Microprocessadores e Microcontroladores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Microprocessadores e Microcontroladores"

Transcrição

1 Microprocessadores e Microcontroladores Walter Fetter Lages Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Elétrica Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica ELE00002 Sistemas de Automação Copyright (c) Walter Fetter Lages p.1

2 Instrumento Inteligente Copyright (c) Walter Fetter Lages p.2

3 Instrumento Inteligente Hardware Processador Memória Dispositivos de I/O Interfaces com sensores e/ou atuadores Software Sistema de tempo-real Comunicação (protocolos) Driver para os dispositios Registradores de configuração Blocos funcionais Copyright (c) Walter Fetter Lages p.3

4 Sistema Microprocessado Copyright (c) Walter Fetter Lages p.4

5 Sinalização no Barraemnto Copyright (c) Walter Fetter Lages p.5

6 Unidade de Execução Copyright (c) Walter Fetter Lages p.6

7 Diagrama Funcional Copyright (c) Walter Fetter Lages p.7

8 Registradores (8086/8088) Registradores de 8 bits AL, AH, BL, BH, CL, CH, DL, DH Registradores de 16 bits AX=AH:AL BX=BH:BL CX=CH:CL DX=DH:DL SI, DI, BP SP IP Flags CS, DS, SS, ES Copyright (c) Walter Fetter Lages p.8

9 Registradores de Uso Específico Ponteiro de instruções: IP Ponteiro de pilha: SP Flags Segmento de código: CS Segmento de dados: DS Segmento de pilha: SS Segmento extra: ES Copyright (c) Walter Fetter Lages p.9

10 Personalidade dos Registradores Quase todas as instruções do 8086/8088 são simétricas em relação aos registradores Alguns registradores possuem usos preferenciais Acumulador: AL ou AX Base: BL, BX ou BP Contador: CL ou CX Dados: DL ou DX Índice de fonte: SI Índice de destino: DI Copyright (c) Walter Fetter Lages p.10

11 Flags Carry: CF Paridade: PF Carry Auxiliar: AF Zero: ZF Sinal: SF Trap: TF Interrupção: IF Direção: DF Overflow: OF Copyright (c) Walter Fetter Lages p.11

12 Registradores de Segmento Dependendo do tipo de acesso à memória é utilizado um registrador de segmento CS: busca de instruções DS: acesso à dados na memória SS: acesso à pilha endereçamento indireto por SP ou BP ES: destino de operações de string As instruções podem utilizar um prefixo para utilizar um segmento diferente do default Copyright (c) Walter Fetter Lages p.12

13 Organização da Memória A família x86 é little-endian A família 68K é big-endian Copyright (c) Walter Fetter Lages p.13

14 Memórias ROM Read-Only Memory ROM PROM Programmable ROM EPROM Ereasable PROM EEPROM Electrically Ereasable PROM Flash-EEPROM RAM Random Access Memory SRAM Static RAM Async SRAM Sync SRAM PB SRAM Pipelined Burst SRAM DRAM Dynamic RAM Copyright (c) Walter Fetter Lages p.14

15 DRAM DRAM Dynamic RAM DRAM F(E)PM RAM Fast (Enhanced) Page-mode RAM EDO RAM Extended Data Output RAM BEDO RAM Burst Extended Data Output RAM SDRAM Synchronous DRAM DDR SDRAM Double Data Rate SDRAM VRAM Video RAM Copyright (c) Walter Fetter Lages p.15

16 SRAM x DRAM SRAM Célula básica = flip-flop Alta velocidade Baixa densidade, alto custo Alto consumo DRAM Célula básica = capacitor Baixa velocidade Alta densidade, baixo custo Baixo consumo Necessita refresh Copyright (c) Walter Fetter Lages p.16

17 Processadores de 32 bits 80386DX, 80386SX 80486DX, 80486SX, 80486DX2, 80486DX4 Intel Pentium, Pentium-MMX Intel Pentium Pro, Pentium II, Celeron Intel Pentium III, Celeron Intel Pentium 4, Pentium 4 D, Celeron Core Duo, Centrino Intel Core 2 Duo, Core 2 Quad EMT64, x86 64 EMT64 IA64 Copyright (c) Walter Fetter Lages p.17

18 Processadores de 32 bits AMD 5x86, K5, 6x86 AMD K6, K6II, K6III AMD Athlon, Duron Athlon XP, Semprom, Turion AMD Athlon 64, Turion 64 AMD64, x86 64 AMD64 EMT64 AMD Athlon 64 X2, Turion 64 X2 AMD64, x86 64 Transmeta Crusoé Cyrix 5x86, M1 Copyright (c) Walter Fetter Lages p.18

19 Diagrama de Blocos DX4 Copyright (c) Walter Fetter Lages p.19

20 Ciclo de Leitura Externa DX4 Copyright (c) Walter Fetter Lages p.20

21 Modos de Operação Modo protegido Modo virtual 86 Emulação do modo real por uma tarefa de modo protegido Modo real Modo original do 8086 Modo default Modo de gerenciamento de sistema Introduzido com o 80386SL Utilizado para função de economia de energia Endereçamento similar ao modo real Copyright (c) Walter Fetter Lages p.21

22 Níveis de Privilégio Copyright (c) Walter Fetter Lages p.22

23 Verificação de Privilégios Copyright (c) Walter Fetter Lages p.23

24 Ambiente de Execução Básico Copyright (c) Walter Fetter Lages p.24

25 Registradores de Uso Geral Copyright (c) Walter Fetter Lages p.25

26 Registradores de Segmento Copyright (c) Walter Fetter Lages p.26

27 Flags Copyright (c) Walter Fetter Lages p.27

28 Ambiente de Sistema Copyright (c) Walter Fetter Lages p.28

29 Registradores de Controle Copyright (c) Walter Fetter Lages p.29

30 Registradores de Controle PG: Paging CD: Cache disable NW: Not write-through AM: Aligment mask WP: Write protect NE: Numeric error ET: Extension type TS: Task switched EM: Emulation MP: Monitor coprocessor PE: Protection enable Copyright (c) Walter Fetter Lages p.30

31 Registradores de Controle PCD: Page-level cache disable PWT: Page-leve write-through VME: Virtual-8086 mode extensions PVI: Protected-mode virtual interrupts TSD: Time stamp disable DE: Debugging extensions PSE: Page size extensions PAE: Physical address extension MCE: Machine-check enable PGE: Page global enale PCE: Performance-monitoring conter enable Copyright (c) Walter Fetter Lages p.31

32 Utilização da memória Alocação e desalocação de memória Estática Dinâmica Memória virtual Segmentação de memória Copyright (c) Walter Fetter Lages p.32

33 Sistemas Monotarefa Um único programa na memória O programa utiliza toda a memória O programa deve ter todos os drivers de I/O Divisão da memória entre o programa e o sistema operacional Copyright (c) Walter Fetter Lages p.33

34 Sistemas Multitarefa Partições fixas Partições definidas manualmente pelo operador Uma partição de tamanho suficiente é alocada para cada tarefa Em geral, o número de tarefas > número de partições =>diversas politicas para utilização das partições Uma fila de tarefas para cada partição Uma fila única Fila única com best-fit Fila única com best-fit e máximo de skip-over Copyright (c) Walter Fetter Lages p.34

35 Partições Fixas Copyright (c) Walter Fetter Lages p.35

36 Partições Variáveis O tamanho das partições varia conforme a criação/destruição das tarefas Fragmentação de memória Compactação de memória Consome muito tempo -> normalmente feito durante a alocação/desalocação de memória em sistemas não tempo real Espaço para a memória das tarefas crescer Alocação dinâmica de memória para dados Copyright (c) Walter Fetter Lages p.36

37 Lay-out de Memória das Tarefas Copyright (c) Walter Fetter Lages p.37

38 Relocação Em sistemas multitarefa, cada tarefa terá um endereço inicial diferente. Como o programador/compilador/linker saberá o endereço inicial (e endereços de subrotinas, dados, etc...) da tarefa? Problema da relocação Gerar apenas código com endereços relativos Código relocável Relocação durante a carga da tarefa na memória Copyright (c) Walter Fetter Lages p.38

39 Segmentação Associa-se a cada área de memória um valor de base e um valor de limite base=endereço inicial limite=endereço máximo ou tamanho Todas as tarefas são codificadas assumindo que a sua área de memória começa em 0 Quando a tarefa é selecionada para executar, base e limite são carregados pelo sistema operacional em registradores especiais na CPU Copyright (c) Walter Fetter Lages p.39

40 Segmentação Endereço físico = offset + base Soma feita por hardware a cada acesso à memória Endereços são verificados quanto ao limite Uma tarefa não pode acessar a área das outras Copyright (c) Walter Fetter Lages p.40

41 Exemplo 64kB de memória total Programa 1 Tamanho de 16kB Carregado no endereço físico 1000h Programa 2 Tamanho de 32kB Carregado no endereço físico 6000h Ambos acessam o endereço lógico 3000h Tabela de segmentos no endereço físico 0400h Copyright (c) Walter Fetter Lages p.41

42 Segmentação O seletor e descritor de segmento são controlados pelo sistema operacional O offset é controlado pelo programa de aplicação Proteção Usualmente o descritor de segmento tem algums bits associados que são utilizados para determinar as características de proteção do segmento Permissões de leitura, escrita, execução Cache de descritor de segmento Evita dois acessos a memória Alterado apenas quando o registrador de seletor de segmento é alterado Copyright (c) Walter Fetter Lages p.42

43 Modelo Flat Copyright (c) Walter Fetter Lages p.43

44 Modelo Flat Protegido Copyright (c) Walter Fetter Lages p.44

45 Multi-segmentos Copyright (c) Walter Fetter Lages p.45

46 Segmentação na IA32 Local Descriptor Table (LDT) Global Descriptor Table (GDT) Copyright (c) Walter Fetter Lages p.46

47 GDT e LDT Copyright (c) Walter Fetter Lages p.47

48 Segmentação na IA32 Copyright (c) Walter Fetter Lages p.48

49 Seletor de Segmento na IA32 Copyright (c) Walter Fetter Lages p.49

50 Descritor de Segmento Copyright (c) Walter Fetter Lages p.50

51 Segmentação no 8086/8088 Processadores sem modo protegido Sem proteção, não tem sentido a existência de permissões e limite no segmento O descritor de segmento resume-se à base Como os registradores são de 16 bits decidiu-se limitar o início de segmentos apenas alinhados com "parágrafos" Segmentação mal implementada O "tamanho máximo"do segmento é 64KB O limite do segmento não é garantido Na verdade é apenas um esquema para endereçar 1MB utilizando 2 registradores Copyright (c) Walter Fetter Lages p.51

52 Segmentação no 8086/8088 Endereço físico=reg. de segmento * 16 + offset Endereço físico=reg. de segmento «4 + offset Copyright (c) Walter Fetter Lages p.52

53 Memória Virtual Paginação Falta de página Page-table Endereço Virtual Físico Copyright (c) Walter Fetter Lages p.53

54 Tabela de Páginas Copyright (c) Walter Fetter Lages p.54

55 Hardware de Paginação Usualmente a tabela de páginas é mantida em memória e não em registradores Registrador de base da tabela de páginas Translation look-aside buffer (TLB) Evita dois acessos a memória Páginas também podem ter bits de proteção associados Bit de presença/ausência Copyright (c) Walter Fetter Lages p.55

56 Páginas de 4MB na IA32 Copyright (c) Walter Fetter Lages p.56

57 Páginas de 4KB na IA32 Copyright (c) Walter Fetter Lages p.57

58 Segmentação e Paginação IA32 Copyright (c) Walter Fetter Lages p.58

59 Proteção de I/O na IA32 Existe um nível de privilégio de I/O Apenas processos com nível de privilégio menor ou igual podem executar instruções de I/O Associado a cada processo pode existir um bitmap de permissões de I/O Apenas as portas habilitadas podem ser acessadas Hardware Virtual Virtualização de dispositivos Copyright (c) Walter Fetter Lages p.59

60 I/O Permission Bit Map Copyright (c) Walter Fetter Lages p.60

61 Coprocessador (FPU) Registradores e opcodes ponto flutuante Na IA32 opera em notação polonesa reversa A partir do 80486DX passou a ser FPU Copyright (c) Walter Fetter Lages p.61

62 Registradores FPU Copyright (c) Walter Fetter Lages p.62

63 Controle FPU Copyright (c) Walter Fetter Lages p.63

64 Status FPU Copyright (c) Walter Fetter Lages p.64

65 Exemplo FPU.intel_syntax noprefix.text.global sum # float sum(float a,float b) sum: push ebp mov ebp,esp finit wait fld [ebp+8] # a fadd [ebp+12] # b fwait pop ebp ret Copyright (c) Walter Fetter Lages p.65

66 Microcontroladores Microprocessadores otimizados para aplicações de controle/automação Processador RAM ROM, EPROM, flash EEPROM Portas de I/O com latches e Tri-states Temporizadores Portas seriais Portas CAN, USB, I2C, one-wire. Copyright (c) Walter Fetter Lages p.66

67 80C390 Copyright (c) Walter Fetter Lages p.67

68 Mapa de Memória do 80C390 Copyright (c) Walter Fetter Lages p.68

Arquitetura de Computadores Circuitos Combinacionais, Circuitos Sequênciais e Organização de Memória

Arquitetura de Computadores Circuitos Combinacionais, Circuitos Sequênciais e Organização de Memória Introdução Arquitetura de Computadores Circuitos Combinacionais, Circuitos Sequênciais e O Nível de lógica digital é o nível mais baixo da Arquitetura. Responsável pela interpretação de instruções do nível

Leia mais

28/3/2011. Família Intel 80x86. Arquitetura dos Processadores Intel 80x86

28/3/2011. Família Intel 80x86. Arquitetura dos Processadores Intel 80x86 Arquitetura de Computadores Arquitetura dos Processadores Intel 80x86 Prof. Marcos Quinet Universidade Federal Fluminense UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Família Intel 80x86 Ao se falar

Leia mais

31/10/2011. Modos de Operação. Modo Protegido. Endereçamento de Memória. Modo Protegido e Modo Longo Uma primeira visão

31/10/2011. Modos de Operação. Modo Protegido. Endereçamento de Memória. Modo Protegido e Modo Longo Uma primeira visão Modos de Operação Modo Protegido e Modo Longo Uma primeira visão Prof. Eduardo Tavares eagt@cin.ufpe.br Modo Protegido Endereçamento de Memória Características Gerais 4 GB Multitarefa Memória Virtual Gerenciamento

Leia mais

2 - Processadores. CEFET-RS Curso de Eletrônica. Organização de Computadores. Profs. Roberta Nobre & Sandro Silva

2 - Processadores. CEFET-RS Curso de Eletrônica. Organização de Computadores. Profs. Roberta Nobre & Sandro Silva CEFET-RS Curso de Eletrônica 2 - Processadores Profs. Roberta Nobre & Sandro Silva robertacnobre@gmail.com e sandro@cefetrs.tche.br Microprocessador 8086 FX ULA AH AL BH BL CH CL DH DL BP SI DI SP (AX)

Leia mais

EA075 Memória. Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Prof.

EA075 Memória. Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Prof. EA075 Memória Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Prof. Levy Boccato 1 Introdução A funcionalidade de qualquer sistema embarcado é caracterizada

Leia mais

Portas lógicas e circuitos digitais. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007

Portas lógicas e circuitos digitais. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Portas lógicas e circuitos digitais Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Tópicos Portas Circuito somador Circuito subtrator flip-flops (registradores)

Leia mais

MODELO DE S.O. DEFINIÇÕES

MODELO DE S.O. DEFINIÇÕES MODELO DE S.O. Organização em camadas A: hardware B: núcleo (kernel) drivers, gerenciador de tarefas, controlador de interrupções, gerenciador de memória C: Gerenciador de arquivos e controle de I/O D:

Leia mais

Linguagem de Montagem

Linguagem de Montagem Linguagem de Montagem Organização do PC Slides baseados em material associado ao livro Introduction to Assembly Language Programming, Sivarama Dandamudi 1 Processador Pentium Lançado em 1993 Versão melhorada

Leia mais

Estrutura de um Computador

Estrutura de um Computador SEL-0415 Introdução à Organização de Computadores Estrutura de um Computador Aula 7 Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira MODELO DE VON NEUMANN PRINCÍPIOS A arquitetura de um computador consiste de

Leia mais

Infraestrutura de Hardware. Memória Virtual

Infraestrutura de Hardware. Memória Virtual Infraestrutura de Hardware Memória Virtual Perguntas que Devem ser Respondidas ao Final do Curso Como um programa escrito em uma linguagem de alto nível é entendido e executado pelo HW? Qual é a interface

Leia mais

PROFESSOR ÉVERSON MATIAS DE MORAIS SISTEMAS OPERACIONAIS. Sistemas operacionais (so) Roteiro

PROFESSOR ÉVERSON MATIAS DE MORAIS SISTEMAS OPERACIONAIS. Sistemas operacionais (so) Roteiro PROFESSOR ÉVERSON MATIAS DE MORAIS Graduação em Processamento de Dados Especialização em Ciência da Computação Mestrado em Ciência da Computação SISTEMAS OPERACIONAIS Aula 1 Sistemas operacionais (so)

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Entendendo o Computador Componentes do Computador COMPONENTES DO COMPUTADOR Tabela ASCII A sigla ASCII deriva de American Standard Code for Information Interchange, ou seja, Código no Padrão Americano

Leia mais

Escola. Europeia de. Ensino. Profissional ARQUITETURA DE COMPUTADORES

Escola. Europeia de. Ensino. Profissional ARQUITETURA DE COMPUTADORES Escola Europeia de t Ensino Profissional ARQUITETURA DE COMPUTADORES TRABALHO REALIZADO: ANDRÉ RIOS DA CRUZ ANO LETIVO: 2012/ 2013 TÉCNICO DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS 2012 / 2013 3902 Escola

Leia mais

HARDWARE COMPONENTES BÁSICOS E FUNCIONAMENTO. Wagner de Oliveira

HARDWARE COMPONENTES BÁSICOS E FUNCIONAMENTO. Wagner de Oliveira HARDWARE COMPONENTES BÁSICOS E FUNCIONAMENTO Wagner de Oliveira SUMÁRIO Hardware Definição de Computador Computador Digital Componentes Básicos CPU Processador Memória Barramento Unidades de Entrada e

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Prof. João Bosco Jr.

Arquitetura de Computadores. Prof. João Bosco Jr. Arquitetura de Computadores Prof. João Bosco Jr. Unidade II Aula 1 Nível ISA Posicionado entre a microarquitetura e o SO Define a arquitetura (Conjunto de Instruções) É a interface entre o Software e o

Leia mais

Laboratório de Sistemas Processadores e Periféricos Lista de comandos de Assembly

Laboratório de Sistemas Processadores e Periféricos Lista de comandos de Assembly Laboratório de Sistemas Processadores e Periféricos Lista de comandos de Assembly Gustavo G. Parma Lista dos comandos assembly que serão utilizados ao longo das práticas. 1 Comandos 1. ADD destino, fonte

Leia mais

Hardware 2. O Gabinete. Unidades Derivadas do BYTE. 1 KB = Kilobyte = 1024B = 2 10 B. 1 MB = Megabyte = 1024KB = 2 20 B

Hardware 2. O Gabinete. Unidades Derivadas do BYTE. 1 KB = Kilobyte = 1024B = 2 10 B. 1 MB = Megabyte = 1024KB = 2 20 B 1 2 MODULO II - HARDWARE AULA 01 OBiteoByte Byte 3 Definições: Bit é a menor unidade de informação que circula dentro do sistema computacional. Byte é a representação de oito bits. 4 Aplicações: Byte 1

Leia mais

Acetatos de apoio às aulas teóricas

Acetatos de apoio às aulas teóricas Microprocessadores e Aplicações Acetatos de apoio às aulas teóricas Ana Cristina Lopes Dep. Engenharia Electrotécnica http://orion.ipt.pt anacris@ipt.pt Ana Cristina Lopes, 24 de Outubro de 2004 Microprocessadores

Leia mais

PROJETO LÓGICO DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

PROJETO LÓGICO DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 3 - O NÍVEL DA ARQUITETURA DO CONJUNTO DAS INSTRUÇÕES (ISA) (Nível Convencional de Máquina) 1. INTRODUÇÃO Este é o nível responsável por fazer a ligação entra a parte de hardware e a parte de software

Leia mais

MODULO II - HARDWARE

MODULO II - HARDWARE MODULO II - HARDWARE AULA 01 O Bit e o Byte Definições: Bit é a menor unidade de informação que circula dentro do sistema computacional. Byte é a representação de oito bits. Aplicações: Byte 1 0 1 0 0

Leia mais

Memória ROM. Organização Funcional de um. Computador. ROM (Read-Only Memory) Memória Somente Leitura.

Memória ROM. Organização Funcional de um. Computador. ROM (Read-Only Memory) Memória Somente Leitura. Prof. Luiz Antonio do Nascimento Faculdade Nossa Cidade Organização Funcional de um Computador Unidade que realiza as operações lógicas e aritméticas Comanda as outras operações Sistema Central CPU ULA

Leia mais

HARDWARE FUNDAMENTAL. Unidade de sistema CPU Memória Primária Bus ou Barramento

HARDWARE FUNDAMENTAL. Unidade de sistema CPU Memória Primária Bus ou Barramento HARDWARE FUNDAMENTAL Unidade de sistema CPU Memória Primária Bus ou Barramento Um computador é um sistema capaz de processar informação de acordo com as instruções contidas em programas, independentemente

Leia mais

AULA 1. Informática Básica. Gustavo Leitão. gustavo.leitao@ifrn.edu.br. Disciplina: Professor: Email:

AULA 1. Informática Básica. Gustavo Leitão. gustavo.leitao@ifrn.edu.br. Disciplina: Professor: Email: AULA 1 Disciplina: Informática Básica Professor: Gustavo Leitão Email: gustavo.leitao@ifrn.edu.br Estudo de caso Empresa do ramo de seguros Presidência RH Financeiro Vendas e Marketing TI CRM Riscos Introdução

Leia mais

Gerenciamento Básico B de Memória Aula 07

Gerenciamento Básico B de Memória Aula 07 BC1518-Sistemas Operacionais Gerenciamento Básico B de Memória Aula 07 Prof. Marcelo Z. do Nascimento marcelo.nascimento@ufabc.edu.br Roteiro Introdução Espaço de Endereçamento Lógico vs. Físico Estratégias

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO MANUTENÇÃO

IDENTIFICAÇÃO MANUTENÇÃO IDENTIFICAÇÃO MANUTENÇÃO ESTRUTURA DOS MICROS PADRÃO PC AULA 01 Sobre aula 1 Números binários e hexadecimais Dispositivos digitais e analógicos Circuitos integrados Estrutura dos micros padrão PC Micros

Leia mais

Evolução das velocidades de processamento, de acesso à memória, do disco e das interfaces de rede

Evolução das velocidades de processamento, de acesso à memória, do disco e das interfaces de rede Evolução das velocidades de processamento, de acesso à memória, do disco e das interfaces de rede Alberto Bueno Júnior Novembro de 2010 1 Sumário 1 Introdução 3 2 Evolução dos processadores 4 2.1 A lei

Leia mais

Portas lógicas e Circuitos. Marcos Monteiro, MBA

Portas lógicas e Circuitos. Marcos Monteiro, MBA Portas lógicas e Circuitos Marcos Monteiro, MBA Cultura Inútil Em 1854, o matemático britânico George Boole (1815 1864), através da obra intitulada An Investigation of the Laws of Thought (Uma Investigação

Leia mais

Microcomputadores. Prof. Marcelo GonG. onçalves. Rubinstein

Microcomputadores. Prof. Marcelo GonG. onçalves. Rubinstein Microcomputadores Prof. Marcelo GonG onçalves Rubinstein Depto. de Eletrônica e Telecomunicações Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Introdução Aplicações de microcomputadores

Leia mais

12/09/2014. Processadores Intel e AMD. Agenda. Prof. Doutorando Luiz Carlos Pereira Santos. Resumo Evolução Intel X AMD PROGRAMAÇÃO

12/09/2014. Processadores Intel e AMD. Agenda. Prof. Doutorando Luiz Carlos Pereira Santos. Resumo Evolução Intel X AMD PROGRAMAÇÃO PROGRAMAÇÃO AVALIAÇÃO I: PROCESSADORES, MEMÓRIA E BARRAMENTO 10,0 PONTOS DATA: 03/10/2014 AVALIAÇÃO II: ARQUITETURA RISC E CISC, DISPOSITIVOS DE ENTRADA E SAÍDA, PROCESSOS DE MONTAGEM DE MICROCOMPUTADORES.

Leia mais

Componentes básicos de um sistema computacional. Cap. 1 (Stallings)

Componentes básicos de um sistema computacional. Cap. 1 (Stallings) Componentes básicos de um sistema computacional Cap. 1 (Stallings) 1 Sistema de Operação Explora recursos de hardware de um ou mais processadores Provê um conjunto de serviços aos utilizadores Gerencia

Leia mais

x86 Assembly Mini-Course

x86 Assembly Mini-Course x86 Assembly Mini-Course Part 1 Bruno P. Evangelista bpevangelista@gmail.com Introdução Assembly é uma linguagem de programação de baixo nível em formato mnemonico Ela possibilita trabalhar diretamente

Leia mais

Visão Geral de Sistemas Operacionais

Visão Geral de Sistemas Operacionais Visão Geral de Sistemas Operacionais Sumário Um sistema operacional é um intermediário entre usuários e o hardware do computador. Desta forma, o usuário pode executar programas de forma conveniente e eficiente.

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Hardware de Computadores Questionário II 1. A principal diferença entre dois processadores, um deles equipado com memória cache o

Leia mais

John von Neumann(Budapeste. Desenvolvido no IAS(Institute of Advanced Studies-Princeton\USA). Iniciado em1946 e finalizado em 1952

John von Neumann(Budapeste. Desenvolvido no IAS(Institute of Advanced Studies-Princeton\USA). Iniciado em1946 e finalizado em 1952 1 Arquitetura Von Neumann - notas de aula 1º.sem.2012 1. Modelo de Von Neumann John von Neumann(Budapeste -28/12/1903) e colaboradores. Conceito de programa armazenado na memória Desenvolvido no IAS(Institute

Leia mais

Processadores e Memórias

Processadores e Memórias Processadores e Memórias INTRODUÇAO Em nosso dia a dia estamos rodeados de equipamentos equipados com microcontroladores, cada vez mais poderosos e baratos. Em automóveis, por exemplo, temos chips controlando

Leia mais

Microprocessadores II - ELE 1084

Microprocessadores II - ELE 1084 Microprocessadores II - ELE 1084 CAPÍTULO III OS PROCESSADORES 3.1 Gerações de Processadores 3.1 Gerações de Processadores Primeira Geração (P1) Início da arquitetura de 16 bits CPU 8086 e 8088; Arquiteturas

Leia mais

MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES

MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES Parte 1 José Wilson Lima Nerys www.eee.ufg.br/~jwilson jwilson@eee.ufg.br 1 Prof. José Wilson Lima Nerys 1 Microprocessadores MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES

Leia mais

Capítulo 4 Livro do Mário Monteiro Introdução Hierarquia de memória Memória Principal. Memória principal

Capítulo 4 Livro do Mário Monteiro Introdução Hierarquia de memória Memória Principal. Memória principal Capítulo 4 Livro do Mário Monteiro Introdução Hierarquia de memória Memória Principal Organização Operações de leitura e escrita Capacidade http://www.ic.uff.br/~debora/fac! 1 2 Componente de um sistema

Leia mais

Software Básico. Conceito de Linguagem de Máquina e Montagem: introdução ao Assembly. Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza

Software Básico. Conceito de Linguagem de Máquina e Montagem: introdução ao Assembly. Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza Software Básico Conceito de Linguagem de Máquina e Montagem: introdução ao Assembly Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo

Leia mais

Microprocessadores II - ELE 1084

Microprocessadores II - ELE 1084 Microprocessadores II - ELE 1084 CAPÍTULO III OS PROCESSADORES 3.1 Gerações de Processadores 3.1 Gerações de Processadores Primeira Geração (P1) Início da arquitetura de 16 bits CPU 8086 e 8088; 20 bits

Leia mais

Informática Aplicada à Química. Hardware - armazenamento

Informática Aplicada à Química. Hardware - armazenamento Informática Aplicada à Química Hardware - armazenamento Armazenamento de Dados e a CPU Dois tipos de armazenamento: Armazenamento primário (memória): Armazena dados temporariamente. A CPU referencia-o

Leia mais

Memórias. Circuitos Lógicos. DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva

Memórias. Circuitos Lógicos. DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva Memórias Circuitos Lógicos DCC-IM/UFRJ Prof. Gabriel P. Silva Memórias As memórias são componentes utilizados para armazenar dados e instruções em um sistema computacional. As memórias podem apresentar

Leia mais

Tecnologias de Construção de Memórias e Memórias RAM, entrelaçada e Virtual

Tecnologias de Construção de Memórias e Memórias RAM, entrelaçada e Virtual Tecnologias de Construção de Memórias e Memórias RAM, entrelaçada e Virtual Arquiteturas para Alto Desmpenho Prof. pauloac@ita.br Sala 110 Prédio da Computação www.comp.ita.br/~pauloac Tempos de Acesso

Leia mais

Manutenção de Computadores Montagem de microcomputadores: Entendendo melhor os processadores. Professor: Francisco Ary

Manutenção de Computadores Montagem de microcomputadores: Entendendo melhor os processadores. Professor: Francisco Ary Manutenção de Computadores Montagem de microcomputadores: Entendendo melhor os processadores Professor: Francisco Ary Introdução O processador é um dos componentes mais importantes (e geralmente o mais

Leia mais

R S Q 0 0 1 0 1 0 1 0 0 1 1 0 Tabela 17 - Tabela verdade NOR

R S Q 0 0 1 0 1 0 1 0 0 1 1 0 Tabela 17 - Tabela verdade NOR 19 Aula 4 Flip-Flop Flip-flops são circuitos que possuem a característica de manter os bits de saída independente de energia, podem ser considerados os princípios das memórias. Um dos circuitos sequenciais

Leia mais

O Nível ISA. Modelo de programação Arquitecturas CISC e RISC Introdução ao IA-32 da Intel

O Nível ISA. Modelo de programação Arquitecturas CISC e RISC Introdução ao IA-32 da Intel O Nível ISA Modelo de programação Arquitecturas CISC e RISC Introdução ao IA-32 da Intel Nível ISA (Instruction Set Architecture) Tipos de dados Inteiros (1, 2, 4 ou 8 bytes) Servem também para representar

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES 01001111 01110010 01100111 01100001 01101110 01101001 01111010 01100001 11100111 11100011 01101111 00100000 01100100 01100101 00100000 01000011 01101111 01101101 01110000 01110101 01110100 01100001 01100100

Leia mais

16/09/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Introdução. Introdução. Curso Conexão Noções de Informática. Aula 1 Arquitetura de Computadores (Hardware)

16/09/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Introdução. Introdução. Curso Conexão Noções de Informática. Aula 1 Arquitetura de Computadores (Hardware) Curso Conexão Noções de Informática Aula 1 Arquitetura de Computadores (Hardware) Agenda ; Arquitetura do Computador; ; ; Dispositivos de Entrada e Saída; Tipos de Barramentos; Unidades de Medidas. Email:

Leia mais

MEMÓRIAS. Sistemas Digitais II Prof. Marcelo Wendling Set/10

MEMÓRIAS. Sistemas Digitais II Prof. Marcelo Wendling Set/10 MEMÓRIAS Sistemas Digitais II Prof. Marcelo Wendling Set/10 1 Definição São blocos que armazenam informações codificadas digitalmente números, letras, caracteres quaisquer, comandos de operações, endereços

Leia mais

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com Informática Componentes de um SC Hardware X Software Memória do Computador Hardware X Software Toda interação dos usuários de computadores modernos é realizada

Leia mais

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO INFORMÁTICA BÁSICA AULA 03. Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com 25/06/2014

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO INFORMÁTICA BÁSICA AULA 03. Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com 25/06/2014 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 03 Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com 25/06/2014 Unidades de armazenamento

Leia mais

Introdução à Arquitetura de Computadores

Introdução à Arquitetura de Computadores Introdução à Arquitetura de Computadores Prof. Tiago Semprebom Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Santa Catarina - Campus São José tisemp@sj.ifsc.edu.br 31 de julho de 2009 Prof. Tiago

Leia mais

Os 3 principais tipos de Instruções (INSTRUTION SET) dos up são:

Os 3 principais tipos de Instruções (INSTRUTION SET) dos up são: Linguagem Assembly Os 3 principais tipos de Instruções (INSTRUTION SET) dos up são: INSTRUÇÕES DE TRANSFERÊNCIA DE DADOS - Movem dados entre Registradores, Registradores e Memória e Valores Fixos para

Leia mais

Unidade: Unidade Lógica e Aritmética e Registradores. Unidade I:

Unidade: Unidade Lógica e Aritmética e Registradores. Unidade I: Unidade: Unidade Lógica e Aritmética e Registradores Unidade I: 0 Unidade: Unidade Lógica e Aritmética e Registradores UNIDADE LÓGICA E ARITMÉTICA E REGISTRADORES O Processador é um chip com milhares de

Leia mais

Arquitetura de Computadores - Revisão -

Arquitetura de Computadores - Revisão - Arquitetura de Computadores - Revisão - Principais funções de um Sistema Operacional Componentes básicos da Arquitetura Barramentos Registradores da CPU Ciclo de Instruções Interrupções Técnicas de E/S

Leia mais

Programação de Sistemas

Programação de Sistemas Programação de Sistemas Segmentação e Protecção de memória nos µp Intel Programação de Sistemas Segmentação e Protecção : 1/49 Introdução (1) Lista dos processadores de uso geral da Intel 4004: Nov 1971,

Leia mais

MEMÓRIA. 0 e 1 únicos elementos do sistema de numeração de base 2

MEMÓRIA. 0 e 1 únicos elementos do sistema de numeração de base 2 MEMÓRIA CONCEITO Bit- 0 1 Essência de um sistema chamado BIESTÁVEL Ex: Lâmpada 0 apagada 1 acesa 0 e 1 únicos elementos do sistema de numeração de base 2 A que se destina a memória: Armazenamento das instruções

Leia mais

LABORATÓRIO DE LINGUAGEM DE MONTAGEM INTERRUPÇÕES DO DOS E DA BIOS

LABORATÓRIO DE LINGUAGEM DE MONTAGEM INTERRUPÇÕES DO DOS E DA BIOS LABORATÓRIO DE LINGUAGEM DE MONTAGEM INTERRUPÇÕES DO DOS E DA BIOS Capítulo 15 do livro-texto, págs. 309 a 330 Impressora Scanner Monitor Flop Disk Modem Floppy drive "CPU" HD CD ROM Teclado Mouse Dispositivos

Leia mais

ROM e RAM. Memórias 23/11/2015

ROM e RAM. Memórias 23/11/2015 ROM e RAM Memórias Prof. Fabrício Alessi Steinmacher. Para que o processador possa executar suas tarefas, ele busca na memória todas as informações necessárias ao processamento. Nos computadores as memórias

Leia mais

Memória Informações Adicionais. Memória Informações Adicionais. Memória Informações Adicionais. Memória Informações Adicionais

Memória Informações Adicionais. Memória Informações Adicionais. Memória Informações Adicionais. Memória Informações Adicionais Ciência da Computação Arq. e Org. de Computadores Parte II Prof. Sergio Ribeiro de um computador sistema constituído de vários componentes (vários tipos diferentes de memória) interligados e integrados,

Leia mais

Figura 1 - Memória 1. OBJETIVO. Conhecer os principais tipos de memórias entendendo suas funcionalidades e características.

Figura 1 - Memória 1. OBJETIVO. Conhecer os principais tipos de memórias entendendo suas funcionalidades e características. MEMÓRIA Memória Principal BIOS Cache BIOS ROOM Cache Externo HD DVD DRIVE DE DISQUETE DE 3 1/2 1/2 DISQUETE DE 3 DISQUETE DE 5 1/4 Figura 1 - Memória MP 1. OBJETIVO Conhecer os principais tipos de memórias

Leia mais

Circuitos de Memória: Tipos e Funcionamento. Fabrício Noveletto

Circuitos de Memória: Tipos e Funcionamento. Fabrício Noveletto Circuitos de Memória: Tipos e Funcionamento Fabrício Noveletto Memória de semicondutores São dispositivos capazes de armazenar informações digitais. A menor unidade de informação que pode ser armazenada

Leia mais

Introdução à Arquitetura e Linguagem Assembly de Processadores IA-32

Introdução à Arquitetura e Linguagem Assembly de Processadores IA-32 Introdução à Arquitetura e Linguagem Assembly de Processadores IA-32 Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 CHIP Ano MHz Transistors Mem 8086 1978 5

Leia mais

Gerência de Memória RAM em Computadores com Mais de 4GB O sistema Windows x86 (32bits) não tem capacidade de reconhecer, fisicamente, mais que 3,X GB de RAM, a não ser que seja ativado, manualmente, o

Leia mais

Capítulo. Memórias. Leitura e escrita

Capítulo. Memórias. Leitura e escrita Capítulo 11 Memórias Leitura e escrita Podemos dividir as memórias em duas grandes categorias: ROM e RAM. Em todos os computadores encontramos ambos os tipos. Cada um desses dois tipos é por sua vez, dividido

Leia mais

Estudo de Caso 2: Windows Vista

Estudo de Caso 2: Windows Vista Faculdades Integradas de Mineiros Curso de Sistemas de Informação Sistemas Operacionais II Estudo de Caso 2: Windows Vista Grupo 4 Helder / Wagner / Frantyeis Junho/2010 O Windows usa uma estratégia Just-In-Time

Leia mais

Organização de Computadores 1

Organização de Computadores 1 Organização de Computadores 1 3.1 CPU: Unidade de Processamento Central Prof. Luiz Gustavo A. Martins Arquitetura de von Newmann Unidade de Processamento Central (CPU): Memória Principal Unidade de Processamento

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Arquitetura de Computadores 1

Arquitetura de Computadores. Arquitetura de Computadores 1 Computadores Computadores 1 Introdução Componentes: Processador; UC; Registradores; ALU s, FPU s, etc. Memória (Sistema de armazenamento de informações; Dispositivo de entrada e saída. Computadores 2 Introdução

Leia mais

7 - Memória Principal

7 - Memória Principal 7 - Memória Principal A memória é a parte do computador onde os programas e os dados são armazenados. Sem uma memória na qual os processadores possam ler ou escrever informações, o conceito de computador

Leia mais

Capítulo 12) Dispositivos de Memória

Capítulo 12) Dispositivos de Memória Capítulo 12) Dispositivos de Memória Terminologia / Velocidade / Preço Tipos de memória / Leitura / Escrita Capacidade Procedimentos de Leitura e Escrita ROM / FLASH / RAM / SRAM / DRAM 12.1) Terminologia

Leia mais

Armazenar dados e programas que serão utilizados pelo processador (CPU Unidade Central de Processamento)

Armazenar dados e programas que serão utilizados pelo processador (CPU Unidade Central de Processamento) Armazenar dados e programas que serão utilizados pelo processador (CPU Unidade Central de Processamento) Tempo de acesso: maior que o tempo de acesso da cache, 50 a 70 ns; Capacidade: bem maior que a cache;

Leia mais

Capítulo 8: Gerenciamento de Memória

Capítulo 8: Gerenciamento de Memória Capítulo 8: Gerenciamento de Memória Sobre a apresentação (About( the slides) Os slides e figuras dessa apresentação foram criados por Silberschatz, Galvin e Gagne em 2005. Esse apresentação foi modificada

Leia mais

Bits internos e bits externos. Barramentos. Processadores Atuais. Conceitos Básicos Microprocessadores. Sumário. Introdução.

Bits internos e bits externos. Barramentos. Processadores Atuais. Conceitos Básicos Microprocessadores. Sumário. Introdução. Processadores Atuais Eduardo Amaral Sumário Introdução Conceitos Básicos Microprocessadores Barramentos Bits internos e bits externos Clock interno e clock externo Memória cache Co-processador aritmético

Leia mais

Uso de interrupções de BIOS/DOS

Uso de interrupções de BIOS/DOS Uso de interrupções de BIOS/DOS Prof. Ronaldo Hüsemann Mapa de Memória FFFFFh F0000h C0000h B8000h A0000h BIOS (ROM) Reservado Memória de Vídeo (Texto e Gráfica) Memória de Vídeo (Parte Gráfica) Área para

Leia mais

ARQUITECTURA DE UM SISTEMA PC

ARQUITECTURA DE UM SISTEMA PC ARQUITECTURA DE UM SISTEMA PC AUTORES: FERNANDO ALVES LILIANA CASTRO CURSO: EI1 PÓS LABORAL NOVEMBRO 2003 INDÍCE 1. Introdução... 3 2. Placa principal - Motherboard... 4 2.1. Famílias de Motherboard...

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866 6.7 Operações com as Memórias: Já sabemos, conforme anteriormente citado, que é possível realizar duas operações em uma memória: Escrita (write) armazenar informações na memória; Leitura (read) recuperar

Leia mais

EE610 Eletrônica Digital I

EE610 Eletrônica Digital I EE61 Eletrônica Digital I Prof. Fabiano Fruett Email: fabiano@dsif.fee.unicamp.br 3_b Memórias Semicondutoras 2. Semestre de 27 Memórias 1 Circuitos Integrados Digitais Memórias Semicondutoras Classificação

Leia mais

Introdução a Ciência da Computação Conceitos Básicos de Sistema PROFESSORA CINTIA CAETANO

Introdução a Ciência da Computação Conceitos Básicos de Sistema PROFESSORA CINTIA CAETANO Introdução a Ciência da Computação Conceitos Básicos de Sistema PROFESSORA CINTIA CAETANO Introdução A informática é uma área que atualmente vem evoluindo muito rapidamente. A cada dia se torna mais importante

Leia mais

O Hardware Dentro da Unidade do Sistema

O Hardware Dentro da Unidade do Sistema Memória RAM Random Access Memory Memória de Acesso Aleatório Armazena: programas em execução dados dos programas em execução alguns programas do sistema operacional O objetivo é tornar mais rápido o acesso

Leia mais

Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores. Automação e Computadores

Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores. Automação e Computadores Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores Automação e Computadores Memórias Significado Em informática, memória são todos os dispositivos que permitem a um computador guardar dados, temporariamente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA CURSO:

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA CURSO: UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA CURSO: MICROPROCESSADORES Prof.: Marcelo Barretto Ano: 2000 Mestre em Engenharia Elétrica - PUC/RJ Professor Adjunto

Leia mais

DISPOSITIVOS DE MEMÓRIA

DISPOSITIVOS DE MEMÓRIA DISPOSITIVOS DE MEMÓRIA INTRODUÇÃO Um sistema digital é capaz de armazenar facilmente uma grande quantidade de informação por períodos de tempo curtos ou longos, sendo esta a sua principal vantagem sobre

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES ARQUITETURA DE COMPUTADORES Aula 04: Subsistemas de Memória SUBSISTEMAS DE MEMÓRIA Tipos de memória: de semicondutores (ROM, PROM, EPROM, EEPROM, Flash, RAM); magnéticas (discos e fitas) e... óticas( CD

Leia mais

AULA1 Introdução a Microprocessadores gerais

AULA1 Introdução a Microprocessadores gerais AULA1 Introdução a Microprocessadores gerais Disciplina: Aplicações Avançadas de Microprocessadores (AAM) Prof. Eduardo Henrique Couto ehcouto@hotmail.com 2014/1 Apresentação do Professor: Cronograma:

Leia mais

Arquitetura de Computadores

Arquitetura de Computadores Arquitetura de Computadores Prof. Fábio M. Costa Instituto de Informática UFG 1S/2004 ISA: Arquitetura de Conjunto de Instruções Roteiro Introdução Classificação de conjuntos de instruções Endereçamento

Leia mais

Organização de Computadores (Aula 4) Memória

Organização de Computadores (Aula 4) Memória Organização de Computadores (Aula 4) Memória Hierarquia de Memória (1) Velocidade e custo Capacidade de armazenamento Flash memory Magnetic disk 2 Hierarquia de Memória (2) A memória cache é geralmente

Leia mais

Formação Modular Certificada. Arquitetura interna do computador. Hardware e Software UFCD - 0769. Joaquim Frias

Formação Modular Certificada. Arquitetura interna do computador. Hardware e Software UFCD - 0769. Joaquim Frias Formação Modular Certificada Arquitetura interna do computador Hardware e Software UFCD - 0769 Joaquim Frias Computador É um conjunto de dispositivos eletrónicos capaz de aceitar dados e instruções, executa

Leia mais

for Information Interchange.

for Information Interchange. 6 Memória: 6.1 Representação de Memória: Toda a informação com a qual um sistema computacional trabalha está, em algum nível, armazenada em um sistema de memória, guardando os dados em caráter temporário

Leia mais

Prof. Demétrios Coutinho. Informática. Hardware

Prof. Demétrios Coutinho. Informática. Hardware 1 Prof. Demétrios Coutinho Informática Hardware 2 Componentes Básicos e Funcionamento 2 Hardware 3 Conjunto de dispositivos elétricos/eletrônicos que englobam a CPU, a memória e os dispositivos de entrada/saída

Leia mais

PROCESSADORES INTEL E AMD

PROCESSADORES INTEL E AMD PROCESSADORES INTEL E AMD AGENDA Introdução Conceitos básicos Microprocessadores Histórico dos processadores X86 (Intel e AMD) Linha evolutiva dos processadores Mercado de processadores Breve Comparativo

Leia mais

Capítulo 2. Noção de hardware. As componentes de um computador.

Capítulo 2. Noção de hardware. As componentes de um computador. Definição 1 Capítulo 2. Noção de hardware. As componentes de um computador. 1. Definição Hardware : toda a parte física do computador. Ex.: Monitor, caixa, disquetes, impressoras, etc. Hardware (hard =

Leia mais

Introdução às Tecnologias de Informação e Comunicação. Conceitos Introdutórios

Introdução às Tecnologias de Informação e Comunicação. Conceitos Introdutórios Introdução às Tecnologias de Informação e Comunicação Conceitos Introdutórios Informática Informática - Tratamento ou processamento da informação utilizando meios automáticos, nomeadamente o computador.

Leia mais

Evolução dos Microcomputadores PC

Evolução dos Microcomputadores PC Evolução dos Microcomputadores PC O IBM PC, ou Personal Computer (Computador Pessoal), surgiu em 1981 e se tornou um padrão de microcomputador, o qual passou a ter uma evolução muito rápida, e difícil

Leia mais

CURSO: MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES

CURSO: MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ (UFPA) INSTITUTO DE TECNOLOGIA (ITEC) FACULDADE DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO (EngeComp) CURSO: MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES Autor: Marcelo Barretto Ano: 2010 Mestre

Leia mais

Memória. Introdução. Unidades de medida de capacidade Tipos:

Memória. Introdução. Unidades de medida de capacidade Tipos: Memória Memória Introdução Motivação para ser um Sub-sistema Operações Representação da informação Princípios da organização da memória Hierarquia da memória Critérios de comparação entre memórias Unidades

Leia mais

Arquitectura de um Sistema PC

Arquitectura de um Sistema PC Arquitectura de um Sistema PC MotherBoard Processadores Memórias (RAM e SRAM) Realizado Por: Rafael Pais Gisela Silva 1º E.I Índice: 1 MotherBoard 1.1 - Introdução... 3 1.2 Como Tudo Começou... 3 1.3 Constituição

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Sistemas Operacionais Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Estruturas de Sistemas de Computação O sistema operacional precisa garantir a operação correta do sistema de computação. Operação

Leia mais

Organização de Computadores Como a informação é processada?

Organização de Computadores Como a informação é processada? Curso de ADS/DTEE/IFBA Organização de Computadores Como a informação é processada? Prof. Antonio Carlos Referências Bibliográficas: 1. Ciência da Computação: Uma visão abrangente - J.Glenn Brokshear 2.

Leia mais

Fonte : http://www.infowester.com/memoria.php. Introdução

Fonte : http://www.infowester.com/memoria.php. Introdução Fonte : http://www.infowester.com/memoria.php Introdução No que se refere ao hardware dos computadores, entendemos como memória os dispositivos que armazenam os dados com os quais o processador trabalha.

Leia mais

Introdução. à Estrutura e Funcionamento de um Sistema Informático

Introdução. à Estrutura e Funcionamento de um Sistema Informático Introdução à Estrutura e Funcionamento de um Sistema Informático Estrutura básica de um sistema informático Componentes de um sistema informático O interior de um PC A placa principal ou motherboard O

Leia mais