CÓDIGO DE CONDUTA DA FIBRA ASSET MANAGEMENT DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. PARA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CÓDIGO DE CONDUTA DA FIBRA ASSET MANAGEMENT DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. PARA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO"

Transcrição

1 CÓDIGO DE CONDUTA DA FIBRA ASSET MANAGEMENT DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. PARA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO FIBRA ASSET MANAGEMENT DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA., ( FIBRA Asset ), na qualidade de instituição integrante do sistema de distribuição, cumprirá as regras dispostas na Instrução CVM nº 497, de 03 de junho de 2011, alterada parcialmente pela Instrução CVM 515, de 29 de Dezembro de 2011 ( Instrução CVM 497 ) e no Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento ( Código ANBIMA ) ao contratar Agentes Autônomos de Investimento, além de primar pela conduta ética e idônea de todos os profissionais a ela vinculados. Em atendimento às disposições acima, a FIBRA Asset elaborou um conjunto de políticas ( Código de Conduta ), que devem ser seguidas pelos Agentes Autônomos de Investimento, pessoas físicas ou jurídicas, em relação a FIBRA Asset e aos seus clientes, independentemente dos clientes terem sido apresentados a FIBRA Asset pelos Agentes Autônomos de Investimento ou contratados diretamente pela FIBRA Asset. I. OBJETIVO 1.1. O objetivo deste Código é estabelecer as Diretrizes mínimas que serão seguidas pelos Agentes Autônomos seus sócios e/ou funcionários ( AAI ) vinculados à FIBRA Asset para execução das atividades envolvidas na distribuição de cotas de fundos por ela administrados, tudo em consonância com a regulamentação e auto-regulamentação em vigor O Agente Autônomo de investimento vinculado à Fibra Asset para atuar na distribuição de cotas de fundos, desenvolverá as atividades necessárias, limitando-se aos processos de: (i) prospecção e captação de clientes; (ii) recepção e registro de ordens e transmissão dessas ordens para os sistemas de negociação ou de registro cabíveis; e (iii) prestação de informações sobre os produtos oferecidos e sobre os serviços prestados pela instituição integrante do sistema de distribuição de valores mobiliários pela qual tenha sido contratado. 1

2 1.3. Este Código não pretende descrever toda e qualquer lei ou política que se aplica especificamente aos AAI, nem tenta contemplar todas as situações que o AAI poderá encontrar nos negócios O Código apresenta a estrutura básica e define as expectativas para a conduta empresarial. Deixar de cumprir tais padrões poderá expor o AAI a riscos elevados. II. APLICABILIDADE 2.1. O presente Código de Conduta aplica-se a todos os AAI vinculados à FIBRA Asset por meio de Contrato de Prestação de Serviços Para Distribuição e Mediação de Valores Mobiliários ( Contrato ) O Código aplica-se a todos os sócios e funcionários de uma empresa de Agente Autônomo de Investimento, que deverão aderir formalmente ao Código, através do Termo de Adesão presente no Anexo I. III. PADRÕES MÍNIMOS DE CONDUTA E VEDAÇÕES 3.1. Para o exercício da atividade de Agente Autônomo de Investimento, o AAI deverá obter registro na Comissão de Valores Mobiliários ( CVM ), ser credenciado por entidade credenciadora autorizada pela CVM ( Entidade Credenciadora ) e estar vinculado à FIBRA Asset por meio de contrato escrito, observando todos os termos previstos na regulamentação que regula tal atividade, em especial a Instrução CVM 497 e o Código ANBIMA, bem como ser aderente ao Código de Conduta da Entidade Credenciadora Além dos requisitos legais para o exercício da função de Agente Autônomo de Investimento, o AAI deve observar as regras e procedimentos internos estabelecidos pela FIBRA Asset, especialmente aqueles que definem os seus padrões éticos e valores Entende-se por ético o comportamento correto, que consiste em atuar sem prejudicar os outros e de acordo com os valores morais da FIBRA Asset Assim, o AAI deve observar regras de conduta e padrões éticos no desenvolvimento de suas atividades, destacando as seguintes: (i) empregar, no exercício de sua atividade, o cuidado e a diligência que todo homem ativo e probo costuma dispensar à administração de seus próprios negócios, e tal conduta é exigida tanto para com os clientes como para com a FIBRA Asset; 2

3 (ii) abster-se da prática de atos que possam ferir a relação fiduciária entre os clientes e a FIBRA Asset; (iii) zelar pelo sigilo de informações confidenciais a que tenha acesso no exercício de sua função; (iv) agir com integridade, diligência, competência, respeito e ética para com seus clientes, seus colegas de profissão, seus empregados, seus contatos na FIBRA Asset, seus clientes potenciais, o público em geral e qualquer outro participante do mercado de valores mobiliários com os quais venha a interagir no exercício de sua atividade; (v) praticar e encorajar a prática dos mais altos padrões éticos, dentro e fora do ambiente de trabalho; (vi) buscar se atualizar e incrementar os seus conhecimentos sobre produtos e serviços do mercado financeiro e de capitais, bem como acerca da regulamentação vigente relacionada à sua atividade e aos produtos e serviços cuja distribuição intermedia. (vii) oferecer aos clientes produto compatível com suas necessidades e adequados ao seu perfil, adotando procedimentos claros para sua identificação; (vii) veicular material referente ao produto oferecido, devidamente aprovado pela instituição contratante, no caso a FIBRA Asset; (viii) informar expressamente ao mercado e aos clientes, quanto ao relacionamento de contratado como AAI pela FIBRA Asset; e (ix) fornecer à FIBRA Asset toda a documentação e informação cadastral dos clientes Os requisitos aqui elencados são exemplificativos, sendo que outros poderão ser exigidos independentemente de constarem no presente Código de Conduta, viabilizando assim a adequação às práticas e condutas exigidas pelo mercado Ao AAI contratado pela FIBRA Asset fica vedado: (i) receber de investidores ou em nome de investidores, ou a eles entregar, por qualquer razão e inclusive a título de remuneração pela prestação de quaisquer serviços, numerário, títulos ou valores mobiliários ou outros ativos; (ii) ser procurador ou representante de seus investidores, perante instituições integrantes do sistema de distribuição de valores mobiliários para quaisquer fins; (iii) contratar com os investidores ou prestar, ainda que a título gratuito, serviços de (i) análise ou consultoria de valores mobiliários; e (ii) administração de carteira de valores mobiliários; 3

4 (iv) aconselhar os investidores a realizar negócio com a finalidade de obter, para si ou para outrem, vantagem indevida; (v) atuar por conta e ordem de instituição pela qual não seja contratado; (vi) recusar-se a apresentar documento de identificação que ateste a sua qualidade de AAI; (vii) delegar a terceiros, total ou parcialmente, a execução dos serviços objeto da presente Política; (viii) repassar aos investidores, mesmo que indiretamente, no todo ou em parte, a remuneração que venha receber pela distribuição das cotas dos fundos; (ix) a utilização de qualquer instituto jurídico ou estrutura de produto, cuja implicação econômica, de forma direta ou indireta, resulte em desconto, abatimento ou redução artificial de taxa de administração, performance e/ou qualquer outra taxa que venha a ser cobrada pelos fundos; (x) usar senhas ou assinaturas eletrônicas de uso exclusivo do cliente para transmissão de ordens por meio de sistema eletrônico; (xi) confeccionar e enviar para os investidores extratos contendo informações sobre as operações realizadas ou posições em aberto; (xii) adotar logotipos ou sinais distintivos próprios do AAI desacompanhados da identificação da FIBRA Asset; (xiii) referir-se à sua relação com a FIBRA Asset por meio de expressões que dificultem a compreensão da natureza do vínculo existente entre o AAI e a FIBRA Asset, como "parceira", "associada" ou "afiliada", inclusive na página do AAI na rede mundial de computadores e em apostilas ou qualquer outro material utilizado em cursos e palestras ministrados pelos sócios do AAI; e (xiv) veicular qualquer material informativo ou de publicidade sem a prévia revisão e aprovação da FIBRA Asset. IV. RESPONSABILIDADE PARA COM NOSSOS CLIENTES 4.1. Sigilo das Informações No desenvolvimento de sua atividade o AAI terá acesso aos dados dos clientes por ele apresentados à FIBRA ASSET cujo sigilo é protegido por lei e, assim sendo, são confidenciais e devem ser acessados apenas por pessoas que, em virtude da atividade desempenhada, precisem deles ter conhecimento. 4

5 O AAI é responsável por garantir a privacidade, confidencialidade e controle de acesso a todas as informações de clientes, devendo observar: (i) coleta de informação de clientes deve ser controlada. Isto significa que a coleta de tal informação deve ser permitida sob os termos da lei e apenas para finalidades legítimas; (ii) armazenagem e transporte de todos os formulários com informações coletadas de clientes devem ser controlados e protegidos. Isto significa que a informação coletada deve ser mantida em ambiente seguro, transportada por pessoas autorizadas e acesso à mesma permitido somente a quem realmente necessitar consultá-la para o desempenho de sua função; (iii) o descarte de informações de clientes deve ser controlado. O AAI só deve reter informações pelo período necessário para que se preste o serviço ou entregue o produto e respeitando os períodos de retenção aplicáveis. Quando se fizer necessário o descarte de informação (independente da mídia em que a informação estiver armazenada) deve proceder a tal descarte de maneira apropriada à importância e sigilo da informação. (iv) qualquer vazamento de informações de clientes deve ser relatado. (v) se o AAI tem ciência ou suspeita de que informações de clientes ou de funcionários foram perdidas, roubadas ou extraviadas, ou que houve acesso não autorizado a tal informação, ele deve comunicar imediatamente a FIBRA Asset Tratamento Equitativo O AAI deverá dar aos clientes por ele atendidos tratamento equitativo, sem beneficiar um cliente em detrimento de outros. Assim sendo, condutas que configurem má-prática de mercado e até mesmo crime, tais como manipulação de mercado, sonegação de informações essenciais aos clientes para sua tomada de decisão, utilização de informações confidenciais e privilegiadas em benefício próprio ou de outrem, distorção de fatos materiais ou outras negociações ou práticas desonestas, são absolutamente inaceitáveis pela FIBRA Asset Conflito de Interesses As ações executadas na condução dos negócios de AAI devem ser pautadas pela idoneidade, visando eliminar qualquer potencial conflito de interesse que eventualmente possa ocorrer. Para isso as ações de seus funcionários não podem ser guiadas por interesses ou ganhos pessoais, mas devem ser regidas pelo compromisso com a qualidade dos serviços prestados aos clientes, sempre prestados honestamente. 5

6 Nenhum cliente deve ter tratamento privilegiado em detrimento de outro, por qualquer razão que seja, devendo o relacionamento com todos os clientes ser objetivo e equânime Sempre que o AAI se deparar com uma situação de potencial conflito de interesses, ele deverá buscar o aconselhamento adequado junto à área de Compliance da FIBRA Asset, antes de tomar qualquer atitude ou realizar qualquer operação. V RESPONSABILIDADE COM A FIBRA ASSET 5.1. Uso do nome, sistemas e informação corporativa da FIBRA Asset É vedada a utilização da marca, logotipo e/ou sinais distintivos do próprio AAI ou da pessoa jurídica de que ele seja sócio, desacompanhados da identificação da FIBRA Asset com no mínimo igual destaque; É vedada ainda a referência à relação com a FIBRA Asset por meio de expressões que dificultem a compreensão da natureza do vínculo existente entre o AAI e a FIBRA Asset, tais como parceria, associada ou afiliada A utilização de todo e qualquer material e ferramentas, incluindo, mas não se limitando a sistemas, material de marketing, material de treinamento, impressos ou afins, disponibilizados pela FIBRA Asset ao AAI em razão do contrato de prestação de serviços que objetive a distribuição e intermediação na distribuição de quotas de fundos de investimentos, deverá ocorrer exclusivamente para o desenvolvimento das atividades relacionadas ao objeto do mencionado contrato, devendo ser utilizados sempre em benefício da FIBRA Asset e de seus clientes O AAI tem acesso a sistemas e informações corporativas para que possa exercer sua função. Este acesso significa que ele também tem a obrigação de usar tais sistemas de forma responsável e proteger tais informações e sistemas Jamais devem ser enviados dados confidenciais ou de grande importância através da Internet ou de sistemas telefônicos sem proteger tal informação O AAI não deve ter qualquer expectativa de privacidade ao usar tais sistemas, pois recebeu acesso aos mesmos apenas para conduzir negócios legítimos da FIBRA Asset e esperase dele que os use de maneira profissional e responsável. A FIBRA Asset se reserva o direito de interceptar, monitorar e registrar sua comunicação através de tais sistemas, dentro da lei. 6

7 Espera-se que o AAI proteja a segurança de tais sistemas, obedecendo às regras de acesso e uso adequado (tal como manter senhas pessoais e intransferíveis) Comunicações É essencial para a reputação da FIBRA Asset, que exerçamos o julgamento adequado e o bom senso em cada medida que tomamos, e que consideremos todos os aspectos do potencial impacto das transações em que nos envolvemos. Assim, faz parte das responsabilidades dos AAI reportarem à FIBRA Asset qualquer preocupação de risco de negócio com potencial risco para a reputação da FIBRA Asset. Para tanto a área de Compliance está disponível para auxiliar e orientar os AAI em qualquer questão A FIBRA Asset espera contar ainda com a cooperação de seus AAI em quaisquer investigações, internas ou externas, especialmente por parte de órgãos reguladores, Poder Judiciário e Receita Federal, incluindo, investigações que envolvem questões éticas O AAI deve reportar à FIBRA Asset informações por ele tidas como relevantes Conheça seu cliente e perfil de risco A regulamentação em vigor exige das Distribuidoras e dos AAI especial atenção na abertura de conta de seus clientes e no acompanhamento da origem dos recursos do cliente, na sua movimentação e na adequação ao seu perfil de risco. Por esta razão, a FIBRA Asset e o AAI devem conhecer o seu cliente. Para tanto, alguns cuidados devem ser tomados e procedimentos devem ser observados, cabendo ao AAI, que é responsável pelo cliente que apresenta à FIBRA Asset, adotar as seguintes medidas: (i) selecionar criteriosamente os clientes que apresentar à FIBRA Asset. Antes de iniciar as operações o AAI deverá orientar ao cliente sobre os riscos inerentes ao mercado de fundos de investimentos, assim como as regras sobre as operações; (ii) o AAI deve conhecer a carteira do cliente por ele apresentado e certificar-se de que a expectativa do cliente em relação aos seus investimentos efetuados ou pretendidos são compatíveis, sendo tal procedimento denominado Suitability ; (iii) o AAI deve informar adequadamente o cliente sobre os riscos de cada produto e oferecer apenas produtos adequados ao perfil do cliente e que sejam por ele compreendidos em relação às suas regras e riscos associados; (iv) informar ao cliente que a decisão de investimento ou realização da operação é sempre dele. Este é um ponto muito importante, pois a atividade de Agente Autônomo de 7

8 Investimento não se confunde com a atividade de gestão ou administração de carteira, e a CVM proíbe ao AAI vinculado a uma instituição o exercício de gestão ou administração de carteira. (v) acompanhar as operações dos clientes, tanto no que diz respeito a sua correta execução quanto à sua liquidação. Orientar o cliente quanto aos acessos disponibilizados pela FIBRA Asset para obtenção de informações, a saber: SAC, atendimento ao cliente, informações on line, telefones dos departamentos com os quais o cliente pode interagir quando o AAI estiver ausente, bem como informar ao cliente sobre as informações disponíveis a ele, tais como, extratos e outros; e (vi) atentar para a adequação dos produtos que o cliente tenha adquirido ou que pretenda adquirir à sua capacidade financeira Procedimentos de prevenção à lavagem de dinheiro Lavagem de dinheiro é o processo de inserir recursos advindos de atividade ilícita no sistema financeiro para que esses recursos pareçam legítimos, e, portanto, entrem na corrente do comércio É responsabilidade do AAI a correta identificação do cliente, através do completo preenchimento da Ficha Cadastral e a respectiva atualização a cada 24 meses É responsabilidade do AAI, também, comunicar à área de Compliance sempre que uma situação e/ou operação apresentar indícios de impropriedade mesmo que a operação não seja efetivada, lembrando que, neste caso, o cliente nunca deverá ser informado sobre a suspeita ou envio desta informação à Compliance Informação Privilegiada (Inside Information) A legislação proíbe a negociação de títulos e valores mobiliários (inclusive títulos de participação em sociedade comercial, títulos conversíveis, opções, obrigações e índice comum de ações que incluam os títulos) de qualquer empresa, enquanto estiver de posse de informações importantes, que não estejam em domínio público e que possam trazer lucro ou evitar perdas a quem as possui (também conhecidas como informações privilegiadas ) relacionadas com a empresa O AAI pode ter conhecimento sobre os negócios da empresa ou deter informação confidencial sobre os negócios de clientes estabelecidos, prospectivos ou ainda ex-clientes, fornecedores e funcionários. O AAI deve presumir que toda informação deste tipo é 8

9 confidencial e privilegiada e deve detê-la no mais estrito sigilo. Informação confidencial inclui toda informação não disponível ao público que pode ser útil para concorrentes ou cuja divulgação possa vir a ser prejudicial à empresa ou aos clientes A definição de informações importantes, que não estão em domínio público é abrangente. Vale lembrar que a informação é importante se um investidor de porte médio levar em consideração tais informações para decisão de investimento ou se as informações, caso sejam tornadas públicas, possam afetar o preço de mercado dos títulos e valores mobiliários de uma empresa Se o AAI estiver de posse de informação relevante privada sobre qualquer companhia, ele não pode negociar títulos de tal companhia para si próprio, nem para outros, inclusive clientes As consequências das infrações de negociações com informações privilegiadas podem ser severas incluindo a rescisão do Contrato, punições cíveis e/ou criminais, podendo inclusive culminar com o cancelamento pela CVM de sua autorização para o exercício da atividade Práticas anticorrupção e suborno O AAI não deve oferecer, prometer, dar qualquer coisa de valor (inclusive presentes), direta ou indiretamente, para um agente de governo ou qualquer autoridade, com o propósito de assegurar vantagem imprópria, para si ou para outrem Qualquer tentativa de dar dinheiro ou qualquer outro item de valor para influenciar as ações ou decisões de agentes do governo, inclusive na tentativa de receber tratamento especial para o funcionário mesmo (ou para seus familiares) ou para a empresa pode ser considerado como uma violação à lei. Violação de tais leis é uma ofensa grave, com penas significativas tanto para o funcionário quanto para a empresa Disponibilização e veiculação de material para oferta de produtos O AAI apenas deve disponibilizar e veicular material aprovado pela instituição contratante, FIBRA Asset, não apenas em relação ao formato como em relação ao conteúdo das informações Todo material mantido na página da web do AAI deve ser aprovado pela FIBRA Asset Em todo material de divulgação utilizado pelo AAI ou disponibilizado no seu site deve haver a referência aos fundos distribuídos pela FIBRA Asset a expressa indicação do canal da 9

10 Ouvidoria mencionado no material do Fundo (regulamento e/ou prospecto, quando houver) Autorização, Certificação e Qualificação Profissional O profissional deve buscar aprimoramento para o exercício de sua atividade, principalmente, em um mercado em constante evolução como o nosso O AAI que presta serviços à FIBRA Asset deve ter as certificações obrigatórias ao desempenho de suas atividades. Assim também todo e qualquer sócio ou funcionário que o AAI venha a empregar em sua empresa para o atendimento ao cliente deverá igualmente possuir as certificações exigidas antes de sua contratação O AAI deve informar à área responsável da FIBRA Asset toda e qualquer alteração em seu contrato social e/ou sua autorização para o exercício da função ou ainda suas certificações A FIBRA Asset espera que seus AAI possuam o necessário conhecimento da legislação pertinente à sua atividade e às atividades da FIBRA Asset, bem como que realizem processos de qualificação profissional e aprimoramento constante, inclusive os requeridos pelas Bolsas e a CVM Comprovação das Ordens Dadas pelo Cliente O AAI é responsável pela comprovação à FIBRA Asset da origem e da veracidade da emissão da ordem dada pelo cliente para a movimentação de seus investimentos nos fundos, seja para aplicação ou para resgate. VI. CONTROLES 6.1. É responsabilidade do AAI por solicitação da FIBRA Asset, apresentar documentação e evidências quanto ao disposto neste Código de Conduta, como para verificação e confirmação dos controles É responsabilidade de o AAI informar à FIBRA Asset sobre qualquer fragilidade nos controles ou desvio de conduta que possa prejudicar nossos clientes, a FIBRA Asset ou sua integridade pessoal e/ou profissional. Data da última revisão: São Paulo, 28 de setembro de

11 ANEXO I MINUTA TERMO DE ADESÃO Através do presente Termo de Adesão, (QUALIFICAÇÃO COMPLETA), declaro que li e compreendi todas as diretrizes estabelecidas no CÓDIGO DE CONDUTA FIBRA ASSET MANAGEMENT DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. PARA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTOS ( CÓDIGO DE CONDUTA ). Adicionalmente atesto que estou ciente que: (i) devo reportar prontamente à FIBRA Asset ou pessoa devidamente designada pelo mesmo, quaisquer violações do Código de Conduta; (ii) devo disponibilizar ao investidor documentos e informações atualizadas dos fundos de investimento; (iii) devo disponibilizar ao investidor informações sobre o serviço de atendimento aos cotistas dos fundos de investimento; (iv) devo comprovar a origem e veracidade da emissão de ordem do investidor para aplicação e resgate dos fundos de investimento. Esta declaração fica firmada através de minha assinatura abaixo., de de de AGENTE AUTÔNOMO 11

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO BANCO COOPERATIVO SICREDI S.A.

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO BANCO COOPERATIVO SICREDI S.A. CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO BANCO COOPERATIVO SICREDI S.A. Versão: Maio 2013 Página 1 Introdução Alinhado com o disposto na Instrução CVM nº 497/11 ( ICVM 497/11 ), o Banco

Leia mais

Código de Conduta. Agentes Autônomos

Código de Conduta. Agentes Autônomos Código de Conduta Agentes Autônomos Introdução e Aplicabilidade Este Código de Conduta ( Código ) estabelece diretrizes com relação à atuação dos Agentes Autônomos de Investimento ( Agentes Autônomos )

Leia mais

A Global e todos os seus Colaboradores comprometem-se a seguir os princípios abaixo como diretrizes de conduta em todas as suas relações:

A Global e todos os seus Colaboradores comprometem-se a seguir os princípios abaixo como diretrizes de conduta em todas as suas relações: POLÍTICAS CORPORATIVAS Assunto: Código de Ética e Conduta Objetivo O Código de Ética e Conduta objetiva estabelecer os princípios, conceitos e valores que orientam o padrão ético de todos os Colaboradores

Leia mais

CÓDIGO DE REGIME DE ATUAÇÃO DO AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTO

CÓDIGO DE REGIME DE ATUAÇÃO DO AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTO CÓDIGO DE REGIME DE ATUAÇÃO DO AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTO SUL AMÉRICA INVESTIMENTOS DTVM S.A. Versão Dezembro/2011 Sul América Investimentos DTVM S.A. Página 1 de 5 Código de Regime de Atuação do

Leia mais

NORMAS DE ATUAÇÃO DOS AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO

NORMAS DE ATUAÇÃO DOS AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO NORMAS DE ATUAÇÃO DOS AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO Versão: Maio 2013 Introdução Em atendimento à ICVM 497, artigo 17, Inciso I, o Banco Cooperativo Sicredi S.A. ( BANCO ) apresenta um conjunto de

Leia mais

Manual de Conduta INTRADER DTVM LTDA. MANUAL DE CONDUTA E MELHORES PRÁTICAS

Manual de Conduta INTRADER DTVM LTDA. MANUAL DE CONDUTA E MELHORES PRÁTICAS INTRADER DTVM LTDA. MANUAL DE CONDUTA E MELHORES PRÁTICAS VERSÃO 2012 ÍNDICE 1. Introdução 2. Das Obrigações dos Agentes Autônomos 3. Das Vedações 4. Do Termo de Recebimento, Ciência e Aceitação 1. Introdução

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS SUPORTE CORPORATIVO

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS SUPORTE CORPORATIVO 1. CONTEÚDO DESTE DOCUMENTO Contém os requisitos e diretrizes básicas para o contrato/distrato, as condições de credenciamento, as normas de conduta e as responsabilidades dos Agentes Autônomos de Investimento,

Leia mais

MANUAL DO AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS

MANUAL DO AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS MANUAL DO AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS Este Manual dispõe sobre os procedimentos e regras a serem observados pelos Agentes Autônomos de Investimentos ( AAIs ) vinculados à ICAP do Brasil CTVM ( ICAP

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGRAS PARA AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGRAS PARA AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS 1. INTRODUÇÃO MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGRAS PARA AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS Em atendimento à Instrução CVM nº 497, de 03 de junho de 2011], o presente Manual dispõe sobre os procedimentos e regras

Leia mais

REGRAS APLICÁVEIS AOS AAI SLW V1

REGRAS APLICÁVEIS AOS AAI SLW V1 REGRAS APLICÁVEIS AOS AAI SLW V1 Este documento vem em atendimento a Instrução CVM 497, de 03 de junho de 2011 e tem a finalidade de regular as atividades entre os agentes autônomos de investimentos e

Leia mais

Manual de Distribuição via Agente

Manual de Distribuição via Agente Manual de Distribuição via Agente 2015 Autônomo de Investimento Manual e Diretrizes de Atuação dos Agentes Autônomos de Investimento contratados pela Intrag DTVM Ltda para distribuição de cotas de fundos.

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA, MANUAL DE CONDUTA E PROCEDIMENTOS

CÓDIGO DE ÉTICA, MANUAL DE CONDUTA E PROCEDIMENTOS CÓDIGO DE ÉTICA, MANUAL DE CONDUTA E PROCEDIMENTOS A quem se destina este Manual Este manual reúne o conjunto de normas e procedimentos a serem seguidos por TODOS aqueles que trabalham na S.C.C.V.M. S/A,

Leia mais

CODIGO DE ÉTICA E CONDUTA

CODIGO DE ÉTICA E CONDUTA CODIGO DE ÉTICA E CONDUTA Revisão 1 Em vigor a partir de 30/05/2016 (em consonância com a ICVM 558, de 26/03/2015). I Introdução O presente Código de Ética e Conduta tem como objetivo estabelecer as diretrizes

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I PROPÓSITO E ABRANGÊNCIA Art. 1º - O objetivo deste Código de Regulação e Melhores Práticas ( Código ) é estabelecer

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA 1 ÍNDICE CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO... 3 1.1 Objetivo... 3 1.2 Abrangência... 3 1.3 Vigência... 3 1.4 Princípios... 3 1.5 Comitê de Ética e Conduta... 4 1.6 Disponibilidade... 4

Leia mais

Regras, Procedimentos e Controles Internos para Distribuição via Agentes Autônomos de Investimento

Regras, Procedimentos e Controles Internos para Distribuição via Agentes Autônomos de Investimento Regras, Procedimentos e Controles Internos para Distribuição via Agentes Autônomos de Investimento (em atendimento à Instrução CVM nº 497 de 2011) Vinci DTVM Fevereiro 2015 ÍNDICE 1. Definições... 3 2.

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO (Política de Voto para FII) SOMENTE PARA USO INTERNO Este material foi elaborado pela Leste Administração

Leia mais

No desenvolvimento de suas atividades, a SOCOPA observará os seguintes princípios básicos:

No desenvolvimento de suas atividades, a SOCOPA observará os seguintes princípios básicos: Princípios Éticos e Regras de Conduta 1. PRINCÍPIOS BÁSICOS NOS NEGÓCIOS da SOCOPA No desenvolvimento de suas atividades, a SOCOPA observará os seguintes princípios básicos: - pautará suas operações no

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO I - Aspectos Gerais... 2 II - Proteção da Informação... 2 III - Responsabilidades... 3 IV - Informações Confidenciais... 3 V - Informações Privilegiadas... 4

Leia mais

Norma para emissão de relatórios de análise de valores mobiliários sell side

Norma para emissão de relatórios de análise de valores mobiliários sell side O conteúdo deste documento é propriedade da BROOKFIELD BRASIL ASSET MANAGEMENT INVESTIEMENTOS LTDA.. Não pode ser reproduzido, armazenado ou transmitido, em qualquer formato ou por quaisquer meios, sejam

Leia mais

Código de Conduta e Ética

Código de Conduta e Ética CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA BC CONSULT Página 1 de 9 1. INTRODUÇÃO... 3 2. PRINCÍPIOS... 4 INTEGRIDADE... 4 DISCRIMINAÇÃO... 4 CONFLITO DE INTERESSE... 4 CONFIDENCIALIDADE DE INFORMAÇÕES... 5 PROTEÇÃO AO

Leia mais

Código de Ética - Ultra

Código de Ética - Ultra Código de Ética - Ultra Ética na gestão - Equidade, transparência e responsabilidade - Cumprimento das leis - Desenvolvimento sustentável Ética nos relacionamentos - Acionistas e investidores - Colaboradores

Leia mais

GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 1

GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 1 GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 1 07/12/15 17:39 GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 2 07/12/15 17:39 APRESENTAÇÃO Carta do Presidente do Conselho de Administração Pessoas e equipes são valorizadas na Concessionária

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS Gerência de Compliance e Riscos Página 1 Índice 1. Objetivo... 3 2. Abrangência... 3 3. Vigência... 3 4. Regras para Investimento... 3 4.1. Investimentos Permitidos...

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta 2015 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA ALIANSCE I. Abrangência A Aliansce, todas as sociedades, direta ou indiretamente por ela controladas ou sob mesmo controle, e os Shopping Centers

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA QUALICORP S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA QUALICORP S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA QUALICORP S.A. I. DEFINIÇÕES 1.1 Os termos e expressões relacionados a seguir, quando utilizados nesta Política de Negociação, terão o seguinte

Leia mais

O termo compliance é originário do verbo, em inglês, to comply, e significa estar em conformidade com regras, normas e procedimentos.

O termo compliance é originário do verbo, em inglês, to comply, e significa estar em conformidade com regras, normas e procedimentos. POLÍTICA DE COMPLIANCE INTRODUÇÃO O termo compliance é originário do verbo, em inglês, to comply, e significa estar em conformidade com regras, normas e procedimentos. Visto isso, a REAG INVESTIMENTOS

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DATA: 25/01/2016 VERSÃO 2.0 VERSÃO 2 25/01/2016 ÁLVARO BARBOSA SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO... 3 II. PAPÉIS E RESPONSABILIDADES... 4 II.1 - COMITÊ EXECUTIVO... 4 II.2 - CONTROLES

Leia mais

MT/002-14 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA ARGUS 12/2014 - VINHEDO, SP

MT/002-14 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA ARGUS 12/2014 - VINHEDO, SP MT/002-14 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA ARGUS 12/2014 - VINHEDO, SP 1 Código de Ética e Conduta da Argus MENSAGEM DO PRESIDENTE Este Código de Ética e Conduta foi elaborado com a finalidade de explicitar

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento SUMÁRIO 1. Conceito 2. Objetivo 3. Abrangência 4. Regras e Normas 4.1 Conceito de Ética. Ponto de vista empresarial 4.2 Princípios

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA MAPFRE INVESTIMENTOS

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA MAPFRE INVESTIMENTOS CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA MAPFRE INVESTIMENTOS Riscos e Compliance Página 1 Colaborador MAPFRE Investimentos Código: MINV-P-009 Você está recebendo o Código de Conduta Ética da MAPFRE Investimentos, mais

Leia mais

Código de Conduta Empresarial da Nestlé. 2008, Nestec Ltd. Conceito e Design: Nestec Ltd., Identidade Corporativa e Design, Vevey (Suiza)

Código de Conduta Empresarial da Nestlé. 2008, Nestec Ltd. Conceito e Design: Nestec Ltd., Identidade Corporativa e Design, Vevey (Suiza) Código de Conduta Empresarial da Nestlé 2008, Nestec Ltd. Conceito e Design: Nestec Ltd., Identidade Corporativa e Design, Vevey (Suiza) Introdução Desde a sua fundação, as práticas comerciais da Nestlé

Leia mais

REGRAS DE ATUAÇÃO DO BANCO ITAÚ BBA S.A NOS MERCADOS ORGANIZADOS DE VALORES MOBILIÁRIOS ADMINISTRADOS PELA CETIP S.A.

REGRAS DE ATUAÇÃO DO BANCO ITAÚ BBA S.A NOS MERCADOS ORGANIZADOS DE VALORES MOBILIÁRIOS ADMINISTRADOS PELA CETIP S.A. REGRAS DE ATUAÇÃO DO BANCO ITAÚ BBA S.A NOS MERCADOS ORGANIZADOS DE VALORES MOBILIÁRIOS ADMINISTRADOS PELA CETIP S.A. 1 O participante indicado abaixo, objetivando atuar na qualidade de Intermediário,

Leia mais

REGRAS INTERNAS DE INTERMEDIAÇÃO

REGRAS INTERNAS DE INTERMEDIAÇÃO Página 1 de 16 REGRAS INTERNAS DE INTERMEDIAÇÃO O Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A., CNPJ nº: 92.702.067/0001-96 (doravante BANRISUL ), objetivando atuar na qualidade de Intermediário, conforme

Leia mais

BRASIL PLURAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA

BRASIL PLURAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO Brasil Plural Gestão de Recursos Ltda. Setembro de 2015 I. Definição e Finalidade 1. A presente Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais de

Leia mais

Regras e Parâmetros de Atuação

Regras e Parâmetros de Atuação Regras e Parâmetros de Atuação A Renascença Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda, ora designada Renascença, em atendimento ao disposto no art. 6º da Instrução nº 387/03, de 28 de abril de

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ANUNCIANTES

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ANUNCIANTES ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ANUNCIANTES MANUAL DE GOVERNANÇA 2015 ABA MANUAL DE GOVERNANÇA I. INTRODUÇÃO É norma e política da Associação Brasileira de Anunciantes ("ABA"), o estrito cumprimento de todas

Leia mais

Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1

Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1 Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1 CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 2 Sumário 1. Introdução...3 2. Postura pessoal e profissional...4 3. Relacionamento com público interno...6 4. Relacionamento

Leia mais

de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética ca Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Códig

de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética ca Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Códig de Ética Código CÓDIGO de Ética Código de Ética Código DE de Ética Código de Ética de Ética Código de Ética Código ÉTICA de Ética Código de Ética Código de Ética Fazendo Negócios com Integridade Realizamos

Leia mais

Política Institucional

Política Institucional ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA E ESCOPO... 2 3. DIRETRIZES E PRINCIPIOS GERAIS... 2 4. PROCEDIMENTOS RELATIVOS A POTENCIAIS CONFLITOS DE INTERESSE... 3 5. PROCESSO DECISÓRIO DE VOTO... 3 6. EXERCÍCIO

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA SUMÁRIO 1 ÉTICA...03 2 APRESENTAÇÃO...04 3 APLICAÇÃO...05 4 FINALIDADES...06 5 DEFINIÇÕES...07 6 CULTURA ORGANIZACIONAL...08 6.1 MISSÃO...08 6.2 VISÃO...08 6.3 VALORES...08 6.4

Leia mais

Política de Negociação de Valores Mobiliários Política

Política de Negociação de Valores Mobiliários Política de Negociação de Valores Mobiliários de Negociação de Valores Mobiliários Versão 1.0 Data de criação 01/08/2012 Data de modificação Não Aplicável Tipo de documento Índice 1. PRINCÍPIOS GERAIS... 4 2. DEFINIÇÕES...

Leia mais

Regras de Atuação da CSHG nos Mercados Organizados de Valores Mobiliários Administrados PELA Cetip S.A. Mercados Organizados

Regras de Atuação da CSHG nos Mercados Organizados de Valores Mobiliários Administrados PELA Cetip S.A. Mercados Organizados CREDIT SUISSE HEDGING-GRIFFO CORRETORA DE VALORES S.A. Regras de Atuação da CSHG nos Mercados Organizados de Valores Mobiliários Administrados PELA Cetip S.A. Mercados Organizados Outubro de 2013 Regras

Leia mais

Padrões de Conduta de Negócios

Padrões de Conduta de Negócios Padrões de Conduta de Negócios A integridade da Dana está em suas mãos A importância destes padrões A Dana Holding Corporation e todas as suas subsidiárias devem conduzir os negócios de uma forma ética

Leia mais

Código de Ética dos Profissionais Vinculados à Gestão de Ativos de Terceiros

Código de Ética dos Profissionais Vinculados à Gestão de Ativos de Terceiros Código de Ética dos Profissionais Vinculados à Gestão de Ativos de Terceiros Propriedade de Banco do Nordeste do Brasil S.A. Proibida a reprodução total ou parcial sem prévia autorização. I. Premissas

Leia mais

Princípios Gerais de Negócios da ARCADIS Logos

Princípios Gerais de Negócios da ARCADIS Logos Princípios Gerais de Negócios da ARCADIS Logos Conteúdo 1 Página Capítulo 2 1. Introdução 3 2. Nossos Compromissos 3! Compromissos com a sociedade 3! Compromissos para com os clientes 4! Compromissos para

Leia mais

Proibida a reprodução.

Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. MANUAL DO AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTO O objetivo deste documento é o de nortear a atuação dos Agentes Autônomos de Investimento, com os quais a Planner não mantém vínculo empregatício.

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS SUMÁRIO

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS SUMÁRIO POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS SUMÁRIO I - Objetivo... 2 II - Aplicação... 2 III - Regras de Conduta... 3 IV - Disposições Gerais... 6 ANEXO A - Autorização para

Leia mais

Código de Ética e de Conduta do. Grupo Energisa

Código de Ética e de Conduta do. Grupo Energisa Código de Ética e de Conduta do Grupo Energisa Caro colaborador, A prática do Código de Ética e de Conduta do Grupo Energisa é tão importante que fazemos questão que cada colaborador tenha seu próprio

Leia mais

Política de Atuação de Agentes Autônomos de Investimento da Solidus S.A. CCVM

Política de Atuação de Agentes Autônomos de Investimento da Solidus S.A. CCVM Política de Atuação de Agentes Autônomos de Investimento da Solidus S.A. CCVM Revisado e aprovado na Reunião do Comitê Gestor de Riscos em 12/09/2013 1. OBJETIVOS O objetivo desta Política é estabelecer

Leia mais

MANUAL DE POLÍTICAS. Novembro/2014

MANUAL DE POLÍTICAS. Novembro/2014 MANUAL DE POLÍTICAS Novembro/2014 1 ÍNDICE ASSUNTO PAG 1 Apresentação 3 2 Assuntos de Gestão: 6 2.1 Código de Ética e Conduta 6 2.2 Conheça seu Cliente 13 2.3 ANBIMA Regulação e Melhores Práticas 16 2.4

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética MENSAGEM DO PRESIDENTE O Código de Conduta Ética das Empresas Concremat contempla os princípios que devem estar presentes nas relações da empresa com seus colaboradores, clientes,

Leia mais

MANUAL DO AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS

MANUAL DO AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS CORRETORA DE VALORES MOBILIÁRIOS E CÂMBIO LTDA MANUAL DO AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS Revisado em agosto/2013 Página 1/8 1. CRITÉRIOS BÁSICOS Em atendimento a Instrução CVM 497 de 03 de junho de 2011,

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA JIVE ASSET GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CNPJ/ MF 13.966.641/0001-47 NIRE 35.225.535.521

CÓDIGO DE CONDUTA JIVE ASSET GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CNPJ/ MF 13.966.641/0001-47 NIRE 35.225.535.521 CÓDIGO DE CONDUTA JIVE ASSET GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CNPJ/ MF 13.966.641/0001-47 NIRE 35.225.535.521 1. O presente Código de Conduta da Sociedade (o Código de Conduta ou Código ) aprovado em 20 de julho

Leia mais

BANCO DO BRASIL S.A. CESUP Licitações (SP) CREDENCIAMENTO 2011/0262 (7421) SL CREDENCIAMENTO Nº 2011/0262 (7421) SL

BANCO DO BRASIL S.A. CESUP Licitações (SP) CREDENCIAMENTO 2011/0262 (7421) SL CREDENCIAMENTO Nº 2011/0262 (7421) SL CREDENCIAMENTO Nº 2011/0262 (7421) SL OBJETO: Credenciamento de pessoa jurídica, inclusive empresa individual devidamente registrada no CREA ou CAU, cujo objeto social contemple atividades técnicas de

Leia mais

Data da última atualização. Prevenção à Lavagem de Dinheiro 04/02/2015

Data da última atualização. Prevenção à Lavagem de Dinheiro 04/02/2015 Política Prevenção à Lavagem de Dinheiro 04/02/2015 Data da última atualização 1. Objetivo: O Conselho de Administração e a Diretoria Executiva do Banco Indusval S/A e Guide Investimentos S/A Corretora

Leia mais

Política Anticorrupção

Política Anticorrupção Soluções que impulsionam e valorizam sua empresa. Política Anticorrupção Ano fiscal 2016 Política Anticorrupção Objetivo Definir procedimentos para assegurar que todos os colaboradores, funcionários, sócios

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA GAEC EDUCAÇÃO S.A. SEÇÃO I DEFINIÇÕES

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA GAEC EDUCAÇÃO S.A. SEÇÃO I DEFINIÇÕES POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA GAEC EDUCAÇÃO S.A. SEÇÃO I DEFINIÇÕES 1. Os termos e expressões relacionados abaixo, quando utilizados nesta Política, terão o seguinte significado: 1.1.

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC

CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC De origem grega, o termo ethos significa costumes e deve ser entendido com um conjunto de princípios básicos que visam disciplinar e regular, a moral e a conduta das

Leia mais

Portopar DTVM CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTO. Código de Ética e Conduta Agente Autônomo de Investimento 01/09/2014

Portopar DTVM CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTO. Código de Ética e Conduta Agente Autônomo de Investimento 01/09/2014 Código de Atuação do Agente Autônomo CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTO 1/10 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. DIRETRIZES... 3 4. RESPONSABILIDADES... 3 5. INTRODUÇÃO...

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO Aprovada em Reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 29 de agosto

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Essas regras estão organizadas em torno das seguintes exigências:

CÓDIGO DE ÉTICA. Essas regras estão organizadas em torno das seguintes exigências: CÓDIGO DE ÉTICA O Grupo PSA Peugeot Citroën construiu seu desenvolvimento com base em valores implementados por seus dirigentes e funcionários, e reafirmados nos objetivos de desenvolvimento responsável

Leia mais

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 PROSPECTO AVISOS IMPORTANTES I. A CONCESSÃO DE REGISTRO PARA A VENDA DAS COTAS DESTE FUNDO NÃO IMPLICA, POR PARTE DA

Leia mais

Código de Conduta nos Negócios e Ética do UBS

Código de Conduta nos Negócios e Ética do UBS Código de Conduta nos Negócios e Ética do UBS Prefácio Este Código de Conduta nos Negócios e Ética do UBS (o Código) estabelece os princípios e práticas aos quais os funcionários e diretores do UBS estão

Leia mais

Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para a Atividade de Gestão de Patrimônio Financeiro no Mercado Doméstico

Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para a Atividade de Gestão de Patrimônio Financeiro no Mercado Doméstico Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para a Atividade de Gestão de Patrimônio Financeiro no Mercado Doméstico CAPÍTULO I - DEFINIÇÕES Art. 1º. Para os fins deste Código de Regulação e Melhores

Leia mais

Código de Ética. 31 de março

Código de Ética. 31 de março Código de Ética 31 de março 2015 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 4 2. MISSÃO, VISÃO E VALORES DA CETIP... 4 3. PÚBLICO-ALVO... 4 4. REGRAS E PRINCÍPIOS NORTEADORES DAS ATIVIDADES... 4 4.1. RELACIONAMENTO INTERNO...

Leia mais

CAPÍTULO I - DEFINIÇÕES

CAPÍTULO I - DEFINIÇÕES Instrução nº 505, de 27 de setembro de 2011 Estabelece normas e procedimentos a serem observados nas operações realizadas com valores mobiliários em mercados regulamentados de valores mobiliários. A PRESIDENTE

Leia mais

Bradespar S.A. Capítulo I Abrangência. Capítulo II Definições

Bradespar S.A. Capítulo I Abrangência. Capítulo II Definições Bradespar S.A. e de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da Bradespar S.A. Capítulo I Abrangência Art. 1 o ) As Políticas de Divulgação de Ato ou Fato Relevante e de Negociação de Valores Mobiliários

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO - COMGÁS

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO - COMGÁS POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO - COMGÁS ÍNDICE I - Definições Aplicáveis... 3 II - Propósito e Abrangência... 4 III - Princípios... 5 IV - Ato ou Fato

Leia mais

TERMO E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DA PLATAFORMA HELLO FARM

TERMO E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DA PLATAFORMA HELLO FARM TERMO E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DA PLATAFORMA HELLO FARM J HELLO FARM SERVIÇOS DE TECNOLOGIA LTDA., inscrita no CNPJ/MF sob o nº 23.694.884/0001-27, doravante denominada simplesmente como Hello Farm, adota

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta Estrutura do Código de Ética e Conduta 1. Introdução pág. 03 2. Mensagem da Diretoria pág. 04 3. Relações no Ambiente de Trabalho pág. 05 4. Relacionamento Externo pág. 07 5.

Leia mais

Ética Saúde - Acordo Setorial - Importadores, Distribuidores e Fabricantes de Dispositivos Médicos

Ética Saúde - Acordo Setorial - Importadores, Distribuidores e Fabricantes de Dispositivos Médicos Ética Saúde - Acordo Setorial - Importadores, Distribuidores e Fabricantes de Dispositivos Médicos A Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Implantes (ABRAIDI), o Instituto Ethos e as

Leia mais

CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL O CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL

CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL O CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL O CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL Março de 2015 1ª edição MENSAGEM DO PRESIDENTE O Código de Conduta da RIP ( Código ) é a declaração formal das expectativas que servem

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA Índice Nossos princípios diretivos 03 Proteção do patrimônio e uso dos ativos 04 Informação confidencial 05 Gestão e Tratamento dos Colaboradores 06 Conflitos de interesse 07

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA PARA FORNECEDORES GLOBAIS

NORMAS DE CONDUTA PARA FORNECEDORES GLOBAIS Página 1 de 9 UL NORMAS DE CONDUTA PARA FORNECEDORES GLOBAIS Página 2 de 9 ÍNDICE 1.0 OBJETIVO... 4 2.0 ESCOPO... 4 3.0 DEFINIÇÕES... 4 4.0 PRÁTICAS DE CONTRATAÇÃO... 5 4.1 TRABALHO FORÇADO... 5 4.2 TRABALHO

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA. Capítulo I Das Regras Deontológicas

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA. Capítulo I Das Regras Deontológicas CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA Capítulo I Das Regras Deontológicas O Código de conduta e ética reflete o padrão ideal de comportamento e valores que devem nortear os membros da Fundação Technos de Previdência

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA RAÍZEN ENERGIA S.A.

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA RAÍZEN ENERGIA S.A. POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA RAÍZEN ENERGIA S.A. 1. OBJETIVO 1.1. O objetivo da presente Política de Divulgação é estabelecer as regras e procedimentos a serem adotados pela Raízen

Leia mais

Código de Ética. Responsabilidades: Lideranças Colaboradores. Aplicação do Código de Ética

Código de Ética. Responsabilidades: Lideranças Colaboradores. Aplicação do Código de Ética Código de Ética Sobre nossos Relacionamentos: Relacionamento com Clientes Relacionamento com Acionistas Relacionamento com Colaboradores Relacionamento com Parceiros de Negócio e Fornecedores Relacionamento

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE QUEIROZ GALVÃO EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO S.A.

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE QUEIROZ GALVÃO EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO S.A. POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE QUEIROZ GALVÃO EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO S.A. I. PROPÓSITO, ABRAGÊNCIA E ESCOPO A presente Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante da QGEP tem como propósito

Leia mais

Documento de Identificação (Número) Tipo Data de emissão Órgão Expedidor Estado Sexo Masculino Feminino

Documento de Identificação (Número) Tipo Data de emissão Órgão Expedidor Estado Sexo Masculino Feminino Cadastro Novo Alteração Cadastral Renovação Cadastral DADOS CADASTRAIS DO COTISTA TITULAR Nome do Cotista Titular Brasileira Outra (especificar): Telefone Residencial (DDD+Número) Telefone Celular (DDD+Número)

Leia mais

BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO

BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESSE PROSPECTO ESTÃO EM CONSONÂNCIA COM O REGULAMENTO DO FUNDO, PORÉM NÃO O SUBSTITUI.

Leia mais

Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer

Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer Pelo presente Contrato de Distribuição de Cotas, doravante designado simplesmente Contrato, as PARTES (doravante assim designadas em conjunto, e, quando individualmente, como PARTE): a) FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

TERMO DE PARCERIA e POLÍTICA DE USO. 1. Considerações preliminares do Portal e aplicativos Vets4Vet

TERMO DE PARCERIA e POLÍTICA DE USO. 1. Considerações preliminares do Portal e aplicativos Vets4Vet TERMO DE PARCERIA e POLÍTICA DE USO 1. Considerações preliminares do Portal e aplicativos Vets4Vet 1.1 O Portal Vets4Vet, encontrado na internet sob o domínio www.vets4vet.com.br, tem por objetivo aproximar

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA LOGZ LOGÍSTICA BRASIL S.A.

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA LOGZ LOGÍSTICA BRASIL S.A. APRESENTAÇÃO A LOGZ Logística Brasil S.A. (a Companhia ou LOGZ ) é uma sociedade holding consolidadora de participações em ativos logísticos e tem como objetivo a expansão de suas atividades possibilitando

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO TRAVESSIA INVESTIMENTO NO EXTERIOR 23.352.

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO TRAVESSIA INVESTIMENTO NO EXTERIOR 23.352. FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO TRAVESSIA INVESTIMENTO NO EXTERIOR 23.352.186/0001-43 Mês de Referência: Novembro de 2015 CLASSIFICAÇÃO ANBIMA:

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO DO BANRISUL

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO DO BANRISUL POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO DO BANRISUL A Política de Prevenção à Corrupção tem como objetivo dar visibilidade e registrar os princípios e valores éticos que devem nortear a atuação dos empregados,

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Versão 2015.2 Editada em julho de 2015 SUMÁRIO 1. Objetivo da Política...3 2. Abrangência...3 3. Princípios...3 4. Das Diretrizes Estratégicas...4 5. Da Estrutura

Leia mais

VIX LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº 32.681.371/0001-72 NIRE: 32.300.029.612 (Companhia Aberta de Capital Autorizado)

VIX LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº 32.681.371/0001-72 NIRE: 32.300.029.612 (Companhia Aberta de Capital Autorizado) POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA VIX LOGÍSTICA S.A. 1. OBJETIVOS E ABRANGÊNCIA 1.1. O objetivo da presente Política de Negociação é esclarecer as regras que deverão ser observadas pelos

Leia mais

[CÓDIGO DE ÉTICA] Interinvest

[CÓDIGO DE ÉTICA] Interinvest [CÓDIGO DE ÉTICA] Este documento determina as práticas, padrões éticos e regras a serem seguidos pelos colaboradores, fornecedores e a todos aqueles que, direta ou indiretamente, se relacionem com a Interinvest.

Leia mais

ALUPAR INVESTIMENTO S.A. CNPJ/MF nº 08.364.948/0001-38 NIRE 35.300.335.325 CÓDIGO DE ÉTICA, CONDUTA & COMPLIANCE. 19 de janeiro de 2015

ALUPAR INVESTIMENTO S.A. CNPJ/MF nº 08.364.948/0001-38 NIRE 35.300.335.325 CÓDIGO DE ÉTICA, CONDUTA & COMPLIANCE. 19 de janeiro de 2015 ALUPAR INVESTIMENTO S.A. CNPJ/MF nº 08.364.948/0001-38 NIRE 35.300.335.325 CÓDIGO DE ÉTICA, CONDUTA & COMPLIANCE 19 de janeiro de 2015 I. INTRODUÇÃO O presente Código de Ética, Conduta & Compliance ( Código

Leia mais

JHSF PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº. 08.294.224/0001-65 - NIRE Nº. 35.300.333.578

JHSF PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº. 08.294.224/0001-65 - NIRE Nº. 35.300.333.578 JHSF PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº. 08.294.224/0001-65 - NIRE Nº. 35.300.333.578 CÓDIGO DE ÉTICA Escopo Este Código de Ética ( Código ) reúne as principais normas de conduta que devem

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA PROFISSIONAL DOS AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO

CÓDIGO DE CONDUTA PROFISSIONAL DOS AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO CÓDIGO DE CONDUTA PROFISSIONAL DOS AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO 1 ÍNDICE CAPÍTULO I. FINALIDADE DO CÓDIGO DE CONDUTA PROFISSIONAL... 3 CAPÍTULO II. SUJEIÇÃO AO CÓDIGO DE CONDUTA PROFISSIONAL... 3

Leia mais

Manual de Diretrizes de Conduta Ética da BB Consórcios S.A

Manual de Diretrizes de Conduta Ética da BB Consórcios S.A Manual de Diretrizes de Conduta Ética da BB Consórcios S.A Versão Atualizada Outubro/2015 Introdução Este Manual define as diretrizes que obrigam e devem ser observadas por todos os colaboradores, em todos

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004. Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004.

INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004. Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004. INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004 Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM torna público que o Colegiado, em reunião

Leia mais

Banco Safra S.A. Regras de Conduta e Parâmetros de Atuação ICVM nº 505

Banco Safra S.A. Regras de Conduta e Parâmetros de Atuação ICVM nº 505 Banco Safra S.A. Regras de Conduta e Parâmetros de Atuação ICVM nº 505 1/15 INTRODUÇÃO O Banco Safra S.A., doravante denominado SAFRA, é uma importante instituição financeira respeitada nacional e internacionalmente

Leia mais

Código de Ética Versão 1.0 Maio de 2015

Código de Ética Versão 1.0 Maio de 2015 Código de Ética Versão 1.0 Maio de 2015 Sumário 1 Introdução... 4 2 Condutas não toleradas nos princípios da empresa... 5 2.1 A transparência e ética fundamentam a sua relação com o mercado... 5 2.1.1

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CAIXA VALE DO RIO DOCE Data de Competência: 27/01/2016 1. CNPJ 04.885.820/0001-69 2. PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA COMPOSIÇÃO

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA - PORTAL

CÓDIGO DE ÉTICA - PORTAL 1. Disposições Preliminares Este Código de Ética tem como principal objetivo informar aos colaboradores, prestadores de serviço, clientes e fornecedores da Petronect quais são os princípios éticos que

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA, PADRÕES DE CONDUTA PROFISSIONAL E PROCEDIMENTOS INTERNOS PHYNANCE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM INVESTIMENTOS S/A

CÓDIGO DE ÉTICA, PADRÕES DE CONDUTA PROFISSIONAL E PROCEDIMENTOS INTERNOS PHYNANCE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM INVESTIMENTOS S/A CÓDIGO DE ÉTICA, PADRÕES DE CONDUTA PROFISSIONAL 1 E PROCEDIMENTOS INTERNOS PHYNANCE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM INVESTIMENTOS S/A Agosto de 2012. Versão: 2.2012 INTRODUÇÃO.... 3 I PRINCÍPIOS GERAIS.... 4

Leia mais