de Fabricação II Fabricação de Componentes Cerâmicos 6 Ciência de Projetos Projeto voltado a Fabricação Metodologia de Projeto/CAD Grupos Funcionais Mecânicos 7 Matéria I do Catálogo dessa Área de Especialização (Apêndice a) 8 Matéria II do Catálogo dessa Área de Especialização (Apêndice b) 9 Matéria Optativa Técnica do Catálogo dessa Área de Especialização (Apêndice c) 0 Matéria Optativa não TécnicaEscolha dentre as disciplinas não técnicas da universidade. 3 0 Total Trabalho de Estudos Trabalho de Projeto 00 Horas 00 Horas

16 Apêndice a Disciplinas Optativas da Fase Principal de Estudos do Curso de Engenharia Mecânica (6 o,7 o e 8 o Semestre) Área de Especialização Mecânica Geral e Engenharia de Veículos Disciplina N o 7 da Fase Principal de Estudos Catálogo para a Matéria I ( SWS): Disciplinas SWS 6. Semestre 7. Semestre 8. Semestre V S P V S P V S P Bloco Teoria de Máquinas Dinâmica de Máquinas Mecânica dos Fluídos II Elementos Finitos Tribologia Bloco Projeto de Máquinas Dinâmica de Máquinas Técnicas em Mecanismos Desenho Mecânico Ajustagem Sistemas de Máquinas Bloco 3 Operação de Máquinas Dinâmica de Máquinas Maschinendiagnose Garantia de Qualidade/Proces samento de Imagens Controle de Máquinas Tribotechnik Bloco Bloco 5 Tecnologia de Veículos I Dinâmica de Máquinas Tecnologia de Acionamentos Construção de Veículos Elétrica/Mecatrônica Tecnologia de Vidro/Cerâmica Dinâmica de Máquinas Materiais Cerâmicos/Vidros Tecnologia do Vidro/Cerâmica Laboratório de Vidro/Cerâmica O estudante escolhe uma disciplina dos blocos acima!

17 Apêndice b Disciplinas Optativas da Fase Principal de Estudos do Curso de Engenharia Mecânica (7 o e 8 o Semestre) Área de Especialização Mecânica Geral e Engenharia de Veículos Disciplina N o 8 da Fase Principal de Estudos Catálogo para a Matéria II (0 SWS): Disciplinas SWS 7. Semestre 8. Semestre V S P V S P Bloco Teoria de Máquinas 0 Projeto de Máquinas Máquinas hidráulicas e pneumáticas Laboratório Técnico Bloco Tecnologia de Acionamentos 0 Máquinas Elétricas Máquinas hidráulicas e pneumáticas Laboratório Técnico Bloco 3 Automação de Plantas Máquinas Especiais/Automação de Plantas Robótica Industrial Laboratório Técnico de Máquinas 0 Bloco Bloco 5 Tecnologia de Veículos II Chassis Garantia de Qualidade/Processamento de Imagens Laboratório Técnico de Máquinas Máquinas para Vidro/Cerâmica Estrutura de Máquinas para Vidro/Cerâmica Automação de Máquinas para Vidro/Cerâmica Laboratório Técnico de Máquinas 0 0 O estudante escolhe uma disciplina dos blocos acima!

18 Apêndice c Disciplinas Optativas da Fase Principal de Estudos do Curso de Engenharia Mecânica (7 o e 8 o Semestre) Área de Especialização Mecânica Geral e Engenharia de Veículos Disciplina N o 9 da Fase Principal de Estudos Catálogo para Disciplina Optativa Técnica ( SWS) O estudante escolhe cursos com extensão de horasaula por semana dentre as disciplinas N o 5 a 8 que ainda não cursou nas áreas de especialização do curso de Engenharia Mecânica..

19 Apêndice 5 Plano de Estudos para a Fase Principal do Curso de Engenharia Mecânica Área de Foco: Mecânica de Precisão e Engenharia de Mídia Die Lehrveranstaltungen Nr....6 sind Pflichtfächer (36 SWS); die Lehrveranstaltungen Nr sind Wahlpflichtfächer (3 SWS). Für das Fachpraktikum ist das 9. Semester vorgesehen. a. Die Kataloge der Wahlpflichtfächer für die Lehrveranstaltungen Nr. 7 bis 9 dieser udienrichtung sind in den Anlagen 5a, b, c dargestellt. b. udienrichtungen und Wahlpflichtfächer unterliegen 3 Abs. 5 DPOBB für den udiengang Maschinenbau. Nr. Lehrveranstaltungen 5.Semester 6.Semester 7.Semester 8.Semester V S P V S P V S P V S P Automatisierungstechnik Meßund Sensortechnik 3 Regelungstechnik Mikrorechnertechnik römungslehre I 3 Getriebeund Antriebstechnik 6 Arbeitswissenschaft/ Techn. Betriebsführung 5 Fertigungslehre Mikrotechnik Feinbearbeitung 6 Konstruktionslehre Fertigungsger.Konstruieren Konstruktionsmethodik/CAD Techn.Optik/Lichttechn.II 7 Fach I aus dem Katalog dieser udienrichtung (Anlage 5a) 8 Fach II aus dem Katalog dieser udienrichtung (Anlage 5b) 9 Technisches Wahlpflichtfach dieser udienrichtung (Anlage 5c) 0 Nichttechnisches Wahlpflichtfach Auswahl aus den nichttechnischen Lehrveranstaltungen der Universität SW S 0 Summe udienarbeit Projektarbeit 00 unden 00 unden

20 Apêndice 5a Disciplinas Optativas da Fase Principal de Estudos Do Curso de Engenharia Mecânica (7 o e 8 o Semestre) Àrea de Especialização Mecânica de Precisão e Engenharia de Mídia Disciplina N o 7 da Fase Principal de Estudos Katalog für Fach I (SWS): Lehrveranstaltung SWS 7. Semester 8. Semester V S P V S P Block Feinwerktechnische Konstruktion Gerätekonstruktion Gerätepraktikum Präzisionsantriebe C AD Elektromechan. Systeme Justierung Block Mikrotechnik Werkstoffe und Technologien Analoge und digitale Schaltungstechnik MSMeßtechnik Technologisches Praktikum Block 3 Lichttechnik rahlungsfeld und Lichtmeßtechnik Lichterzeugung und Lampen UV und IRTechnik Physiologische Optik und Beleuchtungstechnik Beleuchtungsinstallation Optik/LichttechnikPraktikum Der udent wählt einen der obigen Blöcke!

Normas de Avaliação. - Disposições Especiais - Universidade Técnica de Ilmenau, Faculdade de Engenharia Mecânica, Para o Curso de. Engenharia Mecânica

Normas de Avaliação. - Disposições Especiais - Universidade Técnica de Ilmenau, Faculdade de Engenharia Mecânica, Para o Curso de. Engenharia Mecânica 1 Normas de Avaliação - Disposições Especiais - da Universidade Técnica de Ilmenau, Faculdade de Engenharia Mecânica, Para o Curso de Engenharia Mecânica Tendo em vista a lei de Ensino Superior da Turíngia

Leia mais

PEDIDO DE VISTO VISUMSANTRAG. Nome : Name. Data de nascimento / / Local de nascimento

PEDIDO DE VISTO VISUMSANTRAG. Nome : Name. Data de nascimento / / Local de nascimento REPÚBLICA DE ANGOLA CONSULADO GERAL EM FRANKFURT AM MAIN PEDIDO DE VISTO VISUMSANTRAG TRÂNSITO TRANSIT TURISMO TOURISMUS CURTA DURAÇÃO KURZFRISTIGER AUFENTHALT ORDINÁRIO ALLGEMEIN Nome : Name Estado Civil

Leia mais

E S C O L A A L E M Ã C O R C O V A D O D E U T S C H E S C H U L E

E S C O L A A L E M Ã C O R C O V A D O D E U T S C H E S C H U L E Voranmeldung neuer Schüler an der Deutschen Schule Rio de Janeiro Anleitung zur Online-Einschreibung Übersicht 1. Zugang zum Anmeldeportal... 1 1.1. Anmeldung... 2 1.1.1. Angaben über die Schülerin/den

Leia mais

Requisitos de Titulação para Inscrição no Processo Seletivo de Docentes Aviso 064.03.2013 Processo /2013

Requisitos de Titulação para Inscrição no Processo Seletivo de Docentes Aviso 064.03.2013 Processo /2013 Etec Professor Horácio Augusto da Silveira Requisitos de Titulação para Inscrição no Processo Seletivo de Docentes Aviso 064.03.2013 Processo /2013 Para a Inscrição no Processo Seletivo, é necessário uma

Leia mais

Einfache Satzung eines nicht wirtschaftlichen Vereins

Einfache Satzung eines nicht wirtschaftlichen Vereins Einfache Satzung eines nicht wirtschaftlichen Vereins 1 Name und Sitz Der Verein führt den Namen "ASPPA Associação de Pós-graduados Portugueses na Alemanha" mit dem Zusatz»e.V.«nach Eintragung, die beim

Leia mais

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I.

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 23/2008 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, do Centro

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 101/2015

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 101/2015 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 101/2015 Dispõe sobre o Programa de Mestrado em Engenharia Mecânica. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº SPG- EM-168/2004, e nos termos da Resolução nº

Leia mais

Manual de instruções Configuração via PC VEGABAR 12. Document ID: 35584

Manual de instruções Configuração via PC VEGABAR 12. Document ID: 35584 Manual de instruções Configuração via PC VEGABAR 12 Document ID: 35584 Índice Índice 1 Sobre o presente documento 1.1 Função.................................. 3 1.2 Grupo-alvo................................

Leia mais

ENGENHARIA MECÂNICA. COORDENADOR Alexandre Martins Reis amreis@ufv.br

ENGENHARIA MECÂNICA. COORDENADOR Alexandre Martins Reis amreis@ufv.br ENGENHARIA MECÂNICA COORDENADOR Alexandre Martins Reis amreis@ufv.br 222 Currículos dos Cursos do CCE UFV Engenheiro Mecânico ATUAÇÃO O curso de Engenharia Mecânica da UFV visa fornecer a seus estudantes

Leia mais

Descrição das Actividades. [O examinador cumprimenta os examinandos, confirma os seus nomes, e explicita os procedimentos do 1º momento da prova.

Descrição das Actividades. [O examinador cumprimenta os examinandos, confirma os seus nomes, e explicita os procedimentos do 1º momento da prova. Duração da Prova: 15 a 20 minutos Domínios de Referência: A Escola; o Lazer (Férias) 1.º Momento Avaliação da Expressão Oral no Ensino Secundário Disciplina: Alemão (Iniciação, Nível 3 12º ano) GUIÃO B

Leia mais

Parecer de Autorização de Funcionamento: CEED nº 650/2014.

Parecer de Autorização de Funcionamento: CEED nº 650/2014. CURSO TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA O Curso Técnico de Nível Médio em Eletrotécnica, Eixo Tecnológico Controle e Processos Industriais são organizados em 3 módulos de 400 horas. Ao final do curso, 400 horas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 75/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Engenharia de do Centro

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCE UFV ENGENHARIA ELÉTRICA. COORDENADOR DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Carlos Magno Fernandes cmagno@ufv.

Currículos dos Cursos do CCE UFV ENGENHARIA ELÉTRICA. COORDENADOR DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Carlos Magno Fernandes cmagno@ufv. 132 ENGENHARIA ELÉTRICA COORDENADOR DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Carlos Magno Fernandes cmagno@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 133 ATUAÇÃO O curso de Elétrica da UFV propõe oferecer a seus estudantes

Leia mais

Mestrado em Têxtil e Confecção (simultâneos)

Mestrado em Têxtil e Confecção (simultâneos) Instituto Técnico Têxtil e do Vestuário Universidade Técnica de Dresden Faculdade de Ciências Mecânicas Diretor do Instituto: Prof. Dr.-Ing. habil. Dipl.-Wirt. Ing. Ch. Cherif Mestrado em Têxtil e Confecção

Leia mais

MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 108/2010

MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 108/2010 MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 108/2010 EMENTA: Estabelece o Currículo do Curso de Graduação em Engenharia Mecânica - Niterói O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UNED PARANAGUÁ Ensino Médio Subsequente PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA ENSINO MÉDIO SUBSEQUENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UNED PARANAGUÁ Ensino Médio Subsequente PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA ENSINO MÉDIO SUBSEQUENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UNED PARANAGUÁ Ensino Médio Subsequente PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA ENSINO MÉDIO SUBSEQUENTE 2009 SUMÁRIO 1. JUSTIFICATICA... 3 2. OBJETIVO... 3 3. REQUISITOS

Leia mais

I RELATÓRIO: II ANÁLISE:

I RELATÓRIO: II ANÁLISE: INTERESSADA: ESCOLA TÉCNICA PERNAMBUCANA DE PAULISTA PAULISTA/PE ASSUNTO: AUTORIZAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA, DO CURSO TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL E DO CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA EIXO TECNOLÓGICO:

Leia mais

REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR DA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA DA EESC - USP COM BASE NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A ENGENHARIA

REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR DA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA DA EESC - USP COM BASE NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A ENGENHARIA REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR DA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA DA EESC - USP COM BASE NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A ENGENHARIA Fernando César Almada Santos Universidade de São Paulo - Escola de Engenharia

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

Manual de Identidade Corporativa

Manual de Identidade Corporativa Manual de Identidade Corporativa 1 O que é a Identidade Corporativa 2 Marca 3 Cores 4 Aplicações 5 índice Tipografia 6 Dimensões 7 Zona de Protecção 8 Papel de Carta 9 Envelope DL 10 Cartão de Visita 11

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 50/2014-CONSUNIV Aprova ad referendum a reformulação do Projeto Pedagógico do

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 50/2014-CONSUNIV Aprova ad referendum a reformulação do Projeto Pedagógico do UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 50/2014-CONSUNIV Aprova ad referendum a reformulação do Projeto Pedagógico do Curso de Engenharia de, Bacharelado, de oferta regular

Leia mais

Pré-Requisitos do Curso

Pré-Requisitos do Curso Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Tecnologia Curso de Engenharia de Controle e Automação Pré-Requisitos do Curso 2º Semestre DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS MTM 1020 - Cálculo

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16

PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16 PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16 ÁREA DE ACTIVIDADE - ELECTRÓNICA E AUTOMAÇÃO OBJECTIVO GLOBAL

Leia mais

Liste von Anwälten und anderen Interessenvertretern

Liste von Anwälten und anderen Interessenvertretern POSTANSCHRIFT: C.P. 1595, INTERNET: www.maputo.diplo.de TEL (+ 258) 21 48 27 00 FAX (+ 258) 21 49 28 88 ÖFFNUNGSZEITEN: Montag-Freitag 9.00 12.00 Uhr Stand: Juni 2015 Liste von Anwälten und anderen Interessenvertretern

Leia mais

041 - ETEC PROFESSOR BASILIDES DE GODOY

041 - ETEC PROFESSOR BASILIDES DE GODOY ETEC PROFESSOR BASILIDES DE GODOY São Paulo AVISO DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO,

Leia mais

Introdução à Engenharia de Controle e Automação

Introdução à Engenharia de Controle e Automação Introdução à Engenharia de Controle e Automação O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO DA FACIT Renato Dourado Maia Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros Fundação Educacional Montes

Leia mais

CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013

CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013 CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013 NOVEMBRO/2012 1) CURSOS OFERTADOS: Automação Industrial Eletrônica Eletrotécnica* Informática Informática para Internet* Mecânica* Química* Segurança do Trabalho* * Cursos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ENGENHARIA ELÉTRICA MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Elétrica tem por missão a graduação de Engenheiros Eletricistas com sólida formação técnica que

Leia mais

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 5629/2015

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 5629/2015 CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 5629/2015 1. Controle e Automação Industrial (Instrumentação) Engenharia de Computação Engenharia de Produção Mecânica Engenharia de Sistemas - Modalidade

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MODALIDADE MECÂNICA, COM ÊNFASE EM AUTOMOBILÍSTICA, DO CÂMPUS DE ITATIBA. O Presidente do Conselho de Ensino,

Leia mais

Faculdade de Letras UFRJ Rio de Janeiro - Brasil

Faculdade de Letras UFRJ Rio de Janeiro - Brasil 02 a 05 setembro 2013 Faculdade de Letras UFRJ Rio de Janeiro - Brasil SIMPÓSIO - O ensino de Alemão como Segunda Língua (AL2) ou Língua Estrangeira (ALE) e o uso de novas tecnologias INDÍCE DE TRABALHOS

Leia mais

Reparador de Circuitos Eletrônicos

Reparador de Circuitos Eletrônicos Reparador de Circuitos Eletrônicos O Curso de Reparador de Circuitos Eletrônicos tem por objetivo o desenvolvimento de competências relativas a princípios e leis que regem o funcionamento e a reparação

Leia mais

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 2015 SUMÁRIO 1 - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 2 - OBJETIVO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO... 3 3 - ACOMPANHAMENTO E ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO... 4 4 - EXEMPLO DE ÁREAS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO...

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO. Primeiro Semestre (Manhã) Carga Horária Total: 450 Horas. Segundo Semestre (Manhã)

MATRIZ CURRICULAR ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO. Primeiro Semestre (Manhã) Carga Horária Total: 450 Horas. Segundo Semestre (Manhã) MATRIZ CURRICULAR ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Primeiro Semestre (Manhã) Cálculo I 90 h Básico - Experimental I 90 h Básico - Geometria Analítica 36 h Básico - Introdução à Engenharia de Controle

Leia mais

Engenharia Eletrônica

Engenharia Eletrônica Engenharia Eletrônica Contribuíram para esta apresentação: Prof. Euler de Vilhena Garcia Prof. Edson Mintsu Hung Prof. Sandro Augusto Pavlik Haddad A PARTIR DA ESTRUTURA DE DESIGN DE INSTRUMENTAÇÃO A PARTIR

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 149/2012

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 149/2012 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 149/2012 Altera o Currículo do Curso de Engenharia de Controle e Automação para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº MEC-481/2012,

Leia mais

Integrado em Automação Industrial

Integrado em Automação Industrial Plano de Trabalho Docente (PTD) Integrado em Automação Industrial Ano Letivo de 2014 1 Sumário 1º Módulo COMPONENTE CURRICULAR: ELETRICIDADE BÁSICA... 5 COMPONENTE CURRICULAR: INSTALAÇÕES ELÉTRICAS...

Leia mais

SALA DE REUNIÕES DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS, em Manaus, 19 de março de 2013. JOSÉ ALDEMIR DE OLIVEIRA Presidente

SALA DE REUNIÕES DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS, em Manaus, 19 de março de 2013. JOSÉ ALDEMIR DE OLIVEIRA Presidente UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N.º 18/2013 - CONSUNIV Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Engenharia de Controle e Automação, bacharelado, oferecido em Manaus e

Leia mais

Escola Técnica Estadual Professor Horácio Augusto da Silveira. São Paulo

Escola Técnica Estadual Professor Horácio Augusto da Silveira. São Paulo Escola Técnica Estadual Professor Horácio Augusto da Silveira - São Paulo AVISO DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA

Leia mais

Ciência sem Fronteiras Alemanha (CsF) Oferta curricular para bolsistas CsF. Programa de Engenharia de Processos Resumo

Ciência sem Fronteiras Alemanha (CsF) Oferta curricular para bolsistas CsF. Programa de Engenharia de Processos Resumo Bernburg Dessau Köthen Hochschule Anhalt Fachbereich Angewandte Biowissenschaften und Prozesstechnik Ciência sem Fronteiras Alemanha (CsF) Oferta curricular para bolsistas CsF Departamento de Biociências

Leia mais

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral.

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Ementas: Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Desenho Mecânico 80hrs Normalização; Projeções; Perspectivas;

Leia mais

Departamento de Enfermagem Básica (1 vaga) Processo nº 23071.004115/2009-81

Departamento de Enfermagem Básica (1 vaga) Processo nº 23071.004115/2009-81 Períodos de inscrições: no sítio http://www.concurso.ufjf.br a) Primeiro período: das 09h do dia 11/05/2009 até as 14h do dia 29/05/2009; b) Segundo período: das 09h do dia 22/06/2009 até as 14h do dia

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral Curso: ENGENHARIA ELÉTRICA SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Elétrica da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar engenheiros com sólidos e atualizados conhecimentos científicos

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL. (Antigo Curso de Instrumentação Controle de Processos) SELEÇÃO 2010.2

CURSO TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL. (Antigo Curso de Instrumentação Controle de Processos) SELEÇÃO 2010.2 CURSO TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL (Antigo Curso de Instrumentação Controle de Processos) SELEÇÃO 2010.2 OBJETIVO Participar de atividades de planejamento, supervisão e execução de projetos específicos

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial 4.1-Histórico:

Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial 4.1-Histórico: Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial 4.1-Histórico: O Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial da Faculdade Sul Fluminense FASF, tendo como Entidade Mantenedora o Instituto

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL - UERGS RESOLUÇÃO CONEPE nº 007/2013

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL - UERGS RESOLUÇÃO CONEPE nº 007/2013 RESOLUÇÃO CONEPE nº 007/2013 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Engenharia de Computação e dá outras providências. O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Estadual do Rio Grande

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia RELATOR(A):

Leia mais

O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru

O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru Projeto Pedagógico e Estrutura Curricular Missão do Curso de Engenharia Elétrica da FE/Unesp/Bauru A formação continuada de Engenheiros

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 095/2015

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 095/2015 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 095/2015 Altera a Deliberação CONSEP Nº 147/2012, que altera o Currículo do Curso de Engenharia de Produção Mecânica para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA,

Leia mais

FACULDADE DO SUL DA BAHIA 1º SEMESTRE DE 2014. PROVA FINAL PERÍODO DE APLICAÇÃO 07/07 segunda-feira 09/07 quarta-feira 10/07 quinta-feira

FACULDADE DO SUL DA BAHIA 1º SEMESTRE DE 2014. PROVA FINAL PERÍODO DE APLICAÇÃO 07/07 segunda-feira 09/07 quarta-feira 10/07 quinta-feira FACULDADE DO SUL DA BAHIA SEMESTRE DE 2014 PROVA FINAL PERÍODO DE APLICAÇÃO segunda-feira quarta-feira quinta-feira Horário 1ª AULA 18:50 às 20:30 2ª AULA 20:50 às 22:30 OBS.: NÃO HÁ SEGUNDA CHAMADA DE

Leia mais

das lang erwartete Arbeitsheft zu Vamos lá liegt nun vor. Mit Genehmigung des Hueber Verlages erscheint es im Eigenverlag der Autorinnen.

das lang erwartete Arbeitsheft zu Vamos lá liegt nun vor. Mit Genehmigung des Hueber Verlages erscheint es im Eigenverlag der Autorinnen. Das ARBEITSHEFT zu VAMOS LÁ Neu! Aktuell! Vielseitig! Abwechslungsreich! Informativ! Interessant! Hilfreich! Liebe Kolleginnen und Kollegen, das lang erwartete Arbeitsheft zu Vamos lá liegt nun vor. Mit

Leia mais

BCT001 Inserção na Vida Universitária 40 0 40. BCT002 Leitura e Produção de Texto 1 40 0 40

BCT001 Inserção na Vida Universitária 40 0 40. BCT002 Leitura e Produção de Texto 1 40 0 40 ESTRUTURA CURRICULAR DOS CURSOS O desenho curricular do curso de Engenharia de Energias segue as Diretrizes Gerais da UNILAB, as quais preveem os seguintes Núcleos de Formação nos cursos de graduação:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 147/2012

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 147/2012 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 147/2012 Altera o Currículo do Curso de Engenharia de Produção Mecânica para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº MEC-479/2012,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR (Currículo 2006.2) Agosto de 2010 Hodiernamente não mais se concebe que a formação do futuro profissional

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO Matriz curricular do Curso de Graduação em Engenharia de Produção da UFERSA a partir de 2011.2. (Adequada à Matriz curricular do Curso de Bacharelado em Ciência e Tecnologia) Período Disciplinas Obrigatórias

Leia mais

2º Física I Retirar o pré-requisito Geometria Analítica 2º Física I Experimental

2º Física I Retirar o pré-requisito Geometria Analítica 2º Física I Experimental MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA (UNILA) COMISSÃO SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO COSUEN N 005, DE 07 ABRIL DE 2014. Aprova as adequações em disciplinas da matriz

Leia mais

Reembolso do IVA alemão (Umsatzsteuerrückvergütung) para empresas não residentes na Alemanha. - Folheto informativo -

Reembolso do IVA alemão (Umsatzsteuerrückvergütung) para empresas não residentes na Alemanha. - Folheto informativo - Reembolso do IVA alemão (Umsatzsteuerrückvergütung) para empresas não residentes na Alemanha - Folheto informativo - 1 / 9 Pagou IVA na Alemanha e não sabe se pode obter o seu reembolso? Nós verificamos

Leia mais

PEDIDO DE VISTO VISUMSANTRAG. Nome : Name. Data de nascimento / / Local de nascimento

PEDIDO DE VISTO VISUMSANTRAG. Nome : Name. Data de nascimento / / Local de nascimento REPÚBLICA DE ANGOLA CONSULADO GERAL EM FRANKFURT AM MAIN PEDIDO DE VISTO VISUMSANTRAG TRABALHO ARBEITSVISUM PRIVILEGIADO PRIVILEGIERTE PERSONEN PARA FIXAÇÃO DE RESIDÊNCIA ESTUDO FOTO NIEDERLASSUNG SVISUM

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA REQUISITOS PARA INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO, Nº 065/08/2015 de 19/10/2015.

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Engenharia da Computação Campus de Sobral. Regulamento de Programa de Atividades Complementares

Universidade Federal do Ceará Engenharia da Computação Campus de Sobral. Regulamento de Programa de Atividades Complementares Universidade Federal do Ceará Engenharia da Computação Campus de Sobral Regulamento de Programa de Atividades Complementares Abril de 2010 SUMÁRIO Sumário INTRODUÇÃO... 3 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3

Leia mais

Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL CONVÊNIO COM O SENAI Matriz Curricular válida para os acadêmicos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO TÉCNICO EM ELETROELETRÔNICA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO TÉCNICO EM ELETROELETRÔNICA Das

Leia mais

ENGENHARIA ELÉTRICA. COORDENADOR Leonardo Bonato Félix leobonato@ufv.br

ENGENHARIA ELÉTRICA. COORDENADOR Leonardo Bonato Félix leobonato@ufv.br ENGENHARIA ELÉTRICA COORDENADOR Leonardo Bonato Félix leobonato@ufv.br 216 Currículos dos Cursos do CCE UFV Engenheiro Eletricista ATUAÇÃO O curso de Engenharia Elétrica da UFV oferece a seus estudantes

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º MED

EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º MED 1º MED DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I Especificação de elementos que compõem projetos; técnicas de desenho técnico e de representação gráfica correlacionadas com seus fundamentos matemáticos e geométricos;

Leia mais

TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA Objetivo do Curso

TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA Objetivo do Curso I MÓDULO I TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA Objetivo do Curso Habilitar e qualificar profissionais para desenvolver atividades de projeto, especificação, instalação, montagem e manutenção de sistemas eletromecânicos

Leia mais

Escola Técnica Estadual de Sorocaba

Escola Técnica Estadual de Sorocaba Escola Técnica Estadual de Sorocaba - Sorocaba AVISO DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1)

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1) Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 24/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1) Fase

Leia mais

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Mecatrônica

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Mecatrônica Habilitação: Mecatrônica Aviso: Este catálogo é constantemente atualizado pelo Centro Paula Souza para obter informações atualizadas consulte o site: www.cpscetec.com.br/crt Mecatrônica Aplicativos Informatizados

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE TUTORES MÓDULO INTERMEDIÁRIO E AVANÇADO 2015 POLOS UFRN CENTRAL, CENEP, MOSSORÓ, CAICÓ E ANGICOS

PROCESSO SELETIVO DE TUTORES MÓDULO INTERMEDIÁRIO E AVANÇADO 2015 POLOS UFRN CENTRAL, CENEP, MOSSORÓ, CAICÓ E ANGICOS PROCESSO SELETIVO DE TUTORES MÓDULO INTERMEDIÁRIO E AVANÇADO 2015 POLOS UFRN CENTRAL, CENEP, MOSSORÓ, CAICÓ E ANGICOS A Coordenação de Cursos Técnicos do Instituto Metrópole Digital da Universidade Federal

Leia mais

SERRA CIRCULAR. Máquina para afiar serras circulares calçadas com dentes de metal duro no peito e nas costas

SERRA CIRCULAR. Máquina para afiar serras circulares calçadas com dentes de metal duro no peito e nas costas SERRA CIRCULAR Máquina para afiar serras circulares calçadas com dentes de metal duro no peito e nas costas CHU 250 / SERRA CIRCULAR // PEITO E COSTAS A próxima geração de máquinas com robustez e excelente

Leia mais

CÓD. 483 - CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 03 I- NÚCLEO DOS CONTEÚDOS BÁSICOS

CÓD. 483 - CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 03 I- NÚCLEO DOS CONTEÚDOS BÁSICOS Aprovado no CONGRAD de: 24.09.2013 Retificado no CONGRAD de: 13.05.2014 Vigência: retroativa aos ingressantes de 2014/1 CÓD. 483 - CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 03 CÓD.

Leia mais

Desenho Técnico Fundamentos do desenho técnico; Construções geométricas; Desenho eletroeletrônico;

Desenho Técnico Fundamentos do desenho técnico; Construções geométricas; Desenho eletroeletrônico; EMENTA DE CONTEÚDOS Eletricidade Conceitos fundamentais da eletricidade; Circuitos elétricos de corrente contínua; Tensão alternada; Gerador de funções; Operação do osciloscópio; Tensão e corrente alternadas

Leia mais

Paróquia Nossa Senhora do Rosário - Leme

Paróquia Nossa Senhora do Rosário - Leme Paróquia Nossa Senhora do Rosário - Leme Adresse Katechesenort und Kirche: Rua General Ribeiro da Costa 164 22010-050 Leme, Rio de Janeiro Telefon: 0055 21 3223 5500 Kontakt: Maria Inêz Francisca Nóbrega:

Leia mais

ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO 2009 1 Resumo do Curso Disciplinas N. de Créditos Carga horária Disciplinas Obrigatórias Disciplinas do CB/CTC 74 1.200 Obrigatórias da Engenharia 35 765 Obrigatórias do Curso

Leia mais

Introdução A Engenharia Da Computação

Introdução A Engenharia Da Computação Introdução A Engenharia Da Computação AULA I Slide 1 O Que é Engenharia? [De engenho + -aria.] Substantivo feminino 1.Arte de aplicar conhecimentos científicos e empíricos e certas habilitações específicas

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA REQUISITOS PARA INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO, Nº 065/09/2015 de 19/10/2015.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

UNED-CUBATÃO 2008. Conhecimentos básicosb Automação Industrial

UNED-CUBATÃO 2008. Conhecimentos básicosb Automação Industrial CEFET-SP UNED-CUBATÃO 2008 Conhecimentos básicosb de Automação Industrial J. Caruso - 2008 Definições Automação é um sistema de equipamentos eletrônicos e/ou mecânicos que controlam seu próprio funcionamento,

Leia mais

Schopenhauer: die Erscheinung, das Phänomen 1. Schopenhauer: die Erscheinung, das Phänomen

Schopenhauer: die Erscheinung, das Phänomen 1. Schopenhauer: die Erscheinung, das Phänomen Revista Voluntas: Estudos sobre Schopenhauer - Vol. 5, Nº 1-1º semestre de 2014 - ISSN: 2179-3786 - pp. 03-08. Schopenhauer: die Erscheinung, das Phänomen 1 Schopenhauer: die Erscheinung, das Phänomen

Leia mais

Reconciliação - Abschluss 2014

Reconciliação - Abschluss 2014 Reconciliação - Abschluss 2014 Liebe Freunde und Spender der Reconciliação! Im Dezember wurde der Abschluss des Jahres 2014 mit den Adventsfeiern eingeleitet: Täglich wurde eine neue Kerze angezündet,

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DO TURNO NOTURNO PARA TURMAS A PARTIR DE JULHO DE 2013

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DO TURNO NOTURNO PARA TURMAS A PARTIR DE JULHO DE 2013 ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DO TURNO NOTURNO PARA TURMAS A PARTIR DE JULHO DE 2013 Curso de Bacharelado em Engenharia Elétrica Vagas no Vestibular: 40 (quarenta) regime semestral

Leia mais

Paróquia Santos Anjos Stadtteil Leblon

Paróquia Santos Anjos Stadtteil Leblon Paróquia Santos Anjos Stadtteil Leblon Adresse: Avenida Afrânico de Melo Franco, 300 22430060 Leblon, Rio de Janeiro Kontaktperson Paróquia Santos Anjos: Isabela Ebony, Tel.: 00552195618560 Telefon der

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM NOVAS TECNOLOGIAS: Um desafio constante. (A Mecatrônica como exemplo do estado da arte)

CAPACITAÇÃO EM NOVAS TECNOLOGIAS: Um desafio constante. (A Mecatrônica como exemplo do estado da arte) CAPACITAÇÃO EM NOVAS TECNOLOGIAS: Um desafio constante. (A Mecatrônica como exemplo do estado da arte) SESTINFO-2008 São Bernardo do Campo/março/2008 Áreas da Tecnologia que estão definindo nosso Futuro

Leia mais

Paróquia São Marcos - Barra da Tijuca

Paróquia São Marcos - Barra da Tijuca Paróquia São Marcos - Barra da Tijuca Adresse Katechesenort Praça Embaixador Gualberto de Oliveira 10 Barra da Tijuca, Rio de Janeiro Telefon: +55 21 2498 4367 Kontakt: Milne: +55 21 9915 6200 Guaratiba

Leia mais

PRÄSENTATION DER RECK+GASS INGENIEURGESELLSCHAFT. Wirtschaftstag Brasilien 22. Mai 2014

PRÄSENTATION DER RECK+GASS INGENIEURGESELLSCHAFT. Wirtschaftstag Brasilien 22. Mai 2014 PRÄSENTATION DER RECK+GASS INGENIEURGESELLSCHAFT Wirtschaftstag Brasilien 22. Mai 2014 + Wer etwas will, findet Wege. Wer etwas nicht will, findet Gründe. + Götz Werner, Gründer und Aufsichtsratsmitglied

Leia mais

CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO PROGRAMA PÓS-FLEX 2016

CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO PROGRAMA PÓS-FLEX 2016 CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO PROGRAMA PÓS-FLE 2016 CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO PROGRAMA PÓS-FLE 2016 ÁREAS DE NEGÓCIOS E ENGENHARIA O Programa Pós-Flex da Universidade Positivo possui 15 cursos voltados para

Leia mais

ANEXO I QUADRO DAS ÁREAS DE ESTUDO. Lotação 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ

ANEXO I QUADRO DAS ÁREAS DE ESTUDO. Lotação 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ Código/Área de Estudo. Desenho Técnico, Desenho Assistido por Computador (CAD), Informática 02. Materiais para Construção Mecânica, Corrosão e Tribologia 03. Termodinâmica, Refrigeração, Transferência

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas

Centro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOÓGICA DE PELOTAS CNPJ 88288105000139 Nome da Unidade Centro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas Nome de Fantasia CEFET-RS Esfera Administrativa Federal Endereço Praça

Leia mais

Aprovado no CONGRAD: 10.08.10 Vigência: ingressos a partir de 2011/1

Aprovado no CONGRAD: 10.08.10 Vigência: ingressos a partir de 2011/1 Aprovado no CONGRAD: 10.08.10 Vigência: ingressos a partir de 2011/1 CÓD. 207 - CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Noite - Currículo nº 06 CÓD. 2509 - CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Manhã e Noite - Currículo

Leia mais

Medizinisches Wörterbuch deutsch spanisch portugiesisch

Medizinisches Wörterbuch deutsch spanisch portugiesisch Medizinisches Wörterbuch deutsch spanisch portugiesisch Diccionario de Medicina español alemán portugués Dicionário de termos médicos português alemão espanhol Joan José González Soler Medizinisches Wörterbuch

Leia mais

Matriz Curricular - Curso: 23 - Engenharia Mecânica Matriz: 35 - Matriz 2 - Engenharia Mecânica

Matriz Curricular - Curso: 23 - Engenharia Mecânica Matriz: 35 - Matriz 2 - Engenharia Mecânica Matriz Curricular - Curso: 23 - Engenharia Mecânica Matriz: 35 - Matriz 2 - Engenharia Mecânica 1 CE61A COMUNICAÇÃO LINGUÍSTICA FORMAÇÃO BÁSICA E CIENTÍFICA 1 DE61A DESENHO TÉCNICO NÚCLEO COMUM 1 EB61A

Leia mais

Estamos orgulhosos por você ter escolhido a ETC para sua formação técnica.

Estamos orgulhosos por você ter escolhido a ETC para sua formação técnica. MANUAL DO ALUNO 2 Prezado Aluno, Estamos orgulhosos por você ter escolhido a ETC para sua formação técnica. Esperamos que a sua presença entre nós esteja alicerçada na crença e na confiança de que esta

Leia mais

ENGLISH PORTUGUÊS ENGLISH FRANÇAIS DEUTSCH ESPAÑOL. Pop-up Blocker settings:

ENGLISH PORTUGUÊS ENGLISH FRANÇAIS DEUTSCH ESPAÑOL. Pop-up Blocker settings: ENGLISH PORTUGUÊS ESPAÑOL DEUTSCH FRANÇAIS ENGLISH It has come to our attention that some users are having trouble viewing the new Data Policy and Privacy Statement due to their pop-up being blocked by

Leia mais

Aplicações Informáticas de Gestão

Aplicações Informáticas de Gestão 1. Denominação do curso de especialização tecnológica: Aplicações Informáticas de Gestão 2. Perfil profissional que visa preparar: Técnico (a) Especialista em Aplicações Informáticas de Gestão É o profissional

Leia mais

Formulário de Inscrição (Anmeldeformular / portugiesisch)

Formulário de Inscrição (Anmeldeformular / portugiesisch) Bevölkerungsdienste und Migration Spiegelgasse 6, Postfach, 4001 Basel Telefon +41 (0)61 267 70 60 Telefax +41 (0)61 267 70 80 Formulário de Inscrição (Anmeldeformular / portugiesisch) Dados Pessoais (Personalien)

Leia mais