03/06/2013. Tendo em vista a necessidade de diminuir o custo do controle e evitar a duplicidade de remessa de dados, o SICOM substituirá outros

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "03/06/2013. Tendo em vista a necessidade de diminuir o custo do controle e evitar a duplicidade de remessa de dados, o SICOM substituirá outros"

Transcrição

1 O SICOM é um instrumento de suporte ao controle concomitante e de obtenção de dados sobre os jurisdicionados que permite conhecer as especificidades e a realidade dos órgãos e entidades, além de subsidiar o planejamento de ações de fiscalização mais efetivas. Tendo em vista a necessidade de diminuir o custo do controle e evitar a duplicidade de remessa de dados, o SICOM substituirá outros sistemas (SIACE/PCA e SIACE/LRF), mas sem se distanciar de seus objetivos. 1

2 NOVO PARADIGMA - Instalação desnecessária: 100% WEB - Jurisdicionados geram informações no formato definido pelo TCEMG (leiautes) - Remessa de informações mensais BREVE HISTÓRICO - Resolução n. 07/2011: aprova a implantação do SICOM. - IN n. 05/2011, alterada pela IN n. 15/2011: padronização dos códigos de receita, despesa e fonte de recursos. - IN n. 10/2011: dispõe sobre a remessa de dados por meio do SICOM. PORTAL DO TCEMG 2

3 PORTAL DO SICOM DÚVIDAS SOBRE O SICOM Telefones: / / COMPATIBILIZAÇÃO: RUBRICA X FONTE Legenda : O A fonte indicada é obrigatória para a receita correspondente. X A fonte indicada é opcional para a receita correspondente. Y A fonte indicada deve ser a mesma da fonte da receita de origem. 3

4 COMPATIBILIZAÇÃO: RUBRICA X FONTE Exemplo: FPM: ,00 100: ,00 101: ,00 (25%) 102: ,00 (15%) Dedução para Formação do FUNDEB FPM: 101: (20.000,00) Saldo da fonte 101: 5.000,00 (5%) COMPATIBILIZAÇÃO: RUBRICA X FONTE Exemplo de utilização incorreta no Orçamento: 4

5 COMPATIBILIZAÇÃO: RUBRICA X FONTE COMPATIBILIZAÇÃO: RUBRICA X FONTE COMPATIBILIZAÇÃO: RUBRICA X FONTE 5

6 GRUPO DA FONTE DE RECURSO 1 RECURSOS DO EXERCÍCIO CORRENTE Recursos com destinação livre ou vinculada arrecadados no exercício corrente. 2 RECURSOS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES Recursos com destinação livre ou vinculada arrecadados no exercício anterior. Esse código não deve constar do orçamento do município, devendo ser utilizado apenas para indicar o superávit financeiro do exercício anterior que servirá de base para abertura de créditos adicionais, respeitando as especificações das destinações de recursos. MÓDULOS IMPLANTADOS EM 2012 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO Formato do arquivo (csv) Campos: - formato (real, inteiro, texto e data) - tamanho - obrigatoriedade Conceito de mestre-detalhe Chave do registro 6

7 INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Definições Gerais: Responsável pelo envio: Chefe do Executivo Periodicidade: ANUAL Prazo de envio: até 31 de janeiro Composição: 13 arquivos Textos das leis com seus respectivos anexos (PPA, LDO e LOA) Máximo 15MB INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Código do órgão: Cadastrado no Portal SICOM. Número que identificará as Unidades Gestoras responsáveis pelas remessas. Esses Órgãos não se confundem com os órgãos definidos na Lei Orçamentária. INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Consórcio Público: Continua suspenso o envio dos módulos IP e AM do consórcio por meio do SICOM. O Consórcio Público possui orçamento próprio e NÃO integra o orçamento do ente consorciado. 7

8 INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Consórcio Público: Orçamento do Município consorciado obrigações decorrentes do contrato de rateio (modalidades de aplicação 71, 73 e 74 e elemento de despesa 70). Orçamento do Consórcio modalidades referentes à aplicação direta (90, 95 e 96) e os elementos específicos que representem os gastos efetivos (11, 30, 36, 39 etc). INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Unidades / Subunidades Orçamentárias: Incluído em 2013 o cadastro das subunidades (opcional). Unidade: 5 caracteres Subunidade: 8 caracteres Exemplo: Unidade A Subunidade Subunidade Subunidade 3 INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Unidades / Subunidades Orçamentárias: Identificador da unidade orçamentária informar somente quando a unidade orçamentária for um fundo: 01 FUNDEB 02 FMS 03 FMAS 04 FMCA 99 Outros Fundos 8

9 INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Exemplo de preenchimento INCORRETO identificado no SICOM: INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Leis do PPA / LDO / LOA: PPA: Texto da lei atualizado com suas alterações e respectivos anexos. Dados informados nos arquivos devem guardar conformidade com os textos e anexos das leis. INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Ações e Metas: Observar a sequência correta dos valores referentes às metas físicas e financeiras. Identificar com clareza a unidade de medida das metas físicas. 9

10 INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Despesas do Orçamento: Função/Subfunção Portaria n. 42/99, MOG. Programas arquivo 4.7 PRO Ações arquivo 4.8 AMP Subações (opcional) arquivo 4.8 AMP Naturezas de despesa Anexo II da IN 05/2011, alterada pela IN 15/2011. INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Despesas do Orçamento: Fonte de recurso Anexo III da IN 05/2011, alterada pela IN 15/2011. Classificação orçamentária da despesa até elemento de despesa e fonte de recurso IN 05/2011, alterada pela IN 15/2011 e art. 15 da Lei n /64. 10

11 INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Receita Orçamentária dos Órgãos: Naturezas das receitas Anexo I da IN 05/2011, alterada pela IN 15/2011. Fonte de recurso Anexo III da IN 05/2011, alterada pela IN 15/2011. Observar a compatibilização das naturezas de receita com a fonte de recurso. INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Receita Orçamentária dos Órgãos: A conta informada deve ser analítica. As receitas devem ser informadas pelo valor bruto e discriminadas as respectivas deduções. INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Receita Orçamentária dos Órgãos: Campo identificadordeducao (informar somente para deduções da receita): 91 Renúncia 92 Restituições 93 Descontos concedidos 95 FUNDEB 96 Compensações 98 Retificações 99 Outras Deduções 11

12 INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Riscos Fiscais: Descrever com clareza as providências. Exemplo de preenchimento INCORRETO identificado no SICOM: INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Metas de Arrecadação da Receita: Informações relativas às metas bimestrais de arrecadação, conforme art. 13 da LRF. As metas bimestrais devem ser submetidas à análise e planejamento, observando a sazonalidade da arrecadação. INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO Metas de Arrecadação da Receita: Exemplo de preenchimento INCORRETO identificado no SICOM: 12

13 Definições Gerais: Responsável pelo envio: Gestor de cada órgão/entidade: Câmara, Prefeitura, Autarquia, Fundação, RPPS e Empresa Estatal Dependente. Periodicidade: MENSAL Prazo de envio: 40 dias após o encerramento do mês. Composição: 35 arquivos Janeiro: 12/03/2013 Fevereiro: 09/04/2013 Quando a data recair em dia Março: 10/05/2013 Abril: 09/06/2013 que não haja expediente no Maio: 10/07/2013 TCEMG, o prazo será Junho: 09/08/2013 prorrogado automaticamente Julho: 09/09/2013 para o primeiro dia útil Agosto: 10/10/2013 subsequente. Setembro: 09/11/2013 Outubro: 10/12/2013 Novembro: 09/01/2014 Dezembro: 09/02/2014 Previsão Atualizada da Receita: Informado somente pelo órgão Prefeitura Municipal. Informar a parcela da reestimativa da receita utilizada para abertura de créditos adicionais, as novas naturezas de receita não previstas na LOA e o remanejamento entre naturezas de receita. Informar o valor acrescido ou reduzido na previsão inicial. 13

14 Detalhamento das Receitas do Mês: Naturezas das receitas Anexo I da IN 05/2011, alterada pela IN 15/2011. Fonte de recurso Anexo III da IN 05/2011, alterada pela IN 15/2011. Observar a compatibilização das naturezas de receita com a fonte de recurso. Detalhamento das Receitas do Mês: A conta informada deve ser analítica. As receitas devem ser informadas pelo valor bruto e discriminadas as respectivas deduções. Detalhamento das Correções de Receitas: Correção de classificação incorreta ou erro de lançamento na execução da receita. Estornos de receita. 14

15 Detalhamento das Correções de Receitas: Para realizar alteração de fonte de recursos da mesma rubrica, utilizar os registros 20 e 21 (estorno) para as fontes reduzidas e informar no arquivo 5.4 REC as fontes acrescidas. O SICOM valida o saldo da rubrica reduzida ou estornada. Lei de Alteração Orçamentária : Leis autorizativas de crédito suplementar e especial, remanejamento, transposição, transferência e alteração de fonte de recurso Lei de alteração do percentual de suplementação autorizado na LOA Decretos de créditos adicionais, remanejamento, transposição, transferência e alteração de fonte de recurso Lei de Alteração Orçamentária : Informado somente pelo órgão Prefeitura Municipal. Excluídos os tipos de origem de recurso de alteração 05 Auxílios e Convênios e 06 FUNDEB. NÃO informar no registro 10 a LOA ou LDO. Não há dependência entre os registros 10, 20 e 30, mas há dependência entre o registro 30 e o arquivo 5.7 AOC. 15

16 Alterações Orçamentárias : Destina-se a identificar os créditos orçamentários que tiveram a sua dotação criada, reforçada, remanejada, transposta, transferida e anulada, bem como, aqueles que tiveram a sua fonte de recurso alterada. Informado somente pelo órgão Prefeitura Municipal. Alterações Orçamentárias : Registro 10: créditos orçamentários associados aos decretos informados no registro 30 do arquivo LAO. Registro 11: fontes de recurso que foram acrescidas em substituição à outra fonte correspondente ao mesmo crédito orçamentário. Alterações Orçamentárias : Decreto de abertura de créditos adicionais por ANULAÇÃO ou decreto de Remanejamento / Transposição / Transferência informar as dotações suplementadas/criadas e as dotações anuladas. 16

17 Licitações: Os arquivos devem ser encaminhados pelo órgão responsável pela abertura e execução do procedimento licitatório. Informar todos os arquivos referentes ao processo licitatório na mesma remessa. Informar os processos licitatórios HOMOLOGADOS até o mês de referência. Licitações: Os processos licitatórios encaminhados em 2012 NÃO precisam ser reenviados em Se houver empenho em 2013 decorrente de licitação homologada em 2012, que não tenha sido informada em 2012, deverá ser informada em Licitações: Homologações parciais HOMOLIC: - Informar itens homologados até o mês. - Informar em meses seguintes somente o arquivo HOMOLIC com os itens homologados posteriormente. Atentar para o preenchimento dos campos NÃO obrigatórios. 17

18 Decreto Regulamentador do Pregão / Registro de Preços: Os dados desses decretos devem ser enviados uma única vez. Abertura da Licitação: Informações sobre: Convites / editais de licitação Pesquisa de preços ou orçamentos em planilha (opcional se for desconto sobre tabela ) Referência de preços no credenciamento (obrigatório apenas para credenciamento) Recursos orçamentários (opcional para registro de preços) Responsáveis pela Licitação: Informações sobre: Responsáveis que atuaram no processo Comissão de licitação Pregoeiro e equipe de apoio (apenas para pregão) 18

19 Responsáveis pela Licitação: Informar ao menos uma pessoa para cada tipo de responsabilidade: 1 Autorização para abertura do procedimento licitatório; 2 Emissão do edital; 3 Pesquisa de preços; 4 Informação de existência de recursos orçamentários; 5 Condução do procedimento licitatório; 6 Homologação; 7 Adjudicação; 8 Publicação em órgão Oficial. Responsáveis pela Licitação: Tipo 9 Avaliação de Bens apenas para alienação de bens. A mesma pessoa pode ser informada para mais de um tipo de responsabilidade. Informar dados válidos: CPF, , endereço residencial e telefone. Comissão de Licitação / Pregoeiro Equipe de apoio: Pregão informar pelo menos um responsável do tipo 6 Pregoeiro. Informar os componentes que atuaram efetivamente no processo. Informar os atos de nomeação de cada membro e respectivas vigências. 19

20 Habilitação da Licitação: Informações sobre: Participantes habilitados Quadro societário dos participantes habilitados Credenciados (apenas para credenciamento) Habilitação da Licitação: Se o habilitado for: Pessoa Jurídica (CNPJ) informar o quadro societário dos participantes habilitados. Empresa de capital aberto (registro na CVM) opcional informar o tipo 2 Demais membros do quadro societário. Habilitação da Licitação: Se o habilitado for: Micro Empreendedor Individual informar a mesma pessoa para os tipos 1 Representante legal e 2 Demais membros do quadro societário. 20

21 Habilitação da Licitação: O detalhamento do credenciado pode ser encaminhado em remessas de meses posteriores ao mês de envio do respectivo processo licitatório. Pregão informar apenas os vencedores no arquivo HABLIC. Julgamento da Licitação: Informações sobre: Mapa de preços Percentual de desconto sobre tabela de preços Data do julgamento Julgamento da Licitação: Mapa de preços vinculação dos itens com a pesquisa de preços. Vincular os itens ao documento do proponente. Desconto em tabela informar os percentuais conforme critério estabelecido no edital. 21

22 Homologação da Licitação: Informações sobre: Vencedor da licitação Vencedor da licitação quando utilizado o percentual de desconto sobre tabela de preços Datas: homologação e adjudicação Homologação da Licitação: Vencedor da licitação vinculação dos itens com a pesquisa de preços. Vincular os itens ao documento do vencedor. Informar o valor unitário homologado. Desconto em tabela informar os percentuais conforme critério estabelecido no edital. Homologação da Licitação: Homologações parciais: - Informar itens homologados até o mês. - Informar em meses seguintes somente o arquivo HOMOLIC com os itens homologados posteriormente. 22

23 Parecer da Licitação: Informações sobre os responsáveis pelos pareceres: 1. Técnico 2. Jurídico Edital 3. Jurídico Julgamento 4. Jurídico Outros Adesão a Registro de Preços: Informações sobre: Processo licitatório que originou o registro de preços Pesquisa de preços objeto da adesão Termo de adesão Termo de adesão quando utilizado o percentual de desconto sobre tabela de preços no processo licitatório Dispensa ou Inexigibilidade : Informações sobre: Processo de dispensa ou inexigibilidade Responsáveis pela dispensa ou inexigibilidade Pesquisa de preços / Referência de preços Recursos Orçamentários Fornecedor contratado por dispensa ou inexigibilidade Credenciado (obrigatório para credenciamento e chamada pública) 23

24 Dispensa ou Inexigibilidade : Neste arquivo NÃO devem ser informadas as dispensas por valor, previstas no art. 24, I e II da Lei n /93. No arquivo EMP, informar essas dispensas por valor: Dispensa ou Inexigibilidade : Informar ao menos uma pessoa para cada tipo de responsabilidade: 1 Autorização para abertura do procedimento de dispensa ou inexigibilidade; 2 Cotação de preços; 3 Informação de existência de recursos orçamentários; 4 Ratificação; 5 Publicação em órgão oficial; 6 Parecer Jurídico e 7 Parecer (outros). Dispensa ou Inexigibilidade : A mesma pessoa pode ser informada para mais de um tipo de responsabilidade. Informar dados válidos: CPF, , endereço residencial e telefone. 24

25 Contratos: Contratos, termos de parceria e contratos de gestão Itens contratados Crédito orçamentário pelo qual correrá a despesa Empresas consorciadas Termos aditivos e itens aditados Apostilamentos Termos de rescisão contratual Contratos: Apostilamento (art. 65, 8 da Lei n /93): 01 Reajuste de preço previsto no contrato; 02 Atualizações, compensações ou penalizações financeiras decorrentes das condições de pagamento previstas no contrato; 03 Empenho de dotações orçamentárias suplementares até o limite do seu valor corrigido. Contratos: É obrigatório informar o registro 21 Detalhamento dos itens aditados nos seguintes casos: - Se o tipo de termo aditivo for 02 Acréscimo de valor ou 03 Decréscimo de valor ; - Se o valor do termo aditivo for maior que zero. 25

26 Contas Bancárias: Informações sobre: Cadastro de contas bancárias Saldos bancários Movimentações (entradas e saídas) das contas bancárias Receitas por conta bancária Saldos bancários de agentes arrecadadores Contas Bancárias: Tipo de recurso: 1 Recursos Não Vinculados 2 Recursos Vinculados à Educação (exceto FUNDEB) 25% de recursos de impostos e transferências vinculados à educação 3 Recursos Vinculados ao FUNDEB 4 Recursos Vinculados à Saúde 15% de recursos de impostos e transferências vinculados à saúde 5 Outros Recursos Vinculados Contas Bancárias: Campo Tipo de Aplicação Financeira obrigatório para as aplicações do RPPS (Resolução CMN n /2010). Saldo inicial = Saldo final do mês anterior Saldo Final (=) Saldo Inicial (+) Entradas (-) Saídas 26

27 Contas Bancárias: Todas as contas que não foram encerradas devem ser informadas todos os meses, mesmo as que não tiveram movimentação. Movimentação entre contas bancárias (tipos 05, 06, 07 ou 09) informar a conta de origem e a conta de destino do recurso. Transferência de bancos para caixa = tipo 11 Saques realizados no mês Contas Bancárias: Detalhamento da receita por conta bancária (registro 12) obrigatório informar quando o tipo de entrada ou saída for: 01 Receita orçamentária arrecadada no mês 02 Dedução de receita orçamentária 03 Estorno de receita orçamentária 15 Receita orçamentária arrecadada em meses anteriores classificada no mês atual Contas Bancárias: Exemplo de utilização dos tipos 14 Receita orçamentária a classificar e 15 Receita orçamentária arrecadada em meses anteriores classificada no mês atual : Janeiro : Entrada (+) tipo 14 R$ 100,00 Fevereiro: Saída (-) tipo 14 R$ 100,00 Entrada (+) tipo 15 R$ 100,00 27

28 Contas Bancárias: Sempre que for informada uma saída do tipo 14 Receita orçamentária a classificar, deve haver entrada do tipo 15 Receita orçamentária arrecadada em meses anteriores classificada no mês atual ou 99 Outras movimentações realizadas no mês. Caixa: Informações sobre: Saldo (inicial e final) da conta caixa Movimentação do caixa (entradas e saídas) Receita da conta caixa Caixa: Saldo inicial (=) Saldo final do mês anterior Saldo Final (=) Saldo Inicial (+) Entradas (-) Saídas 28

29 Detalhamento dos Empenhos do Mês: Informações sobre: Empenhos do mês Empenhos por fonte de recurso Empenho por credor, para as notas de empenho que possuem vários credores (exceto folha de pagamento) Reforço de empenho Detalhamento dos Empenhos do Mês: Vínculo do empenho com o contrato: Vinculação do empenho com a licitação, adesão a registro de preços, dispensa e inexigibilidade: 29

30 Detalhamento dos Empenhos do Mês: Função/Subfunção Portaria n. 42/99, MOG Programas arquivo 4.7 PRO ou 6.2 INCPRO Ações arquivo 4.8 AMP ou 6.3 INCAMP Subações (opcional) arquivo 4.8 AMP ou 6.3 INCAMP Elemento + Subelemento Anexo II da IN 05/2011, alterada pela IN 15/2011 (é vedada a utilização da modalidade de aplicação ou elemento de despesa 99). Fonte de recurso Anexo III da IN 05/2011, alterada pela IN 15/2011. Detalhamento dos Empenhos do Mês: É opcional o preenchimento dos dados do credor nos empenhos relacionados a folha de pagamento. Essa regra aplica-se quando: - o elemento de despesa for igual a: 01, 03, 04, 05, 11, 16, 36.07, 36.26, 36.28, 36.99, 48 ou 94; - a natureza da despesa for: e Detalhamento dos Empenhos do Mês: Os campos tipo de documento e número do documento são dependentes entre si. Se os campos tipo de documento e número do documento estiverem informados, o campo nome do credor deve estar preenchido. 30

31 Restos a Pagar de Exercícios Anteriores: Informações sobre Saldos de restos a pagar (processados e não processados) de exercícios anteriores Restos a pagar por credor, para os restos a pagar que possuem vários credores (exceto folha de pagamento) Movimentação dos restos a pagar (cancelamento, encampação, atribuição e restabelecimento) Restos a Pagar de Exercícios Anteriores: Os registros 10 Detalhamento dos restos a pagar, 11 Detalhamento dos restos a pagar por fonte de recurso e 12 Detalhamento dos restos a pagar por credor (opcional) devem ser informados somente no mês de janeiro. Restos a Pagar de Exercícios Anteriores: Se a data do empenho for : até 2001: dotorig 22 caracteres a partir de 2002: dotorig 26 caracteres 31

32 Restos a Pagar de Exercícios Anteriores: É opcional o preenchimento dos dados do credor nos restos a pagar relacionados a folha de pagamento. Essa regra aplica-se quando: - o elemento de despesa for igual a: 01, 03, 04, 05, 11, 16, 36, 48 ou 94; - a natureza da despesa for: e Restos a Pagar de Exercícios Anteriores: Os campos tipo de documento e número do documento são dependentes entre si. Se os campos tipo de documento e número do documento estiverem informados, o campo nome do credor deve estar preenchido. Restos a Pagar de Exercícios Anteriores: Se a movimentação for 1 Cancelamento ou 3 Atribuição, o resto a pagar deve ter sido cadastrado para o órgão. Se a movimentação for 2 Encampação ou 3 Atribuição, o órgão e a unidade que eram ou serão responsáveis pelos restos a pagar devem ser informados. 32

33 Detalhamento da Liquidação da Despesa: Informações sobre: Liquidações de despesas do exercício e de restos a pagar não processados Liquidação da despesa por fonte de recurso Despesa de exercícios anteriores ou sentenças judiciais anteriores para fins de exclusão na apuração da despesa total com pessoal Detalhamento da Liquidação da Despesa: Se o tipo de liquidação for 1 Liquidação Despesa do Exercício, o empenho deve ter sido cadastrado. Se o tipo de liquidação for 2 Liquidação Despesas Restos a Pagar não Processados, o resto a pagar deve ter sido cadastrado. Detalhamento da Liquidação da Despesa: Obrigatório informar o registro 12 se a natureza da despesa do respectivo empenho for igual a: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

34 Receitas e Despesas Extra-Orçamentárias (EXCETO RESTOS A PAGAR): Informações sobre: Receitas e despesas extra-orçamentárias Fontes de recursos das extra-orçamentárias Pagamentos das despesas extra-orçamentárias Movimentação financeira das ordens de pagamento das despesas extra-orçamentárias Receitas e Despesas Extra-Orçamentárias (EXCETO RESTOS A PAGAR): Seguir as regras dos desdobramentos, conforme leiaute. O tipo de lançamento 04 Transferências Financeiras deve ser utilizado para informar transferências financeiras a outros órgãos. As transferências entre contas bancárias do mesmo órgão devem ser informadas no arquivo CTB Contas Bancárias. Receitas e Despesas Extra-Orçamentárias: Para toda despesa extra-orçamentária informada, deve haver registros (12 e 13) dos respectivos pagamentos. O valor bruto da OP (registro 12) deve ser igual ao valor do lançamento da respectiva despesa (registro 10). Caso haja retenção na OP, o valor da OP associado ao documento (registro 13) será inferior ao valor bruto da OP (registro 12). 34

35 Receitas e Despesas Extra-Orçamentárias: Não confundir os momentos em que ocorrem a receita extra e a despesa extra. Exemplo: 31/01: retenção de INSS surge a obrigação de pagamento para o órgão (receita) 01/02: pagamento do INSS retido extinção da obrigação (despesa) Receitas e Despesas Extra-Orçamentárias: Para pagamentos de despesas extraorçamentárias relacionadas a folha de pagamento, onde não é possível indicar o documento do credor, informar o CNPJ do órgão. Pagamentos das Despesas (exceto Extra-Orçamentária): Pagamentos das despesas Pagamentos das despesas por fonte de recurso Movimentação financeira das ordens de pagamento Retenções e/ou Compensações Valores extra-orçamentários antecipados na folha de pagamento 35

36 Pagamentos das Despesas (exceto Extra-Orçamentária): Tipos de pagamentos: 1 Pagamento de despesa (exceto Serviço da Dívida) 2 Pagamento de Serviço da Dívida 3 Pagamento de Restos a Pagar Processados 4 Pagamento de Restos a Pagar Não Processados Liquidados 5 Pagamento de despesa empenhada por outro órgão 6 Pagamento realizado por outro órgão Pagamentos das Despesas (exceto Extra- Orçamentária): Se o tipo de pagamento for 5 Pagamento de despesa empenhada por outro órgão, informar o código do órgão/unidade que empenhou a despesa. Se o tipo de pagamento for 6 Pagamento realizado por outro órgão, informar o código do órgão/unidade que realizou o pagamento da despesa. Pagamentos das Despesas (exceto Extra- Orçamentária): Valor bruto da OP (registro 10) (+) Total dos valores extra-orçamentários antecipados (registro 14) (=) Total da Movimentação Financeira (registro 12) (+) Total das Retenções/Compensações (registro 13) 36

37 Pagamentos das Despesas (exceto Extra- Orçamentária): O número e a data da liquidação devem ser informados sempre, mesmo para os tipos 3 Pagamento de Restos a Pagar Processados e 5 Pagamento de despesa empenhada por outro órgão. Pagamentos das Despesas (exceto Extra- Orçamentária): É obrigatório o preenchimento dos campos tipo de documento, número do documento e nome do credor se os mesmos foram informados nos arquivos de empenhos ou restos a pagar. Verificar a regra de empenhos e restos a pagar relacionados a folha de pagamento. Pagamentos das Despesas (exceto Extra- Orçamentária): Os campos tipo de documento e número do documento são dependentes entre si. Se os campos tipo de documento e número do documento estiverem informados, o campo nome do credor deve estar preenchido. 37

38 Pagamentos das Despesas (exceto Extra-Orçamentária): Se o tipo de documento for 05 Dinheiro em espécie NÃO informar os dados da conta bancária. Se o tipo de documento for 99 Outros é opcional informar os dados da conta bancária. Se o tipo de pagamento for 06 Pagamento realizado por outro órgão é opcional informar os dados da conta bancária. Outras Baixas de Empenhos por Lançamento Contábil: Este arquivo demonstra as baixas de despesas que não envolvam movimentações financeiras, quando estas forem realizadas através de compensação. Exemplo: registro da baixa do empenho referente ao salário-família no órgão RPPS. Outras Baixas de Empenhos por Lançamento Contábil: Tipos de baixas: 1 Baixa de despesa (exceto Serviço da Dívida) 2 Baixa de Serviço da Dívida 3 Baixa de Restos a Pagar Processados 4 Baixa de Restos a Pagar Não Processados Liquidados 38

39 Notas Fiscais: Informações sobre: Notas Fiscais Detalhamento dos itens da nota fiscal (opcional) Liquidações das notas fiscais Notas Fiscais: As informações das notas fiscais devem ser enviadas no arquivo do mês em que forem liquidadas. Nota fiscal eletrônica informar o campo chaveacesso OU chaveacessomunicipal. Cadastro de Veículos ou Equipamentos: Informações sobre: Cadastro de veículos / equipamentos Gasto com combustível, lubrificante e manutenção por veículo Detalhamento do transporte escolar Baixa de Veículos e Equipamentos 39

40 Cadastro de Veículos ou Equipamentos: Se a origem do gasto for 1 Estoque é opcional informar o empenho. Se o tipo de gasto for 08 peças, 09 serviços ou 99 outros informar a descrição da peça ou serviço. Dívida Consolidada: Informar os saldos (anterior e atual) e as movimentações (contratação, amortização, cancelamento, encampação e atualização) da dívida consolidada no mês. Dívida Consolidada: Se houver registro da dívida consolidada no mês anterior com saldo atual maior que zero, deve ser informado o registro no mês de referência. Saldo anterior = Saldo final do mês anterior Saldo atual (=) Saldo anterior (+) Contratação (-) Amortização (-) Cancelamento (+) Encampação (+) Atualização 40

41 Projeção Atuarial do RPPS: Projeção anual das receitas e despesas previdenciárias de 75 anos, tendo como ano inicial o ano anterior ao que se refere o arquivo. Informado somente pelo RPPS, na remessa do mês de dezembro. Dados Complementares à LRF: Apresenta dados complementares para geração dos relatórios da LRF. INCLUSÃO DE PROGRAMAS Definições Gerais: Responsável pelo envio: Chefe do Executivo Periodicidade: não aplicável. Após a entrega do módulo IP fica disponível o envio deste módulo. Composição: 4 arquivos 41

42 INCLUSÃO DE PROGRAMAS Utilizar o módulo Inclusão de Programas quando houver, no decorrer do exercício, inclusão de: - Programas - Ações - Unidades / Subunidades Orçamentárias Assessoria para o Desenvolvimento do Sistema de Apoio à Fiscalização Municipal - SICOM 42

Estado de Sergipe TRIBUNAL DE CONTAS. LAYOUT DE ARQUIVOS TXT PARA IMPORTAÇÃO (Para a versão do SISAP Versão 610)

Estado de Sergipe TRIBUNAL DE CONTAS. LAYOUT DE ARQUIVOS TXT PARA IMPORTAÇÃO (Para a versão do SISAP Versão 610) LAYOUT DE ARQUIVOS TXT PARA IMPORTAÇÃO (Para a versão do SISAP Versão 610) 01 de agosto de 2012 SUMÁRIO 1 ESTRUTURA DOS ARQUIVOS... 5 1.1 ESTRUTURA... 5 1.2 CONVENÇÃO... 6 2 ARQUIVOS TXT POSSÍVEIS DE SEREM

Leia mais

ESTRUTURA DE LAYOUT DOS ARQUIVOS VERSÃO 3.0

ESTRUTURA DE LAYOUT DOS ARQUIVOS VERSÃO 3.0 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA GERAL DE INFORMÁTICA ESTRUTURA DE LAYOUT DOS ARQUIVOS VERSÃO 3.0 Atualizado em 28/01/2011 Colaboração Secretaria Geral de Controle Externo Secretaria

Leia mais

e-sfinge Sistema de Fiscalização Integrada de Gestão Módulo: Captura - Desktop

e-sfinge Sistema de Fiscalização Integrada de Gestão Módulo: Captura - Desktop e-sfinge Sistema de Fiscalização Integrada de Gestão Módulo: Captura - Desktop Arquivos Intermediários e Tabelas Básicas - Esfera Municipal e Consórcios Estrutura (layout) dos arquivos que o Sistema e-sfinge

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO TÉRMINO DE MANDATO MANUAL DE UTILIZAÇÃO.

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO TÉRMINO DE MANDATO MANUAL DE UTILIZAÇÃO. TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO TÉRMINO DE MANDATO MANUAL DE UTILIZAÇÃO Versão 2008 Janeiro/2009 SIGFIS-Sistema Integrado de Gestão Fiscal : Manual

Leia mais

Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011.

Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011. Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o São estabelecidas, em cumprimento

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - CONTABILIDADE

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - CONTABILIDADE 1 ORIENTAÇÃO TÉCNICA - CONTABILIDADE ABERTURA DE EXERCÍCIO DE 2014 e NOVA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO CASP E SICOM/2014. O ano de 2014 será de grandes mudanças que afetarão muito a estabilidade

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ÓRGÃO: CÂMARA MUNICICIPAL DE INDIAPORÃ/SP PROCESSO: 01/2015 MODALIDADE: PREGÃO PRESENCIAL Nº 01/2015 TIPO DE LICITAÇÃO: MENOR PREÇO POR LOTE LOCAL: PLENÁRIO DA CÂMARA MUNICIPAL, NA RUA JOSÉ SCAPIM, QUADRA

Leia mais

MATERIAL PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO FIPLAN

MATERIAL PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO FIPLAN Guia de Capacitação Cancelar Restos a Pagar - CRP Versão 1.0 Outubro 2014 GUIA DE CAPACITAÇÃO CANCELAR RESTOS A PAGAR - CRP MATERIAL PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO FIPLAN MÓDULO: LIQUIDAÇÃO (LIQ) INSTRUTORA:

Leia mais

QUESTÕES DE AFO E CONTABILIDADE PÚBLICA ANALISTA JUDICIÁRIO CONTABILIDADE - STM/2011 ÚLTIMA PARTE

QUESTÕES DE AFO E CONTABILIDADE PÚBLICA ANALISTA JUDICIÁRIO CONTABILIDADE - STM/2011 ÚLTIMA PARTE QUESTÕES DE AFO E CONTABILIDADE PÚBLICA ANALISTA JUDICIÁRIO CONTABILIDADE - STM/2011 ÚLTIMA PARTE Prezado internauta e estudante do Ponto dos Concursos! Desejo a todos uma mente ILUMINADA e que tenham

Leia mais

NORMAS GERAIS PARA RECEBIMENTO E CONFERÊNCIA DE DOCUMENTOS

NORMAS GERAIS PARA RECEBIMENTO E CONFERÊNCIA DE DOCUMENTOS NORMAS GERAIS PARA RECEBIMENTO E CONFERÊNCIA DE DOCUMENTOS PROCEDIMENTO PADRÃO Nº. 001/2006. Teresina, Março 2008 ATUALIZADO EM MARÇO DE 2008 NORMAS GERAIS PARA RECEBIMENTO E CONFERÊNCIA DE DOCUMENTOS

Leia mais

Portal dos Convênios SICONV

Portal dos Convênios SICONV MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios SICONV Execução Processo de Compra, Contrato,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Nº 001/2015.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Nº 001/2015. INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Nº 001/2015. DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS MEDIANTE LICITAÇÃO, INCLUSIVE DISPENSA E INEXIGIBILIDADE,

Leia mais

Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro

Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro RELAÇÃO DE DOCUMENTOS INTEGRANTES DA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA (CONTAS DE GOVERNO) EXERCÍCIO DE 2013 CONFORME OFÍCIO-CIRCULAR Nº 14/2014 PRS/GAP RESPONSABILIZAÇÃO CADASTROS do Prefeito

Leia mais

Módulo de Contratos Manual: Orientações ao usuário

Módulo de Contratos Manual: Orientações ao usuário Módulo de Contratos Manual: Orientações ao usuário SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2 2. O QUE É? 2 3. FINALIDADES DO MÓDULO DE CONTRATOS 2 4. INTEGRAÇÕES 3 5. ATORES 3 6. DEFINIÇÕES 3 7. FUNCIONALIDADES 5 8. MANTER

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 1 SOFTWARE PARA CONTABILIDADE PÚBLICA E AUDESP

TERMO DE REFERÊNCIA 1 SOFTWARE PARA CONTABILIDADE PÚBLICA E AUDESP TERMO DE REFERÊNCIA 1 SOFTWARE PARA CONTABILIDADE PÚBLICA E AUDESP Neste sub módulo o sistema segue todas as normas estabelecidas pela Secretaria do Tesouro Nacional, Tribunal de Contas do Estado de São

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A respeito da evolução da administração e do processo administrativo, julgue os itens que se seguem. 51 A organização que adotar em seu planejamento a metodologia do balanced

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro PREFEITURA MUNICIPAL DE CANTAGALO Secretaria Municipal de Governo e Planejamento

Estado do Rio de Janeiro PREFEITURA MUNICIPAL DE CANTAGALO Secretaria Municipal de Governo e Planejamento 1 LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL GUIA PRÁTICO PARA O CIDADÃO O que é a LRF? A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), ou Lei Complementar nº 101, é o principal instrumento regulador das contas públicas no

Leia mais

ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO CHECKLIST

ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO CHECKLIST ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO CHECKLIST Para auxiliar nas providências que devem ser tomadas para o encerramento de exercício, foi elaborada uma série de verificações, em formato de checklist, que devem ser

Leia mais

Formação dos integrantes do Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP)

Formação dos integrantes do Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP) Formação dos integrantes do Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP) Conceitos gerais de gestão pública: princípios e regras da administração pública, processos de licitação, contratos

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO E ELABORAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO E ELABORAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO E ELABORAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS As orientações constantes deste manual devem ser observadas pelas Unidades Gestoras para encerramento do exercício,

Leia mais

II Seminário Estadual de Consórcios Públicos

II Seminário Estadual de Consórcios Públicos II Seminário Estadual de Consórcios Públicos Contabilização nos Consórcios e nos Entes Consorciados Joinville dez/2011 Regime Contábil e Financeiro Normas de direito financeiro aplicáveis às entidades

Leia mais

Sistema de Informações para Auditoria e Prestação de Contas. Recurso Vinculado

Sistema de Informações para Auditoria e Prestação de Contas. Recurso Vinculado Sistema de Informações para Auditoria e Prestação de s Recurso Vinculado Aplicável aos Órgãos, Entidades e Consórcios Públicos Municipais regidos pela Lei Federal nº 4.320/64 e Empresas Estatais Dependentes

Leia mais

Art. 1º - Fica aprovado o Regimento Interno da Central do Sistema de Controle Interno, anexo ao presente Decreto.

Art. 1º - Fica aprovado o Regimento Interno da Central do Sistema de Controle Interno, anexo ao presente Decreto. DECRETO N.º 961/08 De 01 de julho de 2008. APROVA O REGIMENTO INTERNO DA CENTRAL DO SISTEMA DE CONTROLE INTERNO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A PREFEITA MUNICIPAL DE VALE DO SOL, no uso de suas atribuições

Leia mais

Execução de Despesa. DNT/SSSCI/SF Abril 2013

Execução de Despesa. DNT/SSSCI/SF Abril 2013 DNT/SSSCI/SF Abril 2013 Realização Secretaria da Fazenda Subsecretaria do Sistema de Controle Interno Departamento de Normas Técnicas Apresentação David Fabri Monique Junqueira Ferraz Zanella INTRODUÇÃO

Leia mais

MANUAL AOS MUNICÍPIOS SISTEMA DE INFORMAÇÕES MUNICIPAIS

MANUAL AOS MUNICÍPIOS SISTEMA DE INFORMAÇÕES MUNICIPAIS 1 SIM SISTEMA DE INFORMAÇÕES MUNICIPAIS MANUAL AOS MUNICÍPIOS 2006 2 TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO CEARÁ PLENO Conselheiro Luiz Sérgio Gadelha Vieira P RESIDENTE Conselheiro Manoel Beserra

Leia mais

GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS

GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS Sumário 1. Introdução... 2 2. Início Portal Coordenador... 2 2.1. Novos Pedidos... 2 2.2. Pendências... 3 2.3. Menu... 4 2.4. Sair... 4 3. Saldo de Projetos... 5 4. Extrato

Leia mais

Semana Contábil e Fiscal de Estados e Municípios - Secofem

Semana Contábil e Fiscal de Estados e Municípios - Secofem Subsecretaria de Contabilidade Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicada à Federação Semana Contábil e Fiscal de Estados e Municípios - Secofem Módulo 10 - Resultado Primário e Resultado Nominal

Leia mais

Apresentação. Documentos de diversas modalidades que formalizam atividades de cooperação entre a UFRGS e outras instituições.

Apresentação. Documentos de diversas modalidades que formalizam atividades de cooperação entre a UFRGS e outras instituições. Apresentação A Universidade Federal do Rio Grande do Sul interage com instituições públicas ou privadas, nacionais ou internacionais, em conformidade com as leis federais, estatuto e regimento, resoluções,

Leia mais

ORDENS BANCÁRIAS ESTADOS E MUNICÍPIOS MANUAL DO USUÁRIO

ORDENS BANCÁRIAS ESTADOS E MUNICÍPIOS MANUAL DO USUÁRIO ORDENS BANCÁRIAS ESTADOS E MUNICÍPIOS MANUAL DO USUÁRIO Ordens Bancárias Estados e Municípios Sumário 1. Introdução... 3 2. Público Alvo... 3 3. Características... 4 3.1. Modalidades e tipos de ordens

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA Disciplina: D 4.11 Elaboração e Programação Orçamentária e Financeira (40h) (Aula 4: Programação Orçamentária e Financeira) Professor: Bruno César

Leia mais

COMENTÁRIOS PROVA CGU 2008

COMENTÁRIOS PROVA CGU 2008 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA (PROVA 2) 32- No Brasil, para que o controle orçamentário se tornasse mais eficaz, ao longo dos anos, tornou-se necessário estabelecer alguns princípios que orientassem

Leia mais

Índice. Pregão Eletrônico perfil de fornecedor - 1 / 37

Índice. Pregão Eletrônico perfil de fornecedor - 1 / 37 Pregão Eletrônico perfil de fornecedor - 1 / 37 Índice 1 -. Apresentação...3 2 -. Ambiente Operacional & Requisitos...4 3 -. Normas do Pregão Eletrônico...5 4 -. Procedimentos do Pregão Eletrônico...6

Leia mais

CADERNO DE QUESTÕES PROCESSO SELETIVO TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA (TRV) 2ª ETAPA EDITAL 02/2015-COPESE DATA: 08/02/2015. HORÁRIO: das 09 às 12 horas

CADERNO DE QUESTÕES PROCESSO SELETIVO TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA (TRV) 2ª ETAPA EDITAL 02/2015-COPESE DATA: 08/02/2015. HORÁRIO: das 09 às 12 horas Realização: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CADERNO DE QUESTÕES PROCESSO SELETIVO TRANSFERÊNCIA VOLUNTÁRIA (TRV) 2ª ETAPA EDITAL 02/2015-COPESE CURSO: BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE DECRETO Nº 22.561, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2012.

RIO GRANDE DO NORTE DECRETO Nº 22.561, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2012. RIO GRANDE DO NORTE DECRETO Nº 22.561, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2012. Fixa normas para a execução orçamentária e financeira do exercício de 2012 e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO RIO GRANDE

Leia mais

Resolução nº 102, de 15 de dezembro de 2009

Resolução nº 102, de 15 de dezembro de 2009 English Sobre o CNJ Presidência Corregedoria Atos Administrativos Ouvidoria Sistemas Programas de A a Z Mapa do Site Página Inicial Atos Administrativos Atos da Presidência Resoluções Resolução nº 102,

Leia mais

Treinamento Sistema Folha Union Módulo II

Treinamento Sistema Folha Union Módulo II Folha Union> Cadastros> Empresas Treinamento Sistema Folha Union Módulo II FOLHA DE PAGAMENTO MÓDULO II - CADASTROS Cadastre as empresas (Condomínios) ou importe os dados utilizando o código do cadastro

Leia mais

Módulo: Orçamento Público Elaboração, Controle e Monitoramento

Módulo: Orçamento Público Elaboração, Controle e Monitoramento Módulo: Orçamento Público Elaboração, Controle e Monitoramento Agosto de 2007 1. O que é orçamento? O orçamento é uma forma de planejar e executar despesas que tanto os indivíduos quanto as instituições

Leia mais

Auditoria Eletrônica de Órgãos Públicos. Regras de Validação Contas Anuais

Auditoria Eletrônica de Órgãos Públicos. Regras de Validação Contas Anuais Regras de Validação Contas Anuais Sumário Sumário 1. Relação de Contratos de Concessão... 4 1.1. Descrição do Documento... 4 1.2. Estrutura... 4 1.3. Regras de Validação... 4 1.3.1. Contratos duplicados...

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA TRIBUNAL DE CONTAS

ESTADO DE RONDÔNIA TRIBUNAL DE CONTAS 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº13./TCER-2004 Dispõe sobre as informações e documentos a serem encaminhados pelos gestores e demais responsáveis pela Administração Direta e Indireta do Estado e dos Municípios;

Leia mais

CONTABILIZAÇÃO DE CONSÓRCIOS PÚBLICOS PROPOSTA DE REGULAMENTAÇÃO CONTÁBIL

CONTABILIZAÇÃO DE CONSÓRCIOS PÚBLICOS PROPOSTA DE REGULAMENTAÇÃO CONTÁBIL CONTABILIZAÇÃO DE CONSÓRCIOS PÚBLICOS PROPOSTA DE REGULAMENTAÇÃO CONTÁBIL Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação STN/CCONF 1 Legislação Aplicável Lei nº 11.107/05 dispõe sobre

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES JANEIRO/2014. AGP Assessoria em Gestão Pública/AMVAP. www.amvapmg.org.br

AGENDA DE OBRIGAÇÕES JANEIRO/2014. AGP Assessoria em Gestão Pública/AMVAP. www.amvapmg.org.br AGENDA DE OBRIGAÇÕES JANEIRO/2014 /AMVAP www.amvapmg.org.br Contribuição Previdenciária para RPPS: Recolhimento referente à competência de dezembro/2013. (Ver data na legislação própria) COMUNICADO SICOM

Leia mais

Módulo Inclusão de Programas

Módulo Inclusão de Programas Leiaute dos Arquivos Módulo Inclusão de Programas Versão 3.1-2014 1 Sumário 1 Formato do Arquivo... 3 2 Formato dos Campos... 3 3 Definições Gerais... 4 3.1 Elaboração de arquivos com mais de um tipo de

Leia mais

ção o de Pleitos MIP, da Secretaria do Tesouro Nacional.

ção o de Pleitos MIP, da Secretaria do Tesouro Nacional. -Apresentaçã ção o sobre o Manual para Instruçã ção o de Pleitos MIP, da Secretaria do Tesouro Nacional. (Capítulo IV - Operaçõ ções de crédito interno.) Esta apresentação objetiva um primeiro contato

Leia mais

Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS

Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS Versão Fevereiro/2013 Índice PCS - Módulo de Prestação de Contas...3 Acesso ao Módulo PCS...3 1. Contas financeiras...5 1.1. Cadastro de

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Geral. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Geral. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Geral Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema de Almoxarifado

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 39/2015

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 39/2015 PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 39/2015 Regulamenta a utilização dos depósitos judiciais de origem tributária ou não tributária e institui o Fundo de Reserva dos Depósitos Judiciais no âmbito do Município

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988

CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988 MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL MPS SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL SPPS DEPARTAMENTO DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO DRPSP COORDENAÇÃO-GERAL DE AUDITORIA, ATUÁRIA, CONTABILIDADE

Leia mais

Abril / 2015. Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb

Abril / 2015. Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Abril / 2015 Dom Seg Ter Qua Qui Se Sáb 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Data 03/04 07/04 Obrigações Sistema de Cadastramento e Acompanhamento de Obras -SCO

Leia mais

CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS

CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS VERIFICAÇÕES PRELIMINARES Art. 3, caput e 1 ; 1. O objeto do convênio ou contrato de repasse guarda relação com a atividade do convenente? 2.

Leia mais

15 CHECK LIST PARA ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE AUDITORIA

15 CHECK LIST PARA ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE AUDITORIA 15 CHECK LIST PARA ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE AUDITORIA 1 PLANEJAMENTO 1.1 PLANO PLURIANUAL Nº de Legenda: S = Sim; N = Não; e NA = Não se aplica DESCRIÇÃO S N NA 01 O PPA foi elaborado e encaminhado à

Leia mais

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 4139, DE 11 DE SETEMBRO DE 2013. Regulamenta o Fundo Municipal de Esporte e Lazer e o Incentivo ao Esporte e Lazer e dá outras providências. O PREFEITO DE GOIÂNIA, no

Leia mais

ANEXO II RELAÇÃO DAS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES AO PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA DE 2015

ANEXO II RELAÇÃO DAS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES AO PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA DE 2015 ANEXO II RELAÇÃO DAS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES AO PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA DE 2015 I - Critérios utilizados para a discriminação, na programação de trabalho, do código identificador de resultado primário

Leia mais

APLICAÇÃO EM EDUCAÇÃO ALGUMAS INCONSISTÊNCIAS GERADORAS DE PERCENTUAIS ABAIXO DOS 25%.

APLICAÇÃO EM EDUCAÇÃO ALGUMAS INCONSISTÊNCIAS GERADORAS DE PERCENTUAIS ABAIXO DOS 25%. APLICAÇÃO EM EDUCAÇÃO ALGUMAS INCONSISTÊNCIAS GERADORAS DE PERCENTUAIS ABAIXO DOS 25%. Considerando o elevado número de municípios que foram alertados em função da aplicação em Educação em percentual inferior

Leia mais

Consultoria e Assessoria Pública Ltda COMUNICADO

Consultoria e Assessoria Pública Ltda COMUNICADO COMUNICADO Araçatuba, 21 de Março de 2012. Vimos, pelo presente, tecer nossos comentários e dar nossa singela contribuição para o entendimento e aplicação prática da Portaria nº 72 de 1º de Fevereiro de

Leia mais

COMUNICADO SDG Nº 02/2013

COMUNICADO SDG Nº 02/2013 COMUNICADO SDG Nº 02/2013 O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo divulga aos órgãos jurisdicionados da área municipal o calendário de obrigações para 2013 necessárias ao atendimento das exigências

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO

MANUAL DE UTILIZAÇÃO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE MANUAL DE UTILIZAÇÃO SECRETARIA, PROCURADORIA, CORPO DE BOMBEIROS, GAB. PREFEITO E VICE, VICEGOVERNADORIA, DEFENSORIA PÚBLICA, POLÍCIA E HOSPITAL DA POLÍCIA MILITAR

Leia mais

Atos administrativos que devem ser publicados e os veículos a serem utilizados:

Atos administrativos que devem ser publicados e os veículos a serem utilizados: Atos que podem ser publicados no Diário Oficial dos Municípios e atos que devem ser publicados em outros veículos de publicação São veículos de divulgação de atos: I) Veículos oficiais: a) Diário Oficial

Leia mais

Instruções para Cotação Eletrônica 152/2014

Instruções para Cotação Eletrônica 152/2014 Instruções para Cotação Eletrônica 152/2014 (Inciso II do Art. 24 da Lei nº 8.666/93 c/c Portaria nº 306, de 13 de dezembro de 2001). A União, por intermédio do Instituto Nacional de Câncer José Alencar

Leia mais

CAPITULO 020000 - SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO GOVERNO FEDERAL - SIAFI

CAPITULO 020000 - SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO GOVERNO FEDERAL - SIAFI CAPITULO 020000 - SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO GOVERNO FEDERAL - SIAFI SECAO 020300 - MACROFUNÇÕES ASSUNTO 020317 - RESTOS A PAGAR 1 - REFERÊNCIAS: 1.1 - RESPONSABILIDADE - Coordenador-Geral

Leia mais

MANUAL DE CONTRATOS PÚBLICOS

MANUAL DE CONTRATOS PÚBLICOS 2013 MANUAL DE CONTRATOS PÚBLICOS UNIPAMPA Pró-Reitoria de Administração 12/02/2013 APRESENTAÇÃO Este Manual destina-se a orientar sobre procedimentos de contratações de serviços (terceirizados; energia

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO N. 003/2014 SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS 4. CRONOGRAMA

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO N. 003/2014 SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS 4. CRONOGRAMA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO N. 003/2014 SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS 4. CRONOGRAMA ATIVIDADES DATAS Lançamento do Edital 28 de fevereiro de 2014 Limite para postagem das propostas (conforme item

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS RCC IJUCI/MG CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS SEÇÃO I DOS PRINCÍPIOS

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS RCC IJUCI/MG CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS SEÇÃO I DOS PRINCÍPIOS REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS RCC IJUCI/MG CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS SEÇÃO I DOS PRINCÍPIOS Art. 1º Este regulamento aplica os procedimentos e os princípios observados pelo Instituto

Leia mais

PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) Nome. Matrícula Lotação Tel. Comercial. Email: Carteira de Identidade CPF

PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) Nome. Matrícula Lotação Tel. Comercial. Email: Carteira de Identidade CPF ELETRA - FUNDAÇÃO CELG DE SEGUROS E PREVIDÊNCIA www.eletra.org.br - versão: 05/2015 12.08.2015 - pág.: 1 PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) ( ) ATIVO ( ) APOSENTADO

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE INFORMAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS E REPASSES DIPR (PERGUNTAS E RESPOSTAS)

DEMONSTRATIVO DE INFORMAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS E REPASSES DIPR (PERGUNTAS E RESPOSTAS) NOTAS: DEMONSTRATIVO DE INFORMAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS E REPASSES DIPR (PERGUNTAS E RESPOSTAS) 1- Este "Perguntas e Respostas" foi elaborado com a finalidade de auxiliar os entes federativos a compreender

Leia mais

Quarta-feira, 14 de Maio de 2014 N 628

Quarta-feira, 14 de Maio de 2014 N 628 LEI N 812 de 12 de maio de 2014. Institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e, a Ferramenta de Declaração Eletrônica de Serviços - DES, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUAPIMIRIM,,

Leia mais

OBRIGATORIEDADE DA EXIGÊNCIA DA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS NAS LICITAÇÕES

OBRIGATORIEDADE DA EXIGÊNCIA DA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS NAS LICITAÇÕES OBRIGATORIEDADE DA EXIGÊNCIA DA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS NAS LICITAÇÕES A Lei 8.666/93 foi alterada em 11 de julho de 2011 (artigos 27 e 29), pela Lei 12.440, sendo implementada a exigência

Leia mais

APROVAÇÃO DAS LEIS ORÇAMENTÁRIAS. Kilmer Távora Teixeira Auditor Governamental CGE/PI

APROVAÇÃO DAS LEIS ORÇAMENTÁRIAS. Kilmer Távora Teixeira Auditor Governamental CGE/PI APROVAÇÃO DAS LEIS ORÇAMENTÁRIAS Kilmer Távora Teixeira Auditor Governamental CGE/PI BASE LEGAL Constituição Federal de 1988, Título VI, artigos 165 a 169; Lei 4.320, de 17/03/64; Lei de Responsabilidade

Leia mais

MANUAL SICCL SQL SRTVS 701 Bloco O Ed. MultiEmpresarial Sala 804 Brasília/DF CEP 70340-000 Fone/Fax: (061) 3212-6700 E-mail: implanta@conselhos.com.

MANUAL SICCL SQL SRTVS 701 Bloco O Ed. MultiEmpresarial Sala 804 Brasília/DF CEP 70340-000 Fone/Fax: (061) 3212-6700 E-mail: implanta@conselhos.com. MANUAL SICCL SQL ÍNDICE ACESSANDO O SISTEMA SG - COMPRAS E CONTRATOS... 3 ATENDENDO SOLICITAÇÕES DE ITENS E SERVIÇOS... 5 VERIFICANDO A DISPONIBILIDADE DE RECURSOS... 7 ATENDER SOLICITAÇÕES COM PROCESSO

Leia mais

Programa de Fortalecimento das Cadeias e Arranjos Produtivos Locais - APLs

Programa de Fortalecimento das Cadeias e Arranjos Produtivos Locais - APLs Programa de Fortalecimento das Cadeias e Arranjos Produtivos Locais - APLs Realização de Convênios Convênios São acordos firmados por entidades públicas, ou entre estas e organizações particulares para

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES. e-sfinge

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES. e-sfinge e-sfinge SISTEMA DE FISCALIZAÇÃO INTEGRADA DE GESTÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO ATOS JURÍDICOS 2009 1 APRESENTAÇÃO As informações contidas neste documento são amparadas por Resolução do Tribunal de Contas do

Leia mais

CURSO PRÁTICO DE GESTÃO PÚBLICA NO ÚLTIMO ANO DE MANDATO CURSO PRÁTICO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA NO ÚLTIMO ANO DE MANDATO

CURSO PRÁTICO DE GESTÃO PÚBLICA NO ÚLTIMO ANO DE MANDATO CURSO PRÁTICO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA NO ÚLTIMO ANO DE MANDATO CURSO PRÁTICO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA NO ÚLTIMO ANO DE MANDATO CURSO PRÁTICO DE GESTÃO PÚBLICA NO ÚLTIMO ANO DE MANDATO - O curso é direcionado para Servidores Públicos, Gestores Públicos, Secretários

Leia mais

Manual da Central de Compras

Manual da Central de Compras Sistema de Compras Eletrônicas - COE Manual da Central de Compras Portal Compras RS Portal Pregão On-Line Banrisul Portal Compras PROCERGS Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria de Administração

Leia mais

DIPR - CONHECENDO O NOVO DEMONSTRATIVO

DIPR - CONHECENDO O NOVO DEMONSTRATIVO DIPR - CONHECENDO O NOVO DEMONSTRATIVO O envio do DIPR será exigido a partir do 4º bimestre de 2013, cujo prazo se encerra em 30 de setembro. Esse novo demonstrativo será de suma importância, pois além

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO E AUDITORIA

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO E AUDITORIA ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA A ELABORAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS DOS DIRETÓRIOS PARTIDÁRIOS Tendo em vista a obrigação das agremiações partidárias de prestar contas até 30 de abril de 2014, referente ao exercício

Leia mais

LRFWeb 2015. RESOLUÇÃO 193/2003 atualizada pelas

LRFWeb 2015. RESOLUÇÃO 193/2003 atualizada pelas LRFWeb 2015 RESOLUÇÃO 193/2003 atualizada pelas Resolução 197/2004 Resolução 201/2005 Resolução 202/2005 Resolução 270/2014 Portaria Normativa 16/2004 Portaria Normativa 19/2004 Portaria Normativa 45/2004

Leia mais

Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT.

Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT. Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT. Versão: 01/2013 As presentes instruções aplicam-se a todas as Operações de Transportes

Leia mais

2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1

2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1 2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1 2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 2 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

O Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente

O Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA OS PROMOTORES DE JUSTIÇA PROGRAMA INFÂNCIA EM 1º LUGAR 2ª ETAPA O Fundo dos Direitos da Criança e do Gestão e Captação de Recursos Fernando Carlos Almeida Fernando Carlos Almeida

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de lei: Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos MEDIDA PROVISÓRIA N o 2.187-12, DE 27 DE JULHO DE 2001. Dispõe sobre o reajuste dos benefícios mantidos pela Previdência Social, e

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moysés Vianna Unidade Central de Controle Interno

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moysés Vianna Unidade Central de Controle Interno ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moysés Vianna Unidade Central de Controle Interno INSTRUÇÃO NORMATIVA UCCI N 002/2012 VERSÃO 01 ASSUNTO: Regulamenta o

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA PAINT 2016

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA PAINT 2016 2016 MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Interna PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA PAINT 2016 BRASÍLIA 2015 MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE AUDITORIA PLANO ANUAL DE ATIVIDADES

Leia mais

Lei 141/2012 - Comentários

Lei 141/2012 - Comentários Lei 141/2012 - Comentários Áquilas Mendes Prof. Dr. Livre-Docente de Economia da Saúde da FSP/USP e do Departamento de Economia da PUC-SP agosto/2012 BREVE CONTEXTO DA LEI 141/2012 CONSIDERAÇÕES GERAIS

Leia mais

Alterações Efetuadas no Sistema

Alterações Efetuadas no Sistema Alterações Efetuadas no Sistema 2014 - Alterações efetuadas na versão 10.02 1) Correção CON 250 - Verifica a existência do Arquivo Texto com a natureza Plano de Trabalho para Convênio (Alerta); 2) Correção

Leia mais

E&L Contabilidade Pública Eletrônica

E&L Contabilidade Pública Eletrônica E&L Contabilidade Pública Eletrônica Instruções para envio da prestação mensal do CIDADESWEB. Está disponível no menu Utilitários, uma opção de Implantação do CIDADESWEB. Neste utilitário estão os 9 passos

Leia mais

17 Relatório de Auditoria Interna

17 Relatório de Auditoria Interna 17 Relatório de Auditoria Interna RELATÓRIO DE AUDITORIA INTERNA Nº 001/20xx OBJETO: Verificação do cumprimento das normas de controle interno na execução dos atos administrativos em 20xx, conforme projeto

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO CONJUNTO DE SISTEMAS APLICATIVOS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO CONJUNTO DE SISTEMAS APLICATIVOS EDITAL PRÉ-QUALIFICAÇÃO N. 01/01 ANEXO 2 Atualização - Agosto/2002 ANEXO 2 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO CONJUNTO SISTEMAS APLICATIVOS Sumário 1. Objetivo 2. Características Gerais 3. Sistema Integrado de

Leia mais

HISTÓRICO DAS REVISÕES N.ºREVISÃO DATA IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 00 01

HISTÓRICO DAS REVISÕES N.ºREVISÃO DATA IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 00 01 HISTÓRICO DAS REVISÕES N.ºREVISÃO DATA IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 00 01 01/06/2006 Emissão inicial 05/06/2007 Primeira Revisão Elaborado: 05/06/2007 Superintendente e ou Gerente da unidade Revisado: 05/06/2007

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010 Questão 21 Conhecimentos Específicos - Auditor No que diz respeito às Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público, a Demonstração Contábil cuja apresentação é obrigatória apenas pelas empresas estatais

Leia mais

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1047/2012 O Prefeito do Município de Pinhalão,. SÚMULA: Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2013 e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu,

Leia mais

COMPETÊNCIAS E DESAFIOS DO SECRETÁRIO DE FINANÇAS. Fernando Carlos Almeida

COMPETÊNCIAS E DESAFIOS DO SECRETÁRIO DE FINANÇAS. Fernando Carlos Almeida COMPETÊNCIAS E DESAFIOS DO SECRETÁRIO DE FINANÇAS Fernando Carlos Almeida A QUESTÃO Quais os compromissos do Secretário Municipal de Finanças com a gestão financeira moderna e responsável, com a execução

Leia mais

Departamento de Prestação de Contas de Convênios, Termos e Acordos de Cooperação DPC1. Oficina sobre Prestação de Contas

Departamento de Prestação de Contas de Convênios, Termos e Acordos de Cooperação DPC1. Oficina sobre Prestação de Contas Departamento de Prestação de Contas de Convênios, Termos e Acordos de Cooperação DPC1 Oficina sobre Prestação de Contas Introdução Discurso da Nova Marca: - Financiar projetos relevantes para o país, de

Leia mais

LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014 Concede reajuste remuneratório, altera as leis n os 7.227/96, 8.690/03, 9.240/06, 9.303/07 e 10.202/11, e dá outras providências. O Povo do Município de Belo Horizonte,

Leia mais

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo ANEXO IX CONCORRÊNCIA Nº. 003/2015 MODELO PROPOSTA DE PREÇOS (Papel Timbrado da Licitante) Objeto: Contratação de Empresa na Prestação de Serviços de Assessoria Contábil. São Paulo,... de... de 2015 Ao

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO PARA ANÁLISE DE LICITAÇÕES

DOCUMENTAÇÃO PARA ANÁLISE DE LICITAÇÕES DOCUMENTAÇÃO PARA ANÁLISE DE LICITAÇÕES COMPRAS E SERVIÇOS a. Autorização para abertura da licitação; b. Edital assinado, constando a data do procedimento; c. Planilha constando a descrição do(s) material(s)

Leia mais

MANUAL DE FISCALIZAÇÃO DA LIQUIDAÇÃO DE DESPESA (MFLD)

MANUAL DE FISCALIZAÇÃO DA LIQUIDAÇÃO DE DESPESA (MFLD) SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE INTERNO - SCI GERÊNCIA DE AÇÃO PREVENTIVA - GEAP COORDENAÇÃO DE AÇÃO PREVENTIVA - COAP MANUAL DE FISCALIZAÇÃO DA LIQUIDAÇÃO DE DESPESA (MFLD) GOIÂNIA, JULHO DE 2009 1ª EDIÇÃO

Leia mais

CADERNO DE COMPRAS E LICITAÇÕES

CADERNO DE COMPRAS E LICITAÇÕES 2010 PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO DIRETORIA DE COMPRAS E LICITAÇÕES CADERNO DE COMPRAS E LICITAÇÕES 1. OBJETIVO Este manual tem por objetivo esclarecer as questões

Leia mais

Acompanhamento e Execução de Projetos

Acompanhamento e Execução de Projetos Acompanhamento e Execução de Projetos Manual do Usuário Atualizado em: 28/11/2013 Página 1/24 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ABRANGÊNCIA DO SISTEMA... 3 3. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 4. COMO ACESSAR O SISTEMA...

Leia mais

QUESTÃO 1: O que é e quais seriam as principais funções do SIAFI? Indicação da página do módulo onde este assunto é apresentado: 10 a 71

QUESTÃO 1: O que é e quais seriam as principais funções do SIAFI? Indicação da página do módulo onde este assunto é apresentado: 10 a 71 AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Gestão Pública DISCIPLINA: Finanças Públicas ALUNO(A): Duguay Andrade MATRÍCULA: 52084 Brunow NÚCLEO REGIONAL: Rio de DATA: 29/08/2013 Janeiro QUESTÃO 1: O que

Leia mais

II SECOFEM. Módulo 17 Operações de crédito - Procedimentos de instrução dos pedidos de análise dirigidos ao Ministério da Fazenda MF

II SECOFEM. Módulo 17 Operações de crédito - Procedimentos de instrução dos pedidos de análise dirigidos ao Ministério da Fazenda MF Subsecretaria de Relações Financeiras Intergovernamentais (SURIN) Coordenação-Geral de Operações de Crédito de Estados e Municípios (COPEM) II SECOFEM Módulo 17 Operações de crédito - Procedimentos de

Leia mais

SUBCONVENIAMENTO. Perfil Convenente/Subconveniado

SUBCONVENIAMENTO. Perfil Convenente/Subconveniado MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios SICONV SUBCONVENIAMENTO Perfil Convenente/Subconveniado

Leia mais