BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING"

Transcrição

1 BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING Bancos de Dados Distribuídos Processamento de Transações

2 Ambiente com SGBD Distribuído

3

4

5

6 Transações em BDs Uma transação é uma unidade lógica de processamento com uma ou mais operações de acesso a BD (inserção, exclusão, atualização ou recuperação) As operações de BD que formam uma transação podem estar embutidas num programa de aplicação ou podem ser especificadas interativamente via uma linguagem de manipulação de dados de alto nível como a SQL. Uma forma de especificar as fronteiras de uma transação é através de comandos explícitos BEGIN TRANSACTION e END TRANSACTION num programa de aplicação; neste caso, todos as operações de acesso a BD entre os dois comandos são considerados como formando uma transação. Outra forma de delimitar transações é considerar como início implícito de uma transação qualquer comando de modificação do BD e o término da transação como os comandos de controle em SQL (COMMIT, ROLLBACK).

7 Transações em BDs

8 Propriedades das Transações Atomicidade: Uma transação é uma unidade atômica de processamento; ela é ou executada inteiramente ou não é nada executado. Consistência: A completa execução de uma transação deve levar o BD de um estado consistente para outro estado consistente, isto é, sem violação de restrições de integridade Isolação: Uma transação deve parecer como se estivesse sendo executada isoladamente, isto é, sua execução não deve sofrer interferência de outras transações sendo executadas concorrentemente Durabilidade: As mudanças aplicadas a um BD por uma transação efetivada (committed) deve persistir no BD.

9 Atomicidade Tudo ou nada. Atomicidade requer que se uma transação for interrompida por uma falha, seus resultados parciais sejam desfeitos. A atividade de preservar a atomicidade das transações na presença de aborto de transações devido a erros de entrada, excesso de carga do sistema, ou deadlocks é chamada de recuperação (recovery) de transações. No caso de crash de sistema é chamado também de crash recovery.

10 Consistência Problemas da Concorrência de Transações Atualização perdida ( lost update ) Ocorre quando duas transações que acessam os mesmos itens do BD têm as suas operações intercaladas de uma forma que torna os valores de algum item incorreto. Leitura suja ( dirty read ) ou atualização temporária Ocorre quando uma transação atualiza um item do BD e então a transação falha por alguma razão. O item atualizado é acessado por uma outra transação antes que seja mudado de volta para o seu valor original, isto é, antes do rollback. Leitura não repetitível ( unrepeatable read ) Ocorre quando uma transação T lê um item duas vezes e o item é alterado por uma outra transação T entre as duas leituras. Em conseqüência, T recebe dois valores diferentes para suas duas leituras do mesmo item. Fantasmas ( Phantoms ) Uma transação T 1 pode ler um algumas tuplas de uma tabela, baseado em alguma condição especificada na cláusula WHERE. Supondo que outra transação T 2 insira uma nova linha na mesma tabela, que também satisfaça a mesma cláusula WHERE usada na transação T 1. Se T 1 for repetida, lerá uma fantasma, isto é, uma linha que antes não existia.

11 Lost Update Dirty Read

12 Graus de Consistência Grau 0 uma transação não sobrescreve dados sujos lidos por outras transações. Grau 1 as transações não tem atualizações perdidas Grau 2 as transações não tem leituras sujas nem atualizações perdidas Grau 3 além do grau 2, as transações possuem a propriedade de leituras repetidas

13 Isolação Serializabilidade Se várias transações forem executadas concorrentemente, os resultados devem ser os mesmos como se elas fossem executada serialmente em alguma order. Resultados incompletos Uma transação incompleta não pode revelar seus resultados a outras transações antes da sua efetivação (commitment) Isto é necessário para prevenir abortos em cascata.

14 Níveis de isolação em SQL SQL delimita transações com início implícito em qualquer comando de modificação do BD e o término da transação explicitamente com COMMIT ou ROLLBACK. Transações são configuradas pelo comando SET TRANSACTION [READ ONLY READ WRITE] ISOLATION LEVEL <nível de isolação> <nível de isolação> : [READ UNCOMMITTED READ COMMITTED REPEATABLE READ SERIALIZABLE]

15 Níveis de isolação em SQL Nível Dirty Read Tipo de violação Nonrepeatable Read Phantom READ UNCOMMITTTED Sim Sim Sim READ COMMITTTED Não Sim Sim REPEATABLE READ Não Não Sim SERIALIZABLE Não Não Não

16 Exemplo EXEC SQL WHENEVER SQLERROR GOTO UNDO; EXEC SQL SET TRANSACTION READ WRITE DIAGNOSTICS SIZE 5 ISOLATION LEVEL SERIALIZABLE; EXEC SQL INSERT INTO EMPLOYEE (FNAME, LNAME, SSN, DNO, SALARY) VALUES ( Robert, Smith, , 2, 35000); EXEC SQL UPDATE EMPLOYEE SET SALARY = SALARY * 1.1 WHERE DNO = 2; EXEC SQL COMMIT; GOTO THE_END; UNDO: EXEC SQL ROLLBACK; THE_END:...;

17 Durabilidade Uma vez que a transação é efetivada (commit), o sistema deve garantir que os resultados de suas operações nunca serão perdidos, a despeito de falhas subseqüentes. Recuperação de BD (database recovery) Para garantir atomicidade e durabilidade em presença de falhas. Falhas Transações incorretas (quebram consistência). Falhas em transações: aborts explícitos, underflow, overflow... Erros de sistema: quedas de força, falhas no SO, no SGBD... => Conteúdos da memória principal e do buffer pool são perdidos. O conteúdo do BD não. Falhas de meio magnético: corrupção no armazenamento estável => tratados via back-up.

18 Controle de concorrência de transações Para garantir a propriedade da isolação de transações concorrentes (e consistência, como conseqüência). A maioria das técnicas utiliza protocolos para assegurar a serializabilidade das execuções (escalonamentos ou históricos) de transações concorrentes (chamadas de schedules). A execução serial evita os problemas da concorrência Se uma transação é executada sozinha por um SGBD, desde que seja consistente em si mesma e o estado inicial do BD seja consistente, o estado final também será consistente. Sempre que duas ou mais transações executadas concorrentemente efetuam operações sobre o mesmo item de dado, pode ocorrer conflito. Um conflito ocorre se pelo menos uma das operações for uma operação de escrita.

19 Controle de concorrência de transações Protocolos (conjuntos de regras) de dois tipos Baseados em bloqueios (locks) Baseados em tempo (timestamps) Duas classes de mecanismos Métodos pessimistas Partem da premissa de que as transações conflitam entre si na maioria das execuções e estabelecem protocolos para acesso exclusivo aos dados pelas operações, assegurando o isolamento das ações da transação e a correção das suas execuções Métodos otimistas Baseiam-se na premissa de que a maioria das transações não possui operações conflitantes entre si, possibilitando livre acesso aos valores dos itens de dados. Ao final da execução de uma transação ao receberem o comando de efetivação para processamento fazem a avaliação da história produzida. Caso o SGBD constate a violação do isolamento, a transação é desfeita.

20 Controle de concorrência (CC) e Recuperação (Rec) em BDs distribuídos Múltiplas cópias de itens de dados CC responsável por manter a consistência entre as cópias REC responsável por fazer uma cópia consistente com outras cópias se o site em que a cópia está armazenada falha e recupera mais tarde. Falha de sites individuais O SGBD-D continua a operar com seus sites ativos, se possível, quando um ou mais sites falham. Quando um site recupera, seus BD local deve ser atualizado com o resto dos sites antes de ser juntado ao sistema novamente. Falha de links de comunicação O sistema deve ser capaz de tratar falhas de um ou mais links que conectam os sites. Um caso extremo deste problema é o particionamento de rede, que divide os sites em duas ou mais partições, em que os sites em cada partição podem se comunicar apenas com os sites dentro da sua própria partição.

21 Controle de concorrência (CC) e Recuperação (Rec) em BDs distribuídos Outros problemas adicionais Commit distribuído Problemas podem ocorrer ao efetivar uma transação que está acessando BDs armazenados em múltiplos sites, se alguns sites falharem durante o processo de efetivação. O protocolo two-phase commit (2PC) é usado para tratar desse problema. Deadlock distribuído Pode ocorrer deadlock envolvendo vários sites, assim as técnicas para tratar de deadlocks devem ser estendidas para levar isto em consideração

22 Controle de Concorrência com Cópia Distinta A idéia é designar uma cópia em particular de cada item de dado como uma cópia distinta. Os bloqueios (locks) para esse item de dados são associados à tal cópia distinta e todas as requisições de bloqueio e desbloqueio são enviadas para o site que contém aquela cópia. Vários métodos de controle de concorrência são baseados nessa idéia, diferenciados pela forma de escolher a cópia distinta. Técnica do Site Primário Técnica do Site Primário com Site Backup Técnica da Cópia Primária

23 Técnica do Site Primário Um único site primário é escolhido como o site coordenador de todos os itens do BD. Em conseqüência, todos os locks são guardados nesse site, e todas as requisições de bloqueio/desbloqueio são enviadas para esse site. Vantagem Simplicidade, pois é uma mera extensão da abordagem centralizada Desvantagens Sobrecarga no site primário causa um gargalo na rede. Falha no site primária paralisa o sistema, prejudicando a confiabilidade e disponibilidade.

24 Técnica do Site Primário com Site Backup Um segundo site é designado como backup do site primário, aumentando a confiabilidade e disponibilidade. Todas as informações de bloqueio são mantidas em ambos os sites. Simplifica o processo de recuperação de falha do site primário, pois o site backup assume a coordenação e o processamento continua depois de um novo site backup ser escolhido e os dados de bloqueio serem copiados. O processo de bloqueio/desbloqueio fica mais lento, porque todas as requisições devem ser gravadas tanto no site primário como no backup antes que uma resposta seja enviada para a transação requisitante. O problema de sobrecarga nos sites primário e backup e conseqüente gargalo na rede permanece como desvantagem.

25 Técnica da Cópia Primária Este método tenta distribuir a carga de coordenação de bloqueio entre vários sites, designando cópias distintas de diferentes itens de dados armazenados em diferentes sites. A falha de um site afeta quaisquer transações que estão acessando locks sobre itens cujas cópias primárias residem naquele site, mas as outras transações não são afetadas. Este método também pode usar sites backup para melhorar a confiabilidade e disponibilidade.

26

27

28

29

30

31 Administração de BDs Distribuídos Nos SBDs distribuídos homogêneos, as funções de DBA podem ser vistas, em essência, como as mesmas dos SBDs centralizados. As ferramentas de suporte são mais sofisticadas. Facilidades para DBA: servidores de replicação, monitores de eventos, mecanismo de agendamento de execução de procedimentos. Podem ser fornecidas pelo fabricante do SGBD ou por terceiros ou desenvolvidas na própria organização. Com a proliferação das redes e dos servidores de BDs locais, é clara a necessidade de ferramentas que possibilitem a administração centralizada (não faria sentido ter um DBA em cada servidor). Tendência de estender as funções de ferramentas de administração centralizada de redes, adequando-as para apoio a parte das funções de administração de banco de dados.

Controle de Concorrência. Banco de Dados II Profa. Késsia R. C. Marchi

Controle de Concorrência. Banco de Dados II Profa. Késsia R. C. Marchi Controle de Concorrência Banco de Dados II Profa. Késsia R. C. Marchi Transação Transação é uma unidade lógica de trabalho, envolvendo diversas operações de bancos dados. C. J. Date Uma transação inicia-se,

Leia mais

Bancos de Dados I 2013/02. Controle de Concorrência com Locks Transações em SQL Prof. Altigran Soares da Silva

Bancos de Dados I 2013/02. Controle de Concorrência com Locks Transações em SQL Prof. Altigran Soares da Silva Bancos de Dados I 2013/02 Controle de Concorrência com Locks Transações em SQL Prof. Altigran Soares da Silva Visão Geral/Revisão ACID l Atomicidade: Gerenciador de transações l Consistência=controle concorrência/commit

Leia mais

Transações. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noited}@marciobueno.com. Material do Prof. Paulo Pires

Transações. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noited}@marciobueno.com. Material do Prof. Paulo Pires Transações Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noited}@marciobueno.com Material do Prof. Paulo Pires Introdução a Transações SGBD sistema de processamento de operações de acesso ao BD SGBDs são em geral multi-usuários

Leia mais

GBC043 Sistemas de Banco de Dados Transações, Controle de Concorrência e Recuperação de Dados

GBC043 Sistemas de Banco de Dados Transações, Controle de Concorrência e Recuperação de Dados GBC043 Sistemas de Banco de Dados Transações, Controle de Concorrência e Recuperação de Dados Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/sbd UFU/FACOM Introdução Sistemas multiusuário

Leia mais

CONCORRÊNCIA. Buscando aumentar os níveis de concorrência redução da espera em detrimento do isolamento, a SQL definiu alguns níveis de isolamento.

CONCORRÊNCIA. Buscando aumentar os níveis de concorrência redução da espera em detrimento do isolamento, a SQL definiu alguns níveis de isolamento. CONCORRÊNCIA 1. Introdução O termo concorrência se refere ao fato de que os SGBDs em geral permitem que muitas transações tenham acesso ao mesmo banco de dados ao mesmo tempo. Em um sistema desse tipo,

Leia mais

Banco de Dados - Senado

Banco de Dados - Senado Banco de Dados - Senado Transações, Isolamento, Concorrência e Bloqueio Banco de Dados Distribuído Material preparado :Prof. Marcio Vitorino Ilka Kawashita kawashi@gmail.com Transações Uma transação é

Leia mais

CONTROLE DE CONCORRÊNCIA EM BANCO DE DADOS: Estudo de Caso Microsoft SQL Server 2008

CONTROLE DE CONCORRÊNCIA EM BANCO DE DADOS: Estudo de Caso Microsoft SQL Server 2008 CONTROLE DE CONCORRÊNCIA EM BANCO DE DADOS: Estudo de Caso Microsoft SQL Server 2008 GERALDA SILVIA DE VASCONCELOS JARDIM 1 IREMAR NUNES DE LIMA 2 Resumo: Este artigo descreve a importância do mecanismo

Leia mais

RESUMO CAPÍTULO 16 OVERVIEW OF TRANSACTION MANAGEMENT. Prof.: Geovane Magalhães Alunos: Gabriela G. Martins Edmar R. S. de Rezende

RESUMO CAPÍTULO 16 OVERVIEW OF TRANSACTION MANAGEMENT. Prof.: Geovane Magalhães Alunos: Gabriela G. Martins Edmar R. S. de Rezende RESUMO CAPÍTULO 16 OVERVIEW OF TRANSACTION MANAGEMENT Prof.: Geovane Magalhães Alunos: Gabriela G. Martins Edmar R. S. de Rezende ÍNDICE ANALÍTICO 16.1 AS PROPRIEDADES ACID... 3 16.1.1 CONSISTÊNCIA E ISOLAMENTO...

Leia mais

Bibliografia Relembrando Conceitos

Bibliografia Relembrando Conceitos Prof. Ms. Luiz Alberto Contato: lasf.bel@gmail.com Linguagem de Programação de Banco de Dados Aula 07 - Gerenciamento de transações Objetivos 1. Compreender a necessidade do uso das transações; 2. Entender

Leia mais

Banco de Dados Distribuídos

Banco de Dados Distribuídos A imagem não pode ser exibida. Talvez o computador não tenha memória suficiente para abrir a imagem ou talvez ela esteja corrompida. Reinicie o computador e abra o arquivo novamente. Se ainda assim aparecer

Leia mais

Noções de Processamento de Transações, Controle de Concorrência e Recuperação de Falhas

Noções de Processamento de Transações, Controle de Concorrência e Recuperação de Falhas Noções de Processamento de, e Banco de Dados I Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Departamento de Computação DECOM Transação

Leia mais

Gerenciamento de Transações. Banco de Dados. Gerenciamento de Transações. Gerenciamento de Transações. Gerenciamento de Transações

Gerenciamento de Transações. Banco de Dados. Gerenciamento de Transações. Gerenciamento de Transações. Gerenciamento de Transações Banco de Dados Fernando Fonseca Ana Carolina Mono-usuário Multi-usuário Um dos critérios de classificação de um SGBD: NÚMERO DE USUÁRIOS que podem acessar o sistema concorrentemente Conceito de Multi-

Leia mais

Transações Controle Distribuído de Concorrência Métodos de Controle de Concorrência Deadlocks

Transações Controle Distribuído de Concorrência Métodos de Controle de Concorrência Deadlocks Alcides Pamplona alcides.pamplona@gmail.com 1998 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Fernanda Baião) Conteúdo Transações Controle Distribuído de Concorrência Métodos de Controle

Leia mais

CONCORRÊNCIA. 1. Introdução. Recursos exclusivos. Não necessita controle. Abundância de recursos compartilhados. Controle necessário mas mínimo

CONCORRÊNCIA. 1. Introdução. Recursos exclusivos. Não necessita controle. Abundância de recursos compartilhados. Controle necessário mas mínimo CONCORRÊNCIA 1. Introdução Recursos exclusivos Não necessita controle Abundância de recursos compartilhados Controle necessário mas mínimo Harmonia, provavelmente não haverá conflito Recursos disputados

Leia mais

Bancos de dados distribuídos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiagodemelo@gmail.com. http://www.tiagodemelo.info

Bancos de dados distribuídos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiagodemelo@gmail.com. http://www.tiagodemelo.info Bancos de dados distribuídos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiagodemelo@gmail.com Última atualização: 20.03.2013 Conceitos Banco de dados distribuídos pode ser entendido como uma coleção de múltiplos bds

Leia mais

Processamento de Transação

Processamento de Transação Processamento de Transação Banco de Dados II 3ª Série Transações Introdução a Transações Propriedades ACID Controle de Concorrência e Restauração Recuperação da Transação COMMIT de duas fases Estado da

Leia mais

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1 1. Quando se constrói um banco de dados, define-se o modelo de entidade e relacionamento (MER), que é a representação abstrata das estruturas de dados do banco e seus relacionamentos. Cada entidade pode

Leia mais

TRANSAÇÃO. Reconstrução ( recovery ) BANCO DE DADOS 2. Tipos de falhas (1) Tipos de falhas (2) Princípios

TRANSAÇÃO. Reconstrução ( recovery ) BANCO DE DADOS 2. Tipos de falhas (1) Tipos de falhas (2) Princípios BANCO DE DADOS TRANSAÇÃO Reconstrução ( recovery ) Idéia básica Em algum momento no tempo, todo sistema computacional apresentará uma falha. Prof. Edson Thizon O SGBD deve incorporar mecanismos de proteção

Leia mais

Processamento de Transações

Processamento de Transações UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO - UFMA Banco de Dados II Processamento de Transações Carlos Eduardo Portela Serra de Castro * Processamento de Transações Introdução Definição Problemas de consistência

Leia mais

O SGBD vê cada transação como uma seqüência de leituras e escritas delimitada por comandos begin e commit (ou abort).

O SGBD vê cada transação como uma seqüência de leituras e escritas delimitada por comandos begin e commit (ou abort). 1 Conceito básico para controle de concorrência e recuperação: a transação. Uma seqüência de ações que são consideradas uma unidade atômica (indivisível) de trabalho. Acões elementares do SGBD: Leituras

Leia mais

TRANSAÇÕES. Considerando que estes comandos fazem parte de uma TRANSAÇÃO (veremos como indicar isso):

TRANSAÇÕES. Considerando que estes comandos fazem parte de uma TRANSAÇÃO (veremos como indicar isso): TRANSAÇÕES 1. Visão Geral Uma transação é uma unidade lógica de trabalho (processamento) formada por um conjunto de comandos SQL cujo objetivo é preservar a integridade e a consistência dos dados. Ao final

Leia mais

A compreensão do mecanismo de transações é essencial, sempre que a

A compreensão do mecanismo de transações é essencial, sempre que a Transações A compreensão do mecanismo de transações é essencial, sempre que a base de dados d servir várias clientes simultaneamente. Em SQL é possível definir explicitamente os limites de uma transação.

Leia mais

Recuperação de Falhas

Recuperação de Falhas Recuperação de Falhas Banco de Dados II Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Departamento de Computação DECOM 1 Recuperação

Leia mais

Bancos de Dados Distribuídos. Filipe Gomes Pinto Guilherme Marquesini Reis Ribeiro Matheus Leônidas Silva Pedro Duarte

Bancos de Dados Distribuídos. Filipe Gomes Pinto Guilherme Marquesini Reis Ribeiro Matheus Leônidas Silva Pedro Duarte Bancos de Dados Distribuídos Filipe Gomes Pinto Guilherme Marquesini Reis Ribeiro Matheus Leônidas Silva Pedro Duarte Conceitos Sistema distribuído. Banco de dados distribuído (BDD). Coleção de multiplos

Leia mais

Módulo I: Processamento de Transações. (Aulas 1 e 2) Clodis Boscarioli

Módulo I: Processamento de Transações. (Aulas 1 e 2) Clodis Boscarioli Módulo I: Processamento de Transações (Aulas 1 e 2) Clodis Boscarioli Agenda: Introdução: Apresentação da disciplina; Leitura do Plano de Ensino; Conceito de transação; Estados de uma transação; Teoria

Leia mais

IB - O que o faz diferente

IB - O que o faz diferente IB - O que o faz diferente Interbase: O que o faz diferente? por Bill Todd Tradução e Adaptação : Carlos H. Cantu (Interbase-BR) Quando voce entra no mundo Client/Server a primeira coisa que voce tem que

Leia mais

Sumário. Recuperação de Falhas

Sumário. Recuperação de Falhas Sumário 1 Processamento de Consultas 2 Introdução a Transações 3 Recuperação de Falhas 4 Controle de Concorrência 5 Banco de Dados Distribuído Recuperação de Falhas Garantia de atomicidade e durabilidade

Leia mais

Transações. Banco de Dados. Introdução Conceito de Transação. Fundamentos de transações. Introdução Classificação dos SGBD

Transações. Banco de Dados. Introdução Conceito de Transação. Fundamentos de transações. Introdução Classificação dos SGBD Banco de Dados Fundamentos de transações rof. João arcelo B. josko ransações Conceito de ransação stados da ransação Conceito de Log ropriedades da ransação roblemas Subsistema de Controle de ipos de Falhas

Leia mais

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING http://www.uniriotec.br/~tanaka/tin0036 tanaka@uniriotec.br Bancos de Dados Distribuídos Conceitos e Arquitetura Vantagens das Arquiteturas C/S (em relação

Leia mais

Sistema de Bancos de Dados. Conceitos Gerais Sistema Gerenciador de Bancos de Dados

Sistema de Bancos de Dados. Conceitos Gerais Sistema Gerenciador de Bancos de Dados Sistema de Bancos de Dados Conceitos Gerais Sistema Gerenciador de Bancos de Dados # Definições # Motivação # Arquitetura Típica # Vantagens # Desvantagens # Evolução # Classes de Usuários 1 Nível 1 Dados

Leia mais

SGBD. Funções Básicas de um SGBD

SGBD. Funções Básicas de um SGBD Definição Sistema cujo objetivo principal é gerenciar o acesso e a correta manutenção dos dados armazenados em um banco dados. Funções básicas Métodos acesso Integrida Semântica Segurança Concorrência

Leia mais

Recuperação de Falhas

Recuperação de Falhas Recuperação de Falhas Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noited}@marciobueno.com Material do Prof. Paulo Pires Recuperação de Falhas Garantia de atomicidade e durabilidade de Transações requer um SGBD tolerante

Leia mais

Módulo III: Técnicas de. Clodis Boscarioli

Módulo III: Técnicas de. Clodis Boscarioli Módulo III: Técnicas de Recuperação Clodis Boscarioli Agenda: Introdução; Conceitos de recuperação em BD; Técnicas de Recuperação: Com atualização adiada; Com modificação imediata. Recuperação com transações

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI

Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI Fundamentos de Banco de Dados Aula 01 Introdução aos Sistemas de Bancos de Dados Introdução aos Sistemas de BD Objetivo Apresentar

Leia mais

18/9/2009. Recuperação após Falha (ou Restauração) Recuperação após Falha. Recuperação após Falha

18/9/2009. Recuperação após Falha (ou Restauração) Recuperação após Falha. Recuperação após Falha (ou Restauração) Banco de Dados Fernando Fonseca & Ana Carolina Salgado Após uma falha na execução de uma transação, o BD deve ser restaurado para um estado consistente anterior O Sistema deve manter informações

Leia mais

23/05/12. Recuperabilidade. Recuperabilidade. Recuperabilidade. Recuperabilidade. Recuperabilidade. Recuperação de Falhas em SGBDD

23/05/12. Recuperabilidade. Recuperabilidade. Recuperabilidade. Recuperabilidade. Recuperabilidade. Recuperação de Falhas em SGBDD Recuperação de Falhas em SGBDD Aluno: Antônio Ezequiel de Mendonça daem@cin.ufpe.br Orientadora: Ana Carolina Brandão Salgado A recuperação de transações que falharam significa que o BD será restaurado

Leia mais

Mecanismos de Recuperação

Mecanismos de Recuperação Mecanismos de Recuperação Banco de Dados: Teoria e Prática André Santanchè/Luiz Celso Gomes Jr Instituto de Computação UNICAMP Setembro 2013 Picture by Ben Collins [http://www.flickr.com/photos/graylight/]

Leia mais

Tópicos Avançados de Bases de Dados Instituto Politécnico da Guarda, Escola Superior de Tecnologia e Gestão, 2005/2006

Tópicos Avançados de Bases de Dados Instituto Politécnico da Guarda, Escola Superior de Tecnologia e Gestão, 2005/2006 Programa de TABD 2004/2005 Componente teórica Tópicos Avançados de Bases de Dados Revisão e complemento de bases de dados relacionais Revisão de conceitos básicos Transacções e controlo de concorrência

Leia mais

Dicas de Projeto Lógico Relacional

Dicas de Projeto Lógico Relacional Dicas de Projeto Lógico Relacional O que deve ser especificado? mapeamento do esquema conceitual definição das tabelas e chaves justificativas de mapeamento (se necessário) restrições de integridade (RIs)

Leia mais

Unidade III. Unidade III

Unidade III. Unidade III Unidade III 4 ADMINISTRAÇÃO DE SGBDs As pessoas que trabalham com um banco de dados podem ser categorizadas como usuários de banco de dados ou administradores de banco de dados. 1 Entre os usuários, existem

Leia mais

Controle de transações em SQL

Controle de transações em SQL Transações Controle de transações em SQL Uma transação é implicitamente iniciada quando ocorre uma operação que modifica o banco de dados (INSERT, UPDATE ou DELETE). Uma transação pode terminar normalmente

Leia mais

Gonçalo Amador Ricardo Alexandre. Bases de Dados Distribuídas

Gonçalo Amador Ricardo Alexandre. Bases de Dados Distribuídas Sistemas Distribuidos e Tolerância a Falhas Gonçalo Amador Ricardo Alexandre Departamento de Informática Universidade da Beira Interior Bases de Dados Distribuídas 1 Modelos de Bases de Dados 2 Conceitos

Leia mais

Sistemas de Banco de Dados Aspectos Gerais de Banco de Dados

Sistemas de Banco de Dados Aspectos Gerais de Banco de Dados Sistemas de Banco de Dados Aspectos Gerais de Banco de Dados 1. Conceitos Básicos No contexto de sistemas de banco de dados as palavras dado e informação possuem o mesmo significado, representando uma

Leia mais

Estudo Comparativo dos Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados: Oracle, SQL Server e PostgreSQL

Estudo Comparativo dos Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados: Oracle, SQL Server e PostgreSQL Estudo Comparativo dos Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados: Oracle, SQL Server e PostgreSQL Rodrigo de Carvalho Santos, Luís Augusto Mattos Mendes (Orientador) Departamento de Ciências da Computação

Leia mais

Evolução. Tópicos. Bancos de Dados - Introdução. Melissa Lemos. Evolução dos Sistemas de Informação Esquemas Modelos. Características de SGBDs

Evolução. Tópicos. Bancos de Dados - Introdução. Melissa Lemos. Evolução dos Sistemas de Informação Esquemas Modelos. Características de SGBDs 1 Bancos de Dados - Introdução Melissa Lemos melissa@inf.puc-rio.br Tópicos Evolução dos Sistemas de Informação Esquemas Modelos Conceitual Lógico Características de SGBDs 2 Evolução tempo Programas e

Leia mais

? O SQL SERVER é um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional que foi desenvolvido inicialmente pela Microsoft em parceria com a Sybase.

? O SQL SERVER é um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional que foi desenvolvido inicialmente pela Microsoft em parceria com a Sybase. ? O SQL SERVER é um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional que foi desenvolvido inicialmente pela Microsoft em parceria com a Sybase.? Desde de 1994, a Microsoft lança versões do SQL SERVER

Leia mais

TRANSAÇÕES. Considerando que estes comandos fazem parte de uma TRANSAÇÃO (veremos como indicar isso):

TRANSAÇÕES. Considerando que estes comandos fazem parte de uma TRANSAÇÃO (veremos como indicar isso): TRANSAÇÕES 1. Introdução Transação Uma transação é uma unidade lógica de trabalho (processamento), formada por um conjunto de comando SQL, que tem por objetivo preservar a integridade e a consistência

Leia mais

Controle de Concorrência

Controle de Concorrência Controle de Concorrência Banco de Dados II Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Departamento de Computação DECOM Controle

Leia mais

Bases de Dados 2012/2013 Gestão de Recuperação. Helena Galhardas. Sumário

Bases de Dados 2012/2013 Gestão de Recuperação. Helena Galhardas. Sumário Bases de Dados 2012/2013 Gestão de Recuperação Helena Galhardas Sumário Classificação de Falhas Estrutura de Armazenamento Recuperação e Atomicidade Recuperação Baseada em Diário O Algoritmo do Sistema

Leia mais

Técnica UNDO/REDO. detectar que X é atualizado mais de uma vez e realizar apenas a última atualização técnica UNDO/REDO com REDO único para cada dado

Técnica UNDO/REDO. detectar que X é atualizado mais de uma vez e realizar apenas a última atualização técnica UNDO/REDO com REDO único para cada dado Técnica UNDO/REDO Quando se percorre o Log forward para fazer REDO, é possível que um dado X tenha sido atualizado por mais de uma transação committed Variante da técnica UNDO/REDO detectar que X é atualizado

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS. 1. Conceitos básicos de BD, SBD e SGBD BANCO DE DADOS I

CONCEITOS BÁSICOS. 1. Conceitos básicos de BD, SBD e SGBD BANCO DE DADOS I CONCEITOS BÁSICOS 1. Conceitos básicos de BD, SBD e SGBD A importância da informação para a tomada de decisões nas organizações tem impulsionado o desenvolvimento dos sistemas de processamento de informações.

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação 1 1 Bases de Dados SISTEMAs DE GESTÃO DE ANO LECTIVO 2001/2002 Sistemas de Informação 2 2 Sistemas de Informação e organizações Informação e Informação nas organizações Sistemas de Informação (SI) Planeamento

Leia mais

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão SISTEMAS DE BANCO DE DADOS Prof. Adriano Pereira Maranhão 1 REVISÃO BANCO DE DADOS I O que é banco de dados? Ou seja afinal o que é um SGBD? REVISÃO BD I REVISÃO DE BD I Um Sistema de Gerenciamento de

Leia mais

Fundamentos de Banco de Dados

Fundamentos de Banco de Dados Fundamentos de Banco de Dados SISTEMAS BASEADOS NO PROCESSAMENTO DE ARQUIVOS Sistema A Funcionário Pagamento Cargo Sistema B Funcionário Projeto SISTEMAS GERENCIADORES DE BANCO DE DADOS (SGBD) Sistema

Leia mais

Bases de Dados Distribuídas

Bases de Dados Distribuídas Introdução Devido ao ambiente de grande competitividade em que as organizações de hoje têm que actuar, estas são forçadas a distribuir-se geograficamente, procurando as condições locais mais favoráveis

Leia mais

Gerenciamento de Transações

Gerenciamento de Transações Gerenciamento de Transações Outros tipos de recuperação: Além das falhas causadas por transações incorretas, conforme vimos anteriormente, podem ocorrer outros tipos de falhas, que ocorrem por fatores

Leia mais

Bancos de Dados III. Replicação de Dados. Rogério Costa rogcosta@inf.puc-rio.br. Replicação

Bancos de Dados III. Replicação de Dados. Rogério Costa rogcosta@inf.puc-rio.br. Replicação Bancos de Dados III Replicação de Dados Rogério Costa rogcosta@inf.puc-rio.br 1 Replicação Processo de criar e manter réplicas de versões dos objetos da base de dados (como tabelas) em um ambiente de banco

Leia mais

Crash recovery é similar ao instance recovery, onde o primeiro referencia ambientes de instância exclusiva e o segundo ambientes parallel server.

Crash recovery é similar ao instance recovery, onde o primeiro referencia ambientes de instância exclusiva e o segundo ambientes parallel server. Recover no Oracle O backup e recuperação de dados em um SGBD é de grande importância para a manutenção dos dados. Dando continuidade a nossos artigos, apresentamos abaixo formas diferentes de se fazer

Leia mais

Aula 2 Arquitetura Oracle

Aula 2 Arquitetura Oracle Aula 2 Arquitetura Oracle Instancia Oracle Uma instância Oracle é composta de estruturas de memória e processos. Sua existência é temporária na memória RAM e nas CPUs. Quando você desliga a instância em

Leia mais

8. Outros tipos de Transação (Modo de Transação de Autoconfirmação e Modo Implícito)

8. Outros tipos de Transação (Modo de Transação de Autoconfirmação e Modo Implícito) 8. Outros tipos de Transação (Modo de Transação de Autoconfirmação e Modo Implícito) Nos itens anteriores vimos transações do tipo explícitas, ou seja, aquelas que iniciam com BEGIN TRANSACTION. As outras

Leia mais

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Introdução BD desempenha papel crítico em todas as áreas em que computadores são utilizados: Banco: Depositar ou retirar

Leia mais

*O RDBMS Oracle é um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional.

*O RDBMS Oracle é um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional. Arquitetura Oracle e seus componentes Hoje irei explicar de uma forma geral a arquitetura oracle e seus componentes. Algo que todos os DBA s, obrigatoriamente, devem saber de cabo a rabo. Vamos lá, e boa

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 6.1 ARQUIVOS E REGISTROS De um modo geral os dados estão organizados em arquivos. Define-se arquivo como um conjunto de informações referentes aos elementos

Leia mais

Bases de Dados II 6638: BSc in Information Systems and Technologies. Cap. 1 Arquitectura de Sistemas de Bases de Dados. Module Introduction

Bases de Dados II 6638: BSc in Information Systems and Technologies. Cap. 1 Arquitectura de Sistemas de Bases de Dados. Module Introduction Bases de Dados II 6638: BSc in Information Systems and Technologies Cap. 1 Module Introduction Objectivos O propósito e a origem da arquitectura de base de dados a três níveis. O conteúdo dos níveis externo,

Leia mais

SISTEMA DE BANCO DE DADOS. Banco e Modelagem de dados

SISTEMA DE BANCO DE DADOS. Banco e Modelagem de dados SISTEMA DE BANCO DE DADOS Banco e Modelagem de dados Sumário Conceitos/Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Arquiteturas de um Sistema Gerenciador... 5 3. Componentes de um Sistema... 8 4. Vantagens

Leia mais

Arquitetura de SGBD. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior

Arquitetura de SGBD. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior Arquitetura de SGBD Prof. Antonio Almeida de Barros Junior Agenda Caracterização de SGBDs SGBDs Centralizados SGBDs Cliente-Servidor SGBDs Distribuídos Homogêneos Multi-SGBDs Heterogêneos SGBDs Paralelos

Leia mais

António Rocha Nuno Melo e Castro

António Rocha Nuno Melo e Castro António Rocha Nuno Melo e Castro !"#$ Excepção: condição de erro; quando ocorre o erro é levantada uma excepção que interrompe o fluxo normal de execução do programa e o direcciona para uma rotina de tratamento

Leia mais

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Banco de Dados Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Roteiro Apresentação do professor e disciplina Definição de Banco de Dados Sistema de BD vs Tradicional Principais características de BD Natureza autodescritiva

Leia mais

Os comandos SQL utilizados nas aulas práticas e mostrados aqui foram feitos num interpretador de comandos: psql

Os comandos SQL utilizados nas aulas práticas e mostrados aqui foram feitos num interpretador de comandos: psql Bases de Dados PostgreSQL e Php Transacções Joins, agregações, vistas P. Serendero, 2011 1 PostgreSQLe Php: transacções Os comandos SQL utilizados nas aulas práticas e mostrados aqui foram feitos num interpretador

Leia mais

Unidade III - BD Relacional

Unidade III - BD Relacional Structured Query Language (SQL) Conceitos Iniciais Álgebra Relacional - muito formal Cálculo Relacional de Tupla SEQUEL (Structured English QUEry Language) IBM - Sistema R SQL-86 SQL-92 SQL-3 102 Structured

Leia mais

Ambiente SQL: esquemas

Ambiente SQL: esquemas Ambiente SQL: esquemas Um ambiente SQL é constituído pelo conjunto de elementos da BDs tabelas, visões, domínios e asserções, sobre os quais podem ser executadas operações SQL. Estes elementos podem ser

Leia mais

Prof. Luiz Fernando. Unidade III ADMINISTRAÇÃO DE

Prof. Luiz Fernando. Unidade III ADMINISTRAÇÃO DE Prof. Luiz Fernando Unidade III ADMINISTRAÇÃO DE BANCOS DE DADOS Administração de SGBDs De todo o tipo de pessoal envolvido com desenvolvimento, manutenção, e utilização de bancos de dados há dois tipo

Leia mais

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2 Introdução a SQL 2 Leitura Obrigatória ELMASRI,

Leia mais

Pollyanna Gonçalves. Seminário da disciplina Banco de Dados II

Pollyanna Gonçalves. Seminário da disciplina Banco de Dados II Pollyanna Gonçalves Seminário da disciplina Banco de Dados II Web 2.0 vem gerando grande volume de dados Conteúdo gerado por redes sociais, sensores inteligentes, tecnologias de colaboração, etc. Novas

Leia mais

Motivação. Aplicações precisam acessar o BD Linguagens BD X Linguagens Programação. paradigmas diferentes (impedance mismatch)

Motivação. Aplicações precisam acessar o BD Linguagens BD X Linguagens Programação. paradigmas diferentes (impedance mismatch) Sumário 1 Introdução ao Processamento de Consultas 2 Otimização de Consultas 3 Plano de Execução de Consultas 4 Introdução a Transações 5 Recuperação de Falhas 6 Controle de Concorrência 7 Fundamentos

Leia mais

Controle de Concorrência II

Controle de Concorrência II Controle de Concorrência II Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com Material do Prof. Paulo Pires Técnicas de Controle de Concorrência Pessimistas supõem que sempre ocorre interferência

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03)

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) MBA em Gestão de TI MÓDULO: BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) PROFESSOR: Edison Andrade Martins Morais prof@edison.eti.br http://www.edison.eti.br

Leia mais

17/10/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Redes de Computadores

17/10/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Redes de Computadores Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Redes de Computadores Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2 Imagem: BARBIERI, Carlos. 2

Leia mais

Arquitetura de BDs Distribuídos. Victor Amorim - vhca Pedro Melo pam2

Arquitetura de BDs Distribuídos. Victor Amorim - vhca Pedro Melo pam2 Victor Amorim - vhca Pedro Melo pam2 Arquitetura de BDs Distribuídos Sistemas de bds distribuídos permitem que aplicações acessem dados de bds locais ou remotos. Podem ser Homogêneos ou Heterogêneos: Homogêneos

Leia mais

Bancos de Dados Distribuídos

Bancos de Dados Distribuídos Bancos de Dados Distribuídos Fernanda Baião baiao@cos.ufrj.br Departamento de Informática Aplicada UNIRIO 2007.2 Bibliografia Utilizada Principal: Özsu, M.T. Valduriez, P. "Princípios de Sistemas de Banco

Leia mais

Recuperação de Falhas

Recuperação de Falhas Recuperação de Falhas Capítulo 18 Humpty sentou-se no muro de pedra Humpty teve uma grande queda Todos os cavaleiros e homens do reino Não puderam juntá-lo de novo. - velha rima de crianças 1 Revisão:

Leia mais

Histórico de revisões

Histórico de revisões Apostila 3 Histórico de revisões Data Versão Descrição Autor 30/09/2011 1.0 Criação da primeira versão HEngholmJr CONTEÚDO Exclusão de registros Consultas por Dados de Resumo Group by / Having Funções

Leia mais

Informática UFRGS. Programação Concorrente (C. Geyer) Transações 1

Informática UFRGS. Programação Concorrente (C. Geyer) Transações 1 Transações Transações 1 Autores Cláudio Geyer Autoria Local Instituto de Informática Disciplinas: Sistemas Operacionais II Versão v03 dez/2009 Transações 2 Bibilografia Bibliografia: Coulouris et al. Sistemas

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós Graduação em Ciências da Computação

Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós Graduação em Ciências da Computação Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós Graduação em Ciências da Computação Disciplina: INE651600 Sistemas Operacionais Professor: Antônio Augusto Fröhlich Estudo Dirigido sobre Bancos de

Leia mais

As principais estruturas são a SGA (System Global Area ou Área Global do Sistema) e a PGA (Program Global Area ou Área Global de Programa).

As principais estruturas são a SGA (System Global Area ou Área Global do Sistema) e a PGA (Program Global Area ou Área Global de Programa). ARQUITETURA ORACLE O conhecimento da arquitetura interna do ORACLE é de extrema importância para a compreensão das técnicas de otimização do produto. Basicamente, os seus mecanismos de execução são as

Leia mais

Banco de Dados I. Apresentação (mini-currículo) Conceitos. Disciplina Banco de Dados. Cont... Cont... Edson Thizon (edson@esucri.com.

Banco de Dados I. Apresentação (mini-currículo) Conceitos. Disciplina Banco de Dados. Cont... Cont... Edson Thizon (edson@esucri.com. Sistemas da Informação Banco de Dados I Edson Thizon (edson@esucri.com.br) 2008 Apresentação (mini-currículo) Formação Acadêmica Mestrando em Ciência da Computação (UFSC/ ) Créditos Concluídos. Bacharel

Leia mais

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello Banco de Dados Maurício Edgar Stivanello Agenda Conceitos Básicos SGBD Projeto de Banco de Dados SQL Ferramentas Exemplo Dado e Informação Dado Fato do mundo real que está registrado e possui um significado

Leia mais

O dono de uma livraria cuja base de dados é administrada por si pediu-lhe para efectuar as seguintes alterações ao preço dos livros:

O dono de uma livraria cuja base de dados é administrada por si pediu-lhe para efectuar as seguintes alterações ao preço dos livros: - Necessidade O dono de uma livraria cuja base de dados é administrada por si pediu-lhe para efectuar as seguintes alterações ao preço dos livros: Os livros que custarem mais de 10, devem ver o seu preço

Leia mais

1. CONCEITOS BÁSICOS DE BD, SBD E SGBD

1. CONCEITOS BÁSICOS DE BD, SBD E SGBD Introdução 1. CONCEITOS BÁSICOS DE BD, SBD E SGBD A importância da informação para a tomada de decisões nas organizações tem impulsionado o desenvolvimento dos sistemas de processamento de informações.

Leia mais

Softwares Aplicativos Banco de Dados

Softwares Aplicativos Banco de Dados Softwares Aplicativos Banco de Dados INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Estrutura 1. Definições 2. Serviços 3. Usuários 4. Evolução 5. Exemplos 03 Banco

Leia mais

INTRODUÇÃO. Diferente de Bando de Dados

INTRODUÇÃO. Diferente de Bando de Dados INTRODUÇÃO Diferente de Bando de Dados 1 INTRODUÇÃO DADOS São fatos conhecidos que podem ser registrados e que possuem significado. Ex: venda de gasolina gera alguns dados: data da compra, preço, qtd.

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 04

PROVA ESPECÍFICA Cargo 04 10 PROVA ESPECÍFICA Cargo 04 QUESTÃO 21 Analise as seguintes afirmativas: I. Uma das funções de um DBA é gerenciar os mecanismos de segurança de acesso aos dados armazenados em um SGBD (Sistema Gerenciador

Leia mais

Gestão de Transacções e Controlo de Concorrência

Gestão de Transacções e Controlo de Concorrência Gestão de Transacções e Controlo de Concorrência Sistemas de Bases de Dados 20/202 Prof. José Júlio Alferes G07 André Nunes Gomes Alves 37740 Alberto Salgueiro Ramires 37920 Daniel Santos 37936 3 de Dezembro

Leia mais

1. Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste caderno, você será eliminado do Concurso.

1. Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste caderno, você será eliminado do Concurso. 1. Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste caderno, você será eliminado do Concurso. 2. Este Caderno contém, respectivamente, duas questões discursivas,

Leia mais

Banco de Dados Oracle. Faculdade Pernambucana - FAPE

Banco de Dados Oracle. Faculdade Pernambucana - FAPE Faculdade Pernambucana - FAPE Visão Geral dos Componentes Principais da Arquitetura Oracle Servidor Oracle É o nome que a Oracle deu ao seu SGBD. Ele consiste de uma Instância e um Banco de Dados Oracle.

Leia mais

Introdução. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos

Introdução. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos Conceitos Básicos Introdução Banco de Dados I Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Departamento de Computação DECOM Dados

Leia mais

Uma Base de Dados é uma colecção de dados partilhados, interrelacionados e usados para múltiplos objectivos.

Uma Base de Dados é uma colecção de dados partilhados, interrelacionados e usados para múltiplos objectivos. 1. Introdução aos Sistemas de Bases de Dados Uma Base de Dados é uma colecção de dados partilhados, interrelacionados e usados para múltiplos objectivos. O conceito de base de dados faz hoje parte do nosso

Leia mais