Transporte Vertical em Edifícios Como projetar edifícios com elevadores?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Transporte Vertical em Edifícios Como projetar edifícios com elevadores?"

Transcrição

1 Transporte Vertical em Edifícios Como projetar edifícios com elevadores?

2 Nós movimentamos 1 bilhão de pessoas a cada dia...

3 Grupo Schindler

4 Grupo Schindler - Fundado por Robert Schindler, em 1874, na Suíça funcionários presentes em mais de 100 países

5 Grupo Schindler Referência em Mobilidade Hotéis Escritórios Hospitais Aeroportos Indústrias Transatlânticos Edifícios Residenciais Shopping Centers

6 Atlas Schindler no Brasil Atuação há mais de 90 anos funcionários 2 Fábricas no Brasil Centro de Treinamento Centro de Pesquisa e Desenvolvimento 6 Regionais / filiais 150 Postos de Atendimento Avançado Líder em Transporte Vertical no Brasil

7 Atlas Schindler no Brasil Fabrica em Londrina Moderno e automatizado centro de produção Plataforma de exportação para América Latina Área de m²

8 Como projetar edifícios com elevadores?

9 Manual de Transporte Vertical Bibliografia

10 Introdução ao Planejamento de Transporte Vertical 1- Como projetar edifícios com elevadores? 2- Quantos elevadores devo ter? 3- Quais são as suas dimensões? 4- Onde localizar o elevador no edifício?

11 Elevadores de Passageiros Conhecimentos iniciais: Normas da ABNT NORMA NBR Elevadores Elétricos - Terminologia NORMA NBR - NM 207 Elevadores Elétricos de Passageiros:Requisitos de Segurança para construção e Instalação NORMA NBR Cálculo de Tráfego nos Elevadores Procedimentos NORMA NBR - NM 195 Projeto, Fabricação e Instalação de Escadas e Esteiras Rolantes Procedimentos

12 Considerações Iniciais Fonte: Manual de Transporte Vertical

13 Considerações Iniciais

14 Visão Geral do Projeto Arquitetônico e de Transporte Vertical

15 Os edifícios modernos ainda precisam ter casa de máquinas?

16 Novas tecnologias dispensam a construção de casas de máquinas

17 Por que sem Casa de Máquinas? Uma nova tendência Representa uma grande evolução nos processos de construção de edifícios Permite novas alternativas para concepção arquitetônica Reduz os custos com a obra civil

18 Localização da máquina na caixa Máquina de tração na parte superior da caixa (vista externa) Inversor e máquina de tração instalados na parte superior da caixa do elevador (vista interna)

19 Localização do painel de comando no hall Painel eletrônico de comando dentro do marco da porta do elevador Marco da porta do elevador no hall Botoeira de chamada no hall

20 Benefícios Benefícios Construção de 1 pavimento a mais dentro do mesmo gabarito ou Construção de 1 pavimento de lazer na cobertura

21 Resultados Diferenciação Valorização Imobiliária Maior rentabilidade

22 Edifícios com e sem casa de máquinas Análise Comparativa Laje do teto do último piso 2,00m 3,75m Laje do último piso 4,20m Schindler 3100 Schindler 3300 Schindler 5300 Laje do piso inferior convencional 1,25m 1,5m Dimensões do poço e última parada menores que as de elevadores convencionais e não tem a altura da casa de máquinas

23 Conclusão: Flexibilidade para o projeto Residências Heliporto Garagens Arquitetura diferenciada

24 Como deve ser projetado o edifício para atender a Norma NM 207

25 Projeto da Casa de Máquinas Destinada à colocação das máquinas, painéis de comando e seletor, limitador de velocidade, e outros componentes do sistema. Posicionamento ideal na parte superior do edifício. Destinada exclusivamente aos equipamentos dos elevadores. Piso, paredes e cobertura construídos de material incombustível, com isolamento térmico. Acesso por escada fixa. Ventilação natural e cruzada e alçapão no piso.

26 Projeto da Casa de Máquinas Planta baixa Casa de Máquinas : Ventilação cruzada Ventilação cruzada Máquinas de Tração Porta de acesso abrindo para fora Quadro de força Extintor Tomadas Ganchos de aço no teto Alçapão

27 Construção da Casa de Máquinas Obra civil Posição da máquina de tração antes da concretagem Posição do alçapão antes da concretagem Laje de piso da casa de máquinas antes da concretagem

28 Casa de Máquinas Outras exigências da NM 207 Corte Altura mínima de 2,00 m variando em função da velocidade e especificação da aplicação (medida E) Acesso com segurança, desde a rua, sem necessidade de passar por local privado. Inclinação máxima das escadas de acesso 45 o, largura mínima de 0,70m, patamar coincidente com a porta de entrada que deve abrir para fora. Dimensionamento variável, de acordo com o equipamento a ser instalada com área sempre maior que as caixas dos elevadores. Quando a função do edifício exigir, as paredes, piso e teto devem absorver substancialmente o ruído de funcionamento dos equipamentos.

29 Casa de Máquinas Recomendação para Projeto da Caixa D Agua

30 Projeto da Caixa dos Elevadores Corte A caixa é o recinto formado por paredes verticais, fundo do poço e teto onde se movimentam o carro e o conta-peso As paredes devem ser construídas de material incombustível formando superfície lisa Não pode existir na caixa qualquer equipamento além do necessário para o funcionamento do elevador O espaço livre superior da caixa (medida D) é maior que a altura da última parada e está relacionado à velocidade da cabina IMPORTANTE : para distâncias superiores a 11m entre paradas consecutivas deve ser prevista uma porta de emergência com espaçamento <10m

31 Projeto da Caixa dos Elevadores Posicionamento das Portas e Contra-Peso Portas simultâneas telescópicas automáticas de abertura lateral requerem menor largura no hall (medida A) Portas simultâneas de abertura central necessitam de maior largura no hall (medida A) O dimensionamento da caixa deve comportar a cabina, as portas de cabina e pavimento, o contrapeso, as guias da cabina e do contra-peso Abertura lateral Abertura central

32 A obra civil e o prumo na caixa: Figura 3

33 Dimensionamento DIMENSIONAMENTO das caixas DAS CAIXAS Elevadores panorâmicos e com portas opostas Posicionamento do contra-peso ao lado Requer a construção de viga divisória na caixa para fixação das guias da cabina Portas opostas são mais aplicadas em edifícios hospitalares Soluções pouco recomendadas que implicam em prazos maiores de fabricação e impactam o custo de aquisição.

34 Projeto do Poço dos Elevadores Corte É o recinto situado abaixo do piso da parada extrema inferior na projeção da caixa.. Não deve existir no poço qualquer equipamento que não faça parte do elevador.. A profundidade do poço está relacionada com a velocidade da cabina (medida C) NOTA : não deve ser prevista a construção de recintos habitados ou circulação por baixo das áreas dos poços. A não observância desta regra exigirá a instalação de freios de segurança nos contrapesos, reduzindo a área da cabina e como conseqüência alterando o cálculo de tráfego.

35 Construção do Poço dos Elevadores Obra civil O poço deve ser impermeável, fechado, e aterrado sem interferências de sapatas ou vigas de fundação. Entre os poços de elevadores adjacentes deve existir parede divisória com altura mínima de 2m.. Modelos de para choques Instalação dos para choques Hidráulicos Molas Baixas velocidades Altas velocidades

36 Recomendações Gerais Em instalações de grande porte com grupos de 5 ou mais elevadores recomenda-se que o hall principal seja aberto em seus extremos. Estando os elevadores fisicamente próximos ou agrupados será conveniente projetar uma única casa de máquinas. Benefícios: Distribuição racional das cargas no projeto estrutural. Economia de paredes divisórias. Concentração das instalações elétricas, isolação térmica, acústica e redes de monitoramento predial. Agilidade de montagem.

37 Dimensionamentos de Referência Casa de Máquinas, Caixa e Poço Medidas para vista em Corte Medidas de referência em função da velocidade da cabina

38 Introdução ao Planejamento de Transporte Vertical 1-Como projetar um edifício com elevador? 2- Quantos elevadores devo ter? 3- Quais são as suas dimensões? 4- Onde localizar o elevador no edifício?

39 Vamos fazer o Cálculo de Tráfego e dimensionar os elevadores do edifício

40 Cálculo de Tráfego NBR 5665 Formulário Modelo Elevadores Atlas Schindler S.A. CÁLCULO DE TRÁFEGO - NBR 5665 Local: Proprietário: Autor do Projeto: Construtor: Destinação de Uso: Lagoa Rodrigo de Freitas Condominio Sea Side Arq. CHL Apartamentos POPULAÇÃO: Composição: Relação População total 40 aptos. 3 dormitórios 5 pessoas/apto 200 Porcetagem mínima a ser transportada 10% 20 Intervalo de Trafego Máximo admissível (s) ELEVADORES 1 Unidades no Grupo 2 2 Capacidade (passageiros) 9 3 Paradas 13 4 Paradas Prováveis 7,52 5 Percurso (m) 36 6 Velocidade (m/s) 1 7 Tipo de Portas AL.. 8 Abertura Livre (m) 0,80.. TEMPOS ADOTADOS 9 Aceleração e retardamento 3,0 10 Abertura e fechamento 5,5 11 Entrada e saida de passageiros 5,0 TEMPOS TOTAIS CALCULADOS 12 T1-Percurso Total 72,00 13 T2-Aceleração e retardamento 11,28 14 T3-Abertura e fechamento das portas 41,36 15 T4-Entrada e saida de passageiros 45,00 Soma parcial (T1+T2+T3+T4) 169,64 Adicional 10% (T3+T4) 8,64 16 T - Tempo total de viagem 178,28 17 I - Intervalo de tráfego (s) 89,14 89,14 18 Capacidade de transporte (passageiros) 15,15 19 Capacidade de tráfego (passageiros) 30,29 30,29

41 O que é o Cálculo de Tráfego É a sistemática que permite avaliar se a quantidade de elevadores e a área das caixas previstas serão satisfatórias para proporcionar um transporte vertical adequado ao fluxo de pessoas do edifício. Norma a ser seguida: NBR Várias leis federais, estaduais e municipais fazem exigências adicionais.para expedição de alvarás de instalação e funcionamento vários municípios exigem a apresentação formal do Cálculo de Tráfego.

42 Variáveis do tráfego Do prédio: - População - Paradas - Percurso Do elevador: - Número de unidades - Capacidade - Velocidade - Tipo de portas

43 Cálculo de tráfego Porcentagem mínima para edifícios de escritórios em geral

44 Cálculo da população do edifício Item 5.2 NBR 5665 Cálculo da População em função do tipo de edifício Pessoas % 5 min escritórios em geral e consultórios ( m2 de sala ) 1 / 7m2 12% escritórios de única entidade ( m2 de sala ) 1 / 7m2 15% apartamentos de 1 dormitório 2 10% apartamentos de 2 dormitórios 4 10% apartamentos de 3 dormitórios 5 10% apartamentos de 4 ou mais dormitórios 6 10% ( incluir dormitório de serviçal quando houver ) 1 10% hotéis ( por dormitório ) 2 10% hospitais ( por leito ) 2,5/leito 12% hospitais c/ monta cargas p/ nutrição e tubos de queda 2,5/leito 8% restaurantes ( m2 de salão de refeições ) 1 / 1,5 m2 6% escolas ( m2 de salas de aula) 1 / 2 m2 20% escolas ( m2 de salas de salas de administração ) 1 / 7 m2 20% edifícios garagem c/ rampas s/ manobrista 1,4/vaga 10% lojas e centros comerciais 1 / 4 m2 10%

45 Intervalo de tráfego máximo admissível Edifícios Comerciais Nº DE ELEVADORES FINALIDADE DO PRÉDIO Geral (exceto apartamentos) Geral (exceto apartamentos) Geral (exceto apartamentos) 4 ou mais escritórios de uma única entidade escritórios em geral e consultórios hospitais hotéis escolas lojas garagens restaurantes INTERVALO DE TRÁFEGO MÁXIMO (s)

46 Tempos adotados (segundos) Tabela 8 - Tempo de aceleração e retardamento VELOCIDADE(m/s) TEMPO POR PARADA 0,75 2,5 1,00 3,0 1,25 3,0 1,50 3,5 1,75 4,0 2,00 4,5 2,50 5,5 Acima de 2,50 6,0 Tabela 9 - Tempo de abertura e fechamento de portas TIPO DE PORTA TEMPO POR PARADA Abertura central (AC) 3,9 Abertura lateral (AL) 5,5 eixo vertical (EV)* 6,0 Tabela 10 - Tempo de entrada e saída de passageiros ABERTURA DA PORTA TEMPO POR PASSAGEIRO Menor que 1,10m 2,4 maior ou igual a 1,10m 2,0

47 Cálculo de Tráfego NBR 5665 Exercício Prático CÁLCULO DE TRÁFEGO - NBR 5665 Data: Local: Proprietário: Autor do Projeto: Construtor: Destinação de Uso: 27/6/2009 Escritórios Única Entidade POPULAÇÂO: 1 Composição: 2 Relação area / habitante 3 População do prédio 4 População a transpotar 5 min 0 Informar População do Prédio 15 % 5 Intervalo de Trafego Máximo 40 ELEVADORES TOTAL Identificação 6 Unidades no Grupo 0 Capac.Nominal Passageiros 7 Capac. Passag.para Cálculo 8 Número de Paradas #DIV/0! 9 Núm.de Paradas Prováveis 10 Percurso (m) 11 Velocidade (m/s) 12 Tipo de Porta(AC/AL/EV) AL AL AL AL AL AL 13 Abertura da Porta (m) 0,80 1 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 TEMPOS ADOTADOS 14 Aceleração e Retardamento 15 Abertura e Fechamento 16 Entrada e Saida de Passageiros TEMPOS TOTAIS CALCULADOS 17 T1-Percurso Total 18 T2-Aceleração e Retardamento 19 T3-Abertura e Fechamento 20 T4-Entrada e Saida de Passag. 21 Soma Parcial (T1+T2+T3+T4) 22 Adicional 10% (T3+T4) 23 Tempo Total de Viagem 24 Intervalo de Tráfego (s) #DIV/0! 25 Capac.Transporte (passageiros) #DIV/0! 26 Capac.Tráfego (passageiros) - Grau de Serviço #DIV/0!

48 Introdução ao Planejamento de Transporte Vertical 1-Como projetar um edifício com elevador? 2- Quantos elevadores devo ter? 3- Quais são as suas dimensões? 4- Onde localizar o elevador no edifício?

49 Aplicações usuais de velocidades e capacidades VELOCIDADE CAPACIDADE DA CABINA (PESSOAS) m/s (m/min) ,60 (36) 0,75 (45) 1,00 (60) 1,25 (75) 1,50 (90) 1,75 (105) 2,00 (120) 2,50 (150) 3,00 (180) 3,50 (210) 4,00 (240) 5,00 (300)

50 Dimensionamento das caixas

51 Dimensionamento das caixas Exemplo

52 Dimensionamento Exemplo: Schindler 3300 Porta de abertura central (8 e 9 passageiros) Porta telescópica (7, 8 e 9 passageiros) Distância entre pisos (HE): mín mm

53 Introdução ao Planejamento de Transporte Vertical 1-Como projetar um edifício com elevador? 2- Quantos elevadores devo ter? 3- Quais são as suas dimensões? 4- Onde localizar o elevador no edifício?

54 Posicionamento dos elevadores no hall: Edifícios de pequeno e médio portes SIM SIM SIM NÃO SIM NÃO

55 SIM ACEITÁVEL SIM SIM SIM SIM

56 Escada Rolante S9300

57 Escada Rolante S tipo 10/30 - K

58 Esteira Rolante S tipo 10/ 10-12oK 10

59 Elevadores Atlas Schindler Marketing

60 Temas

61 Palestra para download Senha: schindler

62 Site

63 Obrigado.

Transporte Vertical Normas Brasileiras e Cálculo de Tráfego

Transporte Vertical Normas Brasileiras e Cálculo de Tráfego Transporte Vertical Normas Brasileiras e Cálculo de Tráfego Elevadores de Passageiros Conhecimentos iniciais: Normas da ABNT NORMA NBR - 5666 Elevadores Elétricos - Terminologia NORMA NBR - NM 207 Elevadores

Leia mais

REF: Layout Elevadores e Torre Metálica Elaboração de Anteprojeto de torre metálica para instalação de 02(dois) elevadores panorâmicos

REF: Layout Elevadores e Torre Metálica Elaboração de Anteprojeto de torre metálica para instalação de 02(dois) elevadores panorâmicos Porto Alegre, 18 de junho de 2012. A Assembleia Legislativa do RS Porto Alegre, RS REF: Layout Elevadores e Torre Metálica Elaboração de Anteprojeto de torre metálica para instalação de 02(dois) elevadores

Leia mais

Aula 5 : Circulação Vertical Escadas, Rampas e Elevadores

Aula 5 : Circulação Vertical Escadas, Rampas e Elevadores Aula 5 : Circulação Vertical Escadas, Rampas e Elevadores Escadas Escada é o elemento de composição arquitetônica cuja função é proporcionar a possibilidade de circulação vertical entre dois ou mais pisos

Leia mais

Manual de Transporte Vertical em Edifícios Elevadores de Passageiros, Escadas Rolantes, Obra Civil e Cálculo de Tráfego.

Manual de Transporte Vertical em Edifícios Elevadores de Passageiros, Escadas Rolantes, Obra Civil e Cálculo de Tráfego. Manual de Transporte Vertical em Edifícios Elevadores de Passageiros, Escadas Rolantes, Obra Civil e Cálculo de Tráfego. PREFÁCIO É com satisfação que Elevadores Atlas Schindler dá continuidade a este

Leia mais

CÁLCULO DAS POTÊNCIAS DE BOMBAS E ELEVADORES

CÁLCULO DAS POTÊNCIAS DE BOMBAS E ELEVADORES UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Disciplina: Materiais, Equip. e Instalações Prediais 2010.1 CÁLCULO DAS POTÊNCIAS DE

Leia mais

Metodologia para Cálculo de Tráfego de elevadores considerando novas tecnologias.

Metodologia para Cálculo de Tráfego de elevadores considerando novas tecnologias. Artigo Técnico: Otimização do transporte vertical na construção civil. Novas tecnologias permitem reduzir a área destinada aos elevadores e atender ao tráfego vertical nas edificações. Metodologia para

Leia mais

FICHA TÉCNICA ELEVADOR DE CARGA VERTCARGO

FICHA TÉCNICA ELEVADOR DE CARGA VERTCARGO Rua Rishin Matsuda, 562 Vila Santa Catarina CEP 04371-000 São Paulo SP Tel. 11 5563-6477 Fax 11 5563-3107 www.elevadoreszenit.com.br FICHA TÉCNICA ELEVADOR DE CARGA VERTCARGO ORIENTAÇÃO ELEVADORES CARGAS

Leia mais

Elevadores de Passageiros Schindler

Elevadores de Passageiros Schindler Prático e Eficaz. Elevadores para edifícios residenciais de pequeno porte que atendem suas necessidades e tornam a sua vida mais fácil. Elevadores de Passageiros Schindler 2 Schindler 3300 Os principais

Leia mais

All you need is a hoistway

All you need is a hoistway All you need is a hoistway O elevador sem casa de máquinas. Mais liberdade para seus projetos! A Otis sabe que não se trata de qualquer projeto - é o seu projeto. Com o sistema Gen2, reexaminamos cada

Leia mais

PL6 FOI SUBSTITUÍDA PELA PL7 PARA QUE CONTINUE ATENDENDO ÀS NOVAS NORMAS

PL6 FOI SUBSTITUÍDA PELA PL7 PARA QUE CONTINUE ATENDENDO ÀS NOVAS NORMAS APRESENTAÇÃO DE NOSSAS PLATAFORMAS ELEVATÓRIAS A DWA apresenta uma solução econômica para quem tem duplex, desníveis acentuados, acessos para pessoas que necessitam de auxílio na locomoção e outras soluções

Leia mais

Soluções em mobilidade vertical para hospitais. Quando o que mais importa é confiabilidade e eficiência. Elevadores hospitalares Schindler

Soluções em mobilidade vertical para hospitais. Quando o que mais importa é confiabilidade e eficiência. Elevadores hospitalares Schindler Soluções em mobilidade vertical para hospitais. Quando o que mais importa é confiabilidade e eficiência. Elevadores hospitalares Schindler Ambientes onde precisão e confiabilidade são requisitos mínimos.

Leia mais

plataforma elevatória até 4m modelos ac08 ac11 acionamento hidráulico

plataforma elevatória até 4m modelos ac08 ac11 acionamento hidráulico plataforma elevatória até 4m modelos ac08 ac11 acionamento hidráulico JUL/2011 Acionamento Hidráulico Atende às normas NBR 9050 e NBR15655-1 Movimentação por botão de pressionamento constante ou joystick

Leia mais

EL2000. Elevadores Residenciais e de Uso Restrito para Acessibilidade. Guia de especificação para o modelo 2913. Revisão: Novembro de 2008

EL2000. Elevadores Residenciais e de Uso Restrito para Acessibilidade. Guia de especificação para o modelo 2913. Revisão: Novembro de 2008 EL000 Elevadores Residenciais e de Uso Restrito para Acessibilidade Guia de especificação para o modelo 913 Revisão: ovembro de 008 EL 000 Elevador Residencial Unifamiliar A Montele fabrica há 5 anos o

Leia mais

Schindler 5300 Personalidade. Muito espaço. Sofisticação e modernidade para os elevadores de seu edifício.

Schindler 5300 Personalidade. Muito espaço. Sofisticação e modernidade para os elevadores de seu edifício. Personalidade. Muito espaço. Sofisticação e modernidade para os elevadores de seu edifício. Elevadores de Passageiros Schindler 2 Schindler 3300 Três benefícios. Seus desejos são uma ordem. Espaço Mais

Leia mais

Schindler 3600 Muito espaço. Visual perfeito. Suavidade. Você terá uma experiência inesquecível em nossos elevadores.

Schindler 3600 Muito espaço. Visual perfeito. Suavidade. Você terá uma experiência inesquecível em nossos elevadores. Muito espaço. Visual perfeito. Suavidade. Você terá uma experiência inesquecível em nossos elevadores. Elevadores de Passageiros Schindler . Viagens muito mais rápidas, suaves e confortáveis para um número

Leia mais

INSTALAÇÃO E SEGURANÇA NOS ELEVADORES

INSTALAÇÃO E SEGURANÇA NOS ELEVADORES INSTALAÇÃO E SEGURANÇA NOS ELEVADORES Objetivo: Analisar as condições de funcionamento e segurança dos seus equipamentos 19/06/2015 Autor: LUIZ BARATTA - SENGE / RJ 1 HISTÓRICO Estima-se que no Brasil

Leia mais

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura.

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura. ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 4 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos 2 de abril, 2003. CONCEPÇÃO ESTRUTURAL A concepção estrutural, ou simplesmente estruturação, também chamada

Leia mais

ANEXO II MEMORIAL DESCRITIVO PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM CRUZ ALTA/RS

ANEXO II MEMORIAL DESCRITIVO PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM CRUZ ALTA/RS ANEXO II MEMORIAL DESCRITIVO PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM CRUZ ALTA/RS Página 1 de 7 I. OBJETIVO O presente documento visa estabelecer os requisitos, condições e diretrizes técnicas e administrativas necessárias

Leia mais

Linha de Produtos. ThyssenKrupp Elevadores A Empresa. Elevadores convencionais, panorâmicos e. hidráulicos. Elevadores sem casa de máquinas.

Linha de Produtos. ThyssenKrupp Elevadores A Empresa. Elevadores convencionais, panorâmicos e. hidráulicos. Elevadores sem casa de máquinas. ThyssenKrupp Elevadores A Empresa Linha de Produtos Elevadores convencionais, panorâmicos e hidráulicos. Elevadores sem casa de máquinas. Home Lift. Escadas e esteiras rolantes. Fingers (passarelas para

Leia mais

TK Elevadores. Americas Business Unit

TK Elevadores. Americas Business Unit TK Elevadores Americas Business Unit tk synergy um mundo, uma empresa, uma solução. O elevador que se adapta a qualquer prédio. Para obras novas ou de modernização, a ThyssenKrupp Elevadores desenvolveu

Leia mais

E L E V A D O R A C E S S I B I L I D A D E

E L E V A D O R A C E S S I B I L I D A D E E L E V A D O R A C E S S I B I L I D A D E REV DEZ/2011 Imagens meramente ilustrativas. Com mais de 15 anos de mercado, a Daiken apresenta a experiência e a tecnologia de uma empresa que é referência

Leia mais

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS CAPÍTULO 4: CAIXAS DE SAÍDA CONDIÇÕES As caixas de saída devem ser projetadas nas tubulações secundárias nas seguintes condições: a) Nas entradas e saídas de fios telefônicos nos eletrodutos; b) Para diminuir

Leia mais

PUC- RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 1028 DESENHO DE ARQUITETURA I

PUC- RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 1028 DESENHO DE ARQUITETURA I PUC- RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 1028 DESENHO DE ARQUITETURA I Circulações Verticais São meios não mecânicos e mecânicos que permitem a ligação entre planos de níveis

Leia mais

Anexo VI - Memorial Para Sistemas Mecânicos (Elevador)

Anexo VI - Memorial Para Sistemas Mecânicos (Elevador) Anexo VI - Memorial Para Sistemas Mecânicos (Elevador) Nota: As especificações técnicas abaixo são um modelo a ser adaptado para cada caso. ELEVADOR ELÉTRICO AUTOMÁTICO PARA TRANSPORTE DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Leia mais

Sem mais para o momento e agradecendo a atenção dispensada. Atenciosamente. AFONSO C. GAPPO Engº CREA Nº38219-D RJ

Sem mais para o momento e agradecendo a atenção dispensada. Atenciosamente. AFONSO C. GAPPO Engº CREA Nº38219-D RJ CARTA Nº 11.0529/10 Rio de Janeiro, 19 de novembro de 2010. À RENTA ENGENHARIA Av. das Américas, nº 1155/17º andar Barra da Tijuca. Rio de Janeiro/RJ. At.: Sra. Tanit Marinho ASS.: Transporte Vertical

Leia mais

Grife Sky Versatilidade sem limites

Grife Sky Versatilidade sem limites Grife Sky Versatilidade sem limites TK Elevadores mericas usiness Unit ThyssenKrupp Elevadores Empresa 3 Fábrica de Guaíba - RS Linha de Produtos Elevadores convencionais, panorâmicos e hidráulicos. Elevadores

Leia mais

Schindler 3300 Muito espaço. Visual perfeito. Suavidade. Você terá uma experiência inesquecível em nossos elevadores.

Schindler 3300 Muito espaço. Visual perfeito. Suavidade. Você terá uma experiência inesquecível em nossos elevadores. Muito espaço. Visual perfeito. Suavidade. Você terá uma experiência inesquecível em nossos elevadores. Elevadores de Passageiros Schindler 2 Três benefícios. Seus desejos são uma ordem. Espaço Mais espaço

Leia mais

ANEXO II ESPECIFICAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS E ROTINAS DE MANUTENÇÃO ED. SEDE ELEVADORES ATLAS SCHINDLER

ANEXO II ESPECIFICAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS E ROTINAS DE MANUTENÇÃO ED. SEDE ELEVADORES ATLAS SCHINDLER ANEXO II ESPECIFICAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS E ROTINAS DE MANUTENÇÃO 1. Identificação: ED. SEDE ELEVADORES ATLAS SCHINDLER 1.1. Elevador nº 1 Uso privativo dos juízes 1.2. Elevador nº 2 Uso de Serviço (Cargas)

Leia mais

Manual de Referência Técnica ELEVAC 200

Manual de Referência Técnica ELEVAC 200 Manual de Referência Técnica ELEVAC 200 t e c n o l o g i a em e l e v a d o r e s t e c n o l o g i a em e l e v a d o r e s APRESENTAÇÃO O Elevador Pneumático Elevac-200, com patente registrada, fabricado

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de

Leia mais

SHORT TRAVEL STANDARD SH ST ALVENARIA

SHORT TRAVEL STANDARD SH ST ALVENARIA 2 SHORT TRAVEL STANDARD SH ST ALVENARIA Com um conceito que busca facilidades, desenvolvemos uma plataforma cabinada, compacta e moderna, perfeita para o tipo de aplicação em estrutura de alvenaria. Com

Leia mais

HTS ELEVADORES IND. E COM. LTDA.

HTS ELEVADORES IND. E COM. LTDA. HTS ELEVADORES IND. E COM. LTDA. ELEVADORES DE OBRA ELEVADOR DE OBRA ELEVADOR DE OBRA Controle automático digital Eficiência de consumo: quando o a velocidade ou carga está abaixo da condição de regime

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas Prof. Guilherme Brigolini

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas Prof. Guilherme Brigolini UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas Prof. Guilherme Brigolini Elementos de Circulação o conjunto de elementos de um edifício destinado ao movimento de pessoas:

Leia mais

PLATAFORMA ELEVATÓRIA MODELO ACCESS BASIC ACIONAMENTO POR FUSO

PLATAFORMA ELEVATÓRIA MODELO ACCESS BASIC ACIONAMENTO POR FUSO PLATAFORMA ELEVATÓRIA MODELO ACCESS BASIC ACIONAMENTO POR FUSO PLATAFORMA ELEVATÓRIA MODELO ACCESS BASIC Indicação Indicada para permitir acesso a desníveis de até 2m. Acesso a mezaninos, entradas de edifícios

Leia mais

plataforma elevatória ac 02 acionamento por fuso

plataforma elevatória ac 02 acionamento por fuso plataforma elevatória ac 02 acionamento por fuso OUT / 2011 plataforma elevatória ac 02 Indicação Indicada para permitir acesso a desníveis de até 2m. Acesso a mezaninos, entradas de edifícios residenciais

Leia mais

Manual de Referência Técnica Elevac 200

Manual de Referência Técnica Elevac 200 Apresentação O Elevador Pneumático Elevac, fabricado pela Elevac Tecnologia em Elevadores, indústria brasileira, com patente registrada, é um sistema de transporte vertical pneumático, sem cabos, pistões

Leia mais

C. Manual Técnico. Projeto de Arquitetura VI. Universidade Presbiteriana Mackenzie Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Arquitetura e Urbanismo

C. Manual Técnico. Projeto de Arquitetura VI. Universidade Presbiteriana Mackenzie Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Arquitetura e Urbanismo Universidade Presbiteriana Mackenzie Faculdade de Projeto de Arquitetura VI 1 º Semestre 2006 Matutino / Vespertino - Estrutura do texto e seleção das imagens Arq. Augusto França Arq. Cristine Gallinaro

Leia mais

ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL DE UMA ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO

ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL DE UMA ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - Como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL

Leia mais

FÓRUM NORDESTE SOBRE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DO TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO JOÃO PESSOA, 24/02/2016

FÓRUM NORDESTE SOBRE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DO TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO JOÃO PESSOA, 24/02/2016 FÓRUM NORDESTE SOBRE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DO TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO JOÃO PESSOA, 24/02/2016 NOVAS EXIGÊNCIAS LEGAIS APLICÁVEIS AOS ELEVADORES DE OBRAS ANTONIO PEREIRA DO NASCIMENTO SRTE-SP

Leia mais

Memorial Descritivo. Montreal Plaza

Memorial Descritivo. Montreal Plaza Memorial Descritivo Montreal Plaza MEMORIAL DESCRITIVO MONTREAL PLAZA A - INSTALAÇÕES PREDIAIS 1. SISTEMA AUXILIAR DE ENERGIA (GERADOR) Instalação de um grupo de geradores para atender: Área comum: Recepção,

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Este informativo foi elaborado visando a padronização para a Apresentação de Projetos junto ao da Associação, para que a análise e a aprovação de projetos transcorram de forma mais rápida e eficiente.

Leia mais

INSTALAÇÃO E SEGURANÇA NOS ELEVADORES

INSTALAÇÃO E SEGURANÇA NOS ELEVADORES INSTALAÇÃO E SEGURANÇA NOS ELEVADORES Objetivo: Analisar as condições de funcionamento e segurança dos seus equipamentos 09/11/2014 Autor: LUIZ BARATTA - SENGE / RJ 1 NORMAS ABNT ABNT NBR 5665:1983 ERRATA

Leia mais

QUESTÃO 26 TRT-3-2009

QUESTÃO 26 TRT-3-2009 QUESTÃO 55 PETROBRÁS DISTRIBUIDORA S.A 2010 Em relação ao projeto de elevadores para o transporte de pessoas, é instruído tecnicamente que o(a) A) conjunto formado por cabine, armação, plataforma e contrapeso

Leia mais

CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS

CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS CPR MG COMITÊ PERMANENTE REGIONAL NR-18 APLICADA AOS CANTEIROS DE OBRAS ELEVADOR A CABO ELEVADOR DE CREMALHEIRA Elevador de cremalheira e pinhão Maior custo compra / aluguel; Maior padrão de segurança;

Leia mais

SOLUÇÕES PARA FACHADA. metax.com.br

SOLUÇÕES PARA FACHADA. metax.com.br SOLUÇÕES PARA FACHADA metax.com.br Passarela para pedestres Estes equipamentos são utilizados em locais onde a instalação do andaime fachadeiro obstrui a passagem de via, ou seja, a fachada do prédio não

Leia mais

elevador access acionamento hidráulico

elevador access acionamento hidráulico elevador access acionamento hidráulico SET/2013 elevador access Indicado para permitir acesso a desníveis de até 7m Acesso a pavimentos (entre andares) em edificações residenciais e comerciais como bancos,

Leia mais

MANUAL DE REFERÊNCIA TÉCNICA - ELEVAC 200 APRESENTAÇÃO PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO

MANUAL DE REFERÊNCIA TÉCNICA - ELEVAC 200 APRESENTAÇÃO PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO 1 MANUAL DE REFERÊNCIA TÉCNICA - ELEVAC 200 APRESENTAÇÃO O Elevador Pneumático Elevac-200, com patente registrada, fabricado pela Elevac Tecnologia em Elevadores, indústria brasileira, é um sistema de

Leia mais

Divisão Administrativa e Financeira Seção de Suprimento e Material

Divisão Administrativa e Financeira Seção de Suprimento e Material 1. OBJETIVO O presente memorial descritivo tem por finalidade indicar os serviços a serem executados estabelecendo Normas, Especificação de Serviços e Materiais nos aspectos pertinentes às particularidades

Leia mais

Instrução Técnica nº 43/2011 - Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes 779

Instrução Técnica nº 43/2011 - Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes 779 Instrução Técnica nº 43/2011 - Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes 779 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

Leia mais

3.8 3.9 3.10 3.11 3.12 3.13 3.14 4 DEFINIÇÕES 5 PROCEDIMENTOS 5.1. Compartimentação horizontal: 5.1.1 5.1.2 Características de construção:

3.8 3.9 3.10 3.11 3.12 3.13 3.14 4 DEFINIÇÕES 5 PROCEDIMENTOS 5.1. Compartimentação horizontal: 5.1.1 5.1.2 Características de construção: ANEXO VII AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 7 COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E COMPARTIMENTAÇÃO VERTICAL 1 OBJETIVO 1.1 Esta Norma Técnica estabelece os parâmetros da compartimentação

Leia mais

Engetax Equipamentos Ltda.

Engetax Equipamentos Ltda. Engetax Equipamentos Ltda. Oferecendo soluções para necessidades de elevação com tecnologia, qualidade e segurança há mais de 20 anos! NOSSA HISTÓRIA A ENGETAX Elevadores surgiu com o propósito único de

Leia mais

IT - 07 COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E COMPARTIMENTAÇÃO VERTICAL

IT - 07 COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E COMPARTIMENTAÇÃO VERTICAL IT - 07 COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E COMPARTIMENTAÇÃO VERTICAL SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências Normativas 4 Definições 5 Procedimentos INSTRUÇÃO TÉCNICA 07 DIRETORIA DE ATIVIDADES TECNICAS

Leia mais

PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL

PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL MEDIDAS PARA CONTER A PROPAGAÇÃO DO INCÊNDIO NOS EDIFÍCIOS Compartimentação horizontal Compartimentação vertical Controle da

Leia mais

Desoneração da Folha Aplicada à Construção Civil

Desoneração da Folha Aplicada à Construção Civil Contribuições Sociais Desoneração da Folha Aplicada à Construção Civil 1 ANEXO VII IN971/2009 DISCRIMINAÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Conforme Classificação Nacional de Atividades Econômicas

Leia mais

ELEVADORES VERSATILIDADE, TECNOLOGIA E BELEZA PARA PERCURSOS DE ATÉ 12 METROS

ELEVADORES VERSATILIDADE, TECNOLOGIA E BELEZA PARA PERCURSOS DE ATÉ 12 METROS ELEVADORES VERSATILIDADE, TECNOLOGIA E BELEZA PARA PERCURSOS DE ATÉ 12 METROS Disponível para aplicação residencial unifamiliar ou exclusivo para acessibilidade em locais públicos Capacidade: 3 pessoas

Leia mais

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE 1 Estrutura Acabamento externo SUMÁRIO DO PROJETO TORRE 5: 100% executado 95% executado - Revestimento fachada; - 100% concluído - Aplicação de textura; - 95% concluído -

Leia mais

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil.

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil. FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª MarivaldoOliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de prevenção

Leia mais

Schindler 3300 Muito espaço. Visual perfeito. Suavidade. Você terá uma experiência inesquecível em nossos elevadores

Schindler 3300 Muito espaço. Visual perfeito. Suavidade. Você terá uma experiência inesquecível em nossos elevadores Schindler 3300 Muito espaço. Visual perfeito. Suavidade. Você terá uma experiência inesquecível em nossos elevadores Elevadores de Passageiros Schindler Espaço Schindler 3300 significa espaço Ampliamos

Leia mais

Agora com. Delegação em Lisboa Tel. 21 231 89 19 Tlm 96 764 46 22 N O R M A L I Z A D O S. Aluguer MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS

Agora com. Delegação em Lisboa Tel. 21 231 89 19 Tlm 96 764 46 22 N O R M A L I Z A D O S. Aluguer MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS Agora com Delegação em Lisboa Tel. 21 231 89 19 Tlm 96 764 46 22 N O R M A L I Z A D O S Aluguer SOLUÇÕES DE ACESSO MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS BASES SIMPLES / DUPLAS - ALUMÍNIO EN 1004 classe 3 EN 1298 DE

Leia mais

Schindler 5300 Personalidade. Muito espaço. Sofisticação e modernidade para os elevadores de seu edifício

Schindler 5300 Personalidade. Muito espaço. Sofisticação e modernidade para os elevadores de seu edifício Schindler 5300 Personalidade. Muito espaço. Sofisticação e modernidade para os elevadores de seu edifício Elevadores de Passageiros Schindler Espaço Schindler 5300 significa espaço Ampliamos a cabina de

Leia mais

3 Medidas, Proporções e Cortes

3 Medidas, Proporções e Cortes 3 Medidas, Proporções e Cortes 3.1 Garagens A Figura 3.1 apresenta algumas dimensões que podem ser usadas para projetos de garagens. Em geral, para projetos residenciais, podem-se usar as dimensões de

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 09

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 09 ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 09 Compartimentação horizontal e compartimentação vertical SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME ANITA OLIVEIRA LACERDA - anitalic@terra.com.br PEDRO AUGUSTO CESAR DE OLIVEIRA SÁ - pedrosa@npd.ufes.br 1. INTRODUÇÃO O Light Steel Frame (LSF) é um sistema

Leia mais

NORMA TÉCNICA 09/2014

NORMA TÉCNICA 09/2014 É ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 09/2014 Compartimentação horizontal e vertical SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas

Leia mais

Sistema de Gerenciamento de Tráfego Miconic 10 A solução final para filas e aglomerações no seu edifício comercial.

Sistema de Gerenciamento de Tráfego Miconic 10 A solução final para filas e aglomerações no seu edifício comercial. Sistema de Gerenciamento de Tráfego Miconic 10 A solução final para filas e aglomerações no seu edifício comercial. Elevadores de Passageiros Schindler Tempo O menor tempo entre você e o seu andar O Miconic

Leia mais

Plataforma Elevatória Vertical para Cadeira de Rodas

Plataforma Elevatória Vertical para Cadeira de Rodas Plataforma Elevatória Vertical para Cadeira de Rodas TK Elevadores Plataforma elevatória vertical para cadeira de rodas A ThyssenKrupp Elevadores oferece agora dispositivos de acessibilidade em adição

Leia mais

Acompanhamento de obra Procedimentos e orientações.

Acompanhamento de obra Procedimentos e orientações. Acompanhamento de obra Procedimentos e orientações. Acompanhamento de obra Procedimentos e orientações 1. Armazenamento de equipamentos na obra. 03 2. Construção de edifícios com elevadores adjacentes.

Leia mais

Elevador de Cremalheira. ELC001-F - Catálogo Técnico 2015

Elevador de Cremalheira. ELC001-F - Catálogo Técnico 2015 Elevador de Cremalheira ELC001-F - Catálogo Técnico 2015 Conheça o Elevador de Cremalheira ELC001-F! Porque utilizar o Elevador de Cremalheira ELC001-F em minha obra? Vivemos em uma época em que a maioria

Leia mais

Notas de aulas - Concreto Armado. Lançamento da Estrutura. Icléa Reys de Ortiz

Notas de aulas - Concreto Armado. Lançamento da Estrutura. Icléa Reys de Ortiz Notas de aulas - Concreto Armado 2 a Parte Lançamento da Estrutura Icléa Reys de Ortiz 1 1. Lançamento da Estrutura Antigamente costumava-se lançar vigas sob todas as paredes e assim as lajes ficavam menores

Leia mais

Casa de steel frame - instalações (parte 4)

Casa de steel frame - instalações (parte 4) Página 1 de 6 Casa de steel frame - instalações (parte 4) As instalações elétricas e hidráulicas para edificações com sistema construtivo steel frame são as mesmas utilizadas em edificações convencionais

Leia mais

Sistemas para Estacionamento e Vagas de Garagem DUPLIKAR. Projetamos e desenvolvemos inúmeras soluções para estacionamentos.

Sistemas para Estacionamento e Vagas de Garagem DUPLIKAR. Projetamos e desenvolvemos inúmeras soluções para estacionamentos. A Empresa A Duplikar é representante autorizado da marca Engecass, queremos apresentar uma solução caso tenha necessidades de aumentar suas vagas de garagem. A Engecass é uma indústria Brasileira, fabricante

Leia mais

Instrução Técnica nº 15/2011 - Controle de fumaça Parte 2 Conceitos, definições e componentes do sistema 323

Instrução Técnica nº 15/2011 - Controle de fumaça Parte 2 Conceitos, definições e componentes do sistema 323 Instrução Técnica nº 15/2011 - Controle de fumaça Parte 2 Conceitos, definições e componentes do sistema 323 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

Leia mais

Companhia Participação da Hydro Atividade. Cia. de Alumina do Pará - CAP Alumina do Norte do Pará S.A - Alunorte

Companhia Participação da Hydro Atividade. Cia. de Alumina do Pará - CAP Alumina do Norte do Pará S.A - Alunorte Introdução Norsk Hydro ASA A Norsk Hydro ASA, com sede em Oslo, na Noruega, é uma empresa de atuação global, especializada na produção, transformação e reciclagem de alumínio. A empresa detém significativas

Leia mais

Economia de Energia. Na Modernização de elevadores

Economia de Energia. Na Modernização de elevadores Economia de Energia Na Modernização de elevadores Importância do Elevador O elevador é o equipamento mais importante do edifício. Moradores de prédios passam em média meia hora por semana dentro do elevador.

Leia mais

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Contribuição técnica nº 19 EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Autor: ROSANE BEVILAQUA Eng. Consultora Gerdau SA São Paulo, 01 de setembro de 2010. PROGRAMA Introdução Vantagens da utilização de Edifícios

Leia mais

EDIFÍCIO AFONSO PENA 2300

EDIFÍCIO AFONSO PENA 2300 EDIFÍCIO AFONSO PENA 2300 BELO HORIZONTE MG Apresentação: Condomínio Edifício Afonso Pena, 2.300 Endereço: Afonso Pena, 2.300 Bairro: Centro Esquina com Rio Grande do Norte Belo Horizonte BH Localização:

Leia mais

PORT Technology A solução inteligente para o tráfego em seu edifício. Gerenciamento de Tráfego

PORT Technology A solução inteligente para o tráfego em seu edifício. Gerenciamento de Tráfego A solução inteligente para o tráfego em seu edifício. Gerenciamento de Tráfego Nas grandes cidades, a vida segue em ritmo acelerado e constante. As megacidades do mundo enfrentam inúmeros desafios para

Leia mais

Manual de Referência Técnica ELEVAC 250

Manual de Referência Técnica ELEVAC 250 Manual de Referência Técnica ELEVAC 250 t e c n o l o g i a em e l e v a d o r e s ESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO A Plataforma Elevac 250 traz comodidade e praticidade para todas as pessoas com dificuldades permanentes

Leia mais

CIRCULAÇÕES VERTICAIS

CIRCULAÇÕES VERTICAIS CIRCULAÇÕES VERTICAIS CEG219 Desenho arquitetônico II Prof. Márcio Carboni UFPR - DEGRAF - CEG219 DESENHO ARQUITETÔNICO II - Prof. Márcio Carboni 1 CIRCULAÇÃO VERTICAL A circulação vertical tem função

Leia mais

CO Miconic BX VVVF A Modernização definitiva à sua disposição. Modernização Schindler

CO Miconic BX VVVF A Modernização definitiva à sua disposição. Modernização Schindler CO Miconic BX VVVF A Modernização definitiva à sua disposição. Modernização Schindler A solução mais completa do mercado. Os elevadores projetados há alguns anos não contavam com dispositivos para evitar

Leia mais

L A B O R A T Ó R I O A D A P T S E Escola de Arquitetura da UFMG. ROTEIRO DE INSPEÇÃO DA ACESSIBILIDADE Guia Acessível BH / RIZOMA CONSULTING14

L A B O R A T Ó R I O A D A P T S E Escola de Arquitetura da UFMG. ROTEIRO DE INSPEÇÃO DA ACESSIBILIDADE Guia Acessível BH / RIZOMA CONSULTING14 INTRODUÇÃO Este material tem o objetivo de avaliar a acessibilidade mínima de estabelecimentos comerciais e de serviço ao público. Ele avalia basicamente a acessibilidade física do local e as condições

Leia mais

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 13434 DA ABNT

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 13434 DA ABNT ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA JUNTO A DGST REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 13434 DA ABNT ANÁLISE E VISTORIA DOS SISTEMAS DE SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA Objetivo

Leia mais

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito.

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito. Ecologicamente correto Economicamente viável Socialmente justo Culturalmente aceito. ENERGIA SEGURANÇA ETE FIBRA-ÓTICA DADOS TELEFONIA PAVIMENTAÇÃO VIAS PROJETADAS GÁS ETA SINALIZAÇÃO EQUIP. URBANOS ACESSIBILIDADE

Leia mais

Manual de Referência Técnica

Manual de Referência Técnica Manual de Referência Técnica Apresentação O Elevador Pneumático ELEVAC, fabricado pela MHM,indústria brasileira, com patente registrada, é um sistema de transporte vertical pneumático, sem cabos, pistões

Leia mais

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO Arnoldo Wendler Sistema Construtivo 1 Sistema Construtivo 2 Sistema Construtivo Sistema Construtivo 3 Sistema Construtivo Comunidade da Construção DIRETRIZES

Leia mais

COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA CIVIL AQUISIÇÃO DE ELEVADOR PARA A ESTAÇÃO DE PASSAGEIROS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS DO PORTO DE FORTALEZA

COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA CIVIL AQUISIÇÃO DE ELEVADOR PARA A ESTAÇÃO DE PASSAGEIROS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS DO PORTO DE FORTALEZA COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA CIVIL AQUISIÇÃO DE ELEVADOR PARA A ESTAÇÃO DE PASSAGEIROS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS DO PORTO DE FORTALEZA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS COMPANHIA DOCAS DO CEARÁ Secretaria de

Leia mais

Assistência Técnica ThyssenKrupp Elevadores

Assistência Técnica ThyssenKrupp Elevadores Serviços de Assistência Técnica ThyssenKrupp Elevadores 1 Fábrica em Guaíba - RS 2 ThyssenKrupp Elevadores A Empresa A ThyssenKrupp Elevadores atua em todo o território nacional, representada por suas

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 09/2011

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 09/2011 Instrução Técnica nº 09/2011 - Compartimentação horizontal e compartimentação vertical 203 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME Sistema de ds A SOLUÇÃO INTELIGENTE PARA A SUA OBRA SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME www.placlux.com.br VOCÊ CONHECE O SISTEMA CONSTRUTIVO LIGHT STEEL FRAME? VANTAGENS LIGHT STEEL FRAME MENOR CARGA

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais

Instalações Elétricas Prediais Abril de 2010 Sumário Tópicos Sumário 1 As tubulações às quais se referem estas instruções devem ser destinadas exclusivamente ao uso da Concessionária que, ao seu critério, nelas poderá os servições de

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. (Proteção Periférica Primária e Secundária)

MANUAL TÉCNICO. (Proteção Periférica Primária e Secundária) MANUAL TÉCNICO (Proteção Periférica Primária e Secundária). 2 SUMÁRIO Proteção Periférica Primária e Secundária...03 Descrição Técnica...04 Sistema de Ancoragem...06 Norma Regulamentadora NR-18...07 Atualização

Leia mais

Arq. Tiago S. Ferrari Royal do Brasil Technologies S.A.

Arq. Tiago S. Ferrari Royal do Brasil Technologies S.A. Concreto PVC A Utilização do Sistema Royal para construção de casas populares. Arq. Tiago S. Ferrari Royal do Brasil Technologies S.A. O Sistema Construtivo O sistema construtivo Royal (Concreto-PVC) nasceu

Leia mais

Prevenção de Incêndios (Novo CSCIP) Mód 3 Exigências Estruturais e Arquitetônicas

Prevenção de Incêndios (Novo CSCIP) Mód 3 Exigências Estruturais e Arquitetônicas Comando do Corpo de Bombeiros Prevenção de Incêndios (Novo CSCIP) Mód 3 Exigências Estruturais e Arquitetônicas Cap. QOBM Amarildo Exigências Estruturais e Arquitetônicas SUMÁRIO Exigências Estruturais

Leia mais

Corpo de Bombeiros. Compartimentação horizontal e compartimentação vertical

Corpo de Bombeiros. Compartimentação horizontal e compartimentação vertical SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 09/2011 Compartimentação horizontal e compartimentação vertical SUMÁRIO

Leia mais

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS 12 - ESCADAS APÓS ESTUDAR ESTE CAPÍTULO; VOCÊ DEVERÁ SER CAPAZ DE: Escolher o tipo de escada ideal para a sua edificação; Calcular corretamente as

Leia mais

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE 1 Estrutura Acabamento externo: TORRE 5 100% executado 98% executado - Revestimento fachada; 100% concluído - Aplicação de textura; 100% concluído - Execução do telhado; 100%

Leia mais

ABNT NBR 14718 GUARDA-CORPOS PARA EDIFICAÇÃO

ABNT NBR 14718 GUARDA-CORPOS PARA EDIFICAÇÃO ABNT NBR 14718 GUARDA-CORPOS PARA EDIFICAÇÃO Válida a partir de: 28.02.2008 Esta Norma fixa as condições mínimas de resistência e segurança exigíveis para guarda-corpos de edificações para uso privativo

Leia mais

Prefeitura da Cidade de São Paulo Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida

Prefeitura da Cidade de São Paulo Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida MANUAL DE INSTRUÇÕES TÉCNICAS DE ACESSIBILIDADE PARA APOIO AO PROJETO ARQUITETÔNICO Manual de instruções técnicas de acessibilidade para apoio ao projeto arquitetônico PRINCÍPIOS BÁSICOS DIRETRIZES CHECK

Leia mais