RELATÓRIO. Avaliação da satisfação dos utilizadores do BAV. Relatório. Resultados do inquérito de satisfação do Balcão de Atendimento Virtual

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO. Avaliação da satisfação dos utilizadores do BAV. Relatório. Resultados do inquérito de satisfação do Balcão de Atendimento Virtual"

Transcrição

1 Relatório Resultados do inquérito de satisfação do Balcão de Atendimento Virtual Direcção Municipal da Presidência Gabinete do Munícipe Divisão Municipal de Gestão da Qualidade Porto, 29 de Junho de 2011 Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 1

2 Índice Introdução Objectivos Metodologia 4 3- Resultados Utilização do BAV Navegação e Acessibilidade Qualidade do Serviço Prestado Dados Sócio-demográficos Recolha de Sugestões Considerações finais. 19 Anexos. 22 Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 2

3 Introdução No âmbito da terceira edição do Programa Simplex Autárquico, 2010/2011, o Município do Porto propôs desenvolver três medidas intersectoriais e treze medidas municipais, sendo que nestas últimas inclui-se a avaliação da satisfação dos munícipes, mais concretamente dos utilizadores do Balcão de Atendimento Virtual (BAV). Esta acção está também relacionada com o estabelecido nos objectivos estratégicos da Câmara Municipal do Porto (CMP), no que se refere ao Relacionamento com o munícipe e funcionamento interno e, neste alinhamento, com o parâmetro da Qualidade, previsto na Carta de Missão e nos objectivos estratégicos da Direcção Municipal da Presidência. Neste relatório são apresentados e analisados os resultados da referida auscultação, que se realizou entre os dias 24 de Dezembro de 2010 e 28 de Fevereiro de Objectivos A elaboração deste documento tem como objectivos: Apresentar e analisar os resultados do questionário; Evidenciar os aspectos de maior e menor satisfação; Apresentar as sugestões de melhoria referidas pelos utilizadores; Relevar as principais conclusões deste estudo. 2- Metodologia A avaliação do grau de satisfação dos munícipes foi aferida através da aplicação de um questionário disponibilizado no BAV. Como forma de incitar a participação do maior número de utilizadores, foi colocada uma notícia de divulgação nas novidades do BAV. Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 3

4 Desde a entrada em funcionamento do BAV, dia 1 de Julho de 2010, esta foi a primeira auscultação aos utilizadores, tendo como limitação a impossibilidade de realizar uma análise comparativa com resultados anteriores. Após uma análise relativamente à informação que seria importante extrair, elaborouse o questionário e, em colaboração a Direcção Municipal de Sistemas de Informação (DMSI), escolheu-se uma ferramenta informática de apoio ao tratamento estatístico resultante da aplicação dos dados recolhidos. A decisão recaiu sobre a aplicação LimeSurvey. O questionário foi dividido em cinco partes (cf. anexo). Na primeira parte indagamos sobre a utilização do BAV e, deste modo, consideramos duas situações: cidadãos que utilizavam pela primeira vez o BAV; e utilizadores regulares do BAV. Depois desta primeira abordagem, procurou-se auscultar a opinião dos utilizadores em relação à navegação e acessibilidade deste canal de atendimento. Seguiram-se questões relativas à avaliação da qualidade do serviço prestado, bem como a recolha de dados sócio-demográficos. Por último, possibilitamos o envio de sugestões de forma a contribuir para a melhoria contínua deste serviço. De salientar que o questionário era anónimo e os elementos recolhidos foram alvo de uma análise quantitativa e qualitativa. Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 4

5 3- Resultados No decurso do período de aplicação do questionário, o BAV registou cerca de visitas. Responderam ao inquérito 97 utilizadores, 53 dos quais se identificaram como utilizadores habituais do BAV. Considerando que o objectivo principal era auscultar, sobretudo, os utilizadores habituais, este relatório incide sobre a análise dos 53 questionários que efectivamente reuniam este requisito. 3.1 Utilização do BAV As primeiras questões que surgem no inquérito têm o propósito de aferir sobre a utilização do BAV, isto é, se é a primeira vez ou se é utilizador frequente. Assim, os que estivessem a utilizar pela primeira vez o BAV, apenas respondiam à primeira questão e terminaria aí a sua participação (sendo remetidos para o fim do questionário, agradecendo a sua participação). Os restantes (utilizadores habituais) eram convidados a continuar o preenchimento do inquérito. O número total de registos no inquérito foi de 97, no entanto, responderam 92 utilizadores à primeira questão. Destes 92, 39 (42%) correspondiam a indivíduos que utilizavam pela primeira vez o BAV. Os restantes 53 (58%) utilizadores, responderam que já tinham utilizado anteriormente o BAV. Quadro I Utilização do BAV Questões Sim Total 1. É a primeira vez que utiliza o Balcão de Atendimento Virtual? responderam Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 5

6 Dos 53 utilizadores frequentes, 29 responderam que estavam autenticados 1. Quanto ao facto de já utilizarem o atendimento online, que se encontrava já disponível no site da CMP antes do BAV, as respostas dividiram-se equitativamente nos 50%. Nestas duas últimas questões não responderam três utilizadores. Quadro II Utilização do BAV Questões Sim Total O BAV permite a autenticação através de palavra-passe ou Cartão de Cidadão. É utilizador autenticado no BAV? responderam Já utilizava o atendimento online, disponível no site da Câmara Municipal do Porto, antes do BAV? Através de um contrato de adesão, onde estão plasmadas as Condições gerais de utilização do Balcão de Atendimento Virtual e do Serviço de Atendimento Telefónico, os subscritores destes serviços podem: apresentar pedidos; consultar o(s) seu(s) processo(s); obter informações sobre o andamento do(s) processo(s); proceder a pagamentos; aceder à Minha página (área personalizada e agregadora de todo o relacionamento (presencial, online ou telefónico) do utilizador com a Autarquia; obter apoio virtual para a navegação no Balcão; apresentar reclamações, sugestões Camarárias ou comentários sobre a organização e a disponibilização da informação no BAV. Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 6

7 3.2 Navegação e Acessibilidade Analisando os parâmetros de navegação e acessibilidade do BAV, 85% do total dos utilizadores (41) considerou ser fácil aceder ao BAV, e quando questionados em relação à facilidade de localização da informação, 77% (37) considera ser fácil. Nestas duas questões, verificamos que 5 utilizadores não responderam a estas duas questões. Quanto à utilização dos formulários online, 63% dos inquiridos já utilizou este instrumento, correspondendo a 31 respostas afirmativas. Destas 31 respostas afirmativas, 26 utilizadores consideram os formulários online fáceis de usar, correspondendo a 87% das respostas completas. De salientar que esta última questão só estava disponível para quem respondesse afirmativamente na anterior. Verificamos que apenas um inquirido não respondeu quer nesta questão quer na anterior. Muito importante também foi aferir sobre a percepção que o utilizador tem em relação à rapidez na obtenção de resposta, quando submetidos via BAV. 68% dos utilizadores consideram que os FO s têm uma resposta rápida, tendo opinião contrária 32% dos inquiridos. Questionados em relação à frequência com que acedem ao BAV, verificou-se que a utilização semanal se destaca, com 33% do total de respostas e a opção pontual/raramente corresponde a 19%. Verificamos que 27% dos utilizadores acedem ao BAV diariamente. Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 7

8 Quadro III Navegação e Acessibilidade Questões Sim Total responderam É fácil aceder ao Balcão de Atendimento Virtual? Na sua opinião, localizar a informação no BAV é fácil? Já utilizou formulários online no BAV? Considera que os formulários online são fáceis de usar? Considera que os pedidos submetidos via formulários online têm uma resposta rápida? Quadro IV Frequência no acesso ao BAV Questão Com que frequência acede ao BAV? Pontual/raramente Mensal Semanal Diária Total responderam Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 8

9 Analisando os resultados em função do local onde o acesso ao BAV é estabelecido com maior frequência, 59% (37 respostas) refere ser no local de trabalho, enquanto 41% (26) indica a residência como local habitual. Quadro IV Local de Acesso Questão Onde acede com mais frequência ao BAV? No local de trabalho Na residência Outro Total Foi apresentada mais uma possibilidade de resposta, designada por outro, que não teve qualquer registo. Refira-se que o total de respostas possíveis para esta questão seria de 53. Contudo, registaram-se 63 respostas. A razão para este diferencial deve-se ao facto de ser permitido aos utilizadores seleccionar várias aplicações, sendo que alguns destes seleccionaram as duas opções "Trabalho" e "Residência". Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 9

10 3.3 Qualidade do Serviço Prestado Neste parâmetro procuramos avaliar de forma global o grau de satisfação dos utilizadores. Do total dos inquiridos, quando questionados se já utilizaram o apoio virtual que se encontra disponível no BAV, 44% respondeu que já utilizou este serviço enquanto 56% ainda não o fez. Quadro V Utilização do Apoio Virtual Questões Sim Total responderam Já utilizou o Apoio Virtual disponível no BAV? Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 10

11 Convidados avaliar o grau de esclarecimento das respostas dadas no apoio virtual, 32% consideraram o esclarecimento muito bom e idêntica percentagem foi registada para o bom, 23% reconheceu que o esclarecimento foi suficiente, 9% foram mal esclarecidos e 5 %, correspondendo a uma resposta, considera que foi muito mal esclarecida. Assim, globalmente, 64% considerou bom e muito bom o serviço de esclarecimento. Quadro VI Qualidade do Serviço Prestado Questões Como avalia o grau de esclarecimento das respostas dadas no Apoio Virtual? Globalmente como avalia a qualidade do serviço prestado pelo BAV? Muito Mau Mau Suficiente Bom Muito Bom Total No entanto, quando convidados a avaliar globalmente o serviço prestado pelo BAV, 47% asseguram que esta ferramenta presta um serviço considerado como muito bom e, 36% avaliam a qualidade deste serviço como boa. 13% faz uma avaliação de suficiente e 2% classificam-no como mau e muito mau. Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 11

12 3.4 Dados Sócio-demográficos Dos inquiridos que preencheram todo o inquérito, ou seja os 53, apenas 47 responderam à questão relativa ao Sexo, correspondendo 51% ao sexo feminino e 49% ao sexo masculino. Quadro VII Sexo Questão Feminino Masculino Total responderam Sexo Estes valores percentuais são reveladores do equilíbrio de género, contando-se apenas mais um elemento feminino (24) do que masculino (23). Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 12

13 Relativamente à residência dos utilizadores, o inquérito tinha três opções Estrangeiro, Porto e Outro. existem registos de utilizadores a residir no estrangeiro, 81% (39 utilizadores) tem a sua residência no Porto e 19% noutro concelho. Quadro VIII Residência Questão Estrangeiro Porto Outro Total responderam Residência A última opção incluía um campo aberto, possibilitando desta forma a especificação do outro local. Verificámos que dois residiam em Vila Nova de Gaia, dois na Maia, um em Guimarães, um em Lisboa, um na Trofa, e um em Matosinhos. A estes oito localidades acresce um utilizador que tendo respondido Outro, deixou o campo da resposta em branco. Cinco optaram por não responder a esta questão. Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 13

14 O grupo etário predominante é o que se situa entre os 25 e 34 anos, com 45% dos utilizadores, seguindo-se a faixa etária dos 35 aos 49 anos com 38% dos inquiridos. Quadro IX Idade Menos Entre 25 Entre 35 Entre 50 Entre anos Questão de 18 e 34 e 49 e 64 Total e 24 anos ou mais anos anos anos anos Idade responderam Já mais distanciado aparece o grupo dos 50 aos 64 anos, com 11% e, seguindo-se o grupo dos 18 aos 24 anos, com 4% e, por último, com 2% surge o grupo etário dos 65 anos ou mais. Nenhum dos inquiridos se situa na faixa etária com menos de 18 anos. Do total de respostas possíveis, 53, apenas 47 responderam a esta questão. Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 14

15 Quanto ao nível de escolaridade, verificamos que o grupo dominante frequenta ou frequentou um bacharelato/ licenciatura, correspondente a 46% do total dos inquiridos. Segue-se com 25% aqueles que detêm ou frequentam o 10º e o 12º ano, logo seguido dos indivíduos com ou a frequentar mestrado/ doutoramento, com 23%. existem respostas de utilizadores com escolaridade entre o 5º e o 9º ano e, com o nível de escolaridade entre o 1º e o 4º ano de escolaridade apenas um utilizador (correspondendo a 2%). Quadro X Nível de Escolaridade Questão Entre o 1º e 4º ano de escolaridade Entre o 5º e o 9º ano de escolaridade Entre o 10º e o 12º ano de escolaridade Bacharelato/ Licenciatura Mestrado / Doutoramento Outro Total responderam Qual o nível de escolaridade mais elevado que frequenta/ frequentou? Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 15

16 Para além das opções de escolaridade, foi colocado uma opção com a designação de outro, apresentando um campo aberto para uma resposta livre. Esta opção obtendo-se 4% das respostas (2 utilizadores) que especificaram a sua escolaridade, correspondendo a um curso de cosmetologista nível III e outro a uma Pósgraduação. Novamente verificamos que dos 53 inquiridos, apenas 5 não reponderam a esta questão. Outra informação importante que este inquérito recolheu foi a situação profissional dos inquiridos. Assim, 35 inquiridos (75%) são trabalhadores por conta de outrem, destes 21 (45%) são do sector privado e 14 (30%) do sector público. Os trabalhadores por conta própria correspondem a 19% dos inquiridos, com 9 respostas, seguindo-se, com apenas uma resposta cada e correspondendo a 2%, o estudante, o reformado e outro. Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 16

17 Quadro XI Situação Profissional Questão Estudan te Desempre gado Trabalhador por conta de outrem no sector público Trabalhador por conta de outrem no sector privado Trabalhad or por conta própria Domésti co Refor mado Outro Total Situação Profissional Este último campo, outro, possibilitava uma resposta aberta pelo que foi registado advogado. Consideramos que esta resposta, mais se tratou da necessidade de especificação da actividade profissional do que da situação profissional em si. Destacamos o facto de nenhum dos inquiridos se encontrar na situação de desempregado ou doméstico. 3.5 Recolha de Sugestões Considerando a importância das sugestões de melhoria do BAV recolhidas pelo inquérito, decidimos fazer o tratamento desta informação de forma destacada. Treze dos inquiridos aceitaram o desafio, correspondendo a 25% do total dos inquéritos considerados completos, donde se destacam as seguintes: elogios às funcionalidades Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 17

18 do BAV; solicitações de mais detalhe na informação dos processos e outra para melhorar o tempo de resposta; tornar o menu mais intuitivo, bem como o da consulta de processos e evitar deixar ofícios sem conteúdo; as questões relacionadas com o direito ao sossego não deveriam ser tratadas nestes balcões por funcionários pouco experientes; necessidade de se evidenciar os formulários online; quando se apresenta uma sugestão/reclamação os efeitos são quase nulos; necessidade de introduzir um campo de mensagens, assim como a um meio mais fácil de comunicação com os gestores do processo; não existe uma correspondência ao nível da celeridade entre os serviços do BAV e o atendimento presencial; um utilizador considera que o BAV é muito confuso e apresentando uma terminologia demasiado técnica; não gostou do desenho gráfico, chegando a considerar que anteriormente tudo era mais claro e eficiente. Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 18

19 4- Considerações finais Considerando o referido anteriormente, apresentamos de forma sumária algumas considerações: I. As respostas e o preenchimento dos campos do inquérito evidenciaram a valorização desta iniciativa e a contribuição dos respondentes para a melhoria contínua do serviço prestado pelo BAV; II. Atendendo à ampla divulgação efectuada (designadamente, através de e- mail enviado a toda a equipa do Gabinete do Munícipe para divulgação aos cidadãos no atendimento presencial e telefónico; colocação do inquérito em destaque no BAV, com banner próprio; envio de mensagens para a página reservada dos utilizadores autenticados no BAV; página de submissão dos Formulários Online, em que todos os munícipes que submetessem um formulário online, eram convidados a responder ao mesmo e poderiam fazê-lo, imediatamente, utilizando o respectivo link), a taxa de participação poderia ter sido superior à registada pelo que, futuramente, empreenderemos outras iniciativas de divulgação; III. IV. Quanto ao perfil do utilizador, verificamos um equilíbrio entre os sexos, com predominância da faixa etária entre os 25 e 34 anos, que frequenta ou detém bacharelato/licenciatura e que reside no Porto. Também apuramos que os respondentes que afirmaram não ser a primeira vez que utilizavam o BAV, 60% assumiram ser utilizadores autenticados. Verificamos, ainda, que 85% dos utilizadores consideraram que é fácil aceder ao BAV e 80% avaliam favoravelmente a qualidade do serviço prestado pelo BAV; Das opiniões e sugestões de melhoria referidas pelos respondentes, algumas alterações já foram introduzidas no BAV, nomeadamente a introdução de botões de acesso rápido a formulários e formulários online, assim como a criação de uma página específica com guias práticos. Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 19

20 Também, e no âmbito de melhorias que estão em desenvolvimento no módulo de consulta de processos, está em curso a análise da área reservada à consulta de processos/informações e ofícios. Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 20

21 Anexo Divisão Municipal de Gestão da Qualidade 21

22 A missão do Gabinete do Munícipe é prestar um Serviço de Qualidade. Como tal, pretendemos avaliar a sua satisfação relativamente ao Balcão de Atendimento Virtual, de modo a melhorarmos continuamente o nosso desempenho. Ajude-nos a prestar um serviço melhor, dando-nos a sua opinião sobre as questões que colocarmos. Agrademos a sua colaboração! Existem 19 perguntas neste inquérito Utilização BAV 1 É a primeira vez que utiliza o Balcão de Atendimento Virtual? * Sim 2 O BAV permite a autenticação através de palavra-passe ou Cartão de Cidadão. É utilizador autenticado no BAV? Sim 3 Já utilizava o atendimento online, disponível no site da Câmara Municipal do Porto, antes do BAV? Sim Navegação e Acessibilidade 4 É fácil aceder ao Balcão de Atendimento Virtual? Sim

23 5 Com que frequência acede ao BAV? Diária Semanal Mensal Pontual 6 Na sua opinião, localizar a informação no BAV é fácil? Sim 7 Já utilizou formulários online no BAV? * Sim 8 Considera que os formulários online são fáceis de usar? Sim 9 Considera que os pedidos submetidos via formulários online têm uma resposta rápida? Sim 10 Onde acede com mais frequência ao BAV? Por favor, seleccione todas as que se aplicam:

24 No local de trabalho Na residência Outro: Qualidade do serviço prestado 11 Já utilizou o Apoio Virtual disponível no BAV? * Sim 12 Como avalia o grau de esclarecimento das respostas dadas no Apoio Virtual? Muito Mau Mau Suficiente Bom Muito Bom 13 Globalmente como avalia a qualidade do serviço prestado pelo BAV? Muito Mau Mau Suficiente Bom Muito Bom Dados sócio-demográficos 14 Sexo

25 Feminino Masculino 15 Residência Porto Estrangeiro Outro concelho de residência 16 Idade Menos de 18 anos Entre 18 e 24 anos Entre 25 e 34 anos Entre 35 e 49 anos Entre 50 e 64 anos 65 anos ou mais 17 Qual o nível de escolaridade mais elevado que frequenta/frequentou? Entre o 1º e 4º ano de escolaridade Entre o 5º e o 9º ano de escolaridade Entre o 10º e o 12º ano de escolaridade Bacharelato Licenciatura Mestrado/Doutoramento Outro 18 Situação Profissional

26 Estudante Desempregado Trabalhador por conta de outrem no sector público Trabalhador por conta de outrem no sector privado Trabalhador por conta própria Doméstico Reformado Outro 19 Deixe-nos as suas sugestões para melhorar o BAV! Por favor, escreva aqui a sua resposta: Muito obrigado pelo seu contributo! :00 Submeter o seu inquérito Obrigado por ter concluído este inquérito.

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DO CANAL INTERNET AT 2014

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DO CANAL INTERNET AT 2014 AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DO CANAL INTERNET AT Março 2015 AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES CANAL INERNET AT AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DO CANAL INTERNET AT Autoridade

Leia mais

Índice de Satisfação dos Munícipes de Cascais 2013

Índice de Satisfação dos Munícipes de Cascais 2013 Índice de Satisfação dos Munícipes de Cascais 2013 Atendimento Municipal Outubro de 2013 Elaborado por Divisão de Sistemas de Suporte à Divisão e Divisão de Marca e Comunicação SUMÁRIO EXECUTIVO... 3 OBJETIVO...

Leia mais

Avaliação do Encerramento dos Blocos de Partos

Avaliação do Encerramento dos Blocos de Partos Por iniciativa da Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN), foram avaliados, a 9 de Outubro passado os primeiros três meses do processo de encerramento dos Blocos de Partos do Hospital Santa Maria

Leia mais

Inquérito Portais Portugueses

Inquérito Portais Portugueses Inquérito Portais Portugueses Janeiro 2001 O estudo promovido pela Netsonda revela dados muito interessantes sobre os hábitos dos utilizadores portugueses da Internet. Depois de uma sucessão de modas por

Leia mais

GUIA PRÁTICO PROVA ESCOLAR (Abono de Família para Crianças e Jovens e Bolsa de Estudo)

GUIA PRÁTICO PROVA ESCOLAR (Abono de Família para Crianças e Jovens e Bolsa de Estudo) Manual de GUIA PRÁTICO PROVA ESCOLAR (Abono de Família para Crianças e Jovens e Bolsa de Estudo) INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/20 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático

Leia mais

SÍNTESE DE RESULTADOS DO ESTUDO SOBRE CONSUMO E COMUNICAÇÕES DE NATAL

SÍNTESE DE RESULTADOS DO ESTUDO SOBRE CONSUMO E COMUNICAÇÕES DE NATAL SÍNTESE DE RESULTADOS DO ESTUDO SOBRE CONSUMO E COMUNICAÇÕES DE NATAL DEZEMBRO 2008 Sobre a Netsonda A Netsonda, em actividade desde Julho de 2000, é líder e pioneira em Portugal na recolha e análise de

Leia mais

Avaliação do Desempenho do. Pessoal Docente. Manual de Utilizador

Avaliação do Desempenho do. Pessoal Docente. Manual de Utilizador Avaliação do Desempenho do Pessoal Docente Manual de Utilizador Junho de 2011 V6 Índice 1 ENQUADRAMENTO... 4 1.1 Aspectos gerais... 4 1.2 Normas importantes de acesso e utilização da aplicação... 4 1.3

Leia mais

A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010

A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010 Estatísticas do Emprego 4º trimestre de 2010 16 de Fevereiro de 2011 A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010 A taxa de desemprego estimada para o 4º trimestre de 2010 foi de 11,1%. Este

Leia mais

Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes da Creche, do Pré-escolar e do CATL da ABLA

Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes da Creche, do Pré-escolar e do CATL da ABLA Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes da Creche, do Pré-escolar e do CATL da ABLA Junho 2013 Página 1 de 20 Introdução Entre os dias 20 e 31 de Maio de 2013, foi aplicado o Questionário

Leia mais

Curso SGQ. Formação Elearning. Guia de Acesso ao Curso. * Sensibilização para a Qualidade * 1 - Acesso à Plataforma Studio

Curso SGQ. Formação Elearning. Guia de Acesso ao Curso. * Sensibilização para a Qualidade * 1 - Acesso à Plataforma Studio 1 Formação Elearning Curso SGQ * Sensibilização para a Qualidade * Guia de Acesso ao Curso 1 - Acesso à Plataforma Studio 2 - Acesso ao Curso Sensibilização SGQ 3 - Áreas Principais da Plataforma 4 - Sessões

Leia mais

Índice. Como aceder ao serviço de Certificação PME? Como efectuar uma operação de renovação da certificação?

Índice. Como aceder ao serviço de Certificação PME? Como efectuar uma operação de renovação da certificação? Índice Como aceder ao serviço de Certificação PME? Como efectuar uma operação de renovação da certificação? Como efectuar uma operação de confirmação de estimativas? Como aceder ao Serviço de Certificação

Leia mais

Avaliação da Satisfação das Empresas Associadas Ano 2008

Avaliação da Satisfação das Empresas Associadas Ano 2008 Relatório Resumo Avaliação da Satisfação das Empresas Associadas Ano 2008 Fevereiro de 2009 Departamento de Qualidade e Comunicação sofia.viegas@apemeta.pt Índice: 2 1. Enquadramento 3 2. Avaliação da

Leia mais

AULA. Natércia do Céu Andrade Pesqueira Menezes UNIVERSIDADE PORTUCALENSE. npmeneses@gmail.com. Doutora Sónia Rolland Sobral

AULA. Natércia do Céu Andrade Pesqueira Menezes UNIVERSIDADE PORTUCALENSE. npmeneses@gmail.com. Doutora Sónia Rolland Sobral MOTIVAÇÃO DE ALUNOS COM E SEM UTILIZAÇÃO DAS TIC EM SALA DE AULA Natércia do Céu Andrade Pesqueira Menezes UNIVERSIDADE PORTUCALENSE npmeneses@gmail.com Doutora Sónia Rolland Sobral UNIVERSIDADE PORTUCALENSE

Leia mais

1. Passo-a-passo para validar as despesas no E-fatura. A partir deste ano, o contribuinte pode consultar on-line todas as deduções que

1. Passo-a-passo para validar as despesas no E-fatura. A partir deste ano, o contribuinte pode consultar on-line todas as deduções que Guia IRS 2015 E-Factura 1. Passo-a-passo para validar as despesas no E-fatura A partir deste ano, o contribuinte pode consultar on-line todas as deduções que vão constar no seu IRS referente ao ano de

Leia mais

Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2010

Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2010 Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2010 18 de Maio de 2010 A taxa de desemprego foi de 10,6% no 1º trimestre de 2010 A taxa de desemprego estimada para o 1º trimestre de 2010 foi de 10,6%. Este valor

Leia mais

IPIM. Resultado do Inquérito do Grau de Satisfação de 2014

IPIM. Resultado do Inquérito do Grau de Satisfação de 2014 IPIM Resultado do Inquérito do Satisfação de 2014 1. Objectivos do inquérito O Inquérito sobre o grau de satifação do público de Macau incide num dos Programas da Carta de da RAEM, e de acordo com a opinião

Leia mais

Controle e execute tudo o que está relacionado com Pessoal e Salários com um software eficaz e preparado para completar todas as tarefas nesta área

Controle e execute tudo o que está relacionado com Pessoal e Salários com um software eficaz e preparado para completar todas as tarefas nesta área Descritivo completo Pessoal 2008 Controle e execute tudo o que está relacionado com Pessoal e Salários com um software eficaz e preparado para completar todas as tarefas nesta área Benefícios Solução completa;

Leia mais

A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2007 foi de 7,9%

A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2007 foi de 7,9% Estatísticas do Emprego 3º trimestre de 2007 16 de Novembro de 2007 A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2007 foi de 7,9 A taxa de desemprego estimada para o 3º trimestre de 2007 foi de 7,9. Este valor

Leia mais

A Ergonomia e os Sistemas de Informação. Ivo Gomes

A Ergonomia e os Sistemas de Informação. Ivo Gomes A Ergonomia e os Sistemas de Informação Ivo Gomes A Ergonomia e os Sistemas de Informação Para a maior parte das pessoas, a ergonomia serve para fazer cadeiras mais confortáveis, mobiliário de escritório

Leia mais

Taxa de desemprego estimada em 11,9%

Taxa de desemprego estimada em 11,9% 5 de agosto de 215 Estatísticas do Emprego 2º trimestre de 215 Taxa de desemprego estimada em 11,9% A taxa de desemprego no 2º trimestre de 215 foi de 11,9%. Este valor é inferior em 1,8 pontos percentuais

Leia mais

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO EFECTIVIDADE DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS ESCOLAS PROJECTO ESSE Orientações para as visitas às escolas 1 Introdução As visitas às escolas realizadas segundo o modelo

Leia mais

PROCESSO DE AUDITORIA DE SISTEMAS INTERNOS DE GARANTIA DA QUALIDADE

PROCESSO DE AUDITORIA DE SISTEMAS INTERNOS DE GARANTIA DA QUALIDADE PROCESSO DE AUDITORIA DE SISTEMAS INTERNOS DE GARANTIA DA QUALIDADE Exercício Experimental ASIGQ 2012 Análise Crítica do Processo e Medidas de Melhoria Março 2013 2 1. Introdução A Agência de Avaliação

Leia mais

CENSOS 2001 Análise de População com Deficiência Resultados Provisórios

CENSOS 2001 Análise de População com Deficiência Resultados Provisórios Informação à Comunicação Social 4 de Fevereiro de 2002 CENSOS 2001 Análise de População com Deficiência Resultados Provisórios A disponibilização destes resultados provisórios dos Censos 2001 sobre a população

Leia mais

INDICADORES SOBRE A IGUALDADE DE GÉNERO FACE AO EMPREGO EM MALTA, PORTUGAL E TURQUIA

INDICADORES SOBRE A IGUALDADE DE GÉNERO FACE AO EMPREGO EM MALTA, PORTUGAL E TURQUIA Igualdade de Género INDICADORES SOBRE A IGUALDADE DE GÉNERO FACE AO EMPREGO EM MALTA, PORTUGAL E TURQUIA Para um conhecimento mais aprofundado da situação de Igualdade de Género e considerando o objectivo

Leia mais

1. Introdução. Ao nível dos diplomas complementares destaca-se:

1. Introdução. Ao nível dos diplomas complementares destaca-se: ÍNDICE 1. Introdução 3 2. Organograma 7 3. Caracterização Global do Efectivo 9 4. Emprego 10 5. Estrutura Etária do Efectivo 13 6. Antiguidade 14 7. Trabalhadores Estrangeiros 15 8. Trabalhadores Deficientes

Leia mais

SUBSÍDIO DE DESEMPREGO

SUBSÍDIO DE DESEMPREGO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO Recentemente foi publicado o Decreto-Lei n.º 220/2006 de 3 de Novembro, o qual alterou o quadro legal de reparação da eventualidade do desemprego dos trabalhadores por conta de outrem.

Leia mais

Survey de Satisfação de Clientes 2009

Survey de Satisfação de Clientes 2009 Survey de Satisfação de Clientes Fevereiro de 2010 Índice 1. Sumário Executivo 4 2. Metodologia 6 3. Estratificação da Amostra 7 4. Classificação das pontuações 8 5. Apresentação de Resultados das Urgências

Leia mais

2.1 Plano do inquérito Frequência do inquérito: Anual; Período do inquérito: De 2 de Janeiro a 28 de Fevereiro de 2014.

2.1 Plano do inquérito Frequência do inquérito: Anual; Período do inquérito: De 2 de Janeiro a 28 de Fevereiro de 2014. Fundo de Pensões Relatório Final do Inquérito do Grau de Satisfação dos Serviços Prestados no âmbito do Regime de Aposentação e Sobrevivência, referente ao ano de 2013 1. Objectivos do Seguindo os conceitos

Leia mais

Manual do Fénix. Portal Secretaria da Escola Portal Conselho Científico Portal Direcção de Curso. Candidatura Online para o 2.

Manual do Fénix. Portal Secretaria da Escola Portal Conselho Científico Portal Direcção de Curso. Candidatura Online para o 2. Manual do Fénix Portal Secretaria da Escola Portal Conselho Científico Portal Direcção de Curso Candidatura Online para o 2. º Ciclo SI (Versão 1.0) Maio 2011 Este manual tem como objectivo auxiliar na

Leia mais

Bem-vindo ao nosso mundo virtual! Guia do Portal de Ensino à Distância da Get Training 1

Bem-vindo ao nosso mundo virtual! Guia do Portal de Ensino à Distância da Get Training 1 Após uma experiência formativa de mais de 20 anos em formação presencial, e tendo sempre como princípios a inovação e a satisfação do cliente, é com grande satisfação que a Get Training implementa este

Leia mais

AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO: UTILIZAÇÃO PELOS ALUNOS

AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO: UTILIZAÇÃO PELOS ALUNOS Ministério da Educação Departamento de Avaliação Prospectiva e Planeamento AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO: UTILIZAÇÃO PELOS ALUNOS JACINTA PAIVA Lisboa, 03 Ministério da Educaçao AS TECNOLOGIAS

Leia mais

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA PRÉ REFORMA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA PRÉ REFORMA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA PRÉ REFORMA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Redução de Taxa Contributiva Pré Reforma (2005 v4.03) PROPRIEDADE Instituto da

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMUNICAÇÃO SOCIAL

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMUNICAÇÃO SOCIAL AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMUNICAÇÃO SOCIAL Dezembro ÍNDICE 1. Introdução 4 2. População e Amostra 4 3. Questionário de Satisfação dos Alunos 5 3.1. Caracterização dos inquiridos 5 3.2. Apresentação

Leia mais

Soluções Web Centradas no Utilizador. Ivo Gomes

Soluções Web Centradas no Utilizador. Ivo Gomes Soluções Web Centradas no Utilizador Ivo Gomes 1 Soluções Web Centradas no Utilizador Os interfaces gráficos foram desenvolvidos para dar controlo às pessoas sobre os seus computadores. Colmatar as necessidades

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Aberto. ES LOGISTICA (CMVM nº 1024)

Fundo de Investimento Imobiliário Aberto. ES LOGISTICA (CMVM nº 1024) Relatório de Gestão ES LOGISTICA Fundo de Investimento Imobiliário Aberto Fundo de Investimento Imobiliário Aberto ES LOGISTICA (CMVM nº 1024) Relatório de Gestão Dezembro de 2008 ESAF Fundos de Investimento

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO PARCIAL

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO PARCIAL GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO PARCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/16 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio de Desemprego Parcial (6002 v4.11) PROPRIEDADE

Leia mais

DOCUMENTO METODOLÓGICO. Operação Estatística Estatísticas dos Advogados e Estagiários inscritos

DOCUMENTO METODOLÓGICO. Operação Estatística Estatísticas dos Advogados e Estagiários inscritos DOCUMENTO METODOLÓGICO Operação Estatística Estatísticas dos Advogados e Estagiários inscritos Código: 472 Versão: 1.0 Abril de 2010 INTRODUÇÃO A recolha de informação estatística relativa aos advogados

Leia mais

Bairro. Normas Orientadoras BAIRRO. Co-financiamento

Bairro. Normas Orientadoras BAIRRO. Co-financiamento Normas Orientadoras BAIRRO Co-financiamento Índice Capítulo I - Âmbito...1 Artigo 1.º - Objecto...1 Artigo 2.º - Definições...1 Artigo 3º - Apelos Bairro 21...1 Artigo 4.º - Objectivos dos Apelos Bairro

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO E FINANCIAMENTO DO ASSOCIATIVISMO DESPORTIVO

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO E FINANCIAMENTO DO ASSOCIATIVISMO DESPORTIVO MUNICÍPIO DE S. PEDRO DO SUL GABINETE DE DESPORTO REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO E FINANCIAMENTO DO ASSOCIATIVISMO DESPORTIVO REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO E FINANCIAMENTO DO ASSOCIATIVISMO DESPORTIVO

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO

HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO ELABORAÇÃO ASSINATURA APROVAÇÃO ASSINATURA ÍNDICE CAPÍTULO 1. POLÍTICA E ESTRATÉGIA/ÂMBITO... 3 1.1 POLÍTICA E ESTRATÉGIA DA ENTIDADE... 3 1.2 OBJECTIVO

Leia mais

6 INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS

6 INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS 6. INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS 6. Intermediários Financeiros O QUE SÃO INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS? Intermediários financeiros são as empresas prestadoras dos serviços que permitem aos investidores actuar

Leia mais

Documento Metodológico

Documento Metodológico Documento Metodológico Registo Predial ( Modelo 287 Mapa de actividade mensal) Código: 502 Versão: 1.0 Introdução O Registo Predial destina-se essencialmente a dar publicidade à situação jurídica dos prédios,

Leia mais

Manual de Utilizador. //Internet Banking. BNI Online. www.bni.ao

Manual de Utilizador. //Internet Banking. BNI Online. www.bni.ao ÍNDICE Introdução Informações Gerais Acesso ao Serviço Fazer Login Documentos Electrónicos Posição Integrada Agenda Vencimentos Contas à Ordem Transferências Personalizar Financiamentos Moeda Estrangeira

Leia mais

Manual de Utilizador Plataforma de Estágios TIC. www.estagiostic.gov.pt

Manual de Utilizador Plataforma de Estágios TIC. www.estagiostic.gov.pt Manual de Utilizador Plataforma de Estágios TIC www.estagiostic.gov.pt 1 Índice 1 Introdução 3 1.1 Programa de Estágios TIC 3 1.2 Objectivo da plataforma 3 1.3 Perfis 4 1.3.1 Escola 4 1.3.2 Empresa 4 1.3.3

Leia mais

FAQ s para os Administradores do Sistema

FAQ s para os Administradores do Sistema FAQ s para os Administradores do Sistema Este documento disponibiliza FAQ s sobre vários temas. Clique sobre o tema que lhe interessa para aceder às respetivas FAQ s. FAQ s sobre a credenciação do Administrador

Leia mais

Inquérito aos Alunos que frequentaram o AEGE

Inquérito aos Alunos que frequentaram o AEGE Inquérito aos Alunos que frequentaram o AEGE Inquérito em outubro de 2015 Índice I- INTRODUÇÃO... 3 II- OUTROS ESTUDOS EFETUADOS ANTERIORMENTE... 3 III- OBJETIVOS... 4 IV- METODOLOGIA... 4 V- ANÁLISE DOS

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL DE POTENCIAL HUMANO EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

PROGRAMA OPERACIONAL DE POTENCIAL HUMANO EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL PROGRAMA OPERACIONAL DE POTENCIAL HUMANO EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL TIPOLOGIA DE INTERVENÇÃO 3.1.1 PROGRAMA DE FORMAÇÃO-ACÇÃO PARA PME REGULAMENTO DE CANDIDATURA PARA ENTIDADES

Leia mais

AVALIAÇÃO. 3. O tempo de duração de cada teste é cuidadosamente calculado, tendo em conta a idade do aluno e aquilo que já é capaz de fazer.

AVALIAÇÃO. 3. O tempo de duração de cada teste é cuidadosamente calculado, tendo em conta a idade do aluno e aquilo que já é capaz de fazer. AVALIAÇÃO Regras de correcção e atribuição de notas em Lower School Os professores de Lower School seguirão as regras, a seguir apresentadas, na avaliação, exceptuandose os testes de ortografia e cálculo

Leia mais

- IAE - INQUÉRITO À ACTIVIDADE EMPRESARIAL. ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria

- IAE - INQUÉRITO À ACTIVIDADE EMPRESARIAL. ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria - IAE - INQUÉRITO À ACTIVIDADE EMPRESARIAL 2006 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria ÍNDICE Introdução Pág. 2 1 Sumário executivo Pág. 5 2 Análise dos resultados 2.1 Situação

Leia mais

PT PRIME - Soluções Empresariais de Telecomunicações e Sistemas, S.A., pessoa colectiva nº 502 840 757, com

PT PRIME - Soluções Empresariais de Telecomunicações e Sistemas, S.A., pessoa colectiva nº 502 840 757, com Prime Soluções Empresariais SEDE: Rua de Entrecampos, 28, 1749-076 Lisboa Nº de Pessoa Colectiva 502 M 757 - N' de Matricula 08537 C.R.C.L Capital Social de EUR.; 30 000 000. I/ -I- CONTRATO DE PRESTAÇÃO

Leia mais

Introdução. Artigo 1.º Objecto e âmbito de aplicação

Introdução. Artigo 1.º Objecto e âmbito de aplicação 1 REGULAMENTO DA VENDA DE LOTES PARA CONSTRUÇÃO DE HABITAÇÃO EM LOTEAMENTOS MUNICIPAIS A JOVENS NATURAIS OU RESIDENTES NO CONCELHO DAS CALDAS DA RAINHA Introdução Com o objectivo de fixar jovens nas freguesias

Leia mais

da Uniiversiidade de Évora

da Uniiversiidade de Évora Universidade de Évora Rellatóriio sobre o Inquériito aos Liicenciiados da Uniiversiidade de Évora Pró-Reitoria para a Avaliação e Política da Qualidade Jacinto Vidigal da Silva Luís Raposo Julho de 2010

Leia mais

Recomendação ERSAR n.º 1/2010

Recomendação ERSAR n.º 1/2010 Recomendação ERSAR n.º 1/2010 CONTEÚDOS DAS FACTURAS DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO, DE SANEAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS URBANAS E DE GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS PRESTADOS

Leia mais

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE REFERÊNCIA E LEITURA

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE REFERÊNCIA E LEITURA REGULAMENTO DO SERVIÇO DE REFERÊNCIA E LEITURA O Arquivo Distrital do Porto, instituição pública empenhada na salvaguarda e conservação de um valioso património documental, faculta o acesso aos seus fundos

Leia mais

ÍNDICE. Que expectativas académicas, que organização do estudo e conciliação entre estudos e emprego? 6

ÍNDICE. Que expectativas académicas, que organização do estudo e conciliação entre estudos e emprego? 6 Relatório Síntese: Perfil do Trabalhador-Estudante do IST Introdução ÍNDICE Qual a proporção de trabalhadores-estudantes no IST nos últimos 5 anos lectivos? 2 Qual a População-alvo deste inquérito? 2 A

Leia mais

TEOLOGIA E ESPIRITUALIDADE DA FAMÍLIA

TEOLOGIA E ESPIRITUALIDADE DA FAMÍLIA www.ft.lisboa.ucp.pt Universidade Católica Portuguesa savlita TEOLOGIA E ESPIRITUALIDADE DA FAMÍLIA SITUAÇÕES ESPECIAIS 1ª EDIÇÃO DOCUMENTO IDENTIDADE DO CURSO REGULAMENTO INFORMAÇÕES Gabinete de Apoio

Leia mais

Regulamento de Funcionamento Aplicável à Gestão de Reclamações

Regulamento de Funcionamento Aplicável à Gestão de Reclamações Regulamento de Funcionamento Aplicável à Gestão de Reclamações Agosto 2010 REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO APLICÁVEL À GESTÃO DE RECLAMAÇÕES CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Secção I Disposições preliminares

Leia mais

RELATÓRIO FRANCHISING

RELATÓRIO FRANCHISING RELATÓRIO FRANCHISING ESTUDO DO PERFIL E SATISFAÇÃO DO FRANCHISADO EM PORTUGAL JULHO 2013 Índice ENQUADRAMENTO... 3 METODOLOGIA (FICHA TÉCNICA)... 4 ANÁLISE DE RESULTADOS... 5 CARACTERIZAÇÃO DO FRANCHISADO...

Leia mais

Enoturismo em Portugal 2014. Caraterização das empresas e da procura

Enoturismo em Portugal 2014. Caraterização das empresas e da procura Enoturismo em Portugal 2014 Caraterização das empresas e da procura Edição 2015 ÍNDICE Sumário Executivo Caraterização das Empresas Promoção de Serviços Procura das (2014) 3 4 5 7 O Enoturismo em Portugal

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO. (Módulo da Entidade Parceira Exclusivamente Financiadora)

GUIA DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO. (Módulo da Entidade Parceira Exclusivamente Financiadora) ACÇÃO 4.2.2 REDES TEMÁTICAS DE INFORMAÇÃO E DIVULGAÇÃO GUIA DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO (Módulo da Entidade Parceira Exclusivamente Financiadora) União Europeia FEADER PRODER 1 INSTRUÇÕES PARA UMA CORRECTA

Leia mais

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL ANEXO III RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL -- ÍNDICE ÍNDICE. OBJECTIVOS E ÂMBITO DO ESTUDO. METODOLOGIA. RESUMO. INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL. INOVAÇÃO NOS ÚLTIMOS 6 ANOS 6. APRENDIZAGEM

Leia mais

Regulamento Interno da PROMUNDO Associação de Educação, Solidariedade e Cooperação Internacional

Regulamento Interno da PROMUNDO Associação de Educação, Solidariedade e Cooperação Internacional Regulamento Interno da PROMUNDO Associação de Educação, Solidariedade e Cooperação Internacional Capítulo I Objecto e Âmbito do Regulamento Interno Artigo 1º O presente Regulamento tem como objecto a PROMUNDO

Leia mais

Regulamento Acredita Portugal Realize o seu Sonho

Regulamento Acredita Portugal Realize o seu Sonho Regulamento Acredita Portugal Realize o seu Sonho REGULAMENTO DA 4ª EDIÇÃO DO CONCURSO "BES REALIZE O SEU SONHO" Capítulo I - Introdução e Objetivos 1.º(Introdução e Objetivos) O Concurso Realize o Seu

Leia mais

REGULAMENTO FINANCEIRO 2015/2016. Cursos de Especialização Tecnológica Cursos de 1º e 2º Ciclo

REGULAMENTO FINANCEIRO 2015/2016. Cursos de Especialização Tecnológica Cursos de 1º e 2º Ciclo REGULAMENTO FINANCEIRO 2015/2016 Cursos de Especialização Tecnológica Cursos de 1º e 2º Ciclo CANDIDATURAS 1. O pagamento da taxa de candidatura (quando aplicável) só se efetua uma única vez, desde que

Leia mais

METODOLOGIA DOS ESTUDOS PARA A

METODOLOGIA DOS ESTUDOS PARA A METODOLOGIA DOS ESTUDOS PARA A DETERMINAÇÃO DA CAPACIDADE NO ARMAZENAMENTO SUBTERRÂNEO DE GÁS NATURAL FEVEREIRO 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO. GESTÃO DA MEDIDA 511 Assistência Técnica FEADER

GUIA DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO. GESTÃO DA MEDIDA 511 Assistência Técnica FEADER GUIA DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO GESTÃO DA MEDIDA 511 Assistência Técnica FEADER Outubro 2010 INSTRUÇÕES PARA UMA CORRECTA UTILIZAÇÃO DO FORMULÁRIO Funcionamento genérico Os formulários estão disponíveis

Leia mais

Este documento tem como objetivo esclarecer algumas questões colocadas pelos Notários

Este documento tem como objetivo esclarecer algumas questões colocadas pelos Notários Este documento tem como objetivo esclarecer algumas questões colocadas pelos Notários Geral G1. Gostaria de assinar o protocolo com a MULTICERT. O que devo fazer? Lista de Perguntas Com o certificado da

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR

MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR Entre O Primeiro Outorgante, A Administração Regional de Saúde de. IP, adiante

Leia mais

Projecto de Modelação, Engenharia de Software e Sistemas Distribuídos 2008-09. Requisitos para a 3ª entrega do projecto.

Projecto de Modelação, Engenharia de Software e Sistemas Distribuídos 2008-09. Requisitos para a 3ª entrega do projecto. Departamento de Engenharia Informática Modelação, Engenharia de Software, Sistemas Distribuídos Requisitos para a 3ª entrega do projecto Test O Matic 10 de Maio de 2009 1 Índice 1 Índice... 1 2 Sumário...

Leia mais

Regulamento de Apoio ao Movimento Associativo

Regulamento de Apoio ao Movimento Associativo Regulamento de Apoio ao Movimento Associativo As associações são a expressão do dinamismo e interesse das populações que entusiasticamente se dedicam e disponibilizam em prol da causa pública. As associações

Leia mais

Relatório da Sondagem sobre o sítio do Instituto das Comunicações de Portugal www.icp.pt

Relatório da Sondagem sobre o sítio do Instituto das Comunicações de Portugal www.icp.pt Relatório da Sondagem sobre o sítio do Instituto das Comunicações de Portugal www.icp.pt 1 Índice Introdução 1. - Ano de Nascimento...6 2. - De onde está a aceder ao sítio do ICP? Região...9 3. - Nível

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL.

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL. INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL Edição 2015-2017 Nos termos do Decreto -Lei n.º 42/2005, de pelo 22 de Fevereiro,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE QUALIFICAÇÃO

REGULAMENTO INTERNO DE QUALIFICAÇÃO REGULAMENTO INTERNO DE QUALIFICAÇÃO Preâmbulo A qualificação dos farmacêuticos é um requisito fundamental para a sua adequada intervenção no Sistema de Saúde. A maximização da qualidade desta intervenção

Leia mais

Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra

Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra Artigo 1.º Âmbito O presente Regulamento fixa as normas gerais relativas a matrículas e inscrições nos cursos do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra. Artigo 2.º Definições De

Leia mais

Das perguntas aos inquiridos podemos obter que: 1. 20% Pratica exercício. 2. 7% Monitoriza a sua actividade física.

Das perguntas aos inquiridos podemos obter que: 1. 20% Pratica exercício. 2. 7% Monitoriza a sua actividade física. Disciplina de Interfaces Pessoa-Máquina 2010/2011 SHAPE - Self-Help Augmented Personal Enhancer Grupo 6 http://web.ist.utl.pt/~ist163577/ Ricardo Ferrão João Nunes Pedro Barreto Nº 63566 Nº 63571 Nº 63577

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL

REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL O Município de Chaves tem entendido como de interesse municipal as iniciativas empresariais de natureza económica que contribuem

Leia mais

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6 MANUAL DO UTILIZADOR A informação contida neste manual, pode ser alterada sem qualquer aviso prévio. A Estratega Software, apesar dos esforços constantes de actualização deste manual e do produto de software,

Leia mais

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Reitoria Gabinete do Reitor. Apreciação do anteprojecto de decreto-lei Graus académicos e diplomas do Ensino Superior

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Reitoria Gabinete do Reitor. Apreciação do anteprojecto de decreto-lei Graus académicos e diplomas do Ensino Superior Apreciação do anteprojecto de decreto-lei Graus académicos e diplomas do Ensino Superior 1. O anteprojecto de decreto-lei apresentado pelo governo regulamenta a recente alteração da Lei de Bases (Lei 49/2005,

Leia mais

A Televisão na Sociedade em Rede

A Televisão na Sociedade em Rede A Sociedade em Rede Portugal 2010 A Televisão na Sociedade em Rede Setembro de 2011 flash report Março 2009 0 Índice Introdução... 4 Sumário Executivo... 5 Perfis e caracterização do consumo de Televisão,

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 41 1 de Março de 2010 575. Artigo 25.º. Artigo 20.º

Diário da República, 1.ª série N.º 41 1 de Março de 2010 575. Artigo 25.º. Artigo 20.º Diário da República, 1.ª série N.º 41 1 de Março de 2010 575 Artigo 20.º Oferta formativa e monitorização 1 A oferta formativa destinada aos activos desempregados é assegurada através de cursos de educação

Leia mais

Boletim Económico Angola

Boletim Económico Angola Boletim Económico Angola 1. Conjuntura: estabilidade macro económica reforçada 3º Trimestre de 2013 A informação disponível para caracterizar o desempenho da economia de Angola no 3º trimestre de 2013

Leia mais

Introdução... 3. 1ª Parte - Acesso à Aplicação Avaliação Online... 4 I Aceder à Aplicação... 4 1. Inscrição... 4 2. Acesso à Aplicação...

Introdução... 3. 1ª Parte - Acesso à Aplicação Avaliação Online... 4 I Aceder à Aplicação... 4 1. Inscrição... 4 2. Acesso à Aplicação... Índice Introdução... 3 1ª Parte - Acesso à Aplicação Avaliação Online... 4 I Aceder à Aplicação... 4 1. Inscrição... 4 2. Acesso à Aplicação... 4 II Entrada na Aplicação... 5 1. Informações... 6 1. Avaliação

Leia mais

IMPRENSA REGIONAL PORTUGUESA: Caracterização dos públicos, Audiências e Hábitos de Leitura

IMPRENSA REGIONAL PORTUGUESA: Caracterização dos públicos, Audiências e Hábitos de Leitura IMPRENSA REGIONAL PORTUGUESA: Caracterização dos públicos, Audiências e Hábitos de Leitura A Imprensa Regional desempenha um papel relevante, não só no âmbito territorial, a que naturalmente mais diz respeito,

Leia mais

REGULAMENTO E TABELA DE TAXAS FREGUESIA DA MOITA

REGULAMENTO E TABELA DE TAXAS FREGUESIA DA MOITA REGULAMENTO E TABELA DE TAXAS FREGUESIA DA MOITA Preâmbulo Com a publicação da Lei 53-E/2006, de 29 de Dezembro, alterada pela Lei 64-A/2008 de 31 de Dezembro, tornou-se necessário a adaptação da Tabela

Leia mais

Escola Secundária de Jácome Ratton

Escola Secundária de Jácome Ratton Escola Secundária de Jácome Ratton Ano Lectivo 2010/2011 Matemática Aplicada às Ciências Sociais Amostragem Sondagem Uma sondagem pressupõe a escolha de uma amostra. A selecção da amostra é uma das fases

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA

CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA 2014 CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA Direcção Municipal de Habitação e Desenvolvimento Social [DOCUMENTO DE APOIO À CANDIDATURA ON LINE ] Para mais esclarecimentos, ligue para 21 798 86 01/ 86 55 ou através

Leia mais

GESTÃO CURRICULAR Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico

GESTÃO CURRICULAR Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO GESTÃO CURRICULAR Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico Relatório 008-009 Colecção Relatórios FICHA TÉCNICA Título Gestão Curricular na Educação Pré-Escolar e no

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 107/2010 de 14 de Julho de 2010

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 107/2010 de 14 de Julho de 2010 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 107/2010 de 14 de Julho de 2010 O Programa Estagiar, nas suas vertentes L, T e U, dirigido a recém-licenciados e mestres, recém-formados

Leia mais

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária)

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) http://curriculum.degois.pt Março de 2012 Versão 1.5 1 Introdução O objectivo deste guia é auxiliar o utilizador

Leia mais

Avaliação do Pessoal Não Docente SIADAP

Avaliação do Pessoal Não Docente SIADAP Avaliação do Pessoal Não Docente SIADAP Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro com as alterações introduzidas pela Lei n.º 66-B/2012, de 31 de dezembro Page 1 SIADAP: PERIODICIDADE: bianual Requisitos para

Leia mais

CAPÍTULO VIII APROVEITAMENTO DE BENS DESTINADOS A UTILIZAÇÃO DO PÚBLICO

CAPÍTULO VIII APROVEITAMENTO DE BENS DESTINADOS A UTILIZAÇÃO DO PÚBLICO TABELA DE TAXAS E LICENÇAS CAPÍTULO VIII APROVEITAMENTO DE BENS DESTINADOS A UTILIZAÇÃO DO PÚBLICO Utilização das instalações do complexo municipal de piscinas de Santa Marta de Penaguião (Art. 5º do Regulamento

Leia mais

C 188/6 Jornal Oficial da União Europeia 11.8.2009

C 188/6 Jornal Oficial da União Europeia 11.8.2009 C 188/6 Jornal Oficial da União Europeia 11.8.2009 Comunicação da Comissão Critérios para a análise da compatibilidade dos auxílios estatais a favor de trabalhadores desfavorecidos e com deficiência sujeitos

Leia mais

Bolsa Emprego IPL - FAQS

Bolsa Emprego IPL - FAQS Bolsa Emprego IPL - FAQS EMPRESAS Para poder colocar uma oferta na Bolsa de Emprego tenho que estar registado? Sim. O primeiro passo deverá ser o registo da empresa/instituição. Posteriormente, e após

Leia mais

Desigualdade Económica em Portugal

Desigualdade Económica em Portugal Observatório Pedagógico Desigualdade Económica em Portugal Carlos Farinha Rodrigues ISEG / Universidade Técnica de Lisboa AULA ABERTA - ECONOMIA INTERNACIONAL 28/11/2012 28 de Novembro de 2012 2 Objectivos:

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO PARA VENDA DE FRACÇÕES MUNICIPAIS HABITACIONAIS DEVOLUTAS A JOVENS, ATRAVÉS DE CONCURSO POR SORTEIO

PROJECTO DE REGULAMENTO PARA VENDA DE FRACÇÕES MUNICIPAIS HABITACIONAIS DEVOLUTAS A JOVENS, ATRAVÉS DE CONCURSO POR SORTEIO PROJECTO DE REGULAMENTO PARA VENDA DE FRACÇÕES MUNICIPAIS HABITACIONAIS DEVOLUTAS A JOVENS, ATRAVÉS DE CONCURSO POR SORTEIO Preâmbulo Com o presente Regulamento pretende-se criar condições para o acesso

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DO CENTRO DE ESTUDOS EM DIREITO DO ORDENAMENTO, DO URBANISMO E DO AMBIENTE

REGULAMENTO DOS CURSOS DO CENTRO DE ESTUDOS EM DIREITO DO ORDENAMENTO, DO URBANISMO E DO AMBIENTE CAPÍTULO I CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO DO ORDENAMENTO, DO URBANISMO E DO AMBIENTE Artigo 1.º (Constituição do Curso) 1. O Curso de Especialização em Direito do Ordenamento, do Urbanismo e do Ambiente

Leia mais

CAPÍTULO 6 INTENÇÕES REPRODUTIVAS E PLANEAMENTO DA FECUNDIDADE

CAPÍTULO 6 INTENÇÕES REPRODUTIVAS E PLANEAMENTO DA FECUNDIDADE CAPÍTULO 6 INTENÇÕES REPRODUTIVAS E PLANEAMENTO DA FECUNDIDADE O questionário do IDS de 1997 conteve várias questões para investigar as preferências reprodutivas da população entrevistada. Foi recolhida

Leia mais

Telemóveis e os jovens: utilização e preocupações (Resultados dos Inquéritos Realizados em Estabelecimentos de Ensino no Ano Letivo 2010/ /2011) Resumo Durante o ano letivo de 2010/2011 foram realizados

Leia mais

Relatório Questionário on-line

Relatório Questionário on-line Associação Portuguesa dos Gestores e Técnicos dos Recursos Humanos Seminário: Novos Caminhos, Novos Desafios da Formação Certificada Relatório Questionário on-line Relatório 1. Introdução e Objectivos

Leia mais

Guia de Utilização Gestão de Mensagens Fornecedor Janeiro 2010 PLATAFORMA ELECTRÓNICA VORTAL

Guia de Utilização Gestão de Mensagens Fornecedor Janeiro 2010 PLATAFORMA ELECTRÓNICA VORTAL Guia de Utilização Gestão de Mensagens Fornecedor Janeiro 2010 PLATAFORMA ELECTRÓNICA VORTAL Índice Novo Serviço de Gestão de Mensagens... 3 Criar Mensagens... 4 Layout Criar Mensagens... 4 Processo Criar

Leia mais