FUNDAÇÃO LIBERTAS DE SEGURIDADE SOCIAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FUNDAÇÃO LIBERTAS DE SEGURIDADE SOCIAL"

Transcrição

1 FUNDAÇÃO LIBERTAS DE SEGURIDADE SOCIAL Avaliação Atuarial Especial de Setembro PLANO DE BENEFÍCIOS 2 - RP2 MINASCAIXA CNPB Relatório 119/13 Outubro/2013 1

2 ÍNDICE 1.1 OBJETIVO DA AVALIAÇÃO ATUARIAL CONSIDERAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES GERAIS E RESUMO GERAL DO REGULAMENTO DO PLANO INFORMAÇÕES DA BASE DE DADOS SITUAÇÃO DA BASE CADASTRAL RESUMO DOS DADOS HIPÓTESES ATUARIAIS REGIMES FINANCEIROS E MÉTODO ATUARIAL PATRIMÔNIO DE COBERTURA DO PLANO PROVISÕES [RESERVAS] MATEMÁTICAS RESULTADO ATUARIAL DO PLANO CUSTO ANUAL MÉDIO E PLANO DE CUSTEIO DO PLANO MINASCAIXA CUSTO ANUAL MÉDIO DO PLANO PLANO DE CUSTEIO

3 1 INTRODUÇÃO 1.1 OBJETIVO DA AVALIAÇÃO ATUARIAL O principal objetivo da Avaliação Atuarial é efetuar uma revisão da situação econômica e atuarial do plano de benefícios, verificando os custos e o plano de custeio de acordo com o nível de contribuições necessárias para o futuro, de forma a assegurar a existência de recursos suficientes para a garantia dos pagamentos dos benefícios a cada época e, ainda, determinando e fixando o passivo atuarial do plano, dado pelas Provisões Matemáticas posicionadas na data da Avaliação Atuarial. Assim, por exigência da Legislação Brasileira, e com o aval dos procedimentos da boa técnica atuarial, anualmente, ou por ocasião de eventos previstos nas normas vigentes, são realizadas Avaliações Atuariais dos Planos Previdenciais, no caso em tela, para o Plano de Benefícios RP2, também denominado neste documento de PLANO MINASCAIXA. Destarte, tal estudo objetiva, também, atender às determinações da Resolução MPS/CGPC n 13/04, que estabelece princípios, regras e práticas de governança, gestão e controles internos a serem observados pelas Entidades Fechadas de Previdência Complementar EFPC. Este Relatório, denominado de 43 RE 119/13, foi emitido em atendimento à solicitação extraordinária da Fundação Libertas para fins de reavaliação das Provisões Matemáticas e do Plano de Custeio, e consequentemente, sua consolidação nos registros contábeis da Fundação. Assim, foi executada Avaliação Atuarial especial do PLANO MINASCAIXA, posicionada em 30/09/2013, em que se reavaliaram as Provisões Matemáticas de Benefício a Conceder e de Benefício Concedido, bem como as Provisões a Constituir, sendo proposto o novo custeio extraordinário a viger a partir de 01/10/

4 1.2 CONSIDERAÇÕES GERAIS Apresentamos neste Relatório os resultados da Avaliação Atuarial especial de setembro para o Plano de Benefício 2 - RP2 denominado de PLANO MINASCAIXA (CNPB nº ), estruturado na modalidade de Benefício Definido 1 administrado pela Fundação Libertas de Seguridade Social. Este Relatório contém as informações e os dados necessários para os devidos acompanhamentos atuariais do PLANO MINASCAIXA pela Fundação Libertas, a qual possui a responsabilidade pela administração e operação do mesmo, bem como servindo de fonte acessória para eventual necessidade de definição de novo Plano de Custeio Extraordinário, sendo apresentado, como principais resultados os a seguir: i. Estatísticas Populacionais; ii. Hipóteses e Premissas atuariais utilizadas; iii. Patrimônio de Cobertura; iv. Provisões Matemáticas; v. Fundos Previdenciais; vi. Resultado Atuarial do Plano; vii. Custo do Plano; viii. Plano de Custeio. Os resultados e valores apresentados neste Relatório de Avaliação Atuarial especial estão posicionados na data de 30 de setembro de 2013, a qual é a Data da Avaliação 2, ou Data Base, sendo utilizados os dados cadastrais e informações financeiras dos Participantes e Assistidos, posicionados na mesma Data Base, assim como informações contábeis, fornecidos pela Fundação Libertas, os quais se encontram armazenados e arquivados nesta Consultoria, na forma como nos foram disponibilizados. Os cálculos atuariais consideram as particularidades de cada Participante e Assistido, através do processamento dos cálculos atuariais individuais, além das regras contidas nos Regulamentos do PLANO MINASCAIXA, na Nota Técnica Atuarial e na legislação pertinente em vigor, além das normas da Previdência Social RGPS, quando aplicáveis, e daquelas emanadas da então Secretaria de Previdência Complementar SPC e do Conselho de Gestão da Previdência Complementar, tendo suas funções atualmente assumidas pela PREVIC Superintendência Nacional de Previdência Complementar e pelo CNPC - Conselho Nacional de Previdência Complementar, respectivamente. Os resultados apresentados envolvem projeções futuras, baseadas em hipóteses e parâmetros de cálculo, quando for o caso e, portanto, os mesmos devem ser sempre analisados com o prévio conhecimento dessas hipóteses e parâmetros. Adicionalmente, em face do caráter excepcional da Avaliação Atuarial e da Fundação Libertas não ter informado nenhum fato relevante, exceto com 1 De acordo com a Resolução MPS/CGPC nº 16/ Data da Avaliação: Data a que os resultados da avaliação atuarial se referem. 4

5 relação a novos contingenciamentos judiciais decorrentes de sentença ou de bloqueio de valores posteriores a Data Base da Avaliação Atuarial e à necessidade de adoção de estratégia previdenciária durante o exercício de 2013, consideramos no seu processamento a inexistência de qualquer fato que venha a comprometer a solvência e o equilíbrio financeiro e atuarial do plano de benefícios, conforme estabelece o artigo 80 do Decreto nº 4.942/03, dada a responsabilidade técnicoatuarial da, em relação aos planos administrados pela Fundação. 5

6 2 PROCESSO DA AVALIAÇÃO ATUARIAL O processo de Avaliação Atuarial consiste em realizar os cálculos atuariais, utilizando-se de parâmetros de entrada, como dados cadastrais, informações financeiras, Regulamento e Nota Técnica Atuarial do Plano, Plano de Custeio vigente, bem como legislação previdenciária em vigor, os regimes financeiros, métodos de financiamento e hipóteses atuariais, com o objetivo de apurar os fatores resultantes, como custo do Plano, provisões matemáticas, fundos previdenciais, resultado técnico-atuarial e proposta de Plano de Custeio. Desta forma, nos subitens a seguir, descrevemos os parâmetros de entrada e mecanismos de processamento utilizados nesta Avaliação Atuarial especial de setembro para os devidos acompanhamentos atuariais do PLANO MINASCAIXA, assim como de eventual necessidade de determinação no Plano de Custeio. 2.1 INFORMAÇÕES GERAIS E RESUMO GERAL DO REGULAMENTO DO PLANO As características individuais do PLANO MINASCAIXA, que foi alvo desta Avaliação Atuarial especial de setembro de 2013, assim como o resumo do Regulamento, abordando o leque de benefícios previdenciários e institutos assegurados, inclusive suas características, são os mesmos apresentados no respectivo Relatório de Avaliação Atuarial especial de maio de RE 071/ INFORMAÇÕES DA BASE DE DADOS Os dados cadastrais e as informações financeiras dos Participantes e Assistidos do Plano estão posicionados na data base de 30 de setembro de 2013, conforme informações disponibilizadas pela Fundação Libertas e arquivadas nesta Consultoria SITUAÇÃO DA BASE CADASTRAL Conforme solicitação específica para esta Avaliação Atuarial especial de setembro, verificamos os seguintes dados: Balancete Analítico do Plano de 30/09/2013; Informações Gerais: Último reajuste de benefícios, previsão de inflação adotada pela administradora do Plano, número de Participantes e Assistidos; Dados individualizados dos Participantes Ativos; Dados individualizados dos Aposentados e Pensionistas. 6

7 2.2.2 RESUMO DOS DADOS PERFIL DOS PARTICIPANTES Apresentamos, no quadro abaixo, o perfil dos Participantes e Assistidos do PLANO MINASCAIXA, alvo desta Avaliação Atuarial especial de setembro de 2013, posicionado em setembro de 2013, em comparativo com o perfil dos participantes e assistidos posicionado em maio de 2013, data da última Avaliação Atuarial especial, conforme dados recebidos da Fundação, para fins de realização da Avaliação Atuarial especial. a) Participantes em Atividade Sexo FEMININO MASCULINO Dados Maio/2013 Setembro/2013 Quantidade Idade Média 61,90 61,86 Tempo Médio de Empresa 37,81 37,75 Tempo Médio de Empresa na Aposentadoria 38,38 38,31 Tempo de Plano 34,24 34,23 Tempo de Serviço Futuro 0,57 0,57 Média dos Salários Projetados R$ 1.414,16 R$ 1.405,00 Soma dos Salários Projetados R$ ,01 R$ ,57 Quantidade Idade Média 58,66 58,74 Tempo Médio de Empresa 36,41 36,49 Tempo Médio de Empresa na Aposentadoria 40,13 40,16 Tempo de Plano 32,46 32,50 Tempo de Serviço Futuro 3,72 3,67 Média dos Salários Projetados R$ 1.819,24 R$ 1.830,60 Soma dos Salários Projetados R$ ,74 R$ ,89 Quantidade Total de Participantes Idade Média 60,23 60,24 Tempo Médio de Empresa 37,09 37,10 Tempo Médio de Empresa na Aposentadoria 39,28 39,27 Tempo de Plano 33,32 33,33 Tempo de Serviço Futuro 2,19 2,17 Média dos Salários Projetados R$ 1.622,71 R$ 1.625,57 Soma dos Salários Projetados R$ ,75 R$ ,46 7

8 b) Participantes Autopatrocinados Não existem Participantes Autopatrocinados no Plano, na Data base da Avaliação Atuarial. c) Participantes em Benefício Proporcional Diferido - BPD Em face da inexistência de benefício programado aos atuais Participantes do Plano, bem como, devido a não previsão em dispositivo Regulamentar, o Instituto do Benefício Proporcional Diferido não é aplicável. d) Aposentadoria por Idade e Tempo de Contribuição - Regime CLT GÊNERO FEMININO MASCULINO Dados Maio/2013 Setembro/2013 Quantidade Idade Média 84,68 85,03 Média dos Benefícios R$ 4.778,13 R$ 4.829,26 Soma dos Benefícios R$ ,72 R$ ,49 Quantidade Idade Média 84,69 84,92 Média dos Benefícios R$ 7.401,04 R$ 7.455,75 Soma dos Benefícios R$ ,08 R$ ,22 Quantidade Total de Aposentadoria por Idade e Tempo de Contribuição Idade Média 84,68 84,97 Média dos Benefícios R$ 6.139,75 R$ 6186,77 Soma dos Benefícios R$ ,80 R$ ,71 e) Aposentadoria Especial - Regime CLT Não existem Aposentados em gozo de Aposentadoria Especial no PLANO MINASCAIXA. f) Aposentadoria por Invalidez - Regime CLT GÊNERO FEMININO MASCULINO Dados Maio/2013 Setembro/2013 Quantidade Idade Média 71,14 71,47 Média dos Benefícios R$ 1.328,85 R$ 1.328,85 Soma dos Benefícios R$ ,65 R$ ,65 Quantidade Idade Média 67,34 66,76 Média dos Benefícios R$ 2.271,82 R$ 2.160,30 Soma dos Benefícios R$ ,37 R$ ,51 Quantidade Total de Aposentadoria por Invalidez Idade Média 68,76 68,58 Média dos Benefícios R$ 1920,20 R$ 1.839,39 8

9 GÊNERO Dados Maio/2013 Setembro/2013 Soma dos Benefícios R$ ,02 R$ ,16 g) Aposentadoria por Invalidez - RJU GÊNERO FEMININO MASCULINO Dados Maio/2013 Setembro/2013 Quantidade Idade Média 62,53 62,86 Média dos Benefícios R$ 1.138,41 R$ 1.138,41 Soma dos Benefícios R$ ,76 R$ ,76 Quantidade Idade Média 63,77 64,10 Média dos Benefícios R$ 1.893,91 R$ 1.893,91 Soma dos Benefícios R$ ,61 R$ ,61 Quantidade Total de Aposentadoria por Invalidez Idade Média 63,25 63,58 Média dos Benefícios R$ 1.577,09 R$ 1.577,09 Soma dos Benefícios R$ ,37 R$ ,37 h) Pensões - Regime CLT Gênero do Dependente FEMININO (1) MASCULINO (1) Dados Maio/2013 Setembro/2013 Quantidade Idade Média (2) 74,66 74,72 Média dos Benefícios R$2.448,31 R$2.482,37 Soma dos Benefícios R$ ,48 R$ ,31 Quantidade Idade Média (2) 69,28 69,38 Média dos Benefícios R$1.895,52 R$1.939,78 Soma dos Benefícios R$66.343,05 R$65.952,42 Total Quantidade de pensões Total Idade Média 73,90 73,99 Total Média dos Benefícios R$2.370,60 R$2.407,68 Total Soma dos Benefícios R$ ,53 R$ ,73 (1) Foi considerado o sexo do dependente vitalício mais jovem, e, na ausência deste, o dependente temporário mais jovem. (2) Foi considerada a idade do dependente vitalício mais jovem, e, na ausência deste, o dependente temporário mais jovem. i) Pensões - RJU Gênero do Dependente Dados Maio/2013 Setembro/2013 FEMININO (1) Idade Média (2) 61,06 62,22 Quantidade Média dos Benefícios R$2.781,46 R$2.823,21 9

10 Gênero do Dependente Dados Maio/2013 Setembro/2013 MASCULINO (1) Soma dos Benefícios R$52.847,74 R$56.464,14 Idade Média (2) 63,83 64,17 Média dos Benefícios R$2.202,70 R$2.202,70 Quantidade 2 2 Soma dos Benefícios R$4.405,39 R$4.405,39 Total Quantidade de pensões Total Idade Média 61,32 62,39 Total Média dos Benefícios R$2.726,34 R$2.766,80 Total Soma dos Benefícios R$57.253,13 R$ ,53 (1) Foi considerado o sexo do dependente vitalício mais jovem, e, na ausência deste, o dependente temporário mais jovem. (2) Foi considerada a idade do dependente vitalício mais jovem, e, na ausência deste, o dependente temporário mais jovem. 2.3 HIPÓTESES ATUARIAIS A legislação brasileira estabelece alguns princípios básicos que devem ser seguidos em uma Avaliação Atuarial, dentre eles os métodos aceitáveis para a avaliação dos custos de cada tipo de benefício, e regulamenta a aplicabilidade dos regimes de financiamento em relação aos benefícios oferecidos por um Plano de Benefícios Previdenciais. Em conformidade com a legislação em vigor, em especial a Resolução MPS/CGPC 18, de 28 de março de 2006, alterada pela Resolução MPS/CNPC 09/2012, a apresenta as hipóteses biométricas, demográficas, econômicas e financeiras de maior impacto sobre os resultados atuariais do PLANO MINASCAIXA, que foram utilizadas para o desenvolvimento da Avaliação Atuarial especial de setembro, quais sejam: 10

11 ITEM HIPÓTESES ATUARIAIS VIGENTES Avaliação Atuarial especial posicionada em mai/2013 HIPÓTESES ATUARIAIS VIGENTES Avaliação Atuarial especial posicionada em set/2013 Taxa de Rotatividade 0,00% a.a. 0,00% a.a. Novos entrados Não Aplicável Não Aplicável Taxa de Juros Técnicos 4,84% a.a. 4,84% a.a. Crescimento Real dos Salários 1,00% a.a. 1,00% a.a. Fator de Capacidade 0,9803 0,9803 Mortalidade Geral AT-2000 M&F AT-2000 M&F Mortalidade de Inválidos RP 2000 DISABLE M&F RP 2000 DISABLE M&F Entrada em Invalidez Álvaro Vindas Álvaro Vindas Entrada em Auxílio Doença Não Aplicável Não Aplicável Entrada em aposentadoria dos Participantes Primeira idade em que o Participante se torna elegível ao benefício de Aposentadoria Normal no Plano - Hx EXP. LIBERTAS/ Hipótese Familiar MINASCAIXA 2012 M&F (1) Conforme dados e informações disponibilizados pela Fundação Libertas. Primeira idade em que o Participante se torna elegível ao benefício de Aposentadoria Normal no Plano - Hx EXP. LIBERTAS/ MINASCAIXA 2012 M&F Salientamos que as hipóteses aqui utilizadas foram as mesmas da Avaliação Atuarial especial de maio de 2013, e da Avaliação Atuarial anual de 2012, conforme expostas nos respectivos Relatórios, sendo a aderência de tais hipóteses testada à época de tal Avaliação, conforme resultados disponibilizados anteriormente à Fundação Libertas, de forma que aquelas utilizadas nesta avaliação foram indicadas pela antedita Fundação, dentre aquelas apresentadas no respectivo Relatório de Teste de Aderência. Por oportuno, ressaltamos que as referidas hipóteses, apresentadas no quadro acima, estão em conformidade com os princípios atuariais geralmente aceitos pela legislação brasileira e pela comunidade internacional de atuária, tendo em vista o longo prazo previsto para a integralização das obrigações previdenciais. 2.4 REGIMES FINANCEIROS E MÉTODO ATUARIAL Na elaboração da Avaliação Atuarial são calculadas as Provisões [Reservas] do Plano de Benefícios, onde definimos os Custos ou Obrigações do Plano, em relação aos seus Participantes e Assistidos. O custo consiste na expressão monetária do somatório de todos os pagamentos a valor presente dos benefícios futuros, os quais o Plano tem a obrigação de efetuar, tanto para os atuais Assistidos, como para os que ainda terão seus benefícios concedidos, levando ainda em consideração, as Despesas Administrativas pertinentes ao período considerado. Definido o custo do Plano, o próximo passo é definir a forma de financiamento ou custeio deste, de forma que o valor presente do somatório das contribuições futuras seja igual ao valor presente dos benefícios futuros. Para os cálculos desta Avaliação Atuarial especial de setembro, estes pressupostos se mantiveram inalterados, em relação àqueles utilizados na Avaliação 11

12 Atuarial especial de maio de 2013, conforme exposta no respectivo Relatório, e apresentado no quadro abaixo: TIPO DE BENEFÍCIO Aposentadoria por Invalidez com reversão em Suplementação de Pensão* REGIMES FINANCEIROS MÉTODOS ATUARIAIS REGIMES FINANCEIROS maio de 2013 setembro de 2013 MÉTODOS ATUARIAIS Capitalização Agregado 1 Capitalização Agregado 1 Pecúlio por Morte Capitalização Agregado 1 Capitalização Agregado 1 Suplementação de Pensão* Capitalização Agregado 1 Capitalização Agregado 1 1) Método Agregado, conforme Nota Técnica do Plano, onde, em face às disposições da Resolução MPS/CGPC 26/08, depreende-se que os Déficits e Superávits técnicos deverão ser tratados de forma independente do custo normal do plano. * Considera a respectiva parcela referente à Suplementação do Décimo Terceiro benefício. TIPO DE BENEFÍCIO Suplementação de Aposentadoria por Idade* Suplementação de Aposentadoria por Tempo de Contribuição* Suplementação de Aposentadoria Especial* Suplementação de Aposentadoria por Invalidez* Suplementação de Auxílio Doença Suplementação de Pensão por Morte de Participante Suplementação de Auxílio-Reclusão REGIMES FINANCEIROS MÉTODOS ATUARIAIS Capitalização Crédito Unitário Projetado Capitalização Crédito Unitário Projetado Capitalização Crédito Unitário Projetado Capitalização Crédito Unitário Projetado Repartição Simples Repartição Simples Capitalização Crédito Unitário Projetado Repartição Simples Repartição Simples * Incluí a respectiva reversão do benefício em pensão por morte e Abono Anual. ** Incluí o Abono Anual. 1) Método Agregado, conforme Nota Técnica do Plano, onde, em face às disposições da Resolução MPS/CGPC nº 26/08, depreende-se que os Déficits e Superávits técnicos deverão ser tratados de forma independente do custo normal do Plano. 2) Mantido o Regime Financeiro de Repartição de Capitais de Cobertura, conforme determinação da Fundação Libertas. 3) Os benefícios de Auxílio Doença e de Pecúlio por Morte não possuem Regime Financeiro e Método de Financiamento, e por conseguinte não há custo para a cobertura e nem cálculo de Provisões Matemáticas relativas a eles, visto que os valores de pagamento durante os primeiros 24 meses do Auxílio Doença são ressarcidos ao Plano pela Patrocinadora e o Pecúlio é pago por meio de Seguro cujo prêmio é de responsabilidade da Patrocinadora. 2.5 PATRIMÔNIO DE COBERTURA DO PLANO De acordo com o Balancete Analítico do PLANO MINASCAIXA, posicionado em 30/09/2013, calculamos o Patrimônio de Cobertura do Plano, conforme apresentado a seguir: ITEM MAIO DE 2013 SETEMBRO DE 2013 (=) Total do Ativo Contábil , ,39 (-) Exigível Operacional ( ,25) ( ,73) (-) Exigível Contingencial ( ,38) ( ,99) (=) Patrimônio Social , ,67 (-) Fundo de Investimentos ( ,08) ( ,73) (-) Fundo Previdencial 0,00 0,00 (-) Fundo Administrativo (291,63) 0,00 12

13 ITEM MAIO DE 2013 SETEMBRO DE 2013 (=) Patrimônio de Cobertura do Plano , ,94 Para o cálculo do referido Patrimônio de Cobertura, descontam-se do total do Ativo contábil, os valores comprometidos com outras despesas ou obrigações, que não a cobertura das Provisões [Reservas] Matemáticas, como é o caso dos Exigíveis e Fundos. Assim, o Patrimônio de Cobertura do Plano que será destinado à cobertura destas Provisões para a Avaliação Atuarial especial pode ser verificada no quadro apresentado no subitem 3.1 deste documento. Nos subitens subsequentes deste Relatório, sempre que nos referirmos ao patrimônio do Plano, estaremos nos referindo ao Patrimônio de Cobertura do Plano, calculado na data base de 30/09/2013. Em nenhum momento deste estudo questiona-se a qualidade dos ativos de garantia do Plano, nem a exatidão dos Exigíveis e dos Fundos, uma vez que a determinação destes é de responsabilidade exclusiva da Fundação Libertas. 13

14 3 RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL Com base nos parâmetros de entrada e processamentos descritos no item 2 deste Relatório, descrevemos nos subitens a seguir os resultados obtidos na Avaliação Atuarial especial, posicionada em 30 de setembro de PROVISÕES MATEMÁTICAS As Provisões Matemáticas representam o montante necessário para a garantia dos pagamentos dos benefícios futuros oferecidos pelo Plano, e seu valor está ligado ao método atuarial utilizado para o financiamento dos benefícios. Apresentamos no quadro abaixo, os valores relativos às Provisões [Reservas] Matemáticas do PLANO MINASCAIXA, referentes a esta Avaliação Atuarial especial de setembro de 2013, a saber: ITEM Valores em R$ RESULTADOS AVALIAÇÃO ATUARIAL Variação SETEMBRO/2013 (B)/(A)-1 (B) MAIO/2013 (A) PROVISÕES MATEMÁTICAS , ,94-2,48% BENEFÍCIOS CONCEDIDOS (1) , ,76-2,10% Contribuição Definida - - Benefício Definido estruturado em Regime de Capitalização , ,76-2,10% Valor Atual dos Benefícios Futuros Programados ,79 Assistidos ,76-3,68% Valor Atual dos Benefícios Futuros Não Programados Assistidos , ,00-0,48% BENEFÍCIOS A CONCEDER (2) , ,55-11,98% Contribuição Definida - - Benefício Definido estruturado em Regime de Capitalização Programado - Valor Atual dos Benefícios Futuros Programados (-) Valor Atual das Contribuições Futuras dos Patrocinadores (-) Valor Atual das Contribuições Futuras dos Participantes Benefício Definido estruturado em Regime de Capitalização Não Programado , ,55-11,98% Valor Atual dos Benefícios Futuros Não Programados , ,55-11,98% (-) Valor Atual das Contribuições Futuras dos Patrocinadores 0,00 0,00 (-) Valor Atual das Contribuições Futuras dos Participantes 0,00 0,00 Benefício Definido estruturado em Regime de Repartição de Capitais de Cobertura (3) 0,00 0,00 Valor Atual dos Benefícios Futuros Programados 0,00 0,00 (-) Valor Atual das Contribuições Futuras dos Patrocinadores 0,00 0,00 (-) Valor Atual das Contribuições Futuras dos Participantes 0,00 0,00 14

15 ITEM RESULTADOS AVALIAÇÃO ATUARIAL SETEMBRO/2013 (B) MAIO/2013 (A) Variação (B)/(A)-1 Benefício Definido estruturado em Regime de Repartição Simples 0,00 0,00 PROVISÕES A CONSTITUIR ( ,65) ( ,37) -7,17% (-) Serviço Passado 0,00 0,00 (-) Patrocinador(es) 0,00 0,00 (-) Participantes 0,00 0,00 (-) Déficit Equacionado ( ,65) ( ,37) -7,17% (-) Patrocinador(es) - - (-) Participantes ( ,73) ( ,79) -15,13% (-) Assistidos ( ,92) ( ,58) -5,61% (+/-) Por Ajustes das Contribuições Extraordinárias (+/-)Patrocinador(es) 0,00 (+/-) Participantes 0,00 (+/-) Assistidos 0,00 - (1) Valor dos encargos dos benefícios determinadas atuarialmente pelo valor presente dos benefícios líquidos de eventual contribuição devida por eles. (2) Valor dos encargos dos benefícios determinadas atuarialmente pelo valor presente dos benefícios líquidos de eventual contribuição devida por eles, descontadas as contribuições futuras devidas pela Patrocinadora e pelos Participantes do Plano durante o período de diferimento até a aposentadoria. 3.2 RESULTADO ATUARIAL DO PLANO 0,00 Os métodos de capitalização preconizam a constituição de recursos patrimoniais garantidores dos compromissos assumidos pelo Plano, a serem pagos ao longo do tempo. Os recursos patrimoniais são constituídos através da acumulação das contribuições geradas pelo Plano de Custeio do Plano e pelas inversões financeiras desta acumulação. Desta forma, objetivando-se detectar a adequação ou a suficiência do patrimônio do Plano acumulado até a data desta Avaliação Atuarial especial, posicionada em 30 de setembro de 2013, frente aos compromissos assumidos pelo Plano no futuro, posicionados na mesma data, feita pela comparação entre as Provisões [Reservas] Matemáticas e o Patrimônio de Cobertura do Plano, comparativamente aos valores da Avaliação Atuarial especial posicionada em 31 de maio de 2013, apresentamos nos subitens a seguir, a mensuração da saúde econômico-financeira e atuarial do PLANO MINASCAIXA, dada pelo equilíbrio, superávit ou déficit técnico acumulado: ITEM AVALIAÇÃO ATUARIAL MAIO/13 (A) SETEMBRO/13(B) Valores em R$ Variação (B)/(A)-1 A) BENEFÍCIOS CONCEDIDOS (A) , ,76-2,10% B) BENEFÍCIOS A CONCEDER (B) , ,55-11,98% C) PROVISÕES A CONSTITUIR (C) ( ,65) ( ,37) -7,17% D) TOTAL DAS PROVISÕES MATEMÁTICAS (=A+B+C) , ,94-2,48% E) ATIVO DO PLANO , ,39 F) EXIGÍVEL OPERACIONAL ( ,25) ( ,73) 15

16 AVALIAÇÃO ATUARIAL ITEM MAIO/13 (A) SETEMBRO/13(B) G) EXIGÍVEL CONTIGENCIAL ( ,38) ( ,99) Variação (B)/(A)-1 H) PATRIMÔNIO SOCIAL (=E-F-G) , ,67-2,48% I) FUNDOS ,71 ( ,73) -0,75% J) PATRIMÔNIO DE COBERTURA DO PLANO (=H-I) , ,94-2,48% K) RESULTADO ACUMULADO (=L) 0,00 0,00 0,00% L) SUPERÁVIT/(DÉFICIT TÉCNICO) (J D) 0,00 0,00 0,00% M) RESERVA DE CONTINGÊNCIA 0,00 0,00 0,00% N) RESERVA ESPECIAL (L M) 0,00 0,00 0,00% 3.3 CUSTO ANUAL MÉDIO E PLANO DE CUSTEIO DO PLANO MINASCAIXA Em face desta Avaliação Atuarial especial de setembro objetivar a reavaliação das Provisões Matemáticas do Plano em tela e do Plano de Custeio Extraordinário, apresentamos a seguir o custo anual médio do Plano, bem como Plano de Custeio proposto para o PLANO MINASCAIXA a viger a partir de 01/10/2013 até o início de vigência do Plano de Custeio decorrente da Avaliação Atuarial anual de CUSTO ANUAL MÉDIO DO PLANO O quadro a seguir, apresenta os custos dos benefícios assegurados pelo Plano em percentual da Folha de Salários de Participação, calculados em conformidade com os regimes e métodos atuariais e demais informações, conforme descritos neste Relatório: AVALIAÇÃO ATUARIAL ESPECIAL SETEMBRO DE 2013 ITEM MAIO/2013 SETEMBRO/2013 Aposentadoria e Reversão 0,0000% 0,0000% Invalidez e Reversão 0,0000% 0,0000% Pensão por Morte na atividade 0,0000% 0,0000% Auxílio-Doença 0,0000% 0,0000% Auxílio-Reclusão 0,0000% 0,0000% Pecúlios 0,0000% 0,0000% Resgate 0,0000% 0,0000% Outros Benefícios 0,0000% 0,0000% Outros Benefícios 0,0000% 0,0000% Outros Benefícios Administração Total dos Benefícios 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% Total dos Benefícios e administração 0,0000% 0,0000% Amortizantes joia 0,0000% 0,0000% Amortização do Déficit 9,3630% 8,6590% Total 9,3630% 8,6590% 16

17 3.3.2 PLANO DE CUSTEIO AVALIAÇÃO ATUARIAL ITEM MAIO/13 SETEMBRO/13 PATROCINADORES 0,0000% 0,0000% Normal 0,0000% 0,0000% Amortizante 0,0000% 0,0000% PARTICIPANTES 9,3630% 8,6590% Normal 0,0000% 0,0000% Amortizante e Joias 9,3630% 8,6590% Total do Custeio 9,3630% 8,6590% ASSISTIDOS 32,1470% 31,0570% Normal*** 1,8950% 1,8630% Administração referente a contribuição dos assistidos**** 0,1870% 0,1840% Amortizante 30,0650% 29,0100% * Taxa média considerando as Contribuições Extraordinárias Extemporâneas dos aposentados, a quem é aplicável. ** Sobre benefícios de todos os assistidos. O fator de Contribuição Extraordinária decorre da razão entre a referida Contribuição Extraordinária anual e a Contribuição Normal anual, conforme abaixo: ITEM SETEMBRO DE 2013 PATROCINADORES 0,00% Normal 0,00% Administração 0,00% Amortizante considerando a Tx de Carregamento (% referencial sobre o salário) 0,00% Amortizante considerando a Tx de Carregamento - Valor monetário mensal, sem 13º 0,00% PARTICIPANTES 8,66% Normal 0,00% Administração 0,00% Amortizante considerando a Tx de Carregamento (% referencial sobre o salário) 8,66% Amortizante considerando a Tx de Carregamento - Valor monetário mensal, sem 13º ,55 Total do custeio normal + extraordinário 8,66% ASSISTIDOS 31,06% Contribuição dos assistidos * 1,86% Administração * 0,18% Amortizante considerando a Tx de Carregamento (% referencial sobre o salário) 29,01% Amortizante considerando a Tx de Carregamento - Valor monetário mensal, sem 13º ,87 * Taxa média considerando as Contribuições Extraordinárias Extemporâneas dos aposentados, a quem é aplicável. ** Sobre benefícios de todos os assistidos. 17

18 Os fatores e as taxas médias do Plano de Custeio são decorrentes e calculadas com base no valor presente atuarial da folha de participação e contribuição, a seguir informado: ITEM MAIO/13 AVALIAÇÃO ATUARIAL SETEMBRO/13 Valor presente atuarial da Folha de Salários* , ,00 Valor anualizado da Folha de Salários* , ,00 Valor presente da Folha de Benefícios , ,00 Valor anualizado da Folha de Benefícios , ,50 Valor presente das contribuições de participantes ** - - Valor presente atuarial das contribuições de assistidos , ,00 Valor presente atuarial das contribuições administrativas de assistidos , ,76 *Considerando que a base de dados apresenta a maioria dos participantes como elegiveis, considerouse o valor presente atuarial da Folha de Salários de Participação ao equivalente a doze meses (treze parcelas). ** Segundo informação da Fundação, não há contribuição normal dos Participantes e da Patrocinadora ao Plano. Em face desta Avaliação Atuarial especial ter como objetivo a reavaliação das Provisões Matemáticas do Plano e da suficiência do Plano de Custeio Extraordinário, e haja vista informações prestadas pela Fundação de que não houve e não haverá previsão de redução ou aumento para os próximos meses, das despesas administrativas da Fundação cabíveis ao Plano em referência, as quais implicariam em alteração dos recursos a serem arrecadados pelo Plano para a sua administração, não far-se-á necessário promover alteração do Plano de Custeio Administrativo até o início de vigência do Plano de Custeio decorrente da Avaliação Atuarial anual de Desta forma, não serão procedidas reavaliações do Custo Administrativo do Plano, assim como o respectivo Plano de Custeio, permanecendo vigente aquele apurado na Avaliação Atuarial especial de maio de 2013, conforme documentos formais de referida Avaliação, como Relatório, Parecer Atuarial, Plano de Custeio e Demonstrações Atuariais. 18

19 4 CONCLUSÃO Atendendo à solicitação da Fundação Libertas, em que esta visa executar a reavaliação das Provisões Matemáticas e Plano de Custeio Extraordinário do PLANO MINASCAIXA, a Consultores Associados apresenta os resultados da Avaliação Atuarial especial de setembro de 2013 para o Plano de Benefícios denominado PLANO MINASCAIXA, posicionada em 30/09/2013, executadas com base no Regulamento e na Nota Técnica Atuarial, nos dados individualizados dos Participantes e Assistidos, levantados e informados pela Entidade, considerando a data base cadastral em 30/09/2013, bem como nas informações contábeis e patrimoniais do Plano posicionadas nesta mesma data. Haja vista que um dos principais objetivos desta Avaliação Atuarial especial de setembro é avaliar o Plano de Custeio Extraordinário, será procedida reavaliação do Custo Extraordinário do Plano, assim como o respectivo Plano de Custeio, cuja vigência dar-se-á de 01 de outubro de 2013 até a Avaliação Atuarial anual de 2013, conforme documento formal de referida Avaliação, como Relatório, Parecer Atuarial, Plano de Custeio e Demonstrações Atuariais - DA. Desta forma, não serão procedidas reavaliações do Custeio Normal do Plano e do Custo e Custeio Administrativo, permanecendo vigente aquele apurado na Avaliação Atuarial especial de maio de 2013, conforme documentos formais de referida Avaliação, como Relatório, Parecer Atuarial, Plano de Custeio e Demonstrações Atuariais. Cumpre destacar que, para fins desta Avaliação Atuarial especial de setembro, os valores de patrimônio, ativos de investimentos e exigíveis do PLANO MINASCAIXA, foram os informados pela Fundação, através do balancete do mês de setembro de 2013, sendo tal fato de inteira e exclusiva responsabilidade da Fundação Libertas. 19

20 Conclui-se, ante o exposto, que a situação econômico-atuarial do PLANO MINASCAIXA, em 30/09/2013, encontra-se equilibrada, observada a constituição da Provisão Matemática a Constituir no montante de R$ ,37 (sessenta e sete milhões, oitocentos e quarenta e nove mil, seiscentos e setenta e oito reais e trinta e sete centavos), e ainda que haja a correspondente receita das Contribuições Extraordinárias por parte da Patrocinadora, Participantes e Assistidos, na forma prevista no Plano de Custeio apresentado neste documento. Brasília, 15 de outubro de ANDRÉ LUÍS COSTA ARAÚJO Atuário MIBA MTb/RJ CONSULTOR ATUARIAL JULIANA CARNEIRO V. ROCHA Atuária MIBA MTb/RJ SUPERVISORA ATUARIAL CESAR LUIZ DANIELI Atuário MIBA MTb/RJ DIRETOR TÉCNICO ANTÔNIO FERNANDO GAZZONI Atuário MIBA MTb/RJ DIRETOR-PRESIDENTE SCN Q.5 SALA 118 Torre Norte Brasília Shopping Brasília DF

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT Demonstrações Financeiras Relatório Anual 04 Visão Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Celular CRT Período: 04 e 03 dezembro R$ Mil Descrição 04 03 Variação (%). Ativos.85.769

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS 1- SIGLA: BUNGEPREV 2- CÓDIGO: 3861 3- RAZÃO SOCIAL: BUNGEPREV - Fundo Múltiplo de Prev idência Priv

Leia mais

15 Disponível. 1. Adições. 4 Recebível. (+) Contribuições. 398 Investimento. -1 Empréstimos e Financiamentos. 2. Destinações - - - (-) Benefícios

15 Disponível. 1. Adições. 4 Recebível. (+) Contribuições. 398 Investimento. -1 Empréstimos e Financiamentos. 2. Destinações - - - (-) Benefícios Demonstração do Ativo Líquido por Plano Benefícios PBS Telemig Celular Período: 015 e 0 zembro R$ Mil Demonstração da Mutação do Ativo Líquido por Plano Benefícios PBS Telemig Celular / Período: 015 e

Leia mais

FUNDAÇÃO LIBERTAS. Avaliação Atuarial de 2014. Plano de Benefícios CODEMIG Prev CNPB 2013.0016-65. Parecer Atuarial 057/15

FUNDAÇÃO LIBERTAS. Avaliação Atuarial de 2014. Plano de Benefícios CODEMIG Prev CNPB 2013.0016-65. Parecer Atuarial 057/15 FUNDAÇÃO LIBERTAS Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios CODEMIG Prev CNPB 2013.0016-65 Parecer Atuarial 057/15 Fevereiro/2015 PARECER ATUARIAL 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Atendendo as disposições

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

9- VALOR 6- 8- ÚLTIMA 7- INÍCIO DE RESGATE SALÁRIO DA 5- PLANOS 19.980.014-74 - PLANO DE 35% DA MEDIA SALARIAL R$ 440.797,11 8.441 R$ 281.990.

9- VALOR 6- 8- ÚLTIMA 7- INÍCIO DE RESGATE SALÁRIO DA 5- PLANOS 19.980.014-74 - PLANO DE 35% DA MEDIA SALARIAL R$ 440.797,11 8.441 R$ 281.990. FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 4- NÚMERO DE PLANOS: 4 5- PLANOS 19.980.014-74 - PLANO DE 35% DA MEDIA SALARIAL 9- VALOR

Leia mais

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO Fevereiro/2012 Apresentação Prezado participante, Com o objetivo de mostrar como funciona a Fundação Coelce de Seguridade Social Faelce e o Plano de Benefícios Definidos,

Leia mais

Renda Vitalícia por Aposentadoria por SRB - INSS Benefício Definido Capitalização Crédito Unitário Projetado Invalidez (1)

Renda Vitalícia por Aposentadoria por SRB - INSS Benefício Definido Capitalização Crédito Unitário Projetado Invalidez (1) PARECER ATUARIAL PLANO DE BENEFÍCIOS REB 1998 AVALIAÇÃO ANUAL 2005 Fl. 1/6 ENTIDADE SIGLA: FUNCEF 1 CÓDIGO: 01523 2 RAZÃO SOCIAL: FUNCEF-FUNDAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS FEDERAIS 18 3 PLANO NOME DO PLANO: REB

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA DA transmitida à Previc em 27/03/2013 às 11:08:58 Número do protocolo: 005549 INFORMAÇÕES CADASTRAIS ENTIDADE Código: 0134-5 CNPJ: 02.884.385/0001-22 Sigla: ELETRA Razão Social: ELETRA FUNDACAO CELG DE

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Telest Celular Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Recebível Investimento

Leia mais

Introdução. elaborada pela Fundação Libertas e pela Gama Consultores, e aprovada pela Prodemge e pela

Introdução. elaborada pela Fundação Libertas e pela Gama Consultores, e aprovada pela Prodemge e pela Introdução E sta cartilha apresenta a Estratégia Previdencial que está sendo adotada para solucionar os problemas enfrentados pelo Plano Prodemge RP5-II (modalidade BD). A estratégia foi elaborada pela

Leia mais

Rua Bernardo Guimarães, 63 Funcionários Belo Horizonte MG Cep 30140-080 Telefones (31) 3284-8407 3284-2625 Fax: 3284-8931 E-mail: casfam@fiemg.com.

Rua Bernardo Guimarães, 63 Funcionários Belo Horizonte MG Cep 30140-080 Telefones (31) 3284-8407 3284-2625 Fax: 3284-8931 E-mail: casfam@fiemg.com. MATERIAL EXPLICATIVO DO PLANO DE BENEFÍCIOS SISTEMA FIEMG Outubro / 2013 A CASFAM A CASFAM é uma Entidade Fechada de Previdência Complementar (EFPC), sociedade civil patrocinada pelo Sistema FIEMG, com

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA DA transmitida à Previc em 27/03/2013 às 11:10:46 Número do protocolo: 005262 INFORMAÇÕES CADASTRAIS ENTIDADE Código: 0134-5 CNPJ: 02.884.385/0001-22 Sigla: ELETRA Razão Social: ELETRA FUNDACAO CELG DE

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [49.323.025/0001-15] SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA DE SUPLEMENTACAO PREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1985.0012-92] PB USIBA ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [10.530.382/0001-19] FUNDO DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE PERNAMBUCO-ALEPEPREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2008.0048-56] ALEPEPREV ENCERRAMENTO

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Telesp Celular Exercício: 2013 e 2012 - dezembro - R$ Mil

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Telesp Celular Exercício: 2013 e 2012 - dezembro - R$ Mil Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios PBS Telesp Celular Exercício: 203 e 202 dezembro R$ Mil Descrição 203 202 Variação (%) Relatório Anual 203 Visão Prev. Ativos Disponível Recebível

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 2 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014.

Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014. Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014. STEA:- 80/2014/153 Ilma. Sra. Dra. Jussara Carvalho Salustino M.D. Diretora Presidente da ECOS Ref:- Parecer Atuarial sobre o Balanço de 31/12/2013 Plano BD Prezada

Leia mais

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000)

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) PLANO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE LONDRINA

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [00.469.585/0001-93] FACEB - FUNDACAO DE PREVIDENCIA DOS EMPREGADOS DA CEB PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2006.0068-11] CEBPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2013 Atuário

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [01.225.861/0001-30] REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDENCIA PRIVADA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2012.0017-18] PB CD-02 ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário Responsável

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 1 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.050.042-11 - PLANO PREVER DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [01.541.775/0001-37] HP PREV SOCIEDADE PREVIDENCIARIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1996.0026-19] PLANO HP PREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário Responsável MIRIA

Leia mais

Regius - Plano de Benefícios 03 1

Regius - Plano de Benefícios 03 1 Regius - Plano de Benefícios 03 1 Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios 03 da Regius Sociedade Civil de Previdência Privada em 31/12/2010, com o objetivo de identificar sua situação

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: 00552 3- RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: 00552 3- RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.020.006-38 - PLANO DE BENEFÍCIOS MULTIFUTURO I 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

Leia mais

POUPREV FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL RESUMO DO RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES DE 2014

POUPREV FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL RESUMO DO RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES DE 2014 POUPREV FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL RESUMO DO RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES DE 2014 O presente resumo do Relatório Anual de Informações de 2014 trata das atividades desenvolvidas pela POUPREV, no referido

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [07.083.033/0001-91] CABEC-CAIXA DE PREVIDENCIA PRIVADA DO BEC PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1979.0019-11] BD ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2011 Atuário Responsável VICENTE

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL [29.959.574/0001-73] FUNDACAO DE PREVIDENCIA DOS SERVIDORES DO IRB PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: TIPO: RETIFICADORA: [1977.0001-18] PLANO A ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2012 COMPLETA

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [05.054.648/0001-64] CX DE PREV E ASSIS AOS FUNC DO B EST DO PARA SA CAFBEP PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2002.0009-56] PREV-RENDA ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 2 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

NOTA TÉCNICA ATUARIAL Plano Executivo Federal

NOTA TÉCNICA ATUARIAL Plano Executivo Federal Universidade Federal do Ceará - UFC Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade FEAAC Curso de Ciências Atuariais NOTA TÉCNICA ATUARIAL Plano Executivo Federal do Plano Executivo Federal,

Leia mais

PARECER ATUARIAL 2014

PARECER ATUARIAL 2014 PARECER ATUARIAL 2014 Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro 1. OBJETIVO 1.1. O presente Parecer Atuarial tem por objetivo informar sobre a qualidade da base cadastral, as premissas atuariais,

Leia mais

Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes

Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores, Participantes e Patrocinadores Bungeprev Fundo

Leia mais

CARTILHA DO PLANO C FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

CARTILHA DO PLANO C FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT CARTILHA DO PLANO C Cartilha do Plano C APRESENTAÇÃO O plano de benefícios previdenciários conhecido como Plano C foi implantado em 1997. O regulamento do Plano C foi adaptado à Lei Complementar nº 109,

Leia mais

Plano de Previdência Complementar CPFL PPCPFL

Plano de Previdência Complementar CPFL PPCPFL Plano de Previdência Complementar CPFL PPCPFL Vigência: 1º/09/2010 APROVADO PELA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PORTARIA PREVIC 613, DE 13 DE AGOSTO DE 2010. PPCPFL 1 ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

GESTÃO DE RISCOS ATUARIAIS ANTÔNIO FERNANDO GAZZONI ABR.14

GESTÃO DE RISCOS ATUARIAIS ANTÔNIO FERNANDO GAZZONI ABR.14 GESTÃO DE RISCOS ATUARIAIS ANTÔNIO FERNANDO GAZZONI ABR.14 AGENDA CONSIDERAÇÕES INICIAIS E CONTEXTUALIZAÇÃO ASPECTOS RELEVANTES DE GOVERNANÇA INSTRUMENTOS DE GESTÃO DO RISCO ATUARIAL CONSIDERAÇÕES FINAIS

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [08.071.645/0001-27] CIASPREV - CENTRO DE INTEGRACAO E ASSISTENCIA AOS SERVIDORES PUBLICOS PREVIDENCIA PRIVADA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2005.0049-11] PREVINA ENCERRAMENTO

Leia mais

AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL. Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01

AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL. Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01 AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01 Viçosa Minas Gerais Fevereiro/2008 Índice Página Glossário - Capítulo II Das Definições... 3 Nome do Plano de Benefícios

Leia mais

PREVIMINAS. Avaliação Atuarial de 2011 PLANO DE BENEFÍCIOS 4 RP4 - PLANO MGS CNPB 1992.0009-56. Parecer Atuarial 008/12

PREVIMINAS. Avaliação Atuarial de 2011 PLANO DE BENEFÍCIOS 4 RP4 - PLANO MGS CNPB 1992.0009-56. Parecer Atuarial 008/12 PREVIMINAS Avaliação Atuarial de 2011 PLANO DE BENEFÍCIOS 4 RP4 - PLANO MGS CNPB 1992.0009-56 Parecer Atuarial 008/12 MARÇO/2012 PARECER ATUARIAL 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Atendendo as disposições da Lei

Leia mais

Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I

Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I Pareceres PARECER ATUARIAL DA AVALIAÇÃO REALIZADA EM 31/12/2009 Considerações iniciais O presente parecer tem por objetivo apresentar nossas considerações

Leia mais

FUNPRESP-JUD. Avaliação Atuarial de 2013 PLANO FUNPRESP-JUD CNPB 2013.0017-38. Parecer Atuarial 041/14

FUNPRESP-JUD. Avaliação Atuarial de 2013 PLANO FUNPRESP-JUD CNPB 2013.0017-38. Parecer Atuarial 041/14 FUNPRESP-JUD Avaliação Atuarial de 2013 PLANO FUNPRESP-JUD CNPB 2013.0017-38 Parecer Atuarial 041/14 FEVEREIRO/2014 PARECER ATUARIAL 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Atendendo as disposições da Lei Complementar

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA - FGV PREVI DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE

Leia mais

Cafbep - Plano Prev-Renda 1

Cafbep - Plano Prev-Renda 1 Cafbep - Plano Prev-Renda 1 Parecer Atuarial Para fins da avaliação atuarial referente ao exercício de 2013 do Plano Prev-Renda da Cafbep Caixa de Previdência e Assistência aos Funcionários do Banco do

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Vivo Prev

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Vivo Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Vivo Prev Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Disponível Recebível Investimento

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 8 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 19.810.009-92 - PLANO DE BENEFÍCIOS N.º 001 - BROOKLYN 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Multi

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Multi Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Multi Exercício: 013 e 01 dezembro R$ Mil Descrição 013 01 Variação (%) Relatório Anual 013 Visão Prev 1. Ativos Recebível Investimento Ações

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [49.323.025/0001-15] SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA DE SUPLEMENTACAO PREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1990.0016-29] PLANO DE BENEFÍCIOS BD ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014

Leia mais

Parecer Atuarial. Cadastro. Características do Plano. Hipóteses Atuariais

Parecer Atuarial. Cadastro. Características do Plano. Hipóteses Atuariais Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente o Plano PREV-RENDA da CAFBEP Caixa de Previdência e Assistência aos Funcionários do Banco do Estado do Pará, patrocinado pelo BANPARÁ com o objetivo de identificar

Leia mais

Celgprev CELPREV. Cartilha do Participante. Introdução

Celgprev CELPREV. Cartilha do Participante. Introdução Celgprev CELPREV Cartilha do Participante Introdução A partir de dezembro de 2000, a CELG distribuição, a Celg geração e transmissão, Celgpar e a ELETRA passam a oferecer aos seus empregados o Celgprev:

Leia mais

demonstração da Mutação do ativo Líquido

demonstração da Mutação do ativo Líquido Período: dezembro de 2010 R$ mil demonstração da Mutação do ativo Líquido Visão ATelecom Descrição 2010 A) Ativo Líquido - Início do Exercício 2.207 1. Adições 4.979 (+) Contribuições 4.727 (+) Resultado

Leia mais

JESSÉ MONTELLO Serviços Técnicos em Atuária e Economia Ltda.

JESSÉ MONTELLO Serviços Técnicos em Atuária e Economia Ltda. PARECER ATUARIAL V.1- Custos para o exercício seguinte em relação ao anterior: 1) A aplicação da metodologia de cálculo atuarial estabelecida para o plano de benefícios da FUNCASAL, utilizando as hipóteses

Leia mais

Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC

Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC Relatório PREVI 2013 Parecer Atuarial 2013 74 Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC 1 OBJETIVO 1.1 O presente Parecer Atuarial tem por objetivo informar sobre

Leia mais

ACEPREV Acesita Previdência Privada. Em todos os momentos, em cada oscilação da vida, a SOLIDEZ sustenta a tranquilidade.

ACEPREV Acesita Previdência Privada. Em todos os momentos, em cada oscilação da vida, a SOLIDEZ sustenta a tranquilidade. ACEPREV Acesita Previdência Privada Em todos os momentos, em cada oscilação da vida, a SOLIDEZ sustenta a tranquilidade. RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2008 M ENSAGEM DA DIRETORIA A Diretoria Executiva

Leia mais

PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) Nome. Matrícula Lotação Tel. Comercial. Email: Carteira de Identidade CPF

PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) Nome. Matrícula Lotação Tel. Comercial. Email: Carteira de Identidade CPF ELETRA - FUNDAÇÃO CELG DE SEGUROS E PREVIDÊNCIA www.eletra.org.br - versão: 05/2015 12.08.2015 - pág.: 1 PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) ( ) ATIVO ( ) APOSENTADO

Leia mais

Sumário. Planos de Contribuição Variável

Sumário. Planos de Contribuição Variável Planos de Contribuição Variável Sumário Plano Sanasa Parecer atuarial sobre o balanço...2 Demonstrações patrimonial e de resultados de plano de benefícios de natureza previdencial...7 Demonstrativo de

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social Plano de Benefícios PCD INERGUS Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios PCD INERGUS

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [83.564.443/0001-32] FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2002.0046-92] MULTIFUTURO II ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2013 Atuário Responsável

Leia mais

Coordenação-Geral de Monitoramento Contábil CGMC/PREVIC ANBIMA

Coordenação-Geral de Monitoramento Contábil CGMC/PREVIC ANBIMA Coordenação-Geral de Monitoramento Contábil CGMC/PREVIC ANBIMA Brasília, 29 de novembro de 2011 1 Sistema de Previdência Complementar instituído pela Lei 6.435/77 e Decreto 81.240/78; normatizar e disciplinar

Leia mais

MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01

MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 2 MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 Brasília - DF Março/2015 3 Sumário GLOSSÁRIO... 5 CAPÍTULO

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL [02.884.385/0001-22] FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: OUTROS 30/04/2015 Atuário Responsável DANIEL PEREIRA DA SILVA MIBA: 1146 MTE: 1146 DA transmitida à Previc em 29/05/2015

Leia mais

Segurança para quem você ama. Regulamento

Segurança para quem você ama. Regulamento Segurança para quem você ama. Regulamento Bem-vindo, novo participante! É com satisfação que recebemos sua adesão ao Família Previdência, plano desenhado para oferecer uma complementação de aposentadoria

Leia mais

PLANO DE BENEFÍCIOS PREVMAIS. Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios PrevMais CNPB 2006.0034-29 Parecer Atuarial 045/15 Fevereiro 2015

PLANO DE BENEFÍCIOS PREVMAIS. Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios PrevMais CNPB 2006.0034-29 Parecer Atuarial 045/15 Fevereiro 2015 156 Relatório Anual de Informações 2014 PLANO DE BENEFÍCIOS PREVMAIS Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios PrevMais CNPB 2006.0034-29 Parecer Atuarial 045/15 Fevereiro 2015 1. Considerações Iniciais

Leia mais

CADERNO APOS Nº 1. PROCEDIMENTOS PARA ACOMPANHAMENTO DO DESEMPENHO DE SEU PLANO DA SISTEL Edição 2 (abril/15)

CADERNO APOS Nº 1. PROCEDIMENTOS PARA ACOMPANHAMENTO DO DESEMPENHO DE SEU PLANO DA SISTEL Edição 2 (abril/15) CADERNO APOS Nº 1 PROCEDIMENTOS PARA ACOMPANHAMENTO DO DESEMPENHO DE SEU PLANO DA SISTEL Edição 2 (abril/15) 1 1 Introdução... 3 2 Quadro Balancete Sintético (superávit ou déficit do plano) mensal... 3

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988

CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988 MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL MPS SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL SPPS DEPARTAMENTO DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO DRPSP COORDENAÇÃO-GERAL DE AUDITORIA, ATUÁRIA, CONTABILIDADE

Leia mais

FUNDAÇÃO CELESC DE SEGURIDADE SOCIAL CELOS. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em R$ MIL)

FUNDAÇÃO CELESC DE SEGURIDADE SOCIAL CELOS. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em R$ MIL) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Fundação Celesc de Seguridade Social CELOS, instituída pela Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. Celesc, nas Assembléias Gerais Extraordinárias AGE de acionistas realizadas

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [06.184.184/000173] SEBRAE PREVIDENCIA INSTITUTO SEBRAE DE SEGURIDADE SOCIAL PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2004.002883] SEBRAEPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2013 Atuário

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 1 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.050.042-11 - PLANO PREVER DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS

Leia mais

SECRETARIA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS

SECRETARIA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS ENTIDADE RAZÃO SOCIAL: FUNDAÇÃO BANESTES DE SEGURIDADE SOCIAL 3 DADOS DOS PLANOS NÚMERO DE PLANOS:

Leia mais

FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR QUADRO COMPARATIVO DA PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO DO PCV

FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR QUADRO COMPARATIVO DA PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO DO PCV QUADRO COMPARATIVO DA PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO DO PCV REDAÇÃO ANTERIOR NOVA REDAÇÃO JUSTIFICATIVA CAPÍTULO II DA PATROCINADORA Seção II Do Fundo-Patronal CAPÍTULO II DA PATROCINADORA Seção

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [02.884.385/0001-22] ELETRA FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2000.0069-65] PLANO CELGPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2011 Atuário Responsável

Leia mais

Introdução. Nesta cartilha, você conhecerá as principais características desse plano. O tema é complexo e,

Introdução. Nesta cartilha, você conhecerá as principais características desse plano. O tema é complexo e, Introdução O Plano Prodemge Saldado está sendo criado a partir da cisão do Plano Prodemge RP5-II e faz parte da Estratégia Previdencial. Ele é uma das opções de migração para participantes e assistidos.

Leia mais

Gerência de Previdência. Viçosa, Outubro 2014 Rita de Cássia S Valente Neto

Gerência de Previdência. Viçosa, Outubro 2014 Rita de Cássia S Valente Neto Gerência de Previdência Viçosa, Outubro 2014 Rita de Cássia S Valente Neto MISSÃO DO AGROS Promover segurança e bem-estar social dos participantes, por meio de seus planos previdenciário e assistencial.

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL [02.884.385/0001-22] FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: OUTROS 30/04/2015 Atuário Responsável DANIEL PEREIRA DA SILVA MIBA: 1146 MTE: 1146 DA transmitida à Previc em 29/05/2015

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [18.465.825/0001-47] FUNDACAO DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DO SERVIDOR PUBLICO DO PODER JUDICIARIO - FUNPRESP-JUD PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2013.0017-38] JUSMP-PREV ENCERRAMENTO

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social. Plano de Origem - BD. Março de 2015

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social. Plano de Origem - BD. Março de 2015 PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social Plano de Origem - BD Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios Previdenciários do

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA Nº 001 DA FUNDAÇAO CEAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E PREVIDÊNCIA FACEAL - PLANO FACEAL CD - Í N D I C E

REGULAMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA Nº 001 DA FUNDAÇAO CEAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E PREVIDÊNCIA FACEAL - PLANO FACEAL CD - Í N D I C E REFERÊNCIA Í N D I C E PÁG. GLOSSÁRIO 02 CAPÍTULO I Das Finalidades e da Denominação do Plano 04 II Dos membros do PLANO 04 III Da inscrição como participante 06 IV Do cancelamento da inscrição do participante

Leia mais

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV 1 CAPÍTULO I Do Objeto Art. 1º Este documento, doravante denominado Regulamento de Empréstimo, estabelece os direitos e as obrigações da CASANPREV, dos Participantes, Assistidos

Leia mais

LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014 Concede reajuste remuneratório, altera as leis n os 7.227/96, 8.690/03, 9.240/06, 9.303/07 e 10.202/11, e dá outras providências. O Povo do Município de Belo Horizonte,

Leia mais

A Previdência Complementar do Estado de São S o Paulo CARLOS HENRIQUE FLORY

A Previdência Complementar do Estado de São S o Paulo CARLOS HENRIQUE FLORY A Previdência Complementar do Estado de São S o Paulo CARLOS HENRIQUE FLORY Outubro de 2012 POR QUE O ESTADO DE SÃO S O PAULO ADOTOU A PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR? 1º MOTIVO: O ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃ

Leia mais

Quadro Comparativo das Alterações efetuadas no Regulamento do Plano de Aposentadoria CitiPrevi

Quadro Comparativo das Alterações efetuadas no Regulamento do Plano de Aposentadoria CitiPrevi Quadro Comparativo das Alterações efetuadas no Regulamento do Plano de Aposentadoria CitiPrevi Página 1 do quadro comparativo das alterações efetuadas no Regulamento do CitiPrevi Capitulo 1 Do Objeto 1.1

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 1- SIGLA: OABPREV 2- CÓDIGO: 04501 4- NÚMERO DE PLANOS: 1 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.070.021-83 - PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO - PREV DADOS

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [01.182.491/0001-00] OABPREV-RS - FUNDO DE PENSAO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL DO RIO GRANDE DO SUL [2006.0013-29]

Leia mais

Relatório de Seguridade

Relatório de Seguridade Relatório Agosto/2013 O relatório da área de seguridade tem por finalidade apresentar as principais atividades desenvolvidas no mês, informando os números e valores relativos ao período de agosto de 2013,

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL RESUMO

RELATÓRIO ANUAL RESUMO RELATÓRIO ANUAL RESUMO 2014 ÍNDICE Despesas Previdenciais e de Investimentos...3 Rentabilidade dos Perfi s de Investimento...3 Investimentos...3 Número de Participantes...4 Resumo do Resultado Atuarial...4

Leia mais

CONTRATO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO COM FINALIDADE ESPECÍFICA

CONTRATO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO COM FINALIDADE ESPECÍFICA CONTRATO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO COM FINALIDADE ESPECÍFICA CAIXA DE PREVIDÊNCIA DOS FUNCIONÁRIOS DO BANCO DO BRASIL, entidade fechada de previdência complementar, com sede na Praia de Botafogo, nº

Leia mais

ÍNDICE SEÇÃO I DAS CONTRIBUIÇÕES SEÇÃO II DO CARREGAMENTO SEÇÃO IV DOS RESULTADOS FINANCEIROS SEÇÃO V DO RESGATE SEÇÃO VI DA PORTABILIDADE

ÍNDICE SEÇÃO I DAS CONTRIBUIÇÕES SEÇÃO II DO CARREGAMENTO SEÇÃO IV DOS RESULTADOS FINANCEIROS SEÇÃO V DO RESGATE SEÇÃO VI DA PORTABILIDADE PLANO COM REMUNERAÇÃO GARANTIDA E PERFORMANCE PRGP MODALIDADE DE CONTRIBUIÇÃO VARIÁVEL REGULAMENTO DE PLANO INDIVIDUAL TÍTULO I DAS CARACTERÍSTICAS TÍTULO II DAS DEFINIÇÕES ÍNDICE TÍTULO III DA CONTRATAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL 1. FINALIDADE 1.1. Este Regulamento tem por finalidade disciplinar as concessões de empréstimos aos Participantes do Plano de Benefícios JMalucelli, administrado pelo

Leia mais

Caro Participante, Boa leitura!

Caro Participante, Boa leitura! CARTILHA PLANO BD Caro Participante, Levar informações sobre o universo da educação previdenciária e mantê-lo informado sobre as diversas ações desenvolvidas pela Fundação Celpe de Seguridade Social Celpos

Leia mais

Regulamento do Plano de Benefícios CRMPrev

Regulamento do Plano de Benefícios CRMPrev Regulamento do Plano de Benefícios CRMPrev Aprovação Plano de Benefícios CRMPrev Cadastro Nacional de Planos de Benefícios 2003.0013-11 Regulamento aprovado pela Superintendência Nacional de Previdência

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA ÍNDICE

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA ÍNDICE 1 REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA ÍNDICE CAPÍTULO I DA FINALIDADE CAPÍTULO II DO GLOSSÁRIO CAPÍTULO III DA FORMA DE GESTÃO DOS RECURSOS CAPÍTULO IV DA CONSTITUIÇÃO DO PGA CAPÍTULO V

Leia mais

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO OABPrev-SP REGULAMENTO ÍNDICE CAPÍTULO I DO OBJETO

Leia mais

Cartilha Plano A. Índice

Cartilha Plano A. Índice Cartilha Plano A Cartilha Plano A Índice Apresentação A Previnorte Histórico Patrimônio Plano de Benefícios e Plano de Custeio Salário Real de Contribuição Jóia Requisitos exigidos para filiação à PREVINORTE

Leia mais

Não. A Sabesprev tem dinheiro em caixa suficiente para garantir o pagamento aos beneficiários pelos próximos anos. O que existe é um déficit atuarial.

Não. A Sabesprev tem dinheiro em caixa suficiente para garantir o pagamento aos beneficiários pelos próximos anos. O que existe é um déficit atuarial. PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE O SABESPREV MAIS. 1. A Sabesprev está em dificuldades financeiras? Não. A Sabesprev tem dinheiro em caixa suficiente para garantir o pagamento aos beneficiários pelos próximos

Leia mais

PLANO GERADOR DE BENEFÍCIO LIVRE - PGBL MODALIDADE DE CONTRIBUIÇÃO VARIÁVEL REGULAMENTO PGBL ICATU ESTRATÉGIA 2040 SILVER - INDIVIDUAL

PLANO GERADOR DE BENEFÍCIO LIVRE - PGBL MODALIDADE DE CONTRIBUIÇÃO VARIÁVEL REGULAMENTO PGBL ICATU ESTRATÉGIA 2040 SILVER - INDIVIDUAL PLANO GERADOR DE BENEFÍCIO LIVRE - PGBL MODALIDADE DE CONTRIBUIÇÃO VARIÁVEL REGULAMENTO PGBL ICATU ESTRATÉGIA 2040 SILVER - INDIVIDUAL TÍTULO I - DAS CARACTERÍSTICAS Art. 1º. A ICATU Seguros S/A*, doravante

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA. Fundação de Seguridade Social do Banco Econômico S/A - ECOS

REGULAMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA. Fundação de Seguridade Social do Banco Econômico S/A - ECOS Fundação de Seguridade Social do Banco Econômico S/A - ECOS Plano de Contribuição Definida J:\SISTEMAS\Website_ecos\webroot\atual\Documentos em PDF\Regulamento-Plano CD-Benefícios de Risco-Portaria 456

Leia mais

CAPAF CAIXA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO BANCO DA AMAZÔNIA. Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários - PrevAmazônia

CAPAF CAIXA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO BANCO DA AMAZÔNIA. Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários - PrevAmazônia CAPAF CAIXA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO BANCO DA AMAZÔNIA Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários - PrevAmazônia Indice CAPÍTULO I - DO OBJETO... 4 CAPÍTULO II - DAS DEFINIÇÕES E REMISSOES...

Leia mais

AUDITEC- Auditoria Técnica Atuarial RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO ATUARIAL MUNICÍPIO CACEQUI - RS

AUDITEC- Auditoria Técnica Atuarial RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO ATUARIAL MUNICÍPIO CACEQUI - RS RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO ATUARIAL MUNICÍPIO CACEQUI - RS Avaliação realizada em 31.12.2013 ÍNDICE GERAL 1ª PARTE 1.1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.2. HISTÓRICO 1.3. REGRAS DA PREVIDÊNCIA APLICADAS NA

Leia mais

Norma do Empréstimo Pré-fixado Plano Prece III

Norma do Empréstimo Pré-fixado Plano Prece III Norma do Empréstimo Pré-fixado Plano Prece III Sumário - Objetivo -1/6 - Conceitos Básicos -1/6 - Competências - 2/6 - Condições para o Financiamento - 2/6 - Disposições Gerais - 6/6 - Vigência - 6/6 Objetivo.

Leia mais

SOLUÇÕES NA MEDIDA CERTA PARA VOCÊ

SOLUÇÕES NA MEDIDA CERTA PARA VOCÊ SOLUÇÕES NA MEDIDA CERTA PARA VOCÊ PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ATUARIAIS EM PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR ABERTA E FECHADA REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA PLANOS DE SAÚDE E SERVIÇOS ASSISTENCIAIS SEGUROS DE VIDA

Leia mais