Propostas de Teses para 2009/2010

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Propostas de Teses para 2009/2010"

Transcrição

1 Propostas de Teses para 2009/2010 Prof. Alberto Rodrigues da Silva, Abril de 2009, 1.0 (versão de trabalho) Apresento neste documento as minhas propostas de Teses para Candidatos ao Mestrado em Engenharia Informática e Computadores (MEIC), do IST, para o ano lectivo 2009/2010. Quaisquer dúvidas ou manifestações de interesse contactem-me via para ou Índice Propostas de Teses para 2009/ Índice... 1 Propostas para o MEIC... 2 WebC-iTV Interactive TV in Web-based Sites... 2 SaaS (Software as a Service) Modelos e Infra-estrutura... 3 Desenvolvimento Rápido de Aplicações Web Suportadas em CMS... 4 Dinamização de Redes Sociais na Web Gestão de Projectos com Processos Ágeis... 6 Sistemas de Gestão Documental de Próxima Geração... 7 Mashups para a Web

2 Propostas para o MEIC WebC-iTV Interactive TV in Web-based Sites Enquadramento: Trabalho enquadrado no âmbito do projecto WebComfort. Para mais detalhes, consultar e o livro: Interactive Digital Television: Technologies and Applications, by George Lekakos (Author), George Lekakos; Konstantinos Chorianopoulos; Georgios Doukidis (Editor), IGI Publishing (May 30, 2007). Objectivos: Investigação na área de modelos de negócio e de tecnologia da televisão interactiva para a Internet. Concretização do modelo itv sobre a plataforma WebComfort. Desenvolvimento e avaliação de aplicações piloto. Descrição: Na sequência de trabalho realizado sobre a plataforma WebComfort, pretende-se proporcionar investigação na área de tecnologias e modelos de negócio subjacentes ao paradigma itv, considerando, entre outros aspectos: gestão de recursos de media na fase de pré-produção (e.g., vídeos, imagens, anúncios, jogos, animações, votações); suporte à produção e gestão de playlists (e.g., definição da programação para a passagem dos recursos); disseminação dos recursos pelos terminais a definir (e.g., num contexto aberto no âmbito da Internet; ou num contexto restrito no âmbito de terminais de uma Empresa ou Universidade). Aspectos como o controlo de acessos; personalização; suporte multioperador; suporte multi-idioma poderão também ser considerados. Requisitos: Conhecimentos em tecnologia.net, nomeadamente ASP.NET, C#, SQL Server. Resultado esperado: Pretende-se a concretização dos seguintes resultados: (1) Proposta e discussão de um framework teórico de análise e avaliação do modelo itv. (2) Concepção e implementação de uma infra-estrutura de concretização do modelo itv sobre a plataforma WebComfort, tendo em consideração os toolkits e aplicações já existentes. (3) Validação e avaliação dos resultados obtidos. Grupo de Sistemas de Informação do INESC-ID e SIQuant.

3 SaaS (Software as a Service) Modelos e Infra-estrutura Enquadramento: Trabalho enquadrado no projecto WebComfort. Para mais detalhes, consultar e o white paper New Channels for SaaS da SIIA, Objectivos: Investigação na área de modelos de negócio de licenciamento e distribuição de software, analisando e discutindo os modelos de licenciamento tradicional de produtos vs modelos ASP (Application Service Providers) vs modelo SaaS (Software as a Service). Definir um enquadramento teórico que justifique as variáveis do modelo SaaS. Concretização do modelo SaaS sobre a plataforma WebComfort. Descrição: Na sequência de trabalho realizado sobre a plataforma WebComfort, pretende-se proporcionar investigação na área de tecnologias e modelos de negócio subjacentes ao paradigma SaaS, considerando, entre outros, aspectos como: acesso às aplicações, licenciamento, pagamentos, protecção da propriedade intelectual, operações, actualizações, integração, e SLA. Requisitos: Conhecimentos em tecnologia.net, nomeadamente ASP.NET, C#, SQL Server. Resultado esperado: Pretende-se a concretização dos seguintes resultados: (1) Proposta e discussão de um framework teórico de análise e avaliação do modelo SaaS. (2) Concepção e implementação de uma infra-estrutura de concretização do modelo SaaS sobre a plataforma WebComfort, tendo em consideração os toolkits e aplicações existents ou a definir. (3) Validação e avaliação dos resultados obtidos. Acompanhado por João Lopes. Estágio remunerado. Na empresa SIQuant.

4 Desenvolvimento Rápido de Aplicações Web Suportadas em CMS Enquadramento: Trabalho enquadrado no projecto ProjectIT e consórcio europeu UsiXML Para mais detalhes consultar: e Ver também: Alberto Rodrigues da Silva, João Saraiva, David Ferreira, Rui Silva, Carlos Videira, Integration of RE and MDE Paradigms: The ProjectIT Approach and Tools, in IET Software Journal - Special issue "On the interplay of.net and contemporary software engineering techniques", December 2007, Volume 1, Issue 6, p , IET. e Adrian Stanciulescu, Ph.D. thesis "A Methodology for Developing Multimodal User Interfaces of Information System", Université catholique de Louvain, Louvain-la-Neuve, Belgium, 25 June Objectivos: Investigação e projecto enquadrados na iniciativa ProjectIT (ver em particular na emergente área da Engenharia Conduzida por Modelos (MDE Model Driven Engineering), em que se pretende explorar novas formas de desenvolvimento de sistemas de software, que apresentem ganhos de produtividade e eficiência muito significativos, face às abordagens tradicionais de programação. Descrição: Pretende-se o estudo, desenvolvimento e avaliação de uma DSL (domain specific language) para modelação de aplicações Web, suportadas sobre plataformas CMS (Content Management Systems). Esta DSL deverá ter em consideração os conceitos de WebSite, DynamicWebPage, WebModule, WebForm, ContentWorkflow, VisualTheme, Role, Permission, etc. Adicionalmente, esta DSL deverá considerar a linguagem UsiXML para garantir mecanismos de alinhamento adequados (em particular de importação e exportação); i.e., o sistema a desenvolver suportará mecanismos de transformação entre a DSL desenvolvida e a linguagem UsiXML. Por fim, neste projecto, aplicar-se-ão os resultados obtidos num conjunto de casos de estudo a definir, e far-se-á a avaliação final. Requisitos: Conhecimentos em modelação UML e tecnologia.net, C#, SQL Server, XML. Resultado esperado: Pretende-se neste trabalho: 1) A definição de DSL para modelação de aplicações Web suportadas sobre plataformas CMS; 2) A definição de mecanismos de transformação entre essa DSL e a linguagem UsiXML; 3) A definição de mecanismos para geração automática de código e ou execução de UsiXML para arquitecturas de CMS existentes, e.g., WebComfort, DotNetNuke, ou Joomla; 4) Aplicação concreta da abordagem em Caso de Estudo a definir. Acompanhado pelo aluno de doutoramento João Saraiva. Eventual remuneração via Bolsa de Investigação FCT. Grupo de Sistemas de Informação do INESC-ID

5 Dinamização de Redes Sociais na Web2.0 Enquadramento: Trabalho enquadrado na área das Redes Sociais e Comunidades Online. Ver p.e. 1) Sen, S. et al. (2006). tagging, communities, vocabulary, evolution. In Proceedings of the th Anniversary Conference on Computer Supported Cooperative Work (Banff, Alberta, Canada, November 04-08, 2006). CSCW '06. ACM Press, New York, NY, ) Musser, J. (2006). Web 2.0 Principles and Best Practices. O'Reilly & Associates, Sebastopol, CA. 3) Carron, C, Favier, J., and Li, C. (2006). Social Computing. Forrester Associates. Objectivos: O principal objectivo de investigação colocado neste projecto é responder à questão: Como se dinamizam redes sociais? Quais as melhores práticas? Quais as tecnologias mais adequadas?. O aluno deverá investigar trabalhos na área das redes sociais e comunidades online, analisar, discutir e avaliar sistemas populares, em termos internacionais e nacionais, e apresentar uma síntese desse estudo. Adicionalmente, o aluno deverá avaliar, propor melhorias e implementar uma plataforma de suporte a comunidades online, designada por WebC-Communities, e avaliar a sua aplicação em casos de estudo a definir. Descrição: Pretende-se que o aluno: 1) Defina um modelo de referência para análise de redes sociais e comunidades online; 2) Aplique esse modelo na análise e avaliação de redes sociais e comunidades online conhecidas; 3) Analise a plataforma WebComfort e os seus módulos de suporte a comunidades online (WebC- Communities), e avalie as suas limitações e vantagens; 4) Proponha uma nova versão do WebC-Communities, pela sua extensão e ou refinamento; 5) Avalie os resultados com base em casos de estudo a definir. Requisitos: Conhecimentos em tecnologia.net, nomeadamente ASP.NET, C#, SQL Server. Resultado esperado: Ver Descrição acima. Grupo Sistemas de Informação do INESC-ID

6 Gestão de Projectos com Processos Ágeis Enquadramento: Trabalho enquadrado no projecto ProjectIT-Enterprise. Para mais detalhes, consultar Consultar também: Jim Whitehead, Collaboration in Software Engineering: A Roadmap, International Conference on Software Engineering, IEEE Computer Society, Objectivos: Investigação enquadrada na iniciativa ProjectIT (ver em particular na área da Gestão de Projectos e o seu alinhamento com Processos Ágeis. Descrição: O sistema ProjectIT-Enterprise é uma plataforma Web que providencia capacidades de gestão de projectos de forma colaborativa (CSCW, Computer Supported Cooperative Work), baseada na noção explícita de processo, e actualmente focada nos componentes clássicos da gestão de projectos, nomeadamente: gestão de unidades de trabalho (work packages); gestão de pessoas e competências; e gestão financeira; facultando cada uma delas vistas adaptadas às necessidades de cada interveniente no processo, suportando assim as suas actividades individuais e, simultaneamente, assegurando uma gestão coordenada de todos os agentes e recursos da organização. O objectivo deste trabalho é investigar abordagens de gestão integrada de projectos segundo processos ágeis, em particular segundo o Scrum e o XP, tirando partido de tecnologias emergentes para gestão colaborativa de processos de engenharia de processos, como por exemplo CMS (content management systems), Wikis e sistemas de gestão documental. Requisitos: Conhecimentos em Gestão de Projectos (disciplina de GPI) e tecnologia.net: ASP.NET, C#, SQL Server. Resultado esperado: Pretende-se com este projecto que o aluno produza os seguintes resultados: 1) Defina um modelo de referência para análise de sistemas CSCW para a área de Engenharia de Software; 2) Aplique esse modelo na análise e avaliação de sistemas e plataformas conhecidas; 3) Analise a plataforma ProjectIT-Enterprise e avalie as suas limitações e vantagens; 4) Proponha uma nova versão do ProjectIT-Enterprise, pela sua extensão e ou refinamento; 5) Avalie os resultados com base em casos de estudo a definir. Acompanhado pelo aluno de doutoramento David Ferreira. Grupo de Sistemas de Informação do INESC-ID

7 Sistemas de Gestão Documental de Próxima Geração Enquadramento: Trabalho enquadrado na área dos sistemas de gestão documental das organizações. Consultar também: Objectivos: Investigação enquadrada na área de sistemas de gestão documental, passando pela análise de sistemas existentes, comerciais e open-source, e perspectivando os principais aspectos de deverão vir a existir nesta classe de sistemas da próxima geração. Adicionalmente, a investigação passará pela análise e crítica de sistemas existentes, nomeadamente WebC-Docs (http://www.webcomfort.org/portal/webcdocs) e BOA (http://www.webcomfort.org/portal/boa), e pela sua proposta de extensão e melhoria. Descrição: Entre outros aspectos, poderão ser abordados os seguintes tópicos: integração com diferentes repositórios de documentos (e.g., BOA, dspace), workflow documental, suporte à edição colaborativa de documentos, integração com sistemas externos (e.g., via Web-services), distribuição e disseminação de documentos (e.g., via RSS); integração com ferramentas Office. Requisitos: Não tem. Resultado esperado: Pretende-se com este projecto que o aluno produza os seguintes resultados: 1) Defina um modelo de referência para análise de sistemas de gestão documental; 2) Aplique esse modelo na análise e avaliação de sistemas e plataformas conhecidas; 3) Analise o sistema WebC-Docs e avalie as suas limitações e vantagens; 4) Proponha uma nova versão do WebC-Docs, pela sua extensão e ou refinamento; 5) Avalie os resultados com base em casos de estudo a definir. Acompanhado pelo aluno de doutoramento João Saraiva. Grupo de Sistemas de Informação do INESC-ID

8 Mashups para a Web2.0 Enquadramento: Trabalho enquadrado na área do desenvolvimento rápido de aplicações Web, sindicação e agregação de conteúdos, aplicado em Redes Sociais, Comunidades Online, mas também em portais corporativos. Ver p.e. Objectivos: O principal objectivo de investigação colocado neste projecto é responder à questão: Como se dinamizam aplicações Web à custa da agregação de conteúdos e funcionalidades disponibilizados por serviços e aplicações de terceiros (e.g., da Amazon, Google, Microsoft, YouTube? Quais as melhores práticas? Quais as tecnologias mais adequadas?. O aluno deverá investigar trabalhos na área do desenvolvimento rápido de aplicações Web, que tirem partido de API e ou protocolos abertos, tais como HTTP, RSS e REST. Adicionalmente, o aluno deverá conceber e implementar mecanismos para integração de Mashups na plataforma WebComfort e avaliar a sua aplicação em casos de estudo a definir. Descrição: Pretende-se que o aluno: 1) Defina um modelo de referência para análise de classes de mashups; 2) Aplique esse modelo na análise e avaliação de mashups oferecidos por entidades terceiras, p.e. Amazon, Google, Microsoft, YouTube; 4) Proponha mecanismos de integração de Mashups na plataforma WebComfort; 5) Avalie os resultados com base em casos de estudo a definir. Requisitos: Conhecimentos em tecnologia.net, nomeadamente ASP.NET, C#, SQL Server. Resultado esperado: Ver Descrição acima. Acompanhado pelo aluno de doutoramento João Saraiva. Grupo Sistemas de Informação do INESC-ID

Propostas de Teses para 2008/2009

Propostas de Teses para 2008/2009 Propostas de Teses para 2008/2009 Prof. Alberto M. R. Silva, Março de 2008, 1.3 Índice Propostas para o MEIC... 2 DSL para Desenho e Implementação de Aplicações Web... 2 Redes Sociais em Sistemas de Informação...

Leia mais

Programa de I&D ProjectIT

Programa de I&D ProjectIT Programa de I&D ProjectIT Abril de 2004 ProjectIT-MDD (XIS) ProjectIT- Requirements ProjectIT-Tests ProjectIT-Time ProjectIT-Workbenc Alberto Silva alberto.silva@acm.org Agenda Contexto Visão Geral sobre

Leia mais

O papel da Economia Digital na Dinamização do Interior. Carlos J. Costa carlos.costa@iscte.pt http://carlosjcosta.wordpress.com

O papel da Economia Digital na Dinamização do Interior. Carlos J. Costa carlos.costa@iscte.pt http://carlosjcosta.wordpress.com O papel da Economia Digital na Dinamização do Interior Carlos J. Costa carlos.costa@iscte.pt http://carlosjcosta.wordpress.com Índice Economia Digital Economia Digital Impactos Economia Open Source - Impactos

Leia mais

Redes Sociais na Aprendizagem

Redes Sociais na Aprendizagem Redes Sociais na Aprendizagem Palavras Chave: Joaquim F. Silva (Estudante ProDEI) Francisco Restivo (Orientador) Redes Sociais, Interoperabilidade, Construtivismo Social, Aprendizagem. Problema inicial

Leia mais

António Borba UMIC. Conferência As TIC e a Saúde no Portugal de 2009. 25 de Novembro de 2009 Auditório do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa

António Borba UMIC. Conferência As TIC e a Saúde no Portugal de 2009. 25 de Novembro de 2009 Auditório do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa Conferência As TIC e a Saúde no Portugal de 2009 25 de Novembro de 2009 Auditório do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa António Borba UMIC Patrocínio: Patrocinadores Globais Plataforma Nacional de

Leia mais

Programa de I&D VemAprender.org. Agenda

Programa de I&D VemAprender.org. Agenda Programa de I&D VemAprender.org Lisboa, Workshop 2005/6/16 INESC-ID, Grupo de Sistemas de Informação Alberto Rodrigues da Silva alberto.silva@acm.org Status 2005, Junho, v1.0 Agenda Contexto VemAprender.org/eescola/

Leia mais

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1. Oferta Formativa 1.1. Dinamizar e consolidar a oferta formativa 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1.1.2. Promover o funcionamento de ciclos de estudos em regime

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ACTIVIDADES

RELATÓRIO ANUAL DE ACTIVIDADES SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E REABILITAÇÃO DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE FORMAÇÃO E ADAPTAÇÕES TECNOLÓGICAS RELATÓRIO ANUAL DE ACTIVIDADES 2006 ÍNDICE 1. Nota Introdutória...

Leia mais

Sistemas Colaborativos Fundamentos e Aplicações

Sistemas Colaborativos Fundamentos e Aplicações Laboratório de Engenharia de Software Departamento de Sistemas de Computação Universidade de São Paulo Sistemas Colaborativos Fundamentos e Aplicações Seiji Isotani sisotani@icmc.usp.br Contextualização

Leia mais

Fase 1: Engenharia de Produto

Fase 1: Engenharia de Produto Fase 1: Engenharia de Produto Disciplina: Análise de Requisitos DURAÇÃO: 44 h O objetivo principal da disciplina é realizar uma análise das necessidades e produzir um escopo do produto. Representará os

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE E COMPUTAÇÃO EM NUVEM COMO SERVIÇO

ENGENHARIA DE SOFTWARE E COMPUTAÇÃO EM NUVEM COMO SERVIÇO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2015.2 ENGENHARIA DE SOFTWARE E COMPUTAÇÃO EM NUVEM COMO SERVIÇO Aluna: Marcela Pereira de Oliveira Orientador:

Leia mais

Estratégia de intervenção do QIMRAM no desenvolvimento de competências nos docentes da RAM

Estratégia de intervenção do QIMRAM no desenvolvimento de competências nos docentes da RAM Estratégia de intervenção do QIMRAM no desenvolvimento de competências nos docentes da RAM 1- Estabelecimentos de ensino integrados no projecto em anos lectivos transactos Os docentes colocados em estabelecimentos

Leia mais

Utilização de SVG na Visualização de Sinópticos

Utilização de SVG na Visualização de Sinópticos Utilização de SVG na Visualização de Sinópticos Filipe Marinho 1, Paulo Viegas 1, João Correia Lopes 23 1 EFACEC Sistemas de Electrónica, Rua Eng. Frederico Ulrich, Apartado 3078, 4471-907 Moreira Maia.

Leia mais

VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao sábado. E-repositórios. 26 de Maio de 2007

VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao sábado. E-repositórios. 26 de Maio de 2007 VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao sábado E-repositórios 26 de Maio de 2007 Intervenção de Maria João Gomes da Universidade do Minho Repositórios

Leia mais

Reestruturação+do+Mestrado+em+ Engenharia)Informática)e)Computadores!

Reestruturação+do+Mestrado+em+ Engenharia)Informática)e)Computadores! Reestruturação+do+Mestrado+em+ Engenharia)Informática)e)Computadores Janeiro(de(2015( JoséAlvesMarques,MárioSilva,JoãoPavãoMartins,AnaPaiva,ArlindoOliveira,JoãoMarquesda Silva,JoaquimJorge,JoséMonteiro,LuisRodrigues,MiguelCorreia

Leia mais

NCE/13/00276 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/13/00276 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/13/00276 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Do Minho A.1.a.

Leia mais

WORKSHOPS. CONTEÚDOS E PÚBLICO-ALVO.

WORKSHOPS. CONTEÚDOS E PÚBLICO-ALVO. WORKSHOPS. CONTEÚDOS E PÚBLICO-ALVO. Workshop 1 Web 2.0 na educação (dinamizado por Fernando Delgado EB23 D. Afonso III) Os serviços da Web 2.0 têm um enorme potencial para a educação, pois possibilitam

Leia mais

Formação em Tecnologias de Informação

Formação em Tecnologias de Informação Formação em Tecnologias de Informação Índice Índice 2 Apresentação 3 Empresa 4 Metodologia 5 Vantagens Empresa 6 Formação 7 Oferta formativa Microinformática 8 Informática Técnica 9 Curriculum Oficial

Leia mais

Return on Investment for Usability

Return on Investment for Usability 150 113 75 2001 2003 38 2005 0 2007 Return on Investment for Usability Interacção Homem-Computador, Prof. Pedro Faria Lopes Ricardo Carvalho a24668@iscte.pt ISCTE, Abril 2007 1 1 Quoting It is foolish

Leia mais

Ensino de Redes de Computadores Inserido num Modelo BML Orientado ao Contexto. Resumo

Ensino de Redes de Computadores Inserido num Modelo BML Orientado ao Contexto. Resumo Ensino de Redes de Computadores Inserido num Modelo BML Orientado ao Contexto Fernando Moreira 1, Maria João Ferreira 2, Sónia Rolland Sobral 3 1) Universidade Portucalense, Porto, Portugal fmoreira@upt.pt

Leia mais

OPERAÇÕES CENTRADAS EM REDE:

OPERAÇÕES CENTRADAS EM REDE: GTE - GUERRA DE INFORMAÇÃO Curso Avançado em OPERAÇÕES CENTRADAS EM REDE: DA SUPERIORIDADE DE INFORMAÇÃO AOS NOVOS MODELOS DE DECISÃO ENQUADRAMENTO Ao longo dos últimos anos, temos assistido ao desenvolvimento

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Curso Introdução à Informática Ano/Semestre Ano Lectivo Área Científica Dpt. EMP 1ºAno / 1ºS 2005/06 Informática DSI Professor Responsável da Disciplina Miguel Boavida Docente Co-Responsável Martinha Piteira

Leia mais

Gestão de Projectos de Software - 1

Gestão de Projectos de Software - 1 Gestão de Projectos de Software Licenciaturas de EI / IG 2012/2013-4º semestre msantos@ispgaya.pt http://paginas.ispgaya.pt/~msantos Gestão de Projectos de Software - 1 Objectivos da Disciplina de Gestão

Leia mais

Aplicação de um Metamodelo de Contexto a uma Tarefa de Investigação Policial

Aplicação de um Metamodelo de Contexto a uma Tarefa de Investigação Policial Aplicação de um Metamodelo de Contexto a uma Tarefa de Investigação Policial Lucas A. de Oliveira, Rui A. R. B. Figueira, Expedito C. Lopes Mestrado em Sistemas e Computação Universidade de Salvador (UNIFACS)

Leia mais

com Repositórios Abertos

com Repositórios Abertos Integração do Moodle com Repositórios Abertos Liane Tarouco Marcelo Schmitt PGIE/CINTED Univ. Federal Rio Grande do Sul Brasil LACLO 2010 Autoria de conteúdo educacional Crescimento de educação a distância

Leia mais

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas Conceito As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas PÁG 02 Actualmente, face à crescente necessidade de integração dos processos de negócio, as empresas enfrentam o desafio de inovar e expandir

Leia mais

A Iniciativa VemAprender

A Iniciativa VemAprender A Iniciativa VemAprender Alberto Rodrigues da Silva, Patrícia Dinis, David Ferreira, João Saraiva, Alexandre Barão Tittle The VemAprender Initiative. Abstract VemAprender is a research initiative with

Leia mais

SEMINÁRIO DIPLOMÁTICO 5-6.01.2016

SEMINÁRIO DIPLOMÁTICO 5-6.01.2016 SEMINÁRIO DIPLOMÁTICO 5-6.01.2016 1.Estrutura Orgânica Face às necessidades atuais existentes no MNE, a DSCI levou a cabo uma restruturação interna, em 2015, resultando na nova estrutura orgânica da DSCI

Leia mais

Sem o recurso às tecnologias disponibilizadas pela Microsoft, a solução criada seria difícil de obter num tão curto espaço de tempo.

Sem o recurso às tecnologias disponibilizadas pela Microsoft, a solução criada seria difícil de obter num tão curto espaço de tempo. Caso de Sucesso Microsoft Finsolutia cria solução completa de suporte ao negócio com.net Framework 3.5 Sumário País: Portugal Indústria: Banking&Finance Perfil do Cliente A Finsolutia é uma joint venture

Leia mais

Lisboa, Ano Lectivo 2009 2010 Prof. Gaia Moretti LUMSA Italia PROGRAMA DA DISCIPLINA WEBMARKETING CONTEXTO

Lisboa, Ano Lectivo 2009 2010 Prof. Gaia Moretti LUMSA Italia PROGRAMA DA DISCIPLINA WEBMARKETING CONTEXTO CONTEXTO Nos últimos anos, assistiu-se à construção dos alicerces de um novo modelo social, dinâmico, inovador e exigente, que se designa por Sociedade da Informação. Esta evolução assenta sobre alterações

Leia mais

GEOEXÉRCITO: SISTEMA TÁCTICO-ESTRATÉGICO PARA O EXÉRCITO PORTUGUÊS

GEOEXÉRCITO: SISTEMA TÁCTICO-ESTRATÉGICO PARA O EXÉRCITO PORTUGUÊS GEOEXÉRCITO: SISTEMA TÁCTICO-ESTRATÉGICO PARA O EXÉRCITO PORTUGUÊS 1. Introdução Luis Nunes 1 ; Alberto Silva 2 1 Instituto Geográfico do Exército 2 Instituto Superior Técnico (lnunes@igeoe.pt ; alberto.silva@acm.org)

Leia mais

Engenharia de Ontologias Seminário UPON

Engenharia de Ontologias Seminário UPON Engenharia de Ontologias Seminário UPON Núcleo de Estudos em Modelagem Conceitual e Ontologias Bruno Nandolpho Machado Vinícius Soares Fonseca Professor: Ricardo de Almeida Falbo Agenda RUP Método UPON

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Email: teóricas: artur.arsenio@ist.utl.pt práticas: joao.barreto@ist.utl.pt 2012-2013 1º semestre Sistemas Distribuídos Objectivos e Programa Estudar as técnicas fundamentais para

Leia mais

E- Marketing - Estratégia e Plano

E- Marketing - Estratégia e Plano E- Marketing - Estratégia e Plano dossier 2 http://negocios.maiadigital.pt Indíce 1 E-MARKETING ESTRATÉGIA E PLANO 2 VANTAGENS DE UM PLANO DE MARKETING 3 FASES DO PLANO DE E-MARKETING 4 ESTRATÉGIAS DE

Leia mais

A Iniciativa VemAprender

A Iniciativa VemAprender A Iniciativa VemAprender Alberto Rodrigues da Silva Iniciativa VemAprender Iniciativa chapéu para projectos do INESC-ID (GSI) com objectivo de conceber, desenvolver e avaliar a aplicação de plataformas

Leia mais

Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre

Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre Fabrício Viero de Araújo, Gilse A. Morgental Falkembach Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção - PPGEP Universidade

Leia mais

JULIANO AUGUSTO DE SOUZA OLIVEIRA

JULIANO AUGUSTO DE SOUZA OLIVEIRA UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, NATURAIS E TECNOLÓGICAS PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM BANCO DE DADOS JULIANO AUGUSTO DE SOUZA OLIVEIRA IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE CONTROLE DE

Leia mais

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes Microsoft.NET Lirisnei Gomes de Sousa lirisnei@hotmail.com Jair C Leite jair@dimap.ufrn.br Desenvolvimento Baseado em Componentes Resolução de problemas específicos, mas que podem ser re-utilizados em

Leia mais

Experiências de Avaliação (alunos) online

Experiências de Avaliação (alunos) online Experiências de Avaliação (alunos) online II Fórum de práticas e-learning na UM Colabora2012 Henrique Dinis Santos (hsantos@dsi.uminho.pt) Universidade do Minho Braga, 20 de Junho, 2012 A teacher is one

Leia mais

Regulamento Interno do Centro de Informática e Tecnologias da Informação da Universidade Nova de Lisboa PREÂMBULO

Regulamento Interno do Centro de Informática e Tecnologias da Informação da Universidade Nova de Lisboa PREÂMBULO Regulamento Interno do Centro de Informática e Tecnologias da Informação da Universidade Nova de Lisboa PREÂMBULO Os princípios de orientação do presente regulamento do CITI são os seguintes: 1º Participação

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ANÁLISE DE SISTEMAS Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ANÁLISE DE SISTEMAS Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular ANÁLISE DE SISTEMAS Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Engenharia Informática 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

Europass Curriculum Vitae

Europass Curriculum Vitae Europass Curriculum Vitae Personal information Surname(s) / First name(s) Address(es) Custódio, Jorge Filipe Telephone(s) +351 919687707 Email(s) Personal website(s) Nationality(-ies) Rua Francisco Pereira

Leia mais

Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio. João Pequito. Director Geral da PSE

Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio. João Pequito. Director Geral da PSE Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio João Pequito Director Geral da PSE Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio Qualquer instituição tem hoje

Leia mais

DSPACE GESTÃO DE. Características e requisitos técnicos REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS WHITE PAPER SERIES

DSPACE GESTÃO DE. Características e requisitos técnicos REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS WHITE PAPER SERIES DSPACE GESTÃO DE REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS Características e requisitos técnicos WHITE PAPER SERIES Sobre o documento Identificador WP11173 Autor Miguel Ferreira Contribuição Luís Miguel Ferros Distribuição

Leia mais

UMA PROPOSTA PARA COMPARAÇÃO DE PROVEDORES DE COMPUTAÇÃO EM NUVEM DESDE UMA PERSPECTIVA DE INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES 1

UMA PROPOSTA PARA COMPARAÇÃO DE PROVEDORES DE COMPUTAÇÃO EM NUVEM DESDE UMA PERSPECTIVA DE INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES 1 UMA PROPOSTA PARA COMPARAÇÃO DE PROVEDORES DE COMPUTAÇÃO EM NUVEM DESDE UMA PERSPECTIVA DE INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES 1 Igor G. Haugg 2, Rafael Z. Frantz 3, Fabricia Roos-Frantz 4, Sandro Sawicki 5. 1 Pesquisa

Leia mais

Website disponível em: Nome de Utilizador: aluno@aluno.pt. Palavra-chave: *aluno*

Website disponível em: Nome de Utilizador: aluno@aluno.pt. Palavra-chave: *aluno* Website disponível em: http://formar.tecminho.uminho.pt/moodle/course/view.php?id=69 Nome de Utilizador: aluno@aluno.pt Palavra-chave: *aluno* Associação Universidade Empresa para o Desenvolvimento Web

Leia mais

Sistemas de Informação para a Sociedade da Informação e do Conhecimento. Luís Manuel Borges Gouveia lmbg@ufp.pt

Sistemas de Informação para a Sociedade da Informação e do Conhecimento. Luís Manuel Borges Gouveia lmbg@ufp.pt Sistemas de Informação para a Sociedade da Informação e do Conhecimento Luís Manuel Borges Gouveia lmbg@ufp.pt Versão 4.6-2º semestre 2003/04 1996-2004 LMBG, Universidade Fernando Pessoa baseado nos acetatos

Leia mais

Estratégia de intervenção do QIMRAM no desenvolvimento de competências nos docentes da RAM

Estratégia de intervenção do QIMRAM no desenvolvimento de competências nos docentes da RAM Estratégia de intervenção do QIMRAM no desenvolvimento de competências nos docentes da RAM 1- Estabelecimentos de ensino integrados no projecto em anos lectivos transactos Os docentes colocados em estabelecimentos

Leia mais

Requisitos de Ferramentas Especializadas de Gestão de Configuração de Software

Requisitos de Ferramentas Especializadas de Gestão de Configuração de Software Requisitos de Ferramentas Especializadas de Gestão de Configuração de Software Ricardo Terra 1 1 Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Campus da Pampulha 31.270-010

Leia mais

PLANO TIC 2009-2010. O Coordenador TIC Virgílio Freitas [1]

PLANO TIC 2009-2010. O Coordenador TIC Virgílio Freitas [1] PLANO TIC 2009-2010 O Coordenador TIC Virgílio Freitas [1] ESCOLA EB1/PE Visconde Cacongo URL: http://escolas.madeira-edu.pt/eb1pevcacongo Email: eb1pevcacongo@madeira-edu.pt IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR

Leia mais

Groupware. Protocolos e Artefatos de Coordenação. Mecanismo de Coordenação. Cleidson de Souza cdesouza@ufpa.br. Artefatos.

Groupware. Protocolos e Artefatos de Coordenação. Mecanismo de Coordenação. Cleidson de Souza cdesouza@ufpa.br. Artefatos. Groupware Tecnologia computacional para auxiliar o trabalho cooperativo Mas Como o trabalho cooperativo é executado? Como as pessoas trabalham em conjunto? Como a tecnologia existente facilita (ou dificulta)

Leia mais

Sistemas Colaborativos: uma aplicação no contexto de gestão de risco de inundação

Sistemas Colaborativos: uma aplicação no contexto de gestão de risco de inundação Sistemas Colaborativos: uma aplicação no contexto de gestão de risco de inundação Lívia Castro Degrossi degrossi@icmc.usp.br Abril/2014 1 Contextualização 07/04/2014 Lívia Castro Degrossi 2 2 Contextualização

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS E TALENTOS

DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS E TALENTOS DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS E TALENTOS CompetencyCore5 Success Through Competency-based Talent Management DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS E TALENTOS A Gestão do Capital Humano com Foco nas Competências

Leia mais

Um processo para construção de software mais transparente

Um processo para construção de software mais transparente Um processo para construção de software mais transparente Eduardo Almentero 1, and Julio Cesar Sampaio do Prado Leite 1 1 Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC - Rio, Brasil {ealmentero,

Leia mais

Simulação e avaliação de um módulo de aprendizagem de Alimentação Humana em formato de Webinar

Simulação e avaliação de um módulo de aprendizagem de Alimentação Humana em formato de Webinar Simulação e avaliação de um módulo de aprendizagem de Alimentação Humana em formato de Webinar Renata Barros 1, Maria Teresa Campos 1, Pedro Carvalho 1, Vítor Hugo Teixeira 1, Rui Chilro 1, André Moreira

Leia mais

Modelação dos mecanismos de controlo de acesso numa arquitectura empresarial

Modelação dos mecanismos de controlo de acesso numa arquitectura empresarial Modelação dos mecanismos de controlo de acesso numa arquitectura empresarial Tópicos de Investigação, MEIC, 27/01/2011 Ricardo Martins, 55391 Agenda Enquadramento e problema Objectivos e perguntas de investigação

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES. Departamento de Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL 2008 / 2009

REDES DE COMPUTADORES. Departamento de Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL 2008 / 2009 REDES DE COMPUTADORES Departamento de Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL 2008 / 2009 Docentes e URLs da disciplina 2 José Legatheaux Martins Sérgio Duarte Vitor Duarte http://asc.di.fct.unl.pt/rc

Leia mais

Proposta de Estágio Ano letivo 2011 / 2012 Tema: SISMS - sistema integrado de suporte e monitorização para serviços comerciais

Proposta de Estágio Ano letivo 2011 / 2012 Tema: SISMS - sistema integrado de suporte e monitorização para serviços comerciais Proposta de Estágio Ano letivo 2011 / 2012 Tema: SISMS - sistema integrado de suporte e monitorização para serviços comerciais A Load Interactive A Load-Interactive Lda. é uma start-up tecnológica que

Leia mais

Apoio à Decisão Gerencial na Alocação de Recursos Humanos em Projetos de Software Ahilton Silva Barreto ahilton@cos.ufrj.br

Apoio à Decisão Gerencial na Alocação de Recursos Humanos em Projetos de Software Ahilton Silva Barreto ahilton@cos.ufrj.br Apoio à Decisão Gerencial na Alocação de Recursos Humanos em Projetos de Software Ahilton Silva Barreto ahilton@cos.ufrj.br Orientadores: Márcio de Oliveira Barros e Cláudia Maria Lima Werner {marcio,

Leia mais

António Pereira (apereira@ipleiria.pt) Professor Coordenador do Departamento de Engª Informática da ESTG Leiria Coordenador do Centro de Investigação

António Pereira (apereira@ipleiria.pt) Professor Coordenador do Departamento de Engª Informática da ESTG Leiria Coordenador do Centro de Investigação António Pereira (apereira@ipleiria.pt) Professor Coordenador do Departamento de Engª Informática da ESTG Leiria Coordenador do Centro de Investigação em Informática e Comunicações do IPLeiria CIIC Enquadramento

Leia mais

Agenda. Parte I. Parte II. 1.Boas vindas 2.Informações OA 3.Relatório de atividades 4.Implementação política FCT 5.Destaques I - Dspace 5.

Agenda. Parte I. Parte II. 1.Boas vindas 2.Informações OA 3.Relatório de atividades 4.Implementação política FCT 5.Destaques I - Dspace 5. RCAAP Agenda Parte I 1.Boas vindas 2.Informações OA 3.Relatório de atividades 4.Implementação política FCT 5.Destaques I - Dspace 5.0 Parte II 1.Grupos de trabalhos 2.Estudos e prospeção 3.Plano de atividades

Leia mais

7 Conclusões. 7.1 Retrospectiva do trabalho desenvolvido. Capítulo VII

7 Conclusões. 7.1 Retrospectiva do trabalho desenvolvido. Capítulo VII Capítulo VII 7 Conclusões Este capítulo tem como propósito apresentar, por um lado, uma retrospectiva do trabalho desenvolvido e, por outro, perspectivar o trabalho futuro com vista a implementar um conjunto

Leia mais

Projecto de Modelação, Engenharia de Software e Sistemas Distribuídos 2008-09. Requisitos para a 3ª entrega do projecto.

Projecto de Modelação, Engenharia de Software e Sistemas Distribuídos 2008-09. Requisitos para a 3ª entrega do projecto. Departamento de Engenharia Informática Modelação, Engenharia de Software, Sistemas Distribuídos Requisitos para a 3ª entrega do projecto Test O Matic 10 de Maio de 2009 1 Índice 1 Índice... 1 2 Sumário...

Leia mais

Desenvolvimento de Conteúdos Educativos

Desenvolvimento de Conteúdos Educativos Projecto de Publicação de Informação Educativa Escola Superior de Educação de Bragança Vitor Manuel Barrigão Gonçalves Bragança, 2003 Sumário Contexto Objectivos Modelo Tecnológico e Modelo de Desenvolvimento

Leia mais

Explorando o SharePoint como ferramenta de uma nova Gestão de Documentos Corporativos

Explorando o SharePoint como ferramenta de uma nova Gestão de Documentos Corporativos Explorando o SharePoint como ferramenta de uma nova Gestão de Documentos Marcos Moysés da Cunha marcos.cunha@eletrobras.com (21) 2514-5695 Gestão de Documentos SharePoint GED... caminho... Gestão de Documentos

Leia mais

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft A solução MB DOX oferece uma vantagem competitiva às empresas, com a redução do custo de operação, e dá um impulso à factura

Leia mais

WEB DE DADOS: ABERTURA DE BASES

WEB DE DADOS: ABERTURA DE BASES WEB DE DADOS: ABERTURA DE BASES E WEB SEMÂNTICA VAGNER DINIZ CAROLINE BURLE DOS SANTOS GUIMARÃES 2 Painel 35/106 Abertura de bases de dados e colaboração cidadã WEB DE DADOS: ABERTURA DE BASES E WEB SEMÂNTICA

Leia mais

O Programa de Investigação ProjectIT (White Paper)

O Programa de Investigação ProjectIT (White Paper) O Programa de Investigação ProjectIT (White Paper) Versão 1.0, Outubro de 2004 Alberto Rodrigues da Silva INESC-ID & Instituto Superior Técnico Rua Alves Redol, nº 9 1000-029 Lisboa, Portugal alberto.silva@acm.org

Leia mais

1 Introdução. definido como aquele que conhece um conjunto de factos linguísticos.

1 Introdução. definido como aquele que conhece um conjunto de factos linguísticos. Capítulo I 19 20 21 1 Introdução 1.1. Motivos que conduziram ao estudo Ser um matemático já não se define como aquele que conhece um conjunto de factos matemáticos, da mesma forma que ser poeta não é definido

Leia mais

Redes Sociais como Fonte de Informação para Cidades Inteligentes

Redes Sociais como Fonte de Informação para Cidades Inteligentes Redes Sociais como Fonte de Informação para Cidades Inteligentes Mickael R. C. Figueredo 1, Nélio Cacho 2, Carlos A. Prolo 2 1 Escola de Ciência e Tecnologia Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Leia mais

A Importância de gerir ficheiros nas Organizações

A Importância de gerir ficheiros nas Organizações A Importância de gerir ficheiros nas Organizações Transferência de Ficheiros: Porquê? É um suporte acessível para transferência de informação entre aplicações e entre sistemas heterogéneos Possibilita

Leia mais

Contabilidade & MOBILIDADE. CICERO TORQUATO IX Encontro de Contabilidade do Agreste Alagoano Maceió/Maio/2016

Contabilidade & MOBILIDADE. CICERO TORQUATO IX Encontro de Contabilidade do Agreste Alagoano Maceió/Maio/2016 Contabilidade & MOBILIDADE CICERO TORQUATO IX Encontro de Contabilidade do Agreste Alagoano Maceió/Maio/2016 Quando os ventos de mudança sopram, umas pessoas levantam barreiras, outras constroem moinhos

Leia mais

ACTOS PROFISSIONAIS GIPE. Gabinete de Inovação Pedagógica

ACTOS PROFISSIONAIS GIPE. Gabinete de Inovação Pedagógica ACTOS PROFISSIONAIS GIPE Gabinete de Inovação Pedagógica Cooptécnica Gustave Eiffel, CRL Venda Nova, Amadora 214 996 440 910 532 379 Março, 2010 GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 1 GIPE - Gabinete

Leia mais

Um consórcio de sucesso

Um consórcio de sucesso Um consórcio de sucesso Biblioteca Universitária Aglomerado de: Livros Dissertações Teses Artigos Comunicações Revistas... Biblioteca Universitária Digital Catálogo (OPAC) Informação bibliográfica sobre

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PRODUÇÃO DE DESIGN MULTIMÉDIA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PRODUÇÃO DE DESIGN MULTIMÉDIA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular PRODUÇÃO DE DESIGN MULTIMÉDIA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Design 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular

Leia mais

CLOUD COMPUTING: COMPARANDO COMO O MUNDO ONLINE PODE SUBSTITUIR OS SERVIÇOS TRADICIONAIS

CLOUD COMPUTING: COMPARANDO COMO O MUNDO ONLINE PODE SUBSTITUIR OS SERVIÇOS TRADICIONAIS CLOUD COMPUTING: COMPARANDO COMO O MUNDO ONLINE PODE SUBSTITUIR OS SERVIÇOS TRADICIONAIS João Antônio Bezerra Rodrigues¹, Claudete Werner¹, Gabriel Costa Silva² ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí

Leia mais

Abordagem Formativa Web-Based. Success does not happen by accident. It happens by Design.

Abordagem Formativa Web-Based. Success does not happen by accident. It happens by Design. Abordagem Formativa Web-Based Success does not happen by accident. It happens by Design. Objectivo, Processo, Resultado Objectivo desta Apresentação Introduzir as características e benefícios chave de

Leia mais

No final do curso existirá ainda uma disciplina de Projecto em que o estudante implementará um sistema digital com características especificas.

No final do curso existirá ainda uma disciplina de Projecto em que o estudante implementará um sistema digital com características especificas. Resumo A educação em Sistemas Digitais e Computadores é actualmente ministrada no IST no âmbito do curso de Engenharia Electrotécnica. Este processo iniciou-se em 1970, existindo neste momento um núcleo

Leia mais

Como construir uma DLA?

Como construir uma DLA? Como construir uma DLA? Conteúdo Como construir uma DLA?... 2 Introdução... 2 Metodologia DLA... 3 1.Preparação da DLA... 3 2.Planeamento da DLA... 6 2.1. Avaliação do estado actual... 6 2.3. Desenvolvimento

Leia mais

Introdução... 3 Requisitos funcionais... 4 Requisitos não funcionais... 6 Viabilidade técnica... 7

Introdução... 3 Requisitos funcionais... 4 Requisitos não funcionais... 6 Viabilidade técnica... 7 Índice Introdução... 3 Requisitos funcionais... 4 Requisitos não funcionais... 6 Viabilidade técnica... 7 1) HARDWARE... 7 Decisão... 10 2) LINGUAGENS E FRAMEWORKS... 11 Decisão... 14 3) SOFTWARE... 15

Leia mais

Formalismos de Grafos de Interação (Surveys)

Formalismos de Grafos de Interação (Surveys) Formalismos de Grafos de Interação (Surveys) Disciplina:Tópicos em IHC II- Interação 3D Professor :Alberto Raposo Tópicos Motivação Fontes de Pesquisa Breve Descrição Conclusões Tópicos Motivação Fontes

Leia mais

Departamento de Ciências da Educação

Departamento de Ciências da Educação Departamento de Ciências da Educação 2010/2011 1º ciclo em Ciências da Educação Tecnologia e Inovação na Educação 1º ano 2º Semestre 7,5 ECTS Docente: Mestre Fernando Correia fcorreia@uma.pt Coordenador:

Leia mais

Integração de Sistemas de Informação Universitários via Web Services

Integração de Sistemas de Informação Universitários via Web Services Integração de Sistemas de Informação Universitários via s Carlos Costa Serviços Académicos da Universidade dos Açores CMATI Universidade dos Açores ccosta@uac.pt Ana Cristina Melo Serviços Acção Social

Leia mais

dados abertos cartilha para desenvolvedores

dados abertos cartilha para desenvolvedores dados abertos cartilha para desenvolvedores Esta publicação é um encarte integrante do Manual dos dados abertos: desenvolvedores, resultante do acordo de cooperação técnico-científica entre o Laboratório

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Centro Regional das Beiras Departamento de Economia, Gestão e Ciências Sociais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Centro Regional das Beiras Departamento de Economia, Gestão e Ciências Sociais UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Centro Regional das Beiras Departamento de Economia, Gestão e Ciências Sociais UNIDADE CURRICULAR Tecnologias de Informação e Comunicação MESTRADO Gestão ANO E SEMESTRE

Leia mais

Dias, Paulo (2004). Comunidades de aprendizagem e formação on-line. Nov@ Formação, Ano 3, nº3, pp.14-17

Dias, Paulo (2004). Comunidades de aprendizagem e formação on-line. Nov@ Formação, Ano 3, nº3, pp.14-17 Comunidades de aprendizagem e formação on-line Paulo Dias Universidade do Minho pdias@iep.uminho.pt Introdução Comunicar e aprender em rede constituem dois aspectos de uma das mais profundas mudanças em

Leia mais

Proposta de Estágio Ano lectivo 2011 / 2012 Tema: Designer Gap - Plataforma de agregação de conteúdos

Proposta de Estágio Ano lectivo 2011 / 2012 Tema: Designer Gap - Plataforma de agregação de conteúdos Proposta de Estágio Ano lectivo 2011 / 2012 Tema: Designer Gap - Plataforma de agregação de conteúdos A Load Interactive A Load-Interactive Lda. é uma start-up tecnológica que se foca no desenvolvimento

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE ExtremePlanner

ENGENHARIA DE SOFTWARE ExtremePlanner ENGENHARIA DE SOFTWARE ExtremePlanner Acesso ao sistema: https://es.extremeplannerlive.com Procedimento de Login: O login e password é definido pelos caracteres iniciais do endereço de email do aluno,

Leia mais

Projeto SIAC 2.0: Uma aplicação do framework Demoiselle para o desenvolvimento de Sistema de Informações Acadêmicas da UFBA (SIAC)

Projeto SIAC 2.0: Uma aplicação do framework Demoiselle para o desenvolvimento de Sistema de Informações Acadêmicas da UFBA (SIAC) Projeto SIAC 2.0: Uma aplicação do framework Demoiselle para o desenvolvimento de Sistema de Informações Acadêmicas da UFBA (SIAC) André Luís Monteiro P. dos Santos 1, Fernando Cezar Borges 1, Leandro

Leia mais

CATÁLOGO FORMAÇÃO 2007

CATÁLOGO FORMAÇÃO 2007 CATÁLOGO FORMAÇÃO 2007 Desenvolvemos Projectos de Formação desde 1985. A seriedade de procedimentos, a competência técnica e a solidariedade e a responsabilidade social pautam a nossa actuação. Acreditamos

Leia mais

UMA ESTRATÉGIA PARA GESTÃO INTEGRADA DE PROCESSOS E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ATRAVÉS DA MODELAGEM DE PROCESSOS DE NEGÓCIO EM ORGANIZAÇÕES

UMA ESTRATÉGIA PARA GESTÃO INTEGRADA DE PROCESSOS E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ATRAVÉS DA MODELAGEM DE PROCESSOS DE NEGÓCIO EM ORGANIZAÇÕES UMA ESTRATÉGIA PARA GESTÃO INTEGRADA DE PROCESSOS E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ATRAVÉS DA MODELAGEM DE PROCESSOS DE NEGÓCIO EM ORGANIZAÇÕES Andréa Magalhães 1, Cláudia Cappelli 1, Fernanda Baião 1,2, Flávia

Leia mais

Proposta de abordagem de desenvolvimento de software orientado a modelos para empresas

Proposta de abordagem de desenvolvimento de software orientado a modelos para empresas Proposta de abordagem de desenvolvimento de software orientado a modelos para empresas Tânia Eiko Eishima 1, Jandira Guenka Palma 1 1 Departamento de Computação Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Leia mais

João Víctor Rocon Maia Engenharia de Computação - UFES

João Víctor Rocon Maia Engenharia de Computação - UFES João Víctor Rocon Maia Engenharia de Computação - UFES Agenda Quem usa? Conceito Ilustração Vantagens Tipologia Topologia Como fazer? O que é preciso? Infraestrutura Sistema Operacional Software Eucalyptus

Leia mais

Enterprise Content Management [ECM] Impulsionando o Poder da Informação

Enterprise Content Management [ECM] Impulsionando o Poder da Informação Enterprise Content Management [ECM] Impulsionando o Poder da Informação O SoftExpert ECM Suite provê as tecnologias utilizadas para criar, capturar, gerenciar, armazenar, preservar e distribuir todos os

Leia mais

Prof. Luís Veiga IST / INESC-ID Lisboa

Prof. Luís Veiga IST / INESC-ID Lisboa PADI Plataformas para Aplicações Distribuídas na Internet Apresentação Prof. Luís Veiga IST / INESC-ID Lisboa https://fenix.ist.utl.pt/disciplinas/padi12/2011-2012/2 2012/2-semestre 2011-12 LAV INESC-ID/IST

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA. Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado

A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA. Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado O Plano Tecnológico da Educação (PTE), aprovado pela Resolução de

Leia mais

CE também significa Crime Electrónico. Imperativos éticos no comércio electrónico / negócio electrónico

CE também significa Crime Electrónico. Imperativos éticos no comércio electrónico / negócio electrónico Imperativos éticos no comércio electrónico / negócio electrónico Luís Manuel Borges Gouveia Dezembro /99 Adaptado da apresentação de Rafee Yusoff, Junho /98 COMÉRCIO ELECTRÓNICO & NEGÓCIO ELECTRÓNICO DEFINIÇÃO

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Prof. Adriano Avelar Site: www.adrianoavelar.com Email: eam.avelar@gmail.com Mecanismos de Comunicação Protocolos de Aplicação Mecanismos de comunicação

Leia mais

Primeira Sessão Pública de Apresentação 30 de Janeiro de 2015, Lisboa

Primeira Sessão Pública de Apresentação 30 de Janeiro de 2015, Lisboa Primeira Sessão Pública de Apresentação 30 de Janeiro de 2015, Lisboa Artur Pimenta Alves Comissão Fundadora, Diretor Executivo NEM Portugal Diretor INESC TEC palves@inesctec.pt Agenda e Agradecimentos

Leia mais

Lig@dos para um ensino melhor

Lig@dos para um ensino melhor Conhecer e partilhar para inovar na Educação Alexandre Martins Lima alima@anpri.pt Ana Paula Jacinto Ferreira apjferreira@anpri.pt Associação Nacional de Professores de Informática Associação Nacional

Leia mais