JOSÉ VIDAL LAGHI D/SP. Coord. Adjunto Contrato CREA/UF. Data T.C. N 005-EG/2008/0025. Sítio. Tipo / Especificação do documento

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JOSÉ VIDAL LAGHI 5.060.044.179-D/SP. Coord. Adjunto Contrato CREA/UF. Data T.C. N 005-EG/2008/0025. Sítio. Tipo / Especificação do documento"

Transcrição

1 02 EM RESPOSTA A ATA DE REUNIÃO DO DIA 18/03 MAR/2011 JOSÉ LAGHI SÉRGIO PRIORI JOSÉ LAGHI 01 CONFORME SOLICITAÇÃO DA FISCALIZAÇÃO MAR/2011 JOSÉ LAGHI SÉRGIO PRIORI JOSÉ LAGHI 00 EMISSÃO INICIAL OUT/2010 JOSÉ LAGHI SÉRGIO PRIORI JOSÉ LAGHI Rev. Modificação Data Elaborado Verificado Aprovado atp engenharia Coordenador de Projeto CREA / UF Autor do Proj. / Resp. Técnico CREA / UF Co-autor CREA / UF JOSÉ LAGHI D/SP JOSÉ THEODÓZIO D/SP Coordenador do Contrato CREA/UF JOSÉ VIDAL LAGHI D/SP Coord. Adjunto Contrato CREA/UF SÉRGIO PRIORI Desenhista D/PE SARAH K. DIAS D/AM-RR PATRÍCIA CORTEZ D/PE LANA FORONDA D/AM MARCELO FIGUEIREDO D/PE Número Conferido CREA/UF Escala Data T.C. N 005-EG/2008/0025 JOSÉ VIDAL LAGHI D/SP SEM ESCALA OUT/2010 Escala Data SEM OUT/2010 ESCALA Fiscal do Contrato REJAINA LÚCIA ABREU SARAIVA MATRÍCULA N Desenhista RUBRICA Sítio AEROPORTO INTERNACIONAL EDUARDO GOMES / MANAUS Área do sítio TERMINAL DE PASSAGEIROS TPS I Especialidade / Subespecialidade ESTRUTURA / ESTRUTURAS METÁLICAS Tipo / Especificação do documento MEMORIAL DESCRITIVO Fiscal Técnico CREA / UF Tipo de obra AMPLIAÇÃO/REFORMA Classe geral do projeto PROJETO BÁSICO Gestor do Contrato ADELCIO CORRÊA GUIMARÃES FILHO MATRICULA N Termo de Contrato Nº. 005-EG/2008/0025 Rubrica Substitui a Substituída por EG. 06 / / / 01 EG. 06 / / / 02 Codificação EG. 06 / / / 02

2 INFRAERO EG. 06/301.75/03941/02 2/14 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO OBJETIVO NORMAS ESTRUTURAS DE METÁLICAS CONCLUSÃO...14

3 INFRAERO EG. 06/301.75/03941/02 3/14 1. APRESENTAÇÃO O Consócio ATP Engenharia e LAGHI Engenharia apresenta à Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária INFRAERO, o Relatório de Especificações Técnicas do Projeto Básico de Estruturas, referente à reforma/ampliação do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes Manaus AM.

4 INFRAERO EG. 06/301.75/03941/02 4/14 2. OBJETIVO O presente Memorial Descritivo tem como objetivo apresentar justificativas técnicas das soluções estruturais adotadas para adequação das estruturas metálicas de coberta para suporte das telhas autoportantes e dos respectivos objetos das estruturas, como terminais de embarque e cobertas metálicas; assim como as Normas a serem atendidas na elaboração do projeto das estruturas metálicas, em atendimento à etapa do Projeto Básico.

5 INFRAERO EG. 06/301.75/03941/02 5/14 3. NORMAS NBR 6120 / 1980: Cargas para Cálculo de Estruturas de Edificações Procedimentos; NBR / 1995: Princípios Gerais de Representação em Desenho Técnico; NBR 6123 / 1988: Forças Devidas ao Vento em Edificações; NBR 8800 / 2008 Projeto de Estruturas de aço e de estruturas mistas aço e concreto de edifícios; NBR 7007 / 2002 Aços-carbono e Microligados para Uso Estrutural e Geral; NBR 8261 / 1983 Perfil Tubular de aço carbono, formado a frio, com e sem costura, de seção circular, quadrada ou retangular para uso estrutural; NBR Perfis estruturais de aço formados a frio; NBR Dimensionamento de estruturas de aço constituídas por perfis formados a frio; NBR Chumbadores instalados em elementos de concreto ou alvenaria - Determinação de resistência a tração e ao cisalhamento; AWS D1.1/92 - American Welding Society CBCA - Manuais de Construção em Aço - Centro Brasileiro da Construção em Aço Vol. 1 a 16;

6 INFRAERO EG. 06/301.75/03941/02 6/14 4. ESTRUTURAS METÁLICAS 4.1. COBERTA PRINCIPAL (Eixos H /I 04/00). Para a edificação em questão, adotaremos o uso de estruturas metálicas treliçadas e arqueadas de forma a respeitar o arqueamento solicitado pelo projeto de arquitetura, este arqueamento devera ser também respeitado pelas telhas de chapa de aço galvanizadas, de forma a estrutura servir apenas de apoio para a mesma. assim transmitindo as cargas para a estrutura do prédio existente através dos arcos treliçados e das peças de apoio a estrutura. Fora solicitado pela cliente a utilização da telha em chapa galvanizada autoportante calandrada, que deve-ser fornecer todos os dados para averiguação do suporte da estrutura para maiores detalhamento das mesmas. Assim sendo toda a coberta e estrutura contida neste documento ainda devera supor os detalhes da coberta autoportante que devera vir os detalhes do fabricante. Para o suporte da coberta principal deveram ser utilizadas treliças compostas de perfis de alma cheia conforme projeto de forma a facilitar uma possível e necessária manutenção futura e assim também podendo facilitar a execução da telha autoportante exigida no projeto arquitetônico. Fora solicitado uma estrutura pintada com pintura de tinta a base epóxi de forma a garantir a proteção anti corrosiva nas estruturas metálicas de coberta, garantir o acabamento e a proteção necessária para região; lembrando que todo e qualquer elemento de coberta que for inserido neste projeto de coberta devera ser isolado das estruturas existentes. Isto visto para evitar uma oxidação galvânica devido ao diferente tipo de materiais e assim os diferentes tipos de potencias eletromagnéticos, sendo assim toda as telhas galvanizadas autoportantes deveram ser isoladas através de fitas apropriadas de acordo com especificação dos fabricantes de forma a garantir o isolamento dos elementos. As estruturas de coberta iram apoiar em pilares de concreto existentes ou a serem construído, em concreto armado, pois estaremos contando com a rigidez deste pilar para a estabilidade da coberta metálica. Os reforços dos pilares existentes, caso seja necessário, deveram constar no projeto de estruturas de concreto armado. Caso sendo necessário o reforço dos pilares; os novos pilares a serem executados deveram ser calculados para tal e ainda algumas das cobertas deveram ser presas nas estruturas de concreto existentes; como vigas que deveram ser verificadas no local devida à falha nos

7 INFRAERO EG. 06/301.75/03941/02 7/14 projetos de levantamento que podem existir, e ainda os pilares de aço que também podem servir de apoio a estrutura. Observando que todas as estruturas são de suporte para as telhas autoportantes, que deveram ser detalhadas pelo fabricante e assim todos os detalhamentos de arremates e de calhas para a instalação dos projetos de escoamento de águas pluviais; de forma a levar em consideração o grande plano de coleta de água para a coberta metálica. Lembrando que todo o projeto devera ter suas medidas confirmadas pelo fabricante e para que o mesmo venha a efetuar o detalhamento das estruturas de forma a melhor execução observada pelo fabricante; observando aqui assim os detalhes de montagem, fabricação, içamento, escoramento, segurança do trabalho e sempre utilizando para suporte dos perfis a carga máxima de suporte dos perfis metálicos COBERTA CURVA DA VIA DE EMBARQUE (Marquise Arqueada e Principal). Projeto que faz parte da coberta e marquise de entrada do embarque, é composto de uma coberta curva, em balanço sucessivo, e que faz parte das duas ancas da coberta, e a coberta principal que também é uma coberta arqueada; só que para uma melhor verificação da estrutura e um melhor estilo e assim respeitando o projeto arquitetônico, foi colocada a estrutura de apoio para a telha autoportante de forma a utilizar perfis de alma cheia de forma a manter assim os cantos livre para uma melhor manutenção dos elementos de coberta. Primeiramente a coberta inferior que e composta de um arco em balanços sucessivos de forma a manter a estabilidade; e assim sendo apoiado em um pilar metálico que devera ser revestido de acordo com a solicitação do projeto arquitetônico, e toda a telha a ser utilizada sobre a coberta devera ser conforme projeto arquitetônico, telha autoportante conforme especificação do arquiteto e do fabricante. Todos os perfis deverão ser calandrados a frio sem a presença de calor de forma não trazer esforços não existentes na peça, para poder fazer a conformação desejada pelo arquiteto. A estrutura da coberta principal do embarque também será composta de vigas arqueadas de forma a vencer o vão e transmitir os esforços as pilares de concreto existente; sendo assim a curvatura dada ao perfil também será a frio de forma a manter as melhores propriedades dos perfis, sem trazer para os mesmos, tensões resíduas. A marquise existente devera e será atirantada nos perfis curvos de forma a poder manter a estabilidade das peças. Sendo assim todas as peças deveram também passar pela

8 INFRAERO EG. 06/301.75/03941/02 8/14 verificação do fabricante da telha para averiguação de choques da estrutura de suporte com os detalhes de fixação da telha autoportante e a estrutura de coberta. A marquise central devera ser composta de treliças planas e ainda com detalhe de a treliça da platibanda realizar um arco que o mesmo devera ser arqueado de acordo com marcações no projeto arquitetônico. Fora solicitado uma estrutura pintada, com pintura de tinta a base epóxi, garantir a proteção anti corrosiva nas estruturas metálicas de coberta, garantir o acabamento e a proteção necessária para região; lembrando que todo e qualquer elemento de coberta que for inserido neste projeto de coberta devera ser isolado das estruturas existentes. Isto visto para evitar uma oxidação galvânica devido ao diferente tipo de materiais e assim os diferentes tipos de potencias eletromagnéticos, sendo assim todas as telhas galvanizadas autoportantes, deveram ser isoladas através de fitas apropriadas de acordo com especificação dos fabricantes de forma a garantir o isolamento dos elementos. Lembrando que todo o projeto devera ter suas medidas confirmadas pelo fabricante antes da fabricação e para que o mesmo venha a efetuar o detalhamento das estruturas, de forma a melhor execução observada pelo fabricante; observando aqui sim os detalhes de montagem, fabricação, içamento, escoramento, segurança do trabalho e sempre utilizando para suporte dos perfis a carga máxima de suporte dos perfis metálicos MARQUISE FRONTAL H -B / B-H (4-2 ). Objeto do projeto da marquise frontal apoiada em um pilar de concreto existente e um pilar metálico a ser instalado no local e ainda com um trecho em balanço de acordo com projeto arquitetônico. Toda esta área de coberta será coberta com telha LR ZIP perfilor de forma a ser uma telha inteira sem emendas para garantir a estanqueidade da cobertura. Conforme arquitetura fora colocada a coberta em treliças planas de forma a ter o suporte para as telhas zipadas, de forma a garantir à estabilidade e segurança da coberta. Fora ainda adotado a calha no centro conforme solicitação arquitetônica, mesmo assim tendo que garantir que todas as treliças principais tenham que ser coberta com rufos metálicos para garantir a estanqueidade da coberta como todo. Fora utilizado todo contraventamento da estrutura para garantir a estabilidade lateral das treliças planas que servem de suporte para a telha e ainda fora colocada uma platibanda na fachada frontal conforme solicitação da arquitetura.

9 INFRAERO EG. 06/301.75/03941/02 9/14 Fora utilizado perfis de alma cheia para execução da treliça devido ao grande esforço nas peças devido ao balanço de grande extensão assim sendo deixando também uma treliça mais limpa e de fácil manutenção para o futuro caso a mesma necessite de manutenção. Fora solicitado uma estrutura pintada com pintura de tinta a base epóxi de forma a garantir a proteção anti corrosiva nas estruturas metálicas de coberta, garantir o acabamento e a proteção necessária para região, lembrando que todo e qualquer elemento de coberta que for inserido neste projeto de coberta devera ser isolado das estruturas existentes. Isto visto para evitar uma oxidação galvânica devido ao diferente tipo de materiais e assim os diferentes tipos de potencias eletromagnéticos, sendo assim toda as telhas galvanizadas autoportantes deveram ser isoladas através de fitas apropriadas de acordo com especificação dos fabricantes de forma a garantir o isolamento dos elementos. Lembrando que todo o projeto devera ter suas medidas confirmadas pelo fabricante antes da fabricação e para que o mesmo venha a efetuar o detalhamento das estruturas de forma a melhor execução observada pelo fabricante. Observando aqui assim os detalhes de montagem, fabricação, içamento, escoramento, segurança do trabalho e sempre utilizando para suporte dos perfis a carga máxima de suporte dos perfis metálicos CONECTORES DE EMBARQUE P -M (6-7). Estrutura do suporte para o piso do conector de embarque fora feito com base em uma viga em balanço de alma cheia e variável de forma a garantir a estabilidade das peças e assim poder dar suporte para o piso a ser colocado para o embarque. Fora então adotado um perfil de alma cheia a ser feito de chapas soldadas e assim fixados nos pilares de concreto existentes, de forma que possamos utilizar a existência dos perfis e assim o nivelamento do pilares existentes no local. Sendo utilizada para laje a forma de aço colaborante, conhecida como steel deck, pois não ira precisar de escoramento facilitando na montagem e na execução da obra com os locais funcionando; e ainda mesmo não fora considerado com vigas mistas, então a laje não contabiliza para o travamento da estrutura sendo apenas uma laje de sobre posição as vigas de suporte, assim sendo considerada de fácil execução e de rápida elaboração. Fora solicitado uma estrutura pintada com pintura de tinta a base epóxi de forma a garantir a proteção anti corrosiva nas estruturas metálicas de coberta de forma a garantir o acabamento e a proteção necessária para região, lembrando que todo e qualquer elemento de coberta que for inserido neste projeto de coberta devera ser isolado das estruturas existentes, isto visto para evitar uma oxidação galvânica devido ao diferente

10 INFRAERO EG. 06/301.75/03941/02 10/14 tipo de materiais e assim os diferentes tipos de potencias eletromagnéticos, sendo assim toda as telhas galvanizadas autoportantes deveram ser isoladas através de fitas apropriadas de acordo com especificação dos fabricantes de forma a garantir o isolamento dos elementos. Lembrando que todo o projeto devera ter suas medidas confirmadas pelo fabricante antes da fabricação e para que o mesmo venha a efetuar o detalhamento das estruturas, de forma a melhor execução observada pelo fabricante. Observando aqui assim os detalhes de montagem, fabricação, içamento, escoramento, segurança do trabalho e sempre utilizando para suporte dos perfis a carga máxima de suporte dos perfis metálicos RAMPAS DE ACESSO INTERNO. Rampas de acessibilidade foram colocadas com rampa de acesso e de deslocamento de pessoas. Assim foi adotado como piso para esta estrutura, um piso em chapa xadrez antiderapante, de forma que não ofereça riscos ao utilizastes a mesma, são no total de 4 rampas de acesso para utilização de acesso a pessoas internas. Assim foi utilizado perfis de alma cheia de fácil execução de fácil manutenção e limpeza, já que será uma área que ficara em local visível e de fácil acesso para manutenção e limpeza. Fora colocado piso anti-derapante de forma a não ter problemas com a acessibilidade e assim também respeitando a inclinação do projeto arquitetônico, que devera estar seguindo a lei de acessibilidade para aceso de pessoas através de rampas. Toda a estrutura estará fixada no piso existente e em pilares existentes no local através de encetes colados com cola a base epóxi de forma a garantir a estabilidade de todos. Todas as fixações deveram ser observadas em local devido a não confiabilidade do projeto de levantamento feito no local. Para tanto devera ser verificada ainda a forma de apoio na laje existente e ainda das vigas inferiores de concreto de forma na não comprometer a estrutura existente no local, nem o reforço que nela venha a existir. Foi ainda considerada uma viga de apoio em chapa dobrada conforme detalhe arquitetônico de forma a servir de apoio geral para rampa, todo detalhamento dessa viga de apoio fora sugerido e respeitado do projeto arquitetônico, sendo de extrema importância que isto seja respeitado. Fora solicitado uma estrutura pintada com pintura de tinta a base epóxi de forma a garantir a proteção anti corrosiva nas estruturas metálicas de coberta, de forma a garantir o acabamento e a proteção necessária para região, lembrando que todo e qualquer elemento de coberta que for inserido neste projeto de coberta devera ser isolado das estruturas existentes, isto visto para evitar uma oxidação galvânica devido ao diferente tipo de materiais e assim os diferentes tipos de potencias

11 INFRAERO EG. 06/301.75/03941/02 11/14 eletromagnéticos, sendo assim toda as telhas galvanizadas autoportantes deveram ser isoladas através de fitas apropriadas de acordo com especificação dos fabricantes de forma a garantir o isolamento dos elementos. Lembrando que todo o projeto devera ter suas medidas confirmadas pelo fabricante antes da fabricação e para que o mesmo venha a efetuar o detalhamento das estruturas, de forma a melhor execução observada pelo fabricante. Observando aqui assim os detalhes de montagem, fabricação, içamento, escoramento, segurança do trabalho e sempre utilizando para suporte dos perfis a carga máxima de suporte dos perfis metálicos COBERTA AMPLIAÇÃO. Área nova da ampliação da estrutura feita toda em concreto armado estruturado com pilares de concreto que deveram subir para pegar a estrutura metálica de coberta. A estrutura metálica de coberta e composta de treliças planas apoiadas sobre os pilares de concreto que deveram se fixadas com Chumbadores químicos apos a concretagem dos mesmos. A coberta e composta de telha autoportantes que deveram ser fixadas conforme especificação do fabricante das telhas e assim também deveram vir com todos os detalhes executivos de forma avaliar os detalhes de fixação para não entra em desacordo com a estrutura metálica de coberta e de suporte das telhas. O fabricante da telha devera também fornecer os detalhes das calhas e dos rufos metálicos a serem colocados na coberta já que as telhas autoportantes deveram ser fornecidas completas com todos os detalhes de fixação e de suporte a águas pluviais COBERTA CAPELA. Para a edificação em questão, adotaremos o uso de estruturas metálicas com um arco feito em perfil calandrado de forma a respeitar o arco solicitado pela arquitetura que consiste em apoios na laje existente e em um pilar na outra parede com console para apoio do arco. Fora utilizada aqui, parte do carregamento com telhas comuns, ainda aqui existe um forro feito em cipó que fora levando em consideração e ainda um revestimento de cipó também que ficara sobre a telha que também deve ser levado em consideração para instalação do projeto.

12 INFRAERO EG. 06/301.75/03941/02 12/14 Ainda na área da capela fora feito uma área que foi chamada de aquário. Que foi composta de um aquário todo de vidro com suporte para paredes de vidro e coberta para o mesmo, no projeto de arquitetura mostra uma serie de tubos para simulação de uma floresta como arvores; tais tubos devem ser explicados na arquitetura, pois iram funcionar como meramente estéticos não iram contribuir nada na estrutura, então os mesmos deveram vir na planta escrita da arquitetura. Por ultimo a coberta da área da capela que será composta de telha autoportantes como todas as demais cobertas do aeroporto, que ficara sobre duas treliças planas compostas por perfis Gerdau Açominas que serviram de exclusivo apoio para as telhas. Para o suporte da coberta principal deveram ser utilizadas treliças compostas de perfis de alma cheia conforme projeto de forma a facilitar uma possível e necessária manutenção futura e assim também podendo facilitar a execução da telha autoportantes exigida no projeto arquitetônico COBERTA DESEMBARQUE REMOTO. Para a edificação em questão, adotaremos o uso de estruturas metálicas compostas por vigas de alma cheia, de forma a tornar a manutenção do mesmo, caso seja necessário, de fácil função; ainda utilizamos conforme projeto de arquitetura a coberta devera ser atirantada na parede da ampliação conforme o projeto de estrutura de concreto. Utilizamos aqui telha tipo PERFILOR para utilização das cargas para as terças e ainda utilizado um forro leve para execução da obra, assim a coberta devera ser apoiada em um pilar existente nas extremidades da coberta e também no tirante a ser instalado na parede externa do galpão de ampliação. Para o suporte da coberta principal deveram ser utilizadas treliças compostas de perfis de alma cheia conforme projeto de forma a facilitar uma possível e necessária manutenção futura e assim também podendo facilitar a execução da telha autoportantes exigida no projeto arquitetônico 4.9. COBERTA ESTACIONAMENTO. Para a edificação em questão, adotaremos o uso de estruturas metálicas compostas por vigas de alma cheia, de forma a tornar a manutenção de maiores facilidade, já que a mesma ficara a mostra e do lado externo do prédio. Ainda assim fora levando em consideração à coberta em telhas autoportantes no sentido inverso a queda do perfil conforme arquitetura e assim tendo que observar bem a

13 INFRAERO EG. 06/301.75/03941/02 13/14 execução das calhas e dos rufos dos perfis devido ao formado e a posição que devera ser colocado o sentido das telhas autoportantes Suporte para Forro dos Conectores Para a edificação em questão, adotaremos o uso de estruturas metálicas compostas por vigas de alma cheia, realizando uma grelha em estrutura para utilizar como suporte do forro que deve ser detalhado na arquitetura. Esta grelha a ser instalada deverá servir de suporte para toda a carga do forro e das devidas instalações a ser\em carregadas sobre o mesmo, assim foi levado em consideração as cargas de iluminação que vierem a ser colocados sobre o mesmo, a carga do forro propriamente dito, e as cargas das tubulações do ar-condicionados que poderão ser presas na grelha de suporte do forro de forma a respeitar o projeto de arquitetura detalhado Marquise Lateral. Para a edificação em questão, adotaremos o uso de estruturas metálicas compostas por vigas de alma cheia de forma a realizar o formato da marquise, o mesmo devera ser fixado na estrutura de concreto existente para poder realizar o balanço da marquise; todo o acabamento e revestimento da marquise devem seguir projeto arquitetônico com telha perfilor Piso Elevado Para a edificação em questão, adotaremos o uso de estruturas metálicas conforme mezanino metálico de apoio sobre laje existentes sendo assim todos os pilares de execução do piso pode ser colado sobre o piso para não ter de efetuar furações; e o mezanino com piso em painel wall conforme especificação do projeto arquitetônico e utilizando uma sobre carga de multidão, para acesso público. Fora também adotado um piso diferente para a escadaria devido a ser um piso anti derrapante, por este motivo se utilizou a chapa Xadrez para o piso da escadaria de forma a garantir a segurança do público em geral.

14 INFRAERO EG. 06/301.75/03941/02 14/14 5. CONCLUSÃO Diante do exposto, solicitamos que durante a execução sejam atendidos os procedimentos, as especificações e os padrões de qualidade descritos nesse relatório, referente ao projeto básico. Não havendo modificações, adotaremos as orientações deste documento para elaboração do Projeto Executivo da especialidade Estrutura, subespecialidades Estruturas Metálicas. José Vidal Laghi Engenheiro Civil CREA D/SP

02 EM RESPOSTA A ATA DE REUNIÃO DO DIA 18/03 MAR/2011 JOSÉ LAGHI SÉRGIO PRIORI JOSÉ LAGHI

02 EM RESPOSTA A ATA DE REUNIÃO DO DIA 18/03 MAR/2011 JOSÉ LAGHI SÉRGIO PRIORI JOSÉ LAGHI 02 EM RESPOSTA A ATA DE REUNIÃO DO DIA 18/03 MAR/2011 JOSÉ LAGHI SÉRGIO PRIORI JOSÉ LAGHI 01 CONFORME SOLICITAÇÃO DA FISCALIZAÇÃO MAR/2011 JOSÉ LAGHI SÉRGIO PRIORI JOSÉ LAGHI 00 EMISSÃO INICIAL OUT/2010

Leia mais

01 RESPONDENTO ATA DE REUNIÃO MAR/2010 MA DE JT 00 EMISSÃO INICIAL MAR/2010 MA DE JT Rev. Modificação Data Elaborado Verificado Aprovado

01 RESPONDENTO ATA DE REUNIÃO MAR/2010 MA DE JT 00 EMISSÃO INICIAL MAR/2010 MA DE JT Rev. Modificação Data Elaborado Verificado Aprovado 01 RESPONDENTO ATA DE REUNIÃO MAR/2010 MA DE JT 00 EMISSÃO INICIAL MAR/2010 MA DE JT Rev. Modificação Data Elaborado Verificado Aprovado atp engenharia Coordenador de Projeto CREA / UF Autor do Proj. /

Leia mais

Autor do Proj. / Resp. Técnico CREA /UF ENG DARCIO BENJAMIN REIS 425 D/PE. Coordenador Adjunto do Contrato CREA/UF. Sítio

Autor do Proj. / Resp. Técnico CREA /UF ENG DARCIO BENJAMIN REIS 425 D/PE. Coordenador Adjunto do Contrato CREA/UF. Sítio 02 REVISÃO CONF. COMENTÁRIOS 28/02/2011 DÁRCIO REIS CLÁUDIO JOSÉ L. V. LAGHI 01 REVISÃO GERAL 12/01/2011 DÁRCIO REIS CLÁUDIO JOSÉ L. V. LAGHI 00 EMISSÃO INICIAL 30/08/2010 DÁRCIO REIS CLÁUDIO JOSÉ L. V.

Leia mais

ENG. MAURICIO MELLO. Coord. Adjunto Contrato ARQ. LILIANA LASALVIA ENG. MAURICIO MELLO. Sítio. Área do sítio GERAL. Especialidade / Subespecialidade

ENG. MAURICIO MELLO. Coord. Adjunto Contrato ARQ. LILIANA LASALVIA ENG. MAURICIO MELLO. Sítio. Área do sítio GERAL. Especialidade / Subespecialidade 1 ATENDENDO AO RAT 414MF1/DEPE (PETP-2)/10 28/05/2010 MJDM EKN WV 0 EMISSÃO INICIAL 12/2/2010 MJDM EKN WV Rev Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo Coord. de Projeto CREA / UF Autor do Projeto/Resp

Leia mais

Autor do Proj. / Resp. Técnico CREA / UF. Coord. Adjunto Contrato. Data TC Nº 005-EG/2008/0025. Sítio

Autor do Proj. / Resp. Técnico CREA / UF. Coord. Adjunto Contrato. Data TC Nº 005-EG/2008/0025. Sítio 02 REVISÃO MARÇO/2011 DARCIO REIS RENATO PEREIRA JOSÉ LAGHI 01 ATA REVISÃO DE PROJETO DE 28/02/2011 FEV./2011 DARCIO REIS RENATO PEREIRA JOSÉ LAGHI 00 EMISSÃO INICIAL NOV./2010 DARCIO REIS RENATO PEREIRA

Leia mais

2 ATENDENDO RAT 427FA1-GTFZ-2012 25/7/12 MGB LSR WV 1 ATENDENDO A CF Nº 8872/GTFZ/11 29/07/11 MGB LSR WV 0 EMISSÃO INICIAL 04/03/11 MGB PK WV

2 ATENDENDO RAT 427FA1-GTFZ-2012 25/7/12 MGB LSR WV 1 ATENDENDO A CF Nº 8872/GTFZ/11 29/07/11 MGB LSR WV 0 EMISSÃO INICIAL 04/03/11 MGB PK WV 2 ATENDENDO RAT 427FA1-GTFZ-2012 25/7/12 MGB LSR WV 1 ATENDENDO A CF Nº 8872/GTFZ/11 29/07/11 MGB LSR WV 0 EMISSÃO INICIAL 04/03/11 MGB PK WV Rev. Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo Coordenador

Leia mais

Steel frame - cobertura (última parte)

Steel frame - cobertura (última parte) Página 1 de 8 Steel frame - cobertura (última parte) A cobertura destina-se a proteger as edificações da ação das intempéries. Pode ser vista também como um dos elementos de importância estética do projeto,

Leia mais

Rev. Modificação Data Elaborado Verificado Aprovado. Autor do Proj. / Resp. Técnico CREA / UF. Coord. Adjunto Contrato. Sítio.

Rev. Modificação Data Elaborado Verificado Aprovado. Autor do Proj. / Resp. Técnico CREA / UF. Coord. Adjunto Contrato. Sítio. 01 Conforme ATA de Reunião do dia 24/02/11 - EGNR 10/03/2011 ANTONIO P. ANTONIO ALVES JOSÉ LAGHI 00 Emissão inicial 31/08/2010 ANTONIO P. ANTONIO ALVES JOSÉ LAGHI Rev. Modificação Data Elaborado Verificado

Leia mais

Autor do proj. / resp. Técnico. Coordenador Adjunto do Contrato. Karla Alessandra Carriço Henrique Alexandre F Silva. Sítio

Autor do proj. / resp. Técnico. Coordenador Adjunto do Contrato. Karla Alessandra Carriço Henrique Alexandre F Silva. Sítio 02 Atendendo solicitação RAT-09/03/12. FEV/2012 JAQUELINE KARLA CARRIÇO JOSÉ L. V. LAGHI 01 Atendendo solicitação RAT / alteração na arquitetura. 07/02/2012 JAQUELINE KARLA CARRIÇO JOSÉ L. V. LAGHI 00

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: PONTE MISTA DE 18,00M DE COMPRIMENTO E 4,20M DE LARGURA

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: PONTE MISTA DE 18,00M DE COMPRIMENTO E 4,20M DE LARGURA MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: PONTE MISTA DE 18,00M DE COMPRIMENTO E 4,20M DE LARGURA LOCAL: PONTE DOS CÓRREGOS. OBJETIVO: O Objetivo principal deste Memorial é demonstrar e descrever todas e quaisquer informações

Leia mais

GLOBO ENGENHARIA E ARQUITETURA SOLUÇÕES INTEGRADAS

GLOBO ENGENHARIA E ARQUITETURA SOLUÇÕES INTEGRADAS 2 APROV. RAT C08MVA-1/EPPI-1/11 DEZ/2011 GLOBO ENG. EQUIPE GLOBO 1 REVISÃO RAT 815MVA-2/PEPI-1/11 SET/2011 GLOBO ENG. EQUIPE GLOBO 0 EMISSÃO INICIAL JUL/2011 GLOBO ENG. EQUIPE GLOBO Rev. Modificação Data

Leia mais

02 REVISÃO 26.06.2013 Eng. Bruno Moreno Campos

02 REVISÃO 26.06.2013 Eng. Bruno Moreno Campos 02 REVISÃO 26.06.2013 Eng. Bruno Moreno Campos 01 REVISÃO 10.06.2009 Eng. Rommel / 26600/D-MG 00 EMISSÃO INICIAL, ATUALIZAÇÕES E SUBST.: GE.01/435.75/00894/02 21.08.2008 Eng. Rommel / 26600/D-MG Rev. Modificação

Leia mais

TRANSPORTE COLETIVO URBANO

TRANSPORTE COLETIVO URBANO TRANSPORTE COLETIVO URBANO ABRIGOS PARA PONTOS DE PARADA PROJETO ARQUITETÔNICO Julho 2007 PARADAS DE ÔNIBUS Memorial Justificativo A proposta é a construção de mobiliário urbano para abrigo da população

Leia mais

( Curso Dimensionamento de Estruturas de Aço CBCA módulo 3)

( Curso Dimensionamento de Estruturas de Aço CBCA módulo 3) GALPÕES (Projeto proposto) A ligação mais imediata que se faz da palavra galpão é com o uso industrial. No entanto galpões podem ser usados para as mais diversas atividades, tais como, hangares, espaços

Leia mais

Outubro de 2014 Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Catalão

Outubro de 2014 Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Catalão Memorial Descritivo Outubro de 2014 Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Catalão GALPÃO EM AÇO ESTRUTURAL ATERRO SANITÁRIO MUNICIPAL DE CATALÃO RESPONSÁVEL TÉCNICO: RAFAEL FONSECA MACHADO CREA: 18702

Leia mais

Rev. Modificação Data Autor. Especialidade: Autor: CREA / UF Rubrica. Sítio TERMINAL DE PASSAGEIROS. ELETRÔNICA / SDAI Especificação do Documento

Rev. Modificação Data Autor. Especialidade: Autor: CREA / UF Rubrica. Sítio TERMINAL DE PASSAGEIROS. ELETRÔNICA / SDAI Especificação do Documento 02 REVISÃO MAR/13 01 REVISÃO JAN/13 00 EMISSÃO INICIAL SET/12 Rev. Modificação Data Autor Especialidade: Autor: CREA / UF Rubrica 1 - Arquitetura 2 - Estruturas 3 - Hidrossanitárias 4 - Elétrica 5 - Eletrônica

Leia mais

ENGENHARIA CIVIL 5º SEMESTRE. Professora ROSELI VALLE

ENGENHARIA CIVIL 5º SEMESTRE. Professora ROSELI VALLE ENGENHARIA CIVIL 5º SEMESTRE Professora ROSELI VALLE MARINGÁ 2015 Denomina-se CONCRETO ARMADO à associação do aço ao concreto para que haja melhor resistência em determinados tipos de esforços. Fatores

Leia mais

Tabelas de Cálculo para Utilização em Estruturas de AMARU PERFILADO

Tabelas de Cálculo para Utilização em Estruturas de AMARU PERFILADO Tabelas Utilização de e em Cálculo Estrutu turas AMARU PERFILADO para de Projeto de capacitação profissional: Plantar Empreendimentos e Produtos Florestais Ltda e Montana Química S.A Tabelas de Cálculo

Leia mais

1 ATENDENDO AO RAT 414MF1/DEPE(PETP-2)/10 1/9/10 EdMN BBZ WV 0 EMISSÃO INICIAL 12/2/10 EdMN BBZ WV Rev Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo

1 ATENDENDO AO RAT 414MF1/DEPE(PETP-2)/10 1/9/10 EdMN BBZ WV 0 EMISSÃO INICIAL 12/2/10 EdMN BBZ WV Rev Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo 1 ATENDENDO AO RAT 414MF1/DEPE(PETP-2)/10 1/9/10 EdMN BBZ WV 0 EMISSÃO INICIAL 12/2/10 EdMN BBZ WV Rev Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo Coord. de Projeto Autor do Projeto/Resp técnico Co-Autor

Leia mais

GE.01/202.75/00889/01 GERAL GERAL ARQUITETURA / URBANISMO INFRAERO GE.01/202.75/00889/01 1 / 6 REVISÃO GERAL 07.07.05 ARQ. CLAUDIA

GE.01/202.75/00889/01 GERAL GERAL ARQUITETURA / URBANISMO INFRAERO GE.01/202.75/00889/01 1 / 6 REVISÃO GERAL 07.07.05 ARQ. CLAUDIA INFRAERO GE.01/202.75/00889/01 1 / 6 01 REVISÃO GERAL 07.07.05 ARQ. CLAUDIA REV. M O D I F I C A Ç Ã O DATA PROJETISTA DESENHISTA APROVO Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária ESCALA DATA

Leia mais

2 Sistema de Lajes com Forma de Aço Incorporado

2 Sistema de Lajes com Forma de Aço Incorporado 2 Sistema de Lajes com Forma de Aço Incorporado 2.1. Generalidades As vantagens de utilização de sistemas construtivos em aço são associadas à: redução do tempo de construção, racionalização no uso de

Leia mais

Construção do 2º andar sobre a recepção da AEAARP

Construção do 2º andar sobre a recepção da AEAARP Construção do 2º andar sobre a recepção da AEAARP 2ª Semana de Tecnologia da Construção Abril 2011 1 1-) Premissas Construtivas: 1-1) Manutenção do andar existente 1-2) Executar estruturas de apoio independentes

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA abr/2006 1 de 6 COBERTURAS DIRETORIA DE ENGENHARIA. Edificações. Coberturas. PR 010979/18/DE/2006 ET-DE-K00/005

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA abr/2006 1 de 6 COBERTURAS DIRETORIA DE ENGENHARIA. Edificações. Coberturas. PR 010979/18/DE/2006 ET-DE-K00/005 ESPECIFICÇÃO TÉCNIC abr/2006 1 de 6 TÍTULO COBERTURS ÓRGÃO DIRETORI DE ENGENHRI PLVRS-CHVE Edificações. Coberturas. PROVÇÃO PROCESSO PR 010979/18/DE/2006 DOCUMENTOS DE REFERÊNCI SEP Secretaria de Estado

Leia mais

COBERTURAS. Prof. Amison de Santana

COBERTURAS. Prof. Amison de Santana COBERTURAS Prof. Amison de Santana Cobertura Funções Básicas: Proteção das partes internas das construções; Dar inclinação adequada, de acordo com o tipo de telha utilizada, para drenar águas pluviais;

Leia mais

Wood Frame CONCEITO. O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis

Wood Frame CONCEITO. O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis CONCEITO O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis estruturais capazes de resistir às cargas verticais (telhados e pavimentos), perpendiculares

Leia mais

Autor do Proj./Resp. Técnico. Coord. Adjunto Contrato. Sítio. Área do sítio GERAL. Especialidade / Subespecialidade. Tipo / Especificação do documento

Autor do Proj./Resp. Técnico. Coord. Adjunto Contrato. Sítio. Área do sítio GERAL. Especialidade / Subespecialidade. Tipo / Especificação do documento 0 EMISSÃO INICIAL 12/04/10 LSL PRSS WV Rev Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo Coordenador de Projeto Autor do Proj./Resp. Técnico Co-autor ENG. WILSON VIEIRA 060040558/SP Coordenador do Contrato

Leia mais

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados Projeto e Dimensionamento de de Estruturas metálicas e mistas de de aço e concreto MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados 1 Sistemas estruturais: coberturas

Leia mais

La Bella Città MEMORIAL DESCRITIVO. Informações Gerais: INCORPORAÇÃO IGUASSU ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA CONSTRUÇÃO

La Bella Città MEMORIAL DESCRITIVO. Informações Gerais: INCORPORAÇÃO IGUASSU ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA CONSTRUÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO La Bella Città Informações Gerais: INCORPORAÇÃO IGUASSU ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA CONSTRUÇÃO IGUASSU ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA PROJETO ARQUITETÔNICO ARQUITETA CARMEN LUCIA PEZZETTE

Leia mais

CRONOGRAMA FISICO-FINANCEIRO/MEMORIAL DESCRITIVO

CRONOGRAMA FISICO-FINANCEIRO/MEMORIAL DESCRITIVO CRONOGRAMA FISICO-FINANCEIRO/MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Construção Institucional Sede Administrativa Proprietário: FENACLUBES Federação Nacional dos Clubes Esportivos Endereço da Obra: Rua Açaí 540 Jardim

Leia mais

Autor do Proj. / Resp. Técnico CREA / UF ENGº HARUO OKAWA 0600223452/SP. Coord. Adjunto Contrato. Sítio. Área do sítio

Autor do Proj. / Resp. Técnico CREA / UF ENGº HARUO OKAWA 0600223452/SP. Coord. Adjunto Contrato. Sítio. Área do sítio 1 ATENDENDO A RAT 514CG1/PEIN-2/10 E RAT 514CG2/PEIN-2/10 27/08/2010 RAGC - WV 0 EMISSÃO INICIAL 31/03/2010 RAGC - WV Rev. Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo Coordenador de Projeto ENGº WILSON

Leia mais

ANEXO 01. Figura 1 - Planta da área a ser trabalhada. DW indica os locais a serem trabalhados com drywall.

ANEXO 01. Figura 1 - Planta da área a ser trabalhada. DW indica os locais a serem trabalhados com drywall. ANEXO 01 Sala MEV DW DW B B Figura 1 - Planta da área a ser trabalhada. DW indica os locais a serem trabalhados com drywall. 1 Figura 2 Detalhes das portas em drywall. A porta P11, destinada a acesso à

Leia mais

Anexo I. Caderno de Especificações Técnicas. Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador

Anexo I. Caderno de Especificações Técnicas. Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador Anexo I Caderno de Especificações Técnicas Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador Porto Alegre/RS 1. Considerações Gerais Antes do início de quaisquer

Leia mais

7. Projeto. 7. 1 Introdução 21/05/2015. Cobertura da Expansão do Shopping Iguatemi Fortaleza (2015) Projeto da Carpinteria Estruturas de Madeira, SP

7. Projeto. 7. 1 Introdução 21/05/2015. Cobertura da Expansão do Shopping Iguatemi Fortaleza (2015) Projeto da Carpinteria Estruturas de Madeira, SP 21/05/2015 7. Projeto www.pinterest.com Cobertura da Expansão do Shopping Iguatemi Fortaleza (2015) Projeto da Carpinteria Estruturas de Madeira, SP arcoweb.com.br 1 21/05/2015 5000 m2 A maior obra de

Leia mais

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA REFORMA E AMPLIAÇÃO DA ESCOLA MUNICIPAL PEDRO REZENDE DOS SANTOS 1 - OBJETO:

Leia mais

Introdução Objetivos Justificativa Desenvolvimento Conclusões Referências Bibliográficas

Introdução Objetivos Justificativa Desenvolvimento Conclusões Referências Bibliográficas Introdução Objetivos Justificativa Desenvolvimento Conclusões Referências Bibliográficas Sistema Misto: Denomina-se sistema misto aço-concreto aquele no qual um perfil de aço (laminado, soldado ou formado

Leia mais

Estruturas Metálicas. Módulo II. Coberturas

Estruturas Metálicas. Módulo II. Coberturas Estruturas Metálicas Módulo II Coberturas 1 COBERTURAS Uma das grandes aplicações das estruturas metálicas se dá no campo das coberturas de grande vão, especialmente as de caráter industrial. Também devido

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓREITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Fase Cód. Disciplina I II III IV V VI Matriz Curricular do curso de Engenharia Civil PréReq.

Leia mais

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Contribuição técnica nº 19 EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Autor: ROSANE BEVILAQUA Eng. Consultora Gerdau SA São Paulo, 01 de setembro de 2010. PROGRAMA Introdução Vantagens da utilização de Edifícios

Leia mais

Integração entre sistemas de cobertura metálica e estrutura de concreto em galpões. Aplicações em sistemas prémoldados

Integração entre sistemas de cobertura metálica e estrutura de concreto em galpões. Aplicações em sistemas prémoldados Integração entre sistemas de cobertura metálica e estrutura de concreto em galpões. Aplicações em sistemas prémoldados e tilt-up Vitor Faustino Pereira Engenheiro Civil Professor Adjunto UEL Sócio Diretor:

Leia mais

EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO GERÊNCIA DO MOBILIÁRIO E SINALIZAÇÃO VIÁRIA MEMORIAL DESCRITIVO PARADA SEGURA TIPO 1 PARA PASSEIO

EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO GERÊNCIA DO MOBILIÁRIO E SINALIZAÇÃO VIÁRIA MEMORIAL DESCRITIVO PARADA SEGURA TIPO 1 PARA PASSEIO MEMORIAL DESCRITIVO PARADA SEGURA TIPO 1 PARA PASSEIO SUMÁRIO: MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PLANTAS MEMORIAL DESCRITIVO 1. INTRODUÇÃO O presente projeto foi desenvolvido pela EPTC com o

Leia mais

PLANO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE EDIFICAÇÕES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE

PLANO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE EDIFICAÇÕES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE PLANO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE EDIFICAÇÕES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE 2010 PLANO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE EDIFICAÇÕES Apresentação Este plano, preparado pela União

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS HC1 PISO TÉRREO ALA B - HEMODINÂMICA HOSPITAL DE CLÍNICAS DE MARÍLIA MARÍLIA SP PROJETO: ENGEST ENGENHARIA LTDA Eng. Civil Marcos Stroppa Rua Lupércio

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Anexo I-A: Projeto Arquitetônico

MEMORIAL DESCRITIVO. Anexo I-A: Projeto Arquitetônico Fornecimento e Instalação de Brises na Fachada Oeste do Edifício Sede do MPDFT Sumário MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Projeto Arquitetônico 1.Descrição dos Serviços...2 2.Serviços Preliminares...2 2.1.Tapumes

Leia mais

HANGARES: da história à atualidade Prioridade ao aço na proteção de aviões e reaproveitamento de estrutura

HANGARES: da história à atualidade Prioridade ao aço na proteção de aviões e reaproveitamento de estrutura Edição 94 2009 ISSN 1414-6517 Publicação Especializada da ABCEM Associação Brasileira da Construção Metálica HANGARES: da história à atualidade Prioridade ao aço na proteção de aviões e reaproveitamento

Leia mais

Na mentalidade da empresa, modernizar é elevar a qualidade dos processos e produtos, consequentemente, aumentar sua competitividade no mercado.

Na mentalidade da empresa, modernizar é elevar a qualidade dos processos e produtos, consequentemente, aumentar sua competitividade no mercado. O Grupo Pedra Norte iniciou suas atividades no ano de 2009, e hoje é uma organização formada pelas unidades de negócio Pedreira Pedra Norte, Usina de Asfalto Pedra Norte, Pedra Norte Concreto e Argamassa

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO Justiça do Trabalho TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 9ª REGIÃO PARANÁ Secretaria de Engenharia e Arquitetura

PODER JUDICIÁRIO Justiça do Trabalho TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 9ª REGIÃO PARANÁ Secretaria de Engenharia e Arquitetura PODER JUDICIÁRIO Justiça do Trabalho TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 9ª REGIÃO PARANÁ Secretaria de Engenharia e Arquitetura RELATÓRIO DE MEDIÇÃO PO 57/2014 INTERVENÇÃO NO FÓRUM TRABALHISTA DE GUARAPUAVA

Leia mais

LEGENDA. TÉRREO - Acessos eixos W e L. 1º SUBSOLO - Passagem de pedestres. 2º SUBSOLO - Estação/Plataforma. Escada 01 Escada 02.

LEGENDA. TÉRREO - Acessos eixos W e L. 1º SUBSOLO - Passagem de pedestres. 2º SUBSOLO - Estação/Plataforma. Escada 01 Escada 02. LEGENDA TÉRREO - Acessos eixos W e L 1º SUBSOLO - Passagem de pedestres Escada 2 2º SUBSOLO - Estação/Plataforma Escada 1 Rampa Escada 1 Escada 2 Rebaixamento meio-fio 2 Rebaixamento meio-fio 2 Rebaixamento

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 CONTROLE DE FUMAÇA PARTE 2 CONCEITOS, DEFINIÇÕES E COMPONENTES DO SISTEMA

Leia mais

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Pág. 1 Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB Águas Lindas GO Novas Instalações Código do Projeto: 3947-11 SIA Sul Quadra 4C Bloco D Loja 37 Brasília-DF

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Reforma da Câmara Municipal de Conchas 2ª Fase

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Reforma da Câmara Municipal de Conchas 2ª Fase MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reforma da Câmara Municipal de Conchas 2ª Fase Este Memorial Descritivo tem por finalidade especificar os materiais e serviços a serem executados na REFORMA DA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE

CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE Estúdio de Arquitetura: Sustentabilidade Steel Framing Aluna: Gabriela Carvalho Ávila Maio de 2014 ÍNDICE 1 Introdução... 4 2 Sistema Ligth Steel Framing... 5 2.1

Leia mais

1. NORMAS DE PROJETO E ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMAS CONSTRUTIVOS 1.1. NORMAS QUE INCIDEM SOBRE O PROJETO DE ARQUITETURA

1. NORMAS DE PROJETO E ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMAS CONSTRUTIVOS 1.1. NORMAS QUE INCIDEM SOBRE O PROJETO DE ARQUITETURA NORMAS TÉCNICAS E QUE INCIDEM SOBRE ESPECIFICAÇÃO 1 DE 15 DESCRIÇÃO 1. NORMAS DE E ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMAS CONSTRUTIVOS 1.1. NORMAS QUE INCIDEM SOBRE O DE ARQUITETURA 1.1.1. Projeto de arquitetura

Leia mais

UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professora: Engª Civil Silvia Romfim

UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professora: Engª Civil Silvia Romfim UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professora: Engª Civil Silvia Romfim INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUAS PLUVIAIS 2 INTRODUÇÃO A água da chuva é um dos elementos

Leia mais

SISTEMAS DE TERÇAS PARA COBERTURAS E FECHAMENTOS A MBP oferece ao mercado um sistema de alto desempenho composto de Terças Metálicas nos Perfis Z e U Enrijecidos, para uso em coberturas e fechamentos laterais

Leia mais

Rev Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo. Sítio. Área do sítio

Rev Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo. Sítio. Área do sítio OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA RECUPERAÇÃO DE CERCA OPERACIONAL, IMPLANTAÇÃO DA CERCA DE SERVIDÃO, COMPLEMENTAÇÃO DA CERCA PATRIMONIAL E SERVIÇOS COMPLEMENTARES

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2

Leia mais

- - primeira qualidade de primeira 1.8 - Execução dos Serviços e Acesso à Obra

- - primeira qualidade de primeira 1.8 - Execução dos Serviços e Acesso à Obra MEMORIAL DESCRITIVO OBRA : AMPLIAÇÃO DE ESCOLA EM ALVENARIA PROPRIETÁRO: PREFEITURA MUNICIPAL DE ERECHIM - ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL CARAS PINTADAS ENDEREÇO: PARTE DA CHÁCARA NUMERO 19 LOTE

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO NORMAS GERAIS:

MEMORIAL DESCRITIVO NORMAS GERAIS: MEMORIAL DESCRITIVO INFORMAÇÕES GERAIS: OBRA: REFORMA E ADAPTAÇÃO DE P.S.F. CIDADE/UF: GOIATUBA / GO DATA: ABRIL DE 2013. UNIDADE: RECREIO DOS BANDEIRANTES (307) NORMAS GERAIS: 1. Os materiais e serviços

Leia mais

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço 1 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1685, 2º andar, conj. 2d - 01451-908 - São Paulo Fone: (11) 3097-8591 - Fax: (11) 3813-5719 - Site: www.abece.com.br E-mail: abece@abece.com.br Av. Rio Branco, 181 28º Andar

Leia mais

COMPARATIVO ENTRE MODELOS DE ESCADAS ENCLAUSURADAS EM AÇO PARA EDIFICAÇÕES Thiago Guolo (1), Marcio Vito (2).

COMPARATIVO ENTRE MODELOS DE ESCADAS ENCLAUSURADAS EM AÇO PARA EDIFICAÇÕES Thiago Guolo (1), Marcio Vito (2). COMPARATIVO ENTRE MODELOS DE ESCADAS ENCLAUSURADAS EM AÇO PARA EDIFICAÇÕES Thiago Guolo (1), Marcio Vito (2). UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense (1)thiago.guolo@outlook.com (2)marciovito@unesc.net

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PAX-PERDIZES

MEMORIAL DESCRITIVO PAX-PERDIZES MEMORIAL DESCRITIVO PAX-PERDIZES PAX_PERDIZES é composto por 1 torre residencial com 8 pavimentos com 4 unidades cada. As vagas de estacionamento estão distribuídas em 2 subsolos. O acesso ao Empreendimento

Leia mais

30/10/2014 JL NG. Data Projetista Desenhista Aprovo. Sítio: Área do sítio: Tipo/ Especificação do documento:

30/10/2014 JL NG. Data Projetista Desenhista Aprovo. Sítio: Área do sítio: Tipo/ Especificação do documento: 0 EMISSÃO INICIAL 30/10/2014 JL NG Rev. Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo Sítio: Área do sítio: AEROPORTO INTERNACIONAL PINTO MARTINS LOTE 5 - TERMINAL DE PASSAGEIROS Escala: Data: Desenhista:

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE PRÁTICAS DE ENGENHARIA SIMULTÂNEA EM EDIFÍCIOS ESTRUTURADOS EM AÇO. Silvia Scalzo Maria Alice Gonzales

IDENTIFICAÇÃO DE PRÁTICAS DE ENGENHARIA SIMULTÂNEA EM EDIFÍCIOS ESTRUTURADOS EM AÇO. Silvia Scalzo Maria Alice Gonzales IDENTIFICAÇÃO DE PRÁTICAS DE ENGENHARIA SIMULTÂNEA EM EDIFÍCIOS ESTRUTURADOS EM AÇO Silvia Scalzo Maria Alice Gonzales 1 INTRODUÇÃO: COMPETITIVIDADE NO SETOR DA CONSTRUÇÃO crescimento da concorrência entre

Leia mais

ANEXO I. Caderno de Encargos de Infra-estrutura para Implantação de Estação Remota de Radiomonitoragem - ERM

ANEXO I. Caderno de Encargos de Infra-estrutura para Implantação de Estação Remota de Radiomonitoragem - ERM ANEXO I Caderno de Encargos de Infra-estrutura para Implantação de Estação Remota de Radiomonitoragem - ERM CIDADE: VOTORANTIM/SP 1. Serviços Preliminares 1.1. Acesso Existe estrada de acesso ao local

Leia mais

INFRAERO VT.06/506.92/04740/00 2 / 5

INFRAERO VT.06/506.92/04740/00 2 / 5 REV MODIFICAÇÃO DATA PROJETISTA DESENHISTA APROVO Coordenador Contrato: Autor do Projeto Resp. Técnico: Co-Autor: MARGARET SIEGLE 4522D/ES ELISSA M. M. FRINHANI 5548/D-ES NUMERO: 200_PB.HS.AF.ET-300000

Leia mais

1/5 CO-20. Corrimão duplo intermediário. Componentes. Código de listagem. Atenção. Elaboração Data 12/06/07 Página

1/5 CO-20. Corrimão duplo intermediário. Componentes. Código de listagem. Atenção. Elaboração Data 12/06/07 Página 1/5 2/5 3/5 4/5 DESCRIÇÃO Constituintes CORRIMÃO (galvanizado a fogo e com pintura eletrostática): --Tubo de aço carbono, tipo industrial, Ø=41,27mm (1 5/8 ), e=2,5mm. CONEXÃO INTERNA (galvanizada a fogo):

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS OBRA: ESTRUTURAS METALICAS PARA COBERTURA, PASSARELAS E SUFITA.

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS OBRA: ESTRUTURAS METALICAS PARA COBERTURA, PASSARELAS E SUFITA. 1 MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFERÊNCIA: ESTRUTURA METÁLICA OBRA: ESTRUTURAS METALICAS PARA COBERTURA, PASSARELAS E SUFITA. LOCAL: UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ-PR. DESENHOS DE REFERÊNCIAS:

Leia mais

Elementos de Escoamento

Elementos de Escoamento DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II PERÍODO: 6 PROFESSORA: DÉBORA CRISTINA ALMEIDA Elementos de Escoamento André Renato Augusto César Carlos Augusto Eduardo Felipe Ivano Heleno Vicente Neto Ytallo

Leia mais

INSTALAÇÕES DE AR CONDICIONADO

INSTALAÇÕES DE AR CONDICIONADO FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE AR CONDICIONADO PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL TÉCNICO 13 de março de 2008 FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE AR CONDICIONADO MEMORIAL TÉCNICO Memória Descritiva e Justificativa

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura via física e via digital; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e

Leia mais

ANEXO I-B. Descrição dos Serviços Material Mão de Obra Quant. Unid. Unitário Total Unitário Total PAVIMENTO TÉRREO. Item. Total

ANEXO I-B. Descrição dos Serviços Material Mão de Obra Quant. Unid. Unitário Total Unitário Total PAVIMENTO TÉRREO. Item. Total ANEXO I-B PLANILHA DE PREÇOS, COM OS SERVIÇOS E MATERIAIS NECESSÁRIOS PARA A COMPLETA EXECUÇÃO DO OBJETO, DE ACORDO COM AS ESPECIFICAÇÕES DO MEMORIAL DESCRITIVO Item 1 Descrição dos Serviços Material Mão

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO BÁSICO DE ESTRUTURA METÁLICA DA COBERTURA DA PREFEITURA MUNICIPAL DE POCONÉ

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO BÁSICO DE ESTRUTURA METÁLICA DA COBERTURA DA PREFEITURA MUNICIPAL DE POCONÉ MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO BÁSICO DE ESTRUTURA METÁLICA DA COBERTURA DA PREFEITURA MUNICIPAL DE POCONÉ Autor: Eng. Civil Alan Toshiaki Sato (Crea-MT MT028846) CUIABÁ MATO GROSSO JULHO - 2015

Leia mais

Manual Técnico de Coberturas Metálicas

Manual Técnico de Coberturas Metálicas Manual Técnico de Coberturas Metálicas Coberturas Metálicas Nas últimas décadas, as telhas produzidas a partir de bobinas de aço zincado, revolucionaram de maneira fundamental, a construção civil no Brasil,

Leia mais

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS Coberturas Inclinadas de Telhado 1 de 10 1.Objectivos 1.1 A presente especificação estabelece as condições técnicas a satisfazer em coberturas inclinadas de telhado LightCob

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO FEV/2013

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO FEV/2013 RELATÓRIO FOTOGRÁFICO FEV/2013 FOTO ESTRUTURA DA GALERIA TÉCNICA FOTO ESTRUTURA DA GALERIA TÉCNICA FOTO MONTAGEM DE CUBETAS DA LAJE DO NOVO SAGUÃO FOTO MONTAGEM DE CUBETAS DA LAJE DO NOVO SAGUÃO FOTO LAJE

Leia mais

Antonio Carlos Pulido (1) & Silvana De Nardin (2)

Antonio Carlos Pulido (1) & Silvana De Nardin (2) SISTEMATIZAÇÃO DO DIMENSIONAMENTO A FLEXO-COMPRESSÃO DE PILARES MISTOS PREENCHIDOS DE SEÇÃO RETANGULAR Antonio Carlos Pulido (1) & Silvana De Nardin (2) (1) Mestrando, PPGECiv Programa de Pós-graduação

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ Associação Alphaville Mossoró Janeiro- 2014 ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS 1. PROJETOS DE REMEMBRAMENTO E / OU DESMEBRAMENTO

Leia mais

DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS MATERIAIS EMPREGADOS Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014

DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS MATERIAIS EMPREGADOS Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS MATERIAIS EMPREGADOS Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 MATERIAL CÓDIGO CONTAINER MÓDULO ESCRITÓRIO CONT 05 A 08_10_11_14 A 19 e CT 10 CONTAINER MÓDULO ESCRITÓRIO/MÓDULO HABITACIONAL

Leia mais

NORMA TÉCNICA 08/2014

NORMA TÉCNICA 08/2014 É ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 08/2014 Resistência ao fogo dos elementos de construção SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas

Leia mais

NOME 6TRU009 CONSTRUÇÕES EM CONCRETO ESTRUTURAL II CURSO ENGENHARIA CIVIL 4ª 1º 2º SEMESTRAL

NOME 6TRU009 CONSTRUÇÕES EM CONCRETO ESTRUTURAL II CURSO ENGENHARIA CIVIL 4ª 1º 2º SEMESTRAL ANO LETIVO Centro: DE TECNOLOGIA E URBANISMO Departamento: DE ESTRUTURAS 2009 PLANO DE CURSO CÓDIGO NOME 6TRU009 CONSTRUÇÕES EM CONCRETO ESTRUTURAL II CURSO ENGENHARIA CIVIL 4ª SÉRIE CARGA HORÁRIA SEM.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Getúlio Vargas RS. telhado do prédio da câmara

MEMORIAL DESCRITIVO. Getúlio Vargas RS. telhado do prédio da câmara MEMORIAL DESCRITIVO 1. DADOS GERAIS 1.1 - Proprietário: Município de Getúlio Vargas - Câmara Municipal de Vereadores Getúlio Vargas RS. 1.2 - Obra: Reforma da Sala das Sessões Eng. Firmino Girardello e

Leia mais

Concepções estruturais 1 ª aula. Professores: Nádia Forti João Carlos Rocha Braz

Concepções estruturais 1 ª aula. Professores: Nádia Forti João Carlos Rocha Braz Concepções estruturais 1 ª aula Professores: Nádia Forti João Carlos Rocha Braz Ante - Projeto O que você quer? Satisfazer as necessidades e possibilidades do cliente; Espaços; Volume; Estética. Ante -

Leia mais

Manual do Montadora. Edmundo Doubrawa Joinville SC. www.expogestao.com.br

Manual do Montadora. Edmundo Doubrawa Joinville SC. www.expogestao.com.br Manual do Montadora Edmundo Doubrawa Joinville SC www.expogestao.com.br 5 NORMAS DE MONTAGEM CHECK LIST MONTAGEM 1- Entregar Termo de Responsabilidade ORIGINAL assinado pelo expositor e pelo responsável

Leia mais

Características do Sistema

Características do Sistema Características do Sistema O emprego de lajes nervuradas nas estruturas de concreto armado ganhou grande impulso nos últimos anos graças às modernas técnicas construtivas e ao desenvolvimento dos programas

Leia mais

Prof. Dr. Marcelo Ferreira, 14/03/2012

Prof. Dr. Marcelo Ferreira, 14/03/2012 Aplicação do Concreto Pré-Moldado em Sistemas Construtivos Mistos / Híbridos Prof. Dr. Marcelo Ferreira, 14/03/2012 Concreto Pré-Moldado em Sistemas Mistos O benefício da Construção Mista Industrializada

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA REGISTRO DE INSPEÇÃO DE PROJETOS

PROJETO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA REGISTRO DE INSPEÇÃO DE PROJETOS Página 1 GRUPO RESPONSÁVEL PELA ELA- BORAÇÃO DO PROJETO: REGISTRO DE INSPEÇÃO DE PROJETOS PROJETO INSPECIONADO: DATA DA INSPEÇÃO: AUTOR DESTE CHECKLIST MARCOS LUÍS ALVES DA SILVA Sistema de instalações

Leia mais

2. O Programa. Figura 1 : Janela Principal do Programa

2. O Programa. Figura 1 : Janela Principal do Programa AUTOMAÇÃO DE PROJETOS DE TRELIÇAS METÁLICAS PLANAS Nilto Calixto Silva Aluno de Graduação ncalixto@fec.unicamp.br http://www.fec.unicamp.br/~ncalixto João Alberto Venegas Requena Professor Assistente Doutor

Leia mais

COMO CONSTRUIR UM TELHADO. Índice

COMO CONSTRUIR UM TELHADO. Índice COMO CONSTRUIR UM TELHADO Índice ÍNDICE 1 CONSTRUÇÃO DO APOIO 2 CONSTRUÇÃO DA LINHA 4 CONSTRUÇÃO DO PENDURAL 7 CONSTRUÇÃO DA EMPENA 8 CONSTRUÇÃO DA DIAGONAL 10 CONSTRUÇÃO DO CHAFUZ 11 CONSTRUÇÃO DAS TERÇAS

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME Sistema de ds A SOLUÇÃO INTELIGENTE PARA A SUA OBRA SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME www.placlux.com.br VOCÊ CONHECE O SISTEMA CONSTRUTIVO LIGHT STEEL FRAME? VANTAGENS LIGHT STEEL FRAME MENOR CARGA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 025/2009

MEMORIAL DESCRITIVO 025/2009 MEMORIAL DESCRITIVO 025/2009 PROPRIETÁRIO: CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON. OBRA: ENDEREÇO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA REALIZAR REFORMA E ADEQUAÇÃO NA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO/TÉCNICO

MEMORIAL DESCRITIVO/TÉCNICO MEMORIAL DESCRITIVO/TÉCNICO PROPRIETÁRIO: Prefeitura Municipal de Carmo de Minas. ENDEREÇO: Rua Luiz Gomes, nº. 150, Bairro: Centro, CEP: 37472-000. CNPJ: 18.188.243/0001-60. ENDEREÇO DA OBRA: Rua Euclides

Leia mais

Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015

Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015 Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015 Altera a Norma Regulamentadora nº 34 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval. O Ministro de Estado do Trabalho e Previdência

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA BAIRRO

Leia mais

! ESTÚDIO!DE!ARQUITETURA:!SUSTENTABILIDADE!AMBIENTAL!! FERNANDA MOURA !!!!!!!!!!!!!!! PESQUISA' DRYWALL' PORTAS' !!!!!!!!!!!! !!! ! 1!

! ESTÚDIO!DE!ARQUITETURA:!SUSTENTABILIDADE!AMBIENTAL!! FERNANDA MOURA !!!!!!!!!!!!!!! PESQUISA' DRYWALL' PORTAS' !!!!!!!!!!!! !!! ! 1! ! ESTÚDIO!DE!ARQUITETURA:!SUSTENTABILIDADE!AMBIENTAL!! FERNANDA MOURA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! PESQUISA'!!! DRYWALL' E'' PORTAS'! 1! !!! SUMÁRIO!!! PAREDES!DRYWALL! 1. 'FABRICANTE:'KNAUF 1. 1 PAREDE

Leia mais

AULA A TIPOS DE LAJES

AULA A TIPOS DE LAJES AULA A TIPOS DE LAJES INTRODUÇÃO Lajes são partes elementares dos sistemas estruturais dos edifícios de concreto armado. As lajes são componentes planos, de comportamento bidimensional, utilizados para

Leia mais

Tuper LAJES MISTAS NERVURADAS Mais velocidade e economia em sua obra.

Tuper LAJES MISTAS NERVURADAS Mais velocidade e economia em sua obra. Tuper LAJES MISTAS NERVURADAS Mais velocidade e economia em sua obra. O sistema industrializado de Lajes Mistas Nervuradas da Tuper é composto por vigotas metálicas fabricadas com aço estrutural galvanizado

Leia mais

Listagem de Erros e Omissões

Listagem de Erros e Omissões Listagem de Erros e Omissões - No ponto 13 do caderno de encargos - Critérios de adjudicação, factor preço, uma fórmula matemática, em que uma das parcelas, nomeadamente a PREm - o menor preço proposto,

Leia mais

Apresentação. Conceito

Apresentação. Conceito Apresentação Apresentamos um novo conceito de Mercado para a Distribuição e Venda Direta de Produtos e Serviços para o Setor da Construção Civil; Com Ênfase em atender principalmente, construtoras, lojas

Leia mais