CONTROLE NÃO-LINEAR FUZZY TAKAGI-SUGENO DO MOVIMENTO DE PARAPLÉGICOS UTILIZANDO ACELERÔMETROS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONTROLE NÃO-LINEAR FUZZY TAKAGI-SUGENO DO MOVIMENTO DE PARAPLÉGICOS UTILIZANDO ACELERÔMETROS"

Transcrição

1 º Congresso Brasileiro de Engenharia Biomédica ISBN: CONTROLE NÃO-LINEAR FUZZY TAKAGI-SUGENO DO MOVIMENTO DE PARAPLÉGICOS UTILIZANDO ACELERÔMETROS Ruberlei Gaino* Marcelo Carvalho Minhoto Teixeira** Rodrigo Cardim** Aparecido Augusto de Carvalho** Edvaldo Assunção** e Marcelo Augusto Assunção Sanches** *Departamento de Engenharia Elétrica/UEL Londrina Brasil **Departamento de Engenharia Elétrica/UNESP-FEIS Ilha Solteira Brasil Abstract: A simple method for design a control system to vary the joint knee angle of paraplegic patients using Function Neuromuscular Stimulation (FNS) is presented The nonlinear system is described by Takagi-Sugeno fuzzy models Closed control techniques for the rehabilitation of paraplegic patients improve the quality of (FNS) We investigated the use of accelerometers as the main sensors for feedback Accelerometers are very suitable for these applications because of their small dimension weight and cost Simulations results show that the proposed procedure is efficient and offers a good resolution for this control problem Palavras-chave: Acelerômetros Controle Não- Linear Fuzzy Takagi-Sugeno Engenharia de Reabilitação Paraplégicos Introdução A estimulação elétrica funcional (FES) tem sido utilizada na restauração de movimentos em pacientes paraplégicos tetraplégicos e hemiplégicos São vários os estudos realizados objetivando o controle do movimento de pacientes paraplégicos utilizando FES e diferentes modelos matemáticos de músculos e da articulação do joelho [] e [] Em [3] e [4] foram realizados pela primeira vez estudos e simulações da posição da perna de um paraplégico utilizando modelos fuzzy Takagi-Sugeno [5] e [6] Foi adotado o modelo matemático da perna proposto por [] que relaciona o torque do músculo com a largura de pulso do sinal de estimulação elétrica Analisou-se a estabilidade da planta utilizando-se Linear Matrix Inequalities (LMI) para a obtenção da lei de controle do regulador O projeto do regulador fuzzy foi construído através da Compensação Distribuída Paralela (CDP) [5] Este método faz a combinação fuzzy das matrizes de ganho de retroação obtendo-se um regulador fuzzy que estabiliza o sistema globalmente [6] O projeto do regulador foi realizado para o ponto de operação de 30º isto é a trajetória da perna sai do estado de repouso e estabiliza-se em 30º Considerou-se que o músculo quadríceps eletricamente estimulado apresenta uma resposta não-linear [7] Foi usado o modelo fuzzy Takagi-Sugeno (T-S) no projeto do controlador para variar o ângulo da articulação do joelho O sinal de realimentação relacionado ao ângulo da articulação do joelho pode ser obtido utilizando-se eletrogoniômetro porém este sinal pode não ser confiável devido à dificuldade de fixação do dispositivo sobre a pele [8] O uso de acelerômetros em pontos estratégicos é mais seguro e confiável [8] e proporciona uma melhor integração com estudos em fuzzy Takagi- Sugeno usando a realimentação proporcional e derivativa de estados [9] O objetivo deste trabalho foi utilizar técnicas de controle fuzzy Takagi-Sugeno em aplicações de Engenharia de Reabilitação nas quais os sinais disponíveis para o controle são obtidos através de acelerômetros Definindo-se como variáveis de estado o deslocamento e a velocidade podem-se usar os sinais de aceleração para estimar os sinais de velocidade [9] e então realimentar esses sinais que são justamente as derivadas das variáveis de estado da planta Materiais e Métodos Modelo da Junção do Joelho Na modelagem proposta em [] os autores consideraram o membro inferior como uma cadeia cinemática aberta composta de dois segmentos rígidos: a coxa e o complexo canelapé conforme mostra a Figura Figura : Sistema de controle e parâmetros θ θ v e M a Nesta figura θ θ v e M a são respectivamente o ângulo comum do joelho (ângulo entre a canela e a coxa no plano sagital) o ângulo da canela (ângulo entre a canela e o eixo vertical no plano sagital) e o torque ativo produzido pela estimulação elétrica no quadríceps Em [3] e [4] demonstra-se que a equação de estados não-linear que representa o movimento da articulação do joelho ao estímulo elétrico aplicado no quadríceps é dada por: /5 CBEB

2 º Congresso Brasileiro de Engenharia Biomédica ISBN: x& ~ x 0 B x& f ( x) = x 0 PN J J + () x 3 G & 0 0 τ τ sendo x = θv = θv θv0 x = x& e = Ma = Ma Ma0 O ponto de operação do sistema é dado por: θ θ M = θ 0 M f % x é uma ( v v a) ( v0 a0) & A função ( ) não-linearidade do sistema e pode ser descrita como: f% ( x) = mglsen( x vo) Jx + θ () E π x+ θvo+ π λe x θvo ω M a0 M ao PN = P (3) G sendo que: J é o momento inercial do complexo composto pela canela-pé; θ v é o ângulo da canela (ângulo entre a canela e o eixo vertical no plano sagital); m é a massa do complexo canela-pé; l é a distância entre o joelho e o centro da massa do complexo canela-pé; B é o coeficiente de atrito viscoso; M a é o torque ativo do joelho produzido pela estimulação elétrica; Em [] é feita a identificação dos parâmetros G e τ da função de transferência que relaciona a largura de pulso (P) e o torque produzido (M a ) Na equação (3) é definida a nova entrada do sistema (P N ) Em [] também são apresentadas as medidas antropométricas de um paciente paraplégico: J = 036[ kgm ]; m= 437[ kg]; l = 38[ cm] τ = 095 s B= 07[ N m s / rad] ω= 98[ rad] λ= 408[ N m / rad] E= 04[/ rad] Definição do Problema Considere o modelo fuzzy T-S descrito a seguir [0]: r ( ) α ( ) ( ) = α ( ) i= ( )( ( ) ( )) x& t = x t A x t + B x t i i i i= r ( ) u t x t F x( t) i i (4) sendo r o número de modelos locais (A i B i i= r) α i (x(t)) as funções de pertinência do sistema fuzzy F i os ganhos de retroação do vetor de estados obtidos por meio de LMI [] e u(t) o sinal de controle obtido através de CDP Supondo-se que apenas a derivada do vetor de estado ( x& ) esteja disponível verifica-se através da equação (4) a necessidade de se obter as variáveis de estado para o projeto das funções de pertinências e dos ganhos F i para o controlador fuzzy Realimentação da Derivada do Vetor de Estados com Acelerômetros Os resultados publicados em [3] e [4] consideram a realimentação do sistema com eletrogoniômetros nos quais uma das extremidades é presa na coxa e a outra na canela Devido à dificuldade de alinhar a haste do eletrogoniômetro com o eixo da coxa e a outra haste com o eixo da canela e ainda o efeito do deslizamento sobre a pele as medidas não são confiáveis [] Para resolver este problema acelerômetros são fixados em pontos estratégicos conforme descrito em [8] que obteve resultados mais confiáveis mostrando que acelerômetros e giroscópios oferecem soluções mais práticas e menos onerosas que quando se utiliza eletrogoniômetros No presente trabalho utilizam-se dois acelerômetros para medir as acelerações tangenciais a t e a t A Figura mostra como os acelerômetros são fixados na perna [3] Figura : Posição dos acelerômetros para medida da aceleração tangencial A aceleração da articulação do joelho determinada pela equação: ( a a ) ( r r ) v t t && θ é v && θ = / (5) A velocidade pode ser obtida com uso da integração da equação (5) Autores sugerem técnicas para obter a velocidade [8] e [3] Estimativa da Posição da Perna do Paciente Paraplégico Como somente acelerômetros são usados só há acesso à variável x& = && x A variável x = x& é estimada No projeto do controlador apresentado em [3] e [4] somente é possível sua implementação com o acesso a x necessário para o cálculo das funções de pertinências α i (x(t)) com realimentação pelo eletrogoniômetro Considerando a equação () a estimação de x é dada por: B x = f% ( x) x x + J J & & (6) /5 CBEB

3 º Congresso Brasileiro de Engenharia Biomédica ISBN: A variável x 3 refere-se ao torque produzido pela estimulação elétrica Esta variável é disponível pois pode ser medida através de sensores de força A função não-linear da equação () para x variando 0º< θ v < 60º com θ v0 =30º pode ser aproximada por uma reta usando basic fitting tool of Matlab Uma aproximação da equação (6) pode ser escrita: B x = ( ax + b) x x + J J & & (7) sendo a=3584 e b=-8896 De (7) obtém-se: então Definindo B ax + bx x x 0 J + J = & & (8) c( t) = B x x 0 J + J = A solução de x é dada por: & & (9) ax + bx + c( t) = 0 (0) b± b 4 ac( t) x = () a encontrando-se como solução numérica x = c( t) () Existe solução analítica da equação (0) para o intervalo de x compreendido entre [-π/6 π/6] Deste modo x pode ser obtido em função de x& x& e x 3 O diagrama de blocos do sistema de controle proposto é mostrado na Figura 3 As simulações foram realizadas no ambiente do SIMULINK do software Matlab/SIMULINK Pn Planta x_d x_d x_d x_d x Dinâmica Inversa x alpha alpha alpha alpha alpha x x Pn Controle da Posição da Perna de um Paciente Paraplégico usando Fuzzy Takagi-Sugeno O conceito de Compensação Paralela Distribuída CDP [5] foi usado para projetar reguladores através da resolução de LMI pode estabilizar sistemas não-lineares descritos por modelos fuzzy T-S O sistema fuzzy T-S desenvolvido em [3] e [4] apresenta uma nãolinearidade descrita na equação () O conjunto fuzzy e suas funções de pertinências são obtidos utilizando-se o valor mínimo e máximo da equação () no intervalo desejado [3] [4] O sistema é composto por uma regra If-Then dois modelos locais (o número de modelos locais é s sendo s é o número de não-linearidades) e por conseqüência duas funções de pertinências (r= em (4)) A idéia é projetar um regulador para cada regra do modelo fuzzy O modelo global fuzzy é uma combinação de cada regulador (de acordo com (4)) Lema O controle CDP [5] que considera simultaneamente a estabilidade e a taxa de decaimento β β>0 para o sistema controlado pode ser especificado se existirem uma matriz simétrica positiva definida X (X>0 X=X T ) e M i i= r tais que e T T T XA M B + Ai X BiM i + β X < 0 (3) i i i T T T T T T XA M B + XA M B + A i j i j i j i X Bi M j + Aj X B jmi + 4β X < 0 i j= r i< j (4) sendo que os ganhos do controlador são dados por F i =M i X - i=r Considerando as condições iniciais u é imposta conhecidas x(0) então a restrição u( t) para t 0 para restrição do sinal de entrada do controlador considerando-se (3) (4) e (5) abaixo T x( 0) X M i e ( 0 ) µ T 0 0 (5) x X Mi I sendo I a matriz identidade com dimensão apropriada Resultados No gráfico da Figura 4 são apresentados os resultados da simulação que foram obtidos a partir da realimentação de estados usando acelerômetros pelo método proposto neste trabalho O ganho do controlador considerando as condições do Lema com β= e µ=500x0-6 de [] são: Controlador Figura 3: Diagrama de blocos do sistema de controle proposto O bloco da Dinâmica Inversa faz a estimativa de x a partir dos sinais dos demais sensores 3 F = F = (6) A realimentação do sistema utilizando acelerômetros foi realizada com uso da estimação da posição x através da equação () As simulações da variação do ângulo da articulação do joelho (θ v ) de um 3/5 CBEB

4 º Congresso Brasileiro de Engenharia Biomédica ISBN: paciente paraplégico utilizando a curva exata (contínua) representada pela equação (6) e a curva aproximada (tracejada) representada pela equação (7) considerando as condições iniciais x 0 =[-θ v 0 -M a0 ] T são ilustradas na Figura 4 ângulo do joelho (rad) ângulo do joelho (rad) Curva Exata e Aproximada Curva Exata Curva Aproximada Gráfico Ampliado tempo (s) Figura 4: Simulações da variação do ângulo da articulação do joelho (θ v ) de um paciente paraplégico utilizando as funções f % ( x ) exata e aproximada Discussão O uso da aproximação linear para a função nãolinear da equação () justifica-se pela facilidade de implementação computacional Através da Figura 4 observa-se que as curvas exata e aproximada são praticamente idênticas Na Figura 4 verifica-se que o sistema no regime convergiu para o ponto de equilíbrio desejado 05 rad Um novo método para controlar a posição da perna de um paciente paraplégico utilizando sinais de realimentação produzidos por acelerômetros e modelos fuzzy Takagi-Sugeno foi proposto O sistema de controle projetado considerou todas as nãolinearidades da planta e satisfez às restrições de projeto mostrando-se um método eficiente viável e rigoroso Agradecimentos Os autores agradecem o apoio financeiro da FAPESP CNPq e CAPES Referências [] Hill A V (938) The heat of shortening and the dynamic constant of muscle In: Proceedings of the Royal Society v B n 6 p [] Ferrarin M and Pedotti A (000) The Relationship Between Electrical Stimulus and Joint Torque: A Dynamic Model IEEE Transactions on Rehabilitation Engineering v 8 n 3 p [3] Teixeira M C M Deaecto G S Gaino R Assunção E Carvalho A A and Farias U C (006) Design of a Fuzzy Takagi-Sugeno Controller to Vary the Joint Knee Angle of Paraplegic Patients Lectures Notes in Computer Science Springer Berlin/Heidelberg v 434 n 3 p 8 6 [4] Teixeira M C M Deaecto G S Gaino R Assunção E Carvalho A A and Farias U C (006) Projeto de um Controlador Fuzzy Takagi- Sugeno para Variar o Ângulo da Articulação do Joelho In: XVI Congresso Brasileiro de Automática Salvador p Out [5] Tanaka K Ikeda T and Wang O H (998) Fuzzy Regulators and Fuzzy Observers: Relaxed Stability Conditions and LMI-Based Designs IEEE Transactions on Fuzzy Systems v 6 n p [6] Teixeira M C M and Zak S H (999) Stabilizing Controller Design for Uncertain Non- Linear Systems Using Fuzzy Models IEEE Transactions on Fuzzy Systems v 7 n p 33 4 [7] Crago P E Mortimer T and Pecham P H (980) Cosed-Loop Control of Force During Electrical Stimulation of Muscle IEEE Transaction on Biomedical Engineering v 7 n 6 p [8] Dejnabadi H Jolles BM Aminian K (005) A New Approach to Accurate Measurement of Uniaxial Joint Angles Based on a Comnation of Accelerometers and Gyroscopes IEEE Transaction on Biomedical Engineering v 5 n 8 p [9] Cardim R Teixeira M C M Assunção E Faria A F Covacic R C (007) Controle de um Levitador Magnético Utilizando Modelos Fuzzy e Derivada de Estados da Planta In: Simpósio Brasileiro de Automação Inteligente Florianópolis 8- Out [0] Takagi T Sugeno M (985) Fuzzy Identification of System and Its Applications to Modeling and Control IEEE Transactions on Systems Man and Cybernetics v 5 n p 6 3 [] Gahinet P Nemirovski A Laub A J Chilali M (995) LMI Control Toolbox- For use with Matlab The Math Works Inc [] Winter DA (005) Biomechanics and Motor Control of Human Movement New York: John Wiley Sons Inc [3] Franken HM Veltink PH Tijsmans R Nijmeijer H Boom HBK (993) Identification of Passive Knee Joint and Shank Dynamics in Paraplegics Using Quadriceps Stimulation IEEE Transactions on Rehabilitation Engineering v n 3 p /5 CBEB

5 º Congresso Brasileiro de Engenharia Biomédica ISBN: /5 CBEB

Artigo Original. Derivative feedback and Takagi-Sugeno fuzzy model for knee joint angle control of paraplegic patients using accelerometers

Artigo Original. Derivative feedback and Takagi-Sugeno fuzzy model for knee joint angle control of paraplegic patients using accelerometers Volume 7, Número, p. 67-78, Artigo Original DOI:.43/rbeb..6 Realimentação derivativa e modelo fuzzy Takagi-Sugeno para controle da articulação do joelho de pacientes paraplégicos com o uso de acelerômetros

Leia mais

ANÁLISE DE ESTABILIDADE DE SISTEMAS FUZZY USANDO FUNÇÕES DE LYAPUNOV FUZZY

ANÁLISE DE ESTABILIDADE DE SISTEMAS FUZZY USANDO FUNÇÕES DE LYAPUNOV FUZZY ANÁLISE DE ESTABILIDADE DE SISTEMAS FUZZY USANDO FUNÇÕES DE LYAPUNOV FUZZY Flávio A. Faria 1, Geraldo N. Silva 1, Vilma A. de Oliveira 2 1 Instituto de Biociências Letras e Ciências Exatas, UNESP - Univ

Leia mais

Emails: marciocovacic@uel.br, rgaino@uel.br, marcelo@dee.feis.unesp.br, aac@dee.feis.unesp.br, edvaldo@dee.feis.unesp.br, rcardim@dee.feis.unesp.

Emails: marciocovacic@uel.br, rgaino@uel.br, marcelo@dee.feis.unesp.br, aac@dee.feis.unesp.br, edvaldo@dee.feis.unesp.br, rcardim@dee.feis.unesp. SISTEMAS ERP COM COMPENSADORES DINÂMICOS PARA CONTROLE DA POSIÇÃO ANGULAR DA PERNA DE PACIENTES PARAPLÉGICOS Márcio Roberto Covacic, Ruberlei Gaino, Marcelo Carvalho Minhoto Teixeira, Aparecido Augusto

Leia mais

Anais do XX Congresso Brasileiro de Automática Belo Horizonte, MG, 20 a 24 de Setembro de 2014

Anais do XX Congresso Brasileiro de Automática Belo Horizonte, MG, 20 a 24 de Setembro de 2014 SISTEMAS ERP COM FUNÇÕES DE LYAPUNOV VARIANTES NO TEMPO, COM APLICAÇÃO EM ELETROESTIMULAÇÃO Márcio Roberto Covacic, Ruberlei Gaino Departamento de Engenharia Elétrica-Centro de Tecnologia e Urbanismo Universidade

Leia mais

ESTUDO DA FOLGA PRESENTE NA TRANSMISSÃO MECÂNICA DE ROBÔS COM ACIONAMENTO ELÉTRICO 1

ESTUDO DA FOLGA PRESENTE NA TRANSMISSÃO MECÂNICA DE ROBÔS COM ACIONAMENTO ELÉTRICO 1 ESTUDO DA FOLGA PRESENTE NA TRANSMISSÃO MECÂNICA DE ROBÔS COM ACIONAMENTO ELÉTRICO 1 Angelo Fernando Fiori 2, Ismael Barbieri Garlet 3, Antonio Carlos Valdiero 4, Luiz Antonio Rasia 5, Leonardo Bortolon

Leia mais

IMPLEMENTAÇÕES DE CONTROLADORES ROBUSTOS, COM RESTRIÇÕES DE TAXA DE DECAIMENTO E OTIMIZADOS EM SISTEMAS SUJEITOS A FALHAS

IMPLEMENTAÇÕES DE CONTROLADORES ROBUSTOS, COM RESTRIÇÕES DE TAXA DE DECAIMENTO E OTIMIZADOS EM SISTEMAS SUJEITOS A FALHAS IMPLEMENTAÇÕES DE CONTROLADORES ROBUSTOS, COM RESTRIÇÕES DE TAXA DE DECAIMENTO E OTIMIZADOS EM SISTEMAS SUJEITOS A FALHAS Luiz Francisco S Buzachero 1, Edvaldo Assunção 1, Marcelo C M Teixeira 1,FlávioAFaria

Leia mais

Validação Experimental do Modelo Matemático de 3ª. Ordem para um Atuador Pneumático

Validação Experimental do Modelo Matemático de 3ª. Ordem para um Atuador Pneumático Trabalho apresentado no CMAC-Sul, Curitiba-PR, 2014. Validação Experimental do Modelo Matemático de 3ª. Ordem para um Atuador Pneumático Claudio da S. dos Santos, Sandra E. B. Viecelli, Antonio C. Valdiero,

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO PRÁTICA DA D-ESTABILIDADE ROBUSTA VIA REALIMENTAÇÃO DERIVATIVA EM UM SISTEMA DE SUSPENSÃO ATIVA

IMPLEMENTAÇÃO PRÁTICA DA D-ESTABILIDADE ROBUSTA VIA REALIMENTAÇÃO DERIVATIVA EM UM SISTEMA DE SUSPENSÃO ATIVA IMPLEMENTAÇÃO PRÁTICA DA D-ESTABILIDADE ROBUSTA VIA REALIMENTAÇÃO DERIVATIVA EM UM SISTEMA DE SUSPENSÃO ATIVA Emerson R. P. da Silva, Heloise A. Fazzolari, Pedro C. de Oliveira, Edvaldo Assunção, Marcelo

Leia mais

COMPARANDO DIFERENTES ESTRATÉGIAS DE CONTROLE PARA SISTEMAS NÃO LINEARES INCERTOS BASEADAS EM ESCALONAMENTO DE GANHOS

COMPARANDO DIFERENTES ESTRATÉGIAS DE CONTROLE PARA SISTEMAS NÃO LINEARES INCERTOS BASEADAS EM ESCALONAMENTO DE GANHOS COMPARANDO DIFERENTES ESTRATÉGIAS DE CONTROLE PARA SISTEMAS NÃO LINEARES INCERTOS BASEADAS EM ESCALONAMENTO DE GANHOS Mateus Paresqui Berruezo, Leonardo A B Tôrres, Reinaldo Martinez Palhares Programa

Leia mais

395480 Controle Robusto Tema: Análise e Controle via LMIs

395480 Controle Robusto Tema: Análise e Controle via LMIs 395480 Controle Robusto Tema: Análise e Controle via LMIs Sistemas Fuzzy Takagi Sugeno Prof. Eduardo Stockler Tognetti Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas Eletrônicos e de Automação (PGEA)

Leia mais

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS ENG JR ELETRON 2005 29 O gráfico mostrado na figura acima ilustra o diagrama do Lugar das Raízes de um sistema de 3ª ordem, com três pólos, nenhum zero finito e com realimentação de saída. Com base nas

Leia mais

Palavras-chave: turbina eólica, gerador eólico, energia sustentável.

Palavras-chave: turbina eólica, gerador eólico, energia sustentável. Implementação do modelo de uma turbina eólica baseado no controle de torque do motor cc utilizando ambiente matlab/simulink via arduino Vítor Trannin Vinholi Moreira (UTFPR) E-mail: vitor_tvm@hotmail.com

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES 2011 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 Um varal de roupas foi construído utilizando uma haste rígida DB de massa desprezível, com

Leia mais

CONTROLE DE SISTEMAS LINEARES CHAVEADOS UTILIZANDO REALIMENTAÇÃO ESTÁTICA DA SAÍDA E FUNÇÕES DE LYAPUNOV-METZLER

CONTROLE DE SISTEMAS LINEARES CHAVEADOS UTILIZANDO REALIMENTAÇÃO ESTÁTICA DA SAÍDA E FUNÇÕES DE LYAPUNOV-METZLER CONTROLE DE SISTEMAS LINEARES CHAVEADOS UTILIZANDO REALIMENTAÇÃO ESTÁTICA DA SAÍDA E FUNÇÕES DE LYAPUNOV-METZLER E. I. Mainardi Júnior, M. C. M. Teixeira, R. Cardim, E. Assunção, Diogo R. de Oliveira,

Leia mais

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007 8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007 SISTEMA DE CONTROLE DE TEMPERATURA E UMIDADE PARA UM AMBIENTE CONSTRUÍDO. Ives Soares de Oliveira*, Ronilson Rocha*,

Leia mais

Controle Robusto H. 1. O problema de controle H. 2. Controle ótimo H por LMIs. 3. Patologia no controle H : altos ganhos. 3. Controle Misto H 2 /H

Controle Robusto H. 1. O problema de controle H. 2. Controle ótimo H por LMIs. 3. Patologia no controle H : altos ganhos. 3. Controle Misto H 2 /H Controle Robusto H 1. O problema de controle H 2. Controle ótimo H por LMIs 3. Patologia no controle H : altos ganhos 3. Controle Misto H 2 /H pag.1 Introdução ao Controle Robusto Aula 11 Controle H e

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO POR ESPAÇOS DE ESTADOS DE UM MÓDULO SERVO-MECANISMO DIDÁTICO

IDENTIFICAÇÃO POR ESPAÇOS DE ESTADOS DE UM MÓDULO SERVO-MECANISMO DIDÁTICO IDENTIFICAÇÃO POR ESPAÇOS DE ESTADOS DE UM MÓDULO SERVO-MECANISMO DIDÁTICO Vlademir Aparecido Freire Junior vlad_freire@hotmail.com Alessandro do Nascimento Vargas avargas@utfpr.edu.br Cristiano Marcos

Leia mais

CONTROLE DE ESTABILIDADE POR FRENAGEM DIFERENCIAL PARA VEÍCULO AUTOMOTOR. Gustavo Osmak Triginelli 1 ; Sérgio Kenji Moriguchi 2

CONTROLE DE ESTABILIDADE POR FRENAGEM DIFERENCIAL PARA VEÍCULO AUTOMOTOR. Gustavo Osmak Triginelli 1 ; Sérgio Kenji Moriguchi 2 CONTROLE DE ESTABILIDADE POR FRENAGEM DIFERENCIAL PARA VEÍCULO AUTOMOTOR Gustavo Osmak Triginelli 1 ; Sérgio Kenji Moriguchi 2 1 Aluno de Iniciação Cientifica da Escola de Engenharia Mauá (EEM/CEUM-IMT);

Leia mais

Mecânica: processos industriais: usinagem, laminação, fundição, solda, prensagem, vapor, gás. Automóveis, suspensão, motor, câmbio.

Mecânica: processos industriais: usinagem, laminação, fundição, solda, prensagem, vapor, gás. Automóveis, suspensão, motor, câmbio. 1 Disciplina de Sistemas de Controle Prof. Luciano Menegaldo e-mail: lmeneg@ime.eb.br home-page: http://lmeneg-aulas.tripod.com Aula 1 Introdução 1. Idéias gerais e exemplos de sistemas de controle - Assunto

Leia mais

Modelagem do Controle de Tensão por Geradores e de Múltiplas Barras Swing na Avaliação das Condições de Estabilidade de Tensão

Modelagem do Controle de Tensão por Geradores e de Múltiplas Barras Swing na Avaliação das Condições de Estabilidade de Tensão Marcel René Vasconcelos de Castro Modelagem do Controle de Tensão por Geradores e de Múltiplas Barras Swing na Avaliação das Condições de Estabilidade de Tensão Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada

Leia mais

Engenharia de Controle

Engenharia de Controle Engenharia de Controle Prof. Fernando de Oliveira Souza Contato: Sala 2523 (BLOCO 1) e-mail: fosouza@cpdee.ufmg.br www.cpdee.ufmg.br/ fosouza Terças-feiras (20h55 às 22h35) e Sextas-feiras (19h00 às 20h40)

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE SENSOR INERCIAL E APLICAÇÃO EM BARCO AUTÔNOMO. José Maria Cipriano Torres (IC) Elder Moreira Hemerly (PQ)

CARACTERIZAÇÃO DE SENSOR INERCIAL E APLICAÇÃO EM BARCO AUTÔNOMO. José Maria Cipriano Torres (IC) Elder Moreira Hemerly (PQ) CARACTERIZAÇÃO DE SENSOR INERCIAL E APLICAÇÃO EM BARCO AUTÔNOMO José Maria Cipriano Torres (IC) Elder Moreira Hemerly (PQ) Resumo: Este trabalho teve por objetivo caracterizar sensores inerciais, especialmente

Leia mais

Emails: jean@dee.feis.unesp.br, andrelexandre@bol.com.br, jpaulo@dee.feis.unesp.br, lizetega@mat.feis.unesp.br, giapolinario@yahoo.com.

Emails: jean@dee.feis.unesp.br, andrelexandre@bol.com.br, jpaulo@dee.feis.unesp.br, lizetega@mat.feis.unesp.br, giapolinario@yahoo.com. 18 a 21 de setembro de 211 CONTROLE EXPERIMENTAL DO PÊNDULO INVERTIDO CONSIDERANDO ATRASO COMPUTACIONAL Jean M. S. Ribeiro, André Luiz A. de Paula, José Paulo F. Garcia, Lizete Maria C. F. Garcia, Gisele

Leia mais

LABORATÓRIO DE CONTROLE I ESTUDO DE COMPENSADORES DE FASE

LABORATÓRIO DE CONTROLE I ESTUDO DE COMPENSADORES DE FASE UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO COLEGIADO DE ENGENHARIA ELÉTRICA LABORATÓRIO DE CONTROLE I Experimento 4: ESTUDO DE COMPENSADORES DE FASE COLEGIADO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCENTES: Lucas

Leia mais

Curso de Introdução ao SIMULINK

Curso de Introdução ao SIMULINK 4.3 - Modelando Sistemas Não Lineares O SIMULINK fornece uma variedade de blocos para a modelagem de sistemas não lineares. Esses blocos estão na biblioteca Nonlinear. O comportamento destes blocos não

Leia mais

O tornado de projeto é admitido, para fins quantitativos, com as seguintes características [15]:

O tornado de projeto é admitido, para fins quantitativos, com as seguintes características [15]: 4 Tornado de Projeto O tornado de projeto é admitido, para fins quantitativos, com as seguintes características [15]: Tornado do tipo F3-médio; Velocidade máxima de 233km/h = 64,72m/s; Velocidade translacional

Leia mais

CONDIÇÕES CONVEXAS NECESSÁRIAS E SUFICIENTES PARA A ESTABILIZABILIDADE QUADRÁTICA DE SISTEMAS NEBULOSOS DE TAKAGI-SUGENO

CONDIÇÕES CONVEXAS NECESSÁRIAS E SUFICIENTES PARA A ESTABILIZABILIDADE QUADRÁTICA DE SISTEMAS NEBULOSOS DE TAKAGI-SUGENO CONDIÇÕES CONVEXAS NECESSÁRIAS E SUFICIENTES PARA A ESTABILIZABILIDADE QUADRÁTICA DE SISTEMAS NEBULOSOS DE TAKAGI-SUGENO Vinícius F. Montagner, Ricardo C. L. F. Oliveira, Pedro L. D. Peres Grupo de Eletrônica

Leia mais

MODELAGEM E SIMULAÇÃO DINÂMICA DE ROTORES FLEXÍVEIS PELO MÉTODO DOS ELEMENTOS FINITOS. Luiz Fellipe Nogueirão e Flávio Yukio Watanabe

MODELAGEM E SIMULAÇÃO DINÂMICA DE ROTORES FLEXÍVEIS PELO MÉTODO DOS ELEMENTOS FINITOS. Luiz Fellipe Nogueirão e Flávio Yukio Watanabe XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 - São Carlos-SP Artigo CREEM2012 MODELAGEM E SIMULAÇÃO DINÂMICA DE ROTORES FLEXÍVEIS PELO MÉTODO DOS ELEMENTOS FINITOS Luiz

Leia mais

Apresentação MATLAB Simulink & Toolboxes

Apresentação MATLAB Simulink & Toolboxes Apresentação MATLAB Simulink & Toolboxes Tel: (011)816-3144 / Fax:(011)816-7864 Email: info.vendas@opencadd.com.br 24.08.1999. Programa da Apresentação MATLAB 5.3: conceitos Toolboxes Symbolic Math Toolbox;

Leia mais

6 Conclusões e Trabalhos futuros 6.1. Conclusões

6 Conclusões e Trabalhos futuros 6.1. Conclusões 6 Conclusões e Trabalhos futuros 6.1. Conclusões Neste trabalho estudou-se o comportamento do sistema que foi denominado pendulo planar com a adição de uma roda de reação na haste do pendulo composta de

Leia mais

Estudos Pré-Operacionais do Controle de Corrente para Geradores Eólicos

Estudos Pré-Operacionais do Controle de Corrente para Geradores Eólicos Estudos Pré-Operacionais do Controle de Corrente para Geradores Eólicos Camila M. V. Barros 1, Luciano S. Barros 2, Aislânia A. Araújo 1, Iguatemi E. Fonseca 2 1 Mestrado em Ciência da Computação Universidade

Leia mais

Modelagem de Sistemas Dinâmicos. Eduardo Camponogara

Modelagem de Sistemas Dinâmicos. Eduardo Camponogara Equações Diferenciais Ordinárias Modelagem de Sistemas Dinâmicos Eduardo Camponogara Departamento de Automação e Sistemas Universidade Federal de Santa Catarina DAS-5103: Cálculo Numérico para Controle

Leia mais

Lista 1 Cinemática em 1D, 2D e 3D

Lista 1 Cinemática em 1D, 2D e 3D UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA DEPARTAMENTO DE ESTUDOS BÁSICOS E INSTRUMENTAIS CAMPUS DE ITAPETINGA PROFESSOR: ROBERTO CLAUDINO FERREIRA DISCIPLINA: FÍSICA I Aluno (a): Data: / / NOTA: Lista

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Instituto de Ciência e Tecnologia Bacharelado em Ciência e Tecnologia

Universidade Federal de São Paulo Instituto de Ciência e Tecnologia Bacharelado em Ciência e Tecnologia Universidade Federal de São Paulo Instituto de Ciência e Tecnologia Bacharelado em Ciência e Tecnologia Oscilações 1. Movimento Oscilatório. Cinemática do Movimento Harmônico Simples (MHS) 3. MHS e Movimento

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM DINAMÔMETRO PARA MOTORES ELÉTRICOS EMPREGADOS EM VEÍCULOS EM ESCALA, COM MEDIDA DE DIRETA DE TORQUE E CARGA VARIÁVEL

DESENVOLVIMENTO DE UM DINAMÔMETRO PARA MOTORES ELÉTRICOS EMPREGADOS EM VEÍCULOS EM ESCALA, COM MEDIDA DE DIRETA DE TORQUE E CARGA VARIÁVEL DESENVOLVIMENTO DE UM DINAMÔMETRO PARA MOTORES ELÉTRICOS EMPREGADOS EM VEÍCULOS EM ESCALA, COM MEDIDA DE DIRETA DE TORQUE E CARGA VARIÁVEL Aluno: Vivian Suzano Orientador: Mauro Speranza Neto 1. Introdução

Leia mais

Título: Controle de um sistema Bola- Barra com realimentação através de imagem

Título: Controle de um sistema Bola- Barra com realimentação através de imagem Título: Controle de um sistema Bola- Barra com realimentação através de imagem Autores: Caio Felipe Favaretto, Henrique Corrêa Ramiro, Rômulo de Oliveira Souza e Marcelo Barboza Silva Professor orientador:

Leia mais

Palavras chave: Sensores Inerciais, Análise de Movimento, Robótica de Reabilitação. 1. INTRODUÇÃO

Palavras chave: Sensores Inerciais, Análise de Movimento, Robótica de Reabilitação. 1. INTRODUÇÃO UMA PROPOSTA DE PROTOCOLO DE COLOCAÇÃO DE SENSORES INERCIAIS UTILIZANDO ALINHAMENTO VIRTUAL PARA APLICAÇÕES EM ANÁLISE DE MOVIMENTO DE MEMBROS INFERIORES T. Botelho, Coord. de Eletrotécnica, Instituto

Leia mais

Relatório Iniciação Científica

Relatório Iniciação Científica Relatório Iniciação Científica Ambientes Para Ensaios Computacionais no Ensino de Neurocomputação e Reconhecimento de Padrões Bolsa: Programa Ensinar com Pesquisa-Pró-Reitoria de Graduação Departamento:

Leia mais

Controle de Veículos Aéreos

Controle de Veículos Aéreos 12, 13 e 14/11/2014, Parnaíba-PI Controle de Veículos Aéreos Prof. Dr. Mário Sarcinelli Filho Universidade Federal do Espírito Santo UFES Bolsista de Produtividade em Pesquisa PQ-2 do CNPq Orientador de

Leia mais

Representação de Modelos Dinâmicos em Espaço de Estados Graus de Liberdade para Controle

Representação de Modelos Dinâmicos em Espaço de Estados Graus de Liberdade para Controle Representação de Modelos Dinâmicos em Espaço de Estados Graus de Liberdade para Controle Espaço de Estados (CP1 www.professores.deq.ufscar.br/ronaldo/cp1 DEQ/UFSCar 1 / 69 Roteiro 1 Modelo Não-Linear Modelo

Leia mais

Técnicas de Animação. Soraia Raupp Musse

Técnicas de Animação. Soraia Raupp Musse Técnicas de Animação Soraia Raupp Musse Aula passada: Classificação de técnicas Diferenças Low-level High-level Intervenção do usuário Nível de abstração Precisão do resultado em relação ao especificado

Leia mais

Modelo autorregressivo e controlador Fuzzy para um sistema de controle digital de velocidade do Kit Digital Servo

Modelo autorregressivo e controlador Fuzzy para um sistema de controle digital de velocidade do Kit Digital Servo Modelo autorregressivo e controlador Fuzzy para um sistema de controle digital de velocidade do Kit Digital Servo Adelson Siueira Carvalho (IFF Campos) adelsonsc@gmail.com Adriellen Lima de Sousa (IFF

Leia mais

Controle de um Pêndulo Invertido

Controle de um Pêndulo Invertido Universidade do Estado do Rio de Janeiro Faculdade de Engenharia Departamento de Eletrônica e Telecomunicações Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Disciplina: Sistemas Lineares Professor:

Leia mais

SISTEMAS COM AMORTECIMENTO NÃO-PROPORCIONAL NO DOMÍNIO DA FREQÜÊNCIA

SISTEMAS COM AMORTECIMENTO NÃO-PROPORCIONAL NO DOMÍNIO DA FREQÜÊNCIA SISTEMAS COM AMORTECIMENTO NÃO-PROPORCIONAL NO DOMÍNIO DA FREQÜÊNCIA Zacarias Martin Chamberlain Pravia Professor - Faculdade de Engenharia e Arquitetura - Universidade de Passo Fundo/UFP zacarias@upf.br

Leia mais

PLATAFORMA VIRTUAL DO CONTROLE ORIENTADO DE CAMPO DE UM MOTOR DE INDUÇÃO COMO FERRAMENTA DE AUXÍLIO AO ENSINO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS

PLATAFORMA VIRTUAL DO CONTROLE ORIENTADO DE CAMPO DE UM MOTOR DE INDUÇÃO COMO FERRAMENTA DE AUXÍLIO AO ENSINO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS PLATAFORMA VIRTUAL DO CONTROLE ORIENTADO DE CAMPO DE UM MOTOR DE INDUÇÃO COMO FERRAMENTA DE AUXÍLIO AO ENSINO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS Gustavo H. Bazan gu.bazan@gmail.com Sérgio C. Mazucato Jr. sergiomazucato@gmail.com

Leia mais

Aula 2. Carlos Amaral Fonte: Cristiano Quevedo Andrea

Aula 2. Carlos Amaral Fonte: Cristiano Quevedo Andrea Aula 2 Carlos Amaral Fonte: Cristiano Quevedo Andrea UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná DAELT - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica Curitiba, Agosto de 2011. Resumo Terminologias 1

Leia mais

a) os módulos das velocidades angulares ωr NOTE E ADOTE

a) os módulos das velocidades angulares ωr NOTE E ADOTE 1. Um anel condutor de raio a e resistência R é colocado em um campo magnético homogêneo no espaço e no tempo. A direção do campo de módulo B é perpendicular à superfície gerada pelo anel e o sentido está

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM CENTRO DE TECNOLOGIA - CT DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA E COMPUTAÇÃO - DELC PROJETO REENGE - ENG.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM CENTRO DE TECNOLOGIA - CT DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA E COMPUTAÇÃO - DELC PROJETO REENGE - ENG. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM CENTRO DE TECNOLOGIA - CT DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA E COMPUTAÇÃO - DELC PROJETO REENGE - ENG. ELÉTRICA CADERNO DIDÁTICO DE SISTEMAS DE CONTROLE 1 ELABORAÇÃO:

Leia mais

Universidade Gama Filho Campus Piedade Departamento de Engenharia de Controle e Automação

Universidade Gama Filho Campus Piedade Departamento de Engenharia de Controle e Automação Universidade Gama Filho Campus Piedade Departamento de Engenharia de Controle e Automação Laboratório da Disciplina CTA-147 Controle I Análise da Resposta Transitória (Este laboratório foi uma adaptação

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 A L 0 H mola apoio sem atrito B A figura acima mostra um sistema composto por uma parede vertical

Leia mais

CONTROLE NEURO-FUZZY DE PROCESSO DE NÍVEL MULTIVARIÁVEL

CONTROLE NEURO-FUZZY DE PROCESSO DE NÍVEL MULTIVARIÁVEL CONTROLE NEURO-FUZZY DE PROCESSO DE NÍVEL MULTIVARIÁVEL ALFREDO A. FREITAS, ADOLFO BAUCHSPIESS Grupo de Robótica, Automação e Visão Computacional Departamento de Engenharia Elétrica - Universidade de Brasília

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Laboratório de Máquinas Especiais

Universidade Federal de Goiás Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Laboratório de Máquinas Especiais Aspectos Relacionados ao Acionamento e Controle de Velocidade de um Motor Linear a Relutância Variável. MARIANO, Rodrigo Leandro; SANTOS, Euler Bueno. Universidade Federal de Goiás Escola de Engenharia

Leia mais

Tópico 8. Aula Prática: Movimento retilíneo uniforme e uniformemente variado (Trilho de ar)

Tópico 8. Aula Prática: Movimento retilíneo uniforme e uniformemente variado (Trilho de ar) Tópico 8. Aula Prática: Movimento retilíneo uniforme e uniformemente variado (Trilho de ar) 1. OBJETIVOS DA EXPERIÊNCIA 1) Esta aula experimental tem como objetivo o estudo do movimento retilíneo uniforme

Leia mais

Projeto e simulação de um controlador digital para um sistema aeroestabilizador

Projeto e simulação de um controlador digital para um sistema aeroestabilizador JAN. FEV. MAR. l 007 l ANO XIII, Nº 48 l 61-65 INTEGRAÇÃO 61 Projeto e simulação de um controlador digital para um sistema aeroestabilizador ALEXANDRE BRINCALEPE CAMPO* Resumo l Neste trabalho é descrito

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE LABORATÓRIO DE CONTROLE DE ATITUDE COM RESTRIÇÕES DE CHAVEAMENTO

INSTRUMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE LABORATÓRIO DE CONTROLE DE ATITUDE COM RESTRIÇÕES DE CHAVEAMENTO Anais do 14 O Encontro de Iniciação Científica e Pós-Graduação do ITA XIV ENCITA / 2008 Instituto Tecnológico de Aeronáutica São José dos Campos SP Brasil Outubro 20 a 23 2008. INSTRUMENTAÇÃO DE UM SISTEMA

Leia mais

OBJETIVOS TECNOLÓGICOS CONTEÚDOS CURRICULARES COMPETÊNCIAS COGNITIVAS COMPETÊNCIAS SOCIOEMOCIONAIS

OBJETIVOS TECNOLÓGICOS CONTEÚDOS CURRICULARES COMPETÊNCIAS COGNITIVAS COMPETÊNCIAS SOCIOEMOCIONAIS 1 o ano Conhecer as peças LEGO do kit 9656. Equilíbrio. Praticar encaixes entre as peças LEGO. Verticalidade. Noções de medidas lineares. Planejar. Programar. Construir montagens estáveis e que se sustentem

Leia mais

MODELAGEM ANALÍTICA DE UMA SUSPENSÃO DUPLO A: DETERMINAÇÃO DO CURSO DA MANGA DE EIXO.

MODELAGEM ANALÍTICA DE UMA SUSPENSÃO DUPLO A: DETERMINAÇÃO DO CURSO DA MANGA DE EIXO. MODELAGEM ANALÍTICA DE UMA SUSPENSÃO DUPLO A: DETERMINAÇÃO DO CURSO DA MANGA DE EIXO. Guilherme Oliveira Andrade, Maria Alzira de Araujo Nunes e Rita de Cássia Silva UNB, Universidade de Brasília, Curso

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA SÉRIE DE EXERCÍCIO #A22 (1) O circuito a seguir amplifica a diferença de

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa de Física 12.º ano homologado em 21/10/2004 ENSINO SECUNDÁRIO FÍSICA 12.º ANO TEMAS/DOMÍNIOS

Leia mais

MODELAGEM DO CONVERSOR CC-CC BUCK-BOOST VIA FUZZY TAKAGI-SUGENO: SISTEMA DE CONTROLE E SIMULAÇÃO COMPUTACIONAL

MODELAGEM DO CONVERSOR CC-CC BUCK-BOOST VIA FUZZY TAKAGI-SUGENO: SISTEMA DE CONTROLE E SIMULAÇÃO COMPUTACIONAL MODELAGEM DO CONVERSOR CC-CC BUCK-BOOST VIA FUZZY TAKAGI-SUGENO: SISTEMA DE CONTROLE E SIMULAÇÃO COMPUTACIONAL CRISTIANO QUEVEDO ANDREA, EDSON ANTONIO BATISTA, LUCIANA CAMBRAIA LEITE, JOÃO ONOFRE PEREIRA

Leia mais

Anais do XV ENCITA 2009, ITA, Outubro, 19-22, 2009,

Anais do XV ENCITA 2009, ITA, Outubro, 19-22, 2009, Anais do 5 O Encontro de Iniciação Científica e Pós-Graduação do ITA XV ENCITA / 009 Instituto Tecnológico de Aeronáutica São José dos Campos SP Brasil Outubro 9 a 009. INTERPOLAÇÃO PARABÓLICA EM INTEGRADOR

Leia mais

FAPERJ & PIUES/PUC-Rio FÍSICA E MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO APLICADAS A SISTEMAS DE ENGENHARIA

FAPERJ & PIUES/PUC-Rio FÍSICA E MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO APLICADAS A SISTEMAS DE ENGENHARIA FAPERJ & PIUES/PUC-Rio FÍSICA E MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO APLICADAS A SISTEMAS DE ENGENHARIA 1) INTRODUÇÃO Rio de Janeiro, 05 de Maio de 2015. A equipe desenvolvedora deste projeto conta com: - Prof.

Leia mais

Equações diferencias são equações que contém derivadas.

Equações diferencias são equações que contém derivadas. Equações diferencias são equações que contém derivadas. Os seguintes problemas são exemplos de fenômenos físicos que envolvem taxas de variação de alguma quantidade: Escoamento de fluidos Deslocamento

Leia mais

TRABALHO: CONTROLE DE UM SISTEMA PÊNDULO-CARRO

TRABALHO: CONTROLE DE UM SISTEMA PÊNDULO-CARRO TRABALHO: CONTROLE DE UM SISTEMA PÊNDULO-CARRO Professor: Tiago Dezuo 1 Objetivos Desenvolver técnicas de controle por variáveis de estado clássicas e ótimas, realizando comparações de desempenho entre

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE UMA BIELA DE COMPRESSOR HERMÉTICO QUANTO À FADIGA ATRAVÉS DE ANÁLISE POR ELEMENTOS FINITOS

DIMENSIONAMENTO DE UMA BIELA DE COMPRESSOR HERMÉTICO QUANTO À FADIGA ATRAVÉS DE ANÁLISE POR ELEMENTOS FINITOS XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 DIMENSIONAMENTO DE UMA BIELA DE COMPRESSOR HERMÉTICO QUANTO À FADIGA ATRAVÉS DE ANÁLISE POR

Leia mais

Experimento Virtual de Controle: Uso de Técnicas de Realidade Virtual para a Construção de um Sistema Ball-Beam.

Experimento Virtual de Controle: Uso de Técnicas de Realidade Virtual para a Construção de um Sistema Ball-Beam. Experimento Virtual de Controle: Uso de Técnicas de Realidade Virtual para a Construção de um Sistema Ball-Beam. Éder Torres Patrício Max Rothe-Neves Manoel Ribeiro Filho Orlando Fonseca Silva Departamento

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão.0 a 5 Novembro de 009 Recife - PE GRUPO IV GRUPO DE ESTUDO GRUPO DE ESTUDO ANÁLISE E TÉCNICAS DE SISTEMAS DE POTÊNCIA -

Leia mais

MESTRADO EM MACROECONOMIA e FINANÇAS Disciplina de Computação. Aula 04. Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano

MESTRADO EM MACROECONOMIA e FINANÇAS Disciplina de Computação. Aula 04. Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano MESTRADO EM MACROECONOMIA e FINANÇAS Disciplina de Computação Aula 04 Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano Guia de Estudo para Aula 04 Aplicação de Produto Escalar - Interpretação do produto escalar

Leia mais

Modelos Variáveis de Estado

Modelos Variáveis de Estado Modelos Variáveis de Estado Introdução; Variáveis de Estados de Sistemas Dinâmicos; Equação Diferencial de Estado; Função de Transferência a partir das Equações de Estados; Resposta no Domínio do Tempo

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. INTRODUÇÃO / DEFINIÇÕES

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. INTRODUÇÃO / DEFINIÇÕES 1 INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. INTRODUÇÃO / DEFINIÇÕES 1.1 - Instrumentação Importância Medições experimentais ou de laboratório. Medições em produtos comerciais com outra finalidade principal. 1.2 - Transdutores

Leia mais

Potência Instalada (GW)

Potência Instalada (GW) Modelagem e simulação de um aerogerador a velocidade constante Marcelo Henrique Granza (UTFPR) Email: marcelo.granza@hotmail.com Bruno Sanways dos Santos (UTFPR) Email: sir_yoshi7@hotmail.com Eduardo Miara

Leia mais

ESTUDO DA DINÂMICA POPULACIONAL DE UM VÍRUS COMPUTACIONAL

ESTUDO DA DINÂMICA POPULACIONAL DE UM VÍRUS COMPUTACIONAL ESTUDO DA DINÂMICA POPULACIONAL DE UM VÍRUS COMPUTACIONAL Aluno: João Henrique Carneiro Orientador: Carlos Frederico Palmeira Introdução Foi feito um estudo sobre dinâmica populacional a fim de buscar

Leia mais

Implementação de um controlador PID embarcado para o controle em malha fechada de um estimulador neuromuscular funcional

Implementação de um controlador PID embarcado para o controle em malha fechada de um estimulador neuromuscular funcional C ampus de Ilha S olteira PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA Implementação de um controlador PID embarcado para o controle em malha fechada de um estimulador neuromuscular funcional THIAGO

Leia mais

Introdução e Motivação

Introdução e Motivação Introdução e Motivação 1 Análise de sistemas enfoque: sistemas dinâmicos; escopo: sistemas lineares; objetivo: representar, por meio de modelos matemáticos, fenômenos observados e sistemas de interesse;

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO LABORATÓRIO DE CONTROLE (PEE/COPPE) RELATÓRIO TÉCNICO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA INTRODUÇÃO AO FUNCIONAMENTO E AO ACIONAMENTO DE MOTORES DC André Euler Torres Orientador:

Leia mais

Resolução Comentada CEFET/MG - 2 semestre 2014

Resolução Comentada CEFET/MG - 2 semestre 2014 Resolução Comentada CEFET/MG - 2 semestre 2014 01 - A figura mostra um sistema massa-mola que pode oscilar livremente, sem atrito, sobre a superfície horizontal e com resistência do ar desprezível. Nesse

Leia mais

Aplicação do Método de Newton-Raphson no Controle da Resistência Externa de Geradores Eólicos Durante Afundamentos de Tensão

Aplicação do Método de Newton-Raphson no Controle da Resistência Externa de Geradores Eólicos Durante Afundamentos de Tensão Aplicação do Método de Newton-Raphson no Controle da Resistência Externa de Geradores Eólicos Durante Afundamentos de Tensão E. F. Cota 1, A. F. Bastos 1, S. R. Silva 2, H. A. Pereira 1,2 1 Universidade

Leia mais

Projeto e implementação de um sistema de controle em malha fechada para transmissão hidrostática usando o sistema Field Point da NI

Projeto e implementação de um sistema de controle em malha fechada para transmissão hidrostática usando o sistema Field Point da NI Projeto e implementação de um sistema de controle em malha fechada para transmissão hidrostática usando o sistema Field Point da NI "A implementação do sistema SCADA usando Field Point e interface LabVIEW,

Leia mais

CINEMÁTICA - É a parte da mecânica que estuda os vários tipos de movimento, sem se preocupar com as causas destes movimentos.

CINEMÁTICA - É a parte da mecânica que estuda os vários tipos de movimento, sem se preocupar com as causas destes movimentos. INTRODUÇÃO À CINEMÁTICA REPOUSO OU MOVIMENTO? DEPENDE DO REFERENCIAL! CINEMÁTICA - É a parte da mecânica que estuda os vários tipos de movimento, sem se preocupar com as causas destes movimentos. REFERENCIAL.

Leia mais

CONTROLE ROBUSTO DE VEÍCULO SOBRE PLATAFORMA COM RODAS E TRAÇÃO DIFE- RENCIAL UTILIZANDO LMIS

CONTROLE ROBUSTO DE VEÍCULO SOBRE PLATAFORMA COM RODAS E TRAÇÃO DIFE- RENCIAL UTILIZANDO LMIS CONTROLE ROBUSTO DE VEÍCULO SOBRE PLATAFORMA COM RODAS E TRAÇÃO DIFE- RENCIAL UTILIZANDO LMIS NILSON MOUTINHO DOS SANTOS 1, FLAVIO LUIZ ROSSINI 2, MARCIO ROBERTO COVACIC 3 E RUBERLEI GAINO 3. 1. Engenharia

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA EM CONVERSORES DE FREQUENCIA

ANÁLISE DA QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA EM CONVERSORES DE FREQUENCIA ANÁLISE DA QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA EM CONVERSORES DE FREQUENCIA Nome dos autores: Halison Helder Falcão Lopes 1 ; Sergio Manuel Rivera Sanhueza 2 ; 1 Aluno do Curso de Engenharia Elétrica; Campus

Leia mais

MECÂNICA DOS FLUIDOS 2 ME262

MECÂNICA DOS FLUIDOS 2 ME262 UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS (CTG) DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA (DEMEC) MECÂNICA DOS FLUIDOS ME6 Prof. ALEX MAURÍCIO ARAÚJO (Capítulo 5) Recife - PE Capítulo

Leia mais

Objetivos: Construção de tabelas e gráficos, escalas especiais para construção de gráficos e ajuste de curvas à dados experimentais.

Objetivos: Construção de tabelas e gráficos, escalas especiais para construção de gráficos e ajuste de curvas à dados experimentais. 7aula Janeiro de 2012 CONSTRUÇÃO DE GRÁFICOS I: Papel Milimetrado Objetivos: Construção de tabelas e gráficos, escalas especiais para construção de gráficos e ajuste de curvas à dados experimentais. 7.1

Leia mais

Efeito Doppler. Ondas eletromagnéticas para detecção de velocidade. Doppler Effect. Electromagnetic waves for speed detention

Efeito Doppler. Ondas eletromagnéticas para detecção de velocidade. Doppler Effect. Electromagnetic waves for speed detention Efeito Doppler Ondas eletromagnéticas para detecção de velocidade Doppler Effect Electromagnetic waves for speed detention Helton Maia, Centro Federal de Educação Tecnológica da Paraíba, Curso Superior

Leia mais

CONTROLE PID PARA VAZÃO, UMA AULA DIDÁTICA USANDO SIMULAÇÃO NA UFERSA

CONTROLE PID PARA VAZÃO, UMA AULA DIDÁTICA USANDO SIMULAÇÃO NA UFERSA CONTROLE PID PARA VAZÃO, UMA AULA DIDÁTICA USANDO SIMULAÇÃO NA UFERSA Alexandre Henrique Soares de Oliveira ahso_eu@hotmail.com Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Bacharelado em Ciência

Leia mais

Controle Inteligente de Robôs Móveis Autônomos utilizando Sistemas Inteligentes

Controle Inteligente de Robôs Móveis Autônomos utilizando Sistemas Inteligentes Controle Inteligente de Robôs Móveis Autônomos utilizando Sistemas Inteligentes Aluno: Gabriel Lins Tenório Orientadoras: Roxana Jiménez e Marley Rebuzzi Vellasco Introdução A aplicação de robôs móveis

Leia mais

INTERFACE GRÁFICA APLICADA AO CONTROLE DE VELOCIDADE DE UM MOTOR DE CORRENTE CONTÍNUA

INTERFACE GRÁFICA APLICADA AO CONTROLE DE VELOCIDADE DE UM MOTOR DE CORRENTE CONTÍNUA INTERFACE GRÁFICA APLICADA AO CONTROLE DE VELOCIDADE DE UM MOTOR DE CORRENTE CONTÍNUA Carlos M. R. de Oliveira carlosmro@usp.br William C. de A. Pereira william.andrade@usp.br Universidade de São Paulo,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UMA PLATAFORMA PARA SIMULAÇÃO DE SATÉLITES. Angelo dos Santos Lunardi 1 ; Rodrigo Alvite Romano 2.

DESENVOLVIMENTO DE UMA PLATAFORMA PARA SIMULAÇÃO DE SATÉLITES. Angelo dos Santos Lunardi 1 ; Rodrigo Alvite Romano 2. DESENVOLVIMENTO DE UMA PLATAFORMA PARA SIMULAÇÃO DE SATÉLITES Angelo dos Santos Lunardi 1 ; Rodrigo Alvite Romano 2. 1 Aluno de Iniciação Científica da Escola de Engenharia Mauá (EEM/CEUN-IMT); 2 Professor

Leia mais

Laboratórios de CONTROLO (LEE) 2 o Trabalho Motor DC Controlo de Velocidade

Laboratórios de CONTROLO (LEE) 2 o Trabalho Motor DC Controlo de Velocidade Laboratórios de CONTROLO (LEE) 2 o Trabalho Motor DC Controlo de Velocidade Baseado no trabalho Controlo de Velocidade de um motor DC de E. Morgado, F. Garcia e J. Gaspar João Miguel Raposo Sanches 1 o

Leia mais

Trabalho. a) F; b) peso c) força normal; d) força de atrito; e) resultante das forças.

Trabalho. a) F; b) peso c) força normal; d) força de atrito; e) resultante das forças. Trabalho 1- Um corpo de massa igual 20Kg deslocava-se para a direita sobre um plano horizontal rugoso. Sobre o corpo é, então, aplicada uma força F, horizontal, constante de módulo igual a 100N. O módulo

Leia mais

2 A Derivada. 2.1 Velocidade Média e Velocidade Instantânea

2 A Derivada. 2.1 Velocidade Média e Velocidade Instantânea 2 O objetivo geral desse curso de Cálculo será o de estudar dois conceitos básicos: a Derivada e a Integral. No decorrer do curso esses dois conceitos, embora motivados de formas distintas, serão por mais

Leia mais

Processos em Engenharia: Introdução a Servomecanismos

Processos em Engenharia: Introdução a Servomecanismos Processos em Engenharia: Introdução a Servomecanismos Prof. Daniel Coutinho coutinho@das.ufsc.br Departamento de Automação e Sistemas DAS Universidade Federal de Santa Catarina UFSC DAS 5101 - Aula 7 p.1/47

Leia mais

CONTROLE ATIVO DE VIBRAÇÃO EM SUSPENSÃO DE BARRAS PARA PULVERIZADORES AGRÍCOLAS TRACIONADOS

CONTROLE ATIVO DE VIBRAÇÃO EM SUSPENSÃO DE BARRAS PARA PULVERIZADORES AGRÍCOLAS TRACIONADOS CONTROLE ATIVO DE VIBRAÇÃO EM SUSPENSÃO DE BARRAS PARA PULVERIZADORES... 1 CONTROLE ATIVO DE VIBRAÇÃO EM SUSPENSÃO DE BARRAS PARA PULVERIZADORES AGRÍCOLAS TRACIONADOS Cristiano Okada Pontelli Máquinas

Leia mais

6 Conclusões e sugestões para trabalhos futuros

6 Conclusões e sugestões para trabalhos futuros 6 Conclusões e sugestões para trabalhos futuros 6.1. Conclusões Neste trabalho estudou-se um sistema de acompanhamento de alvos do tipo pan-tilt atuado por motores de corrente contínua e fixo em um corpo

Leia mais

Aplicação do Modelo Linear de Vorpérian ao Conversor tipo Buck Ewaldo L. M. Mehl

Aplicação do Modelo Linear de Vorpérian ao Conversor tipo Buck Ewaldo L. M. Mehl Aplicação do Modelo Linear de Vorpérian ao Conversor tipo Buck Ewaldo L. M. Mehl 1. Apresentação Com o uso do conceito do Interruptor PWM apresentado por Vorpérian [1,2], torna-se extremamente simples

Leia mais

Centro de Tecnologia e Urbanismo Departamento de Engenharia Elétrica. Nilson Moutinho dos Santos

Centro de Tecnologia e Urbanismo Departamento de Engenharia Elétrica. Nilson Moutinho dos Santos Centro de Tecnologia e Urbanismo Departamento de Engenharia Elétrica Nilson Moutinho dos Santos Projeto de Controladores Robustos em Modelos Não-lineares Utilizados em Engenharia Biomédica: Pacientes Paraplégicos

Leia mais

Sistemas de Controle I (Servomecanismo) Carlos Alexandre Mello. Carlos Alexandre Mello cabm@cin.ufpe.br 1

Sistemas de Controle I (Servomecanismo) Carlos Alexandre Mello. Carlos Alexandre Mello cabm@cin.ufpe.br 1 Sistemas de Controle I (Servomecanismo) Carlos Alexandre Mello 1 O que são sistemas de controle Um sistema de controle é um conjunto de componentes organizados de forma a conseguir a resposta desejada

Leia mais

MODELAGEM COMPUTACIONAL DE MÉTODOS DE PARTIDA DE UM MOTOR DE INDUÇÃO TRIFÁSICO NO SIMULINK/MATLAB

MODELAGEM COMPUTACIONAL DE MÉTODOS DE PARTIDA DE UM MOTOR DE INDUÇÃO TRIFÁSICO NO SIMULINK/MATLAB MODELAGEM COMPUTACIONAL DE MÉTODOS DE PARTIDA DE UM MOTOR DE INDUÇÃO TRIFÁSICO NO SIMULINK/MATLAB Claudio Marzo Cavalcanti de BRITO Núcleo de Pesquisa em Eletromecânica e Qualidade de Energia NUPEQ CEFET-PI

Leia mais

Palavras-chave: Modelo de Lotka-Volterra, Lagarta do Cartucho do milho, Controle Biológico.

Palavras-chave: Modelo de Lotka-Volterra, Lagarta do Cartucho do milho, Controle Biológico. ISSN 177-9139 MODELAGEM MATEMÁTICA APLICADA AO CONTROLE BIOLÓGICO DE PRAGAS EM LAVOURAS DE MILHOS. Jéssica C. S. Bueno E-mail: jessica_bsaldivia@hotmail.com Universidade Federal de Pelotas, Departamento

Leia mais

PRÁTICAS DE APRENDIZAGEM PARA SISTEMAS DE CONTROLE DE PROCESSOS: IDENTIFICAÇÃO DE SISTEMAS UTILIZANDO UMA PLANTA DIDÁTICA INDUSTRIAL

PRÁTICAS DE APRENDIZAGEM PARA SISTEMAS DE CONTROLE DE PROCESSOS: IDENTIFICAÇÃO DE SISTEMAS UTILIZANDO UMA PLANTA DIDÁTICA INDUSTRIAL PRÁTICAS DE APRENDIZAGEM PARA SISTEMAS DE CONTROLE DE PROCESSOS: IDENTIFICAÇÃO DE SISTEMAS UTILIZANDO UMA PLANTA DIDÁTICA INDUSTRIAL Lyvia Regina Biagi Silva 1 lybiagi@hotmail.com Wagner Endo 1 wendo@utfpr.edu.br

Leia mais