EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE"

Transcrição

1 EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE INTRODUÇÃO Dsd a antiguidad qu s classificam as substâncias como ácidos ou como bass (anti-ácidos): O vinagr parc tr sido o primiro ácido conhcido (sabor amargo) As bass ram conhcidas por srm scorrgadias ao tacto plas suas propridads anti-ácidas. A. TEORIA DE ARRHENIUS (fim do século XIX) Para Arrhnius: Ácido ra toda a substância qu contndo hidrogénio, s dissociava m solução produzindo iõs H +, x: HCl(aq) H + (aq) + Cl (aq) Bas sria toda a substância qu m solução aquosa s dissociava, produzindo iõs hidróxido (OH - ), x: NaOH(aq) Na + (aq) + OH (aq) Esta toria stava incomplta. Como xplicar: O comportamnto ácido ou alcalino m soluçõs não aquosas? O comportamnto alcalino do NH 3? 1

2 Surgiu uma nova toria: B. TEORIA DE BRONSTED-LOWRY (crca d 1920) Sgundo sta toria: Ácido spéci qu cd iõs H + (protõs). Bas spéci qu rcb iõs H +. H + H + HA(aq) + H 2 O(l) H 3 O + (aq) + A (aq) ácido bas REACÇÃO ÁCIDO-BASE: Racção d transfrência d protõs ntr duas spécis iónicas ou molculars, originando um novo ácido uma nova bas. H + H + HA(aq) + H 2 O(l) H 3 O + (aq) + A (aq) ácido 1 bas 2 ácido 2 bas 1 São pars conjugados ácido-bas: HA/A- H 3 O + / H 2 O Na sguint racção tmos: H + H + NH 3 (aq) + H 2 O(l) NH + 4 (aq) + OH (aq) bas 1 ácido 2 ácido 1 bas 2 São pars conjugados ácido-bas: NH 4 + / NH 3 H 2 O/ OH Mas, como xplicar o comportamnto da H 2 O? 2

3 Substâncias qu, como a H 2 O, aprsntam comportamnto ácido ou básico, dpndndo da spéci com qu ragm, são dfinidas como anfotéricas ou anfipróticas. Racção d Auto-ionização da Água: H 2 O(l) + H 2 O(l) H 3 O + (aq) + OH (aq) A racção dircta muito pouco xtnsa, assim a sua constant d quilíbrio, srá: Produto Iónico da Água: a 25ºC Kw 1,0x10-14 Kw [H 3 O + ].[OH - ] C. TEORIA DE LEWIS Lwis xplica a xistência do ião H 3 O +, d outro modo: O ião H +, dficitário d um lctrão, acita partilhar um par d lctrõs, stablcndo-s uma ligação covalnt dativa. H + + O H H O H + Assim, H H Ácido spéci qu acit partilhar plo mnos um par d lctrõs, x: BF 3. Bas spéci doadora dos lctrõs, para a ligação covalnt dativa, x: NH 3. BF 3 + NH 3 F 3 B NH 3 CONSTANTES DE ACIDEZ E DE BASICIDADE 3

4 1. FORÇAS DOS ÁCIDOS E DAS BASES Sgundo Bronstd Lowry, a racção qu ocorr ntr um ácido a água pod squmatizar-s assim: HA(aq) + H 2 O(l) H 3 O + (aq) + A (aq) aplicando a Li da Acção das Massas: K C + [ H O ] [ A ] 3 [ H 2O] [ HA] como a [H 2 O] é aproximadamnt constant. K C x [H 2 O] K a CONSTANTE DE ACIDEZ K a + [ H O ] [ A ] 3 [ HA] A grandza Ka, é constant a uma dada tmpratura T, md a xtnsão da racção. Assim, quanto maior for o valor d Ka, mais fort srá o ácido. Podm comparar-s a força d dois ou mais ácidos, comparando as suas constants d acidz. Nota: Consultar Tabla d constants d acidz. 4

5 Para a racção: HNO 3 (aq) + H 2 O(l) H 3 O + (aq) + NO 3 (aq) A Li da Acção das Massas conduz a um valor muito lvado para Ka. Logo a ionização do ácido é uma racção muito xtnsa com um grau d ionização (α) muito lvado. Assim a racção dv sr traduzida plo sguint squma: HNO 3 (aq) + H 2 O(l) H 3 O + (aq) + NO 3 (aq) Nota: Grau d Ionização: α n.º d mols ionizadas n.º. d. mols. iniciais A racção invrsa é muito pouco xtnsa, logo considra-s o anião NO 3 - uma bas muito fraca. S o valor d Ka(HA) é muito lvado o valor d Kb(A - ) é muito pquno No caso da racção do ácido acético a da água: CH 3 COOH(aq) + H 2 O(l) H 3 O + (aq) + CH 3 COO (aq) Ka(CH 3 COOH) 1,8 x 10-5 ( a 25ºC) Ácido Fraco S um ácido é fraco, a sua bas conjugada tm uma força rlativa. Podmos dizr qu: Kb(CH 3 COO ) > Kb(NO 3 - ) 5

6 No caso das bass: B(aq) + H 2 O(l) HB + (aq) + OH (aq) sndo a constant d basicidad, Kb: K b + [ HB ] [ OH ] [ B] Exrcício: Qual o grau d ionização do ácido acético, numa solução 0,10 mol/dm 3 a 25ºC? Dado: Ka(CH 3 COOH) 1,8 x 10-5 ( a 25ºC) Rsolução: CH 3 COOH(aq) + H 2 O(l) H 3 O + (aq) + CH 3 COO (aq) [ ] in 0, [ ] q 0,10 - x x x K + [ H O ] [ CH COO ] 3 3 a [ CH 3COOH ] 1, x 0,10 x como Ka é muito baixo, a racção dircta é pouco xtnsa, assim podmos simplificar considrar 0,1 x 0,1 logo, Logo, x 2 0,10 x 1,8x10-5 x 2 1,8x10-6 x 1,34x10 3 mol/l Com st valor dv-s corrigir a 1ª aproximação x 2 1,8 x10-5 0,10 1,34x10-3 x [H 3 O + ] [CH 3 COO - ] 1,3 x10-3 mol/l α 1,3x10-3 /0,10 1,3x10-2 α 1,3 % O qu significa qu 98,7 % do ácido não sofr ionização. 6

7 2. RELAÇÃO ENTRE Ka Kb Para um ácido d forma gral HA, tmos: HA(aq) + H 2 O(l) H 3 O + (aq) + A (aq) para a sua bas conjugada A -, virá: K a + [ H O ] [ A ] 3 [ HA] A - (aq) + H 2 O(l) HA(aq) + OH (aq) sndo a constant d basicidad, Kb: K b [ HA] [ OH ] [ A ] ntão trmos: Simplificando Ka Kb + [ H O ] [ A ] 3 [ HA] Ka x Kb [H 3 O + ].[OH - ] [ HA] [ OH ] [ A ] Kw Ka x Kb a 25ºC Kw 1,0x10-14 Exrcício: Calcular o valor da constant d basicidad do ião actato a 25ºC, sabndo qu Ka(CH 3 COOH) é 1,8 x 10-5, a ssa tmpratura. Dado: Kw 1,0x10-14, a 25ºC Rsolução: Ka x Kb Kw Kb 1,0x10-14 /1,8x10-5 Kb 5,(5)x

8 3. ÁCIDOS POLIPRÓTICOS Alguns ácidos, como por xmplo o ácido sulfídrico (H 2 S), o ácido sulfúrico (H 2 SO 4 ) o ácido fosfórico (H 3 PO 4 ), têm a capacidad d cdr mais do qu um protão; H +. H 2 A (aq) + H 2 O (l) H 3 O + (aq) + HA - (aq) K a1 HA - (aq) + H 2 O (l) H 3 O + (aq) + A 2- (aq) K a2 sndo K a1 > > > K a2 Na maior part dos ácidos polipróticos podmos dsprzar a sgunda protólis, pois sta é muito pouco xtnsa. É xcpção o Ácido Sulfúrico: H 2 SO 4(aq) + H 2 O (l) H 3 O + (aq) + HSO 4 - (aq ) K a1 muito lvada HSO 4 - (aq) + H 2 O (l) H 3 O + (aq) + SO 4 2- (aq) K a2 1,2x10-2 (a 25ºC) Nst caso a sgunda protólis tm uma constant d quilíbrio suprior a muitos ácidos monopróticos. Assim, m cálculos d ph é smpr d considrar a protólis do anião hidrognossulfato. 8

9 CÁLCULOS DE ph 1. ACIDEZ E ALCALINIDADE DE SOLUÇÕES AQUOSAS ph Normalmnt as concntraçõs do ião hidrónio, H 3 O +, ião indicativo da acidz da solução, são valors xtrmamnt pqunos. [H 3 O + ] 10 -x mol/l O qu não torna muito prático stablcr uma scala com sts valors. Sugriu-s ntão aplicar a função logarítmica a sts valors. Nota: Função logarítmica S, log 10 x Y 10 y x Propridads dos logaritmos: log a (x. y) log a x + log a y log a (x/y) log a x - log a y log a x p p.log a x Introduziu-s o oprador p Assim, px - log 10 x ph - log 10 [H 3 O + ] poh - log 10 [OH - ] 9

10 Na auto-ionização da água sndo, H 2 O(l) + H 2 O(l) H 3 O + (aq) + OH (aq) Ka x Kb [H 3 O + ].[OH - ] a 25ºC Kw 1,0x10-14 logo para a água pura a 25ºC assim, [H 3 O + ] [OH - ] Kw ,0 10 1,0 10 mol dm ph -log (10-7 ) 7 a 25ºC poh -log (10-7 ) 7 ph + poh 14 ou Kw [H 3 O + ].[OH - ] aplicando logaritmos log (10-14 ) log([h 3 O + ].[OH - ]) x (-1) -14.(log10) log [H 3 O + ] + log [OH - ] 14 - log [H 3 O + ] - log [OH - ] 14 ph + poh c.q.d. 10

11 2. ph DA ÁGUA A DIFERENTES TEMPERATURAS S, H 2 O (l) + H 2 O (l) H 3 O + (aq) + OH (aq) com H > 0 (Racção ndotérmica) significa qu: como s T Kw [H 3 O + ] Kw [H 3 O + ] ph Exmplo: t 10ºC [H 3 O + ] 15 Kw 2,9 10 ph 7,3 t 25ºC [H 3 O + ] 15 Kw 2,9 10 ph 7,0 por outro lado s: s logo, pkw ph + poh Kw Ka x Kb pkw pka + pkb pka + pkb 14, a 25ºC Escala d ph a 25ºC Ácido Nutro Alcalino [H 3 O + ] > [OH - ] [H 3 O + ] [OH - ] [H 3 O + ] < [OH - ]

12 3. DETERMINAÇÃO EXPERIMENTAL DE ph INDICADORES ÁCIDO-BASE Como é sabido a cor d um composto orgânico dpnd dos comprimntos d onda qu st absorv ( transmit ou rflct), sts dpndm da sua strutura. Assim, os indicadors são ácidos ou bass fracas, orgânicos, qu, sofrndo uma racção d protólis, altram a sua strutura mudam d cor. Exmplo para um Indicador Ácido HInd + H 2 O H 3 O + + Ind cor 1 cor 2 A cor do indicador vai dpndr do sntido para o qual o quilíbrio é dslocado. S adicionarmos um ácido: [H 3 O + ] volui a racção invrsa cor 1 S adicionarmos uma bas: [H 3 O + ] volui a racção dircta cor 2 HInd + H 2 O H 3 O + + Ind K Ind + [ H O ] [ Ind ] 3 [ HInd] [H 3 O + ] K Ind x [HInd]/[Ind - ] O olho humano, d um modo gral, consgu dtctar uma altração d cor s, a concntração da spéci qu confr uma cor, for no mínimo 10 vzs suprior à outra. [HInd] > 10 x [Ind - ] cor 1 [HInd] < 10 x [Ind - ] cor 2 12

13 Aplicando logaritmos: -log s [H 3 O + ] K Ind x [HInd]/[Ind - ] ph pk ind log ([HInd]/[Ind - ]) [HInd]/[Ind - ] 10 ph pk Ind 1 [HInd]/[Ind - ] 1/10 ph pk Ind + 1 ph pk Ind ± 1 Est intrvalo dsigna-s por Intrvalo d Viragm do Indicador. Fnolftalína No laboratório, usam-s vários corants como indicadors, como a fnolftalína, qu é incolor m soluçõs com ph infrior a 8,3 vrmlha (carmim) m soluçõs com ph suprior a 10,0. Na tabla aprsntam-s os valors d pk ind, cors zonas d viragm para alguns indicadors, m soluçõs aquosa com valors difrnts d ph. INDICADOR pk IND Cor forma ácida Zona d Viragm Cor forma alcalina Azul d Timol 2,0 vrmlho 1,2 2,8 amarlo Vrmlho d 5,1 vrmlho 4,2 6,3 amarlo mtilo Tornassol 6,4 vrmlho 5,0 8,0 Azul Azul d 6,9 amarlo 6,0 7,6 azul bromotimol Fnolftalína 9,1 incolor 8,3 10,0 carmim 13

14 4. CÁLCULO DE ph DE ÁCIDOS E BASES FORTES ÁCIDO FORTE Considrmos uma solução aquosa d ácido clorídrico, 010 mol/l a 25ºC. Existm 2 quilíbrios: (1) 2H 2 O (l) H 3 O + (aq) + OH (aq) (2) HCl (aq) + H 2 O (l) H 3 O + (aq) + Cl (aq) Racção muito xtnsa [H 3 O + ] total [H 3 O + ] 1 + [H 3 O + ] 2 [H 3 O + ] 1 1,0x10-7 mol/l [H 3 O + ] 2 [HCl] [H 3 O + ] total [H 3 O + ] 2 0,10 mol/l ph -log (0,10) 1,0 BASE FORTE Para uma solução aquosa 0,10 mol/l d hidróxido d sódio a 25º C: NaOH (aq) Na + (aq) + OH (aq) Racção muito xtnsa, quas complta [OH ] total [OH ] bas + [OH ] água [OH ] total [OH ] bas 0,10 mol/l poh - log (0,10) 1,0 ph

TITULAÇÃO ÁCIDO-BASE

TITULAÇÃO ÁCIDO-BASE Introdução a Analise Química - II sem/2013 Profa Ma Auxiliadora - 1 Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Exatas Departamento de Química Disciplina QUIO94 - Introdução à Análise Química

Leia mais

Ácidos e bases. Aula 8 Ácidos e Bases / ph. Par ácido-base conjugado. Ácidos e bases

Ácidos e bases. Aula 8 Ácidos e Bases / ph. Par ácido-base conjugado. Ácidos e bases Aula 8 Ácidos e Bases / ph Prof. Ricardo Aparicio - IQ/Unicamp - 1s/2009 QG107 (Biologia) - 1s/2009 Definição de Brønsted-Lowry (1923) definição mais abrangente que a de Arrhenius ácidos e bases = ácidos

Leia mais

ÁCIDOS E BASES. + (aq) + OH - (aq)

ÁCIDOS E BASES. + (aq) + OH - (aq) ÁCIDOS E BASES O conhecimento sobre termodinâmica, particularmente sobre as constantes de equilíbrio é de grande importância na discussão quantitativa das forças de ácidos e bases o que permite desenvolver

Leia mais

FICHA DE TRABALHO DE FÍSICA E QUÍMICA A MAIO 2011

FICHA DE TRABALHO DE FÍSICA E QUÍMICA A MAIO 2011 FICHA DE TRABALHO DE FÍSICA E QUÍMICA A MAIO 2011 APSA Nº21 11º Ano de Escolaridade 1- Classifique, justificando, as soluções aquosas dos sais que se seguem como ácidas, básicas ou neutras. a) CaCO 3 b)

Leia mais

Equilíbrio. Prof a Alessandra Smaniotto. QMC 5325 - Química Analítica Curso de Graduação em Farmácia Turmas 02102A e 02102B

Equilíbrio. Prof a Alessandra Smaniotto. QMC 5325 - Química Analítica Curso de Graduação em Farmácia Turmas 02102A e 02102B Cap 3: Equilíbrio Químico Equilíbrio brioácido-base Prof a Alessandra Smaniotto QMC 5325 - Química Analítica Curso de Graduação em Farmácia Turmas 02102A e 02102B Íon hidrogênio O íon hidrogênio (H + )

Leia mais

TITULAÇÃO DE ÁCIDO-BASE

TITULAÇÃO DE ÁCIDO-BASE Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Exatas Departamento de Química Introdução a Analise Química - II sem/2012 Profa Ma Auxiliadora - 1 Disciplina QUIO94 - Introdução à Análise Química

Leia mais

Química Analítica Avançada: Volumetria de Neutralização. Prof a Lilian Silva 2011

Química Analítica Avançada: Volumetria de Neutralização. Prof a Lilian Silva 2011 Química Analítica Avançada: Volumetria de Neutralização Prof a Lilian Silva 2011 INTRODUÇÃO À VOLUMETRIA TITULAÇÃO Processo no qual uma solução padrão ou solução de referência é adicionada a uma solução

Leia mais

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

Equilíbrio Ácido-Básico. Água : solvente das reações químicas

Equilíbrio Ácido-Básico. Água : solvente das reações químicas Equilíbrio Ácido-Básico Água : solvente das reações químicas Introdução Polaridade molecular: moléculas que possuem uma maior concentração de cargas numa parte da molécula. Os elétrons são compartilhados

Leia mais

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1 Proposta d Rsolução do Exam Nacional d ísica Química A 11.º ano, 011, 1.ª fas, vrsão 1 Socidad Portugusa d ísica, Divisão d Educação, 8 d Junho d 011, http://d.spf.pt/moodl/ 1. Movimnto rctilíno uniform

Leia mais

Exercícios de ph Turma Evolução

Exercícios de ph Turma Evolução . A forma dos fios do cabelo (liso ou ondulado) se deve à forma das estruturas proteicas da queratina. Promovendo reações químicas nas ligações dissulfeto (RSSR) presentes na proteína, é possível alterar

Leia mais

Química - Grupo J - Gabarito

Química - Grupo J - Gabarito - Gabarito 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor Informe a que volume deve ser diluído com água um litro de solução de um ácido fraco HA 0.10 M, de constante de ionização extremamente pequena (K

Leia mais

ácido 1 base 2 base 1 ácido 2

ácido 1 base 2 base 1 ácido 2 Experimento 7 ESTUDO DE ÁCIDOS E BASES EM MEIO AQUOSO OBJETIVOS Reforçar a aprendizagem do conceito de ácidos e bases por meio de experimentos simples em meio aquoso. Identificar substâncias ácidas e básicas

Leia mais

EQUILÍBRIO IÔNICO Solução [H+] (mol.l-1) CORRETO CORRETO III III

EQUILÍBRIO IÔNICO Solução [H+] (mol.l-1) CORRETO CORRETO III III EQUILÍBRIO IÔNICO 1- (PUCRS) Para a identificação do caráter ácido ou básico de um meio, usam-se substâncias indicadoras, como a fenolftaleína e o tornassol. Assim, um indicador ácido-base apresenta, em

Leia mais

Lista de exercícios ph e soluções-tampão (II) GABARITO

Lista de exercícios ph e soluções-tampão (II) GABARITO Lista de exercícios ph e soluções-tampão (II) GABARITO 1. Qual é o ph de uma solução que tem [H + ] de: a) 1,75 x 10-5 mol/l ph = -log 1,75 x 10-5 ph = 4,76 b) 6,5 x 10-10 mol/l ph = 9,19 c) 1,0 x 10-4

Leia mais

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE Lógica Matmática Computacional - Sistma d Ponto Flutuant SISTEM DE PONTO FLUTUNTE s máquinas utilizam a sguint normalização para rprsntação dos númros: 1d dn * B ± 0d L ond 0 di (B 1), para i = 1,,, n,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PET/Agronomia. TUTOR: Dr. Ribamar Silva PETIANO: Rafael de Melo Clemêncio

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PET/Agronomia. TUTOR: Dr. Ribamar Silva PETIANO: Rafael de Melo Clemêncio UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PET/Agronomia TUTOR: Dr. Ribamar Silva PETIANO: Rafael de Melo Clemêncio Estabelecido entre uma substância e seus íons; Reação reversível Reagente

Leia mais

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T.

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T. Pêndulo Simpls Um corpo suspnso por um fio, afastado da posição d quilíbrio sobr a linha vrtical qu passa plo ponto d suspnsão, abandonado, oscila. O corpo o fio formam o objto qu chamamos d pêndulo. Vamos

Leia mais

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe A H,0 Li 7,0 Na 2,0 9 K 9,0 7 Rb 85,5 55 Cs,0 87 Fr (22) 2 2A Be 9,0 2 Mg 2,0 20 Ca 0,0 8 Sr 88,0 56 Ba 7,0 88 Ra (226) Elementos de Transição B B 5B 6B 7B 8B B 2B 5 6 7 A A 5A 6A 7A 78,5 8,0 8,0 86,0

Leia mais

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final)

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) 01. (Uftm) Em soluções aquosas de acetato de sódio, o íon acetato sofre hidrólise: 3 l 3 CH COO (aq) + H O( ) CH COOH (aq) + OH

Leia mais

CONCEITOS MODERNOS DE ÁCIDOS E BASES

CONCEITOS MODERNOS DE ÁCIDOS E BASES CONCEITOS MODERNOS DE ÁCIDOS E BASES Portal de Estudos em Química (PEQ) www.profpc.com.br Página 1 01 Na reação segundo a equação: EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 1 1 1 3 2 2 4 NH H O NH OH a) Qual o doador de

Leia mais

Funções Inorgânicas. Letícia R. Teixeira. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons.

Funções Inorgânicas. Letícia R. Teixeira. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. Letícia R. Teixeira Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/br/legalcode

Leia mais

Volumetria ácido-base (continuação) Prof a Alessandra Smaniotto QMC 5325 - Química Analítica - Farmácia Turmas 02102A e 02102B

Volumetria ácido-base (continuação) Prof a Alessandra Smaniotto QMC 5325 - Química Analítica - Farmácia Turmas 02102A e 02102B Volumetria ácido-base (continuação) Prof a Alessandra Smaniotto QMC 5325 - Química Analítica - Farmácia Turmas 02102A e 02102B Curvas de titulação ² A curva de titulação é a representação gráfica de como

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza 1) a-) Calcular a solubilidade do BaSO 4 em uma solução 0,01 M de Na 2 SO 4 Dissolução do Na 2 SO 4 : Dado: BaSO

Leia mais

Produto Iônico da Água (Kw)

Produto Iônico da Água (Kw) Produto Iônico da Água (Kw) EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (UNB-DF) Na atmosfera, parte do dióxido de enxofre - que é altamente solúvel em água - acaba por dissolver-se nas nuvens ou mesmo nas gotas de chuva,

Leia mais

ÁCIDOS. Função Inorgânica

ÁCIDOS. Função Inorgânica ÁCIDOS Função Inorgânica LEMBRANDO CONCEITOS: PH POTENCIAL HIDROGENIÔNICO É a medida de acidez de uma solução aquosa, cuja escala de medidas vai de 0 a 14. ALGUNS VALORES DE PH: Substância ph Coca-cola

Leia mais

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom.

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom. 4 CONCLUSÕES Os Indicadors d Rndimnto avaliados nst studo, têm como objctivo a mdição d parâmtros numa situação d acsso a uma qualqur ára na Intrnt. A anális dsts indicadors, nomadamnt Vlocidads d Download

Leia mais

INFORMAÇÃO EXAME DA PROVA DE INGRESSO PARA AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS 2015/2016

INFORMAÇÃO EXAME DA PROVA DE INGRESSO PARA AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS 2015/2016 INFORMAÇÃO EXAME DA PROVA DE INGRESSO PARA AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS 2015/2016 Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) Componente Específica de

Leia mais

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado.

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado. PSICROMETRIA 1 1. O QUE É? É a quantificação do vapor d água no ar d um ambint, abrto ou fchado. 2. PARA QUE SERVE? A importância da quantificação da umidad atmosférica pod sr prcbida quando s qur, dntr

Leia mais

Físico-Química Experimental I Bacharelado em Química Engenharia Química

Físico-Química Experimental I Bacharelado em Química Engenharia Química Físico-Química Experimental I Bacharelado em Química Engenharia Química Prof. Dr. Sergio Pilling Prática 2 Soluções & Titulação Condutométrica. Revisão sobre preparação de soluções (concentração, molaridade,

Leia mais

Para facilitar o estudo da Química, as substâncias são divididas em grupos, chamados de funções químicas!!!!

Para facilitar o estudo da Química, as substâncias são divididas em grupos, chamados de funções químicas!!!! Para facilitar o estudo da Química, as substâncias são divididas em grupos, chamados de funções químicas!!!! As principais funções inorgânicas são: ácidos, bases, sais e óxidos. Ácidos Uma características

Leia mais

Introdução. Muitas reações ocorrem completamente e de forma irreversível como por exemplo a reação da queima de um papel ou palito de fósforo.

Introdução. Muitas reações ocorrem completamente e de forma irreversível como por exemplo a reação da queima de um papel ou palito de fósforo. Introdução Muitas reações ocorrem completamente e de forma irreversível como por exemplo a reação da queima de um papel ou palito de fósforo. Existem também sistemas, em que as reações direta e inversa

Leia mais

ELECTROQUÍMICA E CORROSÃO

ELECTROQUÍMICA E CORROSÃO 1 Valentim M B Nunes, 2003 ELECTROQUÍMIC E CORROSÃO SOLUÇÕES ELECTROLÍTICS 1. Condução da corrente eléctrica propriedade de transporte em que carga eléctrica (transportada por electrões ou iões) se move

Leia mais

Lista de exercícios sobre funções inorgânicas.

Lista de exercícios sobre funções inorgânicas. Lista de exercícios sobre funções inorgânicas. 1. X é uma substância gasosa nas condições ambientes. Quando liquefeita, praticamente não conduz corrente elétrica, porém forma solução aquosa que conduz

Leia mais

Teoria Ácido-Base e Reações Químicas

Teoria Ácido-Base e Reações Químicas Aula ao Vivo Teoria Ácido-Base e Reações Químicas Química Allan Rodrigues 27.04.2015 Existem várias teorias sobre ácidos e bases. Dentre elas, temos a teoria do químico sueco Svante August Arrhenius, que

Leia mais

X -2(3) X -2 x (4) X - 6 = -1 X 8 = -1 X = 5 X = 7

X -2(3) X -2 x (4) X - 6 = -1 X 8 = -1 X = 5 X = 7 2001 1. - Uma camada escura é formada sobre objetos de prata exposta a uma atmosfera poluída contendo compostos de enxofre. Esta camada pode ser removida quimicamente envolvendo os objetos em questão com

Leia mais

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 Nome: Gabarito Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Constantes: R 8,314 J mol -1 K -1 0,0821

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE. Programa de Recuperação Paralela. 2ª Etapa 2014. 3ª Série Turma: FG

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE. Programa de Recuperação Paralela. 2ª Etapa 2014. 3ª Série Turma: FG COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2014 Disciplina: QUÍMICA Professora: Maria Luiza 3ª Série Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

REAÇÕES DE NEUTRALIZAÇÃO TOTAL

REAÇÕES DE NEUTRALIZAÇÃO TOTAL REAÇÕES DE NEUTRALIZAÇÃO TOTAL Reação da salificação com neutralização total do ácido e da base Todos os H + ionizáveis do ácido e todos os OH - da base são neutralizados. Nessa reação, forma-se um sal

Leia mais

PROVA ESPECIALMENTE ADEQUADA DESTINADA A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS PROVA DE QUÍMICA

PROVA ESPECIALMENTE ADEQUADA DESTINADA A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS PROVA DE QUÍMICA PROVA ESPECIALMENTE ADEQUADA DESTINADA A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS PROVA DE QUÍMICA TEMAS 1. Estrutura da matéria 1.1 Elementos, átomos e iões 1.2

Leia mais

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 RESPONDA AS QUESTÕES DE 1 a 30, MARCANDO UMA DAS ALTERNATIVAS DE ACORDO COM O QUE SE PEDE QUESTÃO 1 Peso 2 A dissolução do cloreto de amônio, NH 4 Cl(s), em água ocorre

Leia mais

Lista II (Princípios de Equilíbrios Químicos)

Lista II (Princípios de Equilíbrios Químicos) Lista II (Princípios de Equilíbrios Químicos) ATKINS, Peter e JONES, Loretta. Princípios de Química, 5ª edição. Bookman, 2012 1 Examine o equilíbrio CO(g) + H2O(g) CO2(g) + H2(g). a) Se a pressão parcial

Leia mais

Zona de Transição. Azul de Timol (A) (faixa ácida) 1,2 2,8 Vermelho Amarelo. Tropeolina OO (B) 1,3 3,2 Vermelho Amarelo

Zona de Transição. Azul de Timol (A) (faixa ácida) 1,2 2,8 Vermelho Amarelo. Tropeolina OO (B) 1,3 3,2 Vermelho Amarelo ALGUNS EXERCÍCIOS SÃO DE AUTORIA PRÓPRIA. OS DEMAIS SÃO ADAPTADOS DE LIVROS CITADOS ABAIXO. Indicador Zona de Transição Cor Ácida Cor Básica Azul de Timol (A) (faixa ácida) 1,2 2,8 Vermelho Amarelo Tropeolina

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa QUESTÃO 01 Num laboratório químico, havia três frascos que continham, respectivamente, um alcano, um álcool e um alqueno. Foram realizados experimentos que envolviam

Leia mais

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO IX Olimpíada Capixaba de Química 2011 Prova do Grupo II 2 a série do ensino médio Fase 02 Aluno: Idade: Instituição de Ensino: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS

Leia mais

RELATÓRIO DAS ACTIVIDADES LABORATORIAIS

RELATÓRIO DAS ACTIVIDADES LABORATORIAIS RELATÓRIO DAS ACTIVIDADES LABORATORIAIS NOME DA ACTIVIDADE LABORATORIAL 1.4. - Determinação de Ca²+ e Mg²+ em alimentos por formação de complexos OBJECTIVOS Pretende- se com esta actividade determinar

Leia mais

66 (5,99%) 103 (9,35%) Análise Combinatória 35 (3,18%)

66 (5,99%) 103 (9,35%) Análise Combinatória 35 (3,18%) Distribuição das 0 Qustõs do I T A 9 (8,6%) 66 (,99%) Equaçõs Irracionais 09 (0,8%) Equaçõs Exponnciais (,09%) Conjuntos 9 (,6%) Binômio d Nwton (,9%) 0 (9,%) Anális Combinatória (,8%) Go. Analítica Funçõs

Leia mais

CADERNO DE APOIO DE QUÍMICA GERAL. UNIDADE 4 FUNÇÕES INORGÂNICAS Ácidos, bases, sais e óxidos

CADERNO DE APOIO DE QUÍMICA GERAL. UNIDADE 4 FUNÇÕES INORGÂNICAS Ácidos, bases, sais e óxidos CADERNO DE APOIO DE QUÍMICA GERAL APLICADA AOS CURSOS DE ENGENHARIA UNIDADE 4 FUNÇÕES INORGÂNICAS Ácidos, bases, sais e óxidos NOME DOS PROFESSORES: Ana Mauriceia Castellani Danilo Giarola Rodolfo Lopes

Leia mais

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas ph e poh

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas ph e poh Questões Resolvidas ph e poh 01. (Fuvest 01) O fitoplâncton consiste em um conjunto de organismos microscópicos encontrados em certos ambientes aquáticos. O desenvolvimento desses organismos requer luz

Leia mais

Físico Química: ph e poh

Físico Química: ph e poh Físico Química: ph e poh 1. (Fuvest 013) O fitoplâncton consiste em um conjunto de organismos microscópicos encontrados em certos ambientes aquáticos. O desenvolvimento desses organismos requer luz e CO,

Leia mais

Físico-Química Experimental II Bacharelado em Química Engenharia Química

Físico-Química Experimental II Bacharelado em Química Engenharia Química Físico-Quíica Exprintal II Bacharlado Quíica Engnharia Quíica Prof. Dr. Srgio Pilling Prática 7 Dtrinação da condutividad d ltrólitos forts fracos da constant d dissociação d ácidos fracos (x. ácido acético)

Leia mais

Química Frente IV Físico-química Prof. Vitor Terra Lista 12 Equilíbrio Químico Equilíbrio Iônico I K i e ph

Química Frente IV Físico-química Prof. Vitor Terra Lista 12 Equilíbrio Químico Equilíbrio Iônico I K i e ph Química Frente IV Físico-química Prof. Vitor Terra Lista 12 Equilíbrio Químico Equilíbrio Iônico I K i e ph RESUMO Ionização de monoácidos e monobases fracos HA H + + A K a = [H+ ][A ] [HA] COH C + + OH

Leia mais

Química B Extensivo V. 3

Química B Extensivo V. 3 Química B Extensivo V. 3 01) Alternativa correta: D Exercícios A água pura (destilada ) não é condutora de eletricidade pois não há presença de sais lá, mas a partir do momento que se adiciona alguma substância

Leia mais

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES HÉLIO BERNARDO LOPES Rsumo. Em domínios divrsos da Matmática, como por igual nas suas aplicaçõs, surgm com alguma frquência indtrminaçõs, d tipos divrsos, no cálculo d its, sja

Leia mais

Química Geral 3º ANO

Química Geral 3º ANO Química Geral 3º ANO Teoria de Arrhenius Teoria Ácido-Base Teoria de Arrhenius Teoria Ácido-Base Ácido são substâncias que, dissolvidas em água, se ionizam liberando, na forma de cátions, exclusivamente

Leia mais

Modelo de Oferta e Demanda Agregada (OA-DA)

Modelo de Oferta e Demanda Agregada (OA-DA) Modlo d Ofrta Dmanda Agrgada (OA-DA) Lops Vasconcllos (2008), capítulo 7 Dornbusch, Fischr Startz (2008), capítulos 5 6 Blanchard (2004), capítulo 7 O modlo OA-DA xamina as condiçõs d quilíbrio dos mrcados

Leia mais

Gabarito Química - Grupo A. 1 a QUESTÃO: (1,0 ponto) Avaliador Revisor

Gabarito Química - Grupo A. 1 a QUESTÃO: (1,0 ponto) Avaliador Revisor VESTIB LAR Gabarito Química - Grupo A 1 a QUESTÃO: (1,0 ponto) Avaliador Revisor Muitos álcoois, como o butanol (C 4 H 10 O), têm importância comercial como solventes e matériasprimas na produção industrial

Leia mais

Prova 3 Química. N ọ DE INSCRIÇÃO:

Prova 3 Química. N ọ DE INSCRIÇÃO: Prova 3 QUESTÕES OBJETIIVAS N ọ DE ORDEM: NOME DO CANDIDATO: N ọ DE INSCRIÇÃO: IINSTRUÇÕES PARA A REALIIZAÇÃO DA PROVA 1. Confira os campos N ọ DE ORDEM, N ọ DE INSCRIÇÃO e NOME, conforme o que consta

Leia mais

ÁGUAS MINERAIS E DE ABASTECIMENTO O

ÁGUAS MINERAIS E DE ABASTECIMENTO O SEMINÁRIO DE QUÍÍMICA Q U M Ano lectivo: 2002/20033 ÁGUAS MINERAIS E DE ABASTECIMENTO O PÚBLICO - ACIDEZ E BASICIDADE S - DAS ÁGUAS - Realizado a o Por: : Patrícia Saraiva 0/26 ÍÍNDICE Introdução...2 Importância

Leia mais

PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL A MACROESCALA

PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL A MACROESCALA PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL A MACROESCALA Parte I Produção do óxido de cobre Ponto de Partida 1- Preparar uma amostra de 300 mg de cobre a partir de um fio de cobre ou de uma folha de cobre. 2- Colocar a

Leia mais

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos:

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos: INSTRUÇÕES Estas instruçõs srvm d orintação para o trino das atividads planadas no projto Europu Uptak_ICT2lifcycl: digital litracy and inclusion to larnrs with disadvantagd background. Dvrão sr usadas

Leia mais

Equilíbrio iônico K w. /ph e poh. Equilíbrio Iônico I. Conceito de ph e poh. Equilíbrio iônico na água. Série. Ensino. Pré-Universitário Professor(a)

Equilíbrio iônico K w. /ph e poh. Equilíbrio Iônico I. Conceito de ph e poh. Equilíbrio iônico na água. Série. Ensino. Pré-Universitário Professor(a) Série Rumo ao ITA Nº 05 Ensino Pré-Universitário Professor(a) Aluno(a) Antonino Fontenelle Sede Nº TC Turma Turno Data / / Química Equilíbrio Iônico I Equilíbrio iônico K w /ph e poh Equilíbrio iônico

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014 PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS EXAME DE QUÍMICA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

ANO LETIVO 2013/2014 PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS EXAME DE QUÍMICA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ANO LETIVO 2013/2014 PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS EXAME DE QUÍMICA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 1. MATERIAIS: DIVERSIDADE E CONSTITUIÇÃO 1.1 Materiais 1.1.1 Materiais

Leia mais

DE RECUPERAÇÃO QUÍMICA

DE RECUPERAÇÃO QUÍMICA SÉRIE: º ANO LISTA DE RECUPERAÇÃO IV Bimestre Matéria Abordada: Equilíbrio Químico, Deslocamento de Equilíbrio Químico, Equilíbrio Iônico, Hidrólise Salina, ph e poh. 01 - (FUVEST SP) A uma determinada

Leia mais

Prof a. Dr a. Luciana M. Saran

Prof a. Dr a. Luciana M. Saran HCl 0,1N FCAV/UNESP CURSO: Agronomia DISCIPLINA: Química Analítica Fundamentos da Análise Titrimétrica (Volumétrica) NaOH 0,1N Prof a. Dr a. Luciana M. Saran Fenolftaleína 1 O QUE É? ANÁLISE TITRIMÉTRICA

Leia mais

Química em Solventes não Aquosos. Prof. Fernando R. Xavier

Química em Solventes não Aquosos. Prof. Fernando R. Xavier Química em Solventes não Aquosos Prof. Fernando R. Xavier UDESC 2013 Reações químicas podem acontecer em cada uma das fases ordinárias da matéria (gasosa, líquida ou sólida). Exemplos: Grande parte das

Leia mais

QUÍMICA. Geral Funções Inorgânicas (I) Prof. Italo Mammini Filho

QUÍMICA. Geral Funções Inorgânicas (I) Prof. Italo Mammini Filho QUÍMICA Geral Funções Inorgânicas (I) Prof. Italo Mammini Filho Ácidos Segundo Arrhenius... Ionizar significa formar íons, ou seja, os ácidos são compostos moleculares (seus átomos se unem por ligações

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DA PROVA DE 2.ª FASE - 2014 (VERSÃO 1) GRUPO I

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DA PROVA DE 2.ª FASE - 2014 (VERSÃO 1) GRUPO I PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DA PROVA DE 2.ª FASE - 2014 (VERSÃO 1) GRUPO I 1. O nome da grandeza a que se refere a expressão em itálico é aceleração. 2. (C) Uma vez que as forças dissipativas foram totalmente

Leia mais

Ácido-base: objectivos principais

Ácido-base: objectivos principais Ácido-base: objectivos principais Definição de ph e poh Definição e interpretação de K a, K b, K w Relação entre K a e K b de pares ácido-base conjugados (a 25ºC pk a pk b =14) Calcular o ph de uma solução

Leia mais

]CN, se obtém uma solução: a) básica, porque K 1. . e) neutra, porque [ácido] 5 [base]. b) básica, porque K 1. . c) ácida, porque K 1

]CN, se obtém uma solução: a) básica, porque K 1. . e) neutra, porque [ácido] 5 [base]. b) básica, porque K 1. . c) ácida, porque K 1 Resolução das atividades complementares 3 Química Q43 Constante de idrólise p 4 (UEL-PR) A adição de cianeto de sódio sólido em água estabelece o equilíbrio químico: C (aq) H 2 O(,) F HCN(aq) OH 2 (aq)

Leia mais

FUNÇÕES INORGÂNICAS. Ácido, Base, Sal e Óxido. Paulo Migoto

FUNÇÕES INORGÂNICAS. Ácido, Base, Sal e Óxido. Paulo Migoto FUNÇÕES INORGÂNICAS Ácido, Base, Sal e Óxido Paulo Migoto Caderno II Frente II ÁCIDOS E BASES (HIDRÓXIDOS) Aulas 10 a 12 Paulo Migoto Funções químicas Função química corresponde a um conjunto de substâncias

Leia mais

a) H 2 S, ligação iônica b) H 2 S, ligação covalente c) HS 2, ligação iônica d) HS 2, ligação covalente e) H 2 S, ligação metálica

a) H 2 S, ligação iônica b) H 2 S, ligação covalente c) HS 2, ligação iônica d) HS 2, ligação covalente e) H 2 S, ligação metálica SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 1 TURMA(S):

Leia mais

Dissociação e Ionização. Dissociação iônica

Dissociação e Ionização. Dissociação iônica 2ª Fase - Funções da química inorgânica Investigando caminhos As substâncias sejam da Química Orgânica ou Inorgânica são divididas em grupos denominados funções químicas. As substâncias que pertencem a

Leia mais

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Equilíbrio Químico (com respostas e resoluções no final)

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Equilíbrio Químico (com respostas e resoluções no final) Questões Resolvidas Equilíbrio Químico (com respostas e resoluções no final) 01. (Fuvest) A isomerização catalítica de parafinas de cadeia não ramificada, produzindo seus isômeros ramificados, é um processo

Leia mais

5. (Espcex (Aman) 2013) Uma amostra de 5 g de hidróxido de sódio (NaOH) impuro foi dissolvida em água suficiente para formar 1L de solução.

5. (Espcex (Aman) 2013) Uma amostra de 5 g de hidróxido de sódio (NaOH) impuro foi dissolvida em água suficiente para formar 1L de solução. 1. (Enem ª aplicação 010) Alguns fatores podem alterar a rapidez das reações químicas. A seguir, destacam-se três exemplos no contexto da preparação e da conservação de alimentos: 1. A maioria dos produtos

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q53 Ácidos de Arrhenius

Química. Resolução das atividades complementares. Q53 Ácidos de Arrhenius Resolução das atividades complementares 4 Química Q53 Ácidos de Arrhenius p 35 1 (UFRGS-RS) Admitindo-se 100% de ionização para o ácido clorídrico em solução diluída, pode-se afirmar que essa solução não

Leia mais

Professor Carlos banco de dados

Professor Carlos banco de dados 14688. (Ufpe 2001) O sal propanoato de cálcio é usado na preservação de pães, bolos e queijos, pois impede o crescimento de bactérias e fungos ("bolor" ou "mofo"). Assinale a alternativa que descreve esse

Leia mais

IONIZAÇÃO DOS ÁCIDOS NOMENCLATURA DOS ÂNIONS

IONIZAÇÃO DOS ÁCIDOS NOMENCLATURA DOS ÂNIONS IONIZAÇÃO DOS ÁCIDOS NOMENCLATURA DOS ÂNIONS EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 Escrever a equação de ionização (total) dos ácidos abaixo em solução aquosa, nomeando seu respectivo ânion. a) HCl b) HBrO 3 c) H

Leia mais

1) Faça o balanceamento das equações abaixo:

1) Faça o balanceamento das equações abaixo: PROFESSORA: GIOVANA CARABALLO MELATTI DATA: / /2015 COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA LISTA DE EXERCÍCIOS DE SALA ALUNO: LISTA DE EXERCÍCIOS REVISÃO 1) Faça o balanceamento das equações abaixo: a) C 2 H 6

Leia mais

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g (ACAFE) Foi dissolvida uma determinada massa de etanol puro em 200 g de acetona acarretando em um aumento de 0,86 C na temperatura de ebulição da acetona. Dados: H: 1 g/mol, C: 12 g/mol, O: 16 g/mol. Constante

Leia mais

Coordenadas polares. a = d2 r dt 2. Em coordenadas cartesianas, o vetor posição é simplesmente escrito como

Coordenadas polares. a = d2 r dt 2. Em coordenadas cartesianas, o vetor posição é simplesmente escrito como Coordnadas polars Sja o vtor posição d uma partícula d massa m rprsntado por r. S a partícula s mov, ntão su vtor posição dpnd do tmpo, isto é, r = r t), ond rprsntamos a coordnada tmporal pla variávl

Leia mais

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE Glauco José Rodrigus d Azvdo 1, João Zangrandi Filho 1 Univrsidad Fdral d Itajubá/Mcânica, Av. BPS, 1303 Itajubá-MG,

Leia mais

CAPÍTULO 06 ESTUDOS DE FILAS EM INTERSEÇÕES NÃO SEMAFORIZADAS

CAPÍTULO 06 ESTUDOS DE FILAS EM INTERSEÇÕES NÃO SEMAFORIZADAS APÍTULO 06 ESTUDOS DE FILAS EM INTERSEÇÕES NÃO SEMAFORIZADAS As filas m intrsçõs não smaforizadas ocorrm dvido aos movimntos não prioritários. O tmpo ncssário para ralização da manobra dpnd d inúmros fators,

Leia mais

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo Sgrillo.ita@ftc.br

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo Sgrillo.ita@ftc.br Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo Sgrillo.ita@ftc.br A água é a substância mais abundante nos seres vivos, perfazendo 70% ou mais da massa da maioria dos organismos. A água permeia todas as porções de

Leia mais

QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica:

QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica: QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica: 1. Considere que, durante esse experimento, a diminuição de massa se

Leia mais

Equilíbrio Químico. PROF. NÚRIA Kc, Kp, Ka, Ki, Kb E ph

Equilíbrio Químico. PROF. NÚRIA Kc, Kp, Ka, Ki, Kb E ph Equilíbrio Químico PROF. NÚRIA Kc, Kp, Ka, Ki, Kb E ph 1 - "O conceito de equilíbrio é fundamental na química, mas não é exclusivo da química. Vivemos em uma situação social e econômica que constitui equilíbrio

Leia mais

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6.1. Introdução 6.3. Taxas d Câmbio ominais Rais 6.4. O Princípio da Paridad dos Podrs d Compra Burda & Wyplosz,

Leia mais

A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO?

A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO? A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO? Luís Augusto Chavs Frir, UNIOESTE 01. Introdução. Esta é uma psquisa introdutória qu foi concrtizada como um studo piloto d campo,

Leia mais

Isomeria. Isomeria Ocorre quando dois ou mais compostos apresentam a mesma fórmula molecular e diferentes fórmulas estruturais.

Isomeria. Isomeria Ocorre quando dois ou mais compostos apresentam a mesma fórmula molecular e diferentes fórmulas estruturais. SEI Ensina - MILITAR Química Isomria Isomria corr quando dois ou mais compostos aprsntam a msma fórmula molcular difrnts fórmulas struturais. Isomria Plana É quando os isômros difrm m sua strutura plana.

Leia mais

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas QUÍMICA è Revisão: Química inorgânica Hidróxidos fortes família 1A e 2A (exceto Ca e Mg) Ácidos fortes nº de oxigênios nº de hidrogênios > 2, principalmente nítrico (HNO 3 ), clorídrico (HCl) e sulfúrico

Leia mais

03-05-2015. Sumário. Campo e potencial elétrico. Energia potencial elétrica

03-05-2015. Sumário. Campo e potencial elétrico. Energia potencial elétrica Sumáio Unidad II Elticidad Magntismo 1- - Engia potncial lética. - Potncial lético. - Supfícis quipotnciais. Movimnto d cagas léticas num campo lético unifom. PS 22 Engia potncial lética potncial lético.

Leia mais

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1,66.10-24 g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron.

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1,66.10-24 g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron. Cálculos Químicos MASSA ATÔMICA Na convenção da IUPAC (União Internacional de Química Pura e Aplicada) realizada em 1961, adotou-se como unidade padrão para massa atômica o equivalente a 1/12 da massa

Leia mais

O que são dados categóricos?

O que são dados categóricos? Objtivos: Dscrição d dados catgóricos por tablas gráficos Tst qui-quadrado d adrência Tst qui-quadrado d indpndência Tst qui-quadrado d homognidad O qu são dados catgóricos? São dados dcorrnts da obsrvação

Leia mais

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício OFICINA 9-2ºSmntr / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Profssors: Edu Vicnt / Gabrila / Ulício 1. (Enm 2012) As curvas d ofrta d dmanda d um produto rprsntam, rspctivamnt, as quantidads qu vnddors

Leia mais

Auto-ionização da água

Auto-ionização da água ÁCIDOS E BASES Auto-ionização da água Os íons hidrônio e hidróxido A água possui uma propriedade de interesse particular no estudo de ácidos e bases: a auto-ionização. H 2 O + H 2 O H 3 O + + HO - - duas

Leia mais

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos Módulo laudia gina ampos d arvalho Módulo sistors, apacitors ircuitos sistência Elétrica () sistors: sistor é o condutor qu transforma nrgia létrica m calor. omo o rsistor é um condutor d létrons, xistm

Leia mais

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Titulação ou Titulometria

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Titulação ou Titulometria Questões Resolvidas Titulação ou Titulometria 01. (Ufg 000) O desenho a seguir representa um armário de um laboratório de química: Escolha, entre os objetos do armário, o(s) equipamento(s) necessário(s)

Leia mais

QUÍMICA. Prova resolvida. Material de uso exclusivo dos alunos do Universitário

QUÍMICA. Prova resolvida. Material de uso exclusivo dos alunos do Universitário QUÍMICA Prova resolvida Material de uso exclusivo dos alunos do Universitário Prova de Química - UFRGS/004 QUÍMICA 01 Açúcar comum (sacarose) e café passado, tão comuns em nosso dia-a-dia, são exemplos,

Leia mais

Prof. Edson Tranzillo

Prof. Edson Tranzillo 1 TREINAMENTO DE QUESTÕES DISCURSIVAS () Prof. Edson Tranzillo Responda à estas questões, de maneira clara e objetiva, indicando os cálculos, quando necessários, no espaço reservado para cada questão.

Leia mais

B) (até três pontos) Para os pares de espécies apresentados em i, ii e iii, tem-se, respectivamente, Al +, F - e Li.

B) (até três pontos) Para os pares de espécies apresentados em i, ii e iii, tem-se, respectivamente, Al +, F - e Li. Química 1. O raio atômico (ou iônico) é uma propriedade periódica que exerce grande influência na reatividade dos átomos (ou dos íons). A) Explique, em termos de carga nuclear efetiva, a variação apresentada

Leia mais