ORIENTAÇÕES QUANTO À PRESTAÇÃO DE CONTAS FUNDO ROTATIVO E PROGRAMAS FEDERAIS

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORIENTAÇÕES QUANTO À PRESTAÇÃO DE CONTAS FUNDO ROTATIVO E PROGRAMAS FEDERAIS"

Transcrição

1 SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO 1 ORIENTAÇÕES QUANTO À PRESTAÇÃO DE CONTAS FUNDO ROTATIVO E PROGRAMAS FEDERAIS 1. INTRODUÇÃO Com o final do ano se aproximando, faz-se necessário observar alguns procedimentos de encerramento da execução financeira, com vistas a garantir a correta Prestação de Contas e evitar possíveis irregularidades. Assim, solicitamos ler atentamente as instruções abaixo, identificando que tipo de recursos a escola recebeu e quais serão as Prestações de Contas que serão apresentadas. Lembrando que TODAS as Prestações de Contas devem ser entregues devidamente completas, assinadas e na ordem que consta nesse informativo. Também deverão vir já paginadas e rubricadas à caneta, lembrando que a numeração inicia-se pelo ofício, com o número 03. Solicitamos ainda que, caso seja possível, as Prestações de Contas sejam entregues em Pasta Cartão de Grampo Trilho (o mesmo modelo utilizado nos processos do setor de Estrutura deste NRE). 2. FUNDO ROTATIVO O Fundo Rotativo deve ser executado até o dia 20 de dezembro do corrente ano. Todas as despesas efetuadas após essa data serão passíveis de glosa e consequente restituição de valores ao tesouro do estado. A compensação de todos os cheques, bem como eventuais devoluções de saldos, deverá ser realizada até o dia 26 de dezembro. O prazo máximo para entrega da Prestação (Online e documental) é até o dia 30 de janeiro de Prestações entregues após esse período ficarão sujeitas a multas e bloqueio no repasse das próximas parcelas em São documentos necessários para fins de Prestação de Contas: 1. Ofício de encaminhamento da PC, direcionado ao Secretário de Educação;

2 SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO 2 2. Planos de Aplicação do Sistema GRF, em ordem cronológica; 3. Extratos bancários originais; 4. Extrato do Sistema GRF; 5. Demonstrativo de Despesas Realizadas do Sistema GRF; 6. Consolidação da Tomada de Preços; 7. Notas Fiscais (na ordem em que são relacionadas no Demonstrativo); 8. Comprovantes de Encargos Sociais após a NF correspondente conforme o caso; 9. Contrato de Prestação de Serviços após a NF correspondente conforme o caso; 10. Justificativas ou esclarecimentos, se necessário; 11. Termo de Transmissão do Fundo Rotativo, conforme o caso; 12. Declaração de Conferência de Notas Fiscais Eletrônicas (mercadorias e serviços); 13. Relatório de Origem e Aplicação de Recursos; 3. RECURSOS FEDERAIS Todos os recursos devem ser executados até o dia 31 de dezembro do corrente ano. As Prestações de Conta do Governo Federal são divididas em 04 programas: PDDE: Engloba apenas a verba básica do PDDE e dividida em duas parcelas, com percentuais de Custeio e Capital, conforme definido pela escola no ano anterior ao repasse; PDDE ESTRUTURA: Engloba os recursos referentes ao Programa Escola Acessível; PDDE QUALIDADE: Engloba as ações do Programa Ensino Médio Inovador (PROEMI), Mais Cultura e Atleta na Escola; PDDE EDUCAÇÃO INTEGRAL: Engloba o Programa Mais Educação; Cada um desses programas possui uma conta corrente específica e, assim, compreendem Prestações de Contas diferentes (para cada conta corrente é necessária uma PC). Mesmo as escolas que já executaram todo o recurso e fizeram todos os lançamentos necessários, não devem entregar a Prestação de Contas esse ano.

3 SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO 3 Como a maioria dos programas prevê duas parcelas, é possível que ainda esse ano sejam creditados mais recursos. Assim, orientamos que façam a execução e o lançamento nas planilhas e no GRF, mas só façam a entrega da PC em 2015, até o dia 09 de janeiro, pois assim será possível ter certeza do que foi creditado em PDDE BÁSICO Até o presente momento só foi creditada a parcela 01 do PDDE Sugerimos às escolas que ainda não iniciaram as despesas do programa, que deem início à execução o mais rápido possível, visto que o final do ano está próximo e pode não haver mais tempo hábil para executar todos os procedimentos necessários para executar o recurso. Caso seja de vontade da escola, o recurso poderá ser reprogramado, parcial ou integralmente, porém aconselhamos que executem todo o recurso ainda em 2014, para evitar possíveis deduções em repasses futuros. O PDDE deve ser executado até o dia 31 de dezembro do corrente ano. Todas as despesas efetuadas após essa data serão contabilizadas na Prestação de Contas do exercício A compensação de todos os cheques, bem como eventuais devoluções de saldos, também deve ser realizada até o dia 31 de dezembro. Como ainda há a possibilidade de crédito da parcela 02 do PDDE ocorrer ainda esse ano, solicitamos que não entreguem a PC ainda. O melhor é aguardar o encerramento do ano, verificar todo o valor creditado, de rendimentos, executado e possíveis saldos. Assim, solicitamos que a PC s sejam entregues até o dia 09 de janeiro de Prestações entregues após esse período ficarão sujeitas ao cadastro de INADIMPLENTES do Governo Federal, o que acarretará na não liberação de recursos federais até a regularização da PC. São documentos que devem ser anexados na Prestação de Contas do PDDE: 1. Ofício de encaminhamento da PC, direcionado ao Secretário de Educação (caso haja reprogramações, informar o valor nesse mesmo ofício); 2. Ata(s) de reunião de planejamento dos bens e serviços contemplados; 3. Ata(s) de reunião de julgamento e escolha de fornecedores;

4 SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO 4 4. Ata(s) de reunião de planejamento de uso de rendimentos; 5. Ata(s) de eventuais alterações, retificações, justificativas ou qualquer assunto pertinente à Prestação; 6. Extratos bancários da conta corrente, que informe desde o saldo final do exercício anterior até o encerramento do exercício 2014; 7. Extratos bancários da aplicação, compreendendo todo o período da aplicação; 8. Demonstrativo de Despesas modelo FNDE (registrar as Notas em ordem cronológica. Se a escola quiser, poderá digitar as notas separando-as por cota. Ex.: Todas as NF s da Cota Custeio, em ordem cronológica e, depois, todas as notas de Capital, em ordem cronológica); 9. Notas Fiscais (na ordem em que são relacionadas no Demonstrativo); 10. Contrato de Prestação de Serviços, se necessário; 11. Cópia dos Orçamentos realizados para aquela compra; 12. Cópia da Comprovante de Inscrição e Situação Cadastral da Receita Federal, somente da empresa vencedora (para NF de mercadoria e de serviços); 13. Cópia do Cadastro de Inscrição Estadual da Receita Estadual da empresa vencedora (apenas nos casos de compra de mercadorias); 14. Cópia da Certidão Negativa de Débitos Municipais da empresa contratada (apenas nos casos de Prestação de Serviços e MEI que não possuam Inscrição Estadual); 15. Comprovantes de Encargos Sociais conforme o caso; 16. Justificativas ou esclarecimentos, se necessário; 17. Relatório de Bens Adquiridos; 18. Termo de Doação; 19. Cópia do Termo de Incorporação de Patrimônio (enviado pelo NRE); 20. Declaração de Conferência de Notas Fiscais Eletrônicas (Mercadorias e Serviços); 3.2. PDDE QUALIDADE Neste programa estão englobadas as ações referentes ao Programa Ensino Médio Inovador, Mais Cultura e Atleta na Escola. O recurso deve ser todo executado esse ano, evitando deixar saldos para reprogramação. A execução também deve ser realizada conforme o que foi planejado no sistema PDDE INTERATIVO e orientações já repassadas por este NRE.

5 SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO 5 Como os recursos são programados para execução em 2014, se houver reprogramação de um valor considerável, a escola poderá sofrer dedução das parcelas futuras, conforme estabelecido em resolução própria do FNDE. Além disso, será elaborado um relatório, por este setor, e enviado para a chefia do NRE e SEED para averiguações. Caso haja necessidade, o valor a ser reprogramado não pode exceder a 30% do total de receitas do ano, sob pena de dedução desse excedente nas parcelas futuras. A prestação de Contas seguirá os mesmos moldes do PDDE Básico, mas observando que há uma planilha específica para esse recurso no site do NRE. Também deverão ser anexados alguns documentos adicionais, conforme as ações que a escola realiza: PROEMI: Anexar o PRC (logo após o ofício) elaborado pela escola no PDDE INTERATIVO e apresentar Parecer Pedagógico (ao final da PC) sobre a execução do programa e Parecer do Supervisor de Obras caso a escola tenha realizado algum serviço desse tipo; ATLETA NA ESCOLA: Anexar Parecer Pedagógico sobre a realização da atividade esportiva, conforme orientações do MEC (ao final da PC); MAIS CULTURA: Anexar o cronograma e lista de itens elaborada pela escola e que foram enviados ao NRE para avaliação (logo após o ofício) e o Parecer Pedagógico sobre a realização das atividades conforme o planejado (ao final da PC). As orientações quanto a prazo são as mesmas do PDDE BÁSICO: Aguardar o encerramento do ano e entregar a PC até 09/01/ PDDE ESTRUTURA ESCOLA ACESSÍVEL No PDDE Estrutura, está englobado o Programa Escola Acessível. O recurso deve ser todo executado esse ano, evitando deixar saldos para

6 SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO 6 reprogramação. A execução também deve ser realizada conforme o que foi planejado no sistema SIMEC, com base no PAP (Plano de Atendimento Prévio), e orientações já repassadas por este NRE. Caso o plano ainda não tenha sido finalizado pelo MEC (ver o SIMEC) o recurso deverá ser reprogramado para A prestação de Contas seguirá os mesmos moldes do PDDE Básico, mas observando que há uma planilha específica para esse recurso no site do NRE. Também deverá ser anexado o Plano elaborado no sistema SIMEC e o Termo de Vistoria da Obra, assinado pelo comitê de trabalho do NRE. As orientações quanto a prazo são as mesmas do PDDE BÁSICO: Aguardar o encerramento do ano e entregar a PC até 09/01/ PDDE EDUCAÇÃO INTEGRAL O PDDE Educação Integral corresponde ao Programa Mais Educação. Conforme orientações do NRE, o recurso deve ser todo executado esse ano, evitando deixar saldos para reprogramação, visto que TODO saldo existente será deduzido de parcelas futuras, conforme resolução FNDE 14/2014. Caso a escola opte por reprogramar algum valor, deverá informar no ofício de encaminhamento. Para as escolas que tiveram redução do número de turmas e que receberam valores para atendimento de jovens de 15 a 17 anos, mas não tenham os alunos matriculados no programa, o valor correspondente a essas turmas deverá ser devolvido aos cofres da União, até 31/12/2014, evitando deduções em repasses futuros. A prestação de Contas seguirá os mesmos moldes do PDDE Básico, mas observando que há uma planilha específica para esse recurso no site do NRE. Também deverá ser anexado o Plano de Atendimento do Sistema PDDE INTERATIVO, Recibos e Relatório Mensal de Atividades, Termo de Adesão de Voluntariado, Declaração de Isenção de Vínculo Funcional (formulários disponíveis no site do NRE) e Parecer Pedagógico sobre a alteração dos itens dos kit s das

7 SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO 7 atividades (caso haja alteração no material sugerido pelo MEC) bem como sobre a execução do programa. As orientações quanto a prazo são as mesmas do PDDE BÁSICO: Aguardar o encerramento do ano e entregar a PC até 09/01/ GRF GESTÃO DE RECURSOS FINANCEIROS Conforme já informado anteriormente, em comunicado da CAF do dia 06/11/2014, para os Recursos Federais o GRF servirá apenas para alimentação de dados sobre os valores creditados, rendimentos de aplicação, execução e saldo final e/ou reprogramado. Portanto, os usuários do sistema devem apenas registrar os dados conforme o comunicado supracitado, seguindo estritamente as orientações que constam ali. Para a Prestação de contas de Recursos Federais, nenhum formulário será utilizado. Porém os registros sobre valores executados, rendimentos e saldos, devem ser fidedignos. Caso contrário, o NRE solicitará a correção desses dados. Em caso de dúvidas, favor entrar em contato com o analista responsável pela escola. Maringá, 12 de dezembro de 2014 Renan Ferreira Coordenador Financeiro/NRE Maringá

1. ORIENTAÇÕES GERAIS:

1. ORIENTAÇÕES GERAIS: SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO 1 1. ORIENTAÇÕES GERAIS: 1.1. Alteração de dados da Nota Fiscal: Conforme Decreto 6080/2012, Art. 217 a Carta de Correção não pode ser usada para alteração da Razão Social,

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO E AUDITORIA

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO E AUDITORIA ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA A ELABORAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS DOS DIRETÓRIOS PARTIDÁRIOS Tendo em vista a obrigação das agremiações partidárias de prestar contas até 30 de abril de 2014, referente ao exercício

Leia mais

Agricultura Familiar

Agricultura Familiar DA UNIDADE EXECUTORA: N ºINEP: OFÍCIO N.: / 20 LOCAL E DATA:, / / Senhor (a) Gestor(a), Encaminhamos, em anexo, a V.S.ª, a prestação de conta desta Unidade, referente aos a Repasses/20, no valor total

Leia mais

Perguntas e Respostas Frequentes

Perguntas e Respostas Frequentes Perguntas e Respostas Frequentes 1. No mês de julho, devido ao recesso, a monitora só atendeu uma vez, ou seja, a primeira semana 4 turmas. Ela terá direito a receber quanto, R$ 60,00 por apenas uma semana

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ARTICULAÇÃO PEDAGÓGICA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ARTICULAÇÃO PEDAGÓGICA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ARTICULAÇÃO PEDAGÓGICA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA Curitiba, 13 de março de 2015. Orientação referente aos Programas de Ampliação

Leia mais

"A MENTE QUE SE ABRE A UMA NOVA IDEIA JAMAIS VOLTARÁ AO SEU TAMANHO ORIGINAL." ( ALBERT EINSTEIN)

A MENTE QUE SE ABRE A UMA NOVA IDEIA JAMAIS VOLTARÁ AO SEU TAMANHO ORIGINAL. ( ALBERT EINSTEIN) "A MENTE QUE SE ABRE A UMA NOVA IDEIA JAMAIS VOLTARÁ AO SEU TAMANHO ORIGINAL." ( ALBERT EINSTEIN) PASSO A PASSO: OFÍCIO - Deve ser encaminhado ao Prefeito; - Não necessita constar valores, somente encaminhamento

Leia mais

Roteiro para Cadastramento no Módulo PC Online do SiGPC Data de atualização: 10/2/2012

Roteiro para Cadastramento no Módulo PC Online do SiGPC Data de atualização: 10/2/2012 Roteiro para Cadastramento no Módulo PC Online do SiGPC Data de atualização: 10/2/2012 Para começar, tenha em mãos o seguinte: A mensagem eletrônica ou ofício que você recebeu do FNDE contendo Usuário

Leia mais

MANUAL PRESTAÇÃO DE CONTAS DO PROGRAMA DINHEIRO DIRETO NA ESCOLA PDDE

MANUAL PRESTAÇÃO DE CONTAS DO PROGRAMA DINHEIRO DIRETO NA ESCOLA PDDE ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Diretoria de Educação Básica - DIEB Gerência de Administração Escolar - GEADE Programa Dinheiro Direto na Escola - PDDE Rua Antônio Luz, 111-5º

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS DO FNDE

ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS DO FNDE ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS DO FNDE O PDDE consiste na assistência financeira às escolas públicas da educação básica das redes estaduais, municipais e do Distrito Federal

Leia mais

NORMAS GERAIS PARA RECEBIMENTO E CONFERÊNCIA DE DOCUMENTOS

NORMAS GERAIS PARA RECEBIMENTO E CONFERÊNCIA DE DOCUMENTOS NORMAS GERAIS PARA RECEBIMENTO E CONFERÊNCIA DE DOCUMENTOS PROCEDIMENTO PADRÃO Nº. 001/2006. Teresina, Março 2008 ATUALIZADO EM MARÇO DE 2008 NORMAS GERAIS PARA RECEBIMENTO E CONFERÊNCIA DE DOCUMENTOS

Leia mais

Banco Mundial. Capacitação em Gestão de Convênios e Projetos

Banco Mundial. Capacitação em Gestão de Convênios e Projetos Banco Mundial Capacitação em Gestão de Convênios e Projetos Versão: Agosto/2011 O QUE É O PROGRAMA PRODUZIR? O PRODUZIR é um programa do Governo do Estado da Bahia, coordenado pela CAR - Companhia de Desenvolvimento

Leia mais

Objetivo: Regular o processo de elaboração e execução de convênios e contratos no âmbito da COPPETEC

Objetivo: Regular o processo de elaboração e execução de convênios e contratos no âmbito da COPPETEC 1 / 5 Objetivo: Regular o processo de elaboração e execução de convênios e contratos no âmbito da COPPETEC Público Alvo: Coordenadores de projeto e órgãos operacionais da Fundação 1. Definições Iniciais

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES DO FLUXO E PROCEDIMENTOS DE NOTAS FISCAIS AOS COORDENADORES DE PROJETOS E CONVÊNIOS NIOS ADMINISTRADOS PELA FUNDAHC

MANUAL DE ORIENTAÇÕES DO FLUXO E PROCEDIMENTOS DE NOTAS FISCAIS AOS COORDENADORES DE PROJETOS E CONVÊNIOS NIOS ADMINISTRADOS PELA FUNDAHC 1 MANUAL DE ORIENTAÇÕES DO FLUXO E PROCEDIMENTOS DE NOTAS FISCAIS AOS COORDENADORES DE PROJETOS E CONVÊNIOS NIOS ADMINISTRADOS PELA FUNDAHC Introdução: A FUNDAHC preparou o presente manual para distribuição

Leia mais

Processo de Compras GENS

Processo de Compras GENS Processo de Compras GENS Manual do Colaborador Versão 2.0 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1 Objetivos... 3 1.1.1 Objetivo da definição do Processo de Compras... 3 1.1.2 Objetivo deste Manual... 3 2. PROCESSO

Leia mais

Orientações Estruturantes

Orientações Estruturantes Ministério do Esporte Programa Esporte e Lazer da Cidade PELC & Vida Saudável Orientações Estruturantes 2016 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...3 2. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO E PROJETO TÉCNICO PEDAGÓGICO...3 3. RELAÇÃO

Leia mais

Manual do. Almoxarifado

Manual do. Almoxarifado Manual do Almoxarifado Parnaíba 2013 APRESENTAÇÃO O Almoxarifado é o local destinado à guarda, localização, segurança e preservação do material adquirido, adequado à sua natureza, a fim de suprir as necessidades

Leia mais

Manual do Módulo de PC Online

Manual do Módulo de PC Online do Módulo de PC Online Agilis Conteúdo Introdução... 4 Acesso à Funcionalidade... 5 1. Internet Explorer 6.x... 7 2. Internet Explorer 7.x... 9 3. Netscape Navigator 7.x... 10 4. Netscape Navigator 7.2x...

Leia mais

Roteiro elaborado com o objetivo de auxiliar os convenentes no registro das prestações de contas no SIGPC Contas Online.

Roteiro elaborado com o objetivo de auxiliar os convenentes no registro das prestações de contas no SIGPC Contas Online. FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO FNDE Roteiro de orientações ao convenente para prestação de contas do Programa Caminho da Escola no SiGPC Contas Online Roteiro elaborado com o objetivo de

Leia mais

Supervisão de Bolsistas Perguntas e Respostas

Supervisão de Bolsistas Perguntas e Respostas Supervisão de Bolsistas Perguntas e Respostas 1) Qual o prazo para o bolsista apresentar documentos após o recebimento da notificação enviada pela instituição de educação superior - IES? O bolsista terá

Leia mais

C A R T I L H A D E O R I E N T A Ç Ã O A O C L I E N T E

C A R T I L H A D E O R I E N T A Ç Ã O A O C L I E N T E C A R T I L H A D E O R I E N T A Ç Ã O A O C L I E N T E Missão A Contágil Serviços Contábeis tem a missão de oferecer serviços contábeis de ótima qualidade, proporcionando aos clientes economia e confiança

Leia mais

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 4139, DE 11 DE SETEMBRO DE 2013. Regulamenta o Fundo Municipal de Esporte e Lazer e o Incentivo ao Esporte e Lazer e dá outras providências. O PREFEITO DE GOIÂNIA, no

Leia mais

Definição: Documentação que comprova os atos e fatos que originam o lançamento na escrituração contábil da entidade Ministério da Previdência Social.

Definição: Documentação que comprova os atos e fatos que originam o lançamento na escrituração contábil da entidade Ministério da Previdência Social. Definição: Documentação que comprova os atos e fatos que originam o lançamento na escrituração contábil da entidade Ministério da Previdência Social. Documentos que possuem validade fiscal perante o fisco

Leia mais

FRBL FUNDO DE RECONSTITUIÇÃO DE BENS LESADOS

FRBL FUNDO DE RECONSTITUIÇÃO DE BENS LESADOS FRBL FUNDO DE RECONSTITUIÇÃO DE BENS LESADOS Orientações para Organizações da Sociedade Civil sem Fins Lucrativos (OSCs) Expediente Material produzido pelo ICom - Instituto Comunitário Grande Florianópolis

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2014 DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE SUBVENÇÃO SOCIAL, AUXÍLIO FINANCEIRO, CONTRIBUIÇÃO E OUTRAS FONTES DE RECURSO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO. A Controladoria Geral do Município

Leia mais

GESCOMP Sistema de Gestão de Compras, Orçamento, Material e Patrimônio

GESCOMP Sistema de Gestão de Compras, Orçamento, Material e Patrimônio UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS - PRH DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS - DRH DIVISÃO DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO TDE PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Manual Operativo do Sistema de Monitoramento do Plano Plurianual de Ação Governamental - PPAG APRESENTAÇÃO

Manual Operativo do Sistema de Monitoramento do Plano Plurianual de Ação Governamental - PPAG APRESENTAÇÃO 4ª Edição revisada abril/2014 APRESENTAÇÃO O Plano Plurianual de Ação Governamental PPAG é um planejamento de médio prazo da esfera pública, que explicita diretrizes, objetivos, ações, programas e metas

Leia mais

CARTA CONVITE Nº 003/2015. Desenvolvimento, produção e realização da 20ª Festa do Imigrante.

CARTA CONVITE Nº 003/2015. Desenvolvimento, produção e realização da 20ª Festa do Imigrante. São Paulo, 24 de fevereiro de 2015. CARTA CONVITE Nº 003/2015 Desenvolvimento, produção e realização da 20ª Festa do Imigrante. O (INCI), Organização Social gestora do Museu da Imigração, de acordo com

Leia mais

FIPLAN-BA - Sistema Integrado de Planejamento, Contabilidade e Finanças do Estado da Bahia. Transferências de Saldos da Programação Financeira

FIPLAN-BA - Sistema Integrado de Planejamento, Contabilidade e Finanças do Estado da Bahia. Transferências de Saldos da Programação Financeira ORIENTAÇÃO TÉCNICA FIPLAN Projeto FIPLAN-BA - Sistema Integrado de Planejamento, Contabilidade e Finanças do Estado da Bahia Unidade Responsável: DEPAT UNIDADE ORÇAMENTÁRIA Versão 3.0 Data: 17/04/2013

Leia mais

Número: 00190.004342/2013-31 Unidade Examinada: Município de Marília/SP

Número: 00190.004342/2013-31 Unidade Examinada: Município de Marília/SP Número: 00190.004342/2013-31 Unidade Examinada: Município de Marília/SP Relatório de Demandas Externas n 00190.004342/ 2013-31 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

ROTEIRO OPERACIONAL - CONSIGNADO SETOR PÚBLICO EXECUTIVO FEDERAL SIAPE

ROTEIRO OPERACIONAL - CONSIGNADO SETOR PÚBLICO EXECUTIVO FEDERAL SIAPE OPERACIONALIZAÇÃO DAS CONTRATAÇÕES E SUPORTE Filial BV Financeira Matriz São Paulo - Fone: (11) 3268-3100. PÚBLICO ALVO CONFORME LEGISLAÇÃO Servidores Ativos/Inativos; Aposentados; Cedidos; Pensionistas

Leia mais

Plano de Ações Articuladas PAR. Um breve Histórico

Plano de Ações Articuladas PAR. Um breve Histórico Plano de Ações Articuladas PAR Um breve Histórico Plano de Ações Articuladas PAR - PAR 2007-2010 DECRETO Nº 6.094, DE 24 DE ABRIL DE 2007 - Dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromisso Todos

Leia mais

POLÍTICA DE PATROCINIO DA CAGECE

POLÍTICA DE PATROCINIO DA CAGECE POLÍTICA DE PATROCINIO DA CAGECE A Política de Patrocínio da Cagece que compreende o apoio financeiro concedido a projetos institucionais, culturais, sociais, ambientais e esportivos de iniciativa de terceiros,

Leia mais

COMPRAS / CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS FORMAS DE AQUISIÇÃO/CONTRATAÇÃO LICITAÇÃO:

COMPRAS / CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS FORMAS DE AQUISIÇÃO/CONTRATAÇÃO LICITAÇÃO: COMPRAS / CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS Quase todas as despesas das Unidades são realizadas através de compras ou contratações de serviços. Elas são classificadas de acordo com a forma de aquisição/contratação

Leia mais

CARTA CONVITE Nº 026/2014. Contratação de Empresa especializada em Auditoria Independente.

CARTA CONVITE Nº 026/2014. Contratação de Empresa especializada em Auditoria Independente. São Paulo, 17 de junho de 2014. CARTA CONVITE Nº 026/2014 Contratação de Empresa especializada em Auditoria Independente. A, Organização Social gestora do Museu do Café e do Museu da Imigração, de acordo

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES

HISTÓRICO DE REVISÕES PÁGINA: 1/12 DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DIRAD ÁREAS SECON FPB/ QUALIDADE CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 010 TíTULO: REALIZAR ANÁLISE FINANCEIRA DAS UNIDADES FPB ELABORADO EM:09/07/2014 REVISADO EM:14/07/2014

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO PÚBLICA

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO PÚBLICA PAG:1 SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO PÚBLICA MÓDULO : LICITAÇÕES E CONTRATOS Manual de Treinamento 2008 PAG:2 MÓDULO DE LICITAÇÃO E COMPRAS OBJETIVO: Controlar a documentação dos processos licitatórios dentro

Leia mais

EDITAL DE PROJETOS INSTITUTO LOJAS RENNER E ONU MULHERES - 2016

EDITAL DE PROJETOS INSTITUTO LOJAS RENNER E ONU MULHERES - 2016 EDITAL DE PROJETOS INSTITUTO LOJAS RENNER E ONU MULHERES - 2016 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para a seleção de projetos que contribuam para o

Leia mais

Primeiros passos das Planilhas de Obra v2.6

Primeiros passos das Planilhas de Obra v2.6 Primeiros passos das Planilhas de Obra v2.6 Instalação, configuração e primeiros passos para uso das planilhas de obra Elaborado pela Equipe Planilhas de Obra.com Conteúdo 1. Preparar inicialização das

Leia mais

PROGRAMA DE CULTURA BANCO DO NORDESTE/BNDES MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS

PROGRAMA DE CULTURA BANCO DO NORDESTE/BNDES MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS PROGRAMA DE CULTURA BANCO DO NORDESTE/BNDES MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA... 3 2. DELIMITAÇÃO DA NECESSIDADE DE PRESTAÇÃO DE CONTAS... 3 3. SOBRE O FORMULÁRIO

Leia mais

ABERTURA DE PROJETOS PROCEDIMENTOS PARA ABERTURA DE PROJETO. Normas e Procedimentos NP04

ABERTURA DE PROJETOS PROCEDIMENTOS PARA ABERTURA DE PROJETO. Normas e Procedimentos NP04 PROCEDIMENTOS PARA ABERTURA DE PROJETO Normas e Procedimentos NP04 I - INSTRODUÇÃO A FUSP na qualidade de Entidade de Apoio quanto à gestão administrativa-financeira dos recursos destinados aos projetos

Leia mais

TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO 769/CIENTEC/2013

TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO 769/CIENTEC/2013 TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO 769/CIENTEC/2013 1. DO TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO 1.1 A Fundação de Ciência e Tecnologia, torna público o presente Termo de Dispensa de Licitação, autorizada no expediente

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS. 1.1. Cliente : pessoa física ou jurídica que contrata ou utiliza os serviços da BORA DECORA.

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS. 1.1. Cliente : pessoa física ou jurídica que contrata ou utiliza os serviços da BORA DECORA. TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS 1. Definições 1.1. Cliente : pessoa física ou jurídica que contrata ou utiliza os serviços da BORA DECORA. 1.2. BORA DECORA : Marca fantasia da A+D

Leia mais

REGULAMENTO PARA DISCIPLINA ISOLADA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (Especialização)

REGULAMENTO PARA DISCIPLINA ISOLADA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (Especialização) CEC - REGULAMENTO PARA DISCIPLINA ISOLADA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (Especialização) 1. O interessado fará um requerimento na Secretaria do Tudo Aqui para cursar uma ou mais disciplinas isoladas de um determinado

Leia mais

ÍNDICE. SPO Módulo de Descentralização de Créditos no SIMEC 2

ÍNDICE. SPO Módulo de Descentralização de Créditos no SIMEC 2 ÍNDICE 1. Visão Geral - Funcionamento do sistema... 3 2. Descrição dos perfis do sistema... 4 3. Operação Novo termo de execução descentralizada... 5 a. Cadastramento do termo no sistema pela Unidade Técnica...

Leia mais

PRESTANDO CONTAS ONLINE Programa Nacional de Alimentação Escolar

PRESTANDO CONTAS ONLINE Programa Nacional de Alimentação Escolar 1 PRESTANDO CONTAS ONLINE Programa Nacional de Alimentação Escolar Com a disponibilização das primeiras funcionalidades para registro das prestações de contas do Programa Nacional de Alimentação Escolar

Leia mais

Manual de Conciliação Bancária

Manual de Conciliação Bancária Manual de Conciliação Bancária Índice Conciliação Bancária... 2 O módulo de Conciliação Bancária no SIGEF... 3 Conciliação Bancária Extrato Bancário... 5 Fazendo a Conciliação Bancária Extrato Bancário...

Leia mais

SINOREG-SP GESTOR DO FUNDO DE CUSTEIO DO REGISTRO CIVIL

SINOREG-SP GESTOR DO FUNDO DE CUSTEIO DO REGISTRO CIVIL SINOREG-SP GESTOR DO FUNDO DE CUSTEIO DO REGISTRO CIVIL MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA COMPENSAÇÃO DOS ATOS GRATUITOS E DA COMPLEMENTAÇÃO DA RECEITA MÍNIMA DOS CARTÓRIOS DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS

Leia mais

Manual de Desenvolvimento das Atividades

Manual de Desenvolvimento das Atividades Manual de Desenvolvimento das Atividades ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 1. Apresentação 2. Quais os objetivos do Mais Cultura nas Escolas? 3. Sobre os recursos: PDDE QUALIDADE/Mais Cultura nas Escolas 3.1. Como

Leia mais

Art. 2º. Fazer publicar esta Portaria em Boletim de Serviço, revogando-se a Portaria 577/05-R, de 05 de dezembro de 2005.

Art. 2º. Fazer publicar esta Portaria em Boletim de Serviço, revogando-se a Portaria 577/05-R, de 05 de dezembro de 2005. PORTARIA 328/R-06 DE 22 DE JUNHO DE 2006. O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso da competência que lhe foi atribuída pelo artigo 39, inciso XX, do Regimento Geral da UFRN; CONSIDERANDO

Leia mais

Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS

Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS Versão Fevereiro/2013 Índice PCS - Módulo de Prestação de Contas...3 Acesso ao Módulo PCS...3 1. Contas financeiras...5 1.1. Cadastro de

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE COMPRAS

PROCEDIMENTOS DE COMPRAS PROCEDIMENTOS DE COMPRAS Estas instruções têm como objetivo a padronização dos procedimentos para a realização das compras de materiais de consumo, bens permanentes e prestações de serviços necessários

Leia mais

INSTRUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 01/2006, ATUALIZADA EM 7 DE FEVEREIRO 2012

INSTRUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 01/2006, ATUALIZADA EM 7 DE FEVEREIRO 2012 INSTRUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 01/2006, ATUALIZADA EM 7 DE FEVEREIRO 2012 REGRAS E CRITÉRIOS PARA O FUNCIONAMENTO DAS OPERAÇÕES DE CONTAS A PAGAR ATRAVÉS DA FADEX TERESINA PI, FEVEREIRO DE 2012 INSTRUÇÃO

Leia mais

O que determina a Instrução Normativa (IN) nº 1.343?

O que determina a Instrução Normativa (IN) nº 1.343? N 1.343 PERGUNTAS E RESPOSTAS 1 O que determina a Instrução Normativa (IN) nº 1.343? A IN permite aos participantes, que iniciaram o recebimento do benefício de aposentadoria ou resgate no período de 01/01/2008

Leia mais

GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS

GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS Sumário 1. Introdução... 2 2. Início Portal Coordenador... 2 2.1. Novos Pedidos... 2 2.2. Pendências... 3 2.3. Menu... 4 2.4. Sair... 4 3. Saldo de Projetos... 5 4. Extrato

Leia mais

FIN. 03 - ARRECADAÇÃO MACROPROCESSO FINANCEIRO PROCESSO ARRECADAÇÃO

FIN. 03 - ARRECADAÇÃO MACROPROCESSO FINANCEIRO PROCESSO ARRECADAÇÃO 1 de 25 msgq FIN. 03 - ARRECADAÇÃO MACROPROCESSO PROCESSO ARRECADAÇÃO FIN. 03 - ARRECADAÇÃO 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1. DEFINIÇÃO DO

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA CCA

MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA CCA MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA CCA Versão.0 Sistema de Controle de Concessão de Adiantamentos Sumário O Sistema CCA ----------------------------------------------------- 3 Iniciando a operacionalização do

Leia mais

Informações inerentes à renovação de matrícula para o ano letivo de 2016.

Informações inerentes à renovação de matrícula para o ano letivo de 2016. Vitória/ES, 02 de outubro de 2015. Informações inerentes à renovação de matrícula para o ano letivo de 2016. Senhores Pais ou Responsáveis, Informamos que o Contrato de Prestação de Serviços Educacionais

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS COMPRADORES E FORNECEDORES FUNDAÇÃO DE APOIO À UNIFESP

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS COMPRADORES E FORNECEDORES FUNDAÇÃO DE APOIO À UNIFESP MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS COMPRADORES E FORNECEDORES FUNDAÇÃO DE APOIO À UNIFESP 2015 ÍNDICE 1. Introdução... 2 2. Dos Objetivos Específicos... 2 3. Dos Envolvidos

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos sociais. O edital destina-se às organizações

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Administração é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 18 DE 21 DE MAIO DE 2013.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 18 DE 21 DE MAIO DE 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 18 DE 21 DE MAIO DE 2013. Dispõe sobre a destinação de recursos financeiros, nos moldes operacionais

Leia mais

2- TRANSFERÊNCIAS REALIZADAS ÀS INSTITUIÇÕES POR INTERMÉDIO DE CONVÊNIOS

2- TRANSFERÊNCIAS REALIZADAS ÀS INSTITUIÇÕES POR INTERMÉDIO DE CONVÊNIOS MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA INSTITUIÇÕES DE APLICAÇÃO DE RECURSOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CONVÊNIOS FIRMADOS COM A SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E ESPORTES SEDESE. 1 - INTRODUÇÃO Este

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação a conceitos, objetivos e finalidades da contabilidade, julgue os itens que se seguem. 51 Auxiliar um governo no processo de fiscalização tributária é uma das finalidades

Leia mais

Perguntas Frequentes. Atração de Jovens Talentos BJT

Perguntas Frequentes. Atração de Jovens Talentos BJT Perguntas Frequentes Atração de Jovens Talentos BJT Diretoria de Relações Internacionais Coordenação-Geral de Bolsas e Projetos CGBP Coordenação de Acompanhamento de Bolsistas no Exterior CBE Brasília,

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS

SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS Manual do Usuário: SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS Em 2013 foi adquirido o Sistema de Gerenciamento de Bibliotecas Pergamum para todas Bibliotecas do IFRS. A implantação está sendo feita de acordo com as

Leia mais

Documentos para o processo seletivo ProUni 200902

Documentos para o processo seletivo ProUni 200902 Documentos para o processo seletivo ProUni 200902 Os alunos pré-selecionados deverão marcar horário para entrevista através do telefone (51)3586.89.01, ficando ciente que a documentação abaixo deverá ser

Leia mais

EDITAL 01/2015.2 DE CONCURSO. IV Workshop da Escola de Engenharia e Ciências Exatas UnP Campus Mossoró

EDITAL 01/2015.2 DE CONCURSO. IV Workshop da Escola de Engenharia e Ciências Exatas UnP Campus Mossoró EDITAL 01/2015.2 DE CONCURSO CONCURSO DE IDEIAS InovAÇÃO: Concurso Fachada da UnP do Campus Mossoró IV Workshop da Escola de Engenharia e Ciências Exatas UnP Campus Mossoró 1. APRESENTAÇÃO A Universidade

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE NUTRIÇÃO CURRÍCULO 2 I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE NUTRIÇÃO CURRÍCULO 2 I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE NUTRIÇÃO CURRÍCULO 2 I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Nutrição é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 14/2014

NOTA TÉCNICA Nº 14/2014 NOTA TÉCNICA Nº 14/2014 Brasília, 10 de junho de 2014. ÁREA: Contabilidade Municipal TÍTULO: Transferências Obrigatórias para Municípios em situação de emergência - SE ou estado de calamidade pública/ecp

Leia mais

1 BNDES. 1. ENCAMINHAMENTO DA OPERAÇÃO AO BNDES. A operação poderá ser encaminhada ao BNDES por meio de FRO Consulta ou Consulta Prévia.

1 BNDES. 1. ENCAMINHAMENTO DA OPERAÇÃO AO BNDES. A operação poderá ser encaminhada ao BNDES por meio de FRO Consulta ou Consulta Prévia. Capítulo III PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS Os Procedimentos Operacionais contemplam as etapas de Encaminhamento da Operação (Item 1), Aprovação (Item 2), Contratação (Item 3), Liberação (Item 4), Prestação

Leia mais

PEME PROGRAMA DE ENRIQUECIMENTO DA MERENDA ESCOLAR PROCEDIMENTOS DO ADIANTAMENTO

PEME PROGRAMA DE ENRIQUECIMENTO DA MERENDA ESCOLAR PROCEDIMENTOS DO ADIANTAMENTO PROGRAMA DE ENRIQUECIMENTO DA MERENDA ESCOLAR PROCEDIMENTOS DO ADIANTAMENTO 2014 A verba é liberada na forma de adiantamento para um responsável na unidade escolar que ficará encarregado de efetuar as

Leia mais

Manual de Processo Cobrança de despesas reembolsáveis pelos clientes

Manual de Processo Cobrança de despesas reembolsáveis pelos clientes T Manual de Processo Cobrança de despesas reembolsáveis pelos clientes Processos e Conformidade Novembro/2014 Rev.0 3/18/2015 1 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...3 2 ABRANGÊNCIA...3 3 DESENHO...4 4 PASSO A PASSO...5

Leia mais

MANUAL DE CONTRATOS PÚBLICOS

MANUAL DE CONTRATOS PÚBLICOS 2013 MANUAL DE CONTRATOS PÚBLICOS UNIPAMPA Pró-Reitoria de Administração 12/02/2013 APRESENTAÇÃO Este Manual destina-se a orientar sobre procedimentos de contratações de serviços (terceirizados; energia

Leia mais

MANUAL CONTRATAÇÃO DE EVENTOS PRÉ EVENTO A) ELABORAÇÃO DA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA E TRÂMITES PARA CONTRATAÇÃO DA EMPRESA

MANUAL CONTRATAÇÃO DE EVENTOS PRÉ EVENTO A) ELABORAÇÃO DA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA E TRÂMITES PARA CONTRATAÇÃO DA EMPRESA MANUAL CONTRATAÇÃO DE EVENTOS PRÉ EVENTO A) ELABORAÇÃO DA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA E TRÂMITES PARA CONTRATAÇÃO DA EMPRESA 1) Reunião Prévia (Responsável: Secretaria Demandante) Solicitação de Contratação,

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

SISTEMA DE GESTÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS SISTEMA DE GESTÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS (SiGPC) CONTAS ONLINE MANUAL DO USUÁRIO Atualização: 17/09/2012 Esse manual foi produzido para orientar os usuários do Sistema de Gestão de Prestação de Contas

Leia mais

INFORMAÇÃO IMPORTANTE

INFORMAÇÃO IMPORTANTE INFORMAÇÃO IMPORTANTE CONTRIBUIÇÕES JANEIRO/1989 A DEZEMBRO/1995. INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1.343/2013 Entre o período de janeiro de 1989 a dezembro de 1995, as contribuições efetuadas pelos participantes

Leia mais

Calendário de Matrícula 2º Semestre de 2015 Calendário para Assinatura do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais e do Plano de Estudos

Calendário de Matrícula 2º Semestre de 2015 Calendário para Assinatura do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais e do Plano de Estudos Calendário de Matrícula 2º Semestre de 2015 Calendário para Assinatura do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais e do Plano de Estudos 1/7 Direito 2/7 Ciência da Computação, Sistemas de Informação,

Leia mais

Programa NOSSABOLSA. Manual. Procedimentos

Programa NOSSABOLSA. Manual. Procedimentos Programa NOSSABOLSA Manual de Procedimentos Instituições de Ensino Superior - IES - 1 1 - Adesão da Mantenedora ao Programa...4 1.1 - Informações preliminares...4 1.2 - Requerimento...4 1.2.1 - Para aderir

Leia mais

ORIENTAÇÃO BÁSICA PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR

ORIENTAÇÃO BÁSICA PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR MINISTÉRIO PÚBLICO DE PERNAMBUCO Procuradoria Geral de Justiça Secretaria Geral do Ministério Público Coordenadoria Ministerial de Apoio Técnico e Infraestrutura Gerência Ministerial de Contabilidade ORIENTAÇÃO

Leia mais

ATA DE REUNIÃO CONDOMÍNIO TERRA BRASILIS

ATA DE REUNIÃO CONDOMÍNIO TERRA BRASILIS ATA DE REUNIÃO CONDOMÍNIO TERRA BRASILIS Data: 17/04/2007 Local: Construtora e Imobiliária Expansão Ltda. Av. Herval, 150 Início: 17:30h Coordenador: Alexandre Guimarães Nicolau Participantes: Representantes

Leia mais

SAN.A.IN.NA 34. É aplicada a todos os Setores da SANASA e aos Fornecedores vencedores das licitações.

SAN.A.IN.NA 34. É aplicada a todos os Setores da SANASA e aos Fornecedores vencedores das licitações. ISO 91 1 / 5 SUMÁRIO: 1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3. CONCEITOS BÁSICOS 4. LOCAL PARA EFETUAR O RECEBIMENTO E CONSULTA DA AUTORIZAÇÃO DE FORNECIMENTO 5. PROCEDIMENTOS PARA O RECEBIMENTO DA AUTORIZAÇÃO

Leia mais

2 Quando da seleção prevista no parágrafo anterior as respectivas Secretarias de Educação deverão observar os seguintes critérios:

2 Quando da seleção prevista no parágrafo anterior as respectivas Secretarias de Educação deverão observar os seguintes critérios: Resoluções Resolução/CD/FNDE nº 31, de 22 de julho de 2013 Dispõe sobre a destinação de recursos financeiros, nos moldes operacionais e regulamentares do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), às escolas

Leia mais

Desoneração da Folha de Pagamento

Desoneração da Folha de Pagamento Instruções de Configuração e Uso Pré-requisitos para adequação do Sistema para o Cálculo da Contribuição Previdenciária sobre o Faturamento. Estes procedimentos são realizados nos módulos: Fiscal (SIGAFIS)

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA DO MUNICÍPO DE URUPÁ Palácio Senador Ronaldo Aragão PROCURADORIA JURÍDICA

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA DO MUNICÍPO DE URUPÁ Palácio Senador Ronaldo Aragão PROCURADORIA JURÍDICA LEI Nº 581/2013 DE 18 DE SETEMBRO DE 2013. Dispõe sobre a criação do Programa de Gestão Financeira Escolar ESCOLA FORTE, orienta sua implantação e adota outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE

Leia mais

GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO

GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO Edital Nº 14/2015 - PROPA PROGRAMA DE APOIO FINANCEIRO PARA PARTICIPAÇÃO DOS SERVIDORES TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA (UFSB) EM CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

Considerando a necessidade de promover o efetivo acompanhamento dos contratos de materiais e serviços no âmbito da Administração Pública Estadual;

Considerando a necessidade de promover o efetivo acompanhamento dos contratos de materiais e serviços no âmbito da Administração Pública Estadual; INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 02/SEA - de 25/03/2013 Orienta quanto à utilização do Módulo de Gerenciamento de Contratos do Sistema Integrado de Planejamento e Gestão Fiscal do Estado de Santa Catarina SIGEF

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA GESTÃO DO TRABALHO FRENQUENTLY ANSWER QUESTIONS (FAQ S) ATIVIDADES PARA FORMAÇÃO

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA GESTÃO DO TRABALHO FRENQUENTLY ANSWER QUESTIONS (FAQ S) ATIVIDADES PARA FORMAÇÃO PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA GESTÃO DO TRABALHO FRENQUENTLY ANSWER QUESTIONS (FAQ S) ATIVIDADES PARA FORMAÇÃO 1 FORMAÇÃO 1.1 O que é formação? Todas atividades relacionadas ao processo de educação, que

Leia mais

Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação / CREDE 12 Quixadá/CE E-mail: gerlania.oliveira@crede12.seduc.ce.gov.br

Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação / CREDE 12 Quixadá/CE E-mail: gerlania.oliveira@crede12.seduc.ce.gov.br Carta Convite Nº 0017/2015 Natureza da Despesa: Manutenção e Conservação de Bens e imóveis Fonte do Recurso: Função Programática nº 22100022.12.122.500.28114.2200000.33903900.00.0.20-4816 Data da Emissão:

Leia mais

Manual das planilhas de Obras v2.5

Manual das planilhas de Obras v2.5 Manual das planilhas de Obras v2.5 Detalhamento dos principais tópicos para uso das planilhas de obra Elaborado pela Equipe Planilhas de Obra.com Conteúdo 1. Gerando previsão de custos da obra (Módulo

Leia mais

Internet Banking. Outubro - 2012

Internet Banking. Outubro - 2012 Internet Banking Outubro - 2012 1 Índice 1. Início... Pg. 4 2. Menu Home... Pg. 5 3. Menu Conta Corrente... Pg. 7 3.1 Extratos Conta Corrente... Pg. 8 3.2 Extratos de Tarifas...Pg. 9 3.3 Informações Complementares...

Leia mais

REGULAMENTO BACEN JUD 2.0

REGULAMENTO BACEN JUD 2.0 REGULAMENTO BACEN JUD 2.0 Finalidade da Regulamentação ARTIGO 1º - A presente regulamentação visa a disciplinar a operacionalização e utilização do sistema BACEN JUD 2.0, bem como padronizar os procedimentos

Leia mais

Fundação de Apoio à Capacitação em Tecnologia da Informação - Facti PROCEDIMENTO DA QUALIDADE PROCEDIMENTO DE AQUISIÇÃO DE SUPRIMENTOS E SERVIÇOS

Fundação de Apoio à Capacitação em Tecnologia da Informação - Facti PROCEDIMENTO DA QUALIDADE PROCEDIMENTO DE AQUISIÇÃO DE SUPRIMENTOS E SERVIÇOS Fundação de Apoio à Capacitação em Tecnologia da Informação - Facti PROCEDIMENTO DA QUALIDADE PROCEDIMENTO DE AQUISIÇÃO DE SUPRIMENTOS E SERVIÇOS Código Revisão Confidencialidade Data Página PQ-0002 Rev.

Leia mais

Perguntas e respostas frequentes

Perguntas e respostas frequentes Perguntas e respostas frequentes 0 Perguntas e respostas frequentes 1) O que fazer para me cadastrar no SIMEC? R: Acesse o site: simec.mec.gov.br. No canto superior direito onde existe a opção de acessar

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 44. Demonstrações Combinadas

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 44. Demonstrações Combinadas COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 44 Demonstrações Combinadas Índice OBJETIVO E ALCANCE 1 DEFINIÇÕES, FORMA E CONTEÚDO DAS DEMONSTRAÇÕES COMBINADAS Item 2 12 Demonstrações

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 003/2015

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 003/2015 POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 003/2015 1. ABERTURA O Diretor Geral do IFBA Campus Jacobina, no uso de suas atribuições, faz saber que,

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO E MBA EXECUTIVO

GUIA DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO E MBA EXECUTIVO GUIA DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO E MBA EXECUTIVO INÍCIO DO CURSO - Por se tratar de um modelo de ensino individualizado e exclusivo, não é necessário a formação de turmas, e o Aluno pode

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Nº 001/2015.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Nº 001/2015. INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Nº 001/2015. DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS MEDIANTE LICITAÇÃO, INCLUSIVE DISPENSA E INEXIGIBILIDADE,

Leia mais

Programa de Apoio à Organização de Eventos das Associações ou Sociedades Técnico Científicas e Institutos de Pesquisa

Programa de Apoio à Organização de Eventos das Associações ou Sociedades Técnico Científicas e Institutos de Pesquisa Chamada Pública 15/2014 Programa de Apoio à Organização de Eventos das Associações ou Sociedades Técnico Científicas e Institutos de Pesquisa A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico

Leia mais

3.3 Linhas de ação 3.3.1 3.3.2 Informações sobre programas 3.4 Proponente 3.4.1 3.4.2 3.5 Submissão

3.3 Linhas de ação 3.3.1 3.3.2 Informações sobre programas 3.4 Proponente 3.4.1 3.4.2 3.5 Submissão EDITAL Nº. 01/2014 - SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFISSIONAIS DO MAGISTÉRIO DA EDUCAÇÃO BÁSICA REFERENTE À AÇÃO 20RJ DO MEC O COMITÊ GESTOR INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

ebook Grátis - Limpe seu nome passo a passo

ebook Grátis - Limpe seu nome passo a passo www.consultacpfonline.com.br ebook Grátis - Limpe seu nome passo a passo 2 1 - Cheque sem fundo O que é? O cheque é um título de crédito e também uma ordem de pagamento à vista. É considerado um título

Leia mais